Você está na página 1de 275

todas as figuras estão no final do livro

Foi na primeira semana de agosto de 2013, quando ouvi pela primeira vez a atual
voz de Andrew Hansen. Eu conhecia Andrew como uma personalidade online para
algum tempo antes disso, mas eu nunca tinha realmente ouvido a voz do cara.
Andrew era um colega blogueiro no que é popularmente conhecido como Manosfera
hoje - uma comunidade online de homens que abrange todo o mundo e busca
desenvolver uma melhor compreensão da masculinidade convencional, a natureza da
mulheres e a melhor forma de se desenvolver com esse conhecimento coletivo.
Andrew era proprietário do The Private Man um blog com este
nome. Private Man era seu nome no Twitter também, assim como em muitos outros online
fóruns. Esse nome iria ficar com ele, e provavelmente será o único
que ele é mais lembrado.
Antes deste podcast em particular, tive alguns debates inspirados com a Private
Homem. Ele sempre foi um cara legal para discutir ideias, porque ele tinha
tanta experiência em relação às relações intersexuais, divórcio
e namoro como um "homem maduro" após o divórcio. Eu direi agora, havia
algumas questões sobre as quais eu tinha fortes desentendimentos com ele. Mais de uma vez eu
tive que discordar de sua opinião sobre uma perspectiva de pílula roxa diluída. Essa sempre foi a
preocupação, o desejo de moderar a pílula vermelha de alguém
poderia ser uma mensagem para ser mais palatável para um público maior (geralmente pelo desejo
de
não ofender as mulheres) à custa de verdades mais amplas. Mas com Private
Cara, sempre houve vontade de ouvir o lado mais feio das coisas,
as verdades mais objetivas, menos palatáveis e abraçá-las apesar de
qual foi sua experiência. Ele teria uma tendência para escrever um artigo crítico
de alguma peça fofa que ele encontrou, tente medir sua resposta e eu estaria
lá para empurrá-lo para ver a verdadeira mensagem latente nele e por que era realmente
incomodando-o o suficiente para escrever sobre isso.
O nicho da manosfera de Andrew era seu apelo para cavalheiros mais velhos. Que pode
parece um ajuste fácil para um cara que realmente entrou na esfera já em
quase 50 anos, mas você deve considerar que os homens com quem ele estava se conectando
como muitos caras como ele entrando em um rude despertar de
seu condicionamento da Pílula Azul que já passou da meia-idade. Isso é um difícil patamar

demográfico de se alcançar. Quando um cara está conectado desde o início dos anos 1970
e baseou sua existência intersexual em um conjunto de regras que ele não descobre, é muito
fácil cair na categoria de homens "amargo" e "queimado". Homem privado
poderia facilmente ter sido um dos mesmos caras que ele estava tentando alcançar, mas sua
própria desconexão, tarde como era em sua vida, era algo diferente,
algo positivo, para ele. De certa forma, acho que sua consciência pílula vermelha positiva era algo
inevitável para ele. Esta esperança, no entanto
é uma educada atitude que é algo que ele trouxe para sua escrita. Quando eu escrevi o
último livro, Medicina Preventiva, fiz isso na tentativa de abordar
perguntas que os homens têm me feito desde que eu escrevo: me avisou de tudo isso antes de eu me
casar, me divorciar,
uma relação complicada com meus filhos, etc.? ”
Esta pergunta geralmente é uma piada casual entre homens mais velhos na
Manosfera, que geralmente surge da necessidade de reconciliar o arrependimento por não
tendo percebido as verdades da pílula vermelha mais cedo. Mas com o homem privado, eu
nunca tive a mesma sensação de arrependimento dele. Era como se o
desconectar dele era algo que ele aceitou sem muito arrependimento pelas
experiências e decisões que ele tinha feito para sua vida até então. Ele
reconheceu e aceitou seu papel em sua própria conexão sem muito de
''faça uma pausa para o niilismo'' que vem com ele.
Costumamos falar sobre as várias fases pelas quais um homem geralmente passa
quando ele está processando a nova consciência que a Red Pill apresenta a ele. 1
destes é uma fase de niilismo, onde um homem deve reconciliar que seu passado
e decisões que foram desinformadas (ou deliberadamente enganadas) e a partir daí
cabe a ele se refazer. Este niilismo vem de uma sensação de perda
de investimento, perda de valor e a perspectiva de ter que se reconstruir após
ser cortado do idealismo da Pílula Azul. O Homem Privado nunca pareceu realmente
passar por essa fase - ou se passou, fez um bom trabalho em escondê-la. Na verdade, se
havia uma coisa que definia o caráter de Andrew era sua atitude positiva
sobre quase tudo. Isso pode parecer a coisa 'certa' para
dizer sobre um cara em retrospecto, mas para Andrew era verdade. Eu encorajaria meus
leitores que leiam seu blog e decidam por si próprios.

Então, lá estava eu em um dia de agosto, mancando em meu caminho de volta para o meu carro,
iPhone
e tampões de ouvido para ouvir o Private Man em um podcast chamado, eu acho,
Rádio Manosfera ou algo assim. Eu digo mancando porque sofri uma
fratura de dançarina no meu pé uma semana antes e eu geralmente estava lento, principalmente
doloroso, caminhei até meu carro no estacionamento de um cassino que eu estava fazendo contrato
para trabalhar no momento. Eu baixei o áudio e ouvi enquanto
caminhei e dirigi para casa naquele dia. Isso pode parecer insignificante, mas
é a memória que sempre associarei com Andrew, porque aqui estava um de
alguns homens da minha vida online que estava se expondo. Certo,
havia Roosh e alguns outros, mas o Soldado era um cara que eu já tinha
uma conexão. Você tem que lembrar que isso foi cerca de 3 meses antes
de eu ter publicado o The Rational Male. Foi numa época que eu não sabia como
seria recebido, e embora eu tivesse confiança no que estava fazendo, foi
e ainda é algo novo para mim. Houve muitos "e se" que eu tive que considerar
então. Ouvindo Andrew fazer o que sempre fazia, eu soube então que ele seria
um cara com quem eu poderia tomar uma cerveja. Um cara acessível.
Acho isso importante, acessibilidade. É muito fácil ficar enrolado na
ideia de que o texto que lemos em nossos monitores são apenas expressões frias de ideias.
É fácil esquecer que há um ser humano por trás dessas ideias. Às vezes esse
humano pode ser alguém com quem você clica imediatamente, às vezes é uma
pessoa de quem você gostaria de ficar longe. Suas ideias podem ser geniais, mas quem
eles são pode ser muito subjetivo. Ouvir a entrega de Andrew, muito
sarcástico, por isso você ja saberia que ele era um cara bom. Eu gostaria de poder dizer que sei
mais do que eu sei sobre ele. Ele era um cara muito aberto e eu honestamente me perguntei
que mulher teria um motivo para se divorciar desse cara. Certamente
não era sua falta de acessibilidade.
Isso faz você se perguntar por que ele escolheu o apelido de Homem Privado. Ele era
tudo menos privado.
Entre 2013 e a morte de Andrew neste ano de 2017, conversei com ele
pessoalmente em várias ocasiões. Na verdade, foi Andrew quem me procurou por
meu número de celular. Ele morava sozinho com um cachorro e tenho quase certeza de que ele
apenas
queria falar com alguém fora de seu círculo imediato na primeira vez que
havia conectado. Ele passou por momentos difíceis financeiramente, me pediu para ajudá-lo
com uma conta de telefone celular, mas, além disso, era mais ou menos na época em que ele sabia
que estaria

para perder um olho para o câncer. É interessante ver fotos dele agora sem
o tapa-olho, pois rapidamente se tornou o visual que mais o impressionou
por ser reconhecível. O câncer é uma doença de merda. Isso altera você de várias maneiras, mesmo
que
você vença. Conversando com Andrew nesta ocasião, eu sabia que provavelmente havia
algo mais que ele estava segurando, mas mesmo em um momento ele estava obviamente
machucando e resolvendo as coisas por si mesmo, ele ainda pressionava com o mesma
determinação otimista que eu sempre conhecia.
Então veio o anúncio de que seu câncer havia se tornado agressivo
o suficiente para saber e aceitar que pegaria o último trem para casa.
A mortalidade é algo muito pessoal. Para ser honesto, não é algo que eu gosto
para contemplar com muita freqüência ou muito profundamente. Eu não sou muito bom com a
morte. Está
fácil para os homens inventarem discursos heróicos sobre a importância de
viver bem a vida e enfrentando a força e a honra na morte, mas depois de tudo isso,
morto está morto e se foi. Abordarei isso com mais detalhes no
capítulos deste livro, mas basta dizer que poucos homens preciosos deixam um
rastro considerável no universo durante seu tempo nesta vida. Homem privado pode
não estar lá com Steve Jobs, mas ele deixou uma marca no
Manosfera.
Como com tudo o que fez, Andrew aceitou seu destino e ainda pressionou
em diante, com pequenas palavras de pesar. Assim como ele aceitou sua consciência da pílula
vermelha
com graça e positividade, ele também aceitou seu fim iminente. Na verdade ele
teve uma festa de 'despedida' para si mesmo, não mas algumas semanas antes de sua
passagem. Você pode ver o vídeo desta festa em seu blog (salvo por
posteridade).
Assim que ele anunciou que sua vida estava chegando ao fim, eu imediatamente perguntei
a ele se ele me desse a honra de escrever a frente do livro que você agora
segure em suas mãos. Eu não queria nada mais do que Andrew ser
memorializado com este livro. O Rational Male tornou-se uma pedra angular
da consciência da pílula vermelha e ouso dizer que o trabalho mais influente sobre
dinâmica intersexual na Manosfera. Era minha esperança que esta
parcela pode servir como uma homenagem ao homem privado, escrita por sua própria mão
aqui. Infelizmente, não era para ser, portanto, escrevo seu elogio aqui em seu lugar.
Eu renomei este volume de Masculinidade Positiva em homenagem ao que o Private Man
trouxe à nossa consciência coletiva. Enquanto você lê este livro

mantenha este tema em mente. Muito é feito pelos críticos da pílula vermelha -
a verdadeira pílula vermelha fundada em verdades brutais, mas esclarecedoras da intersexualidade
dinâmica - que seus leitores, seus proponentes, seus homens despertos são simplesmente uma
coleção de caras raivosos, amargos e niilistas reclamando de suas inaptidões sociais.
É muito fácil acreditar que não há nada de positivo para a masculinidade em uma época
onde meninos e homens são ensinados a odiar qualquer coisa parecida com a
definição convencional disso. Mas há mais para o homem consciente da pílula vermelha
do que isso, e é minha esperança que este livro sirva como um contrapeso para
esse, muitas vezes deliberado, equívoco.
The Private Man foi um bom exemplo dessa positividade, então é em seu nome que eu
dediquei o seguinte texto. Se Deus quiser, isso servirá como seu memorial.
- Rollo Tomassi
13 de abril de 2017

Introdução
“Boas decisões vêm da experiência, e a experiência geralmente vem de
decisões ruins."
Um dos principais obstáculos que tive que enfrentar quando decidi
começar a se envolver com o novo paradigma masculino - a pílula vermelha - foi
porque eu era tão apaixonado por isso em primeiro lugar. Desde que comecei
contribuindo no fórum SoSuave e na manosfera em geral, eu tenho
sempre tentado fazer questão de não enfatizar meu passado sexual e
experiências pessoais nas quais basear ideias mais globais. O Padrão feminino
de posicionamento muitas vezes é apenas isso; personalizar a instância e depois chegar a uma
conclusão universalizada. Não é apenas o cúmulo do solipsismo pensar que o sua
experiência deve definir o quadro para todos os outros, mas miopicamente
ignora que exceções geralmente provam uma regra.
Essa foi a minha base para não querer relatar muito sobre minhas
experiências. As pessoas podem tirar uma conclusão muito fácil das condições que
moldou o seu ponto de vista. Esta é realmente uma das maneiras mais fáceis de ler uma
mulher porque suas experiências e senso de auto-importância tendem a
definir sua realidade. Eu queria uma abordagem mais pragmática, e tudo isso veio
em um momento para mim em que decidi explorar a psicologia comportamental. Jogo, ou
o que se tornaria uma forma de consciência intersexual prática, influenciou
esta decisão para mim. De volta aos meus primeiros escritos, tanto quanto Red Pill
consciência foi, eu queria saber como a televisão funcionava em vez disso
funcionou apenas quando liguei a energia. Eu queria ser capaz de abrir isso
separar e montar novamente.
Dito isso, eu ainda fiquei com a questão, 'por que diabos você ainda
se importa se os caras desconectam?
Eu 'desconectei' em grande parte sem o apoio de uma comunidade global da Internet de
homens comparando suas experiências, então por que se preocupar? Na hora de estar
escrevendo isso, tive o que a maioria dos homens consideraria um bom casamento para
mais de 20 anos. Eu tenho uma filha crescida muito inteligente e bonita, eu faço

bom dinheiro, tenho sucesso no que faço, sou muito viajado, por que isso
seria muito importante para fazer minha voz ser ouvida?
Meus detratores dirão que é tudo sobre apaziguamento do ego. Sempre há alguma
verdade para isso eu suponho; todo escritor tem algum ego-investimento em seu trabalho
ou eles nunca fariam isso. No entanto, é quando sou forçado a responder a perguntas
assim, eu não tenho escolha a não ser aplicar minhas próprias experiências pessoais para
a equação. Eu detesto fazer isso porque é muito fácil para os críticos moldarem
tudo em alguma intenção e propósito que sirva a sua perspectiva - ele é amargo,
ele se queimou, esta é sua catarse, ele é vingativo, etc. No entanto, é
necessário apresentar essas experiências como observações para uma melhor
compreensão. Não vou fingir ser imparcial, ninguém é, mas eu aceito
esforço para ser o mais auto-analítico possível no que ofereço.
Quer saber qual é o meu problema?
Meu problema é viver em um mundo repleto de jovens que se tornaram
tão condicionados a acreditar que qualquer coisa remotamente masculina deve ser
ridicularizados, vilipendiados ou subjugados até que não tenham noção do que
masculinidade convencional realmente implica, muito menos ignorar e até mesmo a
possibilidade de que seja algo positivo e atraente.
Meu problema é quando um amigo Beta pessoal engole uma bala porque ele,
literalmente, “não consigo viver sem” a namorada que o deixou.
Meu problema é ver a linda esposa de um pastor deixá-lo com 4 filhos, então
ela pode seguir seus instintos hipergamosos após 18 anos de casamento
porque ele a pedestalizou e se depreciou (e aos homens) todos os dias do casamento deles.
Meu problema é quando um homem de 65 anos, embebido em sua pílula azul
condicionado por sua longa vida, chora no meu colo sobre como ele tem estado
consistentemente chantageado com a intimidade de sua esposa nos últimos 20 anos de
seu casamento e não correrá o risco de ofendê-la por medo de perdê-la.
Meu problema é convencer um amigo próximo a não matar a esposa com quem ele se casou
muito jovem e o homem com quem ela o traiu no estacionamento do

motel que ele passou a noite toda rastreando-a com seus três filhos
chorando no banco de trás da minivan às 4 da manhã.
Meu problema é civilmente sentar-se para o jantar de Ação de Graças com uma mulher hiper-
religiosa e o novo marido milionário com quem ela se casou com apenas 8 anos
meses depois que seu ex-marido Beta de 20 anos se enforcou em uma árvore
quando ela decidiu que "ele não era o ÚNICO" para ela. Meu problema é olhar para
os novos seios e o Porsche que ela comprou com o dinheiro da
casa que ele construiu para ela, pela qual ele arrebentou de trabalhar, apenas 3 meses depois
do cara estar enterrado. Meu problema é enfaticamente ensinar um sobrinho como não
ser o Beta que seu pai era, enquanto apontava com tato a hipergamia de
sua mãe indiferente e oportunista.
Meu problema é assistir meu pai, embora em decomposição com o mal de Alzheimer, ainda
executando um Esquema de Salvador em um esforço para transar que ele pensou que deveria
trabalhar a vida inteira aos 68 anos. Meu problema é vê-lo debilmente
com um padrão a um comportamento que o motivou obsessivamente a ter sucesso até que ele
foi forçado a se aposentar mais cedo aos 53 anos e sua segunda esposa o deixou prontamente
depois disso.
Meu problema é consolar um bom amigo que teve três filhas com
duas esposas e está sendo emocionalmente manipulado por sua terceira (outra
mãe), que se tornou tão desanimada que teme voltar para casa depois do
trabalho para lidar com sua situação pessoal e espera com antecipação pelos
fins de semana acabarem.
Meu problema é aconselhar um cara que pensou na melhor maneira de separar
de "outros caras" era ser "cavalheiresco" e namorar uma mãe solteira,
também com três filhos de dois pais diferentes, apenas para engravidá-la por
um quarto filho e casar com ela porque "era a coisa certa a fazer".
Meu problema é lidar com uma garota de 17 anos que testemunhou seu novo
namorado sendo esfaqueado 30 vezes pelo ex-namorado porque ele acreditou
que “Ela era sua alma gêmea” e “preferia viver na prisão sem ela do que ver
ela com aquele cara. "
Meu problema é tentar explicar às "Mulheres Modernas" que - após 20 anos de
casamento, minha esposa ainda pode modelar roupas de banho e respeita com confiança meu

julgamento e decisões como um homem - e que eu não consegui isso sendo um


dominador, homem das cavernas-chauvinista dos anos 1950 que esmagou seu espírito, mas que
é uma compreensão e adesão a uma vida positivamente masculina,
Papel consciente da pílula vermelha no casamento.
E meu maior problema é ver garotos Beta de 14 anos prontos para
sacrificar-se por atacado a esta noção lamentável, alimentada pela mídia de massa, endossada pela
cultura popular, idealizada e feminizada de noção romântica / alma gêmea
mitologia - tudo porque alguns outros Betas presos na mesma areia movediça
estão se afirmando e co-capacitando uns aos outros para promover seu próprio naufrágio e
espalhar esta doença para outros jovens. É contagioso e complacente,
gostam de miséria, adoram companhia. Se tenho medo é que sou apenas um homem, e
eu não posso ser o suficiente para chutar esses caras na bunda como seus pais
foram incapazes ou não quiseram fazer.
É por isso que me preocupo. Realmente é uma questão de vida ou morte às vezes.
Jogo de compreensão, por falta de um termo melhor, e como e por que
funções, é literalmente uma habilidade de sobrevivência. Pense sobre a importância das
decisões que tomamos com base em decisões pouco questionadoras, frágeis e mal direcionadas
presunções que fomos condicionados a acreditar sobre amor, gênero, sexo,
relacionamentos, etc. Pense sobre o impacto na vida que essas decisões não tiveram
apenas em nós mesmos, mas em nossas famílias, as crianças que delas resultam, e
todo outro dominó que cai como uma repercussão. Raramente paramos para pensar
sobre como nossas decisões imediatas afetam as pessoas que talvez nem conheçamos
no momento em que os fazemos. O que fazemos na vida, literalmente, ecoa ou ondula
para a eternidade. Isso não é para você, mas é o meu
raciocínio por trás do meu desejo de educar, estudar, demolir e construir
backup do que a maioria perguntaria, "por que se preocupar?" Nós realmente precisamos de outro
livro?
Em setembro de 2015 me atrevi a fazer minha primeira aparição pública em Las
Vegas na Conferência Man in Demand organizada por meu bom amigo
Christian McQueen. Ele, eu e os blogueiros Goldmund e Tanner Guzy
reunidos em um sábado que queríamos faturar como uma palestra TED para a
manosfera. Uma espécie de encontro de mentes para quem está ciente da pílula vermelha. Como isso
funcionou que era uma coleção muito bem equilibrada da experiência dos homens.

Nesta conferência, tive o privilégio de conhecer muitos homens diferentes de todos


estilos de vida que fizeram grandes esforços em participar. Fui apresentado a homens em
seus primeiros 20 anos até o final dos 60 anos. Eu conheci um escritório de 9 a 5
trabalhadores, alguns estudantes universitários, um investigador particular, um policial e alguns
homens
que voaram de uma base da Força Aérea na Coreia do Sul. Eu estava honrado em
pedir a um deles pessoalmente que me entregue uma moeda da Força Aérea pelo meu trabalho, eu
conheci
homens no exército e um cara que dirigiu um ônibus de todo o país
a fim de se encontrar comigo. Eu conheci pais com filhos que eles me disseram que estariam
entregando-lhes meu primeiro livro assim que eles tivessem idade suficiente para entender
isto. Eu também conheci homens que trouxeram seus próprios pais com eles para ouvir minha
primeira conversa em pessoa. Desnecessário dizer que foi uma honra irrestrita e facilmente
uma das experiências mais humilhantes da minha vida conhecer homens que desejam
agradecer a mim e à minha escrita por melhorar ou salvar suas vidas - literalmente e
figurativamente.
Na conferência, um colega me perguntou: “O que você vai escrever
mais ou menos depois de cobrir tudo da perspectiva da pílula vermelha? ” eu tipo
de pausado nisso; nunca me ocorreu que poderia ficar sem pontos
para se conectar com relação à dinâmica intersexual. Na verdade, o próprio fato
que tantos homens de origens e experiências tão diversas tiveram
venha em Las Vegas para nos ouvir falar e ter um show ao vivo
todo tempo comigo e com meus colegas blogueiros foi uma prova de como a Red Pill
consciência aplicada em tantos contextos. Há uma piada corrente acontecendo
comigo e com meus seguidores do Twitter que diz que existe um Rational Male
a postar para cada circunstância, problema ou diferença entre homens e mulheres
hoje. Não tenho certeza se concordo inteiramente com isso, mas entendo o
sentimento - tenho bastante material coletado ao longo dos quatorze anos
que eu tenho escrito. Tornou-se um hábito meu simplesmente vincular artigos anteriores como
resposta a algumas contendas intersexuais aparentemente novas ou leitores de histórias que irão
pedir minha opinião. Desnecessário dizer que não faço 140 caracteres muito bem.
Então, eu bati tudo? Já escrevi tudo o que há para ser escrito?
No momento em que escrevo, estou começando a fazer com que pessoas não familiarizadas com
‘Rollo Tomassi’ me enviando links para minhas próprias citações em resposta a
algo que posso falar em um fórum da Red Pill. Meu trabalho, ao que parece,
me precede como autor. Este é um lugar muito estranho para se estar, asseguro-lhe; para

ter sua mensagem ofuscando você como escritor à medida que se torna endêmica para
a grande narrativa da pílula vermelha.
Dito isso, nem por um momento acredito que falei sobre tudo,
quer dizer sobre a dinâmica intersexual e a consciência da pílula vermelha. O tema de
Intersexualidade
dinâmica, as diferenças sexuais entre homens e mulheres - e realmente
na vida - o leque de estratégias é muito ampla. Nos três anos e meio desde o meu primeiro
livro publicado, houve incontáveis outros escritores criando blogs para
focar especificamente em vários aspectos de como a consciência da pílula vermelha afeta
grupos sociais específicos, etnias, homens casados, homens seguindo seu próprio caminho
(DST), considerações religiosas e políticas.
A pílula vermelha - em sua definição original de ser psicológico,
dinamismo sociológico e interpessoal entre mulheres e - não é
algo que sempre pensei que precisaria categorizar. Estou feliz que meu
trabalho é a base para tantos desdobramentos da especialização do Red Pill, mas
meu primeiro e mais importante papel nesta esfera é ficar o mais sintonizado possível com
as questões gerais e as verdades fundamentais.
Meu propósito ao escrever o que eu faço desde que sempre estive
é beneficiar outros homens, para desconectar esperançosamente os caras que estão nos nervos,
mas tenho o desejo de realmente entender o que é e por que isso levou
até o ponto em suas vidas onde estão prontos para dissolver as barreiras
que os impediram de tomar conhecimento do Red Pill.
Praxeologia
A pílula vermelha, pelo respeito que a interpreto, é uma praxeologia. Simplesmente
colocado, é o estudo dedutivo da ação humana, com base na noção de que
os humanos se envolvem em um comportamento intencional, em oposição ao comportamento
reflexivo
como espirros e comportamento inanimado. Com o axioma da ação como ponto de partida, é possível
tirar conclusões sobre o comportamento humano que é
objetivo e universal. Por exemplo, a noção de que os humanos se envolvem em atos
de escolha implica que eles têm preferências, e isso deve ser verdade para
qualquer pessoa que exiba comportamento intencional.

É principalmente por isso que continuo a usar a frase "consciência da pílula vermelha"
em tudo o que escrevo. Uma vez que um homem realmente desconecta e reorganiza sua vida
de acordo com o que se apresenta a ele, essa consciência desenvolvida se estende a
muitos outros aspectos de sua vida além das relações intersexuais, esta
consciência torna os homens sensíveis aos outros ao seu redor que, como ele era, são
pego da mesma maneira condicionada da Pílula Azul de interpretar sua
existência social. Com uma lente Red Pill, ele começa a ver os argumentos de venda,
as defesas de investimento do ego, e as respostas previsíveis dos homens e
mulheres cujas vidas foram influenciadas por uma questão social primária feminina
de condicionamento que definiu suas vidas por tanto tempo que eles desconhecem isso,
mas deixaria de existir sem ele.
Neste volume, eu pediria que você mantivesse a ideia da pílula vermelha como um
praxeologia em mente. É uma ciência vaga na melhor das hipóteses, mas como ciência é sempre
aberta a novos dados, novas contribuições do conjunto mais amplo de experiências dos homens.
E como tal está sempre aberta a reinterpretações, mais experimentação
e novas avaliações. A pílula vermelha ainda está evoluindo. É muito
‘Estudo vivo’, por assim dizer.

Masculinidade positiva
Quando comecei a escrever, compilar e reescrever este livro, tive um primeiro
título provisório - The Rational Male, The Red Pill - no entanto, conforme eu progredi
Mudei isso para masculinidade positiva. Chegou um ponto na minha compilação
e a edição em que tomei um caminho diferente no propósito do livro.
Onde eu queria explicar e / ou defender a inicial, intersexual,
definição do que o termo "pílula vermelha" tem sido cada vez mais distorcido, descobri-me mais
inclinado a expressar as formas em que esta consciência da pílula pode beneficiar a vida dos homens
de muitas maneiras, tanto dentro quanto fora
da dinâmica intersexual.
Eu descobri isso na minha série Red Pill Parenting alguns anos atrás e eu
sabia que queria revisitar e fazer dessa série uma parte importante deste livro.
Como está agora, é responsável por um quarto do conteúdo do livro, mas como eu
comecei a escrever mais, decidi que a melhor maneira de realmente definir
"A pílula vermelha", como eu sei, era para abordar as várias maneiras como os homens

se beneficiam da redefinição da masculinidade para si mesmas em um convencional


Senso de pílula vermelha consciente.
Quando terminei a seção de paternidade, percebi que estava realmente planejando
idéias gerais, se não prescritivas, de maneiras pelas quais os homens podem criar melhor seus filhos
e filhas em uma ordem social primária feminina que está determinada a criar
e condicioná-los. Meu objetivo com a série e a seção era
equipar pais com considerações cientes da pílula vermelha ao fazer seus filhos e
filhas Red Pill se conscientizam para desafiar um mundo que
quer cada vez mais nos convencer de que a influência dos pais é supérflua ou
perigosa.
Foi a partir desse ponto que fiz uma conexão; o que eu estava fazendo era
estabelecendo uma espécie de avaliação muito necessária em relação ao que
masculinidade convencional e positiva pode significar para as futuras gerações de Red
Homens conscientes da pílula. Desde meu tempo nos fóruns SoSuave e o início do
meu blog eu usei o termo masculinidade positiva. Eu até tive uma categoria
para isso na minha barra lateral desde que comecei também. Desde o momento em que comecei a
escrever,
sempre senti a necessidade de defender a masculinidade convencional e positiva (também
como papéis de gênero convencionais evoluídos para homens e mulheres) e separá-los
da masculinidade "tóxica" deliberadamente distorcida que a Aldeia do
Imperativo Feminino nos faz acreditar que é endêmico hoje.
Eu sempre vi a necessidade de corrigir essa percepção intencionalmente distorcida de
masculinidade como verdadeira, evoluída, biológica e psicologicamente herdada
de aspectos da masculinidade convencional.
Como você pode imaginar, esta não é uma tarefa fácil quando um homem da pílula vermelha deve
lutar
contra muitas variedades diferentes dessa distorção masculina. Nós vivemos em uma
idade em que qualquer expressão de masculinidade convencional é confundida com
'Bullying' ou 'hiper-masculinidade'. O condicionamento da pílula azul nos ensina que
a força inerente não deve ser considerada “masculina”. Se um menino atua em uma
maneira convencionalmente masculina de ser sedado e meninos de apenas quatro anos,
é aceito, pode decidir seu gênero na medida em que os médicos são
alterando quimicamente suas fisiologias para bloquear hormônios de transição e
transformá-los em meninas (binárias).

Para o vilarejo dos Blue Pill Village, uma definição de masculinidade é algo muito
obscuro, subjetivo e arbitrário ou é algo extraordinariamente
perigoso, ridículo e tóxico. Como eu disse, mesmo as telas mais marginais
de qualquer coisa convencionalmente masculina são exagerados como alguns bárbaros
de ritual de trote ou cheiros de hiper, além das exibições de machismo. Com
tanto despeito colocado contra a masculinidade, e com uma falta tão arbitrária
de orientação em tudo o que possa passar por uma forma de masculinidade que a sociedade primária
feminina possa achar aceitável, há algo de positivo sobre
o masculino em tudo?
Só há uma conclusão a que podemos chegar depois de escrever tanto sobre - há uma guerra contra a
masculinidade convencional que está acontecendo em
Sociedades ocidentais ‘progressistas’ há gerações.
Achei muito difícil descrever o que exatamente uma masculinidade positiva poderia
significar para os homens conscientes da Red Pill. Uma das formas mais traiçoeiras que o
condicionamento Blue Pill
neutraliza efetivamente a masculinidade está no recrutamento de homens para
efetuar sua própria castração. Normalmente, esses próprios homens não tiveram
orientação real ou aceitação da masculinidade convencional precisamente porque
este condicionamento da Pílula Azul os impediu de amadurecer em uma
compreensão disso. Pais da Blue Pill criam filhos da Blue Pill e o processo
repete, mas nesse processo está o seguro de que os filhos da Blue Pill não têm
educação no que significa ser um homem.
Este livro é uma tentativa frouxa de dar aos homens ideias viáveis sobre como aplicar
Conscientização da pílula vermelha em suas vidas. Este livro não se destina a magicamente
convertê-lo em um "Macho Alfa", nem é um programa passo a passo sobre
como “mudar sua mentalidade” para tornar sua vida melhor. Se você fizer
essa transição, ótimo, mas eu não tenho uma cura para você ou qualquer outro homem e eu
alertaria contra levar a sério a fórmula ou programa de qualquer outro
Life or Dating Coach que quer vender para você. A pílula vermelha não é tamanho único. Homens
individuais terão soluções individuais para suas próprias
circunstâncias particulares, vantagens e desvantagens.
O que eu tenho para você é uma série de idéias, conceitos e observações que
irá ajudá-lo a criar suas próprias soluções para os problemas mais comuns
que irrita a maioria dos homens nesta época. Eu ofereço ferramentas para construir uma vida
baseada em uma nova
consciência que, esperançosamente, o livra das consequências de fazer

escolhas desinformadas que afetarão sua própria vida e a vida daqueles que você
opte por incluir nela.
Homens diferentes têm necessidades diferentes de consciência da pílula vermelha, neste livro
a intenção é dar-lhe algumas ideias sobre a melhor forma de implementá-lo
se você é casado, solteiro, está namorando não exclusivamente, é divorciado, é um dos pais ou
planejando ser um algum dia. Como mencionei no início desta
introdução, há muitas faces e dados demográficos da Red Pill e
embora eu não possa fornecer um plano para cada homem, minha esperança é dar-lhe uma idéia
para
entender como essa consciência pode afetar você e ser utilizada por você em várias
fases da sua vida.
No segundo livro da série Rational Male, Preventive Medicine, eu
descrevi o que os homens provavelmente poderiam esperar das mulheres em várias fases de sua
maturidade e posição na vida. Neste livro, arrisco-me a delinear o que um homem
podem esperar de si mesmo em uma ordem social primária feminina, de
mulheres, crianças, academia e interpretar isso dentro do contexto da consciência Red Pill.
Além disso, espero dar a você alguns momentos ‘ah-ha’ que vão apenas
sacudi-lo da ilusão da Pílula Azul, mas também para despertar uma ideia sobre
como você pode colocar essas informações para melhor uso em sua própria vida. Um dos
aspectos mais satisfatórios do feedback do leitor que recebi no passado
dos dois livros tem ouvido as histórias de ‘momento de revelação’ homens
me disseram que leram uma passagem específica que falava diretamente
sobre eles. Espero que haja epifanias semelhantes neste livro, mas quando você
chegar a uma, é minha esperança que você comece a pensar em maneiras pelas quais você
pode aplicá-la à sua vida no sentido mais imediato.
Diretrizes, não regras
Como a maioria dos meu leitores sabem, eu não lido com prescrições. Eu nunca
acreditei em listas padronizadas, com marcadores, destinadas a ensinar aos homens os 12 hábitos
de homens Alfa altamente eficazes. Na verdade, minha declaração de missão não é realmente
até mesmo sobre como melhorar ou corrigir a vida dos homens em si. Meu propósito é
explorar ideias e dissipar equívocos (muitas vezes deliberados) sobre
dinâmica intersexual. Em todos os meus livros faço questão de reiterar que
Não estou no negócio de fazer homens melhores, estou no negócio de homens
tornando-se homens melhores.
Minha esperança é que este livro ajude você a fazer melhores escolhas com base em uma
compreensão mais ampla da dinâmica intersexual, mas também uma melhor
compreensão de como essas dinâmicas afetam os outros aspectos da sua vida. Este
pode ser refletido em seu local de trabalho, sua família, ou talvez motive
você se tornar ativo em um aspecto social; talvez redirecione sua educação,
carreira ou como você (irá) abordar a criação de seus filhos e filhas.
Talvez esta informação ajude você a reconstruir a si mesmo, ou seu casamento,
no entanto, também pode destruir os relacionamentos mais prejudiciais que você tem
e ainda não consegui avaliar sua parte. A pílula vermelha tem um efeito muito desconfortável
com uma certa maneira de expor os resultados de longo prazo de uma vida que foi fundada nas
Ilusões de pílulas azuis e falta de vontade de enfrentá-las.
Por tudo isso, lembre-se que, como praxeologia, a pílula vermelha trata
sugestões, não leis rígidas e rápidas. Desde o advento do que se tornou a
Manosfera, tem havido um grande esforço para forçar o ajuste desta
ciência amoral, livre, em várias doutrinas, códigos de ética e ideologias
que distorcem a objetividade da pílula vermelha. Existe um desejo definitivo de justificar
qualquer que seja a ideologia de estimação de um homem, alinhando-a com o termo "Red Pill". Este
é um apelido quente para chamar tudo o que você acredita em "Red Pill" em 2017.
Afinal, é apenas uma abstração para 'verdade', certo? Eu iria avisar muito
contra qualquer um que use o termo Red Pill para promover uma agenda. É por isso que eu
acredito em diretrizes, sugestões e verdades objetivas que estão abertas para
interpretações futuras em vez de regras que transformam a pílula vermelha em
acomodar a ideologia ou justificar o idealismo da Pílula Azul que também é
desconfortável para se desiludir. A pílula vermelha deve estar sempre 'aberta
a fonte 'e qualquer apego à propriedade ou qualquer necessidade de especificidade deve sempre
ser suspeito de outro motivo.
Como ler este livro
Quando escrevi o primeiro livro Rational Male, não tinha planos de escrever nem mesmo um
segundo ou terceiro livro, no entanto, como a popularidade do primeiro livro ainda
continua a se espalhar, passei a ver o Rational Male como uma fonte central
do tipo desse livro. O Rational Male representa uma base sobre a qual

os volumes suplementares podem seguir. Depois de publicar The Rational Male,


Medicina Preventiva, ocorreu-me que quaisquer ‘sequelas’ não deveriam ser
sequências, mas sim suplementos ao primeiro livro. Quando eu estava escrevendo e
compilando The Rational Male, meu instinto foi colocar o máximo no livro
possível, pois imaginei que seria meu único trabalho. Infelizmente, este
também significava que eu estava estudando o máximo possível no livro, sem um
pensamento para a interpretação ou o que pode vir depois dele.
Ficou claro para mim que The Rational Male seria uma espécie de fonte
livro sobre a dinâmica intersexual da Red Pill após a publicação. Assim, Preventiva
medicina o seguiu com os mesmos recursos do primeiro livro. Como
tal, aconselho os leitores a ler The Rational Male antes de se aprofundar
este volume. Muito do que vou descrever neste livro pressupõe uma familiaridade
com o material em The Rational Male. Você ainda pode tirar muito desse
livro 'como está', mas existem princípios, siglas e acrônimos da Red Pill
e expressões idiomáticas que só fazem sentido com a compreensão das ideias do primeiro
livro. Portanto, por mais que isso soe como um argumento de venda, por favor, leia
O macho racional primeiro. Depois disso, leia The Rational Male, Preventive
Remédio, se quiser. Certas ideias, como Ponto de Origem Mental, são
discutido naquele volume. Porém, a Medicina Preventiva é mais um
suplemento; não é uma necessidade absoluta, mas aumentará sua compreensão
na conscientização da pílula vermelha. Devo também acrescentar que ler este volume antes
da Medicina Preventiva não necessariamente prejudica algumas leituras prescritas
de ordem ou compreensão linear.
Por último, farei um apelo para que você leia isto (e realmente todos os meus
escritos) tão livre de distrações quanto possível. Isso é difícil de fazer hoje em dia,
Eu sei. Estou perguntando isso porque acredito que a introspecção é uma
parte necessária para compreender a consciência da pílula vermelha. Você tem que dar
a oportunidade de digerir este material e ver como ele é aplicável
para sua própria vida.
Hoje vivemos no que chamo de geração TL; DR. Isso significa também
Longo ; Não li, caso você não soubesse. TL; DR é um somatório
destina-se a dar ao leitor apenas as informações mais básicas sobre uma determinada
postagem no fórum ou entrada no blog. Eu posso entender por que esta informação blickbait é
popular em
um mundo online onde nossos períodos de atenção são constantemente distraídos

um estímulo para o próximo. Parece pragmatismo apenas executar alguns


pontos importantes sobre o que você gastou a maior parte de uma hora para
compor, mas no que diz respeito à compreensão da dinâmica intersexual da Red Pill
na verdade, coloca o leitor em desvantagem. Eu vou explicar.
Em tantos fóruns, em tantas mídias, TL; DR permeia nosso processo de pensamento.
Queremos chegar às partes importantes para ver se concordamos ou discordamos e
raramente investimos nosso tempo online para descobrir todos os detalhes que levaram a
esses pontos TL; DR. Isso corrompe nosso método de realmente aprender algo,
e no caso de mudar a vida de alguém com uma compreensão total da consciência Red Pill, é
simplesmente impraticável esperar obter as ideias sem colocar
o esforço. E esse é o ponto, a educação exige esforço.
Recebi muitos pedidos de meus leitores no fórum do Red Pill Reddit para
apenas destilar ideias que eu coloquei muito tempo e insights no desenvolvimento.
Falando de forma mais simplista, forneça um resumo TL; DR e nós o aceitaremos
de lá. O problema com essa linha de pensamento é que na praxeologia pílula vermelha, o processo de
chegar a idéias e princípios fundamentais é
tão importante quanto descrever a própria dinâmica. Acho isso irônico
que os mesmos críticos que solicitam incessantemente várias revisões por pares em formato longo
estudos experimentais, a fim de dar às minhas idéias qualquer crédito, muitas vezes são os
menos prováveis de realmente lê-los devido exatamente a este fenômeno TL; DR.
Nas poucas ocasiões, eu fiz uma tentativa honesta de reduzir uma postagem para
fácil digestibilidade, o processo é assim: eu faço uma soma TL; DR de
os pontos que acho que exemplificam melhor do que tratam minhas idéias e um leitor mal informado
se torna um crítico desses pontos. Eles dizem: “Sim, Rollo,
está tudo bem e bem, mas Aha! Eu peguei você porque você não pensou em
razões X, Y e Z e eu não acredito em você. ” Esta razão eu fiz, de fato,
fator no meu processo de ideação para chegar a esses pontos, mas porque eu
apenas cuidei do meu processo para a capacidade de atenção e leitura da 8ª série
compreensão dos leitores que desejam o TL; conveniência de DR que ignorei
o processo de como cheguei às minhas conclusões. O que acontece a seguir é eu então
entrar em uma explicação mais detalhada das razões X, Y e Z e reexplicar
o que teria ficado claro se um leitor simplesmente tivesse investido algum tempo em
enriquecer-se tanto com o processo quanto com as conclusões.

Então, você vê, TL; DR é na verdade a abordagem menos pragmática que leva
mais tempo para entender um conceito com a necessidade de explicações para frente e para trás.
Em outras arenas, em outro assunto, isso pode ser uma conveniência, mas com
a natureza sensível da consciência da pílula vermelha, e a verdadeira certeza de que
as ideias vão desafiar as crenças da Blue Pill profundamente investidas no ego de uma pessoa
assumindo o compromisso de dedicar o tempo necessário para compreender o
o material é a chave. Dito isso, eu humildemente solicito que você garanta que
você fique livre de distrações ao ler qualquer um dos meus livros.
O Rational Male é um material pesado. Não passa uma semana sem que eu receba um
e-mail ou tweet de um homem elogiando meu trabalho, mas, além disso, eles me dizem
como eles continuam voltando para reler partes importantes do livro como em suas vidas "
as circunstâncias mudam. Isto é uma coisa boa. É realmente como eu pretendia escrever
livros para serem lidos - com um marcador para destacar as partes que saltam
para um homem e com um lápis para rabiscar no encarte nas margens.
Como menciono em todas as introduções de meus livros, The Rational Male significa
para ser uma espécie de texto vivo ao qual um homem pode continuar voltando. Eu quero homens
para discutir isso com outros homens (e mulheres, se necessário). O conhecimento e
o insight é algo que precisa ser constantemente debatido e desenvolvido. Eu
sempre imaginei apenas o título, The Rational Male, na capa sendo suficiente
para obter olhares de esguelha ou zombarias de mulheres e homens feminizados, mas isso
foi intencional. É desencadeador, com certeza, mas também serve para alertar
discussão. Eu nunca gostaria que The Rational Male fosse algum estandarte ou ícone de
algum movimento de "nova masculinidade" a ser acenado nos rostos das feministas
e guerreiros da justiça social. Com alguns homens tenho a impressão de que
Rational Male poderia se transformar em algum tipo de Bíblia para bater na presença
de homens e mulheres "conectados". Não é esse o sentimento em que escrevi
e meus outros volumes.

Desenvolvimento pessoal
Lembre-se sempre, o material aqui é destinado à conversa. Eu
entendo a ansiedade dos homens que tiveram suas vidas transformadas por querer ‘compartilhar o
evangelho’, por assim dizer, e estou feliz por isso, mas
também saiba que mudar a mente dos outros só vem de
discurso e conversa. Gosto de dizer que só seguro um espelho,

você tem que querer investigar isso. Esta é a abordagem que adoto quando se trata de
para 'desconectar' os homens; eles têm que vir para isso e eu só posso estar pronto para
discutir ideias quando elas virem. Espero que este e meus outros trabalhos ajudem
e facilite essa discussão quando chegar a hora para você também.
Estou prefaciando isso aqui porque neste livro a ênfase é mais focada
no desenvolvimento pessoal dos homens. Estou relutante em classificar este livro
como "desenvolvimento pessoal" porque, para mim, isso cheira ao poder de
esquema de pensamento positivo de gurus de mentalidade positiva vendendo produtos antigos e
padronizados
sobre otimismo em qualquer livro ou programa de seminário que estejam vendendo. Eu nunca
interessei em dizer aos homens como eles podem se tornar homens melhores
ou Real Men®.
Estou interessado em dar aos homens as ferramentas com as quais eles possam criar melhor
vivências, individualmente, aplicando a consciência da pílula vermelha a seus estados individuais.
Sempre desconfiei de "treinadores" que afirmam ter um plano passo a passo
para tornar os homens melhores na vida, na carreira e no amor, então direi aqui que este livro
o motivo não é melhorar sua vida. Eu sinceramente espero que seu próprio melhoramento
seja um subproduto disso, mas a intenção é informar e educar você.
Eu separei este livro em quatro seções principais: Red Pill Parentesco, A
Natureza Feminina, Imperativos Sociais e Masculinidade Positiva.
Parentesco Red Pill é principalmente voltado para os homens que me pediram para ir
em alguma profundidade sobre como proceder para criar seus filhos e filhas em um
Contexto ciente da pílula vermelha. Das seções deste livro, sinto que esta será a
mais potencialmente controversa. Eu digo isso não porque os homens da Red Pill terão
qualquer problema com o que eu descrevo nele, nem é devido às idéias e
sugestões que ofereço, mas porque é uma afronta direta à forma como
a sociedade espera socializar as próximas gerações de ambos os sexos. Eu vou permitir
o material falar por si só, mas espero muitas críticas por parte de uma ordem social primária feminina
para a qual este conselho aos pais é uma ameaça. Muito disso
enfraquece a maior parte do discurso da psicologia popular sobre paternidade hoje.
A Natureza feminina é uma coleção de ensaios que reescrevi e fiz curadoria
do meu blog que aborda especificamente os aspectos mais previsíveis da
psicologia feminina. No sentido em que delineia e explora as
razões evolutivas e socializadas para o comportamento mais comum das mulheres

esta seção é a mais semelhante ao meu primeiro livro. Nesse livro eu toquei
muito do que eu acredito constituir a mente feminina (e expandi-la para
tornar-se o Imperativo Feminino), mas nesta seção exploro um pouco mais
aspectos específicos da psique feminina.
Em Social Imperatives, detalho como a psique feminina extrapola para
narrativas culturais ocidentais (izing), ditames sociais e legais e legislação políticas. Este é o
Imperativo Feminino em grande escala e nele explorarei
como o feminismo, a estratégia sexual feminina e os objetivos primários da vida moldaram
nossa sociedade naquilo que temos como certo hoje. As 'mulheres
com narrativa de empoderamento e a ascensão de um igualismo igualitário em branco,
mascara uma forma de supremacia feminina que alterou fundamentalmente a
cultura ocidental. Esses ensaios abordam e ilustram diretamente esse fenômeno em um
fluxo de leitura organizado.
Finalmente, Masculinidade Positiva é composta de ensaios que eu reformulei e
expandido sobre isso lhe dará uma ideia melhor de como definir masculinidade em
uma perspectiva convencional e racional para si mesmo. Eu salvei esta seção para
ser o último do livro porque tudo o que leva a ele é descritivo
e escrito para aumentar sua consciência de ‘Red Pill’ sobre o verdadeiro
e ambiente social em que você vive. Masculinidade positiva (e realmente
este livro como um todo) são ideias que espero que você queira aplicar em
sua própria vida em algum ponto. Em meu segundo livro, Medicina Preventiva, a
ideia era ajudar os homens a saber o que podem esperar das mulheres, e
o que os leva a isso em várias fases de sua maturidade. Eu escrevi em
resposta ao refrão comum "Eu gostaria de ter sabido de tudo isso antes de
me casar, divorciei, estava namorando (ou não) na casa dos 20 anos, etc. ” Em positiva
Masculinidade Eu me esforço para dar aos homens algum alimento para pensar sobre o que
eles podem esperar de si mesmos em certos estágios de sua própria maturidade.
Embora eu não esteja sugerindo um retorno codificado à "masculinidade tradicional" ou
apresentar um livro de regras para "homens de verdade", vou sugerir um esboço de
o que acredito pode constituir uma retomada de uma masculinidade convencional para
homens. No que chamamos de Manosfera, houve vários esforços para
definir masculinidade real. A maioria deles é apenas uma reescrita da antiga
escola, antigo contrato social, masculinidade tradicional existia antes da
revolução sexual e antes da feminização social em massa. O que vou sugerir

Nesta seção é uma recuperação do convencional, evoluído, biologicamente solicitada


natureza masculina pelos homens. Além disso, acredito que essa masculinidade, fundada
na conscientização da pílula vermelha, pode ser um resultado positivo para os homens, as mulheres
a envolver em suas vidas, suas famílias e a sociedade como um todo.
É minha esperança que possamos afastar tropos como "tóxico" ou "hiper"
masculinidade que nossa ordem social primária feminina nos viria
a caracterizar. Ser homem hoje é ser envenenado por
testosterona. Masculinidade é uma palavra ruim para homens, enquanto mulheres fazem isso
algo em que elas acreditam que os torna maiores. Para os homens, este social
ordem nos faria acreditar que a masculinidade é algo a ser evitado ou
algo que pode ser definido na ambigüidade feminizada. Mesmo apenas sugerindo
você sabe o que é "ser um homem" ou você abraçou sua masculinidade
e a natureza faz de você um suspeito de crime - ou uma criança ridícula com fantasias
da masculinidade.
Minha esperança é que este livro possa mudar essa percepção; se não fosse pela sociedade em geral
depois, para o bem do indivíduo e de sua família. Masculinidade pode ser
positiva, mesmo (especialmente) incluindo os aspectos que a sociedade feminizada encontra
muito assustador. Os aspectos agressivos, às vezes hostis, da masculinidade têm um
lugar em tudo isso, mas acredito que temos que aceitar a totalidade de
masculinidade convencional. Quando nós apenas pegamos as partes que somos
confortáveis como nós ficamos com um inautêntico, não ofensivo diluído
masculinidade que só serve à reinterpretação feminina.
A cultura ocidental nunca teve uma necessidade maior de tomadores de risco e encorajados
homens que instintivamente entendem sua natureza masculina. Depois de ter lido
neste volume, eu pediria que você fizesse um balanço de si mesmo e do
ambiente acontecendo ao seu redor. Neste livro, você lerá sobre o que chamo
de a lente da pílula vermelha. Minha esperança é que você aplique esta nova maneira de ver
coisas para um esforço construtivo de sua própria compreensão de que,
masculinidade convencional pode ser um fator positivo para sua vida.
Como sempre, passe este livro a um homem que você acha que precisa dele. Eu faço a
menor quantidade de royalties da versão impressa dos meus livros, mas estes
são os que mais incentivo a compra, porque inspiram os homens a
compartilhar esse conhecimento. Você realmente não pode fazer isso com uma cópia digital ou de
áudio,
mas compartilhe isso com outros homens. Discuta o conteúdo, mesmo as partes que você

discorde totalmente. Haverá novamente partes em que você terá um ‘Aha!’


em leitura momentânea, e haverá partes que podem deixá-lo com raiva. Isso é
bom, é isso que desperta o insight, e esse insight é o que nos ajuda a mudar.
- Rollo Tomassi junho de 2017

Uma introdução à parentalidade da pílula vermelha


A importância dos pais é algo de uma relação de amor e ódio em nossa
ordem social primária feminina. Em nossas cidades, a narrativa é uma das
lamentando a falta de envolvimento dos pais na vida de seus filhos - especialmente
vidas dos meninos.
Esta é a narrativa essencial sempre que uma criança comete um ato criminoso. E se
só os homens seriam pais mais envolvidos, esse tipo de coisa não
aconteceria. A chamada é sempre para mais responsabilidade por parte dos homens que,
segundo a narrativa, eles próprios são pouco mais do que meninos irresponsáveis.
Disseram-nos que seu único imperativo é fazer sexo indiscriminado e deixar as
consequências de uma gravidez "não planejada" para a pobre garota que ele deve ter
enganado a fim de transar.
Esta é uma impressão da "paternidade" moderna, o pai caloteiro, o
'Bebê
Papai ', o cara que precisa' Man Up 'e fazer a coisa certa depois de sua namorada
‘Acidentalmente’ engravidou. E esses pais são, é claro, produtos de
os próprios pais caloteiros, sem pensar em ver a floresta maior para todos
as árvores em relação ao clima social que inspira esta paternidade
arquétipa.
Quando assistimos aos retratos mais consistentes dos pais na mídia popular,
sitcoms, filmes, etc., vemos outro arquétipo de paternidade; o bufão,
o pai trapalhão tão completamente fora de contato com o mainstream que
requer a solução de problemas exclusivamente femininos de sua esposa para colocá-lo no lugar -
geralmente salvando-o de si mesmo. Este é o pai que é essencialmente
o próprio filho dependente e um arquétipo que as mulheres acreditam enfrentar
na vida real porque confirma sua superioridade na força Independente
feminina de identidade® - a mesma mídia os vende há gerações.
Este arquétipo de paternidade é reservado para pais beta do sexo masculino que são apenas
muito feliz em jogar junto com ele porque se encaixa perfeitamente em seu
preconceitos de um igualismo igualitário entre os sexos. No entanto, este

chega apenas ao ponto em que sua autodepreciação humorística de sua masculinidade


coincide com suas próprias impressões de paternidade. Então todas as noções de
o igualismo desaparece em favor de sua masculinidade ridícula como pai.
O terceiro arquétipo é o preconceito do pai idiota e abusivo. Este pai
é fácil sentir-se bem por odiar. Perto do Dia dos Pais, este é o pai
quem recebe as cartas de ódio que explicam a ele (bem como salvam o ego de seu
filhos e esposa) como ele realmente era desnecessário, afinal. A esposa dele, a mãe
de seus filhos, sempre foi mais do que suficiente de um "homem" para fazer sua
influência supérflua, se não prejudicial para a vida de seus filhos. Vou descrever como esse arquétipo
da paternidade é responsável por
predispor os jovens a uma mentalidade Beta na esperança de evitar
tornar-se o pai que ele odiava.
Não tenho certeza se a maioria dos caras realmente entendem a ironia de comemorar
maternidade e paternidade de alguma forma organizada, mas serve como um
destaque pungente para a sociedade centrada no feminino em que vivemos.
O contraste entre o Dia das Mães e o Dia dos Pais é agora talvez uma das evidências mais facilmente
reconhecíveis do código na Matriz feminina.
De acordo com os ditames da primazia social feminina, mamãe é celebrada, amada
e respeitada por padrão, mesmo que apenas em virtude de sua feminilidade. Pai se não
abertamente vilipendiado ou criticado publicamente, é constantemente lembrado de que ele
deve estar sempre cumprindo a servidão que define seu descartável
gênero. O Dia dos Pais é um lembrete de que ele ainda não está cumprindo suas
expectativas primárias femininas.
Para crianças que culpam suas indiscrições sociais e psicológicas em sua mãe, há um certo grau de
perdão. Está
difícil culpar uma mãe, pois a impressão é que a maternidade é um
esforço e sacrifício supremos - particularmente quando a ideia popular é que ela
deve atuar sozinha devido a pais não cooperativos e não por seus próprios projetos ou
escolhas pessoais. Se ela falhar em algum grau, é desculpável. Para um homem
culpar mamãe pelos males de sua vida, cheira a misoginia latente, e mesmo assim
suspeitou que ela é uma mãe ruim por causa de um pai ruim. No entanto, quando você
coloca a culpa nos pés de papai, o mundo inteiro lamenta em sintonia com você.

A falha da mãe em seus cuidados é negligente, mas freqüentemente perdoável; um homem falhando
como pai, é sempre percebido como egoísta e mau.
Quando chegar o próximo Dia dos Pais, faça uma anotação mental para visitar o
blog. Lá você encontrará o lote daquela semana de mensagens enviadas anonimamente,
feitos à mão, cartões-postais revelando o funcionamento interno da mente primária feminina de
homens e mulheres. A tarifa normal para o Dia dos Pais é um
cordial "Foda-se, pai!" ou "Você é a razão de eu estar tão fodido!"
intercalados com alguns sentimentos de "bom pai" ou "pelo menos você tentou", de modo que
não degradar totalmente o ideal feminilizado de paternidade - não gostaria de
desencorajar a perpétua 'vivência' dos homens de acordo com as qualificações estabelecidas pelo
Imperativo feminino. Tem que haver um pouco de queijo no labirinto ou então o
rato não terá o desempenho desejado. Eu sempre vejo uma diferença marcante de atitude
entre o Dia das Mães e o Dia dos Pais, especialmente agora que fui um
por mais de 18 anos. O Dia dos Pais é um tapa na cara para mim agora - não
porque minha esposa e filha não me apreciam como pai, mas porque
tornou-se um grande “foda-se” ou “tente com mais força”. Agora é um lembrete de que
masculinidade, mesmo em uma luz tão positiva quanto o mundo da pílula azul pode reunir,
é desvalorizado e degradado, e devemos apenas aceitá-lo como um homem.
Quanto mais eu ouço como as percepções dos pais irresponsáveis são hoje, só me torna
quero ser um pai muito melhor para minha filha (mesmo que ela seja uma adulta
agora), e mal posso esperar até ter um neto para ajudar a criar também. Isso é
até que a realidade se instale. A realidade é que a única razão pela qual sinto a necessidade de
superar outros homens no departamento de paternidade é porque uma feminizada
convenção social brevemente me convenceu de que é minha responsabilidade
competir com outros homens em um jogo onde as regras são fixadas para tornar melhor
escravos de homens descartáveis. Claro que a fasquia é tão baixa, e os homens são tão
degradados agora, que mesmo o mais medíocre dos pais pode jogar junto e ainda
ter a sensação de que eles estão se classificando marginalmente. A convenção social
joga no mesmo jogo de identificação "não-como-outros-caras" a maioria dos idiotas
assinam em seus anos de solteiro. O mesmo desejo de exclusividade
e o alicerce já está instalado.
Depois de perceber isso, parei de me preocupar em “ser um bom pai”. Eu estou
já muito além da qualidade paternal não-esforços de meu próprio pai, mas

essa não é a questão. Um bom pai se dedica ao negócio de ser pai


sem preocupação com elogios. Para os homens, como qualquer outra coisa, não se trata de
prêmios na parede, mas o corpo geral do trabalho que torna a real
realização. Um pai é um bom pai porque pode resistir a todo um
mundo que constantemente diz a ele que ele é uma merda inútil em virtude de ser um
Homem com filho. Ele apenas 'faz', apesar de um mundo que nunca
aprecia seu sacrifício e apenas considera sua disponibilidade como algo esperado.
E mesmo na morte ele ainda deverá ser um bom pai.
Eu esbocei esses arquétipos do pai (existem mais alguns) para ilustrar as
várias maneiras pelas quais, como acontece com todos os homens, os pais são novamente apanhados
na mesma
Masculina Catch 22 que descrevi em meu primeiro livro.
Uma das principais maneiras pelas quais a honra é usada contra os homens é na perpetuação
feminina
das expectativas tradicionalmente masculinas quando for conveniente,
ao mesmo tempo que se espera paridade igualitária de gênero quando é
conveniente.
Nos últimos 60 anos, a feminização construiu o Catch 22 que é a perfeita
convenção para qualquer coisa masculina; A expectativa de assumir a
responsabilidade de ser um homem (Man Up) ao mesmo tempo
denegrir qualquer coisa que afirme a masculinidade como algo positivo (Cale a boca).
Qualquer aspecto da masculinidade que serve ao propósito feminino é um aspecto da
responsabilidade
masculina do homem, mas qualquer aspecto que discorde da primazia feminina é rotulada como
Patriarcado e Misoginia.
Essencialmente, esta convenção mantém os machos Beta em um estado perpétuo de perseguição
de suas próprias caudas. Ao longo da vida, eles são condicionados a acreditar
que eles são amaldiçoados com a masculinidade (Patriarcado), mas ainda são responsáveis por
'Man Up' quando for adequado a um imperativo feminino. Portanto, não é surpreendente
ver que metade dos homens na sociedade ocidental acredita que as mulheres dominam o
mundo (impotência masculina), enquanto ao mesmo tempo as mulheres reclamam de um
Patriarcado persistente (impotência feminina) ou pelo menos sentimentos dele.
Este é o Catch 22 em letras grandes. O cara que de fato Man Up é um
chauvinista, misógino, patriarca, mas ele ainda precisa se preparar quando for
conveniente para atender às necessidades de um imperativo feminino.

Os pais (e mentores do sexo masculino) nesta ordem social seguem uma linha muito tênue. Como
você lerá na próxima seção, os pais são vistos com desprezo e
desconfiança quando assumem um papel ativo no investimento dos pais e
sua influência na vida de uma criança. No entanto, pais, e particularmente a masculinidade
que eles representam, também são culpados por todos os males sociais quando estão ausentes
da vida de uma criança.
Os pais são simultaneamente um ingrediente vital na vida de uma criança, mas ainda assim
supérfluo para uma criança sendo criada por uma mãe Forte e Independente®. o
Imperativo feminino fica muito feliz em assumir a autoria de uma criança
bem suscedida, e se não por sua própria mãe, então por meio da "Aldeia" primária feminina que nos
dizem ser necessária para criar um filho. Um pai ou
a influência dos homens só é valorizada na medida em que coincide e concorda com o
plano primário feminino para a educação daquela criança. Qualquer outra coisa é apenas
ensinando o que a narrativa considera ser uma misoginia institucionalizada ou
Masculinidade "tóxica".
O National Center for Fatherlessness estima que cerca de um terço das crianças americanas
vivem sem o pai biológico. As estatísticas são ainda piores para
Famílias afro-americanas. As estimativas variam, mas todos concordam que
algo entre metade e três quartos das crianças negras crescem
sem seus pais.
A epidemia de ausência do pai é tão generalizada que tendemos a esquecê-la. isto
fica em segundo plano quando consideramos outros males sociais. Mesmo assim,
a ausência do pai está perto do fundo de nossa cultura cada vez mais terrível
de problemas. A consciência da ausência do pai só surge quando
alguma tragédia ocorre que requer o pai como um contraponto conveniente para isso.
Assista a qualquer videoclipe de tumulto e agitação social. O que você verá é jovens
homens se comportando de maneira hedionda e nojenta. Olhe mais a fundo e você vai
ver meninos que cresceram sem pais ou, alternativamente, pais que fizeram pouco
mas ensinaram-os na criminalidade.
Mas este é apenas um exemplo das consequências da ausência do pai. Quando
você olha para os meninos e meninas do que eu chamo de geração de “Troféu de Participação”, você
vê meninos destituídos de poder, desprovidos de direitos, com aversão ao gênero
que desejam ansiosamente poder se tornar meninas. E devido às prioridades

nossa cultura coloca em Fempowerment e correção feminina em nosso


métodos de educação, temos uma geração de meninas crescendo para se tornarem masculinas com
direito a suas auto-avaliações.
Em minha própria estimativa, os pais Beta baseiam sua paternidade nesta mesma
feminização da pílula posta como ideologias igualitárias são tão
prejudicial à educação da próxima geração como não envolvimento ou ausência dos
pais. Talvez ainda mais. A ausência do pai pode existir com um pai presente
em casa.
A negação dos efeitos da ausência do pai também apóia a cultura mais ampla
de narrativa sobre a irrelevância dos homens. A ideia de que os pais não são realmente
necessários para as crianças está em toda parte. Quando elogiamos as mulheres que optam por
ter um filho por conta própria, enquanto inferimos que os pais não importam - bom para
ter por perto se ele for útil, mas totalmente desnecessário. Hoje em dia, um animal de estimação é
normalmente considerado uma parte mais importante de uma família completa do que um homem.
É assim que algumas pessoas querem há muito tempo. O todo
projeto feminista tem se dedicado a destituir o pai de seu papel na
família. Agora que alcançaram seu objetivo, vemos os resultados. Nós
vemos isso mesmo dentro da igreja moderna; a autoridade familiar dos homens é apenas uma
responsabilidade para eles e, junto com a "chefia" de um pai, perdeu todos
significado.
Apesar do que toda a propaganda afirma, os pais são necessários para a
família. Autoridade e ordem nas relações sociais começam com ele. Sem
ele, as coisas desmoronam como estamos vendo agora. O patriarcado tem sido
esmagado, e junto com ele o patriarca. E, ao contrário das promessas feministas, uma vez que o
patriarcado foi destruído, o que emerge não é um
mundo pacífico de igualdade e unicórnios envoltos em arco-íris. Em vez disso, é a
paisagem do inferno queimada que veremos em exibição nas ruas do próximo motim, e
nos rostos de meninos e meninas onde quer que o pai esteja faltando. E nós vamos acenar
juntos e perguntem: "Onde estão os pais dessas crianças?"

O pai da pílula vermelha


Em setembro de 2015, falei na conferência Man In Demand em Las
Vegas. Uma coisa que achei encorajador ver foram pais e filhos presentes
juntos. Sinceramente, não esperava por isso. Foi uma experiência humilhante para
ver pais e filhos chegando juntos a uma consciência da pílula vermelha. Eu não tinha
antecipado que homens mais maduros teriam sido "desligados" de seus filhos,
mas eu me encontrei com alguns homens que me disseram que seus filhos tinham se transformado
em meus livros ou que The Rational Male seria leitura obrigatória
para seus filhos antes de saírem da adolescência.
Um dos maiores benefícios da conferência foi a inspiração e
material que recebi dos homens presentes. Um aspecto particular disso foi
abordando como os homens podem educar e ajudar os outros a se desconectarem, e nisso
há uma abundância de observações sobre como a educação desses homens
levou-os a ambos os idealismos da Pílula Azul e, finalmente, à consciência Pílula Vermelha.
Sinto que devo começar este capítulo com algumas dessas observações, mas como
mencionado na introdução, estarei quebrando o protocolo e serei um pouco mais
prescritivo aqui com relação ao que eu acho que pode ser uma forma benéfica de ser um
Pai da pílula vermelha.
Em The Rational Male - Preventive Medicine eu incluí um capítulo que
descrevia como os homens são principalmente condicionados para vidas e investimentos do ego
em um idealismo de pílula azul que, em última análise, os prepara para melhor servir o
Imperativo feminino quando sua utilidade é necessária para cumprir o desejo feminino
de estratégias sexuais (e realmente vitalícias). Se você possui o livro, pode ser
útil revê-lo depois de ler esta seção.
Para o bem das crianças
Um dos meus leitores regulares do blog (e participante da conferência) Jeremy tinha uma
excelente observação para mim sobre a priorização dos homens nas hierarquias de
famílias contemporâneas:

Há um certo livro que a esposa do meu amigo leu, que disse a ela para colocar
seu marido acima de seus filhos. Os filhos vêm em primeiro lugar para uma mãe, e eles
deveriam vir para o pai também. Não estou defendendo a negligência do marido, mas ele
precisa aceitar alguns fatos biológicos e não se machucar por causa disso.
O que está acontecendo aqui são, na verdade, os primeiros passos de uma crise de reféns. Aquilo é
um
resposta clichê do feminismo da primeira onda de livro didático. Este é o primeiro
redirecionamento em um desvio perpetuado pelas mulheres, a fim de afundar qualquer
noção de que os homens devem ter alguma autoridade sobre questões em seus casamentos ou
relacionamentos.
Pense nas crianças. Isso tem se repetido por tanto tempo, é um clichê.
Este é o comportamento típico de um caranguejo na cesta. Mulheres buscam poder sobre suas vidas,
de alguma forma, acredita instintivamente que a única maneira de alcançar o poder
é tirar o poder de outra pessoa. Então, elas atacam a autoridade masculina por
colocar os filhos acima dos homens. Isso então se torna uma vara com a qual bater
na autoridade masculina à submissão, já que apenas a mulher pode falar em nome
das necessidades das crianças. Esta autoridade feminina correta padrão também é
intimamente associada com a mística das mulheres, dando-lhes uma visão sobre
ser mãe que nenhum homem jamais seria considerado capaz de fazer.
Isso é literalmente uma subversão de livro didático. Quando as necessidades das crianças se tornam o
"Trono" da família, e apenas a esposa pode falar pelas
necessidades das crianças, então a autoridade da família se torna
combinação grotesca de necessidades imediatas de crianças (rens) e mulheres
manipuladoras. A única contribuição de um pai para essas
necessidades é o seu apoio e aquiescência ao que ela decidiu que eles são.
Pior ainda, os filhos agora são efetivamente cativos da esposa porque, em
a qualquer momento, ela pode acusar aquele pai de qualquer coisa que a lei seja forçada a lançar
ele algemado para levar as crianças. Embora isso possa nunca ser o
o primeiro recurso é sempre a "opção nuclear" implícita.
Este é o primeiro passo nessa situação de refém. Os igualistas vão tentar convencer
você da lógica de que as crianças vêm em primeiro lugar, que as crianças são o futuro, é preciso
uma Aldeia, e que tudo o que os torna melhores é mais importantes
então alguma coisa. Isso é besteira

Nossos ancestrais paleolíticos não ficavam sentados em cavernas o dia todo brincando e
interagindo socialmente com seus bebês. Eles não tinham algum tipo de serviço de entrega de
embalagens frescas que permitisse que ele interagisse com as crianças
diretamente. As mães não estavam exatamente nas mesmas condições de sobrevivência,
precisando procurar cenouras, batatas, frutas vermelhas, etc, enquanto os homens caçavam
e construíam estruturas. Se você acha que as crianças vieram primeiro em qualquer outra época
da humanidade, você está tristemente enganado.
As crianças foram mais do que capazes de obter tudo o que precisam saber
sobre como viver simplesmente observando seus pais viverem uma vida feliz
juntos. É assim que os humanos faziam as coisas por eras, mudando essa ordem e
colocar as crianças em primeiro lugar deve ser visto como a convenção social igualista
é e o início da destruição da família.
As crianças são mais do que esponjas de informação, são relativamente mentes vazias que muitas
vezes desejam desesperadamente ser adultas. Crianças querem entender
tudo o que todos ao seu redor entendem, é por isso que um pai
dizer a uma criança que você está "decepcionado" com ela às vezes é mais
eficaz do que remar.
Se você se concentra nas crianças, está francamente estragando-as com atenção que
eles nunca receberão no mundo real. Se ao invés você se concentrar em si mesmo
e seu cônjuge, você criará filhos que o veem se colocando como
seu ponto de origem mental e seu casamento / parceria como um importante
parte do que você faz a cada dia.
Não coloque as crianças em primeiro lugar. Isso soa egoísta porque temos sido
aculturado em uma ordem social primária feminina que busca desempoderar
homens, tornando os filhos a alavanca para o fazer. Isso não quer dizer
que os homens devem ser indiferentes ou desinteressados na criação de seus filhos,
muito pelo contrário, mas sim estou enfatizando a necessidade de estar ciente da
dinâmica de desempoderar homens, pais e maridos por mulheres e
as mães basicamente pedestalizam seus filhos acima de você e de seu
relacionamento com a mãe.
Explicarei sobre isso mais tarde, mas como a maioria dos meus leitores sabe, sou um
proponente do que é chamado de Autointeresse Iluminado - não posso ajudar ninguém
até que eu me ajude. Duvido que a maioria dos homens dos Livros Antigos anteriores,

são gerações associando seu estilo parental com tal termo, mas
é exatamente assim que eles costumavam abordar a criação dos filhos. Eles vieram primeiro,
e esposa e filho seguiram em sua liderança e decisões.
Seu ponto de origem mental nunca deve vacilar de você, seja
você solteiro, monogâmico, casado, sem filhos ou pai.

A parentalidade americana esta matando os casamentos americanos


Enquanto escrevia isto, encontrei um artigo fantástico sobre
Quartzo. com, intitulado A parentalidade americana esta matando os casamentos americanos. A
cotação de dinheiro segue aqui, mas achei que era uma boa explicação de como
bem, nós pais na cultura ocidental é medido por quão bem ela serve ao
Imperativo feminino:
Claro, a blasfêmia era não admitir que seus filhos
eram menos que completamente maravilhosos, só que amava mais o marido
do que eles. Isso se enquadra na categoria de não ter outros deuses antes de mim. Tal como acontece
com muitos crimes religiosos, o julgamento não é aplicado uniformemente
entre os sexos. As mães devem se dedicar aos filhos acima
qualquer um ou qualquer outra coisa, mas muitas esposas ficariam ofendidas se seus
maridos disseram: "Você é muito boa, mas meu amor por você nunca estará a altura para o amor que
tenho por John Junior. ”
As mães também são sagradas de uma maneira que não se espera que os pais sejam. Mães
vivem em um mundo limpo e alegre cheio de cores primárias e canções de crianças, e elas não
pensam sobre sexo. Um pai pode admitir que deseja sua
esposa sem parecer um pai distraído, mas a sociedade não está tão disposta a
fornecer a Sra. Waldman a mesma folga. Não é adequado para uma mãe desfrutar
prazeres que não envolvem seus filhos.
Existem, sem dúvida, benefícios que advêm de elevar a paternidade ao
status de uma religião, mas existem armadilhas óbvias também. Pais que fazem
não se sentir livre para expressar seus sentimentos honestamente são menos propensos a resolver
problemas em casa. Filhos que são criados para acreditar que são o
centro do universo tem um momento difícil quando seu status especial se desgasta como
eles se aproximam da idade adulta. O mais preocupante de tudo, casais que vivem inteiramente

vidas centradas na criança podem perder o contato umas com as outras a ponto de
não ter mais nada a dizer um ao outro quando os filhos saem de casa.
Acho que essas citações descrevem bem a dinâmica; um método de controle
que as mulheres podem usar para distrair e afastar-se dos maridos Beta é um simples
apelos aos interesses de seus filhos como sendo equivalentes aos seus próprios ou
confundindo-os com os interesses de seus maridos. Se a criança se sentar no topo de
essa hierarquia de amor (ver Medicina Preventiva) e o bem-estar dessa criança e
os melhores interesses podem ser definidos pela mãe, o pai / marido é então
relegado à subserviência ou supérfluo tanto para a criança quanto para a
mãe.
Isso nos leva de volta ao mito do dom sobrenatural das mulheres para empatia;
As mulheres, pelo simples fato de serem mulheres, são imbuídas de algum instinto,
percepção empática sobre a melhor forma de colocar essa criança acima de tudo. Esta
criança torna-se um seguro contra falhas e um tampão contra ter que entreter uma verdadeira
relação intersexual e conexão com o pai / marido e realmente
considera sua posição em sua estimativa hipergâmica dele.
Se aquele homem não é o que seus instintos hipergamosos estimam, ele é como
ideal (ele é o infeliz Beta), então ela adota o padrão de tolerar sua
presença para o bem dos filhos e você tem casamentos que têm apenas um
interesse comum.
O primeiro caso aqui foi sobre um incidente em que uma mulher estava sendo
encorajada a colocar o marido antes dos filhos em um amor convencional
de prioridade de hierarquia. O fato de que isso pareceria tão pouco natural para uma mulher
- a ponto de precisar ser algo necessário para treinar uma mulher
a considerar conscientemente - fala muito sobre a facilidade com que as mulheres
presumem que a prioridade delas deveria ser para os filhos. Nunca é uma
consideração de que a preocupação, importância ou apreciação de um marido seria
substitui-lo por uma criança. Na verdade, apenas a sugestão disso reduz um homem a
sendo tão carente quanto qualquer criança, infantilizando-o.
A maioria dos homens também concorda com essa priorização.

Parece dedutivamente lógico que uma mulher necessariamente precise colocar


as prioridades de atenção da criança bem acima das do marido. O que é
contra-intuitivo para ambos os pais é que é a saúde de seu relacionamento (ou
falta dela) que define e exemplifica um gênero complementar
de compreensão para a criança. As mulheres costumam usar seus filhos para assumir a autoridade
primária da família, e os homens já são
Pílula azul pré-condicionados por uma educação centrada na mulher para aceitar isso como o
quadro (padrão de relaçionamento) normativo para a família.
Como em todas as suas relações com as mulheres, estabelecendo um forte relacionamento
quadro (padrão de relacionamento) é essencial. O problema para os homens, mesmo iniciados mais
fortes
definindo o frame para suas esposas, é que eles cedem seu Frame relacional para suas
crianças. A maioria dos homens deseja o melhor para seus filhos; ou pode haver um
Promise Keepers, dinâmica com a qual um cara está lidando, onde ele torna cada
esforço para superar e compensar os pecados de seu pai, sacrificando
tudo. Mas, ao fazer isso, ele perde de vista a criação e manutenção de um
Frame dominante não apenas para sua esposa, mas para o estado de sua família.
A maioria dos homens, sendo Betas condicionados, se sentem desconfortáveis assumindo qualquer
tipo
de autoridade, portanto, Frame fraco é uma desvantagem para eles, mesmo antes que seu primeiro
filho nasce. Isso cria um desafio (às vezes impossível) para eles
uma vez que eles tenham um filho, tornam-se ciente da Red Pill e, em seguida, procuram afirmar ou
reafirmar um Quadro necessário.
É importante ter em mente que, quando você define o quadro de seu
relacionamento, seja uma primeira noite ou uma perspectiva de casamento, mulheres
devem entrar em sua realidade e em seu quadro. O mesmo deve ser aplicado a quaisquer
filhos dentro desse relacionamento - eles também devem existir em sua Estrutura.
Muitos pais têm medo de incorporar esta autoridade forte por medo de
ser visto como um "homem típico" e esperar que suas esposas (e filhos)
reconheçam qual deve ser o seu lugar principal na família por conta própria
em acordo.
O medo pré-condicionado é que, ao assumir essa autoridade, eles possam
se tornar o pai idiota típico que eles esperavam evitar na maior parte de seus
anos de formação. Mesmo para homens com fortes modelos masculinos em suas
vidas, a hesitação vem de uma cultura que ridiculariza os pais, ou presume

que eles são potencialmente violentos com as crianças. Homens internalizam esse
reconhecimento de ridículo ou idiotice e, portanto, a
abdicação da autoridade paterna, mesmo no sentido mais positivo possível, é
render-se antes mesmo de aquela criança nascer.

Conforto no quadro
Um dos princípios mais básicos da pílula vermelha que enfatizei desde que comecei a escrever
é a importância do Frame. Esta foi a primeira regra de ferro de Tomassi para um
razão:

Regra de Ferro de Tomassi # 1


O quadro é tudo. Esteja sempre ciente do equilíbrio subconsciente de
cujo quadro no qual você está operando. Sempre controle o Frame, mas
resista a dar a impressão de que você esta.
A dinâmica do Frame se estende a muitos aspectos da vida de um homem, mas em um
sentido estritamente intergênero, isso se aplica a homens que estabelecem um
domínio em seus relacionamentos com as mulheres. Em um contexto de namoro de não
exclusividade (girador de pratos), isso significa que, como homem, você tem uma realidade sólida
no qual essa mulher deseja ser incluída.
Dominar o Frame não é sobre força ou coerção, é sobre atração e
desejo e um desejo genuíno por parte de uma mulher de ser considerada para
inclusão na realidade daquele homem. Ser permitida no quadro dominante de um homem
confiante deve ser um elogio à autopercepção dessa mulher.
Fazer parte da vida de um homem de alto valor deve ser um prêmio que ela busca.
Este é um princípio bastante básico quando você pensa sobre isso. A principal razão
as mulheres preferem esmagadoramente homens mais velhos do que elas (estatisticamente 5-7
anos de diferença) é por causa da impressão psicológica de que os homens mais velhos
do que a idade de uma mulher deve ser mais estabelecido em sua compreensão do
mundo, sua carreira, sua direção na vida e seu domínio sobre si mesmo e suas
condições.
Da perspectiva do Alpha Fucks da hipergamia, o ar de um homem
dominante em seu mundo torna preferível um homem mais velho, enquanto um Beta mais velho
o homem representa a perspectiva de confiança, embora um tanto desinteressante,
provisionamento.
Em nosso mercado sexual contemporâneo, acho que essa percepção - que
costumava ser verdadeiro em um clima social baseado no antigo conjunto de livros - é uma
crescente fonte de decepção para as mulheres à medida que saem de seus
Anos de festa pós-faculdade para a fase mais estressante da Epifania, onde elas
encontram-se cada vez menos capazes de competir intra-sexualmente.
E, mais uma vez, também vemos evidências de outro conflito entre
igualitarismo vs. complementaridade. Porque, em uma utopia igualitária, todos
as coisas devem ser equalizadas; o igualismo defende que esta preferência de idade
não deve fazer diferença na atração, mas a influência desta natural
atração complementar se torna uma fonte de conflito interno para as mulheres
que compram o igualismo.
A autopercepção das mulheres sobre o valor pessoal fica envolvida em um
pacote egoísta.
É um paradoxo interessante. Por um lado, ela espera um hipergamismo
de emparelhamento melhor que equitativo com um self-made man que irá magicamente
aprecia-la por sua autopercepção de seu próprio valor pessoal, mas também
ser, como diz Sheryl Sandberg, “alguém que deseja um parceiro igual.
Alguém que acha que as mulheres devem ser inteligentes, teimosas e ambiciosas.
Alguém que valoriza a justiça e espera ou, melhor ainda, quer fazer o seu
compartilhamento em casa. ”
Em outras palavras, um homem excepcional e de alto valor, com um mundo que conquistou a si
mesmo
e Frame de quem ela deseja participar; mas também aquele que será tão apaixonado por
suas qualidades intrínsecas (as qualidades que ela espera que compensem por ela
a esta altura possuir déficits físicos e pessoais) que ele comprometerá a sua própria Estrutura que
o fez digno de sua intimidade, e então se reduziu a uma igualdade
isso o diminui para ela.

O pai Redpill e o Frame

A razão pela qual estou entrando nisso é por causa de um princípio básico do Frame:
O quadro que você definiu no início do seu relacionamento estabelecerá
o tom para o futuro desse relacionamento.
Isso não quer dizer que os homens não evoluem de uma forte estrutura Alfa para um passivo
Beta, mas o Frame com o qual você entra em um relacionamento será a
impressão mental que a mulher retém à medida que se desenvolve. Esta impressão também
torna-se a base a partir da qual você desenvolverá sua persona como pai.
Seu estabelecimento e manutenção de um forte controle psicológico
e o ambiente de Frame não é apenas fundamental para um relacionamento saudável e
interação com uma mulher, mas também é vital para a saúde de qualquer ambiente famíliar
e a educação de quaisquer crianças que dele resultem.
Ocasionalmente, fui questionado sobre meus pensamentos sobre a influência da família
desempenha no condicionamento de meninos / homens para aceitar um papel Beta na vida.
Especificamente, a
questão era sobre como o Frame dominante de uma mãe influencia
na educação dos filhos e como uma mudança não convencional no relacionamento intersexual
de hierarquias podem predispô-la a imprimir suas inseguranças hipergâmicas
em seus filhos. Isso me deu muito em que pensar.
Um traço comum que eu ocasionalmente encontrei com homens recém-cientes da pílula vermelha
é a influência debilitante de suas mães dominadoras e Beta
pais suplicantes atuaram na formação de suas percepções distorcidas de
masculinidade. Fiz uma tentativa de abordar essa influência na
Seção intersexual de hierarquias do último livro, no entanto, eu pretendia que esses ensaios
fornecessem um esboço de modelos hierárquicos específicos, não realmente para cobrir a
saúde individual ou mal-estar de qualquer um deles.
Do quadro, o macho racional:
A pedestalização padrão das mulheres a que os homens são propensos é um resultado direto
de aceitar que a moldura de uma mulher é a única moldura. É meio difícil para
da maioria dos homens ‘conectados’ para entender que podem e devem exercer
controle para estabelecer um relacionamento futuro saudável. Isso dificilmente é uma
surpresa, considerando que cada faceta de sua compreensão social sobre
estrutura de gênero sempre foi padronizada para o feminino na maior parte de

suas vidas. Se isso foi condicionado a eles pela mídia popular ou


vendo isso ser praticado por seus pais beta, para a maioria dos homens na cultura ocidental
a realidade feminina é o quadro normalizado. A fim de estabelecer um
com estrutura masculina saudável, o primeiro passo é se livrar do preconceito
que as mulheres controlam o quadro por padrão. Elas não controlam, e honestamente, elas não
querem.

Post LTR Frame


Na maioria dos casamentos contemporâneos e arranjos de relacionamento de longo prazo,
as mulheres tendem a ser a autoridade de fato. Homens procuram de suas esposas
“Permissão” para tentar até mesmo as atividades mais mundanas que fariam
sem pensar duas vezes enquanto solteiro. Eu tenho amigos casados que me dizem como
"Sortudo" eles são casados com uma esposa tão compreensiva que ela
“Permite” que ele assista ao hóquei na TV do quarto de hóspedes ... ocasionalmente.
Estes são apenas alguns exemplos gratuitos de homens que entraram em
casamento com a Moldura firmemente no controle de suas esposas. Eles vivem na realidade dela,
porque tudo pode se tornar normal. O que esses homens falharam em
perceber é que essa moldura, como o poder, abomina o vácuo. Na ausência da
Segurança de quadro que uma mulher busca naturalmente em um homem masculino, esta
necessidade de segurança a força a fornecer essa segurança para si mesma. Assim nós temos
a vulgaridade dos homens cornos e submissos na cultura ocidentalizada,
enquanto as mulheres fazem as contas, ganham o dinheiro, tomam as decisões, autorizam
as ações de seus maridos e punições. A mulher está procurando a
segurança que o homem com quem ela se uniu não pode ou não irá fornecer.
É vital para a saúde de qualquer LTR que um homem estabeleça sua estrutura como a
base de sua convivência antes de qualquer compromisso formal ser reconhecido.
O principal problema que os homens encontram em relação ao casamento é que
a Estrutura dominante e positivamente masculina que deveriam ter estabelecido
enquanto solteiro (e se beneficiando da ansiedade da competição) decai (ou reverte)
a uma mentalidade Beta e o homem abdica da autoridade e deferência para com seu
Quadro primário feminino da esposa. Isso é presumir que Frame dominante
já existiu enquanto ele estava namorando sua esposa. A maioria dos homens experimenta esta
decadência
de três maneiras:

* Um declínio gradual para aceitar Frame de sua esposa por meio de sua renúncia
de uma autoridade que ele não se sente confortável em abraçar.
* Uma crença inicial em um ideal igualitário equivocado redefine a masculinidade
e o condiciona a render o Frame.
* Ele estava tão dominado por uma vida inteira de condicionamento Beta da Pílula Azul que
já espera viver dentro da estrutura de uma mulher antes do casamento.

Destes, o último é o resultado mais direto de uma educação dentro de um


Quadro primário feminino. Acho que uma das realizações mais vitais que um
homem da pílula vermelha precisa considerar como as verdades da pílula vermelha e sua consciência
delas
influencia a dinâmica mais ampla de levantar e instruir subsequentes
gerações.
A hipergamia é pragmática e enraizada em uma dúvida de nível de sobrevivência sobre
se as mulheres estão otimizando isso da melhor forma possível. Quando a insegurança de uma
mulher sobre as decisões hipergâmicas que determinam sua vida é respondida por uma resposta
positiva
de um homem convencionalmente masculino, que é ao mesmo tempo seu marido unido e
pai de seus filhos, essa dúvida é acalmada e um gênero complementar
de ambiente para criar os filhos progride dessa segurança.
Em um quadro dominante positivamente masculino, onde o desejo daquela mulher é
focada principalmente em seu homem, (e onde o valor de mercado sexual desse homem
excede a de sua esposa em pelo menos um fator de 1) isso estabelece pelo menos um valor
sustentável de
condição de acalmar a dúvida hipergâmica de uma mulher sobre o homem que ela esta emparelhada
em uma
monogamia consolidada e investimento parental.
Em uma condição em que o marido é incapaz ou não quer (graças a
crenças igualitárias) para estabelecer sua estrutura dominante, o que deixa uma mulher
com a dúvida hipergâmica como influência predominante na saúde da
família em geral. Essa dúvida e as inseguranças que se estendem desde
a seleção hipergâmica dá o tom para educar e influenciar quaisquer
filhos que resultam disso.
No passado, argumentei que, deliberadamente solteira, principalmente a mulher,
os pais presumem arrogantemente que podem ensinar uma criança tanto masculina quanto
aspectos femininos igualmente bem. No caso em que uma esposa / mãe assume a
liderança da autoridade familiar, tanto ela quanto o Frame abdicado
do pai / marido invertem esse modelo convencional de gênero para seus filhos.

A Estrutura dominante daquela mulher se torna a realidade que não apenas o


marido dela deve entrar, mas também seus filhos e, por extensão, seus
parentes da família. Esse Frame feminino dominante é aquele que é predicado
sobre as inseguranças inerentes às dúvidas hipergâmicas das mulheres.

A hipergamia sabe o melhor


Acho que esse fenômeno de “colocar as crianças em primeiro lugar” é muito simples de explicar.
Ela não quer transar com você! Ela está usando as crianças como um escudo, uma barreira, para
desviar seus indesejáveis avanços sexuais Beta.
É geralmente aceito que as mulheres estão interessadas apenas nos primeiros 20% dos
homens, e se você está falando sobre como parceiros de casamento, eu concordaria com
isto.
No entanto, se você está falando sobre como parceiros sexuais, aqueles que são realmente gostosos
pois, eu estimaria essa porcentagem como sendo ao norte de 5% adicionado no quadro
necessária para manter o interesse sexual em um casamento / longo prazo
relacionamento e você provavelmente está mais perto de 1-2%.

É realmente simples assim.


As mulheres que estão com esses homens de primeira linha, os primeiros 1-2% não precisam ser
ditas para colocá-los antes das crianças, elas fazem isso porque ele é mais importante para
ela do que seus filhos, porque se ele sair, ela nunca será capaz de substituí-lo
com outro homem de primeira linha agora que ela tem seus filhos a reboque.
Homens de primeira linha não criam filhos de outros homens e ela sabe disso
instintivamente. Se você acha que pode mitigar isso sendo os 20% melhores e
lendo alguns artigos sobre jogo de frame e dread, então acho que você estará
desapontado.
Claro que você pode melhorar seu relacionamento, mas provavelmente não vai ser
capaz de comandar o desejo visceral e cru que as mulheres têm para o nível superior
de homens que os fazem fazer essa merda naturalmente por sua própria vontade.
Este foi um comentário de um dos meus leitores regulares que resume o básico
ponto; para as mulheres, há um reconhecimento natural e desejado da Estrutura de um homem

que está ligado ao seu valor de mercado sexual fundamental em contraste com o dela
próprio.
“Ele é realmente o melhor que posso conseguir?”
Em um quadro feminino primário, essa questão define todos os aspectos dessa
vida familiar e desenvolvimento da mulher juntos.
É importante que os homens conscientes da pílula vermelha realmente meditem sobre essa grande
verdade.
Se você não definir e manter um Frame masculino dominante, se você não
aceitar seu papel em um relacionamento complementar convencional, aquela mulher
sentirá a necessidade de assumir a responsabilidade pelo bem estar dela mesma e pelas
crianças. O firmware psicológico das mulheres as predispõe a
isso em um nível visceral, límbico, de sobrevivência da espécie.
Eu me encontrei com inúmeros homens fazendo uma transição da Red Pill na vida que
histórias relacionadas sobre a influência opressora de suas mães dominadoras
e pais Beta suplicadores, levando-os a serem educados para repetir
aquele ciclo da pílula azul. Eu também aconselhei caras que foram criados por suas
mães solteiras que não tinham nada além de rancor e ressentimento pelo Alfa
Pai idiota que a deixou. Eles também assumiram a responsabilidade de serem homens
que sacrificam sua masculinidade pelo igualismo a fim de nunca serem como papai
o imbecil. Eu me encontrei com os caras cujas mães se divorciaram de seus
pais zelosos para transar com seus namorados bad boy geradores de formigamento (que
eles igualmente desprezavam) e eles também foram moldados pelas decisões hipergâmicas de suas
mães.
E é isso que estou enfatizando aqui; em todas essas condições de educação
é a dúvida hipergâmica da mãe que é a principal influência motivadora
em seus filhos. Essa falta de um pai com um positivo, forte, dominante
Frame coloca seus filhos em risco de uma educação com base na dúvida hipergâmica
autoquestionante da mãe. Acrescente a isso a ordem social primária feminina moderna que incentiva
a absoluta isenção de culpa das mulheres na atuação
sobre esta dúvida hipergâmica e você pode ver como o ciclo de criação
de homens fracos e confusos quanto ao gênero e mulheres insípidas se perpetua.
Finalmente, para os caras que estão psicologicamente presos às condições de merda
que eles tiveram que suportar por causa deste ciclo, para os homens que ainda estão lidando

com como a mamãe fodeu com eles ou o papai era um Beta; a melhor coisa que você
posso fazer é reconhecer o ciclo que ilustrei para você aqui. Esse é o primeiro
passo para ultrapassá-lo. Reconhecer a verdade da pílula vermelha é ótimo para leva-lo
a liderar, mas é muito mais poderoso do que isso. Dá a você a visão para ver
as influências que o levaram até onde você se encontra hoje.
Depois de reconhecer as verdades da Red Pill por trás de seu Blue Pill
condicionamento, então é hora de se realinhar e recriar-se em
desafio a eles. Quanto mais você chafurda na condição de autopiedade que a
hipergamia de sua mãe e a betaidade passiva do seu pai embutida em você,
quanto mais tempo você permite que o esquema Blue Pill defina quem você é.

Ectogênese
Na conferência Man in Demand, um jovem perguntou-me quais eram os meus
pensamentos sobre o interesse de um homem em se tornar pai solteiro em
seu próprio acordo. Em outras palavras, quão viável era para um cara gerar seu
próprio filho com uma mãe substituta ou alguma outra tecnologia (tecnologia de útero artificial),
muito da mesma forma que as mulheres podem através de bancos de esperma e artificiais
inseminação?
Eu tive essa mesma pergunta feita para mim durante uma entrevista com o blogger e
personalidade do podcast Christian McQueen. No momento, isso essencialmente quebra
até um homem fornecendo seu próprio esperma, comprando um produto viável para uma mulher
adequada
de óvulo para fertilizar a si mesmo e, presumo, contratar uma mãe substituta para carregar
aquela criança a termo. Em seguida, ele assume a custódia daquela criança e a cria
a si mesmo como um pai solteiro.
Vou admitir que quando recebi a pergunta sobre a paternidade solteira, eu estava um pouco
incrédulo quanto à mecânica disso. Naturalmente, seria uma despesa
que os homens não podiam entreter. No entanto, eu fiz minha lição de casa sobre isso e descobri
que a ectogênese era mais uma realidade da ficção científica que as feministas
já consideram e planejaram.
Em teoria, esse arranjo deve funcionar em algo semelhante a uma
mulher saindo do banco de esperma para (mais uma vez, hipergamosa) selecionar um
doador de esperma adequado e tornar-se mãe solteira por conta própria. É

interessante que temos instituições e instalações como bancos de esperma para garantir a
hipergamia feminina, mas os homens, muito menos os homens heterossexuais, devem ter
força excepcional de propósito e determinação para fazer qualquer coisa semelhante.
Apesar de lidar com a provável incapacidade da mãe de aluguel para
desembaraçar seu investimento emocional em dar à luz uma criança que ela irá
nunca aumentar (os hormônios predispõem as mulheres a isso) um homem deve ser muito
determinado financeiramente e legalmente a se tornar um pai solteiro por escolha. No
princípio, eu entendo o sentimento dos homens da Red Pill que desejam levantar uma
criança por conta própria. A ideia é fazer isso livre do (pelo menos direto)
da influência do Imperativo Feminino. Eu entendo o raciocínio, no entanto, acho
isso é um erro.
Meus sentimentos sobre isso são duas partes. Primeiro, sendo um verdadeiro Complementar, é
minha convicção de que uma criança requer dois pais adultos saudáveis, homem e mulher,
com uma compreensão firme e madura da importância, pontos fortes e fracos de
seus respectivos papéis de gênero (com base nos padrões da biológica evolutiva). Idealmente, eles
devem exemplificar e demonstrar essas funções em um
moda saudável para que um menino ou uma menina possa aprender sobre masculinidade e
feminilidade
a partir dos exemplos de seus respectivos pais.
Várias gerações após a revolução sexual e após várias
gerações venerando a primazia social feminina, chegamos a um
padrão, crença coletiva de que mães solteiras podem desempenhar a função de
modelagem e modelagem de masculinidade em meninos, bem como feminilidade em meninas
Igualmente bem.
Concedido, a definição de masculinidade é distorcida, definida por
igualitarismo e o imperativo feminino, mas a base social
da mensagem nisso é que mulheres / mães podem ser um show de uma mulher com
respeito à parentalidade. Assim, homens, pais ou bufões de cultura dominante
retrata-os como são, são supérfluos para os pais - bom ter por perto, mas
não é de missão crítica. Essa crença também encontra terreno fértil na noção de que
os homens hoje estão obsoletos.
Em segundo lugar, apesar de toda a ênfase igualista das teorias de gênero junguianas sobre
anima / animus e equilibrando os interesses da personalidade feminina e masculina,
esta presunção é evidência de uma agenda que sugere que uma mulher está

igualmente eficiente em ensinar e modelar aspectos masculinos para crianças como


bem como qualquer homem positivamente masculino poderia. Com isso em mente, acho que
reverso seria verdadeiro para um pai deliberadamente solteiro - mesmo com as melhores
intenções iniciais.
Como tal, acho que um pai serviria como um substituto pobre para uma mulher quando
trata-se de exemplificar um ideal feminino. O argumento então é claro
que, cortesia de uma ordem social centrada no feminino, as mulheres se divorciaram tanto
se da feminilidade convencional que talvez um pai possa ensinar uma
filha (se não demonstrar para ela) um ideal feminino melhor do que uma mulher.
A feminilidade convencional e complementar está tão perdida na maioria das mulheres
que certamente parece lógico para um homem ensinar sua filha como
recaptura-lo.

Criando Betas
Essa foi a armadilha em que o feminismo da terceira onda caiu; a crença de que elas
souberam a melhor forma de criar um menino no ideal enfraquecido e castrado
de sua masculinidade redefinida. Ensine aquele menino uma deferência padrão e
sublimação de seus próprios interesses de gênero à autoridade feminina, redefini-la como
‘Respeito’, ensine-o a fazer xixi sentado e compartilhe sua parte do
coreografia, e bem, o mundo está fadado a ser melhor, mais cooperativo
lugar certo?
Então, é por essa razão que eu acho que a evolução, convencional, de dois pais
do modelo heterossexual serve melhor para criar um filho. Não posso endossar a solteira
paternidade para ambos os sexos. A parentalidade deve ser tão colaborativa e quanto
complementar em uma parceria que se reflete na relação simbiótica
entre mãe e pai.
É o cúmulo da supremacia de gênero ser tão arrogantemente autoconfiante como
escolher deliberadamente dar à luz um filho e tentar criá-lo no
ideal inventado do que aquele "pai" acredita que o papel do outro gênero deve
ser.
No entanto, é isso que as mães solteiras costumam e escolhem fazer e, como sociedade, elogiamos
elas por isso. Nós encorajamos e facilitamos as mães na criação dos filhos

com a ideia de que podem ser eficazes no ensino dos aspectos de ambos os sexos.
Isso deve colocar a agenda institucionalizada de engenharia social do
Imperativo feminino em forte contraste para qualquer um que considere intencional
monoparentalidade. Considere que os bancos de esperma e exclusivamente femininos
e as instituições de fertilidade fazem parte da sociedade normalizada há mais de sessenta
anos e você pode ver que a hipergamia e sua necessidade inerente de certeza
já dita o curso da paternidade há algum tempo.
Isso equivale a um controle unilateral do que as novas gerações definirão como
masculino e feminino; esta é a própria definição de engenharia social.

O pai da pílula vermelha


“Se eu não vou ter filhos, ela disse a si mesma, então eu terei
amantes. ” - Robin Rinaldi, The Wild Oats Project.
Na última seção, coloquei ênfase na compreensão dos homens sobre as mulheres e sua dúvida
rudimentar de suas escolhas hipergamosas no que diz respeito à criação
de filhos e a saúde geral de uma família. Existem muitos
fatores sociais em nossa estrutura social centrada na mulher ocidentalizada que incentiva
mulheres para atrasar o casamento e tornar-se mãe bem depois de seu auge
de janelas de fertilidade.
Em meu ensaio, Myth of the Biological Clock, eu detalhei os equívocos
que as mulheres consideram sobre sua própria capacidade de ter filhos mais tarde em
sua vida:
A cultura popular gosta de ensinar mulheres e, por associação, não iluminados
homens que há um relógio biológico inato dentro de cada mulher que lentamente
chega a um período mágico onde seus instintos maternais finalmente
predispõe-na a querer um filho. Talvez, não tão surpreendente, este
coincide perfeitamente com o mito do pico sexual feminino, bem como
convenientemente sendo a faixa etária apenas postada ou antes de quando mais
mulheres atingem o muro.
[...] Não vou argumentar que as mulheres realmente possuem instintos maternos, eu vou
argumentar que a compreensão de quando elas se manifestam foi deliberadamente
distorcida por uma influência cultural centrada no feminino. Se as mulheres estão com raiva de
as revelações de sua incapacidade ou dificuldade de conceber em seu pós-muro
com as condições biológicas presentes, sua raiva é mal direcionada. Ao invés de vir
para baixo do pedestal inebriante do empoderamento feminino investido no ego
psicologico, elas culparão os homens por não serem pais adequados exatamente no
tempo que convém à sua estratégia sexual, ou homens sem vontade de
"Jogar pelas regras" e satisfazer os ditames do imperativo feminino por
passando o tempo em coma induzido por pornografia e videogame.

A mentalidade de ter tudo popularizado pelo feminismo levou a alguns casos muito ruins
e efeitos sociais para as mulheres em geral. Embora que tudo isso seja
expressa em mensagens que apelam para permitir que mulheres ‘Empoderadas®’
obtenham um acordo semelhante na vida profissional que os homens supostamente estão gostando,
o
subtexto nesta mensagem
é nunca se contentar com menos do que hipergamicamente ideal (melhor que,
não igual a) emparelhamento monogâmico com um homem.
A publicidade do tipo "tem tudo" é sobre a satisfação da vida de um distrator
de perspectiva igualista.
As mulheres querem ser homens. Assim, vemos o impulso para a faculdade feminina
matrícula que desequilibra a matrícula dos homens, reduzindo perigosamente o
requisitos físicos padrão para combate nas forças armadas ou ser um "bombeiro", ou qualquer outras
arenas na vida onde os homens parecem ter
tudo. No entanto, ao fazê-lo, o curso de vida ao qual as mulheres são dirigidas pelo
imperativo também limita seus esforços de otimização hipergâmica, colocando
expectativas irrealistas sobre ele.
As mulheres aprendem que é possível servir a dois senhores, comparáveis aos homens
na conquista e hipergamia.
Como resultado, as mulheres retardam a procriação até idades que as colocam e
qualquer filho em risco de saúde, ou elas simplesmente renunciam ao casamento e
dar à luz uma criança com a presciência de que o pai (embora talvez um
provisionador adequado) nunca será um contendor para suprimir suas dúvidas sobre sua
Adequação hipergâmica.
Se mamãe não está feliz, ninguém está feliz
Estou desenvolvendo este aspecto da hipergamia aqui porque acredito, como acontece com
todas as coisas femininas, um amplo entendimento da hipergamia é essencial para a
vida do homem e tem efeitos de longo alcance que vão além de apenas aprender o jogo
bem o suficiente para transar em uma noite de sábado, quando uma mulher está dentro da
fase de pico ovulatório.

Um subproduto do abraço social da hipergamia abertamente reconhecida é


o grau em que as mulheres estão amplamente dispostas a atrasar o compromisso
até o que eu chamo de fase de epifania e, em seguida, a transição para uma necessidade de
segurança uma vez que sua capacidade de atrair e despertar os homens decai e / ou é
comprometido pela competição intra-sexual (ou seja, batendo no muro). Eu detalhei
este processo de adiamento do nascimento da criança em The Rational Male, Preventive
Medicina onde eu descrevo os anos de festa das mulheres através de sua fase de epifania, no
entanto, é importante que os homens entendam que esta fase é
em grande parte o resultado de mulheres que acreditavam que deveriam ter uma janela semelhante
a
um homem em que elas podem ter uma carreira e encontrar o "cara certo" para
parceiro na paternidade posteriormente.
A falha fundamental do igualismo está enraizada na crença de que homens e mulheres
estão
iguais racionais e funcionais, separados apenas por influência social e
imperativos egoístas (atribuídos exclusivamente aos homens). As graves consequências
que as mulheres acreditam que seu valor de mercado sexual diminui com a
idade, tanto em termos de competição intra-sexual quanto de fertilidade.
Como tal, acolhemos as reclamações de gerações de mulheres frustradas
que não foram capazes de se consolidar em um ideal hipergâmico porque elas
acreditavam que tinham tempo de sobra para fazer isso enquanto perseguiam os Alpha Fucks
do aspecto de sua hipergamia nos anos de sua janela de fertilidade primária.
As mulheres de hoje também acreditam que os homens que estão disponíveis e prontos para
cumprir o aspecto Beta Bucks da hipergamia simplesmente não se comparam a
seu senso de direito hipergâmico, socializado e superinflado (e
particularmente em comparação com os homens que as tornaram Viúvas Alfa em
seus anos de festa).
Tão angustiante é essa perspectiva, e tão cientes disso são as mulheres, que
elas estão começando a exigir seguros na expectativa de não serem capazes
de otimizar a hipergamia - como congelamento preventivo de óvulos e legislação
que os homens pagam por sua infertilidade enquanto casados em pensões de alimentos.
Está chegando um ponto em que as idades de 29-31 não estão mais sendo
considerado um ponto de crise para as mulheres no que diz respeito à procriação. Com a

popularização da falsa esperança no óvulo congelado estendendo a


período de nascimento, agora, até mesmo 35-38 anos parece conceder magicamente
mulheres alguns anos de bônus para garantir um homem para investimento como pais.
A questão não é mais a de uma mulher se tornando adequada para um
o investimento parental do homem (no final dos 30 anos), mas sim, ela acredita,
uma proposição de pensamento mágico de esperar o hipergamicamente 'certo'
pai para seus filhos.

Precauções dos pais


Estou enfatizando esses pontos aqui antes de passar para a educação dos pais Red Pill
de ideologia para homens que são, ou querem ser pais, maridos ou
namorados, entendam a importância que a hipergamia tem em qualquer
arranjo familiar que eles esperam criar.
Só para afastar todas as preocupações sobre o casamento ser um negócio cru para os homens
lendo isso; Não se case. Sob as circunstâncias ocidentais contemporâneas
não há vantagem para os homens em estado de casamento e vantagem de 100%
para mulheres. Infelizmente, como as coisas estão estruturadas, o casamento sempre será
uma proposta perdedora de custo-benefício enquanto as mulheres insistem em fazer casamento
um contrato legalista de responsabilidades e exclusivamente masculinas.
Dito isso, lembre-se também de que todo um mundo mergulhado em feminilidade primária
imperativos sociais são dispostos contra seus esforços em ser um positivamente
pai masculino para seus filhos. Esses esforços anti-pai começam com as mulheres
com próprio condicionamento centrado na mulher que as leva a lutar por
Otimização hipergâmica pessoal e socialmente. No entanto, elas vão atrasar
essa otimização até que todas as oportunidades para ela tenham se esgotado. Se vocês
estão pensando em se casar e começar uma família com uma mulher entre as
idades entre 27 e 31, estatisticamente, essa provavelmente será a situação e a mentalidade
que sua futura esposa está experimentando.
Estou apresentando essas coisas a você como um pai ou pai em potencial, porque é
importante para você discernir o que as mulheres foram condicionadas a acreditar
e esperar dos homens e para si mesmos. Nos próximos capítulos eu irei
elaborar sobre a complementaridade que ambos os sexos evoluíram para fazer nossa
espécie o que é hoje; e essa complementaridade convencional é

algo que o igualismo idealista distorceria para os homens. No entanto, por agora, é
importante perceber que as mulheres foram empurradas para esta hora zero, com salto no último
segundo, saque da programação do mercado sexual de acasalamento
contra a qual sua própria biologia se rebela.

Mães solteiras e “bons” pais


Também é importante que os homens entendam que, embora haja uma constante
‘Man Up’ (amadureça) repreendendo os pais por sua falta de envolvimento na vida de uma criança
na cultura popular, os homens são apresentados simultaneamente com as mulheres
Meme de 'empoderamento'. Como mencionei na última seção, há um meme
que propõe o envolvimento dos pais desses pais é efetivamente supérfluo
para a maturação dessa criança porque Strong Independent Women® pode
supostamente cumprir o papel de pai tão bem quanto qualquer homem (este é a
Narrativa ‘igualista’).
Para todas as campanhas de conscientização pública exaltando os pais a serem mais
pais envolvidos, a mensagem é sempre de ser pais "melhores" e
colocá-los em uma posição padrão de serem "maus" em virtude de suas
masculinidade. Se os homens são tão ridículos ou potencialmente violentos quanto a mídia popular
nos ensinou que são, os homens já estão começando sua paternidade de uma
posição negativa. Na verdade, um pai "bom" é uma mercadoria raramente apreciada
porque essa "boa" qualidade está sempre ligada a um homem que sempre
muda de qualificação para "correção" feminina.
Por outro lado, o meme do empoderamento da mãe solteira é endêmico. Está
muito importante usar nossa lente de pílula vermelha com este meme porque a
mensagem é aquela que perdoa as mulheres por sua incapacidade de se fazerem
perspectivas adequadas para o investimento parental dos homens. Ao mesmo tempo esse
meme também impõe a culpa pela falta de vontade "típica" dos homens de ser paternal
e investir diretamente na responsabilidade dos homens para com as mulheres na otimização da
hipergamia
para sua satisfação.
A seguinte citação é de um artigo intitulado Provavelmente sempre serei um
Mãe Solteira por Leah Campbell.
Eu sou estúpido exigente.

Em meus 15 ou mais anos de namoro, eu estive por aí. Não quero que isso soe
tolo, mas ... não é como se eu não tivesse dado uma chance ao amor. O problema? Fora
de todos os homens que já namorei, houve apenas um ou dois que senti uma
conexão genuína. É realmente raro eu encontrar alguém que
sinto como se pudesse imaginar passando para sempre. Infelizmente, eu nem consigo me lembrar
a última vez que encontrei um homem que me deu borboletas no estômago. Definitivamente, já se
passaram anos.
Eu quero o conto de fadas.
Existem muito poucos relacionamentos que testemunhei na minha vida que eu faria
realmente querer para mim. O que levanta a questão, o que eu quero? Bem eu
quero um homem que seja ótimo com crianças e totalmente aberto para adotar uma casa cheia
comigo. Eu quero um homem que é inteligente e motivado, sexy e hilário. 1
quem me pega, quem me desafia e quem me deixa com os joelhos fracos.
Basicamente ... eu quero tudo. E eu não tenho certeza da imagem que tenho em minha
cabeça do que o amor deve ser algo que realmente existe na vida real.
Minha filha sempre será a prioridade número um.
Se você acha que minhas expectativas sobre o que eu quero para mim são implausíveis, nós
provavelmente nem deveriamos discutir minhas expectativas sobre o que eu quero para o homem
que assume esse papel paternal para minha filha. Sinceramente, tanto quanto eu
quero aquela figura paterna para ela, também estou absolutamente com medo de escolher
errado, de bagunçar nossa dinâmica escolhendo um homem que não é digno de
ser seu pai.
Eu adiciono isso aqui porque ilustra muitas das dúvidas comuns
que as mulheres têm que entender suas escolhas hipergâmicas e suas
consequências. Toda a lista de verificação deste artigo parece um manifesto para a
Mãe solteira Strong Independent® sem consideração de como
homens solteiros, pais ou maridos em potencial podem interpretá-lo. Como esperado,
perpetua a religião da maternidade "coloque seu filho em primeiro lugar" aqui, mas depois
lendo através de suas racionalizações de mãe solteira e, em seguida, combinado com
a presumível servidão dos homens aos beneficiários do imperativo Feminino, é fácil ver porque a
maioria, senão todos os homens, podem hesitar em
inscrever-se para o dever que ela espera deles.
Preparativos
Meu ponto aqui não é dissuadir

Meu objetivo aqui não é dissuadir os homens de quererem ser pais, mas sim
que eles passam a ser pais com os olhos abertos para como a hipergamia,
e um imperativo cultural que é construído em torno disso, influencia a vida das mulheres
nas escolhas hoje.
Mencionei anteriormente sobre mulheres com idades entre 27 e 31
experimentando as primeiras duras realidades das consequências que suas escolhas
as predispôs. Entenda, como homem, seu desejo, seu potencial, para
o investimento dos pais coloca você na posição de ser o mais sexualmente
seletivo com mulheres durante esta fase. Tanto que o Feminino
Imperative criou convenções sociais de longa data, todas pré-estabelecidas com
o propósito de convencer os homens de que eles não são apenas obrigados a cumprir
a estratégia hipergâmica das mulheres, mas deve se sentir com sorte em fazê-lo.
A verdade é que são as mulheres que mais precisam dos homens durante
esta fase de suas vidas - colocando assim os homens com os meios e o desejo de
tornar-se um pai na posição de seletor principal. O Social feminino
condicionamento fez tudo o que podia para predispor os homens Beta a esperar e
perdoar as mulheres por suas indiscrições de curto prazo com Alpha Fucks durante seus
Anos de festa.
Dito isso, muitos homens me perguntaram a melhor forma de me tornar um
Pai da pílula vermelha. Muitos homens expressaram que a única vantagem para os homens em
casamento consiste em criar um ambiente saudável e, esperançosamente, complementar em
qual criar filhos. No entanto, não tenho certeza se mesmo as mulheres concordariam
com esta avaliação em face de uma narrativa social que lhes diz que elas podem
criar um filho tão bem quanto qualquer pai pode. No entanto, pela definição do Feminino
Imperativo, um pai "bom" é aquele que vai sublimar sua masculinidade e
assumir um papel de gênero feminino e subserviente, tornando-o supérfluo
se ele está disponível ou não.
Eu geralmente enfatizo o estabelecimento de um forte, dominante, mas positivo
Quadro masculino para homens. Este é o ponto de partida vital para qualquer relacionamento de
longo prazo
em que um homem pode esperar criar filhos.

O próximo imperativo que um homem deve enfrentar são os obstáculos hercúleos que ele
encara em uma cultura ocidental que o desvaloriza como pai, mas o obriga a
ser um pai "bom" envolvido que só pode se qualificar para a
mãe de seus filhos (que são ensinados a colocá-los acima de sua
interesses) e qualificar-se para uma sociedade que foi condicionada a manter
ele com seus padrões.
Finalmente, um pai em potencial precisa entender a circunstância em que
a busca sem fim das mulheres para satisfazer seus lugares de dúvida hipergamosos
em várias fases de sua maturidade. Para os homens do Red Pill, muitos ficam
feito de "vetar" mulheres por atributos pessoais e caráter para torná-las
concorrentes por ser a mãe de seus filhos. Embora isso seja importante, eu
não posso enfatizar o suficiente o quão importante é levar em conta o hipergamo de
escolhas que as mulheres fazem antes de sua consideração - bem como as
consequências pelas quais ela deve ser responsabilizada, mas tenta evitar.
Se saber é metade da batalha, entrar em ação é a outra metade.

O Processo de Vetting
Eu não poderia me importar menos com quem estou falando. Na minha opinião, se você está
procurando
desqualificar uma mulher com base em sua história sexual, você está fazendo para si mesmo um
desserviço porque é melhor você acreditar que os pintinhos de alta qualidade foram
fodido de todas as maneiras imagináveis. Se não for você, é outra pessoa ... Pode ser
bem que seja você!
Este foi um comentário de um dos leitores do meu blog, mas é bastante comum
abster-se de homens que lidam com nosso mercado sexual moderno. Homens
deve apenas desistir e aceitar que, estatisticamente, as mulheres vão ter
mais do que alguns amantes antes de ficar com você.
Uma das minhas postagens de blog com maior link no blog The Rational Male foi
chamado Salvando o melhor. Nele eu detalhei o cada vez mais comum
situação dos maridos Beta descobrindo que suas esposas aparentemente sexualmente
desinteressadas eram muito mais sexualmente aventureiras com os homens Alpha

de seus anos de festa, quando descobrem evidências (online ou digitalmente


registrado) ou admissões pessoais dela. A cotação de dinheiro era esta:
"Eu casei com uma vagabunda que fode como uma puritana."
Eu entendo esse sentimento. Muita preocupação explícita (ou seja, pedir ou torturar
a si mesmo) sobre o passado sexual de uma mulher está de fato demonstrando um valor inferior
para um homem. Homens que as mulheres consideram Alfa, os homens que as mulheres já
têm uma impressão mental de não se preocupar excessivamente com
passados sexuais das mulheres porque esses homens geralmente têm múltiplos romances
e opções.
Em algum nível de consciência, as mulheres sabem que se o que um homem pode
interagir com ela sobre seu passado sexual que é desconcertante para um Alfa
ele simplesmente ejetará e avançará para um cliente potencial melhor.
Uma mentalidade Alpha é muitas vezes muito minimalista e direta, mas há
aspectos da interação com mulheres que vêm como um padrão para um homem que é
seu próprio Ponto de Origem Mental. Um daqueles aspectos não falados de uma Alfa
mentalidade é uma autocompreensão de que ele tem opções (ou pode gerar mais)
e isso se manifesta em sua indiferença pela aptidão de relação sexual de longo prazo de uma mulher.
Se ela não entrar em sua Estrutura, para sua satisfação, ele passa para
a próxima cliente potencial com muito pouca ou nenhuma comunicação.
No entanto, não estamos discutindo namoro / foda não exclusivo; estavamos
discutindo como fazer um investimento em uma mulher que estamos examinando para nós
como investimento parental. Quando você considera os riscos do lado negativo, um homem deve
apostar nesse investimento, cabe a um homem ser o mais perspicaz
sobre o passado sexual daquela mulher e as consequências que você terá
sobrecarregado se você não examiná-la sabiamente.
A maioria dos homens (eu inclusive na época) têm pré-requisitos muito escassos quando
trata-se de considerarem uma mulher para um casamento ou mesmo uma relação de casamento de
longo prazo. A maioria dos homens simplesmente faz a transição para ele. A noite quente ou
a amiga de foda se torna sua namorada de fato e, em seguida, sua parceira de longo prazo sem
qualquer consideração real ou introspecção sobre sua adequação
como esposa ou mãe. E então, certos aspectos emocionais e investimentos familiares tornam
qualquer verificação real difícil e uma perspectiva tendenciosa.

Essa falta de percepção é o resultado de uma bateria constante de vergonha e


pré-condicionamento pelo imperativo feminino que diz aos homens que quaisquer requisitos
que eles teriam de uma mulher para o casamento estão ‘julgando’ sobre ela. Ele deve se considerar
"sortudo" que qualquer mulher teria
ele como marido (ou "tolerá-lo") e suas preocupações com ela são
vergonhosas falhas de caráter tipicamente masculinas de sua parte.
Consequentemente, os homens da Blue Pill se autocensuram e raramente se permitem o
o luxo de colocar suas próprias considerações acima das de um parceiro em potencial.

Vetting
Se você perguntasse a uma mulher se ela hesitaria em se casar com um homem que
era um alcoólatra em recuperação ou um viciado em heroína ela provavelmente
vai desqualificá-lo como uma perspectiva de casamento desde o início.
E se ela fosse em frente e se casasse com ele de qualquer maneira, com plena divulgação de seus
vícios passados, seríamos solidários com ela se ele tivesse uma recaída e
ela tivesse de suportar as consequências de suas indiscrições passadas?
Agora suponha que aquela mulher que se casou com este ex-viciado, mas devido ao fato de ele ser
ofendido por ela bisbilhotar seu passado, ela realmente ignorava seus antigos
vícios. Ela tem suas suspeitas, mas a sociedade diz a ela que nunca deveria ser
competente para responsabilizá-lo por qualquer coisa que acontecesse em seu passado.
Ele mudou e ela também deveria, certo? Quaisquer consequências remanescentes de
seus vícios (como DUI, ficha criminal ou sua falta de emprego)
não deve ser usado contra ele, nem deve julgá-lo, nem deve
considerar essas consequências de qualquer maneira quando ela estiver avaliando sua
adequação para casamento agora.
Na verdade, ela deveria se sentir envergonhada de até mesmo considerar seu passado em relação aos
sentimentos dela sobre quem ele é. Seu julgamento apenas aponta para o suas próprias
falhas de caráter.
Agora, gostaríamos de elogiar aquela mulher por "seguir seu coração" e se casar
ele? Nós a responsabilizaríamos pela decisão de se casar com ele se ele
tivesse recaídas?

Inverta os gêneros e esse cenário é justamente por isso que as mulheres se tornam tão
hostis quando os homens até mesmo sugerem "julgar" as decisões sexuais anteriores das mulheres.
Há uma convenção social operativa muito bem estabelecida de que a
‘Irmandade’ vai apoiar unanimemente; e esse é a implacável
tática de envergonhar os homens que fariam qualquer pergunta sobre a sexualidade de qualquer
mulher
no passado. Este é o grau de desespero que as mulheres sentem durante a Epifania
Fase quando eles reconhecem que os homens estão se tornando conscientes de sua
estratégia sexual de longo termo.
Elas entendem que, em sua fase de epifania, o relógio está passando para
zero. Essa é a causa de muita ansiedade. Elas estão apenas começando a
entender que sua capacidade de casamento (prioridade Beta Bucks) agora conflita
com sua estratégia anterior de acasalamento de curto prazo (prioridade Alpha Fucks).
Mulheres dessa idade não podem se dar ao luxo de ter sua estratégia sexual de curto prazo
contra eles no momento em que estão mais necessitadas de
que o Beta pode fornecer para sua segurança a longo prazo.
Novamente, em algum nível de consciência, as mulheres entendem que, eram os
Beta ignorantes com quem ela decidiu se casar (começar uma família ou ajudá-la a criar
os filhos de seus amantes anteriores) estão para se tornarem cientes do que ela fez pelo
passado sexual.
E essa atuação ela reservou para os homens que ela considerava como Alfa então
e deu gratuitamente a eles o sexo que ele tinha para ganhar, e ainda deve
constantemente qualificar-se para agora. Como tal, as mulheres são obrigadas a manter
os detalhes desse passado secreto e obscurecido.
Tão grave é essa ansiedade que os homens devem ser punidos por terem a temeridade
por estarem curiosos sobre isso. É de vital importância porque a capacidade de uma mulher de
vincular com o homem é reduzido a cada nova parceira sexual. Isto é uma
estatística dinâmica; quanto mais amantes uma mulher tem antes de seu casamento é
proporcional às suas chances de infidelidade e divórcio.
De acordo com estudo da Pesquisa Nacional de Crescimento Familiar, coletou
em 2002, 2006-2010 e 2011-2013. Para mulheres que se casam desde o início de
o novo milênio:
Mulheres com 10 ou mais parceiros eram as mais propensas ao divórcio.
Mulheres com 3-9 parceiros eram menos propensas a se divorciar do que mulheres com
2 parceiros; e,
Mulheres com 0-1 parceiros eram as menas propensas ao divórcio.
Este é um fenômeno bem estudado. Cada novo parceiro sexual para uma mulher
é um Alfa em potencial para ela ficar "viúva", mas o homem que se casa
com ela deve ser mantido ignorante sobre aqueles homens, e o impacto que tiveram sobre ela, se
ela deve assegurar seus recursos e seu investimento parental. Esses são
fatos importantes a serem considerados para um homem que procura a mãe de seus filhos.
O bem-estar vitalício dessas crianças depende da estabilidade da família.
Esta convenção social não julgadora opera na absolvição de mulheres
com suas indiscrições do passado, redefinindo-as como um período de aprendizagem. Era a
“Jornada de autodescoberta” dela e ela “não é mais aquela pessoa”. Inteligentemente
suficiente, esta é exatamente a mesma convenção e a mesma lógica de
mulheres que se divorciam de seus maridos mais tarde na vida para então "fazer a jornada de
autodescoberta ӈ la Comer, Rezar, Amar que ela deixou passar quando era
mais jovem.
“Ao procurar um parceiro para a vida, meu conselho para as mulheres é namorar todos eles:
os meninos maus, os meninos legais, os meninos com fobia de compromisso, os meninos loucos.
Mas não se case com eles. As coisas que tornam os bad boys sexy não fazem
aqueles bons maridos. Quando chegar a hora de se estabelecer, encontre alguém que
quer um parceiro igual. Alguém que acha que as mulheres devem ser inteligentes,
teimosas e ambicioso. Alguém que valoriza a justiça e espera ou,
melhor ainda, quer fazer a sua parte em casa. Esses homens existem e, confie
eu, com o tempo, nada é mais sexy. ”
- Sheryl Sandberg, Lean In: Women, Work, and the Will to Lead
Também é de vital importância para os homens manter o dualismo sexual feminino
de estratégia em mente em todas as idades de sua maturidade.
A hipergamia aberta é triunfante quando as mulheres estão em seu
valor de mercado sexual de pico, mas quando uma mulher está na fase de epifania,
(entre 28 a 31 anos) quando ela está ansiosa e frustrada em garantir
seu próprio provisionamento de longo prazo, é quando ela vai recorrer a

convenções sociais que envergonham os homens por sua própria consciência,


de outra forma, elas exibiriam hipergamia para os homens.
Dentro desta convenção, espera-se que os homens não apenas aceitem que o
passado sexual da mulher não é da sua conta, mas que qualquer interesse nisso como algo
que ele pode examinar uma esposa, é percebido como um sinal de suas próprias inseguranças (ou
seja, um
Beta). Muitos homens da Red Pill verão esta convenção como algo diabólico
plano para explorar suas sutilezas e recursos, mas é importante manter o
propósito latente disso em mente. Esta é a estratégia sexual feminina conflitante
com a estratégia sexual masculina.
Assim que entendermos o propósito latente desta convenção social, deixe-me
explicar a todos os homens lendo - examinar o passado sexual de uma mulher não é apenas
sua prerrogativa, mas um imperativo absoluto para a saúde de qualquer futuro
relacionamento que você espera ter com ela. Quando você considera os significativos
riscos para os quais você está essencialmente se preparando, riscos que nenhuma mulher pode
jamais
reconhecer, ter empatia ou apreciar a coisa mais importante
que você pode fazer é examiná-la de acordo com o passado sexual daquela mulher.
Isso não significa que você faça perguntas fracas e abertas sobre o passado dela. Isso significa
que você sutil, secreta e discretamente capta as muitas pistas que ela
diz que irá revelar sobre esse passado. A maioria dos homens prefere usar uma abordagem direta
para
isso, e embora haja mérito nisso, é muito melhor fazer sua verificação por
extrair informações oferecidas gratuitamente de uma mulher. Também é muito mais
honesto e confiável. Depois de ir para a rota direta, o gabarito está pronto e ela vai
desempenhar o papel que ela pensa que você espera dela.
Sexo é a cola que mantém os relacionamentos juntos. É o cúmulo da ironia que
uma mulher colocaria uma prioridade tão alta em suas próprias experiências sexuais
enquanto em seu pico de valor de mercado sexual, ainda desqualifica completamente essa
importância quando ela chega à fase em que se torna um risco para ela.
Como homem, é de vital importância para você saber se você será o ápice dela
como amante alfa, alguém no meio, ou se seu fardo de desempenho será
medido contra os fantasmas de homens Alfa de seu passado sexual - e todos
enquanto você suporta o estresse e as alegrias de criar filhos com ela.

Alpha Widows
Como um aparte aqui, devo acrescentar que estou completamente ciente dos estudos
indicando que a capacidade de uma mulher de se ligar monogamicamente é inversamente
proporcional ao número de parceiros sexuais que ela teve antes de
monogamia. Não vou discutir o mérito desse conceito, mas também não acho
que isso abrange totalmente a dinâmica. Eu digo isso porque mesmo um amante anterior
(ou mesmo uma obsessão não correspondida dela) pode ser Alfa o suficiente para perturbar
equilíbrio monogâmico vinculado.
Essas são as Viúvas Alfa - mulheres tão significativamente afetadas por um
ex-amante Alfa (ou perceptivelmente) que ela deixou com um emocional
impressão de que mesmo o provedor Beta mais zeloso e amoroso nunca pode competir
com ele. Uma mulher não precisa ser uma "vagabunda" arquetípica para
ter dificuldade em monogamia de pares.
Então, quantos amantes anteriores são demais? Para uma viúva alfa, um é o suficiente.
É minha opinião que o paradoxo das vagabundas não é tanto um jogo de números quanto
é um jogo de impacto Alpha. E se a sua nova parceira só transou com um
ou meros dois homens antes de você, mas teve um relacionamento intenso com eles e
envolvida em tais experiências sexuais intensas, ela se sente constrangida sobre
o que esta fazendo com você? Ela é uma vagabunda?
Quando se trata de examinar mulheres para uma decisão de monogamia de longo prazo,
a maioria dos homens se enquadra em dois campos; os caras que levam esse processo para grandes
extremos imaginados, egoístas, e os homens que dificilmente se darão
permissão para considerar julgar o caráter de qualquer mulher quanto à adequação para ser
sua esposa ou namorada que mora com ele.
Algumas advertências precisam ser abordadas aqui; o primeiro é para os homens entenderem
os riscos envolvidos no casamento desde o início. Nesta era não há
vantagens apreciáveis para os homens se casarem até mesmo com as mulheres mais ideais. Em
pelo contrário, o casamento é uma proposta perdida para os homens de todas as perspectivas.
Legal, financeira, social e evolutivamente, o casamento representa uma perspectiva secundária.
A primeira conversa que você deve ter consigo mesmo é se vale a pena ou não
ter e criar filhos que vale quase toda essa proposta de risco. Está

também é importante para os homens entenderem que mesmo nas melhores circunstâncias
ele sempre corre o risco de ter seus filhos e sua influência como pai removidos
a qualquer momento.
Comecei esta seção, e realmente o objetivo deste livro, com a intenção de
educar os homens sobre as realidades modernas que farão seu papel como um pai pílula vermelha.
Nenhuma decisão afetará sua vida mais do que aquela que você
faz para determinar quem será a mãe de seus filhos. Muito poucos
caras vêem uma garota gostosa em um clube e pensam ‘uau, aposto que ela seria uma ótima mãe’.
Sua preocupação é a mais imediata; o de conseguir o encontro e
experimentar sexo com ela.
No entanto, é exatamente por isso que a maioria dos homens, mais comumente, tem essa decisão
feita para eles, sem nenhuma visão real de como uma mulher pode ser ótima ou
ter perspectiva horrível para gerar filhos. A gravidez foi
"Acidental" ou talvez o resultado do sexo artificial que você fez depois de
ter determinado a deixá-la porque ela tinha uma perspectiva tão terrível. A partir disso
escrever a taxa de todos os nascimentos de mulheres solteiras é de 40,2%.
Coloque essa estatística em perspectiva. A grande maioria desses nascimentos solteiros é
devido mais à forma como os homens e mulheres priorizam seus hábitos de acasalamento de acordo
com
os ditames da hipergamia, não tendo relacionamentos de longo prazo como previstos. Como um
resultado, temos 4 em cada 10 crianças sem pai ou uma
influência daquele pai na vida da criança. As consequências de uma ordem social primária feminina e
sua priorização da otimização da hipergamia podem
ficar muito complexas.
Mas, como mencionei, a maioria dos homens segue alguns casos mais ou menos extremos
de atitudes em relação ao exame das mulheres. O primeiro é o cara que
leva a si mesmo e esta decisão tão a sério que entra em conflito com sua verdadeira
autoestima e valor de mercado sexual. O cara com essa auto-impressão é
fácil de detectar porque suas qualificações para mulheres são mais como exigências
que ele realmente não merece e não pode impor. Esse geralmente é o cara
que, como a maioria das mulheres, mantém uma lista de verificação mental das características
adequadas
que precisa que sua mulher tenha - uma lista que ele sempre está feliz em recitar
qualquer um que escute na esperança de que a mulher certa escute também
e avançar para sua consideração. Devo acrescentar que esse cara geralmente recebe
às noções e justificativas espirituais.
O outro cara é muito mais comum. Este é o devidamente treinado e
Blue Pill Beta condicionado, que nunca sonharia em presumir que seu valor próprio mereceria ser
seletivo com uma mulher. O medo dele é ser
pensado como "julgador" e isso é muito paralelo ao seu Beta
Jogo de tentar se identificar o máximo possível com o feminino.
Este homem nunca se dá permissão para examinar uma mulher e segue junto
com a maioria das convenções sociais femininas pré-estabelecidas que iriam
envergonhar um homem por ser tão ousado a ponto de acreditar que uma mulher deve fazer
ela própria adequada para qualquer homem. Para nossos propósitos, acho que a perspectiva Beta
de vetar mulheres é provavelmente o que os homens mais comuns terão de enfrentar.
Se as crianças são sua prioridade, e você quer estar ciente da melhor pílula vermelha de
influência positivamente masculina que você pode esperar ser para eles, é de vital
importância que você vete fria e dissociativamente qualquer mulher que você acredita que possa
ser candidata a ser mãe de seus filhos. Como eu disse, a maioria dos homens nunca
fazem isso e caem na armadilha de permitir que as coisas aconteçam em vez de
projetá-las para acontecer. Uma grande parte desse design é entender que
seus riscos como pai e marido (se você decidir ser um) são extremamente grandes. Tão bom que você
deve examinar as mulheres quanto à sua aptidão.
O primeiro passo nesta verificação é desaprender a ideia de que está errado ou
crítico para você fazer isso. Esta é uma mentalidade condicionada da Blue Pill que esta
em vigor com o único propósito de beneficiar as mulheres na consolidação de suas
estratégias sexuais a longo prazo e às custas do investimento parental dos homens a longo prazo
investimento parenta. Se é errado para um homem examinar ou julgar o caráter e o valor de uma
mulher, isso
coloca as mulheres como as únicas árbitras do que uma mãe aceitável, "boa"
deve ser para um homem. Como um homem positivamente masculino e consciente da pílula
vermelha, é
sua prerrogativa de vetar mulheres para adequação a longo prazo.

Prática de parentalidade com pílula vermelha


Um dos meus leitores mais prolíficos deixou-me este comentário sobre a paternidade:
Ser pai não é tão bom de muitas maneiras atualmente. Na melhor das hipóteses, é principalmente
ingratidão, mas para a maioria dos homens, eles estão criando uma cultura que denigre
a eles, ri deles e faz santos das mães e maternidade. Se vocês
acham que isso não afetará a forma como seus filhos vêem você como um pai, você não esta
aplicando sua consciência da pílula vermelha.
Eu costumava pegar o trem de ida e volta para a cidade - saindo de minha casa às 6:30
pela manhã e voltando às 7h30 ou mais tarde, perguntando se minha filha
Alguma vez perceberia tudo que eu sacrifiquei para prover para ela e sua mãe? Eu iria
me perguntar se ela algum dia entenderia que eu sacrifiquei estar tão perto dela quanto a
mãe é para ela para seu bem-estar? Que sua proximidade com sua mãe como um
resultado de ter uma dona de casa até os 5 anos foi uma consequência de
meus esforços, não os da mãe dela?
Adivinhe - ninguém quer ouvir. Ninguém dá a mínima para o que você se sacrifica e faz para ser um
bom pai e provedor - é tudo sobre a mamãe. É tudo
sobre as crianças. Os papais são, na melhor das hipóteses, vistos como segundas mães na maioria do
Tempo. E mesmo quando estamos "no comando", podemos ser dispensados como
supérfluo de inúmeras maneiras.
Muitos homens se adaptam tornando-se segundas mães e esposas na casa -
e toda a cultura incentiva isso. Tente ser um homem tradicional em
noite de pais e professores ou na pré-escola ou até mesmo a tropa de escoteiros ...
A paternidade e a família também não são o que eram. Confie em mim, aprenda com
minha experiência. Seus filhos provavelmente não vão apreciar tudo o que você fez a
eles.
Assim como os homens assinam dois conjuntos de livros - antigos e novos conjuntos de regras sociais
que contradizem o outro - acho que nossas ideias de casamento se enquadram nesta mesma
contradição. Quando o casamento era um contrato social e não tanto legal

envolvendo o estado, o antigo conjunto de livros aplicava-se bem a essa instituição.


Este velho conjunto de regras sobre o casamento e o que os homens podem esperar dessa
instituição amplamente reforçada socialmente funcionou bem e de forma complementar
ao paradigma. Desde os dias de Little House on the Prairie até a era do pós-guerra,
o primeiro conjunto de livros funcionou bem no que diz respeito ao casamento e à paternidade.
Após a revolução sexual, o segundo conjunto de livros teve
preeminência. Otimizando a hipergamia e todas as questões sociais e jurídicas
de paradigmas que tornam a base de nossa ordem social atual que assumiram
prioridade. No entanto, tanto os homens quanto, aparentemente, as mulheres ainda se apegam à
velha ordem,
o primeiro conjunto de regras quando se trata do papel do homem como marido e pai,
e, ao mesmo tempo, esperar que ele adote e promova os interesses feminino primário
da nova ordem primária feminina.
Os pais devem seguir os decretos de masculinidade convencional com
no que diz respeito ao seu provisionamento para uma família e obedecer às responsabilidades por
não
agir de acordo com ela, mas também se espera que eles adotem, abracem
e internalizem seu papel popularizado de ser supérfluo, ridículo ou
até mesmo com raiva e abusivamente resistente ao segundo conjunto de regras - aquelas que
priorizam a importância do Imperativo Feminino.
Em outras palavras, a expectativa é que um homem encontre a felicidade em seu
papel sacrificial de provedor, ser feliz em sua falta de apreço por isso, e
feliz por ter a "aldeia" da sociedade criando seus filhos para a próxima safra de
homens adultos confusos e frustrados enquanto ele faz isso. Ele deveria ser feliz em
sua presença sendo desvalorizada, mas responsabilizada pela falta de
presença que seus sacrifícios exigem.
Ah, e ele também deve sentir uma sensação de orgulho presunçoso quando vê outro
homem sendo exposto ao ridículo pela mesma falta de sua presença supérflua em sua
vida familiar.
‘Aldeia’ dos Amaldiçoados
Tenho certeza de que tudo isso soa como uma ponte longe demais para a maioria dos homens. Sim a
perspectiva de se tornar pai é deprimente, e posso ver como essas verdades
deixariam o homem comum desanimado por se tornar um novo pai.

No entanto, sinto que é minha responsabilidade ser honesto com os homens sobre
contra o que eles estão lutando antes de eu defender ser um pai consciente da pílula vermelha.
Você nunca será apreciado por seus sacrifícios, e certamente não enquanto
você os está fazendo. No entanto, sua presença é tão supérflua quanto você
permitir que seja. Embora você nunca seja apreciado por isso em qualquer sentido de medida
mensurável, você será responsável por isso, então meu conselho é aproveitar ao máximo em um
Respeito da pílula vermelha.
Sua recompensa, sua motivação, por ser um pai ou mãe da pílula vermelha
e exemplo masculino na vida de seus filhos precisa vir de dentro de você
porque nunca será recompensado por uma ordem social primária feminina
fora de você.
Se você acha que nunca vai achar ser um pai intrinsecamente gratificante,
faça uma vasectomia agora, porque nunca será extrinsecamente gratificante.
Entenda agora, o Imperativo Feminino quer que você desanime
sobre sua função.
Entenda isso também, sua presença, sua influência, serão tão valiosas
ou tão apreciado quanto você está disposto a fazer para si mesmo. Assim como com
tornando-se seu ponto mental de origem, sua influência consciente da pílula vermelha
na vida de seus filhos precisa ser importante para você primeiro porque nunca será
apreciado em seu tempo, e de fato terá a resistência de um mundo saturado de
primazia feminina.
Ser mãe e dar à luz uma criança é uma posição constantemente elogiada hoje.
Por ser mãe, as mulheres são recompensadas e respeitadas na sociedade.
Os homens, por outro lado, devem adicionar a paternidade ao seu fardo de
desempenho apenas para evitar o padrão da sociedade de ser demonizado.
O Imperativo Feminino quer que você desista e permita que a "aldeia"
crie seus filhos e filhas para perpetuar o ciclo do segundo conjunto de
regras. Quer que você se sinta supérfluo; o imperativo feminino
a manutenção depende de você se sentir inútil. A razão pela qual os homens cometem
suicídio em cinco vezes a taxa de mulheres é devido em parte a este sentido preparado
de inutilidade masculina cultivada pelo Imperativo Feminino.

Em Medicina Preventiva, detalho parte do nosso condicionamento presente feminino primário


e como o imperativo cria os meninos para serem Betas e as meninas para serem
caricaturas da narrativa Strong Independent Women®. Tudo isso começa
em uma idade muito precoce. A primeira e mais primária verdade que você precisa aceitar como um
pai é que se você não ensinar a seus filhos as verdades da pílula vermelha, há um
todo o mundo ocidental (izing) que já está estabelecido para criá-los em sua
ausência.
‘The Village’ vai criar seus filhos se você não fizer isso. Você será resistido, você vai
ser ridicularizado, você será acusado de todos os crimes de pensamento imagináveis para o
ponto de ser arrastado para a prisão por transmitir a consciência da pílula vermelha para
eles (no futuro, espero que seja equiparado ao abuso infantil). A Vila
vai ensinar seus meninos desde as idades mais impressionáveis (5 anos) até
detestar sua masculinidade, sentir vergonha por ser menos "perfeito" do que as meninas e
querem refazer sua identidade de gênero mais como meninas - a ponto de
a transição de seu gênero para feminino será a norma.
The Village vai criar suas filhas para perpetuar o mesmo ciclo que
desvaloriza a masculinidade convencional, o mesmo ciclo que considera a presença masculina
como supérflua e seus sacrifícios como expectativas garantidas. Suas filhas serão criadas para
inflar excessivamente seu senso de valor com confiança imerecida. Isso vai ensiná-los a abraçar
abertamente
Hipergamia como sua maior autoridade pessoal (pública e privada) e
desrespeitar qualquer coisa que se pareça com masculinidade como algo mais do que algum
anacronismo bobo, ou revertê-lo para ser tudo sobre as inseguranças dos homens.
A boa notícia é que, para todos esses esforços em engenharia social,
o imperativo feminino ainda é confundido pela biologia rudimentar e nossa
evolução de firmware psicológico. Essa realidade básica é a sua maior
vantagem como pai. Se houver uma verdade subjacente na qual se basear
sua paternidade é isso; as crianças ainda são motivadas por influências que são
relativamente previsíveis. Comece da verdade fundamental de que desenvolvemos nossa
psicologia e nossos comportamentos de complementaridade intergênero que nos fez as espécies mais
proeminentes neste planeta. É preciso uma aldeia global para distorcer
isso ensinando noções falhadas de igualismo igualitário.

Criando Meninos
Muitas vezes me perguntam quando acredito que o melhor momento seria apresentar um menino a
a pílula vermelha. Muitos rapazes com filhos adolescentes querem entregar-lhes uma cópia do
O Homem Racional antes de completar 18 anos, ou talvez quando tiverem 15, alguns
até mesmo 12 é realmente um bom momento. Embora seja lisonjeiro para mim ouvir homens
que diga-me como eles deram a seus filhos adolescentes uma cópia do meu livro, eu tenho que
pensar
que é tarde demais.
Eu fui pai de uma filha adolescente por um tempo agora e nos meus 20 anos eu
era um mentor (figura de irmão mais velho) de um jovem que vi crescer de um
menino de dez anos para um homem de trinta e poucos anos hoje. Uma coisa que aprendi com
lidar com crianças como eu fiz é que as condições imperativas femininas
começam nas crianças a partir do momento em que entendem o que está passando na TV ou no
um filme. Quando essa criança tem dez anos, ela já tem a ideologia
de condicionamento que veio de uma década de memes e mensagens ensinadas a
eles por escolas, Disney, Nickelodeon, música popular, feminino-primário
paternidade dos pais de seus amigos, até mesmo de seus próprios membros de família.
Quando essa criança tem dez anos, eles já internalizaram os estereótipos e
condicionamento social da Pílula Azul e eles vão começar a papaguear estes
memes e comportamento e "crença" de acordo com esse condicionamento.
Quando eles estão na "pré-adolescência" e começam a interagir socialmente com
o sexo oposto, o condicionamento primário feminino da Pílula Azul será
evidente para qualquer homem com uma perspectiva da pílula vermelha para ouvir e ver. Você vai
ver
a 'fala' de seu condicionamento da Pílula Azul mais fortemente porque eles
prontamente exageram como uma forma dedutiva, embora adolescente, de Jogo.
Homens conscientes da pílula vermelha também devem considerar que em apenas cinco anos, cerca
de dez
meninos de um ano tem que desenvolver a capacidade de pensamento abstrato. Ele já está
aprendendo os termos da Blue Pill e moldando sua identidade em torno das ideias que ele tem
pego no Village. Essa ideologia internalizada da Pílula Azul parecerá
natural e lógico para eles, embora eles não pudessem dizer como eles
chegaram às suas crenças formativas. E a Vila vai reforçar essa
aceitação, parabenizando-o por ser mais ‘maduro’ do que seus colegas.

O momento de começar a exemplificar a consciência da pílula vermelha na capacidade dos pais é


antes mesmo de você ter filhos. Como eu detalhei no início aqui, um
Jogo internalizado que resulta de forte consciência da pílula vermelha e um
controle de Frame positivo e dominante é fundamental antes mesmo de você considerar
monogamia. Esse quadro se torna a base para sua paternidade quando
seus filhos vêm junto.
Eu percebo que isso não é exatamente útil para os homens que passaram a conhecer a pílula
vermelha
depois que seus filhos eram adolescentes, mas isso precisa ser abordado para os homens
considerando se tornar um pai. Idealmente, você deseja transmitir a mesma
Conscientização da pílula vermelha durante os anos de formação de um menino. As crianças não têm
a
capacidade de pensamento abstrato até que seus cérebros se formem totalmente e eles aprendem
da experiência para desenvolvê-lo. Os 5 anos é a época em que as crianças estão mais
impressionáveis e aprendem mais, mas o fazem observando o comportamento. Assim,
é imperativo para um pai da pílula vermelha demonstrar positivo, convencional
masculinidade durante esses anos.
Inclua seu filho exclusivamente no Espaço Masculino, onde somente homens (e meninos) tem
permissão para participar. Mesmo que tudo o que ele faça seja sentar e jogar, é importante para
para entender o tribalismo exclusivamente masculino (detalhado posteriormente). Eventualmente,
como ele
envelhecer, ele se sentirá mais parte desse coletivo. Em um feminino primário
mundo que está inclinado a sua desvalorização como homem, é importante para ele
sentir-se valorizado no espaço masculino e instituir seus próprios espaços masculinos à medida que
consegue
ao envelhecer.
Dentro deste espaço masculino, seu filho precisa aprender sobre seu eventual fardo de
desempenho. Eu também aconselharia você a instituir algum tipo de rito de passagem para
ele de menino para homem. Este rito de passagem precisa ser
algo exclusivamente masculino para o qual apenas meninos são qualificados. Deveria
também ser algo que é conquistado e meritório de recompensas e respeito únicos, masculinos
exclusivos, bem como responsabilidades.
Deve haver um ponto de delimitação em que sua masculinidade seja marcada. isto
é importante porque não só o ensina a valorizar sua masculinidade, mas
também aceitar as responsabilidades de seu fardo de desempenho.

A maioria dos homens Beta são condicionados à aversão ao gênero disfarçada de


igualismo igualitário normativo. Assim, eles se tornam desconfortáveis até
chamando-se de 'homens', então quanto mais cedo uma criança entender isso, melhor ele
está em aceitar sua masculinidade. O Imperativo Feminino está muito pronto para
ensina-lo que sua masculinidade é uma máscara que ele usa; algo que ele veste e não
o 'real' dele para esconder suas supostas inseguranças apenas por ser homem. Seu
filho precisa rejeitar sem remorso essa noção de que sua masculinidade é um
Ato.
Ele precisa aprender que homens e mulheres são diferentes e só merecem
conquistar respeito, não um respeito padrão simplesmente concedido ao sexo feminino.
Eventualmente, ele precisa aprender a aceitar seu próprio domínio e maestria em um
mundo que vai dizer a ele seu sexo e masculinidade convencional e construtiva
é um flagelo "tóxico" para a sociedade.
A sua presença na vida dele é uma necessidade absoluta se você quiser impedir os
esforços de ginocentrismo. Como tal, é importante que você faça coisas com
seu filho. Mesmo que seja algo em que você não tenha interesse, sendo o Homem,
seu modelo de masculinidade é de vital importância e para transmitir isso a ele e você
precisa ter um propósito mútuo. Como já escrevi antes, as mulheres falam, os homens falam.
Os homens se reúnem socialmente com um propósito, uma ação, um hobby, um esporte, um
esforço criativo, um problema para resolver, etc. e então eles se comunicam
enquanto trabalhamos para esse propósito.
Seu filho deve aprender isso desde muito cedo, especialmente quando é provável
a ser forçado a estruturas sociais primárias femininas e condicionado a
comunicar-se como as meninas fazem na escola e também na mídia popular. Um das
tragédias de nossa época é uma geração de professores homens e mulheres Blue Pill
criando seus filhos para adotar preferências de comunicação primária feminina
porque eles próprios não tinham experiência com masculinidade convencional.
Eles não podem ensinar o que não entendem.
Nossos sistemas modernos de ensino e aprendizagem tornaram-se altamente específicos ao gênero, a
tal ponto que a única forma "correta" de aprendizagem são as formas
que encorajam a aprendizagem primária feminina. A menos que você faça escola em casa ou pague
para o ensino particular, seu filho aprenderá esta "correção" feminina na
escola. Saiba que você terá que dobrar sua vontade como pai para contrabalançar
essa influência ensinando-o de maneiras específicas para os homens.

Demonstrar, não explicar, é a verdade no trato com mulheres, mas também é


um imperativo da parentalidade Red Pill. Seu filho (e filha) precisa ver
a deferência de sua mãe à sua Estrutura dominante e autoridade benéfica.
Ele precisa entender em um nível rudimentar que sua mãe responde a
seu quadro masculino positivo. Novamente, isso é fundamental, pois seus filhos
verá uma narrativa diferente sendo exibida na cultura popular e em sua
escolaridade.
Exemplifique para ele como um homem se apresenta, como um homem reage a uma
ameaça,
como um homem comanda um cachorro, como um homem interage e ajuda outros
homens que ele valoriza, e como ele evita situações que ele não faz.
Não cometa o erro de pensar que você vai começar a ensiná-lo a consciência Red Pill
quando ele tem idade suficiente para entendê-lo. Então é tarde demais, seu
condicionamento o torna resistente a isso e acha que seu jogo beta é mais
apropriado.
Seu filho seguirá seu exemplo, mas isso deve começar desde o primeiro dia, não aos 12 anos.
Eu tenho um bom amigo agora, cujo filho de 16 anos está literalmente seguindo o
mesmo caminho de seu pai Beta. Seu filho foi morar com sua ex-esposa afastada
porque ele estaria mais perto de sua namorada ONEitis. Agora sua namorada foi embora
ele e ele está preso vivendo com sua mãe neurótica.
As consequências de uma mentalidade condicionada pela Blue Pill também começam cedo. Eu tenho
visto meninos de dez anos desanimados por não terem namorada. Eu tenho
aconselhado uma garota cujo ex-namorado adolescente esfaqueou e matou seu novo
namorado 32 vezes porque ela era sua alma gêmea. Eles são vítimas do
mito da alma gêmea porque são ensinados a ser predispostos a isso.
À medida que seu filho entra na adolescência, essa conexão que você começou nos
anos de formação devem fortalecer. Você pode começar a apresentá-lo a
Conscientização da pílula vermelha, mas com toda probabilidade você o notará usando sua própria
lente da pílula vermelha, quando se trata de lidar não apenas com as garotas de que gosta, mas com
sua irmã
sua mãe e a namorada que gostaria de ser sua namorada. Tenha certeza
você o elogia por isso. Sua compreensão dos fundamentos do dualismo feminino

na estratégia sexual, hipergamia e como isso será usado contra ele no


futuro é algo imperativo que ele aprenderá mais tarde.
Seus anos de jovem adulto são o momento de reforçar essa sensibilidade da pílula vermelha e
capitalizar em sua própria consciência, a consciência que você plantou em sua formação
durante anos, ao apresentá-lo às ideias da Red Pill que ele não conhecia. Sem rodeios,
abertamente, declarar as verdades da pílula vermelha em sua adolescência pode fazer sentido para
você, mas arrancando pedaços de suas próprias observações sobre a pílula vermelha, elogiando-o por
e expandi-los em sua adolescência provavelmente será recebido
melhor e mais naturalmente. A consciência da pílula vermelha deve vir a ele como um
produto de sua própria curiosidade e ligando os pontos que você colocou na frente dele
durante seus anos de formação.
Uma coisa que eu sei sobre meninos e meninas adolescentes é que se você tentar dizer a eles
algo profundo eles reviram os olhos e te chutam, mas se você esperar
para o momento certo para deixá-los chegar àquilo que você deseja que eles aprendam
por conta própria, então eles são receptivos a isso. Sua demonstração
de consciência da pílula vermelha não para quando eles são adolescentes. Por tanto quanto você
ficaria animado
para compartilhar as verdades da pílula vermelha e a melhor forma de aplicá-las ao seu filho,
entenda que ele estará sujeito a cometer os mesmos erros que você cometeu quando
você não estava ciente da natureza das mulheres e como os homens podem evitar o
o pior de tudo.

Criando garotas
Muito do que eu descrevi para a criação de meninos passaria a ser uma
filha, no entanto, existem algumas diferenças de abordagem. Exemplificando um
Ideal da pílula vermelha, e demonstrações de uma moldura positiva e predominantemente masculina
de controle ainda é a prioridade mais alta, mas mais ainda é o comportamento modelado de
a mãe da menina em relação a você e seu reconhecimento de sua Estrutura. E se
sua esposa resiste, ridiculariza ou zomba de seu Frame, se ela fingir aceitação
disso, a desvalorização é a lição sobre a qual sua filha aprenderá
sobre masculinidade. Você deve modelar e moldar suas percepções de masculinidade
enquanto sua esposa modela os aspectos da feminilidade - para melhor ou para pior.
Muito de como você aborda a criação de uma filha pode ser baseado em sua compreensão pílula
vermelha
de como lidar com as mulheres, e com base em muito dos mesmos

fundamentos básicos complementares de gênero. Os mesmos princípios de jogo que você


usaria com mulheres são, na verdade, baseados em conjuntos de comportamentos que as meninas
aprendem e desfrutam enquanto elas estão crescendo. Mastery divertido é um nobre
exemplo disso. A ideia é modelar o tipo de homem que você ficaria feliz
em aceitar em sua própria família como seu marido. Isso então é refletido por
como você interage com um filho.
Você notará que o nível de raiz da hipergamia se manifesta nas meninas em
tenra idade. No livro do Dr. Warren Farrell, Por que os homens são do jeito que são
ele observa que meninas de 7 anos já têm uma definição de (celebridade)
"Meninos que eles gostariam de beijar e os meninos com quem gostariam de se casar." Sem dúvida a
a aculturação das meninas influencia suas preferências, mas o Alpha Fucks e o Beta
arquétipos do Bucks são parte de seu firmware mental. Cultura popular está pronta
para explorar esta natureza e, ao fazê-lo, erotiza as meninas desde muito tenra
idade, mas ainda explora uma natureza vil nas mulheres que é inerente.
Como pai, sua função principal será modelar a segurança do provedor
buscando aspecto da equação hipergâmica. Enquanto esse conforto e
controle é necessário, tende a ser uma armadilha para a maioria dos Betas. O desafio que
os pais beta mais falham é em abraçar e possuir o Alpha / muito necessário
papel dominante que constitui o outro lado dessa equação. Isso não é para
digamos que você assuma diretamente o papel do Alpha Fucks que a hipergamia exige, mas
é para dizer que você adota e possui o domínio Alpha que faz com que
aspecto seja sexy em outros homens.
O desafio é exemplificar o Amused Mastery com sua filha, mas em
de forma que equilibre o domínio e o controle do Alpha com o relacionamento,
segurança e conforto. Em Myth of the Good Guy, defendo que
as mulheres adultas realmente não procuram esse equilíbrio hipergâmico no mesmo homem.
Alfas são para foder, Betas são para dar segurança de longo prazo e homens que pensam
eles que podem incorporar ambos não são procurados diretamente nem realmente críveis.
A raiz dessa separação mental de hipergamosos, homens com propósito específico
pode ser rastreada até a impressão de masculinidade que o pai de uma mulher
definiu para ela em seus anos de formação.
Incline-se muito para o domínio do Alpha e você se tornará o agressor idiota
que dominou a pobre mãe enquanto ela crescia. Incline-se muito para o
Lado beta, permissivo, passivo e feminino do espectro e os futuros

homens da vida dela serão influenciados por você se submeter ao feminino como
autoridade - colocando-a assim na função de criar a segurança que ela
nunca espera que os homens tenham um comando real.
O desafio de criar um menino é modelar e exemplificar o que é o positivo,
papel masculino dominante que você deseja que ele abrace com ousadia, apesar do
o mesmo mundo centrado na mulher contra você. O desafio de criar uma
garota é estar incorporando o homem masculino dominante que você eventualmente terá
orgulho de esperar para o seu genro. Sua filha precisa ser capaz de identificar
aquele cara por reflexo comparando-o ao papel masculino que você definiu para ela.
A maioria dos homens contemporâneos (ou seja, 80% + homens Beta) são muito
desconfortáveis em afirmar domínio com suas filhas por medo de serem
percebidos como misóginos de acordo com sua aculturação centrada no feminino.
O zeitgeist da abordagem desta era para pais cuidando de meninas é como
pisar em ovos em torno de suas princesinhas, ou tratando de sua filha
como se ela fosse um filho. O medo é evitar instilar um esmagamento de sua
independência ou limitar suas oportunidades futuras sendo mais
permissivo com as meninas. A esperança correta de gênero é que, ao fazê-lo, todos
continuarão a ser os futuros médicos e cientistas de que a sociedade precisa, mas que
a permissividade e o mimo não lhes favorecem a longo prazo. Ao
pai igualista de hoje, não há pecado maior do que pensar em suas
filhas, ou qualquer homem pensa em suas próprias filhas, como algo menos
do que entidades co-iguais como meninos.
Se você se sentiu desconfortável experimentando os conceitos da pílula vermelha enquanto
era solteiro, você será ainda mais ao criar uma filha. A maior
impressão importante que você precisa para deixá-la é que homens e mulheres são
diferentes, mas complementares ao outro. Ela precisa saber que sua
dominação masculina é benéfica, protetora e válida tanto para ela quanto para a
mãe dela, e seu domínio pessoal de suas condições e ambiente são
uma ajuda para ela e para a família.
Ela precisa entender que meninas e mulheres são, às vezes, excluídas
de espaços masculinos, principalmente se você também tiver um filho. Na verdade, é uma vantagem
se
você tem um filho para ensinar enquanto cria uma filha, pois ela verá a
educação dele como um modelo para masculinidade positiva

Lições para meu filho


Como muitos dos meus leitores sabem, a Sra. Tomassi criou uma filha para os
últimos 19 anos. Tivemos um filho planejado e, com toda a franqueza, estou
aliviado por ser uma menina. Leve isso como quiser, mas acho que criar uma garota
me permitiu mais insights sobre como as mulheres crescem e amadurecem e se tornam jovens
mulheres, e é através dessa experiência que eu baseei mais de um
algumas das minhas teorias.
Eu tenho um irmão mais novo, então o processo de amadurecimento do crescimento feminino
era algo que eu nunca estive familiarizado até os últimos 19 anos. Eu
supunha que exista a possibilidade de que eu possa, em algum ponto, ser capaz de transmitir minha
sabedoria da pílula vermelha para um futuro neto, certamente filho do meu irmão, e muitos
parentes mais velhos do sexo masculino, no entanto, eu realmente não tenho nenhum
arrependimento desde que tive
mais mensagens privadas e pedidos de consulta dos filhos que nunca tive.
Um dos melhores elogios que recebo dos pais da Red Pill é quando eles enviam e-mails
sobre como eles compraram uma cópia extra de The Rational Male que eles
planejam dar para seus filhos ou algum outro parente do sexo masculino. Nada incentiva
para que eu continue escrevendo do que as histórias que recebo como essa.
Então, foi com algum orgulho admitido que me deparei com uma postagem no
Fórum da pílula vermelha do Reddit detalhando as lições que um pai da pílula vermelha esperava
transmitir aos seus
filhos que nasceriam em breve. Esse cara havia chegado à consciência da pílula vermelha tarde na
vida.
Existe um desejo definitivo na manosfera de ajudar outros homens, e
particularmente as próximas gerações de jovens, para despertá-los para o que
evitar e a melhor forma de proceder na conscientização da pílula vermelha. A maioria destes
conselhos de pai dos homens consistia em: "Eu não me importo com quem você faz, apenas não faça
sob meu teto. ” Ou isso ou eles foram criados com o idealismo da Pílula Azul
e presunções equivocadas de igualismo de sua completamente feminizada
Do pai
Portanto, não é surpresa que os homens de Red Pill de hoje encontrem uma das
coisas mais importantes que podem fazer é preparar seus próprios filhos para a maturidade.
A seguir está uma lista coletada das sugestões dos homens da Red Pill quanto a
quando (às vezes como) é melhor apresentar a um filho os conceitos da pílula vermelha.

1. (13 ou mais) Não Exclusividade


Faça o que fizer, não se contente com uma garota (oníte) até muito mais tarde na vida.
Jogue o campo, gire pratos, namore muitas garotas. Esta é a única maneira de você ser
capaz de separar o joio do trigo e perceber o que você realmente quer
em um relacionamento LTR no futuro, se / quando você quiser uma família.
2. (13+) Fisicalidade e caráter alfa
Suas características físicas são importantes (aparência, tipo de corpo, etc.) ... Um alfa
atitude é mais importante.
3. (13+) Não Persiga
Separe-se. Deixe as meninas virem até você. Se você perseguir, faça-o em um
maneira cuidadosamente calculada: Persiga e recue. Empurre e Puxe.
4. (13+) O valor da ambiguidade
Mantenha-a constantemente adivinhando. Sempre insinue que você tem opções.
5. (13+) Diga menos do que o necessário - Evite buffers sociais
Mensagens de texto, telefonemas, etc ... Seja disciplinado em sua resposta. Use o 1-3
proporção em responder às suas mensagens de texto, telefonemas. Dê a ela um pequeno texto
resposta / conversa telefônica para cada três que ela lhe dá.
6. (13+) As meninas são um complemento para sua vida, não o foco dela
Defina sua missão e persiga-a (não as meninas) com paixão. É certo que este
será indefinido e em fluxo para um adolescente, mas seja esportes,
estudos, atividades extracurriculares, faça disso sua primeira prioridade.
7. (13+) negócios maiores e melhores
Desenvolver uma compreensão apurada da natureza psicológica / biológica de
mulheres ... Entenda como as meninas pensam. Elas estão sempre procurando por atualização.
Se você não é sempre o "melhor na exibição", elas vão te enganar para encontrar
alguém que é.
8. (13+) Os caras legais terminam em último.
Há uma razão pela qual todas as meninas gostam do menino que as provoca. Você não tem
que ser um 'idiota', mas você precisa aproveitar a energia do idiota.

9. (17+) A simpatia nunca fará com que você transe


Se for um amigo que ela vê, essa será sua impressão duradoura sobre você. Mesmo se
mais tarde na vida você acha que ela finalmente achou você atraente,
a impressão dela de sua personalidade será a do Beta que ela rejeitou
inicialmente.
10. (17+) Estrutura de estabelecimento - Seja um líder em todos os relacionamentos
Se você estiver em um encontro, certifique-se de fazer algo que deseja fazer.
Ela pode vir junto.
11. (17+) Rejeição é melhor do que arrependimento
É melhor ter tentado algo grande, ter desafiado as probabilidades,
ter abordado aquela garota, do que viver com o arrependimento de nunca ter
tentado isso.
12. (17+) testes de merda
Entenda os testes de merda e aprenda a dominá-los. Garotas sempre estão
qualificando você para ter certeza de que possui a mentalidade Alpha que ela deseja. Se você
começou ja passando por um monte de testes de merda, reavalie sua estrutura - você provavelmente
esta parecendo muito carente.
13. (17+) Conheça o encanamento
Compreenda a fisiologia feminina e como levar uma mulher ao orgasmo.
14. (17+) Entenda o Jogo Longo
O valor de mercado sexual das meninas atingirá o pico por volta de 22-24. O masculino não atinge o
pico até
seus primeiros 30 anos. Não desanime com as rejeições dela agora, em 8-10
anos será você quem esta rejeitando. Lembre-se de como ela era durante
nesta fase da vida dela, vai te dar um maior discernimento das mulheres quando
você está fazendo a escolha mais tarde na vida.
15. (17+) Homens e mulheres têm conceitos diferentes de amor
Não acredite na mentira de que homens e mulheres compartilham mutuamente um idealismo
conceito de amor por amor. As meninas vão te amar, mas só
oportunisticamente. Se você demonstrar um valor inferior, o amor delas por você vai
evaporar.

16. (17+) Vulnerabilidade NÃO é força


Seu personagem deve ser Alfa a ponto das mulheres no geral estimar por isto. Mostre seus traços
Beta com moderação e tenha extremo cuidado
quando parecer assim. As meninas vão querer ver que você é estóico, autossuficiente e
confiante. Se você quer um ombro para chorar, compre um cachorro. Use o conforto beta
apenas como uma recompensa por bom comportamento.
17. (17+) O meio é a mensagem
As mulheres não enviam “mensagens confusas” aos homens, o seu comportamento é a sua
mensagem.
A única maneira prática de julgar a motivação e a intenção é observar
comportamentos das mulheres. Acredite no que eles fazem, não no que dizem.
18. (17+) Sorria menos, sorria mais
Amabilidade, virtude, generosidade e gentileza tornam o homem nobre de
caráter, mas nunca são traços ou comportamentos que as mulheres consideram estimulantes.
19. (17+) Charme é tratar as mulheres como meninas
Provoque implacavelmente. As mulheres encontram conforto em homens que controlam
seu quadro e de que não têm medo de tratar as mulheres como seus irmãos mais velhos
faziam quando eram crianças.
20. (17+) Experimente com o jogo
Aprenda qual estilo de jogo funciona melhor para você: você é extrovertido
Tipo “engraçado arrogante”? Você é o introvertido "tipo de maestria indiferente e divertido?"
Você é o tipo idiota?
21. (13 anos ou mais) Fique longe de pornografia online
Aprenda os perigos da gratificação instantânea. Perceba que a construção da
testosterona é o que dá a você sua energia masculina. Não se masturbe como uma
muleta para evitar interações significativas com mulheres reais. Aquele cara que senta
em seu porão masturbando em pornografia online o dia todo? As mulheres sentem repulsa por ele
porque sua energia masculina está esgotada e ele não aprendeu a se concentrar
essa energia em mulheres reais.
Como adolescente, você será consumido por pensamentos sexuais. Controle o sua
energia masculina para que possa ser aproveitada externamente em vez de internamente
no reino da fantasia.

22. (15+) O maior risco que você pode correr é nenhum risco
O grande medo dos homens não deve ser mirar muito alto e falhar, mas sim
mirando muito baixo e ter sucesso. Isso se aplica a todos os aspectos da vida.
23. (17+) Nunca se desculpe por sua natureza sexual
Abrace o fato de que os homens têm um grande apetite sexual. Nunca tenha vergonha
disso e aprecie plenamente sua sexualidade masculina.
24. (17+) Mudança ovulatória - a menstruação é sua amiga
Compreender os comportamentos e funções evoluídas do
ciclo menstrual da mulher e o que isso significa para eles e, mais importante para você (por exemplo,
o
Alfa durante a ovulação, crie algum relacionamento durante seu ciclo de baixa.)
25. (17+) Aprenda o processo cognitivo da excitação feminina
Entenda que, para mulheres, a excitação sexual geralmente ocorre no
cérebro e que estão menos estimulados visualmente do que você. A subcomunicação dos homens e o
impacto emocional (bom ou ruim) são aspectos vitais da
excitação feminina.
26. (17+) Esteja ciente da relação SMV
Certifique-se de que sua classificação no mercado sexual esteja pelo menos 1-2 pontos acima dela em
todas as vezes. Isso pode ser feito com atitude, preparo físico,
paixão da sua vida ou alguma combinação das opções acima. Nunca fique em dívida com a ideia de
'Ligas', mas entenda como SMV afeta o apego das mulheres a você.
27. (17+) A prática traz confiança
Aproxime-se e abra com frequência. Quanto mais garotas você fala, mais você vai refinar
seu estilo específico e o que funciona para você. O sucesso do seu jogo é diretamente
proporcional à sua prática.
28. (13+) Você não pode negociar o desejo genuíno
Não pense em fazer coisas boas para as meninas (dar-lhes flores, presentes,
carregar seus livros, etc.) fará com que gostem mais de você. Não vai. Mulheres
não se apaixonaram racionalmente por você porque você fornece algum material
de valor. Obrigação não é desejo.
29. (13+) A adolescência é uma merda
Você provavelmente ficará cheio de inseguranças, será autoconsciente,

pensar que você parece um idiota, você dirá coisas estúpidas para as meninas e depois ficará
obcecado
sobre isso. É apenas temporário ... Você está aprendendo e praticando as habilidades para
ser um homem e haverá falhas e erros. Sempre lembrar que
todos os seus colegas estão passando pela mesma coisa, mas você tem
o benefício de um pai Red Pill.
30. (17+) A vida é um risco
Ultrapasse os limites, assuma riscos e seja emocionante ... Mesmo quando você está cagado com
medo. Não há nada mais sexy para uma mulher do que um homem que não tem medo de
abraçar desafios.
31. (15+) Respeito é conquistado, mas respeito é tudo com as mulheres
No minuto em que uma garota desrespeita, você a questiona. E se ela continuar a
desrespeito você pula para a "próxima" dela imediatamente, não importa o quão emocionalmente
difícil
isto é. Isso é absolutamente crítico para construir seu auto-respeito / autoconfiança de longo prazo.
Reconhecidamente, esta não é uma lista exaustiva, mas é um começo acionável.
Se você não pode ensinar ao seu filho masculinidade positiva com uma pílula vermelha
de perspectiva, tenha certeza, o Imperativo Feminino e um mundo centrado nas mulheres
irá ensiná-lo sua versão de masculinidade. Esta é uma versão que irá
convencê-lo de qualquer aspecto da masculinidade que não beneficie diretamente o
o imperativo feminino é a masculinidade “tóxica”. Isso vai ensiná-lo que qualquer
definição de masculinidade que é um benefício para si mesmo ou coloca seus interesses
acima do feminino é um prejuízo para a sociedade.
O condicionamento da pílula azul vai ensiná-lo a desprezar ser homem e zombar
da masculinidade convencional como um ato, uma fachada, que esconde as verdadeiras inseguranças
do homem. Que a ideologia igualitária promoveu essa noção
para os meninos mais novos não é realmente um problema - o próprio fato de que ocidente (izing)
e seus sistemas educacionais optaram por métodos de aprendizagem que favorecem uma base
feminina correta é algo que mesmo acadêmicos liberais têm dificuldade em argumentar
contra. O que está em questão é por que e como isso foi pacificado, feminilizado e
a ideia feminina correta de masculinidade deve ser validada como o real,
genuína, definição de masculinidade em meninos.

Em nenhum momento da história foi mais vantajoso ser mulher em


culturas ocidentais. A autora Hannah Rosin reconheceu o avanço da
mulheres às custas dos homens em seu livro The End of Men, já em
2010. Eu adiciono isso aqui porque descreve o grau em que a sociedade
optou pela melhoria de meninas e mulheres, enquanto simultaneamente
afirmando a ideia de que homens e meninos devem se tornar mais femininos desde
o tempo da revolução sexual.
Desde então, tem havido um esforço em engenharia social não apenas para
feminizar meninos e homens, mas fundamentalmente, e com fluidez, redefinir
Masculinidade "genuína" como uma ideologia feminina correta. Ostensivamente,
igualitarismo tem sido sobre neutralidade de gênero; um nivelamento do jogo
de campo que ignora os inconvenientes da natureza humana e da biologia evoluída
e psicologia. A verdade é que o Imperativo Feminino usa a capa
da história de igualitarismo enquanto tenta castrar masculinidade convencional por
definindo qualquer coisa inconveniente sobre a natureza masculina como “tóxica”.
É mera coincidência que os homens tenham sido encorajados a "entrar em contato com
seu lado feminino ”, para identificar mais como, e como, mulheres? Para alterar suas
formas de comunicação para acomodar mais as mulheres e redefinir
masculinidade convencional como “tóxica” enquanto reforça uma nova definição feminina correta de
masculinidade para os homens?
É coincidência que 90% de todas as crianças transexuais sejam meninos sendo
encorajados e afirmados por seus pais e professores para passar a ser
meninas? E tudo isso é coincidência em uma época em que a condição social é
uma que oferece benefícios e direitos para meninas; um em que professores
presumem um viés feminino correto em seus métodos de ensino? Isso é claro
que é tudo especulativo, mas estas são observações inquestionáveis sobre a nossa
ordem social primária feminina. Eu acredito que os homens da Red Pill de hoje irão
estar na posição perfeita para explorar isso, ou para informar as próximas gerações de
homens como explorar essa mudança por si próprios.
Atualmente, os meninos abandonam a escola, são diagnosticados como emocionalmente
perturbados,
e suicidam-se quatro vezes mais que as meninas. Eles brigam duas vezes
tão frequentemente, assassinam dez vezes mais frequentemente e são quinze vezes mais prováveis
de serem vítimas de um crime violento. Os meninos são diagnosticados com
Transtorno de déficit de atenção seis vezes maior que as meninas, os meninos têm notas mais baixas
em

testes padronizados de leitura e escrita, e têm classificação de classe inferior e


menos homenagens do que meninas.
Nas universidades, as mulheres agora constituem a maioria dos alunos, tendo
ultrapassando os homens em 1982. Nos próximos oito anos, as mulheres deverão ganhar
quase 60% dos diplomas de bacharelado em faculdades dos EUA. Mulheres agora superam em
número
homens nas ciências sociais e comportamentais em cerca de 3 para 1, e elas têm
mudado-se para campos tradicionalmente masculinos como engenharia (perfazendo 20
por cento de todos os alunos) e biologia e negócios.
As escolas primárias têm sido "anti-menino" há várias décadas,
enfatizando a leitura, estilos de aprendizagem femininos comunicativos e
restringindo os movimentos de meninos. Elas feminizam os meninos, forçando
meninos ativos, saudáveis e naturalmente indisciplinados para se conformarem a um regime de
obediência feminina correta e patologizar o que é simplesmente normal para
Rapazes. Como argumenta o psicólogo Michael Gurian em The Wonder of Boys,
apesar da testosterona subindo por seus membros, exigimos que os meninos
sentem-se quietos, levante as mãos e tire cochilos. Estamos passando a mensagem a eles, ele
diz que “a infância é defeituosa”.
Em The Rational Male, Preventive Medicine, delineei a instituição de
classes de socialização em que meninos de 9 anos foram solicitados a listar todos os
razões pelas quais eles não gostam de ser meninos:
Não poder ser mãe
Não deveria chorar
Não tem permissão para ser uma líder de torcida
Supostamente para fazer todo o trabalho
Supostamente gosta de violência
Supostamente para jogar futebol
Meninos cheiram mal
Ter uma má reputação automática
Crescer cabelo em todos os lugares
Costumava me surpreender como os meninos sabiam exatamente a terminologia femininecêntrica
certa quando questionados sobre como deveriam lidar com as meninas. Não
não mais. Eu tive meninos de apenas dez anos recitando palavras da moda e bordões que eu
esperaria de um curso de estudos femininos sempre que eu perguntasse

eles o que pensam das meninas ou alguma situação intergênero. Cada um desses
meninos estavam ansiosos pela oportunidade de "provar seu valor" para qualquer garota ao alcance
da voz
repetindo os mantras do Imperativo Feminino que ele aprendeu na escola.
No entanto, essa ansiedade sempre foi temperada com uma pitada de medo; tema aquilo,
com apenas dez anos, ele pode escorregar ao relatar "suas crenças" sobre as mulheres e
ser percebido como um misógino. E essa é a palavra que eles usarão. Comprimido Azul
o condicionamento dos meninos começa desde muito cedo. Eu sou questionado constantemente
o que exatamente constitui uma mentalidade condicionada de "Pílula Azul" por meus críticos,
Este treinamento para aversão ao gênero é o motivo pelo qual é uma tarefa tão árdua explicá-lo.

Parte da reengenharia social primária feminina das culturas ocidentais


suportou por mais de sessenta anos agora está levantando gerações de meninos para odiar
masculinidade convencional. Ao mesmo tempo, a educação dessas culturas
tem sido uma de empoderar meninas em detrimento dos meninos. Assim, nós
temos professores principalmente mulheres (ou homens feminizados) moldando as mentes de
gerações de meninos a desprezar o ser homem (que se tornará potencialmente
homens despóticos) e, simultaneamente, submetem-se ao feminino.
Esta é a narrativa cultural que você, como pai, deve ser continuamente
vigilante em criar seus filhos. Essa compreensão precisa colorir cada
interação e cada momento de ensino que você tem com ele. Não posso
enfatizar isso o suficiente. Embora seja importante para você incorporar,
demonstrar e viver um modelo consciente da pílula vermelha para ele, você deve sempre
reconhecer que seu exemplo será exatamente o oposto do que ele está sendo
ensinado ao modelo feminino correto na escola, não apenas por seus professores, mas
por seus pares de identificação feminina.
Controle Emocional
A base de todas as mensagens femininas corretas que seu filho receberá é
fundado na ideia de que emoção e emotividade são as únicas legítimas
forma de comunicação. Como mencionei antes, ele será condicionado a
acreditar que quanto mais ele se preocupa em expressar suas emoções, o
melhor será menino, ele será visto como na esperança de que isso carregue em sua
idade adulta. Chegou a um ponto em que a competitividade natural dos meninos cria
uma competição entre eles para "superar" uns aos outros.
O contraponto a isso é um passo necessário por parte dos pais para

O contraponto a isso é um passo necessário por parte dos pais para ensinar seus
filhos controle emocional. Ironicamente, porém, um pai ensinando seu filho a
conter e reservar seu emocionalismo constitui a outra metade das
mensagens conflitantes que os meninos são condicionados a pensar que são fundamentalmente
erradas
com eles. Os meninos são sedados por uma série de métodos (drogas, comportamento
modificações, etc.) para fazê-los conter suas energias masculinas naturais,
ainda são encorajados por sua feminização a serem mais emotivos, a chorar mais,
rolar e ser mais vulnerável e acreditar que isso é força. Isto é
masculinidade definida pelo feminino.
Como pai da pílula vermelha, é seu dever ensinar-lhe essa vulnerabilidade e
expressões de insegurança ou fraqueza não são um poço de força. Ao invés disso você
deve encorajar seus filhos a desenvolverem a verdadeira força interior da mente e
corpo e reconhecê-lo como tal, apesar de um mundo organizado contra eles
fazendo isso. Eles precisam entender que reter sentimentos e controlar
seus estados emotivos são medidas de segurança que preservaram os homens por
milênios. Eles precisam saber que a verdadeira masculinidade convencional é derivada
de força interior e determinação.
Os pais da Red Pill devem permanecer informados sobre a mídia e fazer esforços constantes para
entender como meninos e homens são retratados como ridículos ou idiotas,
ao mesmo tempo em que engrandece as mulheres e o feminino. Seus meninos
precisam desenvolver suas próprias lentes de pílula vermelha, por meio das quais
filtram instintivamente a narrativa feminina. Quando um menino vê um anúncio ou uma TV
mostrar em que estereótipos masculinos negativos estão presentes, certifique-se de jogar isso fora.
Quando veem uma mídia que infla a narrativa feminina como sendo apenas a narrativa correta, jogue
isso fora também.
Ensine-lhes que há mais para os homens do que a narrativa feminina
quer que ele acredite. Ensine-lhe que tudo o que ele vê ao seu redor era
concebido, projetado e fabricado por homens com criatividade, intelectuais
e forças físicas. Discuta homens famosos que fizeram, e estão fazendo,
coisas importantes - que devem incluir realizações atléticas, bem como
homens que são exemplos de realizações intelectuais, estratégicas e criativas.
Envolva-o com perguntas sobre as diferenças entre meninos e meninas,
e homens e mulheres. Ilustre para ele exemplos de como homens e mulheres
diferem em seu pensamento, sua maneira de resolver problemas e como as meninas

manipulam meninos para fazer coisas por elas. Certifique-se de que seu filho conhece as
consequências de fazer das meninas sua maior prioridade. Ensine a ele que respeito é
ganho e nunca concedidos sem mérito para homens ou mulheres - não há
nenhum respeito padrão pelas mulheres.
Ensine seu filho a lutar e a saber quando é apropriado usar a força para
se defender. Isso é difícil para muitos pais Beta que se esforçam para elevar seus
meninos em um paradigma da pílula vermelha. A maioria dos homens Beta são condicionados a
acreditar que
masculinidade é equiparada a um potencial de violência não solicitada. Mais beta
homens são avessos ao confronto. Se você não sabe como lutar, aprenda uma
arte marcial com seu filho. É um excelente exemplo de fazer algo
específico do sexo masculino e vocês dois aprendem juntos. Isso também ilustra a
disposição de se submeter à experiência de um mestre para se tornar um
dominador de si mesmo.

Ponto de Origem Mental


Deixe seu filho saber que ele deve se tornar seu ponto de origem mental. Isto é
talvez a lição mais importante que você pode transmitir a um menino em uma época em que
ele será rebaixado apenas por ser homem. Dando-lhe o porte de
colocar-se em primeiro lugar é um dos presentes mais importantes que você pode deixar para seu
filho.
Para alguns pais, pode parecer uma boa ideia isolar seu filho de um
mundo que está determinado a condicioná-lo ao que o Imperativo Feminino
faria dele, mas é muito mais saudável armá-lo com seu próprio senso de
auto-interesse esclarecido. Seu mundo centrado na mulher fará todos os esforços
para convencê-lo a colocar as necessidades dos "outros" (realmente interesses de mulheres) antes de
si mesmo, mas ele precisa saber que não pode ajudar ninguém
até que ele primeiro se ajude.
Essa deferência para com os outros é um componente-chave no condicionamento de que o
Village o faria internalizar. É a parte central da feminização
que empurra para que seu ponto de origem mental seja extrínseco, se algum pensamento for
dado ao seu próprio bem-estar. Mas o mais importante, é determinar ter
ele internalizando a ideia de que se emocionar como uma mulher e considerar as necessidades das
meninas
antes que as suas próprias sejam o pensamento correto, recompensado, que ele deveria ter
em qualquer intercâmbio específico de gênero.

Isso não quer dizer que um pai da pílula vermelha deve encorajar a sociopatia em seu filho,
mas que seu próprio bem-estar e seus próprios interesses devem ser o primeiro pensamento
que se origina em sua mente. A mentalidade da Blue Pill sempre pula para os extremos binários,
portanto, o medo criticado é que encorajar o interesse próprio esclarecido em um menino levará a
traços de personalidade da Tríade Negra nele mais tarde na vida.
No entanto, ele deve saber que trabalho em equipe e cooperação, embora valiosos em
seu mundo masculino, precisa passar pelo filtro de sua mentalidade egocêntrica
de ponto de origem.
Os homens enfrentam desafios para sentir que os homens que respeitamos nos mantêm
a mesma estima. Acontece sem palavras. O sentido do que se espera de nós
nessas situações, e o que nossas escolhas significam surge naturalmente para nós. assim
muitos homens que lutam contra a vergonha o fazem porque sabem que têm
falhado nesses testes com mais frequência do que foi provado.
Essa dinâmica é perdida pela maioria das pessoas. Feministas e a cultura que tem
influenciado geralmente retratam este aspecto da natureza masculina como pura
loucura; a tentativa estúpida de meninos crescidos de "machucar" um ao
outro. O homem precisa enfrentar desafios e sentir aceitação em um bando
de irmãos, uma tribo, que também os enfrentou "valentemente" e é ridicularizado em
cultura popular, nas escolas e na psicologia pop.
Muitos meninos ficam confusos com essas mensagens. Eles sofrem desnecessariamente
porque seus desejos internos de respeito e um senso de propósito entram em conflito com
seu condicionamento social. A natureza de um menino inclina-se para a bravura, o risco
e um desejo de controlar o ambiente, mas seus professores elogiam a fraqueza
e chamam a covardia de boa. Seus professores femininos corretos procuram o que as mulheres
procuram principalmente, a longo prazo, segurança, proteção e estabilidade regulável.
é para isso que eles esperam condicionar seu filho - suprimir esse risco natural e substituí-lo por
apaziguar a causa de fornecer às mulheres um
senso de segurança sustentável.
O resultado são jovens que se esquivam de todos os desafios e procuram
retire-se da vida atrás de uma parede de videogames, comida rápida e pornografia, ou aqueles
que agem de acordo com suas inclinações naturais por meio de toda forma de dissipação e
auto-indulgência básica. Acabamos em uma sociedade onde os homens são divididos em
ovelhas acovardadas e dóceis ou rapazes insensíveis e sem instrução dirigidos por
testosterona e uma busca interminável para tornar seu fardo de desempenho
inteiramente sobre a qualificação para a aprovação das mulheres.
Sem uma cultura de masculinidade convencional e madura para treinar o interior dos instintos dos
meninos, as coisas desmoronam. Esta é apenas outra forma que o feminino instituiu
a ausência do pai e arrasta a civilização para sua destruição. É um processo que se autoperpetua -
meninos condicionados pela Pílula Azul se tornam a Pílula Azul
com pais complacentes que ficaram privados de seus direitos com os papéis exploradores
que eles foram criados para acreditar que estavam corretos. A ausência do pai então se torna um
mandato social por uma ordem social que acredita que os pais são supérfluos.
Uma sociedade com uma chance de sobrevivência apóia, ao invés de alvos para
destruição, organizações como os escoteiros. Esses grupos treinam meninos
com desejos de respeito e reconhecimento, colocando-os sob o olhar atento
de homens maduros que os protegem de perigos indevidos, dê-lhes um modelo
para o qual aspirar, e uma tropa de irmãos.
Mas isso é muito "tóxico" agora. Homens banindo juntos na exclusão masculina
de tribos é muito arriscado para uma ordem social feminina. Esses grupos antigos
praticamente sumiram agora. Ou isso ou a integridade desses espaços masculinos
foram redefinidos. Em seu lugar, temos acampamentos transgêneros para meninos,
milhões de histórias do Snapchat e banheiros neutros ao gênero. Os escoteiros
tornaram-se uma ilustração objetiva de como o Imperativo Feminino
recria o espaço masculino para melhor enfraquecer a masculinidade convencional.
Decidimos que a troca valeu a pena.
Ficamos com a ilusão de liberdade e uma sensação difusa de algum
declínio inevitável. Todos nós trememos ao ver os meninos que fizemos, meninos
deliberadamente confusos sobre suas naturezas, ansioso por pertencer, e
incapaz de se juntar ou mesmo compreender aquela companhia de homens convencionais sobre
de quem o futuro depende tão desesperadamente.
Apesar de todo esse condicionamento social, apesar de todos os interesses que iriam
te condenar por até mesmo considerar criar um menino à maneira da pílula vermelha,
lembre-se disso, para tudo isso há uma fome de nível raiz por um
pai masculino positivamente.

Um dos primeiros preconceitos que temos sobre strippers ou mulheres "danificadas"


é que elas têm "problemas com o papai". Presumimos a causa raiz de uma mulher
que tem problemas pessoais residem em alguma fome profunda por um pai que nunca se adaptou ao
modelo mental que sua mente inconsciente evoluída queria para sua vida.
Jovens "sem pai" sofrem um "dano" semelhante.
Uma vez que o profundo desejo por um pai se enraíza, a dor nunca vai embora.
Em vez de desaparecer, ele vai para o subsolo, muitas vezes tão profundamente que não
reconhecem-no pelo que é. O desejo de um pai, de um homem estável
em presença para guiar e ancorar meninos e meninas mascarados nos dias de hoje como
inúmeras outras doenças:
ansiedade social, raiva, falta de propósito e vazio.
Mas, nossa cultura torna mais fácil falar sobre ansiedade do que sobre a falta de um pai. Os pais são
considerados descartáveis ou auxiliares no processo criação dos filhos. Admitir que sofremos com sua
ausência seria desafiar a
narrativa cultural de igualismo e ter-se marcado como traidor do
consenso. Então, ficamos quietos e combinamos nossas ansiedades sombrias com a
vergonha de saber no fundo de nossos corações que ansiamos pelo arquétipo de um
pai convencional. Considere os efeitos da fome do pai em um nível pessoal: a
falta de direção e fraqueza nos homens e, nas mulheres, o desespero, o
medo, a busca lamentável e sem fim de afirmação e multiplicá-los por
milhões. Aqui é onde estamos agora.
Atitudes culturais gerais em relação aos pais que oscilam entre a indiferença e
hostilidade aberta. Isso amplia esses problemas pessoais e os torna
ameaças culturais generalizadas. A ausência do pai é uma solução fácil para os males sociais, mas
a masculinidade e a influência única dos homens são sempre suspeitas. É sempre um
grau longe de "tóxico".
Quando uma criança perde seu pai, ela sofre, sua esposa pode sofrer,
seus próprios futuros filhos podem. Mas, se ele vive em uma cultura que reconhece
a bondade inerente da paternidade e a contribuição necessária dos pais para
seu desenvolvimento, ele pode ser capaz de encontrar um substituto - um mentor.
Agora não. A fome do pai e suas consequências estão agora tão disseminadas que
tomá-lo como normal. Na base de muitos de nossos males sociais está a

fome de um pai que foi deslocado pelo estado ou por outra


procuração da Vila. Esse pai foi suplantado pelos ataques contra
ele lançado por mil feministas em nome do imperativo Feminino e amplificado por todas as
produções de mídia dos últimos cinquenta anos
e pela decisão de tornar o divórcio fácil, esperado e extremamente benéfico para
uma mãe.
Tudo isso torna a importância do que os pais fazem ainda mais importante. Para
aqueles de nós que ainda têm filhos pequenos, não devemos ser persuadidos pela
cultura da aldeia de duvidar de nossa própria importância. Em vez disso, devemos dobrar
em nosso compromisso de cumprir nossas obrigações. Devemos estar lá no conhecimento
que não somos supérfluos e nossa mera presença nos satisfaz.
Se você não é um pai, mesmo a sua orientação consciente para os rapazes da pílula vermelha é
extremamente valiosa e necessária. Procure oportunidades para educar jovens
homens. Uma dedicação intencional à orientação de jovens na Red Pill
e a conscientização é admirável, mas mesmo um envolvimento casual ajuda muito.
É apenas com o seu envolvimento que o condicionamento Blue Pill dos homens jovens podem
ser interrompido.
Não podemos gerar um mundo inteiro. O dano está feito. Gerações sem
pais agora são ascendentes e sua fome por convencionais, positivas
masculinidade irá derrubar a civilização se deixarmos de agir. O melhor que nós
pode fazer é dar o exemplo, recusar-se a se comprometer, continuar fazendo o que os pais
sempre fazem: fornecer, educar e proteger em um mundo em colapso.
Há muito de que devemos proteger aqueles que estão sob nossa responsabilidade. Um órfão
no mundo é perigoso. Mas, no meio deste mundo perigoso e moribundo,
podemos cultivar bolsões de cura e resistência. Isso faz parte da
necessária abordagem ascendente para a conscientização da pílula vermelha em nível social.
Quando podemos, podemos alcançar. Podemos ser um mentor da Red Pill, um amigo. E
no mínimo, podemos dizer às pessoas que os pais são bons e nossa fome de
deles são reais. Podemos ser os sapatos jogados na maquinaria da
ordem social primária feminina. Não podemos salvar todos eles, mas podemos salvar
alguns

Promise Keepers
Certa vez, um cara de 25 anos contou para mim o quanto estava decepcionado
com ele mesmo. Ele ficou com uma nova namorada, fez um
compromisso de monogamia exclusiva, e tinha todas as nobres intenções que
os betas assumem quando entram nessa forma de quase casamento.
Seu problema era que ele teve uma "amiga de foda" por alguns meses antes de sua
"Legitimamente" namorando sua agora namorada e, infelizmente, teve que cortá-la
da vida dele. A 'amiga com benefícios' ficou chateada como geralmente fica quando
apresentada com a perda do investimento de todos aqueles encontros sexuais
desimpedido com pouca ou nenhuma recompensa emocional. O cara estava determinado
para honrar seu acordo com a nova namorada, mas o camarada
persistiu e tornou-se mais emocionalmente envolvido até que eles se estabeleceram em uma
Solução ‘apenas sejam amigos’ para sua intimidade anterior.
Depois de uma semana o cara teve dúvidas sobre a namorada e já que ele e a
amiga de foda são ‘ainda amigos’ que se reuniram para discutir essas dúvidas.
Desnecessário dizer que essa discussão levou a um ambiente confortável, confiável, “coisa segura
”sexo com o ex-amiga de foda e agora chegamos ao arrependimento e
decepção que ele sente sobre si mesmo. Alguém pode pensar que este é um simples
caso de um jovem de 25 anos decidindo o que funciona sexualmente para ele e
lutando contra a monogamia por ter outras opções viáveis,
mas sua decepção não se originou nisso.
“Eu me sinto um pedaço de merda porque prometi a mim mesma há mais de dez anos
que nunca faria isso. Quebrei minha única promessa a mim mesmo de que sempre fui preso"
Achei interessante que um menino, então com quinze anos, tivesse a
presciência para fazer algum voto de fidelidade a uma futura namorada (ou esposa) para
ele mesmo. Por razões óbvias, ele não me pareceu particularmente religioso -
ele não tinha um 'anel de promessa' também. Então o que foi?
“Posso pegar garotas e levá-las para a cama sem nenhum problema, mas quando se trata de
relacionamentos, estou completamente perdido. E sim, eu sinto que algo está

acontecendo com minha namorada atual. ”


Isso explica parte disso. Alfa enquanto solteiro, Beta quando monogâmico é um
tema muito comum para a juventude feminizada e pré-condicionada de hoje. E
claro que tendo (e tido) outras opções sexuais que
Conflitam alfa-quando-solteiro / Beta-quando-monogâmico sobre uma namorada é
esperado, mas isso ainda não explicava a auto-promessa ou a
decepção de forma adequada.
“Eu me senti um pedaço de merda. Mais de dez anos atrás, quando meu pai traiu minha
mãe, prometi a mim mesmo que nunca seria como meu pai e trapacearia.
Eu nunca trapaceei, até esta noite. Eu me sinto entorpecido, confuso e não sei
o que fazer."

Matar o pai
Um tema comum que encontrei entre os Beta mais zelosos
Cavaleiros Brancos que tenho aconselhado ao longo dos anos tem sido exatamente obsessiva
determinação em superar o desempenho de vida / relacionamento de seus
pais idiotas.
Antes de continuar, muitos desses caras realmente estavam podres,
pais alcoólatras, que abusavam deles e de suas mães. Outros tinham a
percepção de seus pais colorida para eles, quer pela má boca de
suas mães solteiras ‘Strong Independent®’, ou observando seus pais
resolver suas próprias mentalidades e tendências Beta em uma vida pós-divórcio.
Seja qual for o caso, cada um desses caras tinha uma missão - ser um homem melhor
do que seu pai era, proteger suas mães e, por extensão, vitimar
mulheres e a futura mãe que suas namoradas e esposas se tornariam por
eles. As falhas pessoais de seu pai seriam seus triunfos pessoais.
O problema neste cenário edipiano moderno é que o feminino
Imperative está mais do que feliz em usar essa promessa para seu serviço de vantagem social
universal

de Feminização e seu condicionamento Blue Pill dos meninos para criar melhores "homens" é
definido por quão bem aquele “homem” é aceitável para uma cultura feminina primária.
Assim, temos uma indefinição de gênero e os meninos são ensinados a fazer xixi sentados
e mães solteiras porque "seu pai idiota sempre fez bagunça e deixou a
tampa para cima. " Melhores ‘homens’, homens exclusivamente femininos aceitáveis, xixi como
mulheres.
Agora, isso é apenas uma alegoria da mentalidade por trás das mulheres levantando o futuro
homens sozinhos, mas o menino que odeia o pai se torna o adulto que odeia os homens
Homem beta. O condicionamento social feminino dos meninos é cruel com certeza, mas
nada reforça esse condicionamento melhor do que ter um exemplo vivo de
o papel que um homem não deve ser e então comprometer sua vida para não se
tornar-se isso. E, como afirmei anteriormente, essas considerações podem ser legítimas,
mas o resultado final é o mesmo; um Beta que pensa que as mulheres irão categoricamente
apreciar sua devoção em se identificar com o feminino por sua promessa de não
se tornar como “homens típicos” - como seu pai idiota.
Esta é uma extensão da presunção da Pílula Azul de que as mulheres o verão
como único entre outros homens por ser tão bem adaptado para se identificar com o
feminino. E, consequentemente, a maioria das mulheres, que se preocupam mais com
características alfa dominantes, não apreciam sua "promessa de ser
um homem melhor, então se torna uma mulher comum de "baixa qualidade" para ele. Atire na
seta, pinte o alvo ao seu redor.
Essa é a raiz do conflito que o cara do meu exemplo estava enfrentando.
Ele provavelmente está chegando a uma compreensão mais madura do que seu pai
experiente com sua mãe e mulheres em geral, mas é conflitante com
aquela declaração adolescente de se dedicar a acreditava, e
o que seu condicionamento que lhe ensinou que deve ser seu imperativo.
“Se eu for um homem melhor do que o pai, serei merecedor do amor da forma como o vejo.
Serei apreciado e a hipergamia será irrelevante devido à equidade,
vou investir em nosso relacionamento. ”
Apenas aos 25 anos, ele progressivamente descobre que é tão humano, e tão masculino,
como seu pai era.

Além de Édipo

Sem surpresa, este é um esquema psicológico muito difícil de extrair de um


Beta que investiu seu ego nisso por tanto tempo. Mesmo quando ele experimenta
em primeira mão o trauma de perceber que as mulheres não são como ele sempre
acreditava que seriam, e apesar da consciência da pílula vermelha, esta "promessa de ser
melhor 'persiste. Acrescente a isso o reforço social do ridículo /
arquétipo masculino repreensível, em seguida, combine-o com a vulnerabilidade de sua mãe, ideias
popularizadas de vitimização feminina, ou ela de forma consistente
fez caracterização negativa de seu pai idiota, e você tem uma receita para uma
existência permanente do Blue Pill.
Dito isso, não é impossível desconectar "cumpridores de promessas" com a suficiente
dura realidade experiencial para despertá-los de seus paradigmas de adolescência. Torná-los cientes é
a tarefa mais difícil, mas introspecção em sua
própria parte é o próximo passo.
É muito importante recontar as maneiras de "pai mau" e a reação de uma criança a
ele, dirigiu e influenciou suas interações com mulheres (ou homens em
o caso das meninas). É uma epifania extremamente desconfortável para 'cumpridores de promessa
para perceber que mamãe é tão comum quanto as mulheres que o rejeitam,
que o estão ajudando a perceber que suas presunções de adolescente eram ingênuas. A maioria
dos 'Cumpridores de promessas' são abalados por duas fontes: a consistência
de comportamento incongruente para motivações declaradas por mulheres, ou por suas próprias
lutas internas para manter sua promessa em face de que ele não consegue
lugar é o que está em seus melhores interesses sexuais.
O pai sabe melhor
Recebi um pedido de um pai me pedindo conselhos sobre como um
Pai divorciado de pílula vermelha pode melhor reiniciar um relacionamento com seu
filho afastado. Achei que isso poderia ser valioso aqui para o pai da pílula vermelha.
Como um pai recém-divorciado do Red Pill abordaria seu filho, especialmente
se houve um período de afastamento?
Tenho um “encontro” para um telefonema com meu filho depois de um longo período. Vocês
posso imaginar que meu relacionamento com minha "velha família" é uma espécie de
“Interessante”, para dizer eufemisticamente. Minha filha deixou cair o meu último

nome de contas de mídia social. Meu filho se autodenomina “mais jovem


Sobrenome ”e seu“ nome do meio ”assumido é“ Porra ”. Uma espécie de
volta ao meu passado, mas ele parece bastante chateado.
Disseram-me que essas coisas podem ser bastante emocionais, e então uma enxurrada de
contato, mas então um "retrocesso" longe do contato. Inevitavelmente e
provavelmente com razão, ele tem lealdade inata para com sua mãe. E ele cresceu
em um dos lugares que é tão liberal, é muitas vezes referido como "O Povo
República de ... ”Então a questão é“ Como trazê-lo junto? ”
Se por "trazê-lo" significa convencê-lo de que você não é o idiota que ele é
convencido de que você É, isso é realmente subjetivo para sua história pessoal e como
ele é receptivo a ouvir o seu lado da história. Dito isso, há um
mundo alinhado contra você que provavelmente condicionou seu filho não apenas a odiar
você, mas odiar seu próprio sexo por associação com suas decisões anteriores e
circunstâncias.
Isso, então, levanta a questão, como um pai fará para restabelecer uma
conexão equivocada com um filho ou filha, de uma pílula vermelha pós
perspectiva de consciência?
Ser o pai neste cenário e tentar restabelecer uma conexão positiva após o fato com um filho é uma
tarefa muito difícil. É quase mais fácil
abordar os detalhes de uma filha com "problemas de papai" cuja ausência
do pai contribuiu para sua condição de "status de vítima" do que para corrigir a
educação corrompida e condicionamento feminino que um menino recebe em sua
ausência relativa do pai.
A dificuldade é que um filho terá todas as percepções negativas de seu
pai reforçado para ele por uma ordem social primária feminina. Mesmo nos
raros casos em que uma mãe perspicaz não ressentidamente coloriu a percepção negativa de seu
filho
de seu pai durante seus anos de formação, há um
mundo inteiro de convenções sociais femininas e cultura popular pressionando
e afirmando essa impressão nele.
Além disso, também é provável que seu filho com condicionamento feminino veja a
utilidade em jogar junto com a narrativa da "misoginia da vítima do pai" como um
maneira de destacar seu Jogo Beta. A ideia é que ele vai acreditar nas mulheres

deve encontrá-lo superando seu fracasso como uma fonte de atração para
meninas / mulheres. É uma espécie de "esperança melhor para o futuro da narrativa das mulheres",
pensa erroneamente que o tornará único na visão das mulheres.
É uma tarefa difícil desligar um homem que é amigo e abrir seus olhos para a
Conscientização da pílula vermelha. Esse cara tem que estar procurando respostas para realmente
estar aberto para
ter seus investimentos de ego em seu condicionamento desafiados e realinhados -
você realmente não pode deixar um homem ciente da pílula vermelha, ele tem que chegar a isso de
algum modo. Esta é uma distinção muito importante para fazer quando o homem que você esta
tentando desligar é seu próprio filho.
Um pai nesta situação tem o risco duplo de limpar seu nome como
um pai e como representante da masculinidade - a representação de todos os
aspectos negativos que o Imperativo Feminino já incorporou em seu filho
sobre a mancha de sua própria masculinidade. Alguns dos mais fervorosos cruzados da masculinidade
anticonvencional que já encontrei, todos tinham o
denominador comum de um "pai mau". 'Mães calçadoras' não estragam
feminilidade convencional para homens.
Um dos aspectos mais dolorosos de acordar e aceitar as verdades da pílula vermelha
é aceitar as consequências de basear suas decisões anteriores em um
Paradigma da pílula azul. Posso ter empatia com Betas mais jovens e desconectados que recebem
com raiva de si mesmos por terem desperdiçado parte de suas vidas com o esforço
de perseguir a cenoura dos objetivos da Pílula Azul, mas é uma coisa totalmente diferente
a raiva que os homens mais velhos sentem depois de perceber que suas vidas e as vidas de
seus filhos (a única razão para se casar, lembra?) são os resultados de
sua tomada de decisão da pílula azul.
Isso é duplamente verdadeiro para o pai desperto da pílula vermelha desde parte de desilusões de
sua pílula azul
significavam aceitar que as personalidades de seus filhos
e suas próprias escolhas de Blue Pill são um resultado direto ou indireto de sua autoria
Idealismo da pílula azul.
Felizmente, minha pílula vermelha despertou antes de minha filha nascer
e tive a visão de viver pelo exemplo. No entanto, eu conheço homens suficientes em
roteiros semelhantes para ver que tarefa impossível é desemaranhar e
reconciliar a versão anterior da pílula azul com a consciência da pílula vermelha
dos homens que eles se tornaram.

Eu não os invejo.
Então, qual é a solução? A primeira etapa é chegar a um acordo com a tarefa
que foi definido antes de você como eu fiz aqui. Estas são algumas coisas para
considerar antes de fazer a desconexão de seu filho uma missão para
sua vida.
Eu odeio parecer insensível desde o início aqui, mas é inteiramente possível
que seu filho, sobrinho, irmão mais novo, etc. podem simplesmente estar longe demais.
Uma das máximas do Homem Racional é que desligar os homens da Matrix
é como uma triagem; salve os que puder, leia a última cerimônia para os moribundos. O que é
importante nesta avaliação é que você use suas lentes Red Pill tão objetivamente
que possível. Isso vai exigir uma avaliação quase clínica de seus membros de família
membro, deixando de lado todo o seu investimento emocional nele.
Esta é uma tarefa muito difícil para a maioria dos homens e mais do que alguns encontraram
comprometendo-se nas áreas de conscientização da pílula vermelha em um esforço para
aplacar um filho muito investido de Blue Pill, com quem querem desesperadamente novas
conexões. Esteja hiperconsciente das armadilhas que mencionei acima nesta
seção e faça sua avaliação clínica de acordo.
Seu filho (parente do sexo masculino) já se foi muito longe? e a estimativa dele sobre o seu
caráter preciso à luz do que sua mãe, sua escola, seu
irmã (s), cultura popular e, mais importante, as garotas que ele quer ter
contato tem-no condicionado a acreditar em você? Lembre-se, você não esta apenas
lutando contra seus preconceitos, você está lutando contra uma ordem social que precisa que você
se encaixe perfeitamente em seu arquétipo de seu tipo de homem.
Existem alguns ângulos que você precisa considerar ao planejar uma abordagem
com seu filho afastado. Isso começa com uma avaliação precisa de
respeito de quão popular é a concepção do seu tipo de cara
percebido.
Você é o idiota do pai que deixou a mãe para pegar uma 'doce'
esposa troféu? Esse é um meme cultural popular. É um exagero
de distorção, mas popular porque alimenta a necessidade inata das mulheres por
indignação. No momento, faz pouca diferença se é preciso ou não,

o importante é que você entenda que é assim que você é percebido por
seu filho de acordo com a cultura centrada no sexo feminino que o alimentou.
Você é o tipo de pai pílula azul 'legal' acomodadora e deixa tudo passar
pois nunca teve Frame (ou mesmo sabia o que era quando você recebeu seu
mãe grávida)? Você é o cara que comprou a crença igualitária
crença de que não era "direito" do homem presumir que deveria ser dominante ou ser
preocupado com seus próprios interesses? Você é o tipo de pai que adia
para a mãe da vontade de seu filho e, como resultado, ela assumiu o domínio
do papel masculino, porque "pai trapalhão" nunca seria confiável com a
segurança da família?
Você é o pai que nunca se colocou como seu ponto de origem mental e
só mais tarde tornou-se ciente do Red Pill? Esta é uma posição quase mais difícil de
estar por dentro do que o pai babaca porque você está tentando recriar sua Beta
impressão de seu personagem enquanto tenta simultaneamente desligar
seu filho com uma consciência de pílula vermelha que pode ser nova e incomum para
vocês.
Embora eu não possa lhe dar uma receita ou mapa específico para seguir para o sua
situação individual, posso dar-lhe algumas coisas importantes a considerar
antes de fazer sua tentativa. Devo acrescentar aqui que são igualmente
importante reconhecer quando você está restabelecendo uma conexão com
sua filha, existem algumas diferenças de abordagem para filhas - eu vou
mencionar isso daqui a pouco.
Avalie sua impressão anterior de Blue Pill que você teve com seu
filho / filha, sua mãe, sua família extensa (ela e suas irmãs,
mães, pais, amigos próximos, etc.) e considere essa impressão baseada
sobre o que você entende de uma perspectiva ciente da pílula vermelha.
Avalie a aculturação do seu filho na mesma Pílula Azul que condiciona você
que teve que se desconectar. Considere como a influência de sua mãe (ruim
e bom), suas escolas, seu amigo, a música e a mídia que ele curte e
as garotas que ele espera impressionar que criaram sua persona.
Avalie o quão resistente ele será para a implementação de algum tipo de
esforço de reconexão com base no que sua consciência da pílula vermelha teria
você prevê razoavelmente. Se você é o pai babaca e ele é o
bom garoto beta, ou ele caiu na mentalidade de Promise Keepers, isso vai

exigir uma abordagem diferente do que se você fosse percebido como o Pai Beta fraco
que está se estabelecendo como um pai assertivo da pílula vermelha.
Você teve Frame quando esteve envolvido com a mãe do seu filho?
Em caso afirmativo, esse quadro escorregou enquanto vocês estavam juntos ou ainda é parte da
personalidade que seu filho espera de você agora? Considere como o seu
filho foi treinado para perceber sua própria masculinidade tanto como resultado de
seu exemplo (forte ou pobre), bem como como a sociedade primária feminina
o distorceu e o confundiu sobre isso. Estas serão as coisas que você
será contra quando você tentar reconectar.
Seu filho está disposto a reconsiderar sua persona recriada? Este
provavelmente é o conceito de masculinidade do seu filho que foi moldado pelo conceito de sua mãe
com uma falsa interpretação de um ideal masculino, ou seja, um ideal feminino correto. Assim, seu
condicionamento centrado na identificação, e
apaziguamento. Como tal, seu convencional, complementar,
a masculinidade pode ser ofensiva para suas sensibilidades treinadas.
Uma abordagem disfarçada e discreta ao longo do tempo seria melhor do que uma
declaração aberta e direta de suas intenções? Tudo se resume à sua persona,
mas o que seria mais crível em transmitir sua consciência pílula vermelha ?
Estas são algumas coisas a considerar antes de planejar um tempo e uma maneira de
reconectar-se com seu filho. Devo também dizer que essas são considerações do
pai que deve levar em consideração antes de tentar algo semelhante com
uma filha. No caso das filhas, também aconselharia considerar muito
das mesmas bases de jogo com os princípios associados que você
usa ao lidar com mulheres em geral.
A maioria dos pais com filhos, idiotas ou não, será decepcionante para eles em
algumas (ou muitas) maneiras em algum ponto. Para não minimizar a dificuldade, ou os
ventos contrários do Imperativo Feminino, ou o pedágio do divórcio, mas eu faria o meu melhor
ao ver isso como uma oportunidade para vocês dois. O que não quer dizer que seja tudo
agradável ou agradável mesmo. Vocês ainda têm um ao outro e é um evento significativo
para um pai distante ter tempo para apresentar seu lado das coisas enquanto,
esperançosamente, educando seu filho sobre a consciência da pílula vermelha.
Como acontece com a maioria dos "desligamentos", é provável que seu filho seja mais receptivo
no momento será quando ele estiver sofrendo por causa da rejeição de alguma mulher. Está

é uma pílula amarga de engolir para um pai ver seu filho sofrer pelo mesma
Preocupações com a pílula azul (ou explorações diretas) que ele mesmo suportou - particularmente
se as consequências também foram o que levou ao nascimento de seu filho.
O filho pródigo
Um pai da pílula vermelha deve sempre ser sensível a momentos de oportunidade como
isto. Muitas vezes, é um trauma pessoal que leva os homens a procurar a comunidade pílula
vermelha, mesmo que eles não saibam que estão realmente procurando por isso. este
parece horrivelmente oportunista para os homens do Red Pill, mas é a experiência de
um trauma pessoal que quebra o ego-investimento normal e confortável de um homem do Blue Pill
no que ele espera ser recompensado ou punido em uma ordem social primária feminina.
Aprenda a ver esses sinais nos homens (seu filho) que você acha que pode estar pronto para ouvir
verdades da pílula vermelha, mas mais ainda, esteja pronto para estar lá para seu filho quando este
trauma abala seus confortáveis preconceitos. Isso fará sua história
e a consciência da pílula vermelha muito mais pungente para ele. Isto pode ser
seu filho adolescente cambaleando por ter sua namorada alma gêmea o despedindo por
um novo amante da faculdade durante o que chamo de Fase de Interrupção no livro Preventive
Medicine. Também pode ser que seu filho jovem adulto esteja sofrendo de um
desilusão semelhante de uma mulher que o usou como um Beta útil para
obter o que ela precisava em uma determinada fase de sua maturidade.
Uma situação muito comum é um jovem adulto tendo seu ideal Relacional
de Equidade destruída para ele por uma mulher na qual ele acreditava ter feito
tudo da maneira certa e jogado pelo conjunto de regras que acreditava que as mulheres
apreciariam e recompensariam universalmente.
Seu patrimônio investido é baseado em quão bem ele acredita que está fazendo o que
as mulheres sempre disseram que ele seria avaliado (ou seja, patrimônio) só então para
fazer com que a hipergamia destrua essa noção para ele. É neste momento que um jovem
pode buscar a perspectiva de seu pai, especialmente se algo semelhante
aconteceu com ele.
Como pai da Red Pill, é importante estar preparado para essas ocasiões. Eles
fazem a reconexão que você espera, bem como sua esperança de abrir o seus

olhos para a pílula vermelha, muito mais fácil. Com certeza serão momentos estressantes, mas
veja-os pela oportunidade que eles são.
Um dos meus leitores regulares do blog The Rational Male relatou muito
inspiradora história de reconexão que simplesmente não posso omitir desta seção.
Meu pai faleceu antes que pudéssemos ter essas conversas. Ele foi
empreendedor; granito sólido. Mas ao longo dos anos de Feminino Imperativo
e tempestades de granizo impulsionadas e minha mãe bipolar, com martelo e cinzel, eu assisti
ele se tornou uma estátua em ruínas de seu antigo eu, um cavalo de tração cujo único
prazer era entrar furtivamente no porão para assistir à TV.
Ele não era um idiota. Mas guardei um pouco de raiva em mim por ele - por ele; pela
falta de coragem, seu trabalho constante para atender às necessidades femininas, sua completa
falta de auto-estima. Ele era um verdadeiro doador. Mas foi doloroso ver seus presentes
apenas mandando-o ainda mais para o esquecimento. Juntos, ele e a mãe passaram para
mim. Eu deveria ser respeitoso, cheio de caráter, “legal”, mas nunca agressivo,
nunca exercitando minhas forças injustamente. Azul. Tão azul. E então, é claro, eu
tornei-me aquela dor.
Antes de ele morrer (eu tinha 30 anos), quando o visitava, nós nos isolávamos
no galpão de trabalho para construir. Ele queria me dizer coisas, eu queria perguntar a ele
coisas, nenhum de nós encontrando as palavras. Eu estava momentos antes de ser um
divorciado e estava momentos antes do além. Era tarde demais para ambos
de nós.
Mas falamos um pouco através de nossos corpos, mãos virando a madeira desta forma ou
daquela; nossas conversas seguiriam, arcos tortuosos e tangentes cortados de
mentes lineares. As palavras finalmente começaram a adquirir alguma forma. O torno
estava soltando anos de coisas não ditas, junto com longos cachos de pinho
reunindo-se aos nossos pés.
Ele insistiu que eu cortasse, sem querer admitir que suas mãos já estavam fracas demais. Eu deixei ele
me dizer como; me instruindo da mesma forma que ele fez 20 anos
de volta quando eu fiz check-out na máquina. Aquelas palavras que irritaram
a merda viva para fora de mim naquela época em que era bem-vinda. “Jeeze, eu sei pai !!”
tornou-se “Oh, esqueci-me desse truque, obrigado”.

Ele sempre quis que eu fosse um homem melhor do que ele. Eu sempre quis que ele
fosse melhor homem para ele. Não, para mim também. Eu queria que ele fosse a rocha, não o
fantoche. Não são apenas as mulheres que se sentem desconfortáveis ao ver um homem não segurar
seu
chão; são também futuros homens. Mas sob o peso esmagador de tanto
Condicionamento da pílula azul, essas conversas são apenas bolhas subindo.
Não houve sabedoria da pílula vermelha naquele dia ou em qualquer um que se seguiu. Houve uma
compreensão embora. Um começo. Para mim, levaria mais tempo. Mais
dor. Mas eu estava prestes a me tornar uma versão dele, muito mais perto de
aquele que eu sempre quis que ele fosse. Ele viu isso em mim. E em tantas
palavras, esse foi o seu presente para mim naquele dia.
Agora, RP ciente, eu entendo suas escolhas, bem como as minhas. Para mim,
muito disso é sobre o princípio de doação; pode ser bonito e
destrutivo. Precisamos que os pais digam aos filhos essas coisas, essas palavras que dão
direção para navegar além da traição e para a alegria que os espera.
Um menino que se torna um homem provavelmente terá sentimentos ruins por seu pai por alguma
razão, há algum tempo. Melhor que seja pela verdade, as duras lições que levam a
habilidades viáveis, as conversas difíceis que separam a masculinidade do
Imperativo Feminino, e aqueles pequenos momentos juntos que irão alimentar sua
alma quando você se for e ele está olhando para o seu futuro - ou segurando-o
em seus braços. Seja esse tipo de idiota.
Aprender a maneira "certa" de cortar madeira resultará em alguns estilhaços, mas
remover farpas não é tão doloroso quanto uma vida inteira de nunca verdadeiramente
saber como a máquina funciona.
Esta história explica por que é tão importante manter-se como um homem pílula vermelha
e pai consciente, sem medo e sem remorso para com o paradigma social feminino - correto
que prevalece hoje. A narrativa do feminino
Imperativo, a Vila que está tão pronta para castrar seus filhos, verá
isso como um momento sensível de comunicação aberta que reforça sua
religião das emoções, mas o que isso deve servir é um lembrete gritante de
o que acontece por causa das maquinações do Imperativo Feminino. este
é um aviso, não um momento sincero de reflexão entre pai e filho, um
alerta sobre o que espera os pais que nunca desligam e os filhos que seguem
seu caminho no feminino correto.

Para começar, tente envolver seu filho em eventos confortáveis e não emocionais.
Lembre-se, as mulheres falam, os homens falam, então tenha um propósito comum previamente
combinado por
completo. É provável que ele se sinta desconfortável "fazendo" porque não tem
conceito de masculinidade convencional, ele pode até ridicularizá-lo. Esteja preparado
por isso.
Não mencione sua mãe. Isso deve servir para fornecer algum contraste
entre a influência dela e a sua. Ele precisa ver, experimentar, como um
o homem se comporta, e os homens devem ser capazes de seguir em frente e fazer o melhor
em coisas sem nutrir ressentimento enfraquecedor.
Eu seria negligente se não mencionar a referência de seu filho à manosfera ou
lendo meus livros anteriores, mas faça-o apenas se você acreditar que ele está a ponto de
ser receptivo ao que eu ou outros autores da pílula vermelha podem abrir seus olhos.
Apresentá-lo à manosfera prematuramente só reforçará sua
percepções errôneas anteriores de você e da masculinidade genuína. É melhor que a sua
desconexão vem de você.
Seja paciente, espere e mantenha a porta aberta. Não brinque de papai com ele
se você nunca foi uma influência significativa na vida dele até agora.
Você não é o pai dele. O Imperativo Feminino é seu pai e tem planos
para ele cumprir.
Esta é uma parte importante de entender.
Se possível, não converse sobre as coisas por telefone. Na minha opinião o
telefone, mensagens de texto, e-mails são uma proteção contra rejeição pessoal real e um
péssimo meio para conversas sérias. Qualquer esperança de reconstruir seu
relacionamento com seu filho terá que ser face a face, durante um período de
anos. Demonstre, não explique. Ações falam mais alto que palavras, como
com uma mulher, você nunca a convencerá por que ela deveria estar com você
através do debate ou se explicando adequadamente. Você mostra que é um homem
que vale a pena estar, bem como respeitar pelo seu caráter, conquistas e
comportamentos de acompanhamento.

Alienação Parental

Há uma questão relacionada a ser considerada em tudo isso também. É conhecido como
Alienação Parental também que é bem informada pelo Imperativo Feminino. Isso mostra
que pais que não abandonam seus filhos e atendem às suas responsabilidades financeiras
têm seu papel parental reduzido ao longo dos anos
para nada. O conto é que se sua ex-mulher se casar novamente quando seus filhos
são jovens, o cara novo será funcionalmente seu pai.
Essencialmente, o cara novo é tratado como pai quando você não está por perto, mas
quando você está, esse fato costuma estar oculto. Este é outra importante
consideração, uma vez que em muitos casos você está lidando com a mentalidade e
temperamento do padrasto e as influências que isso incorpora em seu filho ou
na personalidade da filha à medida que amadurecem na idade adulta.
Se você está lidando com um padrasto Beta, você pode ficar tentado a pensar que
sua tarefa de reconexão pode ser muito mais fácil com uma
perspectiva pílula vermelha, mas a menos que seus filhos estejam mais apaixonados por seu
espírito cavalheiresco pílula vermelha, é provável que ele e a mãe de seus filhos tenham duplamente
reforçado uma pílula azul de crença feminina primária neles. Nem preciso dizer
que isso pode dificultar a reconexão se você estiver tentando desconectar
seu filho de sua Matrix.
Estranhamente, se sua tarefa é se reconectar com sua filha, esta Beta dinâmica do padrasto pode
trabalhar a seu favor. A maioria das filhas afastadas vai
estar procurando por aquele domínio masculino positivo que sua hipergamia
demanda. Em algum nível de consciência, seu cérebro posterior entende que
O Beta Step-Dad é um modelo de masculinidade menos que hipergamicamente ideal.
Mesmo as feministas mais ardentes e meninas totalmente doutrinadas ainda desejam
para a autoridade masculina dominante que elas esperavam que seus pais fizessem. Fornecendo este
contraste para ela contra o papel do padrasto Beta emasculado
e sua reconexão provavelmente será mais fácil.
Viva a pílula vermelha para seu filho
Um pai divorciado também pode ajudar seu filho se tornando um Alfa mais
liderante e masculino em sua própria vida como exemplo, viver uma vida social que seu
filho gostaria de imitar e convidar seu filho para essa vida. Simplificando, que

o pai consegue uma namorada ou madrasta mais jovem / gostosa / mais legal, agindo como um
Homem. Deixe seu filho se relacionar com ela, veja como ela é legal e transfira um pouco de
seu apego e interesse como um “objeto de amor” para ela. Como eu sempre digo,
demonstrar, não explicar. Você precisa demonstrar o possível para
ele.
O Complexo de Édipo pode ser reiniciado sobre essa nova mulher. Sem um verbal
argumento da parte do pai, o filho vai começar a comparar sua própria mãe,
ou as mulheres do Village que o influenciaram, para esta nova mulher.
Eventualmente, o filho vai desejar quem é mais atraente e aprender a
padronizar sua vida de acordo para atingir esse tipo de relacionamento. Se o pai é
convencionalmente masculino e cria um relacionamento mais desejável,
então o filho irá desejar sua nova mulher, emulá-lo para conseguir algo
semelhante, resolverá o complexo com sucesso e aprenda a ser masculino
para ele mesmo.
Adotar a consciência da pílula vermelha e internalizá-la como um modo de vida é
algo que um homem deve fazer por sua própria vontade. Se seus relacionamentos
com as mulheres podem servir como um contraste com o lado mais feio da primazia feminina que ele
aprendeu, chegar a isso "por conta própria" é muito mais fácil.

Seja um Mentor
Finalmente, eu tenho que defender a orientação da Red Pill para meninos que não são
seus filhos. Mentoria casual indireta é algo que tenho feito com
jovens já há algum tempo. Pode ser que você só tenha filhas ou pode
seja você tenha filhos, mas seus amigos ou outros jovens em sua vida teriam
de se beneficiar muito apenas de interagir com um homem ciente da pílula vermelha como um papel
de modelo. Incorpore essa masculinidade convencional positiva e sirva como um
contrapeso à doutrinação da Vila que esses jovens estão sendo
ensinados.
Para o cara que internalizou essa consciência a tal ponto que
se tornou um estilo de vida, pode simplesmente vir como uma coisa natural para você
exemplificar em seu estilo de vida, maneirismos e interações com homens e
mulheres. No entanto, lembre-se sempre de que suas atitudes e comportamentos são
o que os jovens estão interpretando contra o pano de fundo do que eles estão

aprendendo com o imperativo feminino na escola e na mídia. Seu


exemplo, mesmo com filhos que não são seus, servirão como um contraste com
seu condicionamento. Você precisa estar ciente
desta impressão. Na sua ausência, falaremos sobre você. Você irá
ocupar o espaço da cabeça dos rapazes, moças e da Vila
mulheres que tentariam depreciar sua personalidade.
Esteja você ciente disso ou não, você servirá como um mentor para os rapazes.
É muito melhor estar ciente disso e entender o efeito da pílula vermelha. Seja
cuidadoso, no entanto, para entender o contraste que você pode fornecer com respeito
à impressão do pai daquele menino sobre ele. Estatisticamente, o pai dessa criança é
provavelmente um Beta condicionado da Pílula Azul e / ou um não envolvido próprio pai (talvez
ausente). Sua impressão pode ser o único exemplo de uma forma positiva de um homem
convencionalmente masculino.
Isso vai ser um grande contraste para um menino criado com os ideais da pílula azul
encarnado por seu pai ou aqueles incutidos nele por uma mãe solteira também
como o da Vila. Tenha isso em mente também. Um pai ou mãe da pílula vermelha precisa
contrariar a Vila sendo uma Vila para ele mesmo. Esta é uma tarefa importante
de lembrar; você pode ser capaz de investir-se nos próprios
desenvolvimento como homens de seus filhos, mas se você servir como mentor de outros meninos,
incluindo eles
na mesma educação da pílula vermelha que seus filhos, você serve como um
professor pílula vermelha para homens além daqueles que você criou pessoalmente.
Procure oportunidades de ser mentor. Isso não significa que você precisa se inscrever para
seja um líder de tropa de escoteiros, apenas procure as oportunidades que apresentam
para si mesmo.

Criar Filhas
Quando minha filha tinha cerca de quinze anos, entrei em um debate com um
supostamente esposa / mãe da pílula vermelha que estava determinada não apenas a estudar em
casa
suas próprias filhas, mas apenas para financiar suas aspirações à faculdade se elas escolhessem
estudar na universidade estadual local e vivia em casa enquanto a frequentava. O dormitório,
”experiências e histórias online de orgias movidas a álcool no campus
desempenhou um papel importante em seus medos, mas mais ainda, em sua hesitação em cortar o
avental
de cordas eram sobre preocupações que seus queridinhos teriam
ideologias socialistas / feministas / marxistas culturais implantadas em seus
cérebros impressionáveis.
Achei isso interessante porque seus medos eram baseados na presunção
que suas filhas ainda seriam doutrinadas em todos os
os ensinamentos de Village, apesar de todo o seu ensino doméstico cuidadosamente planejado
pretendem torná-los resistentes a tais influências. Esta é a mesma mulher
que meticulosamente filtrou e censurou a exposição de suas meninas a
Influência ‘corruptora’ da narrativa cultural em várias formas de mídia -
TV, online, música, filmes, etc. No entanto, apesar de toda essa preocupação, ela ainda sentia
uma necessidade quase obsessiva de controle, mesmo quando suas filhas estavam bem
após a idade adulta jovem. O medo era tão grande que ela insistiu que
não pagaria, nem ajudaria a pagar, qualquer mensalidade universitária que estivesse fora
das duas ou três faculdades estaduais em que ela sentiu que poderia monitorar suas filhas.
Parte disso foi, ostensivamente, motivado pelo amplamente divulgado 'cultura
do cultura "(e totalmente desmascarada mito de 1 em cada 4 mulheres é estuprada no campus) ela
acreditava que era tão prevalente que exigia a supervisão dos pais
bem na idade adulta de suas meninas. A outra parte foi um reconhecimento tácito
do comportamento que ela se envolveu enquanto estava na faculdade e seu
reconhecimento da natureza e predisposições das mulheres jovens quando
permitida liberdade irrestrita para persegui-los. Houve um não dito
entendido que ela sabia para o que ela mesma era capaz, mas na
era pós-milenar, ela contrastou isso com a falta de direção e
falta de responsabilização das mulheres.

Quando tinha um programa de rádio terrestre, lembro-me de um programa de entrevistas


personalidade Tom Leykis fez um tópico sobre isso: Ele recebia ligações de mulheres comuns
contando suas histórias de como elas costumavam ser sexualmente (ou seja, sacanagem) e como
elas estão agora. Ele veio com isso depois de passar por uma escola primária em seu
caminho para o estúdio e vendo todas as mulheres lá esperando seus filhos
veio e se perguntou como suas vidas costumavam ser em seus
20 anos sem filhos. Este era um tópico muito popular e as confissões apenas
derramando como se todas essas mulheres estivessem esperando por anos para confessar
anonimamente sobre o passado sexual que seus maridos nunca sonhariam
que elas eram capazes. Cada uma dessas mulheres parecia orgulhosa de si mesma,
quase nostálgicas, como se fossem algum tipo de conquista do passado.
As mães de hoje sabem o que suas filhas estão se posicionando para
fase de juventude e adultas porque, muitas vezes, eles também querem reviver seus
Party Years vicariamente através delas. Mesmo que não seja para "revivê-las", são
experiências, em parte, que algumas das coisas que suas noções românticas convenceram
que elas podem ser possíveis nesta era. Isso não quer dizer que as mães querem suas pequenas
garotas sejam hedonistas safadas - longe disso, no caso da mulher que descrevi
- mas é para dizer que em suas filhas as mulheres reconhecem uma oportunidade de
dirigir as vidas que desejavam ter a visão de futuro para orientar
a si mesmas.
De acordo com o Census Bureau, as mulheres dos EUA agora lideram os homens na área educacional
obtenção pela primeira vez desde que o Censo começou a monitorar a medida em
1940. Muito se fala sobre essa "diferença de gênero" nas matrículas na faculdade, mas
o que geralmente se perde são as dispensas sociais disponibilizadas às mulheres
e os pré-requisitos cada vez mais elevados para que os homens frequentem a faculdade. Em 2017
onde mais de 40% das crianças são criadas por mães solteiras, é
interessante notar como o aumento do ensino superior feminino contrasta com
queda nas taxas de natalidade e o atraso cada vez maior do casamento para idades mais avançadas
para mulheres.
Como pai de meninas Red Pill, é de vital importância colocar a cabeça em ordem
dois elementos muito importantes; a evolução biológica específica de gênero
imperativos aos quais suas filhas estarão sujeitas e como uma ordem social feminino primária, a Vila,
procurará acomodá-los em todos os estratos,
todas as oportunidades na sociedade. Embora semelhante em intenção de como o Village

visa condicionar seus filhos, assim também criará suas filhas em sua própria
imagem. Essa imagem geralmente é baseada em convencê-las de seu
potencial ilimitado, ignorando qualquer realidade evoluída particular para seu sexo e
mascarando tudo em premissas ideológicas de igualismo igualitário.
O igualismo é o indicativo da narrativa do Fempowerment de hoje. Você vai
ler mais sobre isso posteriormente neste livro, mas como um contraste de como seus meninos
serão ensinados em um contexto feminino correto sobre suas falhas masculinas inerentes,
as meninas são condicionadas a abraçar seus papéis como fortes, independentes e
em última análise, inocente de qualquer consequência para as decisões com base nestas
impressões de si mesmas. As meninas aprendem que estão "corretas" como
padrão.
Em primeiro lugar, esta é uma dinâmica social que os pais devem ter em mente em
cada estágio do desenvolvimento de sua filha. Pedindo a um pai da pílula vermelha para ser
um psicólogo infantil é uma tarefa difícil, eu sei, mas a maioria dos homens costumam ser levados
sem saber o quão cedo a doutrinação Fempowerment de sua garota começa.
Se é assim que as Princesas da Disney carregam abertamente a água do
Imperativo feminino, ou como as escoteiras moldam mentes impressionáveis para
prepará-los para uma ordem social primária feminina, o propósito é o mesmo;
mergulhe as meninas em um senso de seu padrão social, pessoal e moral de
superioridade sobre os meninos (e homens posteriores), independentemente das limitações realistas
e desprovidas de quaisquer consequências de suas ações ou decisões.
É de vital importância para um pai da pílula vermelha ter em mente que o Village
irá em todas as oportunidades tentar convencer você e ela de sua ideologia. Aqui
é onde muitos pais da Pílula Azul perdem sua Estrutura com sua filha e
a mãe dela. Qualquer homem, especialmente o pai de uma menina, é impiedosamente envergonhado
por
não apoiar a independência e a "força" de sua filha que deveria
ele discorda até mesmo marginalmente com o que escolas, mídia, prestadores de cuidados e
uma mãe "poderosa" inculcaria em sua filha. Um dos viciosos
ciclos em que os homens da Pílula Azul ficam presos está transferindo seu senso de dever de "apoio"
autossacrificante de sua esposa / mãe perfeitamente para sua
filha. É uma mudança fácil para um provedor Frameless Beta convencer
ele mesmo que também tem o dever de garantir que sua garota se torne o foco de
seu apoio. Ao fazer isso, ele se torna um participante ativo em seu próprio
condicionamento da filha pelo Imperativo Feminino.

É provável que isso desperte algo na maioria dos pais, seja na pílula vermelha ou em qualquer outro
lugar.
Aonde que estou chegando aqui? Os pais não deveriam ser uma pessoa positiva e solidária
e um elemento encorajador da vida de sua garota? Claro, mas esse sentimento é
exatamente como o Village convence os pais (muitas vezes involuntariamente) a promover sua
ideologia na vida de suas meninas. Quem não gostaria do melhor para suas
filha? Certamente que sim e cometi o erro de não poupar despesas
por isso muitas vezes. No entanto, esta é exatamente a atitude amorosa natural que o
imperativo usa para promover a supremacia feminina em meninas, bem como
pai suplicante. Há tanta culpa investida nos pais em geral
hoje que evitá-lo, evitando o epitáfio de ser um não envolvido,
pai sem apoio é tão imperativo que (em grande parte, a pílula azul) pais irão
fazer esforços para dar “o mundo” às suas meninas.
No início deste capítulo, você leu Promise Keepers, e a mesma dinâmica de
querer evitar o legado de um "pai mau" se aplica à criação de filhas.
Os pais da pílula azul temem que, se não fomentarem os ideais do socialismo feminino
de primazia eles também serão como "pai mau" e sua filha sofrerá por isso como
ele e (ele acredita) sua própria mãe sofreram.
Crie uma filha, não um filho
Por todo o esforço que a Aldeia faz para nos convencer de alguns
números infinitos de gêneros não binários, muitas vezes é muito específico em sua
identificação de meninas e mulheres em uma forma binária-masculina que removeria
homens de incorporá-lo. Parte dessa batida incessante do superior da garota
potencial para os meninos é um incentivo infinito de colocar as meninas em
posições convencionalmente masculinas. Assim, vemos o pai com entusiasmo
encorajando suas meninas a se envolverem no que podemos considerar como
esportes de meninos, hobbies e interesses. Se você quer que sua garota se torne uma
boyscout hoje, há um engajamento ativo na organização para obter
meninas adeptas. Desnecessário dizer que não há absolutamente nenhum esforço semelhante nas
garotas
para recrutar meninos, em vez disso, os meninos são proibidos de entrar (provavelmente para o
melhor). Como parte do imperativo de levar as meninas para o espaço masculino, você não terá
dificuldade em encontrar programas especiais que permitam que sua garota participe de tudo
de um time de futebol a um time de luta livre, onde ela pode mostrar aos meninos como “as meninas
podem fazer qualquer coisa que os meninos podem. ”

Mesmo para um pai com pílula vermelha, há um elemento de querer encorajar uma menina
para participar de empreendimentos tradicionalmente masculinos. Por si só, isso não é
necessariamente uma coisa ruim até que esse desejo interfira com o desenvolvimento natural de sua
filha
como uma menina. Estar ciente da pílula vermelha significa que você também deve estar
vigilante em determinar como o Village tentará envergonhar você e
por encorajá-la a ser tradicionalmente feminina, convencionalmente feminina
nos interesses. E mesmo dentro do que você acredita ser convencionalmente feminino
organizações ou interesses, a influência da narrativa do Fempowerment irá
estar lá. Olhe para qualquer organização de concurso (não mais "concurso de beleza"),
qualquer clube de garotas, especialmente as garotas escoteiras, e você ouvirá esta mensagem de
feminilidade primária em alto e bom som.
Ao ler a seção Espaço Masculino, você entenderá melhor
por que esse impulso é tão forte hoje. Por enquanto, é importante que você esteja ciente
que não é apenas este impulso dirigido a impingir adequações masculinas em sua
filha, mas também tem o objetivo de fazer um pai sentir vergonha por não se juntar
nesse esforço.
Para o Blue Pill Dad, torna-se um motivo de orgulho obter seu mérito feminista
distintivo, provando como "com isso" ele está redirecionando interesses femininos naturais de suas
filhas para o que geralmente são espaços masculinos. Pode não haver nada
errado com isso se uma garota tem um desejo genuíno de participar de algo que ela
sente paixão, mas da perspectiva da Pílula Azul torna-se menos
sobre o esforço e mais sobre o desejo de superar qualquer coisa e
tudo associado ao homem. Isso se torna uma preocupação real quando
esforço envolve jogar meninas contra meninos no nível físico. Enquanto eu dou todo apoio a
mulheres aprendendo artes marciais ou esportes de contato, há uma razão para
os sexos serem segregados na competição - há um perigo real na diferença
da natureza física e agressividade do menino em comparação com a das meninas. o
Village, sendo fundada nos ideais equivocados de igualismo igualitário,
faria os pais acreditarem que diferenças biológicas fundamentais entre
meninos e meninas é insignificante. Eles querem paridade de gênero e isso significa
ignorar a natureza da biologia masculina e feminina.
Para os pais da Red Pill, a tentação é querer se relacionar com sua garota como
se ela fosse um filho. Esta é uma situação interessante para pais que podem
ter todos filhos e uma única menina, ou apenas meninas e nenhum filho. É fácil cair na

a armadilha de investir seu eu positivamente masculino em uma filha. Este


pode ser um desafio particular se sua esposa se inclinar para o
a própria narrativa do Fempowerment.
Mesmo uma mulher bem-intencionada com "pílula vermelha" ainda será dada a Forte
Narrativa de Independent Woman® que se tornou parte de seu investimento no ego,
e geralmente, isso é apenas algo que ela considera garantido. Ela pode querer um
filho forte da pílula vermelha para cuidar de seu próprio negócio, mas ela também quer uma
filha que uma ordem social primária feminina a convenceu de que ela precisa ser
“Tão duro quanto um menino.” Novamente, este é o resultado da narrativa igualista
que acredita que o gênero é uma construção social e que qualquer influência biológica
de gênero são simplesmente obstáculos a serem superados. Eu também devo apontar aqui
que se a mãe de seus filhos gosta de se considerar uma "pílula vermelha", ela
ainda vai esperar que seus filhos tenham um padrão, imerecido, respeito pelas mulheres
e isso se estenderá a suas filhas, suas mães ou mulheres em geral.
Há uma tendência crescente de confundir a pílula vermelha com o valor conservador tradicional
(trad-con), como tal, a ideia de Red Pill (no entanto, é definido por
trad-cons) torna-se mais atraente para as mulheres que acreditam que os homens deveriam ser
convencionalmente masculinos, mas também para submeter Frame às mulheres como é
conveniente.
Ela é uma garota que se tornará uma mulher
Vivemos em uma época em que a reclamação mais comum entre as mulheres é a
falta de quaisquer homens casáveis. Chegamos a um ponto em que as mulheres sentem que
precisam congelar seus ovos devido à falta de perspectivas de longo prazo com
no que diz respeito aos homens com quem elas acreditam ter uma "relação igual".
Sabemos que esse status realmente se refere à dúvida das mulheres em otimizar
Hipergamia em um único homem, mas o que estamos vendo agora é uma geração de
mulheres adultas, mulheres bem além de seus anos de competição sexual, que eram
criadas pela Vila e alimentado com uma dieta constante da mensagem de Empoderamento.
Estas são mulheres que foram criadas para acreditar que era dever dos homens ser
prontos e disponíveis para elas, uma vez que eles ultrapassaram os limites de seu
“Potencial ilimitado”. Na verdade, essa costumava ser a velha resposta
sobre por que as mulheres podem querer congelar seus óvulos ou procurar um banco de esperma
e ter filhos sem um pai verdadeiro - eles eram "tão focados na carreira que

nunca tiveram tempo para pensar sobre a maternidade até agora. ” A verdade é; realmente devido à
sua incapacidade de atrair e se estabelecer em um
relacionamento seguro de longo prazo com um homem que poderia conhecê-la impossivelmente
altos pré-requisitos de otimização hipergamosa.
Portanto, o Imperativo Feminino organiza convenções sociais convenientes para ajudar
elas aliviarem a dor provocada pela perspectiva de nunca se tornarem esposas ou
mães com um homem justo. A Aldeia as ensinou a nunca se acomodar
na época em que eram garotinhas. Os meninos eram ridículos, os homens ainda mais, e
todos eles precisavam da influência corretiva do feminino. Agora, em seu
anos pós-Muro, é culpa dos homens mais uma vez por não ter preparado adequadamente
para acomodar sua estratégia sexual de longo prazo. A Disney ensinou
a elas que eram princesas, mas foram criados para também acreditar que elas
seriam indivíduos autossuficientes, autônomas e autorrealizáveis - que
cresceria e se tornariam Strong Independent Women®, para nunca precisar de um homem
para qualquer coisa. No entanto, aqui elas estão congelando seus ovos exatamente por causa dessa
"independência".
Isso é o que a Vila vai ensinar a sua garota e é isso que você deve
preparar para esperar. Ela deve aprender que eventualmente haverá um preço para
ser pago por suas decisões. Isso é o que o Village nunca quer que ela
acredite; que com a decisão vem a consequência. A vila vai dizer a ela para
rejeitar a ideia de simpatia e abraçar seu solipsismo inato. Nunca faça
qualquer coisa para um homem, nunca se prepare para o prazer dele ou para o sua
aceitação; é seu privilégio até mesmo ser levado em consideração. o que
a vila não vai ensiná-la é que há consequências de longo prazo para
esta mentalidade duradoura, desprovida de apreciação real, desprovida de até
a ideia de que os homens devem ser respeitados por suas experiências.
Como mencionei antes, a melhor educação que você pode dar à sua garota é dar a ela
um exemplo para moldar seu ideal de um homem masculino positivo. É tão fácil
para dizer, liderar pelo exemplo, mas a mesma dinâmica central fundamental
da consciência da pílula vermelha e o jogo na prática podem (devem) ser usados para ensinar a sua
filha que um homem merece respeito e merece seu desejo de ser
uma filha, esposa e mãe melhor para ele. Exatamente o mesmo ciente da pílula vermelha
de núcleo psicológico, exatamente o mesmo entendimento da hipergamia que irá
ajudá-lo a ser a figura masculina dominante com sua namorada e esposa

irá ajudá-lo a modelar o tipo de homem que você espera que seu genro
será. Demonstrar domínio masculino positivo, nunca explicá-lo para
sua filha. Ela aprenderá que “as meninas mandam” e os meninos são babacas tristes.
Ela aprenderá que os homens são ridículos, mas não o papai, nunca o papai.
Existem centenas de estudos diferentes que indicam mulheres sem pai
ou com um pai fraco (Beta) torna-se adultas com “problemas de papai”. Elas
muitas vezes se tornam "mulheres quebradas", sem leme e propensas a todos os estereótipos
e tendências que você provavelmente espera - promiscuidade precoce, depressão,
inseguranças ao longo da vida, etc. E, claro, o Village já está preparado para
caluniar os pais (ou insistir em chamá-lo de supérfluo) e jogar para o padrão feminino de
vitimização. A verdade dessa dinâmica pai-filha é que as meninas e
as mulheres são alimentadas por um ciclo autoperpetuante e autodestrutivo de empoderamento
e a vitimização com o pai fraco misturado em algum lugar de culpa
no ciclo. Isso, antes de mais nada, é o que você deve estar preparado para lutar
embora seja o exemplo vivo da masculinidade positiva, ela nunca vai
saber a menos que você viva isso para ela. Você é de vital importância para
desenvolvimento como mulher dela. Você é um exemplo de masculinidade que nenhuma outra
pessoa solteira será capaz de imitar. E você deve ser tão destemido no
rosto do mundo que vai acusar você de ser abusivo, tipicamente homem,
chauvinista e misógino para sua masculinidade convencional.
Seja o exemplo em seu próprio casamento
Finalmente, você precisa ser o exemplo de masculinidade positiva em seu próprio
casamento. Supondo que você seja casado com a mãe de seus filhos e
você iniciou um modelo de relacionamento baseado em sua própria pílula vermelha com
Frame, você também tem que saber o quão importante é que sua esposa reflexivamente
responde a você como o exemplo masculino. É importante que você
e filhos e filhas reconhecem sua autoridade como tal, mas duplamente no
caso de filhas. Como sua esposa interage com você, como ela se comunica com você, adia suas
decisões, como ela responde às suas mestria divertida é vital para a percepção de suas filhas de um
modelo de papel masculino.
Eu diria que ter um quadro fraco com sua esposa ou viver em um poder
dinâmica de tal forma que é a ela a quem todos se submetem para decisões e autoridade é

quase mais prejudicial às percepções de gênero das crianças do que se um pai fosse
ausente de casa. Um papel masculino fraco, Beta, Pílula Azul define uma fraco
percepção de masculinidade para meninas que, como mulheres adultas, procurarão
homens que incorporam um homem que irá dominá-los ou alguém a quem eles
podem se dominar como sua mãe fez. Considerando a direção que
a hipergamia aberta nos estimulou, eu diria as duas coisas.
Jogo de relacionamento - A Primer
Para encerrar esta seção, senti que era minha responsabilidade terminar com alguns
fundamentos eu acho que são necessários para promover um relacionamento definido da Red Pill.
Como você escolhe (ou não) realizá-lo, seja no casamento ou em um sustentado
relacionamento de longo prazo (LTR), depende de você, mas esses são alguns princípios básicos, eu
acho
são susceptíveis de ajudar os homens a entrar ou desenvolver um relacionamento baseado nos
fundamentos da pílula vermelha
fundamentos.

Alfa
Antes de me aprofundar aqui, acho importante ter em mente que os princípios
do Game não muda em um LTR, apenas o contexto muda. Todo comportamento
definido, cada princípio de controle de quadro, cada aspecto de Amused Mastery e até mesmo
Habilidades de Pick Up Artist (PUA) como Cocky & Funny são todas necessárias, se não
mais necessário em um LTR. Uma das maiores falhas que os homens casados começam
suas núpcias com está começando de uma posição de Beta-ness. Eu encontrei,
e tenho aconselhado, muitos homens com a mesma história; eles entraram em
seu LTR ou casamento de uma posição padrão de ser o "apoiador"
parceiro submisso apenas para descobrir o Game mais tarde em seu relacionamento e
em seguida, travar a árdua batalha de convencer seu cônjuge de que eles
"Genuinamente" experimentaram uma mudança radical em sua perspectiva e personalidade.
Se tudo o que ela conhece é o Beta de você, convencer sua mulher de que você se tornou Alfa
é uma linha difícil de alcançar. Uma mudança alfa em um relacionamento de longo prazo é
ameaça a uma mulher que construiu um estilo de vida em torno da previsibilidade do
cara Beta com quem ela se comprometeu. Isso desperta a ansiedade da competição que ela tem
e que foi anestesiado por um longo tempo, e embora isso seja benéfico para alertar
seu desejo genuíno por você, também perturba sua sensação de segurança. É por essa
razão pela qual os homens Beta relutam em experimentar ser mais dominantes;
eles carregam de sua posição única na mesma crença equivocada de que as mulheres
requerem conforto, familiaridade e segurança para se tornarem íntimas ou
“Sentir-se sexy”. Eles ainda não conseguem entender, mesmo no casamento, que sexo por definição
requer ansiedade para ser baseada em desejo genuíno. A tensão sexual requer
urgência, aprenda a alimentá-la em sua mulher.

Portanto, desde o início, é importante reconhecer que passar de um Alfa


de um padrão beta exigirá um esforço medido e praticado. A ideal
posição é começar um LTR a partir de um incorrigível, irracionalmente autoconfiante,
Alfa enquadrar e incentivar a crença em seu parceiro de que foi ela quem
"Amadureceu" você. É insinuante e lisonjeiro para uma mulher acreditar
que ela tem a capacidade de encantar a fera selvagem com seus truques femininos.

O contorno
Nunca deixa de me surpreender o quão prontamente as mulheres se divorciam (e às vezes
divorciadas três vezes) vão dar dicas sobre os preparativos para um ótimo casamento. Ou
mais fascinante, ouvir maridos chicoteados repetindo essas mesmas falas.
O conselho de casamento de um cara divorciado geralmente é "apenas não se case". então
permita-me jogar meus dois centavos aqui.
Em todos os anos que tenho aconselhado homens e ainda não um cara me disse
que ele está fazendo mais sexo agora do que quando era solteiro ou namorava a esposa, mas
sexo não é o problema aqui - o desejo é a raiz do problema.
Como afirmei em muitos ensaios anteriores, devidamente motivadas, as mulheres irão
mover-se pelo país, rastejar sob o arame farpado e sair por uma janela de 2 andares
para foder um cara, ela tem o desejo genuíno de foder. Isso se aplica igualmente a
sua esposa há 10 anos. Antes do casamento, as mulheres procuram maneiras de transar
com um cara que elas querem transar, depois do casamento procuram formas de evitar,
mas é o desejo que o motiva.
Chris Rock diz isso melhor quando começa a fazer sexo após o casamento -
“Se você gosta de foder, casamento não é para você. Eu não fodo há 8 anos. Eu tenho
e tive ‘relação sexual’, mas não comi desde que me casei. Eu não tive um
boquete em 8 anos. Eu tive "felação", mas não tive meu pau chupado 8
anos."
Esta é a essência do desejo após o casamento; geralmente se torna outra
tarefa a ser adicionada à lista de afazeres de uma mulher. Leve as crianças para o treino de futebol, vá
buscar
mantimentos, foder seu marido e dobrar a roupa. Adicione um emprego de tempo integral a esta
lista e dormir torna-se o novo sexo. Mas não se trata de estar cansado ou
oprimido, é sobre desejo. Minha esposa trabalhava no turno da noite e se

ela chegou às 2 da manhã e me acordou dizendo que tinha vontade de fazer sexo, eu
poderia estar no mais profundo sono REM e acordar para desmaiar com ela
e esteja pronto para ir para dois, porque eu quero fazer sexo com ela. Mulheres
adoram jogar o cartão "mas eu realmente quero, não estou a fim agora"
contra isso, mas como sempre, nunca se esqueça de que é o comportamento dela que define a
intenção,
não suas palavras. Lembre-se, uma mulher vai foder; ela pode não te foder, ela
pode não me foder, mas ela vai foder alguém. Ela só precisa ser
devidamente motivada.

Níveis de Desejo
Todas as pré-condições que ela tinha para você aceitar sua oferta de casamento
- um bom trabalho, ser um bom provedor, um bom ouvinte, ser engraçado, ter status,
sendo confiável, um bom físico; tudo isso não faz nada para aumentar
desejo de fazer sexo com você. O solteiro, solteiro se preocupa com os níveis de interesse, o homem
casado deve se preocupar com os Níveis de Desejo.
Então, como você desperta esse desejo? Como voce consegue uma mulher que sabe
todos os detalhes íntimos sobre você nos últimos 10 anos, devidamente motivados para
foder como ela fez quando você tinha 20 e poucos anos? Mulheres oferecerão o
Oprah-correto, “mais romance!” e os homens revirarão os olhos e murmurarão
“Mais álcool.” Tire da sua cabeça agora todas essas noções femininas corretas
de que você precisa para "reacender o fogo" ou encontrar algum ritual engenhoso
que o levará de volta ao desejo que ela pegou de algum artigo em
horóscopo - eu já fiz isso antes. ‘Date Night’ é um band-aid para um
sintoma de um mal maior e este é uma prolongada falta de desejo. Há sim
nada pior do que seguir os passos de um pré-planejado, prescrito,
'Encontro-como-você-costumava-ter' apenas para ter sua esposa deitada na cama como um
peixe morto. Sexo com estrelas do mar. Nenhuma quantidade de oportunidade (que é uma data
noite é, oportunidade marcada) levará a ela querer fazer sexo com
vocês.
Não se trata de frequência, mas de qualidade. A frequência diminui após
casamento, é apenas logística (especialmente depois dos filhos), mas a espontaneidade não
tem que acabar. Sua esposa iria te foder no carro como ela fazia quando você era
namorado ? Ela estaria pronta para foder ao ar livre se vocês fossem
caminhando juntos em algum lugar? Ela estaria disposta a qualquer coisa pervertida que ela

não fazia antes ou há muito tempo, ou agora é tudo apenas sexo "baunilha"? Aqui está uma lista
das coisas que você deve fazer do ponto de vista de um homem:
Faça ela querer
Se você é casado há anos, ela provavelmente se sente muito segura com você
e qualquer grau de controle que ela tem em relação à regulação do fluxo de
sexo. Deixe-a desconfortável. Por mais contraintuitivo que pareça, esta é a
única vantagem mais importante que você pode aproveitar. Comece a tomar gradualmente
o poder que a intimidade dela exerceu sobre você nos últimos 10 anos
de volta dela. Quando você era solteiro, até mesmo a menor ansiedade
que ela pode ser rejeitada por outra, na melhor das hipóteses era a perspectiva de que ela solicitava
para ter aquele desejo de te foder melhor do que os outros.
O mais importante, porém, é fazer isso secretamente. Se você sair falando sobre
como você está pegando suas bolas de volta e é melhor ela se preparar ou você estará
à procura de uma mulher que gosta de te foder - você vai apenas parecer
inautêntico. Você tem que sugerir com sua atitude e comportamento que
algo mudou em você. O melhor princípio para lembrar no casamento
é que você só vai conseguir o que conseguiu se continuar fazendo o que tem
feito antes.

O poder do 'takeaway'
De uma forma ou de outra, os PUAs usam a lição para moldar o comportamento desejado.
Esta é a psicologia comportamental 101, reforce os comportamentos que você deseja e
puna aqueles que você não pune, o tempo todo lembrando que recompensa demais
leva à saciedade e à cessação do comportamento desejado. Não compre sua esposa
flores para levá-la a foder você, compre-as depois que ela se apresentar
em conformidade e para sua satisfação. Tantos homens casados que conheço (mesmo em
seus 60 anos) ainda tentam comprar sexo de suas esposas, "permitindo"
comprar coisas caras pensando que isso levará ao "sexo de apreciação". Na realidade
irá invariavelmente levar a um "sexo da dívida" negociado, obrigatório e sem desejo.
Lembre-se, o personal trainer com quem sua esposa te trai não
compra para ela uma maldita coisa para fazê-la querer transar com ele.
Sua atenção é sua melhor ferramenta nesse sentido. Uma coisa que eu digo para recuperar
Betas é não dar o braço a torcer no primeiro encontro e que as mulheres estão por
desejo de atenção por natureza. Quando você dá sua atenção sem ela
ter que buscá-lo, isso desvaloriza sua atenção. Este é um paradoxo no casamento
porque ela foi ensinada a esperar que "deveria" ter 100% de sua
atenção e ao longo dos anos não há mistério sobre você. Quando você
começa a tirar a atenção com a qual ela se acostumou, ela vai procurá-lo.
E, novamente, você deve fazer isso secretamente, pois ela responderá a isso secretamente. Você
tem que ser sensível aos ajustes que ela faz em sua busca de atenção,
na conversa, na postura, no hábito e no comportamento, porque ela não abertamente
diga "oh, por favor, preste atenção em mim." Isso aumentará seu desejo de ter
sexo com você para reafirmar essa atenção. O sexo então se torna um
reforçador para ela nesta busca de atenção que você pode usar para modificar
seu comportamento - neste caso, sendo um desejo genuíno.
Outras formas de takeaway podem incluir certas regularidades que ela cresceu
acostumada ao longo dos anos que ela considera garantidos. Um deles é um regular
beijo. Usei isso com grande efeito com minha própria esposa. Eu viria regularmente
casa do trabalho e vou beijar minha esposa assim que a vi, ela se tornou
acostumada a isso e depois de alguns anos, percebi que era como um
cachorrinho a esse respeito, imediatamente buscando afeto assim que consegui
casa, então comecei a tirar isso.
Eventualmente, ela secretamente reconheceu isso e começou a me cumprimentar na porta
com um beijo. Ela foi levada a desejar essa conexão por um take away.
Fique em forma
Nada mata o sexo casado mais rápido do que um ou ambos os parceiros se permitindo
decair fisicamente. A maioria das mães casadas que gostam de usar sua
gravidez como justificativa para a falta de motivação e a obesidade. Excitação
é o componente importante a ser desejado. Se sua esposa se mantivesse de biquíni
forma de modelo depois que ela estava acima do peso, seu desejo de transar com ela
sem dúvida iria aumentar. O mesmo se aplica a você. Todos os dias eu estou na academia
a ver incontáveis pessoas de 30 e 40 anos se esforçando e treinando como se suas vidas
dependessem disso. Na verdade, suas vidas sexuais dependem disso. Por muito tempo nós fomos
foi ensinado que "é o que está dentro que conta" e que maravilhoso

a beleza interior é. Engraçado como homens e mulheres treinam duro quando estão
divorciado hein? A questão é: o que há na situação deles que iria
fazê-los cuidar de si mesmos fisicamente que eles não fariam enquanto
casados ? Antes do divórcio, eles nunca tinham tempo ou motivação, mas
agora parece que eles têm muito de ambos.
Ao ficar em forma - e com isso quero dizer melhor forma do que seu cônjuge -
você envia uma mensagem, não só de confiança, mas um entendimento velado de que
ela terá alguma competição imaginária pela sua atenção via prova social.
Assim, você não só cria um desejo genuíno pela excitação física, mas também
simultaneamente criar uma psicologia do desejo, levando a naturais
impulsos competitivos (ou seja, medo).
Não dirija bêbado
“Provoca o desejo, mas tira o desempenho.”
O álcool não é um afrodisíaco. Eu sei que parece estranho vindo de um cara
que trabalhou na indústria de bebidas alcoólicas por 12 anos, mas é verdade. O álcool faz
diminuir as inibições e talvez predispõe sua esposa a fazer amor. Depois de
anos de experimentação, aperfeiçoei o 'pantydropper' - aquela mágica
da fórmula de álcool apenas o suficiente para mantê-la, mas não tanto quanto para estar
desmaiando sobre o vaso sanitário. Ainda assim, o sexo é melhor sóbrio e o óbvio
contratempo de whisky-dick não vai melhorar seu já duvidoso desejo
para fazer sexo em primeiro lugar. Entenda a dinâmica de sua sexualidade também.
Bata enquanto o ferro está quente e certifique-se de estar de pé e pronto para ir no auge
de seu ciclo menstrual. Pegue-a logo após um bom treino e depois de você
volte do levantamento e essa é a referência para sexo genuíno "real"
do desejo. Você simplesmente não pode inspirá-la a um padrão de desejo se um ou ambos
de você tem um depressor em sua corrente sanguínea. Se você quiser alguma coisa
para acelerar o fluxo sanguíneo, não impeça.
Combustão espontânea
Previsível é chato. Não há nada mais previsível do que sexo com o
mesma pessoa que você está namorando há mais de 10 anos. Estranhamente
o suficiente, o princípio da espontaneidade é exatamente o motivo pelo qual conselhos inúteis como
"namorar

a noite'' e "mantê-lo atualizado" em dos artigos de Marie Claire vendem revistas e


não salvem casamentos. Todas essas ideias “renovadas” são previsíveis. Para
todas as ideias malucas que você pode ter para um sexo ‘novo’, você ainda está
transando com a mesma velha com quem se casou há 10 anos. Você tem que ser
disposto a empurrar o envelope com suas expectativas de sexo previsível.
Sugira quando ela menos esperar. Diga a ela para mostrar seus peitos ou algo assim
outra emoção barata quando a oportunidade se apresenta na praia ou
em algum lugar semi-público. Criar uma condição de desejo não precisa
ser direto e imediatamente levarem à relação sexual. Peça a ela um boquete no
estacionamento antes de ir jantar uma noite. Até mesmo pedir é excitante.
Mesmo que ela rejeite você, você ainda pode usar a rejeição dela a seu favor
uma vez que implica que, talvez em algum momento, ela (ou algum outro
namorada que você tinha) costumava fazer isso porque ela queria (ou seja, assumir a
venda). Quando você faz uma proposta, sua esposa faz parecer que acabou de explodir
em sua cabeça naquele exato momento. Mais uma vez, pense dissimuladamente, não abertamente.
Aberto
requer planejamento e planejamento = previsível e enfadonho. Encoberto implica
espontaneidade.
A regra cardinal de relacionamentos
Em qualquer relacionamento, seja romântico, pessoal, empresarial ou familiar, o
a pessoa com mais poder é aquela que menos precisa da outra.
Pode parecer maquiavélico, mas é verdade, especialmente no casamento. E se
você se pergunta quem tem maior grau de controle em seu relacionamento,
a resposta é sempre ela. Ela deve vir até você. Se você é o prêmio e ela
reconhecer isso, você inspirará um desejo genuíno. Tantos caras casados como eu
sabem que pisaram em ovos durante toda a sua vida de casados porque colocaram
suas esposas em uma posição de serem as guardiãs de sua própria sexualidade.
"Ela tem vagina, cara, eu não quero irritá-la" é o mantra que eles
repetem para eles próprios. Isso então flui para outros aspectos de
suas vidas e coloca a mulher em se tornar a autoridade no casamento.
Assim como na vida de solteiro, se sua intimidade for usada como agente para obter o desejado
comportamento de seu marido que é o valor que tem. Quando você pode provar para
ela que sua buceta não é mais um reforço gratificante para o
comportamento dela sobre você, você remove esta agência e se reinicia em pelo menos uma
base parcial de seu bacharelado anterior.

Solipsismo Feminino
Solipsismo (do latim solus, que significa "sozinho", e ipse, que significa "eu") é
a ideia filosófica de que apenas a própria mente existe com certeza. Como uma
posição epistemológica, o solipsismo detém o conhecimento de qualquer coisa
fora de sua própria mente está inseguro; o mundo externo e outras mentes
não podem ser conhecidas e podem não existir fora da mente. Como uma posição metafísica, o
solipsismo vai mais longe à conclusão de que o mundo e as outras
mentes não existem.
“As mulheres sempre foram as principais vítimas da guerra. Mulheres perdem seus
maridos, seus pais, seus filhos em combate. As mulheres muitas vezes têm que fugir das únicas casas
que eles já conheceram. As mulheres costumam ser refugiadas de
conflito e às vezes, com mais frequência nas guerra de hoje, vítimas. Mulheres
muitas vezes ficam com a responsabilidade, sozinhas, de criar os filhos ”.
- Hillary Clinton
Houve um tempo em que planejei usar a citação agora infame de Hillary para
um ensaio delineando a distinção entre o solipsismo inato das mulheres e um
narcisismo erudito e aculturado. No entanto, o destino me deu muito mais
uso profundo para esta citação aqui.
Antes de me aprofundar, sinto que é uma espécie de incumbência apontar que
de nenhuma maneira me alinho com isso, nem endosso a política ou ideológica de Hillary
e suas perspectivas, e acho que deveria ser desnecessário dizer que discordo das
agendas sociais primárias femininas dela.
Dito isso, se você precisar de uma citação melhor para explicar as realidades do feminino
solipsismo, acho que ficaria perdido em lhe dar um. Muitos homens, mesmo
Homens conscientes da pílula vermelha têm dificuldade em entender como as mulheres são inatas
e o solipsismo se encaixa na psique feminina. O condicionamento social e
educação que nos predispõe a conflitos de mentalidade igualitário-igualista
com o pensamento de que mulheres e homens teriam diferenças psicológicas
de firmware. O igualismo nos ensina a esperar que as necessidades de homens e mulheres
compartilhem

de origens mútuas e nossos impulsos são tão semelhantes que qualquer diferença é
insignificante. Biológica e sociologicamente, isso é comprovadamente falso.
Esse mesmo quadro igualitário nos predispõe a considerar que "nem todas as mulheres
são assim "ou para desassociar a ideia de que homens e mulheres podem ser
qualquer coisa, menos agentes funcionalmente iguais. Como resultado, ficamos convenientes
distraídos para confundir nossa busca por estados comparativos, caso alguém (ou
coisa) desafie uma resposta igualista fácil.
Resumindo, temos motivos como “Bem, os homens também fazem” ou pior. Estavam
ensinado a duvidar de qualquer comparação oposta que nos afaste de
considerar a verdade de que homens e mulheres são psicologicamente, biologicamente
e sociologicamente diferentes; com diferentes motivos e diferentes estratégias
que empregamos para atender a diferentes imperativos. E muitas vezes estes
imperativos estão em conflito com os melhores interesses do outro sexo.

Separando Diferenças
Eu elaborei essa regra em The Rational Male, Preventive Medicine, mas
por enquanto, vamos reconsiderar:
A regra cardeal das estratégias sexuais
Para que a estratégia sexual de um gênero tenha sucesso, o outro gênero deve
comprometer ou abandonar seus próprios.
São as diferenças fundamentais nos imperativos de ambos os sexos, aculturação
e a biologia que cria esse conflito. Claro, homens e mulheres têm
reúnido-se para o benefício mútuo (e amor e prazer) um do outro para
criar famílias e sustentar nossa raça por milênios, no entanto, esso mutuamente
união benéfica não se origina de imperativos mútuos ou mutuamente
estratégias sexuais benéficas entre os sexos.
No meu primeiro livro, quando expliquei como as mulheres consideram uma oportunidade
de conceito de amor, enquanto os homens têm um idealista, a resistência em aceitar
que esta realidade observável e comportamental está enraizada em uma crença inexorável de que
homens e mulheres são fundamentalmente iguais. Então, quando lemos uma declaração

de uma mulher com o status de Hillary Clinton, ou zombamos do esquecido


audácia disso (porque é tão contrário aos nossos interesses (masculinos) imperativos)
ou nós acenamos em ascensão na crença feminizada de que o que melhor serve ao
o imperativo feminino é necessariamente o melhor interesse do imperativo masculino.
Essa é a lógica com a qual Hillary espera que os homens concordem.
Hillary é uma ilustração da diferença fundamental na interpretação
de experiência entre os sexos. De perspectiva de uma mulher solipsisticamente inconsciente, o que
Hillary está expondo aqui é inteiramente verdade. A partir de uma
perspectiva que prioriza singularmente a hipergamia feminina acima de tudo,
essas três frases fazem sentido perfeito e pragmático. A ideia de que os homens
perdem suas vidas na guerra os tornaria vítimas em tudo (muito menos
vítimas primárias) nem mesmo é uma reflexão tardia; tudo o que importa é a segurança de longo
prazo
e fornecimento contínuo de mulheres e seus imperativos.

Solipsismo, não narcisismo


Muitos homens recém-cientes da pílula vermelha ficam confusos com o uso do termo
"Solipsismo", quando me refiro a este esquecimento específico da mulher a qualquer
preocupação - ou preocupação com menor prioridade - de qualquer coisa fora de suas
necessidades existenciais imediatas. A confusão vem de homens que querem
uma justiça semelhante em que as mulheres são responsáveis por sua própria agência moral.
Auto-importância, interesse próprio arrogante ou narcisismo parecem ser um
termo mais apropriado para essa dinâmica, mas discordo. Todos esses termos
carregam uma conotação negativa e com eles a obrigação das mulheres
(espero) carregando o fardo da responsabilidade pessoal por seus comportamentos
com base neles.
Como homens cientes da pílula vermelha, precisamos nos prevenir contra atribuir a fatores sociais
construtivismo, o que é melhor explicado pelo caráter inato das mulheres, evoluiuram
predisposição.
O solipsismo feminino em si não é necessariamente um resultado negativo líquido no
escopo maior de sobrevivência e evolução humana. Na superfície, isso pode parecer
um pouco ultrajante, mas só é ultrajante na medida em que as mulheres solipsistas
por naturezas entram em conflito com os imperativos biológicos e sociais dos
homens. Muito do que constitui a natureza solipsista das mulheres hoje é fundamentado

na autopreservação evoluída (e, por extensão, a preservação de qualquer um da


sua prole). Este solipsismo é o resultado necessário de um instinto de sobrevivência feminina
que ajudou a preservar as mulheres e seus filhos na violência,
ambientes caóticos e incertos de eras pré-modernas.
Muitos dos meus críticos me questionam sobre isso, no entanto, é importante manter
em mente que reconhecer a importância do solipsismo feminino não é uma
endosso dos subprodutos anti-sociais, e muitas vezes cruéis.
Reconhecer a natureza solipsista das mulheres não é um endosso ou licença
para comportamento ou decisões que influencia.
Sem dúvida, os homens que estiveram no extremo desta natureza irão moer seus
dentes no narcisismo inevitável que se torna uma extensão da mulher
solipsista. Eu vou concordar. Socialmente, estamos vivendo em uma era sem precedentes
de narcisismo (ocidental) manifestado na grande maioria das mulheres.
Em nenhum outro momento da história as mulheres se acostumaram a
direitos percebidos de segurança pessoal, controle social onipresente e
garantias relativas de otimização dos imperativos hipergamosos. Em nenhum outro
tempo as estratégias sexuais das mulheres foram de importância primordial para
sociedade coletiva. Porém, esse narcisismo é fruto de uma aculturação
e aprendeu as prioridades sociais que predispõem as mulheres a expectativas da
fronteira com a arrogância. Nas últimas gerações, esse narcisismo se tornou
aprendido e promovido em mulheres a ponto de o narcisismo ser abertamente
abraçado como uma força feminina - as mulheres acreditam que é devido depois de um longo
sofrimento.
A natureza solipsista das mulheres, no entanto, é parte integrante de sua evolução
de firmware psicológico. O solipsismo é o resultado evoluído e selecionado das necessidades de
autopreservação que garantem a sobrevivência de nossa espécie. Como homens nós
ficamos frustrados com essa natureza intrínseca; uma natureza que coloca as mulheres
e seus imperativos como seu principal ponto mental de origem. Como qualquer recém-ciente
homem da pílula vermelha vai atestar, chegar a essa conclusão é uma verdade muito difícil de
aceitar. É cruel e contrário ao que o primeiro conjunto de livros o ensinou
ele deve esperar e construir sua vida em torno dela. Além disso, é cruel em
o respeito que este solipsismo não se alinha com o romântismo que o Blue Pill
espera que ele tenha sido criado para aceitar, nem o jogo igualitário, igual e nivelado
ideologia de campo que ele foi condicionado a acreditar que pode esperar das mulheres.

Como afirmei anteriormente, chegar a um acordo com as diferenças entre homens e mulheres
sobre os conceitos de amor é uma desilusão difícil, mas essa diferença de conceito é
simplesmente um dos muitos problemas que um homem deve aceitar em sua consciência pílula
vermelha.
Quando eu desmascarei o mito de que as mulheres têm alguma empatia sobrenatural,
muitas vezes sou questionado sobre a capacidade das mulheres de sentir empatia por um maior
grau do que os homens. Não é que as mulheres não possam sentir empatia (a
experiência compartilhada), meu argumento era que a ideia de que as mulheres sentem um
empatia "maior" do que os homens é uma convenção social com o propósito latente
de mascarar o solipsismo inato das mulheres. Essa não era uma ideia muito popular. A noção de que
as mulheres são mães e nutridoras era previsivelmente
explicado, mas no que diz respeito à empatia e cuidado com os homens,
a principal preocupação das mulheres era sua prórpria preocupação e com bem estar de seus filhos
antes de seus homens, caso sejam feridos,
incapacitados ou mortos. Novamente, esta é uma verdade cruel, mas também pragmática e
baseada em sobrevivência.

Ponto de Origem Mental


O ponto de origem mental das mulheres começa com sua própria auto-importância, e
a importância primordial da própria sobrevivência e da sobrevivência de seus filhos. Eu tenho
leitoras me criticaram dizendo que não poderiam ser assim
influenciadas pelo solipsismo porque colocam o bem-estar de seus filhos antes
de seus próprios. No entanto, é apenas esse solipsismo que predispõe as mulheres a
ver seus filhos como extensões de si mesmas e de suas próprias identidades.
E a boa notícia é que essa dinâmica é uma das razões da espécie humana
ter sido tão bem sucedido.
As mulheres são ruins em raciocinar, mas boas em racionalização.
Deixe isso cair por um minuto. Não se pode racionalizar sem a faculdade de
razão. Então as mulheres são realmente ruins em raciocinar? Não, na verdade eles são ótimas
nisto. A diferença é que as mulheres não valorizam tanto a verdade quanto elas
fazem sobre a autopreservação e, portanto, seus processos de raciocínio não
abortam quando houver autocontradição e dissonância cognitiva. Eles vão
apenas racionalizar uma saída também, se exposto.

Em última análise, essa racionalização reflete uma diferença subjacente de valor


sistemas mais do que na capacidade de raciocínio. As mulheres podem e aprendem a
sublimar seu solipsismo. Na verdade, as culturas e sociedades progressistas têm
sido fundada na sublimação do solipsismo feminino. As mulheres podem e aprendem
pensamento crítico com bastante regularidade. As mulheres podem aprender e funcionar dentro de
uma
sociedade que as obriga a comprometer suas estratégias sexuais e atenua
os piores abusos que o solipsismo infligiria aos homens (e a elas próprias).
As mulheres podem aprender a ter empatia pelos homens, bem como viver dentro de uma
ordem social que se parece com justiça mútua.
No entanto, o fato de que essas dinâmicas civis precisam ser algo a
aprender apenas reforça as influências biológicas e evoluídas do
solipsismo feminino como ponto de origem mental das mulheres. A necessidade de segurança
em um ambiente caótico levou ao solipsismo feminino a ser selecionado para,
adaptação de autopreservação. Este firmware pode ser substituído por comportamento aprendido. O
paralelo a isso é o aprendizado dos homens a sublimar partes intrínsecas de
eles próprios - principalmente sua sexualidade - para reforçar a interação pró-social
na sociedade.
As mulheres não gostam da ideia de que suas experiências sejam coloridas pelo solipsismo. isto
soa mal, e vai contra o que elas acreditam ser sacrifícios em
sua própria parte para ajudar os outros. Pode ser assim, e eu certamente não vou
tentar descontar esses investimentos, mas eles vêm de um aprendizado
que compaixão que deve superar um solipsismo inato. Isso 'eu e meu
o primeiro ponto de origem mental dos bebês não é necessariamente uma coisa ruim - é
só quando essa compaixão e humildade aprendidas são substituídas por ela que
comportamentos anti-sociais e arrogância surgem.
Espero que a crítica previsível seja a de que os homens também são presunçosos,
e / ou todos os humanos são fodidos intrinsecamente egoístas. Vou elaborar mais sobre
isso, mas por agora é importante compreender que a natureza solipsista feminina é menos
sobre individualismo egoísta e mais sobre sobrevivência pragmática.
Muitos leitores do sexo masculino da minha série Hierarquias do Amor (Medicina Preventiva)
tem se posto contra a ideia de que um modelo convencional de amor progrediria
de homens para mulheres, depois mulheres para crianças e crianças para cachorros, etc.
Esse modelo é um reflexo direto de um solipsismo exclusivamente feminino que
aparentemente descarta o investimento emocional recíproco dos homens nas mulheres. Esta

entra em conflito com o investimento dos homens Beta de si mesmos no mito do Relacional
de Capital próprio. No entanto, esta também é a mesma dinâmica que predispõe as mulheres a
desejarem homens que possam controlar decisivamente seu ambiente, bem como
dominá-los sexualmente e emocionalmente.
Sociedade Solipsística
Um leitor uma vez me perguntou:
Rollo, seria ótimo se você pudesse fornecer algumas evidências de mulheres
solipsistas além de alguns exemplos. Por experiência própria, poderia citar
poucas mulheres solipsistas, mas eu poderia fazer o mesmo pelos homens também, e estou longe
de convencido de que o traço é universal nas mulheres, ou mesmo que é mais
prevalente em mulheres do que em homens.
Antecipo críticas a esse tipo de busca de exemplo. E para seu crédito, meus
comentaristas femininas mais vocais nunca me decepcionam (às vezes,
topo). Outro leitor teve um ótimo exemplo que devo citar
aqui:
Uma das coisas que mais abriram os olhos do mundo solipsista das mulheres foi quando um
prato meu estava me dando instruções sobre onde pegá-la. Foi
algo assim:
Ela: “Quando você chegar naquele semáforo, vire para mim”.
Eu: “O que você quer dizer?”
Ela: “Vire aqui para mim”.
Eu: “Como diabos vou saber de que lado é isso? Esquerda ou
direita ?"
Ela: “Não sei. Apenas vire na minha direção ”
Ela acabou dando instruções, mas me surpreendeu como é difícil para uma mulher
para se colocar no lugar de outra pessoa, mesmo se ela quiser.

O ponto de origem mental das mulheres (solipsismo) pressupõe o mundo inteiro


fora dela concorda com seu imperativo e compartilha mutuamente a
importância e prioridades do mesmo.
Assim como a lente da pílula vermelha, é preciso ter sensibilidade, mas você começará a
observar ocorrências desse solipsismo ao seu redor se você prestar atenção. A
a aculturação feminina primária igualista predispõe os homens a aceitar as
manifestações deste solipsismo como algo "normal", então nós descartamos ou
acenamos de acordo sem realmente considerar isso. Pílula Azul mais plugada
os homens simplesmente veem isso como uma condição operacional padrão para as mulheres
no grau em que esta natureza solipsista é empurrada para as periferias de suas
consciência.
É assim que as mulheres são e as mulheres são mais do que felizes em ter homens
que aceitam seu solipsismo como intrínseco à sua natureza. É desculpável no mesmo
sentido que as mulheres detêm uma "prerrogativa da mulher" - ela sempre reserva o
direito de mudar de ideia. Quando seu padrão é aceitar este social
imperativo que quaisquer inconsistências maiores sejam alinhadas por trás dele.
Homens e mulheres estão condicionados a aceitar que o que melhor beneficia
a estratégia sexual das mulheres é necessariamente o que beneficia os homens. Tanto em uma social
e a importância solipsística das mulheres em nível pessoal presume, por padrão,
que o que melhor se serve automaticamente serve melhor aos homens - mesmo
quando eles se recusam a reconhecê-lo. Lembre-se, nada fora do feminino
imperativo existencial tem mais significado do que o que uma mulher individual
vai permitir isso. Então, perceptivamente para as mulheres, se um homem se encaixa em um
propósito
de requisitos primários dela, ela presume que ele também deve compartilhar mutuamente
a consciência de seu propósito para ela. Assim, ela afirma que seus imperativos
são iguais aos dela e uma sociedade baseada no igualismo que apenas
serve para reforçar essa presunção.
Reforço Social
O reforço social da natureza solipsista das mulheres é uma ação que se autoperpetua
em ciclo. Uma ordem social primária feminina reflete em si mesma e, em seguida, sustenta,
o solipsismo feminino. Para a maioria dos homens conscientes da pílula vermelha, este ciclo é
aparente nos
direitos exagerados das mulheres, mas há muito mais do que isso.

Quando os homens aceitam e reforçam isso socialmente, nós alimentamos e confirmamos que as
mulheres
e suas naturezas solipsistas definem nossa narrativa social. Quando os homens estão imersos em uma
Aceitação da pílula azul do que eles acreditam que deveria ser a condição dos homens, e
defendem (ou "capacitam") os comportamentos solipsistas das mulheres ou manifestações
disso, é quando o ciclo de afirmação desse solipsismo se completa.
O solipsismo em um nível social priorizará coletivamente a autopreservação
dos esforços da Irmandade como um todo. Isso é o que sempre chamo de
Sisterhood Über Alles - as necessidades das mulheres vêm antes de todas as outras preocupações ou
diretivas. Este é outro exemplo de solipsismo; que primeiro uma diretiva de uma mulher
é defender os imperativos de seu sexo, mesmo acima de considerações de
convicção religiosa, votos de casamento ou ideologia pessoal adotada. Isso é
a profundidade e a amplitude do solipsismo feminino e, novamente, isso reforça um
ciclo de afirmação nas mulheres. Se existe um princípio fundamental sobre
no qual o Imperativo Feminino se funda, o solipsismo é sua raiz.
Comunicação
Uma das maneiras mais fáceis de identificar a natureza solipsista das mulheres se manifesta
em seu estilo de comunicação. Especificamente, este é um autofoco inerentemente interno para
conversas internas. Eu descrevi muitas vezes como o estilo de comunicação das as mulheres
é oculto, reservado e sujeito a pistas contextuais e
significados diferenciados, enquanto o masculino é aberto, contundente e contente ou informativo
e dirigido. Muito da existência interior das mulheres se manifesta no
ideal socializado de que as mulheres podem e (deveriam) ser ilhas para si mesmas;
não exigindo nada de uma agência externa para a autorrealização.
Não estou sozinho, gosto da solidão ...
Sou uma pessoa completa que não precisa de outra para minha própria realização. Nenhum homem,
nenhuma mulher. As qualidades identificadas por diferentes culturas como masculinas e
feminino ... são todos meus. Sua obsessão com divisão ... é absurda.
Eu mergulhei nos estilos de comunicação das mulheres em mais ocasiões do que posso
contar em meus ensaios, e no que diz respeito a como as mulheres se submetem a sua
natureza solipsista, não há melhor maneira de identificá-la do que nas prioridades
que dão para se comunicar com homens e outras mulheres.

É infinitamente divertido (e previsível) ver com que frequência as mulheres dão


resposta padrão dos homens feminizados a qualquer coisa da qual eles discordem em relação
para a dinâmica de gênero é encontrada uma personalização em contrário. É sempre
a história "não no meu caso" sobre como sua anedótica pessoal,
a experiência excepcional prova categoricamente um oposto universal. Por ordem de graus,
as mulheres têm uma tendência natural para o solipsismo - portanto, qualquer dinâmica é
interpretados em termos de como se aplica a elas primeiro, e depois o
toda a humanidade.
Os homens tendem a recorrer a metaobservações mais amplas, racionais e empíricas e decidir se
concordam ou não, mas uma mulher quase
confiam universalmente em sua experiência pessoal individual e se apegam a ela como
Evangelho. Se é verdade para ela, é verdade para todos, e experiência e dados
que contradizem suas auto-avaliações? Isso não tem influência porque 'ela'
não gosta disso. Todas as experiências maiores passam necessariamente por seu filtro de
auto-referência.
Essa personalização é a primeira ordem de qualquer argumento apresentado por mulheres
que acabei de tomar conhecimento de longas conversas e debates em
a Manosfera. É tão previsível que agora é clichê, e cada mulher
a retorta reflexiva invariavelmente responde com anedotas personalizadas que elas pensam
que supera qualquer evidência objetiva e observável em contrário.
Pode ser divertido para os homens do Red Pill contar as ocorrências de
personalização no comentário de refutação de uma mulher, mas não é sobre como
muitos "eus" ou "mim" que uma mulher traz a qualquer contra-argumento - é que a
a primeira inclinação dela para um contra-argumento é usar sua solipsista
experiência pessoal e espera que seja aceita como uma verdade universal válida
para quem ela está apresentando. Eu’s, Mim’s e Eu mesma’s são simplesmente os
veículo e manifestação da primeira diretiva das mulheres - uma mentalidade solipsista
de ponto de origem dela; qualquer desafio a essa auto-importância é invalidado por
auto-primazia pessoal. Esta origem mental é tão automática e enraizada em
tal grau límbico que sua consideração nunca é uma reflexão tardia para ela.
Isso é comum às preferências de comunicação femininas (e homens que têm
condicionado a optar por um modo de comunicação primário feminino).
As mulheres se concentram principalmente no contexto da comunicação (como isso faz
sentem enquanto se comunicam), enquanto os homens se concentram principalmente no conteúdo

(a importância da informação que está sendo comunicada). Isso não é para


excluir os homens do uso de experiências pessoais para ajudar a ilustrar um ponto, mas
a intenção vem de um motivo diferente. Esse motivo é uma tentativa de melhorar
e compreender o conteúdo e as informações dessa questão, não um exercício de autoafirmação que
o solipsismo feminino requer para preservar os investimentos do ego de uma mulher (geralmente seu
ponto mental solipsista de origem). A mais visível
manifestação do solipsismo rudimentar da mulher é a importância para a qual
eles esperam que sua experiência pessoal e existencial seja considerada a máxima
verdade válida, legítima e universal aparente em qualquer debate.
Síndrome do Meio da História
Uma coisa que me deixa frustrado por praticamente todas as mulheres que já conheci
e tenho conhecido em minha vida é a tendência de iniciar uma conversa no meio de
uma história; o tempo todo esperando que os homens entendam todas as nuances e sejam
familiarizados com todos os detalhes minuciosos de 'sentimento' que compunham uma história de
fundo que
nunca é próximo.
Eu juro, todas as mulheres que conheci já fizeram isso comigo em algum momento. A
presunção é que sua história é de tal importância que se preocupam com qualquer
pretexto, ou delineando e descrevendo os eventos e informações que levaram a
aquele elemento vitalmente importante que os fez se sentir de certa forma é
tudo o que deve importar para um ouvinte. As mulheres têm uma maneira estranha de
aceitar isso quando contam histórias entre si; respigar
detalhes incidentais da história de fundo à medida que o narrador continua.
Existe uma convenção social irônica operativa feminina que reclama que
“Os homens não são bons ouvintes” ou “os homens não ouvem” o que as mulheres estão dizendo
. Esta convenção é realmente outra manifestação de uma solipsista
mentalidade no que diz respeito à comunicação.
Não é que os homens não escutem, é que nossos estilos de comunicação se concentram em
informações de conteúdo, não a "sensação" contextual do que está sendo
comunicado por mulheres. As mulheres, acima de tudo, odeiam repetir
a si mesmas. Não por causa do inconveniente, mas porque os homens não
ouvem 'e exigem uma repetição dessa informação que conflita com seu
próprio solipsismo primário. O desejo de um "bom ouvinte" é realmente o desejo

para um homem que afirma sua prioridade por não precisar que lhe digam algo
que confirma essa prioridade mais de uma vez. E esta confirmação deve
nunca exija explicação ou compreensão da história de fundo dos eventos
isso fazia com que parecesse importante para ela.
As mulheres têm um pretexto inerente na comunicação que sempre começa com
si mesmas. Na verdade, a maioria está tão certa de sua verdade pessoal solipsista que
objetividade flagrante nunca entra em suas mentes; pelo menos não inicialmente. Mulheres são
inteiramente capazes de aplicar razão, racionalidade e pragmatismo, é só que
esta não é sua primeira ordem mental quando confrontada com a necessidade dela. Assim como
uma menina pode ser ensinada a jogar um objeto, assim como é natural para um menino,
uma transcendência treinada acima de seu solipsismo, que considera as
existências individualizadas de experiências de outros exigem um esforço aprendido.

Damas primeiro
O leitor também me deu uma ótima ilustração:
Perguntei à minha ex se os filhos dela vieram primeiro ou se eu sim. Ela fez uma pausa e disse: “Eu
realmente
não sei. Essa é difícil. " Eu respondi "Então são seus filhos." Eu lembro da minha
ex-esposa lendo um daqueles livros salve seu casamento logo depois que eu deixei
claro que eu estava saindo. Ela leu para mim uma linha e disse que vê como ela estava
errada. A linha era mais ou menos assim: “Se você quiser ter um forte
casamento, você precisa entender que seu marido vem primeiro, antes mesmo
de seus filhos. Eles devem ser ensinados por você, sua mãe, que ele é o chefe de
a família e respeito deve ser dado. A única maneira de eles verem isso é por
você demonstrar por suas ações que é assim. ” Eu ainda fui embora.
A ironia neste caso é que, apesar de toda a humilde deferência, que este
aparentemente um bom conselho promove, mas ainda presume que uma mulher já é a
fonte primária de autoridade que "permite" que seu marido seja "o homem". Eu tenho
ouvido conselhos semelhantes adotados por pastores evangélicos fazendo
tentativas de "conceder a chefia" aos maridos e pais de suas relutantes
esposas. A falha inerente é que esses homens já começam de uma perspectiva
que as mulheres estão em uma posição de primazia inquestionável e exigem sua
permissão para serem 'homens'.

De certa forma, eles estão inadvertidamente reconhecendo o solipsismo das mulheres (e


perpetuar o ciclo) como uma fonte padrão de autoridade. Aquela mulher
precisaria ser ensinada a conceder autoridade ao marido contradiz duas coisas;
primeiro, seu ponto mental solipsista de origem e segundo, que seu homem não é um
homem que inspira essa deferência voluntária.
É fácil ver como um homem Beta não seria alguém que naturalmente
leva uma mulher a ir contra seu solipsismo natural, mas na
posição (presumo que seja Alfa, já que ele caminhou) há um conflito que as mulheres têm
para enfrentar em si mesmas.
Em uma ordem social que reforça os direitos presumidos pelas mulheres
o solipsismo desenvolve um conflito interno entre a necessidade de uma
Hipergamia otimizada e os investimentos do ego no solipsismo feminino
e demandas para preservá-lo. Conforme uma mulher avança em direção ao Muro e uma
capacidade reduzida de otimizar ambos os lados (Alpha Fucks e Beta Bucks) de
Hipergamia - este conflito chega ao auge. As necessidades de longo prazo
provendo guerra com a auto-importância do solipsismo sob o risco de
perder a preservação de ambos (e tendo um cara simplesmente se afastando
dela).

Empatia
As mulheres não suportam ver um homem experimentando emoções negativas, como
extrema raiva, medo, desespero, desânimo ou depressão por muito tempo
período de tempo. Você diz que quer “estar lá” para o seu Homem; mas você
não pode fazer isso. Se continuar por tempo suficiente, mata a atração; isso desencadeia o seu
alarme de hipergamia; e inconscientemente faz com que você comece a procurar por uma
substituição deste Homem.
Uma mulher vendo um homem passar pelos procedimentos acima, procurará substituir esse homem
imediatamente.
As mulheres não podem ouvir os homens falando ou trabalhando em seu namoro /
questões ou problemas de acasalamento / relacionamento. Mulheres veem um homem
reflexivamente
discutir questões como "lamentação" ou "reclamação" ou "amargura" ou
“Uvas azedas” ou “bem, você escolheu mal, então é uma merda ser você” ou “péssimo
isso, ninguém quer ouvir você reclamar disso ”.
Quanto a ambos os princípios acima; quando um homem está envolvido, é acionado por um
fator de 5 o desprezo e repulsa que uma mulher sente ao ver um
Homens fazem ou experimentam o que está acima.
- Deti
Por volta da primeira semana de agosto de 2013, sofri o que é comum
conhecido como "fratura do dançarino". Por todas as atividades de risco que eu tenho
envolvido em toda a minha vida, eu nunca tive mais do que uma fratura em qualquer
osso em meu corpo antes disso. Isso doeu pra caralho. Como a beira da cama, não
vira para o lado errado, você sempre estará em agonia, meio machucado. Esqueça colocar
peso nele por 4-6 semanas, "puta merda, tenho uma casa de dois andares" e minha
cama está lá em cima. O Doc explicou que realmente não há como
definir uma pausa para dançar, então eu só teria que "aguentar" e pegar leve. Eu
recusei a tomar qualquer tipo de analgésico narcótico (Vicodin, etc) então usei
ibuprofeno e Tylenol durante a maior parte do primeiro mês.

Após a primeira semana, a dor passou de “puta merda” para “ok, ow, ah porra,
sim, posso fazer isso se cerrar os dentes. ” Se um animal selvagem quisesse me comer,
não teria havido maneira de evitá-lo; Eu estava literalmente mancando para a
primeira vez na minha vida.

Desembarace seu amor-perfeito!


Agora, eu pareço um grande amor perfeito para você? No meu tempo, agachei-me bem
400 libras Eu levantei 305 libras. Eu pressionei o peso de carros pequenos em
meus dias mais jovens. A maioria dos caras que eu conheço que quebrou um osso ou rasgou um
bíceps, e poderia ter empatia comigo, exatamente o que eu estava
descrevendo a eles em grande detalhe. No entanto, minha amada esposa de 17 anos e
a primeira reação da minha filha de quinze anos à minha dor foi "Oh, os homens são
esses bebês! Todos elas fazem um grande barulho sobre o quanto isso dói. Você
acha que está doendo? Isso não machuca. " Foi como se eles dispensassem minha lesão
Eu me levantava e dizia "sim, ok, realmente não é tão ruim" e voltava para
cortar a grama ou algo assim.
Este tem sido um tema bastante consistente para a Sra. Tomassi - e todas as
mulher com quem estive envolvido antes dela - as mulheres não querem aceitar
que seu homem poderia ficar incapacitado. Antes de estar ciente do jogo, eu
peguei isso como um grão de sal. Minha esposa é médica profissional desde
ela tinha 20 e poucos anos e já viu algumas merdas em vários
centros de trauma, então eu tive que levar isso em consideração. Há um certo
desconectar do sofrimento humano nessa linha de trabalho que tem que ser feita ou
você perde - eu entendo - mas isso ainda não leva em conta o padrão
de indiferença à dor quase todas as outras mulheres que conheço, incluindo a minha
filha e mãe já tiveram em relação a dor física de um homem legítimo.
O mito da mãe-nutridora
Uma das percepções clássicas das mulheres, e mesmo dos homens bem-intencionados
a perpetuar é a ideia de que as mulheres são as nutridoras da humanidade. Eles tem que
cuidar dos filhos, da casa e do coração. Delas é o reino do privado, e
dos homens a do público - na verdade, esta foi uma impressão que cedo
o feminismo tinha como alvo principal, elas queriam tudo, privado e público.

Apesar das estatísticas sobre o aborto, apesar das realidades da hipergamia e


a dinâmica das Noivas de Guerra, a clássica caracterização da mulher como mãe,
nutridora, enfermeira e cuidadora têm sofrido, até mesmo como um complemento ao
feminismo de caracterização Strong Independent® iria repensar para
mulheres.
Talvez seja devido a uma conexão rígida profundamente enigmática da importância de
Hipergamia no firmware psicológico feminino, mas as mulheres não podem
aceitar que qualquer homem, e em particular um homem que valha a pena considerar como
adequado
ao emparelhamento hipergâmico, pode ficar incapacitado. O feminino
o subconsciente se recusa a reconhecer até mesmo a possibilidade disso.
Perpetuar a espécie e garantir a criação de sua prole, talvez
parte do código rígido de sua psique, mas garantindo a sobrevivência e o provisionamento
de seu companheiro não é. Isso não quer dizer que as mulheres não podem aprender (por
necessidade) a
ajudar no bem-estar de seu companheiro, não é apenas o que a evolução programou
para ela - requer esforço da parte dela.
Proponho isso porque a natureza solipsista das mulheres (baseada em
Hipergamia) necessariamente os exclui da empatia com a experiência do homem
- e isso se estende à dor legítima dos homens. A ideia de que um homem,
o homem que sua hipergamia apostou sua herança genética para proteção e
provisionamento, poderia estar tão incapacitado que ela teria que fornecer a ele
proteção e provisionamento é tão compensador para o feminino
imperativo que a psique feminina desenvolva defesas psicológicas (“homens
são apenas bebês grandes quando se trata de dor ”) contra até mesmo considerar a
possibilidade disso. Assim, devido à hipergamia benéfica para a espécie, as mulheres
fundamentalmente tem falta de capacidade de sentir empatia com a experiência masculina, e
dor masculina.
Empatia vs. Simpatia
Eu usei muito especificamente o termo empatia em vez de simpatia na minha
avaliação da dinâmica de enfrentamento psicológico das mulheres aqui. Existe uma
diferença universal e comparativa entre simpatia e empatia:
Empatia é a capacidade de experimentar mutuamente os pensamentos, emoções e
experiência direta de outros. Vai além da simpatia, que é um sentimento de

cuidado e compreensão pelo sofrimento dos outros. Ambas as palavras têm similar
uso, mas diferem em seu significado emocional.
Simpatia implica essencialmente um sentimento de reconhecimento do sofrimento de outra pessoa
enquanto a empatia é, na verdade, compartilhar o sofrimento de outra pessoa, mesmo que apenas
brevemente.
Empatia é muitas vezes caracterizada como a capacidade de "colocar-se no lugar de outro". Portanto,
a empatia é uma experiência emocional mais profunda.
A empatia se desenvolve em um entendimento tácito e decisão mútua
ao fazer isso é inquestionável e forma a base da comunidade tribal.
A simpatia pode ser positiva ou negativa, no sentido de que atrai um
qualidade percebida a uma identidade própria percebida, ou dá amor e ajuda
para os desafortunados e necessitados.
Às mulheres não faltam a capacidade de simpatizar com as dificuldades ou dores masculinas,
mas eles categoricamente carecem de uma capacidade de empatia com experiências exclusivamente
de homens. Isso precisa ficar claro para ambos os sexos. Enquanto eu não tenho
duvido que muitas mulheres possam ter experimentado a dor de uma fratura de dançarina, elas
nunca experimentaram essa dor como um homem e, portanto, não podem
ter empatia com essa experiência. Agora, extrapole essa dor para outros aspectos
da vida de um homem, ou suas idealizações sobre como ele gostaria que uma mulher
ame ele.
Constantemente vejo o termo empatia substituir o termo simpatia quando usado
por mulheres; como se seu caráter feminino transcendesse exclusivamente a tristeza
ou compaixão por alguém que está sofrendo, mas torna-se de alguma forma mágica
igual a sentir a dor daquela pessoa. Como um isolamento contra o cruel
realidades que sua própria hipergamia exige e exige de homens e mulheres
a convencer-se de que sua simpatia é realmente empatia, e seu inato
o solipsismo só serve para isolá-las ainda mais de ter a
curiosidade para tentar empatia real para com os homens.
É a dinâmica do Just Get It que discuto no primeiro livro, mas em mais
nível subliminar; se uma mulher tem que fazer um esforço para realmente tentar
empatia com um homem, ela simplesmente não entende, ela marginaliza sua
experiência e continua sua busca hipergâmica pelo Alfa que
não a força a uma empatia real.

Esta fantasia de empatia feminina específica pode ser rastreada até o


Mito da mãe-nutridora atribuído ao feminino, bem como ao misticismo de
a mística feminina. Se as mulheres são inquestionavelmente, incognoscíveis
forças da natureza que o Mystique constantemente transforma em consciência populares, não é
muito difícil aceitar que o feminino mítico
de intuição também pode estender-se a experimentar literalmente a dor dos outros
de uma forma quase psíquica. Se as mulheres são as "doadoras da vida", (Goddesses?), Como elas
não poderiam ter alguma conexão quase psíquica com
o que elas deram à luz?
Isso tudo contribui para uma boa ficção, mas dificilmente se enquadra no "oh, cara
são bebês tão grandes quando se trata de dor ”tropo, ou não? Se as mulheres
concedem autoridade para definir o que realmente dói e o que não para os homens -
devido a uma propriedade socialmente presumida de empatia - então isso os coloca em
um melhor controle de quais homens podem se qualificar melhor para a hipergamia feminina. Dentro
em outras palavras, as mulheres são donas do jogo de reprodução seletiva se puderem convencer
homens que sabem, por experiência literal, o que realmente machuca um homem e o que
não faz, ou o que não deveria.

Apela à Razão
“Uma mulher apaixonada não pode ser razoável, caso contrário ela não estaria
amando ”- Mae West
O Château Heartiste (anteriormente conhecido como Roissy) uma vez postou um artigo
sobre um homem beta perguntando abertamente às meninas as razões pelas quais elas rejeitaram
ele. Na lógica dedutiva típica que a maioria dos Betas tendem a usar, ele
ve uma lista de perguntas sobre o que ele acha que matou suas chances
com as garotas com quem ele achava que poderia ficar. Ele faz uma petição a quatro mulheres com
perguntas sobre si mesmas, que, sendo mulheres, todas estão mais do que ansiosas para
responder.
Você geralmente descobre se quer fazer mais do que beijar
alguém instantaneamente? Ou é uma queima lenta?
Fiz algo de errado que a desanimou?
Se você tivesse um conselho para qualquer cara que está procurando uma garota, qual seria?
O que torna alguém atraente para você? Você tem algum tipo?
Você acha que nunca poderia namorar alguém mais baixo do que você?
Eu sou uma pessoa pouco atraente para você?
Estas são algumas das perguntas mais comuns que o cara faz às meninas, e
a verdade para formar a resposta das meninas com o clichê feminino padrão
de respostas que se absolvem de sua parte em sua rejeição, enquanto tentam
não ferir os sentimentos de um cara que elas sabiam que nunca os veria nus.
Questionando assim é o que eu espero da maioria dos idiotas atolados
em sua bolha de pílula azul de aplicar lógica à sua aspereza, mas não é
o cara está abertamente reclamando dessas mulheres que o mantém preso na
Matrix - são seus acúmulos e acompanhamentos para essas perguntas. Ele não estava apenas
entrevistando-os para ‘chegar ao fundo das coisas’ para que ele pudesse resolver seu

problema sexual, ele começou a liderar essas mulheres com a lógica "se então" em um esforço para
convencê-las de que, por suas próprias palavras, elas deveriam ser atraídos por ele.
O cara está cometendo o erro mais fundamental que todo idiota conectado
faz - ele apela à razão das mulheres.
Por que as mulheres não podem "simplesmente entender"
Apelar para a lógica feminina e contar com o raciocínio dedutivo para classificá-lo
e aí esta o cartão de visita de uma mente Beta. Não há nada mais anti-sedutor
para as mulheres do que apelar para sua razão. Excitação, atração, tensão sexual,
subcomunicação do desejo, tudo acontece indiretamente e abaixo da social
superfície para mulheres. Não é que as mulheres sejam incapazes de raciocinar
(a hipergamia é uma cadela lógica) ou são aleijadas por suas emoções
de seus cérebros traseiros, é isso, se você está perguntando a ela como ser mais atraente você
não entenderá. É fazer, não pedir. O processo de atração não é
algo que pode ser dividido em um processo lógico para as mulheres
seguirem dedutivamente - o processo consiste em homens sabendo organicamente como ser
atraente e excitante e agindo assim.
Em um nível intrínseco e subliminar, as mulheres entendem que seu genuíno
desejo, sua genuína excitação e atração, tem que ser um processo orgânico.
Quando um cara tenta convencer uma mulher que por conta própria
raciocinando (e liderada por ele) que ela deve estar com ele intimamente, isso ofende e
em seguida, cancela esse processo para ela.
Para as mulheres, uma das qualidades do Alfa que sua hipergamia exige é um
cara que só consegue isso. Um Alfa saberia intrinsecamente o que as mulheres
entendem como sinais de excitação e atração que não são ditos e nem mesmo tem a
inclinação para perguntar sobre elas. O problema do cara de confirmar abertamente para
si mesmo, "o que as mulheres querem" é realmente uma abdicação de um Beta que não
entende. E, como era de se esperar, para Betas como ele, o próximo recurso lógico é
convencer racionalmente uma mulher (de preferência usando suas próprias palavras) a ser
atraída por ele tentando impressioná-la de novo sobre seu status.
Betas como este geralmente acabam como o famoso tampão emocional, ou o
Namorado substituto de uma mulher que está transando com o homem mais Alfa que os

olhares podem atrair. No entanto, essa justificativa do apelo à razão se filtra em outros
aspectos da vida dos homens. A progressão lógica para ele seria melhor
identificar-se com as mulheres (na verdade, o imperativo feminino) que ele espera atingir
no futuro - incorpore os pré-requisitos femininos, obtenha a aprovação íntima.
Para homens casados ou monogâmicos, este apelo à razão pode vir como uma
crença errônea de que fazer mais tarefas em casa levará a mais
(ou qualquer) sexo para ele.
A falácia da Equidade Relacional (The Rational Male) é essencialmente fundada
na dependência dos homens em apelos à razão das mulheres. Você está fazendo lição de casa
com seus filhos para melhorar suas vidas (embora muito enobrecedor) não faz
sua esposa mais quente por você na cama, nem será uma ferramenta de barganha
que ela deve decidir deixá-lo. As mulheres não se apaixonam por quem você é,
eles se apaixonam pelo que você é, e nenhum apelo à razão deles
vai convencê-los do contrário.
Como sempre, é melhor demonstrar do que explicar às mulheres. Vocês
simplesmente não vai intelectualizar uma mulher para se tornar sexual com você porque
as mulheres estão mais interessadas em jogar o jogo do que ter uma explicação para
eles. Muitos homens estão condicionados a acreditar que "
comunicação é a chave para um bom relacionamento ”, e o cara que pergunta
perguntas aqui é um excelente exemplo dessa mentalidade. Equalismo ensina homens
que as mulheres devem ser funcionalmente equivalentes e igualmente tão razoáveis quanto
eles são. Isso os leva a acreditar que, dada a devido a razoáveis
apelos que eles usariam para negociar outros aspectos da vida, eles podem ser
igualmente eficaz na atração.
Isso é falso, mas também é por isso que Game, entendendo a natureza feminina e
criando racionalizações de por que apelos à razão são tão contra-intuitivos
para homens.

Conselhos sobre namoro feminino


A presa não ensina ao caçador a melhor forma de capturá-la.
Por que as mulheres dão conselhos ruins sobre namoro?

Acho irônico que os mesmos caras que concordam de todo o coração com o idioma
“Acredite no que ela faz, não no que ela diz”, são frequentemente os mesmos homens que
realmente querem acreditar que, mulheres selecionadas e especiais realmente dão outros
conselhos de homens que tem mérito.
O problema é que a maioria dos caras simplesmente repetem as palavras que as mulheres lhes dizem
ao longo dos anos, quando lhes perguntaram "O que as mulheres querem em um homem?" e
então acho que funciona, pois eles pegaram direto da boca do cavalo.
Infelizmente, muitos caras, especialmente recentemente, compraram as mesmas
mulheres que têm repetido há muito tempo pensando que é uma forma de colocar
em vantagem quando tudo o que faz é desqualificar não só eles, mas
os pobres idiotas que ouvem "conselhos de mulher" de outro cara, repetem e
o ciclo continua.
Minha opinião é que o fenômeno do "conselho da garota" é um mecanismo de proteção contra falhas
sócio-evolucionário destinado a filtrar o processo de seleção das mulheres dos menos desejáveis
homens de homens mais desejáveis (dignos de competição). Pense sobre isso -
as mulheres possuem quase que exclusivamente “conselhos sobre relacionamentos” na mídia
popular. Lá
são algumas exceções masculinas feminizadas notáveis (ou seja, o Dr. Phils), mas aquelas
que não alinham suas opiniões com uma prioridade feminina são
sub-repticiamente rotulados como misóginos e marginalizados ou ridicularizados.
Em algum nível de consciência, as mulheres sabem que estão cheias de merda quando
oferecem o conselho 'padrão' para pintinhos. Em maior ou menor grau, elas sabem
elas estão sendo menos do que genuínas quando vêem este conselho regularmente
contrariados por seus próprios comportamentos. Mulheres (e agora homens) repetem em
artigo após artigo quão bem desenvolvida é a capacidade feminina para
comunicação, então segue-se que eles devem saber para alguns, talvez
graus do subconsciente, de que elas estão sendo menos do que úteis, se não deliberadamente
enganosas. Até mesmo as mães com os melhores interesses do filho em jogo
ainda papagaiam essas respostas. É como um imperativo feminino.
Por quê?
Para obter a resposta, tudo que você precisa fazer é olhar a biografia de mulheres solteiras em
qualquer serviço de namoro online. Quando solicitados a descrever as características que elas
acham desejáveis em um homem, as respostas mais comuns são confiança,
decisão, independência. Características que exigiriam que um homem fosse um homem

e tenha a visão e perseverança para não levar as coisas pelo valor do visual.
O cara com a capacidade de chamar o blefe de uma mulher com uma confiança que
implica que ela deve ser digna dele, e não o contrário, é o
homem pelo qual competir. Essencialmente, o fenômeno ‘fala de garota’, ‘conselho de garota’
é um teste de merda em larga escala em uma escala social. E até a sua própria
mãe e irmãs estão nisso, esperando que você ‘consiga’; para receber a mensagem
e veja o desafio como ele realmente é, sem lhe dizer abertamente.
A maioria dos caras são pragmáticos naturais, procuramos o mais curto e mais eficiente
caminho entre dois pontos. O raciocínio dedutivo que se segue é que se nós
queremos sexo, e as mulheres têm o sexo que queremos, devemos perguntar a elas que
condições que eles exigem de nós para que possamos obtê-lo. O problema é que
as mulheres não querem nos dizer isso, porque, ao fazê-lo, nos torna menos
independente e mais comprometedor (e preguiçoso) em nossas próprias identidades
a fim de obter sua sexualidade. Isso é contrário ao decisivo, independente e
homem masculino que elas realmente desejam e se evidencia em seus comportamentos. Ele
deve saber o que as mulheres querem sem perguntar porque ele as observou
frequentemente, foi bem sucedido com elas com frequência suficiente e se esforçou
para tomar decisões por si mesmo com base em seus comportamentos, especialmente no
rosto de um mundo cheio de palavras conflitantes de mulheres. Isso o torna a
mercadoria em face de uma contradição constante e avassaladora de seus
motivos, palavras e comportamentos próprios e de outras mulheres.
Ela quer que você "consiga" por conta própria, sem que ninguém diga como. que
iniciativa e a experiência necessária para tê-la desenvolvido torna você um
homem pelo qual vale a pena competir. As mulheres desprezam um homem que precisa ser dito para
ser
dominante. Relacionar isso abertamente a um cara destrói totalmente sua credibilidade como um
macho genuinamente dominante. O cara que ela quer foder é dominante porque
esse é ‘o jeito que ele é’ em vez de quem ela tinha que dizer para ele ser.
Observar o processo vai mudá-lo. Esta é a função raiz de toda merda
dos testes já planejado por uma mulher. Se a masculinidade tem que ser explicada a um homem,
ele não é o homem para ela.

Estro
2014 vi a publicação de um artigo do Dr. Steven W. Gangestad e Dr.
Martie Haselton intitulou Human Estrus: Implications for Relationship
Ciência. Qualquer pessoa que leu o Rational Male por mais de um ano está
provavelmente familiarizado com a minha citação do Dr. Haselton em vários ensaios (seu catálogo
de pesquisa faz parte dos links da minha barra lateral desde que comecei o blog), mas
ela e o Dr. Gangestad estão entre os pesquisadores mais notáveis em
as áreas da sexualidade humana e da psicologia evolutiva aplicada. Nessa
seção eu vou riffing sobre o que este artigo propõe com relação a uma condição
de estro em mulheres.
Na seção de introdução de The Rational Male, eu relato uma história de como em
meus anos de formação da pílula vermelha, passei a ser um conector de pontos, por assim dizer.
Enquanto
eu estava estudando psicologia comportamental e estudos de personalidade em muitas
questões saltaram para mim no que diz respeito a quantos dos princípios de
psicologia comportamental poderia ser (e já estava sendo) aplicada a
relações intersexuais. Por exemplo, os conceitos básicos de intermitentes
reforços e modificação comportamental pareciam-me uma ligação óbvia
e prática aprendida de mulheres em conseguir algum efeito comportamental em homens
recompensando-os (reforçando) periodicamente com sexo "intermitentemente".
O condicionamento operante e as operações de estabelecimento também se encaixaram
perfeitamente
sobre os conceitos e a consciência da pílula vermelha que venho desenvolvendo há vários
anos antes de terminar meu diploma.
Desde então, as ideias que formei naturalmente se tornaram mais complexas do que
essas bases simples, mas o que eu só aprendi por engano quando fui
desconectado totalmente tanto os alunos quanto meus professores que estavam com o que eu
tinha visto como conexões óbvias. Eu encontrei uma resistência obstinada à negação quando eu
escrevi artigos ou dei uma dissertação sobre a interação entre os
fundamentos do behaviorismo e relações interpessoais. Era uma coisa
a propor que os homens usem vários aspectos em seu próprio benefício (homens
sendo esperados que fossem sexualmente manipulador e tudo), mas era ofensivo para

sugerir que as mulheres normalmente usariam modificação comportamental


e técnicas para atingir seus fins hipergamosos.
Essa resistência dos colegas foi especialmente inflexível quando eu sugeria que
as mulheres tinham um pré-conhecimento subconsciente (baseado no coletivo feminino
de experiência) dessas técnicas. Nunca pensei que tivesse bolas de latão para
abordar tópicos desconfortáveis como este - eu honestamente, e provavelmente ingenuamente,
assumi que o que eu estava propondo já havia sido considerado por
outra academia muito antes de eu propor.
Fui apresentado ao trabalho do Dr. Martie Haselton durante este tempo, e
junto com o Dr. Warren Farrell, ela se tornou uma de minhas
fontes no que diz respeito à conexão entre Pontos de comportamento contemporâneo
com teorias de funções práticas e evoluídas da dinâmica intersexual.
Devo muito do que proponho no Rational Male a essa interação, e enquanto
Duvido que Haselton concorde com tudo o que eu ou a manosfera propomos,
Eu tenho que dar crédito a ele e ao trabalho de seu colega por me fornecer muitos dos
pontos que eu conecto.
Eu entendo que ainda existem céticos evo-psicológicos na manosfera, mas eu
descobri que muito do que passa por seu "ceticismo" gradativo é geralmente
enraizado no desejo de se agarrar obstinadamente aos idealismos consoladores da Blue Pill.
Dito isso, eu nunca pediria a qualquer leitor para aceitar o que proponho aqui pela fé, mas
pessoalmente, descobri que as questões propostas por evo-psych refletem
muitas das observações que fiz em meus tempos de faculdade.

Duplicidade hipergâmica
Para o teatro social do Imperativo Feminino, um dos mais exasperantes
desenvolvimentos em estudos psicológicos surgidos nos últimos quinze anos
foi o surgimento da psicologia evolucionista. O pivô natural para o
Imperativo ao lidar com evo-psych é descartar qualquer conceito
que não faz jus ao feminino como sendo "especulativo" ou provando ser tendencioso
positivo (por pesquisadores "misóginos", é claro), embora endossando de bom grado
e escolhendo a dedo toda e qualquer premissa evo-psicológica que reforce o
feminino ou confirmam uma primazia feminina positiva, lisonjeira.

Até os últimos dois anos ou mais, havia uma forte resistência ao


conceito de hipergamia (conhecido como pluralismo sexual em evo-psicologia) e a
natureza dupla da estratégia sexual das mulheres. Antes disso, a ideia de Alpha
Fucks / Beta Bucks foi descartada como tendenciosa, com base sociológica e qualquer
implicações biológicas ou incentivos para hipergamia foram minimizados como
inconclusiva pela mídia centrada no feminino.
No entanto, a recente adoção da hipergamia aberta nos últimos quatro anos
mudou esta narrativa de cabeça para baixo; as mulheres com poder que encontraram na
idéia de seu próprio pluralismo sexual tão desagradável agora estão endossando abertamente,
se não saboreando com orgulho, seus papéis em uma nova capacitação do Hipergamo
duplicidade.
Suas qualidades Beta são oficialmente inúteis para as mulheres de hoje
A pergunta a seguir foi de uma leitora do Red Pill Reddit
fórum:
Para aqueles de vocês que não sabem, as mulheres agora estão frequentemente ganhando dos
homens
e mais delas recebem diplomas universitários do que os homens. A partir de agora não há
realmente quaisquer programas para ajudar os caras. Supondo que essa tendência continue o que
você acha que vai acontecer com o namoro? Eu acho que mulheres atraentes terão
sua escolha independentemente.
No entanto, para muitas mulheres, tentar prender um cara na faculdade será
mais um grande negócio. Eu não acho que a cultura do hook up vai desaparecer, mas vai
definitivamente diminuir.
Com exceção do meu namorado atual, sempre ganhei mais
do que qualquer cara com quem namorei. Isso nunca foi um problema. Eu simplesmente não preciso
pensar em suas finanças, minha atração é baseada em sua aparência e
personalidade. Estou supondo que o futuro será mais disso.

Achei que essa citação fosse um contraste interessante com a teoria do Estro
proposto no artigo de Gangestad-Haselton. Essa mulher é mais do que um pouco
egoísta de gênero e, sim, seu triunfalismo sobre o estado das mulheres em
faculdade e seus ganhos são construídos sobre uma base de areia, mas vamos tirar isso
de foco por um momento. A maior importância para ela em relatar isso, e

cada mulher que abraça a hipergamia aberta, é a perspectiva de uma melhor


otimização da natureza dual de sua estratégia sexual.
Em muitos ensaios anteriores, eu detalhei os fundamentos que as mulheres aplicarão a seu
pluralismo sexual e as convenções sociais em que contam para manter os homens
ignorantes deles até o momento (ou não) em que elas possam se consolidar melhor
sua estratégia sexual de duplo propósito. Onde antes essa estratégia era uma das
manipulação sutis e belas mentiras para manter o Betas na espera pronto para serem
provedores depois que mais homens Alpha a recusaram aos 30, a estratégia agora é uma das
grandezas de autoconfiança do ego na primazia social feminina que as mulheres alegremente
declaram "Eu não vou apenas ter meu bolo e comê-lo, eu vou pegar o meu
com granulado e xarope de chocolate ” em relação a Alpha Fucks e Beta
Bucks.

The Estrus Connection


Por todo o torcer das mãos onipresente que a Manosfera transmite ao
mostrar implicações sociais da hipergamia aberta de hoje, é importante considerar
os fundamentos biológicos que motivam esse conceito de interesse próprio.
Do Estro Humano: Implicações para a Ciência do Relacionamento:
Na grande maioria das espécies de mamíferos, as fêmeas experimentam o clássico
estro ou cio: um período discreto de receptividade sexual - dando boas-vindas ao avanço do macho
- e proceptividade - buscam ativamente sexo - confinados a alguns dias
pouco antes da ovulação, a janela fértil. Só neste momento, afinal, fazem
as mulheres precisarem de sexo para ter filhos. A ordem dos primatas é excepcional.
Embora os prosímios (por exemplo, lêmures, tarsiers) exibam estro clássico, a vasta
maioria dos primatas símios (macacos e símios) são sexualmente ativos por pelo menos
pelo menos vários dias fora do período fértil. Humanos são extremos
caso: as mulheres podem ser sexualmente receptivas ou proceptivas em qualquer momento do ciclo,
bem como outros períodos não conceituais (por exemplo, gravidez).
As mulheres mantêm uma fase fértil funcionalmente distinta?
Sexualidade graduada: a atividade sexual feminina não se limita ao cio
do período. Mas os interesses sexuais das mulheres são realmente constantes ao longo do ciclo?
Muitas fêmeas primatas (por exemplo, macacos rhesus e saguis) são frequentemente

receptivas a avanços sexuais por machos fora da fase fértil, mas elas
inicie menos sexo.
Na verdade, os interesses sexuais das mulheres parecem mudar ao longo do ciclo.
As mulheres apresentam maior excitação genital em resposta ao erotismo e sexualmente
condição para estímulos mais prontamente durante a fase folicular.
Um estudo recente identificou correlações hormonais dessas mudanças rastreando
43 mulheres ao longo do tempo e realizando testes de hormônio salivar. O
o desejo sexual da mulher era maior durante a janela fértil e era positivamente
relacionados aos níveis de estradiol (que atingem o pico logo antes da ovulação), mas negativamente
relacionados aos níveis de progesterona (que aumentam acentuadamente durante o período lúteo
fase).
Mudanças nas características masculinas que evocam interesse sexual: desde o final
1990, alguns pesquisadores argumentaram que o que muda mais notavelmente
ao longo do ciclo não é o desejo sexual em si, mas, sim, até que ponto
os interesses sexuais das mulheres são evocados por características masculinas particulares -
especificamente, características físicas e comportamentais masculinas associadas a
dominância, assertividade e robustez de desenvolvimento. Mais de 50 estudos
examinaram as mudanças ao longo do ciclo na atração das mulheres por esses recursos de homens.
A importância das características comportamentais? Considerando que a preferência muda do
interesse desde o início dizia respeito às características físicas masculinas (por exemplo,
masculinidade facial;
perfume), vários estudos recentes focaram nas reações das mulheres aos
comportamento e disposições do homem. Pesquisas anteriores descobriram que as mulheres acham
confiança masculina, até um certo grau de arrogância, mais atraente sexualmente
durante a fase fértil. Estudos recentes replicam e estendem esse trabalho,
descobrir não apenas que as mulheres em fase fértil são mais sexualmente atraídas por
"Cachorro sexy" ou homens comportamentais masculinos (em relação ao "bom pai" ou menos
homens masculinos), mas também que, durante a fase fértil, as mulheres são mais
provaveis de flertar ou se envolver com esses homens. Mulheres de uma variedade de espécies,
incluindo primatas, preferem machos dominantes ou de alta classificação durante o
fase fértil de seus ciclos. Esses machos podem passar benefícios genéticos para
descendência, bem como, potencialmente, oferecer benefícios materiais (por exemplo, proteger
descendência). Atração sexual feminina em fase fértil pela dominação comportamental
parece ter profundas raízes evolutivas.

Muito do que é explorado aqui eu apresentei em termos de jogo em Your Friend


Menstruação (medicina preventiva) há mais de quatro anos, mas as
implicações dos comportamentos provocados pelo ciclo menstrual das mulheres e
a bioquímica implica fortemente em uma previsibilidade semelhante ao estro. Este estado de estro
é uma pedra angular fundamental, não apenas para o desenvolvimento de técnicas de jogos baseadas
sobre a consciência da pílula vermelha, mas uma pedra angular para entender a dinâmica
por trás da hipergamia, estratégia sexual dualista feminina, Alpha Fucks / Beta
Bucks, e pode até ser extrapolado para a unidade para garantir a dominação feminina
social em contextos abertos e encobertos.
Quando as mulheres abraçam uma ordem social baseada em um estado feminino de
hipergamia abertamente revelada, eles confirmam e expõem a realidade deste
estado de estro.
Enquanto antes, em uma ordem social baseada na hipergamia oculta, esse estado
poderia ser descartado como uma construção social (e com preconceito masculino em
que), ou um que teve apenas influência marginal para mulheres de raciocínio com um
Potencial humano “superior”. Já não. A confirmação de um verdadeiro estado de estro
em mulheres via hipergamia aberta confirma virtualmente todos os
princípio PUAs / Game afirmou nos últimos 16 anos.
Sexualidade dupla
Dentro da estrutura da sexualidade dupla (genética alfa e beta provisória
imperativos), a sexualidade em fase fértil e a sexualidade em fase não fértil possuem
potencialmente sobrepostas, mas também funções distintas. Em uma série de primatas
espécie, sexualidade estendida - receptividade feminina e proceptividade às vezes
além da fase fértil - parece funcionar para confundir a paternidade com
permitindo o acesso sexual de machos não dominantes. Esses homens não podem descartar
sua própria paternidade, o que pode reduzir a probabilidade de prejudicar a
prole da fêmea. Em humanos, ao contrário, a sexualidade estendida pode funcionar
para induzir os parceiros primários do casal a investirem em mulheres e filhos.
Achei esta parte particularmente interessante quando você compara essa dinâmica
com a resistência social que o teste de paternidade de DNA padronizado tem se
encontrado recentemente. Em uma ordem social primária feminina baseada em Aberta
Hipergamia, o imperativo feminino não pode deixar de legislar um

corno obrigatório. Se os machos provedores Beta não cumprirem o


seguro de segurança de longo prazo de uma mulher (como resultado de ser informado
de seu papel na hipergamia aberta), então ele deve ser forçado a cumprir
legalmente, socialmente ou ambos. A velha ordem de troca de recursos para fins de acesso sexuais
e uma garantia razoável de sua paternidade é substituída por uma
forma socializada de traição normalizada. Assim, recebemos muitos elogios sociais por
homens heróicos que irão ‘se erguer’ e assumir as responsabilidades de
investimento como pais, casando-se com uma mãe solteira e criando um filho que ele
não gerou.
Sociedade primária feminina tenta tornar retroativa
o corno é uma espécie de recompensa social.
Alguns estudos descobriram que os interesses sexuais das mulheres em outros homens
parceiros são extremamente raros durante a fase lútea (o ciclo descendente ‘Beta
Fase '), em relação à fase fértil. Outra pesquisa encontrou moderação
nos efeitos; por exemplo, mulheres que percebem que seus parceiros não têm apelo sexual
experimentam maior atração por homens que não sejam parceiros, menos
satisfação e uma atitude mais crítica em relação aos parceiros, mas apenas quando
fertil. Mulheres em fase fértil em um estudo foram mais assertivas e focadas
por conta própria, em oposição às necessidades de seu parceiro, especialmente quando
atraída por homens que não sejam parceiros durante essa fase.
A maioria das pesquisas sobre mudanças de ciclo foi inspirada pela teoria sobre
interesses sexuais distintos das mulheres durante a fase fértil. Um estudo
procurou explicitamente entender os fatores que influenciam os interesses sexuais das mulheres
durante a fase lútea, descobrindo que, naquele momento, mas não durante a fase fértil, as mulheres
iniciaram o sexo mais com parceiros primários quando
investem em seu relacionamento mais do que os parceiros masculinos. Este padrão é
consistente com a proposta que estendem as funções da sexualidade, em parte, para
encorajar o interesse de parceiros masculinos valiosos. Outros propuseram que
a fase de estro das mulheres foi modificada pela união de pares.
Iniciar o sexo ou ser receptivo ao interesse sexual de um parceiro principal durante
a fase lútea (o balanço Beta do ciclo ovulatório) ocorre quando nós
consideramos que uma mulher sendo sexual durante esta fase representa o mínimo
potencial de engravidar ao mesmo tempo (gratificante)
reforçando o investimento contínuo desse parceiro principal no emparelhamento com
sexo (reforço intermitente).

Esta é uma dinâmica muito importante porque reflete um tema mais amplo em
pluralismo sócio-sexual das mulheres - é Alpha Fucks / Beta Bucks em uma
escala biológica.
Compare esta predisposição intra-relacionamento para sexo Beta e contraste-a
com a dinâmica maior de uma hipergamia aberta, socialmente aceita
de Fodas durante a janela de fertilidade primária de uma mulher em seu mercado sexual de pico
de anos de valor, e sua necessidade pós-fase da Epifania para reter um
(mas decididamente menos excitante sexualmente) Provedor Beta. Quando olhamos para a
fase de estro extrapolada para uma estratégia sexual para mulheres a longo prazo
chega muito perto da estratégia sexual “sandbergiana” promovida por Sheryl
Sandberg, CEO do Facebook:
“Ao procurar um parceiro para a vida, meu conselho para as mulheres é namorar todos eles:
os meninos maus, os meninos legais, os meninos com fobia de compromisso, os meninos loucos.
Mas não se case com eles. As coisas que tornam os bad boys sexy não fazem
aqueles bons maridos. Quando chegar a hora de se estabelecer, encontre alguém que
quer um parceiro igual. Alguém que acha que as mulheres devem ser inteligentes,
teimoso e ambicioso. Alguém que valoriza a justiça e espera ou,
melhor ainda, quer fazer a sua parte em casa. Esses homens existem e, confie
eu, com o tempo, nada é mais sexy. ”
- Sheryl Sandberg, Lean In: Women, Work, and the Will to Lead
A estratégia sexual feminina em uma escala social, reflete seu instinto,
estratégia sexual de estro em escala individual.

Dicas de status de fertilidade


As fêmeas de diversas espécies passam por mudanças físicas e comportamentais
durante o estro que os machos acham atraente: mudanças nos cheiros corporais em
carnívoros, roedores e alguns primatas; mudanças na aparência, como
inchaços sexuais, em babuínos e chimpanzés; mudanças em solícito
comportamento em roedores e muitos primatas. Porque as mulheres não têm um ciclo óbvio
de mudanças, foi amplamente assumido que as mudanças de ciclo na atratividade foram
eliminados em humanos, talvez com a evolução da união de pares.

Em 1975, um estudo pioneiro documentou o aumento da atratividade de


odores vaginais femininos no meio do ciclo. Um quarto de século depois, a pesquisa
revelando outras mudanças detectáveis de fase fértil começaram a se acumular,
incluindo maior atratividade dos odores da parte superior do torso feminino, aumento
tom vocal e atratividade, e mudanças no estilo de vestir das mulheres e
comportamentos solícitos. A meta-análise desta literatura confirma que as mudanças
ao longo do ciclo na atratividade das mulheres são frequentemente sutis, mas robustos).
Um estudo recente notável demonstrou que os hormônios envolvidos na
mudanças de atratividade em não humanos também prevêem mudanças de atratividade em
humanos. Fotos, clipes de áudio e estrogênio salivados e progesterona foram
coletados de 202 mulheres em dois pontos do ciclo. Homens classificaram tratamento facial feminino
e atratividade vocal mais alta quando os níveis de progesterona das mulheres eram
baixo e níveis de estrogênio altos (característica da fase folicular, e
especialmente a janela fértil).
Evidências emergentes sugerem que essas mudanças afetam as interações entre
machos e fêmeas. Durante a janela fértil, as mulheres relatam aumento
comportamento ciumento de parceiros masculinos. Um possível mediador de tais mudanças -
testosterona - é maior em homens depois que eles cheiram camisetas coletadas em
mulheres em dias de alta fertilidade do que em baixa fertilidade. Um estudo recente
examinou fenômenos relacionados em relacionamentos estabelecidos, trazendo
casais no laboratório para uma tarefa de interação próxima (por exemplo, dança lenta).
Após a interação, os parceiros homens viram imagens de homens que eram
atraente e descrito como competitivo ou não atraente e não competitivo.
Apenas os homens na condição competitiva mostraram aumentos na testosterona
desde o início - e apenas quando testado durante a fase fértil de seu parceiro.
O que fica menos claro é como podemos entender as mudanças na atratividade
de uma perspectiva teórica. É improvável que as mulheres evoluam para sinalizar
sua fertilidade dentro do ciclo para os homens. Na verdade, o oposto pode ter
ocorrido - seleção ativa em mulheres para esconder pistas de ovulação, que
poderia ajudar a explicar mudanças fracas na atratividade em relação a muitas espécies.
A ocultação pode ter promovido uma sexualidade estendida com
benefícios de investir os machos, ou facilitar o acasalamento extra-par das mulheres.
Possivelmente, as mudanças físicas sutis que ocorrem são meramente "pistas que vazam"
que persistem porque ocultá-los totalmente suprime os níveis de hormônio em

maneiras que comprometem a fertilidade. Mudanças comportamentais, por outro lado, podem estar
ligadas a
aumentos nos interesses sexuais das mulheres ou motivação para competir com outras
mulheres como companheiros desejáveis.
Normalmente, depois que os leitores pela primeira vez têm a chance de digerir o material,
propus em meu ensaio Your Friend Menstruation a primeira frustração que eles
tem é descobrir como eles podem detectar com segurança quando uma mulher está
neste estado de estro. Em um nível instintivo, a maioria dos homens já são sensíveis
a essas pistas sócio-sexuais, mas essa presunção de disponibilidade sexual
é rigorosamente condicionado aos homens pela influência social. Em outras palavras,
a maioria dos caras são ensinados por Beta a ter vergonha de presumir que uma mulher pode estar
tendendo a foder como resultado de pegar dicas na postura visual, vocal ou corporal.
Além dessa percepção, também existem ativadores de feromônios, bem como
pistas comportamentais durante o estro que estimulam uma resposta de guarda do parceiro nos
homens.
No entanto, eu proporia que a ocultação evoluída de um estro
estado e todos os comportamentos associados que coincidem com ele são um comportamento
mecânico com a finalidade de filtrar homens com uma Alfa capacidade dominante
de "Just Get It" que uma mulher está em um estado de estro e, portanto, qualificar
para seu acesso sexual tanto proceptivamente quanto receptivamente. Mulheres escondendo
o estro é um aspecto evoluído da filtragem do potencial reprodutivo Alpha.
Além disso, essa ocultação também ajuda a determinar o provisionamento Beta
investimento para os homens que ela precisa (necessário) para trocar seu acesso sexual. Um cara que
"não entende" ainda é útil (ou costumava ser) precisamente
porque ele não entende a dinâmica de seu cíclico dualístico
de estratégia sexual. Sua aparência sexual errática, mas controlada
disponibilidade torna-se o interesse de provisionamento Beta intermitente
de reforço para o comportamento desejado de seu investimento parental em
filhos que são apenas indeterminadamente de sua herança genética.
A evidência deste reforço intermitente também pode ser observada em que
Athol Kay, de Married Man Sex Life, descreveu como esposas “drip
alimentando ”sexo para seus maridos. Os limites de uma monogamia comprometida em
de forma alguma impede as influências psico-sexuais do estro. Assim, o apaziguador
de um homem menos 'sexy', mas sendo investimento de possível pai com o reforçador de

sexo infrequente (mas não totalmente ausente) torna-se uma necessidade para facilitar a
perspectiva de uma futura experiência sexual com um Alfa, garantindo a
apresentar a segurança de seu provedor Beta. Assim, a natureza dual dela
de estratégia sexual hipergâmica é, pelo menos perceptualmente, satisfeita para ela.
Eu acho que a importância de como este estado de estro influencia as mulheres em ambos
um nível individual e social não pode ser estressado o suficiente em contraste com o
abraço social da hipergamia aberta. O gênio da hipergamia não está apenas fora
da garrafa, mas as mulheres estão, talvez contra seus próprios interesses, abraçando
o gênio com gosto.
O blogueiro e autor Vox Day postou uma vez um artigo sobre como os homens
descobrim que a pornografia agora é preferível a se relacionar com a mulher média. Em uma era de
hipergamia aberta, não acredito que isso seja racionalizado
por preferência tanto quanto é simplesmente pragmática. Homens são rápidos
para despertar para a consciência da pílula vermelha, mesmo sem uma educação pílula vermelha
formal, e vendo as recompensas (o reforço intermitente) simplesmente
não valem o investimento com mulheres que expressam alegremente sua
expectativas deles de assumir o papel que gostariam que desempenhassem em suas
estratégias sexuais.
Por último, acho que é importante para os homens conscientes da pílula vermelha entender que os
aspectos biológicos do estro da mulher e da hipergamia não é algo que
o homem experiente em jogos deve sempre pensar que é intransponível. Não é uma
ocorrência incomum para mulheres fazerem sexo com homens no meio de
seu período. Para a maior parte, as mulheres geralmente preferem obter
depois disso com os homens enquanto elas estão em sua fase proliferativa (ovulação) de
seu ciclo, mas quando apresentado com uma perspectiva esmagadora de bloqueio
baixo e um alto SMV Alpha homem com as mulheres não podem deixar de fazer sexo
com ele expedientemente.
É minha convicção que a hipergamia feminina pode ser substituída por um homem que
desencadeia as dicas de uma mulher para a aceitação de Alfa. De uma evolucionária
perspectiva, se um homem representa uma percepção Alfa alta o suficiente, uma mulher
irá ignorar a libido diminuída a que a fase lútea a predispõe e
fazer sexo urgente com aquele homem, a fim de estabelecer uma futura
disponibilidade sexual para ele.

Também existem estudos que indicam que as mulheres têm tendência a fingir
orgasmos com homens Alfa mais sexualmente dominantes. Homens beta adoram
interpretar este fenômeno como uma prova de que esses homens "não sabem como
agradar sexualmente uma mulher ”, mas a verdade provável é que mais homens Beta
simplesmente não vale o esforço de ter que fingir um orgasmo. Assim como
as tendências hipergâmicas podem ser contornadas por um homem Alfa que vale a pena, então
também as mulheres fingirão seu próprio prazer, a fim de fomentar a percepção de que
ela está sexualmente disponível para aquele homem.
A lição para levar para casa aqui para homens conscientes da pílula vermelha é a necessidade de
entender os detalhes de como o estro das mulheres pode trabalhar a seu favor
ao invés de perceber isso como algo determinístico para ele. Compreensão
ciclo menstrual das mulheres, sua fase de estro, os comportamentos que induz, a
estratégia sexual mais ampla que ela manifesta, etc., devem ser consideradas ferramentas com
que um homem pode melhorar melhor seu jogo, bem como suas relações com
mulheres.

A fase da epifania revisitada


Uma das melhores coisas sobre a pílula vermelha ser uma praxeologia é que nada
é gravado em pedra. Como qualquer boa ciência, sempre há espaço para
reinterpretação e atualização de ideias por novas informações, ou às vezes é
simplesmente algo ou alguma observação que aparentemente passou despercebida que
ajusta uma interpretação antiga. Um dos meus leitores, Playdontpay trouxe
algo para esclarecer em um antigo ensaio que escrevi:
Eu concordo com a regra 3 Strike para garotas mais novas de 30 anos ou menos, mas uma vez
ela chega aos 32 anos, algo parece girar em suas cabeças, mulheres dessa idade
e acima parecem determinadas a agüentar mais, mesmo que queiram foder.
Provavelmente é porque nessa idade seu relógio está correndo e ela não tem
tempo para "desperdiçar" em aventuras que não levariam a um compromisso, então ela se reinventa
como uma "mulher de qualidade" na esperança de convencê-lo de que ela
é material LTR / casamento.
Depende de você decidir se pode empurrar o envelope para 5-6 datas no máximo, mas eu
só faria isso se eu tivesse certeza de que era seu ASD (defesa anti-vagabunda) segurando
suas costas e não a um baixo nível de interesse.
Se você esperar para namorar 5-6 e o sexo for abaixo da média, não fique esperando
para melhorar, pois você vendeu um limão e o suco não vale a pena
o aperto!
Este comentário aparentemente inócuo me fez pensar muito sobre alguns dos meus
materiais mais antigos e como os leitores mais novos podem interpretá-lo. Na verdade há
bastante para descompactar nesta resposta curta, então, com o benefício de mais de uma
Década de retrospectiva, pensei que poderia mexer nisso.
“... quando ela chega aos 32, algo parece virar em suas cabeças, mulheres de
esta idade e acima parecem determinados a agüentar mais, mesmo que eles queiram
foder."

Qualquer leitor de longa data irá associar imediatamente este fenômeno com
Mulheres na Fase da Epifania (Medicina Preventiva) entram quando a realidade de
sua capacidade diminuída de competir intra-sexualmente com suas irmãs mais novas
torna-se indignável. Geralmente, esta fase chega na idade de
29-31, no entanto, dependendo das circunstâncias, isso pode acontecer antes para algumas
mulheres (aquelas cuja atratividade já é considerada subótima),
e às vezes muito mais tarde para outras (mulheres que acreditaram na mentira que
sua atratividade é subjetiva, não perecível e indefinida). Eu escrevi
muitos ensaios sobre esta fase e duas seções dedicadas em Medicina Preventiva
para isso. É muito reconhecível e muito compreensível quando você
tem uma boa compreensão de como as mulheres priorizam as "necessidades" de suas estratégias de
relações sexuais
à medida que amadurecem.
A Fase da Epifania é realmente o conhecimento subconsciente de uma mulher do
Muro chegando em seu reconhecimento cognitivo. No entanto, o que não é assim
fácil de entender é por que uma mulher que chegou a esta fase realmente
torna-se mais difícil para uma perspectiva de longo prazo, com busca de investimento como pais,
esperançosamente idealizado, um possivel companheiro para se tornar íntimo dela?
Em várias ocasiões, propus exatamente o oposto; aquela hipergamia
não posso esperar por uma confirmação 100% perfeita do status Alfa de um homem
antes de ela fazer sexo com ele. Este desvio hipergâmico é na verdade uma
vulnerabilidade que as mulheres têm em relação a um jogo bem calibrado. Mesmo para
mulheres na fase lútea da mudança ovulatória, (quando ela deveria
buscar o provisionamento, conforto e harmonia de mais atenções de homens Beta) as mulheres serão
levadas ao imediatismo e urgência sexual
quando apresentada com a perspectiva de foder - e esperançosamente travar
- o que ela vê como um homem alfa. Como mencionei na seção anterior,
é inteiramente possível contornar o natural, induzido pela ovulação,
quando a hipergamia dela se apresenta como o incentivo Alfa certo para ela
(Eu mesmo fiz isso). Esta é a priorização sexual natural que as mulheres
estratégicas tem, e na realidade, uma mulher fingindo um orgasmo por um
Alfa, ou ter relações sexuais proceptivas com ele na fase lútea apenas confirma
a urgência natural da hipergamia feminina em relação ao bloqueio
de um homem ideal.

Mas por que uma mulher, que para todos os efeitos, conhece sua capacidade de atrair
os homens estão minguando, insiste tanto em atrasar que ela se torne íntima dele?
Isso parece contra-intuitivo, especialmente à luz do fato de que a maioria
das mulheres em seus anos de festa ansiosamente faziam sexo com homens para quem
eles fizeram poucas ou nenhuma "regra" para se tornarem sexuais com eles. É uma
idéia bastante comum na manosfera de que as mulheres vão montar o 'carrossel de piroca"na casa
dos 20 anos até perceberem uma capacidade reduzida de atrair caras
e tente lucrar com o mercado sexual antes ou por volta dos 30.
Normalmente, isso acaba com uma garota se conformando com um Beta em espera. Ainda por que
seriam as regras e pré-requisitos de algo em que ela insiste agora, mas não
enquanto ela estava em seus anos de pico sexual?

Vaginas e Bússolas Morais


Em 2017, saiu um artigo no Huffington Post citando a atriz Cate
Blanchett dizendo "Minha bússola moral está na minha vagina", e embora isso possa
ser o clickbait de carne vermelha em que o HuffPo depende para obter receita,
resume como a hipergamia, a agência sexual da mulher e a
capacidade de utilizá-lo ao longo de sua vida direciona intrínsecas e
prioridades extrínsecas ao longo de suas vidas. Eu percebo que não era assim que Cate
pretendia que seu comentário fosse aceito; ela queria expressar algum inerente
princípio orientador para as mulheres em uma era que ela acredita que as mulheres ainda são
reprimidas, mas ao fazer isso ela ilustra a verdadeira bússola que as mulheres têm
no que diz respeito às interpretações morais de suas idéias e comportamentos. E se
algo gratifica, otimiza ou beneficia o modo de dirigir
impulso da hipergamia de uma mulher, estabelece uma base lógica para a interpretação moral para
ela. Ou
em outras palavras, se é bom para o que otimiza a hipergamia, é bom para
mulheres.
Como homens, queremos que a resposta fácil seja a melhor resposta. Assim parece
óbvio para nós que uma mulher fazendo arbitrariamente "novas" regras de intimidade para
seus pretendentes em perspectiva de longo prazo seguiriam alguma epifania onde ela
vem a si, percebe o erro de seus caminhos e se esforça para ser
alguma nova "mulher de qualidade" para se representar. Como tal, sua qualidade
deve simetricamente ser correspondido pela qualidade de um homem. E essa qualidade
deve levar algum tempo para determinar logicamente. Esta é, de fato, a maioria das mulheres
tem a razão pública para fazer um homem de "qualidade" esperar por ela sexualmente

quando no passado ela não teve tais obstáculos para o cara quente que ela conheceu
nas férias de primavera na festa do canhão de espuma em Cancún.
As mulheres vão quebrar suas "regras" para os homens Alfa, mas criarão mais regras para
o Homens beta, mais obstáculos para pular, a fim de receber a (geralmente
diminuída) sexualidade para a qual um Alfa nunca teve que fazer um esforço para se qualificar.
Queremos acreditar nesta mulher de "qualidade" ambígua porque somos
ensinados a esperar tais raciocínios de uma menina que agora, aos 29 anos, quer “obter
certo com Deus ”ou“ comece a fazer as coisas da maneira certa ” com os rapazes. Ela
‘Aprendeu com todos os meninos maus’ e agora quer se estabelecer com o
'Bom garoto' ou assim o raciocínio vai. Abundam as convenções sociais que
nos condicionam a esperar que, uma vez que as mulheres, "tirem isso de seus sistemas" (seguindo a
estratégia sexual sandbergiana) ela perceberá os erros da
indiscrição juvenil dela e se transforme magicamente em uma “Mulher de Qualidade”. Nós
queremos acreditar, e é do interesse das mulheres que acreditamos.
A maioria dos homens beta (e não poucos que se autodenominam homens da pílula vermelha)
querem acreditar
na Epifania de uma mulher sobre si mesma. Eles amam nada melhor do que a
ideia da estrela pornô reformada que finalmente "cresceu" e caiu em si sobre o erro das indiscrições
de sua juventude com os caras que eles criaram
até o ódio como um inimigo arquetípico. Melhor ainda, eles vão alimentar essa
razão / fantasia na esperança de que sua epifania inclua sua salvação
de um melhor sexo para ele, desde agora ela começou a entender que tem sido o 'bom
rapaz o tempo todo que ela deveria estar se entregando se não fosse por uma superficial
"Sociedade" convencendo-a do contrário.
O arquétipo da vagabunda reformada com epifania é um tropo que os homens Beta desejam
perdoar porque representa uma vindicação de sua autoimagem,
convicção blue pill e perseverança (nunca desistiram dela). Mulheres com
passado que os tornam bons candidatos para extrair essa lógica, conhecem os homens
bem o suficiente para ver a utilidade que tem em proteger os recursos masculinos da Blue Pill
e segurança de longo prazo.
Socialmente, ela tem inúmeras fontes de reforço moral ‘go grrrl’ de
ambos homens e mulheres. Na verdade, como homem, só eu trazer isso à luz
me torna culpado de ser “crítico” na cultura popular definida por mulheres.
E esse é o seguro que as mulheres sempre terão em sua fase de epifania -

seja uma vagabunda reformada chegando a um acordo com o Muro aos 29, ou a ex-esposa que
domesticou seu obediente (mas nada excitante) Beta para ter sua própria
epifania e descobrir-se à la Comer, Rezar, Amar, a rede social de
a primazia feminina está lá com racionalizações fáceis para capturar toda e qualquer
queda hipergâmica da mulher.

Resistindo
Mesmo assim, aquela mulher hesita em se entregar àquele provedor Beta.
Nós desculpamos essa hesitação alegando que é porque, agora, ela quer ter
mais certeza sobre ele. Os homens Alfa aos quais ela se entregou tão facilmente
eram todos, é claro, lobos em pele de cordeiro (por exemplo, os homens são maus) e na
epifania dela, ela deve ter cautela. E se você acha que é por causa de
qualquer outra coisa, bem, você é um misógino, então cale a boca.
Uma mulher segurando um cara durante esta fase de sua vida realmente não é
sobre qualquer epifania moral, é sobre seu cérebro posterior chegar a um acordo com
ter que se tornar sexual com um tipo de cara que antes
ela nunca teria fluído naturalmente para fazer sexo com ele. Nós gostamos de
acho que agora uma "mulher de qualidade" merece colocar um homem em um conjunto de
testes de qualificação, isso parece prudência apropriada, mas na verdade a
reserva dela sobre transar com ele vem de um subconsciente profundo
de entender isso, embora o cara possa ser um excelente
investimento como pai, ele não vai ser alguém por quem ela sente uma urgência sexual
em transar.
Mais tarde, ela lamentará que prefere chorar por um idiota do que namorar um cara
que a aborrece, mas na Epifania ela tem que forçar esse entendimento
para baixo de seu subconsciente, a fim de melhor garantir sua hipergamo
segurança para o futuro.
Essa incerteza latente, límbica e sexual não tem nada a ver com a verificação do
'Cara perfeito' para a 'mulher de qualidade' é sobre uma mulher, que provavelmente pela
primeira vez em sua vida, é apresentado o desafio de ter que contornar
a Hipergamia do cérebro posterior para garantir sua segurança a longo prazo. Assim,
veja este grupo demográfico de mulheres criar ainda mais regras para um Beta merecer

sua intimidade, enquanto para um homem mais gerador de formigamento Alfa, ela era mais
do que querer quebrar as regras para ir para a cama.
É importante que nos concentremos na ideia de que um homem, qualquer homem, deve ser
merecedor de um "presente" sexual da mulher. Nós obtemos essa justificativa de
afirmações até mesmo do mais bem-intencionado dos homens. Mesmo que o
conceito de hipergamia é regularmente comprovado por meio de seu Alpha Fucks / Beta Bucks antes
de sua epifania, a mentalidade Beta está sempre pronta para fazer
mais e esperar mais dos homens que conseguiriam com sua "qualidade idealizada
de mulher'. Uma mulher à beira da expiração de seu valor de mercado sexual
não gosta de nada mais do que ouvir e encorajar a ideia nos homens de que
“Ela merece melhor”, apesar de suas decisões anteriores. Ainda assim ela hesita em ter
sexo com o cara 'perfeito' que está pronto para ignorar tudo isso.
Este é um conflito interno entre o que sua psique sabe que ela precisa fazer
para garantir sua segurança e o que seu cérebro posterior deseja em um amante Alfa emocionante. O
que "vira" na cabeça de uma mulher é sua incapacidade de resolver
sua sexualidade com sua autoconsciência em ter que forçá-la a ficar com um homem
que provavelmente não merece ela - mas isso merecer seu sexo, até agora, tem
sido um processo que ela deixou para seu cérebro posterior decidir. Em certo sentido, é
controle de qualidade, mas não para as justificativas hipócritas que devemos
acreditar que é.
Há muita negociação interna por parte das mulheres que entram em suas
Epifanias, tentando conciliar as necessidades de segurança de longo prazo do
Super Ego dela e as necessidades sexuais viscerais de curto prazo de seu Id. Em algum ponto,
quais qualidades sexualizadas satisfazem o id de uma mulher, ela não tem mais a
capacidade de manter para que haja uma negociação interna sobre o que
o homem disponível representa o melhor compromisso dependendo de sua necessidade e
seu reconhecimento disso - e sua verdadeira capacidade de satisfazer sua segurança de longo prazo
com ou sem ele.
Agora, introduza um homem Beta nesta negociação interna; aquele que foi
preparando toda a sua vida para ser o melhor e mais confiável provedor de seu
condicionamento faria dele. Sua influência entra no processo de negociação, mas seu id nunca pode
encontrar satisfação. Assim, a negociação
torna-se um de seus Ego negociando com seu Id tentando convencê-la a voltar

a descobrir que seu visceral Alpha Fucks precisa acomodar esse cara, já que ele
representa a segurança de longo prazo que o Super Ego precisa.
Há um pouco mais para essa reavaliação da fase da epifania, no entanto, eu
acho que devo acrescentar aqui que muita confusão não tão genuína por parte de
caras bem-intencionados sobre por que uma mulher quebraria tão facilmente as suas
regras para foder um Alfa enquanto exige que ele salte obstáculos para
chegar a uma sexualidade atenuada com ela é principalmente devido à expectativa do cérebro
posterior de uma mulher sobre como o sexo deveria ser com qualquer tipo de homem.
Eu contei no passado como as mulheres terão prazer em se envolver na mesma noite de sexo
com um cara que elas veem como uma oportunidade de sexo Alfa quente, mas nunca
considere se ela via o cara como “material de relacionamento”. Esta situação é uma
piada clichê agora - nós rimos disso como "lógica de garota", mas quanto mais Blue Pill
homens se conscientizam do Mito do Mocinho quanto mais esses dilemas
vai dar-lhes uma pausa para pensar sobre as mulheres cujo passado que eles estão prontos para
desculpa e as mulheres que eles simplesmente nunca vão considerar "relacionamento
material ” para eles próprios. Espero que eles pensem duas vezes sobre a ordem social
disso que os está encorajando a "se casar e casar com aquelas vadias".

Exclusivos não exclusivos


Eu tenho escrito na Manosfera por tanto tempo que os mesmos
argumentos previsíveis e citações fora do contexto tornaram-se
rigor. Qualquer observação objetiva da estratégia sexual da mulher por um homem é
sempre sinônimo de misoginia.
O que eu sempre achei divertido nos críticos da Teoria dos pratos do Blue Pill
(The Rational Male) é que o conceito de não exclusividade sempre beira
o criminoso quando um homem sugere que os homens devem perseguir um não exclusivo
namoro (e sexo), mas consideramos as mulheres como capacitadas, prudentes e / ou
exemplares de resistir à repressão de um patriarcado imaginário quando elas
sugererem o mesmo.
Claro, a resposta rápida para isso é que as mulheres são "vadias envergonhadas" por serem
não exclusivas, mas este é simplesmente um velho e conveniente esquivo para envergonhar os
homens

enquanto distrai da estratégia sexual prática das mulheres.


À medida que a hipergamia aberta se torna mais aceita entre as mulheres, a utilidade
de chamar a atenção para "vergonha de vagabunda" na verdade se torna um obstáculo para
justificar as prioridades hipergâmicas das mulheres.

Sandberg sugere, ...


“Ao procurar um companheiro de vida, meu conselho para as mulheres é namorar todos eles: o
meninos maus, os meninos legais, os meninos com fobia de compromisso, os meninos loucos. Mas
não case com eles. As coisas que tornam os bad boys sexy não os tornam
bons maridos. Quando chegar a hora de se acalmar, encontre alguém que queira
um parceiro igual. Alguém que pensa que as mulheres devem ser inteligentes, teimosas
e ambiciosas. Alguém que valoriza a justiça e espera ou, melhor ainda,
que quer fazer sua parte em casa. Esses homens existem e, acredite em mim, com o tempo,
nada é mais sexy. ”
O epitáfio de Sandberg aqui é tão "objetivante" quanto qualquer coisa que você encontrará
na 'esfera, mas a diferença é que devemos encontrar seu conselho para
assumir um estado de abundância sexual prático e revigorante
e progressivo. Eu já disse isso antes, mas vale a pena repetir isso como mulheres
mais orgulhosamente, abertamente, abrace os aspectos mais feios da hipergamia, serão
as mulheres que comprovarão a validade da consciência da pílula vermelha muito melhor do que os
homens
poderiam. Amostra do maior grupo disponível de potenciais sexuais
e experiência (Alpha Fucks) e presumir que um "parceiro igual" (Beta Bucks)
e provisionador estarão prontamente disponíveis para você quando não puder mais
Atrair de forma confiável os homens que representam suas prioridades sexuais.
Abordei isso em Plate Theory V: Lady’s Game; a extensão natural da
estratégia sexual das mulheres é, pelo menos praticamente, melhor servida a partir de uma
presunção de abundância. E, como tal, também descobrimos que a grande maioria
das convenções sociais primárias femininas centram-se na facilitação desta
presunção de abundância para as mulheres. Cultura pop, redes sociais e uma
narrativa social primária feminina promove um SMV inflacionado e um
senso exagerado de autoestima para as mulheres, mas funcionalmente convence
mulheres que podem perpetuar uma condição de abundância em relação a
sua viabilidade sexual quase indefinidamente

Mesmo em uma condição de monogamia comprometida, aquela sensação de fundo de


abundância sexual fervilha no subconsciente das mulheres. Nós elogiamos as mulheres com
a coragem de buscar essa abundância após o divórcio ou mesmo recompensá-las com
popularidade e oportunidades de filmes quando escrevem livros sobre persegui-los
enquanto casadas (ou seja, comer, orar, amar). Ou isso ou damos tapinhas nas costas delas
por sua capacidade de mover continuamente as traves e se convencer
e outros que a solteirice é um estado de objetivo que elas buscavam para alcançar toda o sua
vida.
Em todos esses casos, sejam legítimos ou não, há uma impressão
que as mulheres podem perpetuar uma condição de abundância para si mesmas - e
frequentemente muito além de sua verdadeira viabilidade de mercado sexual. Uma das razões pelas
quais chamo a ira de
muitos homens e mulheres da Pílula Azul é porque o colapso do
cronograma previsível que as mulheres seguem ao longo de suas vidas com relação a
seu valor de mercado sexual (SMV) e sua estratégia sexual dualística é que
confronta diretamente a dúvida de que elas podem perpetuar uma condição de
abundância, apesar de suas escolhas pessoais na vida.
Em outras palavras, esse é o ponto crucial da autoafirmação social e psicológica das convenções das
mulheres; para evitar qualquer responsabilidade pelas consequências que podem ser causadas
pelas escolhas que a hipergamia as levou a fazer. O Blogger Roissy surgiu
com a máxima de que o objetivo final do feminismo é permitir ao máximo
a sexualidade das mulheres enquanto restringe ao máximo a dos homens - e, claro,
a consolidação dessa capacitação da estratégia sexual das mulheres também deve levar em conta
por absolvê-los de dúvidas e erros cometidos em sua execução.

Failsafes
A maioria dos meninos, por várias gerações, foi condicionada a ser
provedores úteis para mulheres, uma vez que entram em uma fase da vida, uma vez que as mulheres
descobrem que estão se tornando menos capazes de competir intra-sexualmente. Alguém
familiarizado com meu segundo livro, Medicina Preventiva, entende esse período
como o ponto durante o qual as prioridades hipergâmicas de uma mulher mudam de
Alpha Fucks de curto prazo para Bucks Beta de longo prazo.
Eu também delineei o plano subjacente envolvido na garantia desta estratégia neste
é agora:

Isso foi antes. Agora, aos 30, e (espero) com um diploma aprendido e obtido
de mérito, sucesso, julgamento desenvolvido, caráter e um razoavelmente bem mantido
físico, um homem se encontra em uma posição como nenhuma outra - suas opções e
o arbítrio para desfrutar as atenções das mulheres parece de repente estar no auge.
As mulheres planejadoras tinham aos 19 anos quando disseram a ele para "esperar por mim aos 30"
agora se torna mais urgente à medida que ela se torna mais visceralmente consciente do Muro.
Ela sabia que esse dia chegaria quando ela estava apenas entrando em seu pico
dos Anos SMV.
Para homens entretendo mulheres envolvidas em conflitos de sua fase de epifania interior, esta não é
apenas uma fase muito confusa para o Beta não iniciado, mas
é também um período igualmente precário no que diz respeito (mais uma vez) as
consequências das decisões de sua vida com ela. A maioria dos homens se encontra
como jogadores na estratégia meta-sexual das mulheres neste momento porque acreditam
que sua perseverança finalmente valeu a pena. Todo aquele sacrifício e pessoal
realização finalmente mereceu o interesse genuíno de uma “mulher de qualidade".
Para os homens que nunca aprendem uma consciência da pílula vermelha o que eles falham em
entender é que é neste ponto que se espera que eles abandonem suas próprias
estratégias sexuais a fim de completar a (agora fase da epifania)
mulher com quem eles estão considerando um emparelhamento. Se eles foram literalmente
questionados
a esperar uma mulher até os 30 anos, o efeito é o mesmo, eles esperaram
sua vez, eles esperaram para estar ao serviço, eles esperaram para cumprir um
imperativo sexual primário feminino.
Agora, peço que você chame sua atenção para as estatísticas desta seção. Na verdade, existem vários
outros estudos, como
isso, mas o que ilustra é um exemplo de como o subconsciente das mulheres
preparar contingências à prova de falhas no caso de o amante Alpha que elas esperam
converter para um provedor Beta não esteja em conformidade com sua estratégia sexual.
Seja ele que era o único que fugiu, o marido do escritório ou um colega de academia,
as chances são de que ele seja o homem do “Plano B” com quem ela fantasia fugir.
Como uma apólice de seguro, este homem é o namorado ou marido escolhido a dedo
que as mulheres substitutas ficam de prontidão quando o “Plano A” começa a falhar.
De acordo com uma pesquisa realizada pela OnePoll.com, uma pesquisa de empresa de mercado
online,

metade das mulheres que são casadas ou em relacionamento têm um Plano B


homem em espera que está "pronto e esperando" por causa do "negócio inacabado"
É importante escolher isso à parte desde o início, porque, como a maioria
dos artigos escritos por mulheres que descrevem fatos nada lisonjeiros sobre a natureza feminina,
a narrativa deve ser mudada para ser o fardo dos homens. A presunção aqui
é que o amante do 'Plano A' é sempre a escolha preferida da mulher - assim, pré-confirma a isenção
de culpa das mulheres desde o início - e que um 'Plano B'
só deve ser considerado se o homem do "Plano A" de alguma forma errar
em contentar-se em cumprir a estratégia sexual de uma mulher.
Esta dinâmica é baseada no princípio do Dread - lembre-se, o tipo que
quando os homens o usam, são considerados manipuladores do mal? No entanto, deveria ser
observado que o medo é sempre um elemento de qualquer relacionamento, é só que, uma vez que
os imperativos das mulheres são os socialmente corretos hoje, só as mulheres podem ser
considerado inocente ao instituí-lo.
Quando há problemas no paraíso e, eventualmente, uma separação, as mulheres ficam
na linha de partida novamente. Isso significa que há mais noites femininas tarde da noite
com maratonas de romcom e vinho - muito vinho. No entanto, para evitar jogar o
campo e passar por todas as bases, as mulheres tomaram um atalho para obter
de volta à linha de chegada com um homem do Plano B.
“O ditado de que‘ a grama nem sempre é mais verde ’claramente não impede
mulheres de hoje. Eles entendem que tudo pode acontecer e estão
garantindo que elas tenham um plano de backup sólido caso as coisas dêem errado com seu
homem atual ”, disse um porta-voz da OnePoll.com ao Daily Mail.
Como descrevi em Medicina Preventiva, os ingredientes de uma Viúva Alfa
geralmente começam nos anos de festa de uma mulher; durante o período em que ela está
em seu pico SMV. A hipergamia é sempre pragmática. Este seguro do Plano B
estratégia política é apenas mais uma evidência da hipergamia, mas também é
pragmática. O cérebro posterior das mulheres sabe que seu SMV é um ativo perecível,
então, sim, esse plano de backup faz sentido. O que não é tão óbvio neste estudo é
que as mulheres também se apegam à esperança de que o homem do Plano B com quem
pode consolidadar segurança de longo prazo pode algum dia ser substituído pela
fantasia de um Alfa pelo qual ela se tornou viúva. Se isso acontecer com

seu despertar da pílula vermelha e se tornar mais alfa ou seu eventual divórcio
dele mais tarde na vida ainda está para ser visto.
Acho que este último não é apenas um raciocínio muito mais prático, mas uma vez que é
desfavorável e expondo as maquinações da hipergamia, muito mais
provável uso de um alternativo "Plano B".
A narrativa por trás desses estudos é sempre uma perspectiva descaradamente intitulada de
masculinização e um pouco mais "é melhor você não foder as coisas"
como uma sinalização de pavor, entretanto, acho que as três últimas estatísticas são as mais salientes
aqui.
Pelo menos metade dos homens envolvidos conhecia o homem do Plano B, 1 em cada 5 era um
amigo dele, e 1 em cada 10 do Plano B já havia feito uma tentativa de
atrai-la para ser íntimo com ela.
Algumas coisas se tornam aparentes aqui: em uma ordem social que é
composta por pelo menos 80% de homens beta e mulheres que podem obter um impulso de ego em
tempo real, eles podem inspirar sem realmente tentar. E segundo, em
uma geração Beta, uma forma padrão de corno beta suave não é apenas conhecido por
eles, mas aparentemente se tornou normalizado para eles.
Tudo isso realmente volta para, mais uma vez, suprimir o estado constante de
dúvida interna que a hipergamia instila nas mulheres. A dinâmica do Plano B e
a normalização disso em uma ordem social centrada no feminino, é mais uma peça
para garantias de segurança em ambos os aspectos sexuais e de aprovisionamento da
Hipergamia.
Agora, para não te deixar pendurado aqui, tenho que terminar com um pouco de
conselhos acionáveis. Como sempre, sua primeira ordem de negócios é estar ciente de que
esta dinâmica está em jogo. Entenda que esta tática de seguro do Plano B não é
reservado apenas para homens casados. Você provavelmente verá
variações disso em suas relações com as mulheres enquanto você está solteiro. Qualquer homem
que fez sexo com uma garota que depende de um bando de orbitadores masculinos para ampará-la
e a auto-estima conhece a utilidade deles. Existem muitas maneiras de você
potencializar o Beta-ness da maioria dos homens para elevar seu próprio SMV.
Finalmente, se você é um homem casado e está experimentando essa dinâmica do Plano B, você
precisa fazer uma reavaliação séria de seu relacionamento e do status de sua
esposa. Você é um dos 50% dos homens que sabem quem é
o plano B da sua esposa é? Ele é mesmo um amigo seu?
O que você pode fazer para reforçar seu domínio Alfa nessa situação? Ou
talvez a melhor pergunta seja: vale a pena o esforço para fazê-lo? Haverá
sem dúvida, os comentários previsíveis sobre como o casamento nunca
vale o esforço, e vou reconhecer isso aqui primeiro, mas você é uma vítima de
vasculhar continuamente o lixo para restabelecer uma impressão Alfa para
sua esposa que ela reservou para seu plano B alternativo?

Fantasmas de epifanias passadas


Em Medicina Preventiva, entrei em detalhes sobre os homens, presentes em cada vez mais
circunstâncias comums do Plano B. Existe uma expectativa subconsciente
por parte dos homens Beta que se encontram na Epifania das mulheres ou acabaram de chegar
nesta Fase, que os predispõe a acreditar que o que eles se tornaram como um
resultado de sua perseverança ao longo de seus 20 anos agora se tornou realidade
e as mulheres que os ignoravam agora amadureceram a um ponto onde
ele é o finalmente 'sexy'.
A menos que os homens tenham um momento de clareza ou uma iniciação própria da pílula vermelha
antes disso, o que eles não aceitam é que essa expectativa seja calculada
de um condicionamento do Imperativo Feminino para prepará-lo para mulheres assim;
mulheres que não podem mais competir sexualmente pelos Alpha Fucks
desfrutando em seus anos de festa. O Imperativo Feminino lhe ensina que ele
pode esperar o melhor "real" sexual de uma mulher do "real" dela - por que mais
que ela concordaria com um casamento vitalício se ele não fosse a escolha ideal para
sossegar com ela ? Por que ela não seria ainda mais sexual do que no passado
com o homem com quem ela escolheu passar a vida e ter filhos?
Essa é a mensagem que o Imperativo Feminino usou para sutilmente e
indiretamente implicam em Betas em espera. Agora com o conforto da
Hipergamia aberta, esta mensagem é publicada em livros mais vendidos por influentes
mulheres.
“... com o tempo, nada é mais sexy.”

Não quero insistir em Sandberg mais uma vez, mas este é essencialmente o esboço do
roteiro que estamos lendo para os homens do Plano B hoje. O problema para ele é que ele
pegou a parte "nada mais sexy" de sua programação aberta de hipergamia de acasalamento
para o coração apenas para descobrir que outra pessoa era mais sexy muito antes dela
se convencer do contrário. Pelo que vale a pena, o ginocentrismo tem muito menos que
medo da Manosfera revelando as horríveis verdades da pílula vermelha sobre
a Hipergamia e muito mais para se preocupar de mulheres orgulhosamente auto-indulgentes
explicando isso alegremente para a própria população em geral.
Quanto mais comum se torna a hipergamia aberta e mais orgulhosamente
abraçado por todas as mulheres, as menos eficazes envergonhando os homens para
aceitação disso será. Eu acho que é muito mais prevalente do que a maioria dos homens
gostaria de admitir; muito mais comum para a maioria dos homens que tacitamente
aceitou que a mulher com quem se casaram (ou com quem se uniram) deu o melhor dela
para amantes anteriores e são muito pessoais ou familiares para se libertarem
dela depois que eles perceberam isso. Esse investimento necessita
convencer os memes pré-planejados, o Imperativo Feminino
preparou para eles - que estão fazendo a coisa certa ao forçar que
dissonância fora de suas mentes.
Muitos Betas em espera gostam de reivindicar um senso pessoal de vingança sobre
seu emparelhamento e procriação com sucesso com mulheres que eles acreditam ser
(e foram) o seu SMV avaliado igual uma vez que essas mulheres "conseguiram
de seu sistema ”no que diz respeito à autodescoberta e indiscrições do Alpha. Em se
sentir que estão corretos; frequentemente estes são os homens que agradecem
por abraçar a aceitação íntima de uma mulher por ele precisamente no momento em que
seu SMV amadureceu para corresponder ao declínio do SMV dessa mulher. Eu chamo isso
de cruzar o ponto SMV comparativo no meu gráfico SMV.
Mesmo as mulheres em declínio em seu SMV gostam de encorajar a ideia de que
sua decisão pós-Epifania de se casar com o provedor do Plano B Beta (longo prazo
orbitador) é a evidência de sua maturidade recém-descoberta. Como elas poderiam
ter sido tão tola e não ter visto como o cara perfeito para ela tinha estado lá
durante todo esse tempo? Essa consideração gratifica o ego de um Beta que foi
martelado pela rejeição ou experiências medíocres com mulheres até aquele
ponto.

A principal razão pela qual escrevi Medicina Preventiva foi para ajudar os homens a ver o passado
a compartimentação das fases de maturidade das mulheres, mas também para ajudar
eles verem além de suas próprias interpretações imediatas dessas fases,
experimentando-os. Privação sexual e íntima de longo prazo (ou seja, sede)
irá predispor os homens a se convencerem da parte que acreditam que
devem jogar nas convenções sociais do Imperativo Feminino. A
dissonância cognitiva deles próprios é um preço pequeno e subliminar a pagar quando eles acreditam
que eles estão finalmente sendo recompensados com uma mulher que agora está pronta para dar a
ele
o melhor dela.
O que me inspirou a escrever este ensaio foi a leitura de uma foto-meme fofa sobre
o Facebook. A mensagem melosa era "Meu único arrependimento foi não ter conhecido você
antes, para que pudéssemos passar mais de nossas vidas juntos ", sobreposto
algumas crianças em preto e branco segurando uma rosa. Então me dei conta, era um
mensagem que um cara que estava postando para sua namorada; aquela que ele conheceu depois de
seu
segundo divórcio foi finalizado. O que ele não queria pensar era que se
ele poderia a conhecer mais cedo, ela estaria muito ocupada "se descobrindo" para ter
qualquer coisa a ver com ele.

Adaptações
Antes da era pós-Revolução Sexual, os homens se adaptaram à sua situação sócio-sexual
e realidades relacionais baseadas em uma carga de desempenho pré-reconhecida.
Posteriormente, descreverei as expectativas deste período no Segundo Conjunto de Livros:
[...] quando os homens fazem a transição de sua perspectiva confortável da pílula azul para
a dura realidade que a Red Pill representada, a experiência é muito parecida com Ball
descobrindo que o conjunto de livros (o conjunto de regras) que ele acreditava em todos
que estava usando não era assim. Da mesma forma, os homens que foram condicionados desde o
nascimento a
acreditarem que as mulheres estavam usando um conjunto comum de regras - um conjunto onde
certas
expectativas e a troca mútua foram compreendidas - estavam de fato usando
seu próprio conjunto. Além disso, esses homens "simplesmente não entenderam" que deveriam ter
sabido o tempo todo que as mulheres, assim como o condicionamento de feminização dos homens,
foram fundadas em um segundo conjunto de livros.
Durante as eras anteriores à Revolução Sexual, esse primeiro conjunto de livros foi
mais ou menos um ideal estabelecido. Os homens eram tão idealistas quanto eles
são hoje, mas o plano para alcançar esse ideal (se fosse de fato alcançável)
foi predefinido para eles. Mesmo o pior dos pais (ou pais) ainda tinha
expectativas de que seus filhos e filhas seguiriam a regra da velha ordem
definido como eles haviam feito.
Para os homens, um provisionamento maior era esperado, mas esse provisionamento foi um
aspecto integral do apelo Alfa de um homem. O peso do desempenho fazia parte
da mentalidade Alpha de um homem ou estava pelo menos parcialmente associado a ela.
O perigo nessa mentalidade era que a identidade de um homem tendia a ser pega
com o que ele fez (geralmente uma carreira) a fim de satisfazer aquele fardo de desempenho. Assim,
quando um homem perdia o emprego, não só era incapaz de fornecer
e atender às suas expectativas de desempenho em seu casamento, ele também perdia uma parte de
sua identidade. Escusado será dizer que esta dinâmica ajudou a incentivar os homens a voltarem
à sua identidade e à estima de sua esposa (mesmo que fosse
realmente sua necessidade que a manteve envolvida com ele).
Muitas romantizações giram em torno dos tempos anteriores a
Revolução sexual; como se fossem algumas eras douradas quando homens e mulheres sabiam

seus papéis e a influência da hipergamia foram marginalizados ao ponto


que a sociedade era um lugar melhor do que o lugar em que nos encontramos hoje. E
embora seja inegável que as mudanças culturais desde a revolução sexual
feminizou e bastardizou aqueles contratos sociais da velha ordem, os homens sempre
adaptam-se a essas novas condições para efetivar suas estratégias sexuais.
Há muita nostalgia por esses períodos idealizados na Manosfera a partir de
esta escrita; aparentemente mais à medida que seus membros amadurecem além de seus anos de
"jogos"
e começam a sentir um desejo por algo mais substancial em suas vidas.
Os homens são os verdadeiros românticos dos sexos, então não é grande surpresa que seu
conceito de romântico / idealista de amor correria para romantizar um
esperançoso retorno ao que eles imaginam que essas épocas foram.
É uma espécie de contra-ataque interessante a como o feminismo e o feminino
Imperativo pinta essas eras - ao invés de um lugar idílico onde as mulheres
e homens eram apreciados, as feministas exageram e ridicularizam esses tempos como opressores;
a Revolução Sexual semelhante ao êxodo dos judeus do Egito. O que ambos falham em
entender é que as realidades dessas eras ainda eram tão suscetíveis a natureza humana
- a natureza humana descrita pelo que chamamos de consciência da pílula vermelha -
e ambos os sexos se adaptaram aos ambientes sociais da época para efetuar suas
naturezas.
Os preservativos estavam amplamente disponíveis na década de 1940 e os homens pintaram
cuidadosamente
garotas pinup seminuas no nariz de seus bombardeiros de guerra. Mulheres também
adaptaram a esse ambiente. Essas citações vêm de dois livros de John
Costello; ‘Virtue Under Fire’ e ‘Love, Sex, and War’ em que todos também
muito da psicologia feminina se manifestou:
“Dos 5,3 milhões de bebês britânicos nascidos entre 1939 e 1945, mais de um
terceiro eram ilegítimos - e este fenômeno de tempo de guerra não se limitou a
qualquer seção da sociedade. Os bebês que nasceram fora do casamento
pertenciam a todas as faixas etárias das mães, concluiu uma pesquisadora social:
Algumas eram meninas adolescentes que se afastaram de casas que ofereciam
nem orientação, nem calor e segurança. Outros ainda eram mulheres com
maridos em serviço de guerra, que foram incapazes de suportar a solidão de
separação. Havia decentes e sérios, superficiais e volúveis,
meninas irresponsáveis e incorrigíveis entre eles. Houve alguns que tiveram

formado ligações sérias e esperava se casar. Houve outros que tiveram


um único lapso, muitas vezes sob a influência da bebida. Havia, também, as "garotas do bom tempo"
que prosperavam com a presença de militares bem pagos
no exterior e semiprostitutas com pouca restrição moral. Mas para a guerra
muitas dessas meninas, seja qual for o seu tipo, nunca teriam tido filhos ilegítimos
como crianças.
(pp. 276-277) ”
“Nem as estatísticas britânicas nem americanas, que indicam que o tempo de guerra
a promiscuidade atingiu seu ápice nas fases finais da guerra, leve em consideração
o número de gestações concebidas irregularmente que foram interrompidas
ilegalmente. Os abortistas parecem ter sido muito procurados durante a guerra.
Uma estimativa oficial britânica sugere que uma em cada cinco gravidezes
terminou desta forma, e a taxa equivalente para os Estados Unidos indica que
o número total de abortos durante os anos de guerra poderia muito bem ter sido mais de um
milhão.
Essas projeções são, na melhor das hipóteses, apenas um barômetro hipotético da Guerra Mundial
O tremendo estímulo II para a atividade sexual extraconjugal. A mais alta
taxa registrada de nascimentos ilegítimos não foi entre adolescentes, como poderia
ser esperados. Registros britânicos e americanos indicam que as mulheres
entre vinte e trinta deu à luz quase o dobro do número de
filhos ilegítimos pré-guerra. Já que parece que as mulheres mais maduras eram as
mais encorajadas pela moral relaxada do tempo de guerra para "desfrutar"
elas mesmas, pode-se supor que as considerações de fidelidade não eram grandes
contenção do desejo da mulher casada mais velha de participar do
aumento geral da promiscuidade sexual durante a guerra. (pp. 277-278) ”
Mulheres da "maior geração" ainda eram mulheres, e a hipergamia, apenas
como hoje, também não se importava com o ambiente social. Meu companheiro
o blogueiro Dalrock fez uma observação fantástica em um post uma vez, mas
parafraseando ele disse:
“Cada geração em eras passadas datava de forma diferente das anteriores.
Seus pais namoraram em uma condição social que era muito diferente de seus
avós ou seus pais. Ninguém nesta geração vai namorar como
eles fizeram no Happy Days. ”

Eu acho que é importante não perdermos isso de vista, mas também é importante
considerar que em todas essas eras as estratégias sexuais de homens e mulheres permaneceram
uma influência subjacente para eles. Tudo o que mudou foi ambos os sexos adaptados
às condições dos tempos para os efetivar.
Adaptação Pós-Revolução Sexual - A Era do 'Amor Livre'
Embora haja muito o que criticar sobre a geração Baby Boomer, é preciso
considerar as condições sociais que os produziram. Igualismo igualitário
combinado com controle de natalidade hormonal onipresente (controle feminino) e
em seguida, misturado ao construtivismo social de folha em branco, feito para um muito eficaz
ambiente em que as estratégias sexuais de ambos os sexos poderiam, teoricamente,
florescer.
O controle das mulheres sobre suas influências hipergâmicas, para não mencionar
oportunidades de otimizá-lo totalmente, era livre de restrições morais ou
restrições sociais pela primeira vez na história. Para os homens, a ideia de um 'Amor Livre'
na ordem social era atraente porque prometia otimização por conta própria
da estratégia sexual - acesso ilimitado à sexualidade ilimitada.
O novo paradigma do Amor Livre era baseado em uma presunção de não exclusividade, mas mais
ainda, era baseado em uma condição implícita de não possessividade. Os homens se adaptaram a
este paradigma, como era de se esperar,
mas o que eles não consideraram é que neste estado sua eventual traição
(seja proativa ou retroativamente) significou o fato de as mulheres facilitarem a
otimização de seus próprios impulsos hipergamosos.
O contrato social do Amor Livre atingiu os desejos sexuais básicos de
uma variedade permissiva para os homens, ou pelo menos implicava um potencial prometido para
ela.
Além disso, e mais importante, Free Love implicava esta promessa grátis
do peso do desempenho. Era amor "livre", tenuamente baseado,
ostensivamente, em qualidades pessoais intrínsecas. Era o que estava dentro do que
iria torná-lo adorável - não as realidades físicas viscerais que inspiraram
excitação, nem o status rigoroso e as cargas de desempenho de provisionamento que
caracterizou a paisagem intersexual dos velhos tempos.
Deve ser mencionado que o "amor livre" também tocou no idealismo dos homens
no conceito de amor nessa liberdade de um amor baseado em desempenho. o
ambiente igualista, todos iguais, foi baseado na ideia de que o amor era
uma dinâmica mutuamente acordada, livre da estratégia sexual fundamentada
em realidades de ambos os sexos aplicadas ao amor. Assim, o idealismo dos homens os predispôs a
ter esperança de um amor por amor sem performance sendo correspondido
pelas mulheres.
É assim que o contrato social parecia na publicidade, então é dificilmente
surpreendente que os homens (Beta) se adaptaram avidamente a esta nova paisagem sexual;
indo para se dar bem (ou para transar) de uma forma que parece
bom demais para ser verdadeiro para as gerações anteriores. E, assim, seu conjunto de crenças
adaptado a
estratégia sexual que, felizmente, pagaria dividendos sexuais para eles
nesta nova condição social.
Para as mulheres, embora não totalmente realizadas na época, esta
reestruturação Free Love social representou uma licença para otimizar a hipergamia desimpedida por
restrição moral ou social, e mais tarde, ilimitada (ou pelo menos marginalizada) por
apoio provisório masculino. Pela primeira vez na história, as mulheres podiam amplamente
explorar um plano sandbergiano para Alpha Fucks e Beta Bucks e, pelo menos
figurativamente, elas poderiam fazer isso em seu lazer.
O problema inerente ao paradigma do Amor Livre era que ele se baseava em um
entendimento mútuo de que homens e mulheres eram iguais funcionais, e como
tal confiança mútua de que um dos sexos teria os melhores interesses do outro como
seus próprios. Essa base de confiança de que qualquer sexo estava racionalmente na mesma página
no que diz respeito às suas estratégias sexuais é o que estabelece as condições para as
gerações consecutivas que virão. Essa confiança, por parte dos homens, era que
essas mulheres "iguais" honrariam a presunção de que era "quem" elas
eram em vez de "o que" eles representavam para sua estratégia sexual nas
várias fases de sua maturidade que seriam a base para o sexo feminino
de seleção deles.
Nos anos 70
Quando publiquei pela primeira vez o gráfico do valor de mercado sexual comparativo (SMV) a
alguns anos atrás (ver The Rational Male) uma das primeiras críticas foi que as
comparações de idade entre homens e mulheres pareciam muito concretas e também
específicas para os tempos contemporâneos. Tentei fazer concessões para isso então, mas
quando eu estava escrevendo aquele ensaio, a princípio era para ser poucas falas.

Ainda assim, tento escrever com o pressuposto de que os críticos vão levar as coisas
tanto literalmente quanto figurativamente. Eu sabia que os literatos naquela época e agora
pensariam: “... bem, sim, é um bom esboço, mas você está olhando para o SMV
da perspectiva de 2012 e a sociedade era muito diferente 50, 70, 100,
2.000 anos atrás, então este gráfico é falho ... ”
Meu gráfico SMV (valor de mercado sexual) nunca foi pensado para ser um canônico
tablet entregue a mim pelo Todo-Poderoso. Eu pensei nisso então, e ainda penso
agora, como um esboço viável muito bom de como homens e mulheres
do SMV comparativo está relacionado ao outro. Isso foi confirmado em muitas outras
estatísticas de estudos individuais enviados a mim por leitores ou apenas por mim
entre eles desde que criei aquele gráfico. Dito isso, esses críticos não estão errados
em sugerir que este esboço estaria sujeito aos ambientes sociais e
realidades físicas simples de tempos anteriores, e provavelmente de alguns tempos ainda por vir.
Pegue o que estou prestes a aprofundar aqui com um pouco de sal; Eu não sou um historiador.
Uma das minhas figuras favoritas da era da guerra civil foi o coronel Robert Gould
Shaw. Se você viu o filme Glória, sabe a quem estou me referindo aqui.
Este jovem tinha 23 anos quando se alistou e 25 quando foi promovido a
Major e depois Coronel. Naquela época, Shaw viu algumas merdas horríveis,
incluindo a batalha de Antietam.
Eu tinha visto o filme quando ele foi lançado em 1989, mas depois de assisti-lo novamente
para uma tarefa de aula, tive uma nova apreciação pelo homem real que era
Robert Shaw. Eu vi o filme usando o que estava se tornando minha lente Red Pill.
Ocorreu-me que as realidades daquela época forçavam os homens a se tornarem muito
mais cedo do que os homens hoje. As realidades de nossos tempos nos dão um lazer que
homens da idade de Shaw simplesmente não podiam imaginar. As realidades daquela época
exigia um rápido amadurecimento para suportar o fardo de pesadas responsabilidades.
Esses encargos eram muito mais importantes na época, mas um jovem de 23 anos ainda é,
biologicamente, um jovem de 23 anos.
Pensei em como passei meus próprios anos entre as idades de 23-25 quando
eu estava no auge da minha perseguição de estrela do semi-rock no final dos anos 80 - início dos anos
90
Cena de Hollywood. Comecei a realmente pensar sobre as diferenças no social
e ambientes físicos das décadas de 1860 e 1980-1990. Eu sempre
brinquei que os homens não se tornam homens até os 30 anos. Mesmo no gráfico SMV

o ponto em que atribuo a ascendência real dos homens ao pico de SMV é


por volta dos 30 anos, mas nem sempre era assim no passado.
Os homens (comparativamente) vivem vidas mais longas como resultado dos
avanços de saúde, mas (pelo menos na cultura de ocidentalização) leva muito mais tempo e
investimento pessoal, bem como aculturação para que os homens realizem sua
potencia pessoal. O peso do desempenho dos homens não era muito diferente em
eras anteriores, mas o tempo necessário para atingir o potencial máximo de um homem era
muito mais acelerado.
Portanto, para abordar as preocupações dos críticos temporais do gráfico SMV, sim,
esse gráfico pode parecer um pouco diferente para os homens e mulheres do século 19.
Considerando a expectativa de vida da época e as condições sociais de então,
as idades durante as quais uma mulher atingiria seu próprio pico podem ser em torno de 17,
e o de um homem pode ter 25, porém as mesmas curvas do sino não
mudam drasticamente. Homens adaptados às condições que seu ambiente ditava
para eles, da mesma forma que faziam antes e depois da
revolução do sexo. E essa adaptação veio como resultado do que se esperava
que eles como seu fardo de desempenho do tempo, bem como o que seus
os lazeres os permitiriam.
Amo o estilo americano
Na década de 70 o novo contrato social da geração do Amor Livre começou a
assumir uma nova forma. Tenha em mente que este novo contrato igualitário foi baseado
na presunção esperançosa de que ambos os sexos honrariam mutuamente o
“O que está dentro é o que conta” como normalização da atração. Abaixo desses
contratos as naturezas hipergâmicas femininas poderiam florescer, enquanto a
estratégia sexual masculina de acesso ilimitado poderia ser realizada de forma ostensiva.
Claro que essas presunções elevadas e de consciência superior foram feitas para
substituir a natureza humana e uma função de excitação sexual evoluída com base em
biologia humana. Uma coisa que ainda impede o feminismo ideológico hoje é
que seus estados de objetivo percebidos contradizem os seres humanos naturais, e seus evoluídos
estados. Essa contradição é narrativamente atribuída aos homens que não querem
cooperar com o feminismo, mas mesmo a feminista mais ardente ainda é culpada de
sua própria biologia e gatilhos de excitação contradizendo-se.

A biologia supera a convicção. As pessoas ficam inquietas quando eu aplico isso em um


contexto religioso, mas é igualmente aplicável ao feminismo e a qualquer
ideologia que subestima a natureza humana e as realidades de suas
condições.
Conforme a nova paisagem sexual começou a se solidificar, os homens começaram a adaptar suas
próprias
estratégias sexuais para as condições desse ambiente veloz e solto. Somente
antes da Disco Generation, a pornografia hardcore começou seu caminho para a
pornografia gratuita onipresente que conhecemos hoje. A restrição sexual exigida pelas
realidades das gerações anteriores afrouxadas à luz do nascimento hormonal generalizado
controle e seguro de aborto legal.
Embora a hipergamia tenha sido efetivamente desencadeada, as mulheres desta época não
compreenderam totalmente o escopo de ser assim ou o que poderia se tornar. Socialmente
sexo antes do casamento aceitável, aborto, bancos de esperma e unilateralmente feminino
controle da natalidade significava que as mulheres tinham um grau sem precedentes de
controle sobre sua tomada de decisão hipergâmica. Eu duvido de muitas mulheres deste
tempo entenderam isso, mas o único controle real que os homens tinham (e ainda têm
agora) sobre os resultados de procriação e parto das mulheres agora estava baseado no
psicológico (jogo) ou o físico (excitação). O provisionamento ainda era uma
consideração para as mulheres, mas a divisão entre curto e longo prazo
do emparelhamento tornou-se mais pronunciado.
Como mencionei aqui no início, uma desaceleração do processo de maturação
foi o resultado inevitável da liberdade de escolha hipergâmica das mulheres.
Alpha Fucks de curto prazo não representam mais os mesmos riscos sociais e pessoais
de uma geração com pré-controle de natalidade, portanto, escolhas de emparelhamento de longo
prazo (Beta
bucks) começou a ser atrasado. A história ideológica de cobertura era sobre mulheres
esperando que os homens "amem suas entranhas", apesar da idade,
bagagem psicológica ou sua condição física cada vez mais acima do peso.
A preocupação das mulheres com o Muro foi supostamente mitigada pelo
amor ao contrato social de que os homens honrariam seu fim do sonho igualitário da consciência
superior de uma atração mutuamente acordada com base em
qualidades intrínsecas.
As realidades biológicas para ambos os sexos eram muito diferentes.

As mulheres confiavam que poderiam ser sexualmente "livres", sem estigmatização social,
mas a realidade é que as necessidades de longo prazo da hipergamia podem ser
adiadas no que viria a se tornar uma estratégia aberta de hipergamia sexual. Quanto mais homens
alfa da época - aqueles em contato com as viscerais
natureza das mulheres e de si mesmas - entenderam a incrível vantagem disto
representado por eles. É importante ter em mente que a hipergamia não era
a dinâmica abertamente abraçada em que está hoje. Assim, o não dito,
natureza secreta da hipergamia era algo que um homem "simplesmente entendeu"
compreendendo instintivamente e as mulheres ficavam excitadas com isso.
Machismo
Durante a década de 70, os homens ‘Macho’ começaram a se adaptar a um novo paradigma. Eles
adaptaram à realidade de que as mulheres estavam em conflito com o paradigma do Amor Livre.
Esses homens abraçaram a abertura sexual esperada das
mulheres, mas eles também entenderam que, apesar do contrato social de amor
sendo baseada em qualidades intrínsecas, as mulheres ainda queriam foder (com abandono)
os homens com qualidades desencadeantes de excitação extrínseca. Atributos de evolução física
passaram a ter prioridade sobre a pretensão emocional.
A qualidade do Macho pode assumir diferentes formas. Seja o bom ole '
menino do sul ou o Tony Manero no Studio 54, entendendo a mentalidade
é o que é importante aqui. A masculinidade convencional era o que estava conduzindo o
mercado sexual sob o verniz do Amor Livre.
Homens machistas nas discotecas e nas principais festas dos anos 70 descobriram que podiam
'Jogar' o velho paradigma de não exclusividade emparelhado com controle de natalidade, abraçando
novamente (com gosto da era disco) uma masculinidade que tinha sido abandonada apenas
uma década antes, com os Hippies. Acesso ilimitado a sexualidade ilimitada
era para homens que desafiavam abertamente as pré-condições do Amor Livre. Eles
desfrutaram das recompensas de suas expectativas em relação às mulheres enquanto se
recuperavam das
auto-expectativas dos homens Beta que ainda cooperavam com o Livre
Amor de contrato social.
Este era é um paralelo interessante. Eu penso muito na pílula vermelha
sobre o ressentimento vindo de homens ainda ligados a uma mentalidade da pílula azul que está
enraizado
em uma percepção semelhante de que estão jogando por um conjunto aceitável de regras que
“Homens com Jogo” estão explorando para seus próprios fins egoístas. O que eles não fazem

é perceber é que suas interpretações da pílula azul são parte projetada de um


paradigma que apóia a primazia feminina. O jogo funciona porque, como o
homens machos dos anos 70, é baseado principalmente na psicologia inata das mulheres,
gatilhos de excitação inata e as realidades viscerais da vida biológica da mulher
e seus impulsos.
Os homens beta dos anos 70 ainda acreditavam que a mentalidade do Amor Livre era igualmente
e mutuamente benéfico para ambos os sexos, uma vez que foi supostamente baseado em uma
liberdade de desempenho para si mesmas, enquanto liberta as mulheres da
“Repressão sexual” e (disfarçadamente) da realidade do Muro. Na realidade, o
O paradigma do Amor Livre coloca os homens em desvantagem ao dar às mulheres quase
controle total da hipergamia e o tempo para realizar acasalamento a curto prazo e provisionamento
de longo prazo.
Então, o ressentimento desses homens Beta com os Alfas da época é compreensível
quando você considera que sua atratividade visceral era observável e
comportamentalmente excitante para mulheres que deveriam amar idealisticamente
eles por quem eles não eram o que eram. Esses homens machos representaram um
retorno ao fardo do desempenho que os Betas esperavam evitar no
Contrato de amor.
Esses homens alfa entenderam os impulsos básicos das mulheres então, e que
a compreensão tornou-se parte integrante de sua atração por “apenas conseguir”.
No entanto, esses homens acabariam se tornando o alvo de sua própria piada como
o Imperativo Feminino fluidamente transitou para um novo paradigma social de
Fempowerment se desenvolveu na década de 80 e atingiu seu ápice na década de 90.
Os estimulantes homens ‘Macho’, os Alfas da época, sistematicamente
tornam-se as paródias e caricaturas mais ridicularizadas da masculinidade como as mulheres
compreenderam melhor o poder que estavam apenas começando a
perceber e os homens Beta se vingaram. E da mesma forma, homens
adaptaram a este novo paradigma baseado na mesma realidade visceral que
a sexualidade das mulheres é fundamentalmente baseada.

Em um gráfico cortesia da análise de 2014 da Time sobre como os americanos se conheceram


seus cônjuges. Blogger Heartiste (Roissy) fornece o mais óbvio
raciocínio para essas estatísticas:
Todas as fontes iniciais de romance caíram nos últimos 70 anos, exceto por
bares e online. O que acontece nos bares e online que não acontece no
curso normal dos eventos quando os casais se encontram através das mais tradicionais
rotas? Isso mesmo: Intensos, implacáveis e geralmente sem charme por
homens bêbados e socialmente desajeitados, que bombam as meninas cheias de si. Nós temos
entrado na idade da mulher carregada de narcisismo que moram na
gordura bem marmorizada de seu crânio presunto um hamster alimentado com Facebook injetado
com esteróides
girando o seu lugar no mundo como o centro da existência.

Para não ficar para trás, mas o que ele não aborda aqui são as estratégias adaptativas
dos homens que estão empregando pragmaticamente a fim de facilitar sua própria estratégia de vida
sexual. O que este gráfico ilustra é uma representação gráfica das adaptativas
estratégias sexuais dos sexos ao longo de 70 anos.
Concedido, as necessidades de atenção e indignação das mulheres da sociedade contemporânea,
via mídia social, são tão onipresamente satisfeitas quanto a necessidade masculina de
lançamento (ou seja, pornografia na Internet) é. Isso, claro, leva a massa de mulheres a
perceber seu status social e SMV como sendo muito maior do que realmente é - e
quando aquele SMV inflado é desafiado pelo mundo real, existem incontáveis
convenções sociais estabelecidas para isolar as mulheres e, simultaneamente,
convencer os homens de que seu status percebido deve ser a fantasia em que eles acreditam
que isto é.
É importante manter isso em mente porque as estratégias adaptativas dos homens são fundamentais
para
as auto-impressões das mulheres sobre suas próprias SMV (e muitas vezes pessoais
que valem a pena). As condições intergênero que vivemos hoje foram semeadas pelas
estratégias adaptativas que os homens usaram no passado e as contra-adaptações contingentes das
mulheres também empregadas naquela época.

O imperativo de abdicação
A hipergamia está enraizada na dúvida. A hipergamia é um sistema inerentemente inseguro
que testa, avalia, reteste e reavalia constantemente opções para uma reprodução ideal,
provisionamento de longo prazo, investimento parental e descendência, e
viabilidade da proteção pessoal em um parceiro potencial. Mesmo sob a mais segura
das perspectivas a hipergamia ainda tem suas dúvidas. A função evolutiva desta
dúvida incessante seria um instinto de sobrevivência selecionado, mas o processo de
avaliação da hipergamia requer muito esforço mental para ser inteiramente
relegado ao subconsciente feminino. Os imperativos sociais tiveram que ser instituídos,
não só para facilitar melhor o processo hipergâmico, mas também para tranquilizar o
feminino que os homens já foram socialmente pré-programados para se alinhar com este
processo.
Em uma época em que a seleção sexual das mulheres receberam controle exclusivo do
feminino, em uma época em que a hipergamia foi liberada no mundo
a força, as convenções sociais tiveram que ser estabelecidas para melhor silenciar a dúvida
que a hipergamia torna as mulheres ainda mais conscientes de hoje. E

em nenhum lugar esta dúvida é mais pronunciada do que nos confins de um


compromisso monogâmico destinado a durar toda a vida. Assim, temos o
preconceito de "Happy Wife equals Happy Life" pré-programado em ambas
consciência social coletiva do gênero. É como se dissesse “Está tudo bem
Hipergamia, tudo vai ficar bem porque todos nós acreditamos que
as mulheres devem ser a autoridade padrão em qualquer relacionamento. ”
Quando você desmonta qualquer convenção social feminina operativa, em sua maioria
no nível básico e instintivo, o propósito latente da convenção é facilitar e
pacificar a hipergamia.
Herdeiros do Amor Livre
Anteriormente, mencionei o movimento “Amor Livre”. Quando a maioria das pessoas ouvem esse
termo que sua primeira impressão mental é geralmente algo como a imagem de
hippies em Woodstock fumando maconha. Mais tarde, rapidamente se transformou nos anos 70
uma adaptação da promiscuidade socialmente permissiva. No entanto, é muito importante
entender que este impulso social mais recente do Amor Livre não foi de forma alguma
o primeiro na história da humanidade.
Nossa impressão do Amor Livre hoje foi colorida pela geração Baby Boom, mas houve muitos
“movimentos” do Amor Livre no passado.
Esta foi uma leitura fascinante à luz da recente decisão legislativa sobre casamentos homossexuais. O
que se segue é uma citação da pesquisa da Wikipedia sobre Amor Livre:
Uma série de movimentos sociais utópicos ao longo da história compartilharam uma
visão do amor livre. Os essênios totalmente masculinos, que viveram no Oriente Médio
do século 1 aC ao século 1 dC, aparentemente evitavam sexo, casamento,
e escravidão. Eles também renunciaram à riqueza, viviam em comunidade e eram
vegetarianos pacifistas. Existia uma seita cristã primitiva conhecida como adamitas
no Norte da África nos séculos 2, 3 e 4 e rejeitaram o casamento.
Eles praticavam nudismo e acreditavam não ter pecado original.
No século 6, os adeptos do Mazdakismo na Pérsia pré-muçulmana, aparentemente
apoiaram uma espécie de amor livre no lugar do casamento, [15] e como muitos
outros movimentos de amor livre, também favoreciam o vegetarianismo, o pacificismo e
comunalismo. Alguns escritores postularam uma ligação conceitual entre a

rejeição da propriedade privada e rejeição do casamento como forma de


propriedade
[...] Os desafios à moralidade tradicional e à religião trazidos pela Idade
do Iluminismo e da política emancipatória da Revolução Francesa
criou um ambiente onde ideias como o amor livre pudessem florescer. Um
grupo de intelectuais radicais na Inglaterra (às vezes conhecido como o inglês
Jacobinos), que apoiou a Revolução Francesa, desenvolveu as primeiras ideias
sobre feminismo e amor livre.
Notável entre eles foi o poeta romântico William Blake, que explicitamente
comparou a opressão sexual do casamento à escravidão em obras como
Visões das Filhas de Albion (1793). Blake foi crítico das
leis de casamento de sua época, e geralmente protestava contra os cristãos tradicionais
sobre noções de castidade como virtude. Em um momento de tremenda tensão em seu
casamento, em parte devido à aparente incapacidade de Catherine de ter filhos, ele
defendeu diretamente trazer uma segunda esposa para dentro de casa. [19] A poesia dele
sugere que as demandas externas por fidelidade conjugal reduzem o amor a um mero dever
ao invés de afeto autêntico, e condena o ciúme e o egoísmo como um motivo
para leis de casamento. Poemas como "Por que eu deveria estar ligado a ti, ó meu
adorável Myrtle Tree? " e a “Resposta da Terra” parecem defender múltiplos
parceiros sexuais. Em seu poema "London", ele fala de "The Marriage-Hearse"
atormentado pela "maldição da jovem prostituta", o resultado alterna de falsa
Prudência e / ou prostituição. Visões das Filhas de Albion é amplamente
(embora não universalmente) lido como uma homenagem ao amor livre desde o relacionamento
entre Bromion e Oothoon é mantida unida apenas por leis e não por amor.
Para Blake, a lei e o amor se opõem, e ele castiga os "congelados
do leito matrimonial ”.
Existem certos escritores da Manosfera dignos de nota que acreditam que nosso atual
estado de “degeneração social” não tem precedentes na história humana. E enquanto
é certo que nenhuma geração anterior o fez da mesma maneira que aquela
antes disso, o nosso é simplesmente mais um capítulo em uma explosão de amor livre que esta na
história pontuada de muitas culturas, não apenas do Ocidente - tudo impulsionado pelos
impulsos bioevolucionários / psicológicos subjacentes à que nossa raça sempre
esteve sujeito.

Dito isso, é importante considerar os efeitos sociais residuais de nossa


incidência mais recente do Amor Livre. Eu não posso falar sobre a era no passado, mas a
ideologia do amor livre é uma parte evidente do igualismo igualitário
de ideologia que está enraizada em nossa cultura contemporânea. Como cultura ocidental
se espalha, assim também se espalha o igualismo enraizado no Amor Livre.
O crescimento do Fempowerment
Na época dos anos 80 começou a redefinição da masculinidade convencional -
masculinidade adaptada para capitalizar no curto prazo feminino, Alpha Fucks,
da estratégia sexual - estava começando a tomar forma. Em meados dos anos 80,
os personagens arquetípicos do machismo do Capitão Kirk e Han Solo. Eles eram
sistematicamente substituído por sensível, solidário, assexuado e completamente
não ameaçador Dr. Huxtable e cada vez mais contrastando com risíveis
paródias da masculinidade convencional; essas funções redefinidas para se encaixar em
envergonhar e ofuscar qualquer ideia anterior de masculinidade e qualquer homem que
pode tentar abraçá-lo. Os heróis de ação da época eram abundantes, mas as
expectativa de aceitar um novo arquétipo, o Strong Independent Ass Kicking
Woman® estava ganhando espaço.
É verdade que o processo de feminização foi gradual. Ao longo dos anos 80, esta
feminização foi principalmente reforçada por homens (ou homens como eles) que
suportaram o impacto dos "homens machos" do oportunismo sexual dos anos 70; um
número substancial dos quais estavam cada vez mais criando seus filhos para
eles. Homens beta da geração pós-Disco e os homens que identificaram
com eles adaptaram seu próprio Jogo Beta de maior identificação com o
feminino, e assim começou a ascensão da era do empoderamento feminino, ou
Fempowerment.
Um novo paradigma estava evoluindo; um ambiente social fundado no mesmo
'Eus superiores', falso-igualismo, da (s) geração (s) de Amor Livre, mas um
baseado no apoio entusiástico dos homens Beta aos imperativos das mulheres. Gradualmente, a
narrativa do Amor Livre foi sublimada por uma expectativa unilateral de sacrifícios masculinos de
apoio e auto-identificação com
as mulheres.
Da crise de identidade:

Muitos jovens mantêm a noção de que para eles receberem a


intimidade feminina que desejam, devem necessariamente se tornar mais parecidos com o
alvo de seu afeto em sua própria personalidade. Em essência, para moldar sua
própria identidade para melhor corresponder à garota que eles acham que irá satisfazer melhor essa
necessidade. então
vemos exemplos de homens comprometendo seus próprios interesses para melhor
acomodar os interesses da mulher que desejam para facilitar esta necessidade
para intimidade (ou seja, sexo). Todos nós sabemos que o velho ditado que as mulheres estão muito
conscientes
de, "Caras farão qualquer coisa para transar" e isso certamente não se limita a
alterar suas identidades individuais e até mesmo condições para facilitar melhor
isto. É um exemplo muito comum ver homens escolherem uma faculdade com base nas
mulheres disponíveis naquela faculdade, em vez de mérito acadêmico para se adequar às suas
ambições ou mesmo escolher uma faculdade para melhor manter um
relacionamento pré-existente que uma mulher escolheu e o jovem segue. Em ordem
para justificar essas escolhas, ele irá alterar sua identidade e personalidade, criando
lógicas e um novo esquema mental para validar esta "decisão" para si mesmo. isto
torna-se uma proteção do ego para uma decisão que, em algum nível, sabe que foi tomada
para ele.
O Jogo Beta baseia-se neste esforço para se tornar mais parecido, mais em
contato com um homem do calculista ideal feminino ao qual eles estavam sendo condicionados
acreditarem que era justo com seu conceito de amor e seria correspondido
com apreço e intimidade. Na década de 90, os homens construíram suas vidas em torno de
esperar que se eles pudessem se relacionar mais com o feminino -
apoiando suas namoradas e esposas em esforços igualistas.
O fardo do desempenho que os homens das eras do Amor Livre esperavam
evitar com um eu superior, as condições de amor foram substituídas por um fardo de
suporte Beta mais acessível. Assim, na década de 90, tínhamos mais e
mais caracterização da competição masculina tornando-se associada aos homens
apoiando um ao outro. Pai que fica em casa tornou-se uma vida socialmente elogiada
de escolha para se orgulhar. Tootsie, Sr. Mãe, Amigos e o culminar de
abdicação total à identificação feminina, Sra. Doubtfire, tornou-se o ápice
de exemplos de homens se adaptando a um ambiente sócio-sexual que eles tinham
condicionado para - um fardo de suporte.

A Sra. Doubtfire era uma representação particularmente flagrante desse homem para a transição da
mulher. O ápice do Provedor Pai Beta versus o Alfa social e sexual
‘Grande cara’ em uma batalha pelos direitos genéticos dos filhos do Beta (que ele
eventualmente concede e aceita). Esta história resume a sutil
corrente de traição socialmente aceitável que definiria
adaptações durante esta época. O Beta deve se tornar uma mulher para ter qualquer
relacionamento com seus filhos.
Ao assumir o papel feminino, identificando-se com o feminino que haviam sido
convencidos de que eram tão carentes em si mesmos, os homens reforçaram, ajudaram e incitaram
o aumento dos direitos padrão das mulheres contemporâneas; não apenas para apoiar,
mas para a masculinidade convencional quando conveniente, e independência igualista
quando for conveniente.
Existe uma presunção na manosfera de que as mulheres se tornaram mais
masculinizadas hoje, e embora isso seja verdade, a hipergamia que é definida
em cada época para as mulheres é mais dominante agora do que em qualquer outra época. Há sim
nada que defina o feminino mais do que o desejo do imperativo feminino
pela segurança de abastecimento e otimização sexual que o masculino
fornece para as mulheres.
Como homens, somos propensos a acreditar que se nos tornamos mais femininos
as mulheres tornaram-se mais masculinizadas, mas é isso ou é a expectativa de que
as mulheres precisam adaptar uma perspectiva masculinizada para combater o condicionamento dos
homens
de Passividade beta? Mesmo feministas ferrenhas sentem arrepios de maneira convencional
da masculinidade, assumidamente homens Alfa.

Espaço Masculino
Há uma discussão interessante que foi elaborada na manosfera
por um tempo agora, aquele dos tradicional "espaços masculinos" sendo infiltrado por
mulheres e / ou sendo redefinidas pela reestruturação feminilizada. O moderno,
ocidental, o local de trabalho é o exemplo mais fácil disso, mas seja a recente
inclusão de mulheres na associação anteriormente exclusivamente masculina da Augusta
Clube de golfe, ou o levantamento da proibição das mulheres (e acomodando seus
déficits físicos prevalentes) estando em funções de combate nas forças armadas,
a mensagem deve ser mais clara para os homens da Red Pill; o imperativo feminino tem um
interesse em inserir-se em todas as condições sociais e pessoais de
exclusividade masculina.
Se esta condição é um clube ou corte exclusivamente masculino (segregado por gênero
esportes coletivos, por exemplo) ou um estado pessoal que normalmente é atribuído apenas
para o masculino - força característica, racionalidade, determinação, risco
assumindo, até mesmo impetuosidade e vulgaridade - o Imperativo Feminino encoraja
mulheres a se inserirem, e por associação o Imperativo Feminino
em si, na exclusividade masculina. Scout Willis '(filha de Bruce Willis)
‘Ativismo’ para encorajar a igualdade feminina fazendo topless em público é mais
um exemplo extremo desta paridade mulher-homem - em uma utopia igualista, se
os homens podem fazer isso, as mulheres também deveriam.
A primeira mulher
Este impulso para o espaço masculino raramente é devido a um desejo genuíno de pertencer a uma
instituição ou condição tradicionalmente exclusivamente masculina, mas as mulheres são
incentivadas a
acreditarem que farão alguma mossa no universo simplesmente por serem as primeiras a
ultrapassarem uma "barreira de gênero". Não se trata de fazer uma verdadeira contribuição para
aquela instituição ou empreendimento masculino, mas sim um objetivo de ser "a primeira mulher
a fazer também ’.
A presunção social é sempre a de homens segurando as mulheres, ou algum
sexismo institucionalizado que entra em conflito com o ideal igualista de que os homens e
as mulheres são exatamente iguais, exceto pelo encanamento. Nem preciso dizer que essa
ideologia mais frequentemente de que não entra em conflito com realidades físicas de ambos os
sexos
mas o status de vítima padrão das mulheres exige que o "bom senso" diga
que são homens sexistas mantendo as meninas fora da casa da árvore.
Apesar de todos os equívocos de um igualismo esperado, não se trata de se tornar
um astronauta para uma mulher, mas tornando-se a primeira mulher - astronauta -
em seguida, passando a ser a primeira mulher designada para um papel de combate no
militar, então a primeira mulher a jogar em Augusta. Se o igualismo fosse a real
intenção, poderíamos esperar o desejo e a paixão pelo próprio esforço
que iria substituir isso. Mas o imperativo feminino motiva as mulheres (e
socialmente desmotiva a resistência dos homens) ao objetivo da primeira mulher, não a
realização real ou excelência nessa realização ou esforço.
A trilha sendo traçada é menos importante do que ser a primeira mulher
pioneira - na verdade, o objetivo pode ser simplesmente o mesmo caminho que os homens abriram
séculos antes e ainda será reconhecido como uma importante
realização para a primeira mulher a fazê-lo também.
O objetivo é ser mulher no espaço tradicionalmente masculina. Nenhum pensamento é dado
sobre por que tem sido um espaço tradicionalmente masculino além da padrão
presunção de sexismo masculino.
A história de capa é o mesmo tropo do Imperativo Feminino (e seu
braço, feminismo) sempre acha útil; o impulso sem fim em direção ao gênero
de igualismo. A prática, no entanto, revela que o empurrão para o espaço masculino serve a duas
finalidades - controle social e fiscalização feminina de um espaço antes masculino.
O controle social é o mais fácil de compreender dos dois. Mesmo ao mudar as
regras de um jogo exclusivamente masculino para acomodar a falta de interesse feminino genuíno
em um esforço convencionalmente masculino, altera fundamentalmente a natureza daquele
jogo. Quando a WNBA foi formada pela primeira vez, houve um impulso para diminuir a altura
da rede, uma vez que muito poucas mulheres poderiam ficar acima dela.
A primeira mulher autorizada a participar daquele jogo masculino é novidade o suficiente
para estender o controle social do Imperativo Feminino para esse espaço masculino (ou seja,
“Hoje as mulheres também fazem”). Um exemplo fácil disso seria
NASCAR está abraçando um motorista como Danica Patrick. Não é que ela seja uma
motorista excepcional, e embora eu não possa atestar sua paixão genuína por
NASCAR, o controle social que ela representa é que ela é a primeira mulher a
(duvidosamente) ser levada a sério no espaço nominalmente exclusivamente masculino da NASCAR

como motoristas. Uma vez que o objetivo foi alcançado, tudo o que resta agora são mulheres
fiscalizando este espaço masculino.

Superintendentes no vestiário
O segundo objetivo no objetivo da inclusão feminina no espaço masculino é realmente
um policiamento da dinâmica de pensamento e atitudes dos homens naquele espaço.
Quando as mulheres têm acesso ao "vestiário", a dinâmica de
mudanças de vestiário. O vestiário pode assumir muitas formas diferentes: o
ambiente de trabalho, a equipe esportiva, o grupo de programadores masculinos, e
principalmente a comunidade científica masculina, o "clube dos meninos", o grupo de jogadores
nerds na loja de jogos local, até mesmo em clubes de strip e no santuário que você acha
que sua 'caverna de homem' é - o contexto é de mulheres se inserindo
no espaço masculino para fazer cumprir os ditames da primazia social feminina.
Quando a influência da primazia feminina é introduzida em ambientes sociais
composta principalmente por homens e interesses masculinos, a dinâmica e o propósito de
desse grupo muda. O objetivo se torna menos sobre o próprio esforço e
mais sobre a adesão ao aspecto inclusivo feminino desse esforço.
Começa a se tornar menos sobre ser o melhor ou mais apaixonado pelo que eles
fazem, e mais sobre ser aceitável à influência do Feminino
Imperativo ao tentar manter o nível anterior de interesse no
esforço.
Homens não acostumados a ter mulheres em seu meio geralmente reagem em duas
maneiras; a maioria dos homens sendo Betas, eles agem de acordo com sua própria feminização
de condicionamento. Eles abraçam a oportunidade de impressionar essas "pioneiras"
mulheres (na esperança de serem considerados dignos de intimidade) com seu entusiasmo
aceitação de, e identificação com, sua nova supervisora feminina, ou para
quanto menos socialmente experientes, eles se tornam os resultados fáceis de uma maneira
"antiquada" de
pensar que o novo "grupo" felizmente os rotula.
Uma vez que a dinâmica feminina primária dentro do grupo é estabelecida um "feminino
segue uma estrutura social correta. Esta correção feminina reestrutura as
prioridades de objetivos, e valida quaisquer realizações, em termos de como eles
refletem sobre o feminino como um todo. Assim, qualquer sucesso dentro do grupo é
percebido como um sucesso feminino no espaço masculino. No entanto, falhas no grupo

ou a simples mediocridade é totalmente descartada ou atribuída ao grupo externo


falha dos homens em cumprir com o imperativo feminino de "correção"
de influência no in-group.

‘Bro Culture’
Bro Culture é um epíteto criado pela mentalidade do guerreiro da justiça social para
identificar facilmente os homens que seguem a masculinidade convencional, apesar dos esforços
de abatê-lo pelo feminismo e seus ditames fracassados. Parece que um feminismo que se reinventa
constantemente adora anexar "cultura" ao fim de tudo que vê
como ameaçadora - cultura de estupro, cultura masculina de privilégio e, claro, cultura do irmão. Não
se engane, o conceito de Bro Culture é um operativo
de convenção social feminina. Pode ser conveniente pensar no estereótipo
do Bro Culture como uma criação masculina, mas esta convenção é o resultado direto da
necessidade controladora do Imperativo Feminino de se inserir nos espaços masculinos.
Assim, qualquer empreendimento convencionalmente masculino sempre cheira aos atletas
que eles odiavam na escola.
Existem outras convenções sociais femininas com o mesmo propósito latente,
mas o meme ‘Bro Culture’ é realmente uma tática de vergonha de duplo propósito pretendido
para restringir e controlar os laços masculinos tradicionais, ao mesmo tempo que promove
brigas internas entre homens do grupo e de fora do grupo, uma vez com influência feminina
fora estabelecido em um espaço anteriormente exclusivamente masculino.
Um dos aspectos mais ameaçadores da masculinidade convencional para o
Imperativo Feminino é o potencial cooperativo da união masculina. Quando
apenas os homens compreendem um grupo interno, formação de equipe, propósito comum e um
ambiente primário masculino tende a definir esse grupo. Eu deveria argumentar
que a inserção moderna da influência feminina em espaços exclusivamente masculinos é um
esforço concertado para limitar esta ligação e unidade em favor de uma "correção" primária feminina.
O objetivo é isolar e confundir os homens
da compreensão da masculinidade.
Essa limitação pode não ser influenciada diretamente por uma mulher presente; frequentemente
todos
que são necessários para promover a correção primária feminina é um macho identificador como
feminino no grupo (Cavaleiro Branco anônimo), ou mesmo apenas uma
atitude predominante de não querer ofender as suspeitas de sexismo, ou outras

os homens do grupo podem subscrever esta influência de identificação feminina por medo
pode se voltar contra uma mulher que eles percebem que pode ter autoridade sobre eles.

Lutas internas
Esta é a marca registrada de uma mentalidade Beta feminizada - acreditar que “caras
serem rapazes ”é inerentemente aberrante. É algo de outros caras, caras típicos
Fazem. Eu poderia entrar em detalhes sobre como os homens trocando merdas é um
vestígio evolucionário (e útil) de tribalismo e como os homens usariam esse
“Desafiador” para garantir a força e capacidade de sobrevivência do coletivo, mas
isso só vai prejudicar a crença de "gênero como construção social" de um Beta.
Este desconforto em "ser um cara" é a raiz de muitos Betas de alto funcionamento, e particularmente
daqueles que procuram se identificar melhor com o
feminino na esperança de que resulte em dividendos sexuais. Esses são os caras
que nunca 'entenderam' aquela merda de conversa e piadas de vestiário (o mesmo homem
do espaço invadido pelo feminino) visam não apenas determinar a aptidão masculina, mas para
promover a vida, construir e se comparar a um homem melhor
de padrão que beneficia tanto o homem individual quanto a tribo coletiva.
O fato de que ‘Bro Culture’ é até um termo, ou os exemplos arquetípicos favoritos
dele começa com atletas estereotipados, "babacas" e em armário de esporte de equipe
e quartos, ilustra a ameaça de que as formas de comunicação exclusivas para homens
pose para o Imperativo Feminino. Se o espaço masculino pode ser cooptado no nome
de igualdade de gênero, é muito mais fácil restringir a comunicação masculina e
influenciá-lo para encorajar um senso de responsabilidade para com o feminino primário
de necessidades de segurança. Em outras palavras, é uma tarefa muito mais fácil criar um futuro Beta
provedor se uma influência feminina pode permear todos os espaços masculinos - isto é
facilitado tanto melhor quando são os próprios homens que seguram outros homens
responsáveis pelos ditames do Imperativo Feminino e sexual feminino
estratégias.
Acho que é importante não perdermos de vista a maneira como os homens se comunicam,
testam um ao outro, aprimoram um ao outro, dar merdas um ao outro, etc. sendo principalmente
definido no contexto da Cultura Bro, baboseira, esportes coletivos, etc.
dinâmica intra-masculina atravessa tantos estratos sociais, raciais e culturais que
torna-se uma ameaça abrangente ao Imperativo Feminino.

Esta é a dinâmica "vamos você e ele lutar" que as mulheres vão empregar com seus
próprios rivais de poder. Embora um certo elemento de competição intersexual seja uma
parte disso, o objetivo desta convenção social é o de ocupar os homens
com uma luta interna que suprime seu poder sobre ela.
É uma tarefa fácil colocar os homens uns contra os outros quando eles têm percepção sexual
como rivais para fazer parte de um grupo externo e influência feminina no espaço masculino
promove essa luta interna passiva (às vezes ativa) entre os homens. O perturbador
vínculo masculino, ou mesmo o potencial para isso, limita o potencial dos homens de se unirem em
seus próprios interesses e seus próprios imperativos. Existem muitos no grupo
como exemplos de todos os espaços masculinos onde essa luta interna e ressentimento se
manifestam,
mas é importante entender que as formas exclusivas de
comunicação, teste, encorajamento e conversa fiada, não são de forma alguma
limitado apenas ao vestiário. Até mesmo os caras do clube de xadrez darão a cada
outra merda - pelo menos até o Imperativo Feminino se inserir aí também.

Resistindo à Influência
Não posso terminar esta seção sem chamar a atenção para o meta-espaço totalmente masculino
que isso se tornou a gestalt coletiva da Manosfera. A manosfera
é o espaço masculino em letras grandes e um testamento do que os homens podem fazer quando
reúnem-se, compartilhem experiências e coloquem suas mentes em um propósito comum.
Os métodos podem variar, mas o desejo de coletivizar a experiência masculina para
o benefício de outros homens é uma forma de ligação masculina em meta-escala.
E, como era de se esperar, haverá resistência a essa comunicação
e vinculação em uma meta-escala comparativa pelo Imperativo Feminino e
os homens e mulheres que o assinam. Devo também acrescentar que muitas
tentativas óbvia de inclusão das mulheres na praxeologia, teoria e
a prática também é um movimento do feminino para um espaço masculino com muito do
mesmo propósito que descrevi aqui - controle social e supervisão feminina dele.
Mesmo as mulheres mais bem-intencionadas envolvidas (embora perifericamente) em
a Manosfera ainda é motivada por suas necessidades de segurança inatas - e
essas necessidades de segurança hipergâmicas implicam em uma necessidade de certeza e controle.
Como tal, a influência psicológica do Imperativo Feminino sempre será
ser um motivador predominante em sua participação neste espaço totalmente masculino. Esta

leva as mulheres a uma vontade de higienizar o jogo para se adequar aos objetivos do
imperativo, bem como supervisionar os processos de pensamento dos homens que vêm
para participar.
Assim como qualquer outro espaço masculino, a Manosfera está sujeita a todas os
esforços de higienização do Imperativo Feminino que descrevi aqui - por ambos
mulheres e homens que ainda subscrevem a primazia feminina
Fempowerment
Muitas vezes sou questionado por mulheres críticas "fempoderadas" se eu "acredito" em alguns
dos princípios mais socialmente aceitáveis do feminismo. Geralmente é algo
tipo, “Você acha ou não acha que as mulheres deveriam ter o direito de votar?”
Ou é o sempre confiável "As mulheres não deveriam ter o direito de fazer com seus
corpos o que elas escolhem? " Essas perguntas são sempre binárias (“sim ou não
fará ") e geralmente expressa em um contexto que implica que se você mesmo
discordar ligeiramente ou fazer uma pequena ressalva para responder "apropriadamente" que você
será dispensado com um crachá que tenha “misógino” impresso nele. Diga não'
e você é um misógino desprezível. Diga 'sim' e você será prejudicado em "sim,
mas ”advertências - reclamação - que são desqualificados porque você é um homem.
Até recentemente, tem sido um meio muito eficaz de silenciar desconfortáveis
verdades sobre o imperativo feminino.
Sempre achei irônico que um movimento (feminismo) que se predica
em uma noção igualitária de que considerações racionais e razoáveis de questões
deve nos levar a ideais de igualdade é o primeiro a reduzir-se a
fé cega binária inquestionável ao primeiro sinal dessa racional razoável
verdade não faz jus às mulheres. Se você quer saber quem detém o poder
sobre você, olhe para quem você não tem permissão para criticar - ou mesmo insinuar
crítica.
Minha posição sobre essas e muitas outras questões do tipo geralmente é atendida
com uma análise observacional simples (como você provavelmente esperava). Eu não
necessariamente tenho um problema com as mulheres votando ou mesmo tendo acesso a
abortos legais (relativamente seguros). O que eu tenho um problema é o latente
propósito por trás das razões que levaram às decisões das mulheres de votar em uma
forma particular ou os propósitos latentes que os levaram a ter esse
aborto. Para a maior parte, quaisquer mulheres "certas" duvidosas sentem que foram
de alguma forma negado no passado geralmente vem às custas dos homens sendo
responsáveis por decisões com as quais nada tem a ver hoje.
Tenho um problema com a expectativa de reduzir os padrões de
o jogo e, portanto, alterando fundamentalmente o jogo, para melhor acomodar
as forças e fraquezas variáveis das mulheres - até, e incluindo

mudar a natureza das realidades das mulheres que colocariam em risco o bem-estar
de ambos os sexos. O que eu questiono é a expectativa de fazer homens
responsáveis pelas decisões e consequências dos direitos e da liberdade de
escolhas que reservamos apenas para mulheres fazerem (quase unilateralmente
Escolhas hipergâmicas) que não atendem aos melhores interesses dos homens.
Os homens hoje se encontram em uma posição muito precária em relação a
entreter as mulheres percebidas como erradas do passado. Homens são esperados, por
inadimplência, para ser responsabilizados por lesões passadas às pessoas em constante mudança
do Imperativo feminino por nenhuma outra razão além de terem nascido homens. Sua
existência como um homem hoje, sua compreensão falhada para acomodar
primazia social das mulheres, sua falta de atendimento à natureza ambígua de
o que convenientemente passa por masculinidade, é uma constante afronta e obstáculo
para a “promoção” das mulheres. O Imperativo Feminino soube como
para manipular o fardo de desempenho dos homens por milênios, e em nenhum outro
tempo na história teve o tempo livre para fazer isso do que agora.
Assim, obtemos presunções padrão socialmente aceitáveis de "privilégio masculino"
sem qualificar o que significa, ou obteremos chauvinistas cativantes como
'Homenagear' para dar um nome à necessidade das mulheres de silenciar as observações dos homens
inconvenientes das percepções "supostamente corretas" das mulheres, suas
decisões e as razões pelas quais as chegaram. Temos presunções padrão
de culpa masculina por agressão sexual e falta de consentimento sexual conforme definido de forma
fluida
da maneira mais conveniente que atenda aos imperativos das mulheres. A verdadeira intenção de
o feminismo nunca foi sobre o estabelecimento de um 'gênero
igualdade ", ao contrário, sempre foi sobre retribuição e restituição por
percebido erros do passado para a Irmandade.
Sempre houve um subtexto, uma história de capa, de igualdade mencionada na
mesma respiração do feminismo. Apenas o idiota mais antagônico, apenas o mais
picada anti-social, seria contra a “igualdade entre os sexos”. Assim, para
ser contra o feminismo é ser contra um conceito simplista de linha de base
de igualdade. No entanto, retirado dos esforços de propaganda para envergonhar e
Imperativos 'corretos' dos homens, é fácil demonstrar que a verdadeira intenção de
feminismo é o "fempowerment" feminino sob o disfarce de uma igualdade que nenhum homem
(ou mulher) quer parecer contra.

Pérolas amareladas
Encontrei um exemplo interessante desse Catch 22 na Economist:
Escolha e escolha: por que os direitos das mulheres na China estão regredindo.
Em 2007, a agência de notícias oficial da China Xinhua publicou um comentário sobre
mulheres que ainda não eram casadas aos 27 anos sob o título “Oito
Movimentos simples para escapar da armadilha das sobras da mulher ”. A festa comunista
concluiu que as jovens chinesas estavam se tornando muito exigentes e
estavam excessivamente focadas em atingir os "três pontos altos": ensino médio,
status profissional e renda. Os jornais, desde então, reimprimiram semelhantes
editoriais. Em 2011, um disse: “A tragédia é que eles não percebem que como
as mulheres envelhecem valem cada vez menos, portanto, no momento em que obtêm seu MA ou
PhD, elas já estão velhas, como pérolas amareladas. ”
Isso é ilustrativo da expansão que o Imperativo Feminino tomou
em uma escala global. Uma das antigas missivas da Manosfera sempre
foi sobre como as mulheres americanas estão longe demais para valer a pena entreter
qualquer coisa além de uma consideração de bomba e despejo. Elas estão muito danificadas.
Muito egocêntricas além de qualquer redenção, e os homens deveriam expatriar para
outro país onde as mulheres são mais femininas, agradáveis, ou pelo menos
necessário o suficiente para apreciar um homem convencionalmente masculino.
Entendi. Eu entendo a necessidade de um Pussy Paradise ou alguma terra prometida
onde as mulheres ainda são criadas para respeitar e amar os homens sendo
convencionalmente femininas. Também entendo que existem certas culturas onde
isso ainda é verdade, mas por tudo isso, acho que é importante reconhecer a
corrente social que o Imperativo Feminino exerce nessas culturas.
‘Feminism is Cancer’ é um meme popular no Twitter, mas há um cerne de
verdade para o humor disso. A difusão da primazia social ocidentalizante de
o Imperativo Feminino está se espalhando, não muito diferente do câncer, no que nós
acreditariamos se as sociedades e culturas ainda fossem oprimidas pelo
Patriarcado mítico - uma crença necessária para perpetuar a narrativa de
vitimização feminina padrão.
Pode não ser agora, mas em algum momento, o Imperativo Feminino vai exercer
seu controle presuntivo sobre até mesmo as sociedades que pensamos que deveriam ser

imune a esse câncer. Mesmo em países subdesenvolvidos onde nós


esperariamos encontrar a opressão horrível de meninas e mulheres, fazemos um
exemplo triunfante dos incidentes em que meninas (não meninos) são ensinadas a
ler e “pensar por si próprias”. Cultura ocidentalizada, fundada no
Imperativo feminino, comemora cada vez que uma mulher na Arábia Saudita é
autorizada a dirigir um carro, muito menos administrar um negócio por conta própria como se fosse
algum golpe contra a tirania dos homens.
Pouco a pouco, ou aos trancos e barrancos, seu segundo ou terceiro mundo Pussy
Paraíso será eventualmente assimilado pelo Imperativo Feminino.
Eu trago isso porque a China também está experimentando os resultados de longo prazo de
tendo adotado a primazia social feminina em sua própria cultura. Da consciência popular das
mulheres, ainda somos, até hoje, informados de quão horrível
a China "comunista" tem exigido sua política de filho único e como sua
estrutura social draconiana de ‘filhos vivem, filhas morrem’ tem sido o resultado.
No entanto, uma vez que investigamos razoavelmente, descobrimos que a China agora tem um
problema com “Pérolas Amareladas” como
resultado de uma mudança cultural que colocou os interesses das mulheres como preeminentes
nessa cultura. E deve-se notar que essa mudança aconteceu como o direto
resultado dos homens que adotaram e acomodaram o Imperativo Feminino
como seus próprios.
Agora, o problema para as mulheres na China não é diferente da situação das mulheres americanas
lamentando a falta de homens com capacidade de casamento "igual" como
si mesmas. E da mesma forma, as mesmas autoridades sociais responsáveis por
institucionalizar o empoderamento das mulheres são agora os horríveis
vilões misóginos por sugerir que as mulheres deveriam diminuir seus
padrões irrealistas.
O tom desses artigos do Yellowed Pearls é surpreendente, dado o
apoio anterior do Partido Comunista para o avanço das mulheres. Mao Zedong
destruiu a China, mas conseguiu elevar o status das mulheres. Quase
a primeira legislação promulgada pelo Partido Comunista em 1950 foi a
Lei do casamento segundo a qual as mulheres receberam muitos novos direitos, incluindo
o direito ao divórcio e o direito à propriedade.
Isso soa muito diferente das fotos de mulheres, mesmo mulheres
neste século, pintaram sobre o sexismo institucionalizado de um filho na China
não é? Lembre-se, esse avanço nos direitos das mulheres ocorreu
antes da Revolução Cultural na China.
Embora a coletivização tornasse este último amplamente irrelevante, as mulheres jogavam um
papel ativo na China de Mao, e ainda hoje. Em 2010, em 26% das áreas urbanas
as mulheres tinham diploma universitário, o dobro da proporção dez anos antes.
As mulheres agora superam regularmente os homens nas universidades chinesas, que tem
levado cotas de gênero favorecendo os homens em alguns vestibulares. Contudo,
muitos dos avanços anteriores foram corroídos nos últimos anos pelo
ressurgimento gradual de atitudes patriarcais tradicionais.
Considere esta parte em contraste com outras nações industrializadas e como
as mulheres aumentaram sua posição sócio-política como resultado de terem
o Imperativo Feminino adotado como a ordem social primária daquelas
culturas. Mesmo em culturas que ainda são popularmente consideradas "repressivas" para
mulheres, ainda vemos paralelos educacionais e socioeconômicos com
culturas ocidentais (ized). Também vemos as mesmas consequências resultantes e a
transferência da culpa para os homens. As consequências negativas do Yellowed
As pérolas são colocadas aos pés dos homens por não corresponderem ao que é conveniente,
definição primária feminina do que sua carga de desempenho deve
significar promover e perdoar as decisões das mulheres.
A festa se juntou a uma aliança de imobiliárias e sites de namoro
para enfrentar o problema. Pesquisas governamentais sobre casamento e propriedade são
muitas vezes patrocinados por agências de matchmaking e perpetuam a percepção
que ficar “sobra” é a pior coisa que pode acontecer a uma mulher. Eles
também promovem outros mitos, como a ideia de que um homem deve ter uma casa
antes que ele possa se casar.
Como você pode esperar, o tom do artigo é escrito para enfatizar a
perspectiva igualitária que conflita com uma realidade de que o Feminino imperativo faria com que os
homens mudassem ou seriam responsáveis por não ter
mudado. É culpa dos homens que as mulheres se sintam mal por não terem se casado
por uma idade pós-muro. É culpa dos homens por promover mitos de que as mulheres
esperam que um homem seja estabelecido com sucesso em sua vida e carreira

antes que qualquer consideração sobre o casamento lhe ocorra. Também é culpa do homem
por se agarrar ao "mito" de que as mulheres não querem que ele seja estabelecido.
A lei também está refletindo o afastamento do empoderamento das mulheres. A
interpretação pela Suprema Corte em 2011 da Lei do Casamento de 1950
afirmou que, quando um casal se divorcia, a propriedade não deve ser compartilhada igualmente,
mas cada lado deve manter o que está em seu próprio nome. Esta decisão, diz
Sra. Fincher, tem sérias implicações. Nas grandes cidades, um terço dos casamentos
agora terminam em divórcio, mas, com base em centenas de entrevistas, ela descobre que apenas
cerca de 30% das mulheres casadas têm seu nome nas escrituras do plano de casamento. As mulheres
acreditam que o entusiasmo da festa sobre se tornar uma mulher "sobras",
fortemente, diz ela, que muitos correm para casamentos infelizes com homens inadequados, com a
condição de que as noivas concordem em não colocar seu nome
nas escrituras de propriedade.
O feminismo seria um sucesso se os homens apenas cooperassem
mais. Vários anos atrás, um colega blogueiro e amigo, Dalrock, postou detalhando
o sentimento das feministas de que o feminismo seria um sucesso se apenas os homens
cooperassem com a ideologia abandonando seus próprios interesses e
sublimando seus próprios impulsos biológicos. O fato é que o feminismo
e igualitarismo são ideologias falhadas porque, no nível de raiz, aquelas
ideologias pedem aos homens que participem de sua própria extinção. Não só isso, mas
eles pedem aos homens que criem gerações sucessivas para acomodar e
participar de sua própria degradação.
Esta narrativa espera que as pérolas amareladas sejam apreciadas pelos homens ou respeitadas como
Solteironas, ou servidas como "pumas", ainda mantendo que os homens
sublimam seus próprios imperativos, ignorando deliberadamente o fato de que
abandonar sua própria estratégia sexual é o que está sendo pedido a eles.
Como afirmei na Regra Cardeal de Estratégias Sexuais, para a estratégia de um sexo
ter sucesso o outro deve ser comprometer ou abandonar a sua - e o que
há melhor maneira de garantir isso para as mulheres do que ordenar socialmente
por vergonha, perseguição ou passivos financeiros que os homens abandonem sua
própria estratégia a favor das mulheres?

Há algum tempo, eu detalhei como, nas últimas 4 ou 5 gerações,


tem sido um esforço popular de reengenharia social para criar e condicionar meninos
para se tornarem os ‘melhores betas’ - meninos projetados para se tornarem os apoiadores,
reforço masculino do empoderamento dos interesses e imperativos das mulheres. Para
a maior parte desse esforço tem se concentrado principalmente em meninos e homens em
sociedade ocidental, e embora ainda esteja aberto para debate, eu diria que
a ocidentalização de culturas são realmente os únicos ambientes culturais que podem
dar ao luxo de entreter esta iniciativa social de ‘fempowerment’. Isso está mudando
radicalmente agora, se é que algum dia foi realmente o caso.
Na Manosfera, gostamos de destacar a "pussificação" do homem moderno
através de vários esforços por parte de uma nebulosa ‘sociedade’ alinhada contra
a masculinidade. No entanto, o outro lado disso é a agenda de capacitação; uma
estrutura social primária feminina que não permite qualquer crítica de inerentemente
natureza feminina enquanto promove o empoderamento das mulheres em todos os níveis
dos estratos sociais.
Nós mimamos e atendemos ao feminino em todos os aspectos da interação social,
cada aspecto do desempenho acadêmico, cada vantagem socioeconômica
pensável, cada história que contamos em todas as formas de mídia e fazemos isso sob
a ameaça de não ser solidário ou misógino por sugerir qualquer coisa
marginalmente pró-masculino. Este é o outro lado da desmasculinização
como imperativo de meninos e homens - a consolidação total de homens deficientes
e capacitar mulheres em efígies irrealistas de triunfalismo feminino.
Como você se opõe a isso?
Sempre sou elogiado por descrever essas dinâmicas sociais, mas estou correndo atrás do
mastro por não oferecer maneiras concretas de lidar e empurrar para trás
esses imperativos. Muitos um MGTOW (homens seguindo seu próprio caminho) irão simplesmente
sugirir que os homens não joguem mais o Jogo; que isolacionismo é o caminho a percorrer,
mas isso só serve para, eventualmente, conceder poder ao feminino
Imperativo. Você não pode fazer check-out do jogo, mesmo que se recuse a
Jogar.
Para todos os caras que partiram para lugares desconhecidos para encontrar sua quase utopia de
mulheres femininas em um país estrangeiro, até elas vão explicar que a maré do feminismo está
mudando esses lugares aparentemente idílicos. E para cada cara para

tornar-se celibatário voluntariamente e "recusar-se a negociar com mulheres". Vou mostrar-lhe um


homem cujos dólares de impostos vão para financiar as consequências da legislação feminina
de direitos de escolha hipergâmica.
Mais cedo ou mais tarde, os homens terão que enfrentar e empurrar os dois homens
e mulheres que estão convencidas de seu propósito em idealizar os ditames do
imperativo feminino. Muitos homens na 'esfera acreditam que estão sendo
inteligentes quando se referem a pessoas com essa visão de mundo como "SJWs", social
guerreiros da justiça, mas para cada cabelo tingido, homem-mulher confuso, que você
ver no Twitter que existem centenas de pessoas "normais" que compartilham
perspectivas - alguns são apenas generalização do subconsciente, eles são alheios
para - sentar próximo a você na igreja, ou trabalhando no cubículo próximo a você.
Como já mencionei inúmeras vezes, a mudança precisa ocorrer até
apelar aos corações e mentes dos homens, tornando-os conscientes da pílula vermelha
de baixo para cima, mas, além disso, precisamos viver essa consciência em nossas
próprias vidas e liderar pelo exemplo da Red Pill. Nossas decisões na vida, nossa aspiração
na paternidade, família e carreira, em nossos negócios, nas mulheres que
Jogam e as pessoas que contratamos, todos esses aspectos precisam assumir
perspectiva de como eles se encaixam em empurrar de volta contra um feminino primário
o mundo que exige que renunciemos a qualquer pensamento de poder masculino individualizado.
Como homens, precisamos exercer sem remorso o pouco poder que nos resta
para informar esta e sucessiva geração de verdades da Red Pill com tato,
mas com força de convicção em face de uma sociedade feminina primária
inclinado a nossa rendição.
A vida encontra um caminho. Feminismo e a consolidação do Feminino
Imperativo falhou porque os Homens não evoluíram para aquiescer o seu
espírito dominante. No mesmo nível evolutivo, as mulheres também evoluíram para
exigir esse domínio convencionalmente masculino. É por isso que o feminismo
e igualitarismo acabará por falhar - a natureza simplesmente não cooperará
com sua própria estagnação. Como homens, podemos usar essa verdade para nossa pílula vermelha
como vantagem consciente.

A pessoa Política
Meu amigo Dalrock publicou uma postagem interessante intitulada Black Fathers Don Don't
Care. Vou citar aqui, ênfase minha:
Enquanto o HHS (Saúde e Serviços Humanos) diz que qualquer homem atualmente morando
com a mãe conta como o pai, o Censo diz que qualquer homem atualmente
morar com a mãe conta como pai, desde que a mãe diga isso. Ou
seja, os pais claramente não podem importar muito para o governo dos EUA se
distinguir entre o pai real e o homem atualmente transando
com a mãe não é importante.
Existem outras maneiras de dizer que os pais não importam (e, portanto,
Pais negros não importam). No nosso sistema familiar atual, os pais são uma
espécie de pai substituto. Assim como o deputado de um xerife serve ao prazer de
o xerife, um pai de família intacto serve ao prazer da
mãe. Toda a nossa estrutura de tribunal de família é projetada para facilitar a
remoção do pai caso a mãe decida que não quer mais que ele
faça parte da unidade familiar. Quão importantes podem ser os pais, quando nós
temos uma burocracia enorme e brutal dedicada a ajudar as mães e a chutar
eles para fora de casa?
O que Dal está apontando aqui tem uma implicação muito mais ampla do que simplesmente como
vários governos definem a paternidade. Muitos críticos de como eu defino o
Imperativo Feminino gostam de pensar que é uma conspiração. No entanto, como
Eu já expliquei antes, realmente não há necessidade de uma conspiração; o feminino
Imperativo não tem base de poder centralizada porque a primazia feminina é tão
saturada em nossa consciência social coletiva. Não precisa
centralização porque a primazia social feminina é literalmente parte da
auto-compreensão - e por extensão a compreensão dos homens sobre as mulheres e
o que as mulheres esperam deles.
Assim, em uma escala social hipergâmica, vemos que a objetificação masculina é
ignorada enquanto a objetificação feminina é criticada. A mensagem é clara
- São os Homens que devem atuar, Homens que precisam se transformar,
se otimizarem e se esforçarem para que o mais alto ideal físico seja concedido

aprovação feminina. As mulheres devem ser aceitas, respeitadas e esperadas


a inspirar o desejo genuíno, independentemente dos ideais dos homens, físicos ou outros.
Em mais do que algumas ocasiões, fiz a conexão de que o que vemos em
uma ordem social primária feminina é realmente um reflexo da sexualidade feminina
de estratégia em grande escala. Quando vemos uma cultura de obesidade, uma cultura de gordura
corporal
aceitação e uma cultura que presume uma ordem natural de evolução inata
de diferenças entre os sexos que devem ser superadas por auto-impressões de
valor pessoal feminino, estamos vendo uma sociedade em dívida com as inseguranças
inerente à hipergamia feminina.
Uma estrutura social feminista, feminista e ordenada é aquela baseada em garantir
as mulheres mais indignas, em virtude de serem mulheres, têm direito a, e
assegurado, as melhores opções hipergâmicas por recrutamento e condicionamento
de homens para cumprir os ditames da hipergamia.
É importante que os homens realmente entendam que a luta pelo poder das mulheres
é uma alegação de estar engajado com homens que já fora estabelecida como uma uma meta, em
escala
social. Quando um pai é quem uma mulher diz que ele é, isso é
uma ferramenta poderosa de alavancagem do poder social.
Um pai é qualquer pessoa que uma mulher / mãe afirma que ele é
Um pai está legalmente vinculado a filhos que não gerou
Um pai é impedido por um grande esforço legal e social de acessar
Teste de DNA de crianças que ele suspeita não serem suas
O pai é legalmente responsável pelos filhos resultantes de sua
esposa / namorada traindo ele
Um pai é financeiramente obrigado a sustentar os filhos que ele
não procriou ou não teve poder para decidir procriar
Estes não são apenas exemplos relacionados à falta de poder dos homens na criação dos filhos;
estes são exemplos de como determinam o grau de controle que um homem pode exercer
sobre a direção de toda a sua vida.
Poder real é o grau em que uma pessoa tem controle sobre suas próprias
circunstâncias. Poder Real é o grau em que controlamos as direções
de nossas vidas.

A insegurança inerente de que a otimização da hipergamia representa para as mulheres é tão


imperativo, tão desgastante, para seu bem-estar psicológico que
estabelecer ordens sociais complexas para facilitar essa otimização foram as
primeiras coisas que as mulheres construíram coletivamente quando eram (nominalmente)
emancipadas do aprovisionamento dos homens e com aceitação social concedida para
exercer seu controle da hipergamia em torno do período de revolução sexual. Garantir a otimização
das mulheres biologicamente orientadas
a hipergamia é literalmente a base de nossa ordem social atual. Em uma escala sociopolítica, o que
estamos vivenciando é legislação e mandatos culturais
que facilitam melhor Alpha Fucks e Beta Bucks.
Um comentarista, Driver, fez um bom comentário que ilustra outro aspecto de
esta consolidação do poder feminino:
“Todo o“ sentimento bom com o seu corpo ”que uma mulher gorda pode reunir é
que NUNCA vai ser um afrodisíaco ou um substituto para ter um corpo incrível
que os homens serão excitados. ”
É engraçado como as mulheres se sentem muito atraídas por um cara que malha, come direito
e cuida de seu corpo, mas elas esperam que os homens as amem (ou sejam
atraídos por elas) por “quem elas são” - magras ou grandes. Você pensaria que
essas mulheres com sobrepeso receberiam o memorando agora, mas as mulheres (e mais
delas) continuam crescendo a cada ano.
A Doutrina Social Primária Feminina é a Extensão da hipergamia das Mulheres
Em uma ordem social feminina primária, as mulheres presumem, sem deixar para
depois, que elas têm direito a um cara atraente que malha e
que atende ou excede o ideal físico muito estrito e estático das mulheres.
Ao mesmo tempo, elas esperam um direito ao controle absoluto desse
processo de atração / excitação, independentemente de, e à exceção de, qualquer
influência ou diferença no controle dos homens desse processo. E elas esperam
isso sem qualquer pensamento de merecê-lo além de apelos a um nebuloso e
conceito inflado de sua autoestima pessoal.
Quando consideramos o estado atual e ambíguo das leis de consentimento sexual, nós
começamos a compreender o propósito hipergâmico latente a que essas leis servem -
consolidação absoluta das estratégias hipergâmicas femininas como motivador
de qualquer encontro sexual.
Além disso, eles esperam um direito, direta ou indiretamente, ao
apoio material e provisão de homens por nenhuma outra razão senão pelo fato delas
nascerem mulheres. Qualquer desvio disso é da parte dos homens que se deparam com
uma represália cultural destinada a convencer ou coagir os homens a aceitar seu
papel inevitável na concessão desses direitos às mulheres. Quando aquelas sociais
contingências falham, ou se esgotam, o imperativo feminino então
apela à legislação legal para exigir que os homens cumpram os valores
ao direito social das mulheres à hipergamia otimizada.

Legislando hipergamia
Do lado do Alpha Fucks da hipergamia, isso equivale a uma vergonha social
de imperativos sexuais dos homens e, ao mesmo tempo, capacitar as mulheres
com suas estratégias sexuais de curto prazo e fomentando a aceitação social dos homens por elas
(ou seja, o plano Sandberg para Open Hypergamy). Isso é ainda mais aplicado a partir de
uma perspectiva legal por meio de leis de consentimento e "anti-assédio" vaga
de legislação para, idealmente, otimizar as perspectivas hipergâmicas das mulheres.
Quando lemos sobre exemplos das definições convenientemente fluidas de estupro
e assédio (para não mencionar a pseudo-vítima feminina de não ser
assediada e sentindo-se privado dele), isso então se transforma em uma proposta de "estupro por
legislação de fraude ”. A hipergamia quer certeza absoluta, veracidade absoluta,
que ser assegurada em sua otimização. E em uma época em que a única
contenção da hipergamia depende da capacidade de uma mulher individual para
estar autoconsciente disso, que a hipergamia exige que os homens sejam detidos legalmente
e responsáveis por otimizá-la.
Até mesmo o direito das mulheres de fazerem abortos seguros e legais tem suas raízes em
mulheres que querem exigir um seguro de seus impulsos hipergamosos.
Nada diz “ele não era o cara certo” como o poder unilateral de abortar um
o legado genético do homem no útero.

O clichê feminista nos convenceria de que expandir as definições de


estupro é um esforço para limitar o controle dos homens sobre os corpos das mulheres - no entanto,
o
propósito latente de expandir a definição é consolidar na insegurança
todas as mulheres experimentam no que diz respeito à otimização da hipergamia.
O aspecto do seguro Beta Bucks da hipergamia é evidenciado por
expectativas de deferência masculina à autoridade das esposas em todas as tomadas de decisão
e aspectos de um casamento ou relacionamento. E, mais uma vez, essa expectativa de
deferência é uma busca por garantias de controle, caso uma mulher
com sua escolha hipergâmica de um homem não vai ao encontro do que ela espera, com suas
expectativas de longo prazo. Isso é realizado secretamente sob os auspícios de igualitaristas
igualismo e as duvidosas presunções de apoio e feminilidade

identificação por parte dos homens.


Além disso, existem, é claro, o divórcio onipresente, o apoio financeiro,
apoio à criança e legalidades de violência doméstica que favorecem grosseiramente aos interesses
das mulheres
- que devem ser apontados, estão enraizados exatamente nas mesma
Insegurança hipergâmica de que suas estratégias de acasalamento de curto prazo Alpha Fucks
exigem da legislação.
À medida que a Hipergamia Aberta se torna mais institucionalizada e se torna uma sociedade
normal pelo Imperativo Feminino, e conforme mais homens se tornam conscientes da Red Pill
(por esforço ou consequências) por causa disso, mais necessário se tornará
para uma ordem social primária feminina legislar e obrigar os homens a cumprir
com isso.

The Sisterhood Über Alles


Eu nunca fiz política no The Rational Male. Eu nunca vou fazer contrapisos em
raça ou multiculturalismo ou religião por um bom motivo - polui a
mensagem.
Agora estamos vendo os resultados dessa poluição, pois a Manosfera está
atacada de ambos os lados do espectro político.
Já dei este exemplo antes, mas se você colocar Gretchen Carlson e Rachel
Maddow no mesmo programa e os confrontar com as verdades da Red Pill sobre

mulheres e consciência do jogo, eles prontamente cerrariam fileiras, reservariam suas


diferenças políticas e luta cooperativa pelo Imperativo Feminino.
Este é o grau em que o Imperativo Feminino foi saturado em
nosso tecido social ocidental. Mulheres católicas no Vaticano podem ter muito
pouco em comum com as mulheres mórmons em Utah, mas deixe uma mulher mórmon
insista para que a igreja altere seus artigos fundamentais de fé no que diz respeito às mulheres
em favor de uma doutrina substituída pelo Imperativo Feminino e aquelas
mulheres e seus díspares têm um propósito comum.
Essa é a profundidade do Imperativo Feminino - que a primazia feminina deve
reescrever artigos de fé para priorizar os interesses das mulheres.
Doutrina religiosa, legislação legal e política, normas culturais, trabalhistas e
questões econômicas; todos são superados pelo Imperativo Feminino. Todos foram
subvertidos para submeter-se ao Imperativo Feminino, mantendo um padrão
de status de vitimização e opressão das mulheres e seus interesses
necessários para perpetuar essa base de poder descentralizada encoberta.
Não importa qual visão de mundo, ideologia, convicção ou tendência política
a oposição se mantém; homens, masculinidade e qualquer coisa contrária a
narrativa social primária feminina sempre será um inimigo comum do
imperativo feminino, tanto liberal quanto conservador, ultrapassará um
outro para dar o primeiro soco se isso significar defender mulheres e defender
a ordem social feminina por procuração.
É por isso que qualquer coisa mesmo marginalmente pró-masculina é difamada em
uma sociedade dominante. Qualquer coisa pró-masculina é sempre fácil, prefencialmente
alvo porque é tão odiado, tão incorreto, em um contexto primário feminino que
pode unir pessoas de oposição política e ideológica hostil
com diferenças.
É minha opinião que a consciência da pílula vermelha deve permanecer fundamentalmente
apolítica, não racial e não religiosa porque no momento em que a pílula vermelha é
associada a qualquer movimento social ou religioso, você o associa a uma
ideologia, e a validade dela será cancelada junto com qualquer
preconceitos associados a essa ideologia específica.

Além disso, qualquer co-branding ainda será violentamente rejeitado por qualquer
ideologia com a qual está associada porque o Imperativo Feminino já cooptou e supera os
fundamentos dessa ideologia. A verdade fundamental
é que a Manosfera, pensamento pró-masculino, consciência da pílula vermelha ou suas
questões relacionadas são uma entidade própria.
Isso é o que assusta a merda dos críticos que tentam definir, conter e
compartimentar a consciência da Manosfera / Pílula Vermelha; é maior que
as restrições sociais, raciais, políticas ou religiosas podem conter. Atravessa tudo
dessas construções, assim como o Imperativo Feminino cooptou todas essas
construções culturais. A infraestrutura feminizada da grande mídia
isso está apenas começando a levar a manosfera a sério o suficiente para ser crítico
e agora estão descobrindo isso e tentando colocar o gênio de volta na garrafa
definido por seu condicionamento feminino primário.
A ideia de que um dos seus, seja em um contexto liberal ou conservador,
está genuinamente ciente da Red Pill e educar os outros dessa consciência é
enervante para o imperativo feminino que já está forte
em pontos de apoio como em qualquer ideologia.

Cuckoldry aberto
Durante a seção de perguntas e respostas da palestra Man in Demand, respondi em
Setembro de 2015 me perguntaram onde eu acreditava na dinâmica social
de Open Hypergamy levaria. Especificamente, a ideia foi proposta, e eu
concordamos, que o próximo passo lógico para uma ordem social fundada na hipergamia,
e uma que priorize a estratégia sexual feminina como preeminente, seria
levar a um estado de corno abertamente aceito.
Embora eu não possa dizer que seja uma dinâmica social aceita ainda, há muitos
indicadores sociais que estão revelando este impulso para uma normalização
da traição. Vou explorar isso um pouco aqui, mas por enquanto esses indicadores
estão prestes a se afastar da monogamia convencional na esperança de que um
'Corno suave' pode ser um precursor para instituir uma forma aberta mais aceita
de traição.
Acho que também é importante ter em mente alguns princípios básicos
sobre esta mudança. O primeiro é o fato de que, inicialmente, um estado de aceitação abertamente
a traição controlada por mulheres nunca será chamada de "traição" propriamente dita. E se
usamos o exemplo de um aberto e socialmente aceito (se não celebrado)
baseado na hipergamia como modelo, a corno aberto será vendido como uma forma mais lógica, mais
de estratégia sexual humana para homens e mulheres à luz das estatísticas de divórcio,
tédio romântico e outros estudos sexuais que indicam homens e mulheres
nunca evoluiuram para compromisso monogâmico. Já estamos vendo isso na
tentativa de normalizar as relações poliamorosas hoje.
A segunda é que o corno aberto é a extensão de uma
Hipergamia unilateral controlada pelo feminino. Isso quer dizer que conforme a hipergamia se torna
mais normalizada como um imperativo social que a estratégia sexual se estenderá a
otimizar a hipergamia entre os gêneros. Se essa otimização for levada a sua
conclusão lógica exigirá que os homens não apenas aceitem a traição como uma
norma, mas para recompensar socialmente os homens por defendê-la entre seu próprio sexo.

Cuckoldry por qualquer outro nome

Como eu disse, não será chamado de 'traição'; as conotações são negativas, então um
a redefinição será feita a fim de tornar a prática mais socialmente
palatável. O Imperativo Feminino não recrutará os próprios homens de que precisa para
perpetuar a traição como sua própria estratégia sexual se o termo for depreciativo.
Assim, obteremos eufemismos para estilos de vida alternativos, "casamentos abertos" a
"Relacionamento com Designer" ou "poliamor", todos os quais serão
publicidade para promover o que equivale à corno aberto. A seguir
de Salon.com, é assim que refazemos a monogamia: Mais opções, melhor
sexo, casamentos melhores:
Vivemos em uma era em que tudo é personalizável. Relacionamentos não são
exceção. Algumas pessoas continuarão a praticar a forma de seus avós
de monogamia, e outros, provavelmente a maioria, serão serialmente exclusivos
e em pares. Ainda outros irão explorar alguma forma de não monogâmica
expressa que abrange uma ou mais das facetas que discutimos ou
pode fluir para dentro e para fora da exclusividade com base no que o relacionamento
requer. (Nós mesmos fizemos isso.) Ter a capacidade de personalizar um
relacionamento significa ter a liberdade de responder às vicissitudes da vida.
A primeira vez que me deparei com o conceito de "poligamia suave", eu estava em uma
aula de psicologia comportamental explorando as práticas do casamento moderno e
contrastando-os com os comportamentos sexuais de longo prazo de homens e mulheres.
Como você pode imaginar, o contexto do estudo focou inteiramente no "mau
comportamentos de homens que essencialmente fizeram a transição da monogamia serial para
casamento em série. A ideia era que no processo de mudança de uma longa
relação de termo (LTR) com outro homem estava estabelecendo uma forma suave de
poligamia.
Em um aspecto social e financeiro, os homens têm muito mais a perder com as séries
de casamentos do que as mulheres. Os passivos financeiros do divórcio estão bem
conhecidos na Manosfera, mas também o são os aspectos de responsabilidades emocionais e
familiares. Então, de uma perspectiva estritamente masculina, LTRs seriais são uma
proposição arriscada, mas de uma perspectiva feminina institucionalizada
a hipergamia e a poligamia suave que resulta da estratégia de sexualidade sandbergiana, o corno
suave torna-se pragmático na otimização da hipergamia para
mulheres.
Neste ponto, devemos considerar a máxima de Heartiste sobre o feminismo novamente:

O objetivo feminista é remover todas as restrições à sexualidade feminina enquanto


restringe ao máximo a sexualidade masculina
A traição institucionalizada e normalizada é o meio lógico de restringir
sexualidade masculina, mas temos que considerar a função que essa restrição serve
para mulheres. De uma perspectiva Alpha Fucks / Beta Bucks, o plano é
simples; restringir essa sexualidade à medida que as mulheres encontram necessidade de um
determinado homem
a serviço. A venda de poliamor para homens, é claro, atrairá os homens
que querem variedade sexual, mas na verdade os homens solteiros podem se dar ao luxo sem
casamento. O que o poliamor realmente representa é um plano de seguro hipergâmico
para esposas que querem cruzar com os "melhores genes" de homens e viver com
o homem do tipo ‘melhor fornecedor’.

Diamantes e ferrugem
Embora eu esteja relutante em fazer prognósticos, meu palpite é que as gerações futuras de
homens serão condicionados a aceitar seu papel nesta traição como parte de sua
socialização. A hipergamia aberta e sua aceitação já fez sua
estreia popular na grande mídia e publicidade, e também
a traição aberta está apenas agora encontrando um ponto de apoio social.
É preciso usar a lente Red Pill para avaliar os esforços que estão sendo feitos por
uma sociedade maior. Publicidade comercial popular de Open Hypergamy é
pretendida de ser engraçada ou fofa, mas esconde uma verdade mais profunda e comovente
sobre Alpha Widows, Hypergamy e o plano de estratégia sexual de longo prazo
e papéis que as mulheres esperam que os homens desempenhem nela.
Fiquei sabendo de um anúncio de diamantes da Forevermark circulando em um
leitor no Twitter e a princípio pensei que era uma piada reformulada.
Ela vai esquecer cada bombeiro, marinheiro e estrela do rock de seus sonhos, ...
A subcomunicação é que se você comprar para ela um diamante Forevermark
ela esquecerá todos os Alfas pelos quais ela ficou viúva. Sem o benefício da
Lente de pílula vermelha eu posso ver como a maioria dos homens riria disso ou as mulheres
ririam sarcasticamente sobre isso, mas o fato é que um redator inteligente é
ciente da dinâmica sexual que o torna engraçado

Eu puxei a seguinte citação do comentarista Deti:


“Acho que o que continuaremos a ver é uma crescente separação.”
Eu acho que o que vai acontecer é que as coisas vão continuar deslizando na mesma
direção que estão indo agora, até que uma massa crítica seja alcançada. Eu não sei
o que é essa massa crítica, o que a acionará ou quando será alcançada.
Vivemos em uma sociedade predominantemente livre com um híbrido de capitalismo e socialismo.
Temos o máximo de liberdade e autonomia agora, com ambos os sexos sendo
livres para buscar praticamente o que quiserem, como quiserem e que
é a principal característica que impulsiona a circunstância atual - isso,
até agora, houve dinheiro suficiente tributado, emprestado e roubado para pagar por isso.
Um número crescente de homens não está fazendo tanto sexo quanto gostaria.
Um número crescente de mulheres não está assumindo compromissos na forma como
querem - quando querem ou da forma como os homens que querem.
Então as coisas vão continuar deslizando dessa maneira. Mais e mais homens andarão
afastar e direcionar as energias que sobraram em outro lugar - para o trabalho, ou
cerveja / bros / X-Box / porn ou viagens / lazer. (Curiosamente, isso pode fazer
muitos deles mais atraentes para as mulheres, pois passam menos tempo
direcionando suas atenções para as mulheres.) Mais e mais homens vão ganhar apenas
o suficiente para se sustentar, uma vez que não planejam casamento, e
a paternidade está fora de questão. Eles não terão as habilidades para melhorar suas
vidas. Eles não conseguirão tanto sexo quanto desejam, mas aprenderão
a viver com isso - principalmente por meio de pornografia, conexões ocasionais e até mesmo
mais prostitutas ocasionais. O preço das prostitutas disparará à medida que
a demanda aumenta; e mais algumas mulheres entrarão em garotas de programa sofisticadas
para trabalhar para ganhar dinheiro extra.
Mais e mais mulheres vão direcionar suas atenções para o trabalho, viagens /
lazer e ter filhos sem homens. (Isso definitivamente fará mais
que elas são sejam menos atraentes para os homens, exceto como parceiros sexuais.)
não obterão os compromissos dos homens que desejam, mas aprenderão a viver
com isso. Elas reclamarão com o aumento do volume e estridente,
mas elas aprenderão a conviver com isso.

Até que algo aconteça para fazer a maré virar. De novo - não sei
o quê, ou quando, ou como. Mas algo vai acontecer para causar uma reinicialização total.
E será extremamente doloroso para todos. Eu não quero que isso aconteça, nem
eu gosto disso. Não é algo para desejar ou ansiar por causa da
dor que isso vai trazer. Mas acho que isso vai acontecer. Eu não acho que isso vai acontecer
na minha vida ou nas vidas dos meus filhos. Poderíamos facilmente deslizar assim para
outros 50 a 100 anos.
Acho que uma consequência dessa separação dos gêneros incluirá uma
instituição socialmente normalizada de traição. Para segurar, terá que ser
denominado algo diferente, mas na verdade o processo de concepção das mulheres
com um homem e, em seguida, esperando que outro homem se dedique aos pais
nessa criança haverá uma expectativa casual das mulheres. Com tantos homens
efetivamente (se não intencionalmente) ‘seguindo seu próprio caminho’, a ideia de que se pode
esperar é a de que qualquer
homem sirva como pai substituto se tornará
comum.
Tal como está hoje, a cultura popular e os sociólogos sempre definem
a traição da perspectiva de uma esposa dúbia se envolvendo em um
caso extraconjugal, engravidar e enganar deliberadamente
o marido inconsciente de que o filho não é dele. Quando definimos corno
nesses termos, e olhamos para os dados de DNA que indicam "taxas de traição"
temos uma incidência bastante baixa de traição real. Qualquer escritor no
Femosphere vai mostrar essas estatísticas alegremente para provar que as mulheres
não estão cometendo fraude de nascimento, mas quando olhamos para o nascimento fora do
casamento
taxas (41%), quando olhamos para as extensões às quais atribuiremos arbitrariamente
paternidade legal para quem quer que uma mulher diga que é um pai, quando olhamos para
a resistência em permitir que os homens tenham acesso a testes de DNA, e quando olhamos para
como o sistema legal responsabilizará pais não biológicos pelos filhos
eles não geraram, então vemos que a traição merece uma muito mais ampla
definição.
Existem formas proativas e retroativas de traição e é hora de começarmos
abordando esses aspectos como homens conscientes da pílula vermelha. Gêneros divididos por
feminismo ou primazia social feminina precisará de uma forma "personalizada" de
traição que permite que o lado Alpha Fucks da hipergamia seja
reconciliado com o lado do Beta Bucks, recrutando homens diferentes para qualquer

objetivo. O que isso significa é uma engenharia social, socialmente aceitável,


subversão da necessidade evoluída dos homens de verificar a paternidade.
A pílula rosa
Quero terminar aqui com um ensaio que li sobre as consequências da
forma de Viagra da nova mulher, a pílula "rosa", de Aeon.com, The Libido Crash:
Em um infame cartoon na The New Yorker em 2001, uma mulher confidencia a
um amigo enquanto bebia: "Eu estava em reposição hormonal por dois anos antes de
perceber que o que eu realmente precisava era a substituição de Steve. "A medicina tem sido
relutante em abordar a questão de quanto monogamia a longo prazo
a união afeta a função sexual e o desejo, e o problema de ‘Steve’
permanece uma questão tacitamente reconhecida e ainda pouco discutida. Para
voltar à pilha crescente de títulos de autoajuda de Julie, todos os livros prometem
retornar, reviver, restaurar sem realmente descer às pegadas de latão do porquê
desejo extinto em primeiro lugar. Como Julie observa, a lua de mel mói
a um fim, mas as questões que levam a isso são complexas. Em falta é
atenção à forma como a mente e o corpo reagem às estruturas sociais, como
mídia popular, fé e casamento.
Desenvolver drogas para aumentar a libido é como "dar antibióticos a porcos por causa de
a merda em que eles estão '
O psicólogo americano Christopher Ryan argumenta que a instituição de
casamento moderno - o que significa um casal exclusivo ligado pelo amor romântico -
é a antítese da excitação de longo prazo. Ryan é mais conhecido por Sex at Dawn
(2010), livro de autoria com sua esposa Cacilda Jethá, que faz o caso
que a monogamia sexual está profundamente em desacordo com a natureza humana.
Ele está entre um número crescente de pesquisadores sugerindo que a divisão
entre o potencial sexual supostamente ilimitado das mulheres e sua entorpecida
realidade pode ser devida às circunstâncias da intimidade. Assim, a
cama conjugal não é apenas o cenário do desejo cada vez menor, mas a fundamental
causa. Os elementos que fortalecem o amor - reciprocidade, proximidade, segurança emocional -
podem ser exatamente as coisas que sufocam a luxúria. Enquanto amo ângulos
em direção à intimidade, o desejo floresce à distância.

Todo o artigo é muito esclarecedor, se não um pouco deprimente, mas com o Red
Podemos começar a entender o propósito latente por trás desta mensagem.
Eu deixei registrado sobre o empurrão contra a eliminação da pílula rosa por
uso como sendo uma ameaça direta ao controle das mulheres sobre sua própria hipergamia.
A preocupação, aparentemente, é que uma droga estimuladora da libido possa ser usada para
induzir uma mulher a fazer sexo que suas sensibilidades sóbrias iriam
evitar; efetivamente, poderia ser uma droga de 'estupro'.
O que finalmente está sendo tratado agora é o que venho dizendo desde que era
ciente dos ensaios da droga - uma substância química que induz a libido em mulheres
remove um elemento de seu controle na seleção sexual e compromissos
da Hipergamia. Não tenho certeza se o autor aqui estava ciente dos pontos
que ela é reveladora nisso, mas ela apresenta sucintamente o caso para ambos
corno institucionalizado (ou certamente uma poligamia de "designer" para mulheres)
e defensores das mulheres que mantêm o controle de sua hipergamia
desanuviado por uma droga que removeria esse controle induzindo quimicamente
a fazer sexo que não seja de sua própria escolha natural.
A 'cura' para a baixa libido das mulheres é holística, não biológica.
As deficiências sexuais da mulher não são consideradas resultado de uma biologia "quebrada",
mas sim uma falta de motivação adequada. Devo ressaltar que tudo isso
valida todos os pontos que já fiz sobre o Dread ser um utilitário para os homens
no casamento - mantendo uma condição de motivação adequada (ou seja, medo), a
cura holística, é exatamente o que até mesmo os autores da femosfera estão tacitamente
defendendo.
Os elementos que fortalecem o amor - reciprocidade, proximidade, emocional
segurança - podem ser exatamente as coisas que sufocam a luxúria.
No entanto, mesmo quando uma solução farmacêutica para o problema da luxúria é feita
disponível, a 'cura' é rejeitada. Por quê? Porque em uma raiz, nível límbico
o cérebro posterior das mulheres sabe que a hipergamia não pode ser otimizada com uma droga
que remove a escolha hipergâmica. As mulheres não querem a pílula rosa e um
casamento estável, mas sem paixão. Eles querem uma forma aberta de traição para
ser um padrão socialmente aceitável.
A verdadeira solução nunca mudou e as mulheres agora são colocadas em uma posição
de ter que reconhecer abertamente que, apesar de toda a pretensão de "incompatibilidade

de libidos "ou" sexo apenas diminui após o casamento " de convenções sociais,
A eventual traição é o verdadeiro plano para a hipergamia. Quando apresentado a uma
pílula que os tornará sexuais, quando administrada uma cura para seus baixos desejos sexuais
com os homens que assumiram compromissos vitalícios com elas, as mulheres ainda vão
recusar-se a aceitar porque é sobre o cara, não sobre seu baixo desejo sexual.
A dúvida hipergâmica não pode ser suprimida com uma pílula.

Tribos
Rollo - Você me ajudou muito a entender o que está por trás
dinâmica entre homens e mulheres. Eu os observei em pedaços
ao longo dos anos, mas nunca realmente entendi os porquês por trás deles ou como
transformá-los em nosso favor.
Parece que um foco de médio prazo que você tem é na dinâmica masculino-masculino,
especificamente pais e filhos. Mas também me pergunto se você consideraria
escrevendo mais sobre vínculo e apoio entre homens e como esses
relacionamentos podem ancorar a vida dos homens em um momento em que os relacionamentos
masculinos são
considerados com ceticismo pela sociedade em geral. Ultimamente tenho percebido que os homens
tendem a confiar inatamente nos homens que conhecem e desconfiar daqueles que não conhecem (e
que muitas vezes é o contrário para as mulheres). Isso nos inclina a acreditar nas mulheres
quando elas condenam os "idiotas" que as maltrataram no passado, enquanto
as mulheres são empáticas e crédulas em relação às mulheres cujo caráter delas
não sabem e quem elas nunca conheceram.
Muitos de nós aqui não temos relacionamentos masculinos fortes, e nossos pequenos
círculos sociais se traduzem em menos homens em quem confiamos inatamente e mais homens em
nós
inatamente não. As mulheres parecem considerar as amizades masculinas como um luxo, na melhor
das hipóteses -
devemos nos concentrar na carreira, na família e nas necessidades dela - enquanto as amizades das
mulheres
amizades são vistas como uma tábua de salvação em seu mundo louco de tudo. Na verdade, um
homem desencorajar as amizades de sua esposa / namorada é amplamente visto como um sinal de
abuso emocional, enquanto o inverso é "trabalhar no relacionamento".
Isso me parece uma pílula vermelha profunda, mas amplamente inexplorada, e poderia
fornecem orientação essencial para homens que procuram viver um red orgulhoso e construtivo
da vida da pílula, no entanto, mulheres e crianças podem caber nela. São definitivamente bem-vindo
seus insights em entradas futuras.
Em fevereiro de 2016, o blogueiro Roosh propôs (e tentou iniciar)
um evento mundial que seria uma espécie de "reunião das tribos" com a
intenção de fazer os homens se reunirem em pequenas reuniões locais para "apenas beber
cerveja e conversa entre homens que pensam como você. ” Minha impressão da real intenção
apesar de tudo isso, não achei uma má ideia.

No entanto, o problema que este tipo de 'reunião de tribos' sofre é que é


inteiramente planejado para colocar homens desconhecidos juntos para nenhum outro propósito que
para “tomar uma cerveja e conversar”. O problema de homens desconhecidos se juntando
simplesmente encontrar e se relacionar é uma meta nobre, porém, as formas fundamentais
de homens se comunicam naturalmente faz com que a função deste encontro pareça
estranho para os homens.
Mulheres falam, homens falam
Os melhores amigos homens que tenho compartilham um ou mais interesses comuns comigo -
um esporte, um hobby, música, arte, pesca, levantamento de peso, golfe, snowmobile, etc. - e
as melhores conversas de que me lembro com esses amigos ocorreram enquanto nós
estavam envolvidos em alguma atividade ou evento específico. Mesmo quando é apenas
mudar um amigo para sua nova casa que é realizar algo
juntos e naquele tempo relatando o que é relevante. Quando eu morava em
Flórida, algumas das melhores conversas que tive com meus caras do estúdio foram
durante algum projeto, tivemos que colaborar por uma ou duas semanas.
As mulheres, por outro lado, reservam tempo para e com o propósito expresso
de falar entre namoradas. Durante o café, talvez, mas o ato de
a comunicação é mais importante do que o evento ou atividade. Até mesmo uma "puta e cadela",
onde as mulheres se reúnem socialmente para tricotar, é simplesmente uma organização
de desculpa para se reunir e se relacionar. Para as mulheres, a comunicação é sobre
contexto. Elas são intrinsecamente recompensadas por como essa comunicação torna
o que elas sentem. Para os homens, a comunicação é sobre conteúdo e eles são recompensados
pela troca de informações, soluções de problemas e ideias.
De uma perspectiva evolucionária, é provável que nossos papéis de caçador-coletor tribal
influenciam as diferenças de comunicação entre homens e mulheres. Homens foram
caçar juntos e praticar as ações coordenadas por um objetivo cooperativo.
Derrubar uma presa ou construir um abrigo comunitário provavelmente
têm sido um esforço muito importante para a informação. Na verdade, as primeiras pinturas de
cavernas
eram essencialmente registros de uma caçada bem-sucedida e instruções sobre
como outros homens podem fazer isso também. A comunicação dos primeiros homens seria
necessariamente um discurso orientado pelo conteúdo ou a tribo que não comeu.
Da mesma forma, as comunicações das mulheres teriam sido durante os esforços de coletas
e cuidados infantis. Seria lógico que, devido ao caráter mais coletivista das mulheres

os papéis que eles desenvolveriam para serem mais intuitivos e orientados para o contexto, ao invés
do que orientado a objetos. Um reconhecimento comum na manosfera é o das mulheres
predisposição para o coletivismo e / ou uma inclinação mais socialista para o pensamento
sobre distribuição de recursos. Considerando que os homens tendem a distribuir recompensas e
recursos baseados principalmente no mérito, as mulheres têm tendência a espalhar
recursos coletivamente, independentemente do mérito. Novamente, essa predisposição é
provavelmente devido a como o "hardware" psicológico das mulheres que evoluiram como parte das
circunstâncias de seus papéis tribais.
A partir desta perspectiva, é bastante fácil ver como a tendência de
homens a desconfiar de homens desconhecidos (fora do grupo) pode ser uma resposta a uma ameaça
de sobrevivência, enquanto a confiança implícita das mulheres em qualquer membro da ‘Irmandade’
seria um benefício de sobrevivência da espécie para o sexo que requer mais
investimento parental e apoio mútuo. Também há uma noção de que a
predisposição dos homens para o infanticídio dos filhos de seus rivais, e a
incerteza de paternidade dentro de um coletivo tribal com a comunicação secreta e conluio entre as
mulheres uma necessidade de sobrevivência.

Dividir e conquistar
Em nossa ordem social pós-masculina, feminina primária, não é necessário um Vermelho
Pill Lens para observar os muitos exemplos de como o Imperativo Feminino
faz de tudo para destruir o "tribalismo" intra-sexual dos homens. Desde a
época da Revolução Sexual, a imprensa social do igualismo tentou
forçar uma expectativa unissex comumente aceita sobre os homens para se socializar e
interagir entre si da mesma maneira socialmente "correta" que as mulheres
Fazem.
A duplicidade nesta luta pela "igualdade" é, obviamente, a mesma que nós
encontramos em todos os esforços de socialização do igualismo igualitário - a
emasculação dos homens em nome da igualdade. Um recente (2015), bastante gritante,
exemplo desse impulso social pode ser encontrado na Universidade de Harvard, onde mais
de 200 estudantes do sexo feminino se manifestaram contra uma nova política para desencorajar
a participação em clubes de gênero único na escola. Mulheres eram muito
apoiadoras a quebra das barreiras de gênero quando significava que os homens podiam
não discriminar mais em organizações de exclusividade masculina (tipicamente espaço masculino),
mas quando essa mesma métrica igualista foi aplicada às organizações exclusivas das mulheres

então, os gritos eram acusações de insensibilidade e


os banners dizem “Grupos de mulheres mantêm as mulheres seguras”.
Esse é um incidente muito recente que descreve a dinâmica, mas é importante
entender a intenção subjacente de "bom para mim, mas não para ti"
de duplicidade aqui. Essa intenção é dividir e controlar a comunicação dos homens por
esperar que eles se comuniquem como as mulheres, e idealmente que o façam dos seus
por conta própria, condicionando-os a aceitar os métodos de comunicação das mulheres
como a forma normativamente correta de se comunicar. As mais eficazes
convenções sociais são aquelas em que os participantes participam voluntariamente
em e de boa vontade encoraje os outros a acreditar que está correto.

Tribos vs. The Sisterhood


Porque os homens têm interesses, paixões e empreendimentos tão variados com base neles é fácil
ver como os homens se compartimentam em várias
sub-tribos. Quer se trate de esportes de equipe (quase sempre voltado para homens
esforço), empresas cooperativas, formas de arte cooperativas ou apenas hobbies
que os homens compartilham, é uma progressão natural para os homens formarem sub-tribos dentro
de
toda maior masculinidade convencional.
“Quatro experimentos confirmaram que a tendência automática das mulheres dentro do grupo é
notavelmente mais forte do que os homens e explicações investigadas para esta diferença de sexo,
derivada de fontes potenciais de atitudes implícitas ”
Esta citação resume os resultados de Rudman, L. A., & Goodwin, S. A. (2004).
Diferenças de gênero no viés automático dentro do grupo: por que as mulheres gostam de mulheres
mais do que homens gostam de homens? Jornal de personalidade e psicologia social,
87 (4), 494.
Por causa da abordagem externa de um homem para interagir com o mundo
em torno dele, não há realmente nenhuma tribo masculina unitária da mesma maneira que a
"Irmandade" coletiva de mulheres representa. Um dos principais pontos fortes de
o Imperativo Feminino tem sido seu tribalismo unitário entre as mulheres. Nós
podemos ver isso evidenciado em quão saturado o imperativo feminino se tornou
na sociedade dominante e como ela está embutida no que seria
o caso contrário, ser facções diametralmente opostas entre as mulheres. Político,
afiliações socioeconômicas e religiosas de mulheres (várias sub-tribos), todos

tornam-se secundários aos interesses da "mulher" ao abraçar os


benefícios coletivos de apenas ser mulher e alavancar sua inadimplência
de vitimização e status protegidos.
Assim, não vemos nenhuma desconexão interna quando as mulheres abraçam simultaneamente um
oposição hostil a uma facção social enquanto desfruta dos benefícios que
facção pode oferecer para o toda maior da "Irmandade". A irmandade é
primeiro unitária e depois dividido em subtribos. Família, trabalho,
interesses, compartimentações políticas / religiosas tornam-se sublimadas em
promover os benefícios coletivos da humanidade.
Especulativamente, posso entender os benefícios evolutivos de como essa
dinâmica psicológica surgiu, mas eu seria negligente se não apontasse apenas
o quão eficaz esta coletividade tem sido na formação da sociedade em direção a um ideal
que apóia um impulso irrestrito em direção à necessidade das mulheres de otimizar
a Hipergamia. Este tribalismo unitário, primeiro as mulheres, foi (e ainda é) a
chave para o poder social das mulheres - e mesmo em ambientes sociais onde
as mulheres realmente sofrem opressão, a Irmandade exercerá esse
tribalismo de gênero.
Dada esta tribo coletivista de gênero feminino vs. tribos masculinas atomizadas nós
começamos a ver por que os homens organizando o que pode ser uma "Fraternidade" é tão
difícil e desanimador.

Avaliações de ameaças
Afirmar qualquer semelhança com um tribalismo masculino unitário é uma ameaça direta ao
Imperativo feminino.
Nada é mais ameaçador e ao mesmo tempo atraente para uma mulher do que um
homem que está ciente de seu próprio valor para as mulheres.
Essa citação é de uma seção chamada The Threat em meu primeiro livro, The Rational
Male. Quando escrevi este ensaio, fiz isso da perspectiva das mulheres
sentirem-se vulneráveis por interagir intimamente com homens que compreenderam
seu próprio valor para as mulheres, mas também sabia como aproveitá-lo. Uma das
razões pelas quais Game é tão vilipendiado, ridicularizado e desqualificado pela Irmandade
é porque coloca essa compreensão e consciência em prática com

mulheres e, em teoria, remove algum grau de controle das mulheres na


otimização da hipergamia. A consciência da pílula vermelha e o jogo diminuem o controle das
mulheres
nessa equação e torna a dinâmica intersexual adversarial. Homens
que entendem é sexy do ponto de vista de lidar com uma pessoa autoconsciente
do valor do homem de SMV, mas também ameaçador do ponto de vista de que a segurança dela a
longo prazo
depende de ele concordar com sua Estrutura e controle. Mulheres são
condicionadas a esperar que os homens sejam ridículos, indignos de confiança e sem qualquer
capacidade de fornecer-lhes a segurança de longo prazo de que precisam, por isso segue
que a Irmandade recusaria a ideia de homens tomando consciência
de seu valor para as mulheres e usando-o em seus termos.
Até este ponto, o Game representou uma ameaça individualizada para as mulheres
no controle hipergâmico, mas sempre houve uma grande maioria dos homens
(Betas) que foram facilmente mantidos na ignorância de seu verdadeiro potencial de controle.
No entanto, em uma paisagem social mais ampla, o Imperativo Feminino entende
os riscos envolvidos na formação de uma tribo unitária - uma base da Fraternidade
unicamente em beneficiar e capacitar os homens. A manosfera, enquanto ainda
efetivamente uma coleção de sub-tribos, representa uma ameaça ao imperativo
porque seu objetivo básico é tornar os homens cientes de seu verdadeiro estado em uma
ordem social centrada no feminino.
Como tal, qualquer tentativa de criar exclusivamente organizações masculinas específicas e
capacitadoras
(como o Movimento pelos Direitos dos Homens) é feito socialmente
como sinônimo de misoginia (ódio) ou homossexualidade (vergonha).
Ironicamente, a vergonha associada à homossexualidade, que um centro feminino
e a sociedade de outra forma reclamaria, torna-se uma forma eficaz de vergonha intragênero quando
aplicada a grupos heterossexuais de homens. Até
sugestões de tribalismo centrado no homem são anexadas a
suspeitas homosexuais, e estas vêm de dentro das próprias coletividades dos homens.

Esta foto é de uma conferência "acadêmica" (aula?) Chamada Mediado


Feminismos: Ativismo e Resistência à Violência de Gênero e Sexual na
Era digital realizada na UCL em Londres. Há muito mais nisso do que apenas
coletar e codificar as subtribos da manosfera.
Agora, certo, esta conferência estava repleta de todos os desinformados (não para
mencionar intencionalmente ignorantes) preocupados que se espera das contemporâneas
feministas, mas isso serve como um exemplo de como os homens se organizam para o
benefício exclusivo dos homens não é apenas equiparado à misoginia, mas potencial
violência. Como um coletivo unitário de homens, uma crescente manosfera aterroriza o
Imperativo feminino. Esse medo, no entanto, não decorre de qualquer
perspectiva de violência, mas o potencial para uma maior ‘consciência’ nos homens de
suas próprias condições e os papéis que se espera que desempenhem para perpetuar uma
ordem social centrada no feminino. Elas temem perder o controle que a "socialmente
ignorância responsável dos homens fornece-lhes.
A predisposição dos homens para formar subtribos e competição intra-sexual ("vamos
você e ele lutem ”) sempre foram um meio de controle encoberto pelas mulheres,
mas mesmo assim o Imperativo Feminino deve inserir sua influência e supervisão

para esses espaços masculinos para fazer uso deles. Assim, ao assegurar que a feminina
primazia é igualada à ideia de igualismo inclusivo, todo Espaço Masculino é
efetivamente necessário para ser um "espaço unissex", enquanto as subtribos femininas devem
permanecer exclusivamente feminino. Para um exemplo fácil disso, compare e
contraste as reações à instituição unissex de clube universitário de Harvard
do igualismo que mencionei anteriormente às reações mundiais e preempção
de, as reuniões da "Tribo" apenas tentaram ser organizadas por Roosh em
Fevereiro de 2016.
Fazendo Homens
Ao controlar as comunicações intra-sexuais dos homens uns com os outros,
O imperativo feminino pode limitar a compreensão unificada e coletiva dos homens de
masculinidade e experiências masculinas. A sociedade primária feminina odeia e tem
medo de que os homens definam e afirmem a masculinidade para si próprios (para o
ponto de tipificá-lo como "tóxico"), mas conforme a conectividade progride, veremos um
esforço mais concentrado para bloquear a narrativa e os meios dos homens
de comunicar experiências masculinas.
Eu detalhei em muitos ensaios como o imperativo deliberadamente mal direcionou
homens confusos sobre uma definição unificada de masculinidade. Aquela confusão
é projetado para manter os homens adivinhando e duvidando de sua "segurança em suas
masculinidade ”, ao mesmo tempo em que afirma que a definição feminina correta é a única
definição legítima de masculinidade saudável, "não tóxica". Esta deliberada
ofuscação e ambigüidade sobre o que equivale a "masculinidade autêntica" é
outro meio de controlar a consciência dos homens de seu verdadeiro masculino
potencial. Este potencial que elas temem com razão significará submeter-se ao poder dos homens
sobre seu controle social e pessoal hipergamoso. Qualquer coisa menos que uma
definição de masculinidade que promove a primazia feminina e "fempowerment" é
rotulado de “masculinidade tóxica” - literal e figurativamente, venenoso.
Esta é a razão operacional por trás da obsessão, muitas vezes contraditória,
necessidade de controle dos espaços tradicionalmente masculinos pelo Imperativo Feminino.
Supervisão e infiltração de sub-tribos masculinas e instituição de uma cultura masculina
quem irá autopoliciar a narrativa dentro dessas sub-tribos mantém um
ordem social primária feminina.

Construindo Betas melhores


Desde a época em que as sociedades ocidentais (izing) mudaram para a livre
Hipergamia em uma escala social tem havido vários esforços para desmasculinizar - se não feminizar
completamente - a grande maioria dos homens. Hoje
estamos vendo os resultados, e ainda esforços persistentes, de uma forma muito mais
contrastante à medida que o transgenerismo e o abraço social de impingir o preconceito de gênero
aos meninos se tornam institucionalizados. Uma promoção deliberada de uma
narrativa construcionista social sobre identidade de gênero e a idade muito precoce
em que as crianças podem "escolher" um gênero para si mesmas está começando a ser
cada vez mais reforçada em nossa atual ordem social primária feminina.
Como resultado disso, e provavelmente em nosso futuro próximo, os homens de hoje são
condicionados a se sentir desconfortáveis por ser “homem”. Esse desconforto é resultado direto
da ambigüidade e equívoco sobre a masculinidade convencional, o
imperativo estimulou nos homens quando eles eram meninos. Esta feminização
cria uma aversão ao gênero, mas essa aversão vem como resultado de um
conflito entre o feminino correto, “não tóxico”, compreensão do que
a masculinidade deve ser e os aspectos convencionais da masculinidade que os homens
precisam expressar como resultado de sua biologia e direito de nascença.
Efetivamente, essa confusão tem por objetivo criar desconforto nos homens
entre as subtribos masculinas. Esses homens confusos têm dificuldade
com comunicação intersocial dentro das subtribos masculinas, eles supostamente
tem algum tipo de parentesco ou afiliação em grupo. Até mesmo o conceito de
"Ligação masculina" tornou-se um ponto de ridículo (algo típico do homem
bufões) ou algo suspeitamente homossexual. Assim, combinado com a
identificação feminina que muitos desses homens assumem, a "mangina" de hoje
normalmente tem mais amigas e se sente mais confortável
comunicar como as mulheres se comunicam. Esses homens têm sido eficazmente
condicionado a acreditar ou sentir que aquela interação ou organização exclusivamente masculina
é inerentemente errado. Parece desconfortável ou artificial, possivelmente até
ameaçando se a organização exigir esforço físico. Consequentemente,
interagir "como um homem" torna-se ridículo ou superficial. Pelos últimos 60
anos de feminização social, a conexão masculina tem sido eficaz
suprimido.

Empurrando para trás


O que então deve ser feito a respeito desse condicionamento? Por todos os esforços para destruir
ou regular o tribalismo masculino, o Imperativo Feminino ainda se choca com
as predisposições evoluídas dos homens para interagir com o mundo extrínseco em vez de
fixando-se no mundo intrínseco das mulheres. Eu juntei algumas
ideias viáveis aqui que podem ajudar os homens a chegar a uma maneira melhor e unitária de
fomentar um tribalismo masculino que o Imperativo Feminino veria destruído ou
usado como uma ferramenta de controle sócio-sexual:
Embora seja de vital importância manter um ponto mental específico do sexo masculino de
origem, juntos os homens precisam de um ponto central de ação. Mulheres falam, homens falam.
Os homens precisam de um propósito comum no qual a tribo possa concentrar seus esforços.
Homens
precisa construir, coordenar, vencer, competir e resolver problemas entre
si mesmos. O "propósito" de uma tribo não pode ser simplesmente reunir-se
como homens da mesma opinião; na verdade, grupos com tal propósito declarado são
frequentemente
projetados para ser o mais conciliador e complacente do Feminino
Imperativo. Os homens precisam de um propósito comum e apaixonado pelo qual se unirem.
Entenda e aceite que os homens irão naturalmente formar hierarquias masculinas em
virtualmente todos os contextos se aquela tribo for verdadeiramente exclusiva para homens. Haverá
que ser uma resistência reflexiva a isso, mas entenda que o desconforto no
reconhecimento de hierarquias masculinas deriva do Imperativo Feminino
que quer fazer qualquer aparência de autoridade masculina uma forma tóxica de
masculinidade. Ao contrário do condicionamento feminino, as hierarquias masculinas não são
necessariamente baseadas nas manipulações da Dark Triad. Esse é o 'pensamento feminino'
- qualquer hierarquia de autoridade criada por homens é, por definição, má
Patriarcado.
Reconhecer subtribos masculinas existentes pelo que são, mas fazê-lo sem
rotulando-os como tal. Não fale sobre Fight Club, fale sobre Fight Club. Como
com a maioria dos outros aspectos do jogo ciente de Red Pill, é sempre melhor
demonstrar em vez de explicar. Sempre haverá um
efeito observador quando você chama um grupo masculino de “grupo masculino”. Aquela tribo
deve existir para um objetivo mútuo diferente da ideia expressa de que existe
ser sobre homens se encontrando. Cada subtribo a que pertenço, cada
interesse coletivo que compartilho com outros homens, mesmo a formação instantânea
aqueles que surgem de uma necessidade ou função comum imediata, todos existem

além de “ser” sobre os homens se unindo. Dia mundial da “tribo”


falhou muito pelas mesmas razões que uma organização como a Good Men
Projeto falha - eles são divulgados como uma reunião de homens apenas "sendo"
homens.
Rejeite a invasão feminina do espaço masculino sendo
intransigente no que você faz e organiza com paixão. Não faça
concessões para mulheres em qualquer espaço exclusivamente masculino que você criar ou aderir. Lá
sempre será um desejo de acomodar mulheres e / ou o medo de não
ser complacente com as mentalidades primárias femininas dentro do alcance exclusivamente
masculino. Freqüentemente, isso virá em formas sutis de anonimato
de Cavalaria Branca ou reservas sobre paixões específicas devido a outros
condicionamentos de Blue Pill masculino para sempre considerar o feminino antes
das considerações de si mesmos ou da tribo. É de vital importância para a
tribo para anular essas simpatias e atitudes comprometedoras como são essas
exatamente os designs do Imperativo Feminino para destruir uma tribo de
dentro. Não faça concessões para a competência das mulheres dentro da tribo
se você se encontra em uma situação tribal unissex. Até mesmo os militares dos EUA são
culpados de reduzir os requisitos de serviço de combate para mulheres recentemente
como o momento desta escrita. Se você é pai ou se encontra em um
papel de mentor de meninos ou rapazes, é imperativo que você instale
essa atitude de não comprometer neles e nas organizações que eles
criam a si próprios.
A consciência primária da pílula vermelha e princípios do jogo que você aprendeu
com respeito às mulheres são inteiramente aplicáveis em um escopo mais amplo quando
trata de resistir às influências do Imperativo Feminino. Quadro, Armação
controle e um retorno a um Ponto Mental coletivamente exclusivo do sexo masculino de
Origem são dois dos princípios básicos a serem aplicados a não íntimas
aplicações de resistência. Observações objetivas e uma internalização
de perspectiva da pílula vermelha deve informar suas interações com mulheres e
homens em uma escala social.
Minha abordagem para resistir às influências do imperativo feminino em uma
escala de meta social é a mesma abordagem de baixo para cima que eu usaria com
desligar os homens de seu condicionamento Blue Pill. Uma vez que os homens tenham tomado os
primeiros passos na conscientização da pílula vermelha, esta nova perspectiva tende a
expandir para um maior entendimento social e uma necessidade de aplicações que vão
além de ficar com mulheres desejáveis. Conscientizar a pílula vermelha é torna-se em um
modo de vida, mas, além disso, deve informar-nos como homens, como tribos, sobre como

melhor nos mantermos como indivíduos masculinos primários e


organizações.
Individualmente, os homens são competitivos. É parte do nosso instinto de sobrevivência desejar
ganhar. Estudos comprovam que obtemos uma injeção de testosterona quando somos os vencedores
sobre algum adversário ou adversidade - um fato que coincide com a sensibilidade das mulheres
e estímulo para os vencedores. No entanto, também somos cooperativos
em nossas vitórias. Homens se unindo para superar adversidades ou para criar
magníficas realizações da humanidade também são características de
masculinidade convencional.
Como as influências sociais da primazia feminina se espalharam nos últimos 60
anos o esforço para separar e isolar os homens desta convencional
cooperação tornou-se cada vez mais evidente. Não há falta de
blogueiros preocupados lamentando a geração de jovens do "abandono"
que se tornaram tão desprivilegiados da masculinidade convencional que
contentam-se com jogos de vídeo e pornografia online. O que eles falham em
considerar é que esses jovens foram deliberadamente isolados a fim de
conter seus potenciais masculinos. Como resultado, esses jovens não têm
propósito ou esforço exclusivamente masculino para se aplicar. Com falta de
propósito vem a falta de comunicação e envolvimento masculino, e com isso
vem a atrofia de compreender as formas masculinas de interagir com cada
um dos outros

Rituais de passagem
No passado, eu discuti a hesitação dos jovens em se referir a si mesmos
como 'homens' ou até mesmo abraçar o que pode ser considerado uma
Ideia "convencional" de masculinidade. Você provavelmente já me leu usando essa
palavra antes. Eu uso a palavra convencional porque sinto que transmite uma melhor
compreensão de uma expressão naturalizada de masculinidade de uma forma para que os homens
evoluiram. Ocasionalmente, um leitor me pergunta por que não uso o termo
"Tradicional" com respeito à masculinidade, mas não tenho certeza se realmente significa
a mesma coisa.
É fácil pensar na masculinidade em termos de tradição, mas cuja tradição
estamos realmente nos referindo? ‘Masculinidade tradicional’ como um termo assumido
em um significado depreciativo em uma ordem social primária feminina. Tornou-se uma
desses termos que todos devemos entender como sendo
característica de mentalidades retrógradas. É parte da convenção social que
procura ridicularizar, envergonhar e confundir os meninos que mais tarde se tornam homens sobre
o que a masculinidade deve significar para eles. Então, é por essa razão que eu uso a
palavra ‘convencional’. Ele transmite a ideia de que masculinidade em um sentido binário
desenvolveu aspectos que são inerentes e únicos aos homens. Então, enquanto estiver certo
de que as culturas podem ter diferentes tradições e papéis tradicionais para os homens,
há um convencionalismo unificador de masculinidade que se relaciona com todos os homens e
masculinidade em geral.
O feminismo centrismo não gosta dessa ideia. Não gosta da ideia de que
as características ou comportamentos masculinos são propriedade exclusiva dos homens. o
reflexo, então, é pintar qualquer atributo convencionalmente masculino, forma de
pensamento, agressão, paixão ou aspiração como qualquer representante de "tóxico"
prejudicial ou anti-social, ou, dependendo de sua utilidade para garantir o poder,
é lançado como algo "não necessariamente masculino" (ou seja, força), uma vez que algumas
mulheres podem reivindicar essa característica.
Eu esbocei antes como os meninos são ensinados desde muito cedo a flutuar no gênero de sua
masculinidade. É parte do condicionamento do Blue Pill, mas mais ainda, eu
acho que é importante para o Blue Pill ou desconectar os homens adultos para entender a
mecânica e raciocínio por trás do porquê está no Imperativo Feminino

interesses de manter a masculinidade convencional algo ambíguo, arbitrário


ou algo que os homens deveriam ser capazes de definir para si mesmos com fluidez. que
a última parte é importante, porque o que a maioria dos homens de hoje pensa que é a sua
própria definição autogerada de masculinidade que é geralmente fundada no que
o Imperativo Feminino o condicionou a acreditar que é saudável a
corrigir.
Propósitos Latentes
Em uma ordem social que é ostensivamente fundada em um igualismo básico (em
princípio) entre homens e mulheres, temos que ver por que pode ser
necessário para os meninos aprenderem que a masculinidade "tradicional" é tóxica. A
resposta fácil é que decorre de um desejo de controle, mas não tanto nos
termos de convencer os meninos a se tornarem homens que detestarão sua masculinidade.
Lembre-se, existem muitos aspectos da masculinidade convencional que são
convenientemente úteis para promover os interesses das mulheres e da hipergamia - mas
o condicionamento passa a ser o de classificar seletivamente os aspectos úteis
como "saudáveis" e os não úteis como "tóxicos".
A coisa mais importante a se considerar aqui é que, para futuros homens,
O propósito do igualismo (a Aldeia) na educação dos meninos é evitar
de sempre internalizar a ideia de que eles deveriam ser o seu próprio ponto mental
da origem. Isso, eu acho, é uma das questões fundamentais que a maioria dos homens do Blue Pill
lutam com sua própria desconexão; desaprender a profundamente enraizada
ideia de que seu bem-estar deve sempre vir depois do das mulheres.
Um dos livros antigos, tradicionais, da a entender é que os homens, em virtude de
sendo homem, pode esperar um certo grau de autoridade em suas vidas e em suas
famílias. Um homem pode não ser o chefe no trabalho, mas a tradicional
compreensão era que ele poderia esperar ser o chefe da família em sua
própria casa. A primazia feminina, sob os auspícios do igualismo, tem
efetivamente condicionado essa ideia aos homens ao longo das gerações.
Se homens e mulheres forem iguais funcionais em branco, idealmente, haverá
que nunca sejam uma autoridade padrão em um relacionamento intersexual.
De uma perspectiva evolucionária convencional, conhecemos esta linha de base
de que o igualismo não é apenas falso, mas também entendemos que serve como um controle

sobre a natureza masculina em que os homens nascem. Homens e mulheres são diferentes;
cognitivamente, neurologicamente, biologicamente e psicologicamente, mas nossas
presunções femininas socializadas a respeito de como os meninos são criados para ser
os homens que os condicionam deliberadamente a acreditar que somos iguais - ou pelo menos
funcionalmente.

O crime de ser homem


Houve algum retrocesso a isso em nosso despertar da pílula vermelha, e nem tudo
disso é o resultado da manosfera. Conforme a hipergamia se torna mais aberta
e em um maior respeito social, mais homens se conscientizam de seu
condicionamento deliberado para acomodá-lo. O que os homens escolhem fazer com
essa consciência depende deles, mas a resposta do feminino
Imperativo para essa consciência é criminalizar ou tornar "tóxico" o abraço
de masculinidade convencional por parte dos homens. Torna-se um crime de ódio
expressar qualquer atributo convencionalmente masculino, mas, além disso, é um crime de ódio
fomentar esses atributos em meninos / homens.
Este é um perigo potencial para os homens do Blue Pill, pois as expressões de
masculinidade que eles exibem são, por um lado, desejados pelas mulheres, mas também um
risco para sua reputação ou meios de subsistência se essa expressão for ofensiva para
o gênero feminino. Homens conscientes da pílula vermelha podem ter a vantagem de saber
a natureza das mulheres bem o suficiente para mitigar os riscos, mas os homens do Blue Pill serão
preso a um paradigma que os coloca em risco de querer ser convencionalmente
homens masculinos.
Mais uma vez, o objetivo do condicionamento igualista do Blue Pill é impedir que os homens
assumam como seu ponto mental de origem, mas uma vez que um homem
desiludiu-se de colocar o feminino como sua principal preocupação interna
deve haver uma reação oposta, contingente, por parte do Feminino
Imperativo colocá-lo de volta em conformidade. Assim, vemos a
criminalização da masculinidade.
Pedestais
Por algum tempo, tem sido um grampo da manosfera dizer aos caras para tirarem a garota
o pedestal se ele quer ter sucesso com as mulheres. Nós chamamos isso
de pedestalização, mas uma razão dessa dinâmica, colocar uma mulher
em melhor ordem do que você mesmo, é tão difundida entre os homens é devido exatamente a este
condicionamento “igualista”. A internalização é fazer aquela garota, que
mulher, aquela mãe, aquela chefe feminina, a peça central da cabeça de um homem.
Isso se torna quem ele é e é o resultado de uma infância que lhe ensinou
que deve colocar as preocupações das garotas acima das dele em muitos
níveis psicológicos. Ostensivamente, isso é vendido aos homens como sendo "honrado" em
colocar os outros antes de si mesmo, no entanto, o propósito latente de "ser um bom
servo 'foi bastardizado pelo Imperativo Feminino para ser definido como
sendo 'apoiador' das mulheres. E os homens devem apoiar os interesses das mulheres
sob o risco de ser considerado um misógino.
Uma vez que aquele cara se torna ciente da pílula vermelha, não importa quem o desconecta,
ele não apenas remove as meninas do pedestal pessoalmente, mas também em um
âmbito sociológico mais amplo. E esse escopo é o que o Imperativo Feminino
deve empurrar contra.
O condicionamento da pílula azul ensina meninos / homens a lançar dúvidas por conta própria
a masculinidade. O que constitui masculinidade? É uma máscara ou uma performance
que eles colocam? É algo de que se orgulhar, ou algum problema / privilégio de
manter sob controle? Os meninos / homens devem se sentir inseguros ou seguros sobre isso? Essas
são
as ambigüidades consistentes que o Imperativo Feminino deseja investir nas
próximas gerações de homens porque mantém as mulheres no pedestal. Nesse
paradigma social, apenas as mulheres possuem a solução para o problema dos homens de
masculinidade.
Mas a pílula azul também condiciona meninos / homens a nunca presumir que considerar
se como um “homem”. A piada é que os homens nunca são realmente homens, mas
em vez disso, eles se tornam "meninos maiores". Esta é uma convenção social que tenta
manter os homens em um estado juvenil e, assim, garantir que as mulheres sejam as únicas
"Adultas" para fazer o julgamento. Esse ridículo tem por objetivo negar
homens seu status de "masculinidade". Se os homens são meninos perpétuos, eles nunca podem
assumir a "liderança" padrão de ser homem. É um controle de autoridade.
Esta é outra razão pela qual os homens são condicionados a manter as mulheres no pedestal;
apenas as mulheres podem confirmar "masculinidade" de uma posição superior (mental)
na mente daquele homem. Quando uma mulher está no topo do ponto mental de origem de um
homem -
e nem mesmo uma mulher específica, mas o gênero feminino - ela decide e

confere seu status de homem. Portanto, os homens devem ser criados


para internalizar a dúvida de compreender a masculinidade ou convencional
masculinidade.
A luta que os homens enfrentam para chegar à consciência da pílula vermelha é a de
tirar a mulher deste pedestal, mas também doar-se
a permissão para ser um homem. Isso pode parecer meio simplista, mas para um cara
que foi condicionado a colocar as mulheres antes de si em seu próprio ponto mental interior, ter
essas conversas é um desafio muito difícil. Condicionamento de pílula azul
investe uma dúvida em meninos e depois em homens. Eles são condicionados a se autorregular em
muitos níveis, mas geralmente colocam suas próprias preocupações abaixo
das dos outros e principalmente do feminino. Eles são ensinados a se auto-sublimar
por nunca se permitirem ser “homens” no sentido convencional.
Regra de Ferro de Tomassi # 9
Nunca se auto-deprecie em nenhuma circunstância. Este é um beijo da morte que
você se autoinicia e é a antítese da Mentalidade do Prêmio. Depois de
se aceitar e se apresentar como um "idiota completo", não há
como voltar atrás à confiança com uma mulher. Nunca apele para a simpatia de uma mulher
. Suas simpatias são dadas por sua própria vontade, nunca quando
são imploradas - as mulheres desprezam a obrigação de simpatia. Nada mata
excitação como pena. Mesmo que você não se considere seriamente patético,
nunca é útil para você se pintar como patético. AutoDepreciação é uma ferramenta equivocada para
o AFC, e não algo que
até venha a ocorrer a uma mentalidade Alpha.
Uma importante razão pela qual fiz disso uma Regra de Ferro (veja O Homem Racional) foi
porque é quase uma resposta padrão dos homens presumir a validade de
seu próprio ridículo. A resposta reflexiva é, claro, "não tomar
tão a sério "e ter a capacidade de rir de si mesmo quando é
merecido. Está tudo bem e bem, uma necessidade para um senso de identidade saudável, mas
poucos homens percebem que sua facilidade com a autodepreciação é resultado de seu
condicionamento a se considerarem ridículos como homens. O conceito de "Homens" é
associado a “ridículo”.

É muito fácil para os homens conscientes da pílula vermelha perder de vista o que é a pílula azul
que condiciona os homens e como esse condicionamento evoluiu ao longo do curso
de gerações. O propósito latente permanece o mesmo (impedir os homens de
adotar seu próprio ponto de origem mental), mas os métodos e costumes sociais mudam com fluidez
com o que o Imperativo Feminino mais encontra
eficiente para a época. Nos últimos 20 anos, houve uma concentração
de esforço para impedir que os homens decidam por si mesmos sua própria masculinidade.

Remova o Homem
Em 2013, o governador do estado de Washington, Jay Inslee, assinou a final
parcela de um esforço de seis anos para transformar em linguagem as copiosas leis do estado
neutro em relação ao gênero. O patrocinador do projeto, senador Jeannie Kohl-Welles '
o motivo para iniciar o esforço de seis anos foi,
“Isso nos traz aos tempos modernos, aos tempos contemporâneos, por que deveríamos ter
no estatuto, qualquer coisa que possa ser vista como tendenciosa ou estereotipada ou
refletindo alguma discriminação? ”
Assim, palavras como ‘calouros’, ‘bombeiro’, ‘pescador’ e até
‘Caligrafia’ são neutralizados para ‘estudante do primeiro ano’, ‘fogo pessoal’, ‘pescador’
e 'habilidade de escrita'. Talvez a maneira mais fácil de compreender o processo de
comitê usado em seu esforço de seis anos é presumir que qualquer substantivo ou verbo
com as letras sucessivas de ‘m-a-n’ em sua sintaxe foi substituído por
'Pessoa' ou a substituição de um termo que excluiu o ofensivo 'm-a-n'
em cartas.
Este não foi o único esforço para transformar a língua inglesa sob o
disfarce de desejo de evitar repercussões jurídicas. A universidade do norte
Carolina iniciou um esforço semelhante no estatuto da escola. Kent Law,
Marquette e praticamente todas as faculdades estaduais da união, embora não
exigindo a linguagem "sem homem", tem feito esforços para encorajar a linguagem
androginia.
A iniciativa do estado de Washington é realmente apenas a próxima previsível
progressão neste cavalo castrado, no entanto, o esforço de seis anos representa
algo mais endemicamente hostil; o Imperativo Feminino, em sua

insegurança inconsolável, seria uma reengenharia da própria linguagem que a sociedade usa
a fim de se sentir mais seguro.
Certamente, este é o inglês, a segunda língua mais falada
no mundo, mas a fim de apreciar plenamente o escopo do Feminino
Imperativo e até onde ele irá sem obstáculos para amenizar a
necessidade de segurança feminina, um homem da Red Pill tem que reconhecer a importância
que a linguagem representa para a raça humana, bem como a remoção do homem, não
masculino, influência dessa linguagem.
Em todas as línguas latinas, existem associações de gênero com definitivos
artigos. Substantivos (e muitos adjetivos) são especificamente femininos ou
masculino como parte de suas qualidades intrínsecas. Em espanhol 'La Casa', o
casa, é uma associação feminina. ‘El Toro’, o touro, é uma associação macho
. Qualquer pessoa com uma compreensão ainda rudimentar de uma
linguagem entende que há milênios a cultura latina encontrou o gênero
de diferenciação tão importante que anexou associações de gênero as
palavras, escritas e faladas, que representavam as ideias e artigos que cada palavra
significava.
Isso pode parecer uma revisão corretiva da linguagem e da sociedade, mas é
importante entender o que o Imperativo Feminino espera desfazer,
e a magnitude de suas inseguranças. O esforço de seis anos de julgamento de gênero na lei do estado
de Washington é realmente uma ilustração de
até onde o Imperativo Feminino reengenharia a sociedade; a partir de
seus próprios fundamentos da comunicação humana, linguagem, eliminando
associações masculinas com qualquer artigo ou qualidade. O feminino
Imperativo, que depende dos homens serem Homens quando for conveniente,
simultaneamente faz esforços hercúleos para remover os homens de seu idealizado
meio ambiente e sociedade.
“Mas se o pensamento pode corromper a linguagem, a linguagem também pode corromper o
pensamento.
O mau uso pode se espalhar por tradição e imitação, mesmo entre pessoas que
devem e sabem melhor. ” - George Orwell
Seja um homem
Costumava haver um tempo em que algumas culturas tinham um rito de passagem para
masculinidade ou uma passagem para a responsabilidade adulta e respeito masculino. Dentro
de Culturas latinas uma jovem se torna uma mulher aqui quinceñera - em seu
décimo quinto aniversário. Meninos judeus têm um Bar Mitzvah, certas
Tribos nativo americanas tinham tradições semelhantes, etc. Eu acho que se houver uma
reclamação moderna social sobre os homens permanecerem perpetuamente juvenis, esta é a raiz
disso - não respeitamos a masculinidade o suficiente para definir o que é esperado e
quando esse adulto, o respeito masculino é devido.
Muito foi escrito no meu blog e muitos outros sobre o incessante
esforços do feminino para marginalizar e ridicularizar qualquer coisa masculina. Está
fácil de encontrar exemplos consistentes disso nos últimos 50 anos
mídia, filmes, seriados de TV, música, etc. Enquanto a masculinidade é ridicularizada,
há mais do que isso. Não é um simples ridículo masculino, porque o
os mesmos atributos e qualidades masculinas que tornam as mulheres "fortes" são os
mesmo que torna os homens fortes. A diferença está na aplicação - não era
o suficiente para implantar as sementes da dúvida masculina nos homens, o feminino imperativo
tinha que fazer com que os homens, não necessariamente a masculinidade, fossem o problema
resolvido.
Em todos os exemplos de reversão do gênero masculino na cultura popular, os homens
são o problema único, para o qual apenas as mulheres têm os recursos, sabedoria
e intuição para corrigir. Os homens de hoje são caracterizados como Lucy
Ricardos dos anos 50, exigindo orientação das mulheres para evitar, muitas vezes mutuamente
destrutivos, desastres. No entanto, a chave para resolver esses problemas,
caracterizado como exclusivamente masculino, ainda requer mentalidades associadas ao masculino,
habilidades e aplicações.
Homens vs. Homens
Eu estava participando de uma conversa com uma jovem de 26 anos e uma
jovem de 18 anos. A conversa em si não era importante, mas em um ponto
o jovem se referia a si mesmo como um "Homem". Ele disse algo para o
efeito de, "Bem, eu sou um homem, e os homens fazem ..." Com a palavra 'homem', ela o cortou
fora com a risadinha inconsciente que resultou de anos de condicionamento de feminilidade
ridículo. Apenas a menção de um homem que se auto-referencia como um "homem"

é o suficiente para inspirar o ridículo feminino. É ridículo para um homem considerar


ele mesmo um homem.
Essa troca me fez pensar sobre o ponto de viragem em que eu
passei a se auto-referir como um “Homem”. Diante de um constante condicionado
ridículo, é quase um reconhecimento desconfortável se distinguir como
um homem. É muito fácil pensar em você mesmo como um 'cara' e nunca ser assim
presunçoso a ponto de insistir em sua masculinidade. No mundo feminino, afirmar ser
um homem deve aceitar sua própria arrogância - é abraçar uma natureza imperfeita.
É importante notar aqui que, ao abraçar seu status como Homem, em vez de
‘Apenas um cara’, você está passando em um teste de meta-merda. Ao abraçar a auto-referência
de masculinidade, você está rejeitando o que um mundo alinhado contra você gostaria
de você a acreditar em si mesmo. Você está se endossando como Homem com autoconfiança, apesar
da dúvida de que o Imperativo Feminino depende dos homens
acreditarem em si mesmos - masculinidade e o estado duvidoso de masculinidade
como um todo.
Ao referir-se flagrantemente a si mesmo como um Homem, você está passando pela meta-merda
de teste, você está declarando abertamente que é um homem, mas está afirmando secretamente
"I Just Get It."
O homem removido
O Imperativo Feminino percebe sua masculinidade como uma ameaça. Por
endossando a si mesmo como um homem, em algum nível, se você está ciente disso
ou não, você está aludindo que tem uma vaga idéia de seu próprio valor pessoal
como um homem. Você está expressando uma autoconsciência que é atraente e
aterrorizante para as mulheres, mas devido à influência constante da feminina
primazia você é visto como arrogante, egoísta e orgulhoso. Mesmo no
contexto mais inócuo, insistir em seu status como um homem é inerentemente
sexista para um mundo definido pelo Imperativo Feminino.
Mas o feminino precisa de masculinidade. Para garantir sua satisfação (temporária)
de segurança é necessário um elemento masculino. Força, confiança,
determinação, capacidade de correr riscos, domínio e conforto em
segurança que as mulheres derivam naturalmente desses atributos masculinos são

necessidades de uma existência saudável e segura para as mulheres e o feminino.


No entanto, homens brutos, ridículos e estúpidos não podem ser universalmente confiáveis
de fornecer essa segurança masculina que toda mulher aprendeu que ela
merece, independentemente da atratividade ou mérito pelo Imperativo Feminino.
Portanto, os homens devem ser removidos da masculinidade.
Os homens não têm mais o monopólio da masculinidade. Dominador,
“Mulheres Alfa” como um status padrão nas relações heterossexuais empurra
masculinidade em seu domínio. Parceiros masculinos dominantes em Sexualmente
Relacionamentos lésbicos fluidos são similarmente, não ironicamente, re-caracterizados.
Esses são os exemplos fáceis. Volumes foram escritos na Manosfera
sobre como o governo primário feminino assume o masculino
papel de provedor nas relações modernas, liberando assim um já
Hipergamia desimpedida ainda mais, mas o esforço para remover o Homem
vai muito além desta instituição óbvia. A reestruturação fundamental de
referência de gênero em nossa própria linguagem - na forma como devemos nos comunicar
pensamentos apropriados - tentativas de, literalmente, remover o Homem do
equação.
Segurança Masculina
Lembro-me de uma instância em um antigo local de trabalho onde alguns colegas de trabalho
estavam organizando uma equipe para participar de uma caminhada / corrida de conscientização
sobre o câncer de mama. Em
um ponto, um colega de trabalho particularmente ‘mangina’ sugeriu que todos usássemos o
pré-requisito da cor rosa no evento, e nem preciso dizer que cheguei na cor preta
Camiseta entre um mar de rosa. A previsível acusação de minha sexualidade
segurança surgiu: "O que, você não está seguro o suficiente em sua masculinidade para
usa rosa? " ao que eu respondi: "Estou seguro o suficiente em minha masculinidade para não
usar rosa. ”
O que o cara estava repetindo distraidamente é a mesma ferramenta social que é
tem sido usado pelo Imperativo Feminino nos últimos 60 anos; inspirar autodúvida na masculinidade
específica do homem. Fazendo conformidade com o
Imperativo feminino uma qualificação de masculinidade, os homens atribuem o poder de
definir masculinidade para o imperativo feminino. Minha resposta para ele foi
simplesmente retomando o poder de definição em uma estrutura controlada pelo homem -

"Eu vou te dizer o que é a masculinidade, sua compreensão condicionada da masculinidade não
qualifica você para me dizer. ”
Isto poder definir que o masculino não se limita apenas a sarcástica,
referência subconsciente; é simplesmente um aspecto de um esforço maior para
remover os homens da masculinidade. Embora os esforços de certas blogueiras
e psicólogos (dentro e fora da manosfera) para construir melhores
betas parece enobrecer para os Cavaleiros Brancos, o propósito unificador por trás de seus
esforços é realmente um de repartir autoridade masculina para homens como
uma maneira conveniente de satisfazer suas necessidades imediatas para aqueles
aspectos masculinos. Seja Alfa conforme necessário, mas Beta na maior parte, a fim de
permitir a dominância e a primazia feminino-masculina.
Eu já expliquei isso anteriormente como o Macho Catch 22 no meu primeiro livro (O
Honor System), mas é importante entender que este Catch não é algum
infeliz subproduto da herança masculina; é uma cuidadosa, calculada
dinâmica social feminina com o propósito latente de fazer homens
responsáveis pelas responsabilidades masculinas ao mesmo tempo em que faz
envergonhados e culpados do "privilégio masculino" quando essa masculinidade entra em conflito
com os ditames do Imperativo Feminino. Esse é o ponto crucial da
dinâmico, mas a mecânica dele ainda está enraizada em especificamente na dúvida masculina.

Para o imperativo feminino se sustentar, os homens nunca podem ter confiança na sua
masculinidade. Solução: remover os homens de serem os definidores da masculinidade
e distribuir a eles apenas autoridade suficiente para beneficiar o
Imperativo feminino conforme necessário.
Rituais de passagem
Um dos principais elementos para desconectar é mudar de ideia sobre
você mesmo. Este é um dos maiores obstáculos para os caras aceitarem uma Red
Realidade consciente da pílula. Essa abnegação de sua própria "masculinidade", que se torna
uma resistência em abraçar qualquer coisa convencionalmente masculina como sendo
positivo, é um pensamento estranho.

Costumava haver um tempo em que os meninos passavam por algum rito de passagem
e ser considerado um ‘homem’ por sua família e colegas. É importante para os
Pílulas vermelhas masculinas para perceber como esta passagem para um estado de masculinidade
tem sido
deliberadamente confundido ou envergonhado de significado para todos, exceto para a maioria
tradicional das culturas.
A maioria dos ritos de passagem masculinos são pintados como rituais de trote cruéis e bárbaros
em uma sociedade centrada no sexo feminino. Essa é uma conexão popular e fácil de fazer,
mas o que está por trás desse esforço para desqualificar a masculinidade como legítima é um
empurrão
para forçar os homens a obedecerem ao Imperativo Feminino e à primazia feminina.
Eu sugeriria que os homens que estão começando a perceber a pílula vermelha precisam abraçar
ser um “homem”. Os homens da pílula vermelha precisam de algum tipo de rito de passagem. Na
Manosfera às vezes perguntamos sobre quando um cara finalmente entrou em sua
Conscientização da pílula vermelha. Comparamos histórias sobre como éramos quando éramos
ainda vivendo em um paradigma da pílula azul e então que forma de trauma (ou não)
desencadeou a desilusão da Pílula Azul. Discutimos os vários estágios de
pesar por nosso idealismo da pílula azul do passado, o niilismo, a raiva, a descrença,
então a aceitação e o novo entusiasmo de estar ciente da Red Pill e do
potencial que ele propõe.
Mas é preciso haver um rito de passagem para passar desse estado de Pílula Azul
a uma nova consciência da pílula vermelha e parte disso deve ser uma consciência
de reconhecimento de se dar permissão para ser um homem. Isso precisa
fazer parte da mudança de opinião sobre si mesmo à medida que se torna mais consciente da
agência que você tem em um respeito convencionalmente masculino. Você precisa de um batismo
Do tipo; um ponto em que você se diferencia dos homens da Blue Pill e de uma
ordem social primária feminina.
A maioria dos caras (Beta) tem dificuldade em aceitar a autoridade e devido
deferência que ser um homem convencional transmite a ele. Eles estão
desconfortáveis em um nível de personalidade do ego em aceitar este
papel masculino porque vai contra tudo o que é centrado na educação feminina.
No entanto, com essa autoridade vem a responsabilidade. Eu diria que muitos
caras da Blue Pill é reconfortado pelas mentiras do igualismo porque ele acredita que

igualitarismo e as expectativas de que homens e mulheres são funcionais


iguais de alguma forma o isenta de seu fardo exclusivamente masculino de
desempenho. Em algum nível de consciência, até mesmo os homens Beta que são
confortados pelo igualismo, ainda percebem que sua masculinidade só será
merecida e julgada por seu desempenho. E esse desempenho é firme
baseado em testes convencionalmente masculinos.

O segundo conjunto de livros


Uma das pedras angulares da verdade da pílula vermelha reside em homens chegarem a um acordo
com
o que equivale (na maioria dos casos) a meia vida de condicionamento feminino.
É interessante considerar que houve um tempo (pré-revolução sexual)
quando um homem não era de alguma forma socializado e aculturado em sua
educação para dar deferência ao feminino ou para se tornar mais identificadora do feminino. Existem
muitos outros blogueiros da manosfera que vão atrapalhar
em detalhes todas as muitas maneiras pelas quais os meninos são criados e educados para ser o que
um mundo feminino primário gostaria que eles fossem, mas no cerne dele está uma
presunção de que os meninos devem ser criados e condicionados a serem mais semelhantes
a meninas; condicionados desde as suas primeiras memórias a serem melhores provedores de
o que as mulheres acreditam que eventualmente irão querer que eles sejam como "homens" adultos.
Para homens que se conscientizaram desse condicionamento por meio de algum trauma ou
crise pessoal que o levou a buscar respostas para sua condição, chamamos
este período nossos dias de Blue Pill. Eu acho que é importante fazer uma distinção
sobre esta época - se um homem é Alfa ou Beta ou não, não necessariamente
excluí-lo das consequências de um condicionamento da Pílula Azul. Isso não é
dizer que um Homem Alfa mais natural não pode ver o mundo em uma pílula vermelha
perspectiva por seus próprios meios, mas sim que sua feminina primária
educação não necessariamente torna um homem Alfa ou Beta.
Estou fazendo esta distinção porque existe uma escola de pensamento que ser
A Pílula Azul (inconsciente do condicionamento) exige que ele seja mais Beta.
Para ter certeza, o condicionamento primário feminino levaria um menino a um mais
homem flexível feminino - pronto para servir como o bom provedor Beta quando um
o valor de mercado sexual da mulher diminui e ela é menos capaz de competir com
suas competidores sexuais mais jovens.
No entanto, também existem mais Homens Alfa condicionados a serem servos do
Imperativo feminino. Esses homens são alguns dos mais evidentes
Cavaleiros Brancos que você conhecerá e geralmente são os primeiros homens a "defender a
honra ”do feminino e das mulheres para as quais não têm uma consciência real.
O absolutismo binário e uma educação impregnada de feminização contribuem para um

potente senso de justiça própria. Pílula azul Alfas vivem pela oportunidade
para defender tudo o que seu condicionamento lhes ensinou. Para a pílula azul
Alpha, todas as mulheres são vítimas por padrão, todas as mulheres compartilham um mesmo
sofrimento histórico e qualquer homem (competidores sexuais de um Cavaleiro Branco)
críticas ao feminino são simplesmente uma oportunidade de provar seu valor para qualquer
mulher ao alcance da voz, ele acredita que possa encontrar seu zelo pelo feminino
como uma identificação atraente.
O segundo conjunto de livros
Em 15 de junho de 2011, um homem chamado Thomas Ball se incendiou
em frente ao Tribunal Superior de Cheshire em New Hampshire após um
processo de divórcio feio. Antes de seu suicídio, Ball deixou um longo manifesto
delineando sua desilusão com o processo do governo, mas mais
importante, delineou seus olhos sendo abertos para muito mais
aspectos desconfortáveis da consciência da pílula vermelha. Eu encorajo os leitores a olharem
seu último testamento online. Infelizmente, o manifesto de Ball é um pouco longo
para incluir em sua totalidade aqui, mas citarei o ponto operativo aqui:
Qualquer pessoa envolvida nessa confusão legal geralmente fica surpresa com o que vê.
Eles não podem acreditar no que a polícia, promotores e juízes estão fazendo. Isto é
tão descaradamente errado. Bem, posso garantir que tudo o que eles fazem é lógico
e pelo livro. A confusão que você tem com eles é que vocês dois estão usando
diferentes conjuntos de livros. Você está usando o antigo Primeiro Conjunto de Livros - a
Constituição, as leis gerais ou estatutos e a decisão do tribunal em algum momento
de chamar de direito comum. Eles estão usando o segundo conjunto de livros mais recente. Isso é
a coleta da política, procedimentos e protocolos. Depois de saber o que
conjunto de livros que todos estão usando, então tudo o que eles fazem parece lógico e
direito. E não se preocupe em tentar argumentar comigo que não há um segundo
Conjunto de livros. Eu tenho minhas próprias cópias em casa. Ou pelo menos um bom pedaço de
parte importante disso.
Embora eu discorde veementemente de sua decisão de se autoimolar, eu
entendo seu sentimento. Muitos críticos da pílula vermelha tentaram me ligar
para o tapete sobre como um homem pode chegar à conclusão do suicídio ou
assassinato, uma vez que ele foi confrontado com a perda total de todos os seus
e investimentos emocionais na vida:

Mas Rollo, você justificou o assassinato como "lógico", ilustrando que


a insegurança é o principal motivador para a vida desse homem. A decisão pode
ser compreensível em um sentido empático, e ele pode ter visto isso como
lógico na época, mas não há nada de lógico nisso. Você está fazendo
o beta-ismo extremo parece cada vez mais um transtorno mental.
Apenas para registro, eu argumentei no passado que ONEitis, ou uma vida baseada na
a ideia do Mito da Alma Gêmea, por mais extrema que seja, é na verdade um
transtorno.
No entanto, eu não justifiquei nada, assassinato ou suicídio, eu simplesmente
delineei o processo dedutivo que os homens usam ao confrontar a
perda de seu investimento mais importante (ou perceptualmente) na vida. Eles são
convencidos e condicionados a acreditar que as mulheres estão jogando por um conjunto de
regras e respeitará os termos dessas regras; mas só depois de investir no ego
por toda a vida na correção e adequação daquelas
regras eles descobrem que as mulheres estão jogando por outro conjunto de regras. Eles então
me perguntam o quão estúpidos eles poderiam ter sido por terem acreditado nas regras
que eles foram condicionados a esperar que todos obedecessem. Quando os críticos
rotulam os homens da pílula vermelha como caracteristicamente "irritados" ou amargos, esta é a
fonte de
esse sentimento - sua raiva não é dirigida às mulheres, mas sim a eles mesmos
por ter sido tão cego.
Suicídio ou assassinato certamente é um fim dedutivo e pragmático para alguns homens,
mas de forma alguma isso é justificado, nem eu defenderia isso. Thomas Ball, por
toda a sua devida diligência em descobrir os processos feios da americana
indústria do divórcio, foi muito mais útil vivo do que morto em algum
suicídio. Agora, de passagem, ele não era o mártir que provavelmente esperava que fosse
ser, ele é apenas mais uma nota de rodapé. Uma vítima do Imperativo Feminino.
Por tudo isso, Thomas Ball e sua última mensagem à humanidade serve como uma
excelente ilustração de um homem chegando a um acordo com seu próprio condicionamento.
Em sua mensagem, Ball faz uma observação muito importante sobre suas
provações. Ele entende que existem dois conjuntos de livros em vez de
aquele que ele foi levado a acreditar que todos entendiam como "as regras"
que todos deveriam jogar.

Ball estava em grande parte fazendo uma declaração política em seu relato de ir
através do sistema legal e da educação cruel que ele obteve no processo, mas
quando os homens fazem a transição de sua perspectiva confortável da Pílula Azul para a
dura realidade que a pílula vermelha representa, a experiência é muito parecida com Ball
descobrindo que o conjunto de livros (o conjunto de regras) que ele acreditava e todos
estava usando não era assim. Da mesma forma, os homens que foram condicionados desde o
nascimento a
acreditarem que as mulheres estavam usando um conjunto comum de regras - um conjunto onde
certas
as expectativas e a troca mútua foram compreendidas - estavam de fato usando
seu próprio conjunto. Além disso, esses homens "simplesmente não entenderam" que deveriam ter
sabido o tempo todo que as mulheres, assim como o condicionamento de feminização dos homens,
foram fundados em um segundo conjunto de livros.
Em minha estimativa, esse primeiro conjunto de livros - os Livros Antigos - representa o
contrato social de uma época anterior à Revolução Sexual. Era um antigo conjunto de
regras que os homens aprenderam que podiam esperar que as mulheres e outros homens
honra em troca de aceitar um fardo de desempenho que já era uma
extensão dessas regras. O segundo conjunto de livros, o novo conjunto, representa as
regras verdadeiras que um homem está jogando, esteja ele ciente disso ou não. Estas são as
regras pós-revolução sexual que servem ao imperativo feminino e
hipergamia irrestrita; as regras que são extensões da reengenharia social necessária para uma ordem
social primária feminina.
Chegar a um acordo com essa separação de conjuntos de regras é parte integrante de um
o homem que está se desligando e se tornando consciente da pílula vermelha. Homens são esperados
a cumprir o segundo conjunto de livros, embora ainda seja responsabilizado por
as responsabilidades do primeiro conjunto. Grande parte da desilusão dos homens com noções de
Cavalheirismo vem desse serviço a dois senhores. Os antigos contratos sociais
são um anacronismo, mas os homens ainda são ensinados a respeitá-los enquanto estiverem
ao mesmo tempo sendo perseguidos de acordo com o segundo conjunto de livros se pisarem
sobre uma linha da qual eles podem nem estar cientes.
Esta é uma lição difícil para os rapazes aprenderem e depois desiludirem
antes de terem investido seus anos mais produtivos no que
seu condicionamento Blue Pill os convenceu de que podem esperar da vida
e mulheres. No entanto, quando um homem maduro, quem baseia a melhor parte de
sua vida, e investiu seu futuro, na esperança do primeiro conjunto de livros é
desprivilegiado pelo segundo conjunto de livros, isto é, quando todo o patrimônio que ele
´

acreditou que ele havia estabelecido sob o primeiro conjunto de livros não conta para nada.
Literalmente, sua vida (até aquele ponto) não contava para nada. Isto é o
fundamento do que denominei de falácia da equidade relacional em meu primeiro
livro.
Quando um homem se depara com a perspectiva de se reconstruir depois de viver assim
muito sob falsos pretextos, depois de ter tudo o que ele acreditava que estava construindo
até ser uma vida inteira de esforço desperdiçado, ele se depara com duas opções reais;
recriar-se ou destruir-se. Desnecessário dizer estatísticas de suicídio entre
homens (5: 1 sobre mulheres) são uma forte indicação de que a maioria dos homens
(Betas) mais comumente não têm força pessoal para recriar
si mesmos. Thomas Ball, não.
Normalmente, há muita desilusão que vem ao fazer a
transição para a consciência da pílula vermelha. Caras ficam chateados que o que eles veem agora foi
realmente lá o tempo todo, mas não é tanto a dureza de ver Red Pill
dinâmica nas mulheres ou em uma sociedade feminizada se desenrola com tais
previsibilidade, é a perda de investimento que causa a verdadeira sensação de
niilismo.
A razão geral pela qual a maioria dos homens experimentou o que eles chamam de uma justa
raiva, não é direcionado a como o segundo conjunto de livros estava direcionando a sua vida nos
bastidores por tanto tempo, mas era raiva por ter
investido tanto no primeiro conjunto de livros e perderam muito
investimento de longo prazo.
A boa notícia é que você pode se reconstruir. Muito se escreve sobre como
niilista que a pílula vermelha é, mas isso se deve à falta de compreensão de que você
pode recriar-se para o lado positivo com o conhecimento de ambos os conjuntos de
regras. Um tópico comum que vejo surgir com frequência no fórum do Red Pill Reddit
é como a consciência do jogo destruiu completamente a visão de mundo de um cara. eu recebo
isso, eu percebo que é uma compreensão difícil, mas sua depressão é apenas por falta de
entender que eles podem se tornar ainda melhores neste novo entendimento
do que eles estavam em sua ignorância do Blue Pill.
Uma base para internalizar uma nova definição de masculinidade positiva para
você mesmo começa a aceitar a realidade de sua situação. E
isso diz respeito a como esses conjuntos conflitantes de regras influenciaram o

curso de sua vida até este ponto. Reconstruir é uma merda. Eu fiz o suficiente
vezes para sentir exatamente essa sensação de perda em muitos momentos da minha vida.
E quanto mais velho um homem fica, mais grave parecerá a perda. Qualquer sentido de
patrimônio que acreditamos ter merecido deve ser avaliado por nós primeiro, mas esse valor
sempre terá um contexto.
O valor do que fazemos de nós mesmos em um contexto de livros antigos tem que ser
definido e comparado com o que é esse valor em um contexto de segundo livro.
Muito do que acreditávamos seria valioso em nossa existência da Pílula Azul, o
patrimônio que acreditávamos nos aproximar dos objetivos idealistas do Blue Pill, é
esperado ou dado como certo. No entanto, pensamos que é algum tipo de seguro
contra o pior do que aqueles que operam no novo contrato social (se
pode ser chamado assim) que usariam.
Entenda agora que você está vivendo à beira de decidir quais aspectos de
masculinidade convencional são valiosos para você, e ainda assim você deve operar
no conhecimento do segundo conjunto de regras sendo usado ao seu redor. eu uso
esta comparação dos antigos e novos conjuntos de livros em muitos dos meus ensaios, mas
esta é realmente uma conveniência, uma ferramenta, para estabelecer um contraste nas ideias que
estou
explorando. Assim como Alpha, Beta, Red Pill, Blue Pill, etc. o antigo e o novo
conjuntos de livros são resumos para descrever uma ideia de dois estados.
Eu não acho que os homens devam ansiar por algum retorno aos bons velhos tempos - a maioria
dos quais são simplesmente romantizações de tempos que nunca existiram realmente - mas
em vez de aceitar a natureza de como a Pílula Azul nos condiciona, emancipar
a partir dele, e usar o segundo conjunto de livros da melhor maneira
a se obter vantagem. Uma vez que nos tornamos cientes de nosso equívoco em basear nossa
masculinidade nos falsos termos de um contrato social, um conjunto de regras, ninguém é
tocado, então podemos começar a nos direcionar efetivamente para uma
positiva, nova masculinidade convencional.

O equilíbrio da pílula vermelha


Um leitor me bateu com esta pergunta sobre pílula vermelha em meta-escala que se encaixa
muito bem no que propus no Segundo Conjunto de Livros.
Muito do que você disse ecoa meu próprio pensamento a tal ponto que é
como se você lesse minha mente. Eu concordo 100%.
O que você está falando aqui, eu acho, é o valor inerente da bondade ou
justiça. Acho que Platão pegou essa questão na República e acertou em cheio
melhor que a maioria.
No início do diálogo, a pergunta é "o que é justiça?" Mas isso
rapidamente se transforma em "qual é o valor da justiça?" Em outras palavras, se
a bondade não nos dá recompensa, então que valor ela tem? É valioso em
seu próprio direito? Teria valor mesmo que nos custasse algo, ou mesmo
nos custou tudo?
Glauco coloca a questão assim (parafraseando): “E se o perfeitamente
o homem justo é visto por todos como perfeitamente injusto, enquanto o homem perfeitamente
injusto
o homem é visto como perfeitamente justo? " Ele então coloca em Sócrates para efetivamente
provar que, mesmo nesse cenário, a justiça valeria a pena.
Poderíamos definir o gênero dessa questão e simplesmente perguntar "e se o perfeitamente bom
o homem é visto como perfeitamente pouco atraente para as mulheres, enquanto o homem
perfeitamente mau
é visto como perfeitamente atraente? ”
A bondade vale a pena, mesmo que não seja sexualmente ou socialmente lucrativa? É a
mesma questão.
Por que ser um homem 'bom' quando o que consideramos bom tanto pessoal quanto
medidas sociais não são recompensadas (ou apenas relutantemente recompensadas), enquanto o
que
que consideramos "ruim" é o que é entusiasticamente recompensado com mulheres
desejo genuíno e intimidade ? Em outras palavras, a hipergamia não se importa
sobre o que os homens consideram bom ou mau.

Parece que essa é a situação em que a consciência da pílula vermelha nos coloca quando
temos que considerar o valor de nosso antigo eu Beta. O que torna o Beta
o Beta é sua fraqueza, é claro, mas é ao mesmo tempo sua civilidade.
Não somos pessoas defeituosas por querer ou mesmo precisar da possibilidade de
amor, empatia, verdade, amizade, gentileza e - acima de tudo - confiança em nossas
vidas. Isso apenas nos torna humanos. Se projetarmos nossos desejos profundamente enraizados por
essas coisas e tratar os outros da maneira que queremos ser tratados, não seria a sociedade
algo melhor por isso? E não é isso que o suplicante e leal Beta faz
quando se apega a uma mulher que acredita ser "a única?"

Sem Trimestre Dado


Na minha postagem (e no capítulo do livro) Of Love and War, cito um leitor que
resumiu esta necessidade de alívio do fardo inerente dos homens de
Atuação:
Queremos relaxar. Queremos ser abertos e honestos. Queremos ter um cofre
porto em que a luta não tem lugar, onde ganhamos força e descanso
em vez de tê-lo puxado de nós. Queremos deixar de estar em guarda todos os
tempo, e ter a chance de simplesmente estar com alguém que pode entender nosso
humanidade básica, sem rancor. Para parar de lutar, para parar de jogar o
jogo, só por um tempo.
Nós queremos, tanto.
Se o fizermos, em breve não seremos mais capazes.
Quando considero essa perspectiva, começo a ver um paradoxo gritante; desejo dos homens
para um alívio ou uma trégua dessa carga de desempenho que tende a ser sua desfeita. Não vou me
aprofundar muito nisso, mas uma das razões é que vejo o MGTOW
(Homens Seguindo Seu Próprio Caminho) esfera sendo tão sedutora é a esperança
de promessa desse mesmo alívio do desempenho. Simplesmente desista. Recusar a
jogue junto e rejeite o fardo completamente. A cultura do Japão
e a crise dos homens herbívoros é um exemplo gráfico dos efeitos disso a longo prazo.
No entanto, este é o mesmo erro que os homens cometem em sua pílula azul, beta
de condicionamento. Eles acreditam que se encontrarem a garota certa, se eles se alinharem
corretamente com aquele ONE especial, então eles também podem desistir e não se preocupar

sobre sua carga de desempenho - ou relaxe e faça apenas o esforço básico


necessário para manter sua ONE feliz. O Beta compra a publicidade que seu
condicionamento Blue Pill tem apresentado a ele para o resto da vida. Encontre a garota certa
quem te aceita, independente do seu desempenho, e você pode abaixar
sua guarda, seja vulnerável, esqueça qualquer noção das verdades da pílula vermelha porque sua
menina é um espécime especial que não impõe condições ao seu amor, empatia,
aceitação íntima ou desejo genuíno por você.
Isso também é muito sedutor e curativo para o Beta que foi condicionado
acreditar que pode haver uma trégua realista de seu fardo. Meu leitor
continuou:
É assim que parecia funcionar na minha própria vida. Olhando para trás, eu estava tão
grato à minha ex, que era facilmente a garota mais atraente com quem eu já estive,
que eu teria levado um tiro por ela. Eu não queria mais ninguém. Eu não fiz
até mesmo pensar em outras garotas - a primeira vez que isso aconteceu comigo em
um relacionamento. Lembro-me de pensar que mesmo que ela ganhasse peso, perdia
sua aparência, e envelheceu, eu ainda a queria. Eu a teria “amado” para sempre. Eu
estava bom e pronto para ganhar minhas fichas, sair do mercado sexual e
se aposentar. Eu teria organizado minha vida inteira em torno de fazê-la feliz e
teria se sentido sortudo por ter tido o privilégio.
Na época, tudo isso parecia nobre e corajoso, mas olhando para trás agora,
apenas parece patético e patológico; o resultado da minha carência. Mas a
coisa é, e se ela tivesse retribuído? Não teria sido um
relacionamento que vale a pena ter? Se ela tivesse retribuído - se alguma mulher fosse
capaz de retribuir isso - não seria uma merda de filme da Disney,
mas a coisa real. Devemos pensar que tal coisa é possível e
é isso que nos mantém jogando junto. A pílula vermelha é realmente sobre reconhecer
sua impossibilidade, eu acho. Não há equidade possível. Para ter certeza, uma mulher
pode ser leal e dedicado a você, em teoria, mas ela só vai dar essa lealdade
para o cara que menos precisa. É como uma piada cósmica cruel.
Tal como é, aquela menina mentiu para mim, correu para as colinas no momento que eu mostrei
minha fraqueza e mais precisava dela, e me traiu. Grande surpresa, certo?
Com a consciência da pílula vermelha agora posso ver o quão previsível o resultado era,
na época, fui pego de surpresa por ele. Eu nunca vi isso chegando. Eu não poderia
entender como ela poderia fazer tal coisa quando eu investi tanto nela,

quando eu estava tão disposto a dar a ela todas as coisas que eu sempre quis mais. Eu
presumi que ela queria as mesmas coisas - homens e mulheres são iguais, certo?
Isso é o que os igualitários nos dizem. Eu não conseguia entender como essas coisas
poderiam ser tão sem valor para ela que ela simplesmente jogaria tudo fora assim.
Ela não os valorizava de forma alguma.
Ocasionalmente, sugeri que os homens assistissem ao filme Blue Valentine. Vocês
podem verificar o resumo do enredo no IMDB, mas você realmente precisa assistir o
filme (no Netflix) para apreciar o que vou relatar aqui. O principal
personagem sofre do mesmo idealismo romântico e deseja um perfeito,
conceito mutuamente compartilhado de amor entre ele e a mãe solteira que ele
eventualmente se casa.
Segue o mesmo tema familiar de Alpha enquanto single / Beta após
casamento que a maioria dos homens experimenta no que eles acreditam ser o seu destino. Mais
muitas vezes, o Alfa, eles acreditavam em suas esposas ou namoradas LTR
percebidas que eles eram, era apenas um cara que faria por suas necessidades de
qualquer fase de maturidade em que ela se encontrava.
Por si só isso já seria o suficiente para eu endossar o filme, mas a história
ensina uma lição muito mais valiosa. O que Dean (Ryan Gosling) representa
um homem que idealisticamente compra a promessa Blue Pill de que homens e mulheres
compartilham um conceito de amor mútuo, independente de quais sejam suas estratégias sexuais e
disposições inatas que os levam a isso. Por causa dessa descrença, Dean desiste
sobre o peso de seu desempenho. Ele abandona suas ambições e relaxa com
sua alma gêmea, contentando-se com a mediocridade, ambições baixas e sua
crença idealista em uma mulher compartilhando e sustentando seu Blue pill romantizado
Ideal para o amor - em uma palavra, "falta de desempenho".
Ele relaxa, baixa a guarda e se torna o homem vulnerável que era
ensinado desde o nascimento que as mulheres não só desejam, mas exigem para suas
noções falsas e sem desempenho de intimidade mútua. Os homens desta faixa
que não se encontram divorciados de suas esposas progressivamente entediadas
são frequentemente aqueles que trocam suas ambições e paixões por uma vida de
mediocridade e rotina, ... desde que o cobertor de segurança do que eles
acreditam é uma aparência sustentável e passável desse amor (mas não desejo)
existe em suas esposas ou namoradas.

Seu fardo de desempenho é sedado, enquanto suas mulheres estão


razoavelmente confortáveis ou sedativas. Essa falsa sensação de
contentamento é apenas temporário e leva à sua própria ruína ou decadência.
Nenhum trimestre esperado
Desde então, vi algo semelhante acontecer com um amigo não uma, mas duas vezes.
É um livro didático, uma merda padrão.
Cultivar esses aspectos beta não correspondidos do caráter de alguém, se fizéssemos
em uma escala de massa, cria uma sociedade na qual vale a pena viver. É uma sociedade civilizada
onde essas coisas são mais possíveis e é um relacionamento verdadeiramente válido
onde ambas as partes se olham dessa maneira e podem esperar que seja
retribuído. Requer fé e confiança, mas todos nós sabemos melhor. Nossa sobrevivência
depende de conhecer melhor, pós-revolução sexual. Mulheres nunca foram
dignas de tal confiança e elas são totalmente incapazes disso. Elas nunca foram
capazes disso. Devíamos apenas pensar que sim e cultivar os
melhores aspectos de nossa natureza para ser digno deles.
A verdade nua e crua é que as mulheres nunca foram dignas de nós.
A sexualidade das mulheres não recompensa a justiça ou a bondade - se recompensasse,
reciprocidade
seria a norma e nenhum de nós ficaria confuso sobre o capital relacional próprio
. As mulheres recompensam não a bondade, mas a força. E a força é amoral,
o que significa que pode ser justo ou injusto, bom ou mau. O cara com força
pode ser o vilão ou o herói - não faz diferença para as mulheres. Elas
não podem dizer a diferença e, na verdade, não me importo de qualquer maneira.
Existe um conjunto de pílula vermelha que subscreve o que eu chamo de "política da terra queimada.
É muito difícil conciliar a base oportunista de
naturezas hipergâmicas femininas com desejo esperançoso e idealista dos homens por um
amor que é independente de sua carga de desempenho. Então, a ideia é novamente
um de desistir. Eles dizem foda-se, as mulheres só respondem à mais base
egoisticamente individualista, sócio ou psicopata dos homens, então a personalidade
que eles adotam é aquele que martela seu idealismo e exagera sua "escuridão
Traços da tríade além de toda credibilidade. Isso pressupõe que essas características não são alguns
ato que ele adotou para apresentar a aparência.

É quase um abraço vingativo da consciência da pílula vermelha mais dolorosa


apresenta para nós, e novamente eu vejo porque a terra queimada PUA (PUA)
atitude pareceria atraente. As mulheres fazem de fato observavelmente e
previsivelmente, recompensar idiotas e homens Alfa excessivamente dominantes com
desejo genuíno e entusiasmo sexual. Amabilidade e humildade nos homens
foi associado a um preditor negativo de parceiros sexuais.
O problema inerente à aplicação de soluções recíprocas às relações de gênero é
a crença de que essas relações são de alguma forma melhoradas por um equilíbrio
entre os interesses de ambos os sexos. Solução: vire-se com força para a idiota
energia. Uma vez que os homens entendam as regras de envolvimento com as mulheres e
eles conhecem o Game bem o suficiente para capitalizá-lo, por que não capitalizar sobre esse
domínio disso?
Os perigos disso são duplos. Em primeiro lugar, falta sustentabilidade real e
eventualmente se torna uma versão mais sexualizada de MGTOW. Em segundo lugar,
“Acidentes” acontecem. MGTOWs irá nos avisar que qualquer interação com uma
mulher corre o risco de assédio sexual ou falsas alegações de estupro, mas para o
cara de terra arrasada, uma gravidez não planejada por parte de uma mulher
tentar prender o cara que ela tem certeza de ser Alfa é muito mais provável que seja
sua queda de longo prazo. Responsabilidades emocionais e de provisionamento para uma criança
tende a derramar água fria no cara de terra arrasada.
Não seria incorreto dizer que as mulheres são filosoficamente, espiritualmente,
e moralmente atrofiadas. Elas têm uma capacidade limitada de adesão a
ideais e é por isso que elas não sabem ou não se importam com a justiça real ou
bondade. Como disse Schopenhauer, elas "confundem conhecimento com sua
aparência."
Levei muito tempo para ser capaz de aceitar isso. Isso é verdade da inferioridade das mulheres
inferioridade - e as mulheres são profundamente inferiores. E eu não tenho nenhum prazer em
reconhecer isso, como se de alguma forma eu estivesse promovendo a superioridade dos homens da
equipe. Está
horrível, na verdade. Lidar com isso é o fardo final do desempenho para nós
como homens individuais, mas também como sociedade. Em algum ponto, vamos simplesmente
ter que enfrentar a inferioridade moral das mulheres. Se olharmos para nossas instituições,
os mesmos que estão desmoronando agora ao nosso redor, podemos ver que
gerações anteriores de homens já perceberam isso. Nós apenas esquecemos o que
eles sabiam.
Então, qual é a resposta? A justiça é valiosa por si mesma? Todos nós iríamos
provavelmente em algum nível querer ser capaz de dizer sim e argumentar o caso, mas eu
não sei se posso fazer isso de forma convincente.
Eu estou com você nisso, parte de mim pensa "Foda-se. Não pode ser assim. ” Mas
isto é. Eu gostaria de ter a resposta.
Há homens que tentam corrigir a suposição de que os homens sentem algumas
necessidade de serem alguém que eles realmente não são. O imperativo feminino é apenas
muito disposto a explorar essa dúvida, rotulando os homens como posers existenciais
e sua masculinidade convencional é uma "máscara" - uma falsa charada - eles colocam
para esconder a vulnerabilidade real que está por baixo. Infelizmente muitos homens
aceitam isso como evangelho. É parte da educação da Pílula Azul e é um
aspecto essencial de seu "treinamento de sensibilidade" feminino e aversão ao gênero
de condicionamento. Quando a masculinidade é apenas uma máscara, os homens usam a única
a coisa real sobre eles é o que as mulheres reais dizem que deveria ser.
O que não consideramos é a legitimidade de nossa necessidade de força,
independência, estoicismo e, sim, restrição emocional. Que precisa ser
baluarte contra a emocionalidade feminina, que precisa usar roupas psicológicas
a armadura contra as realidades da Red Pill da natureza visceral das mulheres que é legítima
e necessária. Se a vulnerabilidade de um homem é valiosa, é porque sua
exibição é tão atípica de sua impenetrabilidade normal. O desprezo das Mulheres
é palpável para os fracos, vulnerabilidade que elas esperam de menos
crianças-homens - e uma expectativa proporcional dele para apenas conseguir que ele
precise ser forte. As mulheres odeiam ter que explicar aos homens como ser
masculino.
Essa é a inconsistência na natureza hipergâmica das mulheres e na narrativa
da mensagem do Imperativo Feminino. Seja doce, aberto, vulnerável; Está
Tudo bem para chorar, pedir ajuda, ficar doente e enfraquecido, somos todos iguais e
empático - todos os novos livros regras - mas, Man Up, "o que, você precisa de sua
mamãe? ”, diga-se, o idiota é mais sexy que você, cadê a sua autodisciplina? - todas as expectativas
de livros antigos - mas, sua identidade masculina é uma
máscara que você usa para esconder o verdadeiro você, ...
Eu desempenho muitos papéis na vida masculina que levo hoje, e desempenhei muitos outros
no meu passado. Eu sou Rollo Tomassi na manosfera, sou um pai para minha

filha, marido e amante da minha esposa, uma artista brilhante e pragmática


construtor de marcas em meu trabalho, um aventureiro quando estou no meu
snowmobile e um contemplador silencioso da vida e de Deus quando estou pescando. Tudo
desses papéis e outros são tão legítimos quanto eu escolher torná-los. Eu
tenho momentos de incerteza? Eu desisto em minha resolução às vezes?
claro, mas eu não deixo que isso me defina porque eu sei que não existe
força relacionada a isso. E a força é tudo o que importa.
O equilíbrio da pílula vermelha
Conscientizar-se da pílula vermelha é uma bênção e uma maldição. O truque é equilibrar
suas expectativas do Red Pill com seu idealismo anterior do Blue Pill. Não é um
pecado por você querer uma realidade idealista - isso é o que nos diferencia do
oportunismo das mulheres. Você não faz nenhum favor a si mesmo ao matar seu idealista,
senso criativo de admiração do que poderia ser. O truque é reconhecer
esse aspecto do seu eu masculino.
Se os homens não tivessem o heroísmo como um ideal superior, não estaríamos aqui. E se
as mulheres não consideravam a sobrevivência um ideal mais elevado, não estaríamos aqui.
O idealismo dos homens e os conceitos idealistas de amor são naturais
contrapeso ao oportunismo pragmático e enraizado pela hipergamia das mulheres
e conceitos oportunistas de amor e vice-versa. Esses conceitos diferentes
podem ser aplicado de forma muito injusta e cruel, ou muito judiciosa e
com honra, mas eles são a realidade de nossa existência.
Conscientizar a pílula vermelha não é apenas entender a natureza inata das mulheres
e comportamentos, é também entender sua própria natureza masculina e aprender
como ela se encaixa nessa nova consciência e vivendo em um novo paradigma.
É algo como a justiça valiosa por si mesma? Eu diria que sim, mas esse
conceito de justiça deve ser temperado (ou reforçado) em uma compreensão pílula vermelha
do que esperar de mulheres e homens. Conscientização da pílula vermelha
não significa que devemos abandonar nosso idealismo ou aspirações de ordem superior,
e certamente não significa que devemos apenas aceitar nossa sorte nas mulheres
no quadro social por causa disso. Isso significa que precisamos equilibrar esse idealismo em
como uma forma pragmática com as realidades do que a pílula vermelha nos mostra.

Idealismo
Quando Neil Strauss estava escrevendo The Game, havia um interessante
tópico que ele explorou no final do livro. Ele ficou preocupado que
os caras que estavam aprendendo habilidades PUA e experimentando tanto sucesso com
mulheres de um calibre que eles nunca haviam experimentado antes se transformariam no que
ele chamou de “robôs sociais”. A ideia era que, anteriormente, o sem jogo
caras se tornariam autômatos de jogos; articulando os roteiros, atuando
comportamentos e atender a quaisquer comportamentos ou scripts de contra-ordenação de
mulheres com contingências de calibração calculadas e planejadas “se então”.
O medo era que esses robôs sociais "não fossem eles mesmos", eles eram o que
Método Mistéry, Dinâmica Social Real, etc. os estavam programando para serem
e o sucesso relativo que experimentaram apenas reforça essa “robustez”.
Minha experiência com caras deste blog, SoSuave e outros fóruns tem
sido totalmente diferente. A maioria dos homens está em transição para uma pílula vermelha
mentalidade se apega tenazmente ao 'Just Be Yourself e a garota certa vai
vir de 'mentalidade.
Uma forte resistência que os caras têm à consciência da pílula vermelha sempre será
“Fingindo” e mantendo o esforço que eles acreditam ser necessário para perpetuar
algum sucesso nominal com as mulheres. Eles não querem ser indefinidamente
alguém que eles não são. Não é genuíno para eles e eles se sentem menosprezados
por ter que ser um personagem aceitável para a atenção íntima das mulheres ou
eles chegam à conclusão de que é impossível manter 'o ato'
indefinidamente. De qualquer forma, há um ressentimento que decorre da necessidade de
mudar-se para a aceitação de uma mulher - quem eles realmente são, deveria
ser o suficiente para a mulher certa.
Eu escrevi mais do que alguns ensaios sobre esta dinâmica e o processo de
internalizar a consciência e o jogo da pílula vermelha, mas o que quero explorar aqui
é a raiz do idealismo que os homens mantêm e confiam quando se trata de
Jogo não condicionado. Muito do que os homens investem seus egos em relação ao
antigo conjunto de livros está enraizado no idealismo inato dos homens. Na verdade este jogo é
muito do resultado do condicionamento do Imperativo Feminino, mas o
conceito idealista de amor ao qual os homens se agarram é o que faz com que
o condicionamento seja tão eficaz. Assim, a desconexão dos homens torna-se um conflito

entre a convicção do idealismo dos livros antigos e o oportunismo dos livros novos que
serve ao feminino.
Qual é o seu jogo?
Já escrevi antes que todo homem tem um jogo. Não importa quem seja o cara,
não importa qual seja sua cultura ou formação, todo cara tem algum conceito do
o que ele acredita ser o melhor, mais apropriada e mais eficaz forma de
abordar, interagir e progredir para a intimidade com uma mulher. Como
eficaz que "Jogo" é realmente é subjetivo, mas se você perguntasse a qualquer cara,
saber a melhor maneira de conseguir uma namorada, ele vai explicar seu jogo
a vocês.
Os homens com a mentalidade da pílula azul provavelmente repetirão o que seu condicionamento
primário feminino os fez internalizar. Apenas seja você mesmo, trate-a com
respeito, não a objetifique, não tente ser alguém que você não é, serão
algumas das convenções que você obterá de um cara da Blue Pill que ignora
a influência que o Imperativo Feminino teve sobre o que ele acredita ser
suas próprias idéias sobre a melhor forma de chegar à intimidade com uma mulher.
Em sua maioria, suas crenças em sua metodologia são realmente dedutivas
conclusões que ele tirou ao ouvir os conselhos que as mulheres lhe deram
sobre a melhor forma de “tratar uma mulher” se ele quiser ficar com ela. Uma pílula azul
mentalidade é caracterizada pela identificação com o feminino, então ser falso é
igualado a qualquer coisa contrária a essa identificação.
Quando você o disseca, aquele jogo Blue Pill / Beta condicionado que é ditado por
a necessidade de uma avaliação precisa do potencial hipergâmico dos homens para
mulheres. Qualquer coisa que ajude as mulheres a avaliarem a hipergia de um homem
potencial para ela é uma ferramenta para otimizar a hipergamia. A dinâmica da prova social
e pré-seleção são essencialmente atalhos para os usos subconscientes das mulheres
considerarem o valor dos homens para ela. Da mesma forma, a ênfase do Blue Pill Game
coloca na "autenticidade" masculina é um condicionamento feminino que serve muito
o mesmo propósito - melhor avaliação hipergâmica. Se os homens podem ser
condicionados a ser franco sobre quem ser e o que são, se
internalizar um ponto de origem mental que, por padrão, difere para a feminina
primazia, e se puderem ser socialmente esperados, o padrão é completo e honesto
divulgação com as mulheres apenas por serem elas mesmas, isso torna uma
avaliação hipergâmica da mulher dele muito mais eficiente.
É aqui que a maioria dos homens do Blue Pill falha em seu Jogo; quem eles são não é
mistério, sua deferência e respeito são inúteis porque é comum e
imerecido, e quem ele é não é o personagem com o qual ela quer que jogue
com ela. Portanto, mesmo nas melhores circunstâncias da Pílula Azul, um homem ainda está jogando
como quem ele acredita que será aceitável para o feminino. Sua genuinidade é o que
melhor se identifica com o feminino. Blue Pill / Beta Game é realmente um jogo
de versão mais insidiosa da robótica social; o script é internalizado, o ato é quem ele é. Contudo,
é importante considerar que essa autenticidade ainda está enraizada em seu idealismo
conceituado de amor mútuo e recíproco.
O que precisamos considerar aqui é que o Jogo Beta se origina de livros antigos
de idealismo sendo reaproveitado pelo Imperativo Feminino para a sua própria
utilidade. A mensagem para os homens é esta; apegue-se ao seu idealismo, mas apenas
expresse-o de maneiras que sejam úteis em termos de oportunismo hipergâmico.
Tal como acontece com o oportunismo que a hipergamia predispõe as mulheres, os homens
do conceito idealista de amor origina-se de seu desejo por autenticidade e um desejo
para o que poderia ser. Eu sugeriria que o idealismo dos homens é uma extensão natural do
o peso do desempenho. De uma perspectiva Beta, onde as mulheres estão
em seu ponto de origem mental, esse fardo é um jugo injusto; um a ser confirmado
de necessidade e idealmente rejeitado se ele pudesse mudar o jogo. Para o Alfa
que faz de si mesmo seu ponto de origem mental, esse fardo é um desafio para
ser superado e se fortalecer. Em ambos os aspectos, ambos procuram um
resultado idealisticamente melhor do que aquele fardo representa para eles.
Por si só, o idealismo de um homem pode ser uma fonte de força ou o sua maior
fraqueza. E embora o oportunismo hipergâmico irrestrito tenha sido
responsável por muitas das piores atrocidades de mulheres com homens, por si só
a hipergamia é a estrutura na qual a espécie humana evoluiu.
Nem é bom nem mau, mas se torna assim na forma como são considerados e como
eles são aplicados.

O conceito idealista de amor dos homens é um amortecedor contra o conceito oportunista de amor
das mulheres. Quando esse idealismo é expresso a partir de uma mentalidade Beta,
o oportunismo das mulheres o domina e é debilitante. Quando é
expresso a partir de uma mentalidade Alfa, substitui seu oportunismo para o
benefício do relacionamento.
Idealismo condicionado
Se você quiser usar Blue Valentine (o filme) como exemplo novamente, o cara
no relacionamento que abdica de toda autoridade e ambição em favor de sua esposa
oportunista. Ele acredita idealisticamente que "o amor é tudo o que importa" e não tem
ambição maior do que agradá-la e ‘apenas ser ele mesmo’, porque o seu
o condicionamento lhe ensinou que deveria ser o suficiente. Seu condicionamento beta
convenceu seu idealismo de que sua esposa compartilharia desse conceito idealista
de amor, apesar de sua ausência de desempenho. Conseqüentemente, ela o despreza
por isso. Ela é a autoridade de fato no relacionamento e ele desliza para o
papel subdominante (outra criança para cuidar) em vez de seu ambicioso idealismo Alfa
cuidando dela.
Agora, se a mentalidade de um homem é Alfa, o idealismo obstinado e o impulsiona para uma maior
ambição, e priorizar seu conceito de amor como o dominante, e lugares
a si mesmo como seu ponto mental de origem. Quando uma mulher aceita, você pode ver
como isso leva ao modelo convencional de masculinidade. Seu idealismo é
reforçado pela forma como ele a considera e como a aplica - independentemente de seus
interesses diretos da mulher.
O conceito idealista de amor dos homens pode ser a pior debilitação na vida de um homem
quando essa natureza idealista é expressa a partir de uma mentalidade Beta suplicante.
Isso vai esmagá-lo quando esse idealismo gira em torno de uma lista de produtos que ele
idealisticamente espera que uma mulher compartilhe e retribuirá. Isto é
predominantemente como vivenciamos o idealismo em nosso presente
ambiente de primazia social feminizada.
De uma perspectiva Alfa, que o idealismo é uma proteção necessária contra esse
mesmo conceito oportunista feminino de amor que de outra forma rasgaria um
Beta à parte Houve um tempo em que o conceito idealista de amor dos homens era
respeitado acima do conceito oportunista (baseado na hipergamia) de amor.

Segundo o antigo conjunto de livros, quando a atratividade de um homem (se não a excitação) era
com base em sua função de provisionamento principal, seu idealismo de amor definiu a
relação intergênero. Assim, ainda nos apegamos a noções de cavalaria,
romance tradicional, modelos convencionais de hierarquia do amor, etc.
ideais de livros antigos. A principal razão pela qual sempre afirmei que os homens são os
verdadeiros românticos se devem exatamente ao idealismo dos homens, uma vez que se traduz em
seus
conceito de amor.
Houve um tempo em que o conceito de amor idealista dos homens o levou a
conquistas que tiveram mérito social e foram apreciadas.
Shakespeare e os Beatles não seriam os ícones humanistas que são se
que o idealismo não fosse uma força motriz nos homens e na sociedade. Da mesma forma,
o conceito de amor baseado na hipergamia das mulheres, embora cruel em seus extremos,
no entanto, tem sido uma motivação motriz para o amor idealista dos homens, bem como um
filtro para seleção sexual.
Sob o novo conjunto de livros, em uma ordem social centrada no feminino, os pontos fortes
desse idealismo masculino, amor, honra e integridade são feitos para servir ao
propósito do Imperativo Feminino. O amor idealista dos homens torna-se uma
responsabilidade quando ele é condicionado a acreditar que as mulheres compartilham o mesmo
idealismo, em vez de seguir um padrão oportunista.
Os homens acreditam que o amor é importante por causa dele. Mulheres amam
oportunisticamente. O homem consciente da pílula vermelha percebe que os homens são os
“Românticos fingindo ser realistas” e mulheres; vice-versa.
O que temos hoje são gerações de homens condicionados e feminizados por
identificar-se com o feminino. Estas são as gerações de homens que foram
condicionados a internalizar a mentira igualista de que homens e mulheres são iguais
e tudo é relativo.
A partir dessa perspectiva igualista, deve seguir-se que ambos os sexos compartilham
um conceito mútuo de amor - este é o mal-entendido que leva os homens a
esperarem que seu idealismo seja correspondido e, assim, levar à sua exploração
e auto-abuso.
O idealismo de um homem torna-se sua responsabilidade quando ele entra no quadro de uma mulher
de quadro oportunista ainda acreditando que ambos compartilham um conceito mútuo de amor.

Homens e mulheres são diferentes. Ambos os sexos são incentivados a diferir


conceitos de amor por meio de experiências diferenciadas, perspectivas, olhares
e necessidades. Isso não quer dizer que ambos os sexos não possam encontrar uma mútua,
referência simbiótica para o amor entre eles, é que ambos começam
conceitos diferentes. O problema surge quando os homens são condicionados a acreditar
que as mulheres compartilham esse conceito e que as condições e experiências das mulheres são
a única definição válida de amor.
E isso então nos traz de volta ao círculo completo à confusão que os homens experimentam
quando eles tentam equilibrar as expectativas dos velhos livros de amor com o
novos livros, definição primária feminina de amor baseada em seus próprios
conceitos disso. E tudo isso no contexto de um igualismo que nem
reconhece a experiência dos homens como individualizada das mulheres, nem que o amor
pode ser qualquer coisa, menos o que a experiência de uma mulher exige que comece como
e culmina como

Complementaridade
Ao longo dos anos, fiz o meu melhor para explicar as diferenças entre
igualismo e complementaridade em Igualdade e Masculinidade (Preventiva
Medicina) e masculinidade positiva vs. igualdade (o homem racional).
detalhando a dinâmica social e as influências psicológicas que os homens enfrentam em um
headspace igualista tem sido um tema recorrente em muitos dos meus ensaios. Ocasionalmente, eu
fiz comparações contrastantes com a complementaridade,
mas até a série Red Pill Parenting eu não tinha entrado nos detalhes que gostaria
.
Como muitos leitores já mencionaram nas histórias que compartilharam, é
geralmente o pai que empurra seus filhos para um padrão mais elevado de
sucesso. Isso é fundamental para que a criança se torne um adulto de sucesso que
se destaque na sociedade.
Geralmente é a mãe que arrulha e mima seus filhos. Isto é também
necessário, pois é de vital importância que as crianças se sintam amadas e aceitas por
seus pais. Isso mostra a necessidade dos papéis de mães e
pais no desenvolvimento dos filhos. Se uma criança enfrenta apenas críticas, pode
ter efeitos duradouros em sua auto-estima. Se uma criança nunca é criticada, eles
podem nunca crescer e se tornar um adulto.
Os efeitos negativos de muitos mimos são tão generalizados que nós
realmente temos ditados que o ilustram. “Uma ____ que só uma mãe poderia amar”
Para entender a dinâmica da complementaridade primeiro, é importante
considere a teologia por trás do igualitarismo. Eu costumo usar o termo
igualitarismo e igualismo indistintamente, mas faço isso porque os vejo
ambos como derivados da mesma árvore do humanismo em branco. Na primeira
Seção dos pais da pílula vermelha que eu fiz o seguinte caso contra um pai solteiro,
educação de crianças de um único gênero:
A parentalidade deve ser tão colaborativa e complementar de uma parceria
como se reflete na relação complementar entre uma mãe e
pai.

É o cúmulo da supremacia de gênero ser tão arrogantemente autoconfiante como


escolher deliberadamente dar à luz um filho e tentar criá-lo no
ideal inventado do que aquele "pai" acredita que o papel do outro gênero deve
ser.
Isso deve colocar a agenda institucionalizada de engenharia social do
Imperativo feminino em forte contraste para qualquer um que considere intencional
monoparentalidade. Agora considere que os bancos de esperma e específicas
instituições de feminilidade de fertilidade fazem parte da sociedade normalizada há mais de 60 anos
e você pode ver que a hipergamia ditou o curso da paternidade para
algum tempo agora. Esta é a definição de engenharia social.
A ideia de que uma mãe solteira é tão coeficaz quanto um pai deriva da
crença inexorável de que gênero é uma construção social e não física
e a manifestação psicológica do firmware mental evoluído dos humanos.
Embora os fundamentos desta teoria da tábula rasa tenham se originado com John Locke
no século 17 tomaria as teorias anima / animus de Carl Jung
para cimentar o igualismo igualitário na consciência popular no que diz respeito a
relações de gênero.
Tabula Rasa (folha em branco) refere-se à ideia epistemológica de que os indivíduos
nascem sem conteúdo mental embutido e que, portanto, todo o conhecimento
vem da experiência ou percepção. Com o científico e técnico
avanços dos séculos 20 e 21, agora temos uma melhor
compreensão de como os cérebros humanos de homens e mulheres funcionam a partir de uma
perspectiva muito mais avançada do que Jung ou Locke jamais conheceram.
Para ser justo, a pressuposição de Jung era aquela de que os humanos possuem
potenciais para o masculino e feminino (assim, o "entrar em contato com
seu lado feminino ”tropo feminista para homens), mas esses potenciais derivam
de uma base igualitária presumivelmente aceita.
Ainda assim, de uma perspectiva social mais ampla, a cultura ocidental (izante) ainda se apega
aos modelos em branco de Jung inspirados em Locke e outras tabulas rasa
de pensadores antigos.
Por que ? Por que deveria ser assim para toda a nossa maior compreensão de
a biomecânica do corpo humano e suas influências no comportamento que o
o conjunto maior da sociedade persiste na crença de que homens e mulheres possuem

proficiências de gênero co-iguais com base em um desatualizado, e amplamente refutado


Modelo Tabula Rasa?
Eu diria que o modelo mais óbvio e prático de gênero evoluído
diferenças apresenta uma proposição desconfortável de
determinismo para pessoas condicionadas a acreditar que gênero é uma criação, não
natureza, proposição.
Um dos principais elementos que Jung introduziu na consciência cultura popular
é a teoria da anima e do animus; que cada indivíduo,
independentemente do sexo, possui maiores ou menores graus de associação e
comportamento manifesto de afiliações psicológicas masculinas e femininas.
Em 2017, quando você ouvir uma menina de 6 anos dizer a um menino de 6 anos “você precisa
entrar em contato com o seu lado feminino ”para que ele a cumpra
desejos para ele, você pode começar a entender o alcance a que essa ideia
foi internalizada na consciência coletiva da sociedade.
Por tanto tempo e tão completamente esta teoria foi repetida e perpetuada
que mal podemos rastrear suas origens - é simplesmente tomado como fato que
homens e mulheres possuem vários graus de energias de masculinidade e feminilidade
. O feminismo de primeira e segunda onda fundou sua psicológia
de premissas de gênero nas ideias de Jung e, assim, desenvolveram os raciocínios para um empurrão
para a feminização social que conhecemos hoje. As sementes para o femininecentrismo que
consideramos natural hoje foram plantadas por um psiquiatra suíço no
no início de 1900 que realmente queria conquistar suas pacientes.
É importante considerar as individualidades bissexuais de Jung dentro da
pessoa individual no contexto da teoria da Tabula Rasa de Locke porque em
tandem eles constituem a base do igualismo igualitário que o feminismo
e nosso presente condicionamento primário feminino depende. Para a moderna
mente igualitária, desigualdades na dinâmica social, conflitos de gênero e
disparidades econômicas são o resultado de uma intenção deliberada (se não maliciosa)
da parte dos indivíduos para limitar os potenciais presumivelmente "iguais" de
outras. Males sociais são o conflito entre as necessidade egoístas de um contra
as necessidades equalizadas de muitos.
Há muito pouco espaço de manobra dado ao material, inato, mecânica que
compõem a condição do indivíduo. Talento natural, habilidade inata,

predisposições nascidas e vantagens físicas e adaptativas decorrentes de


diferenças evoluídas - seja um benefício ou um fardo - são desqualificadas
ou marginalizadas em uma mentalidade igualitária. O igualitário, embora muito
humanista, apóia-se quase inteiramente no modelo de comportamento aprendido do
desenvolvimento do ser humano
. É a Tabula Rasa, o construtivismo social, e o conteúdo zerado no nascimento do indivíduo é
preenchido pela influência de uma sociedade que é
corrompida por aqueles que não concordam com um imperativo igualitário idealizado.

Complementaridade
No entanto, existe um segundo modelo, o da Complementaridade.
Complementaridade reconhece a importância das diferenças inatas
entre os sexos que o igualitarismo marginaliza ou nega abertamente a existência
ao reconhecer e abraçar os pontos fortes e fracos daquelas
diferenças que representam.
Existem muitos estudos científicos bem documentados, revisados por pares, sobre as
diferenças neurológicas entre a estrutura do cérebro de homens e mulheres.
a evidência mais fácil dessas diferenças é a natureza cíclica das mulheres
sexualidade (versus a sexualidade sempre ativa dos homens) e neurológica / hormonal
influências nas crenças, comportamentos e as racionalizações para esses comportamentos
solicitados pelo impulso inato para otimizar a hipergamia.
As mulheres experimentam emoções negativas de maneira diferente dos homens. O cérebro
masculino
evoluiu para buscar sexo antes da comida. E enquanto nosso foco social feminino
de ordem insiste que, em nome do igualismo, os meninos devem ser forçados a aprender na
a mesma modalidade das meninas, a ciência mostra que os cérebros dos meninos são
fundamentalmente programados para aprender de forma diferente.
No entanto, existem diferenças gritantes na fiação dos cérebros masculino e feminino. Em um
Estudo do cérebro PNAC 2013, mapas de circuitos neurais mostram que, em média
os cérebros das mulheres são altamente conectados entre os hemisférios esquerdo e direito,
em contraste com o cérebro dos homens, onde as conexões eram normalmente mais fortes
entre as regiões anterior e posterior.
Ragini Verma, pesquisador neurológico da Universidade da Pensilvânia,
disse que a maior surpresa foi o quanto as descobertas sustentavam

estereótipos, com os cérebros dos homens aparentemente mais programados para a percepção e
ações coordenadas, e os das mulheres para as habilidades sociais e de memória, tornando-as
melhor equipado para multitarefa.
“Se você olhar para os estudos funcionais, o lado esquerdo do cérebro é mais lógico
pensando, o lado direito do cérebro é para um pensamento mais intuitivo. Então, se houver uma
tarefa que envolve fazer ambas as coisas, parece que as mulheres são
programadas para fazer isso melhor ”, disse Verma. “As mulheres são melhores intuitivas
pensando. As mulheres são melhores em se lembrar das coisas. Quando você fala, mulheres
estão mais emocionalmente envolvidas - elas ouvirão mais. ”
“Fiquei surpreso que correspondia a muitos dos estereótipos que pensamos que
temos em nossas cabeças. Se eu quisesse ir a um chef ou cabeleireiro, eles são
principalmente homens. ”
Ironicamente, em uma ordem social igualitária de gênero neutro, um professor universitário
sugerir publicamente que os homens são mais adeptos do pensamento matemático
ele foi demitido de um longo mandato, mas quando uma pesquisadora sugere, ela é recompensada
com elogios profissionais e dinheiro da concessão.
Como você pode esperar, este estudo se concentra principalmente nas triunfantes
vantagens da estrutura do cérebro feminino, mas os próprios estudos estão
revelando a evidência empírica de que homens e mulheres não são os
iguais funcionais que o igualitarismo insistiria que somos.
As varreduras mostraram uma maior conectividade entre os lados esquerdo e direito do
o cérebro nas mulheres, enquanto as conexões nos homens se limitavam principalmente a
hemisférios individuais. A única região onde os homens tinham mais conexões
entre os lados esquerdo e direito do cérebro estava no cerebelo, que
desempenha um papel vital no controle motor. “Se você quer aprender a esquiar, é o
cerebelo que tem que ser forte ”, disse Verma. Os detalhes do estudo são
publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.
“É impressionante como os cérebros de mulheres e homens são realmente complementares
”, disse Ruben Gur, co-autor do estudo, em um comunicado. "Detalhado
mapas de conexão do cérebro não só nos ajudarão a entender melhor as
diferenças entre como homens e mulheres pensam, mas também nos dará mais

uma visão das raízes dos distúrbios neurológicos, que muitas vezes estão relacionados ao sexo ”.
Essas diferenças neurológicas distintas entre homens e mulheres são
evidências de uma complementaridade intersexual evoluída que se manifestou
na dinâmica pessoal e social das relações intergênero para
milênios. Papéis convencionais de gênero, onde há uma definida
interdependência entre os sexos reflete precisamente os
Pesquisadores de "estereótipos" ficaram tão chocados ao descobrir em homens e mulheres
a fiação neural.
Talentos e déficits
Muitas vezes me perguntam como é o modelo complementar e é tudo muito
fácil não querer cair na armadilha percebida na definição de papéis de gênero para
homens e mulheres como têm sido por séculos antes de nossa era.
Mulheres convencionalmente femininas e homens masculinos são "chocantes"
estereótipos para uma sociedade impregnada e condicionada a aceitar o igualitário
modelo como a norma. O simples fato é que a igualdade só é definida pelas
condições e circunstâncias ambientais que tornam algo igual ou
desigual. É a tarefa, o desafio, apresentado a qualquer sexo que faz
a habilidade inerente uma vantagem ou uma desvantagem.
Homens e mulheres são biologicamente, fisiologicamente, psicologicamente,
hormonalmente e sexualmente diferentes. Isso apresenta uma proposta muito difícil
para uma mentalidade igualitária - homens e mulheres são simplesmente mais adequados,
melhor conectado, melhor habilitado e mais fisicamente capaz de ter sucesso em
diferentes tarefas, diferentes ambientes, diferentes socializações, diferentes
demandas mentais ou emocionais conforme ditado pelas circunstâncias.
Simplesmente evoluímos para uma simbiose entre os sexos; os pontos fortes de um
compensam a fraqueza do outro. Dependendo dos desafios
apresentados, sim, isso significa que na nossa complementaridade as diferenças
entre um homem e uma mulher vão ser desiguais. Muito do gênero
a discórdia que nossa sociedade atual sofre deve-se principalmente à intencionalidade
rejeição desta complementaridade simbiótica evoluída e sua substituição
com a fantasia de uma folha em branco, sem influência, sustentando de forma independente

de igualismo. Do ponto de vista igualitário, os gêneros são considerados


autossustentável e independente, portanto, homens e mulheres simplesmente não precisam
um para o outro. Ou, em uma ordem social primária feminina, os homens se tornam
supérfluos para as mulheres - o principal agente da sociedade.
Embora igualitaristas argumentem que sim, complementaridade não implica em uma
superioridade universal de um gênero sobre o outro. Em vez disso, dependendo da
tarefa em mãos, um sexo estará mais predisposto a realizá-la.
Além disso, isso não quer dizer que as deficiências específicas de gênero de um
o gênero não pode ser superado pela aprendizagem, prática e plasticidade cerebral para
alcançar os mesmos fins - é dizer que os cérebros de homens e mulheres, e as
adaptações específicas de tarefas neles, os predispõem a serem mais capazes
de alcançá-los.
Natureza Luta
Eu descrevi o processo de como o Imperativo Feminino condiciona os homens a
abraçar seus “lados femininos” e criar gerações de Betas prontos.
A maioria dos homens do Blue Pill não consegue se identificar com a especificidade mais masculina
que eu descrevi acima. É importante lembrar que aprender a ser melhor em
especificidade de não gênero em uma tentativa de substituir essa conexão natural de gênero
nem sempre é um esforço voluntário por parte de uma pessoa - especialmente quando
Mamãe e papai igualitários estão sob o condicionamento de sua prole.
Quando vemos o recente esforço social popular para abraçar e aceitar o transexual
o que nos pedem é aceitar um processo de aprendizagem que
revoga a arquitetura neural evoluída de um homem ou mulher, presumindo
que gênero é estritamente uma construção social. A plasticidade do cérebro é uma maravilha da
evolução, mas está sujeito a manipulação externa e as ideologias de
aqueles que estão fazendo a manipulação.
As inclinações naturais podem ser superadas pelo aprendizado. Houve uma crítica
do esforço da educação pública ocidental para forçar os meninos a aprender como as meninas - nós
trate os meninos como se fossem meninas defeituosas. Este é um excelente exemplo não apenas de
um
esforço de engenharia social, mas um esforço em reprogramar meninos para substituir
sua masculinidade neurológica natural. Assim, eles se tornam meninas menos eficazes

porque eles são obrigados a pensar, se emocionar e reagir da maneira que seus cérebros
nunca os predispôs a isso.
Da mesma forma, há um impulso popular para incentivar as meninas a adotarem modalidades
masculinas
de pensar - assim, masculinizando as mulheres. Na esperança de fazer matemática
e os campos da tecnologia, uma sociedade igualitária com maior igualdade de gênero tornará
compensação especial e estabelecer recompensas acadêmicas exclusivas para meninas
que se ensinam a ignorar suas proficiências mentais intrínsecas e
encontrar recompensa intrínseca em adotar as inclinações dos meninos. Sexismo masculino é
sempre o suposto contraponto para o desinteresse natural das mulheres pelas convencionais
inclinações masculinas.
A mentalidade igualitária simplesmente nega as verdades fundamentais que décadas
da psicologia evolutiva, biologia evolutiva e antropológica
de pesquisas indicam sobre nosso estado atual de relações intersexuais. Em então
fazendo, eles rejeitam um modelo complementar natural e abraçam um
ideologicamente igualitário. O erro deles é presumir que evo-psych
necessita de um determinismo biológico e, assim, absolve um indivíduo de
responsabilidade pessoal por seu comportamento. Não, mas fornece um
quadro que descreve com mais precisão o estado mental natural, sexual
estratégias e ambiente social em que os homens se encontram
com mulheres.
Quando você ouve ou lê o tropo de que "as mulheres são tão sexuais quanto os homens"
o que está sendo relacionado a você é fundado na mesma raiz igualitária que
nos ensina a acreditar que “as mulheres são tão boas em paternidade quanto qualquer homem”.
Todos são iguais, mas a sexualidade dos homens parece uma dádiva que as mulheres igualitárias
gostariam de adotar. Assim, se uma tendência convencionalmente masculina parece uma
vantagem, o igualitarismo irá redefinir fluidamente o que é igual e o que não é
de acordo com o que beneficia melhor o Imperativo Feminino - ou pelo menos
perceptivelmente.
Uma razão pela qual o igualitarismo é uma história de capa atraente para o feminismo é
porque seu objetivo principal é nivelar o campo de jogo da competição sexual para
todas as mulheres para otimizar a hipergamia às custas do interesse do próprio sexo masculino
de estratégia. Se tudo for igual, se os impulsos biológicos básicos dos homens forem
reduzidos a uma criminalidade envergonhada ou uma doença, se as mulheres podem esperar que os
homens sejam

despertado por seu valor percebido de sua autovalorização autodefinida, então todos
os déficits materiais e fisiológicos podem ser efetivamente descartados.
Sob o pretexto de igualitarismo, o feminismo afetou o social feminino
domínio por mais de meio século.
Da mesma forma, igualitarismo é atraente para detratores evo-psicológicos porque uma
crença no igualitarismo deve significar que os homens podem escapar de seu fardo de
desempenho.
A presunção é que, se os aspectos mais intrínsecos e efêmeros do pensamento do homem
de ordem superior e valor pessoal são apreciados como
atração, então todas as deficiências em atender sua carga naturalista de
desempenho pode ser rescindido. Jogo, físico, personalidade, status, sucesso,
realização, essencialmente todos os aspectos mais convencionais da masculinidade
que fazem de um homem uma escolha de companheiro atraente são substituídos por seu igual
sistema de fé. E isso é vendido a ele como a nova ordem em que as mulheres
devem achá-lo atraente. Os homens adotam o igualismo porque presumivelmente
o dispensa de ter que atuar para a aceitação íntima de uma mulher.
Complementaridade é a interdependência evoluída entre os sexos é um elemento responsável por
como a raça humana chegou ao ápice
das espécies neste planeta, mas não garante um cronograma de reprodução ideal
para qualquer sexo. Enquanto homens e mulheres estiverem atolados em uma negação de
que evoluíram diferenças psicológicas entre os sexos, sua única alternativa
é abraçar o igualitarismo.
A razão pela qual o feminismo odeia a pílula vermelha - em seu sentido concreto - é porque
prediz com mais precisão o comportamento humano do que feminismo e igualismo
jamais foram capazes de fazer. Um retorno a um verdadeiro modelo de complementaridade para os
sexos é parte da consciência da pílula vermelha. Adotar este modelo é a chave para o Game
e interagir com sucesso com o sexo oposto.

The Red Pill Lens


Um dos resultados de se tornar consciente da Red Pill é uma meta "consciência" mais ampla
da ordem social centrada no feminino em que vivemos hoje. Deste lado do Vermelho
Pílula, e uma maior compreensão da dinâmica intersexual, é quase rotina
para mim agora, para filtrar o que é apresentado a mim na mídia popular, social
doutrina ou até mesmo uma conversa casual através de uma lente Red Pill.
Quer seja o último hit pop de uma música que minha filha está ouvindo
o banheiro, o último filme ou livro, ou apenas ouvir alguém tagarelar
de uma velha tropa da Pílula Azul em uma conversa casual, minha sensibilidade de como
completamente imerso em narrativas centradas no feminino de nossa sociedade (ocidental)
se tornou é opressor.
Alguns caras da manosfera brincaram comigo que ter essa "lente" é como
ter os óculos especiais que permitem que você veja os alienígenas / zumbis e propaganda
no exagerado filme dos anos 80 They Live. Enquanto eu dou risada disso, eu também
tenho que pensar que esses óculos nunca realmente saem. Então, quando o feriado
e a estação chega, esta consciência se manifesta mais para mim, já que estou
geralmente me reencontrando com a família e amigos que são eles mesmos
imersos nesta Matrix e não percebem que estão falando os memes e
foco social de uma ordem centrada no feminino.
Eu acho que é meio irônico que durante as férias devamos travar
conversa com nossos parentes sobre as últimas gerações sociais, políticas ou
diferenças ideológicas, mas todas essas ocorrem em um comum, feminizada
narrativa social. Seu tio pode não concordar com você politicamente, mas ele vai
dar um tapa nas costas enquanto vocês dois bebem uma cerveja e dizem: “Mulheres, hein? Eu
acho que nunca vamos descobrir "e esperamos que você tenha alguns
acordos com ele, apesar dessas diferenças.
Trago isto aqui porque foi devido a esta consciência sazonal da pílula vermelha
que estava mais bem preparado para apreciar o clássico do feriado, é um maravilhoso
A vida da perspectiva da pílula vermelha.

Eu tinha acabado de voltar de uma viagem de trabalho uma semana antes do Natal e minha
filha me informou que o filme estava sendo exibido em nosso
teatro metroplex na véspera de Natal. Claro, eu já tinha visto isso na TV
com todos os comerciais intermitentes, e lembrei-me do quão tedioso eu
pensei que era (é um filme muito longo para 1946), mas ela insistiu e eu
queria fazer algo natalino com a família. Eu nunca assisti
o filme do começo ao fim, e quando eu peguei as cenas na TV durante
a época do Natal, naquela época, foi muito antes de eu tomar qualquer pílula vermelha
de inclinação.
Escusado será dizer que fiquei chocado (agradavelmente) com a forma como a ‘Red Pill’ eu
encontrei. Se você quiser ver o que é uma dinâmica de gênero pré-revolução sexual
tipo, este é o seu filme. Sim, é idílico, mas seu idealismo é fundado em uma
ordem social, uma ordem social de 'livros antigos', que revela o que nossa nova
a ordem social primária feminina é hoje. Mostra o que nos tornamos,
mas, infelizmente, a maior parte de nossa sociedade contemporânea carece de
óculos especiais para realmente apreciar esta distinção.
Algumas cenas notáveis foram:
George Bailey, o taxista Ernie e o policial Bert cobiçam a sexy
Violet Bick depois de flertar com George e simplesmente fluir por uma
rua a ser verificada ainda mais por cada homem na rua. Dentro
de termos modernos, esses homens são todos culpados de assédio sexual, mas em
1928 (o início do filme) e visto de uma perspectiva de 1946 de
dessa vez, não há nada de perturbador nisso. É de rigueur, e ela
gosta da atenção. Se esta cena tivesse sido considerada em nossa era,
assobios seriam nada menos que assédio sexual digno de
protestos contra o filme.
A interação familiar entre George, seu irmão Harry e seu
pai com Ma Bailey antes da festa de formatura de Harry; Há sim
deferência matronal à mãe, mas os dois meninos estão sendo meninos
e não há expectativa de que eles "se acomodem". Os dois irmãos
são naturalmente e sem esforço, arrogantes e engraçados com a empregada e sua
mãe. Esta não é uma atitude forçada, ela sai como positiva
masculinidade e divertido ao mesmo tempo. Além disso, seu pai é o respeitado
chefe da família, tanto em virtude de seu status social e integridade

bem como sua posição como 'pai'. Desnecessário dizer que ele nunca é ridicularizado
como o bufão que ele seria retratado em uma ordem social pós-revolução sexual,
e de fato dispensa uma sabedoria que beneficia George mais tarde na vida.
Após a festa de formatura, George e Mary voltam para casa em um ambiente seco
com roupas que eles conseguiram encontrar depois de terem caído na piscina da escola.
Mary está em um roupão de banho e George em uma roupa de futebol. Este flerte
e a interação é talvez um dos melhores exemplos que posso pensar como uma
forma de ordem antiga de
Jogos. George é arrogante, engraçado, confiante, ambicioso, brincalhão e
mas ainda consciente da percepção de Mary dele enquanto ele entrega sem esforço uma
vibração masculina positiva. Novamente, é idílico, e os homens sendo os verdadeiros
os românticos vão querer acreditar que tal receptividade poderia realmente acontecer
sem qualquer confusão de sinais mistos com uma mulher de qualidade idealizada
de mulher como Maria, mas é a atmosfera e a atitude de esperar
Mary para responder à entrega de George que desmente a era que esta cena e história
fora escrito. Nada parece forçado, e não esperamos que Mary
combinem o jogo masculino de George com um de seus próprios poderes femininos
de formas de jogo. Ela não tenta "superar" George ou provar sua coragem
agindo como um homem, como seria de esperar de um roteiro de Hollywood feminizado
de hoje. Não há intenção de transformar Maria em uma forte independente
Woman® tropo, mas ela exemplifica a força em seu papel como mulher em
deferir a seu homem e uma mãe devotada. Da perspectiva da pílula vermelha, nós
queremos que exista uma garota como Mary, mas você não a encontrará em 2017.
Estas foram apenas algumas cenas que achei que se destacaram, mas este filme é um ensaio em
a estrutura social da velha ordem, muitos defensores bem-intencionados da pílula vermelha
gostariam de acreditar que ainda é uma possibilidade hoje.
Muitas vezes me perguntam se um homem alfa também poderia ser um
fornecedor. Muitas críticas à manosfera são que os homens Alpha estão sendo
pintados como caricaturas de cads, idiotas e jogadores maus que as mulheres querem
bater como parte de seu protocolo de acasalamento hipergâmico. Betas são o oposto
disto; bom para provisionamento apenas - cornos para serem usados como investimentos como pais
com apenas um serviço superficial de sexo e "dever" medíocre como uma
recompensa intermitente para mantê-lo puxando o carrinho. Assim, ‘Provedor Beta’
torna-se um rótulo fácil para esses homens.

Se houver caricaturas de Alfa e Beta sendo desenhadas, sugiro que seja


devido mais às mulheres e seu conforto com um abraço de Open Hypergamy
e os homens modelando dedutivamente suas expectativas de gênero como resultado. que
disse, a crítica não está errada. É totalmente possível para um arquetípico
Alpha Man para ser um membro íntegro da sociedade, sustentar sua família
e ser bem respeitado por seus pares e sua esposa (ou pelas mulheres em sua
vida). O personagem de George Bailey é um exemplo antigo exatamente desse
tipo de homem.
Em nossa era, as mulheres têm uma facilidade sem precedentes para sustentar suas
próprias necessidades de segurança, mas isso não elimina o nível de raiz, necessidade emocional
para otimizar a hipergamia com um homem que é um provedor Alpha. A
a maioria das mulheres simplesmente não espera encontrar essa otimização no mesmo
homem. Existem homens que elas querem foder e homens que eles com querem consolidar
monogamia, e encontrar essa satisfação no mesmo homem é tão raro, então
inesperado e tão inesperado que seu personagem se torna inacreditável.
O George Bailey de 1928 é um personagem incrível em 2017.
Como já ilustrei em muitos ensaios anteriores, Alpha é um estado de espírito, não um
demográfico. Só porque a energia Alfa de um canalha de ordem mais antiga
vai fazer com que ele transa sem tentar não impede uma mulher de ser
despertada e atraída por um arquétipo de George Bailey. O contexto é rei,
Claro, mas o que importa é a mentalidade de Alfa egoísta. O diálogo
entre George e Mary quando eles estão se encontrando pela primeira vez é um livro didático
Pickup artist Cocky & Funny Game, com um Amused natural e não forçada
Maestria da parte de George.
Embora muitos criminosos condenados possuam uma mentalidade Alpha e recebam
os interesses sexuais das mulheres como resultado disso, eu ainda encorajo os homens a usar essa
Energia alfa para um efeito positivo de auto-benefício. É inteiramente possível
direcionar uma energia Alpha de uma maneira pró-social. Nesta época, o natural
o padrão é desempenhar o papel de Sigma, Lone Wolf em relação a como aplicamos
nossa consciência da pílula vermelha. Adotar o papel de anti-herói é fácil quando nós
vejamos como os traços de personalidade eficazes da Tríade das Trevas desencadeiam a excitação e
atração.
Dito isso, eu também diria que uma mentalidade alfa positiva ainda pode ser
eficaz na medida em que um homem é diligente em se manter como seu

ponto de origem.
Então, agora as perguntas que vou fazer a você são o que as observações da pílula vermelha fazem a
você
achar indignável na sociedade contemporânea? Sempre vai ser
perigoso tentar fazer os outros cientes dessa percepção, mas você
tenta mesmo assim?
Você vê exemplos da velha ordem como eu vi em É uma vida maravilhosa?
Compreendendo os idealismos inerentes a ele, que outros exemplos deste antigo
para você saber? Que mídia ou aspectos da cultura popular você vê
de seu antigo condicionamento Blue Pill manifestado ? A música popular é fácil
exemplo, mas você é sensível à maneira mais sutil desta condição
ainda persiste mesmo depois de você se tornar ciente do Red Pill?
Provedores alfa, embora tenham um caráter idealista, podem existir, mas eles são
realista? Eu proponho que incorporar esse papel se tornou um de ser
visto muito facilmente como um Beta pelas mulheres devido à sua inacreditabilidade. Faz
a natureza romântica dos homens que os predispõe a pensar que podem adequadamente
cumprir esse papel? Esse romantismo espera que as mulheres sejam receptivas e
apreciem isso? É essa expectativa baseada em investir no Relacional
Capital próprio?

Mito do 'Good' Guy


Pois sempre que tenho feito minhas melhores tentativas para definir o que acredito
constituir a hipergamia feminina em toda a minha escrita, parece que os críticos de
a pílula vermelha, e mesmo os mais novos e bem-intencionados defensores da pílula vermelha, estão
começando a pensar na hipergamia como um tropo conveniente que
os manosfereanos referem-se a quando querem explicar algumas coisas irritantes
do traço feminino.
Ela está te testando? Deve ser hipergamia. Ela quebrou uma unha? Deve ser
Hipergamia.
Há uma necessidade muito real de entender as coisas em uma solução tão simplista
possível, mas a hipergamia feminina não é uma dinâmica que se presta a uma
definições simples. Uma das razões pelas quais os primeiros proponentes do PUA encontraram
problemas com a legitimação de suas ideias foram devido a tantos de seus "alunos"
buscando respostas fáceis de digerir para resolver seus "problemas femininos". Como eu coloquei
em Dream Girls and Children with Dynamite do primeiro livro, estes
caras queriam a versão de nota de rodapé TL; DR (muito longo; não li) do que
fazer para chegar à bala de prata, fórmula mágica parte da lição para
ou ficar com a garota dos sonhos ou “começar a foder vadias gostosas”.
É exatamente essa mentalidade que agora está causando tanta frustração em
compreender a hipergamia e ver como ela funciona, não apenas nas decisões pessoais individuais
das mulheres, mas como uma força de influência social do
Imperativo feminino. A hipergamia não é uma dinâmica "matemática é difícil", mas
porque requer uma compreensão abrangente (e evolutiva) que parece
como a resposta descartável para os comportamentos e esquemas mentais das mulheres
para homens (geralmente novos na pílula vermelha) sem paciência para realmente investir
se agarrarem a isso.
Eu defini hipergamia tantas vezes em meu blog que se você pesquisar o termo
“Hipergamia” no Google, o blog Rational Male é o segundo retorno
abaixo da definição da Wikipedia. Enquanto eu escrevia meu caminho através do segundo
volume do livro Rational Male, descobri que uma compreensão concisa de
A hipergamia feminina é vital para compreender tanto a social e

dinâmicas psicológicas que resultam disso. Cada técnica PUA, cada


experiência de frustração comum da MGTOW, e todas as tendências sociais de gênero
injustiça que os MRAs se opõem, todos encontram suas raízes na feminino
Hipergamia, a estratégia sexual pluralista das mulheres e o contexto social e legal
de esforços empregados para garantir a máxima primazia social feminina na otimização
Hipergamia.
Looks vs. Character (Game)
Em muitas das postagens do meu blog, o tópico de discussão nas sequências de comentários
eventualmente encontra o seu caminho de volta ao básico de Looks versus Character (ou
Jogo, dependendo da sua perspectiva de como o aprendizado afeta o personagem).
Apenas as discussões sobre o que constitui "Alfa" em um homem são tão
controversas quanto a importância com que as mulheres priorizam a excitação física
em homens.
Em primeiro lugar, é importante entender a parte que a biologia das mulheres
influenciam a hipergamia e como a biologia das mulheres é mais
ou menos o ponto de origem de como conduzem sua estratégia sexual. Para
crítica, vou pedir aos leitores que consultem o primeiro capítulo do meu segundo livro,
Medicina preventiva. Menstruação do seu amigo, mas a base da menstruação das mulheres
o pluralismo sexual é encontrado nas predisposições naturais de atração que
as mulheres experimentam como resultado de uma ovulação (saudável). Também conhecido como
mudança ovulatória.
Em sua fase de ciclo ascendente (proliferativa) de ovulação, as mulheres estão
psicologicamente e comportamentalmente motivado para priorizar a excitação física
com homens mais masculinizados acima de todas as outras considerações de criação. No
ciclo descendente (pós-ovulação, fase lútea), as mulheres são igualmente motivadas a
priorizar conforto, harmonia e segurança de longo prazo para garantir os investimentos como pais
e benefícios de sobrevivência.
O que descrevi aqui, de forma tão breve, é a base de
Deslocamento ovulatório. Existe mais de uma década de experiências
evidências psicológicas e biológicas que apóiam essa teoria. Devido a
influência biológica e psicológica, as mulheres se tornam subliminarmente
predispostas a comportamentos que maximizam as chances de fertilidade com as melhores

oportunidades de reprodução disponíveis e maximizar o melhor potencial por provisionamento de


longo prazo e investimento parental.
Se este comportamento se manifesta em uma preferência por mais masculinizadas
faces masculinas e tipo de corpo, maior ornamentação e menor entonação vocal
para mulheres durante a ovulação, ou uma predisposição para mais conforto,
nutrir e apoiar as características masculinas durante sua fase lútea, o
o resultado final é otimizar a hipergamia e, por fim, a reprodução. De um
ponto de vista evolucionário, esta é a base do dualismo sexual feminino
estratégia eufemisticamente conhecida como Alpha Fucks e Beta Bucks na
manosfera.
Para ler mais sobre o Ovulatory Shift, consulte a pesquisa de Martie Haselton.
Excitação vs. Atração
As mulheres recebem apenas duas quantidades de valor evolutivo dos homens -
benefícios diretos (observados no acasalamento de longo prazo, com implicações para a
sobrevivência da prole), e benefícios genéticos (observados por meio de indicações de
atratividade física em seu companheiro). E uma vez que as fêmeas podem receber benefícios
genéticos
fora de um contrato social monogâmico ou casamento (ou seja, através de
encontros sexuais extra-emparelhados), e não precisam mais depender de parceiros para a
sobrevivência de sua prole, não há pressão para elas se comprometerem
esperando um parceiro de fantasia improvável (de longo prazo).
Este padrão social atual aumenta a variação masculina no sucesso de acasalamento,
porque as escolhas sexuais femininas sempre tendem para a criação de populações de pequenos
machos
estreita gama de fenótipos masculinos), enquanto as "preferências" masculinas
incluem uma ampla gama de variação feminina.
Uma das principais controvérsias deste tipo de agulhas é que,
como descrito, conveniências modernas de empoderamento social feminino (real
ou imaginado) desconta a necessidade de garantias hipergâmicas de longo prazo
de segurança. Não estou tão disposto a aceitar um desprezo geral pelo
aspecto de provisionamento (Beta Bucks) - você não vai reprogramar milênios
de firmware evoluído psicologicamente durante a noite - mas descontando essa
necessidade, as características pelas quais as mulheres procuram um homem

tem exemplificado que a melhor segurança de longo prazo não são enfatizados se não
totalmente desconsiderados.
Se você ler o perfil de namoro online de qualquer mulher, sem dúvida
encontrar alguma variação do que é descrito como o "marcador 483
lista de verificação "dos pré-requisitos declarados que um homem deve possuir para que ela
considerá-lo um candidato viável para sua intimidade. Embora eu não pense lá
que são muitos itens na lista de verificação, você encontrará uma série de qualidades pessoais que
um cara precisa ter para "ser o namorado dela" -
confiante (acima de tudo), bem-humorado, gentil, inteligente, criativo, decidido,
sensível, respeitoso, espiritual, paciente, ..
A questão é que todas essas características que as mulheres listam como sendo
"Atraente" não tem absolutamente nenhuma relação com o quão sexualmente, fisicamente,
'Excitante' uma mulher encontra em um homem. Embora o jogo e a personalidade possam
certamente
acentuar a excitação, todas essas qualidades pessoais esotéricas não têm intrínsecos
Valores de “formigamento da vagina” se um homem não é uma perspectiva de excitação para
começar.
A confusão que a maioria dos homens Beta faz é presumir que o que as mulheres listam
como ser necessariamente "atraente" é o que o torna "excitante". Então quando ele
modela a si mesmo (muitas vezes ao longo da vida) para identificar pessoalmente
com esta lista de pré-requisitos atraentes, ele muitas vezes fica frustrado e
irritado quando todo aquele desenvolvimento pessoal faz pouca diferença
quando uma mulher opta por foder regularmente homens de melhor padrão físico. Está
uma espécie de duplicidade, mas também é uma estratégia de confusão deliberada.
Pode não ser um plano consciente de uma mulher, mas esta confusão deliberada
faz o melhor sentido pragmático para efetuar uma hipergamia otimizada.
Lembre-se de que a hipergamia não é apenas Alpha Fucks, é também Beta Bucks ...
se um pouco atrasada em sua vida para maximizar Alpha Fucks. Então, quando uma
mulher descreve o que ela acha "atraente" em um homem, esta lista incluirá
todas as características dos marcadores acima porque "parecem certas" -
porque a iluminam com a melhor luz, sim, mas também porque sendo assim
preocupada, ela imputa a ideia de que está seguindo o plano "certo" de
procurar um bom homem para ter um futuro e criar filhos. Isso é
a impressão que devemos ter, apesar de todo o comportamento
e evidências que nos dizem as razões reais e evoluídas para esses comportamentos.

Antes e agora
Isso vai soar como se eu estivesse me zoando, mas tenha paciência - eu posso
lembrar de como o sexo sem esforço costumava ser para mim quando eu tinha 20 anos. Eu
fiz sexo ao ar livre, em carros, quartos de hotel, em banheiras de hidromassagem, na sala de vapor de
todas as mulheres da academia (depois do expediente), eu até consegui com uma namorada na
varanda de uma igreja em Los Angeles (novamente após o expediente, ninguém por perto,
apenas por conveniência, garanto-lhe). Principalmente eu não tinha um centavo para o meu
nome, mas eu ainda tinha um das duas companheiras de foda que literalmente viriam
a janela do quarto do meu estúdio para me foder de manhã uma ou duas vezes
em uma semana antes de ir para a faculdade comunitária para a qual eu estava indo.
A questão é que não havia nenhuma pretensão de "atração" ser outra coisa senão
uma garota e eu nos divertindo então. Não havia uma "lista de verificação" de
pré-qualificação para intimidade. A necessidade de provedor que dita uma
a necessidade de consideração de longo prazo nem foi uma reflexão tardia; em outras
palavras, o aspecto Beta Bucks / Character / Integrity da hipergamia que
as mulheres afirmam publicamente que é um obstáculo para a intimidade real foi priorizado agora
abaixo de Alpha Fucks da urgência sexual.
Você pode dizer que esses eram exatamente os tipos de garotas com quem eu estava saindo na
época,
mas cortesia das redes sociais, garanto-lhe, você pensaria que essas mulheres
nunca teriam tido essa capacidade agora. Elas eram todas “tão diferentes
quando elas estavam na faculdade. ”
Não é até depois da Fase de Epifania de uma mulher, mais ou menos na época em que ela
toma conhecimento de seu declínio de SMV e começa a considerar fazer essa
Beta Bucks checklist de qualquer tipo de pré-requisito para sexo e parceria de intimidade
. No entanto, esta epifania não é a revelação repentina das mulheres
que gostariam que os homens acreditassem que é.
Pela minha vida, não me lembro onde li o link, mas estava lendo
um tipo de artigo "Querida Abby" em busca de conselhos de uma jovem (20 anos)
que estava exasperada por encontrar o "cara perfeito" só que ela não conseguia
com ele agora ‘. Suas palavras foram algo como "Ele é tão bom, incrível
personalidade, engraçado, apaixonado por mim, solidário, etc., mas eu gostaria de poder

congelá-lo no tempo para que ele seja o mesmo cara esperando por mim quando eu virar
29 ou 30. ”
Em algum nível de consciência, como a maioria das mulheres, ela conhece os ditames
do que sua própria hipergamia a que está predispondo. Ela sabe que ela vai
eventualmente, precisar daquele cara apaixonado e "perfeito" para viver o aspecto de longo prazo de
sua hipergamia ... depois que ela tiver esgotado seu potencial de curto prazo
potencial de reprodução com homens que melhor incorporam os ditames do Alpha Fucks
sua hipergamia.
Preparação para despertar vs. Preparação para provisionamento
O equilíbrio entre o impulso de procriação de curto prazo das mulheres e necessidades de longo
prazo de
de provisionamento de termos da hipergamia as predispõe a agora fortemente
favorece o lado sexual alfa dessa otimização. Vemos essa realização em
caso contrário, homens de alto status e alto funcionamento hoje. A ênfase em
tornar-se um companheiro atraente não é mais a preocupação dos velhos livros com
status e sucesso, mas homens buscando um físico ideal.
Em Open Hypergamy, defendi o aspecto de uma "ordem antiga" do Beta
provisionamento era um elemento anteriormente "atraente" para mulheres
determinar a adequação a longo prazo com um homem, e que esta velha ordem estava
sendo substituído por outro meio extrínseco de garantir as necessidades de segurança de uma mulher
. Seja por financiamento social ou contratando homens para sustentar
o bem-estar das mulheres por meio de outras convenções sociais (pensão alimentícia, suporte a
criança), o efeito é um desequilíbrio entre a natureza dual das estratégias sexuais das mulheres

No entanto, também sinto que agora vai além do elemento social. Homens são
ainda confusos por um condicionamento feminino que quer "congelá-lo" no tempo
a fim de ser o cara "perfeito" obediente, pronto para ser descongelado e pronto para
servir o Imperativo Feminino na conveniência de uma mulher.
Embora ainda seja conveniente, um homem deve ser condicionado a confundi-lo que
Qualidades de 'atração' são qualidades de 'excitação' para tê-lo pronto para ser
'Perfeito' na hora marcada - e são as mulheres que precisam acreditar
que eles próprios que isso é o que eles acham que deveria ser verdade.

O mito do 'mocinho'
No início de um dos meus primeiros ensaios, Schedules of Mating, eu brevemente
referi ao cara idealmente equilibrado que satisfaria a otimização
de finalidade da hipergamia feminina:
Existem métodos e artifícios sociais que as mulheres usam há séculos
para garantir que os melhores genes masculinos sejam selecionados e protegidos com os melhores
aprovisionamento masculino que ela é capaz de atrair. Idealmente, o melhor homem deveria
exemplificar ambos, mas raramente os dois existem no mesmo homem (particularmente
hoje em dia) no interesse de alcançar seu imperativo biológico, e
incitado por uma necessidade inata de segurança, o feminino como um todo teve que
desenvolver convenções sociais e metodologias (que mudam conforme ela
ambiente e condições pessoais sim) para efetuar isso.
Existe uma dicotomia que existe para os homens a esse respeito, que realmente não tem
paralelo para mulheres.
Estou ciente de alguns escritores (anteriormente Red Pill) que promovem o
arquétipo de um 'cara bom' como um papel para os homens idealmente aspirarem. o
O arquétipo ‘Alpha Cad’ deve necessariamente se tornar a caricatura ‘babaca’
de uma hiper-masculinidade abertamente desagradável (para homens menos capazes de incorporá-
la)
e, no entanto, a caricatura oposta do capacho, suplicativo "pai beta" é
igualmente desagradável e certamente insustentável quando consideramos que
Qualidades "atraentes" nunca são necessariamente qualidades "estimulantes".
Portanto, o arquétipo do 'cara bom' é oferecido como uma espécie de habitável,
ideal comprometido. Se os homens pudessem aspirar a incorporar o melhor do Alfa
e moderar isso com o que eles se definem como o melhor do Beta,
bem, então ele seria o partido "perfeito" para qualquer mulher, é claro.
O problema com esse "cara bom", o melhor dos dois, o mito não é porque
os homens não podem ou não querem tentar equilibrar essas metades para acomodar
hipergamia feminina para eles, mas simplesmente porque as mulheres não querem nem
esperam esse equilíbrio no mesmo homem para começar. Chegamos a um ponto em
nosso ambiente sócio-sexual, onde não apenas as mulheres não precisam, ou precisam
menos, a velha ordem de "bom provedor", eles também compartimentam homens em conjuntos
de Alpha e Beta. O cara que eles querem foder e o cara que eles vêem como
“Material de relacionamento”.
O homem que está à beira de ambas as influências não é crível.
Tudo se resume ao princípio Just Get It para mulheres - qualquer cara que precisa
fazer um esforço preocupado para se tornar o que ele espera que as mulheres vão querer
dele para ser "o cara perfeito", não é isso. Eles querem o senhor perfeito
porque é quem ele já é, sem ter que dizer, sem fazer
um esforço consciente.
Mencionei acima que realmente não há paralelo para isso nas mulheres (o
Não obstante a dicotomia Madonna / Prostituta), mas permita-me apontar
que não há nenhum esforço social paralelo combinado por parte das mulheres em
que as mulheres estimulam umas às outras a se tornarem uma "Boa Garota" para satisfazer
os ideais dos homens. No mínimo, uma resistência hostil oposta a isso é muito
verdade - as mulheres são condicionadas a nunca fazer nada para agradar melhor a um homem.
Sim, eles fazem isso de qualquer maneira, mas isso apesar desse condicionamento.
As mulheres não esperam nem querem um 'cara bom' porque ele não é acreditável,
e sua autenticidade é sempre duvidosa. Isso pode soar cansado, mas jogue fora
qualquer ideia de ser um equilíbrio ‘Good Guy’ de Alfa e Beta, porque
o lado beta do "bom" é tão reforçado e comum nos homens que é
se tornar o modelo padrão para a percepção das mulheres sobre você.
Não existe um ponto médio que seja sustentável, existe apenas o homem cuja
preocupação genuína é primeiro por si mesmo, o homem que prepara e provê
para si mesmo, o homem que mantém Frame ao ponto da arrogância
porque isso é quem ele é e o que ele genuinamente merece. Existe apenas o
O homem que melhora sua situação para seu próprio benefício, e então, por
associação e mérito, o benefício daqueles a quem ama e faz amizade.
Esse é o homem que acabou de entender.
Alfa
Eu fui questionado sobre essa afirmação no passado. A ideia de que o
‘Good Guy’, o cara que é o equilíbrio perfeito entre Alpha Fucks e Beta
Bucks é um mito insustentável que sempre incomoda os caras.

Particularmente os caras que levaram a sério que podem se moldar


neste ideal de fantasia feminina.
Você discorda que a melhor opção para uma mulher é um homem com tanto alfa
e características beta?
Ou seja, não seria um homem com ótimos genes / fisicalidade / confiança como
bem como estabilidade financeira e bondade em ser o “homem perfeito” para uma mulher?
Isso não satisfaria suas estratégias de acasalamento de curto e longo prazo?
Tenho a sensação de que é na ausência de homens com ambas as características que as mulheres
buscam essas qualidades diferentes em homens separados em circunstâncias de curto e longo prazo
.
Este desejo pelo amálgama perfeito de Alfa quente e investimento como pais
Beta é literalmente codificado no cérebro das mulheres e no sistema endócrino.
Do nível mais rudimentar, o conflito que a hipergamia instila
nas mulheres é devido a essa vontade de fundir o Alfa estimulante com o
Beta atraente no mesmo homem. Assim era o pluralismo sexual das mulheres
de estratégia evoluiu.
O problema que confunde a hipergamia é que o Alfa estimulante e o
Beta atraente raramente existe no mesmo homem, ao mesmo tempo, mas também em
o momento mais oportuno para que as mulheres apreciem e aproveitem isso. Por
quero dizer que, à medida que as mulheres passam por seus anos de pico de SMV, elas
colocam prioridades mais altas e maior valor de acasalamento predominantemente em traços Alpha
. Estes são os anos de festa ‘foda-me agora’, e a semente Alpha supera de longe os valores de que
Beta precisa.
Como escrevi em Schedules of Mating, em um nível macro, isso se traduz em uma
forma pró-ativa de traição. Mesmo que não resulte em gravidez, a
urgência latente no pico de uma mulher é "pegar a semente primeiro, encontrar o provedor
mais tarde "(ou seja, corno prolongado).
A fantasia para as mulheres, claro, é "domar o selvagem Alfa" e converter
ele em um parceiro de investimento como pais, encorajando traços Beta nele como
ele amadurece e, com sorte, prospera. Esta é uma fantasia primordial na maioria

literatura romântica; a mulher de outra forma memorável se torna o objeto


de um selvagem Alpha indomado para quem ela é sua única fonte de
civilizando.
Muitas mães solteiras frustradas conhecem o infeliz resultado de
tentar ‘consertar’ seu Bad Boy Alpha em Bom Pai, mas esta
é a ênfase, supondo que uma mulher pare o tempo suficiente para investir em um
Alfa particular durante seus anos de pico. A estratégia básica é manter que
excitação Alfa quente, enquanto o desenvolvia em um Beta mais atraente
provedor enquanto ainda sustenta essa urgência sexual Alpha.
À medida que uma mulher se aproxima da desaceleração de seu SMV, aquela hipergâmica
urgência muda para favorecer os traços de provedor Beta como a perspectiva de longo prazo
e a segurança altera as prioridades de sua hipergamia. Agora, o script muda para
um favorecendo o homem bom, confiável e necessariamente engenhoso com todos
os recursos atraentes de que ela precisa para se comprometer com a segurança de longo prazo. Está
não que ela ainda não se torne excitada pela fisicalidade e carisma de
um macho predominantemente alfa (particularmente em sua proliferação menstrual
fase), mas ela está mais ciente do equilíbrio entre sua capacidade diminuída de
atrair aquele homem (pós-Wall) e a necessidade de se relacionar com um homem que pode
prover para ela e sua prole. As mulheres irão mitigar este desequilíbrio de excitação e atração com
suas próprias formas de pornografia ou auto-inicializadas
racionalizações sobre sua "maturidade mais profunda", mas, em essência, a dúvida de que
Neles, as sementes de hipergamia devem ser controladas por meio da auto-repressão ou do medo da
perda.
Há também a fantasia das mulheres, neste caso, esperar que seus
parceiro predominantemente Beta vai "Man Up", Just Get It por conta própria e
desenvolver traços Alfa mais estimulantes à medida que amadurece. A estratégia básica aqui é
para manter a doce atração do provedor Beta, enquanto o desenvolve em um
Alfa mais excitante conforme suas necessidades exigem.
Beta com um lado alfa
Para aumentar esta confusão, também temos que ter em mente que as mulheres
elas próprios acreditam, ou querem acreditar que este equilíbrio perfeito do homem é
algo dentro da real possibilidade para eles.

Eles querem acreditar que o verdadeiro ‘Manicórnio’ pode existir. Um “beta maior
com batatas fritas "parece algo que pode suprimir a dúvida inata de uma mulher
sobre ela otimizar a hipergamia com um homem.
As mulheres dizem que querem esse equilíbrio, apesar da inacreditável, mas
elas não sabem pelo que estão orando. Mulheres que interminavelmente reclamam
sobre os "homens excessivamente sensíveis" com quem elas se comprometeram provavelmente
desejavam a
mesma coisa uma vez. Na verdade, eu diria que a maioria dos homens casados agora
olhando para a manosfera em busca de uma visão, também acreditou uma vez que eles eram
Betas maiores com um lado do Alpha.
Estas são mulheres em uma fase da vida em que o provedor Beta masculino faz
muito melhor senso prático para formar pares. Em torno de sua fase de epifania,
a definição feminina de atração e "um bom relacionamento" é influenciada pelas
condições pessoais de sua avaliação atual SMP. Ela entende isso
de sua idade, SMV e perspectiva de necessidade, mas isso, sem dúvida, não era
sua perspectiva quando ela estava no auge de seus anos SMV.
Este é então o paradoxo ‘construir um beta melhor’. O ponto principal é
criar um homem mais aceitável para um objetivo feminino definido, não verdadeiramente
capacitar qualquer homem. Não há feminino oposto a isso; não há contador
de esforço para tornar as mulheres mais aceitáveis para os homens - na verdade, isso é ativamente
resistir e lançar como uma forma de subserviência servil. Esta é a extensão da
realidade feminina; é tão instaurante que os homens, com a ajuda de "preocupadas
mulheres ”, passarão vidas buscando maneiras de se qualificarem melhor para
aprovação feminina. Esse é o melhor Beta que eles esperam criar. Aquele que vai
Man-Up e seja o Alfa conforme as situações e o uso garantissem, mas Beta
o suficiente para ser subserviente ao Imperativo Feminino. Eles procuram um homem para
ter orgulho de alguém cuja associação reflete uma declaração de sua própria qualidade,
ainda assim, eles ainda têm controle implícito.
Se seus raciocínios são baseados na moral, direitos ou algum ideal de
sendo "vinculado à honra" por natureza, o resultado final ainda é a primazia feminina. o
discurso de vendas consiste em preparar-se para beneficiar a si mesmo, mas o propósito latente é
de uma melhor qualificação para aceitação feminina normalizada. O que eles
não pode reconciliar é que os mesmos benefícios que são inerentes em se tornar
mais Alpha (no entanto você escolhe definir isso) são as mesmas características que
ameaçam sua necessária posição de subserviência como um Beta.
É precisamente por isso que o jogo ‘real’, e verdadeiramente desconectado, não pode ser
higienizado. Em seu sentido mais verdadeiro, o jogo não pode servir a homens e mulheres. Este
é o elemento social quer mantê-lo conectado; mais Alpha, mais confiança,
mais consciência, é uma ameaça ao fem-centrismo. “É ótimo que todo esse jogo
de coisas finalmente fizeram você se defender, mas lembre-se de quem tem
a vagina. Lembre-se de quem faz as regras. ”
O problema que vejo com as abordagens para equilibrar Alfa com Beta é que
eles começam a partir de uma origem centrada no femimino. Em geral, os homens que procuram
conselhos
sobre como melhorar sua sorte com as mulheres são homens beta que tomaram pílula vermelha
esclarecidos sobre o fato de que eles precisam elevar o Alpha - presumindo que eles tinham
um elemento Alpha para começar.
Mulheres que ainda querem um certo grau de controle simplesmente querem um Beta, que é um
Alfa para a conveniência de uma mulher. Mas não existe um "lado de Alfa".
O conflito que a maioria das mulheres não entende é que Alfa exige domínio,
e isso não se encaixa muito bem com a falsa religião do Imperativo Feminino
de igualismo. Em qualquer relacionamento, um dos parceiros é a personalidade dominante, o
outro o submisso. Até casais homossexuais reconhecem esta ordem, mas
as mulheres e os homens da Matriz feminina resistem a isso com a ilusão de
uma utopia igualitária entre os gêneros.
Então, quando li sobre o desejo de alcançar algum equilíbrio entre Alfa e Beta
e traços no "homem perfeito", eu percebo que esta é uma extensão dessa necessidade feminina
igualista primária por equilíbrio entre os gêneros; que realmente
equivale a mulheres que desejam uma segurança perfeita.
Em sua necessidade de controle (dominância), eles querem hipergamia definitivamente
estabelecida no homem perfeito, para a ocasião perfeita, e em cada estágio de
sua maturação SMV. Homens, simpatizantes da mangina ou não, são
simplesmente os meios para esse fim. Esse fim pode ser com o marido perfeito, ou
por meio de traição ou pornografia feminina (romance ou divórcio),
ou qualquer outra metodologia de pluralismo sexual das mulheres vai ajudá-la a inventar.
Eu já escrevi isso antes, mas vale a pena repetir: para homens que querem mudar
suas vidas e relacionamentos, trabalhar de Beta a Alfa é muito mais difícil
do que moderar o domínio Alpha com um toque personalizado de

Beta. Quantos dos homens afetados, socialmente condicionados e Betatizados que


mulheres fervendo de raiva fariam Alfas críveis, uma vez que tivessem uma
Epifania da pílula vermelha? É justamente por causa desse binário impressionista
solipsismo de que as mulheres nunca ficarão felizes em "consertar" seu Beta. Isto é
por que ele tem que fazer isso sozinho.
É uma proposta muito melhor impressionar uma mulher com um Alfa orgânico
de dominância - Alfa só pode ser a personalidade dominante de origem de um homem.
Não há Beta com um lado de Alfa porque esse lado de Alfa nunca é
crível quando sua percepção geral é de ser Beta, para começar.
É por isso que enfatizo a mentalidade Alpha acima de tudo. É fácil e cativante para
'Revelar' um lampejo de sensibilidade Beta quando uma mulher percebe você como
predominantemente Alpha. Se a sua personalidade é predominantemente Beta, qualquer
flashes esporádicos de Alfa parecerão, na melhor das hipóteses, acessos de raiva emocionais,
falhas de caráter na pior das hipóteses.
As mulheres podem amar o Beta, mas elas apenas respeitam o Alfa.

O homem perfeito
Quando consideramos as influências biológicas e comportamentais das mulheres
da Dinâmica de mudança ovulatória, começamos a ver como isso se manifesta em uma
nível individual e social como hipergamia - ou simplesmente colocado no
vernáculo da Manosfera, Alpha Fucks e Beta Bucks sexual
estratégias das mulheres. Para obter mais informações sobre este tópico, voltarei a sugerir
meu segundo livro The Rational Male, Preventive Medicine em que detalho
isso mais completamente.
Com uma compreensão individual e social de como a hipergamia influencia
mulheres, a solução mais dedutiva para a criação de homens e de longo prazo
de estratégia de relacionamento (presumindo que você vai por esse caminho) é um desejo de
incorporar
ambos os aspectos díspares da estratégia sexual das mulheres. Dedutivamente isso
parece o melhor plano; torne-se o melhor de ambos os lados da hipergamia e
as mulheres vão pensar que você é o cara perfeito, certo? Esta é realmente uma tola
missão, mas é importante que exploremos esta missão tola a fim de
entender melhor porque é assim.
Então, como alguém reconciliaria as duas características ... Existe
algum tipo de equilíbrio entre as características Alfa e Beta? Devemos mostrar Alpha e
Traços beta em diferentes épocas do mês de acordo com a influência de
necessidades de mudança ovulatória das mulheres? Em termos estritos de jogo, bem como em um
casamento ou relacionamento de longo prazo, é sempre uma vantagem calibrar para
a flutuação comportamental de uma mulher por seu ciclo de mudança ovulatória, mesmo que seja
apenas com uma mulher com quem você trabalha. Mas em um escopo mais amplo, a chave
para responder a esta pergunta é encontrada em como as mulheres percebem a atração
versus como eles se sentem quando sexualmente excitados. Eu acho que onde a maioria dos homens
Beta
perdem o rastro é acreditar que a atração Beta é (ou deveria ser)
é sinônimo de excitação alfa. Cada um desses conceitos é representativo de
uma faceta diferente da estratégia sexual pluralista das mulheres - semente alfa, beta
necessidade. Os imperativos sexuais das mulheres podem ser definidos pelo grau em que
sua estratégia de acasalamento de curto prazo pode ser justificada, ou compensada, por sua
estratégia de longo prazo
de acasalamento. E mesmo isso é modificado por suas necessidades mais urgentes
de pode estar nos vários estágios de sua maturidade e como ela os prioriza.
Para as mulheres e para a maioria dos homens conectados, o que estou iluminando aqui
provavelmente
parece um esforço semântico, mas é importante fazer uma separação
entre quais condições e pistas uma mulher é sexualmente excitada e
quais características fazem para sua atração geral por um homem.
Atração não é excitação
As mulheres adoram ser questionadas sobre o que procuram em um homem. É tipo
imaginando o que você fará com todos os seus ganhos na loteria depois de comprar um
quickpick - você quer a mansão e o iate, mas, é claro, você também
dar alguns para a caridade para não parecer que o dinheiro poderia fundamentalmente
transformá-lo em um idiota ganancioso. O cérebro posterior das mulheres entende a
necessidade de racionalizar que seus desejos mais auto-indulgentes precisam ser
temperado com alguma aparência moderada de prudência. Isso é uma espécie de
Meta-scale Anti-Slut Defense. Mas enquanto ASD é um indivíduo privado
com dinâmica, em uma escala pública socializada, isso se traduz em mulheres apresentando
uma percepção de judiciosidade ao explicar o que elas acham "atraente" em um
homem - sem ser sobrecarregado com a percepção de "superficialidade" para
o que elas acham excitante em um homem.
Você também deve considerar que quando as mulheres listam seus pré-requisitos para seus
homem ideal, eles estão abordando esta questão a partir da perspectiva de quem
elas gostariam de formar pares para garantir a segurança de longo prazo e
aprovisionamento - evitando totalmente a estratégia pluralista sexual inato das mulheres
e o que realmente os excita para uma experiência sexual de curto prazo.
É assim que o subconsciente feminino reconcilia Alpha Fucks com Beta
Bucks. Em um nível límbico, as mulheres sabem que há uma dicotomia entre sua
estratégia sexual dualística, portanto, elas optam pela mais socialmente aceitável de
os dois, provisionamento / atração, enquanto seus comportamentos revelam o aspecto visceral
lado da sexualidade / excitação.
Muito do que uma mulher listará como atributos redentores de sua "atração
lista 'são o que os homens da Red Pill descreveriam como traços Beta. Na verdade, a maioria de
essas dicas de atração seriam mais bem expressas quando uma mulher está em sua fase lútea. Nesse
estado de espírito, ela diz que quer conforto e confiança cativante
qualidades - sensibilidade, empatia, familiaridade, humor, charme, elogios,
cuidar, etc. - em outras palavras, os traços Beta que o idiota médio tem

espadas como resultado de sua constante imersão em um foco feminino


de aculturação.
Enquanto um abraço aberto à hipergamia continua em nossas redes sociais atuais
em contexto, as mulheres sempre usarão sinais de atração como sendo fundamentais para
seu processo de seleção sexual porque sabem que, a longo prazo,
precisam de provisionamento por mais tempo do que as oportunidades de criação.
Geração AFC
Um dos temas mais retumbantes da manosfera é que a vasta
maioria dos caras são idiotas Beta. Muitos homens e mulheres fora da
'Esfera eriçada nesta estimativa do Princípio de Pareto (regra 80/20) porque
soa insensível e acusatório - tudo vindo para eles do final de um
apontamento de dedo arrogante do Alfa.
Mas a raiz de sua raiva realmente vem de ser feito para entender que
a massa avassaladora de idiotas frustrados comuns são, na verdade,
resultado da feminização que pensavam beneficiar a humanidade. A ideia
era bastante simples. Vamos nivelar o campo de jogo e jogar pelos padrões das mulheres
para uma mudança, vamos ver o que eles gostariam que os homens fossem, vamos identificar
com o feminino mais e o mundo, claro, será um lugar melhor.
Só que acabou não sendo um lugar melhor. Acontece que as mulheres não sabiam
o que era melhor para os homens com base em suas próprias inadequações (realmente
solipsisticamente indiferente) compreensão da natureza masculina e os resultados
são resumidos em artigos escritos por homens feminizados lamentando a
feminização dos homens. Tudo como um proxy para mulheres reclamando sobre como o
homens feminizados que eles criaram agora são femininos demais para serem atraídos
, muito menos para serem sexualmente desejáveis.
Como você pode ver, o mundo está realmente inundado de homens Beta; e tudo tão bem
condicionado a estar em contato com seus lados femininos que buscam a
orientar a dominação de mulheres masculinizadas (por escolha ou por percepção) para
fazer o fornecimento para eles com uma direção em suas vidas. O jogo beta está morto
no fim (às vezes literalmente), então, sem surpresa, é uma percepção dolorosa para a
a maioria dos homens deve ter isso explicado para eles em termos inequívocos. Em

ao mesmo tempo, vem como uma punição dolorosa para as mulheres que veem o que
tornou-se dos homens que elas criaram - elas tiveram os homens dóceis que mereciam.
More Beta não é uma estratégia sexual
Existem certos blogueiros da femosphere que defendem a construção de um
melhor Beta. Suas presunções são baseadas no mesmo equívoco
de feminização que resultou na maior feminização dos homens que
se queixam. Eles temem um empurrão para o masculino
de domínio alfa que resultará em uma nova geração de idiotas arrogantes,
desprovidos das qualidades Beta estimulantes que eles pensavam que as mulheres poderiam
identificar
com mais, e erroneamente acreditado que deveria ser uma fonte de excitação física
(não necessariamente atração). No entanto, eles simultaneamente lamentam a ausência de
Aspectos alfa dominantes e inspiradores da excitação da masculinidade nos homens de hoje. Nós
podemos continuar e falar sobre como a maioria das mulheres ama as boas características Beta, mas
elas
simplesmente não são atraídas por eles.
Isso encapsula o conflito entre atração e excitação para as mulheres.
Quando as mulheres dizem "elas querem o pacote completo", elas enumeram as
qualidades do que torna o seu melhor provisionamento de longo prazo, no entanto, estes
conflitos com o que excita as mulheres sexualmente. O cara que exemplifica
as melhores características masculinas do Beta não são as mesmas do cara
exemplificando as melhores pistas de excitação Alpha. Esta é precisamente a duplicidade
que homens experimentam quando as mulheres os induzem a acreditar que Beta
características de provisionamento são equiparáveis às pistas de excitação Alpha. Este é a 'justa
entendida 'parte da dinâmica intersexual que as mulheres esperam que os homens cheguem, ainda
eles continuam a enganar os homens porque seu solipsismo inato presume que os homens
já deveriam saber isso sobre as mulheres.
Uma estadia em casa que o pai pode ter se convencido de que está mais realizado
em seu novo papel de mãe, mas ele está gravemente errado em se convencer
que as mulheres acham que seus esforços paternos são sexualmente estimulantes. Eles podem
encontrar
atraente no sentido de "pacote completo", mas, em última análise, a hipergamia não
importa o quão grande pai você é.
Durante a maior parte dos últimos 70 anos, os homens foram condicionados a pensar
que mais Beta é igual a mais xoxota, e os resultados desse experimento social

agora se manifestam nos patéticos homens feminizados e as próprias mulheres


reclamam. O maior problema que as mulheres enfrentam agora é aceitar a
genuinidade de uma transformação Alfa de tantos homens.
As mulheres adoram o conceito de moderar o babaca dominante Alpha. É uma
fantasia de romance comum para mulheres ser o único calmante
influência sobre o idiota rebelde que molha sua calcinha com sua excitação. Está
autoafirmação para as mulheres pensarem que seu super-herói Alfa só iria aparecer
seu lado Beta para ela. Infelizmente, o reverso desta situação é a realidade
- a grande maioria dos homens deve lutar uma batalha difícil desde as origens Beta até
a Transformação alfa. É a consciência do jogo e da pílula vermelha que ajuda a aumentar
o Alpha, mas para mulheres condicionadas a esperar fragilidade masculina Beta de
homens, para mulheres cujas vidas foram definidas pela submissão masculina,
essa transformação em grande parte continuará a parecer insincera.
As mulheres preferem compartilhar um homem de alto valor do que ser confiadas a um fiel
fracassado. O caminho mais fácil para as mulheres é abandonar o homem Beta principalmente em
favor
de resistir e domar um excitante, principalmente o homem Alfa.
Sr. perfeito
Alguns caras me perguntaram por que uma mulher ficaria com um cara que ela sabe que é um
idiota? Como é que as mulheres vão ficar com os seus namorados / maridos
independentemente de quão Beta eles sejam. Haverá aqueles caras que vão dizer que elas
fique com esses homens pelo dinheiro, ou fique com eles para garantir segurança financeira.
Eles dirão: "vamos lá, todos nós sabemos que as mulheres geralmente só dão suas
intimidades para homens que têm seu jogo bem definido e se encaixam no perfil -
não importa o quanto eles ganham. Sabemos que você não precisa fazer muito
de dinheiro para transar ou para desenvolver relacionamento com uma mulher. tem
muitos caras que tiveram merda por recursos e desenvolvem a longo prazo
relacionamentos com mulheres gostosas. Então, como esses homens, em sua maioria Beta,
conseguem com
essas mulheres em primeiro lugar se elas são Betas para começar?
Por que uma mulher ficaria com um cara que ela reconhece como um Beta geral?
Muitas razões, na verdade, mas existem alguns pontos em comum. Primeiro, há
o cara que já foi o idiota, que era atraente o suficiente, ou atuavam
o papel bem o suficiente, para se envolver com uma mulher que com sucesso

“Mudou” ele. E em um esforço para se identificar melhor com o que ela é,


convenceu ele (e ela mesma) de que ele deveria estar vivendo de acordo, ele reverte para
sendo o Beta, ele sempre esteve no relacionamento. Ela não pode reclamar
porque ele mudou para o que ela pensava que deveria querer em um
cara, mas ele se tornou o tipo de cara por quem ela nunca se sentiu atraída
se ela o conhecesse enquanto solteira. Então ela fica com ele até o
ponto que ela conhece outro idiota com quem ela quer foder e, eventualmente,
‘Conserta’ ele também.
Em segundo lugar, não podemos esquecer que alguns dos mais ricos e fisicamente
homens atraentes também são os piores casos de condicionamento da pílula azul
que você vai conhecer. Eu percebo que parece estranho, mas o homem rico e o
o homem atraente tem pouco que o leve a repensar seus próprios comportamentos.
Porque eles são mais prontamente recompensados com a intimidade feminina, há menos
razão para questionar a estrutura das relações intergênero, e / ou suas
próprias predisposições e condicionamentos que os tornariam Beta.
Certa vez, trabalhei com um cara chamado Jake, que era bonito como modelo.
Ele não tinha problemas em atrair mulheres, e a maioria regularmente
aproximava dele, mas Jake era provavelmente a pior ferramenta de pílula azul que já conheci.
Ele costumava reclamar que não conseguia uma namorada ou ficar com uma garota
interessada nele, embora ele estivesse tocando mulheres bonitas e todas as outras
final de semana. Uma vez que ele abriu a boca e contou sua história de vida sobre a
mesa do restaurante no primeiro encontro essas garotas iriam tratá-lo com pena e
gradualmente desaparecem de perto dele. Ele literalmente tinha ONEitis por qualquer garota que ele
namorava na época e engoliu anzol, linha e chumbada da mitologia da alma gêmea
. Ele tentou ser amigo, tentou ser sensível, tentou ser engraçado,
tentou ser um salvador e todas as outras técnicas do livro de jogo beta, mas
tudo o que isso fez foi afastar essas mulheres dele. Elas gostaram de ser
fodidas pelo cara, mas quando ele ligou as casquinhas de sorvete e cachorrinho,
mentalidade de cadela carinhosa, elas mudaram para outros caras.
Em outras palavras, os homens Beta não são todos idiotas e nerds, e ser atraentes
não o isenta de internalizar romantismos estúpidos e feminizados.
Caras Bonzinhos podem terminar por último, mas isso não significa que eles não terminem, e
alguns conseguem transar ocasionalmente ao longo do caminho.

Sr. perfeito
O problema com caras como Jake é que eles se esforçam para se adequar a um modelo feminino
idealização. Eles querem ser 'perfeitos' para ela. Mas o Sr. Perfeito não é nem
realista ou esperado. Uma pesquisa do Telegraph em 2015 mostrou que três em cada quatro
mulheres acreditam que não existe homem perfeito, com a maioria vendo
seu próprio parceiro de longo prazo como apenas 69% perfeito. A votação de 2.000 mulheres
também mostrou que mais de 75% acreditavam que o homem perfeito não existia. Mulheres
são bastante realistas sobre o que procuram em seu parceiro.
“Embora elas possam facilmente ignorar algumas falhas comuns de seus colegas,
existem certos comportamentos dos quais os homens simplesmente não se safam. ” Os resultados
mostraram que uma em cada cinco mulheres acha que seu parceiro apenas finge ouvi-las
enquanto deixava roupas no chão do quarto e roncava estavam entre outras
queixas. Espera-se que o homem perfeito faça um esforço com sua
amigos do parceiro, evite usar sua escova de dentes, fique bem barbeado e não seja
preguiçoso. Perfeito é chato.
Diga isso de novo, Perfeito é chato. Parece contra-intuitivo, mas é a sua
imperfeição que o torna atraente. Há um ambiente implícito
de confiança que é irradiada de um Homem que sabe o que uma mulher afirma
de ideal de perfeição que seria, mas se recusa a incorporá-lo para ela. que
mensagem subjacente para ela é "Eu sei que você odeia ter o assento do vaso aberto,
mas estou supremamente confiante o suficiente na sua atração, e na atração de outras mulheres
, para mim que vou ignorar suas irritações tolas de estimação, em vez de ceder a
elas." É o cara que se engaja nessa promoção tentando ser um
o ideal declarado de uma mulher que envia a mensagem de que ele realmente não tem opções. Este
é essencialmente um teste de meta-merda que falhou. Diz a ela que ele estará disposto
e participante em sua própria manipulação.
Como já escrevi em muitos ensaios, as mulheres nunca irão substantivamente
apreciar os esforços que um homem faz para facilitar sua realidade. Uma realidade femininecêntrica
significa que qualquer tentativa estranha que ele faça para apaziguá-la
será interpretado como o novo normativo. É apenas esperado que ele a faça
licitação, porque isso é apenas o que os caras devem fazer. No entanto, é o homem
que se recusa, conscientemente ou naturalmente, a tentar
para apaziguar é aquele que mais chama a atenção das mulheres. Se houver um

o traço alfa categórico é apenas esse esquecimento dos desejos de uma norma femininecêntrica.
O Sr. Perfeito não ganha pontos extras por ser perfeito porque os aspectos de
que “perfeição” é a norma esperada. É chato porque é mundano.
O problema de uma norma feminizada é que ela cria semelhanças femininas
entre os gêneros e o estado ideal.
Androginia é homogenia. Ignora, intencionalmente ou não, que
a biomecânica desenvolveu uma apreciação pelas diferenças no
sexos sejam atrativos principalmente uns para os outros. Quanto mais nos tornamos
- homens se tornando femininos, mulheres se tornando masculinas - mais perdemos
essa atração inata. Isso vale para os aspectos que amamos e odiamos
no outro gênero.
Ao desafiar essa atração inata e fazer tentativas de socializá-la para
melhor adequar a sensibilidade feminina, ralamos contra o que é realmente
característica de cada gênero. No mundo natural, os homens serão homens e
apesar dos protestos, as mulheres realmente não querem de outra maneira
Alpha Tells
Desde que escrevo na Manosfera, a definição de 'o que
é Alpha? 'tem sido o principal ponto de discórdia que tive de declarar
e reafirmar na maioria das vezes. Eu não vou repetir isso aqui, pois tenho vários
ensaios sobre a natureza do Alpha em meu blog e no primeiro volume do
Macho Racional, então se você está procurando minha opinião sobre Alfa, é aí que
você vai encontrar.
No entanto, por enquanto, preciso abordar a base do que acredito ser mais
mal-entendidos comuns sobre o termo Alfa.
Bem antes do início do meu blog, no início do que seria
evoluir para a Manosfera, havia uma necessidade de terminologia para descrever
os conceitos mais abstratos em desenvolvimento na "comunidade" da Red Pill. Algumas
dessas analogias e termos ainda são como a manosfera hoje, outros
se transformou em abstrações mais úteis; Alpha Widows, Hypergamy (em seu
definição expandida), o Imperativo Feminino, até a consciência da pílula vermelha são
todos os exemplos de termos estabelecidos ou analogias para abstrações compreendidas.
Entre eles estão também os conceitos de um homem ser Alfa e Beta.
Uma das desconexões mais comuns que os homens encontram com a pílula vermelha para
a primeira vez é igualar o termo Alfa com seu uso para descrever o
hábitos de acasalamento de Leões, Lobos ou Gorilas de Costas Prateadas. É fácil ridicularizar
ou simplesmente descartar uma verdade válida, mas desconfortável, da pílula vermelha quando você
estiver
simples e confortável em definir apenas "Macho Alfa" literalmente,
etimológico, termos.
Esta é a primeira resistência que os homens da Pílula Azul afirmam ter com a Pílula Vermelha.
Eles não têm problemas para entender e usar abstrações para Blue Pill
e conceitos nos quais eles próprios são investidos pelo ego, mas desafiam esse conjunto de crenças
com verdades desconfortáveis da pílula vermelha e seu primeiro recurso é obstinadamente
definir alfa (bem como hipergamia) em um sentido estreito, binário e literal
como eles podem reunir.
“Entre em contato com seu lado beta feminino”

O próximo mal-entendido mais comum vem de confundir o


abstrações de Alfa e Beta com traços masculinos e femininos. Nisso
(muitas vezes deliberada) desorientação, os conceitos de ser Alfa ou Beta tornam-se
sinônimo de ser masculino ou feminino. Esta é a base pessoal de
Alfa e Beta, muitos "treinadores da vida" da Pílula Roxa (na verdade, apologistas da Pílula Azul)
redefinem confortavelmente para si próprios, para se adequar a si próprios.
Esta fusão de Pílula Roxa é realmente apenas um retorno reconfortante da maldição de
Jung - Anima & Animus - se o homem completo for uma mistura uniforme de Alpha
e Beta, masculino e feminino, então todos os piores aspectos de seu
"Betaness" não pode ser de todo ruim, e ele reinterpreta o que realmente equivale a uma
completa androginia como “sendo o melhor equilíbrio”.
Infelizmente, e como os idiotas do Blue Pill irão mais tarde atestar, o feminino
espera encontrar seu equilíbrio par no masculino, não uma igual
idealização de ambos no mesmo homem. Assim, as mulheres, em um nível límbico,
esperam que os homens sejam homens.
Esta é uma das missivas de uma mentalidade igualitária; que um individualizado,
equilíbrio igualitário dos aspectos masculino e feminino em duas
as pessoas devem substituir a interdependência complementar natural de
atributos masculinos e femininos convencionais em um equilíbrio par que
os humanos evoluíram.
O que a temperança da Pílula Roxa realmente significa é um retorno do século 21 ao
Meme feminizado do século 20 “os homens precisam entrar em contato com seu lado feminino”... ou
então corre o risco de rejeição feminina. Mais de sessenta anos de pós-sexo
a engenharia social da revolução desmentiu o fracasso abjeto deste
conceito tem sido.
O que eles não conseguiram entender é que uma mentalidade Alpha não é definitivamente
associado a atributos masculinos. Existem muitos aplicativos de alto desempenho,
homens masculinos que caracterizaríamos como Alfa com base em nossa percepção de
eles são em muitos aspectos da vida, que, no entanto, são Betas suplicantes abjetos
no que diz respeito à forma como eles interagem e respeitam as mulheres. Seja essa
a desconexão é devido a uma deferência beta aprendida ao feminino (Branco
Knighting), algum medo internalizado de rejeição, ou apenas uma natural
predisposição para ser assim com as mulheres, não é o problema. O que importa é que o

abstração de Alpha não é uma associação definitiva absoluta com o


masculino.
Da mesma forma, os atributos Beta não são inerentemente femininos. Como tem sido
discutido ad infinitum na Manosfera, 80% + dos homens modernos foram
condicionados (ou não) para exemplificar e promover um papel feminino primário
de vida Beta de apoio para si próprios e para tantos outros homens que puderem
convencer a se identificar mais com o feminino. A mentalidade Beta não é assim
muito mais em adotar uma mentalidade feminina, pois é uma deferência a, e o
apoio de uma visão de mundo feminina primária.
A razão pela qual a ideologia da pílula roxa (pílula vermelha diluída) quer fazer a
associação de Alfa = Masculino, Beta = Feminino é porque o "entrar
em contato com o seu lado feminino ”Os atributos beta que eles possuem em abundância podem ser
mais facilmente caracterizado como "realmente" sendo Alfa se isso ajudar a torná-lo o
homem mais andrógino aceitável que ele acredita erroneamente que as mulheres são
atraídas.
Alpha Tells
A alfanesa sexual de um homem em relação a uma mulher é exibida por ela
querer agradá-lo, e a betaness sexual de um homem é exibida por
ele precisando agradá-la. A alfa de um homem, obviamente, e por definição,
não faz com que ela exija mais que ele a agrade. E também, betaness não é transferível, não importa
como
muitos Betas desejam que seu prazer feminino faça com que as mulheres desejem
agradar a eles.
Além disso, o domínio social de um homem em uma hierarquia de domínio masculino é
mal correlacionado com seu alfa sexual, e certamente não causal. Lá
são muitos contra-exemplos, como Bill Gates, Napoleon Bonaparte,
Horatio Nelson, e a lista é muito longa.
No entanto, e este é um ponto empírico fundamental, o domínio social de uma
mulher humana em uma hierarquia humana feminina é correlacionada, nesta precisa
forma: uma mulher a quem as mulheres atendem 99% do tempo exigirá ser
atendida por seu homem. É por isso que as mulheres acreditam que as mulheres que agradam aos
homens são

Mulheres “inferiores”. É também por isso que os homens que tendem a se acasalar com as mulheres
que são socialmente dominantes em uma hierarquia feminina são invariavelmente Betas. Então
simplesmente é falso que as mulheres com predominância feminina tendem a escolher homens que
exigem
ser agradáveis. O que os críticos de uma dicotomia Alfa / Beta convenientemente varrem
debaixo do tapete é que a dicotomia que eles querem debater existe apenas em
o que suas interpretações convenientes e pessoais de Alfa ou Beta significam para
eles.
De uma perspectiva masculina, podemos debater sem parar (de nossa própria
vieses) o que acreditamos constituir um estado Alfa (lembre-se, Alfa é um
termo abstrato) e as expectativas de que pensamos
que as mulheres devem responder de acordo com essas expectativas. Mas são comportamentos de
mulheres
instintivas em torno de homens Alfa (ou homens que eles percebem contextualmente
para ser Alfa) que nos fornecem as pistas sobre como ela percebe o
Status alfa ou beta.
Por mais que acreditem que as mulheres devem responder à nossa definição de
Alfa
- e apesar de como as mulheres explicam, elas concordam com aqueles que prescrevem
definições - como sempre, é o seu comportamento quando na presença de, ou em um
relacionamento com homens que elas percebem como sendo Alfa (ou de alta
valor de mercado do que elas próprias, se preferir) que desmentem sua verdade,
reconhecimentos instintivos de Alpha.
Em um ambiente social onde os homens são condicionados a acreditar que as mulheres
são tão iguais e agentes racionais quanto os homens, a crença em que os homens colocam sua fé é
que
as mulheres irão apreciar suas qualidades intrínsecas e basear sua sexualidade
seletividade sobre a virtude, porte, inteligência, humor e qualquer
número de qualidades intrínsecas atraentes. No entanto, a verdade do que as mulheres
baseam sua seletividade sexual em (excitação) é muito mais evidente em seu
comportamento instintivo e não condicionado quando perto de homens Alfa - bem como
a sensibilidade instintiva dos homens a esse comportamento.
Existem muitos exemplos desse comportamento reflexivo Alpha. Vou fazer uma
ilustração de alguns deles aqui, mas espero que haja muitos mais
oferecimentos por meus leitores. Eu encorajo uma discussão entre os homens sobre o
comportamentos que servem como Alpha diz. Blogueiro de longa data do Red Pill,
Roissy / Heartiste, fez uma espécie de esporte com seu contínuo “spot the
Alpha ”série de postagens em que ele analisa uma foto ou vídeo da reação de uma mulher
a um homem alfa em quem ela obviamente tem um interesse como sua linguagem corporal
e subcomunicação sugerem. A crítica comum a essas
imagens é que os homens do Red Pill iriam ler muito nesses monitores, mas
a mensagem subjacente nessa crítica está enraizada na compreensão e
ignorando deliberadamente quais são nossas percepções instintivas deles. Nós sabemos
o Alfa quando o vemos, mas precisamos de uma explicação para proteger do nosso próprio ego
Avaliação alfa de nós mesmos.

A Seleção Real
Por todo o "empoderamento" do ego encantado das mulheres que se gabam de serem as
seletores sexuais nesta vida, ainda há uma incerteza nervosa sobre ser
considerados aceitáveis para um amante do Alpha de status de SMV superior
se eles poderiam de outra forma merecer. Este é o lugar onde as ilusões de uma variedade
de modelo de acasalamento dividido para mulheres. Se seleção sexual feminina primária
fossem o único elemento para o acasalamento, não haveria necessidade de comportamentos
que as mulheres estão sujeitas a buscar a aprovação dos homens que percebem como
Alfa.
Há um olhar, uma atitude e uma presença que as mulheres darão aos homens por
quem elas têm uma deferência natural. Eu não quero dizer apenas sexual descarada
subcomunicação como morder casualmente o lábio inferior ou enrolar o cabelo
isso é quase clichê agora. Vai além do sexual para uma espécie de metaatração / excitação. Embora a
urgência sexual por um Alfa seja forte e
se manifesta na ousadia de uma mulher em relação a ele, a meta-atração é ao mesmo tempo
um de submissão e um desejo subconsciente de sua aprovação por ela.
Homens predispostos a uma mentalidade Beta também exibem muitos dessas mesmas
dicas comportamentais com as mulheres que eles esperam que as apreciem da mesma forma
modo que uma mulher faz para um homem que seu cérebro posterior sabe que é
de um SMV superior. Em homens beta, vemos esses comportamentos como evidências de
“Pegajosidade” ou “carência” e é um sinal Beta identificável; mas nas mulheres
esta inclinação natural e não provocada a um Homem, este desejo de submeter-se a
sua aprovação, é um indicador positivo da atração Alpha.

Como observadores terceirizados, encontramos instintivamente esse tipo de comportamento nos


homens
desagradáveis; sentimos subliminarmente um desequilíbrio complementar entre
homem e mulher. Quando uma mulher faz um esforço não forçado para agradar um homem
com palavras sutis, contato não intencional com os olhos arregalados e posicionamento corporal /
postura que você está lidando com uma mulher que é compelida a se submeter a você como
Alfa.
Isso não quer dizer que isso não pode ser falsificado. Na verdade, strippers, boas pelo menos, são
não apenas fisicamente excitantes, ou mais sexualizadas, mas estão em sintonia com o
déficit que a maioria dos homens sente quando se trata dessa deferência do Alpha. Além de apenas
o aspecto sexual, uma coisa que torna as strippers tão atraentes e sedutoras é
que a maioria dos homens simplesmente não está acostumada com os afetos bajuladores e
Interesses alfa (embora fingido) de qualquer mulher, muito menos uma atraente.
Esta é também uma das razões pelas quais os homens se tornam tão propensos a ONEíte tanto por
dentro quanto
fora desse tipo de atração artificial, transacional. Homens são verdadeiros
Românticos, eles querem acreditar na sinceridade de uma mulher em sua deferência Alpha
para ele.
A garota em que você está interessado vem até você ou você vai até ela?
Eu enfatizei a importância de estabelecer e manter a estrutura para
anos agora, mas às vezes me pergunto se a importância de segurar o Frame
não está perdido para a maioria dos homens. Para uma mentalidade igualista, este estabelecimento
do Frame
parece que estou defendendo que os homens sejam dominadores em seus relacionamentos e um
homem que confia em alguma psicologia obscura e manipuladora para impor sua vontade nessa
relação. Não é isso que estou sugerindo, pela simples razão de que isso
consome muito esforço, e o desejo genuíno é insustentável dentro desse
esforço constante. Manter o quadro exige uma voluntária, não coagida,
conformidade desejada por parte de uma mulher.
O que estou sugerindo é que os homens simplesmente não se envolvam nas mulheres
cujo interesse alfa neles é mitigado por dúvida ou qualquer desequilíbrio de SMV óbvio.
Isso é difícil para a maioria dos homens, pois entra em conflito com o nosso desejo de um idealizado
romance com uma mulher - um desejo por um amor que requer uma definição mútua
com uma mulher sem capacidade de perceber isso com ele, ou pelo menos na

maneira que ele acredita que deveria ser possível para ela. E está dentro daquele idealizado
Desejo que os homens percam Frame e desculpem a falta de deferência Alpha da parte dela.
O meio é a mensagem
Em The Rational Male você encontrará uma seção chamada, o meio é o
Mensagem. Seria bom revê-lo se você tiver o livro. Em algum nível
de consciência, os homens instintivamente entendem seu status relativo com uma
mulher com base no meio de mulheres - os comportamentos que ela direciona para
ele.
Ela é afetuosa sem ser solicitada ou apenas quando as circunstâncias
tornam o seu conforto necessário para ela?
Is Amused Mastery uma técnica de conversação padrão fácil para você,
ou ela resiste até mesmo às suas tentativas lúdicas?
Ela inicia o sexo com você, ou você está iniciando apenas o
precursor do sexo?
Sexo é mesmo uma prioridade para ela (com você)?
Ela se esforça para tornar as coisas especiais para você ou é seu
relacionamento um de seus esforços para se qualificar para o Alfa de aprovação dela
para você ?
O que a maioria dos caras pensa são "mensagens confusas" ou comportamento confuso chegando
de uma mulher é simplesmente devido à sua incapacidade (por qualquer motivo) de fazer
uma interpretação precisa de por que ela está se comportando dessa maneira. Geralmente
isso se resume a um cara ficando tão envolvido por uma garota que ele prefere
fazer concessões por seu comportamento do que vê-lo como ele realmente é. Em outras
palavras, é muito mais fácil chamá-lo de "mensagens confusas" ou recorrer a antigo
bordão de como as mulheres são inconstantes e aleatórias, quando na verdade é simplesmente uma
razão para se manterem presos, por assim dizer, porque lhes falta qualquer
opções reais e viáveis com outras mulheres em suas vidas. Uma mulher que tem um
alto nível de interesse (IL) em um cara não precisa se envolver em comportamentos que
comprometeria seu status com ele. Mulheres de todos os ILs farão teste de merda, e
os homens vão passar ou falhar de acordo, mas um teste é mais facilmente reconhecível
quando você considera o contexto em que são entregues.

Você está fazendo concessões psicológicas com uma mulher que nunca
exibiu uma deferência Alpha para você? O que mudaria em seu
relacionamento se ela fizesse?

Beta diz
Saber o ciclo menstrual da sua mulher pode ser extremamente poderoso.
Durante a fase fértil de seu ciclo, milhares de anos de evolução significam
que seu corpo está gritando para ela ser grávida por um macho alfa. Um simples
teste para determinar se ela vê você como seu alfa é não iniciar durante
o período fértil de seu ciclo e observar seu comportamento: ela chega a
você para foder? Sua linguagem corporal ou comportamento físico muda
quando ela está fértil. Talvez ela te toque com mais frequência ou mais intimamente ou
desempenha o papel da sedutora: coisas como ir para a cama vestindo lingerie
onde ela normalmente não faria? Mesmo que ela tenha um desejo sexual relativamente baixo e
não inicia, ela pelo menos responde mais apaixonadamente ao seus
avanços ou orgasmos mais facilmente ou intensamente quando ela está fértil?
Você obviamente não pode tirar conclusões de um único ciclo, mas você deve
eventualmente ver um padrão - e quanto mais ela te valoriza sexualmente durante o
período fértil dela, melhor. Se ela não está fazendo nada diferente ou reagindo a
você de forma diferente quando ela está fértil, algo está acontecendo.
Este teste pode ter falsos negativos, mas não falsos positivos. Não há falso
caso positivo em que ela de repente começa a cavalgar em você enquanto você está assistindo
o jogo do Packers, mas ela não vê você como seu alfa. Mas pode ser falso
negativos onde ela não inicia, mas ainda vê você como seu alfa. Se ela
não está iniciando quando ela está fértil (e você não está iniciando para testar
a reação dela), pode ser devido ao estresse, falta de tempo, estar muito acostumado com você
fazendo a iniciação, etc. Mas pelo menos ela deve estar demonstrando
aumento da paixão e êxtase sexual durante seu período fértil.
O melhor caso: ela inicia durante seu período fértil, se você não. Ela consegue
desejos por seu pau.
O caso OK: ela responde com mais paixão e orgasmo mais facilmente
durante seu período fértil.

O uh-oh, algo pode estar errado no caso: nenhuma mudança observável durante
seu período fértil.
O caso beta: Quarto morto, que porra você está fazendo (desculpe se
você se casou e não pode sair).
Claro, se ela é um ser extremamente sexual e todas as opções acima descrevem
sua vida sexual 24 horas por dia, 7 dias por semana, então nada disso deveria se preocupar com você.
Isenção de responsabilidade: mais uma vez, este teste é uma ferramenta que funciona melhor para
mulheres com
impulsos sexuais mais elevados (quem realmente quer ser fodida quando estiver fértil). Se sua
Mulher de 37 anos, de 15 anos atrás, fode quando você quer e não está traindo,
você está bem. Eu não acho que o teste se aplica a todas as mulheres (risos, quebrou / trp / regras
opa), mas mesmo assim é útil.
Esta citação era de um cara no fórum Red Pill Reddit. Ele fornece uma boa,
se um pouco crua, perspectiva de indicadores do cérebro posterior de uma mulher
de percepção de um homem com quem ela se juntou. Por enquanto, lembre-se
isso, casamento, monogamia, compromisso, etc., nunca será um isolamento
do mercado sexual e nenhum seguro contra a hipergamia inata de uma mulher, não importa o quão
tranquilizador seja seu pastor, treinador de vida ou guru de namoro
soa quando eles dizem que é.
Vamos supor por um momento que nem um experimento controlado nem um
não controlado, mas documentado, o estudo de campo sociológico sempre foi
realizada para testar o princípio da hipergamia feminina. Por um momento, como um
cara, imagine-se vivendo em um período de tempo anterior a qualquer
escola de psicologia; antes da virada do século XX. Não há
Pavlov, não há Skinner, não há Freud, não há Jung.
Usando apenas observações pessoais - isto é, observações de comportamentos aprendidos
relatado por seu pai e irmãos, amigos do sexo masculino e o intergênero
de experiências de um grupo muito isolado socialmente (pelos padrões de hoje) de
pessoas que compõem seus pares, e um acesso restritamente limitado a qualquer
literatura filosófica clássica além da Bíblia cristã - o que seria
você presumir que seria a natureza inimiga das mulheres e do feminino?

Será que suas observações, intuição e a educação oferecida por seu


pai, irmãos e outros amigos e parentes homens influentes levam a uma
visão para saber o que é hipergamia, como motiva as mulheres e como
controlar ou capitalizar sobre isso?
Não só eu acredito que sim, mas eu argumentaria que, até a revolução sexual
e nos últimos 60 anos ou mais, os homens tiveram tanto quanto um inato
aprendizado a compreender a hipergamia, como ela funciona e como controlar
isso.
Para ter certeza, não tinha o nome formal de "Hipergamia" - na verdade,
termo era, até recentemente, estritamente definido e reservado para "mulheres com a
tendência de se casar acima de seu nível socioeconômico ”nos círculos da psicologia pop educada -
mas os homens conheciam a hipergamia antes da manosfera
(re) expôs sua verdadeira definição.
Fazendo Hipergamia
Resistir às verdades desconfortáveis inatas da experiência feminina é
ser esperado das mulheres - até o advento da hipergamia aberta, o
Imperativo Feminino precisava que a Irmandade fosse unida e seus segredos
zelosamente guardados até o ponto de dissonância cognitiva. Meu palpite é que
a maioria das minhas críticas femininas ainda concordaria com os parâmetros básicos da
Hipergamia, mas o que duvido que eles saibam é que ao negar a
natureza biológica inerente das mulheres com hipergamia feminina também deve rejeitar os
aspectos sociológicos, psicológicos e (observáveis) comportamentais de
Hipergamia inerente (e em grande parte subconsciente) nas mulheres.
“À medida que as mulheres se aproximam da Fase da Epifania (mais tarde, a Muro) e percebem a
decadência de seu SMV (em comparação com mulheres mais jovens), elas se tornam
progressivamente mais incentivadas na atração pelas qualidades de um homem
que possui o que melhor satisfará a segurança de longo prazo do lado da Beta Bucks
de suas demandas de hipergamia. ”
Sua mulher disse: "você é (muito) diferente dos caras que eu era costumada
no encontro ?." Ou “Finalmente fiquei esperta e encontrei um cara legal”. Se sim, isso é clara
evidência de que você é o cara do Beta Bucks. Talvez ela namorasse DJs, NFL

jogadores, traficantes de drogas, o que for. Se esses caras são tipos diferentes de caras
do que você, NÃO continue o relacionamento. Ela não tem ideia, mas ela esta
racionalizando sua escolha em sua mente. Você vai pagar um preço alto mais tarde, como em uma
trapaça, vadiagem ininterrupta ou divórcio repentino. Encontre uma garota que sempre
namorou caras como você. Ela pode ter desmaiado pelo guitarrista principal, mas se ela
não dedicou seus primeiros 20 anos para persegui-lo, você está bem.
Beta diz
Uma das perguntas mais comuns que me fazem nas consultas é se
algo que um cara fez foi ‘Beta’ ou não. Normalmente era uma situação em que
o cara era instintivamente sensível ao seu próprio comportamento no contexto de seu
Enquadre e como a mulher com quem ele estava lidando o via. Na maioria
casos que um homem sabe quando ele escorregou em sua percepção de domínio com um
mulher, eles apenas procuram uma confirmação de terceiros - que é então
seguido por mais racionalizações de por que seu comportamento não deveria ser
considerados Beta porque acreditam que as mulheres são igualmente racionais, igualmente
perdoando, agentes como homens (realmente ele é) são.
Sempre que você sentir que algo não está bem em seu intestino, este é o seu
consciência subconsciente alertando você sobre inconsistências acontecendo ao redor
vocês. Tendemos a ignorar esses sinais no pensamento de que nossa mente racional
‘Sabe melhor’ e as coisas realmente não são o que parecem. Não é tão ruim quanto
você está imaginando, e você pode até sentir vergonha ou culpa de si mesmo por
reconhecendo essa falta de confiança. No entanto, é apenas este interno
racionalização que nos mantém cegos para o óbvio que nosso subconsciente está
tentando nos avisar sobre. Os humanos são criaturas de hábitos com uma insaciável
precisa ver familiaridade nas ações de outras pessoas. Então, quando é previsível
mudanças de comportamento, mesmo que marginalmente, nossas percepções instintivas disparam
todos
tipos de avisos. Alguns dos quais podem realmente nos afetar fisicamente.
É neste ponto que a maioria dos caras comete o erro de agir de acordo com o "bom
comunicação resolve tudo ”meme feminizado e ir ao máximo
rota da verdade de divulgação, o que realmente só leva a mais racionalizações e
repressão do que realmente está acontecendo. O que eles não percebem é que o
meio é a mensagem; seu comportamento, suas nuances, a incongruência em
suas palavras e comportamento (e como seu instinto os percebe) é o real

mensagem. Há uma irregularidade no comportamento dela que o seu subconsciente está


alertando você para o qual sua consciência não pode ou não irá
reconhecer.
Comecei Alpha Tells com a intenção de reconhecer como uma mulher se comporta
quando ela está na presença de um homem, ela percebe ser o Alfa. Muito dos
homens ficam presos em tentar 'agir' como Alfa; querendo fazer macaquices (e mais tarde
esperançosamente internalizar) o comportamento dito a uma exibição de Alpha mais confiante.
Consequentemente, há muito debate sobre como os homens se posicionam e como eles
naturalmente exibem essas dicas Alfa, mas acho que a melhor medida
que define dessas pistas não está nas exibições masculinas, mas no comportamento das mulheres e
atitudes que são induzidas por uma percepção de Alfa.
E, assim como as mulheres respondem visceralmente a uma percepção Alfa, elas
também manifestarão comportamentos que indicam que seu subconsciente sabe que ela está
lidando com um homem com alinhamento Beta.
É fácil distinguir o que um cara pensa que é e o seu próprio Alpha diz, mas está longe
mais desconfortável dissecar os indicadores Beta das mulheres quando elas estão na
presença de homens que percebem ser Beta. Muito do que vou descrever
a seguir será difícil de ler para muitos caras e, como sempre, você está livre para
discordar.
Meu objetivo aqui não é atacar os Betas, mas aumentar a conscientização sobre
comportamentos reflexivos das mulheres em relação a eles. Tente colocar esses comportamentos em
um
Contexto hipergâmico e como eles seriam percebidos por mulheres que
evoluiram para ter uma sensibilidade instintiva a esses comportamentos Beta, bem como
expressões de atitudes Beta em suas palavras e ênfase emocional.
Eu poderia facilmente compilar uma lista de comportamentos que são simplesmente o reversos de
o Alpha que observei na seção anterior, mas é muito mais
importante abordar os motivos básicos para essas indicações beta:
Ela inicia o sexo ou a afeição espontaneamente?
Ela entretém um grande grupo de orbitadores "amigos do sexo masculino" com o
expectativa de você ser "maduro o suficiente" para aceitá-lo?
Ela mantém um grupo básico de "namoradas" em que ela insiste
priorizar em vez de estar com você? Ela faz o hábito frequente de
Sair para Noite das meninas?
Ela explicou a você como ela era tão diferente na faculdade e como
ela está feliz que esses dias ficaram para trás agora?
Ela está passando pela fase de epifania?
Ela cita "libidos incompatíveis" como uma razão para sua falta de sexualidade
e interesse em você agora que estão casados ou morando juntos (mesmo depois
que ela teve um sexo melhor com você ou com um ex-amante quando solteira)?
Ela tem aversão ou repulsa por sua ejaculação estando na pele dela, na
boca ou preocupada demais em sujar o lençol?
Ela fará sexo com você em qualquer lugar além da cama?
Você faz sexo oral nela para fazê-la gozar mais do que você fez
em relação sexual?
Ela é uma amante de olhos arregalados ou ela aperta os olhos fechados enquanto
fazendo sexo? Sexo é uma tarefa árdua para ela realizar?
Se você é casado, ela escolheu seu sobrenome ou insistiu em um
sobrenome hifenizado para ela mesma?
Quando vocês estão juntos, ela faz sua postura corporal regular e não praticada,
indica uma abertura ou você está sempre tendo que invadir
o espaço íntimo dela?
Ela está preocupada com seu lado da família ou com um certo animal de estimação ou
prefere se preocupar com o seu bem-estar?
Ela está consciente de estar 1-2 pontos acima do seu próprio relativo
SMV? Ela está aberta sobre isso?
Ela presume autoridade em seu relacionamento? Você admite essa
autoridade como uma questão de crença (igualista)?
Existem muitos outros sinais, é claro, mas é importante entender que
esses comportamentos e atitudes são manifestações de uma mulher que em alguns
níveis de consciência entende que ela está lidando com um homem Beta.
Devo também mencionar que existem fases particulares da vida de uma mulher
quando ela se torna mais sintonizada em lidar com homens Beta devido à percepção
de necessidades de sua parte. Uma compreensão clara de como essas fases
predispõe as mulheres a se convencerem a aceitar mais o Beta

comportamentos e uma mentalidade Beta são essenciais para evitar as armadilhas comuns
de homens que encontram no que diz respeito às questões de manter Frame em seus
relacionamentos.
Os homens beta estão todos muito ansiosos para acreditar que amadureceram e se tornaram um Alfa
autodefinido quando estão semi-atraentes de 29 anos no meio da
Epiphany Phase que está dando a ele indicadores claros de interesse por ele. Somente
depois que ela está consolidada naquela segurança de longo prazo, ele entende os planos
que sua estratégia sexual tinha para ele.
Predisposição para proteção do companheiro
Uma das melhores dicas do Beta é o quão defensivo um cara fica sobre o assunto
guarda companheiro. Um Alfa tem pouca preocupação com a guarda de companheiro
porque subconscientemente ele sabe que tem opções sexuais. Isso se aplica a ambos
dentro e sem monogamia. Estou apresentando isso aqui porque a
maior parte do que motiva a fala Beta (e realmente uma mentalidade Beta) está enraizada
em como os homens lidam com uma mentalidade de escassez. Beta diz quase sempre
os indicadores de que um homem acredita que precisa proteger sua mulher e
assim, telégrafam um status Beta para aquela mulher, bem como para outras mulheres em sua
embreagem de pares.
Guarda do companheiro, e seu conjunto intrínseco de suspeitas subconscientes e
comportamentos, é uma adaptação evoluída de garantir a paternidade para um provedor beta. Esses
homens devem contar com a troca de recursos externos
de benefícios para a fidelidade sexual das mulheres. Em essência, é uma consciência implícita
que os homens Beta devem negociar o que eles esperam que seja uma mulher de desejo genuíno
em troca de seu provisionamento, apoio e investimento parental e
envolvimento emocional. Homens beta estão cientes em um nível límbico de que
a hipergamia dita uma troca Alpha Fucks / Beta Bucks na estratégias sexuais de mulheres
- assim, uma mentalidade subconsciente de "guarda do companheiro" evoluiu
da maior consciência dos homens Beta sobre a preferência das mulheres por Alfa
Fucks, especialmente em torno da fase proliferativa da ovulação feminina.
Paradoxalmente, a melhor garantia que você tem de fidelidade com uma mulher é
simplesmente não se permitir tornar-se exclusivamente monogâmico com uma
mulher e, em vez disso, faça com que ela se esforce para emparelhar com você
nos auspícios de você ser Alfa. Romance não é exigido de um amante a

mulher que o percebe como Alfa, apenas seu interesse sexual - isso representa uma
confirmação de otimização hipergâmica para mulher. O camarada
dinâmico - todos os interesses sexuais sem expectativa recíproca de investimento emocional
- é um forte sinal de alfa para um homem.
O melhor indicador para determinar a percepção que uma mulher tem de você como um
O tipo alfa ou beta está examinando a si mesmo e seu sentimento de 'necessidade' de acasalar
protegê-la, para apaziguá-la, ou um impulso de se corrigir a fim de alinhar
com seus termos de intimidade. Uma mentalidade de escassez é o ponto mental de
origem para uma mentalidade Beta - e esse modelo mental internalizado se manifestará
em uma predisposição para comportamentos Beta.
Há uma crença comum de que mesmo o mais Alfa dos homens às vezes escorrega
em um Behaviorismo Beta. Você não pode estar "ligado" o tempo todo, e
embora seja verdade, não invalida que as mulheres têm um modelo mental de
sua condição geral predominante é Alfa ou Beta. UMA
predominantemente Alpha frame e mentalidade (e sim, aparência), além de um
primazia reconhecida (real ou percebida) de SMV acima dela própria abrangerá um
multidão de pecados Beta, mas o Beta predominante tem a tarefa de Sísifo de
convencer uma mulher de que ele é mais Alfa do que ela imagina.
Então, para responder ao homem perguntando se algo que ele fez ou não foi Beta,
sua resposta realmente está em sua motivação para se comportar como ‘Beta’ como você fez em
comparação de como uma mulher percebe seu caráter predominante.

A Reconstrução
Um dos equívocos mais comuns de homens que tomam uma pílula vermelha
com experiência de consciência é uma expectativa de ser capaz de usar essa consciência
e o jogo para reconstruir um antigo relacionamento. Na maioria das vezes, essa esperança é sobre um
cara querendo "consertar" seu relacionamento rompido com uma garota que o largou.
Este é facilmente o motivo mais comum para os caras da Blue Pill se fazerem
abertos para o que a pílula vermelha tem a revelar a ele. Eles estão desesperados, não é assim
muito pelas verdades intergênero que a pílula vermelha apresenta, mas sim por uma
solução para seus corações terem sido esmagados por uma garota.
Isso é compreensível quando você considera que esses homens ainda estão muito
mergulhados no idealismo da Pílula Azul, eles ainda precisam desaprender (ou entender por que
eles precisam desaprendê-lo) e não estabeleceram a conexão que seu idealismo
é parte do motivo pelo qual foram descartados. Tudo o que eles sentem é um desespero
ansiando por se reconectar a uma garota que era sua "Única", e só agora eles são
desesperados o suficiente para buscar respostas da pílula vermelha.
É engraçado como alguns dos mais ardentes negadores da pílula vermelha estarão abertos para
ouvir suas verdades sobre homens e mulheres se apresentados a possibilidade de
eles estarem voltando com um ex-amante em quem se investiram. Este é uma
boa ilustração do grau de controle que o idealismo da Pílula Azul tem sobre os homens;
que eles estariam abertos para alterar suas crenças se isso significasse reconectar
para aqueles sentimentos dos quais eles foram cortados.
Infelizmente, a pílula vermelha não é um remédio para a desilusão da pílula azul. É uma
cura, não um band-aid. Tentei resolver isso sucintamente na 7ª Regra de Ferro de
Tomassi:
Regra de Ferro de Tomassi # 7
É sempre o tempo e o esforço mais bem despendidos no desenvolvimento de novas mulheres em
potencial
do que jamais será na tentativa de reconstruir um relacionamento fracassado.
Nunca enraíze no lixo uma vez que o lixo foi arrastado para a
borda da calçada. Você fica bagunçado, seus vizinhos vêem você fazer isso e o que você pensa
pelo qual vale a pena cavar nunca é tão valioso quanto você pensava.

Outra tentativa de reconstrução da pílula vermelha são os homens que têm como objetivo
‘Re-seduzir’ uma mulher que eles falharam em jogar efetivamente enquanto ainda estavam
embrulhados
em sua mentalidade do Blue Pill. A primeira presunção é que a vingança pode
motivar um cara a querer pegar e largar uma garota que uma vez o dispensou
de volta quando ele estava preso em sua mentalidade de Blue Pill. Mulheres gostam desta ideia
porque elas acham que isso confirma os egos dos homens sendo facilmente machucados, mas eu não
acho que é sempre assim.
É inteiramente possível que algum coquete do passado tenha adquirido um gosto orgânico por
“O novo ele” agora que sua transição para a pílula vermelha e melhor compreensão do jogo
o tornava atraente para ela. Vários caras se relacionaram comigo sobre como
eles transformaram um ex-ONEíte em um prato ao longo do qual estavam girando
com outros. A experiência de fazer isso muitas vezes solidifica princípios Red Pill / Game
para ele - o ato de inserir uma velha "alma gêmea" na lista de um cara
de amantes não exclusivos é uma lição em tirar as mulheres de um ex-idealista
pedestal e ajuda a humanizar as mulheres para ele no processo.
Devo acrescentar que geralmente há um período de tempo necessário para efetuar
isto. Muitos homens verão a consciência da pílula vermelha e apenas a forma mais livre de
jogo é uma fórmula mágica para conseguir isso cedo demais. Repentina
mudança incongruente em seu comportamento só a afasta mais e o deixa
desanimado.
Fazendo tudo certo
O terceiro tipo de reconstrucionista da pílula vermelha é o homem casado - ou o cara
em um LTR de vários anos - buscando encontrar o segredo para remediar seu quarto morto. Houve
um tempo (pré-internet, pré-pílula vermelha) em que esses homens
estavam relutantes em até mesmo expressar o problema que estavam tendo com suas
esposas sexualmente indiferentes. Geralmente, isso era devido a alguns
medos.
A primeira é que a maioria dos homens do Blue Pill são condicionados desde muito cedo a
sempre encontrar defeitos em si mesmos antes de sugerir que
são da mulher. Isso era especialmente verdadeiro se fosse sobre sexo. Se você não pode
satisfazer uma mulher, é sua culpa. Se uma mulher não está excitada ou atraída por
você, é sua culpa, então a presunção costumava ser que um homem só poderia

melhorar a si mesmo como um meio de restabelecer uma atração que (presumivelmente) ele
teve com sua esposa antes de se casarem.
Antigamente, essa "melhoria" podia ser definida em vários livros antigos
de diferentes maneiras. Ele pode obter uma promoção no trabalho, uma mudança no status e no
pagamento. Ele
pode perder peso ou encontrar alguma forma de competição que ele possa fazer
bem dentro. Ele pode mudar suas crenças ou concordar em se identificar melhor com sua
esposa, ou fazer mais tarefas domésticas, ajudar com os filhos, arranjar mais
‘Noites de encontro’.
Ele pode ir para aconselhamento matrimonial ou participar do programa de "homens
retiros espirituais ” para mostrar que ele está crescendo.
Todas essas maneiras de "reacender a velha chama" são essencialmente de um homem
esforçando em concordar com o Quadro de sua mulher, mantendo-o em um
estado perpétuo de negociação por seu desejo genuíno. De uma pílula vermelha
perspectiva nós entendemos isso, mas houve um tempo, não muito tempo atrás, quando
a preocupação dos homens era sobre fazer tudo certo para obter o sua
esposa para foder com ele como costumava fazer, ou com algo parecido com genuíno
entusiasmo.
O segundo medo que os homens daquela época tinham era admitir sua incapacidade de
satisfazer sua esposa (LTR) sexualmente. Novamente, isso era tudo sobre uma Frame dominante
feminino, e sua qualificação para o prazer dela, mas estamos falando
sobre uma época em que a interpretação dos homens de sua própria masculinidade sempre foi
sendo questionado. É interessante ver como os tempos mudaram com
tecnologia de comunicação. Lembro-me de uma época em que teria sido
tabu ser muito direto sobre sexo na igreja. Agora é inevitável e nós
tmos pastores incentivando meses de cota sexual, a fim de estimular o sexo
esposas indiferentes na congregação.
Em uma ordem social da Pílula Azul, os homens aprendem a sempre se qualificar para as mulheres.
Então o
a resposta dedutiva masculina natural sempre foi "fazer tudo certo"
para manter a torneira do sexo fluindo. Sonhos de sacrifício, ambições de segurança,
conseguir o emprego certo com o status certo e se tornar uma pessoa que uma mulher
gostaria de foder. Estas são todas as presunções de livros antigos com base no
Arquétipo do provedor de identificação feminina beta, mas é importante mantê-lo

em mente hoje, porque esta mesma presunção de "fazer tudo certo" ainda
persiste para os homens hoje.
O que se segue é uma postagem do Reddit Married Red Pill:
Hora da história….
Eu me mudei há alguns meses, exasperado depois de seguir meu casamento
por um Caminho da pílula vermelha e vendo pouca ou nenhuma melhora em nosso relacionamento.
Eu me "consertei" de maneiras que nunca pensei que pudesse e me mudei fui eu
punir a decisão final um pouco antes de explodir a vida de meus lindos filhos
em pedaços.
As coisas são calmas, pacíficas, amigáveis e divertidas em "casa", mas a sexual
a dinâmica não mudou em nada, apesar de todas as probabilidades. Eu finalmente alcancei o
ponto que dou 0 foda de qualquer maneira e cada dia que passa me torna um
um pouco mais ambivalente em relação a todo o negócio.
Demorou muito para chegar aqui, mas algo aconteceu na semana passada que
abriu meus olhos para como minha vida tem sido uma merda por muuuuito tempo e como
neste ponto ela é o único "problema" que resta na minha vida e eu não posso "consertá-la".
A rápida história de volta é que eu fui um beta gordo por muito tempo e tenho
está nesta jornada há cerca de 2 anos. Estou bastante rasgado agora e tenho
"Consertado" a mim mesmo a ponto de me sentir confortável em dizer que sou um dos principais 5-
10%
caras no meu metro. Boa aparência, negócio de sucesso, vestido-se bem ... etc.
Na semana passada iniciei com a esposa enquanto estava em nossa casa ajudando a levar
as crianças para a cama. Ela atirou em mim como há meses. Ainda transamos
aqui e ali, mas a qualidade está péssima há um tempo.
Eu ri, disse boa noite a ela e voltei para minha casa. Na verdade eu prefiro
estar lá agora. Passei a amar a solidão também como a solidão e
sentir falta das crianças um pouco.
Eu malhei e li por um tempo e fiquei entediado, então decidi baixar
Bumble e Tinder para obter uma medida sem risco de onde estou se eu acabar me aproximando
dela. Tenho recebido muitos IOIs em público, mas moro em uma cidade pequena, então
persegui-las acabaria por levar a grandes problemas. Eu também baixei e
Falsifiquei a localização do GPS e me coloquei em um estado muito, muito distante para ter certeza
de que
ia se deixar levar por um de seus amigos solteiros de merda ...
Senhores ... Já se passaram 4 dias e atualmente tenho mais de 60 não solicitadas
mensagens de todos os tipos de mulheres. Minha caixa de entrada está cheia de peitos não
solicitados e
tiros de buceta de mulheres muito mais gostosas do que minha esposa. Eu tenho 5 mulheres
literalmente me implorando para gozar com elas e mais 5 ou mais, estou confiante de que
poderia foder em uma semana se eu quisesse.
É uma coisa boa eu me colocar tão longe ou a tentação provavelmente iria
ser demais para lidar. Excluí os aplicativos esta manhã porque não estou pronto
para explodir tudo ainda e eu quero dar ao casamento toda a chance
para o bem dos meus filhos. Eu me conheço bem o suficiente para saber que uma vez que eu provo
algo
estranho, não haverá mais volta. O zumbido constante do
telefone também estava matando minha produtividade.
O resultado final é que todo esse experimento matou qualquer último fragmento de
Oneitis que tive e abri meus olhos para como será minha vida
para a frente se este for o caminho que está acontecendo. Minha esposa é uma boa mulher e é
bastante quente, mas parece que ela pode não ser capaz de ver depois de todos esses anos
de merda beta de mim e tudo bem.
Não contei minha história para me gabar, mas para reafirmar que só você pode mudar
e determinar a qualidade de sua vida. Eu posso te dizer que 2 anos atrás eu era uma
bagunça tentando segurar os farrapos do meu casamento enquanto minha esposa estava
bastante repelida por mim. Minha esposa vai ou não vai se transformar em uma sexy
mulher que eu quero nos próximos meses, mas agora eu realmente não me importo porque
eu dolorosamente me transformei em um homem que o mundo tratará muito bem
de qualquer jeito.
Hoje, a esperança de melhorar as perspectivas sexuais de um homem no casamento é encontrada
principalmente na consciência da pílula vermelha. Eu ousaria dizer que a pílula vermelha, jogo
e a Manosfera tem feito mais para melhorar o acesso sexual dos homens em
casamento do que aconselhamento matrimonial contemporâneo há cerca de 10 anos.
Isso deve ser elogiado, eu acho, mas também tem que vir com o entendimento
que a experiência de nenhum homem, a situação de nenhum homem com sua esposa / mulher,
nunca é
a mesma, nem é ideal.

Há um conjunto de homens Red Pill (geralmente casados) que também tentam fazer
tudo certo - de acordo com o conhecimento da Red Pill e o jogo aplicado - e,
de acordo com a história deste homem, a situação é tal que ainda "não é suficiente".
Esses homens se conscientizam da pílula vermelha, desligam-se da tomada e lutam para aceitá-la
enquanto se privam do condicionamento da pílula azul. Eles
colocam tempo para o insight e a busca da alma, eles lidam com as
verdades desconfortáveis sobre o que eles têm sido durante toda a vida. Eles lidam com a
raiva que inspira e eles sair do outro lado e começam a refazer
si mesmos. Eles se auto-aperfeiçoam.
Roosh uma vez teve um momento Dalai Lama em um vídeo sobre como ele acredita
que o autoaperfeiçoamento é um canal zen predefinido para os homens, e eles não deveriam
preocupar-se em melhorar a si próprios Eu digo besteira. O autoaperfeiçoamento em si é
um estado de ser. Uma vez que um homem se aplica, investe mais em si mesmo do que
ele sempre mudou, muda de ideia sobre si mesmo, etc. ele se torna seu
ponto de origem mental.
Esses homens começam a ver os resultados de seus esforços; esforços frequentemente
sem o conhecimento de sua mulher. Ela pode testemunhar as mudanças externas, mas apenas
ele conhece a experiência de suas mudanças internas. Agora ele tem que lidar com
novas experiências que antes eram estranhas para ele em sua antiga pílula azul
de identidade própria. Alguns são desconfortáveis e exigem que ele use o julgamento que nunca teve
que fazer antes. Outras são tentações ou oportunidades que ele nunca teve
acesso a antes.
Tudo o que levou a essa transição exigiu muito investimento pessoal em
sua parte, e por sua consciência da pílula vermelha, ele 'fez tudo certo'. Esta
experiência transformadora torna-se uma espécie de Equidade Relacional para ele;
equidade que ele acredita que sua esposa, sua ex, a velha colegial que ignorou
ele, deve ter algum apreço. Assim como os velhos livros que
acreditavam que se construindo em suas carreiras ou conseguindo mais
toque em seus lados femininos seria a chave para fazer tudo certo,
o cara ciente da pílula vermelha descobre que não é ele, é ela.
Por que os homens são do jeito que são

Um dos livros mais influentes que já li, peguei no minha


biblioteca da casa do meu pai quando eu tinha cerca de 24 anos. Esse livro era o Dr. Warren
Farrell's Por que os homens são do jeito que são. Na época, não me pareceu
estranho que meu pai tivesse este livro em sua coleção - minha clínica
deprimida, feminista da 3ª onda, hippie idosa de uma madrasta tinha eventualmente
convencido-o a lê-lo para algum clube do livro unitarista ao qual pertenciam
no início dos anos 90. Eu ainda tenho isso. Tem até as notas do encarte dela feitas a lápis
rabiscado nas margens com toda a indignação feminista que imagino que deve ter
inspirado nela. É uma espécie de ironia cósmica que o livro que ela publicou
seria instrumentalizado para minha própria escrita e persona online.
As pessoas sempre me perguntam quando meu ponto de desconectar aconteceu, mas se eu estou
honesto, foi um processo gradual que exigiu muitas experiências ruins para
aprender meu caminho para sair da Matrix. No entanto, o livro de Farrell foi um ponto de virada
para mim. Infelizmente, tive que reavaliar minha opinião sobre o Dr.
Farrell - ele ainda é muito Blue Pill e provavelmente nunca irá para o túmulo
fazendo a conexão de que uma crença no igualismo igualitário (como ensinado a ele
pelo feminismo inicial) é o que o manteve cego para realmente aceitar a consciência de pílula
vermelha
. Mas se eu tivesse um momento para desligar, diria que foi diretamente
atribuível a este livro.
Acho que o que mais me impressionou na época foram as muitas histórias de
os homens com quem Farrell tinha feito sessões de "grupo de homens" enquanto fazia sua
pesquisa para o livro. Foi publicado em 1986 (cerca de 7 ou 8 anos antes de eu
ler) então já estava meio datado quando eu li, mas na maior parte
esses homens meio que tinham esse tipo de ocupação com outros homens para se relacionarem.
Se você leu a seção Tribos no início deste capítulo,
entendo por que esses encontros new age parecem muito artificiais para mim, mas
as histórias que esses caras estavam relatando no início a meados dos anos 80 eram sobre o que
eu esperava vir do meu próprio pai.
Todos eles fizeram tudo certo. Alguns eram produtos da geração de amor livre
ou os hedonistas anos 70, mas no geral esses caras foram pegos na
tempestade perfeita de ainda estaerem agarrado aos velhos livros Beta-provisioning de social
contrato e a expectativa das feministas da 3ª onda de que sejam ‘evoluídas
tipo machos '. Mais do que alguns estavam participando desses grupos de homens a pedido de
suas esposas com poder na esperança de que aprendessem a entrar em contato com

seus lados femininos ou pelo menos encontrar uma maneira melhor de atender às suas
“necessidades”. Eu
poderia ver meu pai como um desses homens. Papa Tomassi estava muito confuso
como homem com relação às mulheres como eram, mas ser pego no auge de uma era
quando a primazia social feminina se impõe e ainda faz parte de
o contrato social de "fazer tudo certo" e o sistema de crenças que era
fadado ao fracasso nas próximas décadas, posso entender muito dessa
confusão. Um homem no livro descreveu assim:
“Eu sinto que passei 40 anos da minha vida trabalhando o máximo que pude para
tornar-se alguém de quem eu nem gosto. "
Cada um desses caras relatou uma frustração semelhante. Eles arrebentaram suas bundas
por décadas para cumprir o antigo contrato social dos livros, aquele que tinha sido a
maneira que você fez a coisa certa para ter uma vida com uma mulher, uma família,
filhos, talvez netos, e tudo isso não funcionava mais para os homens.
Rollo Tomassi de 24 anos lendo este livro não sabia o que
a hipergamia realmente era naquela época, mas enquanto eu conto a confusão desses homens
hoje posso ver que foi o resultado de ser o primeiro homem a perceber que
a hipergamia institucionalizada estava apagando aquele velho paradigma social para eles.
Investimentos ruins
Eu cobri a falácia do Equidade Relacional em meu primeiro livro, mas acho
é necessário revisitar a ideia aqui para entender como ela ainda prejudica
homens em uma era de hipergamia aberta e primazia social feminina. Estes homens,
a maioria dos quais está provavelmente em seus 70 anos agora, tinha um preconceito do que
significa 'fazer tudo certo'; jogar por um conjunto de regras que
as mulheres deveriam achar atraente, reconhecer e honrar.
Além disso, eles foram ensinados a esperar um grau de igualdade mútua
raciocinar a partir dessas mulheres novas, fortalecidas e em evolução. Se as necessidades não fossem
sendo atendidas, bem, então tudo o que era necessário era um coração aberto
e comunicação e negociação colocariam as coisas de volta nos trilhos porque
pode-se esperar que as mulheres sejam equivalentes funcionais aos homens. Esta foi
a igualdade de ouro, igualitária, sexual, futuro que o feminismo prometeu a
caras nos anos 70 e 80.

Equidade Relacional é a crença equivocada de que "fazer tudo certo"


seria necessariamente o que atrai uma mulher, guarda uma mulher, um
esposa, uma LTR, de ambos em infidelidade, e foi uma garantia de que ela continuou
com felicidade com seu homem. Desnecessário dizer que as experiências coletadas de homens
que levou à praxeologia do que conhecemos como consciência da pílula vermelha coloca a
mentira disso - mas como homens, esperamos algum tipo de reconhecimento por nossa
conquistas. Racionalmente, em um contexto masculino, esperamos que o que fazemos
será pelo menos reconhecido como valioso, se não honrado, por outros homens. Por essa
extensão de nosso contrato social igualista, mulheres, a quem nos dizem
que devemos esperar ser agentes co-iguais aos homens, também deve ser esperado
ver além de suas naturezas hipergâmicas emocionais e fazer uma lógica
conclusão para ser atraídas por homens que se encaixam bem em um
sentido entendido.
Isso, é claro, é um absurdo pelo mesmo motivo que esperar que
desejo pode ser negociado é um absurdo, mas essencialmente esta é a ideia de que
a mudança no contrato social da época estava tentando convencer os homens. E como
você pode esperar, aqueles homens, aqueles com a visão para reconhecê-lo, viram
pelo oportunismo que realmente foi. Mesmo se eles acabassem aos 40 odiando quem
eles se tornaram. Da Equidade Relacional:
Esta é uma verdade muito difícil de engolir, porque saber como
As obras de hipergamia necessariamente desvalorizam seu conceito de Equidade Relacional
com a mulher com quem estão comprometidos, ou considerando um compromisso.
O conceito de equidade relacional dos homens origina-se de uma mentalidade que aceita
desejo negociado (não desejo genuíno) como um meio válido de segurança no relacionamento.
. É precisamente por isso que a maioria do aconselhamento de casais falha - sua operação
origem começa a partir do equívoco de que o desejo genuíno (hipergamia) pode
ser negociado indefinidamente.
Quando nos tornamos conscientes da Red Pill, também há uma espécie de Equidade Relacional
que precisamos reconhecer e gerenciar. Depois de desconectar, é fácil
pegar pensando que porque conhecemos o jogo, porque temos
passados por provações, porque sabemos que somos homens de maior valor - se por
nenhuma outra razão senão que não subscrevemos mais as dúvidas de nossos
Condicionamento da pílula azul - por causa dessa consciência, tendemos a pensar que isso

deve ser consciente ou tacitamente apreciado por uma esposa, namorada ou por
mulheres que estamos tratando no clube.
Isso pode ser meio difícil para um homem ciente da pílula vermelha, porque muitas vezes
algo que precisamos manter latente em nós mesmos. Sendo aberto sobre consciência Red Pill
com as mulheres é quase sempre autodestrutiva porque expõe
o jogo. As mulheres querem jogar o jogo, não querem que lhes digam como é
operado. Em nossa vida cotidiana é necessário reservar e observar ou nós
expomos ao risco de mudar o processo.
Reconhecer abertamente o valor que um homem acredita que deve inspirar em uma
mulher alterará sua percepção desse valor. A maioria dos homens que recorrem a
forçar a mão de uma mulher, expondo todas as qualidades de si mesmo (reais ou
imaginados) ele acredita que ela deve reconhecer e apreciar não apenas
expor sua crença de que o Equidade Relacional e uma mentalidade de velho paradigma é
seu ponto mental de origem. Na verdade, caras que tentam se definir
à parte, listando todas as maneiras pelas quais eles são valiosos para seguir as regras
geralmente ficam envergonhados pelas mulheres no final, porque essas qualidades têm
tornado-se um lugar tão comum e esperado que eles se tornassem degradados.
Então, você é um ótimo pai para seus filhos e um marido dedicado que construiu
se no cara que qualquer mulher deveria se sentir atraída, que deveria ser uma
grande pegadinha?
Isso é ótimo, mas é o que você deve fazer. E todas essas coisas
que você deve fazer, não é isso que engendra o genuíno desejo da mulher
. Em uma ordem social primária feminina - a mesma ordem que deliberadamente
interpreta mal a masculinidade para os homens - tudo o que os homens precisam fazer,
indefinidamente, é apenas um
um pouco mais para ‘fazer tudo certo’.
O despertar
Nos fóruns Married Red Pill e MGTOW Reddit houve
discussão do conceito de ser ‘acordado enquanto casado’. Espero que não
destruímos esse conceito muito mal aqui, mas acho que um aspecto de se tornar
Consciente da pílula vermelha, seja você um jovem solteiro ou um homem mais velho, casado
que chega um ponto em que você está acordado e ciente do

condicionamento e o paradigma intersexual em que você realmente vive. Honestamente, eu


invejo os homens mais jovens que adquirem essa consciência cedo na vida, mas eu também
reconheço que a responsabilidade deles é maior para com a verdade para o resto de
suas vidas desconectadas. Homens acordados enquanto casados pelo menos têm a desculpa
de terem sido iludidos pelo condicionamento Blue Pill a maior parte de suas vidas para
esse ponto.
Para os homens mais jovens, a pílula vermelha apresenta desafios a cada nova
mulher em potencial com quem um homem se dedica. Para o casado desperto
, seu desafio é se reinventar em um paradigma consciente da pílula vermelha com
uma mulher que já está intimamente ciente de sua persona, possivelmente por
décadas. Sempre dizemos que, uma vez que você se torna ciente da pílula vermelha, não há
volta. Mesmo para homens que entram em negação total e escolhem viver com
a dissonância cognitiva do que eles sabem sobre sua própria pílula azul
e o condicionamento e o jogo sócio-sexual acontecendo ao seu redor
sendo sempre um lembrete da consciência da pílula vermelha que ele notará em sua periferia.
Para um homem que despertou para sua condição quando casado, seu estado nunca é
um lembrete final do que sua indenturement Blue Pill fez dele.
O cara do grupo de homens do Dr. Farrell, o marido da Pílula Azul gastou mais
de sua vida tentando se tornar alguém de quem pode ou não gostar, mas que
processo de transformação foi impulsionado por sua existência condicionada pela Pílula Azul.
Uma vez que aquele homem se torna ciente da pílula vermelha, ele agora se depara com dois
problemas -
como ele vai se refazer e como sua esposa vai aceitar esse refazer?
Desde os primeiros posts do meu blog, sempre enfatizei que um homem
de Frame dominante em seu relacionamento é vital para a função daquela
relação. Infelizmente, a maioria dos homens que foram acordados enquanto casados
começaram seus relacionamentos com uma forte percepção Beta para suas esposas. Nós
podemos debater se apenas o compromisso do casamento em si contribui para um
percepção predominantemente Beta de um homem, mas em uma era de masculinidade
ridícula, Open Hypergamy e Alpha Widows, é uma boa aposta que as impressões de mulheres
de seus maridos raramente é de uma confiança reservada de Alfa.
Esta é uma posição difícil para um marido consciente da pílula vermelha enfrentar.
Às vezes, a impressão de uma esposa sobre sua Betaidade é muito incorporada, ou ela
construiu uma estrutura relacional em torno de esperar que ele fosse um Beta infeliz.
Os humanos são criaturas de hábitos com uma necessidade insaciável de ver familiaridade

nas ações de outras pessoas. Sua previsibilidade lhes dá uma sensação de controle. Eu
deve acrescentar que esta expectativa de previsibilidade não se limita apenas a uma esposa
ou percepção de seu marido Beta. Isso pode, e muitas vezes se estende, a
família ou amigos de um homem que também esperam que ele seja o Beta que sempre foi. Isto
então apresenta outro desafio em se refazer em algo novo,
dominante e respeitável em sua consciência da pílula vermelha.
Muitos dos homens com quem eu costumava fazer aconselhamento de pares no início dos anos 2000
queria apenas uma coisa; eles queriam que suas esposas tivessem um desejo genuíno de
fode-los com um entusiasmo que eles nunca conheceram (mas acreditavam que era
possível) ou eles esperavam reviver (e esperançosamente manter) um genuíno
desejo sexual que desfrutaram com suas esposas enquanto namoravam. Nenhum
deles queriam (pelo menos no início) abandonar seus casamentos, eles apenas
queriam fazer a coisa certa para que suas esposas pudessem transar com eles, amá-los, respeita-los
. Eles realmente queriam que as coisas funcionassem, e tanto que eles
perguntavam abertamente a suas esposas "o que eu tenho que fazer para que você ame / foda /
respeite
eu e eu FAREI! ” O que, claro, foi precisamente o que mudou
suas esposas ainda mais.
Sua franqueza e desespero eram apenas mais um reforço e
confirmação da percepção das esposas desses homens sobre seus status Beta.
No entanto, esses homens são os descendentes das gerações que convenceram
a eles que a "comunicação aberta" resolve todos os problemas de relacionamento, mas aqui
eles estavam, sendo abertos, diretos, esperando uma solução racional e negociável para
seu problema apenas para que isso afastasse ainda mais suas esposas desgostosas.
A hipergamia não se importa quando a impressão duradoura de uma mulher sobre um homem é
status beta dele
. Como a consciência da pílula vermelha em um homem e as mudanças que ela traz
ele será aceito dependo muito de sua condição predominante. o que
que os maridos querem é uma mudança radical na impressão de suas esposas sobre eles, uma vez
que
adote um modo de vida consciente da Red Pill / Game. A maioria dos maridos tem que pesar
seus investimentos emocionais e pessoais em suas esposas com a realidade de que
as impressões de suas esposas sobre eles podem simplesmente nunca mudar. Tornando-se
consciênciente da pílula força os maridos a terem que julgar se seus
casamentos valem até mesmo o esforço considerável de tentar melhorar.
O homem mais sexy do mundo?

Quando consideramos que as culturas ocidentais se consolidaram na feminino


primazia social, e uma forma que as mulheres precisam em primeiro lugar de interpretar qualquer
dinâmica, as coisas ficam um pouco mais fáceis quando você destila a intenção de uma
escala social em escala pessoal. O que está sendo relacionado é o desejo de
socialmente, culturalmente, mudar a definição do que deve ser considerado
"Sexy" pelas mulheres, apesar de todos os indícios de excitação e atração que são
sujeitos. A presunção em que isso se baseia é que a atração é uma
construção e, portanto, algo que pode ser alterado.
Este é o paradoxo em que os homens se encontram; eles estão presos na tentativa de
apaziguar deliberadamente a manipuladora, mas social deliberadamente conflitante
paradigmas para ter 'sucesso' com as mulheres. Como vai a narrativa, se um homem
faz tudo de acordo com o livro, se ele faz tudo certo, se ele aceita as
responsabilidades de femininas-primazia espera dele, ele pode ser considerado
ser um adulto, e ele pode assumir suas chances de ser considerado "sexy" por
mulheres e certamente sua própria esposa. Ao aceitar essa definição de sua
carga de desempenho, ele aprende que as mulheres necessariamente apreciarão
o patrimônio que ele acumula no relacionamento ao investir nele. Se ele
segue o paradigma dos livros antigos, eventualmente, uma vez que uma mulher
com Indiscrições de anos de festa "fora do sistema" que ele pode esperar encontrar
sendo “Sexy” por essas mulheres.
Da perspectiva da pílula vermelha, vemos isso pelo que é, os velhos livros sociais
de contrato que ainda está sendo vendido a uma geração de homens que cada vez mais
vendo isso como a mentira transformadora que é. Homens são encorajados a chegar à idade adulta
como se casar, se tornar pai e trabalhar muito para comprar uma casa. Eu
poderia argumentar que não há Cleavers June sobrando no mundo ou que
casar é uma aposta de alto risco e baixo rendimento. Eu poderia argumentar que se tornar um
pai só faz o homem cair na caricatura ridícula ou odiada
que a cultura popular fez deles. Eu nem vou começar com os riscos do
mercado de imóveis.
Por tudo isso, o desejo ainda é um retorno a um contrato social onde os homens estão
condicionados a acreditar que serão recompensados por fazer tudo certo.
Essa noção da velha escola se tornou a isca Beta dos últimas três
gerações.

A maioria dos homens que 'despertaram enquanto casados' que aplicam sua pílula vermelha
consciência de tal forma que eles possam alcançar este estado idílico que estamos
tendo certeza de que é possível se todos nós apenas Man Up. Pílula Vermelha mais casada (MRP)
os homens estão procurando salvar seus casamentos. Eles vêem isso como a chave para obter uma
mulher a apreciando seu investimento nela, em seus filhos, em seu casamento, sua
dedicação em ‘fazer tudo da maneira certa’,
Da mesma forma que os caras solteiros do Red Pill irão (inicialmente) focar na Red
Conscientização da pílula e jogo, a fim de eventualmente se conectar com seus malfadados
Dream Girls, também o faz o cara do MRP. A diferença é que ele é
convencido de que ele já é casado com a garota dos seus sonhos e a única coisa entre
ele e aquela vida ideal com ela é encontrar a fórmula para alcançar o plano de vida que esse
paradigma nos vende.
Como eu disse antes, a primeira intenção da maioria dos homens casados quando desligam não é
divorciar-se de suas esposas, ir aos clubes e girar pratos. Seu primeiro pensamento é “como
eu faço com que ela passe a me apreciar? " ou “Como faço para voltar para
o tipo de sexo que fizemos (ou acho que poderíamos)? ” Eu acho que é importante para
homens, tanto solteiros da Red Pill quanto MRP, para se desiludirem dos objetivos Blue Pill
que eles acham que podem ser alcançados com a consciência da pílula vermelha. eu digo
isso porque coloca a consciência da pílula vermelha na percepção de que é uma cura
para seus problemas. Embora possa parecer nobre para um cara recém-desconectado
que quer usar seus novos superpoderes de conscientização da pílula vermelha para o bem (não para
mal) e valentemente usá-lo para fazer a coisa certa por sua esposa, seu desejo de fazê-lo
ainda é fundado em um condicionamento de pílula azul que o ensinou que ela será
receptivo a isso e ele será apreciado por isso.
Pode ser que sua nova impressão de Alfa em sua esposa não seja algo que ela
jamais reconhecerá ou aceitará como 'o verdadeiro nele'. E enquanto esta frustração
se desenrola em seu casamento, ele também vê as respostas positivas das mulheres
fora de seu casamento - mulheres não familiarizadas com seu passado Beta - que prontamente
responderam ao jogo que ele aplica. Esse novo reforço positivo com
mulheres de fora contendem com o reforço negativo de sua esposa dentro de seu
casamento.
O que o homem vê na mulher como uma opção viável a longo prazo e está ansioso para agradar
(na verdade agradou em muitas ocasiões), mas está ciente de que pode nunca

retribuir em espécie? Será que ele vai perder seus melhores anos cobiçando algo que ele
pode nunca ter?
Não seria melhor entreter uma mulher um pouco inferior e ser sua top
prioridade?
Se uma esposa não pode mais se dar, ela ainda acha adequado exigir o
nível de investimento como quando ela fez? Um homem ainda pode apreciar a tácita
aprovação que sua esposa oferece a ele, em não questionar seu paradeiro quando ele está
envolvido em um caso extraconjugal. Ela mostra afeto e apoio em
outras maneiras? A verdade é que a maioria das mulheres sob a influência do Feminino
Imperativo não apóiam seus parceiros, nem cultivam um
entendimento com eles quanto aos limites de sua capacidade sexual.
Os homens, por sua vez, gostam de pensar que as relações sexuais com suas parceiras, irão
estar sempre disponível, no tempo e nas circunstâncias. A realidade é que não é.
Nossas biologias não foram feitas para tolerar essas condições. Especialmente com uma
mulher que constantemente testará você e castrará você, em cada
maneira concebível que ela pode adivinhar.
Uma mulher invariavelmente vai te condenar por sua fraqueza, mas espera
compreensão para a dela.
Experiências Comuns
Existe uma escola de pensamento sobre ser Red Pill e casado que acredita
que fazer uma esposa (ou namorada LTR) aceitar o 'novo você' como sendo
impossível. As coisas podem melhorar nominalmente devido a uma dinâmica de Dread
funcionando, mas seu novo casamento Red Pill nunca será o que você deseja
ser porque você melhorou, ela não melhorou e ela nunca te quis nesse
caminho em primeiro lugar.
Não aceito esta avaliação em sua totalidade, no entanto, vejo onde esse
sentimento vem. A maioria dos homens que são acordados enquanto casados são homens
que seguiram o mesmo roteiro dos homens que ilustro em Betas in Waiting.
Estes são os homens que 'fizeram tudo certo' pela melhor parte de
a vida deles. Eles se cultivaram para serem os provedores perfeitos que
Sheryl Sandberg quer que as mulheres acreditem que estarão esperando por elas quando

sua aparência começa a desbotar e é hora de lucrar com o mercado sexual.


Estes são os homens que acreditam que seu trabalho árduo e perseverança esta finalmente
pagando com as mulheres que agora o acham irresistível porque ele
representa sua salvação em segurança de longo prazo e investimento como pais.
A maioria das mulheres que entram na Fase de Epifania estão expressamente procurando por um
Beta para cuidar delas agora que os anos de festa estão chegando ao fim para
ela. Eles acabaram (aparentemente) com os Bad Boys (algo que eles tinham que fazer
"Crescer fora de") e agora querem fazer as coisas "da maneira certa". Isso, é claro,
serve para um Beta em Espera muito bem porque seu condicionamento Blue Pill
preparou-o esperando que ele "fizesse as coisas da maneira certa" também
Acreditam que qualquer mulher que queira fazer o mesmo deve ser uma Qualidade mítica
de Mulher.
Esses homens acreditam que seu navio finalmente chegou, mas por causa disso,
os homens costumam ser os mais difíceis de desconectar. Eles têm mais dificuldade com
Conscientização da pílula vermelha porque, ao aceitá-la, eles também devem aceitar que o que
levou ao seu casamento com aquela Mulher de Qualidade também foi resultado de seu
Condicionamento de pílula azul. Muito do seu ego é investido no Beta Game e nas convenções Blue
pílulas, mas também um convencimento forçado de que eles fizeram
tudo certo e foram recompensados por isso.
É por isso que é uma pílula amarga de engolir quando a esposa daquele cara o alimenta com
gotejamento
de sexo, ou ele descobre que seu melhor desempenho sexual estava reservado para outro homem
dentro do passado
dela, ou ela diz a ele que o ama, mas ela não está apaixonada por ele. Mesmo com
a cara de desrespeito absoluto ou suas confirmações Beta de testes de merda que falharam,
ele ainda se recusará a reconhecer seu estado. Muitas vezes é apenas prolongando
assexualidade (e mesmo isso é racionalizado há muito tempo) que o motiva
para buscar as respostas da consciência da Red Pill.
O Beta em Waiting nunca teve Frame antes ou durante seu casamento. De fato,
era apenas essa falta de moldura que o tornava material de casamento para sua esposa.
Ele nunca foi "Alfa" para ela, e em sua mentalidade igualista que ele acreditava nisso
que era o que o distinguia e o tornava atraente então. Assim, partindo desta
impressão inicial de Beta muito forte para uma posição de domínio Alfa pode
ser quase impossível - particularmente se seu status auto-confirmado fosse o de
sendo um Beta orgulhoso para começar.

Existem outros homens que irão relatar terem tido um status Alfa antes de seu
casamento, mas eles o perderam em algum lugar ao longo do caminho. Eles eram o alfa
'Apóstatas' que, possivelmente, entraram no casamento com um dominante
Frame, mas isso se dissolveu como Frame de sua esposa ou inseguranças sobre ele
passou a dominar seu relacionamento. Eu acho que este é provavelmente o cenário que
parece mais confortavelmente verossímil quando um homem desperta
enquanto casado. É um retorno a uma impressão anterior (ou uma que sua esposa esperava
que ele encontraria) e, portanto, mais crível quando o fizer. Os Alfas ‘domesticados’
também são os caras com esposas que tentarão minimizar ativamente sua transformação pílula
vermelha
. Suas esposas são simultaneamente excitadas por este reacender
de seu domínio Alfa, mas com medo de que ele venha a vê-la como um
investimento fracassado que ela provavelmente é para ele. Isso pode ou não ser o verdadeiro
caso para ele, mas para ela vai levar a possessividade e um controle sobre
como ele pode expressar "apropriadamente" este domínio - o que por sua vez
o desqualifica.
A pílula vermelha mostra o lado negro das mulheres. Não é assim que você vai odiar
elas, mas para que você as aprecie pelo que são, não pelo que não são.
Acho que um dos aspectos mais difíceis da pílula vermelha para homens que são acordados enquanto
casados (ou monogâmicos) aceitar é ver a
a desilusão de seu idealismo da Pílula Azul sobre as mulheres foi confirmada para eles
no comportamento e na mentalidade de suas esposas. Romper os investimentos do ego da Pílula Azul
de homens solteiros que se desconectam é uma tarefa difícil, mas seu
risco de investimento em mulheres (reais ou imaginários) que eles acreditam que podem fazer
com companheiros de longo prazo aceitáveis é muito menos do que um homem que foi casado por
mais de 4 ou 5 anos.
Para o único cara do Red Pill com a opção de simplesmente se afastar de uma situação inferior
do que a situação ideal, seu conflito se torna um de potenciais e pesando
contra seus ideais da Pílula Azul - ideais dos quais sua desconexão deveria livrá-lo.
Sua luta é sobre o "e se" e se desiludir da
mentalidade de escassez para a qual a Pílula Azul o condicionou. Enquanto
a hipergamia intrinsecamente instila nas mulheres uma dúvida persistente sobre a
qualidade, a Blue Pill instila nos homens a dúvida sobre a "qualidade" das mulheres
em escassez e sua capacidade de encontrar e manter uma "alma gêmea".

No entanto, para homens casados, com uma quantidade considerável de aspectos emocionais,
sociais,
e investimento financeiro e familiar em jogo em seu casamento, é natural
a resistência que vem na forma de negação. O que é difícil é que, dentro deste
estado inicial de negação, um marido aceita as verdades da pílula vermelha sobre as mulheres
e então essas verdades foram confirmadas para ele pela mulher que ele esteve
dormindo ao lado por vários anos. Toda a consciência sobre os homens e
os diferentes conceitos de amor das mulheres, a verdade da hipergamosidade feminina
oportunista motivada, ela confirmando sua hipergamia aberta, todos os
eventos que o levaram a se comprometer em casamento com ela enquanto estava
ainda efetivamente Blue Pill - tudo isso é confirmado para ele quando ele coloca
na prática os conceitos que ele aprende com a pílula vermelha.
Por toda a suposta "raiva" que os críticos especuladores gostariam de eliminar
no pensamento da pílula vermelha, essa raiva encontra sua base na confirmação dos homens
de seu próprio papel no que foi (ou teria sido) uma estratégia ao longo da vida para ele
cumprir os ditames da hipergamia feminina, bem como o escopo mais amplo do
Imperativo feminino. Quando colocamos isso na perspectiva de um casado
homem que desconecta, você pode ver por que isso é uma ameaça ao imperativo.
Esse homem deve reavaliar sua vida da posição de ser um inconsciente
participante de seu condicionamento Blue Pill, mas, além disso, ele se torna em
cuidado constante, um aviso, para os homens que ainda não fizeram as mesmas
decisões ignorantes que eles tem.
Não há nada mais deprimente para mim do que ouvir um homem casado
repetir todos os tropos que o Imperativo Feminino o ensinou a
repetir sobre por que ele está no papel subserviente em seu casamento. Estes são os
caras que vão contar aos homens solteiros como eles devem "limpar tudo
com a chefe ”antes de serem autorizados (ou permitirem a si próprios)
participar de qualquer coisa remotamente masculina ou divertida. Esses são
os homens que tagarelam sobre suas listas de "mel-fazer", os homens que contam
a eles têm a sorte de ter uma "ótima esposa" que permitirá que ele assista
hóquei ou futebol em um fim de semana.
Esses maridos são deprimentes para mim porque, em sua ignorância da pílula azul,
eles representam a soma de seus papéis de acordo com as estratégias do
Imperativo feminino. Eles ficarão contentes, Cavaleiros Brancos, pelo direito de suas esposas de
o quadro de seu casamento (sob o pretexto de igualismo). Eles vão rir
e ter pena de outros maridos que compartilham sua posição de
impotência-mas-com-toda-responsabilidade. Eles vão piar com pouco engraçado
com Memes do Facebook que compartilham seu estado ridículo de casado, mas por tudo esse
aquiescer com seus "destinos" o que eles realmente representam é o estado-objetivo de
homens no plano do Imperativo Feminino para suas vidas.
Os homens geralmente chegam à realização de seu papel designado em algum ponto
na vida deles. Quer se trate da consciência da pílula vermelha ou de uma crise de meia-idade
de epifania, os homens "acordam" em algum aspecto. Os poucos que não são homens
cuja existência literalmente depende de eles não chegarem a um acordo sobre como o
Blue Pill os tornou o que / quem são. A forma mais comum de
homens que chegaram a essa consciência foi aquela epifania da meia-idade, mas em
ordem para os homens reconciliarem essa consciência com a manutenção de um confortável
senso de si mesmos, eles se tornam homens que abdicam prontamente de Frame. Eles realmente
não sabem nada além do que a pílula azul os criou para ser, então
eles entram em negação e adicionam algum humor autodepreciativo para lidar com
a dissonância de saber que foram interpretados pelo Imperativo Feminino
para a melhor parte de suas vidas. Então você obtém os maridos ‘Sim, queridas’; a
homens que percebem a verdade tarde demais, mas a mesma mentalidade de escassez força
eles irem juntos para se dar bem.
O aumento da consciência da pílula vermelha sobre a dinâmica intersexual na internet
feito para uma comunidade de homens que acham essa negação desagradável. Ao invés de
abdicar do imperativo e da moldura de sua esposa eles olham para a pílula vermelha
e o jogo para um remédio para esse estado. Às vezes, isso faz com que suas esposas
fazem sexo com eles com mais frequência ou eles estão procurando melhorar
em um contexto de pílula vermelha para ganhar o respeito das mulheres (suas esposas). Como eu
tenho
mencionado muitas vezes antes, a pílula vermelha representa uma ameaça para o
Imperativo feminino mantendo os homens ignorantes de seus papéis nos planos hipergâmicos das
mulheres
. Agora, essa ameaça se concretiza no contexto de
casamentos de homens.
De uma forma ou de outra, os homens ficarão cientes de seu papel, como aquele homem
trata de lidar com isso é outra história. A maioria (sendo a Pílula Azul) abdica
e aceita sua impotência em seus relacionamentos. São os outros homens que
escolhem não apenas enfrentar, mas reconstruir-se de que a pílula vermelha
tem respostas.

Termine com sua esposa


Em vários tópicos de comentários no meu blog e nos fóruns do Red Pill Reddit
leitores tiveram uma discussão sobre como qualquer casamento (pelo menos no
senso contemporâneo) é sempre fundado em um status Beta para o marido. Eu
não concordo inteiramente com essa avaliação, mas considerando como a grande
maioria dos casamentos é o culminar de homens condicionados por Blue Pill
cumprindo seu papel de provedor semi-traído para mulheres que lucram com
o mercado sexual é certamente uma presunção compreensível. Eu não vou
elaborar muito sobre os detalhes, mas o próprio ato de se comprometer com uma
mulher monogamicamente implica que um homem (mesmo aquele com uma persona Alfa) é
inclinando-se para uma percepção predominantemente Beta. Conforme a lógica,
Alfa não se compromete com ninguém além de si mesmos, Betas estão ansiosos para se
comprometer
por necessidade e por escassez. O ato se torna a confirmação.
Se seguirmos esta lógica binária, a única solução para a condição de um homem dentro
seu casamento - a única maneira de instituir uma mudança real - é rejeitar e romper
esse compromisso. Pessoalmente, vivi o que a maioria dos homens invejaria
no meu casamento há mais de 21 anos, então a ideia de deixar a Sra. Tomassi
só pareceria uma boa ideia se eu não estivesse sexualmente satisfeito,
psicologicamente e da mesma forma com ela. Mas, como eu sempre repito, não use meu
casamento como uma referência. Chegou um ponto em que eu precisei terminar
com ela, mesmo que apenas adotando meu próprio ponto de origem mental acima do de
dela ou mulheres em geral, como meu próprio condicionamento Blue Pill esperaria
de mim.
Mencionei no início desta seção que homens casados (comprometidos)
procurando se reconstruir dentro desse contexto, deve ler a postagem
para a Regra de Ferro de Tomassi # 7:
Regra de Ferro de Tomassi # 7
É sempre o tempo e o esforço mais bem despendidos no desenvolvimento de novas, novas,
potenciais
mulheres do que jamais será na tentativa de reconstruir um relacionamento fracassado.
Nunca enraíze no lixo uma vez que o lixo foi arrastado para o
borda da calçada. Você fica bagunçado, seus vizinhos vêem você fazer isso e o que você pensa
pelo qual valeu a pena cavar nunca é tão valioso quanto você pensava.

Menciono isso como um ponto de partida, porque quando você está tomando a decisão
para se reconstruir, você deve 'fazer isso por você'. Mais uma vez, qualquer
mudar sempre levanta a questão sobre por quem você está realmente mudando.
Nada é um ato de mudança não orientada, imparcial e auto-iniciada - há
sempre algumas influências auxiliares, bem como consequências. Esta é a crise
de motivo - para quem estamos realmente fazendo algo?
No entanto, se você for acordado enquanto casado e quiser
refazer-se, saiba que essa mudança deve ser para você e não para
sua esposa. Esta decisão de reconstruir sua vida, sua personalidade, sua crença
definições, etc., e rejeitar o que a Pílula Azul fez de você deve vir como um
resultado de se tornar seu ponto de origem mental. Este ‘novo você’
impede qualquer consideração dos interesses de sua esposa. Deve estar em ordem para
sua transformação para ser genuíno para você e para aqueles que conhecem o
'Velho' você. Como mencionei antes, a probabilidade de sua esposa aceitar sua
a nova persona depende de qual Frame dominante você inseriu naquela
relação, bem como o que você entregou de seu auto-respeito a
ela
Esta é a parte mais difícil para os homens do Blue Pill que desejam reconstruir
si mesmos. Seu ponto de origem mental não muda. Eles querem
mudar porque querem ser "mais Alfa" para suas esposas, não
para si mesmos. A esperança da Pílula Roxa é adotar Alpha apenas o suficiente para que suas
esposas abrem a torneira do sexo para eles, mas nunca realmente internalizam o
Red Pill ao ponto que muda fundamentalmente quem eles são. Assim,
torna-se um ato não muito diferente de Pickup Artists (PUAs) novatos imitando o
comportamentos de seus mentores, mas nunca internalizando os significados mais profundos de
por que eles trabalham ou torná-los parte de "quem" eles são como pessoa.
Isso é o que mata a reconstrução de um homem antes mesmo de começar. Essa mudança
deve ser uma proposição self-first. Seu trabalho autônomo do Red Pill deve ser
intrinsecamente gratificante porque não há absolutamente nenhuma garantia de que o homem
esposa / namorada jamais o reimaginará de uma perspectiva diferente.
Particularmente se essa mulher entrou nesse casamento / LTR porque ela
esperava manter Frame indefinidamente devido a ele abdicar dela.

Você deve se tornar ciente da Red Pill para conhecer a verdade maior,
internalizá-lo e aplicá-lo sem a pretensão de acreditar que pode ser
usado para alcançar os ideais do Blue Pill. Esses ideais devem ser substituídos por novos
ideais fundados no que uma realidade consciente da pílula vermelha torna possível.
Com isso em mente, você deve presumir que está rompendo com a sua
esposa / namorada. É muito melhor abordar sua reconstrução a partir da
ideia de que a nova pílula vermelha provavelmente não teria nada a ver com uma
mulher como sua esposa. Se você fosse um homem solteiro, Red Pill ciente e Game
experiente, você ao menos abordaria sua esposa sabendo o que você faz agora
sobre ela pessoalmente, bem como o que você sabe sobre o feminino
Imperativo e como isso a influencia? O suco valeria a pena espremer
com ela sabendo o que você faz sobre a verdade do Red Pill?
Sua reconstrução requer uma mudança radical que só é possível para você
rompendo com seu LTR, pelo menos em um aspecto subconsciente. Isto é
importante avaliar o que, se houver, vale a pena revirar no lixo.
Se você abordar sua reconstrução, primeiro tornando-se seu
ponto de origem, o próximo passo é assumir que você estará rompendo com sua
esposa. Na verdade, pode nunca chegar a isso, mas esta é a gravidade que um
o homem deve trazer para sua reconstrução. O mesmo raciocínio que menciono em
Rooting through Garbage se aplica à sua reconstrução:
Mesmo se você pudesse voltar para onde estava, qualquer relacionamento que você pudesse
ter com um Ex será colorido por todos os problemas que levaram ao
rompimento. Em outras palavras, você sabe qual foi o resultado final desses problemas
foram. Sempre será o gorila de 800 libras na sala em qualquer futuro
da relação. Como elaborei na Dinâmica do Desejo, relacionamentos saudáveis
baseiam-se no desejo mútuo genuíno, não em uma lista de termos negociados e
obrigações, e isso é, por definição, exatamente o que qualquer pós-separação
relacionamento necessita. Você ou ela pode prometer nunca fazer algo
novamente, você pode prometer "reconstruir a confiança", você pode prometer ser
outra pessoa, mas você não pode prometer fingir que os problemas que levaram à
separação não tem o potencial de dissolvê-lo novamente. A dúvida haverá. Você pode ser casado por
30 anos, mas sempre haverá aquela
vez que vocês dois terminaram, ou ela fodeu aquele outro cara, e tudo

você acha que construiu com ela ao longo dos anos sempre estará comprometido
por aquela dúvida de seu desejo.
Você nunca vai escapar da impressão de que você era tão sem opções que tinha
que implorar a ela para reacender