Você está na página 1de 6

Centro de

Desenvolvimento
Profissional e Tecnológico

Tutorial: Intra Node-B Soft-Handover


Sobre o autor

César Kyn d'Ávila obteve sua


graduação em Engenharia Elétrica em
1992 pela Universidade Estadual de
Campinas (Unicamp), onde também
completou sua formação acadêmica
com o Mestrado e Doutorado na área
de Telecomunicações, nos anos de
1995 e 1998 respectivamente. Seus
trabalhos acadêmicos se concentram
em estudos sobre os sistemas celulares
com tecnologia CDMA (UMTS, CdmaOne, 1xRTT, 1xEVDO) aplicada às Comunicações
sem Fio. Desde a sua formação como doutor, atua no mercado de telecomunicações,
como consultor em diversas empresas operadoras, fabricantes de equipamentos e
prestadoras de serviço. Possui grande experiência didática e ministrou inúmeros
treinamentos em empresas como Samsung, Motorola, Nortel, Ericsson, Instituto
Eldorado, Flextronics, Brasil Telecom, Telemar, Vivo, Claro, Telemig Celular, e outras,
bem como cursos de pós-graduação em faculdades. Atualmente ocupa a posição de
Diretor de Tecnologia do Centro de Desenvolvimento Profissional e Tecnológico
(CEDET) empresa com projetos com as tecnologias GSM, UMTS e Wi-MAX e atua como
pesquisador independente tendo orientado teses e trabalhos científicos em
instituições de renome como Unicamp e Inatel.

Introdução

Quando um serviço está em curso na tecnologia UMTS, existe a possibilidade de o


móvel 3G trocar de Node-B efetuando o procedimento de Handover. Existem diversos
tipos de Handover na tecnologia UMTS e um deles é o Intra Node-B Soft-Handover.
Este tipo Handover se refere à troca de canal de serviço dentro do mesmo Node-B,
mantendo-se a portadora.

O objetivo deste tutorial é descrever o procedimento de Intra Node-B Soft-Handover,


mostrando o fluxo de mensagens e procedimentoS que são realizados. Não devemos
considerar este tutorial algo aprofundado e nem mesmo detalhado, mas é adequado
para um nível intermediário de conhecimento sobre o assunto.

_______________________________________________________________________________________
Copyright © CEDET – Centro de Desenvolvimento Profissional e Tecnológico 1
Este conteúdo é de propriedade do CEDET e pode ser utilizado livremente desde
que citados o autor e o site do CEDET (www.cedet.com.br).
Centro de
Desenvolvimento
Profissional e Tecnológico

Tipos de Handover no UMTS

Podemos classificar os Handovers do UMTS em três grandes categorias:

• Soft-Handover
• Inter Frequency Handover
• Inter-RAT Handover

O Soft-Handover é o que mantém a portadora, possibilitando a transição suave do


móvel e sua conexão simultânea com mais de um canal durante o procedimento. Já no
Inter Frequency Handover ocorre a mudança de portadora, ou seja, a transição é
brusca devido à mudança da sintonia. O Inter-RAT Handover refere-se a todas as trocas
de canal onde há mudança de tecnologia, por exemplo, no caso de um celular UMTS
passar para uma célula GSM. A sigla RAT significa Radio Access Technology.

Dentre as possibilidades de Soft-Handover são listadas algumas abaixo:

• Intra Node-B – troca de canal dentro do mesmo Node-B.


• Inter Node-B, Intra RNC – troca de Node-B, mantendo-se o RNC (Radio Network
Controller).
• Inter RNC – troca de RNC.

Neste tutorial iremos estudar o Intra Node-B Soft Handover.

Disparo do Handover

Quando o móvel UMTS está realizando um serviço, envia freqüentemente para o


sistema mensagens de “Measurement Report”. Essas mensagens carregam as
informações das medidas de qualidade do sinal do Node-B servidor e dos Node-Bs
vizinhos que o móvel efetuou durante um período. Neste tutorial não iremos detalhar
as várias razões que podem levar o móvel 3G a enviar uma “Measurement Report”.
Apenas para conhecimento geral, existem quatro razões:

• Periodicamente de acordo com o que foi configurado (250 mseg a 64 seg).


• Quando o número de medidas atingir um valor configurado.
• Quando o número de medidas de cada categoria de célula atingir um valor
configurado.
• Quando ocorre um evento definido pela UTRAN – existem em torno de 15
eventos definidos nas normas UMTS.

_______________________________________________________________________________________
Copyright © CEDET – Centro de Desenvolvimento Profissional e Tecnológico 2
Este conteúdo é de propriedade do CEDET e pode ser utilizado livremente desde
que citados o autor e o site do CEDET (www.cedet.com.br).
Centro de
Desenvolvimento
Profissional e Tecnológico

Quando a rede recebe uma “Measurment Report”, lê as informações dos campos, os


quais vão auxiliar na avaliação de qual é a real situação da recepção do móvel 3G e
portanto, pode-se avaliar se o serviço prestado está dentro da qualidade esperada.

Se as informações da “Measurement Report” mostrarem que o sinal servidor está


bom, o RNC provavelmente optará por manter a entrega do serviço como está.
Entretanto, se o sinal estiver ruim ou um sinal de outro Node-B estiver muito melhor, o
RNC pode optar por realizar um Handover, ou seja, uma troca de canal.

Na figura acima, ilustramos um caso onde o RNC decide por realizar o Handover a partir
da análise das informações da mensagem “Measurement Report” recebida e, neste
caso, dizemos que o Handover foi disparado.

Vamos ainda supor que a decisão do RNC é por um Soft-Handover que ocorrerá dentro
do Node-B. Desta forma, o móvel trocará de canal, mas permanecerá no Node-B e no
RNC.

_______________________________________________________________________________________
Copyright © CEDET – Centro de Desenvolvimento Profissional e Tecnológico 3
Este conteúdo é de propriedade do CEDET e pode ser utilizado livremente desde
que citados o autor e o site do CEDET (www.cedet.com.br).
Centro de
Desenvolvimento
Profissional e Tecnológico

Efetivação do Handover
Depois de decidida a necessidade da realização de um Handover pelo RNC, deve-se
alocar um novo canal na interface aérea para o UE (User Equipment). O RNC envia uma
mensagem “Radio Link Addition Request” para o Node-B para que este aloque um
canal de tráfego para o UE que fará o Handover. O Node-B ao receber a mensagem,
realiza a alocação e responde com uma “Radio Link Addition Response”, indicando ao
RNC que está tudo pronto.

No passo seguinte, o RNC monta e envia, para o móvel, uma mensagem “Active Set
Update” do protocolo RRC (Radio Resourse Control) indicando ao menos a adição do
novo canal alocado para o Handover. Esta mensagem indica para o móvel o conjunto
de sinais ativos que ele deve capturar na sua recepção utilizando o Rake Receiver. A
mensagem “Active Set Update” pode ser utilizada tanto para adicionar como dispensar
um canal à recepção do UE.

Depois de processar a mensagem e proceder com a adição ou dispensa de algum canal,


o móvel deve enviar para a rede uma mensagem “Active Set Update Complete”. Isto
_______________________________________________________________________________________
Copyright © CEDET – Centro de Desenvolvimento Profissional e Tecnológico 4
Este conteúdo é de propriedade do CEDET e pode ser utilizado livremente desde
que citados o autor e o site do CEDET (www.cedet.com.br).
Centro de
Desenvolvimento
Profissional e Tecnológico

confirma que o Handover foi executado com sucesso. No caso de uma dispensa de
canal, o RNC, ao receber a confirmação de efetivação do UE, deve desativar o canal
dispensado na interface aérea. Por isso, às vezes, são trocadas as mensagens “Radio
Link Deletion Request” e “Radio Link Deletion Response” entre RNC e Node-B.

O procedimento de Inter Node-B Soft-Handover termina aqui. Entretanto, neste


tutorial é interessante ao menos falar um pouco do Rake Receiver.

Rake Receiver

O Rake Receiver é o receptor UMTS utilizado para capturar mais de um canal


(diversidade) durante o processo de Soft-Handover. Como mencionado, o Soft-
Handover mantém a portadora durante o processo, e de fato, a diferenciação dos
canais dentro do mesmo Node-B ou entre Node-Bs diferentes é feita apenas pelos
códigos de embaralhamento (seqüências PN) e canalização (OVSF – Orthogonal
Variable Spreading Factor). Desta forma, como os canais em diversidade são enviados
para o móvel na mesma freqüência, mas com códigos diferentes, o receptor pode

_______________________________________________________________________________________
Copyright © CEDET – Centro de Desenvolvimento Profissional e Tecnológico 5
Este conteúdo é de propriedade do CEDET e pode ser utilizado livremente desde
que citados o autor e o site do CEDET (www.cedet.com.br).
Centro de
Desenvolvimento
Profissional e Tecnológico

demodular o sinal de RF e manter derivações de decodificação W-CDMA (“fingers”)


simultâneas no processamento digital do sinal. A figura abaixo ilustra esta situação.

Note ainda que na figura, foi destacado o fato de que, os “fingers” podem tanto
decodificar sinais de Node-Bs diferentes, como multi-percursos de um mesmo sinal.

Considerações Finais

Neste rápido tutorial, procuramos explicar o procedimento de Intra Node-B Soft-


Handover da tecnologia UMTS. Apresentamos o fluxo de mensagens e aproveitamos
para fazer um rápido resumo sobre o Rake Receiver. É importante notar que um estudo
aprofundado do que foi apresentado seria muito extenso para um tutorial, e portanto,
para quem quiser algo mais detalhado, muitas dúvidas surgirão. Entretanto, este texto
é um bom começo e pretendemos aos poucos, ir colocando informações
complementares em outros tutoriais e no verbetes da seção “O que é...” do nosso site
(www.cedet.com.br).

Autor: Dr. César Kyn d´Ávila


Última atualização em 09/01/2009

Copyright © CEDET – Centro de Desenvolvimento Profissional e Tecnológico


Este conteúdo pode ser utilizado livremente desde que citados o autor e o site do
CEDET (www.cedet.com.br).

_______________________________________________________________________________________
Copyright © CEDET – Centro de Desenvolvimento Profissional e Tecnológico 6
Este conteúdo é de propriedade do CEDET e pode ser utilizado livremente desde
que citados o autor e o site do CEDET (www.cedet.com.br).