Você está na página 1de 21

MEIOSE

Fonte: HTTP://BIT.LY/1WYECZI. Acessado em 09.06.2017

Meiose é o processo onde uma célula-mãe origina quatro células-filhas, onde


cada uma apresenta a metade do número de cromossomos da mesma, ou seja,
o número de cromossomos reduz à metade (produzindo, a partir de células
diplóides, células haplóides). É observado em células germinativas (originam
gametas).

1. OCORRÊNCIA
Nos animais, ocorre durante a gametogênese, para formar as células
reprodutoras: óvulos e espermatozoides. Já nos vegetais, ocorre durante a
formação dos esporos, que também são células responsáveis pela reprodução.

2. IMPORTÂNCIA

a) REDUÇÃO DO NÚMERO DE CROMOSSOMOS: Se Durante a meiose não


ocorresse a redução numérica dos cromossomos, as células reprodutoras
seriam diplóides (2n) e, pela união, de duas delas através da fecundação,
resultaria um indivíduo tetraploide (4n) na primeira geração. Depois disso, a

1
cada nova geração, o número de cromossomos duplicaria nas células
somáticas do indivíduo.

b) RECOMBINAÇÃO GÊNICA: Na meiose, pode ocorrer a permutação entre


segmentos de cromossomos – crossing -over – que possibilita o aumento da
variabilidade das características hereditárias entre os indivíduos da mesma
espécie.

3. MEIOSE – DIVISÕES
A meiose compreende duas divisões sucessivas:

3.1.Meiose I ou Reducional
Uma célula diplóide origina das células haplóides, reduzindo o número de
cromossomos à metade.

3.2.Meiose II ou Equacional
Esta divisão semelhante à mitose é necessária para que cada uma das
células haplóides formadas na meiose I origine duas outras, porém com o
mesmo número de cromossomos. Isso é possível porque o material genético
havia sido duplicado antes do início de todo o processo (na interfase).

4. FASES DA MEIOSE

4.1. Meiose I
Está dividida nas seguintes fases:
PRÓFASE I: É uma fase longa e está dividida em cinco etapas:
➢ Leptóteno (lepto = fino): Nessa etapa são observados os seguintes
fenômenos:
• Inicia-se a espiralização dos filamentos do material genético (DNA), apenas
em certos pontos específicos, resultando em grânulos denominados
cromômeros (cromos = cor; meros = parte), que absorvem mais corante que
as regiões não condensadas.

2
• Os centríolos (centro celular) já duplicados começam a migrar para os pólos
opostos no interior da célula.

➢ Zigóteno (zigo = união): Pareamento dos cromossomos homólogos.


Esse emparelhamento é chamado sinapse cromossômica.

➢ Paquíteno (paqui = grosso): Completa-se o emparelhamento dos


cromossomos homólogos que atingem um grau maior de condensação,
os cromômeros não são mais visíveis. Pode-se observar agora os
cromossomos, e que esses estão realmente duplicados e com as
cromátides-irmãs unidas pelo centrômero. Nesta etapa ocorre o
crossing-over (permutação).

3
Cada par de homólogos, duplicados e perfeitamente emparelhados, recebe
o nome de tétrade ou bivalente. O nome tétrade (tetra = quatro) é dado porque
o conjunto é formado por quatro cromátides. O termo bivalente (bi = dois) ressalta
o fato de haver dois cromossomos emparelhados. Os termos são equivalentes.

➢ Diplóteno (diplo = duplo): Os cromossomos se condensam ainda mais


e começam a se afastar um do outro. Isso permite ver mais claramente
que estão realmente duplicados. Nesta etapa, é possível observar os
quiasmas, pontos de união entre cromossomos que sofreram
permutação.

A característica mais marcante do diplóteno é que os


cromossomos, ainda emparelhados, cruzam-se em certos
pontos chamados quiasmas (qui, em grego é a letra X), em
que a cromátide de um cromossomo está colocada sobre o seu
homólogo.
A explicação para os quiasmas é a seguinte: durante o
paquíteno ocorrem quebras simultâneas, em pontos
equivalentes, nas cromátides homólogas emparelhadas. O
material cromossômico tem grande tendência de se soldar, e
muitas vezes essa soldadura ocorre em posição trocada, isto
é, cada cromátide acaba por se soldar com sua homóloga e
vice-versa.
Todo esse processo é conhecido como crossing-over ou
permutação gênica e é responsável pela variabilidade
4 Assim,
genética que existe entre os seres da mesma espécie.
por exemplo, podemos ser parecidos com nossos irmãos, mas
não somos iguais, apesar de as informações genéticas serem
do mesmo pai e da mesma mãe.
➢ Diacinese (dia = através; cinese = movimento): Nessa fase

• Ocorre a terminalização dos quiasmas, isto é, as cromátides vão


escorregando para as extremidades cromossômicas, afastando-se
uma da outra. Os cromossomos homólogos, no entanto, só irão se
separar completamente na anáfase I.
• Os centríolos atingem os pólos celulares.
• A carioteca se desintegra.
• As fibras do fuso ocupam a região central da célula.
• Os nucléolos desaparecem.

4.2. Metáfase I
Nessa fase:
• As fibras que se formam nos cromossomos ligam-se a fibras do fuso
acromático. Entretanto, cada cromossomo duplicado está ligado a fibras
de um único pólo celular (lembres-se que na mitose cada cromossomo
está ligado a fibras de ambos os pólos).
• Os cromossomos se encontram na região central da célula, formando a
placa equatorial.

5
4.3. Anáfase I

Nessa fase ocorre o encurtamento das fibras do fuso e a migração dos


cromossomos homólogos para os pólos opostos.

Fica a dica!
É importante notar a diferença com a anáfase da mitose, quando os
centrômeros se rompem, permitindo a separação das cromátides-irmãs para
os pólos opostos.

6
4.4. Telófase I
Nessa fase:
• Os cromossomos se descondensam nos pólos da célula, originando dois
núcleos.
• As cariotecas se reorganizam.
• Os nucléolos reaparecem.
• O fuso acromático, não tendo mais função, desorganiza-se.
• Ocorre a divisão citoplasmática (citocinese).

Surge, assim, duas células, cada uma com a metade dos cromossomos
que havia na célula-mãe. Cada cromossomo, entretanto, está constituído por
duas cromátides, uma vez que não houve divisão dos centrômeros.
Fica a dica!
A INTERCINESE: Ao final da divisão I, após o curto intervalo denominado
intercinese, cada uma das células formadas iniciará a divisão II. Não haverá,
porém, duplicação dos cromossomos, pois cada um deles já está constituído por
duas cromátides.

5. MEIOSE II
A segunda divisão é bem mais simples e rápida do que a primeira, sendo
muito semelhante a uma divisão mitótica, porém ocorre, ao mesmo tempo, nas
duas células resultantes da meiose I. Deve-se lembrar também que estas duas
células já são haplóides.

5.1.Prófase II
Nessa fase:
• Os centríolos das células formadas na divisão I duplicaram-se ainda no
final da telófase I. Agora, na prófase II, eles iniciam sua migração para os
pólos opostos, originando o fuso acromático em cada uma das duas
células.

7
• Os cromossomos iniciam sua condensação.
• Os nucléolos vão progressivamente desaparecendo.
• No final dessa fase, a carioteca se desintegra.

5.2.Metáfase II
Nessa fase:
• Os cromossomos ficam livres na região equatorial da célula.
• Cada cromossomo, constituído por duas cromátides, forma fibras em seu
centrômero, as quais se ligam a fibras do fuso provenientes de ambos os
pólos celulares.

5.3. Anáfase II
Nessa fase:
As fibras do fuso tracionam as cromátides-irmãs de cada cromossomo
para os pólos opostos. Os centrômeros se rompem e os cromossomos-irmãos
(ou cromátides-irmãs) se afastam, migrando para os pólos opostos.

8
5.4.Telófase II
Nessa fase:
• Ao chegar aos pólos das células, cada grupo de cromossomo começará
a ser envolvido por uma carioteca.
• Os cromossomos descondensam-se e os nucléolos reaparecem,
terminando assim a cariocinese (divisão do núcleo).
• Cada uma das células sofre divisão citoplasmática (citocinese),
originando quatro células haplóides.

A meiose está então terminada.

9
DESENVOLVENDO COMPETÊNCIAS
1. (Fuvest) A figura abaixo representa uma célula diploide e as células
resultantes de sua divisão.

Nesse processo,

a) houve um único período de síntese de DNA, seguido de uma única divisão


celular.
b) houve um único período de síntese de DNA, seguido de duas divisões
celulares.
c) houve dois períodos de síntese de DNA, seguidos de duas divisões celulares.
d) não pode ter ocorrido permutação cromossômica.
e) a quantidade de DNA das células filhas permaneceu igual à da célula mãe.

2. (G1 – cftmg) Os gráficos a seguir representam processos de divisão celular,


em que X é o número haploide de material genético.

10
E incorreto afirmar que o processo

a) I permite o crescimento de plantas.


b) II ocorre nos testículos e ovários.
c) I pode ocorrer em hemácias maduras.
d) II está ligado à variabilidade genética.

3. (Unemat) Uma célula animal, diploide, com 20 pares de cromossomos, vai


passar pelo processo de divisão celular chamado meiose.
Assinale a alternativa que corresponde corretamente à fase da meiose com os
números de cromossomos desta célula.

a) Na fase Paquíteno, a célula terá 80 cromossomos.


b) Na fase Metáfase I, a célula terá 20 cromossomos.
c) Na fase Anáfase I, a célula terá 20 cromossomos.
d) Na fase Anáfase II, a célula terá 40 cromossomos.
e) Na fase Telófase II, após a citocinese, a célula terá 20 cromossomos.

4. (Ebmsp 2017) A divisão celular assegura a formação das células reprodutivas,


o crescimento dos indivíduos da fase zigótica até a fase adulta e a substituição
de células senescentes.

Sobre os processos de divisão celular e a formação de gametas, é correto


afirmar:
a) Na mitose, ocorre o pareamento dos cromossomos homólogos e sua posterior
separação com migração para polos opostos.
b) A meiose I é caracterizada pelo pareamento cromossômico com a separação
de cromátides irmãs.
c) A divisão celular observada na meiose I é equacional e, na meiose II é
reducional.

11
d) Na espermatogênese, parte do complexo golgiense das espermátides
acumula enzimas digestivas formando o acrossomo, estrutura presente na
cabeça dos espermatozoides.
e) Na ovulogênese, cada ovogônia passa pelas duas divisões meióticas,
originando quatro células reprodutivas funcionais.

5. (Enem) Quando adquirimos frutas no comércio, observamos com mais


frequência frutas sem ou com poucas sementes. Essas frutas têm grande apelo
comercial e são preferidas por uma parcela cada vez maior da população. Em
plantas que normalmente são diploides, isto é, apresentam dois cromossomos
de cada par, uma das maneiras de produzir frutas sem sementes é gerar plantas
com uma ploidia diferente de dois, geralmente triploide. Uma das técnicas de
produção dessas plantas triploides é a geração de uma planta tetraploide (com
4 conjuntos de cromossomos), que produz gametas diploides e promove a
reprodução dessa planta com uma planta diploide normal.

A planta triploide oriunda desse cruzamento apresentará uma grande dificuldade


de gerar gametas viáveis, pois como a segregação dos cromossomos
homólogos na meiose I é aleatória e independente, espera-se que

a) os gametas gerados sejam diploides.


b) as cromátides irmãs sejam separadas ao final desse evento.
c) o número de cromossomos encontrados no gameta seja 23.
d) um cromossomo de cada par seja direcionado para uma célula filha.
e) um gameta raramente terá o número correto de cromossomos da espécie.

6. (Ufsm) Nativas ou exóticas, espécies de animais e plantas são responsáveis


pela grande diversidade biológica no Brasil. Um dos principais eventos que
permitem o aumento da variabilidade genética em uma espécie é

a) o processo de reprodução assexuada.

12
b) a seleção natural, em que os indivíduos que possuem maior variabilidade se
estabelecem.
c) a seleção artificial realizada pelo homem.
d) a ocorrência de permuta genética durante a meiose.
e) a clonagem de indivíduos que possuem combinações genéticas de caráter
adaptativo.

7. (Ufrgs 2011) A coluna da esquerda, abaixo, apresenta diferentes fases da


meiose; a da direita, as fontes de variabilidade genética de duas dessas fases.
Associe adequadamente a coluna da direita à da esquerda.

A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é


a) 1 e 2
b) 2 e 3
c) 3 e 4
d) 4 e 5
e) 5 e 1

8. (Ufsm 2013) Ao observar a produção de vinho em uma vinícola, um grupo de


turistas percebeu que vários tipos de uvas eram utilizados para fazer o vinho.
Esses tipos ocorrem devido também à reprodução sexuada.
A divisão celular meiótica garante o aumento da variabilidade genética através
do(a)
a) pareamento dos cromossomos homólogos durante a prófase I.
b) terminalização dos quiasmas na diacinese.

13
c) permuta que ocorre entre cromátides não irmãs no paquíteno.
d) formação das tétrades na telófase II.
e) formação do complexo sinaptonêmico no zigóteno.

9. (UFPA) Os óvulos e espermatozoides são formados a partir de um processo


de divisão celular, no qual uma célula diplóide origina
a) quatro outras células, cada uma com o mesmo número de cromossomos da
célula inicial.
b) duas outras células, cada uma com o mesmo número de cromossomos da
célula inicial.
c) quatro outras células, cada uma com metade do número de cromossomos da
célula inicial.
d) duas outras células, cada uma com metade do número de cromossomos da
célula inicial.
e) duas outras células, cada uma com o dobro do número de cromossomos da
célula inicial

10. (UFPA) A diversidade dos organismos que se reproduzem sexuadamente é,


em grande parte, resultado da recombinação gênica. Nos organismos
eucariontes, a recombinação gênica relaciona-se a dois fenômenos que ocorrem
durante a meiose, que são

a) seleção natural e translocação.


b) duplicação dos cromossomos homólogos e inversão.
c) segregação independente dos cromossomos e permutação.
d) conjugação diferencial dos genes e mutação.
e) poliploidia e oscilação gênica.

14
11. (Mackenzie 2017)

O esquema acima representa uma célula em metáfase II. Assinale a alternativa


correta.
a) Os cromossomos representados são homólogos.
b) A célula mãe era 2n  4.
c) O crossing over ocorre nessa etapa.
d) Esse tipo de divisão ocorre exclusivamente para a formação de gametas.
e) Há 4 cromossomos representados.

12. (Udesc 2012) Assinale a alternativa correta quanto à característica da


meiose.
a) Quando sofre mutações, estas são do tipo somáticas e induzem a célula à
apoptose.
b) Garante a manutenção das características genéticas ao longo dos anos.
c) Garante a variabilidade genética da espécie, através do crossing over.
d) Reduz as características genéticas do indivíduo pela metade, ou seja,
incompletas.
e) Reduz as características da célula, por isso requer uma nova duplicação do
material genético.

15
13. (Upf 2017) A figura abaixo representa duas células de um mesmo indivíduo
em processo de divisão celular.

Com base na figura, assinale a alternativa correta.


a) A célula A representa a anáfase mitótica, e a célula B, a anáfase II da meiose.
b) A célula A representa a anáfase I, e a célula B, a anáfase II, ambas da meiose.
c) Nessa espécie, o número diploide de cromossomos é oito.
d) O número de cromossomos no gameta masculino dessa espécie é quatro.
e) A célula A representa anáfase II, e a célula B, a anáfase I, ambas da meiose.

14. (Ucpel 2017) Geralmente, uma célula eucariótica não pode simplesmente
dividir-se em duas, porque apenas uma de suas células descendentes receberia
o núcleo e, consequentemente, o DNA. Assim, o citoplasma de uma célula
divide-se apenas depois que seu DNA é dividido em mais de um núcleo através
da mitose ou meiose.

Analise a lista de funções abaixo

I. Em todos os eucariotos pluricelulares é base para o aumento no tamanho do


corpo durante o crescimento.
II. Em organismos eucariotos pluricelulares é responsável pela reposição de
células mortas ou desgastadas.

16
III. Em eucariotos unicelulares e pluricelulares é a base da reprodução sexuada,
pois é responsável pelos processos pelos quais gametas e esporos sexuais
se formam.
IV. Em organismos unicelulares e muitos pluricelulares é responsável também
pelo processo de reprodução assexuada.

São características do mecanismo de mitose


a) apenas I e III.
b) apenas I e II.
c) apenas III e IV.
d) apenas II, III e IV.
e) apenas I, II e IV.

15. (Pucrj 2017) Sobre os processos de divisão celular (meiose e mitose),


verifica-se que:
a) na anáfase (mitose), ocorre a separação das cromátides irmãs, enquanto na
anáfase I (meiose) ocorre a separação dos cromossomos homólogos.
b) ao final do processo meiótico, uma célula de conjunto cromossômico 2n gera
duas células-filhas de conjunto cromossômico n.
c) ao final do processo mitótico, uma célula de conjunto cromossômico 2n gera
duas células-filhas de conjunto cromossômico n.
d) tanto a meiose quanto a mitose geram variação genética.
e) o crossing-over ocorre na metáfase I.

17
GABARITO COMENTADO

Resposta questão 1
A figura representa o processo de divisão celular denominado meiose. Para a
ocorrência da meiose há um período de duplicação do DNA, o período S da
interfase. Em seguida ocorrem duas divisões, gerando 4 células com a mesma
quantidade de material genético da célula-mãe.
Gabarito: b

Resposta questão 2

Hemáceas não possuem não possuem núcleo, por isso são incapazes de sofrer
divisão.
Gabarito: c

Resposta questão 3

Na fase de paquíteno, metáfase I e anáfase I, a célula em questão apresentará


20 pares de cromossomos homólogos (2n = 40). Porém, cada par de
cromossomos estará duplicado, havendo em cada conjunto quatro cromátides.
Em Anáfase II, já ocorreu a separação dos homólogos e cada célula terá 20
cromossomos duplicados (n = 20). Na fase de telófase II, após a citocinese, já
ocorreu a separação das cromátides irmãs de cada cromossomo, e a célula terá
20 cromossomos (n = 20).
Gabarito: e

Resposta da questão 4

Os cromossomos homólogos são pareados e separados na meiose I, as


cromátides-irmãs se separam na meiose II e mitose. A meiose I é reducional e a
meiose II equacional. Os acrossomos, que recobrem a região anterior dos
espermatozoides, originam-se do complexo de Golgi das espermátides e contêm
enzimas necessárias para que o espermatozoide penetre na membrana no
óvulo. As ovogônias se originam de sucessivas mitoses das células
germinativas, em seguida aumentam seu volume, ainda na vida intrauterina,

18
dando origem aos ovócitos primários.
Gabarito:d

Resposta questão 5

Em plantas diploides, os cromossomos homólogos na meiose dão origem a


gametas haploides, isto é, com a metade número de cromossomos da planta
diploide. Em uma planta triploide, após a meiose, ocorre a formação de gametas
com o número de cromossomos variável, por isso ela não possui a capacidade
de fecundação. Isso faz com que não ocorra a formação de sementes.
Gabarito: e

Resposta questão 6

A troca de parte do material genético durante a meiose 1, mais especificamente


na prófase 1, permite que diferentes combinações de nucleotídeos sejam
formadas, e por conseguinte novas estruturas criadas, gerando por fim novas
características.

Gabarito: d

Resposta questão 7

A permutação entre segmentos de cromossomos homólogos (crossing-over)


ocorre durante a Prófase I da meiose. A segregação independente dos
cromossomos homólogos ocorre durante a anáfase I.
Gabarito: a

Resposta questão 8

Durante a divisão celular meiótica ocorre a permuta entre cromátides internas de


cromossomos homólogos (não irmãs) durante o período denominado paquíteno
da prófase I.
Gabarito: c

19
Resposta questão 9

A formação de gametas é feita a partir do processo de meiose, que dividida entre


meiose reducional e equacional provoca o surgimento de quatro células com
metade do material genético da sua célula-mãe, permitindo assim o sucesso da
fecundação.

Gabarito: c

Resposta questão 10

A segregação independente e a permutação dos cromossomos permite uma


maior variabilidade genética entre as gerações, contribuindo assim para a
diversidade das espécies.
Gabarito: c

Resposta da questão 11

A figura mostra uma célula haploide com dois cromossomos distintos (N  2) em


metáfase II da meiose. Logo, a célula-mãe era diploide com dois pares de
cromossomos homólogos (2n  4).
Gabarito: b

Resposta da questão 12

A meiose é um tipo de divisão celular que envolve células germinativas que,


portanto um erro pode ser passado para a geração seguinte, havendo mutação
um erro pode criar novas características na população. Os gametas formados na
meiose contém metade das informações do individuo e após o encontro com
outro gameta restabelece as características da espécie no novo individuo
formado.
Gabarito: c

20
Resposta da questão 13

A célula A representa a anáfase mitótica, pois não há pareamento de


cromossomos homólogos e a separação é de cromátides-irmãs. A célula B
representa a anáfase II meiótica, pois há separação de cromátides-irmãs após
a separação dos cromossomos homólogos.
Gabarito: a

Resposta da questão 14

[I] Correta. A mitose, nos organismos eucariotos pluricelulares, é responsável


pelo crescimento do indivíduo, pois aumenta a quantidade de células e,
consequentemente, o tamanho do corpo.
[II] Correta. A mitose, nos organismos eucariotos pluricelulares, repõe células
mortas ou envelhecidas.
[III] Errada. A maioria dos organismos eucariotos unicelulares se reproduz
assexuadamente, por mitose, sem a formação de gametas; e, na maioria dos
organismos eucariotos pluricelulares, a meiose é a base para a reprodução
sexuada, com a formação de gametas e esporos.
[IV] Correta. A maioria dos organismos unicelulares se reproduz
assexuadamente, por mitose, enquanto que, em alguns organismos
pluricelulares, a mitose é responsável pela reprodução assexuada, como
brotamento ou propagação vegetativa.
Gabarito: e

Resposta da questão 15

Ao final do processo mitótico, uma célula de conjunto cromossômico 2n gera


duas células-filhas de conjunto cromossômico 2n. O crossing-over ocorre na
prófase I. Ao final do processo meiótico, uma célula de conjunto cromossômico
2n gera quatro células-filhas de conjunto cromossômico n. Somente a meiose

gera variação genética.


Gabarito: a

21

Você também pode gostar