Você está na página 1de 34

LUCIANA BRITES

LUCIANA BRITES
Direção e Coordenação Geral Copyright © 2020 by Luciana Brites
Luciana Brites Todos os direitos desta edição são
reservados à Editora NeuroSaber. Av.
Equipe Editorial Ayrton Senna da Silva, 600, sala 602.
Ana Clara dos Reis Tomaelli Londrina, PR – 86050-460
Fabrícia Cristina Florencio Telefone: (43) 33616757
E-mail: editoraneurosaber@neurosa-
Ilustração, Iconografia ber.com.br
e Diagramação
Gabriela Naomi Umezu Oliveira
Luke Boaro Almeida Machado

Revisão Ortográfica
Ana Clara dos Reis Tomaelli

Dados Internacionais de Catálogo na Publicação


(CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

BRITES, Luciana.

Crianças Ativas. / Luciana Brites. – Londrina: Editora NeuroSaber, 2020.


ISBN: 978-65-992698-1-31.

Alfabetização. 2. Psicomotricidade. 3. Educação – Londrina (PR). I. Título.


SUMÁRIO

Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 06

Tônus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 08

Equilibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1 1

Esquema imagem corporal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1 4

Lateralização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1 8

Estruturação espaço-tempo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21

Praxia global . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24

Praxia fina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28

Consideração finais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31

Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
BEM-VINDO A ESTE
MATERIAL!

Este e-book foi preparado com muito carinho pela Equipe


NeuroSaber,
especialmente para auxiliar você!

Por isso, lembre-se de que é vedada a reprodução, total ou


parcial, do conteúdo
contido neste livro digital, nos termos da Lei nº 9.610/98.

Esperamos que você faça bom uso desta obra. Aproveite!

Um grande abraço,

Equipe NeuroSaber
6 Crianças Ativas

exercícios para estimulação


da coordenação motora

A palavra psicomotricidade deriva dos termos grego psyche, que significa


alma, mente, e latim moto, que se refere a movimento. Assim, é possível con-
cluir que essa ciência estuda a inter-relação entre a mente e o movimento, li-
gada a aspectos emocionais e motores. Psicomotricidade, portanto, é definida
por Nascimento e Machado (1986) como a associação entre pensamento, ação
e emoção, buscando desenvolver, concomitantemente, a parte motora e a as
funções da inteligência. Meur e Staes (1984), por sua vez, afirmam que o objetivo
da psicomotricidade é justamente observar a relação que se estabelece entre
motricidade, mente e afetividade, utilizando-se, para tal, de uma técnica.
Segundo Fonseca (1995), as áreas psicomotoras subdividem-se em 7: tônus;
equilíbrio; esquema e imagem corporal; estruturação espaço-temporal e praxia
global e fina. Tônus configura-se como um mecanismo básico de estruturação
e organização corporal, o qual permite regular a força e modular os movimentos.
A equilibração refere-se ao controle postural e à aquisição de habilidades loco-
motoras. A lateralização corresponde à dominância lateral – definição da mão
que se utiliza para a escrita e para outras atividades, que se desenvolve entre os
2-3 anos até os 7 – e lateralidade – noção de esquerda-direita, aos 8-9 anos de
idade. Esquema e imagem corporal é um aspecto básico da psicomotricidade,
que se estabelece em sua totalidade dos 3 aos 4 anos. O desenvolvimento dessa
noção acontece, primeiro, com relação a aspectos sensoriais e só então liga-se
à imagem corporal. A estruturação espaço-temporal ocorre dos 4 aos 5 anos,
7 Crianças Ativas

envolvendo aspectos relativos à posicionamento espacial e temporal. Por fim,


há ainda as áreas relativas à coordenação motora global ou fina: a praxia global
envolve a coordenação dos olhos, mãos e pés e planificação motora e integração
rítmica; já a praxia fina envolve a concentração, organização e planificação das
funções manuais.
Nesse sentido, as atividades deste livro buscam estimular e desenvolver essas
áreas psicomotoras, observando cada uma delas de modo individual.
9 Crianças Ativas

1) Brincando no colchão
Materiais: Colchonetes.
Orientações: Distribua os colchonetes pelo espaço, para que a criança explore o
material com liberdade. Incentive-os a engatinhar e depois a se rastejar.

2) Interação com brinquedos


Materiais: Caixa com brinquedos.
Orientações: Coloque uma caixa de brinquedos no centro do espaço. Peça para a
criança tirar todos os brinquedos dela, um a um, e colocar no chão. Depois, ela deve
devolver os brinquedos à caixa novamente. Repita esse exercício várias vezes.

3) Não solte a bola


Materiais: Colchonetes e bolinhas.
Orientações: Distribua os colchonetes pelo espaço. Entregue as bolinhas para a
criança. Peça para que ela se deite de barriga para baixo e que rasteje pelo colchão
sem soltar a bola.

4) Te arrastando por aí
Materiais: 1 colchonete e outro objeto (brinquedo, caixa) para ser colocado em
cima dele.
Orientações: Peça para que a criança fique de frente para o colchonete e segure a
ponta dele, deixando a outra parte ainda em contato com o chão. Ela deve arrastar o
colchonete pela sala, indo e voltando. Repita o exercício dificultando um pouco mais,
colocando um objeto em cima do colchão.

5) Pulando como animais


Materiais: Nenhum.
10 Crianças Ativas

Orientações: Estimule as crianças a pular de formas diferentes. Diga: “Pule como


um elefante!” e oriente a criança para que pule de uma forma mais “pesada”. Depois,
peça à criança que pule como uma joaninha e oriente-a para que pule “leve”. Faça o
mesmo com diversos animais, explorando a ludicidade desse momento.

6) Sopro com canudo


Materiais: Canudos e bolinhas de papel.
Orientações: Pegue um pedaço de papel e faça diversas bolinhas – você pode pedir
para a criança ajudar nessa tarefa. Depois, entregue os canudos, distribua as bolinhas
em uma superfície e peça para a criança tentar movê-las com o sopro.

7) Ação e reação
Materiais: Alguns saquinhos de areia e pedaços de corda ou fitas.
Orientações: Amarre a corda (fita) nos saquinhos de areia, deixando uma ponta
de aproximadamente 1 m. Entregue a ponta para a criança e estimule-a a puxar os
saquinhos pelo espaço.

8) Boliche aéreo
Materiais: Bolas, cinco garrafas pets, grãos de arroz/feijão.
Orientações: Vá a um espaço que permita que a criança brinque. Coloque alguns
grãos de arroz ou feijão dentro da garrafa pet, apenas para que ela não caia facilmen-
te (com a força do vento, por exemplo). Depois, posicione-as como os pinos do boliche
e deixe a criança a uma distância de 2 m. Ela deverá arremessar a bola tentando der-
rubar todas as garrafas. Conforme ela for jogando, de acordo com a dificuldade ou fa-
cilidade, aumente ou diminua a distância entre o ponto de lançamento e as garrafas.
12 Crianças Ativas

1) Não é hora de dormir, é hora de brincar


Materiais: Colchão gordo e um aparelho de som.
Orientações: Coloque o colchão no centro do espaço. Quando a criança estiver em
cima dele, peça que fique parada, tentando se equilibrar sem se mexer. Para incenti-
var a criança, coloque uma canção infantil e brinque de estátua.

2) Subindo e descendo
Materiais: Nenhum.
Orientações: A criança deve ficar sentada com os pés descalços. Peça que elas
batam com um pé no chão, depois com o outro e, por fim, com os dois juntos. Depois
repita essa atividade com as crianças em pé.

3) Ponto de equilíbrio
Materiais: Nenhum.
Orientações: A criança deve ficar sentada com os pés descalços. Peça que elas
batam com um pé no chão, depois com o outro e, por fim, com os dois juntos. Depois
repita a mesma sequência de movimentos com as crianças em pé. Ao final, as crian-
ças vão marchar batendo somente um pé com mais força no chão, depois o outro e
colocar os dois pés ao mesmo tempo.

4) Brincando de corda
Materiais: Uma corda grande (7 a 9 m).
Orientações: Coloque uma corda esticada no chão. Incentive a criança a andar so-
bre a corda colocando um pé na frente do outro. Depois peça que pule em ziguezague,
sem deixar os pés se afastarem. Cada movimento, para ser bem executado, deve ser
completado depois que ela for e voltar ao ponto de início.
13 Crianças Ativas

5) Equilíbrio e movimento
Materiais: Folhas de jornal.
Orientações: Espalhe algumas folhas pelo espaço. Depois, a criança irá andar de
diferentes maneiras: normal, em quatro apoios. Faça com que ela execute os movi-
mentos passando também por cima das folhas de jornal espalhadas no espaço.

6) De galho em galho
Materiais: Folhas de revistas e aparelho de som.
Orientações: Espalhe várias folhas de revista no espaço, com uma distância de
50 a 60 cm entre elas. Coloque a música e informe que, ao parar, as crianças devem
encontrar e ficar em cima de uma folha de revista, os pés não podem ficar direto no
chão. Certifique-se de manter as crianças com uma distância segura para não se
machucarem.

7) Equilíbrio e movimento
Materiais: Duas cordas grandes e três bambolês.
Orientações: Você irá construir um pequeno circuito, seguindo a sequência de:
uma corda em linha reta, seguida por três bambolês, finalizando com a outra corda
em forma de “ondas”. A criança deve fazer ida e volta e repetir o trajeto três vezes.
Primeiro, ela vai apenas tentar se equilibrar nas cordas e caminhar para passar pelos
bambolês. No segundo, elas mudarão apenas a forma de passar pelos bambolês, des-
sa vez eles devem passar pulando. No terceiro, elas passarão pelos bambolês pulando
apenas com um pé só.

8) Pulando de um pé só
Materiais: Fita-crepe.
Orientações: Trace uma linha reta com fita-crepe no chão. Oriente a criança para
que ela ande sobre aquela linha: primeiro que caminhe com os dois pés; depois, que
pule com um pé só e, na sequência, com outro. Você pode também fazer variações:
sugerir que ande em zigue-zague, por exemplo.
15 Crianças Ativas

1) Partes do meu corpo


Materiais: Nenhum.
Orientações: Deixe a criança em pé e comece a cantar a canção: “Cabeça, ombros,
perna e pé/ Perna e pé/ Cabeça, ombros, perna e pé/ Perna e pé/ Olhos, orelhas,
boca e nariz/ Todo mundo é feliz/ Bem feliz!”. Enquanto canta a canção, faça gestos
mostrando as partes do corpo correspondentes. Repita várias vezes para que a crian-
ça consiga assimilar, mesmo que aos poucos, e acompanhar a atividade.

2) O mestre mandou
Materiais: Nenhum.
Orientações: Faça a brincadeira O mestre mandou. Explique para a criança que
ela deve seguir os comandos. Diga:
1º) O mestre mandou você mexer a cabeça.
2º) O mestre mandou você balançar os braços
3º) O mestre mandou você mexer as pernas.
4º) O mestre mandou você mexer o bumbum.
5º) O mestre mandou você mexer o corpo todo.

3) Hora do banho
Materiais: Folhas de jornal ou revistas.
Orientações: Nesta atividade, a criança deve simular um banho. Ela ficará em pé
e seguirá as orientações. Peça a ela para que ligue o chuveiro e se molhe. A folha de
jornal ou revista representará o sabonete. Instrua a passar a folha pelo corpo: “Vamos
lavar os cabelos..., o rosto..., olhos..., boca..., orelhas..., pescoço…”. Deixando que ela
sinta todas as partes. Demore e repita mais de uma vez o nome da parte que está
sendo lavada naquele momento. Ao pedir para que a criança se seque, aproveite para
enfatizar o nome das partes do corpo novamente: “vamos secar os cabelos..., o ros-
to..., os olhos..., as orelhas...”.
16 Crianças Ativas

4) Deslizando pelo chão


Materiais: Papel crepom e cordas pequenas.
Orientações: Faça pequenas fitas de papel crepom e vá amarrando nas partes do
corpo da criança: amarre na cabeça (fazendo uma faixa), nas mãos, nos braços, nos
joelhos, nos pés. Deixe que as crianças andem e corram, percebendo o movimento
das fitas com as ações do corpo. Enquanto ela brinca, pergunte em quais partes do
corpo ela tem fitas amarradas: é importante que elas consigam nomeá-las.

5) Fazendo caretas
Materiais: Nenhum.
O que fazer: Solicite que a criança siga o que você faz: pisque, abra e feche a boca,
coloque a língua para fora, mande beijos estalados, levante a sobrancelha, olhe para
cima, olhe para baixo, depois faça caretas diversas. Faça com calma para que a crian-
ça perceba e repita as ações com cada parte indicada.

6) O corpo do boneco
Materiais: Um boneco ou boneca.
Orientações: Entregue um boneco ou boneca para a criança e peça a ela que apon-
te as seguintes partes do corpo dele: a cabeça, o nariz, a boca, a orelha, as mãos, os
braços, os pés, os joelhos, as pernas, a barriga etc.

7) Boneco de massinha
Materiais: Massinha de modelar.
Orientações: Entregue uma massinha para a criança e peça para fazer um bone-
co. Deixe-a executar a atividade livremente. Observe, ao final, quais partes do corpo
aparecem no boneco criado.
17 Crianças Ativas

8) Autorretrato
Materiais: Folha sulfite.
Orientações: Entregue uma folha sulfite e peça para a criança fazer um autorre-
trato. Incentive a desenhar a cabeça, o tronco, pernas e pés. Observe quais partes ela
reconhece e consegue representar.
19 Crianças Ativas

1) Lançando a bola
Materiais: Bolas pequenas (as crianças devem conseguir segurar com uma mão).
Orientações: Convide a criança a se posicionar em frente a uma parede e calcule
uma distância de, no mínimo, 60 cm entre eles. Entregue à criança uma bola (peque-
na) e peça para que a lance contra a parede. Ela deve repetir o exercício diversas vezes
com as duas mãos.

2) Rolando o arco
Materiais: Bambolê.
Orientações: Forneça um bambolê para a criança e solicite que ela o mantenha na
mão direita. Coloque uma música infantil e explique que ela deve andar segurando o
bambolê na mão direita. Quando a música parar, elas devem parar também e segurar
o bambolê na outra mão.

3) Dançando com a corda


Materiais: Papel crepom ou cordas pequenas.
Orientações: Amarre uma fita de papel crepom em um lado motor (pé e mão es-
querdos) da criança. Deixe que ela ande, corra e pule com a fita. Depois, repita o exer-
cício trocando as fitas de lado motor (pé e mão direitos).

4) Jogando com os pés e as mãos


Materiais: Bolas pequenas (as crianças devem conseguir segurar com uma mão).
Orientações: Coloque as crianças em frente a uma parede, calcule uma distância
de no mínimo 60 cm entre elas. Entregue às crianças uma bola (pequena) e peça
para a lançarem contra a parede. Eles devem repetir o exercício diversas vezes com
as duas mãos. Depois pergunte com qual mão as crianças sentiram mais dificuldade
para jogar a bola.
20 Crianças Ativas
5) Batendo no tambor
Materiais: Tambor ou outro instrumento que sirva como percussão.
Orientações: Forneça tambores ou outros instrumentos para a criança e peça a
ela que, primeiro, segure o instrumento com a mão esquerda e toque com a direita.
Depois, solicite que ela inverta: segure com a mão direita e toque com a esquerda. Por
fim, solicite que comente sobre a dificuldade, contando com qual dos lados foi mais
difícil executar o movimento.

6) Descubra o som
Materiais: Bastão grande (1 metro).
Orientações: Entregue um bastão à criança. Parada, ela vai bater o bastão no
chão, alternando com sons mais fracos e mais fortes. Faça os exercícios com um lado
motor do corpo; depois, troque e repita.

7) Chutando bolinhas de papel


Materiais: Jornais ou papéis mais resistentes.
Orientações: Faça bolinhas de papel com jornal ou papel grosso – inclua a criança
nesse passo. Na sequência, peça para que ela vá chutando até um ponto determina-
do, primeiro com o pé direito e depois peça para que inverta o pé, usando, agora, o es-
querdo. Por fim, converse com a criança, questionando sobre qual lado foi mais difícil
para executar o movimento.

8) Chutando a bola
Materiais: Bolas.
Orientações: Marque um ponto de partida e chegada, com uma distância entre
eles de 6 a 8 metros. Entregue uma bola para a criança e peça para que ela leve até
o outro lado, chutando com apenas um pé, tentando manter o controle. Depois, ela
deve retornar chutando com o outro pé. Repita essa atividade diversas vezes. Depois,
pergunte com qual pé elas tiveram mais dificuldade.
22 Crianças Ativas
1) Seguindo as direções
Materiais: Nenhum.
Orientações: Leve a criança para um espaço em que ela tenha liberdade para se
movimentar. Peça para andarem para frente e depois para trás, para um lado e de-
pois para o outro. Mostre os movimentos para ela copiar. Repita pelo menos três vezes
essa sequência.

2) Seguindo as direções I
Materiais: Nenhum.
Orientações: Leve a criança a um espaço que conte com diversas informações
visuais em seus quatro cantos. Peça para ela deitar e descrever o que vê acima de sua
cabeça; depois, embaixo e, na sequência, o que vê no lado direito e no lado esquerdo.

3) Posicionando a bola
Materiais: Uma bola.
Orientações: Peça para a criança colocar a bola nas seguintes posições: na frente
dos pés, atrás dos pés, ao lado direito e, por fim, ao lado esquerdo.

4) O que tem ao meu redor


Materiais: Uma corda.
Orientações: Coloque uma corda no chão e peça para a criança pular, indo para
frente e para trás. Peça para começar pulando pelo lado direito, depois troque para o
lado esquerdo. Deixe também que ela pule livremente.

5) Tamanhos
Materiais: Frutas.
Orientações: Separe duas frutas com tamanhos diferentes, limão e mamão, por
exemplo. Entregue para a criança e pergunte o que elas têm de diferente. Veja se ela
23 Crianças Ativas
percebe as cores, os formatos e os tamanhos. Depois, descasque a fruta e entregue
um pedaço para a criança provar. Pergunte sobre o sabor de cada fruta e peça para
ela descrever. Veja se ela sabe diferenciar o azedo do doce.

6) Trabalhando o ritmo: o som das palmas


Materiais: Palitos de duas cores diferentes: branco e preto, por exemplo.
Orientações: Entregue os palitos para a criança. Em seguida, informe que quando
ouvir uma palma forte (fazer o movimento) ela deve colocar o palito preto, quando
ouvir uma palma fraca (fazer o movimento) ela deve colocar um palito branco. Expli-
que que os palitos devem ser colocados em sequência, um ao lado do outro. Faça pelo
menos uma sequência com 10 palmas, alternando entre fortes e fracas (forte, forte,
fraca, forte, fraca, fraca...). Após completarem, a criança deve bater palmas seguindo
a sequência que formou. Faça com que essa etapa seja repetida mais de uma vez.

7) Lançando a bola
Materiais: Uma bola.
Orientações: Peça para a criança lançar a bola: para frente, para trás, para um
lado e, depois, para o outro.

8) Fila de objetos
Materiais: Objetos diversos, de várias cores, tamanhos e formas.
Orientações: Forme uma “fila” com objetos selecionados por você: podem ser
brinquedos da criança, por exemplo. Diga: “Qual objeto está atrás do objeto vermelho
grande?” e oriente a criança para que aponte para esse objeto. Assim, é possível tra-
balhar, além de estruturação espaço-temporal, conceitos relativos à numeracia.
25 Crianças Ativas
1) Circuito com obstáculos
Materiais: Obstáculos diversos: cadeiras, almofadas, banquetas, colchonetes etc.
Orientações: Com obstáculos diversos de que você dispuser, prepare um circuito
para que a criança passe. Os objetos devem estimulá-la a saltar, caminhar, rastejar,
rolar, engatinhar, estimulando, assim, a coordenação motora global.

2) Brincando de morto e vivo


Materiais: Nenhum.
Orientações: Oriente a criança para que fique em pé. Explique a ela que, ao co-
mando “morto”, ela deve se agachar e, ouvindo “vivo”, deve ficar em pé. Dê os coman-
dos de forma aleatória, como você preferir. Você pode também ir fazendo o inverso do
que falar, de modo a estimular o raciocínio da criança.

3) Brincando de estátua
Materiais: Um aparelho de som.
Orientações: Leve a criança para uma área espaçosa, em que ela tenha liberdade
para se movimentar. Coloque músicas infantis com ritmos diferentes e peça para a
criança dançar. Interrompa os movimentos com a palavra “estátua” e pause a mú-
sica. Deixe a música desligada por alguns segundos, para que a criança fique parada
nesse tempo. Depois, retorne com a música e repita a sequência diversas vezes.

4) O Andy está chegando!


Materiais: Nenhum.
Orientações: Essa atividade brinca com o conceito do filme Toy Story, em que os
brinquedos ganham vida e, ao verem o Andy – o dono deles – se aproximando, dei-
tam-se no chão, fingindo-se de inanimados. Relembre com a criança essa parte do
filme e explique que quando você disser “O Andy está chegando!”, ela deverá deitar-se
no chão e ficar parada até que você diga “O Andy já foi!”.
26 Crianças Ativas
5) O chão é lava
Materiais: Almofadas.
Orientações: Coloque, no chão, almofadas, de modo que elas formem um caminho
entre dois elementos: o sofá e uma cadeira ou poltrona, por exemplo. Diga à criança
que vocês vão brincar que o chão do ambiente em que estão é um rio de lava – a subs-
tância que sai do vulcão quando ele entra em erupção. As almofadas servirão como
um atalho para que ela não pise na lava, conseguindo chegar de um local a outro sem
pisar no chão.

6) Brincando com bambolês


Materiais: Bambolês.
Orientações: Bambolês são materiais muito interessantes para estimular a praxia
global. Inicie permitindo que a criança explore, livremente, o objeto, rodando na cintu-
ra, por exemplo. Depois, coloque os bambolês no chão, formando um circuito e oriente
a criança para que pule entre os bambolês; depois, passem por fora deles; incentive,
ainda, que invertam: pulem dentro do bambolê, passem por fora, pulem dentro, pas-
sem por fora e assim sucessivamente, até chegar ao último bambolê.

7) Brincando de corda
Materiais: Corda grande.
Orientações: Estenda uma corda grande no chão e peça à criança para que pule
em ziguezague, indo e voltando nesse mesmo caminho. Depois, você pode sugerir que
ela ande em quatro apoios sobre a corda. Outra opção é solicitar que ela coloque a
corda entre as pernas e ande com ela por um trajeto.

8) Sobre e sob a corda


Materiais: Corda grande.
27 Crianças Ativas

Orientações: Coloque duas cadeiras ou duas banquetas a uma distância que per-
mita que a corda amarrada fique esticada. Coloque a corda bem baixinho e, primeiro,
peça à criança que passe sobre a corda, pulando. Aumente gradativamente a altura
da corda, até alcançar uma altura que ela não consiga mais pular. Depois, repita a
mesma atividade, começando com a corda bem alta, orientando a criança a passar
sob ela e diminua a altura gradativamente, até que a criança não consiga mais passar
sob a corda.
29 Crianças Ativas
1) Areia no pote
Materiais: Areia e potes.
Orientações: Coloque areia em um pote grande e peça para a criança manipular a
areia, pegando e soltando. Estimule o movimento de pinça, juntamente com os movi-
mentos de pegar e deixar a areia sair entre os dedos.

2) Meus dedinhos
Materiais: Nenhum.
Orientações: Peça para que a criança encoste o dedo indicador no polegar, o dedo
médio no polegar, dedo anelar no polegar e o dedo mínimo no polegar. Repita esse
exercício diversas vezes.

3) Bolinhas de papel
Materiais: Folhas de jornal.
Orientações: Entregue uma folha de jornal e deixe que a criança brinque livremen-
te. Depois, diga para rasgar pequenos pedaços e fazer bolinhas de papel.

4) Modelando com massinha


Materiais: Massinha de modelar
Orientações: Entregue uma massinha de modelar para a criança. Peça para fazer
diversas bolinhas pequenas. Depois, pequenas cobrinhas. Faça com que ela molde a
massinha sempre em formas menores. Ao final, deixe que brinque.

5) Separe os grãos
Materiais: Feijão e arroz.
Orientações: Entregue uma pequena quantidade de arroz e feijão (antes do cozi-
mento) misturados, deposite sobre a mesa e peça para a criança separar os grãos.
30 Crianças Ativas
6) Meu potinho de feijão
Materiais: Feijões e uma garrafa pet.
Orientações: Peça para a criança colocar os grãos de feijão dentro da garrafa pet,
um por vez. Ao final ela terá feito um chocalho. Aumente a dificuldade da brincadeira,
e peça para a criança colocar a tampa da garrafa.

7) Abre e fecha
Materiais: Prendedor de varal.
Orientações: Entregue diversos prendedores de varal para a criança, deixe que ela
brinque por um tempo. Veja se ela consegue realizar os movimentos de abrir e fechar.
Você pode dificultar a brincadeira, pedindo para ela pegar pequenos objetos com o
prendedor.

8) Colocando as bolinhas
Materiais: Papel crepom, cola e folha sulfite.
Orientações: Peça para a criança fazer bolinhas com o papel crepom. Faça pingos
de cola branca no papel sulfite e diga que ela deve colar uma bolinha em cada ponti-
nho.
CONSIDERAÇÕES FINAIS

É importante relembrar que a técnica a que nos referimos


neste livro consiste na estimulação e consequente aquisi-
ção das áreas de acordo com a hierarquia em que elas foram
aqui apresentadas. Portanto, comece estimulando o tônus,
passe para a equilibração, lateralização, estruturação es-
paço-temporal e, só então, para a praxia global e, poste-
riormente, fina.
REFERÊNCIAS

ALMEIDA, A. Psicomotricidade: jogos facilitadores de aprendizagem. Viseu:


Psicomossoma, 2013.

FONSECA, Vitor da. Temas de psicomotricidade: o papel da motricidade na


aquisição da linguagem. FMH: Lisboa, 1995.

DE MEUR, A.; STAES, L. Psicomotricidade: educação e reeducação: níveis ma-


ternal e infantil. São Paulo: Editora Manole, 1984.

NASCIMENTO, L. S. do; MACHADO, M. T. C. Psicomotricidade e aprendizagem.


Rio de Janeiro: Enelivros, 1986.
MUITO OBRIGADA
ABRAÇOS, EQUIPE NEUROSABER!

SIGA NAS REDES SOCIAIS CLICANDO ABAIXO