Você está na página 1de 2

A IMPORTÂNCIA DA DCN E DO PCN

PARA O ENSINO DE FÍSICA

Nome: Bruna Mozer e Pollyana Fidelis

As diretrizes Curriculares Nacionais são o conjunto de normas obrigatórias que guiam o


planejamento e definição das competências que necessitam nas bases comuns do ensino
infantil, ensino fundamental e ensino médio, partindo das diretrizes da LDB. Desse modo
é possível organizar os conteúdos das etapas de ensino de forma que exista uma
continuidade e dê sentido aquilo que está sendo dado. Os Parâmetros Curriculares
Nacionais visão a orientação na elaboração curricular, na formação de professores e etc.,
porém, diferente da DNC, o PCN não é obrigatório. Temos nele as orientações para os
profissionais da educação no planejamento dos conteúdos a serem passados.

Como dito, as DCN vão orientar cada etapa de ensino por cada matéria dada nessas etapas
de ensino e não é diferente no que diz respeito a Física. Elas são os pilares da organização
dos conteúdos e objetivos a serem passados para os alunos. A educação escolar vai muito
além do que só matérias. É na escola que preparamos as pessoas para o mundo em
conjunto com a família. A física, por exemplo, deve ensinar muito mais do que Leis de
Newton, precisamos aplicar aquilo que vemos na escola a vida dos estudantes para que o
ensino seja de fato algo útil para eles.

Na Física todos os conteúdos podem ser aplicados ao dia a dia dos alunos. Da mecânica
à Relatividade. Porém a física que ensinamos para as crianças não pode ser a mesma que
estudamos durante nossa formação, pois é preciso uma base forte para compreendê-la.
Desse modo, todos as "armas" que tivermos nas mãos para ligar a Física em coisas
"simples" do cotidiano, colabora para um ensino mais efetivo dos conteúdos.
Por isso é necessário a manutenção dessas diretrizes e parâmetros, de modo que os
profissionais consigam ser guiados de modo que todos consigam transmitir o
conhecimento aos alunos permitindo que todos (sejam eles no ensino particular e público)
de forma igual, mesmo sabendo que a qualidade de ensino particular é bem mais elevado
que a qualidade do ensino público.

Vemos no artigo “Física”, que existe uma necessidade de preparar-se o aluno para depois
do ensino médio, para que ele possa utilizar seus conhecimentos na sociedade, seja
trabalhando, seja estudando. É abordado a questão das competências e
interdisciplinaridade, seguindo a linha construtivista de aprendizagem, em que o
conhecimento é construído ao longo dos anos, abre margem para novas oportunidades de
aplicação do conhecimento. O PNC e a LDB não limitam o professor a conteúdos nem
impõe um formato de aula, mas permitem que o profissional tenha ciência de melhorias
que podem ser feitas a fim de que o conteúdo seja transmitido de forma eficaz “[..] e se é
verdade que a escola tem papel fundamental na constituição da sociedade, então essa
escola terá que deixar de ser mero cenário burocrático na vida dos alunos e passar a ser
um ambiente de formação para a autonomia […]”(RICARDO, E.C.).