Você está na página 1de 3

Ficha de trabalho de Filosofia – David Hume Novembro de 2020

A perspetiva empirista de David Hume: distinguir relações de ideias e questões de


facto.

Que conhecimentos se podem obter ?

Vejamos como Hume responde.

«Todos os objetos da razão ou investigação humanas podem naturalmente


dividir-se em duas classes, a saber, relações de ideias (ou conhecimento de ideias) e
questões de facto (ou conhecimento de factos).

Do primeiro tipo são as ciências da geometria, da álgebra e aritmética e, em


suma, toda a informação que é intuitiva ou demonstrativamente certa. Que o
quadrado da hipotenusa é igual à soma do quadrado dos dois lados, é uma proposição
que exprime a relação entre as figuras. Que três vezes cinco é igual à metade de trinta,
expressa uma relação entre números. Operações deste tipo podem descobrir-se pela
simples operação do pensamento, sem dependência do que existe em alguma parte do
universo.

As questões de facto, que constituem os segundos objetos da razão humana,


não são indagados da mesma maneira, nem a nossa evidência da sua verdade, por
maior que seja, é de natureza semelhante à precedente. O contrário de toda a questão
de facto é ainda possível, porque jamais pode implicar alguma contradição, e é
concebido pela mente com a mesma facilidade e nitidez, como se fosse idêntico à
realidade. Que o sol não se há de levantar amanhã, não é uma proposição menos
inteligível e não implica maior contradição do que a afirmação de que ele se levantará.
Por conseguinte, em vão tentaríamos demonstrar a sua falsidade.»

D.Hume, Investigação sobre o Entendimento Humano

1. Caracterize cada um dos conhecimentos considerados por Hume. Dê exemplos.

Os conhecimentos podem ser de dois tipos: relações de ideias e questões de facto.

Ao primeiro corresponde o conhecimento da geometria, da álgebra e da matemática,


pois são ideias intuitivas e demonstrativamente certas. É um conhecimento a priori.

Por exemplo: três vezes cinco é igual à metade de trinta;

ao segundo corresponde um conhecimento diferente, cuja evidência nada tem a ver


com o conhecimento anterior. O conhecimento das questões de facto é contingente,
pelo que nada nos garante a sua veracidade. Por exemplo: o sol há de levantar-se
amanhã.
2. Explique as duas últimas frases do texto.

Afirmar que o sol vai levantar-se amanhã tem tanta veracidade como afirmar
que ele não nascerá, pois não sabemos a priori, não havendo qualquer
contradição nisso.

Questões Relação de
de facto ideias
1. Fernando Pessoa nasceu em Lisboa X
2. Nenhum casado é solteiro x
3. Dado pedaço de metal dilatou ao ser aquecido x
4. Um triângulo tem três lados x
5. O sol vai nascer amanhã x
6. As coisas velhas não são novas x
7. Três maças são mais maças do que duas x
8. Todas as sogras são mulheres x

Conhecimento de ideias ou relações de ideias.

 Afirmações como «três vezes cinco é igual à metade de trinta» são exemplos
de relações de ideias
 É um conhecimento a priori e consiste em estabelecer relações entre ideias
que constituem cada uma das proposições.
 A sua verdade pode ser conhecida por mera inspeção lógica do que afirmam.
São verdades necessárias baseadas exclusivamente no princípio da não
contradição, ou seja, a negação de uma afirmação sobre relações de ideias
implica uma contradição.
 As verdades da lógica e da matemática, como se pode comprovar pelo texto,
são verdades deste tipo e podem ser conhecidas sem recurso às impressões.
 Estas verdades nada nos dizem sobre o mundo.

Conhecimento de questões de facto ou conhecimento de factos

 Afirmações como «o sol vai nascer amanhã» ou «o calor dilata os corpos» são,
segundo Hume, verdades que implicam justificação pela experiência.
 O seu valor de verdade está dependente do teste empírico. É um conhecimento
a posteriori.
 São verdades que nos dizem qualquer coisa sobre o que acontece e se passa no
mundo.
 A negação de uma afirmação sobre questões de facto não implica contradição
alguma.