Você está na página 1de 2

Da Pessoa Natural

A Capacidade e conceitos correlatos  Nascituro é aquele que foi


concebido, mas ainda não
Art. 1.º“Toda pessoa é capaz de
nasceu.
direitos e deveres na ordem civil”
 O artigo abrange embrião
Obs: pré-implantatório in vitro
ou crioconservado?
 Capacidade de direito ou de gozo:
aquela para ser sujeito de deveres 1. Para a primeira
e direitos na ordem privada, e que tese a proteção
todas as pessoas tem sem referente ao
distinção. nascituro abrange
 Capacidade de fato ou de o embrião.
exercício: Aquela para exercer 2. Para a segunda
direitos. Algumas pessoas não tem. correte (Maria
 A incapacidade é exceção. Todas as Helena Diniz) o
pessoa têm C. de direito, o que embrião não esta
pressupõe a C. de fato. abrangido pelo art.
 Deveres são diferentes de 2 pois tem vida
obrigações. Existem deveres que extrauterina.
não são obrigacionais, em um
sentido patrimonalizado, caso dos  Personalidade civil do
deveres que decorrem da boa-fé. nascituro:
CAPACIDADE DE DIREITO (GOZO) +
CAPACIDADE DE FATO (EXERCÍCIO) = Correntes:
CAPACIDADE CIVIL PLENA
1. Teoria Natalista: O
Conceitos Correlatos: nascituro não pode ser
a) Legitimação: capacidade especial considerado pessoa
para determinado ato ou negócio pois o C. Civil exige
jurídico. nascimento com vida. O
b) Legitimidade: é a capacidade nascituro tem mera
processual, uma das condições da expectativa de direitos.
ação. 2. Teoria da personalidade
c) Personalidade: é a soma de condicional: A
caracteres da pessoa, ou seja, personalidade civil
aquilo que ela é para si e para a começa do nascimento
sociedade. A capacidade é a com vida, mas os
medida da pesonalidade. direitos do nascituro
estão sujeitos a uma
condição suspensiva, ou
seja, são direitos
O Início da Personalidade e A situação
eventuais. Condião
jurídica do nascituro.
suspensiva: subordina
Art. 2.º“A personalidade civil da eficácia dos negócios
pessoa começa do nascimento com jurídicos a evento
vida; mas a lei põe a salvo, desde a futuro e incerto.
concepção, os direitos do 3. Teoria concepcionalista:
nascituro” o nascituro é pessoa
humana, tendo direitos alimentos gravídicos, ficando, por
resguardados pela lei. via de consequência, resguardados
Enunciado n. 1, do os direitos do próprio nascituro”
Conselho da Justiça (STJ, REsp 1629423/SP, 3.ª Turma,
Federal (CJF), aprovado Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, j.
na I Jornada de Direito 06.06.2017, DJe 22.06.2017).
Civil, e que também
enuncia direitos ao  Situação Jurídica do Embrião
natimorto, cujo teor
segue:  Lei 11.105/2005: Lei de
“Art. 2.º A proteção Biossegurança, tutela a
que o Código defere ao integridade física do
nascituro alcança o embrião, reforçando a
natimorto no que teoria concepcionista.
concerne aos direitos  O art. 5.º da referida lei
da personalidade, tais autoriza a utilização de
como nome, imagem e células-tronco
sepultura”. embrionárias para fins
científicos e terapêuticos,
desde que os embriões
 A teoria concepcionalista é a que sejam considerados como
prevalece entre os doutrinadores inviáveis. Além dessa
contemporâneos. situação, é possível a
 Maria Helena Diniz classifica a utilização das células
personalidade jurídica em: embrionárias nos casos de
 Formal: é aquela embriões congelados há
relacionada com os três anos ou mais, na data
direitos de personalidade, da publicação da lei, ou já
o que o nascituro já tem congelados na data da
desde a concepção. publicação da norma,
 Material: mantém relação depois de completarem
com os direitos três anos, contados a partir
patrimoniais, e o nascituro da data do congelamento.
só a adquire com o A lei exige autorização dos
nascimento com vida. genitores do embrião, para
 A corrente concepcionista tem que sejam utilizados para
também prevalecido na tais fins. Como se pode
jurisprudência do Superior Tribunal notar, a utilização de
de Justiça. células-tronco
 Lei 11.804- Nos termos de ementa embrionárias é exceção e
de julho de 2017, entendeu a sua não regra.
Terceira Turma que “os alimentos
gravídicos, previstos na Lei n.
11.804/2008, visam a auxiliar a
mulher gestante nas despesas
decorrentes da gravidez, da
concepção ao parto, sendo, pois, a
gestante a beneficiária direta dos