Você está na página 1de 5

Novo Plural 11 – 11.

º ano

MATERIAL DE APOIO AO ESTUDO


Sermão de Santo António aos Peixes, Pe. António Vieira

AOS PROFESSORES

Este recurso centra-se na apreciação crítica de uma imagem, mais precisamente uma peça
de arte urbana, cuja relação com o Sermão de Santo António aos Peixes, do Padre António
Vieira, é evidente.

O professor usará este recurso da forma que considerar mais adequada à sua turma ou
que melhor se enquadre na sua planificação:
 antes da leitura do Sermão, como antecipação de sentidos;
 aquando do estudo do capítulo IV (Repreensões em geral);
 no final, como síntese ou atualização do Sermão.

Oralidade
 A descrição e apreciação de uma imagem é sempre uma atividade propiciadora de
trabalho ao nível da oralidade. Escolhemos uma imagem muito sugestiva e
contemporânea, para propiciar uma pluralidade de interpretações e apreciações.
 Independentemente de propormos uma apreciação crítica oral, mais ou menos
formal, a imagem pode ser usada, muito simplesmente, para analisar e debater,
coletivamente, na turma.

Escrita
 A mesma imagem pode ser usada para uma atividade de escrita (na aula ou em casa),
se o professor o entender.

Gramática
 Um breve exercício de gramática visa mobilizar conhecimentos prévios, ao nível da
coesão textual.

www.raizeditora.pt 1
Novo Plural 11 – 11.º ano

NOME: __________________________________________ N.º: ___ TURMA: ___ ANO LETIVO: _____/_____

PROFESSOR: ______________________________________________________ DATA: _____/_____/_____

ATIVIDADE DE PREPARAÇÃO
Observa com atenção as imagens, que correspondem a dois importantes quadros da História de Arte
da Europa:
 Os peixes grandes comem os peixes pequenos, de Pieter Brueghel (1556)
 O banho turco, de Ingres (1862)

www.raizeditora.pt 2
Novo Plural 11 – 11.º ano

IMAGEM
A imagem reproduzida corresponde a um mural de arte urbana numa rua de Londres: Os peixes
grandes comem os pequenos, pintura grafitada de OZMO, a partir da gravura homónima de Pieter
Brueghel e da pintura O banho turco de Ingres.

I - ORALIDADE

LEITURA DE IMAGEM / APRECIAÇÃO CRÍTICA ORAL


1. Observar a imagem e preparar a apreciação
1.1 Observa atentamente a imagem, nomeadamente ao nível de:
▪ tema: «Os peixes grandes comem os peixes pequenos»;
▪ utilização (citação) de dois quadros célebres da História da Pintura Europeia;
▪ elementos destacados pela cor, tamanho, posição, e sua relação com o todo da composição;
▪ valor expressivo e crítico do conjunto (atualidade).
1.2 Anota, por tópicos, a tua leitura da imagem.
2. Planificar a apreciação
2.1 Organiza os tópicos que registaste, num esquema que sirva de base à tua apreciação.
2.2 Organiza-os de forma a focares a análise em dois aspetos:
▪ leitura, descrição sucinta da imagem, que integre os elementos observados;
▪ apreciação crítica.
3. Apreciação oral – Para uma boa apresentação oral da tua apreciação, deverás:
• usar da palavra com adequação vocabular, correção linguística, articulação do discurso e fluência
verbal;
• usar uma postura corporal adequada, um tom de voz audível, uma dicção clara, uma correta entoação.

www.raizeditora.pt 3
Novo Plural 11 – 11.º ano

II - ESCRITA

LEITURA DE IMAGEM / APRECIAÇÃO CRÍTICA


1. Observação
Procede de acordo com as indicações dadas para a apreciação oral (em 1 e 2).
2. Textualização
O texto de leitura da imagem deverá:
• obedecer a um plano prévio, organizado em três partes:
1.º introdução – primeiro parágrafo de apresentação breve do tema;
2.º desenvolvimento – a. descrição sucinta do mural, que integre os elementos observados;
– b. apreciação pessoal;
3.º conclusão – último parágrafo, breve, que confirme, genericamente, a opinião exposta.
O texto deve ainda:
• usar o presente do indicativo;
• usar predominantemente a frase declarativa;
• usar marcadores do discurso e conectores que organizem a opinião com lógica, de forma progressiva
e articulada (em primeiro lugar, além disso, é por isso que, concluindo…)
• apresentar coerência, coesão, clareza e concisão.
3. Revisão
Na revisão do texto, deves verificar:
• a proporcionalidade dos parágrafos (introdução e conclusão muito breves, desenvolvimento mais
extenso);
• o encadeamento lógico das ideias, com uso dos conectores necessários;
• a correção ortográfica e sintática, com a pontuação adequada.

III - GRAMÁTICA
5 TÍTULOS PARA UMA IMAGEM?
Os peixes grandes comem os peixes pequenos.
Os grandes têm o poder do seu lado.
Transforma estas duas frases simples em cinco frases complexas, ligando-as, sucessivamente, por um
nexo de:
a. tempo;
b. causa;
c. condição;
d. confirmação;
e. conclusão.

www.raizeditora.pt 4
Novo Plural 11 – 11.º ano

SOLUÇÕES

I e II – LEITURA DE IMAGEM (ORAL E ESCRITA)


Na descrição/apreciação da imagem, será importante observar os aspetos a seguir.
– O tema Os peixes grandes comem os peixes pequenos é profundamente atual, numa Europa e num mundo em crise, onde
os ricos são cada vez mais ricos e os pobres cada vez têm maior consciência da sua pobreza. Como sabemos, a arte urbana
é muitas vezes, pela sua natureza de expressão livre e pública, crítica e satírica em relação às desigualdades e às injustiças
que visa denunciar.
– O desenho de Pieter Brueghel (pintor flamengo do século XVI), com o título que dá o nome ao mural, é amplamente
conhecido e encerra uma alegoria profundamente crítica (repare-se que homens e peixes se misturam, logo, a alegoria é
dirigida a ambos).
– O quadro de Ingres (pintor francês do século XIX), que representa um harém turco, é insolitamente conjugado com o de
Brueghel, numa multiplicidade de sentidos inesperados, que necessitamos de interpretar, sem grandes certezas.
– O grande peixe devorador, vermelho, destaca-se pela cor e a centralidade.
– O peixe grande é aqui uma alegoria do poder e do dinheiro (representado pelas moedas de ouro e pelo anel, à esquerda)
e pela torre de petróleo, à direita.
– Como interpretar esta conjugação tão surrealista?
Talvez tenhamos de evocar vários aspetos sugeridos:
 a alegoria contida no título – Os peixes grandes comem os peixes pequenos –, aplicando esta alegoria aos homens e/ou
às nações;
 o poder do dinheiro (como vimos, representado pelas moedas, pelo anel e pela torre de petróleo);
 a morte a espreitar à direita (a guerra? as doenças? a violência, em geral?);
 a emigração de pessoas de outras culturas, que figuram como corpos estranhos/estrangeiros, sem integração nem lugar,
apenas usados;
 a exploração dos mais fracos, em coexistência com o hedonismo contemporâneo.
Será, pois, um mural poderosamente crítico e satírico, bem ao jeito da grande maioria da arte urbana.

III – GRAMÁTICA (exemplos de soluções)


a. Tempo – Os peixes grandes comem os peixes pequenos, quando os grandes têm o poder do seu lado.
b. Causa – Os peixes grandes comem os peixes pequenos, porque os grandes têm o poder do seu lado.
c. Condição – Os peixes grandes comem os peixes pequenos, se os grandes têm (tiverem) o poder do seu lado.
d. Confirmação – Os peixes grandes comem os peixes pequenos, na verdade, os grandes têm o poder do seu lado.
e. Conclusão – Os peixes grandes comem os peixes pequenos, deste modo, os grandes têm o poder do seu lado.

www.raizeditora.pt 5