Você está na página 1de 12

Departamento de Ciências Experimentais

Área disciplinar de Biologia e Geologia


Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Ano Letivo 2020 / 2021
Direção de Serviços da Região Centro
FICHA DE AVALIAÇÃO
Domínio 1 (d1): Conceitos, leis, princípios e teorias científicas
BIOLOGIA E GEOLOGIA
Domínio 2 (d2): Trabalho prático, experimental, laboratorial e de campo
10º Ano Data: Nov./ 2020

Domínio 1 Domínio 2 Prof.ª

_______ / 130 pontos _______ / 70 pontos


Classificação TOTAL em valores ________Val ________ Val

Nome: ____________________________________________________________________ Nº: ______ Turma: _____

Grupo I

Ao longo dos últimos milhões de anos, o clima tem oscilado entre períodos glaciares e interglaciares.
Mesmo durante os períodos interglaciares, há regiões que permanecem com acumulações de neve e gelo,
incluindo o conteúdo aquoso dos solos gelados por longos períodos de tempo – permafrost.
Um estudo publicado no jornal Bioscience revela que com o derretimento do permafrost são libertadas
grandes quantidades de gases com efeito de estufa, nomeadamente, dióxido de carbono e metano. Apesar
de as plantas captarem o dióxido de carbono e libertarem oxigénio, um dos investigadores deste estudo, o
Dr. Schuur, garante que não temos uma área florestal suficiente para captar todo o dióxido de carbono que
será lançado na atmosfera caso todo o permafrost deixe de existir.
Na passagem dos períodos glaciares para os períodos interglaciares, observam-se numerosas fendas
resultantes dos esforços mecânicos, devido ao movimento das massas de gelo, durante o período glaciar.
Em muitas destas fendas, com o degelo, verifica-se a ocorrência de pequenos riachos a grandes rios.

Baseado em https://www.popsci.com/laurie-j-schmidt/article/2008-09/permafrost-
contains-vast-store-carbon/ (consultado em 18 de outubro de 2019)

Nos itens de 1. a 7., selecione a letra da opção correta.

1. (D1) Os períodos glaciares são caracterizados por ________, com consequente ________ do nível médio
da água do mar.
(A) transgressões marinhas … aumento
(B) regressões marinhas … diminuição
(C) regressões marinhas … aumento
(D) transgressões marinhas … diminuição

2. (D1) A ação mecânica do glaciar sobre as rochas que o envolvem pode definir-se por ________ e a
remoção desses fragmentos rochosos designa-se por ________.
(A) meteorização … deposição
(B) erosão … sedimentação
(C) erosão … deposição
(D) meteorização … erosão

3. (D1) As moreiras são locais de deposição dos fragmentos rochosos transportados pelos glaciares. Numa
sequência estratigráfica, os estratos constituídos pelos primeiros sedimentos que foram transportados pelo
glaciar são
(A) mais antigos do que os estratos que estão por baixo (subjacentes).
(B) mais recentes do que os estratos que estão por cima (suprajacentes).
(C) mais antigos do que os estratos que estão por cima (suprajacentes).
(D) mais recentes do que os estratos que estão por baixo (sobrejacentes)

1
4. (D1) O desequilíbrio dos ecossistemas pode ser provocado, para além da alternância entre períodos
glaciares e interglaciares, pela
(A) atividade vulcânica, que lança grandes quantidades de gases com efeito de estufa que podem
promover um arrefecimento global.
(B) migração dos continentes, originando supercontinentes e promovendo um aumento significativo das
plataformas continentais.
(C) migração dos continentes, originando supercontinentes e promovendo a diversidade de seres vivos nas
áreas centrais do supercontinente.
(D) atividade vulcânica, que lança grandes quantidades de poeiras para a atmosfera que podem promover
um arrefecimento global.

5. (D1) Os rios são considerados estruturas


(A) exógenas, formadas por fenómenos da geodinâmica externa.
(B) endógenas, formadas por fenómenos da geodinâmica interna.
(C) endógenas, formadas por fenómenos da geodinâmica externa.
(D) exógenas, formadas por fenómenos da geodinâmica interna.

6. (D1) As afirmações seguintes referem-se ao ciclo das rochas. Selecione a opção que as avalia
corretamente.
I. A sedimentogénese é o processo envolvido na génese dos sedimentos.
II. Na diagénese não ocorre a sedimentação.
III. As rochas magmáticas podem ser formadas, à superfície, a partir de rochas preexistentes.
(A) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.
(B) 1 e 3 são verdadeiras; 2 é falsa;
(C) 2 é verdadeira; 1 e 3 são falsas
(D) 2 e 3 são verdadeiras; 1 é falsa.

7. (D1) A Terra é classificada como um sistema


(A) fechado, tal como os subsistemas terrestres.
(B) aberto, ao contrário dos subsistemas terrestres.
(C) fechado, ao contrário dos subsistemas terrestres.
(D) aberto, tal como os subsistemas terrestres.

8. (D1) Faça corresponder a cada uma das afirmações relativas aos princípios da estratigrafia ou do
raciocínio geológico expressas na coluna A, o respetivo princípio, que consta da coluna B. Utilize cada letra
e cada número apenas uma vez.

Coluna A Coluna B
(a) _____Em diferentes locais pode haver a mesma sequência de (1) Princípio da continuidade lateral
estratos, verificando-se uma correlação entre camadas. (2) Princípio do catastrofismo
(b) _____As causas que provocam as extinções em massa (3) Princípio do gradualismo
podem ser uma associação entre acontecimentos geológicos, (4) Princípio do neocatastrofismo
ora rápidos e de grande violência ora lentos e calmos. (5) Princípio da horizontalidade inicial
(c) _____Princípio que está em oposição ao pensamento
geológico de que todos os fenómenos geológicos têm um
carácter súbito e violento.

9. (D2) Explique, tendo em conta as interações atmosfera-hidrosfera-atmosfera, como iria evoluir o clima
local caso as regiões significativas de permafrost derretessem.

2
Grupo II

3
O plutão de Valpaços (figura 1) possui um contorno aproximadamente circular e localiza-se na grande
mancha granítica de Valpaços-Murçós-Chaves, caracterizada por uma grande variedade de granitos, de
idades diferentes. Na região distingue-se, pelo menos, quatro tipos de granitos. Estes granitos instalam-se
em formações de rochas metamórficas, mais antigas, de idade ordovícica-silúrica (Paleozoico). Existem,
ainda, formações geológicas do Mesozoico, posteriores à instalação dos granitos.
Os granitos distinguem-se pela mineralogia e pelo tamanho dos seus cristais. O granito de Valpaços tem
minerais bem desenvolvidos (grão grosseiro), e é rico em moscovite e biotite (granito de duas micas). O
granito de Sá e Vale das Gouvinhas, assim como o granito de Valpaços, é constituído por moscovite e
biotite. Contudo, o desenvolvimento dos seus minerais é menor (grão médio). Este granito tem uma idade
aproximada de 315 M.a. (milhões de anos), sendo mais antigo do que os granitos de Valpaços e Lagoas.
O granito de Lagoas apresenta moscovite e os seus minerais estão pouco desenvolvidos (grão fino). O
granito de Lagoas é mais recente do que o granito de Valpaços.
O granito de Sonim é constituído por biotite e moscovite, de grão médio a grosseiro. Este granito apresenta
alguma deformação, situação não evidenciada nos restantes granitos da região.

Figura 1. Plutão de Valpaços.

Baseado em Corrêa-Ribeiro, H. (2018). Génese e cinemática de instalação do plutão granítico


de Valpaços, Porto: Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Tese de doutoramento
Nos itens de 1. a 5., selecione a letra da opção correta.

1. (D1) Segundo o princípio da ________, as falhas são mais ________ do que os granitos que atravessam.
(A) interseção … antigas

4
(B) inclusão … recentes
(C) interseção … recentes
(D) inclusão … antigas

2. (D2) A datação ________ do granito de Sá e Vale das Gouvinhas é possível porque há ________.
(A) radiométrica ... presença de isótopos instáveis, designados por isótopos-pais
(B) relativa ... presença de isótopos instáveis, designados por isótopos-pais
(C) radiométrica ... presença de isótopos estáveis, designados por isótopos-pais
(D) relativa ... fósseis de idade nessas rochas

3. (D2) Utilizando o mesmo isótopo radioativo nos diferentes granitos, será de esperar que a razão isótopo-
pai/isótopo-filho seja
(A) maior no granito de Valpaços.
(B) maior no granito de Lagoas.
(C) a mesma em todos os granitos.
(D) maior no granito de Sá e Vale de Gouvinhas.

4. (D1) O granito é uma rocha magmática ________ que resulta da consolidação ________.
(A) intrusiva … da lava
(B) extrusiva … da lava
(C) vulcânica … do magma
(D) plutónica … do magma

5. (D1) Relativamente às rochas magmáticas e às rochas metamórficas, podemos afirmar que


(A) ambas se formam a partir de rochas preexistentes e ambas necessitam que a temperatura seja inferior
aos seus pontos de fusão para se formarem.
(B) apenas as rochas metamórficas se formam a partir de rochas preexistentes, mas ambas necessitam
que a temperatura seja inferior aos seus pontos de fusão para se formarem.
(C) apenas as rochas metamórficas se formam a partir de rochas preexistentes e apenas estas rochas
necessitam que a temperatura seja inferior ao seu ponto de fusão para se formarem.
(D) ambas se formam a partir de rochas preexistentes, mas apenas as rochas magmáticas necessitam que
a temperatura seja inferior ao seu ponto de fusão para se formarem.

6. (D2) Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos


relativos à evolução geológica da região de Valpaços.
(A) Exposição subaérea das várias litologias, sendo possível a observação dos diversos tipos de
granitos.
(B) Deformação do granito de Sonim.
(C) Cristalização do granito de lagoas.
(D) Recristalização das rochas metamórficas do Paleozoico, por metamorfismo de contacto, devido
à intrusão do granito de Sonim.
(E) Deposição dos sedimentos que vieram a originar as rochas metamórficas do Paleozoico.

7. (D2) Explique por que razão os granitos de duas micas de Valpaços e o granito de Sá e Vale das
Gouvinhas apresentam minerais com diferentes graus de desenvolvimento.

5
8. (D2) Os investigadores procederam ao cálculo da idade radiométrica dos granitos que se instalaram nas
formações de rochas metamórficas da região.
Explique, tendo em conta os processos que conduzem à formação de rochas metamórficas, por que razão o
cálculo da idade radiométrica não é tão preciso neste tipo de rochas.

Grupo III

6
Uma nova espécie de trilobite, com 455 milhões de anos, foi descoberta em Portugal, em rochas da
formação Cabeço do Peão (figura 2). Não só a espécie é nova para a ciência como é agora o registo mais
antigo deste género científico (Radnoria). Até agora, o registo mais antigo documentado do género
Radnoria localizava-se no Sul da China, tendo 450 milhões de anos.
As trilobites viveram durante quase 300 milhões de anos, dominando amplamente os ambientes marinhos
do Paleozoico. Desapareceram da Terra há 250 milhões de anos, quando todas as massas continentais do
planeta ficaram juntas numa só – a Pangeia –, e elas não resistiram aos fenómenos vulcânicos e sísmicos
originados por essa junção. Por essa altura, em que ocorreu uma grande extinção na Terra, os dinossauros
ainda nem sequer existiam, pois só surgiram há cerca de 230 milhões de anos. Hoje só restam os fósseis
das trilobites como prova da sua existência. A formação Cabeço do Peão está dividida em membros e
algumas das rochas mais abundantes são micaxistos e arenitos. Os micaxistos são rochas metamórficas
que, devido às pressões que sofreram durante a sua formação, evidenciam uma orientação preferencial dos
minerais. Na figura 3 encontra-se uma porção da sequência estratigráfica da formação Cabeço do Peão
com representação do membro da Queixoperra (Queixoperra Mmb) e o membro do Aziral (Aziral Mmb). A
nova espécie de trilobite foi descoberta no membro da Queixoperra (figura 3).

Figura 2. Localização geográfica do afloramento do membro da Queixoperra da formação Cabeço do Peão,


perto da vila de Pereiro.

Figura 3. Secção da sequência estratigráfica da Formação Cabeço


do Peão, com identificação do local de recolha dos fósseis de
trilobites assinalados com ( ).
Baseado em Pereira, S. et.al (2015). The oldest brachymetopid trilobite record from
the European peri-Gondwana, Bulletin of Geosciences, Bulletin of Geosciences,
90(3): 543-553; https://www.publico.pt/ 2015/12/01/ciencia/noticia/uma-nova-
trilobite-em-portugal-1716131 (consultado em 19 de outubro de 2019)

Nos itens de 1. a 6., selecione a letra da opção correta.

7
1. (D1) Aplicando o princípio da ________, o argilito que constitui o membro da Queixoperra formou-se há
cerca de ________.
(A) identidade paleontológica … 455 milhões de anos
(B) sobreposição dos estratos … 455 milhões de anos
(C) sobreposição dos estratos … 250 milhões de anos
(D) identidade paleontológica … 250 milhões de anos

2. (D1) Para inferirem que a extinção das trilobites se deveu a fenómenos vulcânicos e sísmicos, os
cientistas basearam-se no conhecimento geológico que dispõem sobre a ocorrência destes fenómenos no
presente. Nesse sentido, os cientistas baseiam-se no princípio geológico do
(A) catastrofismo.
(B) atualismo
(C) mobilismo.
(D) gradualismo.

3. (D1) A descoberta de fósseis de trilobites permite determinar a idade ________ dessas rochas, se esses
fósseis apresentarem uma reduzida distribuição ________.
(A) absoluta … estratigráfica (C) relativa … geográfica
(B) absoluta … geográfica (D) relativa…estratigráfica

4. (D1) Alguns géneros de fósseis de trilobites são classificados em fósseis de ________, que servem para
identificar os paleoambientes de formação, uma vez que têm uma ________ distribuição geográfica.
(A) idade … grande
(B) fácies … grande
(C) fácies … reduzida
(D) idade … reduzida

5. (D1) O conjunto de processos geológicos que ocorrem para a formação de uma rocha sedimentar
consolidada, a partir de detritos depositados, designa-se por
(A) meteorização.
(B) sedimentogénese.
(C) metamorfismo.
(D) diagénese.

6. (D1) O micaxisto é uma rocha com textura ________, resultado da ação do(a) ________.
(A) foliada ... metamorfismo de contacto
(B) não foliada ... calor proveniente do contacto com câmaras magmáticas
(C) foliada ... metamorfismo regional
(D) não foliada ... pressão tectónica local

7. (D1) Faça corresponder a cada uma das afirmações, relativas a características geológicas da crusta
terrestre, que constam na coluna A, o respetivo termo, respeitante ao local que apresenta essas mesmas
características, expresso na coluna B. Utilize cada letra e cada número apenas uma vez.

Coluna A Coluna B
(a) _____Depressão muito profunda, por vezes associada junto ao bordo (1) Cadeias montanhosas
dos continentes, resultado da subducção da placa oceânica. (2) Plataformas
(b) _____Extensa área continental, que se mantém estável durante um (3) Dorsal médio-oceânica
longo período de tempo geológico, formada por rochas intensamente (4) Fossa oceânica
metamorfizadas e dobradas. (5) Cratões
(c) _____Cadeia montanhosa submersa paralela ao rifte.

8
8. (D2) Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência de zonas da superfície da Terra que
se encontram, ao progredir para oeste, a partir da região de Pombal.
(A) Rifte
(B) Planície abissal
(C) Crista médio-oceânica
(D) Talude continental
(E) Plataforma continental

9. (D2) Tal como foi referido no texto, as trilobites viveram durante quase 300 milhões de anos, dominando
amplamente os ambientes marinhos do Paleozoico.
Relacione a escassez de fósseis de trilobites, principalmente das que colonizaram primeiramente a Terra,
com as características geológicas do planeta.

9
Grupo IV
O golfo da Califórnia, cujo contexto tectónico
está representado na figura 4, fica localizado
no México. A população local designa o golfo
por “Mar de Cortez”.
Na região, a sua morfologia revela tratar-se de
uma grande cadeia montanhosa subaquática,
associada a uma zona de rifte, chamada East
Pacific Rise. A East Pacific Rise estende-se
desde o México até próximo da Antártica.
Nestas regiões podem ainda ser observadas
diversas e longas falhas transformantes,
associadas aos limites tectónicos com um
sentido de movimento relativo lateral entre
duas placas litosféricas, a Placa Norte-Ameri-
cana e a Placa do Pacífico.

Baseado em https://www.mbari.org/the-
geologic-setting-of-the-gulf-of-california/
(consultado em 20 de outubro de 2019)

Figura 4.
Localização geográfica do golfo da Califórnia.

Nos itens de 1. a 8., selecione a letra da opção correta.


1. (D2) A placa ________ move-se para ________.
(A) do Pacífico ... noroeste, devido a forças tectónicas compressivas
(B) do Pacífico ... noroeste, devido a forças tectónicas distensivas
(C) Norte-Americana ... noroeste, devido a forças tectónicas distensivas
(D) Norte-Americana ... sudeste, devido a forças tectónicas compressivas

2. (D1) À medida que nos afastamos da crista médio-oceânica, a litosfera é


(A) mais quente e recente do que a que se encontra no rifte.
(B) mais quente e antiga do que a que se encontra no rifte.
(C) mais fria e antiga do que a que se encontra no rifte.
(D) mais fria e recente do que a que se encontra no rifte.

3. (D2) No golfo da Califórnia ocorre


(A) manutenção da litosfera nos limites conservativos.
(B) ascensão de magma no rifte, havendo a destruição da litosfera.
(C) subducção da placa mais densa, havendo a destruição da litosfera.
(D) movimento transformante, devido à destruição da litosfera.

4. (D1) Nos limites convergentes, a placa oceânica mergulha sob a placa continental, uma vez que é
constituída essencialmente por
(A) granito, e por isso é menos densa. (C) basalto, e por isso é mais densa.
(B) granito, e por isso é mais densa. (D) basalto, e por isso é menos densa.

5. (D1) As placas tectónicas são constituídas ___ e derivam sobre ___.


(A) por crusta e parte do manto superior … a astenosfera fluida
(B) pela crusta e manto … a astenosfera
(C) por crusta oceânica e continental …. uma camada frágil
(D) por litosfera … uma camada mais dúctil

10
6. (D1) No oceano Atlântico, ao nível da dorsal médio-oceânica, registam-se anomalias magnéticas ___
porque ___.
(A) positivas … o campo magnético terrestre atual é inverso.
(B) positivas … há formação de rochas de tipo basáltico.
(C) negativas … o campo magnético terrestre atual é normal.
(D) negativas … há formação de rochas de tipo granítico.

7. (D1) Nos limites das placas que apresentaram um movimento divergente verificam-se fenómenos de
(A) espessamento crustal e subducção.
(B) conservação da litosfera.
(C) orogenia e estiramento crustal.
(D) estiramento crustal e construção de litosfera.

8. (D1) Na Terra, alguma da energia necessária para a atividade geológica externa provém
(A) da atividade vulcânica.
(B) da radioatividade.
(C) do efeito das marés.
(D) da contração gravitacional.

11
9. (D1) Ao contrário das cadeias montanhosas subaquáticas, as cadeias montanhosas continentais não são
consequência da ascensão magmática nos riftes.
Explique, tendo em conta o contexto tectónico, a formação das cadeias montanhosas continentais.

Item
Grupo
Cotação (em pontos)
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
I
5 5 5 5 5 5 5 5 10 50
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.
II
5 5 5 5 5 5 10 10 50
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
III
5 5 5 5 5 5 5 5 10 50
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
IV
5 5 5 5 5 5 5 5 10 50
Total 200