Você está na página 1de 8

02 REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E O GEOGRAFIA I

CAPITALISMO ATUAL

AS REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS sua origem na Grã-Bretanha. O pioneirismo inglês é fruto de uma


série de características que possibilitaram uma forte ascensão das
A Revolução Industrial pode ser considerada, de forma sucinta, indústrias. Com as revoluções inglesas ocorridas no século XVII,
um conjunto de profundas mudanças que ocorreram nos métodos observou-se a ascensão da burguesia ao poder, com a introdução
de transformação de matérias-primas naturais em produtos a partir de uma monarquia parlamentarista na qual os poderes ficam nas
do trabalho humano. Entretanto, deve-se levar em conta que essa mãos do primeiro-ministro. Em outras palavras, estava no poder no
revolução provocou (e ainda provoca) intensas transformações no Reino Unido uma classe capitalista, que tinha como preocupação
espaço geográfico mundial, no campo natural, social, econômico e central o lucro e o acúmulo de capitais. Sendo assim, essa estaria
político. Nesse sentido, cabe citar o fragmento abaixo: disposta a utilizar o Estado inglês como forma de atingir seus
“Para muitos – embora não para todos –, a introdução da objetivos econômicos, sendo um fator determinante para a eclosão
Reprodução proibida Art. 184 do CP.

maquinaria acarretou, pela primeira vez, uma completa separação da Revolução Industrial. Soma-se a isso a questão da acumulação
dos meios de produção: o trabalhador converteu-se em um primitiva de capital. Durante o predomínio da doutrina econômica
“operador”. A máquina impôs uma disciplina a quase todos. A mercantilista, nenhuma outra potência conseguiu acumular um
fiandeira não podia girar sua roda e o tecelão não podia correr volume tão grande de riquezas como a Inglaterra, devido ao intenso
sua lançadeira em casa, livres de supervisão, no horário que lhes comércio realizado durante o capitalismo comercial. Tais riquezas
conviesse. A partir de então, o trabalho era feito em fábricas, em foram utilizadas na dotação de infraestrutura, como rede de
um ritmo estabelecido por incansáveis equipamentos inanimados, transporte, extração de carvão mineral e matérias-primas, e para
como parte de uma grande equipe que tinha de começar, a instalação de indústrias.
interromper e parar ao mesmo tempo – sob estrita fiscalização de Existiu também um grande avanço nas técnicas e equipamentos
supervisores, que impunham a assiduidade por meio de compulsão para a produção, chegando-se a descoberta das máquinas a vapor,
moral e pecuniária e, às vezes, por ameaça física. A fábrica era um algo que mudou completamente a história da produção. Os maiores
novo tipo de prisão e o relógio, um novo tipo de carcereiro.” avanços foram nos setores têxtil, naval e metalúrgico, principais
(LANDES, D.S. Prometeu desacorrentado: transformação tecnológica e desenvolvimento indústrias da primeira etapa da Revolução Industrial. Além disso,
industrial na Europa ocidental, desde 1750 até os dias de hoje.
Rio de Janeiro: Elsevier, 2005). houve a vantagem da existência de jazidas carboníferas na ilha da
Grã-Bretanha, principal matriz energética da Primeira Revolução
Nesse sentido, a Revolução Industrial deu início a uma era Industrial. Por sua vez, a existência de minério de ferro favoreceu
de grande prosperidade material, possibilitando a consolidação a expansão das indústrias metalúrgicas, navais, ferroviárias e de
do sistema capitalista, o aumento da produtividade (tanto na máquinas.
agricultura, para o abastecimento alimentar da população, Por fim, a Lei do Cercamento dos Campos (Enclosure Acts),
quanto na oferta de bens para o consumo de pessoas, empresas no final do século XVII favoreceu a saída de pessoas do meio rural
e Estados), o grande desenvolvimento tecnológico e a formação em direção ao meio urbano e, com isso, paulatinamente as cidades
de uma economia-mundo globalizada. Portanto, compreender estavam contando com uma oferta de mão de obra para o trabalho
a Revolução Industrial e as suas fases significa compreender a nas nascentes indústrias na Inglaterra. Esse processo foi tão intenso
própria história da Humanidade e a produção do espaço geográfico que gerou um Exército Industrial de Reserva, massa de trabalhadores
capitalista, desde o campo produtivo até os campos referentes aos desempregados que mantém baixo o valor dos salários pagos ao
problemas e impactos ambientais que a Humanidade convive no proletariado. Com todos esses elementos, a Revolução Industrial pôde
mundo contemporâneo. surgir e fazer da Inglaterra a grande potência durante a fase industrial
do sistema capitalista.

A SEGUNDA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL


(MEADOS DO SÉCULO XIX A MEADOS DO
SÉCULO XX)
Ao longo do século XIX o fenômeno industrial foi atingindo
novos territórios e adquirindo novas formas, a partir das melhorias
realizadas nas técnicas e equipamentos desenvolvidos com a
Revolução Industrial. A esse conjunto tão grande de avanços e
mudanças na forma industrial de produzir, os especialistas atribuem
o nome de Segunda Revolução Industrial (Revolução Técnico-
Científica), que se estendeu de finais do século XIX até meados
do século XX. Essa revolução apresenta uma importantíssima
mudança na geografia das indústrias, a partir das modificações
nos métodos de produção do espaço e pela ascensão de indústrias
fora do continente europeu, nos EUA e no Japão.
A PRIMEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL O primeiro grande avanço a ser destacado foi a descoberta do
aço, a partir da combinação do minério de ferro com o carbono,
(FINAL DO SÉCULO XVIII A MEADOS DO sendo um material de grande resistência e de maior durabilidade
SÉCULO XIX) quando comparado ao ferro. Com isso, os produtos fabricados a
partir do aço teriam um tempo de vida maior e uma maior leveza,
A primeira etapa da Revolução Industrial (Revolução Técnica) que facilitaria a sua circulação, além de permitir a produção de
que ocorreu do final do século XVIII até meados do século XIX, teve

PRÉ-VESTIBULAR PROENEM.COM.BR 129


GEOGRAFIA I 02 REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E O CAPITALISMO ATUAL

meios de transportes mais ágeis e com menor consumo de É importante sabermos que as tecnologias em cada um
combustíveis. Além disso, ocorreram profundos avanços nas desses setores são imprescindíveis para os avanços nos demais,
fontes de energia, com a descoberta do petróleo (que além de ser ocorrendo uma estreita relação de interdependência entre suas
uma fonte de energia com grande poder de combustão, fornece formas de aplicação. Nas sociedades capitalistas, sobretudo
vários derivados que também podem ser utilizados como matérias- nas mais industrializadas, a criação de tecnologias altamente
primas) e da eletricidade. Concomitantemente foi desenvolvido o sofisticadas melhora o desempenho e a produtividade do trabalho,
motor de combustão interna, que possibilitaria um melhor e mais cria produtos de melhor qualidade e barateia os custos de produção
econômico funcionamento das máquinas e meios de transporte. das empresas. A princípio, a robotização, os robôs ou as novas
A partir da expansão da Revolução para outros países e da tecnologias de produção parecem ser os únicos causadores do
grande ampliação da escala produtiva, os mercados europeus desemprego (Desemprego Estrutural). No entanto, existem outras
começaram a ficar esgotados, gerando uma necessidade por razões de ordem econômica, social, institucional e geopolítica que,
novas áreas para a realização de investimentos, novos mercados associadas à tecnologia, formam um conjunto que explica melhor
consumidores e para a obtenção de matérias-primas e fontes aquilo que, para alguns analistas, significaria até mesmo o fim de
de energia. Tais necessidades levariam as potências europeias à uma sociedade organizada com base no trabalho.
corrida imperialista na África e na Ásia, cujo elemento simbólico As empresas multinacionais, para restabelecer sua rentabilidade,
foi a Conferência de Berlim que definiu a partilha do continente expandiram espacialmente sua produção por continentes inteiros.
africano. O resultado dessa expansão foi a deterioração dos modos Surgiram novos países industrializados e os mercados externos
Reprodução proibida Art. 184 do CP.

de viver nas colônias e a eclosão das Guerras Mundiais. cresceram mais que os mercados internos. O capitalismo
Uma grande transformação no espaço geográfico foi o internacional reestruturou-se, pois os países de economia avançada
aparecimento das metrópoles, cidades de grande porte que precisaram criar internamente condições de competitividade.
concentravam os distritos industriais, devido à lógica produtiva de A saturação dos mercados acabou gerando uma produção
aglomeração das atividades industriais como forma de baratear os diversificada para atender a consumidores diferenciados. Os
custos produtivos. Tal expansão elucida a intensificação do processo contratos de trabalho passaram a ser mais flexíveis (estabeleceram
de urbanização no mundo. Nessa fase, o pioneirismo tecnológico a terceirização de empresas). Diminuiu o número de trabalhadores
e a liderança econômica ficaram por conta do EUA, que reunia as permanentes e cresceu o número de trabalhadores temporários.
condições favoráveis para a industrialização, dentre as quais: Flexibilizaram-se os salários e cresceram as desigualdades salariais,
segundo a qualificação dos empregados e as especificidades da
• A colonização de povoamento, que trouxe migrantes empresa. Os sindicatos viram reduzidos seu poder de representação
ingleses que possuíam habilidades no trabalho artesanal e de reivindicação. Ampliou-se o desemprego.
e manufatureiro. Como existia uma relação de trabalho
assalariada, aos poucos um mercado interno foi sendo A difusão dos serviços de telefonia por cabos oceânicos ou por
desenvolvido. meio de satélites, a informatização das empresas e a transmissão
de dados pela Internet permitem, por exemplo, a integração
• Intenso acúmulo de capitais pela burguesia comercial e simultânea entre sedes de indústrias, bancos e bolsas de valores
industrial, disposta a realizar os investimentos necessários do mundo todo. O transporte em massa de pessoas e mercadorias
para a ampliação da lucratividade. por navios e aviões de grande porte tornou muito mais intenso os
• Vitória da classe burguesa na guerra de Independência, em negócios empresariais e o comércio internacional. Dessa forma, as
1776, e na guerra de Secessão, entre 1861-1865. grandes distâncias deixaram de ser obstáculos para uma integração
• Predomínio de um grupo populacional ligado a religiões mais efetiva entre as nações. Criaram-se, assim, as condições
protestantes, que não condenavam o enriquecimento e necessárias para a expansão do capitalismo em nível planetário,
viam no trabalho uma forma de salvação. principalmente por meio da implantação de filiais das grandes
empresas multinacionais (ou transnacionais); até mesmo em países
• Existência de uma grande oferta de recursos naturais no
menos avançados ou de economia não capitalista. Esse processo,
território, que possibilitou o abastecimento da indústria
que se desencadeou especialmente nas últimas décadas do século
emergente no país.
XX, foi decisivo para consolidar a presente fase do capitalismo e
Todos esses fatores levaram a uma grande arrancada da divisão internacional do trabalho, a chamada globalização. Esta
industrial nos Estados Unidos, na região próxima aos Grandes tem servido para interligar ainda mais o espaço geográfico mundial,
Lagos (Manufacturing Belt), no nordeste do país, que em pouco intensificando as relações econômicas e culturais entre os países.
tempo se transformou no centro da economia capitalista. Por isso, muitos estudiosos analisam o mundo atual como um
espaço interligado e globalizado, o espaço global.
A TERCEIRA REVOLUÇÃO Tecnopolo é um termo que faz referência a reunião, no mesmo lugar,
de diversas atividades de alta tecnologia, empresas e universidades,
INDUSTRIAL (MEADOS DO centros de pesquisas etc., o que facilita os contatos pessoais entre os
SÉCULO XX AOS DIAS ATUAIS) funcionários e produz efeito de sinergia de que podem surgir inovações
técnicas e novas ideias, isso é, tecnologia. Os tecnopolos são originários
A partir da segunda metade do século XX, inicia-se uma nova
dos Estados Unidos (na Universidade de Stanford, na Califórnia, criou-se
fase de processos tecnológicos, decorrentes de uma integração
o Silicon Valley) e têm se espalhado em outros lugares como Europa e
física entre ciência e produção, denominada Terceira Revolução
Japão. Por exemplo, podemos considerar Tsukuba (Japão) e Campinas
Industrial ou Revolução Técnico-Científica-Informacional. Como
(Brasil) como locais com tecnopolos.
resultado, temos a aplicação quase imediata das descobertas
científicas no processo produtivo. Esse fato proporcionou a Os tecnopolos estão relacionados às indústrias avançadas,
ascensão das atividades que empregam alta tecnologia em sua chamadas indústrias de ponta, que geralmente se organizam ao
produção. Como exemplos tem-se: a informática, que produz redor de universidades as quais recebem subsídios do governo e de
computadores, e softwares; a microeletrônica, que fabrica chips, companhias privadas. Junto das universidades surgem centros de
transistores e produtos eletrônicos; a robótica, que cria robôs pesquisas (sejam eles particulares ou governamentais), empresas
para uso industrial; as telecomunicações, que viabilizam as e indústrias. Com isso, ocorreu o que David Harvey chama de
transmissões de rádio e televisão, telefonia fixa e móvel e a Internet; contração do espaço-tempo. Esse fenômeno se consolida devido
a indústria aeroespacial, que fabrica satélites artificiais e aviões; ao aumento da velocidade de deslocamento de meios materiais
e a biotecnologia, que produz medicamentos, plantas e animais e imateriais, possibilitando uma integração mais forte entre os
manipulados geneticamente. territórios mundiais.

130 PROENEM.COM.BR PRÉ-VESTIBULAR


02 REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E O CAPITALISMO ATUAL GEOGRAFIA I

Durante a Terceira Revolução Industrial, os setores de transporte materiais e imateriais sofreram um forte desenvolvimento, o que possibilitou
uma grande redução nos custos operacionais e deu origem a uma informação em tempo real, graças aos Meios Técnicos-Científicos-
Informacionais (as infovias). Sendo assim observou-se profundas transformações na organização do espaço geográfico mundial, como:
• a reestruturação produtiva ligada ao modelo Toyotista (Pós-Fordismo);
• a volatilização do capital, ou seja, o capital passa a apresentar grande fluidez, movimentando-se de acordo com a segurança e a
rentabilidade que cada país oferece ao investidor desse capital (também chamado de capital especulativo, hot money e smart money);
• aceleração das trocas culturais;
• informação em tempo real etc.
Portanto, as inovações tecnológicas da Terceira Revolução Industrial possibilitaram uma redução do espaço-tempo, aprofundando o
processo de globalização.

RESUMO DAS FASES DO CAPITALISMO E DAS REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS


XVI XVIII XIX XX XXI SÉCULO
Meio técnico-científico DESENVOLVIMENTO
Meio técnico Meio técnico-científico
Reprodução proibida Art. 184 do CP.

informacional TÉCNICO DA SOCIEDADE

Capitalismo Capitalismo Capitalismo


Capitalismo financeiro-monopolista FASES DO CAPITALISMO
comercial industrial informacional
1a Revolução 2a Revolução 3a Revolução
REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS
Industrial Industrial Industrial

Taylorismo Fordismo Toyotismo MODELOS DE PRODUÇÃO

1760 1860 1886 1914 1929 1933 1950 1970 2015 ANO

ESTRUTURAS
Mercantilismo Liberalismo Keynesianismo Neoliberalismo SOCIOECONÔMICAS

02. “O produto da atividade humana é separado de seu produtor e


EXERCÍCIOS açambarcado por uma minoria: a substância humana é absorvida
PROTREINO pelas coisas produzidas, em lugar de pertencer ao homem.”
A partir do texto, pode-se afirmar que a Revolução Industrial:
01. Explique o que consideramos como "Revolução Industrial". a) produziu a hegemonia do capitalista na produção social.
02. Cite três fatores que justificam o pioneirismo da Inglaterra no b) tornou a manufatura uma alternativa para o artesanato.
processo de Revolução Industrial. c) introduziu métodos manuais de trabalho na produção.
03. O Estados Unidos foram caracterizados por um pioneirismo d) tornou o homem mais importante que a máquina.
tecnológico e uma liderança econômica na Segunda Revolução e) valorizou o produtor autônomo.
Industrial por ter reunido fatores que contribuíram com a sua
industrialização. Cite três fatores que contribuíram com esse processo.
03. “A produção em larga escala exigia não só a divisão de trabalho
04. Compare a Primeira Revolução Industrial com a Segunda e ferramentas especializadas, mas também um sistema organizado
Revolução Industrial com relação a matéria-prima e a fonte de energia de transporte, comércio e crédito. Segundo todos os testemunhos
utilizadas. contemporâneos, as comunicações internas da Inglaterra estavam
muito longe de satisfazer as necessidades dos industriais. As
05. Explique por que a Terceira Revolução Industrial foi nomeada de estradas inglesas, dependentes, como estavam, na construção e
"Revolução Técnico-Científica-Informacional". consertos, de fiscais amadores e do estatuto relativo ao trabalho
não especializado, eram, na maior parte das vezes, impróprias para
o tráfego rodoviário; e o transporte mais em uso era o cavalo de
carga, que viajava, às vezes, em filas de mais de cem, em calçadas
de pedra dispostas lado a lado ou ao meio das estradas”.
EXERCÍCIOS (T. S. Ashton)

PROPOSTOS Dentre outras coisas, o texto se refere ao fato de que:


a) as ferrovias inglesas dependiam, para a sua manutenção, de
01. Entre os fatores que fizeram da Inglaterra o berço propício à
trabalhadores não apropriados à tarefa.
eclosão da Revolução Industrial, podemos citar os seguintes:
b) a divisão social do trabalho e as ferramentas especializadas
a) as condições sociais e políticas da época eram favoráveis.
provocaram um aumento significativo na produção.
b) com a criação do Banco da Inglaterra, essa nação tornou-se o
c) as necessidades industriais na Inglaterra, apesar de tudo, eram
maior centro capitalista da época.
satisfeitas pelas estradas de pedra.
c) o sistema corporativo não chegara a se enraizar desde a Idade
d) as rodovias inglesas, graças a seu ótimo estado de conservação,
Média.
foram responsáveis pelo aumento da produção industrial.
d) a supremacia naval inglesa assegurava o controle das rotas de
e) as deficiências nas comunicações internas na Inglaterra eram
distribuição de mercadorias.
motivadas pelo péssimo calçamento das estradas, impróprio
e) todas as anteriores. para os cavalos de carga.

PRÉ-VESTIBULAR PROENEM.COM.BR 131


GEOGRAFIA I 02 REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E O CAPITALISMO ATUAL

04. Podem ser apontadas como características da Revolução 08. Com a emergência da Terceira Revolução Industrial e da
Industrial: reestruturação do capitalismo, nas últimas décadas do século
a) a substituição da manufatura pela indústria, a invenção da passado, além da ruptura do modelo industrial e tecnológico, eram
máquina-ferramenta, a progressiva divisão do trabalho e a questionadas também as relações econômicas, sociais e políticas
definidas pelo padrão de industrialização fordista.
submissão do trabalhador à disciplina fabril.
Sobre a reestruturação do capitalismo e as consequências sobre a
b) o aprimoramento do artesanato, a crescente divisão do organização do trabalho não é correto afirmar que
trabalho, um forte êxodo urbano e o aumento da produção.
a) reverteu o longo período de alinhamento da relação capital/
c) a substituição do artesanato pela manufatura e o consequente trabalho, relativamente favorável ao segundo.
aumento da produção acompanhado pelo recrudescimento da b) admitiu as regulações governamentais protecionistas
servidão. que engessaram o mercado de trabalho e aumentaram a
d) a total substituição do homem pela máquina e o aumento do competitividade.
nível de vida da classe trabalhadora. c) golpeou a organização sindical que, na defensiva, perdeu parte
e) a modernização da produção agrícola, o êxodo rural e uma do seu poder de representação e enfrentamento.
diminuição do nível geral da produção. d) alterou o processo produtivo e o trabalho envolvido na
produção, acentuando a exclusão econômica e social.
05. “O duque de Bridgewater censurava os seus homens por terem
Reprodução proibida Art. 184 do CP.

e) afetou o mundo do trabalho ao mudar as relações no processo


voltado tarde depois do almoço; estes se desculparam dizendo que produtivo, a divisão do trabalho e as negociações coletivas.
não tinham ouvido a badalada da 1 hora, então o duque modificou
o relógio, fazendo-o bater 13 badaladas.” 09.
Este texto revela um dos aspectos das mudanças oriundas do
processo industrial inglês no final do século XVIII e início do século
XIX. A partir do conhecimento histórico, pode-se afirmar que
a) os trabalhadores foram beneficiados com a diminuição da jornada
de trabalho em relação à época anterior à revolução industrial.
b) a racionalização do tempo foi um dos aspectos psicológicos
significativos que marcou o desenvolvimento da maquinofatura.
c) os empresários de Londres controlavam com mais rigor
os horários dos trabalhadores, mas como compensação
forneciam remuneração por produtividade para os pontuais.
d) as fábricas, de modo em geral, tinham pouco controle sobre o
horário de trabalho dos operários, haja vista as dificuldades de
registro e a imprecisão dos relógios naquele contexto.
e) os industriais criaram leis que protegiam os trabalhadores que
cumpriam corretamente o horário de trabalho.
06. A chamada Terceira Revolução Industrial ou Revolução
Técnico-Científica fez surgir novos processos de produção e
grandes mudanças nas relações de trabalho dentro das empresas
Tirinha sobre as evoluções tecnológicas contemporâneas
capitalistas. A esse respeito, marque a alternativa correta.
a) As novas tecnologias favoreceram a informatização do A tirinha acima reproduz uma crítica recorrentemente direcionada
processo produtivo e a ampliação do emprego de modo geral. aos impactos gerados pela Terceira Revolução Industrial, dos quais
b) Surgiu o fordismo: conjunto de métodos para a produção em podemos assinalar:
série, com os quais o operário produz mais em menos tempo. a) a excessiva capacidade de memória dos aparelhos
industrializados.
c) O sistema de trabalho repetitivo foi ampliado e a especialização b) a superioridade do desempenho dos produtos face à
do operário torna-se fundamental. capacidade humana.
d) Um método mais ágil e flexível foi desenvolvido, adaptado ao c) a alienação gerada pelas facilidades promovidas pelas
mercado que prioriza o controle de qualidade, conhecido por tecnologias.
just-in-time. d) o processo de substituição do homem pela máquina no campo
e) A habilidade do trabalhador está restrita a uma única tarefa, produtivo industrial.
favorecendo o aumento da produtividade, método conhecido e) o desequilíbrio entre o excesso de informações e a incapacidade
como “taylorismo”. de armazená-las.

07. O mundo vem assistindo a uma revolução no setor produtivo 10. A Terceira Revolução Industrial, que vem se realizando nas
últimas décadas do século XX, introduziu importantes alterações
que tem sido chamada de terceira Revolução Industrial ou
no sistema produtivo. Assinale a alternativa que NÃO indica
Revolução Técnico-Científica (Revolução Tecnológica). A plena
corretamente uma dessas mudanças.
inserção brasileira nesse contexto enfrenta um sério obstáculo, que é
a) Transmissão instantânea das informações e formação de
a) a grande extensão do território nacional, encarecendo a
produção tecnológica. redes - telecomunicações.
b) o distanciamento geográfico do Brasil em relação aos principais b) Realização de cálculos complexos em tempo cada vez menor
centros tecnológicos. - informática.
c) a incompetência tecnológica nacional no setor agrário - c) Mudança no padrão energético - energia nuclear.
exportador. d) Aceleração do tempo e aumento da capacidade de
d) o exagerado crescimento brasileiro no setor da indústria de deslocamento de carga - transportes mais eficientes.
consumo.
e) Surgimento de novos materiais e adoção de novas técnicas -
e) a limitada capacitação técnico-científica da produção nacional. siderurgia.

132 PROENEM.COM.BR PRÉ-VESTIBULAR


02 REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E O CAPITALISMO ATUAL GEOGRAFIA I

11. Leia, com atenção, o texto do geógrafo J. W. Vesentini. d) O governo de Juscelino Kubitschek, marcado pelo
"A descoberta da eletricidade e dos motores elétricos traz desenvolvimentismo, caracterizou-se pela implantação da
grandes inovações técnicas. O carvão vai sendo substituído pelo reforma agrária e da modernização da rede ferroviária do
petróleo. No lugar da indústria têxtil, os setores mais importantes Centro-Sul do país.
passam a ser a siderurgia, as indústrias metalúrgicas, a e) O Japão se industrializou após a Segunda Guerra Mundial e,
petroquímica e a indústria automobilística." desde o início, contou com grandes recursos naturais oriundos
O texto trata da: do Continente Asiático.
a) primeira Revolução Industrial que ocorreu de meados do
século XVIII até por volta de 1870. 15. Assinale a alternativa que indica corretamente o fator
b) segunda Revolução Industrial surgida desde o final do século considerado determinante para a localização das indústrias
passado até os anos 70 do século XX. durante a Primeira Revolução Industrial (final do século XVIII a
meados do século XIX).
c) terceira Revolução Industrial, típica das inovações tecnológicas
da época atual. a) Reservas de petróleo.
d) aplicação de inovações técnicas na produção, sem caracterizar b) Incentivos fiscais.
uma periodização das Revoluções Industriais. c) Mão de obra especializada.
Reprodução proibida Art. 184 do CP.

d) Jazidas de carvão mineral.


12. Considerando-se os conhecimentos sobre o espaço da e) Disponibilidade de água.
produção industrial mundial, é correto afirmar:
a) Uma estratégia própria do capitalismo pós-fordista está 16. (CFTMG 2019) Sobre o processo de industrialização, afirma-se
relacionada à formação de estoques com o consequente que:
aumento dos lucros empresariais.
I. A Primeira Revolução Industrial foi marcada pelo uso do
b) A industrialização tardia, realizada recentemente pelos carvão mineral para obtenção de energia, sendo importante
países emergentes, só foi possível por causa da conquista da que as unidades fabris se localizassem próximas às fontes de
emancipação econômica por parte desses países. matéria-prima.
c) O modelo flexível de produção leva, de modo geral, à II. A indústria 4.0 utiliza-se de tecnologias voltadas à internet das
concentração de trabalhadores nas áreas metropolitanas, com coisas e à computação em nuvem, favorecendo a automação de
hipertrofia do setor secundário. sistemas ciberfísicos e a integração com dispositivos móveis.
d) O crescimento do setor secundário chinês foi e continua sendo, III. A Segunda Revolução Industrial teve o predomínio dos setores
mesmo após a abertura para o capital estrangeiro, fortemente de robótica, informática e telecomunicações, permitindo que a
marcado pela presença e controle do Estado, o qual intensifica produção fabril se disseminasse entre os países desenvolvidos.
joint ventures entre empresas estrangeiras e indústrias
IV. A Revolução Técnico-Informacional caracteriza-se pelo advento
nacionais.
da indústria química, elétrica e petrolífera, possibilitando a
e) Os países de industrialização clássica se desenvolveram expansão do setor automobilístico pelos países emergentes.
tecnologicamente ao longo da primeira metade do século XX,
Estão corretas apenas as afirmativas
sendo que somente a Inglaterra se desenvolveu nesse sentido,
durante a primeira Revolução Industrial. a) I e II. c) II e III.
b) I e IV. d) III e IV.
13. (UNIFESP 2006) O processo de industrialização tardia
verificado após a Segunda Guerra Mundial promoveu 17. Klaus Schwab, fundador do Fórum Econômico Mundial (FEM),
a) uma divisão territorial do trabalho baseada na troca desigual escreveu, em artigo publicado na “Foreign Affairs”, que:
de commodities. A 1ª revolução industrial usou água e vapor para mecanizar a
b) a reunião de líderes de países pobres contra o capital produção entre o meio do século XVIII e o meio do século XIX.
internacional. A 2ª revolução industrial usou a eletricidade para criar produção
c) uma articulação produtiva entre núcleos de países centrais e em massa a partir do meio do século XIX.
de países pobres. A 3ª revolução industrial usou os eletrônicos e a tecnologia da
d) a atuação decisiva de países periféricos no Conselho de informação para automatizar a produção na segunda metade do
Segurança da ONU. século XX.
e) uma frente de países ricos que atuou pela libertação colonial Agora, no século XXI, a 4ª revolução industrial é caracterizada
dos povos. pela fusão de tecnologias entre as esferas física, digital e biológica.
https://tinyurl.com/y72sm8v5> Acesso em: 17.09.2018. Adaptado.

14. Sobre o espaço industrial, evolução, organização e


sistematização, no mundo e no Brasil, é correto afirmar: De acordo com a tendência expressa no texto, a última revolução
industrial citada pelo autor caracteriza-se por
a) O Alvará de 1º de abril de 1808, assinado pelo príncipe Dom
João, manteve todas as proibições do Brasil Colonial com a) redes aéreas de comunicação e pela intensificação do uso do
relação à indústria e ao comércio. fordismo.

b) A Revolução Industrial surgiu na Inglaterra, no final do século b) viagens interespaciais e pelo grande emprego de carvão
XVIII, e, 200 anos mais tarde, a Europa já apresentava diversas mineral.
unidades fabris, principalmente nas regiões do Vale do Ruhr, no c) cabeamento telegráfico submarino e pela adoção do
Vale do Pó, na Bacia Parisiense e na Bacia de Londres, dentre taylorismo.
outras. d) computadores a válvula e pela utilização de linhas de produção.
c) A crise financeira de 1929 e o câmbio desfavorável não e) internet móvel e pela inteligência artificial.
diminuíram as exportações nem a produção e participação
brasileira na economia mundial.

PRÉ-VESTIBULAR PROENEM.COM.BR 133


GEOGRAFIA I 02 REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E O CAPITALISMO ATUAL

18. (UNESP 2016) Imagine que você entrou numa loja de


eletrodomésticos e em instantes um vendedor lhe oferece uma EXERCÍCIOS DE
geladeira exatamente como a que você pesquisou na internet
pouco tempo antes. Ou uma empresa que aumentou a previsão
APROFUNDAMENTO
de demanda de um determinado produto com base em dados
estatísticos coletados em tempo real, elevando sua participação de 01. Durante o século XVIII, na Europa, constituíram-se dois polos
mercado. Essas situações são possíveis com um fenômeno que dinâmicos: um de dimensão cultural, representado pela França, e
vem ganhando cada vez mais força no mundo dos negócios: o big outro de dimensão econômica, representado pela Inglaterra.
data. Com um volume cada vez maior de dados disponibilizados Descreva aspectos referentes ao
na internet, as empresas de tecnologia desenvolveram sistemas
a) primeiro polo.
capazes de capturar esses dados e analisá-los.
(www.folha.com.br. Adaptado.) b) segundo polo.

A operação de sistemas inteligentes, como o apresentado pelo 02. "Tempos difíceis» é um romance do escritor inglês Charles
excerto, é possibilitada pelo desenvolvimento de redes técnicas Dickens, publicado em 1854. A história se passa na cidade de
que modificam as relações sociais e o modo de vida das pessoas. Coketown, em torno de uma fábrica de tecidos de algodão:
O meio geográfico correspondente a essa condição é chamado Umas tantas centenas de operários na fábrica, umas tantas
Reprodução proibida Art. 184 do CP.

a) meio comercial-informacional. centenas de cavalos-vapor de energia (...) O dia clareou e mostrou-


b) meio informacional. se lá fora (...) As luzes apagaram-se e o trabalho continuou. Lá
fora, nos vastos pátios, os tubos de escapamento do vapor, os
c) meio técnico-científico.
montes de barris e ferro velho, os montículos de carvão ainda
d) meio técnico-científico-informacional. acesos, cinzas, por toda parte, amortalhavam o véu da chuva e
e) meio técnico-comercial-informacional. do nevoeiro.
a) Qual a importância do carvão e do ferro na 1a Revolução
19. (IFSP 2014) A revolução técnico-científica teve início na Industrial?
segunda metade do século XX com a expansão da tecnologia b) Comente as condições de trabalho nas fábricas inglesas no
da informação, tendo por base o desenvolvimento da eletrônica: século XIX, a partir do texto apresentado.
microeletrônica, computadores e telecomunicações.
Pode-se considerar como uma característica importante dessa 03. Em Sheffield, cidade famosa pela produção de tesouras,
revolução foices, facas e navalhas, 769 metalúrgicos enviaram petição ao
a) a expansão das indústrias de base capazes de criar e ampliar a Parlamento em 1789 contra o comércio de escravos.
infraestrutura logística para os novos setores informacionais. “[...] sendo os artigos de cutelaria enviados em grandes
b) o surgimento dos tecnopolos e de centros industriais, os quantidades para a costa da África a título de pagamento por
quais têm como base a produtividade e a competitividade. escravos, supõe-se que os interesses de seus peticionários
possam ser prejudicados se tal comércio for abolido. Mas, uma
c) a recuperação de antigas áreas industriais que empregavam
vez que seus peticionários sempre compreenderam que os nativos
o carvão mineral e passaram a utilizar o petróleo e o gás
da África nutrem grande aversão pela escravidão no exterior,
natural.
consideram o caso das nações africanas como se considerassem
d) a lógica da localização industrial concentrada em oposição à o seu próprio.”
descentralização que marcou a Segunda Revolução Industrial. (Adaptado de HOCHSCHILD, Adam. “Bury the Chains”. Boston: Houghton Miffflin, 2004.)
e) a criação de parques e complexos industriais junto às áreas
metropolitanas as quais utilizam fontes de energia renováveis. De acordo com uma visão recorrente na historiografia, a Inglaterra
teria abolido o tráfico de escravos para suas colônias em
1807 com o objetivo de ampliar o mercado para seus produtos
20. (UEA 2014) No contexto da revolução técnico-científica, industrializados.
governantes e empresas de países desenvolvidos, como Estados
Unidos, Canadá, Alemanha, França e Japão, têm estimulado Explique de que maneira o trecho acima questiona essa visão.
a criação de arranjos territoriais chamados tecnopolos,
caracterizados por 04. Viver numa grande cidade implica o reconheci-mento de
a) centros tecnológicos de pesquisa e desenvolvimento que múltiplos sinais. Trata-se de uma atividade do olhar, de uma
apresentam concentração de mão de obra qualificada capaz identificação visual, de um saber adquirido, portanto. Se o olhar
de gerar novos produtos de alta tecnologia que poderão ser do transeunte, que fixa fortuitamente uma mulher bonita e viúva
absorvidos pelas indústrias. ou um grupo de moças voltando do trabalho, pressupõe um
conhecimento da cor do luto e das vestimentas operárias, também
b) centros tecnológicos de pesquisa e desenvolvimento o olhar do assaltante ou o do policial, buscando ambos a sua
instalados em fazendas que utilizam ferramentas tradicionais presa, implica um conhecimento específico da cidade.
e mão de obra intensiva para realizar estudos que aumentem Maria Stella Bresciani, Londres e Paris no século XIX: o espetáculo da pobreza.São
a produtividade. Paulo: Brasiliense, 1982, p.16. Adaptado.
c) áreas centrais das grandes cidades que apresentam alta
concentração de compra e venda de produtos tecnológicos e O texto mostra como o forte crescimento territorial e demográfico
serviços de manutenção com mão de obra pouco qualificada. de algumas cidades europeias, no século XIX, redefiniu formas
de convivência e sociabilidade de seus habitantes as quais, em
d) conjuntos empresariais voltados para a prestação de serviços alguns casos, persistem até hoje.
avançados a distância com o emprego de mão de obra barata
adaptada ao uso de sistemas de comunicação e informação. a) Cite e explique dois motivos do crescimento de cidades como
Londres e Paris, no século XIX.
e) áreas centrais das grandes metrópoles que apresentam
elevado dinamismo para a recepção de eventos e congressos b) Indique e analise uma característica, dentre as mencionadas
especializados em biotecnologia e saúde para soluções de no texto, que se faça presente em grandes cidades atuais.
demandas em mercados emergentes.

134 PROENEM.COM.BR PRÉ-VESTIBULAR


02 REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E O CAPITALISMO ATUAL GEOGRAFIA I

05. A paz não passa de um engodo, de uma quimera, de um sonho fugaz; a indústria tornou-se o suplício dos povos, depois que uma ilha
de piratas [refere-se à Inglaterra] bloqueia as comunicações (...) e transforma suas fábricas e oficinas em viveiros de mendigos.
(Charles Fourier. Théorie des quatre mouvements (1808), in OEuvres complètes. Paris: Anthropos, vol. I, 1978, citado por Elias Thomé Saliba.
As utopias românticas. São Paulo: Estação Liberdade, 2003.)

O fragmento, escrito em 1808, mostra a visão de Charles Fourier acerca do nascimento das fábricas. Explique
a) por que o autor chama as fábricas de “viveiros de mendigos”.
b) o que leva o autor a afirmar que a Inglaterra “bloqueia as comunicações”.

GABARITO
EXERCÍCIOS PROPOSTOS
01. E 05. B 09. C 13. C 17. E
02. A 06. D 10. E 14. B 18. D
03. C 07. E 11. B 15. D 19. B
04. A 08. B 12. D 16. A 20. A
Reprodução proibida Art. 184 do CP.

EXERCÍCIOS DE APROFUNDAMENTO
01.
a) A França foi , no século XVIII, o centro de difusão dos ideais liberais contrários ao então vigente Antigo Regime e que inspiraram as chamadas revoluções burguesas. As ideias liberais
tinham por fundamento a filosofia iluminista, cujos princípios mais relevantes eram a defesa da razão como único caminho para o conhecimento e a defesa da liberdade e da igualdade
de direitos.
b) A Inglaterra era, no século XVIII, o principal centro dinâmico do capitalismo. O país foi o berço da Revolução Industrial, importante processo que desencadeou inúmeras transformações
econômicas, sociais, políticas e culturais em dimensões mundiais, verificadas a partir do século XIX, promovendo a consolidação do capitalismo.
02.
a) O carvão era o combustível necessário para a utilização do vapor; e o ferro era utilizado como matéria-prima essencial para a fabricação das máquinas surgidas com a Revolução
Industrial.
b) No capitalismo selvagem que caracterizou a Primeira Revolução Industrial, as condições de trabalho nas fábricas se pautavam pela insegurança, insalubridade, extenuantes jornadas
de trabalho e exploração do trabalho feminino e infantil. Além dos baixos salários pagos aos trabalhadores.
03. Ao se referir a trabalhadores que se posicionavam contra uma atividade - o tráfico de escravos - que absorvia bens por eles produzidos e que, além disso, ajudava a garantir os seus
empregos, o texto destacado questiona frontalmente a ideia de que o abolicionismo inglês visava ampliar o mercado para as indústrias britânicas
04.
a) O principal motivo de crescimento dessas duas cidades foi a industrialização, bastante acentuada no decorrer do século XIX, apesar da revolução industrial na Inglaterra ter-se iniciado
no século anterior. A segunda metade do século XIX foi marcada pela 2ª Revolução Industrial, que promoveu não apenas as novas tecnologias, mas também um aumento significativo
do número de fábricas e, portanto, de postos de trabalho. A segunda causa é a crise no setor agrário, colocado em segundo plano pelos governantes e burguesia dessas nações e que
sofreu a interferência do processo de mecanização, principalmente nas últimas décadas do século, provocando desemprego entre os camponeses que, em um primeiro momento,
tendiam a migrar para as grandes cidades.
b) No trecho: “(...) o olhar do assaltante ou o do policial, buscando ambos, a sua presa (...)”, podemos observar uma situação cada vez mais comum nas grandes cidades, marcadas pelo
banditismo e pela organização da criminalidade, com aumento constante da violência urbana em praticamente todas as grandes metrópoles brasileiras, que tem como contrapartida a
“ação policial” e a preocupação da sociedade civil.
05.
a) Nas fábricas dos primeiros tempos da Revolução Industrial, os operários trabalhavam em precárias condições, devido às longas jornadas de trabalho em ambiente em insalubre,
sujeitos a acidentes e a castigos físicos e em troca de salários insignificantes.
b) A afirmação de Charles Fourier de que a Inglaterra “bloqueia as comunicações”, remete, no contexto em que se deu, à hegemonia inglesa no comércio internacional, condição que a
Inglaterra ostentava desde o século XVII e que foi consolidada com a Revolução Industrial no século XVIII.

ANOTAÇÕES

PRÉ-VESTIBULAR PROENEM.COM.BR 135


GEOGRAFIA I 02 REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E O CAPITALISMO ATUAL

ANOTAÇÕES
Reprodução proibida Art. 184 do CP.

136 PROENEM.COM.BR PRÉ-VESTIBULAR