Você está na página 1de 5

Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais

PJe - Processo Judicial Eletrônico

23/08/2020

Número: 5071493-13.2018.8.13.0024
Classe: [CÍVEL] PROCEDIMENTO COMUM CÍVEL
Órgão julgador: 16ª Vara Cível da Comarca de Belo Horizonte
Última distribuição : 30/05/2018
Assuntos: Abatimento proporcional do preço
Segredo de justiça? NÃO
Justiça gratuita? NÃO
Pedido de liminar ou antecipação de tutela? NÃO
Partes Procurador/Terceiro vinculado
DIRCEU DA COSTA SOARES (AUTOR) GABRIELA CASSINI VIEIRA (ADVOGADO)
DELL COMPUTADORES DO BRASIL LTDA (RÉU) THIAGO MAHFUZ VEZZI (ADVOGADO)
Documentos
Id. Data da Documento Tipo
Assinatura
67656 25/04/2019 23:07 Alegações Finais Alegações Finais
066
67656 25/04/2019 23:07 ALEGAÇÕES FINAIS Alegações Finais
067
67305 23/04/2019 14:35 Alegações Finais Alegações Finais
653
segue alegações finais anexa.

Assinado eletronicamente por: GABRIELA CASSINI VIEIRA - 25/04/2019 23:07:20 Num. 67656066 - Pág. 1
https://pje.tjmg.jus.br:443/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19042523071935100000066353935
Número do documento: 19042523071935100000066353935
Gabriela Cassini
OAB/MG 183.241
(31) 9 7579-0307
gabriela@cassinicompart.com.br

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA 16ª VARA CÍVEL DA


COMARCA DE BELO HORIZONTE/MG

DIRCEU DA COSTA SOARES, qualificado nos autos do processo em epígrafe, que


move em face da DELL COMPUTADORES DO BRASIL LTDA, por sua advogada
infra-assinada, vem respeitosamente a presença de Vossa Excelência, apresentar
suas

ALEGAÇÕES FINAIS

O Requerente adquiriu o Notebook modelo ULTRABOOK VOSTRO 5470 junto a


Requerida em 04/12/2014, pelo valor de R$ 1.739,09 (mil, setecentos e trinta
e nove reais e nove centavos). Entretanto, após 03 (três) anos da referida
aquisição e uso adequado, o aparelho começou a se deteriorar, surgindo aberturas
nas laterais, rachaduras no teclado, problemas na carcaça e piscar da tela,
encontrando-se atualmente inutilizado e nem se quer liga mais.

Ao tentar solucionar o problema administrativamente, o requerente foi informado de


que sua garantia havia se expirado, que não haviam peças disponíveis, que não
fabricavam mais o respectivo modelo e que não havia possibilidade de reparar o
equipamento, ainda que houvesse custo.

Em se tratando de computador, bem de considerável durabilidade e valor financeiro,


é inadmissível que apresente problemas desse porte com apenas três anos de uso,
foi quando surpreendeu-se em suas pesquisas com a notícia de que o notebook
adquirido, modelo (Vostro 5470), encontrava-se eivado de vício oculto, vindo
de fábrica e que se encontrava em todos os demais modelos fabricados à época,
localizando diversos problemas idênticos relatados nas redes sociais, site reclame
aqui, julgados em diversos Estados, tendo inclusive sido reconhecido pela própria
requerida em um termo de ajustamento de conduta (TAC), junto a 1° Promotoria
de Justiça de Defesa do Consumidor PRODECON, que trata exatamente da
reparação dos computadores deste modelo e pelos exatos defeitos apresentados.

Pois bem! A Requerida insiste na alegação de que a garantia já havia se expirado,


portanto, não cabendo-lhe mais tal responsabilidade. Entretanto, a discussão
judicial não se trata de garantia, mas sim de vício oculto/redibitório que se encontra
em todos os modelos vostro 5470 e que somente foi descoberto após o término da
garantia.

Ora, observa-se que o defeito decorreu de vício oculto pela má fabricação do


aparelho pela própria Requerida, pelo que não incide tão somente a garantia
contratual da data em que o produto foi adquirido. Tratando-se de vício oculto, o
prazo decadencial de noventa dias inicia-se apenas no momento em que ficar

Assinado eletronicamente por: GABRIELA CASSINI VIEIRA - 25/04/2019 23:07:20 Num. 67656067 - Pág. 1
https://pje.tjmg.jus.br:443/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19042523072018800000066353936
Número do documento: 19042523072018800000066353936
Gabriela Cassini
OAB/MG 183.241
(31) 9 7579-0307
gabriela@cassinicompart.com.br

evidenciado o defeito, o vício é oculto, porque se manifesta somente com o


uso, com a experimentação do produto.

Veja, que a Requerida não trouxe aos autos quaisquer provas aptas a
demonstrarem que o defeito em questão tenha sido decorrente de causa
diversa a sua fabricação, tendo, inclusive, postulado o julgamento
antecipado da lide, sem, contudo, pugnar pela produção de prova pericial. O
que causou estranheza ao requerente, afinal, quando da tentativa de resolução do
seu problema no JESP, autos de n° 9022019-05.2018.8.13.0024, a requerida
informou sobre a necessidade de tal prova, o que ocasionou inclusive a extinção do
feito sem resolução do mérito, face a complexidade de perícia técnica.

Diante dos fatos apresentados, comprovado o dano material experimentado pelo


Requerente em decorrência do evento danoso, a responsabilidade da Requerida, bem
como o nexo de causalidade, exsurge a obrigação de restituição da quantia paga pelo
aparelho. Em relação ao pedido de danos morais, deve-se considerar a resistência
injustificada da requerida ao proceder com a devolução do valor e o tempo
despendido pelo requerente buscando a solução do problema, abusando da
vulnerabilidade do consumidor e na perda do tempo útil deste, que durante
meses vem buscando uma solução.

Assim, requer a procedência total dos pedidos requeridos em sua exordial e o regular
prosseguimento do feito.

Nestes termos, pede deferimento.


Belo Horizonte, 25 de abril de 2019

GABRIELA CASSINI VIEIRA


OABMG/183.241

Assinado eletronicamente por: GABRIELA CASSINI VIEIRA - 25/04/2019 23:07:20 Num. 67656067 - Pág. 2
https://pje.tjmg.jus.br:443/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19042523072018800000066353936
Número do documento: 19042523072018800000066353936
anexo

Assinado eletronicamente por: THIAGO MAHFUZ VEZZI - 23/04/2019 14:35:16 Num. 67305653 - Pág. 1
https://pje.tjmg.jus.br:443/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19042314351545800000066004222
Número do documento: 19042314351545800000066004222

Você também pode gostar