Você está na página 1de 9

17/11/2020 Unicesumar - Ensino a Distância

ATIVIDADE - SCG - Inteligência Emocional na Luta Contra a Violência- 2020D


Período:20/10/2020 20:00 a 22/11/2020 23:59 (Horário de Brasília)
Status:ABERTO
Nota máxima:0,50
Gabarito:Gabarito será liberado no dia 23/11/2020 00:00 (Horário de Brasília)
Nota obtida:

1ª QUESTÃO
Homem jovem, solteiro, negro, com até sete anos de estudo e que esteja na rua nos meses mais quentes do
ano entre 18h e 22h. Este é o perfil dos indivíduos com mais probabilidade de morte violenta intencional no
Brasil. Os homicídios respondem por 59,1% dos óbitos de homens entre 15 a 19 anos no país.
Apenas em 2017, 35.783 jovens de 15 a 29 anos foram mortos, uma taxa de 69,9 homicídios para cada 100
mil jovens, recorde nos últimos 10 anos. A juventude perdida é considerada um problema de primeira
importância para o desenvolvimento social do país e vem aumentando numa velocidade maior nos estados
do Norte. Os dados do Atlas da Violência também trazem evidências de outra tendência preocupante: o
aumento, nos últimos anos, da violência letal contra públicos específicos, incluindo negros, população
LGBTI+ e mulheres, nos casos de feminicídio.
De 2007 a 2017, a desigualdade de raça/cor nas mortes violentas acentuou-se no Brasil. A taxa de negros
vítimas de homicídio cresceu 33,1%, enquanto a de não negros apresentou um aumento de 3,3%. Em 2017,
75,5% das vítimas de homicídio eram pretas ou pardas. Mais uma vez, o Rio Grande do Norte está no topo
do ranking, com 87 mortos a cada 100 mil habitantes negros, mais que o dobro da taxa nacional. Os cinco
estados com maiores taxas de homicídios negros estão localizados na região Nordeste.
O ano de 2017 registrou, também, um crescimento dos homicídios femininos no Brasil, chegando a 13 por
dia. Ao todo, 4.936 mulheres foram mortas, o maior número registrado desde 2007 - 66% delas eram
negras. Entre 2007 e 2017, houve um crescimento de 30,7% nos homicídios de mulheres no Brasil. A
situação foi mais grave novamente no Rio Grande do Norte, que apresentou uma variação de 214,4% em 10
anos, seguido pelo Ceará (176,9%). As maiores reduções decenais ocorreram no Distrito Federal, no Espírito
Santo e em São Paulo, entre 33,1% e 22,5%. Chama a atenção o caso do Espírito Santo, que era campeão da
taxa de homicídios femininos no país em 2012.

 
Disponível em: < https://crianca.mppr.mp.br/2019/06/135/PUBLICACAO-Divulgado-o-Atlas-da-Violencia-
2019.html  > Acesso em: 13 out. 2020.

 
Considerando as informações apresentadas, analise as afirmações a seguir.

  
I. Os dados revelam que nos últimos anos houve crescimento das taxas de violência contra pessoas
pertencentes a minorias étnicas, de gênero e sexuais.
II. A maioria das pessoas assassinadas no Brasil entre 2007 e 2017 era negra, tendo ocorrido uma queda no
número de pessoas não negras vítimas de homicídios.
III. Liderada pelo Rio Grande do Norte, a região Norte foi a que apresentou os piores índices de homicídios
de mulheres no país no período estudado.

 
É correto o que se afirma em

ALTERNATIVAS

1/9
17/11/2020 Unicesumar - Ensino a Distância

I, apenas.

II, apenas.

III, apenas.

I e III, apenas.

I, II e III.

2ª QUESTÃO
A TriploHiper, conforme Douglas Camillo, tem entre seus componentes o conceito de ________________, que
fala da condição do indivíduo que ________________ por qualquer motivo, seja no ambiente familiar ou de
trabalho. Esse tipo de pessoa se faz de ________________ e procura culpados, projetando ________________ a
________________ por suas mazelas.

 
Diante do exposto, na sequência, assinale a opção que preenche corretamente as lacunas.

ALTERNATIVAS
hipersensibilidade; fica feliz; coitado; em si; responsabilidade.

hiper preocupação do que os outros pensam; fica chateado; vítima; em si, responsabilidade.

hiper construção dos pensamentos; fica chateado; vítima; nos outros; responsabilidade.

hiper preocupação do que os outros pensam; fica feliz; algoz; nos outros; responsabilidade.

hipersensibilidade; fica chateado; vítima; nos outros; responsabilidade.

3ª QUESTÃO
Para discorrer sobre a complexidade no estabelecimento de limites nas relações interpessoais no ambiente
de trabalho, Douglas Camillo recorre à metáfora do uso de sapatos x uso de chinelos nesse contexto. Sobre
isso, analise as afirmações a seguir considerando V para Verdadeiro e F para Falso.

 
I. Quando o empregado passa a se sentir íntimo do seu chefe há a possibilidade de ocorrer uma regressão
nas relações profissionais, que passam a ter caráter pessoal.
II. “Usar chinelos” no ambiente de trabalho significa ter humildade, sabendo-se respeitar as relações de
hierarquia nesse espaço, separando o que é profissional do que é pessoal.
III. O comportamento de “usar chinelos” no trabalho pode acarretar em perdas financeiras para a  empresa,
visto que podem ocorrer ruídos na comunicação.
IV. “Usar chinelos” no ambiente de trabalho não é adequado, também, porque faz com que diversas
emoções sejam implicadas nas tomadas de decisão.

 
As afirmações I, II, III e IV são, respectivamente

ALTERNATIVAS

2/9
17/11/2020 Unicesumar - Ensino a Distância

F, F, V, V.

F, V, F, V.

V, F, V, F.

V, V, V, F.

V, F, V, V.

4ª QUESTÃO
Conforme vimos, são vários os tipos de violência que podem ser praticados contra os indivíduos. Dentre
eles, podemos destacar: a violência ______________, na qual ocorre atentado contra o corpo da vítima, o que
pode ocorrer por meio de tapas, empurrões, cortes, queimaduras, dentre outras agressões; a violência
______________, em que observa-se atos como insultos constantes, humilhação e manipulação afetiva;
violência ______________, quando alguém obriga a vítima a cometer ou presenciair atos sexuais contra a sua
vontade; violência ______________, que implica na retenção, subtração ou destruição de bens pessoais da
vítima; violência ______________, que consiste no uso de calúnia, difamação ou injúria contra a vítima.

 
Considerando as discussões sobre as formas de violência estudadas durante a Semana de Conhecimentos
Gerais e diante do exposto, na sequência, assinale a alternativa que preencha as lacunas corretamente.

ALTERNATIVAS
física, moral, sexual, psicológica, patrimonial.

moral, sexual, psicológica, patrimonial, física.

física, psicológica, sexual, patrimonial, moral.

patrimonial, psicológica, sexual, física, moral.

física, moral, sexual, patrimonial, psicológica.

5ª QUESTÃO
Leia atentamente os textos a seguir.

3/9
17/11/2020 Unicesumar - Ensino a Distância

TEXTO 1

Disponível em: < https://bityli.com/e57Dd > Acesso em: 13 out. 2020.

 
TEXTO 2

 
Em fevereiro de 2002, Jeffrey Johnson e colaboradores da Universidade de Columbia publicaram na revista
Science os resultados de uma pesquisa abrangente que estende as mesmas conclusões para adolescentes e
adultos jovens expostos diariamente às cenas de violência na TV.

A partir de 1975, os pesquisadores passaram a acompanhar um grupo de 707 famílias, com filhos entre um e
dez anos de idade. No início do estudo, as crianças tinham em média 5,8 anos e foram seguidas até 2000,
quando atingiram a média de 30 anos. Nesse intervalo de tempo, periodicamente, todos os participantes e
seus pais eram entrevistados para saber quanto tempo passavam na frente da televisão. Além disso,
respondiam a perguntas para avaliar a renda familiar, a possível existência de desinteresse paterno pela
sorte dos filhos, os níveis de violência na comunidade em que viviam, a escolaridade dos pais e a presença
de transtornos psiquiátricos nas crianças, fatores de risco sabidamente associados ao comportamento
agressivo.
A prática de atos agressivos pelos jovens foi avaliada por meio de sucessivas aplicações de um questionário
especializado e de consulta aos arquivos policiais. Depois de cuidadoso tratamento estatístico, os autores
verificaram que, independentemente dos fatores de risco citados acima, o número de horas que um
adolescente com idade média de 14 anos fica diante da televisão, por si só, está significativamente
associado à prática de assaltos e à participação em brigas com vítimas e em crimes de morte mais tarde,
quando atinge a faixa etária dos 16 aos 22 anos. Essa conclusão vale para homens ou mulheres, mas não
vale para os crimes contra a propriedade, como furtos e vandalismo, que aparentemente parecem não
guardar relação com a violência presenciada na TV.
Conclusões idênticas foram tiradas analisando-se o número de horas que um jovem de idade média igual a
22 anos (homem ou mulher) dedica a assistir à televisão: quanto maior o número de horas diárias, mais
frequente a prática de crimes violentos. Entre adolescentes e adultos jovens expostos à TV por mais de três
horas por dia, a probabilidade de praticar atos violentos contra terceiros aumentou cinco vezes em relação
aos que assistiam durante menos de uma hora. O estudo do grupo de Nova York é importante não só pela
abrangência (707 famílias acompanhadas de 1975 a 2000) ou pela metodologia criteriosa, mas por ser o
primeiro a contradizer de forma veemente que a exposição à violência da mídia afeta apenas crianças
pequenas. Demonstra que ela exerce efeito deletério sobre o comportamento de um universo de pessoas
muito maior do que aquele que imaginávamos.
4/9
17/11/2020 Unicesumar - Ensino a Distância

VARELLA, Drauzio. Violência na TV e comportamento agressivo, 2011. Disponível em: <


https://drauziovarella.uol.com.br/drauzio/artigos/violencia-na-tv-e-comportamento-agressivo-artigo/ >
Acesso em: 10 out. 2020.

 
Considerando as informações apresentadas, analise as afirmações a seguir.

 
I. O Texto 1 corrobora as afirmações do Texto 2 acerca da relação entre a superexposição dos indivíduos à
violência através de programas televisivos e o aumento da prática de atos violentos por parte dos jovens.
II. Os estudos trazidos no Texto 2 indicam que é possível concluir que, assim como fora verificado em
crianças, adolescentes e adultos jovens podem ter seu comportamento afetado pela violência
excessivamente exposta na TV.
III. O Texto 1 corrobora as afirmações do Texto 2 de que há um excesso no modo como os programas
televisivos exploram e expõem fatos relacionados a crimes violentos, o que, segundo o texto 2,
tem impactado especificamente pessoas do sexo masculino.

 
É correto o que se afirma em

ALTERNATIVAS
I, apenas.

II, apenas.

III, apenas.

I e II, apenas.

II e III, apenas.

6ª QUESTÃO

5/9
17/11/2020 Unicesumar - Ensino a Distância

Na tentativa de entender o que estava acontecendo no mundo contemporâneo, algumas análises voltaram-
se, inicialmente, para as formulações de Norbert Elias (1993). Esse autor aponta o papel central exercido
pelo Estado moderno, pelo menos desde o século XVIII, entre os países ocidentais mais industrializados, à
pacificação dos costumes e à criação duradoura de espaços não violentos, tornando possível a convivência
social. Essa pacificação, segundo Elias, proporcionou uma ação civilizadora que repercutiu na estrutura de
personalidade dos indivíduos e passou a orientá-la. Essa pacificação é que permitiu deplorar e condenar
violências e humilhações contra seres humanos, assim como coibir atos violentos cometidos para a
resolução de conflitos, em nome da obediência às leis e às regras de convivência e respeito mútuo. Mas,
para isto, foi preciso que o Estado passasse a deter o monopólio da força física, na acepção usada por Max
Weber (1963).
Para Elias, esse monopólio, contudo, pode ter uma dupla função. Os que estão dentro do Estado e
controlam o monopólio da força podem se utilizar dessa situação para satisfazer seus próprios interesses
em detrimento daqueles da população, como são exemplos as ditaduras. Mas, segundo o autor, pelo menos
nos Estados industrializados do Primeiro Mundo, esse monopólio tendeu a ser exercido para beneficiar seus
cidadãos. Outra ressalva importante de Elias é que essa pacificação e os padrões de comportamento
civilizados estão sempre ameaçados por conflitos de natureza social e pessoal. Assim, a vida em sociedade,
ou o processo civilizador, seria marcada por uma constante tensão entre pacificação e violência.

Gonçalves; Hérica Cristina Batista; Queiroz; Marcello Roriz de; DELGADO, Pedro Gabriel Godinho. Violência
urbana e saúde mental: desafios de uma nova agenda? Fractal - Revista de Psicologia. vol.29 no.1 Rio de
Janeiro Jan./Apr. 2017.

 
Considerando as informações apresentadas, analise as afirmações a seguir.

 
I. O processo de pacificação da sociedade buscando a coibição da violência desenvolvido pelo Estado só foi
possível a partir da monopolização da força física por parte dessa instituição.
II. Ditaduras são exemplos práticos de como o monopólio da força física por parte do Estado pode abrir
uma brecha para a realização de ações não democráticas, que vão de encontro aos interesses da sociedade
civil.
III. Com o surgimento da força estatal, foram extintas as possibilidades de propagação da violência nas
sociedades civilizadas, sendo as práticas violentas e delituosas um aspecto visto apenas em sociedades
subdesenvolvidas. 

 
É correto o que se afirma em

ALTERNATIVAS
I, apenas.

II, apenas.

I e II, apenas.

II e III, apenas.

I, II e III.

7ª QUESTÃO

6/9
17/11/2020 Unicesumar - Ensino a Distância

TEXTO 1

Disponível em: <http://www.arionaurocartuns.com.br/2016/04/charge-violencia-no-transito.html > Acesso


en: 12 out. 2020.

 
TEXTO 2

 
O uso de símbolos sociais recém ou mal-assimilados pelas classes emergentes na moderna sociedade de
consumo distorce o valor a eles atribuído. Quando o uso do carro como transporte se converte numa
manifestação de poder, na ostentação da riqueza e, além das normas usuais estabelecidas para os mesmos,
traduz-se no excesso de velocidade, no desrespeito às leis do trânsito, na supervalorização do veículo em
relação ao pedestre, essa distorção se transforma na agressividade que caracteriza uma forma de violência.
Esse comportamento caracteriza o trânsito nas cidades, cujo desenvolvimento do tráfego se apresenta em
expansão desordenada e descontrolada por força do consumo de objetos que simbolizam ascensão social.
Acrescente-se a isso a insuficiência de meios institucionais para que os agentes fiscalizadores possam aplicar
as sanções correspondentes às infrações, temos como resultado a tendência ao aumento da violência
urbana no trânsito. Essa violência reflete as condições do sistema e varia apenas na medida da socialização
da população como decorrência dos referenciais do consumo capitalista descontrolado, orientado por
símbolos sociais que expressam valores contraditórios em relação ao comportamento moral vigente. A
contradição resulta do confronto entre a transgressão incitada pelo consumo e a repressão legal dos
códigos e normas de conduta.

 
GULLO, Álvaro de Aquino e Silva. Violência urbana: um problema social. Tempo Social - Revista de
Sociologia da USP, São Paulo, 10(1): pp.105-119, maio de 1998.

  
Considerando as informações apresentadas, analise as afirmações a seguir.

  

7/9
17/11/2020 Unicesumar - Ensino a Distância

I. A ressignificação do carro como um símbolo de “status social” para as classes emergentes provocou o
aumento da violência urbana no trânsito.
II. É possível notar uma relação paradoxal entre os valores morais vigentes na sociedade e aqueles
implicados nos símbolos sociais decorrentes do consumismo.
III. A incapacidade das instituições responsáveis pela regulamentação e fiscalização do trânsito agrava o
problema da violência nesse meio.

 
É correto o que se afirma em

ALTERNATIVAS
I, apenas.

II, apenas.

I e II, apenas.

II e III, apenas.

I, II e III.

8ª QUESTÃO
Para Douglas Camillo, em seu texto intitulado “Sapatos ou Chinelos”, além da postura profissional, no
ambiente de trabalho o indivíduo pode adotar também a postura de amigo. As diretrizes seguidas por
aqueles que adotam a postura de amigo são: consideração (lealdade), companheirismo e liberdade. Sobre
isso, analise as afirmações a seguir considerando V para Verdadeiro e F para Falso.

 
I. O companheirismo desenvolvido no ambiente de trabalho pode se refletir em ações que partem para a
esfera afetiva e pessoal, como encontros e ligações para conversas em que se partilham situações positivas
ou negativas vivenciadas.
II. Em se tratando do conceito de consideração, o autor explica que, no ambiente de trabalho, há uma
tendência de indivíduos com personalidades similares se tornarem mais próximos.
III. A liberdade surge da soma entre o companheirismo e a consideração, o que provoca nos indivíduos uma
mudança de postura que exige respeito à individualidade, não cabendo ações como dar conselhos para
mudanças de comportamento.
IV. Junto com a liberdade vem também a intimidade, elemento que permite que os profissionais se
aproximem até mesmo das famílias um do outro, bem como de outros amigos que fazem parte do círculo
íntimo deles.

  
As afirmações I, II, III e IV são, respectivamente

ALTERNATIVAS
V, V, V, F.

V, V, F, V.

F, V, F, V.

V, V, F, F.

F, V, V, F.

9ª QUESTÃO

8/9
17/11/2020 Unicesumar - Ensino a Distância

Em seu texto intitulado “Inteligência Emocional: Conteúdo de qualidade e eficiente para o desenvolvimento
de pessoas e empresas”, Douglas Camillo discorre sobre o conceito de “TriploHiper”, que diz respeito a
aspectos que podem trazer impacto negativo para o desempenho profissional dos indivíduos. Sobre isso,
analise as afirmações a seguir.

 
I. O indivíduo nunca apresentará a TriploHiper, posto que, em geral, ou somos hiper sensíveis ou hiper
preocupados com o que os outros pensam ou estamos constantemente construindo pensamentos.
II. As pessoas que sofrem com a hipersensibilidade costumam se ofender mesmo com comentários banais, o
que afeta diretamente seus relacionamentos interpessoais no ambiente de trabalho.
III. A hiper construção do pensamento pode ser um problema porque, com ela, o indivíduo apresenta
dificuldades para relaxar e descansar com qualidade, elementos fundamentais para uma boa atuação
profissional.
IV. A hiper preocupação do que os outros pensam fala do modo como algumas pessoas possuem grande
medo de rejeição, preocupando-se exageradamente com a opinião das outras pessoas.

 
É correto o que se afirma em

ALTERNATIVAS
I e II, apenas.

I, II e III, apenas.

I, III e IV, apenas.

II, III e IV, apenas.

I, II, III e IV.

10ª QUESTÃO
“Pessoas que vivem do presente, dando demasiada importância para a opinião dos outros, tentando sempre
demonstrar ser gentil, dizendo sim a tudo que lhe é solicitado sem se importar com seus próprios desejos e
sentimentos, mantendo-se em uma constante busca por esmolas emocionais”. 

  
Tendo em vista as discussões realizadas por Douglas Camillo sobre o elementos inerentes ao "TriploHiper',
na sequência, assinale a opção que traz o conceito que diz respeito ao perfil descrito. 

ALTERNATIVAS
Hiper construção dos pensamentos.

Hipersensibilidade.

Hiper preocupação do que os outros pensam.

Ansiedade.

Baixa autoestima.

9/9