Você está na página 1de 6

ESTUDO DIRIGIDO – SAUDE DA MULHER

GINECOLOGIA E OBSTETRICIA

 COMPREENDENDO A GRAVIDEZ

- Quais os sinais e sintomas de uma gravidez? Sonolencia, cansaço, enjoo, cefaleia e cólicas

- Como calcular a DPP? Uma gestação dura em média 280 dias

DUM – data da ultima menstruação


Soma 07 no dia da DUM, e diminui 03 ou aumenta 07 no mês da DUM, o
DUM – 20 / 11 / 2017 ano é o atual

+07 / -03 ou + 09 / repete

27 / 08 / 2017 Se a somatória dos dias pular de um mes para o outro, tem que diminuir
02 ou aumentar 10 no mês da DUM, tudo de acordo com o mês, se tem 30
DUM – 25 / 11 / 2017
ou 31 dias
+07 / -02 ou + 10 / repete

02 / 09 / 2018

- Como calcular a semana gestacional?

Idade gestacional que se encontra a gestante


MÊS DIAS
(HOJE) 11 10
falta 10 dias para
DUM – 20/11/2017
acabar o mês
HOJE – 23/02/2018 12 31
01 31
02 23
Passaram somente
23 dias do mes
Total 95 dias

Divide o total por 07 pois tem 07 dias na semana – 95 / 7 = 13


A idade gestacional é de 13 semanas e 04 dias semanas e 04 dias

 DURANTE A GRAVIDEZ OCORRE ALTERAÇÕES ANATOMICAS E FISIOLOGICAS

HORMONAIS

- A PROGESTERONA causa alterações

DIGESTIVAS: Nauseas, azia e constipação intestinal

URINARIAS: Infecção urinaria, incontinência e polaciúria

VASCULARES: Lentidão no retorno venoso, dilatação das veias respiratórias; dispneia – a gestante deve dormir em
decúbito lateral esquerdo devido a localização da veia cava

AUMENTO DA GORDURA CORPORAL: Absorção do impacto, proteção contra choques, isolante térmico, energia. A
gordura está concentrada em: ABDOMEN, COXA, QUADRIL

- O ESTROGENIO é responsável por:

RETENÇÃO DE LIQUIDOS: Edemas (inchaço)


ARTICULAÇÕES MAIS FLEXIVEL: Dores nas articulações e entorses

PREPARAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE LEITE: Dor e aumento da mama

AUMENTO DO UTERO: Adaptação ao crescimento do bebe

CARDIOVASCULARES

AUMENTO DO VOLUME DE SANGUE: Para suprir as necessidades do bebe, aumento de peso da gestante, diminuição
dos glóbulos vermelhos, fragilidade aos exercícios físicos, cansaço e mal estar, aumento dos batimentos do coração,
dilatação das veias + aumento de peso + dificuldade no retorno sanguíneo – VARISES, VARICOSES E INCHAÇO

RESPIRATORIAS

Aumento da frequência respiratória, provoca cansaço, o útero empurra o diafragma para cima

DIGESTORIAS

Vomito, enjoo, azia e constipação intestinal

URINARIAS

Infecção urinaria, polaciúria e urgência miccional

MUSCULOESQUELETICAS

ALTERAÇÃO DO CENTRO DE GRAVIDADE: Modificações do equilíbrio do corpo e alterações da coluna

FROUXIDÃO LIGAMENTAR: Provoca desconfortos e entorses, dores – distanciamento do reto abdominal (Diastase)

CAIMBRAS: Nas pernas – soleo e gastrocnemio

Dores lombares e cervicais também podem ocorrer durante a gravidez

CUTANEAS

AUMENTO DA PIGMENTAÇÃO: Manchas na pele (Axila, virilhas, linha alba e mamilos)

DISTENÇÃO DA PELE: Estrias em nadegas, abdômen e mamas; pelos, cabelos e unhas aumentadas; glândulas
sudoríparas e sebáceas mais ativas

PSICOLOGICAS

As mulheres ficam mais sensíveis durante a gravidez

 MUDANÇAS FISICAS E FISIOLOGICAS DO TRABALHO DE PARTO

Contrações (porção superior ou fundo do útero), dilatação do útero – 10cm, rompimento de membrana fibrosa, dor – as
dores fracas vao se tornando ais intensas e com menor intervalo, perda do tampão mucoso (membrana que protege o
bebe de bactérias – fica no colo do útero)

Posição cefálica (encaixado) – o bebe so esta encaixado quando alcança a cervix

 ESTAGIOS DO TRABALHO DE PARTO – FISIOTEPEUTA ATUA NO ESTAGIO 01

1º ROMPIMENTO DO TAMPÃO MUCOSO: Rompimento de membrana, inicio das contrações uterinas (leves, curtas, de
baixa intensidade) dilatação de 0 a 10 cm, evolução da contração – Ocitocina, prostaglandina, relaxina e cortisol fetal – a
fase 1 termina com a dilatação completa e passagem do bebe pela cervix
2º CHEGADA DO BEBE AO CANAL VAGINAL: Dor intensa, contração, dilatação da vagina, contrações (intensas,
duradouras e sem intervalo) – fase rápida, curta, duração de poucos minutos, a fase termina com o nascimento do bebe

3ª DESPRENDIMENTO E SAIDA DA PLACENTA: Contrações leves, sem dor – uma placenta tirada forçada pode causar
hemorragia

- EPISIOTOMIA: Evita a laceração (rasgar), é feito na posição MÉDIO LATERAL, para evitar o lesionamento de força. A
episiotomia mediana pode causar incontinência urinaria e fecal, pois atinge o centro de força, que fica na região entre o
anus e vulva (vagina)

 INTERVENÇÃO DO PRÉ-PARTO

1º Explicar á gestante todos os sinais e sintomas que estão acontecendo

2º Ginastica / mobilização pélvica na bola – quanto mais, melhor, pode ser feito também os kickings na bola, para
diminuir dores e tensões

3º Caminhar com a gestante / dançar

4º Terapia manual (massagem) – deslizamento e fricção espalmadas nas regiões dolorosas, massagear lombar e coluna

T10 – L1 / S2 – S4 Raízes nervosas, diminui as dores

5º TENS: Alivia dores, eletrodos de T1 a L1 e S2 e S4

Não pode usar eletroterapia durante a gravidez, somente o TENS no trabalho de parto

Frequência ALTA: 100 a 200 Hz

Largura de pulso: 50 a 100 m/s

Sem tempo definido

6º Respiração e força de expulsão – Respiração lenta e profunda, concentração na respiração

Ensinar força expulsiva, força de evacuação - inspiração máxima, apneia e força intratecal junto com a contração

TIPOS DE MAMILO: Plano, protuso ou normal, invertido ou retraído

DERMATOLOGIA

 FASES DE REPARAÇÃO CUTANEA

1ª FASE INFLAMATÓRIA: Em média 72 horas – numa primeira etapa: vasodilatação, liberação de substancias vasoativas
e presença de plasma que coagula delimitando o processo (Agregação plaquetaria, sinais cardinais da inflamação,
CICATRIZ ÚMIDA – liberação de plasma)

2ª FASE DE LATENCIA: Substancias denominadas fatores de crescimento (cininas – responsáveis pela organização
celualr) atuam na fase de proliferação celular, até o sexto dia – fechamento de dentro para fora, intensa proliferação
celular.

3ª FASE FIBROPLASTIA: Desenvolve a formação de tecido de granulação através dos macrófagos, fibroblastos e novos
vasos

4ª FASE CONTRAÇÃO: Produz a aproximação das bordas da lesão, contribuindo para o fechamento da mesma. Tem
inicio entre o 7º e o 10º dia de lesão

 PROCESSOS DE CICATRIZAÇÃO
- CICATRIZAÇÃO DE 1ª INTENÇÃO: Vai ocorrer o processo de cicatrização respeitando as fases de reparação cutânea
dentro do que é fisiológico

- CICATRIZAÇÃO DE 2ª INTENÇÃO: Vai ocorrer a cicatrização mediante o auxílio de uma intervenção (não cicatriza
sozinho – precisa de ponto, remédios, pomadas)

- CICATRIZAÇÃO DE 3ª INTENÇÃO: É necessária uma intervenção de maior extensão sobre a área lesada (enxertos
cutâneos)

 FATORES QUE AFETAM A CICATRIZAÇÃO

- Exposição solar – pode deixar a cicatriz hipertrófica ou queloide

- Roupas fechadas – Tira a ventilação, área fica úmida

- Suprimento sanguíneo inadequado – isquemia

- Infecção e irritação persistente

- Nível nutricional e idade – quanto maior a idade, maior o tempo de cicatrização

- Edemas – quanto mais edema, maior o tempo de cicatrização (tracionamento da cicatriz)

- Administração de drogas – medicamentos somente conforme a necessidade

- Espessura cutânea – quanto mais grossa a pele, maior o tempo de cicatrização

- Direção das linhas de fenda

- Qualidade das suturas

 TIPOS DE CICATRIZES

- HIPERTROFICA: Regride, limite da lesão, coloração de pele normal, é indolor quando cicatrizada

- QUELOIDEANA: Definitiva; além do limite da lesão; vermelho escura, rosado ou esbranquiçada; sensação de
queimação ou ferroada.

- ATROFICA: Deprimida ou depressiva, definitiva, não chega a superfície da lesão, coloração normal ou esbranquiçada,
sensibilidade normal ou diminuída / ausente – falta de tecido ou descontinuidade em grandes lesões

- NORMOTROFICA: Cicatrização dentro do esperado, união das bordas e nivelação das células na superfície, coloração
normal e sensibilidade normal – sem fibrose

 COMPLICAÇOES CICATRICIAIS

- FIBROSE: Acumulo de tecido fibroso/conjuntivo, em forma de nódulo ou em placa, que vai ser identificado através da
palpação com aspecto de um tecido rígido

- ADERENCIA: Caracterizado pela diminuição ou perda da mobilidade tecidual, onde a cicatriz esta aderida ao tecido
subjacente (abaixo ou ao redor), identificado pela palpação

- RETRAÇÃO: Ocorre um trancionamento da pele que se encontra ao redor da área lesada, no sentido do centro da
cicatriz (da lateral para o centro), observado através da inspeção

- NECROSE: Caracterizado por morte celular em que o tecido vai se apresentar com aspecto de cor negra, preta ou
acinzentada, pode ser observada pela inspeção – A área necrosada não permite que a lesão cicatrize, é necessário a
remoção dessa área

 LOCAIS PROPENSOS A MÁ CICATRIZAÇÃO


- TRONCO: Médio-esternal e deltoideana, tireoide e traqueostomia

- MAMA: Submamária

- ABDOME: Incisões mediana, supra e subumbilicais

- FACE: Lesões na pele

TRATAMENTOS

 MASSOTERAPIA (RTM): Fricção, pinçamento, pinça com rotação da prega, rolamento, mobilização transversa e
deslizamento.
 ELETROTERAPIA

- LASER: Baixa potencia 630 – 670nm, 1 a 7J/cm², auxilia na cicatrização, controle da dor e reduz o hematoma

Contra-indicações: Sobre pontos, alterações de sensibilidade, quadros infecciosos, implantes metálicos, área cardíaca,
útero gravídico, áreas irritadas e tumores

Fase aguda: potência 1 a 3J/cm² – Subaguda: 4 a 5 J/cm² - Crônica: 6 a 7J/cm²

Ponto a ponto e depois varredura

- COMPRESSA FRIA: 30 minutos

- ALTA FREQUENCIA: Indicado para feridas abertas do tipo escara, ação antibactericida e fungicida

- VENTOSATERAPIA: Indicada após a retirada dos pontos – cicatrizes tardias

- MENS (Microcorrente):

Aplicação superficial – pele, músculos e tendões: Frequência 100 a 200Hz com intensidade de 80 a 100 microampères –
diferencia-se dos outros porque é assintomático e tem dose programada

Aplicação profunda: Frequência 600 a 1000Hz com intensidade de 80 a 100 microampères - Especificamente o neurodin
estetic modulara para aplicações profundas de 200 a 500Hz

- ULTRA-SOM: 0,1 a 1,5w/cm², pulsado nas primeiras 72horas de pós-operatório e continuo em caso de fibrose
cicatricial

Fonoforese: Utilização de um ativo junto com o gel – antinflamatorios escaflan, calêndula 1 a 5%

Vasodilatador: Arnica 2 a 10%, bétula 1 a 10%

AGUDO SUBAGUDO CRONICO (pulsado) CRONICO (continuo)


CABEÇOTE 3mHz 3mHz 3mHz 3mHz
FREQUENCIA 100Hz 48Hz 48Hz 0Hz
antinflamatorio reparação reparação Redução das
complicações
% ATENUAÇÃO 5% 10% 20% -
POTENCIA 0,1 a 0,5 W/cm² 0,6 a 0,9 W/cm² 1,0 a 1,2 W/cm² 1,3 a 1,5 W/cm²
TEMPO 2min/10cm² 2min/10cm² 2min/10cm² 2min/10cm²
Tem efeito térmico

Contra-indicações: Todos os modos - Feridas abertas, sobre pontos, cicatriz com crosta. Modo continuo - alteração de
sensibilidade, quadros infecciosos, implantes metálicos, área cardíaca, útero gravídico, sobre áreas irritadas ou com
alergias, tumores.

Fazer o cálculo da área de aplicação


- CORRENTE GALVANICA: Aplica-se a solução iotoforetica sobre a área a ser tratada com eletrodos em placa recoberto
pela esponja umedecida, é uma corrente CONTINUA – em quadros agudos com alteração de sensibilidade NÃO UTILIZAR

Iontoforese: exemplos – oxido de zinco 2% (polo +) cicatrizante, própolis 10% (polo +) antisséptica e cicatrizante,
aminoácido (polo +) queratinização da pele.

Galvanização – somente o efeito da corrente

Ionização ou iontoforese – corrente galvânica + o ativo

Polo NEGATIVO próximo da área a ser tratada, negativo PRETO, positivo VERMELHO.

Dose é submáxima, a esponja tem que ser molhada com o ativo de acordo com a polaridade do ativo e o outro com
agua.

- DIADINAMICA (Pulsada): usada somente DF ou MF

Difásica fixa (DF): estimula a cicatrização, aumenta o metabolismo e a circulação – 3 a 4 min (fase subaguda)

Monofásica fixa (MF): Desfibrozante, diminui as complicações - 3 a 4 min (fase tardia)

MESMA APLICAÇÃO DA CORRENTE GALVANICA

- CORRENTES POLARIZADAS - MENS, GALVANICA E DIADINAMICA – JAMAIS APLICAR EM AREAS COM ALTERAÇÃO DE
SENSIBILIDADE.

Você também pode gostar