Você está na página 1de 50
Pesquisa de Mercado Material de apoio: http://eduguadalupe.blogspot.com Currículo em Inglês:
Pesquisa de Mercado Material de apoio: http://eduguadalupe.blogspot.com Currículo em Inglês:

Pesquisa de Mercado

Pesquisa de Mercado Material de apoio: http://eduguadalupe.blogspot.com Currículo em Inglês:
Material de apoio:
Material de apoio:

http://eduguadalupe.blogspot.com

Currículo em Inglês:
Currículo em Inglês:

http://eduardoguadalupe.blogspot.com

Casa para vender:
Casa para vender:

http://casafloripa.blogspot.com

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

PLANEJAMENTO

Fases
Fases
1
1
Obtenção de Informação
Obtenção de Informação
2
2
Análise dos dados informações Diagnóstico (interno-externo) Prognóstico (previsões/antecipações)
Análise dos dados informações
Diagnóstico (interno-externo)
Prognóstico (previsões/antecipações)
3 Decisões Objetivos Estratégias Mercado Produto Preço Venda Distribuição 4 Planos de ação 5 Execução
3
Decisões
Objetivos
Estratégias
Mercado
Produto
Preço
Venda
Distribuição
4 Planos de ação
5 Execução e Controle
Base: I N F O R M A Ç Ã O
Mercado Produto Preço Venda Distribuição 4 Planos de ação 5 Execução e Controle Base: I N
O PROCESSO DE PLANEJAMENTO DE MARKETING E O FLUXO DE INFORMAÇÕES
O PROCESSO DE PLANEJAMENTO DE MARKETING E
O FLUXO DE INFORMAÇÕES

Informações

Internas

(Capacidades)

A1

A2

Formulação do Plano de Mkt

A3

A4

Informações

Externas

(Oportunidades,

Planejamento e Des. De Produto - Característica - Linha - Adição;Abandono

Estratégia de Preço

- Nível Básico

- Preço c/Var. Ativa

Estratégia de Canal - Estrutura - Cobertura

- Distrr.Física

Estratégia de Comunicação

- Venda Pessoal - Propaganda - Prom. Vendas - RP

Ameaças) Realimentação Formulação Realimentação Novas Oportunidades
Ameaças)
Realimentação
Formulação
Realimentação
Novas Oportunidades

E

x

e

c

u

ç

ã

o

B1

Realimenta-

ção

Avaliação B2
Avaliação
B2

Comportamento

do Consumidor e do Mercado

B3

B4

Realimentação

Avaliação

C

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
do Consumidor e do Mercado B3 B4 Realimentação Avaliação C Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
ELEMENTOS DO SISTEMA DE MARKETING DA EMPRESA E DO SEU MEIO AMBIENTE
ELEMENTOS DO SISTEMA DE MARKETING DA
EMPRESA E DO SEU MEIO AMBIENTE

Ambiente Tarefa

F

O

R

N

E

C

.

Recursos

-

-

-Tecnológicos

-

-

Humanos

Financeiros

Materiais

Outros

Mídia

Empresa

Decisões

-

-

-

-

Produto

Preço

Comunicação

Distribuição

Objetivos

I

n

t

e

r

m

e

d

i

a

r

i

o

M

e

r

c

a

d

o

Concorrência

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

Objetivos I n t e r m e d i a r i o M e
REDUÇÃO DO RISCO DA ADMINISTRAÇÃO
REDUÇÃO DO RISCO DA ADMINISTRAÇÃO
- Disponibilidade de Informações com Qualidade - Utilização Correta de Informações Para “Dominar Variáveis
- Disponibilidade de Informações com Qualidade
- Utilização Correta de Informações
Para
“Dominar Variáveis Externas e Internas”
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Informações Para “Dominar Variáveis Externas e Internas” Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

DADO X INFORMAÇÃO

Dado: “Observação Registrada que não afeta o comportamento”
Dado:
“Observação Registrada que não afeta o
comportamento”
Informação: “Dado que apresenta algum significado ou relevância e que afeta o comportamento” (dado trabalhado
Informação:
“Dado que apresenta algum significado ou
relevância e que afeta o comportamento”
(dado trabalhado transforma-se em
informação)
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
comportamento” (dado trabalhado transforma-se em informação) Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
NECESSIDADES DE INFORMAÇÃO DE MARKETING
NECESSIDADES DE INFORMAÇÃO DE MARKETING
Fatores condicionantes internos e externos
Fatores condicionantes internos e externos

1.Encurtamento de tempo no processo de tomada de decisões:

ciclo de vida de produtos mais curtos encurtamento do processo de criação e lançamento de produtos encurtamento dos períodos destinados a testes de produtos

2. Maior complexidade e maior amplitude do campo de ação de marketing:

intensificação da competitividade entre empresas concorrência extra-preço cada vez mais valorizada desenvolvimento de novos produtos e novos mercados necessidade de uso mais racional de recursos

3. Crescente insatisfação do consumidor com relação a ofertas:

consumidor mais exigente e com mais opções importante refinar conhecimentos sobre características do mercado preocupação em comunicar corretamente

4. Desenvolvimento das facilidades de criação e manipulação de bancos de dados

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
das facilidades de criação e manipulação de bancos de dados Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

IMPORTANTE

Lidar com informações é cada vez mais um exercício de PRÓ-AÇÃO do que REAÇÃO Administrar
Lidar com informações é cada vez mais um exercício de
PRÓ-AÇÃO do que REAÇÃO
Administrar com sucesso implica em se antecipar aos
acontecimentos
Processo de Planejamento em evolução não
só agir estrategicamente, mas também pensar
estrategicamente
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
só agir estrategicamente, mas também pensar estrategicamente Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
COMPONENTES DE UM S.I.M.
COMPONENTES DE UM S.I.M.
S.I.M Subsistema de Relatórios Internos Subsistema de Pesquisa de Marketing Subsistema Subsistema de
S.I.M
Subsistema de
Relatórios
Internos
Subsistema
de Pesquisa
de Marketing
Subsistema
Subsistema de
Inteligência de
Marketing
Analítico de
Marketing
Decisões & Comunicação de Marketing
Decisões & Comunicação de Marketing
de Marketing Decisões & Comunicação de Marketing Amb. de Marketing Mercado Alvo Canais de Marketing
Amb. de Marketing
Amb. de Marketing
Mercado Alvo Canais de Marketing Concorrentes Públicos Forças do Macroambiente
Mercado Alvo
Canais de
Marketing
Concorrentes
Públicos
Forças do
Macroambiente
Adm. de Marketing
Adm. de
Marketing
Análise Planejamento Implementação Controle
Análise
Planejamento
Implementação
Controle
de Marketing Análise Planejamento Implementação Controle Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
de Marketing Análise Planejamento Implementação Controle Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
de Marketing Análise Planejamento Implementação Controle Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
PROCESSO DE PESQUISA DE MARKETING (1) Definição do Problema de decisão 1 Dados secundários obtidos
PROCESSO DE PESQUISA DE MARKETING (1)
Definição do Problema de decisão
1
Dados secundários obtidos internamente
2
Dados secundários obtidos externamente
3
Experts
4
Dados primários

Importante: “Ao tomador de decisão de marketing cabe reconhecer uma situação de decisão em que a pesquisa marketing seja necessária”

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
seja necessária” Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com Requisitos: Bom senso e Racionalidade

Requisitos:

Bom senso e Racionalidade

seja necessária” Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com Requisitos: Bom senso e Racionalidade

PESQUISA COMO AUXÍLIO À DECISÃO

Requisito
Requisito
Processo de investigação solidamente assentado e organizado Projeto de Pesquisa
Processo de investigação
solidamente assentado e
organizado
Projeto de Pesquisa
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
solidamente assentado e organizado Projeto de Pesquisa Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Projeto de Pesquisa
Projeto de Pesquisa
É um planejamento de pesquisa realizado cientificamente com um padrão ou arcabouço específico para controlar
É um planejamento de pesquisa realizado
cientificamente com um padrão ou arcabouço
específico para controlar todo o processo de
pesquisa
Aplicação do “Método
Científico”
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
o processo de pesquisa Aplicação do “Método Científico” Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Método Científico
Método Científico
Pressupostos básicos: Objetividade do investigador Natureza contínua e exaustiva da investigação Precisão da
Pressupostos básicos:
Objetividade do investigador
Natureza contínua e exaustiva da
investigação
Precisão da medida
F
o
c
o
Redução da
Incerteza
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Precisão da medida F o c o Redução da Incerteza Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
CARACTERÍSTICAS CENTRAIS DO MÉTODO CIENTÍFICO
CARACTERÍSTICAS CENTRAIS DO MÉTODO
CIENTÍFICO
1. Validade: Refere-se à eficácia: Medir com eficácia o que se propõe medir Ex. Método
1. Validade:
Refere-se à eficácia:
Medir com eficácia o que se propõe medir
Ex. Método para medir audiência de TV usa o
índice de aparelhos ligados - VIÉS
2. Confiabilidade: É a característica de uma metodologia de pesquisa que permite repetir o processo
2. Confiabilidade:
É a característica de uma metodologia de
pesquisa que permite repetir o processo e
obter o mesmo resultado, por qualquer
outro pesquisador
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
e obter o mesmo resultado, por qualquer outro pesquisador Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

Redução da Incerteza

“Nenhum método consegue eliminar completamente a incerteza - no entanto - o método científico a
“Nenhum método consegue eliminar
completamente a incerteza - no entanto - o
método científico a reduz como nenhum outro”
Métodos para reduzir a incerteza:
Tenacidade
Autoridade
Intuição
Científico
Único aceito
pela ciência
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Autoridade Intuição Científico Único aceito pela ciência Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Seqüência Lógica do Método Científico
Seqüência Lógica do Método Científico
1. Percepção de um problema 2 . Isolamento e definição do problema 3 . Formulação
1. Percepção de um problema
2 . Isolamento e definição do problema
3 . Formulação de hipóteses
4 . Comprovação
5 . Aceitação da hipótese verdadeira
Conclusão
6 . Aplicação das conclusões a novas situações
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Conclusão 6 . Aplicação das conclusões a novas situações Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Classificação dos Projetos de Pesquisa
Classificação dos Projetos de Pesquisa
Pesquisas não conclusivas Estudos exploratórios Pesquisas conclusivas Estudos descritivos Estudos experimentais ou
Pesquisas não conclusivas
Estudos exploratórios
Pesquisas conclusivas
Estudos descritivos
Estudos experimentais ou de causalidade
Importante: O tipo de pesquisa influencia o método
Importante: O tipo de pesquisa influencia o
método
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
de causalidade Importante: O tipo de pesquisa influencia o método Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Estudos Exploratórios – Não Conclusivos
Estudos Exploratórios – Não Conclusivos
Propósito Principal “Fornecer subsídios ao pesquisador para uma melhor compreensão da situação-problema da
Propósito Principal
“Fornecer subsídios ao pesquisador para uma melhor
compreensão da situação-problema da pesquisa”
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
para uma melhor compreensão da situação-problema da pesquisa” Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Estudos Exploratórios
Estudos Exploratórios
Principais usos: - Facilitar a formulação de um Problema de Pesquisa - Identificar cursos alternativos
Principais usos:
-
Facilitar a formulação de um Problema de Pesquisa
-
Identificar cursos alternativos de ação
-
Subsidiar a formulação de hipóteses
-
Isolar
variáveis
e
relações-chave
para
exame
posterior
(Geração de indicadores e/ou de atributos)
-
Estabelecer prioridades para pesquisas posteriores
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
atributos) - Estabelecer prioridades para pesquisas posteriores Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Estudos Exploratórios
Estudos Exploratórios
Principais bases: - Literatura especializada - Análise de dados secundários - Entrevistas com pessoas informadas
Principais bases:
- Literatura especializada
- Análise de dados secundários
- Entrevistas com pessoas informadas
• Especialistas (Experts)
• Não Especialistas
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
informadas • Especialistas (Experts) • Não Especialistas Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Estudos Exploratórios
Estudos Exploratórios
Uso de dados secundários: - Internos - Externos Pesquisa Qualitativa - Processo Direto (Não simulado)
Uso de dados secundários:
- Internos
- Externos
Pesquisa Qualitativa
- Processo Direto (Não simulado)
- Processo Indireto (Simulado)
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
- Processo Direto (Não simulado) - Processo Indireto (Simulado) Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Estudos Exploratórios
Estudos Exploratórios
Pesquisa Qualitativa Processo Direto - Focus Group - Entrevista de Profundidade Processo Indireto - Emprego
Pesquisa Qualitativa
Processo Direto
- Focus Group
- Entrevista de Profundidade
Processo Indireto
- Emprego de Técnicas Projetivas
• Técnicas
de Associação
Frases
• Técnicas de Complemento Histórias
• Técnicas de Construção
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Técnicas de Complemento Histórias • Técnicas de Construção Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Estudos Conclusivos
Estudos Conclusivos
Propósito Principal: “ Os estudos conclusivos são concebidos para auxiliar o pesquisador na determinação,
Propósito Principal:
“ Os estudos conclusivos são concebidos para auxiliar o pesquisador
na determinação, avaliação e seleção de cursos de ação a serem
tomados em situações específicas”
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
de cursos de ação a serem tomados em situações específicas” Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Estudos Descritivos
Estudos Descritivos
Principais usos: - Descrever características de grupos relevantes (consumidores, vendedores, empresas, áreas de
Principais usos:
- Descrever
características
de
grupos
relevantes
(consumidores,
vendedores, empresas, áreas de mercado)
- Fazer
estimativas
percentuais
referentes
a
uma
determinada
população
- Determinar e descrever percepções, atitudes e opiniões, com base
em resoluções quantitativas
- Determinar e/ou medir graus de intensidade referentes a fenômenos
específicos (satisfação, lealdade, relacionamento)
- Fazer
previsões
específicas
(vendas, potencial de mercado,
comportamentos futuros)
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
(vendas, potencial de mercado, comportamentos futuros) Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

Estudos Experimentais

Usos:

“ Os estudos experimentais são utilizados sempre que o pesquisador desejar estabelecer relações causais em sua pesquisa.”

Importante:

O conceito de causalidade é complexo e tem significados diferentes para pessoas comuns e cientistas.

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
e tem significados diferentes para pessoas comuns e cientistas. Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

PESQUISAS DESCRITIVAS:

PRINCIPAIS MÉTODOS

As

podem ser

realizadas com base em dois métodos distintos, sendo que, dependendo da situação, o uso de um ou de outro pode ser mais adequado:

Pesquisas

Descritivas

Survey; Observação.

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
ser mais adequado: Pesquisas Descritivas Survey ; Observação. Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

SURVEY:

TÉCNICAS BÁSICAS

a) Telefone: Somente Telefone; CATI

b) Pessoal: Domiciliar; Na Rua; CAPI

c) Correio: Questionário

d) E-Mail: Questionário

OBS: Os métodos survey podem utilizar painéis

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Questionário OBS: Os métodos survey podem utilizar painéis Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

SURVEY: CONCEITO E MEIOS

Conceito:

O método survey é baseado na coleta de dados primários (em campo) através de instrumentos estruturados, aplicados a uma amostra de determinada população e elaborada com o intuito de obter determinadas informações dos entrevistados

Estes instrumentos implicam na padronização da coleta de dados, com questões propostas em ordem pré- determinada

Meios:

Existem 3 grandes meios para coletar dados neste tipo de pesquisa:

telefone

pessoal

correio

Cada um desses meios apresenta suas próprias peculiaridades

Cada um desses meios apresenta suas próprias peculiaridades Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Cada um desses meios apresenta suas próprias peculiaridades Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

SURVEY

VANTAGENS E DESVANTAGENS

Vantagens:

O questionário é simples de aplicar

Os dados obtidos são confiáveis, pois os entrevistados são limitados a responder dentro das alternativas propostas

Facilidade para codificação, análise e interpretação de dados

Desvantagens:

Os entrevistados podem não ser capazes, ou não querer dar as informações desejadas dentro dos padrões estabelecidos

Inflexibilidade

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
desejadas dentro dos padrões estabelecidos Inflexibilidade Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

OBSERVAÇÃO

TÉCNICAS BÁSICAS

Observação Pessoal - uso de vários sentidos e recursos Observação Mecânica Observação somente pela audição Observação somente pela visão Análise de Vestígios Análise de Conteúdo Técnicas Combinadas

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
de Vestígios Análise de Conteúdo Técnicas Combinadas Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

OBSERVAÇÃO

CONCEITO E MEIOS

Conceito:

Envolve o registro dos padrões de comportamento das pessoas, objetos e/ou eventos de uma maneira sistemática, para obter informações sobre um determinado fenômeno O observador não questiona, nem se comunica com as pessoas, objetos ou eventos que estão sendo observados As informações podem ser registradas enquanto ocorrem os fenômenos de interesse, ou a partir de registros de fenômenos passados

Meios:

Os meios de observação podem ser:

Estruturados ou não estruturados

Diretos ou indiretos

Observação em um ambiente natural ou simulado

ou indiretos Observação em um ambiente natural ou simulado Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
ou indiretos Observação em um ambiente natural ou simulado Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

OBSERVAÇÃO

PRINCIPAIS VANTAGENS

Permite avaliar o comportamento verdadeiro das pessoas, ao invés de reportar uma intenção, ou comportamento preferido;

Reduz o viés nos relatórios, bem como a possível interferência causada pelos entrevistadores ao formular perguntas;

Se o fenômeno observado ocorre freqüentemente ou é de curta duração, este tipo de método pode ser mais barato e mais rápido que a survey

Certos tipos de dados somente podem ser obtidos via observação, por exemplo, quando incluem padrões de comportamento dos quais o entrevistado não está consciente, ou é incapaz de comunicar.

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
o entrevistado não está consciente, ou é incapaz de comunicar. Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

OBSERVAÇÃO

PRINCIPAIS DESVANTAGENS

A percepção do pesquisador (principalmente sua percepção seletiva) pode influenciar os dados;

É difícil observar certas formas de comportamento, como atividades muito pessoais ou que envolvam a intimidade;

Em alguns casos o uso deste método pode ser encarado como anti- ético. Casos, por exemplo, em que o comportamento das pessoas é monitorado sem o seu consentimento;

As razões para o comportamento observado podem não ser facilmente determinadas enquanto não se tiver muitas informações a respeito dos motivos, crenças, atitudes e referências latentes.

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
respeito dos motivos, crenças, atitudes e referências latentes. Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

Estudos Experimentais

Classificação de Estudos Experimentais:

Pré-Experimentais:

- Estudo de caso “one-shot

- Pré-teste/Pós-teste em um grupo

- Grupo estático

Experimentais Verdadeiros:

- Grupo de controle Pré-teste/Pós-teste

- Grupo de controle somente Pós-teste

Quase-Experimentais:

- Séries temporais

- Séries temporais múltiplas

- Séries temporais - Séries temporais múltiplas Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
- Séries temporais - Séries temporais múltiplas Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

Estudos Experimentais

Alguns Exemplos:

- Quatro grupos para avaliar influência da nicotina no pulmão (Estudo Longitudinal)

- Avaliação de uma nova embalagem para pregos (Uso de duas embalagens; teste antes/depois)

- Variação do grau de satisfação dos usuários de TV a cabo no tempo (Uso de diversos grupos; teste antes/depois)

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
TV a cabo no tempo (Uso de diversos grupos; teste antes/depois) Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
DEFINIÇÃO DE PESQUISA DE MARKETING
DEFINIÇÃO DE PESQUISA DE MARKETING
“Pesquisa de Marketing é a função que liga clientes, consumidores e público em geral à
“Pesquisa de Marketing é a função que liga clientes,
consumidores e público em geral à empresa, através da
informação - informação usada para identificar e definir
oportunidades e problemas de marketing; gerar, refinar,
identificar e avaliar ações de marketing; monitorar o
desempenho de marketing; e melhorar a compreensão do
marketing como um processo”.
(AMA)
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
e melhorar a compreensão do marketing como um processo”. (AMA) Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
ATIVIDADES DA PESQUISA DE MARKETING
ATIVIDADES DA PESQUISA DE MARKETING
1. Definir o problema de pesquisa 2. Especificar as informações necessárias 3. Determinar o método
1. Definir o problema de pesquisa
2. Especificar as informações necessárias
3. Determinar o método para coletar os dados necessários
4. Tomar decisões sobre população e amostra
5. Elaborar o instrumento de coleta de dados
6. Planejar e implementar a coleta de dados
7. Analisar e interpretar os resultados
8. Comunicar as descobertas e suas implicações
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
os resultados 8. Comunicar as descobertas e suas implicações Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
ETAPAS FORMAIS DE UM PROJETO DE PESQUISA
ETAPAS FORMAIS DE UM PROJETO DE PESQUISA
1. Introdução 1. Delimitação do tema Situação 2. Definição do problema Problema 3. Importância do
1.
Introdução
1.
Delimitação do tema
Situação
2.
Definição do problema
Problema
3.
Importância do estudo
5.
Definição dos Objetivos
Objetivos
- geral
- especifico
Teoria
6.
Base teórica
7.
Formulação de Hipóteses (se for o caso)
8.
Definição/Operacionalização de variáveis
M
9.
Plano Amostral
é
- universo/população
t
o
d
- amostra/censo
tamanho da amostra
critérios para seleção
o
10. Procedimentos de coleta
11. Processamento dos dados
12. Análise e interpretação de resultados
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
dos dados 12. Análise e interpretação de resultados Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

DELIMITAÇÃO DO TEMA & DEFINIÇÃO DO PROBLEMA

Determina o enfoque específico da pesquisa com base nas informações disponíveis
Determina o enfoque
específico da pesquisa
com base nas
informações disponíveis

“Algo a Dizer”

(Não se consegue dizer nada enquanto não houver algo a dizer)

Delimitação: Idéia Inicial - Teórica - Histórica - Geográfica Qual é o Problema? Definição do
Delimitação:
Idéia Inicial
- Teórica
- Histórica
- Geográfica
Qual é o
Problema?
Definição do
Problema
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
- Geográfica Qual é o Problema? Definição do Problema Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

PROBLEMA DE PESQUISA

1. Transformação do tema em problema “Problema de pesquisa implica em uma questão que envolve uma dificuldade teórica ou prática para a qual se quer encontrar uma resposta (solução)

2. Procedimentos Recomendados para se chegar ao problema 1º - Compreensão/Domínio do tema 2º - Delimitação do tema 3º - Transformação do tema delimitado em problema

3. Tipos Básicos de Problema descobrir se algo está errado e até que ponto está errado determinar porque está errado encontrar a melhor maneira para corrigir a situação situação determinar se a “melhor”maneira realmente corrige a

situação determinar se a “melhor”maneira realmente corrige a Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
situação determinar se a “melhor”maneira realmente corrige a Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

Definição dos Objetivos

Objetivo Geral - Decorre da questão ampla do problema

Ex: “Quais são os fatores determinantes da qualidade percebida pelos clientes de serviços hospitalares diferenciados?

Objetivo: Identificar os fatores determinantes da qualidade dos serviços hospitalares diferenciados sob a ótica do cliente

Objetivos Específicos - Definem ítens específicos que deverão ser abordados para que o objetivo geral possa ser atingido

Ex: 1.“Gerar uma relação de aspectos considerados no momento do cliente avaliar a qualidade do serviço”

2. “Determinar quais são os ítens mais importantes na avaliação da qualidade dos serviços por parte dos clientes

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
na avaliação da qualidade dos serviços por parte dos clientes Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

Fundamentação Teórica

Constitui-se na base para o trabalho

Deve ser capaz de isentar o pesquisador de eventuais críticas quanto à inconsistência de suas afirmações

Deve funcionar como testemunho das afirmações e/ou suposições prévias do pesquisador

Podem constituir-se em Base Teórica:

A literatura especializada no assunto em questão

Resultados de outras pesquisas relacionadas ao tema, anteriormente realizadas

Depoimentos de autoridades e/ou experts no assunto

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
realizadas Depoimentos de autoridades e/ou experts no assunto Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

IMPORTANTE

Fundamentação Teórica constitui-se em uma síntese (comentada/criticada) da literatura. Não é simplesmente uma
Fundamentação Teórica constitui-se em uma
síntese (comentada/criticada) da literatura.
Não é simplesmente uma Relação
Bibliográfica
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
da literatura. Não é simplesmente uma Relação Bibliográfica Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
FORMULAÇÃO DE HIPÓTESES
FORMULAÇÃO DE HIPÓTESES
Hipóteses são formulações antecipadas a ocorrências pertinentes a uma realidade futura Constituem-se em
Hipóteses são formulações antecipadas a ocorrências
pertinentes a uma realidade futura
Constituem-se em demarcações ao trabalho do pesquisador
Função: Guiar/Orientar o trabalho do pesquisador
Características:
ser conceitualmente claras
estar relacionadas a uma teoria (base empírica)
OBS: Após formular uma hipótese o pesquisador
compromete-se com ela
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Após formular uma hipótese o pesquisador compromete-se com ela Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
DEFINIÇÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DE VARIÁVEIS
DEFINIÇÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DE VARIÁVEIS
Orientação Básica - Objetivos Específicos Devem responder a questão: “Como atingir os objetivos específicos”
Orientação Básica - Objetivos Específicos
Devem responder a questão: “Como atingir os objetivos
específicos”
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
responder a questão: “Como atingir os objetivos específicos” Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

Plano Amostral

Universo/População

Amostra

Censo

Aspectos Quantitativos -

Aspectos Qualitativos -

Amostras Probabilísticas:

Tamanho da amostra depende dos parâmetros aceitos pelo pesquisador

Aleatória Simples Aleatória Estratificada Aleatória em agrupamentos Aleatória Sistemática Aleatória por Área

Amostras não - probabilísticas

Conveniência

Julgamento

Proporcional (quotas)

Sistemática Aleatória por Área Amostras não - probabilísticas Conveniência Julgamento Proporcional (quotas)
Sistemática Aleatória por Área Amostras não - probabilísticas Conveniência Julgamento Proporcional (quotas)

Procedimentos de Coleta (1)

Estrutura do Questionário Cuidados Essenciais Objetividade e Clareza Divisão por Tópicos Apresentação
Estrutura do Questionário
Cuidados Essenciais
Objetividade e Clareza
Divisão por Tópicos
Apresentação “Limpa”
Observar aspectos como tempo e
condições de aplicação
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Observar aspectos como tempo e condições de aplicação Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Procedimentos de Coleta (2)
Procedimentos de Coleta (2)
Escolha dos Tipos de Questão Questões abertas Permitem ampla liberdade de resposta Questões fechadas limitam
Escolha dos Tipos de Questão
Questões abertas
Permitem ampla liberdade de resposta
Questões fechadas limitam as opções de resposta
a um determinado número de alternativas pré-
definidas
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
resposta a um determinado número de alternativas pré- definidas Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com

Procedimentos de Coleta (3)

Equipe de Pesquisa Estrutura - Hierarquia, número de integrantes Treinamento Funções Prazos Controles
Equipe de Pesquisa
Estrutura - Hierarquia, número de integrantes
Treinamento
Funções
Prazos
Controles
Distribuição do trabalho
Volume de trabalho
Qualidade do trabalho
Prazos de execução
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Volume de trabalho Qualidade do trabalho Prazos de execução Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Escalas de Mensuração
Escalas de Mensuração
Escalas Nominais Servem para categorizar as opções de resposta Escalas Ordinais Permitem a ordenação das
Escalas Nominais
Servem para categorizar as opções de resposta
Escalas Ordinais
Permitem a ordenação das opções de respostas
Escalas Intervalares
Permitem a comparação de intervalos
Escalas de Razão
Permitem a comparação a partir do “zero absoluto”
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com
de Razão Permitem a comparação a partir do “zero absoluto” Eduardo Guadalupe – http://eduguadalupe.blogspot.com