Você está na página 1de 6

A REVELAÇÃO DO CORDEIRO

E aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu sangue, passarei
por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra do
Egito. Êxodo 12:13

INTRODUÇÃO

Tudo que nós quisermos entender sobre o Reino de Deus precisa ser revelado a
partir da perspectiva bíblica do princípio de onde tudo começou. Há um perigo em
desenvolvermos um entendimento ou uma estrutura de pensamento a partir da
cultura e sociedade pós-moderna em que vivemos, se não entendermos que este
princípio não é um período no tempo, mas uma Pessoa, muita coisa entenderemos de
forma equivocada.

Cristo diz que Ele é o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, logo, todas as coisas
foram geradas nEle e a partir dEle:

Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra,
visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados,
sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas
as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. E ele é a cabeça do corpo, da
igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo
tenha a preeminência. Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude
nele habitasse, E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz,
por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que
estão na terra, como as que estão nos céus. [Colossenses 1:16-20]

Cristo é o Evangelho, é a boa notícia do Pai ao mundo. (falar sobre má notícia x


boa notícia). O Evangelho não começa em Mateus no Novo Testamento, mas foi
proclamado no Éden pelo próprio Deus:

E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente;


esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. [Gênesis 3:15]

Duas coisas neste texto de Gênesis chama a atenção, primeiro a palavra semente
que significa sêmen de onde se gera uma descendência, e a segunda é uma
impossibilidade natural, porque quem carrega sêmen ou semente é o homem, mas no
texto diz que a semente é da mulher, sabemos que a mulher não tem sêmen ou semente,
mas porque o texto fala sua semente, se referindo apenas a mulher?
Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá,
e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel. [Isaías 7:14]

E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem
algum? E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo,
e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o
Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. [Lucas 1:34,35]

Quem depositou a semente no útero de Maria foi o próprio Espírito Santo!


Entendem porque o Evangelho começa em Gênesis e porque precisamos discernir o
princípio de tudo? Depois deste anúncio, satanás começou a perseguir esta semente
no decorrer da história para que o Evangelho não se tornasse uma realidade encarnada.
Após Caim matar Abel, Deus levanta um novo descendente para preservação da
semente:

E tornou Adão a conhecer a sua mulher; e ela deu à luz um filho, e chamou
o seu nome Sete; porque, disse ela, Deus me deu outro filho em lugar de
Abel; porquanto Caim o matou. E a Sete também nasceu um filho; e
chamou o seu nome Enos; então se começou a invocar o nome do Senhor.
Gênesis 4:25,26

Uma nova linhagem de descendentes nasceu a partir de Enos para preservar a


semente, mas satanás continuou sua tentativa de eliminar a encarnação do Evangelho:

Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos


de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram
os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama. E viu o Senhor
que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a
imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.
[Gênesis 6:4,5]

Satanás começa a incitar a mistura das sementes entre os filhos de Deus


(descendentes de Enos) com as filhas dos homens, era a tentativa de acabar o plano de
Deus e matar a promessa da semente. À medida que a história vai avançando, Deus vai
fazendo aliança com homens de justiça, então faz aliança com Noé, destrói aquela
geração com as águas do dilúvio, mas preserva a semente em uma família de justiça.

Em seguida outro personagem surge para preservação da semente e novamente


Deus faz uma aliança, desta vez com Abraão:

E passou Abrão por aquela terra até ao lugar de Siquém, até ao carvalho de
Moré; e estavam então os cananeus na terra. E apareceu o Senhor a Abrão,
e disse: À tua descendência (ou semente) darei esta terra. E edificou ali um
altar ao Senhor, que lhe aparecera. [Gênesis 12:6,7]
Então disse a Abrão: Saibas, de certo, que peregrina será a tua
descendência (semente) em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e
será afligida por quatrocentos anos, Mas também eu julgarei a nação, à
qual ela tem de servir, e depois sairá com grande riqueza. [Gênesis
15:13,14]

Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua


descendência depois de ti: Que todo o homem entre vós será circuncidado.
E circuncidareis a carne do vosso prepúcio; e isto será por sinal da aliança
entre mim e vós. [Gênesis 17:10,11]

Percebam que o tempo todo Deus estava preservando a semente que havia
prometido em Gênesis, em seguida renova aliança com Isaque, Jacó, José, até que chega
em Moisés, mas a perseguição de eliminar a semente continua:

Então ordenou Faraó a todo o seu povo, dizendo: A todos os filhos que
nascerem lançareis no rio, mas a todas as filhas guardareis com vida.
Êxodo 1:22

Faraó queria eliminar todos os meninos hebreus, isto era uma tentativa maligna
de acabar com a promessa divina. A história continua até que em tempos do nascimento
de Jesus, como numa tentativa de eliminar a promessa, Herodes dá o seguinte comando:

Então Herodes, vendo que tinha sido iludido pelos magos, irritou-se muito,
e mandou matar todos os meninos que havia em Belém, e em todos os seus
contornos, de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente
inquirira dos magos. Mateus 2:16

Todas as tentativas malignas de impedir o nascimento de Cristo foram


frustrados. Há, portanto, a necessidade de entendermos porque Deus além de preservar
a semente do Evangelho no decorrer da história, trouxe outros fatos (no meio do
caminho) que apontavam para Cristo, como a ordem dada a Abraão para oferecer Isaque
em sacrifício e a provisão de Deus dando a oferta, mostrando a Abraão que era Deus que
proveria o sacrifício. Também a instituição da Páscoa para Moisés, onde mostrou à
descendência de Abraão, ali escravizada, a promessa do sacrifício do Cordeiro que
estava por vir.

Deus é didático, não é Deus que está em nossa história, somos nós que estamos
na história de Deus, Ele escreveu tudo e precisamos cooperar para aquilo que Ele
continua fazendo em nosso meio, até a conclusão de todo roteiro que Ele escreveu.
A PORTA DE ENTRADA NO REINO DE DEUS

A Bíblia afirma que Cristo foi prometido antes mesmo da fundação do mundo,
antes que houvesse pecado: E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses
cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação
do mundo. (Apocalipse 13:8) Porque [...] Deus prova o seu amor para conosco, em que
Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. (Romanos 5:8)

Deus é um Deus de família, Ele mesmo é Pai do seu eternamente Filho Jesus. Esta
é a primeira instituição criada por Ele. Na criação da páscoa no capítulo que lemos,
observe os elementos: Casa, Porta, Cordeiro, Sangue. Isto aponta para o propósito de
sermos criados, manter uma íntima relação de amor com Ele em nossas casas.

O ato de passar o sangue do Cordeiro na porta é uma nova aliança que Deus fazia
com todo o povo. Mas quem é a porta? Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-
se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. (João 10:9) Cristo é a porta, Cristo é o
Cordeiro, o Sangue do Cordeiro representa o Sangue de Cristo e a Casa somos nós!
Anjo da morte não pode alcançar nenhuma família que está sob o Sangue do
Cordeiro! Aleluia!

Deus de uma só vez fez com que todo povo de Israel passasse pelo Sangue do
Cordeiro entrando definitivamente para uma novo Reino sob o governo de Deus, e não
apenas isto, depois de sair do Egito, uma terra que representa o governo das trevas, todo
povo saiu com tochas de fogo nas mãos apontando para aquilo que Cristo falaria
posteriormente: “Vós sois a luz do mundo” e Pedro ratifica:

Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo
adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das
trevas para a sua maravilhosa luz; 1 Pedro 2:9

Uma vez que todo povo passa pela porta, Deus também de uma só vez batiza
todo povo no mar vermelho! Consolidando um novo tempo para seu povo! Aleluia!

COMENDO O CORDEIRO

Quando Adão come do fruto no Éden, ele pegou o potencial do mal e COMEU.
Quando comemos alguma coisa internalizamos a essência do que comemos. Adão
comeu o mal, então o potencial que era externo vira interno.
O anjo da morte passou no Egito na noite do dia 14 de Nissan. Depois de observar
o cordeiro por alguns dias e verificar que não havia defeitos, Ele era morto em casa!
para dar de comer à família e a seus vizinhos! O que isso nos revela? O Culto doméstico
foi estabelecido aqui! uma reunião em família para comer de Ieshua [TORÁ] e falar
sobre Ele:

E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este?
Então direis: Este é o sacrifício da páscoa ao Senhor, que passou as casas
dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas
casas. Então o povo inclinou-se, e adorou. Êxodo 12:26,27

Por isso Jesus diz:

Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não
comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não
tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue
tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne
verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida.
Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu
nele. [João 6:53-56]

A páscoa é a festa que nos ensina que precisamos trazer Cristo para dentro de
nossas casas, para que? Para que mantenhamos comunhão, relacionamento com Ele,
para que foquemos nossos olhos nEle todos os dias e verifiquemos, observemos,
analisemos e nos lembremos que Ele é o Cordeiro sem mácula, sem defeito, que o Eterno
nos enviou.

JUSTIFICADO PELO CORDEIRO

• Falar da diferença entre o “Deus do Antigo testamento e do Novo”. O


sangue de Cristo sobre nós nos justifica diante de Deus, quando
estamos diante Deus o que Ele enxerga é seu Filho, por isso precisamos
nos parecer com Cristo.

Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios.
Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom
alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que
Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo muito mais agora,
tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.
Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte
de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela
sua vida. Romanos 5:6-10
REVELANDO O CORDEIRO (IDENTIDADE)

• Falar sobre a necessidade de discernir a identidade de Cristo; (Pedro,


Jacó...) nossa identidade é revelada, quando revelamos a identidade do
Cordeiro

SE TORNANDO COMO O CORDEIRO

Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes
como as serpentes e inofensivos como as pombas. [Mateus 10:16]

De que forma?

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos


corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto
racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede
transformados pela renovação do vosso entendimento, para que
experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.
[Romanos 12:1,2]

Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um


coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás. [Salmos 51:17]

Ler Levítico 1:1-13 - Nosso Sacrifício Pessoal

• Cabeça – representa nossa mente, nossa forma de pensar deve ser


oferecida ao Senhor e mudada pela ação do Espírito Santo;
• Entranhas (fressura) – representa nosso interior, nosso coração, aquilo
que escondemos dentro de nós, nosso caráter deve ser oferecido a Deus;
• Sangue – representa nossos ímpetos, nossos hábitos, nossa má índole;
• Couro – representa a nossa hipocrisia, aquilo que aparentamos ser,
pecados que estão sobre nós e nos afasta de Deus;
• Gordura – representa nossa energia oferecida a Deus;
• Pernas – representa nossas atitudes, nosso caminhar, nossos passos,
nosso proceder
• Água – a água que lava nosso interior e as pernas representa a Palavra de
Deus, que nos limpa e nos purifica de todo pecado.

Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. (João 15:3)