Você está na página 1de 3

Tema: Quebrantamento

Título: O Lugar mais alto

Lucas 7:36-50
36 ¶ E rogou-lhe um dos fariseus que comesse com ele; e, entrando em
casa do fariseu, assentou-se à mesa. 37 E eis que uma mulher da cidade,
uma pecadora, sabendo que ele estava à mesa em casa do fariseu, levou
um vaso de alabastro com ungüento; 38 E, estando por detrás, aos seus
pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas, e enxugava-lhos
com os cabelos da sua cabeça; e beijava-lhe os pés, e ungia-lhos com o
ungüento. 39 Quando isto viu o fariseu que o tinha convidado, falava
consigo, dizendo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher
que lhe tocou, pois é uma pecadora. 40 E respondendo, Jesus disse-lhe:
Simão, uma coisa tenho a dizer-te. E ele disse: Dize-a, Mestre. 41 Um certo
credor tinha dois devedores: um devia-lhe quinhentos dinheiros, e outro
cinqüenta. 42 E, não tendo eles com que pagar, perdoou-lhes a ambos.
Dize, pois, qual deles o amará mais? 43 E Simão, respondendo, disse: Tenho
para mim que é aquele a quem mais perdoou. E ele lhe disse: Julgaste bem.
44 E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei
em tua casa, e não me deste água para os pés; mas esta regou-me os pés
com lágrimas, e mos enxugou com os seus cabelos. 45 Não me deste
ósculo, mas esta,
que entrou, não tem cessado de me beijar os pés. 46 Não me ungiste a
cabeça com óleo, mas esta ungiu-me os pés com ungüento. 47 Por isso te
digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou;
mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama. 48 E disse-lhe a ela: Os
teus pecados te são perdoados. 49 E os que estavam à mesa começaram a
dizer entre si: Quem é este, que até perdoa pecados? 50 E disse à mulher: A
tua fé te salvou; vai-te em paz.

Um frasco de ungüento valia até 300 denários (o denário representava o


ordenado de um dia de trabalho de um lavrador).
O perfume de nardo era extraído de uma planta das montanhas do
Himalaia, da família das valerianáceas que cresce a uma elevação de 3.350
metros. Suas raízes produzem a essência, um perfume caríssimo. O nardo
puro era guardado em vasos de alabastro, e usado em ocasiões especiais.
Seu valor era equivalente a trezentos denários.
Nesta história, uma das muitas lições que podemos aprender é a importância de quebrar
o vaso. Em Mc. 14:3 diz: “... e, quebrando o alabastro...”. Por que a mulher quebrou o
vaso? Era mesmo necessário quebrá-lo? Ele não poderia ter sido poupado? Não seria
possível derramar o bálsamo sem quebrar o vaso? Na verdade, não! O vaso era selado
(ou tampado) no gargalo para que o bálsamo não se perdesse e também para que o
perfume fosse preservado. Desta forma, para usar o bálsamo, a pessoa tinha que quebrar
o vaso. Para facilitar a quebra e para não correr o risco de quebrar demais o vaso e
perder todo o bálsamo, o vaso possuía umas ranhuras em forma de espiral na altura do
pescoço. Estas indicavam o local onde o vaso deveria ser quebrado e serviam também
para facilitar a quebra. Como o vaso tinha que ser quebrado, não poderia utilizar apenas
metade do bálsamo e guardar a outra metade. Era necessário usar todo o bálsamo de
uma vez só. Por este motivo, o vaso de alabastro era pequeno, pois era a medida exata
para caber uma quantidade suficiente para ser aplicada uma única vez.
O que há para fazer aos pés de Jesus?

Mulher do vaso de alabastro aos pés de Jesus chorando lavando os pés com
as lágrimas. Quebrou o vaso de alabastro, algo muito valioso. Devemos
quebrar a nossa vida, nosso coração aos pés de Jesus.
Marta e Maria, irmãs de Lázaro. Marta só servindo e Maria aos pés de Jesus.

Lucas 10:38-42
38 ¶ E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e
certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; 39 E tinha esta uma
irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia
a sua palavra. 40 Marta, porém andava distraída em muitos serviços; e,
aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe
servir só? Dize-lhe que me ajude. 41 E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta,
Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é
necessária; 42 E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.

Permanecer aos pés porque Ele aparece e não nós.


A Ele toda a glória, honra e louvor. Só Ele é merecedor.[apocalipse5:13
“Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da
terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está
sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o
domínio pelos séculos dos séculos.”]

Porque Dele e por Ele e para Ele são todas as coisas.[Romanos 11:36]
Quebrantamento = morte do eu = cruz.
Morte da semente na terra para que a vida saia dela.[ João 12:24 Na
verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não
morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto.]
Algo quebrado não tem valor, mas como o vaso de alabastro, o conteúdo do
nosso interior, o Espírito Santo, só é liberado quando somos quebrados. [1
Coríntios 6:19 Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito
Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós
mesmos?].
Deus decidiu colocar em vasos sem valor o seu Espírito. [2 Coríntios 4:7
Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do
poder seja de Deus, e não de nós.]

O que o vaso de alabastro representa em nossas vidas:


- conceitos;
- vontades;
- orgulho;
- autogoverno;
- pensamentos que se levantam contra o conhecimento de Deus [IICo 10:4-5
“4 Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas
em Deus para destruição das fortalezas; 5 Destruindo os conselhos, e toda a
altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo
todo o entendimento à obediência de Cristo;”];
- ego manifesto em egocentrismo e egoísmo; (Deus é centro de tudo e é pra
Ele que tudo existe.)
Quando formos quebrados, quando não mais nos considerarmos valiosos,
quando não quisermos mais chamar atenção para nós, pra nossos talentos,
para a nossa coreografia, para a nossa criatividade. Aí, finalmente, Deus vai
poder fluir de nós. O Espírito Santo nos ungirá para que Ele e só Ele
apareça. Pois importa que Ele cresça e nós diminuamos, como disse João
Batista em Jo 3:30.