Você está na página 1de 7

Curso de Formação Presencial em Drives Vocais:

Contribuições da Antropofisiologia Vocal


Modalidade: Curso Livre
Carga-Horária: 60 horas/MÓDULO
Prof. Resp.: Prof. Ariel Coelho

Indicações Bibliográficas
1. ALCANTARA, P. Indirect Procedures: A Musician's Guide To The Alexander Technique. Oxford Univer-
sity Press, 1997.
2. ALLEN, E., & HOLLIEN, H. A laminagraphic study of pulse vocal fry phonation. Folia Phoniat. 25, 241–
250, 1973.
3. ALMEIDA, P. I. A. Fonoaudiologia Estética Facial – Bases para o Aprimoramento Miofuncional. Rio de
Janeiro: REVINTER, 2008.
4. ANDRADA & SILVA, M. A. & COSTA, H. O. O Exame da Voz de Cantores: Um Enfoque Multiprofissio-
nal. In: Tópicos em Fonoaudiologia. São Paulo, v. II, p. 363-372, 1995.
5. APPELMAN, R. The Science of Vocal Pedagogy. EUA: Indiana Univ. Press, 1967.
6. ARONSON, A. E. Clinical Voice Disorders: An Interdisciplinary Approach. Thieme-Stratton Corp, 1985.
7. ARONSON, A. E. Clinical Voice Disorders: An Interdisciplinary Approach. Thieme-Stratton Corp, 1985.
8. BAÊ, T. & MARSOLA, M. Canto, Uma Expressão - Princípios Básicos de Técnica Vocal. São Paulo: Ir-
mãos Vitale, 2000.
9. BAÊ, T. Canto, Uma Consciência Melódica - Os intervalos Através dos Vocalizes. São Paulo: Irmãos
Vitale, 2003.
10. BARHAM, J. J. & NELSON, D. The Boy's Changing Voice: New Solutions For Today's Choral Teacher.
USA, Florida, CPP/Belwin, Inc., 1991.
11. BARROSO, R. A. C. A Adequação da Técnica do Canto ao Estilo Musical. Tese Apresentada ao Concur-
so de Livre Docência da Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil, Rio de Janeiro, 1962.
12. BAXTER, M. The Rock-n-roll Singer's Survival Manual. Hal Leonard, 1991.
13. BEHLAU, M. & GASPARINI, G. A Voz do Especialista – Volume III, RJ: Revinter, 2006.
14. BEHLAU, M. & MADAZIO, G. Voz – Tudo o que você queria saber sobre Fala e Canto. Rio de Janeiro:
REVINTER, 2015.
15. BEHLAU, M. & PONTES, P. Higiene Vocal - Cuidando da Voz. SP: Lovise, 1999.
16. BEHLAU, M. & PONTES, P. Higiene Vocal - Informações Básicas. São Paulo: Lovise, 1993.
17. BEHLAU, M. & PONTES, P. Higiene Vocal: Cuidando da Voz. 2. ed., SP: Revinter, 1999.
18. BEHLAU, M. & PONTES, P. Princípios de Reabilitação Vocal nas Disfonias. São Paulo: EPPM, 1990.
19. BEHLAU, M. & REHDER, M. I. Higiene Vocal para o Canto Coral, SP: Revinter, 1997.
20. BEHLAU, M. Avaliação e Tratamento das Disfonias. São Paulo: Lovise, 1995.
21. BEHLAU, M. et al. Higiene Vocal Infantil: Informações Básicas. SP: Lovise, 1997.
22. BEHLAU, M. O melhor que vi e ouvi. SP: Revinter, 1998.
23. BEHLAU, M. Voz – O Livro do Especialista, Vol. I, RJ: Revinter, 2008.
24. BEHLAU, M. Voz – O Livro do Especialista, Vol. II, RJ: Revinter, 2010.
25. BELÉM, V. Gêneros Musicaes. Efeitos/Ornamentos e Vozes. Brasil Musical. Rio de Janeiro, Ano 1, nº
10, agosto ( s/p.), 1923.
26. BEUTTENMULLER, G. & LAPORT, N. Expressão Vocal e Expressão Corporal. Rio de Janeiro: Enelivros,
1992.
27. BEZERRA, M. A. F. Noções de Técnica Vocal (Respiração, Emissão, Empostação da Voz, Articulação e
Pronúncia). Tese de Concurso para Livre Docência da Escola de Música, Rio de Janeiro, Tipografia do
"Jornal do Comércio"/Rodrigues & Cia, 1941.
28. BRAGA, J. L. Contribuição Para o Método Científico de Prosódia e de Canto. Rio de Janeiro, Editora
Pongetti, 1949.
29. BLOCH, P. Estudos da Voz Humana. Rio de Janeiro, Indústria Gráfica Brasiluso Editora, 1958.
30. _________. Melhore sua Voz - Teoria e Técnica de Aperfeiçoamento Vocal. Rio de Janeiro: Tecno-
print, 1986.
31. BOONE, D. R. & McFARLANE, S. C. A Voz e a Terapia Vocal. Porto Alegre: Artmed, 1994.
32. BOONE, D. R. Sua voz está traindo você? Como encontrar e usar sua voz natural. Porto Alegre: Art-
med, 1996.
33. BROWN, O. L. Discover Your Voice: How to Develop Healthy Voice Habits. Singular Publishing, 1996.
34. CANUYT, G. La Voz. Buenos Aires: Hachette, 1982.
35. CARDOSO, J. L. Considerações Físicas e Psicológicas sobre a Voz. In: Anais do Primeiro Congresso da
Língua Nacional Cantada. São Paulo, Departamento de Cultura, pg. 511-550, 1938.
36. CARNASSALE , G. J. O Ensino de Canto para Crianças e Adolescentes. Dissertação de Mestrado,
UNICAMP, Campinas, 1995.
37. CARVALHO, C. O Canto. Musica, Rio de Janeiro, Ano 1, nº 1, novembro (s/p.), 1917.
38. _________. Qual o Melhor Idioma Para Cantar? Brasil Musical. São Paulo, Ano III, 46, setembro; 47-
48, outubro, 1924, e 51, abril, 1925.
39. CARVALHO, M. Os Compositores e a Técnica do Canto. In: Anais do Primeiro Congresso da Língua
Nacional Cantada. São Paulo, Departamento de Cultura, pg. 649-654, 1938.
40. CASTRO, E. F. Uma Escola Brasileira de Canto. In: Anais do Primeiro Congresso da Língua Nacional
Cantada. São Paulo, Departamento de Cultura, pg. 431-436, 1938.
41. _________. A Voz Humana, Padrão Estético Musical. Revista Brasileira. Rio de Janeiro, Ano V, n.º 55-
56, mar/abr, pg. 7-10, 1943.
42. COELHO, Y. A. A Respiração como Fator Predominante na Arte do Canto. Tese de Concurso de Do-
cente Livre de Canto da Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil, Rio de Janeiro, Tipogra-
fia do "Jornal do Comércio", 1952.
43. _________. O Cantor Solista Através da História. Tese de Concurso à Catedra de Canto da Escola
Nacional de Música da Universidade do Brasil, Rio de Janeiro, 1963.
44. COELHO, H. W. Técnica Vocal para Coros. São Leopoldo, Editora Sinodal, 1994.
45. COFFIN, B. Coloratura, Lyric and Dramatic Soprano, Vol. 1. Rowman & Littlefield Publishers, Inc.,
1960.
46. COLTON, R. H. & CASPER, J. K. Compreendendo os Problemas de Voz. Porto Alegre: Artes Médicas,
1996.
47. COLTON, R. H., CASPER, J. K. & LEONARD, R. Compreendendo os Problemas da Voz – Uma Perspecti-
va Fisiológica no Diagnóstico e Tratamento das Disfonias. RJ: REVINTER, 2010.
48. CONDE, A. F. A Importância da Cultura na Arte do Canto. Tese de Concurso para Provimento da Ca-
deira de Canto da Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil, Rio de Janeiro, 1941.
49. _________. O Desenvolvimento da Arte do Canto. Revista Brasileira de Música. Rio de Janeiro, nº 3,
abr/jun, pg 28-33, 1956.
50. COOKSEY, J. M. Working With The Adolescent Voice. USA, Missouri (MO), Concordia Publishing Hou-
se, 1992.
51. COOPER, N. Vencendo com a Sua Voz: 5 Minutos por dia para uma Voz Vencedora. São Paulo: Ma-
nole, 1991.
52. CORRÊA, R. V. Arte do Canto. Rio de Janeiro, Tipografia Coelho, 1936.
53. COSTA, H. & ANDRADA E SILVA, M. Voz Cantada. São Paulo, Editora Lovise, 1998.
54. CROSS, M. The Zen of Screaming: Vocal Instruction for a New Breed (DVD). New York (EUA): Alfred
Publishing Staff; 2007.
55. DEDIVITIS, R. A. & BARROS, A. P. B. Métodos de Avaliação e Diagnóstico de Laringe e Voz. São Paulo:
LOVISE, 2002.
56. DELANNO, C. Mais Que Nunca é Preciso Cantar - Noções Básicas, Teóricas e Práticas de Canto Popu-
lar. RJ: Independent Entertainment International, 2000.
57. DINVILLE, C. A Técnica da Voz Cantada. Rio de Janeiro: Enelivros, 1993.
58. DOUGLAS, C. R. Fisiologia Aplicada à Fonoaudiologia. Ed. 2. RJ: Guanabara & Koogan, 2006.
59. DUARTE, F. J. C. A Fala e o Canto no Brasil. Revista ARTunesp, São Paulo, v. 10, pg. 87-97, 1994.
60. EISENLOHR, B. Fisiologia Fonatória - Mecanismos da Produção do Som na Laringe. Revista Brasileira
de Música. Rio de Janeiro, v. VIII, pg. 3-10, 1942.
61. _________. Etiologia da Voz Caprina. Revista Brasileira de Música. Rio de Janeiro, v. VIII, pg. 62-66,
.1942.
62. _________. A Respiração no Canto. Revista Brasileira de Música. Rio de Janeiro, v. V, 4º fasc., pg. 32-
36, 1938.
63. _________. As Vias Aéreas Superiores e a Fisiologia Respiratória. Revista Brasileira de Música. Rio de
Janeiro, v. V, 3º fasc. pg. 41-42, 1938.
64. _________. A Voz. Sua Higiene e Importância na Vida de Relação. Tese de Concurso à Catedra de
Noções de Ciências Físicas e Biológicas Aplicadas Apresentada à Escola Nacional de Música da Uni-
versidade do Brasil, Rio de Janeiro, Tipografia "Almeida Marques & Cia", 1939.
65. EKMAN, P. A Linguagem das Emoções: Revolucione sua Comunicação e seus Relacionamentos Reco-
nhecendo todas as Expressões das Pessoas ao Redor. São Paulo: Lua de Papel, 2011.
66. FERREIRA, L. P. & SOARES, R. M. F. Técnicas de Impostação e Comunicação Oral. Edições Loyola,
1977.
67. FERREIRA, L. P. (org.). Dissertando sobre voz, Interfaces 2. São Paulo: Pró-Fono, 1998.
68. FERREIRA, L. P. Um Pouco de Nós sobre Voz. São Paulo: Pró-Fono, 1995.
69. FERREIRA, L. P.; OLIVEIRA, I. B.; QUINTERO, E. A.; MORATO, E. M. Voz Profissional: O Profissional da
Voz. Carapicuíba, Editora Pró Fono, 1995.
70. FERREIRA, OLIVEIRA, QUINTEIRO & MORATO (coord.). Voz profissional: O profissional da voz. São
Paulo: Pró-Fono, 1998.
71. FEYNMAN, R. P. Física em Seis Lições. 6ª Ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.
72. FIUZA, A. M. O Canto no Tempo e no Espaço. Rio de Janeiro (s/ed.), 1941.
73. FRANCATO, A; NOGUEIRA JR., J; PELA, S.M.; BEHLAU, M. Programa de Aquecimento e Desaqueci-
mento Vocal. In: MARCHESAN, I. Col. Tópicos em Fonoaudiologia – Vol. III. SP: Lovise, 1996.
74. FUKS, L., HAMMARBERG, B. & SUNDBERG, J. A self-sustained vocal ventricular phonation mode:
acoustical, aerodynamic and glottographic evidences, KTH TMH-QPSR, 3/1998:49–59, 1998.
75. FULFORD, P. & MAILLER M. Apprendre à chanter. Marabout, 2009.
76. GAROFALO, R. Rockin' Out: Popular Music in the USA. Pearson Prentice Hall, 2008.
77. GOLEMAN, D. Foco – A Atenção e seu Papel Fundamental para o Sucesso. 1ª ed. Rio de Janeiro: Ob-
jetiva, 2014.
78. GOULART, D. & COOPER, M. Por Todo Canto - Método de Técnica Vocal (para) Música Popular. Vol I
e II. G4 Edições, 2002.
79. GREENE, D. & LANDASMAN, J. Performance Success: Performing Your Best Under Pressure.
Routledge, 2001.
80. GREENE, M. & MATHIESON L. The Voice and its Disorders. John Wiley & Sons; 6th Edition edition,
2001.
81. GREENE, M. C. L. Distúrbios da Voz. São Paulo: Manole, 1983.
82. GREENHALGH, T. Como Ler Artigos Científicos – Fundamentos da Medicina Baseada em Evidências.
4ª ed. Porto Alegre: ARTMED, 2013.
83. HERBST, C. T. & SVEC, J. G. Adjustment of Glottal Configurations in Singing. In Journal of Singing, Vo-
lume 70, No 3: 301-308, 2014.
84. HIRANO, M. Vocal Fold Phisiology. Ed. University Of Tokio Press, 1981.
85. HIRANO, M. Vocal Mechanisms In Singing. Laryngological and Phoniatric Aspects. J. Voice, 2:51-69,
1988.
86. HOLLIEN, H. & MICHEL, J. Vocal fry as a phonational register. J. Speech Hear. Res. 11, 600–604, 1968.
87. HOLLIEN, H., MOORE, P., WENDAHL, R. & MICHEL, J. On the nature of vocal fry. J. Speech Hear. Res.
9, 245–247, 1966.
88. KAHLE, C. Manual Prático de Técnica Vocal. Porto Alegre, Livraria Sulina Editora, 1966.
89. LE HUCHE, F. & ALLALI, A. A Voz - Anatomia e Fisiologia dos Órgãos da Voz e da Fala. Porto Alegre,
Artmed, 2006.
90. LEITE, M. Método para Canto Popular Brasileiro. Vol. I e II. RJ: Lumiar, 2001.
91. LENT, R. Neurociência da Mente e do Comportamento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.
92. LIMA, A. A Desigualdade Vocal e a Pobreza de Fôlego na Voz Cantada. Gráfica Baury. Tese de Con-
curso à Catedra de Canto da Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil, Rio de Janeiro,
1941.
93. _________. A Prática do Canto. Rio de Janeiro, Casa Mozart, (s/d).
94. LIMA, Y. Z. E. O Cantor - Ator e a Cultura. Rio de Janeiro, (s/ed.), 1957.
95. LINDESTAD, P.-A., SODERSTEN, M. B. & GRANQVIST, S. Voice Source Characteristics in Mongolian
“Throat Singing” Studied with High-Speed Imaging Technique, Acoustic Spectra, and Inverse Filter-
ing. J. Voice, 15(1):78–85, 2001.
96. LORENZO, E. Heavy Metal Singing - Physiologic Explanation For Safe Production. BAIPAEIC & XIX Paci-
fic Voice Conference, Santa Clara University, Santa Clara, CA, USA, 2011.
97. LOUZADA, P. As Bases da Educação Vocal. Rio de Janeiro: O livro médico, 1982.
98. LUZ, B. S. L. Bases Fundamentais para o Estudo de Canto. Tese de Concurso de Docência Livre de
Canto da Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil, Rio de Janeiro, 1966.
99. _________. Interpretação. Tese de Concurso à Cadeira de Canto da Escola Nacional de Música da
Universidade do Brasil, Rio de Janeiro, 1963.
100. MANOCCHIA, P. Anatomia do Exercício. São Paulo: MANOLE, 2009.
101. MANSO, M. S. Evolução da Técnica Vocal. Tese de Concurso de Assistente da Cadeira de Canto da
Universidade Federal da Bahia, Bahia, 1975.
102. MARI, N. Canto e Voce: Difetti Causati da un Errato Studio del Canto. Itália: Ricordi, 1990.
103. MARTIN, B. Pro Secrets Of Heavy Rock Singing. London: SMT, 2003.
104. MATOS, C. N.; TRAVASSOS, E. & MEDEIROS, F. T. (org.). Ao Encontro da Palavra Cantada: Poesia,
Música e Voz. Rio de Janeiro: Sete Letras, 2001.
105. McGLASHAN, J. et al. Vocal Effects In Singing: A Study Of Intentional Distortion Using Laryn-
gostroboscopy And Electrolaryngography. 10th International Conference on Advances in Quantita-
tive Laryngology, Voice and Speech Research, Cincinnati, Ohio, USA, 2013.
106. McGLONE, R. Air flow during vocal fry phonation. J. Speech Hear. Res. 10, 299–304, 1967.
107. McGLONE, R. & SHIPP, T. Some physiologic correlates of vocalfry phonation. J. Speech Hear. Res.
14, 769–775, 1971.
108. McKENZIE, D. Training The Boy's Changing Voice. 3ed. USA, New Jersey, Rutgers University Press,
1956.
109. McKINNEY, J. The Diagnosis and Correction of Vocal Faults. Genovex Music Group, 1994.
110. MELLO, E. B. Educação da Voz Falada. Rio de Janeiro: Gernasa, 1972.
111. MILLER, R. The Structure of Singing: System and Art in Vocal Technique. Wadsworth Publishing,
2001.
112. MOREIRA, P. L. A Ciência do Canto. Rio de Janeiro, Tipografia do Patronato, 1940.
113. _________. A Voz e o Canto. Rio de Janeiro (s/ed.), 1942.
114. _________. Orientação Moderna do Ensino de Canto. Revista Brasileira de Música. Rio de Janei-
ro, v. V, 2.º fasc., pg. 12-20, 1938.
115. _________. Compêndio de Técnica Vocal. Rio de Janeiro, Oficinas Gráficas Irmãos Pongetti, 1937.
116. _________. Para Ter Voz Forte e Flexível. Revista Brasileira de Música. Rio de Janeiro, v. VIII, pg.
42-45, 1942.
117. _________. A Voz Gutural no Conceito dos Antigos Mestres e dos Foniatras Hodiernos. Revista
Brasileira de Música. Rio de Janeiro, v. V, 3º fasc., pg. 43-49, 1938.
118. _________. A Voz e o Canto. Tratado de Empostação e Ortofonia. Rio de Janeiro (s/ed), 1943.
119. MORETZSOHN, L. Da Voz e Sua Classificação. Revista Brasileira de Música. Rio de Janeiro, v. I, 1.º
fasc., mar, pg. 34-40, 1934.
120. MOUSSALLE, S. K. DI NARDO, P. J. STEFFEN, N. STANGLER, S. & REIS, H. Guia Prático de Otorrino-
laringologia: Anatomia, Fisiologia e Semiologia. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1997.
121. MURTINHO, E. B. Novos Aspectos para o Ensino do Canto. Tese de Concurso à Catedra de Canto
da Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil, Rio de Janeiro, 1941.
122. MURRY, T. & BROWN, W. S. Subglottal air pressure during two types of vocal activity: Vocal fry
and modal phonation. Folia Phoniat. 23, 440–449, 1971b.
123. NELSON, A. G. & KOKKONEN, J. Anatomia do Alongamento – Guia Ilustrado para Aumentar a Fle-
xibilidade e a Força Muscular. São Paulo: MANOLE, 2007.
124. NORONHA. A. J. R. & DIAS, F. D. Câncer da Laringe – Uma Abordagem Interdisciplinar. Rio de Ja-
neiro: REVINTER, 1997.
125. OITICICA, V. O Bê-a-bá da Técnica Vocal. Brasília, MUSI MED, 1992.
126. OLIANI, J. Lição Teórica e Prática do Canto. São Paulo, A. Molinari, 1957.
127. OLIVEIRA, V. G. O Desenvolvimento Vocal do Adolescente e suas Implicações no Coro Juvenil A
Capela (dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1995).
128. PAJARES, V. S. Fabiano Lozano e o Início da Pedagogia Vocal no Brasil. Dissertação de Mestrado,
UNICAMP, Campinas, 1995.
129. PAPAROTTI, C. & LEAL, V. Cantonário – Guia Prático para o Canto. 2ª ed. Brasília: MUSIMED,
2013.
130. PAULA, W. M. Manejo Respiratório no Canto - Subsídios ao Ensino de Canto, com Base nas Con-
cepções Psico-Pedagógicas de Carl Rogers e na Fisiologia. Dissertação de Mestrado Apresentada à
Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1997.
131. PECKHAM, A. The Contemporary Singer: Elements of Vocal Technique. Hal Leonard, 2000.
132. PEREIRA, M. G. Artigos Científicos: Como Redigir, Publicar e Avaliar. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2014.
133. PERELLÓ, J. CABALLE M. & GUITART, E. Canto e Diccion – Foniatria Estética. Barcelona: Científico
Médica, 1975.
134. PINHO, S. R. Fundamentos em Fonoaudiologia - Tratando os Distúrbios da Voz. Ed. 2. Guanabara
Koogan, 2003.
135. PINHO, S. R. Manual de Higiene Vocal para Profissionais da Voz. São Paulo: Pró-Fono, 1997.
136. PINHO, S. R. Temas em Voz Profissional. Rio de Janeiro: REVINTER, 2007.
137. PINHO, S. R., & FONTES, P. Músculos Intrínsecos da Laringe e Dinâmica Vocal. Rio de janeiro:
REVINTER, 2008.
138. PINHO, S. R., TSUJI, D. H. & BOHADANA, S. C. Fundamentos em Laringologia e Voz. Rio de janeiro:
REVINTER, 2006.
139. PINHO, S. R., TSUJI, D. H. & JARRUS, M. E. Manual de Saúde Vocal Infantil. Rio de janeiro:
REVINTER, 2004.
140. PRADO, Y. A. Do Bel Canto Italiano. São Paulo, Ano 1, n.º 4, jan (s/p.), 1924.
141. QUINTEIRO, E. A. Estética da Voz - Uma Voz para o Ator. São Paulo: Summus, 1989.
142. RAO, D. The Young Singing Voice - Choral Music Experience. Vol.5, 2 ed. USA, Boosey & Hawkes,
Inc., 1987.
143. REHDER, M. I., CAZUMBÁ, L. F. & CAZUMBÁ, M. Identificação de Falantes – Uma Introdução à
Fonoaudiologia Forense. Rio de Janeiro: REVINTER, 2015.
144. REID, C. Dictionary of Vocal Terminology. NY, Joseph L. Patelson, 1982.
145. RIBEIRO, A. & POLICARPO, F. Método de Pilates. São Paulo: Impala, 2008.
146. RIGGS, S. Singing for the Stars: A Complete Program for Training Your Voice. Alfred Publishing
Company, 1992.
147. RUBERTI, S. O que Todo Cantor Deve Saber. Ilustração Musical. (s/l.), Ano 1, n.º 5, dez, pg. 152,
1930.
148. SADOLIN, C. Complete Vocal Technique. CVI Publications; 3rd edition; 2012.
149. SANDRONI, C. 260 Dicas para o Cantor Popular - Profissional e Amador. RJ: Lumiar, 2000.
150. SATALOFF, R. T. Professional Voice: The Science and Art Of Clinical Care. New York: Raven Press,
1991.
151. SATALOFF, R. T. Vocal Health and Pedagogy. San Diego-London: Singular Publishing Group, Inc,
1998.
152. SATALOFF, R. T., GOULD, W. J. & SPIEGEL, J. R. Manual Prático de Fonocirurgia, Rio de Janeiro:
Revinter; 2002.
153. SCHIAVO, T. C. A Técnica Vocal em Seus Principais Aspectos. Tese de Concurso de Docência Livre
da Cadeira de Canto da Escola Nacional de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de
Janeiro, 1968.
154. _________. O Ensino de Canto Para o Tempo Presente. Revista Brasileira de Música. Rio de Janei-
ro, v. XIV, pg. 76-79, 1984.
155. SCHÜNEMANN, R. Particularidades da Classificação Vocal. AT-45. São Paulo, Ricordi Brasileira,
1988.
156. SERVILHA, E. (coord.). Manual de Educação Vocal para Crianças. SP: Pró-fono, 1996.
157. SIMAS, A. L. B. Eduque sua Voz e sua Fala: Manual de Dicção. Porto Alegre, Oficinas da Livraria do
Globo, 1965.
158. SINNEK, H. ABC Para Cantores e Oradores: A Arte do Canto Através dos Tempos. Rio de Janeiro,
Editora Graphicars, 1942.
159. SOARES, H. Registros Vocais. Tese de Concurso, Belo Horizonte, 1941.
160. SOBREIRA, S. G. Desafinação Vocal. Musimed, 2002.
161. SOUSA, A. Nova Didática do Canto. Revista da Associação Brasileira de Música. Rio de Janeiro,
Ano 1, nº1, p. 15-16, 1932.
162. SUNDBERG, J. The science of the singing voice. Illinois: Northern Illinois University; 1987.
163. SUNDBERG, J. Ciência da Voz: Fatos sobre a Voz na Fala e no Canto. 1ª Ed. EDUSP, São Paulo:
2015.
164. TEIXEIRA, S. B. Classificação das Vozes. In: Música Sacra. Petrópolis, nº 7/12, jul/dez, pg. 97-99,
1955.
165. _________. Estudos Sobre a Voz Cantada. 1ª ed., A.P. Editora, São Paulo, 1970.
166. _________. A Arte de Cantar. São Paulo/Campinas, Ativa, 1976.
167. _________. Alguns Problemas da Voz e da Fala. São Paulo/CIP-Brasil/Catalogação na Fon-
te/Câmara Brasileira do Livro, 1977.
168. _________. Temas Sobre a Voz e a Fala. São Paulo/Campinas, Julex Livros Ltda, 1979.
169. _________. A Voz, a Fala e a Mente. São Paulo/Campinas, Copião – Criatividade e Reproduções
Fotográficas S/C Ltda, 1981.
170. TITZE, I. The Combination of Imaging and Computer Simulation: A Likely New Wavw In Studio
Voice Technology. Journal Of Singing, Volume 70, No. 3: 329-330, 2014.
171. TOMATIS, A. El Oído Y La Voz. Badalona: Paidotribo, 2010.
172. TONGEREN, M. V. Overtone Singing: Physics and Metaphysics of Harmonics in East and West. The
Harmonic Series No. 1. Amsterdam: Fusica, 2002
173. TUCKER, H. M. Larynx. Thieme Publishing Group, 1987.
174. VAN DEN BERG, J. W. Vocal Ligaments versus Registers. The NATS Bulletin, 1963.
175. VIEIRA, R. Técnica de Alexander – Postura, Equilíbrio e Movimento. São Paulo: Terceiro Nome,
2009.
176. VILLELA, E. C. Fisiologia da Voz. São Paulo (s/ed.), 1961.
177. WENDAHL, R., MOORE, P. & HOLLIEN, H. Comments on vocal fry. Folia Phoniat. 15, 251–255,
1963.
178. YANAGISAWA, E., ESTIIL, J. KMUCHA, ST. & LEDER, S. B. The Contribution os Aryepiglottic Con-
striction to "Ringing" Voice Quality ¾ A Videolaryngoscopic Study with Acoustic Analysis. J Voice; 3:
342-50, 1989.
179. ZANGGER BORCH, D., SUNDBERG, J., LINDESTAD, P.-A. & THALÉN, M. Vocal fold vibration and
voice source aperiodicity in phonatorily distorted singing. Speech, Music and hearing, KTH Stocholm,
Sweden TMH-QPRS, KTH, Vol. 45: 87-91, 2003.