Você está na página 1de 2

Em atenção ao pleito dos servidores da Carreira Pública de Assistência Social,

no que compete esta SEJUS, cumpre-nos prestar os seguintes


esclarecimentos:
Em que pese à ameaça grevista da categoria, a SEJUS, cumpriu fielmente os
protocolos sanitários e às diretrizes de saúde estabelecidas pelos órgãos
competentes. 

Neste sentido, fora editada a Portaria nº 432, de 14 julho de 2020, publicada no


DODF nº 134, de 17 de julho de 2020, pág, 17, a qual dispôs acerca das
medidas a serem observadas visando à prevenção, controle e mitigação dos
riscos de transmissão da COVID-19, nos ambientes de trabalho no âmbito das
unidades da Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania, a qual em síntese
garante o respeito ao distanciamento e uso constante de equipamentos de
proteção individual. 

Como se infere do normativo, adota-se nos ambientes de trabalho no âmbito


das unidades da Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania do Distrito
Federal o disposto na Nota Informativa n.º 12/2020 - SES/SAA (43549346), da
Secretaria de Saúde do Distrito Federal, constante do Processo SEI nº 00400-
00031506/2020-37. Logo, considerando a necessidade de ampla divulgação da
integralidade da Nota Informativa n.º 12/2020 - SES/SAA (43549346) por todas
as áreas desta Pasta, fora expedida a Circular n.º 38/2020 - SEJUS/ASSESP
(44092550), a fim de dar a todas as Subsecretarias e áreas vinculadas
conhecimento da matéria e divulgação entre os servidores dos setores. 
Acresce-se ainda o teor da Circular nº 105/2020 - SEEC/GAB (44887801), a
qual referindo-se ao momento de pandemia e adoecimento causado pelo novo
coronavírus no âmbito do Distrito Federal, informa acerca do protocolo
estabelecido para o acolhimento dos servidores acometidos pela COVID-19,
bem como seus familiares e pessoas que coabitam a mesma residência.
Por sua vez, no âmbito desta Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania, o
teletrabalho encontra-se vigente consignado pelo Decreto nº 40.546, de 20 de
março de 2020 e regulamentado nesta Pasta pela Portaria nº 20, de 24 de
março de 2020 e pela Portaria nº 247, de 26 de março de 2020, os quais
contém as regras e diretrizes necessárias para o regime no período. De tal
sorte, os servidores exercerão suas funções em teletrabalho quando atendido
aos requisitos lá expostos.

Dessa forma, não prospera a assertiva de que os trabalhadores dessa


categoria teriam sido liberados para o home office, tampouco a que não teriam
recebido EPIs. 
Ademais, acresce-se ainda que estão sendo adotados outros protocolos e
medidas de segurança recomendados pelas autoridades sanitárias, como, por
exemplo:

I - garantir a distância mínima de dois metros entre as pessoas;


II - utilização de equipamentos de proteção individual;
III - organizar uma escala de revezamento de dia ou horário de trabalho entre
os empregados, colaboradores, terceirizados e prestadores de serviço;
IV - vigência do teletrabalho para os servidores consideradas do grupo de risco,
tais como idosos, gestantes e pessoas com comorbidades 
V - disponibilização de álcool em gel 70% a todos os servidores;
VI - manter os banheiros e demais locais do estabelecimento higienizados e
com suprimentos suficientes para possibilitar a higiene pessoal dos
empregados, colaboradores, terceirizados, prestadores de serviço e
consumidores;
VII - utilização de máscaras de proteção facial; 
VIII - instalação de placas de acrílico nas estações de atendimento;
IX - aferição da temperatura dos empregados, colaboradores, terceirizados e
prestadores de serviço e população antes da entrada.