Você está na página 1de 5

EM DIA

ECOLOGIA Estudo de insetos dos topos das árvores traz novos dados sobre a biodiversidade
EM DIA

Dossel florestal:
a fronteira desconhecida

FOTOS DE JÜRGEN SCHMIDL (A) E SÉRVIO P. RIBEIRO (B)


A B

A diversidade da vida na Terra


ainda não é compreendida
em sua totalidade. Não se sabe
cal, norte-americano) e pelo pro-
jeto Radeau des Cimes (Consór-
cio Balsa dos Topos, sediado na
Figura 1. O solo de uma floresta
tropical (A) apresenta aracterísticas
ecológicas muito distintas daquelas
encontradas no dossel (B)
quantas espécies existem, ou que França), é apoiada por empresas
hábitats contêm maior diversida- e reúne cerca de 50 entomólogos,
de de organismos. Parte dessa ca- ecólogos e botânicos de 32 paí- P. Ribeiro (Universidade Federal
rência de informações decorre do ses, inclusive o Brasil. de Ouro Preto), estudando estru-
fato de que os topos de pratica- A área protegida do canal do tura de hábitats e insetos galha-
mente todas as florestas do pla- Panamá, mais de 100 anos após dores, e Evandro Gama de Olivei-
neta têm sido menos estudados sua construção, contém hoje flo- ra (Conservação Internacional),
que a camada abaixo das copas restas de porte impressionante e estudando mariposas. Os resul-
(sub-bosque) ou os solos. Um novo grande interesse científico. Como tados dos estudos do Ibisca no Pa-
projeto internacional pretende o canal precisava da água que namá devem ser apresentados
dar um passo importante na bus- descia de suas encostas e era ne- este mês.
ca por tais respostas. cessário minimizar o assorea- O dossel superior é a área flo-
Esse projeto, denominado In- mento, seu entorno foi declarado restal de mais difícil acesso para
vestigating the Biodiversity of Soil área de proteção permanente, o estudos. Nessa área há enorme
and Canopy Arthropods (Investi- que garantiu a preservação des- incidência de luz solar e, por isso,
gando a Biodiversidade de Artró- sas florestas. Por isso, foi realiza- ocorrem importantes processos
podes do Solo e do Dossel) e co- do ali, em setembro de 2003, o de trocas gasosas e atividades bio-
nhecido pela sigla Ibisca, utili- primeiro grande esforço do Ibis- lógicas. Um ambiente quase ári-
za novas técnicas para alcançar ca. Um grande número de pesqui- do, os topos das árvores têm pou-
os dosséis florestais e estudar a sadores se reuniu na ilha de Bar- co a ver com a imagem típica de
variação – do solo ao topo – das ro Colorado, no lago Gatún, para uma floresta tropical vista do solo
espécies de insetos em uma flo- dar início a um estudo do dossel (figura 1). O esforço para compre-
resta tropical. A iniciativa, coor- florestal, ou seja, toda a estrutura ender sua ecologia e a diversida-
denada pelo Smithsonian Tropi- (troncos, galhos, folhagem e cipós) de de seres vivos ali existente é
cal Research Institute (Instituto das copas das árvores. Dois brasi- recente. A ecologia de dossel, uma
Smithsoniano de Pesquisa Tropi- leiros estavam no grupo: Sérvio das últimas fronteiras da biolo-

54 • C I Ê N C I A H O J E • v o l . 3 7 • n º 2 1 7
EM DIA
gia, está em franca expansão no levaram a uma nova estimativa: fica. A pesquisa em dossel de-
mundo – inclusive no Brasil. de oito a nove milhões de insetos. pende de uma série de técnicas e
Ainda assim, em comparação equipamentos.
Insetos, dossel com o número estimado de cerca Entre os métodos mais simples
e biodiversidade de 44 mil espécies de vertebra- e baratos está a escalada livre em
Os insetos representam cerca de dos, os insetos ainda representam corda, uma variação de técnicas
95% de todas as espécies viven- cerca de 99% das espécies de ani- usadas em cavernas e montanhas.
tes no planeta, e são importantes mais do planeta. Primeiro é preciso ‘balar’ a árvo-
elementos de todo e qualquer A maioria das florestas do re, etapa às vezes demorada que
processo ecológico em ecossiste- mundo nunca foi devidamente es- consiste em lançar sobre um ga-
mas terrestres. A extinção de to- tudada quanto à distribuição de lho (com uma funda ou besta) um
dos os vertebrados de uma flores- insetos em todos os seus hábitats, peso ligado a um fio grosso de
ta, por exemplo, mudaria várias seja verticalmente em um ponto nylon atado a uma corda fina. Esta
coisas no ambiente, mas este con- (do solo ao dossel), seja nos dife- será usada para puxar a corda de
tinuaria a ser uma floresta. Já a rentes locais do ecossistema. A escalada, através da qual o pes-
extinção dos insetos alteraria a aparente homogeneidade de uma quisador subirá, usando um equi- Figura 2.
diversidade de formas e adapta- floresta esconde uma sucessão de pamento de ascensão (figura 2). O biólogo suíço
ções das plantas e o funcionamen- mudanças ecológicas sutis, que Nesse processo, é importante Yves Basset,
pesquisador do
to dos ecossistemas. A própria determina preferências das espé- conferir a resistência do galho e
Instituto
vida na Terra não seria como a cies de plantas, e, portanto, de to- adotar várias outras medidas de Smithsonian
conhecemos. das as demais formas de vida. segurança. e idealizador
A imensa diversidade de inse- Além das diferenças horizontais, Muitas vezes é recomendável, do projeto Ibisca,
tos torna impossível a tarefa de ocorrem importantes mudanças para garantir acesso sem restri- tomando notas
de luminosidade
identificar, descrever e catalogar microclimáticas, por causa da ções ao dossel de um trecho de
no dossel,
todas as espécies, como formal- variação na penetração da luz so- floresta, usar métodos mais caros usando técnicas
mente a ciência requer. Estima- lar nas diversas camadas de fo- e pesados. O consórcio interna-  de escalada
se grosseiramente que haja cerca lhas. O projeto Ibisca focalizou
de 750 mil espécies de insetos esses dois níveis de variação. Fo-
catalogadas, com seu tipo padrão ram estabelecidos nove sítios de
depositado em algum museu. Para pesquisa no Parque Nacional San
comparar com outro grupo de se- Lorenzo, situado no litoral cari-
res vivos, basta lembrar que o cé- benho do Panamá, e em cada um
lebre biólogo evolutivo Ernest foi delimitada uma área de 400
Mayr (1905-2005) sustentava a m2, do solo ao dossel. Em cada
estimativa final de 16 mil espé- área foram feitos vários esforços
cies de aves ao todo no planeta. complementares de amostragem
As florestas tropicais detêm o de insetos, além da descrição da
maior número de espécies de in- composição da flora (por botâni-
setos no mundo. Por isso, esse é cos do Instituto Smithsoniano).
um bom lugar para obter dados
sobre diversidade. Estudo feito Técnicas de acesso
nas florestas do Panamá levou o ao topo da floresta
entomologista norte-americano Coletar insetos no dossel supe-
Terry Erwin a estimar, em 1982, rior não é uma tarefa trivial. As
a existência de 30 milhões de es- dificuldades e limitações impos-
pécies de insetos. Erwin fumigou tas pela altura e pelos poucos pon-
uma grande árvore da floresta tos de acesso e de fixação geram
com inseticidas naturais (pire- riscos que precisam ser previs-
tróides), de rápida degradação, e tos e controlados. A expressão ‘úl-
recolheu sob ela os insetos mor- tima fronteira da biologia’, atri-
tos. Com base no número de es- buída por alguns à pesquisa em
FOTO DE SÉRVIO P. RIBEIRO

pécies encontrado e em expec- dosséis, deve-se em parte à seme-


tativas quanto à especialidade dos lhança das condições de trabalho
herbívoros, ele chegou ao valor com as de outras atividades cien-
global acima. Estudos recentes, no tíficas de grande exigência físi-
Panamá e em Papua Nova Guiné, ca, como a pesquisa oceanográ-

julho de 2005 • CIÊNCIA HOJE • 55


EM DIA

FOTO DE JÜRGEN SCHMIDL


ponto de coleta não se limitará por escaladores profissionais – o
àqueles locais em que se pode fi- balão anula o peso do pesquisa-
xar a corda nas árvores. dor, que pode puxar a si mesmo
O projeto Ibisca somou tais do solo até o alto e fazer coletas
métodos de pesquisa de longa até sobre as árvores. Já a ‘balsa de
duração em dosséis às incríveis dossel’ (figura 6) é uma estrutura
técnicas voadoras do Radeau de tubos flexíveis e infláveis de
des Cimes. Esse consórcio reúne PVC, que se cruzam no formato
cientistas de várias universida- de um biscoito pretzel e são pre-
des francesas e entidades como enchidos com hélio. Pousada so-
o Opéracion Canopée (Operação bre as árvores por um helicópte-
Dossel), fundado pelo botânico ro, a balsa tem uma entrada cen-
francês Francis Hallé (especialis- tral e o espaço interior é forrado
ta em arquitetura de copas de ár- com uma tela que permite acesso
vores); a organização não-go- às folhagens. No Panamá, os pes-
vernamental franco-brasileira quisadores caminhavam cerca de
Pró-Natura Internacional; e o gru- uma hora para chegar ao local
Figura 3. cional The Canopy Crane Net- po Océan Vert (Oceano Verde), onde a balsa foi instalada e a al-
Gôndola do work (Rede de Guindastes de Dos- criado por botânicos, pilotos de cançavam através de escalada em
guindaste de
dossel próxima
sel) mantém uma dezena de guin- balão e escaladores profissionais cordas.
a galhos do dastes dentro de florestas em di- de árvores, que desenvolveu vá-
dossel superior versos países (dois no Panamá). O rios equipamentos que permitem A coleta dos insetos
onde um braço desses guindastes sustenta o acesso a pontos nos topos das Para compreender aspectos eco-
pesquisador uma gôndola pequena (para um árvores. lógico-populacionais e avaliar a
prepara-se para
coletas com
pesquisador) ou uma grande (para No Ibisca, foram empregados diversidade de espécies de inse-
guarda-chuva até seis pessoas), presas por ca- três desses equipamentos. O Ikos, tos, os entomologistas precisam
entomológico bos de aço (figura 3). As gôndolas uma estrutura em forma de ico- trabalhar com amostras sistemá-
podem ser movidas para cima e saedro capaz de abrigar até três ticas de espécimes, que são mor-
para baixo dentro do raio de ação pessoas (figura 4), é fixada por es- tos e montados em coleções. Ao
do guindaste, de quase um hecta- caladores em uma árvore que contrário da imagem romântica
re. Com a gôndola pequena é pos- emerge do dossel e utilizada co- da busca por espécimes raros de
sível descer entre os galhos e se mo base para acesso a outros pon- grande valor econômico, o que
aproximar do solo em pratica- tos da floresta. O ‘balanço de move o entomologista moderno é
mente qualquer ponto da flores- dossel’ (figura 5) é um pequeno a possibilidade de ampliar o co-
ta, simulando condições de cole- balão de hélio acoplado a uma nhecimento sobre a ecologia de
tas feitas por escalada de corda, cadeirinha de fibra que percorre comunidades dos insetos e sobre
sendo que nesse caso a escolha do cabos estendidos sobre as copas padrões ecológicos relacionados
à distribuição destes em um am-
Figura 4. biente. Tal abordagem depende
Material foliar do estudo comparativo de grande
com galhas número de insetos coletados alea-
coletado nas toriamente, ao longo de ‘gradien-
imediações
tes ambientais’ ou em hábitats
do Ikos, onde
está sendo contrastantes. Isso foi realizado
processado no Panamá.
Munidos de autorizações de
coleta fornecidas pelo governo
daquele país, os pesquisadores
usaram as mais abrangentes
metodologias de coletas de solo e
dossel. Entre elas estão as ‘arma-
FOTO DE SÉRVIO P. RIBEIRO

dilhas de intercepto de vôo’, em


cujas paredes os insetos se cho-
cam, caindo em um pote com lí-
quido de preservação. Tais arma-
dilhas, bem como as armadilhas

56 • CIÊNCIA HOJE • vol. 37 • nº 217


FOTO DE ROGER LE GUEN
EM DIA
luminosas e outras atrativas (isca, as alterações microclimáticas de-
ou papel pegajoso), foram funda- correntes da diminuição de luz e
mentais para esse trabalho. Ou- temperatura da superfície do dos-
tro método bastante abrangente e sel até o solo? Essas mudanças são
importante por seu uso histórico graduais entre o solo e o dossel
é a fumigação com piretróide na- inferior, mas tornam-se drásticas
tural, composto extraído de flo- à medida que grande quantida-
res de crisântemo e que se degra- de de luz solar passa a incidir so-
da em poucas horas. O piretróide, bre muitas folhas. De úmida, som-
lançado por um aparelho (fogger) breada e sem vento, a floresta tor-
adaptado a partir de propulsores na-se um ambiente árido e enso-
de foguetes, alcança grande altu- larado, com fortes variações nas
ra (figura 7), e os insetos são co- correntes de ar.
letados em lençóis abertos sob as Outro aspecto importante é que
árvores. o estresse hídrico e nutricional
Um método inédito foi desen- das árvores aumenta com a altu-
volvido para estudar insetos cujas ra, devido ao maior volume de te-
larvas causam tumores (as ‘ga- cidos (galhos e folhas da copa)
lhas’) nas folhas. O pesquisador para suprir e às dificuldades para
desce por uma corda ou pela gôn- levar água e nutrientes das raízes
dola, com uma cruz de 1 m x 1 m até copas mais altas. Nossas aná-
para delimitar a área de estudo, lises preliminares sobre a estru-
anotando todas as características tura da vegetação mostram que
da vegetação (número de ‘cama- a superfície de dossel é um am-
das’, quantidade e aspecto das fo- biente com maiores semelhanças
lhas, espécies vegetais, presença ecológicas com um cerrado do que
ou ausência de pêlos e danos em com as folhas e árvores que cres-
folhas e galhos etc.) presente na- cem logo abaixo (figura 8). Assim versos grupos – essas larvas ma- Figura 5.
quele volume vertical. Essas ‘fa- como as folhas de árvores do cer- nipulam os recursos das folhas e O balanço
de dossel
tias’, batizadas de ‘cilindros de rado, as do dossel superior são drenam nutrientes para si.
em ação – a
dossel’, são uma criação brasilei- duras e fibrosas. O resultado mais As características físicas e bio- construção dos
ra para esse projeto. Caracterizar surpreendente foi que a dureza químicas das folhas expostas ao equipamentos
a estrutura do hábitat de dossel das folhas aumentou de modo sol tropical são parecidas, em es- do Radeau
de um jeito aleatório e de fácil re- significativo com a altura da ár- pecial quando faltam nutrientes. des Cimes
(projeto Balsa
petição é uma necessidade meto- vore, e a densidade de insetos ga- Nessas situações, a folha tende a
dos Topos)
dológica essencial para que no- lhadores acompanhou essa ten- fixar proporcionalmente mais foi patrocinada
vos trabalhos possam confirmar dência. Os cerrados, de modo se- carbono do que consegue conver- pela indústria
ou refutar os dados obtidos. melhante, são conhecidos como ter em proteínas. Esse processo de de PVC
um dos ecossistemas de maior conversão requer nitrogênio e Solvin-Solvay
Há um ‘cerrado’ no topo diversidade de galhas no planeta. fosfato, relativamente escassos
das florestas? As galhas são causadas nos ve- tanto no cerrado (de solos tipica-
As triagens ainda estão sendo fei- getais por larvas de insetos de di- mente pobres) quanto no topo de 
tas, mas é provável que um gran-
de número de espécies novas seja
encontrado, como é esperado em
levantamentos de insetos em am-
bientes nunca estudados. O estu-
do, porém, gera outras ‘descober-
tas’. A simples pergunta ‘onde está
a maior diversidade de espécie Figura 6.
em uma floresta, no solo ou dos- A balsa
FOTO DE SÉRVIO P. RIBEIRO

sel?’ levanta, por si só, questões de dossel


gerais sobre a funcionalidade eco- momentos
antes de ser
lógica da floresta. Do ponto de vis-
pousada sobre
ta da variação vertical, a grande as copas
pergunta é: que importância têm das árvores

julho de 2005 • CIÊNCIA HOJE • 57


EM DIA
claração de Ouro Preto, documen-

FOTO DE ROGER LE GUEN


Figura 7.
O ecólogo to elaborado por participantes do
alemão 1o Workshop Internacional de Pes-
Andreas Floren,
da Universidade
quisas Ecológicas de Dossel (Ouro
de Würzburg, Preto, julho de 2004) que sumariza
fumigando as carências de pesquisa nessa área
árvores no Brasil. Entre essas carências
da floresta está a pequena integração das pes-
com piretróide
natural
quisas de biodiversidade com os
projetos de estudos de mudanças
climáticas. É evidente que essa
integração deve ser o próximo pas-
so, para que se possa entender a
importância da floresta nos ciclos
biogeoquímicos mais relevantes
para o clima global.
Quanto às pesquisas entomo-
árvores altas (onde os nutrientes Pesquisa de dossel lógicas, vários projetos estão em
chegam em menor concentração no Brasil andamento em diversos locais no
que na copa de árvores baixas no Embora o número de pesquisas de país. Os ‘cilindros de dossel’ de-
Figura 8. mesmo solo). Assim, as folhas dossel seja pequeno, hoje, no Bra- senvolvidos para o Ibisca já foram
Inseto acumulam o excesso de carbono sil, o país faz parte de quase todos aplicados em uma tese de mes-
mastigador trado da Universidade Federal de
de folhas, em polímeros estruturais ou de os consórcios científicos impor-
defesa química: ligninas, taninos, tantes nessa área científica. Uma Viçosa, em colaboração com a
da família
Tetigonoidae, flavonóides. Tais compostos, em das organizações que tentam unir Universidade Federal de Ouro
sobre uma folha associação com estruturas anatô- esforços para expandir tais estu- Preto, financiada por um progra-
de Marila micas como pêlos e glândulas dos, o Global Canopy Programme ma (Pesquisas Ecológicas de Lon-
laxiflora ga Duração) do Conselho Nacio-
(Clusiaceae), secretoras, causam o fenômeno (Programa Global de Dossel, ou
conhecido como esclerofilia (en- GPC), financia no país o primeiro nal de Desenvolvimento Científi-
a 40 m
de altura, onde grossamento e endurecimento das curso de campo do mundo em eco- co e Tecnológico (CNPq).
as condições folhas). As folhas mais duras e de logia de dossel, oferecido como Este mês, os resultados do Ibisca
ecológicas baixo teor nutricional devem ter disciplina de pós-graduação, atra- serão apresentados e debatidos em
mostram-se simpósios específicos em três en-
similares sido um recurso livre de compe- vés de um convênio entre a Uni-
tição onde as galhas evoluíram, versidade Federal de Ouro Preto contros internacionais, um deles
às encontradas
nos cerrados por diversas razões, que ainda são (Ufop, MG) e a Universidade Esta- no Brasil. A Conferência Inter-
brasileiros investigadas. dual de Santa Cruz (Uesc, BA), em nacional da Associação para a Bio-
colaboração com a Universidade logia Tropical ocorrerá em Uber-
Estadual de Campinas (Unicamp, lândia (MG) e será uma oportuni-
SP). Idealizado por uma brasilei- dade para discutir a pesquisa de
ra (a botânica Talita Fontoura, da estudantes brasileiros em âmbito
Uesc), o curso está na sua terceira internacional. Nada mais natural,
edição e já treinou cerca de 50 pes- uma vez que o Brasil tem marca-
quisadores, mateiros e técnicos do presença nas origens dessa nova
em manejo florestal. fronteira do conhecimento.
Um grande projeto solicitando
recursos do Programa das Nações Sérvio P. Ribeiro
Unidas para o Meio Ambiente, Laboratório de Ecologia
gerenciado pelo GCP, unirá esfor- Evolutiva de Insetos
ços de cinco países tropicais, com de Dosséis e Sucessão Natural,
a previsão de construção de guin- Departamento
dastes de dossel. A pesquisa de de Ciências Biológicas,
Universidade Federal
FOTO DE SÉRVIO P. RIBEIRO

dossel também é recomendada


por nota técnica do Ministério de de Ouro Preto
Ciência e Tecnologia brasileiro, Bruno Corbara
dada a sua importância estratégi- Radeau des Cimes,
ca. A nota surgiu em resposta à De- Université Blaise-Pascal (França)

58 • CIÊNCIA HOJE • vol. 37 • nº 217