Você está na página 1de 4

Noite com apresentações artísticas e lançamento de livros enriquece confraternização do

Enecult

Lançamento de livros, videomapping, boa música e acarajé. Foi um pouco do que rolou na
noite de sexta-feira (02), na programação do XV Encontro de Estudos Multidisciplinares em
Cultura (ENECULT), ocorrido na UFBA. O espaço abrigou os participantes durante a última
noite do evento, que de se estendeu até a tarde de sábado (03).

Durante a confraternização, iniciada às 17h na arena do prédio do IHAC - campus de


Ondina da UFBA, 27 publicações ligadas à área de Cultura foram lançadas. Entre elas,
encontram-se livros pertencentes à coleção CULT, por exemplo, organizada pelo Centro de
Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT) e outras publicações da Editora da UFBA
(Edufba).

Nesta ocasião, houve o lançamento de uma obra acadêmica que representa um importante
contribuição conceitual em torno das políticas culturais, produzido por Néstor García
Canclini. Com prefácio do Prof. Leonado Costa e editada pela Edufba, a obra acaba de ser
traduzida para o português e organizado pelos pesquisadores Renata Rocha e Juan
Brizuela. Constam no livro “Política cultural: conceito, trajetórias, reflexões” uma seleção de
outros artigos sugeridos por Cancline, além de uma variedade de ensaios analíticos de
pesquisadores com experiência no campo da Cultura como Alexandre Barbalho, Humberto
Cunha Filho, Isaura Botelho, Roberto Severino e Lia Calabre.

Confira as obras que foram lançadas:

Título do livro: Autor(es) ou Organizador(es):

1 A invenção da baianidade segundo as Agnes Mariano


letras de canções
2 A invenção da tradição: uma história sobre Francisco Antonio Nunes Neto
o culto festivo ao Senhor do Bonfim na
Bahia

3 A multidão (en)cantada: versos, vozes e Alexandre Carvalho Pitta


versões de Brasil em Lábaro estrelado

4 Administração Sem Fronteiras, volume 3 Alexandre Silva Santos, Ana Virginia


Gomes Di Tulio, Augisto Cardoso, Charles
Bruno Mendes Bulhões, Cláudio Lima
Oliveira Lordelo, Elisângela Julião
Cardoso, Francisco Salles Marques, Isac
Marques dos Santos Neto, Josefa Stela
da Fonseca, Luciano da Silva Conceção,
Marcelo Dias de Santiago, Marcos Hide,
Marília Barreto, Paulo César Marques de
Andrade Santos, Robson Vieira dos
Santos, Sandro Coelho Moreira Pinto e
Wiliam Reimão Machado Pinto.
5 Alvenarias cênicas: diálogo sobre as Francisco André Souza Lima
especialidades da engenharia teatral Franz Souza Magalhães
Thiago Carvalho de Sousa Correia
6 Artivismo das dissidências sexuais e de Leandro Colling
gênero
7 Cultura e Políticas Culturais Antonio Albino Canelas Rubim

8 Educação na Tradição Oral de Matriz Daniela Barros Pontes e Silva; Saulo


Africana: a constituição humana pela Pequeno Nogueira Florencio; Patrícia
transmissão oral de saberes tradicionais – Lima Martins Pederiva
um estudo histórico-cultural

9 Finos Trapos e Suas Dramaturgias de Francisco André Souza Lima e Frank


Sala de Ensaio: Um livro de Dramaturgias Souza Magalhães
Comentadas

10 Gestão Cultural Antonio Albino Canelas Rubim


11 Gestão cultural e diversidade: do pensar José Márcio Barros e Jocastra Holanda
ao agir Bezerra (org), José Oliveira Junior, Thiago
Alvim, Giordanna Santos, Renata Melo,
Jocastra Holanda Bezerra, Juan Ignacio
Brizuela, Mariana Angelis, Kátia Costa,
Luana Vilutis, Giuliana Kauark, Plínio
Rattes, Mariana de Barros Souza,
Sócrates Oliveira Júnior, Sheilla Piancó,
Diana Gebrim, Inti Anny Queiroz, Carlos
Vinícius Pereira Lacerda
12 Intersecções entre diplomacia cultural e Cristiane Marques de Oliveira
economia criativa: Cultura como recurso
estratégico de Soft Power no Brasil.

13 Luz, Camera, Ação e Pensamentos Maurício José Souza Amorim

14 Manual do Conselheiro de Política CulturalJoão Paulo Couto Santos

15 Marca lugar, comunicação e cultura Adriano Sampaio, Claudiane Carvalho,


Inês Martins, Lidiane Pinheiro
16 O belo contemporâneo: Corpo, moda e Renata Pitombo Cidreira (organizadora)
arte
17 O Universo do Luxo Renato Ortiz
18 Paisagens educativas do ensino de teatro Cilene Nascimento Canda e Célida
na Bahia: Saberes, experiências e Salume Mendonça
Formação de professores

19 Patrimônio Local, Desenvolvimento e Diogo Reyes da Costa Silva (org.);


Economia Criativa: Compartilhando Luciano Souza Simões; Ruy César Costa
Métodos e Reflexões. Silva; Daiane Fontes; Talita oliveira; Rô
Reyes e Patricia Santos Ribeiro.

20 Planos de Cultura Antonio Albino Canelas Rubim


21 Planos Municipais de Cultura: reflexões e José Marcio Barros, José de Oliveira
experiências Júnior, Ernani Coelho Neto, Horacio
Nelson Hastenreiter Filho, Eloise Helena
Livramento Dellagnelo, Helena Kuerten de
Salles, Rosimeri Carvalho da Silva,
Justina Tellechea, Kátia Costa, Marisa
Timm Sari, Mirian Regina Machado Ritzel,
Pawlo Cidade, Aloma Galeano, Maylla
Pita, Adriana Sampaio, Sérgio de
Azevedo, Helder José Souza do
Nascimento, Américo José Córdula
Teixeira, Maria Amelia Jundurian Corá,
Paulo Morais, Virgílio Cézar da Silva e
Oliveira e Rosa Coelho Costa
22 Política cultural: conceito, trajetórias, Renata Rocha e Juan Brizuela (Org.)
reflexões
Néstor García Canclini e outros

23 Políticas de Cultura nos Municípios da Rafael Aquino


Região Metropolitana de Belo Horizonte

24 Sistema Nacional de Cultura. Campo, Alexandre Barbalho


saber e poder
25 Teoria dos Direitos Culturais: fundamentos Francisco Humberto Cunha Filho
e finalidades

26 Trilogia do Armário: a encenação teatral Kauan Amora Nunes


como prática de liberdade no processo de
estilização da vida

27 Um lugar para os espaços culturais: Giuliana Kauark, Plinio Rattes e Nathalia


gestão, territórios, públicos e programação Leal(org.)

Luz, Som e Política


Foi nas paredes do prédios do IHAC que a turma coordenada pelo professor da UFBA,
Francisco Barreto, apresentou uma “produção de arte interativa que trata dos cortes das
verbas da universidades públicas”, como nos explica Priscila Rodrigues, do Bacharelado
Interdisciplinar em Artes. Em um desses trabalhos, resultado prático desenvolvido na
disciplina Arte e Interatividade, lecionada pelo professor Francisco, por exemplo, uma série
de publicações que tratam da produção acadêmica das universidades são trazidos para um
jogo interativo em que “aparece uma tela a foto do então presidente, Jair Bolsonaro, quando
você perde”, nos conta Priscila, sobre a intenção satírica da produção em que colabourou.

Sintetizadores interativos de áudio e outras experimentações visuais acrescentaram mais


elementos à experiência sensorial que integrou a programação.

Atração Musical

A banda Ofá (nome dado ao arco e flecha usado pelo Orixá Oxossi, divindade da cultura
yorubá) embalou a noite com um som bem marcante, trazendo referências musicais que
misturam jazz, música afrobaiana e elementos de rock progressivo. Com Luan Tavares, no
vocal e violão, Paulo Pita, no sax e João Paulo Rangel na bateria, as experimentações que
a banda propôs, explorou arranjos e narrativas do universo afro-diaspórico brasileiro, se
posicionando por meio da música, como nos conta a produtora Sabrina Fiuza, com a
intenção de “trazer essas reflexões para o cotidiano e propor reflexões necessárias pra
confrontar o preconceito que as pessoas possam ter com as religiões de matrizes afro”,
afirma.

Com letras autorais, a banda Ofá animou a audiência atenta à performance musical,
montada com poesia e improvisações. O grupo existe desde 2015 e, conforme Luan, tem
procurado aproximar sua produção sonora e seu discurso à ancestralidade negra: “a gente
precisa compreender como é importante conhecermos e valorizarmos a nossa
ancestralidade”, pontua. Por conta disso, segundo o vocalista e estudante de música da
UFBA, o processo criativo “envolve uma pesquisa estética das matrizes africanas, para
além da religião, apenas, posto que conhecer a ancestralidade é uma forma de entender
nossa história, particularmente diante do país racista em que vivemos”, demarca.

Ofá lançará um novo “EP” (segundo do grupo), ainda esse ano, por meio de um edital do
PIBExA - Programa Institucional de Experimentação Artística, da Universidade Federal da
Bahia, nos conta Sabrina. “Será uma produção que seguirá a linha de representar os orixás,
como forma de homenagem” conforme a produtora. A banda ainda terá participação na
mostra SESC de Música, em Setembro desse ano.

Você também pode gostar