Você está na página 1de 1

XIV Encontro Nacional de Ensino de Química (XIV ENEQ) EX

A importância de aulas práticas no ensino de química para melhor


compreensão e abstração de conceitos químicos.
André L. Marques¹ (PQ), *Aline J. V. Alves¹ (IC), Ana Flávia G. M. da Silva¹ (IC), Lorraine M.
Morais¹ (IC), Pâmella G. Guimarães¹ (IC), Jocas ta M. Lima¹ (IC), Fernanda B. Ribeiro¹ (IC),
Leidimar A. M. Santos¹ (IC), Eliziane S. Medeiros¹ (IC), Vânia A. Franco ¹ (IC).
alinenyna10@yahoo.com.br

¹ Instituto Luterano de Ensino Superior - ULBRA, Av. Beira Rio, 1001 Bairro Nova Aurora, Itumbiara-GO.
Palavras Chave: Ensino, aulas práticas.

Introdução O docente iniciou a aula expositiva


explanando o conceito de solubilidade, utilizando
Sabe-se que os alunos possuem grande como recursos, livros didáticos. Foi notado o
dificuldade de abstrair conceitos passados em sala de desinteresse dos alunos pela a aula, e a dificuldade
aula, impossibilitando dessa forma uma relação de aprendizado, já que a maioria dos alunos não
destes conceitos com seu dia -a-dia. A aula prática é conseguiu abstrair o conteúdo, não fazendo relação
uma sugestão de estratégia de ensino que pode com seu cotidiano.
contribuir para melhoria na aprendizagem de Na aula seguinte, os alunos foram levados
Química1 . Pois, além dos experimentos facilitarem a ao laboratório de química do Instituto Luterano de
compreensão do conteúdo, tornam as aulas mais Ensino Superior de Itumbiara (ILES/ULBRA), com o
dinâmicas, tendo assim uma aprendizagem mais intuito de realizar os experimentos do conteúdo
significativa. ministrado anteriormente. Os alunos se dividiram
Diante disso, desenvolveu-se um trabalho em quatro grupos e cada um deles ocupou uma
para comprovar a eficiência de aulas práticas, bancada. Foi entregue o roteiro da aula contendo os
aplicando o mesmo conteúdo primeiramente de procedimentos que os alunos teriam que fazer. Tais
forma teórica e posteriormente no laboratório. procedimentos eram simples e de fácil
Sendo o assunto da aula Solubilidade,
compreensão, nos quais os alunos puderam
deduziu-se que os alunos entenderiam melhor os perceber os diferentes graus de solubilidade entre
conceitos, se eles próprios fizessem as soluções e as substâncias, bem como os fatores que
comprovassem através dos experimentos os fatores influenciam os mesmos.
que afetam o Grau de Solubilidade, do que apenas Percebeu-se o senso investigativo dos
ser explicado através de livros e aulas expositivas, alunos, que se mostraram durante toda a aula
pois “a experimentação pode proporcionar interessados e curiosos. Os alunos fizeram o
momentos de reelaboração do conhecimento, relatório da aula de experimentação, contendo o
possibilitando o contato do aluno com os fenômenos ocorrido em cada experimento e entregaram ao
químicos e, a partir desses fenômenos, conseguir docente.
criar modelos explicativos com base em suas Analisando a ficha de exercícios entregue
observações, seu sistema lógico e na sua após a primeira aula e o relatório entregue após a
linguagem.” ² aula prática, notou-se um maior rendimento na
È importante que o professor sempre faça segunda, pois muitos conceitos não entendidos com
uma relação entre a teoria e a prática, visando o a explicação teórica ficaram claros após o
ensino contextualizado e a aprendizagem reflexiva experimento.
dos alunos.
Conclusões
Metodologia Com essa experiência, reforça-se a
Durante o Estágio Supervisionado em importância de aplicação de aulas práticas, visando
Química, realizado em um colégio da rede pública a melhoria do processo de ensino-aprendizagem.
em Itumbiara – Go, o docente ministrou a aula sobre
Solubilidade aos alunos do 2º ano do Ensino Médio, Agradecimentos
em duas etapas: Primeiro na sala de aula de forma Ao Instituto Luterano de Ensino Superior de
teórica, usando livros, e aplicou-se exercícios como Itumbiara por ter disponibilizado o Laboratório de
método avaliativo e posteriormente os alunos foram Química e ter fornecido os reagentes.
levados ao laboratório, realizando experimentos ________________________________________
sobre o mesmo conteúdo. Ao término dos
1
experimentos foi pedido que os alunos fizessem um NASCIMENTO, S. S.; VENTURA, P. C. S. Física e Química :
uma avaliação do ensino. Presença Pedagógica, v. 9, n. 49, p.
relatório explicando o que ocorreu em cada 21 - 33, jan/fev. 2003.
experimento. 2
SÃO PAULO. Proposta Curricular par a o ensino de Química:
2° grau. 3ªed, 1992.
Resultados e Discussão
UFPR – 21 a 24 de julho de 2008