Você está na página 1de 45

Gestão de Ativos

Modismo ou Necessidade ?
Engº Lazaro Regonha
Sumário

A Comau;

Conceito de evolução;

Gestão de Ativos e a Norma ISO 55000;

Implantando a Gestão de Ativos;

Resultados e “cases”;

Conclusões.
RECEITA GRUPO
€ 87 BI
EMPREGADOS
226.000
UNIDADES
159
PAÍSES
40
UNIDADES DE NEGÓCIO
Produtos:

SERVICE
 SERVIÇOS DE SUPORTE A PRODUÇÃO
 SERVIÇOS ESPECIALIZADOS
 GLOBAL SERVICE
 ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO
 ADEQUAÇÕES A NORMAS DE SEGURANÇA
 GESTÃO DE ATIVOS

SYSTEMS
 BODY WELDING
 ROBOTICS
 POWERTRAIN
 ADAPTIVE SOLUTIONS
NÚMEROS DA COMAU:
ATUAÇÃO COMAU LATAM:

Trabalhamos em 5 Segmentos com mais de 70


Centros de Negócio com contratos de longo prazo.

Fertilizantes

R$
EVOLUÇÃO ?

Evolução pode ser definida basicamente como um


Significado
desdobramento ou um processo de transformação.

Influenciada muitas vezes por fatores externos, a evolução


exprime desenvolvimento, crescimento e aperfeiçoamento
constante.

Vantagem Competitiva
COMPORTAMENTO DA EVOLUÇÃO:

Geralmente pensamos que


evolução é um processo lento
de mudanças, acomodações e Em 2 anos, fomos capazes de gerar mais
adaptações. informações que em toda história da
humanidade, desde a época das cavernas.

No mundo globalizado, onde a


tecnologia e as informações se
transferem rapidamente, a
evolução de processos se
torna mais rápida e passa a ser
um elemento chave para
alcançar o sucesso.

(*) BILHÕES DE GIGABYTES


EVOLUÇÃO DA ESTRATÉGIA
GESTÃO DA MANUTENÇÃO:

Fatos
2014
Padronização de gestão ISO 55000

2004 – Gestão
Lançado PAS 55
de Ativos

Ind. automotiva emite a SAE JA1011.


2000 - Integração de
TPM e WCM expande na manufatura
metodologias

O setor de defesa patrocina o RCM. 1980 – Nasce o Seis Sigmas e


Mudança Cultural nas empresas. começa-se a falar de RCM

Nippon Denso cria a Manutenção 1970 – Empresas japonesas ganham mercado.


Produtiva Total ( TPM ). Se cria a JIPM, TPM e o JIT .

Taiichi Ohno > sistema Toyoda de 1960 – Assistência dos Eng. Deming e Juran ( PDCA )
produção. Princípios do TQM.
.
Etapa Pós Guerra 1950 – Empresa japonesa com graves problemas de qualidade.

Fonte: Adaptação apresentação Ricardo Pauro Congresso UTN BA


EVOLUÇÃO DO ENFOQUE OU IMPORTANCIA
DA MANUTENÇÃO

Administra o ciclo Sistematiza a


O processo de
de vida análise manutenção passa por
mudanças em função
Manutenção de do reconhecimento dos

Confiabilidade
Administra o

Gestão de
Melhoria impactos que poderá
Ativos
valor

provocar nas
Elimina a organizações
Cuidar do ciclo
possibilidade
de vida
de Falha

Disponibilidade
Administra a

Manutenção
Manutenção Gestão de Ativos faz
Preventiva
Falha

Corretiva parte de um processo de


mudança de como os
Antecipa a ativos estão sendo
Corrige a Falha
Falha conduzidos e gerenciados
nas organizações

Apenas Conserta Elimina Perdas


DEFINIÇÃO DE
GESTÃO DE ATIVOS:

 Conjunto de atividades sistemáticas e coordenadas,


necessárias, para conseguirmos obter o máximo valor
gerado pelos ativos.

 Gerenciamento ótimo e sustentável de desempenho, custos


e riscos.

 Praticado durante todo ciclo de vida, visando atingir os


objetivos do planejamento estratégico organizacional.

 É um método que traduz os objetivos das organizações em


decisões, planos e atividades capazes de assegurar que os
ativos gerem valor para as empresas.
GESTÃO DE ATIVOS E
GESTÃO DA MANUTENÇÃO:

NECESSIDADES DO
NEGÓCIO
Identificação
de Requisitos

Gestão de Ativos NÃO é um novo


Renovação/
nome para um processo de Descarte Gestão do Design e
Seleção
manutenção Ciclo de
Vida dos
Ativos

Estratégia
Aquisição e
Operação e Construção
Melhoria Planejamento
Manutenção

Gestão da
Manutenção
Monitoramento Controle

Fonte: Adaptação material didático TWPL


Execução
PRINCÍPIOS BÁSICOS PARA
GESTÃO DE ATIVOS:

 O ativo existe para proporcionar valor à organização;


 Objetivos organizacionais são traduzidos em decisões técnicas e financeiras que
norteiam planejamentos;
 O desempenho dos ativos são mensuráveis e rastreáveis;

 Gerenciamento de risco de forma transparente;

 Liderança e cultura são determinantes na realização do valor;

 Melhorias contínuas em todos os estágios do ciclo de vida;

 O ciclo de vida dos ativos é considerado nas perspectivas organizacionais;


 Os setores das organizações estão voltados e integrados à assegurar
que os ativos atinjam os objetivos estratégicos.
INGREDIENTES PARA
GESTÃO DE ATIVOS:

Ações Top Down e Bottom Up


Gerenciamento dos Ativos
Direção, Alinhamento, KPI´s , Avaliações críticas de melhoria

•P •D
Organização
Cultura Aquisição Operação
Projetos
Atitude
GestãoAde
T Ativos
IVO Procedimentos
Motivação
Treinamento
Liderança Disposição Manutenção
Comunicação
•A •C

Confiabilidade Operacional & Ferramentas de Desempenho


RCM, RCA, EAM, TPM, Kaizen ...
SISTEMA DE COMUNICAÇÃO
INTEGRADO:

Diretoria

Gerência

Planejamento

Inspeção e
Expedição

Projetos e
Engenharia

Compras Manutenção

Operação
Fabricação
Preparação
Fonte: Adaptação apresentação EAM SAP

Imprescindível um robusto “EAM” (Enterprise Asset Management) para que as


informações importantes de cada setor possam ser compartilhadas em todos os
níveis da organização, agilizando ações e decisões que assegurem o ótimo
desempenho dos ativos.
SISTEMAS DE GESTÃO:

APM ???
EAM

CMMS
Asset
Enterprise Performance
Asset Management
Management
Computadorized
Maintenance
OS Management
System
Novos sistemas
que buscam
Sistemas Manuais de agregar fatores
ordem de serviço humanos,
Conhece e
controla a portabilidade,
Sistema que relação entre os e-learning,
Software integra a gestão ativos e a requisitos
específico para da manutenção rentabilidade das habilitadores
Controle Manual gestão do com o controle para gestão de
operações e
por anotações, processo de ativos e etc
do ciclo de vida valoriza a
relatórios, tabelas, manutenção da dos ativos confiabilidade
planilhas e etc. fábrica

Evolução forçada pela necessidade


NÍVEIS DE GESTÃO DE ATIVOS
E TERMOS APLICADOS:

Alinhamento de processos ,
obrigações e FOCO
responsabilidades na
organização

Metas
Atividade coordenada da estratégicas e
organização para realizar o organizacionais
Gestão da Organização
valor através dos ativos

Otimização do
investimento e
Gestão de Ativos planejamento da
sustentabilidade
Conjunto de elementos que
se interagem para
estabelecer a política de Desempenho do
gestão de ativos, seus Sistema de sistema,
objetivos e os processos Gestão de Ativos otimização do
para alcançarem, estes custo e risco
objetivos

Inventário Otimização de
atividades do
de Ativos Ciclo de Vida
Ativos que fazem parte do
escopo do sistema de
gestão

Fonte: Adaptação ABNT NBR ISO 55000


POR QUE GESTÃO DE ATIVOS ?

 Alta dependência dos ativos físicos , para


honrarem o negócio;

 Satisfazer aspectos legais e de requisitos para


minimização de apólice de seguros ;

 Otimização de custos Capex e Opex;

 Minimizar riscos de impactos ambientais e prejuízos econômicos;


 Melhorar a eficiência produtiva;
 Vantagem competitiva promovida pelo incentivo a melhoria contínua;
 Assegurar a qualidade e satisfação dos clientes, preservando a imagem;
 Eliminar o conflito de objetivos internos, com inovação do estilo de gestão.
ELEMENTOS DO
VALOR DO ATIVO:

Segurança Confiabilidade
Objetivos e
Desempenhos
Exposição a
Expectativa
riscos
de vida
Regulamentar

Valor
Ambiental do Custo de capital

Ativo

Custos operacionais

Aspecto Social

Desempenho de
Qualidade produção
Percepção
do cliente
Fonte: Adaptação material didático TWPL
ORIGEM DA ISO 55000:

A PAS 55 é um conjunto de padrões internacionalmente


reconhecido e contém os mais avançados princípios para
o gerenciamento sustentável e otimizado dos ativos físicos
(2004 / 2008).

Estabelece a estrutura e linguagem comum para a Gestão


dos Ativos.

Possibilita compartilhar experiências, fazer benchmarking


entre indústrias e identificar as melhores práticas

É fundamentada na experiência real para :

OTIMIZAR CUSTOS

REDUZIR RISCOS

MELHOR DESEMPENHO DOS ATIVOS

GERAR RESULTADOS
ISO 5500X
CRONOLOGIA:

Percurso para normatização dos requisitos para Gestão de Ativos

PAS 55
2004 Mar 2011 Out 2011 Fev 2012 Jun 2012 Abr 2013 Jan 2014
ISO 55000

Month
Meses 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36
Comments
Stage
Estágios Working Drafts Cttee Drafts DIS
Resolution
FDIS

A ISO 5500X baseia-se na premissa


de que o valor de um ativo é definido
Mai 2011 Set 2011 CD2 DIS
Para votação
pelo quanto contribui para o alcance
Disponível
Distribuição WD2 para edição dos objetivos organizacionais.
WD2 Comentários
RCVD 55000 - Visão, princípios e terminologias

55001 - Requisitos
CD1
Comentários 55002 - Aplicação
ISO 55000
PRINCIPAIS TEMAS:

Planejamento e
Impacto do estratégia para Gestão
prolongamento do de Ativos ( 8.1)
ciclo de vida Tomada de decisões
( 10 ) (5)

Consideração dos requisitos


operacionais, técnicos, Atividades para
financeiros e gerenciais assegurar a
( 7.1 ) Gestão de Ativos performance
( 9.1 )

Aspectos internos
Gerenciamento de
e externos do
informações e
negócio
conhecimento
( 4.1.2 )
( 7.4 )
Identificação Otimização de custo, risco
avaliação e controle e desempenho
de riscos Organização e preparação
( 10.3 )
( 6.1 ) das pessoas
( 7.2 )
PADRONIZAÇÃO E
SUAS EXIGÊNCIAS:

Os padrões ISO 55000 criam novos desafios para os gerentes de ativos:

 Como lidar com diferentes empresas, diferentes necessidades, ativos diferentes e


diferentes sistemas, do mais simples ao mais complexo?
 Como irão os governantes, orgãos regulatórios e proprietários dos ativos
interpretarem diferentes abordagens por diferentes indústrias e segmentos?
 ISO 55001 possui 111 obrigações que devem ser cumpridas de forma completa.
Como implementá-las de forma estruturada e organizada?
 Integração com outras normas do sistema ISO como ISO 9000, 14000, 18000, 31000
e etc.
 Exercício do PDCA no alinhamentos de objetivos e estratégias.
 Certificação ou apenas adoção? Estratégias

 Gestores irão aceitar novas obrigações? Políticas Processos

Objetivos

28
ELEMENTOS DA
GESTÃO DE ATIVOS:

4 CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO 5 LIDERANÇA


4.1 Entendimento da organização 5.1 Liderança e comprometimento
Preparação 4.2 Requisitos das partes interessadas 5.2 Política
4.3 Determinação do escopo do SGA 5.3 Autoridades e responsabilidades
4.4 Sistema de Gestão de Ativos

D 7 SUPORTE OU APOIO
7.1 Recursos
7.2 Competências
6 PLANEJAMENTO P 7.3 Conscientização
6.1 Ações para tratar os riscos e oportunidades
para o SGA 7.4 Comunicação
6.2 Objetivos do SGA e planos para alcançá-los 7.5 Requisitos de Informação
7.6 Informação documentada

8 OPERAÇÃO
8.1 Planejamento operacional e controle
8.2 Gestão de mudança
10 MELHORIA A 8.3 Terceirização
10.1 Não conformidade e ação corretiva
10.2 Ação preventiva
10.3 Melhoria contínua C 9 AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO
9.1 Medição, monit., análise e avaliação
9.2 Auditoria interna
9.3 Análise crítica para direção
IMPLANTAÇÃO DA
GESTÃO DE ATIVOS:

Educação e aculturamento da empresa


Fase 1 Elaboração da Gestão de Mudança

Diagnósticos e avaliações da situação atual


Fase 2 Macro planejamento das ações
Elaboração do projeto

Definição do executivo sponsor


Identificação do time de liderança
Formação de grupos de trabalho focados
Fase 3 Elaboração de cronogramas
Alocação dos recursos
Ferramentas de suporte
Execução do projeto

Rastreabilidade dos benefícios


Retorno do investimento
Fase 4 Auditoria
Certificação
PRINCIPAIS BARREIRAS:

Gestão de Ativos de Alta Performance = Vontade de Superação :

Pensamento departamental “Silos” e Especialistas funcionais;

Falta de Permeabilidade para Novas Idéias;

Debilidade para Quebra de Paradigmas;

Inércia e Resistência a Mudança

Erros na Avaliação e Gestão de Riscos e Oportunidades


SUCESSO NA
GESTÃO DE ATIVOS:

O fator de sucesso de um Sistema de Gestão de Ativos está na habilidade de


integrar processos, atividades e dados de todos os setores ou funções da
organização, abordando aspectos de:

Liderança com participação ativa;


Política que assegure o alinhamento entre o plano estratégico e os objetivos;
Organização de responsabilidades e autoridades;
Planejamento de atividades com metas e planos para alcançá-los;
Elementos de suporte como: recursos, competências, consciência da importância
do ativo, comunicação, sistema unificado de informação e documentação;
Plano de ”funcionamento” com controle de riscos e oportunidades;
Gestão das mudanças;
Controle das atividades terceirizadas;
Avaliação rotineira da performance;
Sustentabilidade, através de auditorias e revisões periódicas;
Melhoria contínua, incluindo ações preventivas.
RETORNO DO
INVESTIMENTO:

ATIVIDADE RESULTADO
Minimização das paradas planejadas e não planejadas
Aumento da Disponibilidade
Incremento da confiabilidade e capacidade de vendas

Redução de Contratações Redução do custo de Trabalho


Redução do Turn Over

Redução do consumo Redução do custo de Materiais


Redução de inventários

Segurança e meio ambiente Melhoria do atendimento a


Minimização de taxas de seguros exigências legais

Planejamento e procedimentos de trabalho Redução custos manutenção


Minimização de emergências Satisfação dos clientes

Ampliação de vida útil de ativos Anulação de projetos de capital


Menores ações de substituições

Envolvimento e compromisso de todos para com


Integração da força de trabalho
objetivos comuns

Confiabilidade nas próprias operações Cultura de mudança


Conceito institucionalizado sustentável
SEGMENTOS QUE JÁ APLICAM
GESTÃO DE ATIVOS:

Inglaterra:
Ferrovia, Eletric. T&D, Gás
Ásia:
T&D, Geração de Energia,
Ferrovia, Eletric. T&D,
Água, Petróleo e Gás,
Gás T&D, Geração de
Alimentos e Bebidas,
Energia, Petróleo e
Gestão de Facilities
Gás, Mineração

Brasil:
Geração de
Energia

Austrália:
Ferrovia, Elec. T&D,
Américas: Geração de Energia,
Transporte, Elec. Mineração e Água
T&D, Gás T&D, Água,
Geração de Energia,
Petróleo e Gás Europa:
Ferrovia, Elec. T&D, Oriente Médio:
Energia, Água, Gás Elec. T&D, Geração
T&D, Geração de de Energia, Gás
Energia
MATURIDADE EM
GESTÃO DE ATIVOS NO BRASIL:

Poucas grandes empresas de base, já perceberam a


importância estratégica da manutenção em seus
resultados e iniciaram a preparação para Gestão de Gestão
Ativos.
de Ativos
Uma boa parte das médias e grandes empresas
entenderam o papel da manutenção e aplicam Gestão da
ferramentas e métodos que promovem uma gestão Manutenção
da manutenção.

A maioria das pequenas e médias empresas estão


posicionadas na base da pirâmide de maturidade.
Manutenção Tradicional
CASOS DE SUCESSO EM
GESTÃO DE ATIVOS:

• MANUFATURA
•Redução anual de 50% em paradas planejadas

•Revisão dos ciclos de paradas de anuais para a


cada 4 anos

• ÓLEO e GÁS
•Benefícios de US$ 253 Milhões/ano em
confiabilidade, manutenção e custos de ciclo de vida.

•US$ 150 Milhões de melhoria em custo/risco


com decisões sobre sobressalentes críticos.

•400 projetos de investimento priorizados em


3 semanas. £ 2,5 Milhões economizados.
CASOS DE SUCESSO EM
GESTÃO DE ATIVOS:

• ELETRICIDADE
• UK National Grid : Redução de 28% em
desligamentos planejados

• Yorkshire Electricity: Economia de 75% em atividades


de testes de segurança

• DISTRIBUIÇÃO E TRATAMENTO DE ÁGUA


• Economia anual de 30% em manutenção de sistemas de cloração
e filtração de esgotos

• TRANSPORTE PÚBLICO UK
•Extensão do ciclo de vida de trilhos. Melhoria de 20 a 30% na
manutenção e disponibilidade de escadas rolantes
CASOS DE SUCESSO EM
GESTÃO DE ATIVOS:

Scottish Power
O projeto da Scottish Power para obter a Certificação do PAS55 fez
parte de um grande Programa de Transformação Operacional que por
mais de 2 anos testemunhou o alcance dos seguintes benefícios:
–US$ 2.000.000 na redução em bonificações dos seguros,
–20% redução de custos em operação e manutenção,
–22% aumento na disponibilidade na planta e;
–25% redução na taxa de paradas forçadas.
DEPOIMENTO:

Wessex Water

“Eu liderei a jornada da Wessex Water para obter a certificação do PAS 55


em 2008 e posso afirmar que os benefícios alcançados desde então
incluíram uma adesão de alto nível aos sistemas de gestão de ativos
estruturados, uma maior consciência sobre os riscos de cada nível da gestão
de ativos (estratégico, tático e operacional) e uma habildade em demonstrar
aos reguladores que temos sistemas estruturados adequadamente e meios
para obter vigilância externa e monitoramento além das abordagens internas
utilizando o PDCA”.

Steve Arthur
Asset Manager
CONCLUSÕES:

Um projeto de Gestão de Ativos deve ter um compromisso de todos os níveis da


organização, permitindo alcançar os resultados pretendidos, sem risco de tender a
enfoques de melhorias tradicionais de curto prazo.

A Gestão de Ativos não pode e nem deve ser responsabilidade de apenas um setor. A
comunicação integrada é fundamental para tomada de decisões ágeis e certeiras.

Um sistema de Gestão de Ativos baseado na ISO 55000, pode resultar em uma


melhora drástica nas atividades das empresas, porém para alcançá-la é necessário
uma mudança de cultura em todos os níveis da organização.

A busca contínua da eficácia catalisa a evolução dos processos.

42
REFLEXÃO:

Resistência a inovação é inútil ...

“Se não inovarmos, perderemos participação no mercado e nossos concorrentes


assumirão a nossa fatia. Nas corporações perderemos clientes e lucros.

Muitas organizações hoje sabem que devem se tornar mais inovadoras a fim de
sobreviver e crescer. Não podemos mais olhar para o passado para prever o
futuro. Não podemos mais melhorar nossos produtos e serviços e esperarmos que
esta seja a verdadeira inovação”.

Michael Stanleigh,
CEO da Business Improvement Architects
E DAÍ ?:

E então... Obter o Máximo dos Ativos é um

“Modismo”

ou

“Necessidade” de cunho
evolutivo, demandada por
um mercado cada vez mais
competitivo.”
DÚVIDAS ?