Você está na página 1de 2

Decreto-Lei n.

º 95/2017
 Publicação: Diário da República n.º 154/2017, Série I de 2017-08-10
  Emissor:Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
  Tipo de Diploma:Decreto-Lei
  Número:95/2017
  Páginas:4651 - 4654
  ELI:https://data.dre.pt/eli/dec-lei/95/2017/08/10/p/dre/pt/html
 Versão pdf: Descarregar 

RESUMO EM LINGUAGEM CLARA (SEM VALOR LEGAL)

O que é?

Este decreto-lei transfere para o Estado a responsabilidade de pagar os complementos de


pensões de reforma, invalidez e sobrevivência dos trabalhadores da Carris.

Em 1 de fevereiro de 2017 a Carris passou a pertencer ao Município de Lisboa e as


responsabilidades com os complementos de pensões dos trabalhadores passaram para o
Estado.

O complemento de pensão de reforma ou de invalidez é um valor em dinheiro que os


trabalhadores reformados, por velhice ou invalidez, recebem mensalmente.

O complemento de pensão de sobrevivência é um valor que é pago aos herdeiros dos


trabalhadores da Carris que morreram.

O que vai mudar?

O Estado vai pagar os complementos de pensões dos trabalhadores da


Carris

Passa a ser responsabilidade do Estado pagar aos trabalhadores da Carris:

 os complementos das pensões de reforma


 os complementos das pensões de invalidez
 os complementos das pensões de sobrevivência
 as prestações complementares dos trabalhadores abrangidos pelo Fundo Especial
de Caixa de Previdência do Pessoal da Companhia Carris de Ferro de Lisboa que
não possam ser pagas pelas receitas do Fundo.
O Estado fica responsável pelo pagamento aos trabalhadores:

 que já estavam reformados a 31 de dezembro de 2016


 que estavam em funções a 31 de dezembro de 2016.
O Estado não fica responsável por pagar:
 a parte correspondente aos aumentos de salários que tenham acontecido entre 31
de dezembro de 2016 e a data da reforma
 complementos de pensão de reforma, invalidez e sobrevivência dos trabalhadores
contratados depois de 31 de dezembro de 2016
 complementos do Fundo Especial dos trabalhadores contratados depois de 31 de
dezembro de 2016.
O pagamento das pensões vai ser feito pela Segurança Social

A Caixa Geral de Aposentações passa a suportar os encargos destes pagamentos e a


Segurança Social fica encarregue de fazer os pagamentos aos beneficiários.

Que vantagens traz?

Com este decreto-lei pretende-se definir as regras para pagamento de complementos de


pensões dos trabalhadores da Carris, que passam para a responsabilidade do Estado.

Quando entra em vigor?

Este decreto-lei entra em vigor no dia a seguir à sua publicação e aplica-se desde 1 de
fevereiro de 2017.

Você também pode gostar