Você está na página 1de 53

Fundação Valeparaibana de Ensino

Colégio Técnico “Antônio Teixeira Fernandes”


Curso Técnico em Administração

DÉBORA PEREIRA ARAÚJO


GABRIELA KAREN CARDOSO KUBAIASHI
HELOISA NUNES FRIZO

ESTUDO DAS OPORTUNIDADES E DESAFIOS DOS TRADERS PROFISSIONAIS


NO BRASIL

São José dos Campos, SP


2020
Débora Pereira Araújo
Gabriela Karen Cardoso Kubaiashi
Heloisa Nunes Frizo

ESTUDO DAS OPORTUNIDADES E DESAFIOS DOS TRADERS PROFISSIONAIS


NO BRASIL

Relatório Final apresentado ao Colégio Univap -


Unidade Centro, como parte das exigências do
curso Técnico em Administração, para obtenção
do Título de Técnico em Administração.

Orientador: Prof. Demetrius Alexandre de C.


Rodrigues

São José dos Campos, SP


2020
Débora Pereira Araújo
Gabriela Karen Cardoso Kubaiashi
Heloisa Nunes Frizo

ESTUDO DAS OPORTUNIDADES E DESAFIOS DOS TRADERS PROFISSIONAIS


NO BRASIL

Relatório Final aprovado para obtenção do título em Técnico em Administração, do Curso


Técnico em Administração, do Colégio Técnico “Antônio Teixeira Fernandes”, da Fundação
Valeparaibana de Ensino, São José dos Campos, SP, pela seguinte banca avaliadora:

Orientador: Prof. º Demetrius Alexandre de Carvalho Rodrigues


Membro: Prof.ª MA Ana Carolina Marini
Membro: Prof.ª MA Edna Nunes Gurgel de Albuquerque
Membro: Prof.ª Érica Reis C. Carvalho

São José dos Campos, 30 de novembro de 2020.


Aos nossos familiares e amigos que vivenciaram
de perto o nosso esforço nos últimos três anos na
jornada do ensino médio e técnico, nos dando
suporte.
AGRADECIMENTOS

Agradecemos a Deus pela força, saúde e pelos dons que nos deste nesta existência que
serviram na realização deste projeto.

Aos nossos pais por nos fornecer amor e carinho, bem como apoio e incentivo que nos foi
dado em toda nossa vida, principalmente no âmbito acadêmico.

A Fundação Valeparaibana de Ensino - Colégios Univap Unidade Centro, pela oportunidade


de fazer o curso na área de Administração.

A todos os professores que foram responsáveis pelo nosso crescimento estudantil e pelo nosso
desenvolvimento como seres humanos.

Ao ex-professor do Colégios Univap Unidade Centro, Éder Garcia, por colaborar e nos apoiar
em nossa formação e na execução deste trabalho.

Aos traders Arnaldo Júnior e Julio Castro por nos auxiliar na pesquisa e compartilhar
ensinamentos técnicos conosco.
“Investir em conhecimento rende sempre os
melhores juros”. (Benjamin Franklin)
RESUMO

ESTUDO DAS OPORTUNIDADES E DESAFIOS DOS TRADERS PROFISSIONAIS


NO BRASIL

O trader é um negociador o qual procura a rentabilidade de curto ou longo prazo, através da


realização de compra e venda de instrumentos financeiros no mercado de capitais, a fim de
aproveitar as oportunidades e a volatilidade do mercado, trabalhando em instituições
financeiras ou particulares, operando transações por conta própria com objetivo,
principalmente, de especulação. O objetivo da pesquisa é analisar a relevância da
profissionalização dos traders, levando em conta os estímulos que proporcionam ou
dificultam a escolha por respectivo ofício, explorando as técnicas, oportunidades e os desafios
encarados pelos mesmos. Aplicou-se uma pesquisa quanti-qualitativa, direcionada a
comunidade de traders, sendo eles profissionais ou iniciantes em toda extensão territorial do
Brasil. Pode-se afirmar que o ofício de trader está de fato em ascensão como uma alternativa
para quem procura um modo de trabalho distinto do método tradicional. Os riscos corridos e
os desafios enfrentados são compensados em função das oportunidades e privilégios gerados
por esta profissão.
ABSTRACT

A STUDY OF OPPORTUNITIES AND CHALLENGES FACED BY TRADERS IN


BRAZIL

A Trader is a person who negotiates seeking profitability in a short or long term throughout
purchases and sales of financial tools in the market, in order to take the opportunities in the
market volatility at both private and public institutions, targeting speculations through
transactions. This research aims to analyze the relevance of traders professionals, taking into
account all the reasons a person would have when choosing this occupation, exploring
techniques, opportunities and challenges one may face. A quantum-qualitative survey was
made among the Traders community, all around Brazil - experienced ones or not. Thus, it is
possible to say that the role of a Trader has been rising as an alternative to those who are
looking for a different working style. The risks and challenges may be compensated by the
opportunities and privileges of the job.

KEY-WORDS: Trader, day trade, financial market.


LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Figura 1 - Sistema Financeiro Nacional………………………….........………....…………..17


Figura 2 - Estruturas do Mercado Financeiro………………………………….............……..18
Figura 3 - Intermediação Financeira…………………………........……………………….....19
Figura 4 - Diferenças Entre Especulador e Investidor…….....……........…………………….20
Figura 5 - Tipo de Operação e Dia de Liquidação………………………..............…………..23
Figura 6 - Gráfico de Candlestick.............................................................................................27
Figura 7 - Tipos de Candles......................................................................................................27
Figura 8 - Fórmula Média Móvel Simples................................................................................28
Figura 9 - Fórmula Média Exponencial....................................................................................28
Figura 10 - Suavização de uma Série Histórica........................................................................29
Figura 11 - Cruzamento de Duas Médias Móveis.....................................................................29
Figura 12 - Gráfico HiLo..........................................................................................................30
Figura 13 - Gráfico Candlestick Usado na Técnica de Price Action........................................31
Figura 14 - Satisfação da Renda Desejada................................................................................36
Figura 15 - Valor Considerado Ideal Para o Ingresso do Trader Iniciante...............................37
Figura 16 - O Maior Obstáculo Para Quem Quer Fazer do Trade Sua Profissão.....................39
Figura 17 - O Maior Incentivo Para Quem Quer Fazer do Trade Sua profissão......................39
Figura 18 - Características Consideradas Indispensáveis Para um Trader de Sucesso............40
Figura 19 - Modalidades Mais Indicadas Para um Trader Iniciante........................................40
Figura 20 - Técnicas Recomendadas Para Traders Iniciantes..................................................41
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO .......................................................................................................... 12
1.1 Objetivos gerais ............................................................................................................ 12
1.2 Objetivos específicos .................................................................................................... 12
1.3 Justificativa ................................................................................................................... 13
2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ............................................................................. 14
2.1 O que entende-se por profissão .................................................................................... 14
2.2 Conceito e história do trader ........................................................................................ 14
2.2.1 O mercado financeiro ................................................................................................... 16
2.2.1.1 O mercado de capitais: especulação vs. investimento .................................................. 18
2.2.2 Mercados de trade ........................................................................................................ 21
2.2.3 Perfil de investidores .................................................................................................... 23
2.2.3.1 Perfis de trader ............................................................................................................. 24
2.3 Metodologias de análise de mercado ............................................................................ 25
2.3.1 Análise Fundamentalista............................................................................................... 25
2.3.2 Análise Técnica ............................................................................................................ 26
2.3.2.1 Média Móvel................................................................................................................. 28
2.3.2.2 HiLo Activator .............................................................................................................. 29
2.3.2.3 Retração de Fibonacci .................................................................................................. 30
2.3.2.3 Price Action .................................................................................................................. 31
2.3.2.4 Tape Reading ................................................................................................................ 32
3 DADOS E MÉTODOS ............................................................................................... 33
4 RESULTADOS E DISCUSSÕES.............................................................................. 34
4.1 Região predominante .................................................................................................... 34
4.2. Perfil de trader .............................................................................................................. 34
4.2.1 Conciliando trader como profissão .............................................................................. 34
4.3 Especialização acadêmica............................................................................................. 35
4.4. Retorno financeiro desejado ......................................................................................... 35
4.5. Valor considerado ideal para o ingresso do trader iniciante ........................................ 36
4.6 Metodologias de analise mais utilizadas ...................................................................... 36
4.7 Mercados trabalhados ................................................................................................... 37
4.8 Motivos pela escolha de profissão ................................................................................ 37
4.9 O maior obstáculo para quem quer fazer do trade sua profissão ................................. 37
4.10 O maior incentivo para quem quer fazer do trade sua profissão .................................. 38
4.11 Características consideradas indispensáveis para um trader de sucesso ...................... 39
4.12 Modalidades mais indicadas para um trader iniciante ................................................. 39
4.13 Técnicas recomendadas para traders iniciantes ........................................................... 40
5 CONSIDERAÇÕES FINAIS ..................................................................................... 41
REFERÊNCIAS...................................................................................................................... 42
APÊNDICE A - Formulário de Pesquisa ............................................................................. 46
APÊNDICE B - Artigo INIC ................................................................................................. 48
1 INTRODUÇÃO

Nesse capítulo será apresentado os objetivos gerais e específicos que motivaram a


execução deste trabalho, bem como sua justificativa.

1.1 Objetivos gerais

Realizar uma pesquisa científica explorando as oportunidades e desafios encarados


pelos traders profissionais no Brasil, segmentos de profissão que atuam na área de renda
variável de alto risco do mercado financeiro, atentando-se ao significativo crescimento pela
procura da carreira no país, como declara o estrategista-chefe do Grupo Laatus, agência
referência em educação profissional voltada para a formação de traders (GUERATTO, 2019).
Pretende-se analisar a relevância da profissionalização dos traders, levando em conta
os estímulos que proporcionam ou dificultam a escolha por respectivo ofício.

1.2 Objetivos específicos

Com o intuito de alcançar o objetivo geral apresentado são estipulados os seguintes


objetivos específicos:
• Realizar um estudo do Sistema Financeiro Nacional, assim como do mercado
de capitais, onde é possível compreender o ambiente no qual se inserem os traders.
• Identificar os diferentes perfis de traders existentes e seus níveis de
profissionalização.
• Descrever os requisitos que possibilitam a atuação do trader como
profissional.
• Analisar as motivações e desmotivações que levam o indivíduo a entrar ou não
neste mercado, e desistir da carreira no mercado.
• Analisar as maiores vantagens ou obstáculos enfrentados pelos profissionais
consistentes nesse meio.
• Apurar os melhores mercados, ativos e técnicas para o trader iniciante e
experiente.

12
1.3 Justificativa

Segundo o relatório da B3 houve um aumento de 40% dos Cadastros de Pessoa Física


(CPFs) cadastrados na Bolsa do ano de 2019 em relação ao ano de 2018. Para Fabrizio
Gueratto (2019), este número significa um crescimento da aplicação em renda variável como
diversificação para o aumento de patrimônio. Simultaneamente, de acordo com Jefferson
Lattus, o estrategista-chefe do grupo Lattus, uma das principais agências de educação
profissional voltada para a formação de Trader, houve o aumento de 30% de pessoas
interessadas em aprender sobre tal profissão nos respectivos anos.
Em contrapartida, uma pesquisa encomendada pela CVM (Comissão de Valores
Mobiliários) relatou o prejuízo de 90% das 19.696 pessoas monitoradas de 2012 a 2017 que
tentaram de viver de day trade, a principal modalidade exercida no trading (CAUTI, 2019).
Em virtude do aumento da profissionalização do trader e dos dados que apresentam o
insucesso da grande maioria dos negociadores, é de suma importância um estudo voltado para
essa área do mercado financeiro que analise as oportunidades proporcionadas e os desafios
enfrentados por esses profissionais.

13
2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

Nessa seção será discutida a pesquisa bibliográfica e documental que trouxe o


embasamento teórico necessário para o domínio no tema.

2.1 O que se entende por profissão

A expressão “profissão” é proveniente da palavra latina profissione que refere-se ao


feito de professar. Compreende-se a este termo ao ato de reconhecimento geral de uma
opinião, crença ou modo de ser, levando a concepção de uma ocupação especializada que
solicita conhecimento, preparação e qualificação (TARGINO, 2000).
Neste contexto, o profissional designa- se ao povo como portador de um fundamento
característico, tendo a capacidade de efetivar determinada atividade (CUNHA, 2000).
Considerado o maior filósofo espanhol do último século, José Ortega y Gasset (1935
apud Cunha, 2000), relatou em seu discurso aos bibliotecários como as profissões aparecem
na sociedade.
Para ele, em um determinado período o indivíduo exerce algo porque tem talento,
porque tem prazer e tem um enorme desejo de expor tal vocação pessoal. Com base nisso, a
função de determinado sujeito passa a suprir as necessidades de tal grupo e a partir desse
momento o povo começa a exigir que a atividade seja feita constantemente (1935 apud
CUNHA, 2000).
Na concepção de Eliot Freidson (1998 apud CUNHA, 2000, p.4), "As profissões são
uma especialização do trabalho, que evoluiu através de uma certificação dada por uma
formação". Assim foi representado o que se entendia por profissões na visão de Freidson,
após uma síntese de contestações de referências na área de ciências sociais.

2.2 Conceito e história do trader

Em 1845 no Brasil, foi implantada no mercado financeiro a regulamentação das


atividades de corretor oficial de fundo público e em 1890 ocorreu a inauguração da B3 (antiga
bolsa de valores de São Paulo - Bovespa). De acordo com Cherobim, Lemes Júnior e Rigo
(2002), em 1895 a Bolsa Oficial de Títulos de São Paulo foi fundada, mas foi somente em
1964 com as leis da Reforma Bancária e do Mercado de Capitais, as Bolsas assumiram as
funções que possuem atualmente. Ao longo do tempo diversas bolsas foram criadas, como
14
bolsa de valores do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Brasília, no Extremo Sul,
de Santos, Bahia, Sergipe, porém, essas bolsas foram sendo absorvidas pela Bovespa
(CHEROBIM; LEMES JÚNIOR; RIGO, 2002).
As bolsas de valores além da negociação de títulos promovem também a liquidação
financeira, a custódia de títulos, valores mobiliários e títulos da dívida pública do Tesouro
Nacional, através das distribuidoras e clearings. A princípio, as bolsas operavam com o
tradicional sistema chamado “pregão de viva-voz”, cujas imagens às vezes eram transmitidas
em programas de televisão, mostrando corretores comprando e vendendo ações. Todavia, esse
método de operação foi extinto e atualmente prevalecem as negociações eletrônicas. Em
1972, a Bovespa foi a primeira a implantar o pregão automatizado com as informações que
aconteciam em tempo real (real time), o sistema o qual funciona até os dias atuais
(CHEROBIM; LEMES JÚNIOR; RIGO, 2002).
Segundo a Infomoney (2020), o trader é um investidor o qual procura a rentabilidade
de curto ou longo prazo, a fim de aproveitar as oportunidades e a volatilidade do mercado,
principalmente na Bolsa de Valores. Para obter tal lucro em um período de tempo, o mesmo
possui objetivos de realizar compra e venda de instrumentos financeiros em bolsa, como
ações ou derivados. Os traders também podem ser denominados por aqueles profissionais que
trabalham em instituições financeiras ou particulares realizando transações por conta própria
com objetivo de investimento ou especulação.
Os mesmos podem seguir diretrizes de terceiros em uma determinada corretora,
inserindo-a na esquematização de comércio da bolsa de valores, fazendo a negociação em
cima do volume do mercado, ou seja, especula o fluxo de ordens visando aproveitar a
diferença entre os fluxos de compras e vendas para obter lucros, ou aproveitar determinada
tendência dos preços, para ganhar com a diferença entre a compra e venda (SANTOS, 2019).
O Day trading, Swing Trader e Position Trader traduzindo significa a compra e venda
de ações, onde essas operações podem ocorrer no mesmo dia (day trader), em dois dias a uma
mês (swing trader) ou operações de quase um ano ou mais (position trader). Sendo ela uma
modalidade de negociação utilizada em mercados financeiros (como a bolsa de valores), com
o objetivo a obtenção de lucro com a oscilação de preço, de ativos financeiros. A primeira
sessão de compra e vendas de ações ocorreu em 1971, ganhando impulso com o
estabelecimento de bolsas como a NASDAQ (National Association of Securities Dealers
Automated Quotations) e de plataformas de negociação eletrônicas, que se tornaram
populares pela internet, ao final da década de 1990.

15
2.2.1 O mercado financeiro

Para melhor entendimento do mercado financeiro é necessário em primeira instância


compreender a estrutura do Sistema Financeiro Nacional, que é definido por Alexandre Assaf
Neto (2014), como um conjunto de instituições e instrumentos financeiros - ou seja, de
manejo de dinheiro, como define o Dicionário Aurélio - que visam transferir recursos dos
agentes econômicos (pessoas, empresa, governos) superavitários para os deficitários. De
acordo com o mesmo, é em função do processo de desenvolvimento de uma economia, que
imprescindivelmente consiste na distribuição de capitais por parte dos agentes econômicos no
mercado, que se evidencia a função econômica e social do sistema financeiro, o qual é
constituído por todas as instituições financeiras, públicas ou privadas, existentes no país e que
no Brasil foi estruturado e regulamentado pela Lei de Reforma Bancária (1964), Lei do
Mercado de Capitais (1965) e Lei de Criação dos Bancos Múltiplos (1988).
Para Osias Brito (2020), o Sistema Financeiro Nacional é estruturado em autoridades
monetárias, normativas e fiscalizadoras, que tem como responsabilidade o estabelecimento e
fiscalização de diretrizes de atuação das instituições financeiras operativas e controle do
mercado, das quais podem ser citadas como principais o Banco Central do Brasil (BC,
BACEN ou BCB) e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que estão submetidas ao
órgão máximo Conselho Monetário Nacional (CMN). Também fazem parte dessa estrutura as
instituições financeiras que desempenham o papel de intermediação financeira, as quais
inserem-se captação de recursos, operações de crédito, seguros, mercado de capitais,
poupança, financiamento, habitação, arrendamento mercantil e comércio exterior, que podem
ser públicas, como o Banco do Brasil (BB), o Banco do Desenvolvimento Econômico e Social
(BNDES) e a Caixa Econômica Federal (CEF) e privadas, representadas por sociedades
corretoras, bancos de investimento, sociedades financeiras, entre outros. Pode-se observar tal
estrutura na Figura 1.

16
Figura 1 - Sistema Financeiro Nacional

Fonte: Brito, 2020, p. 49.

“O mercado financeiro pode ser interpretado como o ambiente da economia onde se


realizam todas as transações com moedas e títulos, e participações de capital” (ASSAF
NETO, 2014, p. 125). Suas funções são estabelecer o contato entre os agentes superavitários e
deficitários, ser um mecanismo eficiente de fixação de preços entre os ativos, proporcionar
liquidez aos ativos - ou seja, a facilidade de transformar um ativo em dinheiro, ou vice-versa -
e reduzir os prazos e os custos de intermediação (SANTOS, 2013).

17
A intermediação financeira do mercado financeiro, em que se verifica na Figura 2,
desenvolve-se por meio de segmentações divididas em: mercado monetário, no qual ocorrem
operações de curto e curtíssimo prazo, permitindo um controle ágil da liquidez econômica,
sendo responsável pela formação das taxas de juros básicas da economia; mercado de crédito
que é composto por operações de curto e médio prazo em que há a concessão de créditos,
tipicamente realizadas por bancos comerciais e múltiplos, às pessoas físicas ou o empréstimos
e financiamentos às empresas; mercado de capitais em que as operações são de médio e longo
prazos ou de prazo indeterminado, constituído por títulos representativos do capital das
empresas e de operações de crédito sem intermediação financeira; e por fim o mercado
cambial em que são feitas operações de conversão, ou seja, troca de moeda de um país pela de
outro, em situações onde há a necessidade da prática de comércio internacional. Na prática
esses mercados interagem entre si através de negociações que tem como moeda de troca a
taxa de juros (ASSAF NETO, 2014).

Figura 2 - Estrutura dos Mercados Financeiros

Fonte: Assaf Neto, 2014, p. 125.

2.2.1.1 O mercado de capitais: especulação vs. investimento

Santos (2013) salienta o importante papel do mercado de capitais no desenvolvimento


econômico, visto que constitui-se na relação entre os agentes superavitários (ou poupadores),
que detêm capital em excesso, e deficitários (ou tomadores), como é possível ver na Figura 3,
que possuem falta de capital para manter as suas atividades, através do investimento. As
aplicabilidades do mercado de capitais também se dão pelos variados tipos de financiamento
18
de médio e longo prazo para capital de giro e capital fixo e pelas operações de prazo
indeterminado, tais como a emissão e a subscrição de ações (SANTOS, 2013).

Figura 3 - Intermediação Financeira

Fonte: Oliveira, 2017, min. 23.

O mercado de capitais têm todos seus títulos regulados pela Comissão de Valores
Mobiliários (CVM), uma instituição pública vinculada ao Ministério da Economia. Os
intermediários autorizados a gerenciar transações dos valores mobiliários são as bolsas de
valores, os bancos de investimento, bancos múltiplos com carteira de investimento, corretoras
e distribuidoras de títulos e valores mobiliários (LEITE NETO, 2016).
Como descreve Jonas Leite Neto (2016), no mercado de capitais negociam-se valores
mobiliários (papéis criados que contém um valor) de renda variável, em que não há garantia
de um determinado valor futuro, pois seu rendimento é estabelecido conforme a valorização
ou desvalorização do papel, das quais se inserem as ações; e de renda fixa em que pode-se
realizar uma estipulação concreta do valor futuro, como debêntures e commercial papers,
sendo todos emitidos por empresas privadas, as Sociedades Anônimas (SAs). Nele,
classificam-se o mercado primário, quando uma empresa de capital aberto (organização que
tem autorização da CVM a comercializar títulos) cria e lança uma ação, por exemplo, no
mercado em busca de recursos e essa ação é vendida pela primeira vez, sendo o dinheiro
captado por tal empresa, ou seja, é a primeira vez em que o título, no caso a ação, é
negociado; e o mercado secundário, a partir do momento em que a empresa ou pessoas física
possuidor do respectivo título o vendem e o dinheiro resultante desta segunda negociação não
influencia mais o capital da empresa. Nesse ambiente, encontram-se subdivisões de categorias
de mercado, definidas pelo tipo de operação que é executada em cada um deles. São eles o
mercado à vista, mercado a termo, mercado futuro e mercado de opções, que serão
detalhados posteriormente.
19
A fim de entender a forma de operação na qual o trader atua, é imprescindível a
distinção entre os conceitos de investimento e especulação.
“Operação de curto prazo, com foco no preço do ativo especulado em detrimento aos
seus fundamentos, e com o objetivo de gerar um resultado muito superior ao do mercado,
assumindo riscos que podem comprometer todo o capital aplicado” (FERREIRA, 2017, p. 8).
Assim é interpretada a especulação por Ramiro Gomes Ferreira, após uma síntese de citações
de grandes nomes da história do mercado financeiro, como Jesse Livermore, Philip Carret,
Joseph Schumpeter, Fred Schwed e Benjamin Graham. Em contrapartida, o mesmo concebe
investimento como sendo uma operação de longo prazo, com foco no valor intrínseco do
ativo investido e com o objetivo de preservar o capital e gerar um lucro adequado. Repara-se
o contraste entre esses dois operadores na Figura 4.
Criador dos primeiros fundos mútuos do mundo, o Pioneer Fund e grande
incentivador do conceito de value investing, Philip Carret (1930) exemplifica a diferença entre
um investidor e um especulador. No primeiro, um homem compra ações de determinada
empresa a $95 almejando um retorno de dividendos de mais de 8% ao ano. Já no segundo, o
negociador compra certas ações a $60 com o intuito de vender em seguida com lucro.

Figura 4 - Diferenças Entre Especulador e Investidor

Fonte: Ferreira, 2017, p. 13.

20
Tendo em vista a caracterização do trader descrita no tópico antecedente a esse e a
interpretação dos conceitos de especulação analisados, pode-se estabelecer uma relação de
equivalência entre o trader e o especulador.

2.2.2 Mercados de trade

De acordo com Fortuna (2015), na constituição original, as bolsas não eram


instituições financeiras, mas associações civis sem fins lucrativos, constituídas pelas
corretoras de valores para fornecer a infraestrutura de mercado de ações. Na bolsa de valores
são negociados títulos mobiliários, como por exemplo, as ações que consistem na parcela no
capital de uma empresa (FORTUNA, 2015).
Conforme Leite Neto (2016), “Ação” se refere a parcela do patrimônio de uma
sociedade anônima, ou seja, um título de renda volátil. As ações são divididas em: ações
ordinárias (ON - Ordinárias Nominativas); ações preferenciais (PN - Preferenciais
Nominativas) e ações de fruição (LEITE NETO, 2016). A Câmera de Ações (B3) tem como
finalidade de compensar, liquidar e controlar o risco das obrigações de operações à vista e de
liquidação futura com qualquer espécie de valores mobiliários, títulos, direitos e ativos
realizadas na bolsa, em outras bolsas ou outros mercados, sendo uma Clearing House. São
negociados na B3: ações; derivativos (opções, futuro e termo); Certificados de Recebíveis
Imobiliários; Certificado de Recebíveis de Agronegócio; debêntures (são títulos lançados no
mercado por Sociedades Anônimas não financeiras de capital aberto ou fechado com o
propósito de capitalizar, de obter capital e não de adquirir sócios, como nas ações); letras
financeiras; fundo imobiliário; fundo de participações; fundo de direitos creditórios e
Exchange Traded Funds.
Neste meio existem diversos mercados onde se pode atuar, os quais são classificados
por quatro categorias, e observa-os na Figura 5, sendo eles:
• Mercado à Vista: Conforme Fortuna (2015), é neste mercado que são
efetuadas a compra e a venda dos títulos emitidos pela empresa negociados nas bolsas de
valores, onde as operações de compra e venda de ações são liquidadas em um curto período
de tempo, através de lotes com quantidades determinadas, podendo ser negociadas
unitariamente, em lote de cem, mil ou até mais ações. O termo utilizado no mercado à vista
para observação de tempo de cada processo de negociação para a data de realização do pregão
eletrônico em que houve a compra e venda é “D+o” e para a data de dois dias após a
negociação é usado o “D+2”, no qual a corretora intermediadora do processo de vendas das
21
ações entrega os títulos pelo sistema eletrônico, recebendo em troca um crédito
correspondente ao valor dessa operação; já a compradora recebe as ações na mesma data, em
contrapartida há um credito relacionados às ações (FORTUNA, 2015).
• Mercado a Termo: Mercado a termo é uma operação de compra e venda de
derivativo com vencimento em data futura, sendo ela uma negociação em que o vendedor e
comprador assumem um compromisso a longo prazo. Como o pagamento não será à vista, o
vendedor cobrará juros sobre o preço da ação.
A taxa de juros é combinada entre as partes, mas, normalmente, fica próximo à taxa
Selic. O prazo também é acordado no contrato, podendo ser de, no mínimo 16 e, no máximo,
999 dias. A negociação gera, então, uma relação contratual, devendo ser efetuadas as
obrigações das partes conforme cláusulas acordadas. (MODALMAIS, 2019)
• Mercado Futuro: O Mercado Futuro é um ambiente dentro da Bolsa de
Valores, onde são negociados contratos de compra ou venda de ativos para uma data futura.
(FORTUNA, 2015). O mercado futuro tem algumas particularidades em relação a outros tipos
de derivativos. Uma delas é o fato de que todos os negócios acontecem na bolsa de valores.
Por conta disso, outra característica é a homogeneidade dos produtos. Todos os contratos
precisam seguir um determinado padrão, de modo que todos os investidores tenham a certeza
de que estão negociando exatamente a mesma coisa e nas mesmas condições (INFOMONEY,
2020)
• Mercado de Opções: Mercado de opções é uma alternativa de se prevenir
contra oscilações indesejáveis nos preços das ações. As opções são direitos de compra ou
venda de um determinado ativo, por um preço e prazo preestabelecido, sendo assim, o
detentor de uma opção tem o direito de escolha ao comprar ou vender um ativo, conforme as
condições predeterminadas. (FORTUNA, 2015)

22
Figura 5 - Tipo de Operação e Dia de Liquidação

Fonte: Proeducacional, 2020

2.2.3 Perfil de investidores

Antes de adentrar no mercado financeiro é necessário compreender qual é o seu perfil


de investidor, ajudando a elaborar melhor e mostrando qual a melhor opção de investimento
de acordo com as características pessoais de cada investidor. Sabendo disso, é de extrema
importância que esse perfil esteja totalmente estabelecido (MOREIRA, 2018).
De acordo com Umbelina Lagioia (2011) em seu livro “Fundamentos do Mercado de
Capitais”, existem três perfis de investidores: conservador, moderado e agressivo/ arrojado.
Os investidores são separados nos seguintes segmentos:
• Conservador: De acordo com gestor de investimentos Mauro Halpern (2003), esses
investidores são aqueles que têm preferência em manter o capital que já possuem, sem
correr riscos. Os investidores conservadores possuem uma determinada repulsão em
tramitar riscos em seus negócios, não ficando confortáveis em cenários que envolvem
possíveis perdas ou desvalorização, priorizando bens com baixo risco e bom fluxo de
caixa, mesmo que não haja uma rentabilidade atrativa.
• Moderado: para Moreira (2018), o perfil "moderado" equilibra seus investimentos em
renda fixa e em renda variável, enquanto prioriza segurança, aceita em investir em
produtos com um risco um pouco maior. Tendo como ideia principal aplicar os
capitais em uma parte de investimentos mais seguros e o restante em algo que lhe
fornecerá uma renda maior a médio e longo prazo, como por exemplo, fundos
imobiliários.

23
• Agressivo/arrojado: Este investidor costuma correr riscos para proporcionar a
rentabilidade. Os mesmos conseguem manter sua confiança nos negócios e ficam
confortáveis em situações onde é necessário lidar com oscilações no mercado.
Apresentam diversos atrativos em carteira, buscando ativos que dão resultados com
movimentações diárias. Esse perfil costuma investir, principalmente, em títulos como
ações, operações alavancadas e com derivativos (LAGIOIA, 2011).

2.2.3.1 Perfis de trader

Para Vieira (2017), existem três tipos de negociadores, e os que as diferenciam é o


tempo de negociação que levam para serem finalizadas.
• Day Trader: segundo Chague e Giovannetti (2019), o Day trade é o profissional
que executa a compra e venda do mesmo ativo financeiro, na mesma quantidade e no
mesmo dia, por sua maioria das vezes as operações levando minutos ou até mesmo
segundos para serem efetuadas. O day trader dispõe de seu lucro baseado
permanentemente quando o preço médio de venda sobrepõe o seu preço de compra,
além dos descontos dos gastos sofridos por operação. Na maioria das vezes, as pessoas
que entram para serem profissionais do day trade, se encaixam melhor no perfil
"arrojado", pois encontram-se mais adaptados e sabendo lidar melhor ao risco e as
oscilações do mercado (TORO INVESTIMENTOS, 2019).
• Swing Trader: O swing trade é um dos procedimentos mais comuns de renda variável
dentro do trading, entretanto, consistindo suas operações em um prazo de dois a cinco
dias. Dentro dessa modalidade os ativos necessitam de uma alta liquidez, sendo
imprescindível um grande domínio sobre análise técnica, exigindo um enorme
empenho e paciência. Esse tipo de trade tem suas operações mais reduzidas e todos os
custos e riscos abrangidos são menores, possibilitando um lucro maior do que o
profissional que exerce o Day trader. (VIEIRA, 2017). Este profissional representa o
perfil "arrojado" aplicando o dinheiro em renda variável.
• Position Trader: O position trade é uma modalidade na bolsa de valores, onde o
operador mantém a posição por um período prolongado, até que ganho determinado
seja atingido, dependendo sempre das operações a longo prazo, sendo comum que os
ativos sejam preservados por meses ou anos. A técnica do position é uma mistura da
especulação do trade analisando os gráficos para determinar o momento de compra e

24
venda dos ativos e analisando os fundamentos das empresas e da estratégia buy and
hold de comprar as ações e mantê-las por um enorme tempo. Dentro de tal
estratégia, as oscilações de curto prazo não possuem importância alguma, diante disso,
não são levadas em consideração. Para tal fim, o trade estabelece marcos de stop-gain
e stop-loss maiores, justamente para ganhar com as oscilações ao longo prazo. Por ter
uma longa duração, o position trade não tem a necessidade do acompanhamento
constante da posição (VOGLINO, 2020). Este profissional se encaixa no perfil
arrojado, pois investem na renda variável.

2.3 Metodologias de análise de mercado

No mercado financeiro são difundidos dois principais modos de análise de ativos com
o objetivo de ter uma aplicação de capital com chance mais segura de um retorno lucrativo, a
Análise Técnica e Análise Fundamentalista (GALVÃO, 2018). A finalidade deste tópico é
apresentar as principais metodologias de análise e as técnicas de operação mais empregadas
pelos traders.

2.3.1 Análise Fundamentalista

Para Toro Radar (2015), a Análise Fundamentalista é “uma técnica que tenta
determinar o valor de um título, concentrando-se em fatores que afetam o negócio de uma
empresa e suas perspectivas futuras”. Quem faz esse tipo de análise tem como alvo a compra
de ativos, normalmente ações, baratos de uma empresa visando a valorização daquele título a
médio e longo prazo, técnica também conhecida como “buy and hold”, criada pelo aclamado
economista Benjamin Graham (Clear, 2019).
São pesquisados os fundamentos da empresa em questão, seu lucro, a qualidade de
mercado, sua distinção em meio a concorrência, a prosperidade do seu setor a médio e longo
prazo, possíveis mudanças de regulamentação por parte do governo, a confiança de sua equipe
de gestão, o grau de endividamento, como é investido o dinheiro que entra, etc. para, assim, o
investidor saber o preço justo de tal companhia (GALVÃO, 2018). Essa forma de análise
descrita é característica da Análise Bottom-Up - em português “de baixo para cima” -,
usufruída pelos negociadores que são de fato investidores, de acordo com o conceito já
abordado. Contudo, ainda há a Análise Top-Down, (de cima para baixo), na qual são
estudadas variáveis da economia, como juros, inflação, setor, governança etc. e quem se
25
beneficiaria com as mudanças desses fatores. Quando a taxa de juros caem, por exemplo, as
ações que podem se beneficiar estão anexadas no setor de varejo, pois o consumidor consegue
tomar mais crédito e menos juros no cartão de crédito (Clear, 2019), sendo um método mais
proveitoso para o especulador.

2.3.2 Análise Técnica

A Análise Técnica ou Análise Gráfica é, na concepção de Túlio Galvão (2018, p. 2),


“uma metodologia de apoio à tomada de decisões sobre compra e venda de ativos, a partir
dos dados de comportamento dos preços, analisando-os estatística e probabilisticamente de
modo a estimar com a maior precisão possível seu comportamento futuro provável”. A Teoria
de Dow, elaborada por Charles Dow, ex-colunista do Wall Street Journal, há mais de 100
anos, deu origem a essa forma de análise, em que o gráfico é o elemento essencial onde é
exibido o preço presente do ativo, assim como seu histórico e o volume (valor que foi
negociado em um intervalo de tempo estipulado e que dependendo de sua quantidade pode
levar a certa movimentação dos preços). A Teoria de Dow é composta de 6 fundamentos, dos
quais para Bússola do Investidor (2020), atualmente, se resumem em 3:
1. Movimentos do mercado já descontam tudo: o que afeta o preço do ativo é
descontado e é refletido no mesmo. Ou seja, o gráfico reflete o valor de um título levando em
consideração qualquer fator que influencia seu preço, como decisões políticas, o psicológico
dos participantes do mercado (necessidade de comprar ou vender), notícias, etc.
2. Preços se movem em tendências: ao descobrir uma futura tendência no
princípio de sua formação, o investidor é capaz de tomar a melhor decisão de acordo com a
sua estratégia: comprar, vender, entrar ou sair do mercado.
3. A história se repete: o valor de um papel começa a cair quando os operadores
mais desejam vender. Esse é um exemplo desse fundamento, pois como um dos
influenciadores do preço é a situação psicológica dos investidores e os padrões gráficos o
representam, se assume que eles irão acontecer novamente no futuro.
De acordo com Bússola do Investidor (2020), os modelos de gráficos muito usados
pelos analistas técnicos são: de Linha, Área e Barras, OHLC (sigla para Open, High, Low e
Close) e Renko (tijolo, em japonês). Apesar disso, o tipo de gráfico que merece melhor
detalhamento por ser a principal orientação dos mesmos é o Candlestick, que está exibido na
Figura 6, chamado também de Gráfico de Candles, pela semelhança de suas figuras à velas,
candle em inglês, como mostra a Figura 7.
26
Figura 6 - Gráfico de Candlestick

Fonte: Bússola do Investidor, 2020.

Figura 7 - Tipos de Candles

Fonte: Bússola do Investidor, 2020.

As candles trazem outras variáveis que interferem no preço, e não somente ele por si
próprio, como é possível visualizar na imagem anterior. A abertura é o primeiro preço do
ativo escolhido no momento em que um novo período do gráfico se inicia, o fechamento é o
último preço do ativo no momento em que o período do gráfico se encerra. A máxima é o
maior preço em que o ativo foi negociado em determinado período, a mínima é o menor
preço em que o ativo foi negociado naquele período. A cor de seu corpo também é um
indicador, dado que quando está verde, o preço de fechamento é maior do que o de abertura, o
que manifesta alta, e quando está vermelho, sinaliza que o preço de fechamento está abaixo do
preço de abertura, portanto, queda (Bússola do Investidor, 2020). Incorporadas à análise
técnica, estão as técnicas de operação, que são usadas com o propósito de desenvolver uma
estratégia de negociação. Existindo no mercado inúmeras técnicas, as que merecem mais

27
atenção e serão explicadas de maneira breve são: Média Móvel, HiLo Activator, Retração de
Fibonacci, Price Action e Tape Reading.

2.3.2.1 Média Móvel

O cálculo das médias móveis aritméticas (MMA) ou média móvel simples (MMS), e
das médias móveis exponenciais (MME), indicadas na Figura 8 e Figura 9, respectivamente,
constituem a técnica de operação chamada de Média Móvel, uma das mais antigas técnicas
usadas por traders (RIBEIRO, 2010). A primeira refere-se a média aritmética comum, no qual
cada valor de fechamento dos candles possui o mesmo peso na equação, já na segunda, o peso
dos valores mais recentes são maiores, o que gera uma reação mais ágil à modificações na
tendência de um ativo, mas também expõe a maior chance sinais falsos (SmarttBot, 2016).

Figura 8- Fórmula Média Móvel Simples

MMS = (soma dos últimos N valores) / N

Fonte: Autores, 2020.

Figura 9 - Fórmula Média Exponencial

MME = (Valor Atual – Média Anterior) x [ 2 / ( 1 + Número de Períodos ) ] + Média Anterior

Fonte: Autores, 2020.

Manuseando-se essas médias, são desenhadas linhas de tendência no gráfico que


suavizam valores em séries temporais, como se observa na Figura 10, filtrando ruídos
provocados por flutuações de curto prazo, além de que quando o preço se afasta da média,
indica se o ativo está caro ou barato, atuando como um “ímã” dos preços (RIBEIRO, 2010).

28
Figura 10 - Suavização de uma Série Histórica

Fonte: Smarttbot, 2016.

Uma estratégia muito frequente, fazendo uso dessa técnica é o cruzamento de duas
médias móveis (2MMs), exemplificadas na Figura 11. Nela utiliza-se duas médias de prazos
diferentes, uma de um período maior, que representa a tendência do preço do ativo no curto
prazo e outro menor, na qual representa a tendência de seu preço a longo prazo, ocasionado o
cruzamento delas. Essa é só uma das diversas estratégias em que aplica-se a técnica
operacional de Média Móvel.

Figura 11 - Cruzamento de Duas Médias Móveis

Fonte: Smarttbot, 2016.

2.3.2.2 HiLo Activator

Em 1998, o húngaro Robert Krausz publicou na Stocks & Commodities Magazine,


renomada revista norte-americana voltada para o mercado financeiro, um artigo em que
apresentava uma nova técnica de operação batizada de HiLo Activator (RIBEIRO, 2010),
sendo o termo HiLo relacionado a “High” e “Low”, em português seria algo como “Ativador
de Altas e Baixas”. Essa ferramenta, na verdade classificada mais como um indicador de
tendências, identifica se um título está em tendência alta ou em baixa no mercado, calculando
a média das máximas e mínimas dos últimos períodos escolhidos, considerada também como
uma evolução das médias móveis (SMARTTBOTT, 2011).
29
“O HiLo é então utilizado para calcular os valores de suporte e resistência, como para
implementar regras práticas de entrada, saída e mudança de posição”, resume Wagner
Caetano para Rafael Ribeiro (2010).
Smarttbot (2016) descreve o termo “escada de HiLo” ou “escadinha de Hilo”, como
sendo uma referência a formação de traços, geralmente horizontais, acima e abaixo dos
candles, que quando em conjunto no gráfico, lembram uma escada, como pode-se perceber na
Figura 12. É traçado um sentido de HiLo por vez, sendo registrado acima quando ocorrer um
fechamento abaixo da média das mínimas e abaixo quando ocorrer um fechamento acima da
média das máximas.
Figura 12 - Gráfico HiLo

Fonte: Smarttbot, 2011.

2.3.2.3 Retração de Fibonacci

Leonardo Fibonacci foi um grande matemático que estruturou uma sequência


numérica para descobrir a chamada “razão de ouro”. Ela é formada pelos números: 1, 1, 2, 3,
5, 8, 13, 21, 34, 55, 89 e assim em diante, sendo que o próximo número da sequência sempre
será soma dos dois anteriores e qualquer número dividido pelo anterior, terá o valor
aproximado de 1,1618 (REIS, 2019). A técnica de Retração de Fibonacci utiliza dos números
do matemático e consiste na interpretação das porcentagens mais comuns, que são: 0,00%,
38,2%, 50%, 61,8% e 100%, pois elas têm como meta simplificar as movimentações do
mercado e identificar as “zonas de alerta” (pontos onde se espera que ocorram uma reversão
de tendência, uma reviravolta do mercado), e assim, o trader poderá aproveitar dos repiques
ou reversões como pontos de entrada para uma operação, como explica Tiago Reis (2019).
Os principais pontos da teoria supõe-se que nas regiões de 50% e 76,4% é onde os
preços de um ativo começariam a reagir e mudar sua tendência. As regiões de 6% é
classificada como leve, uma movimentação rápida e de curta duração que quando atinge 23 %
a tendência se reverte; as de 2% são classificadas como moderadas, sendo vistas como uma

30
correção, e enfraquecendo aos poucos sua tendência; e por último as regiões entre 8% e 62,
que apesar de serem retrações difíceis de acontecer, são movimentações fortes e popularmente
conhecida como retração de ouro (REIS, 2019).

2.3.2.3 Price Action

Price Action é um termo de origem da língua inglesa que traduzido para o português,
pode se entender como “ação do preço” ou “comportamento do preço” (IASI, 2020). Nos
Estados Unidos da América essa técnica é chamada de Naked Trading, ou “trade nu”, que
seria operar o gráfico sem nada, como veio ao mundo. (BECKER, 2018). Para SmarttBot
(2020), o principal conceito da técnica de operação Price Action é tomar decisões baseadas
exclusivamente no preço do ativo, sem a presença de indicadores técnicos (que são baseado
em cálculos realizados sobre uma base de dados existente envolvendo o preço e volume do
ativo, que por mais que sejam recentes, fazem parte de um passado). O principal gráfico
usado nessa técnica é o Candlestick, demonstrado abaixo na Figura 13, em que, nesse caso, só
estão presentes as candles (SANTOS, 2019).

Figura 13 - Gráfico Candlestick Usado na Técnica de Price Action

Fonte: Santos, 2019.

A função da técnica de Price Action é a executar uma análise que consiste em exibir
padrões de movimentação do preço com o objetivo de prever os movimentos futuros. Já o
volume é usado como uma confirmação de tal previsão, visto que um enorme volume, por
exemplo, revela a entrada de possíveis grandes players - ou “operadores”, em tal situação - no
trade (IASI, 2020).

31
2.3.2.4 Tape Reading

Em tradução literal, Tape Reading seria algo como “leitura de fita”. O conhecimento
de sua origem pode facilitar o entendimento dessa técnica, que é praticada desde a segunda
metade do século XIX (CM CAPITAL E PLUS, 2019).
Reading the Tape refere-se ao nome do antigo método de exibição num papel dos
negócios executados e também dos preços de compra e de venda. Essa impressão era feita por
máquinas que exibiam as cotações numa fita, daí o nome traduzido leitura de fita
(ANTUNES, 2017).
Atualmente essas informações são mostradas eletronicamente através das telas
chamadas “Times and Trades” - registro das operações realizadas por todos os participantes
do mercado - e “Book de Ofertas” - registro das intenções de compra e de venda dos
investidores do mercado -. O nome mais moderno para essa técnica, que por muitos é
considerado mais como um modo de leitura, é Fluxo das Ordens (ANTUNES, 2017). O seu
principal objetivo é acompanhar o fluxo das negociações que acontecem na bolsa de valores,
de modo que seja possível para o trader identificar a tendência dos preços no mercado para
que o mesmo possa realizar seu próprio negócio. Nessa leitura é habitual ter como base os
grandes investidores, que são responsáveis por movimentar grandes volumes de capital, onde
operadores que aplicam pequenas e médias quantias de seu capital seguem essa oportunidade
de lucrar com o ativo referente (Toro Investimentos, 2019).
Toro Investimentos (2019) lembra que apesar de sua viabilidade de utilização na
situação anterior, o Tape Reading, hodiernamente, é uma técnica mais empregada no sentido
de captar dados e informações do mercado e com isso executar uma análise de preço, das
quais são divididas em três modalidades: Histórico de Operações, no qual esse histórico
permite que a consulta da hora, a quantidade, o preço, as instituições financeiras por onde
foram realizadas a compra e a venda e quem foi o “agressor” (investidor que teve a intenção
de fechar o negócio) da negociação; Book de Ofertas, que já fora definido anteriormente, e
tem como foco a visão das ordens que estão aguardando para serem negociadas, sendo capaz
de visualizar a quantidade e a instituição financeira de onde saiu a ordem e preço; e por fim,
Volume de Profile, ferramenta essa que fornece dados sobre a intenção de negócios dos
investidores de modo organizado, na qual está disponível o volume de negócios efetuados de
modo acumulado, possibilitando o reconhecimento de regiões de concentração de
compradores e vendedores.

32
3 DADOS E MÉTODOS

Com a finalidade de executar uma pesquisa básica estratégica para aprofundamento


científico, neste Trabalho de Conclusão de Curso foi utilizado uma pesquisa descritiva e
exploratória sobre as oportunidades e desafios do trader profissional no Brasil.
Foi adotado o procedimento bibliográfico e documental, sendo realizados estudos e
leituras acerca da estrutura do Sistema Financeiro Nacional, assim como os segmentos de
mercado e seus ativos inseridos no mercado de capitais.
Realizou-se também um estudo sobre a concepção do que entende-se por profissão, a
diferenciação entre investimento e especulação, bem como o conceito e história do trader,
investigando os tipos de perfis de investidores e traders e as principais metodologias de
análises, indicadores e técnicas de operação, aplicadas por eles para executar as negociações.
Aplicou-se uma pesquisa quantitativa, direcionada a comunidade de traders, por
intermédio das redes sociais WhatsApp, Instagram, Facebook e Telegram, sendo eles
profissionais ou iniciantes em toda extensão territorial do Brasil, através da plataforma online
Google Forms, composto por 12 questões fechadas e 5 questões abertas, onde as respostas
com ideias mais similares foram desenvolvidas para uma resposta geral, aplicadas em um
período de duas semanas no mês de agosto, alcançando uma amostragem com 303 pessoas.
O intuito do questionário é apurar os melhores mercados, ativos e técnicas para o
operador iniciante ou experiente, e, sobretudo identificar a proporção dos diferentes perfis de
traders, seus níveis de profissionalização, os requisitos que possibilitam sua atuação como
profissional, além de analisar as motivações e desmotivações que levam o indivíduo a entrar
ou não neste mercado e as maiores vantagens ou obstáculos enfrentados por eles.

33
4 RESULTADOS E DISCUSSÕES

Nesse capítulo serão exibidos os resultados da pesquisa quantitativa realizada através


do Google Forms, sendo algumas respostas adaptadas, sintetizando as ideias próximas e
desenvolvidas para uma resposta geral. O formulário de perguntas pode ser visualizado no
Apêndice A.

4.1 Região predominante

O Brasil possui um território de 8.516.000 km² segundo ao IBGE - Instituto Brasileiro


de Geografia e Estatística - (2020) e sua população é composta aproximadamente por
210.147.125 milhões de habitantes, sendo estes 51,8% de mulheres e 48,2% homens
(PORTAL G1,2019). A faixa etária predominante é de 15 a 64 anos de idade correspondendo
64,38% da população (IBGE, 2019).
Na pesquisa aplicada com 303 pessoas notou-se a hegemonia do sexo masculino com
o predomínio da faixa etária de 20 a 40 anos de idade. A região sobressaída entre os
entrevistados foi a região sudeste (55%), seguida da região sul (20,9%), nordeste (10,9%),
centro-oeste (7,9%) e por fim a região norte (5,3%).

4.2. Perfil de trader

Dentro dessa profissão existem diferentes modalidades de operação, nas quais cada
tipo de trader possui um conjunto de habilidades diferentes.
A maior parte dos operadores no mercado de renda variável de alto risco questionados
se identificam melhor com o perfil de day trader, confirmando a constatação de Marcello
Vieira (2017), representando 69% do total, sendo 26% swing trader e 5% se encaixando no
position trader.

4.2.1 Conciliando trader como profissão

35% dos entrevistados possuem o trading como profissão principal, em oposição a


65% que o possuem como ocupação secundária conciliando com sua profissão principal. Dos
que empregam o trading como segundo plano, 58,1% gostariam de tê-lo como prioridade, já

34
26,1% consideram tal circunstância não aplicável atualmente e apenas 15,8% estão satisfeitos
em manter o trading como segunda opção.

4.3 Especialização acadêmica

André Moraes (2018) explica que não há graduação específica para seguir nos
mercados de investimentos, mas que indivíduos que seguem a carreira ou ao menos a
formação na área de ciências sociais aplicadas possuem uma vantagem. É possível visualizar
essa afirmativa nesta sessão, pois quando questionados sobre a especialização acadêmica
45,5% não possuem nenhuma graduação, dividindo o resultado com 54,5% que possuem
algum tipo de formação, correspondendo a 164 dos traders abordados, tais como 22%
graduados em administração, 16% no ramo de engenharia/construção civil, 8% na área da
saúde, 6,5% no campo da computação, assim como no setor dos gestores de finanças, projetos
e pessoas, e 47,5% fragmentados em 76 profissões diversas.

4.4. Retorno financeiro desejado

No que diz respeito à obtenção no retorno financeiro desejado, como demonstra a


Figura 14, 23,1% afirmam alcançar o sucesso monetário, 20,8% não lucram como desejado e
56,1% dos participantes declaram que ainda não possuem a renda desejada, mas que estão
progredindo.

Figura 14 – Satisfação da Renda Desejada

Fonte: Autores, 2020.

35
4.5 Valor considerado ideal para o ingresso do trader iniciante

Tratando-se de dinheiro, observando na Figura 15, o valor considerado ideal para o


trader iniciante começar a operar de acordo com 41,6% desses profissionais é de R$500,00 a
R$1.000,00, 29% de R$1.000,00 a R$10.000,00, 19,5% até R$500,00 e 9,9% mais de
R$10.000,00.

Figura 15 - Valor Considerado Ideal Para o Ingresso do Trader Iniciante

Fonte: Autores, 2020.

4.6 Metodologias de analise mais utilizadas

Por metodologia, entende-se como as técnicas e os indicadores empregados para a


compra e venda de ativos mobiliários, com o objetivo de aplicação de capital com mais
segurança e maior chance de retorno lucrativo.
Sendo a análise técnica a metodologia mais simples e flexível (PINHEIRO, 2020), sua
predominância é visível nas respostas apuradas, tendo em vista que a Análise Técnica ou
Gráfica de forma genérica foi apontada por 1% pelos entrevistados, e de modo mais
específico o Price Action adotado por 31%, seguido pela Média Móvel (20%), Fibonacci
(22%), HiLo (3%), Tape Reading (8%), e outros indicadores e técnicas de operação (5%). A
Análise Fundamentalista corresponde a 10% das técnicas utilizadas.

36
4.7 Mercados trabalhados

Dos 303 traders questionados, 47% atuam no mercado futuro, 35,8% no mercado de
ações, 4,8% no universo das criptomoedas, 4,2% no mercado de opções binárias, assim como
no forex, e 13,8% no mercado de derivativos, sendo uma pequena porcentagem que operam
em todos eles.

4.8 Motivos pela escolha de profissão

Surpreendentemente 6% não possuem / não consideram trade como profissão, e entre


os que se identificam como profissionais, os motivos mais evidenciados pela escolha de tal
ofício são: renda extra (27%), flexibilidade de horário/local (22%), liberdade financeira
(15%), paixão e gosto pelo mercado (9%), não ter chefe (4%) e outros (17%).

4.9 O maior obstáculo para quem quer fazer do trade sua profissão

Compreendendo que as respostas com ideias mais similares foram desenvolvidas para
uma resposta geral, nota-se na Figura 16 que os maiores obstáculos enfrentados pelos traders
é o controle da ansiedade nas operações, aprender uma estratégia operacional de acordo com o
seu perfil e insegurança após uma perda financeira.
Logo é de grande importância o controle psicológico, para que ele saiba lidar com tais
perdas e as emoções sucedentes a estes episódios, como sustenta Caio Sasaki (2020).

37
Figura 16 - O Maior Obstáculo Para Quem Quer Fazer do Trade Sua Profissão

Fonte: Autores, 2020.

4.10 O maior incentivo para quem quer fazer do trade sua profissão

Com base na Figura 17, constata-se que os maiores incentivos para quem almeja
exercer o trade como sua profissão é a flexibilidade no horário de trabalho e possibilidade de
retorno financeiro alto e rápido.

Figura 17 - O Maior Incentivo Para Quem Quer Fazer do Trade Sua Profissão

Fonte: Autores, 2020.

38
4.11 Características consideradas indispensáveis para um trader de sucesso

Observa-se na Figura 18 que as principais características consideradas indispensáveis


para se tornar um trader de sucesso estão relacionadas à competências psicológicas.

Figura 18 - Características Consideradas Indispensáveis Para um Trader de Sucesso

Fonte: Autores, 2020.

4.12 Modalidades mais indicadas para um trader iniciante

Assim como as modalidades de atuação praticadas pelos entrevistados, verifica-se na


Figura 19 que o day trade lidera a pesquisa como a modalidade de trade mais indicadas para
iniciantes operarem, vindo em seguida o swing trade e por fim o position trade.

Figura 19 - Modalidades Mais Indicadas Para um Trader Iniciante

Fonte: Autores, 2020.


39
4.13 Técnicas recomendadas para traders iniciantes

A Análise Técnica e o indicador Price Action são os métodos de maior destaque dentre
as recomendações para traders iniciantes, como constata-se na Figura 20. Entretanto, além da
escolha da metodologia em si, é necessário um profundo estudo técnico, como é recomendado
por 11,6% dos entrevistados, adentrando os segmentos de mercado, as metodologias de
análises, técnicas de operação, entre outros fatores que definem a estratégia e
consequentemente o perfil do trader.

Figura 20 - Técnicas Recomendadas Para Traders Iniciantes

Fonte: Autores, 2020.

40
5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

A partir da realização deste trabalho de conclusão de curso, identificou-se a


necessidade de uma pesquisa aprofundada acerca das oportunidades e desafios dos traders no
Brasil, devido ao crescimento dessa profissão nos últimos anos (GUERATTO, 2019), e do
fracasso de muitos deles (CAUTI, 2019) para que houvesse um esclarecimento dos benefícios
e malefícios que esta profissão traz.
O objetivo geral que consistia em analisar a relevância da profissionalização dos
traders, levando em conta os estímulos que proporcionam ou dificultam a escolha por
respectivo ofício, foi atendido, pois foram descobertos os maiores incentivos, os quais são:
flexibilidade no horário de trabalho (47,9%) e possibilidade de retorno financeiro alto e rápido
(36,4%). Entretanto para usufruir de tais benefícios, é fundamental o aprofundamento em
competências técnicas e psicológicas. E os maiores obstáculos são o controle da ansiedade nas
operações (53,3%), aprendizagem de uma estratégia operacional de acordo com o seu perfil
(19,7%) e a inseguranças após uma perda financeira (19,4%).
Pode-se afirmar que os objetivos específicos foram alcançados, em virtude da
identificação dos diferentes perfis de traders existentes, sendo maioria day trader (69%), seus
níveis de profissionalização, em que constatou-se a quase igualdade entre os graduados
(54,5%) e não graduados (45,5%), o esclarecimento dos requisitos que possibilitam a atuação
e o sucesso do trader como profissional e melhores mercados e técnicas para o trader
iniciante.
Diante da metodologia proposta, percebeu-se uma limitação em relação ao número da
amostragem em comparação a quantidade de traders existentes no Brasil. Recomenda-se a
abordagem aprofundada de tópicos da pesquisa aplicada com a finalidade de desvendar os
motivos de suas ocorrências e seus impactos como sugestão para próximos trabalhos que
envolvam o trade.
O ofício de trader está de fato em ascensão como uma alternativa para quem procura
um modo de trabalho distinto do método tradicional. Os riscos corridos e os desafios
enfrentados são compensados em função das oportunidades e privilégios gerados por esta
profissão.

41
REFERÊNCIAS

ANTUNES, André. O que é Tape Reading?. 2017. Disponível em:


<https://scalpertrader.com.br/o-que-e-tape-reading/>. Acesso em: 13 ago. 2020.

ASSAF NETO, Alexandre. Mercado Financeiro. 12 ed. São Paulo: Atlas, 2014.

BECKER, Eduardo. O que é Price Action?. 2018. Disponível em:


<https://portaldotrader.com.br/aprenda/price-action-curso-gratuito/conceitos-iniciais/o-que-e-
price-action>. Acesso em: 15 ago. 2020.

BRITO, Osias Santana de. Mercado Financeiro. 3 ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2020.

BÚSSULA DO INVESTIDOR. Guia de Análise Técnica Aprenda a Operar na Bolsa


Fazendo a Análise de Gráficos. 2020. Disponível em:
<https://www.bussoladoinvestidor.com.br/guia-analise-tecnica/#chapter4>. Acesso em: 13
ago. 2020.

CARRET, Philip Lorde. The Art of Speculation. 1 ed. Nova Iorque: Barron’s, 1930.

CAUTI, Carlos. FGV: Mais 90% de Quem Tenta Viver de Day Trade têm Prejuízo. 2019.
Disponível em: <https://www.sunoresearch.com.br/noticias/estudo-mostra-day-trade-
prejuizo/>. Acesso em: 11 ago. 2020.

CHAGUE, Fernando; GIOVANNETTI, Bruno. É Possível Viver de Day-trading?. 2019.


Disponível em: < https://cointimes.com.br/wp-content/uploads/2019/03/Viver-de-day-trading-
1.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2020.

CLEAR. Análise Fundamentalista: Saiba como Montar uma Carteira de Ações. 2019.
Disponível em: <https://blog.clear.com.br/analisefundamentalista/>. Acesso em: 16 ago.
2020.

CM CAPITAL E PLUS. O que é Tape Reading?. 2019. Disponível em:


<https://cmcapital.com.br/blog/tape-reading/>. Acesso em: 13 ago. 2020.

CUNHA, M. V. O Profissional da Informação: Formação e Mercado de Trabalho. São


Paulo: APB, 2000. (Ensaios APB, n.83).

FERREIRA, Ramiro Sanchez e Gomes. Especulação Financeira: Tudo Que Você Precisa
Saber Para Não Confundir Com “Investimento” e Não Perder Dinheiro. 2017.
Disponível em: <https://clubedovalor.com.br/o-que-e-especulacao-financeira/>. Acesso em:
19 jul. 2020.

42
FORTUNA, Eduardo. Mercado Financeiro: Produtos e Serviços. 20 ed. [s.l.]: Qualitymark,
2015.

GALVÃO, Túlio. O que é Análise Técnica?. 2018. Disponível em:


<https://portaldotrader.com.br/aprenda/analise-tecnica-curso-gratuito/introducao-a-analise-
tecnica/o-que-e-analise-tecnica>. Acesso em: 14 ago. 2020.

GUERATTO, Fabrizio. Traders - Cresce o número de profissionais na Bolsa de Valores.


2019. Disponível em: <https://1bilhao.com.br/traders-operam-na-bolsa/>. Acesso em: 13 jul.
2020.

HALPERN, Mauro. Gestão de Investimentos: Produtos, Perfil e Riscos. São Paulo: Saint
Paul Institute of Finance, 2003.

IASI, Rafael. Price Action - Análise Gráfica do Comportamento dos Preços. 2020.
Disponível em: <https://daytraderpro.io/aprenda/price-action/>. Acesso em: 15 ago. 2020.

INFOMONEY. Mercado futuro: Um guia para entender seu funcionamento e começar a


operar. 2020. Disponível em: < https://www.infomoney.com.br/guias/mercado-futuro/>
Acesso em: 11 ago. 2020.

_____________.. O Que Faz Um Trader?. 2020. Disponível em:


<https://www.infomoney.com.br/guias/trader/#:~:text=O%20trader%20%C3%A9%20um%2
0investidor,outros%20ativos%20negociados%20em%20Bolsa>. Acesso em: 03 nov. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pirâmide Etária. 2019.


Disponível em: <https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18318-
piramide-etaria.html>. Acesso em: 04 nov. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Projeção da População


do Brasil e das Unidades da Federação. 2020. Disponível em: <
https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/>. Acesso em: 04 nov. 2020.

LAGIOIA, Umbelina Cravo Teixeira. Fundamentos Do Mercado De Capitais. 3 ed. [s.l.]:


Atlas, 2011.

LEITE NETO, Jonas Barbosa. Mercado de Capitais. 2016. Disponível em:


<https://www.youtube.com/watch?v=3H_pN6Dpt0A&t=4s>. Acesso em: 01 ago.2020.

LEMES JÚNIOR, Antônio Barbosa; RIGO, Cláudio Miessa; CHEROBIM, Ana Paula Mussi
Szabo. Administração financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras. 3 ed. Rio
de Janeiro: Elsevier, 2010.

43
MODALMAIS. Mercado a Termo: O Que é e Como Funcionam as Operações a Termo.
2019. Disponível em: < https://www.modalmais.com.br/blog/mercado-a-termo>. Acesso em:
11 ago. 2020.

MORAES, André. É Preciso Ter Qual Formação Para Ser Um Trader de Sucesso?. 2018.
Disponível em: <https://www.andremoraesnabolsa.com.br/e-preciso-ter-qual-formacao-para-
ser-um-trader/>. Acesso em: 15 set. 2020.

MOREIRA, Eduardo. Qual seu perfil de investidor?. 2018. Disponível em:


<https://edumoreira.com.br/qual-seu-perfil-de-
investidor/?gclid=Cj0KCQjw0rr4BRCtARIsAB0_48PqXHrokRb7YWyXJIMl-
w89s5725cS88qcAle5LwhptNeFaxAmrExAaAgzmEALw_wcB> Acesso em: 03 nov. 2020

OLIVEIRA, Alessandra Petrechi. Mercado de Capitais Aula 01. 2017. (23min). Disponível
em: <https://www.youtube.com/watch?v=9vIs7075hTI>. Acesso em: 01 ago. 2020.

PORTAL G1. Brasil atinge 210 milhões de habitantes. 2019. Disponível em: <
https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/08/28/brasil-atinge-210-milhoes-de-habitantes-
diz-ibge.ghtml>. Acesso em: 04 nov. 2020.

PINHEIRO, Layonel. Como Fazer um Estudo de Análise Técnica de Ações no Mercado


Financeiro?. 2020. Disponível em: <https://blog.nelogica.com.br/como-fazer-um-estudo-de-
analise-tecnica-de-acoes-no-mercado-financeiro/> Acesso em: 15 set. 2020.

PROEDUCACIONAL. Bolsas de Valores e Mercados à Vista, a Termo, Futuro e de


Opções (Mercado de Balcão Organizado). 2020. Disponível em:
<https://proeducacional.com/ead/curso-cea/capitulos/sistema-financeiro-nacional-e-
participantes-do-mercado-2/aulas/aula-85/>. Acesso em: 04 ago. 2020.

REIS, Tiago. Retração de Fibonacci: Entenda como Funciona esse Indicador. 2019.
Disponível em: <https://www.sunoresearch.com.br/artigos/retracao-de-fibonacci/>. Acesso
em: 14 ago. 2020.

RIBEIRO, Rafael de Souza. Análise técnica: Cruzamento de Médias Móveis Ainda é uma
Estratégia Lucrativa?. 2010. Disponível em: <https://www.infomoney.com.br/onde-
investir/analise-tecnica-cruzamento-de-medias-moveis-ainda-e-uma-estrategia-lucrativa/>.
Acesso em: 13 ago. de 2020.

SANTOS, Fábio. Análise Técnica: Price Action. 2019. Disponível em:


<https://www.promo.beoninvest.com.br/post/price-action>. Acesso em: 15 ago. 2020.

SANTOS, Maria do Socorro Conceição. Mercado de Capitais. 2013. Disponível em:


<http://files.ccuninoveturma20112.webnode.com/200000074-
0d73b0e6bc/Material%20de%20apoio_Mercado%20de%20capitais.pdf>. Acesso em: 20 jul.
2020.

44
SANTOS, Rodrigo. O que é e Quais os Tipos de Trader Profissional?. 2019.
Disponível em: <https://plataformafasttrade.com.br/blog/o-que-e-e-quais-os-tipos-de-trader-
profissional/>. Acesso em: 03 nov. 2020.

SASAKI, Caio. Como Aspectos Psicológicos Podem Ajudar Você a Ser um Trader?.
2020. Disponível em: <https://portaldotrader.com.br/aprenda/psicologia-para-traders-curso-
gratuito/aspectos-mentais/introducao>. Acesso em: 28 ago. 2020.

SMARTTBOT. HiLo Activator: Como Usá-lo em uma Estratégia de Investimento. 2011.


Disponível em: <https://www.smarttbot.com/trader/indicador-hilo-activator-daytrade/>.
Acesso em: 14 ago. 2020.

_____________. Médias Móveis: Conheça este Indicador e Saiba como Usar no Day
Trade. 2016. Disponível em: <https://www.smarttbot.com/trader/medias-moveis-para-day-
trade/>. Acesso em: 15 ago. 2020.

_____________. Price Action: Saiba como Funciona essa Estratégia de Day Trade. 2020.
Disponível em: <https://www.smarttbot.com/trader/price-action-como-funciona/>. Acesso
em: 15 ago. 2020.

TARGINO, Maria das. Graças. Quem é o Profissional da Informação?. Campinas, v. 12, n.


2, jul-dez. 2000.

TORO INVESTIMENTOS. Tape Reading: O que é e Como Funciona na Prática. 2019.


Disponível em: < https://blog.toroinvestimentos.com.br/tape-reading-o-que-e-na-
pratica#:~:text=Como%20funciona%20o%20Tape%20Reading,a%C3%A7%C3%B5es%20er
am%20negociadas%20pelo%20telefone.&text=Com%20essa%20leitura%2C%20os%20inves
tidores,mais%20negociadas%20durante%20um%20preg%C3%A3o>. Acesso em: 13 ago. de
2020.

TORO RADAR. O que é Análise Fundamentalista?. 2015. Disponível em:


<https://www.tororadar.com.br/investimento/analise-fundamentalista/o-que-
e#:~:text=Ao%20falar%20sobre%20a%C3%A7%C3%B5es%2C%20a,na%20economia%20c
omo%20um%20todo>. Acesso em: 13 ago. 2020.

VIERA, Marcello. Conheça os Tipos de Trading Mais Comuns do Mercado. 2017.


Disponível em: <https://investidordesucesso.com.br/bolsa-de-valores/tipos-de-trading/>.
Acesso em: 19 ago. 2020.

VOGLINO, Eduardo. O que é Position Trade e Como Investir na Bolsa Sem Tempo.
2020. Disponível em: <https://comoinvestir.thecap.com.br/o-que-e-position-trade/>. Acesso
em: 3 ago. 2020.

45
APÊNDICE A - Formulário de Pesquisa

1. Qual perfil de trader você melhor se encaixa?


( ) Day Trader
( ) Swing Trader
( ) Position Trader
( ) Outra opção
Como você define sua relação com o trading?
( ) Possuo o trading como minha profissão principal
( ) Possuo o trading como ocupação secundária, conciliando com a minha profissão principal.

2. Você que tem o trading como profissão secundária, gostaria de tê-lo como profissão
principal?
( ) Sim
( ) Não
( ) Não Aplicável

3. Você possui alguma especialização acadêmica?


( ) Sim
( ) Não

4. Se sim, em qual área?


R:

5. Você tem a renda que deseja?


( ) Sim
( ) Não
( ) Ainda não, mas estou progredindo

6. Qual a metodologia de análise você mais utiliza?


( ) Price Action
( ) Tape Reading
( ) Fibonacci
( ) HiLo
( ) Média Móvel
( ) Fundamentalista
( ) Outros

7. Você habita em qual região?


( ) Centro- Oeste
( ) Nordeste
( ) Norte
( ) Sudeste
( ) Sul

8. Qual o maior incentivo para quem quer fazer do trade sua profissão?
( ) Possibilidade de um retorno financeiro alto e rápido
( ) Flexibilidade no horário de trabalho
( ) Baixo custo para operar no mercado financeiro

46
( ) Outros

9. Qual a maior obstáculo para quem quer fazer do trade sua profissão?
( ) Receio de aplicar o capital
( ) Insegurança após uma perda financeira
( ) Controlar a ansiedade nas operações
( ) Aprender uma estratégia operacional de acordo com seu perfil
( ) Outros

10. Cite 2 características que você considera indispensável para se tornar um trader de
sucesso.
R:

11. Qual valor você considera ideal para o trader iniciante começar a operar?
( ) até R$ 500,00
( ) de R$500,00 a R$ 1.000,00
( ) de R$ 1.000,00 a R$ 10.000,00
( ) Mais de R$ 10.000,00

12. Quais técnicas você recomendaria para um trader iniciante?


R:

13. Em qual mercado você mais atua?


( ) Mercado de Ações
( ) Mercado Futuro
( ) Mercado de Derivativos
( ) Criptomoedas
( ) Outros

14. Qual modalidade você recomenda para um trader iniciante operar?


( ) Day Trade
( ) Swing Trade
( ) Position Trade
( ) Outros

15. Na sua opinião, quais os 2 melhores ativos para se operar enquanto Trader?
R:

16. Por quais motivos você escolheu essa profissão?


R:

47
APÊNDICE B - Artigo INIC

48
OPORTUNIDADES E DESAFIOS DOS TRADERS PROFISSIONAIS NO BRASIL.

Débora Pereira Araújo, Gabriela Karen Cardoso Kubaiashi, Heloisa Nunes


Frizo, Demetrius Alexandre de Carvalho Rodrigues.

Fundação Vale Paraibana de Ensino, Colégio Técnico “Antônio Teixeira Fernandes”, Curso
Técnico em Administração, Rua Paraibuna, 75, Centro, São José dos Campos – SP, Brasil
debora-araujo08@hotmail.com; demetrius@ecosistema.org

Resumo - O trader é um negociador o qual procura a rentabilidade de curto ou longo prazo,


através da realização de compra e venda de instrumentos financeiros no mercado de capitais, a fim
de aproveitar as oportunidades e a volatilidade do mercado, trabalhando em instituições financeiras
ou particulares, operando transações por conta própria com objetivo, principalmente, de especulação.
O objetivo da pesquisa é analisar a relevância da profissionalização dos traders, levando em conta os
estímulos que proporcionam ou dificultam a escolha por respectivo ofício, explorando as técnicas,
oportunidades e os desafios encarados pelos mesmos. Aplicou-se uma pesquisa quanti-qualitativa,
direcionada a comunidade de traders, sendo eles profissionais ou iniciantes em toda extensão
territorial do Brasil. Conclui-se que o risco corrido e os desafios enfrentados são compensados em
função dos privilégios gerados por essa profissão.
Palavras-chave: Trade, Day Trade, Mercado Financeiro.
Área do Conhecimento: Técnico em Administração.

Introdução

O trader é um negociador o qual procura a rentabilidade de curto ou longo prazo, através da


realização de compra e venda de instrumentos financeiros na Bolsa de Valores, a fim de aproveitar as
oportunidades e a volatilidade do mercado, trabalhando em instituições financeiras ou particulares,
operando transações por conta própria com objetivo de investimento e principalmente de especulação
(THINK FINANCE, 2011). Adentrando o universo dos traders, para Vieira (2017), são identificados
três perfis de negociadores: o day trader, que executa a compra e venda do mesmo ativo financeiro,
na mesma quantidade e no mesmo dia, e que na maioria das vezes suas operações levam minutos
ou até mesmo segundos para serem efetuadas (CHAGUE; GIOVANNETTI, 2019); o swing trader,
consistindo suas operações em um prazo de dois a cinco dias; e por fim, o position trader, no qual o
operador mantém a posição por um período prolongado, até que o ganho determinado seja atingido,
dependendo sempre das operações a longo prazo, sendo comum que os ativos sejam preservados
por meses ou anos (VOGLINO, 2020).
De acordo com Fabrizio Gueratto (2019) houve um aumento de 40% dos CPFs cadastrados
na Bolsa do ano de 2019 em relação ao ano de 2018, e simultaneamente, o aumento de 30% na
procura pela profissionalização do trade. Em contrapartida, uma pesquisa encomendada pela CVM
(Comissão de Valores Mobiliários) relatou o prejuízo de 90% das 19.696 pessoas monitoradas de
2012 a 2017 que tentaram de viver de day trade, a principal modalidade exercida no trading (CAUTI,
2019).
Tal profissão é muitas vezes mal interpretada pelo seu caráter especulativo, todavia, o trader
é de suma importância para o funcionamento do mercado financeiro, pois a "precificação" dos ativos
a curto prazo, e a volatilidade dos mesmos advém da liquidez produzida por eles (INFOMONEY,
2016).
A partir disso, o objetivo da pesquisa é analisar a relevância da profissionalização dos traders,
levando em conta os estímulos que proporcionam ou dificultam a escolha por respectivo ofício,
explorando as técnicas, oportunidades e os desafios encarados pelos traders profissionais no Brasil.

Metodologia

Foram realizados estudos e leituras acerca da estrutura do Sistema Financeiro Nacional,


assim como os segmentos de mercado e seus ativos, inseridos no mercado de capitais.
Realizou-se também um estudo sobre a concepção do que se entende por profissão, a
diferenciação entre investimento e especulação, bem como o conceito e história do trader,
investigando os tipos de perfis de investidores e traders e as principais metodologias de análises,
indicadores e técnicas de operação, aplicadas por eles para executar as negociações.
Aplicou-se uma pesquisa quanti-qualitativa, direcionada a comunidade de traders, sendo eles
profissionais ou iniciantes em toda extensão territorial do Brasil, através da plataforma online Google

XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica Júnior da Univap 2020 - Universidade do Vale do Paraíba.
49
Forms, composto por 12 questões fechadas e 5 questões abertas, aplicadas em um período de duas
semanas, alcançando uma amostragem com 303 pessoas.
O intuito da pesquisa é apurar os melhores mercados, ativos e técnicas para o operador
iniciante ou experiente, e sobretudo identificar a proporção dos diferentes perfis de traders, seus
níveis de profissionalização, os requisitos que possibilitam sua atuação como profissional, além de
analisar as motivações e desmotivações que levam o indivíduo a entrar ou não neste mercado e as
maiores vantagens ou obstáculos enfrentados por eles.

Resultados

Na pesquisa aplicada com 303 pessoas notou-se a hegemonia do sexo masculino com o
predomínio da faixa etária de 20 a 40 anos de idade. A região sobressaída entre os entrevistados foi
a região sudeste (55%), seguida da região sul (20,9%), nordeste (10,9%), centro-oeste (7,9%) e por
fim a região norte (5,3%). A maior parte dos operadores no mercado de renda variável de alto risco
questionados se identificam melhor com o perfil de day trader representando 68% do total, sendo
25,7% swing trader e 4,3% position trader, dos quais 65% possuem o trading como ocupação
secundária conciliando com sua profissão principal contra 35% que possuem o trading como
profissão principal. Dos que empregam o trading como segundo plano, 58,1% gostariam de tê-lo
como prioridade, já 26,1% consideram tal circunstância não aplicável atualmente e apenas 15,8%
estão satisfeitos em manter o trading como segunda opção.
Quando questionados sobre a especialização acadêmica 45,5% não possuem nenhuma
graduação, dividindo o resultado com 54,5% que possuem algum tipo de formação, correspondendo
a 164 dos traders abordados, tais como 20,1% graduados em administração, 15,2% no ramo de
engenharia/construção civil, 7,3% na área da saúde, 5,4% no campo da computação, assim como no
setor dos gestores de finanças, projetos e pessoas, e 46,3% fragmentados em 76 profissões
diversas.
No que diz respeito a obtenção no retorno financeiro desejado, 23,1% afirmam alcançar o
sucesso monetário, 20,8% não lucram como desejado e 56,1% dos participantes declaram que ainda
não possuem a renda desejada, mas que estão progredindo. Tratando-se até então de dinheiro, o
valor considerado ideal para o trader iniciante começar a operar de acordo com 41,6% desses
profissionais é de R$500,00 a R$1.000,00, 29% de R$1.000,00 a R$10.000,00, 19,5% até R$500,00
e 9,9% mais de R$10.000,00.
Acerca das metodologias de análise de mercado mais utilizadas se destacam a Análise
Técnica ou Gráfica de forma genérica (1,3%), e de modo mais específico o Price Action (30,8%),
Média Móvel (19,8%), Fibonacci (21,9%), HiLo (2,8%), Tape Reading (7,9%) e outros indicadores e
técnicas de operação (5,1%), além da Análise Fundamentalista (10,2%). Os profissionais que
usufruem dessa técnica atuam em 47% no mercado futuro, 35,8% no mercado de ações, 4,8% no
universo das criptomoedas, se equiparam em 4,2% no mercado de opções binárias e forex, e 13,8%
no mercado de derivativos e uma pequena porcentagem que operam em todos eles.
Por fim, 5,2% não possuem/não consideram trade como profissão, e entre os que se
identificam como profissionais, os motivos mais evidenciados pela escolha de tal ofício são: renda
extra (26,2%), flexibilidade de horário/local (21,8%), liberdade financeira (14,5%), paixão e gosto pelo
mercado (8,8%), não ter chefe (3,8%) e outros (16,6%).
Constata-se que a modalidade de trade mais recomendada para os operadores iniciantes é a
de day trade, com 51,6% das respostas, seguida do swing trade (37,1%), position trade (7,4%) e
outros (3,9%).
O maior obstáculo para quem quer fazer do trade sua profissão é controlar a ansiedade nas
operações, já o maior incentivo é a flexibilidade no horário, como é possível ver nas figuras 1 e 2,
respectivamente.

Figura 1 – Maiores obstáculos para a profissionalização do trader

Fonte: Autores (2020).

XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica Júnior da Univap 2020 - Universidade do Vale do Paraíba.
50
Figura 2 – Maiores incentivos para a profissionalização do trader

Fonte: Autores (2020).

Por meio da Figura 3, é perceptível que a maioria dos entrevistados recomenda o price action
como a melhor técnica para o trader iniciante.

Figura 3 - Técnicas recomendadas para um trader iniciantes

Fonte: Autores (2020).

Observa-se na Figura 4, que o controle emocional, a paciência e a disciplina são as


características consideradas indispensáveis para um trader de sucesso.

Figura 4 - Características indispensáveis para um trader bem sucedido

Fonte: Autores (2020).

Discussão

A partir da análise foi constatado, como já esperado por Vieira (2017), que a maioria dos
profissionais se identificam como day traders. Foi notável que os maiores benefícios advém da
flexibilidade de horário e local de trabalho e a possibilidade de um alto e rápido retorno financeiro,
justificando o aumento de 30% da profissionalização dos traders (GUERATTO, 2019), outrora, para
usufruir desses benefícios é necessário um profundo estudo técnico, como é recomendado por 11,6%
dos entrevistados, adentrando os segmentos de mercado, as metodologias de análises, técnicas de
operação, entre outros fatores que definem a estratégia e consequentemente o perfil do trader. Além
do saber técnico, é de equivalente importância o controle psicológico, para que ele saiba lidar com a
perda financeira e as emoções sucedente a estes episódios, como sustenta Caio Sasaki (2020).
É possível, ademais, visualizar a afirmativa de Infomoney (2020) no que refere-se a não
necessidade de uma formação específica, visto que quase metade não possui nenhuma graduação e
a maioria que detém especialização acadêmica é distinta da área de finanças e administração.

XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica Júnior da Univap 2020 - Universidade do Vale do Paraíba.
51
Conclusão

Conclui-se que o ofício dos traders, sendo eles profissionais ou amadores está em ascensão
como alternativa para quem procura novos modelos de trabalhos e remuneração considerando o
custo-benefício. Constatou-se que o risco corrido e os desafios enfrentados são compensados em
função dos privilégios gerados por essa profissão.

Referências

CAUTI, Carlos. FGV: mais 90% de quem tenta viver de day trade têm prejuízo. Disponível
em: <https://www.sunoresearch.com.br/noticias/estudo-mostra-day-trade-prejuizo/>. Acesso em: 11
ago. 2020.

CHAGUE, Fernando; GIOVANNETTI, Bruno. É possível viver de day-trading? *. Disponível


em: <https://cointimes.com.br/wp-content/uploads/2019/03/Viver-de-day-trading.pdf>. Acesso em: 15
jul. 2020.

GUERATTO, Fabrizio. TRADERS – CRESCE O NÚMERO DE PROFISSIONAIS NA BOLSA


DE VALORES. Disponível em: <https://1bilhao.com.br/traders-operam-na-bolsa/>. Acesso em: 13 jul.
2020.

INFOMONEY. O que faz um trader? Disponível em:


<https://www.infomoney.com.br/guias/trader/#:~:text=Apesar%20de%20ser%20uma%20profiss%C3%
A3o,de%20dar%20liquidez%20ao%20mercado.>. Acesso em: 25 ago. 2020

SASAKI, Caio. Como aspectos psicológicos podem ajudar você a ser um Trader?.
Disponível em: <https://portaldotrader.com.br/aprenda/psicologia-para-traders-curso-
gratuito/aspectos-mentais/introducao>. Acesso em: 28 ago. 2020.

THINK FINANCE. Disponível em:


<http://www.associacaodeinvestidores.com/index.php/parcerias/137-think-finance-portal-financeiro->.
Acesso em: 24 ago. 2020.

VIERA, Marcello. Conheça os tipos de trading mais comuns do mercado.Disponível em:


<https://investidordesucesso.com.br/bolsa-de-valores/tipos-de-trading/>. Acesso em: 19 jul. 2020.

VOGLINO, Eduardo. O que é Position Trade e Como Investir na Bolsa Sem Tempo
Disponível em: <https://comoinvestir.thecap.com.br/o-que-e-position-trade/>. Acesso em: 3
ago. 2020.

XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica Júnior da Univap 2020 - Universidade do Vale do Paraíba.
52