Você está na página 1de 5

Panes no tensor acabam com a corrente

de comando se tornando um grande


problema
O perfeito funcionamento do motor é assegurado pelo sincronismo de abertura e fechamento das
válvulas de admissão e escape

Por Paulo José de Sousa


Seg, 15 de Abril de 2013 - 3:00

O perfeito funcionamento do motor é assegurado pelo sincronismo de


abertura e fechamento das válvulas de admissão e escape, nos
motores de duplo comando de válvulas –DOHC ou comando simples
– OHC. O elemento que liga o virabrequim ao(s) comando(s) de
válvulas é uma corrente, que por sua vez pode ser de roletes ou de
chapas. No funcionamento normal do motor cada uma apresenta uma
característica, por exemplo, a corrente de roletes tem como
particularidade ser mais ruidosa, coisa que é comum.

Outros problemas podem decorrer da folga na corrente de comando,


ex: ruído no motor, flutuação no sincronismo, motor fora de ponto,
baixo desempenho e consumo alto de combustível. A situação tende
a se complicar com o passar do tempo, caso não haja ajuste na folga
e como consequência ocorrerá uma ação destruidora no motor, o
pistão poderá atropelar uma ou mais válvulas do cabeçote durante o
seu movimento.

Característica dos componentes - As peças apresentam uma vida


útil longa, porém depois de muitos quilômetros rodados a corrente e
as engrenagens do comando e do virabrequim já indicam desgastes
que nem sempre são perceptíveis aos olhos. Nas motocicletas que
não são submetidas à manutenção preventiva, os componentes irão
durar bem menos.
Independente da quilometragem na motocicleta, quando há ruído de
corrente batendo, a solução normalmente apresenta duas
alternativas: ajuste da folga ou a substituição da(s) peça(s)
defeituosa(s). Mesmo em motocicletas novas com baixa
quilometragem, o tensor pode ser o responsável pela falta de ajuste
que provocará o ruído na corrente de comando.

O correto é que o componente mantenha a corrente mais esticada


possível, porém há casos de engripamento do mecanismo, fadiga na
mola espiral do acionador do tensor, falha na catraca, ou até quebra
da peça. Todos os defeitos descritos permitem que o êmbolo do
tensor retorne a uma posição inicial e a corrente fique frouxa. Assim
ocorrerá a batida.

Causas mais comuns que interferem diretamente na durabilidade


do conjunto:

Falha na especificação e período de troca do óleo do motor;


Falha no mecanismo de ajuste automático da tensão da corrente de comando;
Falha no procedimento de ajuste manual da tensão da corrente de comando
(alguns modelos);
Falha no mecanismo de ajuste manual da tensão da corrente de comando
(alguns modelos);
Para algumas motocicletas de média e alta cilindrada o ajuste da tensão da
corrente é hidráulico e a ação do tensor depende da pressão do óleo do motor;
Pane na bomba de óleo do motor;
Nível do lubrificante abaixo do especificado;
Entupimento nos circuitos do óleo.

DICA
Em motocicletas muito rodadas ou que circularam com pouco
lubrificante no motor, avalie o desgaste no conjunto: corrente,
engrenagens, guias da corrente e tensionador. Substitua o conjunto
completo, de modo geral o desgaste nas engrenagens será
imperceptível, se a troca for parcial a batida de corrente pode voltar
muito em breve.

O ajuste da tensão da corrente de comando não será necessário para


os modelos que utilizam tensor automático, caso haja algum barulho
de corrente avalie todos os sistemas conforme descrição.

Alguns reparadores optam por substituir o tensionador original ( mola


espiral) de alguns modelos de motocicletas por tensionadores de
catraca ( foto), por serem mais duráveis.

Procedimento de ajuste manual da folga da corrente de comando -


Suzuki Intruder 125. (sistema mecânico) De acordo com o manual de
serviços do modelo, a corrente de comando deve ser ajustada
inicialmente a cada 1000km e posteriormente a cada 3000km.

PASSOS PARA O AJUSTE:


Remova: tampas de inspeção “A” e “B”; (Foto 1 e Foto 2)

Gire o motor no sentido horário (chave “L” 14mm ) até o pistão atingir o ponto
morto superior – PMS, verifique se a marca do rotor esta alinhada com a
referência da carcaça ;
Solte a contraporca “1” no ajustador e em seguida solte o parafuso de ajuste “2”
(fenda);
Aperte o parafuso “2” (fenda) e em seguida a contraporca “1”, não deixe o
parafuso girar. (Foto 3)

Para remover o tensionador:Fotos 4, 5 e 6.

Nota: Se a corrente de comando ainda apresentar ruídos depois de


ajustada, desmonte o ajustador e verifique se não está engripado. Se
o ajustador estiver funcionando normalmente é provável que o limite
de uso dos componentes tenha sido atingido. Avalie a condição dos
seguintes componentes: corrente, guia e engrenagens (conforme fig.)
Se necessário, substitua as peças.

CONCLUSÃO
A motocicleta avaliada estava com baixa quilometragem (980 km),
porém apresentava ruído de corrente de comando batendo. Após
procedimento padrão de ajuste, o ruído de folga permaneceu,
indicando um possível engripamento do tensor, por isso foi
necessária a remoção do dispositivo para análise.