Você está na página 1de 4

Moyses Vol 4_Cap 2_questão 5

2.5. Fiz todo o esquema de desenho com um programa de computador (Autodesk)


e uma mesa digitalizadora, coloquei meu nome nas imagens para dar mais credibilidade de que
fiz. O conteúdo descrito pelo enunciado seria:

Utilizando as primeiras informações da imagem acima, podemos extrair:


ℎ 𝒉
cos 𝜃2 = → 𝑖𝑠𝑜𝑙𝑎𝑛𝑑𝑜 𝑚 → 𝒎 = (1)
𝑚 𝐜𝐨𝐬 𝜽𝟐

Traçando o prolongamento descrito no enunciado do desvio lateral, e outros


ângulos formados, temos a imagem 2
Observando o ponto A, podemos ver claramente que os ângulos são opostos pelo
vértice, logo
𝜃2 + 𝛽 = 𝜃1 → 𝜷 = 𝜽𝟏 − 𝜽𝟐 (2)

Podemos prosseguir a ideia de beta como


𝑑
sin 𝛽 = → 𝑑 = 𝑚 sin 𝛽 → 𝑠𝑢𝑏𝑠𝑡𝑖𝑡𝑢𝑖𝑛𝑑𝑜 𝑏𝑒𝑡𝑎
𝑚
𝒅 = 𝒎 𝐬𝐢𝐧(𝜽𝟏 − 𝜽𝟐 ) (3)

Utilizando propriedade trigonométrica do seno (a-b)


sin(𝜃1 − 𝜃2 ) = sin 𝜃1 cos 𝜃2 − sin 𝜃2 cos 𝜃1 (4)

Substituindo a equação (4) na equação (3) temos


𝑑 = 𝑚(sin 𝜃1 cos 𝜃2 − sin 𝜃2 cos 𝜃1 )
𝒅
𝒎= (5)
𝐬𝐢𝐧 𝜽𝟏 𝐜𝐨𝐬 𝜽𝟐 − 𝐬𝐢𝐧 𝜽𝟐 𝐜𝐨𝐬 𝜽𝟏

Substituindo a (5) na equação (1)


ℎ 𝑑 ℎ
𝑚= → =
cos 𝜃2 sin 𝜃1 cos 𝜃2 − sin 𝜃2 cos 𝜃1 cos 𝜃2

𝑑= (sin 𝜃1 cos 𝜃2 − sin 𝜃2 cos 𝜃1 )
cos 𝜃2
𝐬𝐢𝐧 𝜽𝟐 𝐜𝐨𝐬 𝜽𝟏
𝒅 = 𝒉 (𝐬𝐢𝐧 𝜽𝟏 − ) (6)
𝐜𝐨𝐬 𝜽𝟐

Utilizando a Lei de Snell para se obter o seno


sin 𝜃1 𝑛2 𝒏𝟏
= → 𝐬𝐢𝐧 𝜽𝟐 = 𝐬𝐢𝐧 𝜽𝟏 (7)
sin 𝜃2 𝑛1 𝒏𝟐

Substituindo (7) em (6) e colocando seno em evidencia


𝑛1
𝑛2 sin 𝜃1 cos 𝜃1
𝑑 = ℎ (sin 𝜃1 − )→
cos 𝜃2

𝒏𝟏
𝒏 𝐜𝐨𝐬 𝜽𝟏
𝒅 = 𝒉 𝐬𝐢𝐧 𝜽𝟏 (𝟏 − 𝟐 ) (8)
𝐜𝐨𝐬 𝜽𝟐

Vamos colocar o cosseno em termos de teta 1, para isso utilizarei a Lei de Snell
novamente e utilizaremos o artifício de elevar ao quadrado
𝑛1 sin 𝜃1 = 𝑛2 sin 𝜃2 → 𝒏𝟐𝟏 𝐬𝐢𝐧𝟐 𝜽𝟏 = 𝒏𝟐𝟐 𝐬𝐢𝐧𝟐 𝜽𝟐 (9)

Utilizando relação trigonométrica sin2 𝜃2 = 1 − cos2 𝜃2 , podemos substituir na


equação (9)
𝑛12 sin2 𝜃1 = 𝑛22 sin2 𝜃2

𝒏𝟐𝟏 𝐬𝐢𝐧𝟐 𝜽𝟏 = 𝒏𝟐𝟐 (𝟏 − 𝐜𝐨𝐬𝟐 𝜽𝟐 ) (10)

Logo, isolando o cosseno

𝒏𝟐𝟏
𝐜𝐨𝐬 𝜽𝟐 = √𝟏 − 𝟐 𝐬𝐢𝐧𝟐 𝜽𝟏 (11)
𝒏𝟐

Agora podemos retornar para o d na equação (8)

𝑛1 𝑛1
cos 𝜃1 cos 𝜃1
𝑛2 𝑛2
𝑑 = ℎ sin 𝜃1 (1 − ) = ℎ sin 𝜃1 1 −
cos 𝜃2
𝑛12 2
√1 − sin 𝜃1
( 𝑛22 )
Levando em consideração que o meio 1 seja o ar então 𝑛1 = 1 e o enunciado
chamou o 𝑛2 𝑑𝑒 𝑛, teremos

𝑛1 1
𝑛2 cos 𝜃1 𝑛 cos 𝜃1
𝑑 = ℎ sin 𝜃1 1 − = ℎ sin 𝜃1 1 −
𝑛12 2 √1 − 12 sin2 𝜃1
√1 − sin 𝜃1 ( 𝑛 )
( 𝑛22 )

E eis o nosso resultado final, d em função de n, h e teta1

𝐜𝐨𝐬 𝜽𝟏
𝒅 = 𝒉 𝐬𝐢𝐧 𝜽𝟏 (𝟏 − )
√𝒏𝟐 − 𝐬𝐢𝐧𝟐 𝜽𝟏