Você está na página 1de 42

A idade da Terra

Biologia e Geologia
10º Ano 1
História da Terra

Fóssil Amonite
Restos de um organismo (animal ou
planta), ou os vestígios da sua
atividade (tais como pegadas, ovos,
etc.), que viveu em determinado
momento da História da Terra e que se
encontra preservado nos estratos das
rochas.
Encontram-se em rochas
sedimentares ou metamórficas,
podendo também surgir mais raramente
em rochas magmáticas extrusivas.

2
Fósseis

Somatofósseis Icnofósseis

Fósseis de restos Fósseis de vestígios da


integrantes do organismo. atividade do ser vivo.
Ex: dentes, carapaças. Ex: ovos, pegadas.

Dente fossilizado Excrementos fossilizados

3
Processos de fossilização

Moldagem
Caracterizado pela ausência do organismo, o qual
fica representado na rocha por um molde, que pode
ser externo ou interno. Molde externo
• molde externo - ficam representado nos
sedimentos os pormenores da morfologia
externa do indivíduo.
• molde interno - mostra a estrutura ou
Molde interno
morfologia da parede interna do organismo.

Impressões: um caso particular de moldagem


Consistem em moldes externos de estruturas
muito finas.
Exemplos: a nervação de folhas, penas ou asas de
insetos, que ficam marcadas na rocha.
4
Processos de fossilização
Mineralização

Processo frequente de conservação parcial, em


que as peças esqueléticas do organismo são
substituídas por substâncias minerais.

Etapas do processo de mineralização


Após a morte do indivíduo, ocorre a deposição de sedimentos finos e a
destruição das partes moles.
Seguidamente, dá-se a substituição das partes esqueléticas por substâncias
minerais.

5
Processos de fossilização
Conservação
Processo em que o organismo, ou parte dele, é conservado por ação de
materiais naturais (resina, gelo ou asfalto) que o isolam do contacto com o
meio, impedindo a sua decomposição.

6
Icnofósseis

Vestígios da atividade dos indivíduos, não ficando


preservada ou marcada na rocha qualquer parte do
organismo ou da sua estrutura.

Exemplos:

• pegadas e outras pistas de locomoção;

• coprólitos (excrementos);

• cascas de ovos;

• gastrólitos (pequenas rochas que facilitavam a


digestão);

• cavidades de alojamento.

7
Fósseis

Indicam:

• Os seres vivos que existiram no passado;

• Como decorreu a evolução dos seres vivos;

• Os ambientes e climas do passado;

• A idade das rochas;

• A distribuição das áreas continentais e oceânicas no passado.

8
Podem ser classificados como:

Fósseis de idade

Fornecem informações sobre a idade da rocha onde se


encontram, permitindo a datação de estratos.

Fósseis de ambiente ou de fácies

Fornecem informações sobre o ambiente existente no


local onde a rocha se formou.

Trilobite

Coral
9
Fósseis de idade
Indicam a idade das rochas em que se encontram.

Apresentam as seguintes características:

• Ampla distribuição geográfica.

• Grande abundância de exemplares.

• Reduzido período de tempo geológico.

10
Fósseis de fácies
Fornecem informações sobre o ambiente em que viveram no passado
(paleoambientes).

Apresentam uma reduzida distribuição geográfica, vivendo em locais


específicos.

11
Fósseis vivos
Tratam-se de seres vivos que ao longo de milhões de anos
permaneceram inalterados, como representantes de um grupo que
viveu no seu tempo.

12
Fósseis vivos

13
Fósseis de transição

Correspondem a formas que


possuíam características
intermédias de grupos
atualmente existentes.

14
Datações

Relativas Absolutas

15
Princípios básicos da estratigrafia

Princípio da Horizontalidade

A deposição de sedimentos ocorre numa posição horizontal ou próximo desta.

16
Princípios básicos da estratigrafia

Princípio da Sobreposição dos Estratos

Numa sucessão de estratos não deformados, qualquer deles é mais antigo do


que aquele que o cobre e mais recente do que aquele que lhe serve de base.

17
Princípios básicos da estratigrafia

Princípio da Identidade Paleontológica


Estratos com localizações diferentes, que contenham o mesmo
tipo de fósseis têm a mesma idade.

William Smith
(1769-1839)

18
Princípios básicos da estratigrafia

Princípio da Continuidade Lateral


Um estrato tem sempre a mesma idade ao longo de toda a sua extensão,
independentemente da ocorrência da variação horizontal (lateral) de fácies.

19
Princípios básicos da estratigrafia

Princípio da Interceção
Qualquer elemento geológico é posterior aos elementos que interceta e
anterior àqueles que não afeta.

20
Princípios básicos da estratigrafia

Princípio da Inclusão
Qualquer rocha que contenha elementos de outra preexistente é posterior a
ela.

21
Datação Relativa

Datação dos estratos (e outros fenómenos geológicos) uns em relação aos


outros.
Exemplo: o estrato X é mais recente que o estrato Y.

22
Datação Relativa

As colunas estratigráficas seguintes foram recolhidas em dois locais (X e Y)


distantes.

1. De todos os estratos (A a G)
encontrados nos dois locais, indica:
a) O mais antigo
b) O mais recente

2. Sabendo que as trilobites viveram


entre os 200 e os 500 milhões de anos
atrás, indica um estrato com idade
superior a 500 milhões de anos.

23
Datação Relativa
Reconstrói a história geológica dos cortes representados.

24
Datação Relativa

1. Dos estratos representados, indica o mais recente e o mais antigo.


2. Na figura, para além dos estratos, também estão representadas dobras e
uma falha. Estas estruturas são posteriores ou anteriores à formação dos
estratos?
3. Reconstrói a história geológica do corte representado. 25
Datação Absoluta ou Radiométrica

Atribuição, através de técnicas radiométricas, de idade numérica às rochas e


minerais, baseada nas propriedades radioativas de certos elementos químicos.

Exemplo:
O estrato X formou-se há 700 M.a.

É analisado o decaimento radioativo de certos elementos químicos presentes


nas rochas (Exemplos: Urânio, Carbono 14, Rubídio, Potássio)

Permite avaliar diretamente a idade de um vegetal ou de um mineral


26
Datação Absoluta ou Radiométrica

Meia-vida (t1/2)

Tamanho da vela

20

16
Altura

12

0
0 2 4 6 8 10 12
Tempo

27
Datação Absoluta ou Radiométrica

Quantidade de um nuclídeo A que se desintegra


formando B
18
16
14
12
10 A
N
8 B
6
4
2
0
0 2 4 6 8 10 12
Tempo (meia-vida = 2)

28
Datação Absoluta ou Radiométrica

A idade da rocha é contada a partir da desintegração do isótopo-pai,


convertendo-se em isótopo-filho. É dada pelo número de semividas decorrido
até ao momento considerado.

Semivida
Tempo necessário para que se dê a desintegração de metade do número de
átomos iniciais de uma amostra.

29
Datação Absoluta ou Radiométrica

Exemplos de Isótopos utilizados e materiais que podem ser datados

30
Datação Absoluta ou Radiométrica

14C 128 14C/ 128 14N


256
0 semivida = 0 anos 1 semivida = 5730 anos

64 14C/ 192 14N 32 14C/ 224 14N


2 semividas = 11460 anos 3 semividas = 17190 anos 31
Datação Absoluta ou Radiométrica
Isótopos radioativos nas rochas: exemplo

Desintegração do urânio 235 (semivida 700 Ma) em chumbo 207.


A percentagem de
chumbo 207 num
cristal de zircão
com 25% de urânio
235 é…

O número de
semividas relativo
à questão anterior
é…

A idade do cristal
de zircão é de
… Ma.

32
Extinção em massa
Os tempos geológicos são determinados pela mudança drástica das formas de
vida que surgem no registo fóssil. Estas mudanças estão relacionadas com o
desaparecimento simultâneo de inúmeras espécies, devido a:

• Alterações climáticas
• Vulcanismo intenso
• Transgressões e regressões marinhas
Exemplo: degelo
• Movimento dos continentes
• Impacto de meteoritos.

Em consequência da evolução biológica dos


sobreviventes, ocorre novo repovoamento da
Terra.
33
Escala do tempo geológico

O tempo geológico está organizado em categorias hierárquicas:


• Éones
• Eras
• Períodos
• Épocas

34
35
36
37
Principais acontecimentos ao longo da
História da Terra

Idade
Acontecimento
(Ma)

Formação da Terra 4600

Primeiras formas de vida 3500

Explosão de vida no Câmbrico 545

Grande extinção no final do Pérmico 230

Desaparecimento das trilobites 230

Extinção dos dinossáurios 65

Desaparecimento das amonites 65

Expansão dos mamíferos 65

Aparecimento do Homem 2,5

38
Parentesco evolutivo entre vertebrados

39
40
41
Indica há quantos milhões de anos surgiram os primeiros Australopithecus.

Segundo o quadro, qual foi a espécie que teve maior permanência na Terra?

Indica quantos milhares de anos se julga que o Homo neanderthalensis


coexistiu com o Homo sapiens. 42

Você também pode gostar