Você está na página 1de 33

1

J OGO
Jogo é toda e qualquer atividade em que exista a figura do jogador (como indivíduo praticante) e
regras que podem ser para ambiente restrito ou livre. Geralmente os jogos têm poucas regras e estas
tendem a ser simples. Sua presença é importante em vários aspectos, entre eles a regra define o
início e fim do jogo. Pode envolver dois ou mais jogando entre si como adversários ou
cooperativamente com grupos de adversários. É importante que um jogo tenha adversários
interagindo e como resultado de interação exista um vencedor e um perdedor.
Jogo é um termo do latim, "Jocus", que significa brincadeira, divertimento.
Jogos são atividades estruturadas, praticadas com fins recreativos e em alguns casos fazem parte de
instrumentos educacionais, onde são usados jogos para passar uma mensagem aos jogadores
(vencedores e perdedores).
São distintos do trabalho que visa remuneração e da arte que está associado à expressão de ideias.
Esta separação é sempre precisa, porém, há jogos praticados por remuneração e outros associados à
expressão de ideias e emoções.
Jogos geralmente envolvem estimulação mental ou física e muitas vezes ambos. Muitos deles
ajudam a desenvolver habilidades práticas, servem como uma forma de exercícios ou realizam um
papel educativo, simulação ou psicológica.
Jogos são disputados contra adversários, o que os diferencia de competições, o adversário pode ser
outro jogador ou uma simulação que interage com o jogador (no caso de jogos digitais).
Em resumo os jogos possuem um certo número de características comuns que permite que sejam
classificados como elementos de um jogo:

 Jogador;

 Adversário;

 Interatividade;

 Deve existir regras;

 Deve existir objetivo;

 Condições de vitória, empate e derrota;

 Ser uma forma de entretenimento.


2

Em todo caso, é importante ressaltar que alguns autores diferem em relação a estes elementos.
Portanto, ao longo dos anos surgiram várias tentativas de dizer o que é um jogo, sendo diferentes
os conceitos. Entre as definições, temos:
De acordo com Chris Crawford, a exigência de interação entre jogadores coloca atividades como
"quebra-cabeças" e "jogos de paciência" na categoria dos quebra-cabeças ao invés de jogo e isso
ocorre porque não há adversário.

JOGOS PRE DESPORTIVOS

Os jogos são atividades cujo fim é a diversão e o entretenimento dos participantes (denominados
jogadores). A sua prática implica o respeito de uma série de regras que regem a dinâmica do jogo.
Existem jogos nos quais participa um único jogador e outros onde participam vários, inclusive
equipas.
Os jogos promovem o desenvolvimento de habilidades práticas e psicológicas, contribuindo
simultaneamente para o estímulo mental e físico. Por isso, para além de proporcionar
entretenimento e diversão aos participantes, podem desempenhar um papel educativo.
O desporto, por sua vez, consiste na realização de uma atividade física, onde também se respeita
um conjunto de regras. A diferença com os jogos é que, no âmbito desportivo, existe sempre a
componente competitiva. Por isso, os desportos representam uma forma de competência sempre
em busca de um resultado.
Ainda que a capacidade física seja muito importante para obter bons resultados finais, existem
outros fatores que incidem no desenvolvimento do desporto, como é o caso do equipamento do
desportista (a roupa, instrumentos, etc.) e a força mental.
No desporto, conjuga-se a competência com o entretenimento tanto para os praticantes (quem
pratica) como para os espectadores (quem assiste). Posto isto, os desportos são disciplinas
profissionais em que os desportistas recebem dinheiro pelo exercício das suas atividades e os
espectadores pagam para assistirem aos mesmos, nos estádios e ginásios. O futebol e o basebol,
conforme o país, são exemplos de desportos que fazem circular milhões de euros.
3

Os jogos desportivos, para concluir, são atividades que combinam, em maior ou menor medida,
diferentes facetas dos jogos e do desporto, como o entretenimento, o desenvolvimento físico, o
estímulo mental, o desempenho e a competição.

JOGOS PRÉ DESPORTIVOS

São jogos cujo objetivo principal é ensinar os movimentos básicos das modalidades esportivas.
Nos jogos pré-desportivos, conhece o objetivo do jogo, a função e o modo de execução das
principais ações técnico-táticas e as suas principais regras. Como início do jogo, marcação de “gols”,
“cestas” ou pontos, adequando as suas ações a esse conhecimento.

JOGOS COOPERATIVOS

O objetivo principal é jogar “com” e não “contra” os demais participantes.


No jogo cooperativo, aprende-se a considerar o outro que joga como um parceiro, um solidário, e
não mais como o temível adversário. A pessoa quando joga aprende a se colocar no lugar do outro,
priorizando sempre os interesses coletivos.
São jogos para unir pessoas, e reforçar a confiança em si mesmo e nos outros que jogam. As pessoas
podem participar autenticamente, pois ganhar ou perder são apenas referências para um continuo
aperfeiçoamento pessoal e coletivo.
Os jogos cooperativos resultam numa vontade de continuar jogando, e aceitar todos como são
verdadeiramente, pois as pessoas estão mais livres para se divertir.
Jogar cooperativamente é re-aprender a conviver consigo mesmo e com as outras pessoas.
A cooperação exige confiança porque, quando alguém escolhe cooperar, conscientemente coloca seu
destino parcialmente nas mãos de outros.
Os Jogos Cooperativos são essencialmente divertidos, pois o riso prende a atenção de todos, e assim
acontece o envolvimento de corpo e alma.
São atividades que tentam por meio dos jogos, diminuir as manifestações de agressividade,
promovendo boas atitudes, tais como: sensibilização, amizade, cooperação e solidariedade,
facilitando o encontro com os outros que jogam, predominando sempre os objetivos coletivos sobre
os objetivos individuais.
4

A palavra chave para que possamos cooperar é confiar, ou seja, fiar juntos, já que a confiança é a
matéria prima da cooperação.
Durante os Jogos Cooperativos você pode perceber com maior clareza, a beleza do jogo e explorar
sem medo nem receio de ser excluído; desenvolver junto com todos suas habilidades pessoais e
interpessoais. É através dos jogos também que enxergamos a nossa capacidade de conviver, e assim
incentivamos a participação, a criatividade e a expressão pessoal de cada participante. Nesses jogos,
competimos com os nossos próprios limites e habilidades e não mais contra os outros.
Os jogos cooperativos se contrapõem aos jogos competitivos no que se refere ao modo de atuação,
uma vez que nos jogos cooperativos todos se ajudam mutuamente com o objetivo de ser campeões.
O objetivo dos jogos cooperativos é despertar a consciência de ajuda mútua, ou seja, várias
dinâmicas de grupo são realizadas visando despertar a percepção de cooperação entre os membros
desse grupo. O que vale é sempre priorizar os interesses coletivos e não apenas individuais, como
muitas vezes acontece nos jogos competitivos.
O colega deve ser visto como um parceiro e não simplesmente como um adversário, a quem se deve
derrotar. É um tipo de atividade onde um deve se colocar no lugar do outro, sendo o sentimento de
solidariedade o principal foco a ser desenvolvido.

Entre os jogos cooperativos, podemos citar:

 Escravos de Jó

 Estamos no mesmo saco

 Passando o bambolê

 Nó humano

 Zigue-zague

 Quebra- cabeça

 Jogo da memória

 Basquetinho

O principal nos jogos cooperativos é a colaboração que cada membro pode oferecer para o bem do
todo. É a busca por uma solução comum que implique no sucesso do grupo.
5

O QUE SÃO JOGOS COMPETITIVOS

Jogos Competitivos têm como principal finalidade estimular a competição entre os participantes.
O ser humano, desde os seus primórdios, já possuía uma habilidade nata para a competitividade.
Podemos encontrar vários relatos desde os achados pré-históricos até os gregos e romanos. Porém,
hoje, podemos vislumbrar a evolução do espírito competitivo de forma mais saudável e menos
agressiva.
Com o passar dos séculos, em uma sociedade mais civilizada, o homem foi percebendo que era
possível continuar mantendo as nossas aptidões competitivas, porém de uma maneira mais
saudável e criativa.
Embora o termo competir remeta, inicialmente, a uma ideia de confronto, ele não pode e não deve
ser visto apenas por uma única ótica. Os jogos competitivos, por exemplo, possuem várias
finalidades positivas para o desenvolvimento do ser humano como um todo.
Eles são de suma importância para estimular várias habilidades não somente físicas, mas também
intelectuais, de forma que o raciocínio caminhe junto com o aprimoramento dos reflexos corporais.
Nos dias de hoje, os jogos competitivos são bastante utilizados no meio educacional para ensinar as
crianças e adolescentes a trabalharem em equipe, mostrando que o importante não é a competição
em si, e sim o espírito de união que pode ser criado em prol de um objetivo comum.
O importante é mostrar a essas crianças e jovens que nos jogos competitivos o respeito, a amizade e
a superação dos próprios limites devem ser o foco da competição, desvinculando assim, o termo
competição da rivalidade, agressividade ou apenas do simples ganhar ou perder.
A Educação Física, por exemplo, pode utilizar vários jogos competitivos para o desenvolvimento das
várias habilidades dos educandos, como corridas, cabo de guerra, briga de galo, dentre outros.

O QUE SÃO JOGOS RECREATIVOS

Jogos recreativos são jogos lúdicos ou jogos populares que têm como objetivo divertir os jogadores.
Recreativo é algo que dá prazer ou diverte.
6

Os jogos recreativos têm como objetivo proporcionar recreação aos jogadores. Recreação é um
substantivo que indica algo que é próprio para os momentos livres, uma paragem no trabalho para
descansar e aliviar o estresse.
Alguns exemplos de jogos recreativos mais conhecidos são pega-pega, esconde-esconde, pega-
bandeira, bambolê, amarelinha, peteca, pipa, corrida com saco, adoletá, carrinho de mão, dança
das cadeiras, etc.
Antigamente os jogos recreativos estavam quase exclusivamente relacionados com exercício físico,
no entanto, mais tarde, jogos com um componente mais didática e teórica (como xadrez e damas)
também foram designados como recreativos. Atualmente, muitos jogos recreativos são resultado
das novas tecnologias e podem ser jogados na internet.

JOGOS RECREATIVOS E EDUCAÇÃO FÍSICA

No âmbito da educação física, frequentemente os jogos recreativos são associados a esportes como o
futebol, futsal, vôlei e basquete. Apesar disso, muitas vezes os jogos recreativos não são esportes,
porque não têm a vertente da competitividade, e o mais importante não é ganhar, e sim participar e
se divertir.

JOGOS RECREATIVOS NA EDUCAÇÃO FÍSICA

Os jogos recreativos têm um papel muito importante para crianças entre os 0 e 6 anos e também
crianças do Ensino Fundamental.
Atividades lúdicas proporcionam desenvolvimento psicomotor (cognitivo e físico) das crianças,
facilitando a aprendizagem dos conteúdos que fazem parte do programa estipulado. A vantagem é
que a aprendizagem ocorre enquanto a criança se diverte.
Quando jogados em grupos, os jogos recreativos melhoram o sentido de cooperação porque
incentivam o trabalho em equipe, algo essencial em muitos postos de trabalhos.

O QUE É LÚDICO

Lúdico é um adjetivo masculino com origem no latim ludos que remete para jogos e divertimento.
7

Uma atividade lúdica é uma atividade de entretenimento, que dá prazer e diverte as pessoas
envolvidas. O conceito de atividades lúdicas está relacionado com o ludismo, ou seja, atividade
relacionadas com jogos e com o ato de brincar.
Os conteúdos lúdicos são muito importantes na aprendizagem. Isto porque é muito importante
incutir nas crianças a noção que aprender pode ser divertido. As iniciativas lúdicas nas escolas
potenciam a criatividade, e contribuem para o desenvolvimento intelectual dos alunos.
Um texto ou discurso lúdico é uma produção cultural que é capaz de divertir o leitor ou ouvinte. É
essencial para chamar a atenção e para persuadir outras pessoas.

ESPORTE ADAPTADO – HISTÓRIA E IMPORTÂNCIA

O esporte adaptado para deficientes surgiu no começo do século XX, com atividades esportivas
para jovens com deficiências auditivas. Mais tarde, em 1920, iniciaram-se atividades como natação e
atletismo para deficientes visuais. Para portadores de deficiências físicas, o esporte adaptado só
começou a ser utilizado após a Segunda Guerra Mundial, para reabilitação e inserção social dos
soldados que voltavam para casa mutilados. Inicialmente, a intenção era oferecer uma alternativa
de tratamento aos indivíduos que sofreram traumas medulares durante o conflito. Entretanto, em
1944, por meio de um convite do Governo Britânico, o neurologista e neurocirurgião alemão Ludwig
Guttmann, que escapara da perseguição aos judeus na Alemanha nazista, inaugurou um centro de
traumas medulares dentro do Hospital de Stoke Mandeville. É neste ponto da história que o
desenvolvimento e fomento do esporte paraolímpico ganharia força.
Em 1948, Guttmann decidiu organizar competições esportivas envolvendo veteranos da Segunda
Guerra Mundial com ferimentos na medula espinhal em Stoke Mandeville, England. Eram os
primeiros jogos para atletas com deficiência física. No mesmo ano, no dia da cerimônia de abertura
dos Jogos Olímpicos de Londres, os jogos de Mandeville Stoke foram lançados e a primeira
competição para atletas em cadeira de rodas foi organizada. Participaram 16 atletas veteranos de
guerra, 14 homens e duas mulheres. Quatro anos depois, atletas dos Países Baixos juntaram-se aos
jogos; e assim o evento internacional, hoje conhecido como Paraolimpíada, nasceu.
Os jogos olímpicos especiais para atletas com deficiência foram organizados pela primeira vez em
Roma em 1960, imediatamente após os Jogos Olímpicos. Eles são considerados os primeiros jogos
8

Paraolímpicos. Cerca de 400 atletas vindos de 23 países competiram em 8 esportes, 6 deles ainda
inclusos no programa de competição Paraolímpica (tênis de mesa, arco e flecha, basketball,
natação, esgrima e atletismo). Desde então, os Jogos Paraolímpicos são organizados a cada quatro
anos, sempre no mesmo ano dos Jogos Olímpicos. Fruto do crescimento do esporte adaptado, em
1964, foi criada a Organização Internacional de Esportes para Deficientes (ISOD).
Outros grupos com deficiência foram incluídos em Toronto, em 1976. No mesmo ano, os primeiros
Jogos Paraolímpicos de Inverno aconteceram na Suécia. Em 1988, os Jogos Paraolímpicos de Verão
em Seul marcaram uma mudança significativa, que permanece até hoje: os jogos Olímpicos e
Paraolímpicos foram realizados no mesmo local.
Desde 1960, foram organizados 11 Jogos Paraolímpicos de Verão e 7 Jogos Paraolímpicos de Inverno.
A 11ª Paraolimpíada de Verão foi realizada com sucesso em Sydney, Austrália, e a 8ª Paraolimpíada
de Inverno foi realizada em março de 2002, na cidade de Lago Salt, EUA.
Os jogos Paraolímpicos evoluíram e hoje, depois apenas dos Jogos Olímpicos, são o principal evento
esportivo mundial.
O Esporte Adaptado no Brasil surgiu em 1958. Atualmente é administrado por 6 grandes
instituições: A ABDC (Associação Brasileira de Desporto para Cegos), a ANDE (Associação
Nacional de Desporto para Excepcionais), a ABRADECAR (Associação Brasileira de Desportos em
Cadeira de Rodas), a ABDA (Associação Brasileira de Desportos para Amputados), a ABDEM
(Associação Brasileira de Desportos para Deficientes Mentais) e a CBDS (Confederação Brasileira
de Desportos para Surdos).

O PAPEL DO ESPORTE NA VIDA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

O esporte é um veículo para a inclusão da pessoa com deficiência na sociedade. Nos aspectos físicos
e motores, o esporte melhora a condição cardiovascular dos praticantes, aprimora a força, a
agilidade, a coordenação motora e o equilíbrio. No aspecto social, o esporte proporciona a
oportunidade de sociabilização com pessoas portadoras e não portadoras de deficiências, torna o
indivíduo mais independente para a realização de suas atividades diárias e faz com que a sociedade
conheça melhor as potencialidades dessas pessoas especiais. No aspecto psicológico, o esporte
9

melhora a auto-confiança e a auto-estima das pessoas portadoras de deficiência, tornando-as mais


otimistas e seguras para alcançarem seus objetivos.

DINAMICA DE GRUPO
Dinâmica de grupo é toda atividade que se desenvolve com um grupo e tem por objetivo integrar,
desinibir, divertir, refletir, aprender, apresentar e promover o conhecimento entre as pessoas. Como
é de conhecimento dos todos, nos dias atuais, trabalhar em equipe é uma das competências
pessoais mais estimuladas pelas empresas de sucesso. Por esta razão, elas valorizam profissionais
capazes de gerir e motivar os colaboradores, buscando sempre o desenvolvimento do conjunto e os
melhores resultados. Trabalhando dessa forma, as empresas de sucesso favorecem, também, a
capacidade de agregar valor e de gerar confiança aos seus funcionários, proporcionando um
ambiente saudável e positivo. Como resultado dessa postura, os colaboradores se sentem mais
motivados e preparados para as oportunidades da empresa.
As dinâmicas de grupos, realizadas por meio de jogos, podem atuar de diversas maneiras para o
desenvolvimento de equipes, dado o seu aspecto lúdico, criativo e espontâneo, visando mudanças
comportamentais que possam favorecer o desempenho individual e grupal.
Os jogos são excelentes mecanismos utilizados na transmissão e fixação da aprendizagem. Também
levam o indivíduo a soltar-se, liberar sua espontaneidade e criatividade. Entre os inúmeros jogos
utilizados nas dinâmicas de grupo, os quebra-gelos são muito utilizados para diminuir o campo de
tensão, produzindo um campo relaxado, favorecendo a ampliação de respostas que permitem,
também, que o indivíduo alcance outras formas de solução dos conflitos. Ao vivenciar, no jogo, um
pouco da realidade de cada um, há uma reflexão ou percepção do modo de agir e interagir entre os
participantes, abrindo, assim, a possibilidade de mudá-los.

FINALIDADES DOS JOGOS

Os jogos são de caráter experimental. São baseados na ação e proporcionam às pessoas a chance de
colocar em prática suas habilidades, sem o risco de consequências realmente danosas; afinal, tudo é
simulação.
10

- Gerar e propiciar aprendizagem.


- Fazer com que todos os participantes interajam, embora alguns não se envolvam – prefiram ficar
no anonimato.
- Levar o indivíduo a soltar-se, liberar sua espontaneidade e criatividade.
- É um meio de desentorpecer o corpo e a mente dos condicionamentos da vida atual.
- Ampliar o campo de respostas do indivíduo.
- Experimentar novos comportamentos de forma protegida (simulação).
- Definir, com clareza, os comportamentos e o que se quer (missão, visão, valores, regras, regras de
conduta);
- Levar à competição, mesmo que não se precise fazer a contagem de pontos.

VANTAGEM DO TRABALHO EM CONJUNTO

- Aproveitamento dos talentos de cada um;


- Maior criatividade ao serviço do projeto;
- Motivação para atingir metas;
- Descentralização de poder que resulta em maior responsabilidade individual;
- Rapidez na concretização e maior produtividade;
- Possibilidade de trocas de experiências e papéis;
- Complementar funções;
- Novas abordagens e soluções para velhos problemas;
- Gosto pelas tarefas a serem realizadas.
11

Dança
A dança é uma das três principais artes cênicas da antiguidade, ao lado do teatro e da música. No
antigo Egito já se realizava as chamadas danças astro-teológicas em homenagem a Osíris. Na
Grécia, a dança era frequentemente vinculada aos jogos, em especial aos olímpicos. A dança
caracteriza-se pelo uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia) ou
improvisados (dança livre). Na maior parte dos casos, a dança, com passos ritmados ao som e
compasso de música e envolve a expressão de sentimentos potenciados por ela.
A dança pode existir como manifestação artística ou como forma de divertimento ou cerimónia.
Atualmente, a dança manifesta-se nas ruas, em eventos como vídeo-clip ou em qualquer outro
ambiente em que for contextualizado o propósito artístico.
No dia 29 de abril comemora-se o Dia Internacional da Dança .

História e origem da dança

Apresentação de um grupo de dança.


O surgimento da dança, se deu ainda na Pré-História, quando os homens batiam os pés no chão.
Com o passar do tempo, foram dando mais intensidade aos sons, descobrindo que seriam capazes
de criar outros ritmos, conciliando os passos com as mãos, através das palmas.
A história da dança cênica representa uma mudança de significação dos propósitos artísticos
através do tempo.
Com o Balé Clássico, as narrativas e ambientes ilusórios é que guiavam a cena. Com as
transformações sociais da época moderna, começou-se a questionar certos virtuosismos presentes
no balé e começaram a aparecer diferentes movimentos de Dança Moderna. importante notar que
nesse momento, o contexto social inferia muito nas realizações artísticas, fazendo com que então a
12

Dança Moderna Americana acabasse por se tornar bem diferente da Dança Moderna Europeia,
mesmo que tendo alguns elementos em comum.
A dança contemporânea como nova manifestação artística, sofrendo influências tanto de todos os
movimentos passados, como das novas possibilidades tecnológicas (vídeo, instalações). Foi essa
também muito influenciada pelas novas condições sociais - individualismo crescente, urbanização,
propagação e importâncias da mídia, fazendo surgir novas propostas de arte, provocando também
fusões com outras áreas artísticas como o teatro por exemplo. A dança é uma das formas de
expressão de sentimentos mais antigas usadas pelo Homem. No período Paleolítico é possível
encontrar pinturas de pessoas dançando. Existem também várias pinturas rupestres da Pré-
história nas quais aparecem manifestações de danças em roda e em filas.
Nos tempos da Antiguidade, a Bíblia faz referência a várias danças sagradas ou profanas, como o
rei Davi (2 Samuel 6:14) e profetas de Baal (I Reis 18:26). No Egito existiam danças fúnebres, danças
das colheitas e as danças de culto (em adoração a Osíris, por exemplo).
O cristianismo tentou combater a dança como um ritual de idolatria. Apesar disso, a Igreja não
proibiu todas as formas de dança, sendo que algumas danças feitas em procissões eram permitidas.
Durante o Renascimento muitas danças populares ficaram mais estilizadas e surgiram escolas de
dança artística a partir do século XV.
A dança do ventre, era praticada originalmente por mulheres do Norte da África e da Ásia
Ocidental e Meridional. Este tipo de dança tem como característica principal o movimento rítmico
dos quadris e dos músculos do ventre. Originalmente, esta dança era parte integrante do ritual de
fertilidade, no entanto, hoje em dia a ligação com a fertilidade não é tão comum, sendo vista como
uma expressão artística, cultural e profissional.
Existem vários tipos de dança, como dança de rua, funk, kuduro, que são tipos de dança folclórica.
As danças folclóricas são danças específicas de um determinado país e cultura. Existe um número
tão grande de danças folclóricas que é difícil conseguir apresentar uma lista completa de todas elas.
O programa "Dança dos Famosos" é um programa onde os concorrentes são celebridades e têm que
preparar atuações em diferentes tipos de dança diferentes, sendo avaliados por um juri e pelos
telespectadores.
13

“Entrar na dança” é uma expressão popular que significa envolver-se em algum assunto, fazer
parte de algum negócio arriscado.

Dança e educação
A dança no contexto educacional brasileiro aparece como conteúdo da disciplina Artes e nas
atividades rítmicas e expressivas da Educação Física. Na disciplina Arte a dança é trabalhada como
atividade e linguagem artística, forma de expressão, socialização, como conceito e linguagem
estética de arte corporal. Como atividade de arte cênica e para apresentações.
Já na educação física o propósito da dança é diferente podendo até se inserir como cultura corporal
de movimento humano. Mas a abordagem da dança dentro do contexto da Educação Física é
diferente da abordagem da dança no contexto da Arte.
Na educação física a dança é utilizada de forma instrumental, assim como a ginástica, os esportes e
as lutas, deve enfocar o aspecto motor, biopsicossocial, como forma de atividade para
condicionamento físico, emagrecimento, bem estar e saúde. Pode ser verificado em clubes,
academias e demais espaços de lazer e ginástica. A dança na educação física é uma atividade física
instrumental e não artística, que assim como as demais atividades físicas, pode ser utilizada como
ferramenta para a melhoria do convívio intra e interpessoais, saúde e qualidade de vida.

Dança e saúde

Dançar pode auxiliar no tratamento de doenças como diabetes, síndrome do pânico, transtorno
bipolar, depressão e até alguns tipos de câncer. A dança pode ser considerada um remédio que
melhora a saúde física e mental.
14

Classificação e gêneros

Dança Bharatanatyam

Várias classificações das danças podem ser feitas, levando-se em conta diferentes critérios.

 Quanto ao modo de dançar:

o dança solo (ex.: coreografia de solista no balé, sapateado, samba);

o dança em dupla (ex.: tango, salsa,kizomba, valsa, forró etc);

o dança em grupo (ex.: danças de roda, sapateado, gavota).

 Quanto a origem:

o dança folclórica (ex.: catira, carimbó, reisado etc);

o dança histórica (ex.: sarabanda, bourré, gavota etc);

o dança cerimonial (ex.: danças rituais indianas);

o dança étnica (ex.: danças tradicionais de países ou regiões).

 Quanto a finalidade:

o dança erótica (ex.: can can, striptease);

o dança cênica ou performática (ex.: balé, dança do ventre, sapateado, dança


contemporânea);

o dança social (ex.: dança de salão, axé music, tradicional);


15

o dança religiosa/dança profética (ex.: dança sufi).

o dança coreografada (ex.: Casamento, Debutantes, Bodas); etc

Estudos e técnicas de dança


No início dos anos 1920, os estudos de dança (dança prática, teoria crítica, análise musical e
história) começaram a ser considerados uma disciplina acadêmica. No final do século XX, esses
estudos são parte integrante de muitos programas de artes e humanidades das universidades,
incluindo:
 Prática profissional: performance e habilidades técnicas
 Prática de pesquisa: coreografia e performance
 etnocoreografia, abrangendo os aspectos de dança relacionados com antropologia, estudos
culturais, estudos de gênero, estudos de área, teoria pós-colonial, etnografia etc.
 dançaterapia ou terapia por movimentos de dança.
 Dança e tecnologia: novos meios de comunicação e o desempenho de tecnologias.
 Análise de Movimento de Laban e estudos somáticos.
Competições de dança
Uma competição de dança é um evento organizado em que os concorrentes executam danças
perante um juiz ou juízes visando prêmios e, em alguns casos, prêmios em dinheiro. Existem vários
tipos principais de competições de dança, que se distinguem principalmente pelo estilo ou estilos de
dança executados. Os principais tipos de competições de dança incluem:
 Dança competitiva, em que uma variedade de estilos de danças teatrais, como dança acro,
balé, jazz, hip hop, dança lírica e sapateado, são permitidos.
 Competições abertas, que permitem uma grande variedade de estilos de dança. Um
exemplo disto é o popular programa de TV So You Think You Can Dance.
 Dança esportiva, que é focada exclusivamente em dança de salão e dança latina. Exemplos
disso são populares programas de televisão Bailando por um Sonho e Dancing with the
Stars.
 Competições de estilo único, como dança escocesa, dança de equipe (dance squad) e dança
irlandesa, que só permitem um único estilo de dança.
16

DANÇA DE SALÃO
As danças de salão surgiram na Itália entre os séculos XV e XVI e são caracterizadas por
movimentos precisos e elegantes. A partir do século XVII a dança de salão do estilo francês ganhou
mais popularidade e com a Revolução Francesa perderam o aspecto cerimonial, ficando mais livre.
A influência do continente americano na dança de salão ganhou força no século XX, com danças
como o tango (Buenos Aires), foxtrot, o charleston, a rumba, etc. Depois da Segunda Guerra
Mundial, ficaram conhecidas o mambo, o cha-cha-cha, o samba e o twist.
17

HANDEBOL

O handebol (ou andebol) é um esporte coletivo que envolve passes de bola com as mãos.
Praticado entre duas equipes, o nome dessa modalidade esportiva é proveniente da língua inglesa,
visto que hand significa “mão”.
A bola do handebol é feita de couro e para as equipes masculinas ela possui um diâmetro maior.
Sendo assim, para homens ela tem 58,4 cm de circunferência e massa de 453,6 gramas. Já para
mulheres, ela tem 56,4 cm de circunferência e massa de 368,5 gramas.

Partida de Handebol

ORIGEM

O handebol foi criado pelo em 1919 pelo atleta e professor de educação física alemão Karl Schelenz
(1890-1956).
Nesse ano, ele e outros parceiros de trabalho reformularam um esporte para deficientes visuais
chamado de torball
.

HISTÓRIA

Desde sua criação, o handebol tal qual o conhecemos hoje sofreu algumas modificações. O local de
jogo, por exemplo, era ao ar livre (em gramados) e os espaços eram menores.
Agora, o esporte é executado em quadras fechadas de 40 por 20 metros. Além disso, no início o
handebol era um jogo exclusivo para mulheres.
18

Mais tarde e com sua inclusão nos esportes olímpicos, ele passou a ser jogado por ambos os sexos.
Como foi criado por um alemão, ele começou a ser jogado em Berlim, na Alemanha durante a
primeira guerra mundial.
No entanto, não demorou muito para que ele se difundisse pela Europa e ainda, para outras partes
do mundo.
Outro fator que o diferencia de sua origem é pelo número de jogadores. Quando foi criado, ele
continha um total de 22 jogadores, ou seja, 11 em cada equipe. Hoje o número foi reduzido para 14
no total (7 jogadores em cada equipe).
No final dos anos 30 o handebol passou a ser um esporte oficial Jogos Olímpicos de Berlim. Nesse
momento, o jogo ainda era disputado por duas equipes de 11 jogadores cada.
Com as novas mudanças (jogadores e espaço), ele passou a fazer parte dos jogos olímpicos a partir
de 1972.
Além disso, o esporte se espalhou pelo mundo e atualmente encontramos diversas competições que
ocorrem a nível nacional e internacional. Merece destaque o Campeonato Mundial de Handebol
nas categorias feminina e masculina.
Em 1999 foi fundada a Federação Internacional de Handebol com sede na Basileia, Suíça. Esse
órgão é responsável pelo esporte a nível mundial.
Nos dias de hoje, o handebol é praticado em mais de 180 países do mundo.

HANDEBOL NO BRASIL

No Brasil, o handebol passou a ser reconhecido a partir dos anos 30. Em 1940 foi fundada em São
Paulo a Federação Paulista de Handebol. Esse momento foi um importante passo para a
consolidação do esporte no país.
Em 1979 foi fundada a Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) com sede na cidade de
Aracaju (Sergipe). Esse órgão é responsável pelos eventos de handebol que ocorrem no país.
Atualmente diversos estados possuem equipes de Handebol com destaques para São Paulo, Minas
Gerais, Rio de Janeiro e Paraná.
19

Mesmo que o handebol tenha certa representatividade no país, esse esporte ainda é o menos
praticado em relação ao futebol, vôlei, basquete, etc.

HANDEBOL FEMININO

Nos jogos pan-americanos de 1999, que teve lugar no Canadá, a seleção feminina conquistou a
medalha de ouro. Com isso, a equipe foi classificada para os jogos Olímpicos de Sidney (Austrália)
no ano 2000.
Em 2013, ocorreu na Sérvia o campeonato feminino mundial de Handebol. Novamente, a seleção
brasileira foi campeã.

Seleção brasileira feminina de handebol

FUNDAMENTOS DO HANDEBOL

Os principais fundamentos do handebol são:

 Possui um intervalo de 10 minutos entre cada etapa;

 Existem dois árbitros e um cronometrista;

 O jogo envolve dribles, passes e recepção de bola entre os jogadores;

 O arremesso é uma técnica muito utilizada para fazer gols;

 A maneira de segurar a bola no jogo é chamada de "empunhadura".


20

 A duração normal da partida para todas as equipes com jogadores de idade


igual ou acima de 16 anos, é de 2 tempos de 30 minutos. O intervalo de jogo é
normalmente de 10 minutos.
 A duração normal da partida para equipes de jovens é 2 tempos de 25 minutos
no grupo de idade entre 12-16 anos e 2 tempos de 20 minutos no grupo de
idade entre 8-12 anos, em ambos os casos o intervalo de jogo é normalmente de
10 minutos.
 Uma prorrogação é jogada, após 5 minutos de intervalo, se uma partida
acaba empatada no final da duração da partida e um vencedor deve ser
determinado. A prorrogação consiste de 2 períodos de 5 minutos, com um
intervalo de 1 minuto.
 Se o jogo continuar empatado depois do primeiro tempo extra, um segundo
tempo extra é jogado após um intervalo de 5 minutos. Este segundo tempo
extra também tem 2 períodos de 5 minutos com um intervalo de 1 minuto.
 Se o jogo ainda estiver empatado, o vencedor será determinado de acordo com
o regulamento particular da competição. No caso em que a decisão é usar o
tiro de 7 metros como desempate, para se conhecer o vencedor, os
procedimentos indicados abaixo devem ser seguidos.

REGRAS DO HANDEBOL

O objetivo do handebol é fazer gols. Portanto, ganha a equipe que fizer mais gols. Para isso, a
habilidade e a rapidez dos jogadores favorecem o resultado final.
Quando a bola está na mão do jogador, ele pode dar até três passos até arremessá-la para outro.
Isso também vale para o tempo, ou seja, cada jogador pode permanecer com ela nas mãos durante 3
segundos. Isso faz com que o handebol seja um jogo bem dinâmico.
21

FALTAS

As faltas são cometidas quando há toque de bola com os pés ou outras partes do corpo. Também é
considerado falta se um jogador tentar arrancar a bola das mãos de outro.
Além disso, e dependendo da gravidade da agressão entre jogadores, ocorre falta. Assim,
empurrões, chutes, cotoveladas, são consideradas faltas. Como no futebol, há o cartão amarelo e
vermelho dado pelo árbitro.

CARTÃO AMARELO

O cartão amarelo serve como uma advertência ao jogador que cometeu alguma falta. No total, ele
não pode receber mais de três cartões amarelos durante um jogo.
Se isso acontecer, ele é desclassificado. Em resumo, três amarelos, equivalem a um vermelho. No
segundo cartão amarelo, o jogador sai da quadra por 2 minutos de jogo.

CARTÃO VERMELHO

O cartão vermelho é dado pelo árbitro quando o jogador comete uma falta mais grave. Por recebê-
lo, ele está fora do jogo e a equipe fica com um jogador a menos durante dois minutos.
Passado esse tempo, outro jogador pode entrar na quadra. O cartão vermelho indica, portanto, a
expulsão do jogador.

QUADRA

A quadra de handebol possui 40 por 20 metros. De cada lado, estão os respectivos gols que medem
2 por 3 metros. O piso é geralmente de madeira envernizada, ou ainda, emborrachado.
22

Ilustração da quadra de handebol

JOGADORES

O handebol apresenta duas equipes de 7 jogadores cada. Desses 7 um deles será o goleiro do time.
Interessante notar que ele é o único jogador em que pode encostar os pés na bola, sem que seja
considerado falta.

CURIOSIDADE

Além do handebol de salão, a prática na praia começou a se expandir a partir da década de 80.
Ainda que sejam semelhantes, no handebol de praia o tempo total de partida é de 20 minutos.
Portanto, são duas partidas de 10 minutos cada e um intervalo de 5 minutos.
O handebol é um esporte coletivo. Ele é praticado com a participação de sete jogadores, sendo um
goleiro e seis jogadores de linha.
23

HISTÓRIA DO HANDEBOL

Em 29 de outubro de 1917, surgiu uma modificação no aperfeiçoamento do Handebol. O professor


alemão da Escola Normal de Educação Física de Berlim Karl Schelenz, com a colaboração de dois
patrícios, Max Heiser e Erich Konig trabalharam na formação do Handebol como esporte
competitivo.
No sentido de obter uma divulgação maior, enviou este trabalho, juntamente com as regras
especiais do Handebol de campo, a países como: Estados Unidos, Irlanda, Itália, Suíça, França, etc.
Foi assim que surgiu este esporte competitivo, que anteriormente, era praticado apenas como
preliminar e mais pelo sexo feminino. Agora, já seria praticado também pelo sexo masculino, o que
aumentaria ainda mais o espírito de competição.
É por essa razão que chamamos Karl Schelenz, o pai do Handebol, já que foi ele quem adaptou o
Torball para o Handebol, forçando assim, a popularização do jogo em toda a Europa. Este trabalho
foi favorecido pelo fato de ter sido ele, professor da Faculdade de Educação Física de Berlim, onde
havia muitos alunos estrangeiros, que levaram para seus respectivos países os conhecimentos ali
obtidos. O professor Schelenz fez palestras sobre a nova modalidade em vários países europeus,
entre 1920 e 1930.

REGRAS BÁSICAS
1) Dimensões da quadra: 40x20m.
2) Distância que devem observar os jogadores adversários até que os tiros sejam cobrados: 3m.
3) É considerado gol: Quando a bola ultrapassar completamente a linha de gol.
24

4) Tiro de 7m: É cobrado quando um jogador de quadra passa a bola para o seu próprio goleiro
dentro da área de gol. Durante a execução de um tiro de 7m qual a colocação dos jogadores de
defesa e de ataque é fora da linha dos 9m
5) Sanções disciplinares: No jogo as sanções são progressivas seguindo a ordem:
advertência, exclusão, desqualificação, expulsão.
6) Passos: pode-se dar, no máximo, 3 passos com a bola na mão.
7) 4 casos onde é ordenado Tiro Livre:
É ordenado Tiro Livre no handebol nos seguintes casos: entrada ou saída irregular de um jogador,
lance de saída irregular, manejo irregular da bola, comportamento incorreto para com o
adversário, execução ou conduta irregular no lance livre e no tiro de 7m; conduta antidesportiva.
8)Os casos em que o jogo é reiniciado com um Tiro de Árbitro:
Um tiro de Árbitro de handebol é ordenado quando:
a) jogadores de duas equipes cometerem ações antirregulamentares ao mesmo tempo na quadra.
b) a bola encostar o teto ou objeto fixado sobre a quadra.
c) o jogo é interrompido sem que tenha acontecido qualquer infração e a bola não estar em poder
de nenhuma equipe.
d) o primeiro ou o segundo meio tempo tenha sido encerrado antes do tempo regulamentar e os
jogadores tenham abandonado a quadra. Neste caso, o jogo de handebol é retomado por um tiro de
árbitro executado do centro da quadra após o apito do árbitro. Sem apitar, o árbitro central lança a
bola para cima no local onde a bola se encontrava no momento da interrupção do jogo. Caso, o
local fosse situado na área do goleiro ou nos 9m, o tiro é executado do local mais próximo fora da
linha dos 9m. Neste tiro os jogadores, salvo um de cada equipe, devem estar pelo menos a três
metros do juiz. Os dois jogadores devem estar um de cada lado do árbitro, cada um do lado de seu
próprio gol.
9) Equipe de arbitragem: A equipe é composta por dois árbitros assistidos por um secretário (que é
o marcador dos gols, faltas,etc.) e por um cronometrista.
10) Tiro de meta: O tiro de meta no handebol é ordenado quando antes de ultrapassar a linha de
fundo, a bola tenha sido tocada, por último, num jogador da equipe que ataca ou pelo goleiro da
defensora.
25

11) Tiro de lateral: Na execução deste tiro, uma parte do pé do executor deve estar em contato
permanente com o solo. É permitido levantar o outro pé e recolocá-lo no solo diversas vezes.

FUNDAMENTOS
O jogo de handebol é constituído por dois tempos de 30 (trinta) minutos com 10 (dez) minutos de
intervalo entre eles, nas olimpíadas em Atlanta 1996 foi permitida a utilização do tempo, como no
voleibol.
O número de substituições é ilimitado, mas elas tem de ser feitas no espaço de 4,45m que cada time
possui especialmente para isso, elas são feitas também sem a interrupção do jogo e é preciso que
um jogador saia completamente da quadra, antes que outro entre em seu lugar, caso ocorra uma
substituição incorreta, ela deve ser avisada ao árbitro da partida pela mesa do jogo, que é
constituída por um cronometrista e um marcador de gols. E, então, o jogador que cometeu a
infração recebe uma punição de dois minutos.
O objetivo básico do jogo de handebol é manobrar o adversário passando a bola hábil e
rapidamente entre os jogadores e quando possível arremessá-la ao gol adversário, marcando um
ponto caso a bola ultrapasse completamente a linha de gol.
É preciso muito jogo de corpo para enganar o adversário e deixar um companheiro livre. Como no
futebol e no basquete, é preciso mudar rapidamente de direção, velocidade e usar passes
inesperados (às vezes no estilo NBA) para atingir o gol.

PUNIÇÕES
As punições no handebol são bastante rígidas e variam desde a advertência com o cartão amarelo
até a desclassificação com o vermelho. A seguir, uma lista com todas as punições possíveis:
Cartão amarelo (advertência): serve como advertência a um jogador, é usado em algumas faltas,
por reclamação ou quando o jogador não deixa a bola no lugar após a marcação do árbitro.
Dois minutos: o jogador de handebol que receber esta punição deve ficar por dois minutos fora do
jogo, sem direito à substituição, ou seja, seu time fica com um jogador a menos durante dois
minutos, esta punição é dada a faltas violentas ou a substituições incorretas. O jogador também
recebe dois minutos caso for receber o segundo amarelo e caso o time já tenha dois amarelos, o
próximo cartão será substituído por um dois minutos.
26

Cartão vermelho (desqualificação): quando um jogador receber um cartão vermelho ele deve
retirar-se da quadra, também do banco de reservas e não pode mais voltar para a quadra durante a
partida. O time fica com um jogador a menos durante dois minutos e depois desse tempo pode
completar o time com outro jogador, desde que não seja aquele que foi expulso. Um jogador de
handebol não pode receber mais de três durante uma partida, se isso acontecer ele é desclassificado
do jogo, como se tivesse ganho u m
27

Futsal
O futsal, também chamado de futebol de salão, é um esporte coletivo semelhante ao futebol de
campo, porém possui suas peculiaridades.
Ainda que sejam semelhantes, o futsal possui regras específicas e diferencia-se, por exemplo, pelo
número de jogadores e as dimensões do espaço de jogo.

No Brasil, o futsal tem tido grande representatividade nas últimas décadas. Ao lado do futebol, é o
esporte mais praticado no país por homens e mulheres.

ORIGEM DO FUTSAL

O futsal surgiu nos anos 30 no Uruguai. O responsável foi o professor de educação física Juan
Carlos Ceriani Gravier da ACM (Associação Cristã de Moços).

Juan Carlos Ceriani Gravier, criador do futsal


28

No início era chamado de Indoor Football (na tradução literal significa “futebol no interior”).
HISTÓRIA DO FUTSAL NO BRASIL

Logo depois de ser inventado, o futsal chegou ao Brasil em 1935. Aqui, ele passou a ser chamado de
futebol de salão.
Ainda no início poderíamos encontrar 7 jogadores em cada equipe (14 no total). Mais tarde e com
as novas formulações, esse número foi reduzido para 10 no total.
Também devemos ressaltar o peso da bola, que a princípio, era mais leve. Com os chutes, por
exemplo, era muito fácil ela sair da quadra. Portanto, mediante observações, o seu peso foi sendo
aumentado.
Atualmente, a bola de futsal é mais pesada do que do futebol de campo.
Sua circunferência está entre 62 e 64 centímetros e um peso que varia de 400 a 440 gramas.
Após a consolidação das regras desse esporte em fins dos anos 50, ele disseminou-se rapidamente
por todo o país.
Em 1954 foi fundada a primeira federação desse esporte no Brasil chamada de “Federação
Metropolitana de Futebol de Salão”. Atualmente, ela chama-se “Federação de Futebol de Salão do
Estado do Rio de Janeiro”.
Nos anos seguintes, outros estados do Brasil também seguiram os passos e fundaram suas
federações relacionadas ao futsal.
Só na década de 50 foram fundadas as federações em São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio
Grande do Sul, Paraná, Bahia, Ceará, Sergipe e Rio Grande do Norte.
Com o passar do tempo, todos os estados do país contavam com uma federação e equipe de futsal.
Em 1971 foi fundada em São Paulo a “Federação Internacional de Futebol de Salão” (Fifusa). Na
ocasião, estavam presentes representantes do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Peru e
Portugal.
A Confederação Brasileira de Futsal atua através da CBF sendo filiada a FIFA. Além da FIFA, os
campeonatos internacionais de futsal são organizados pela Associação Mundial de Futsal (AMF)
com sede na cidade de Assunção, no Paraguai.
Atualmente existem diversos campeonatos de futsal no Brasil e no mundo. Merecem destaques a
Copa Mundial de Futsal da FIFA e o Campeonato Mundial de Futebol de Salão da AMF.
29

O Brasil possui uma das seleções mais fortes de futsal e já foi campeã algumas vezes. Na Europa,
destacam-se as seleções da Itália, Espanha e Rússia.

Embora seja relativamente novo, o futsal é considerado um dos esportes com maior crescimento no
mundo.

FUNDAMENTOS DO FUTSAL
Os objetivos desse esporte, tal qual no futebol, é fazer gols. Assim, a equipe vencedora é aquela que
conseguir fazer o maior número de gols durante a partida.
O tempo total de jogo é de 40 minutos. Ou seja, são dois tempos de 20 minutos com um intervalo de
10 minutos entre eles.
O futsal reúne diversos movimentos desde chutes, passes de bola, dribles, cabeceios, etc.
Além dos jogadores presentes na quadra e na reserva, cada equipe possui um treinador. Além
disso, há dois árbitros: o auxiliar e o principal. O cronometrista é responsável por controlar o
tempo de jogo.

REGRAS DO FUTSAL

No futsal nunca se deve colocar a mão na bola. O único jogador que pode é o goleiro que usa uma
luva para defender a marcação de gol pela equipe adversária.
Como o futebol de campo, se um jogador cometer falta ele pode levar o cartão amarelo
(advertência) ou vermelho (expulsão). Três cartões amarelos equivalem a um vermelho.
As faltas podem ser cometidas quando o jogador encosta a mão na bola, quando há desavenças
entre jogadores e árbitros, ou ainda, quando há violência física ou verbal. O juiz que irá decidir a
gravidade da falta e o cartão que será dado.
Vale ressaltar que no futsal não há o conceito de impedimento, como no futebol de campo. Por sua
vez, as cobranças de falta são semelhantes ao futebol de campo: escanteio, tiro de meta, arremesso
lateral e de canto.
As cobranças são realizadas em até 4 segundos e devem ser cobradas com o pé.
30

JOGADORES
Futsal possui dois times de 5 jogadores cada. Vale notar que desses 5 cada equipe possui um
goleiro, responsável por defender as entradas de bolas.
Além do goleiro, os jogadores chamados de fixos são responsáveis pela defesa. Esse equivale ao
zagueiro no futebol de campo. Já o pivô ou atacante tem o objetivo de marcar gols.
No futsal não há um limite para substituição de jogadores e elas podem ocorrer em qualquer
momento do jogo.

QUADRA

Quadra de Futsal
O futsal é praticado numa quadra retangular. Ela possui entre 24 e 42 metros de comprimento, por
15 a 22 de largura, variando de acordo com a categoria. Note que as quadras podem ser cobertas ou
descobertas.
O futebol de salão, também conhecido como futsal, é um esporte de origem uruguaia do século XX.
É uma variação do futebol, tendo, portanto, estruturas e algumas regras semelhantes. Pode ser
praticado tanto por homens quanto mulheres e em quadras tanto abertas quanto fechadas.
O chão da quadra, entretanto, deve ser uma superfície lisa em vez um gramado, como no futebol. É
disputado por duas equipes, cada uma com 5 jogadores em campo. Devido às menores proporções,
tanto da área da quadra quanto do número de jogadores, pode ser considerado um dos esportes
mais populares do Brasil, ainda mais popular que o futebol.
31

O objeto usado para a prática desse esporte é uma bola e o objetivo principal do futsal é a marcação
de pontos através de gols. A instituição responsável pelos eventos e pelas regras do futsal é a
FIFUSA, Federação Internacional do Futebol de Salão.
Os movimentos permitidos do futsal
Assim como no futebol, o uso das mãos para o manejo e o deslocamento da bola é proibido. Os
fundamentos, ou movimentos, a seguir são comuns ao futsal e ao futebol.
 Passe: É o ato de chutar a bola para um companheiro da equipe.
 Drible: É o ato de enganar o adversário com uma série de movimentos e passar por ele.
 Cabeceio: É o ato de golpear a bola com a cabeça.
 Chute: É o ato de golpear a bola com os pés.
 Recepção: É o ato de interromper o percurso que a bola esteja fazendo.
 Condução: É o ato de manejar a bola de forma que ela se desloque pelo campo.
As posições no futsal e no futebol
 Goleiro: Defende o gol do próprio time contra tentativas adversárias de marcar pontos.
 Fixo: Semelhante ao zagueiro do futebol, tem função de defesa.
 Ala esquerdo e ala direito: Tema função de ajudar no ataque, trabalhando nas áreas
laterais da quadra.
 Pivô: Também conhecido como atacante, principal responsável pela tentativa de marcação
de gols.
32

As regras do futsal
1. Cada partida de futsal tem 40 minutos de duração, sendo dividida em dois tempos de 20
minutos.
2. O jogo é supervisionado por um árbitro.
3. O uso dos braços, do tronco, da cabeça, das pernas e dos pés é permitido para o manejo e
condução da bola. O uso das mãos é proibido a todos os jogadores, com exceção dos
goleiros.
4. Em caso de falta, um jogador pode receber do árbitro um cartão amarelo ou um cartão
vermelho. O cartão vermelho indica expulsão imediata, bem como três cartões amarelos
para o mesmo jogador.
5. O objetivo é fazer com que a bola atravesse a trave da área adversária do campo.
6. A equipe vencedora é aquela que obtiver mais pontos ao final da partida.
7. As cobranças de falta são semelhantes às do futebol: Escanteio, tiro de meta, arremesso
lateral e arremesso de canto.

COMO SE JOGA
Futsal, ou futebol de salão, é uma adaptação do futebol de campo para quadra. Joga-se em espaços
chamados “quadras polivalentes”, demarcados também para outros esportes, como vôlei e
basquete. Participam duas equipes de cinco jogadores cada, com bola menor, mais pesada e menos
flexível que a do futebol tradicional.
O futsal é disputado em quadras de 24 a 42m de comprimento por 14 a 22m de largura. A bola pesa
entre 410 e 500g e tem de 53 a 62cm de circunferência. As metas medem três metros de largura por
dois de altura, à frente das quais demarcam-se áreas cujas linhas são equidistantes quatro metros
da linha de gol.
O objetivo do jogo é marcar tentos, como no futebol association, mas algumas regras são exclusivas
do futsal. O arremesso lateral e o arremesso de canto são cobrados com os pés; após a quinta falta
coletiva, a equipe infratora é punida com a cobrança de um tiro livre direto, sem barreira, do local
onde foi cometida a falta; o atleta que cometer cinco faltas será desclassificado e o goleiro deve
sempre repor a bola em jogo, com a mão ou com os pés, quatro segundos após defendê-la e de
modo que não atravesse a linha central sem que primeiro toque o piso, ou um jogador. A partida
33

tem a duração de quarenta minutos (dois tempos de vinte) para adultos e de trinta minutos (dois
tempos de 15) para juvenis.

REGRAS BÁSICAS DO JOGO DE FUTSAL

1- O atleta quando expulso da partida não deverá ficar no banco de reservas e nem retornar a
mesma. O seu time ficará 2 minutos com 4 jogadores ou até que sofra um gol; então assim será
permitido entrar um outro jogador para recompor a sua equipe.
2- A bola estará fora de jogo quando sair completamente quer pelo solo ou pelo alto das linhas
laterais ou de fundo.
3- Quando o atleta da mesma equipe ao cobrar uma falta atrasa a bola para o goleiro e ela entra
diretamente no gol, o tento não será válido e deverá ser marcado um arremesso de canto a favor da
equipe adversária.
4- Na hora do pênalti o goleiro deverá ficar sobre a linha do gol, podendo movimentar-se
exclusivamente sobre ela.
5- No lateral ou no escanteio se um atleta do futsal arremessar a bola contra a sua própria meta e a
bola penetrar na mesma, tocando ou não no goleiro, o tento não será válido.
6- No lateral se um atleta arremessar a bola contra a meta adversária e a bola penetrar na mesma,
tocando ou não no goleiro, o tento não será válido.
7- No escanteio se um atleta arremessar a bola contra a meta adversária e a bola penetrar na
mesma, tocando ou não no goleiro o tento será válido.
8- No arremesso lateral é suficiente que a bola esteja apoiada no solo colocada sobre ou junto a
linha demarcatória da lateral, do lado de fora da quadra de jogo, podendo mover-se levemente.
9- Se o goleiro do futsal demora mais que 4 segundos para executar o arremesso de meta, um tiro
livre indireto (dois lances), será concedido em favor da equipe adversária, colocando-se a bola sobre
a linha da área de meta e no ponto mais próximo onde ocorreu a infração.