Você está na página 1de 8

O COMÉGAM foi construído por Jeanne Richer e colaboradores e adaptado para o ensino de instrumentos musicais

por Malinalli Garcia e Francis Dubé. Tradução para do português por Marco A. Toledo Nascimento.

Richer et al. 2004. «Outil d’évaluation de la métacognition: processus de validation et utilisation à des fins pédagogiques». Dans Pensée et réflexivité:
théories et pratiques, sous la dir. de R. Pallascio, M. F. Daniel et L. Lafortune, 73-106. Québec: Presses de l’Université du Québec.

Malinalli Peral Garcia et Francis Dubé, «Stratégies pédagogiques visant le développement des habiletés métacognitives du musicien en formation afin
d’optimiser l’efficacité de ses pratiques instrumentales», La Revue musicale OICRM, vol. 1, n°1, mis en ligne le 1er Novembre 2012.
COMÉGAM
Questionário sobre o conhecimento metacognitivo e sobre a gestão dos processos mentais adaptado
para o ensino instrumental

Concordo totalmente
Discordo totalmente
Questão

Concordo
Discordo
ENUNCIADOS

1 Eu conheço as estratégias que me ajudam a ensinar bem. x


Em sua opinião quais são as três principais estratégias que lhe ajudam, atualmente, a ensinar bem?
Estratégia 1: Conhecimento teórico atualizado
Por que esta estratégia lhe ajuda a ensinar bem? R: Ter domínio sobre a teoria do assunto a ser ensinado
me dá condições de perceber os níveis alcançados pelos alunos e a atualização me possibilita rever ou
adaptar o ensino para que seja melhor entendido.
Estratégia 2: Entendimento do ambiente/realidade
Por que esta estratégia lhe ajuda a ensinar bem? Entender o contexto onde está inserido o público é um
fator importante principalmente em tempos atuais. Entender a situação social, possibilitar adaptação e
construir vínculos fazem a diferença em qualquer iniciativa de aprendizado.
Estratégia 3: Consciência do papel a ser realizado
Por que esta estratégia lhe ajuda a ensinar bem? Diante das demandas, dificuldades e desafios é
necessário ter sempre em mente a motivação primeira e o papel que é preciso ser desempenhado no
contexto educacional. Quanto mais clara e fortalecida é essa consciência mais empenho e superação é
conseguido nesta seara.

Eu posso indicar os meus pontos fortes dentro de um ponto de vista x


2
pedagógico e que me ajudam a ensinar melhor.
Em sua opinião, quais são os seus três pontos fortes que lhe ajudam, atualmente, a ensinar melhor?
Ponto forte 1: Experiência
1
O COMÉGAM foi construído por Jeanne Richer e colaboradores e adaptado para o ensino de instrumentos musicais
por Malinalli Garcia e Francis Dubé. Tradução para do português por Marco A. Toledo Nascimento.

Richer et al. 2004. «Outil d’évaluation de la métacognition: processus de validation et utilisation à des fins pédagogiques». Dans Pensée et réflexivité:
théories et pratiques, sous la dir. de R. Pallascio, M. F. Daniel et L. Lafortune, 73-106. Québec: Presses de l’Université du Québec.

Malinalli Peral Garcia et Francis Dubé, «Stratégies pédagogiques visant le développement des habiletés métacognitives du musicien en formation afin
d’optimiser l’efficacité de ses pratiques instrumentales», La Revue musicale OICRM, vol. 1, n°1, mis en ligne le 1er Novembre 2012.
Por que este é um ponto forte? A experiência consegue encurtar distâncias e prever situações onde
sejam necessárias maior atenção, mas vale entender que quando não bem usada a experiência pode
levar ao comodismo.
Ponto forte 2: Empatia
Por que este é um ponto forte? Entender que você faz parte do processo e que já esteve no mesmo lugar
apenas peça distãncia do tempo ajuda a melhor motivar e criar vínculos que são combustíveis para o
aprendizado
Ponto forte 3: Autocrítica
Por que este é um ponto forte? Diante das dificuldades do ensino e da tentação do comodismo a
autocrítica é um ponto que deve ser sempre fortalecido para que gere atualização, inovação e
consequentemente melhores resultados

Concordo totalmente
Discordo totalmente
Questão

Concordo
ENUNCIADOS Discordo

No início de minhas aulas eu organizo as informações que eu possuo x


3 sobre os aspectos a serem trabalhados com o estudante que podem
me ajudar lhe ensinar bem.
4 Quando eu ensino uma lição eu descubro meus erros pedagógicos. x
Você poderia mencionar três situações ou abordagens que você utiliza com mais frequentemente para
descobrir seus erros pedagógicos durante uma aula?

1. Avaliação junto aos alunos

2. Perceber se tenho outras alternativas/planos/ferramentas para ensinar o mesmo conteúdo

3. Troca de informações/estratégias com outros professores

5 Eu sei reconhecer minhas principais fraquezas como professor. x

2
O COMÉGAM foi construído por Jeanne Richer e colaboradores e adaptado para o ensino de instrumentos musicais
por Malinalli Garcia e Francis Dubé. Tradução para do português por Marco A. Toledo Nascimento.

Richer et al. 2004. «Outil d’évaluation de la métacognition: processus de validation et utilisation à des fins pédagogiques». Dans Pensée et réflexivité:
théories et pratiques, sous la dir. de R. Pallascio, M. F. Daniel et L. Lafortune, 73-106. Québec: Presses de l’Université du Québec.

Malinalli Peral Garcia et Francis Dubé, «Stratégies pédagogiques visant le développement des habiletés métacognitives du musicien en formation afin
d’optimiser l’efficacité de ses pratiques instrumentales», La Revue musicale OICRM, vol. 1, n°1, mis en ligne le 1er Novembre 2012.
Atualmente para você, quais são as suas três principais fraquezas na atuação como professor?

Fraqueza 1: Conciliação de tempo


Por que isso é uma fraqueza? Devido a algumas demandas profissionais/pessoais e por que minha área
de atuação no momento não é por dedicação exclusiva tenho tido dificuldades para equacionar essas
realidades.
Fraqueza 2: Ferramentas motiviacionais
Por que isso é uma fraqueza? Percebo que o meu público tem necessidades motivacionais cada vez
mais específicas e por isso preciso entendê-las melhor para que minha fala possa ter penetração no
cotidiano deles.
Fraqueza 3: Estrutura
Por que isso é uma fraqueza? Onde atuo com o ensino de música tenho muitas demandas estruturais
que vão das mais básicas (cadeiaras, quadros...) até as mais específicas (acesso a inernet, instrumentos
musicais...) o que acaba fazendo da improvisação uma constabte perigosa e frustante.
6 Durantes as minhas aulas, eu monitoro a qualidade de meu ensino. x

Concordo totalmente
Discordo totalmente
Questão

Concordo
Discordo

ENUNCIADOS

Eu posso citar estratégias eficazes que me permitem fazer meus x


7
estudantes progredirem de forma eficaz.
Quais são as três estratégias que você considera, atualmente, como as mais eficazes para um progresso
eficaz de seus estudantes?

Estratégia 1: Proximidade no discurso


Por que isso é eficaz? Me esforço para entender o universo onde estão iunseridos os alunos para que não
aja um hiato entre professor e aluno.

3
O COMÉGAM foi construído por Jeanne Richer e colaboradores e adaptado para o ensino de instrumentos musicais
por Malinalli Garcia e Francis Dubé. Tradução para do português por Marco A. Toledo Nascimento.

Richer et al. 2004. «Outil d’évaluation de la métacognition: processus de validation et utilisation à des fins pédagogiques». Dans Pensée et réflexivité:
théories et pratiques, sous la dir. de R. Pallascio, M. F. Daniel et L. Lafortune, 73-106. Québec: Presses de l’Université du Québec.

Malinalli Peral Garcia et Francis Dubé, «Stratégies pédagogiques visant le développement des habiletés métacognitives du musicien en formation afin
d’optimiser l’efficacité de ses pratiques instrumentales», La Revue musicale OICRM, vol. 1, n°1, mis en ligne le 1er Novembre 2012.
Estratégia 2: Pesquisa de ferramentas tecnólogicas
Por que isso é eficaz? Estou sempre propondo e pesquisando ferramentas tecnólogicas que potencializem
o ensino musical bem como exibindo vídeos sobre assuntos dos conteúdos abordados.

Estratégia 3: Formação continuada


Por que isso é eficaz? Me coloco sempre à procura de mais formações, cursos livres e trocas com outros
professores para que eu possa melhorar como profissional e ter mais subsídios para contribuir com o
progresso do ensino em relação aos alunos.

Eu sei reconhecer durante as minhas aulas o tipo de tarefa que eu realizo x


8
facilmente com o estudante.
Atualmente, quais são as três tarefas mais fáceis ensinadas por você.

Tarefa 1: Nome das notas na partitura

Tarefa 2: Percepção rítimca

Tarefa 3: Jogos musicais

Você teria uma explicação a respeito deste assunto? Entendo que são atividades iniciais do ensino que eu
uso e pela experiência que tenho sempre uso muitas variações e possibilidades em propor estas
atividades sempre visando o fazer musical e o entendimento por parte dos alunos.

Quando eu não consigo ajustar uma dificuldade do aluno utilizando x


9
certas estratégias, eu utilizo uma outra.
Antes de começar uma lição, eu faço um levantamento dos aspectos e x
10
das formas para melhorar o trabalho com o estudante.

4
O COMÉGAM foi construído por Jeanne Richer e colaboradores e adaptado para o ensino de instrumentos musicais
por Malinalli Garcia e Francis Dubé. Tradução para do português por Marco A. Toledo Nascimento.

Richer et al. 2004. «Outil d’évaluation de la métacognition: processus de validation et utilisation à des fins pédagogiques». Dans Pensée et réflexivité:
théories et pratiques, sous la dir. de R. Pallascio, M. F. Daniel et L. Lafortune, 73-106. Québec: Presses de l’Université du Québec.

Malinalli Peral Garcia et Francis Dubé, «Stratégies pédagogiques visant le développement des habiletés métacognitives du musicien en formation afin
d’optimiser l’efficacité de ses pratiques instrumentales», La Revue musicale OICRM, vol. 1, n°1, mis en ligne le 1er Novembre 2012.

Concordo totalmente
Discordo totalmente
Questão

Concordo
Discordo
ENUNCIADOS

11 Durante minha aula eu me certifico que o estudante compreende o que ele deve fazer. x
Quais são as três principais estratégias ou abordagens que você utiliza para assegurar que o estudante
compreende o que ele deve fazer?

Estratégia ou abordagem 1: Perguntas individuais sempre com níveis crescentes de dificuldade

Estratégia ou abordagem 2: Desafios para a turma

Estratégia ou abordagem 3: Propor sempre a perfomance do que foi aprendido

12 Eu conheço as estratégias mais eficazes para melhor ensinar. x


Antes de começar uma aula eu avalio a extensão dos aspectos a serem trabalhados com x
13
o estudante.
Eu posso reconhecer as minhas dificuldades em relação a outros professores que x
14
ensinam o meu instrumento.
Durante as aulas, se eu constato que eu posso utilizar algum artifício que transforme a x
15
aula mais eficaz, eu modifico as minhas ações.
Eu reconheço as tarefas pedagógicas que necessitam de uma preparação mais x
16
elaborada.

Se eu não consigo ajustar uma dificuldade do estudante, eu recomeço procurando x


17
outras maneiras para fazê-lo.
18 Eu me interrogo sobre a minha forma de ensinar quando eu ministro uma aula. x
Quando eu devo trabalhar um aspecto particular com o estudante (técnica, x
19
musicalidade, memorização, etc.), eu reúno as informações disponíveis sobre o tema.
Quando eu trabalho um aspecto particular com o estudante, eu tento reconhecer os x
20
meus erros.
21 Eu conheço certas estratégias que podem ajudar os professores de instrumento a x
5
O COMÉGAM foi construído por Jeanne Richer e colaboradores e adaptado para o ensino de instrumentos musicais
por Malinalli Garcia e Francis Dubé. Tradução para do português por Marco A. Toledo Nascimento.

Richer et al. 2004. «Outil d’évaluation de la métacognition: processus de validation et utilisation à des fins pédagogiques». Dans Pensée et réflexivité:
théories et pratiques, sous la dir. de R. Pallascio, M. F. Daniel et L. Lafortune, 73-106. Québec: Presses de l’Université du Québec.

Malinalli Peral Garcia et Francis Dubé, «Stratégies pédagogiques visant le développement des habiletés métacognitives du musicien en formation afin
d’optimiser l’efficacité de ses pratiques instrumentales», La Revue musicale OICRM, vol. 1, n°1, mis en ligne le 1er Novembre 2012.

ensinar diferentes aspectos da prática instrumental.


22 Eu faço ajustes em minhas formas de ensinar quando eu constato ineficácia. x
Sou capaz de reconhecer o nível de dificuldade dos aspectos que irei ensinar em x
23
minhas lições.
Se uma forma de se fazer não produz os resultados previstos, eu tento descobrir outras x
24
maneiras.
25 Sou capaz de reconhecer minhas qualidades em relação aos outros professores. x
26 Durante de minha aula, eu paro para me perguntar se eu estou indo na direção certa. x
27 Eu posso reconhecer aspectos para se ensinar que são mais fáceis do que outros. x
28 Eu conheço as minhas principais qualidades como professor. x
Eu sou capaz de listar atividades de minhas aulas que demandam abordagens mais x
29
exigentes sob o plano pedagógico.
Quando eu não atinjo meu objetivo com o estudante, eu avalio o que funcionou ou o x
30
que não funcionou em minha forma de ensinar.
31 Eu posso listar as diferentes formas de ensinar as peças aos estudantes. x
32 Eu posso listar ao estudante diferentes formas de se trabalhar o mesmo aspecto. x
33 Antes de começar uma lição eu examino o material que a ser utilizado. x
34 Eu sou capaz de listas os pontos fortes que me ajudam a melhor ensinar. x
Eu poço listar os principais aspectos de minhas lições que demandam mais x
35
concentração do que outros para o estudante.
Para você, quais são os três principais aspectos de uma lição que demandam mais concentração do
estudante?

Aspecto 1: Entendimento teórico


Por que isso exige concentração? Propor ao aluno o mapeamento das dificuldades teóricas que a
lição apresenta
Aspecto 2: Entendimento técnico
Por que isso exige concentração? Propor ao aluno o cuidado com as demandas técnicas que a lição
apresenta para que ela bem seja executada e diante destas propor estudos técnicos específicos
Aspecto 3: Entendimento artístico
Por que isso exige concentração? Propor ao aluno sempre a atenção ao fazer musical e artístico para
que a lição por mais simples que seja sempre encarada como arte.

36 Antes de começar uma lição eu determino o que eu vou fazer com os estudantes. x

6
O COMÉGAM foi construído por Jeanne Richer e colaboradores e adaptado para o ensino de instrumentos musicais
por Malinalli Garcia e Francis Dubé. Tradução para do português por Marco A. Toledo Nascimento.

Richer et al. 2004. «Outil d’évaluation de la métacognition: processus de validation et utilisation à des fins pédagogiques». Dans Pensée et réflexivité:
théories et pratiques, sous la dir. de R. Pallascio, M. F. Daniel et L. Lafortune, 73-106. Québec: Presses de l’Université du Québec.

Malinalli Peral Garcia et Francis Dubé, «Stratégies pédagogiques visant le développement des habiletés métacognitives du musicien en formation afin
d’optimiser l’efficacité de ses pratiques instrumentales», La Revue musicale OICRM, vol. 1, n°1, mis en ligne le 1er Novembre 2012.

Nome: Alessandro Ribeiro de Brito

Qual o seu instrumento principal: Clarineta

Sua idade: 45 anos

Há quantos anos você estuda o seu instrumento principal? 28 anos

Há quantos anos você ensina o seu instrumento? 8 anos

Você tem alguma formação pedagógica em música: SIM( x ) Não ( )


 Se sim, indique o título de seu diploma: Licenciatura em Eduação Artística – Habilitação
em Música (UNIRIO)
Onde você ensina o seu instrumento? (Indique com X)
 Escola da Rede Básica de Ensino: ( ) pública ( ) privada
 Escola de Música/Conservatório: ( x )
 Projeto social: ( x )
 Em casa: ( )
 Outro : ( ) (onde?)________________________

Você segue algum programa de formação específica para ensinar aos seus estudantes?

SIM ( x ) NÃO ( )

Se sim, qual? Ensino Coletivo

Quantos estudantes você tem atualmente? 15 alunos (antes da Pandemia)

Indique o número de estudantes de acordo com os anos de experiência na aprendizagem do


instrumento que eles possuem.
 0 a 3 anos de experiência: 12
 4 a 7 anos de experiência: 3
 Mas de 7 anos de experiência: ______

7
O COMÉGAM foi construído por Jeanne Richer e colaboradores e adaptado para o ensino de instrumentos musicais
por Malinalli Garcia e Francis Dubé. Tradução para do português por Marco A. Toledo Nascimento.

Richer et al. 2004. «Outil d’évaluation de la métacognition: processus de validation et utilisation à des fins pédagogiques». Dans Pensée et réflexivité:
théories et pratiques, sous la dir. de R. Pallascio, M. F. Daniel et L. Lafortune, 73-106. Québec: Presses de l’Université du Québec.

Malinalli Peral Garcia et Francis Dubé, «Stratégies pédagogiques visant le développement des habiletés métacognitives du musicien en formation afin
d’optimiser l’efficacité de ses pratiques instrumentales», La Revue musicale OICRM, vol. 1, n°1, mis en ligne le 1er Novembre 2012.
Informe a idade de seus estudantes? Entre 8 e 17 anos

Qual é a média de idade de seus estudantes? 12 anos (somar todas as idades e dividir pelo
número de estudantes)