Você está na página 1de 41

CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS

MÓDULO 1

Questão 1
Incorreto

Atingiu 0,00 de 4,00

Marcar questão

Texto da questão
(ANASTASIA, Fátima; OLIVEIRA, Luciana Las Casas. Instituições políticas, capacidades estatais e cooperação
internacional: África do Sul, Brasil e China. Brasília; Rio de Janeiro: IPEA, 2015, p.64. Texto para discussão n.
2118)
 
Com base no que estudamos, por que a cooperação internacional em direitos humanos é tão
importante?

a. porque a promoção dos direitos humanos é responsabilidade de todos os países.

b. porque não há um organismo internacional preocupado com o tema. 

Errado. E as Nações Unidas?

c. porque cada país só é responsável pelos seus cidadãos e cidadãs.

d. porque os governos nacionais não possuem responsabilidade sobre o tema.

e. porque é importante regular a compra e venda de direitos humanos no âmbito internacional.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 2
Incorreto

Atingiu 0,00 de 4,00


Marcar questão

Texto da questão
As liberdades humanas têm a propriedade de poderem se entrelaçar, formando espécies de cadeias causais,
passíveis de registro empírico. Por um lado, a possibilidade de se interconectarem, complementarem-se
mutuamente e se autorreforçarem faz com que as liberdades possam atuar em verdadeiros círculos virtuosos.
Por exemplo, um indivíduo que tenha atingido um excelente estado educacional tem mais probabilidade de
cuidar melhor de sua saúde e, por conseguinte, de atingir igualmente um excelente padrão de saúde. Por outro,
a falta de certas liberdades pode ocasionar um círculo vicioso de privações de liberdades. Por exemplo, uma
pessoa por longo tempo sem ocupação pode perder também parte de seus vínculos sociais e de sua
qualificação para novos trabalhos, o que tende a agravar o seu estado de desocupação. Ora, em razão dos
encadeamentos das liberdades humanas, como os exemplificados, as instituições e as políticas públicas
responsáveis pela defesa e pelo fomento destas liberdades – inclusive instituições e políticas de
desenvolvimento e de direitos humanos – devem articular-se mutuamente, trabalhando de modo harmônico.
(PINHEIRO, Maurício Mota Saboya; SANTOS, Alexandre Hamilton Oliveira. Políticas públicas em direitos
humanos e desenvolvimento no Brasil. Boletim de análise político-institucional, n.5, IPEA, Brasília-DF, maio
2014, p.77-81.)
De acordo com o que vimos, esse trecho está mais relacionado com qual característica dos direitos
humanos?

a. Universalidade

b. Indivisibilidade

c. Vedação ao retrocesso 

Errado. Essa é uma característica, mas o texto não trata disso.

d. Historicidade

e. Opcionalidade
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler depois a versão integral aqui.

Questão 3
Incorreto

Atingiu 0,00 de 4,00


Marcar questão

Texto da questão

(IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. SIPS – Sistema de indicadores de percepção social:
tolerância social à violência contra as mulheres. Versão corrigida com errata de 4 abr. 2014. Brasília; Rio de
Janeiro: IPEA, 2014, p.23.)
 
Com base nessa pesquisa, como se caracteriza uma cultura de discriminação (não de direitos
humanos)?

a. quando homens e mulheres têm direitos iguais.

b. quando seu direito não depende da roupa que está usando.

c. quando uma espécie se afirma como superior a outra.

d. quando o grupo discriminado recebe a culpa pela própria violência que sofre.

e. quando as mulheres não aprendem como se comportar em público. 

Errado. É melhor ler o texto...  


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 4
Incorreto
Atingiu 0,00 de 4,00

Marcar questão

Texto da questão
Atribuiu-se uma dimensão política ao problema da opressão feminina, da forma como propunha o feminismo
nos anos 1960 e 1970: “o pessoal é político”. Este foi um dos slogans mais importantes do movimento de
mulheres na segunda metade do século passado, por representar a relativização do caráter privado da
sexualidade. 
A partir de então, diversos tratados e convenções passaram a ser aprovados pelas entidades internacionais de
direitos,  o  que  se  deu  no  processo  de  internacionalização  dos  direitos humanos.  A ratificação dessas 
novas  normas  pelos  Estados  e  a  caracterização  da  violência contra as mulheres como violação dos
direitos humanos permitiram que esses direitos fossem definidos como universais e, logo, exigíveis tanto na
arena internacional, como no contexto interno dos países. Assim, os Estados nacionais passaram a poder ser
responsabilizados por ações e omissões de desrespeito aos direitos humanos das mulheres.
(MARTINS, Ana Paula Antunes; CERQUEIRA, Daniel; MATOS, Mariana Vieira Martins. A institucionalização
das políticas públicas de enfrentamento à violência contra as mulheres no Brasil: versão preliminar. Brasília:
IPEA, 2015. Nota técnica DIEST n. 13)
 
Com base no que vimos, se a violência contra as mulheres é considerada uma violação de direitos
humanos, quem deve ser responsável por evitá-la?

a. a polícia, apenas.

b. o governo , apenas. 

Errado. Será que não podem ser as outras alternativas também?

c. a Organização das Nações Unidas, apenas.

d. a família, apenas.

e. quaisquer das instâncias acima.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 5
Correto

Atingiu 4,00 de 4,00


Marcar questão

Texto da questão
A  criação  do  Conselho  de  Direitos  Humanos  abriu espaço para uma abordagem mais focada em termos
temáticos e de tratamento específico  de  situações  delicadas.  Para  o  Brasil,  o  apoio  a  este  tipo  de 
inovação  veio  acompanhado por maior engajamento no Sistema ONU e pela necessidade de definições mais
precisas de suas posições em contextos de violação de DDHH. Ampliou-se ao  mesmo  tempo  a  necessidade 
de  diálogo  entre  o  Itamaraty,  a  Secretária  de  Direitos  Humanos e as organizações não governamentais
(ONGs) brasileiras, muitas das quais se  destacam  por  suas  conexões  com  redes  globais.  Este  tipo  de 
vinculação  se  tornou  propício para expandir e diversificar a atuação brasileira neste campo, como se
observou na sua presença na criação da Comissão de Observação na Síria.  Vale ainda mencionar que, neste
contexto, o posicionamento do Brasil na agenda global de direitos humanos tornou-se no país um tema de
crescente preocupação para as organizações civis e a comunidade epistêmica local.
(HIRST, Monica. O Brasil emergente e os desafios da governança global: a paz liberal em questão. Brasília; Rio
de Janeiro: IPEA, 2014, p.26-27. Texto para discussão n. 1986)
GLOSSÁRIO
CONSELHO DE DIREITOS HUMANOS:
DDHH:
Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, criado
Sigla para “direitos humanos”
em 2006.
ITAMARATY:
ONU:
Expressão usada para representar o Ministério das Relações
Sigla para “Organização das Nações Unidas”
Exteriores, sediado no Palácio do Itamaraty.
 
Por que, no tema de direitos humanos, é importante que o Ministério das Relações Exteriores dialogue
também com organizações não governamentais?

a. porque as ONGs integram o Conselho de Direitos Humanos da ONU

b. porque as ONGs assinaram a Declaração Universal dos Direitos Humanos

c. porque proteger os direitos humanos é dever de todo mundo. 

Correto! Não é uma responsabilidade só dos governos.

d. porque as ONGs podem denunciar o país na Corte Interamericana de Direitos Humanos

e. porque os direitos humanos valem apenas para as ONGs


Feedback
Sua resposta está correta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.


Terminar revisão

Módulo 2

Questão 1
Incorreto

Atingiu 0,00 de 4,00

Marcar questão

Texto da questão
Esta nota conclui que o Benefício de Prestação Continuada é um dos mais relevantes instrumentos de
afirmação de direitos e de proteção ao público que acumula vulnerabilidades devido à idade ou à deficiência e à
pobreza. Sua capacidade de operar em prol de uma cidadania inclusiva será potencialmente ampliada com a
regulamentação da flexibilização da regra de acesso para aqueles que, em situação de pobreza, se encontrem
em contexto agravado pela demanda de cuidados devido ao estado de dependência funcional.
SILVEIRA, Fernando Gaiger; JACCOUD, Luciana; MESQUITA, Ana Cleusa; PASSOS, Luana; NATALINO,
Marco Antonio. Deficiência e dependência no debate sobre a elegibilidade ao BPC. Brasília: IPEA, 2016. (Nota
Técnica DISOC n. 31). p.4-5.
Por que o texto apresenta a cidadania inclusiva como uma possível consequência do Benefício de
Prestação Continuada?

a. porque quem perde o benefício deixa de ter vínculo de nacionalidade brasileira.

b. porque a regra de acesso define quem é cidadão ou cidadã brasileira. 

Errado. Apesar das dificuldades de exercê-la, quem não tem o benefício mantém sua cidadania.

c. porque pessoas em situação de vulnerabilidade não podem exercer plenamente sua cidadania.

d. porque só pode ser considerado cidadão ou cidadã quem está em dependência funcional.

e. porque a cidadania brasileira inclui o direito ao benefício.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.


Questão 2
Correto

Atingiu 4,00 de 4,00

Marcar questão

Texto da questão
Art. 1o  Fica instituído o Plano Nacional de Consumo e Cidadania, com a finalidade de promover a proteção e
defesa do consumidor em todo o território nacional, por meio da integração e articulação de políticas,
programas e ações.
(...)
Art. 3o  São objetivos do Plano Nacional de Consumo e Cidadania:
I - garantir o atendimento das necessidades dos consumidores;
II - assegurar o respeito à dignidade, saúde e segurança do consumidor;
Decreto nº 7.963, de 15 de março de 2013. Institui o Plano Nacional de Consumo e Cidadania e cria a Câmara
Nacional das Relações de Consumo.
 
De acordo com o que vimos, esse trecho está mais relacionado com qual concepção de cidadania?

a. Vínculo de nacionalidade

b. Direitos de cidadania 

Muito bem! Esse trecho trata de direitos para uma vida digna.

c. Cidadania ativa

d. Coletividade

e. Nenhuma das anteriores


Feedback
Sua resposta está correta.

Se interessou pelo texto? Pode ler depois a versão integral aqui.

Questão 3
Incorreto

Atingiu 0,00 de 4,00


Marcar questão

Texto da questão

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLIADA. Capítulo 14: Valores sociais e democracia: desafios à
construção de uma cultura sensível aos direitos humanos. In: INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA
APLICADA.  Estado, instituições e democracia: democracia. Brasília: IPEA, 2010. p.465. (Projeto Perspectivas
do Desenvolvimento Brasileiro; Série Eixos Estratégicos do Desenvolvimento Brasileiro; Fortalecimento do
Estado, das Instituições e da Democracia, livro 9, volume 2)
 
Com base no que vimos, o que podemos afirmar sobre cidadania como coletividade?

a. roubar comida é visto como mais grave do que roubar do governo.

b. a opinião das pessoas não varia conforme a escolaridade.

c. colocar os interesses coletivos antes dos interesses individuais é uma forma de cidadania.

d. para os analfabetos, roubar comida do supermercado é um “ato de cidadania”. 

Errado. Segundo a tabela, a maioria desse grupo classifica o ato como “Sempre errado”.

e. a Constituição não trata dos objetivos comuns do Brasil.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 4
Incorreto

Atingiu 0,00 de 4,00

Marcar questão

Texto da questão
A cidadania moderna está associada às conquistas expressas tanto pela Revolução Burguesa, conforme a
Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, resultante da  Revolução Francesa de 1789, como pelas leis
decorrentes das lutas dos trabalhadores,  das pressões de suas organizações (...). A construção da cidadania
se inscreve, ao longo desse processo histórico de pactuação e reconhecimento de  direitos e deveres, na
correlação de forças e no estabelecimento de direitos e garantias  para sua execução. Faz parte da estrutura
jurídico-política, articulada ao processo econômico e social, levando ao paradoxo de se estabelecerem direitos
iguais numa  sociedade desigual, questão permanente na democracia.
FALEIROS, Vicente de Paula. A política nacional do idoso em questão: passos e impasses na efetivação da
cidadania. In: ALCÂNTARA, Alexandre de Oliveira; CAMARANO, Ana Amélia; GIACOMIN, Karla Cristina
(orgs.). Política Nacional do Idoso: velhas e novas questões. Rio de Janeiro: IPEA, 2016. p.538.
 
Sobre o processo de construção da cidadania moderna, o que é correto afirmar?

a. Foi um processo pacífico e consensual.

b. Foi concluído com a Constituição Federal de 1988.

c. Acabou com a desigualdade na sociedade. 

Errado. Segundo o trecho, a sociedade desigual permanece.

d. Os trabalhadores não exerceram papel relevante.

e. A cidadania necessita de direitos e garantias para sua execução.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.


Questão 5
Incorreto

Atingiu 0,00 de 4,00

Marcar questão

Texto da questão

O que se argumenta neste texto é que as ouvidorias públicas contribuem significativamente para o
aperfeiçoamento dos procedimentos democráticos. Todos os Estados têm um serviço público, mas cada vez
mais as pessoas se perguntam a que público este serviço se dirige. O público em geral tem se tornado bastante
crítico e cético quanto à necessidade e às missões da  burocracia . A democracia é baseada no consenso dos
cidadãos, o que significa que o governo informa os cidadãos sobre as  suas atividades e reconhece o seu
direito à participação. Um eleitorado devidamente  informado e um governo disposto a prestar contas de suas
atividades são parte  integrante e indispensável de uma democracia representativa efetiva.
COMPARATO, Bruno Konder. Ouvidorias públicas como instrumentos para o fortalecimento da democracia
participativa e para a valorização da cidadania. In: MENEZES, Ronald do Amaral; CARDOSO, Antonio
Semeraro Rito (orgs.). Ouvidoria pública brasileira: reflexões, avanços e desafios. Brasília: IPEA, 2016. p. 48.
 
Com base no que estudamos e nas afirmações do trecho anterior, que relações podem ser
estabelecidas entre cidadania e democracia?

a. Em contextos democráticos, é necessário o exercício de uma cidadania ativa.

b. Governos que não criam ouvidorias não podem ser considerados democráticos.

c. Numa democracia os serviços públicos devem estar voltados apenas aos cidadãos de bem. 

Errado

d. Todo governo que presta informações aos cidadãos e cidadãs pode ser considerado democrático

e. Uma democracia representativa efetiva não depende da situação dos eleitores e eleitoras.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Terminar revisão
MÓDULO 3

Questão 1
Correto

Atingiu 2,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão
Qual destes assuntos não foi abordado na apresentação?

a. Democracia Direta

b. Democracia Monitória

c. Sistema Parlamentarista

d. Presidencialismo monárquico 

Resposta correta. Não existe presidencialismo monárquico

e. Democracia Representativa
Feedback
Sua resposta está correta.

Questão 2
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão
Passadas mais de duas décadas da reinauguração de um regime democrático no Brasil, a questão hoje parece
ser menos a de risco de reveses autoritários e mais a de avaliação e balanço sobre como a democracia
representativa tem funcionado no país e na América Latina. Possivelmente aliadas a uma frustração com o
desempenho da democracia representativa, existem vozes cada vez mais audíveis pleiteando ampliação dos
espaços de participação popular nas decisões sobre políticas públicas. Aparentemente, a democracia no
continente latino-americano depara-se com uma nova bifurcação em sua trajetória: a manutenção de padrões
tradicionais da democracia representativa ou a ampliação de espaços participativos diretos, principalmente nos
países da região Andina
 
 (Rennó, Lúcio. Responsividade e Qualidade da Democracia: Eleitores e Representantes no Nível Federal In:
Estado, Instituições e Democracia.: Democracia. Volume II. Organizador: Roberto Rocha C. Pires; Fabio de Sá
e Silva; Felix Garcia Lopes. Brasília: Ipea, 201o).
De acordo com o texto é possível afirmar que

a. A democracia está consolidada definitivamente no Brasil 

Incorreto. O texto não diz isso

b. Os cidadãos querem a volta da ditatura

c. Existem pessoas que querem mais espaços de participação

d. A democracia representativa é incompatível com a participação popular.

e. O Brasil vive uma ditadura


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 3
Correto

Atingiu 2,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão
Uma questão crucial da literatura sobre burocracia e democracia trata dos mecanismos possíveis de conciliação
entre ordens que, em princípio, são regidas por lógicas diferentes; no limite, conflitantes. Enquanto a
democracia é concebida como sistema político apoiado na soberania popular ou na realização das preferências
dos grupos de interesse organizados, a burocracia é um sistema organizacional que prima pela implementação
– ideal-tipicamente eficaz e eficiente – de políticas públicas. O conflito potencial entre democracia e burocracia
decorre do crescente nível de especialização dos burocratas, que, ao se tornarem cada vez mais informados e
tecnicamente competentes para a formulação e execução de políticas públicas, podem ganhar um grau de
autonomia – e poder – que alije os não especialistas e os políticos da capacidade de intervir e influenciar o
debate.
A tecnocracia representa o ápice desse processo
 
(Accountability e Controle Social na Administração Pública Federal In: Estado, Instituições e Democracia.:
Democracia. Volume II. Organizador: Roberto Rocha C. Pires; Fabio de Sá e Silva; Felix Garcia Lopes. Brasília:
Ipea, 201o).
De acordo com o texto é possível afirmar que

a. Democracia e burocracia são incompatíveis

b. Os burocratas são inimigos dos democratas

c. Burocracia é o sistema político baseado na soberania popular

d. Democracia é o sistema organizacional que prima pela implementação eficaz e eficiente de políticas públicas

e. Há um conflito entre democracia e burocracia 

Correto!
Feedback
Sua resposta está correta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 4
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão
Qual destes fatores é uma característica da democracia?

a. Individualismo

b. Perpetuação no poder

c. Epistocracia

d. Desigualdade social 

Incorreto. A desigualdade social é uma ameaça à democracia

e. Igualdade política
Feedback
Sua resposta está incorreta.
Questão 5
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão
No conflito com o totalitarismo, a democracia enfrentava forças que impediam a liberdade de cada um; tratava-
se então de uma hipertrofia do coletivo em detrimento do indivíduo, estando esse mesmo coletivo submetido a
um pequeno grupo de dirigentes tirânicos. Pois bem, hoje, no mundo ocidental, uma das principais ameaças
que pesam sobre a democracia não provém de uma expansão desmesurada da coletividade; ela reside antes
num fortalecimento sem precedentes de certos indivíduos, que com isso põem em risco o bem-estar da
sociedade em seu conjunto.
(Todorov, Tzvetan. Os Inimigos Íntimos da Democracia, pg. 89. Companhia das Letras, São Paulo, 2012)
O texto trata de qual ameaça à democracia?

a. Poder do Dinheiro 

Incorreto. É uma ameaça à democracia, mas o texto não trata disso.

b. Individualismo Exacerbado

c. Desigualdade Social

d. Epistocracia

e. Parlamentarismo
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Terminar revisão

MÓDULO 4

Questão 1
Incorreto

Atingiu 0,00 de 1,00

Marcar questão
Texto da questão
O que se viu nos dias seguintes foi o espraiamento das manifestações pelo país e a transformação de um
movimento com uma demanda específica para manifestações de rua que reuniam demandas difusas sobre
temas gerais. Os assuntos que estavam relativamente em voga no período imediatamente anterior às
manifestações vieram à tona. A denúncia à aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) no 37, que
diminuía o poder investigativo do Ministério Público, organizou a pauta difusa anticorrupção. A crítica à atuação
do deputado Pastor Marco Feliciano frente à Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados e, logo
após, ao projeto da chamada “cura gay” foi o tema dos grupos ligados aos direitos humanos e ao movimento
Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBTT). Provavelmente, o único tema unificador das
demandas foi a repulsa à Copa do Mundo (e das Confederações) e à presença da Federação Internacional de
Futebol Associado (Fifa) no país. Também nesse caso havia uma pauta concreta, construída com mais
intensidade nos últimos meses, sobretudo vinculada a ações de reforma urbana, contrária à política de remoção
de grupos vulneráveis justificada pelas obras referentes ao urbanismo projetado para a Copa. As manifestações
programadas para as cidades-sede da Copa das Confederações formaram a base organizada dos protestos,
fundamentalmente opostos aos gastos excessivos na (re)construção dos estádios – agora chamados “arenas” –
e reuniram muito mais gente do que os mobilizados contra a remoção dos grupos vulneráveis.
(Romão, Wagner. As manifestações de junho e os desafios à participação institucional. Boletim de Análise
Político Institucional  n 4. Rio de Janeiro: IPEA, 2013, p. 11-17.
O texto acima trata das principais demandas e motivações em torno das grandes manifestações de rua
que tiveram lugar no Brasil no mês de Junho de 2013. Sobre os protestos e manifestações de rua
é correto dizer que:

a. As manifestações e protestos são sempre promovidos por pessoas sem educação e sem respeito à ordem. 

Errado. O texto não aborda isso.

b. As manifestações podem refletir insatisfações coletivas e difusas em torno de determinadas pautas políticas
e ações dos governos.

c. As manifestações devem ser sempre controladas, para evitar a participação de pessoas filiadas a partidos
políticos.

d. As manifestações e protestos são formas indiretas de participação, assim como as eleições.

e. As manifestações de junho de 2013 trataram, exclusivamente, dos gastos em torno da copa do mundo de
2014.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 2
Incorreto

Atingiu 0,00 de 1,00


Marcar questão

Texto da questão

Passados mais de 20 anos da consagração da participação cidadã na formulação, na gestão e no controle de


políticas públicas como princípio constitucional no Brasil, as instituições participativas (IPs) – incluindo-se, aqui,
experiências de orçamento participativo (OP), conselhos gestores de políticas públicas, conferências e outras
formas institucionais de participação – se tornaram realidade inevitável para os governantes de municípios
brasileiros e parte fundamental do processo de concepção, execução e controle de políticas públicas. (...) O
número de IPs no Brasil aumentou consideravelmente nas últimas décadas. Em 2001, mais de 90% dos
municípios do país já possuíam conselhos nas áreas de saúde e assistência social, além de expressiva
cobertura em áreas como a da criança e do adolescente e a da educação. Em anos mais recentes, se identifica
também a expansão expressiva de conselhos em outras áreas de políticas públicas que não necessariamente
envolvem repasses de recursos aos municípios, como política urbana, habitação, meio ambiente e cultura.
Outra observação importante, a partir dos dados para 2009, é o surgimento de conselhos municipais em novas
áreas de política pública, especialmente aquelas associadas aos temas dos direitos humanos, como direitos da
mulher, do idoso, das pessoas com deficiência e da juventude.
(Pires, Roberto, et al. Em busca de uma síntese: ambições comuns e Abordagens diversificadas na avaliação
da Efetividade das instituições participativas. In: Efetividade das instituições participativas no Brasil: estratégias
de avaliação/organizador: Roberto Rocha C. Pires. Brasília: Ipea, 2011.)
Sobre as Instituições participativas, é incorreto afirmar que:

a. As Instituições Participativas podem ampliar a capacidade de ação do Estado, sobretudo em áreas onde a
ação governamental é falha ou inexistente.

b. As Instituições Participativas podem substituir formas de participação social mais simples, como referendos e
plebiscitos.

c. As Instituições Participativas podem incluir indivíduos e grupos historicamente marginalizados na definição


de políticas e ações dos governos. 

Esta não é a resposta INCORRETA.

d. As Instituições Participativas se tornaram parte fundamental do processo de concepção, execução e controle


de políticas públicas no Brasil.

e. As Instituições Participativas podem reduzir conflitos e aumentar a confiança entre membros dos governos e
da população em geral.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.


Questão 3
Incorreto

Atingiu 0,00 de 1,00

Marcar questão

Texto da questão
As organizações civis desempenham funções e têm competências que a burocracia não poderá substituir no
curto e médio prazos, tais como expertise, capilaridade, flexibilidade e engajamento nas políticas mencionadas.
Mas a burocracia pública é considerada indispensável à implementação bem-sucedida das políticas, por ter
quadros permanentes e melhor infraestrutura, condição complementar à continuidade e institucionalização. Às
Organizações Não Governamentais – ONGs cabe o papel primordial – mas não exclusivo – de formular e
desenvolver alternativas para tornar as políticas efetivas e disseminadas, alargar e qualificar o raio de alcance
da burocracia federal, ampliar a legitimidade e aprimorar os objetivos das políticas públicas formuladas pelas
burocracias.
(Lopez, Félix; Abreu, Renato. A participação das ONGs nas políticas públicas: O ponto de vista de gestores
federais. Texto para Discussão 1949. Brasília: IPEA, 2014.
Sobre as formas de ativismo e o papel das Organizações da Sociedade Civil (OSCs) ou Organizações
não Governamentais (ONGs) é correto afirmar que

a. As ONGs devem substituir o Estado e o Governo, pois são mais eficientes na execução de políticas.

b. As ONGs não deveriam existir, pois servem somente para promover casos de corrupção e mau uso de
recursos públicos. 

Errado. As ONGS têm competências fundamentais, tais como expertise, capilaridade, flexibilidade e


engajamento.

c. As ONGs atuam em diversas áreas de políticas públicas, quase nunca em diálogo direto com o governo.

d. São exemplos de ONGs: o Movimento Feminista, o Movimento Negro e o Movimento Indígena.

e. As ONGs podem executar ações e políticas públicas, complementando a ação do Estado.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 4
Incorreto

Atingiu 0,00 de 1,00


Marcar questão

Texto da questão
Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito
Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
I - a soberania;
 II - a cidadania;
 III - a dignidade da pessoa humana;
 IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;
 V - o pluralismo político.

Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou
diretamente, nos termos desta Constituição.
(Constituição da República Federativa do Brasil. 55ª ed. São Paulo: Saraiva, 2018)

De acordo com o Art. 1, § 1 da Constituição Federal de1988, quais são as formas de exercício do poder
popular?

a. Formas diretas, com ênfase na eleição de presidentes, governadores, senadores, deputados e vereadores.

b. Formas indiretas, tais como plebiscito e referendos.

c. O povo exerce seu poder tanto por formas diretas quanto por formas indiretas. 

d. O povo exerce o poder diretamente em todos os casos, já que, de acordo com a constituição brasileira, todo
o poder emana do povo.

e. O povo não exerce diretamente o poder. Isso é uma atribuição de nossos políticos. 

Errado. Há diversos casos previstos na constituição onde o povo exerce diretamente seu poder.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Questão 5
Incorreto

Atingiu 0,00 de 1,00

Marcar questão
Texto da questão
Sobre as formas institucionalizadas de participação, é incorreto afirmar que:

a. As consultas públicas são presenciais enquanto as audiências públicas podem ser realizadas à distância, por
meio da internet e/ou telefone.

b. As conferências são realizadas em etapas e indicam aos governos os principais problemas e questões a
serem enfrentadas nos vários temas de ação governamental.

c. Os conselhos são compostos por representantes do governo e da sociedade civil, que decidem
conjuntamente sobre o destino de políticas e sobre o uso de recursos públicos.

d. As formas institucionalizadas de participação promovem a interação e o diálogo entre governo e indivíduos


que fazem parte da sociedade civil. 

Esta não é a alternativa INCORRETA.

e. As instituições participativas são, via de regra, formalmente reguladas (pela constituição, por leis, por
decretos, por medidas provisórias ou por portarias governamentais).
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Terminar revisão

MÓDULO 5

Questão 1
Incorreto

Atingiu 0,00 de 1,00

Marcar questão

Texto da questão

Não obstante o mérito dos esforços envidados, são enormes os desafios para a concepção, a implementação, o
monitoramento e a avaliação de uma política “de Estado” de direitos humanos no Brasil. Em especial, há
desafios importantes na fundamentação teórico-conceitual dos direitos humanos – a fim de colocar o discurso
em defesa dos direitos humanos em um quadro intelectual mais sólido, capaz de amparar (e ao mesmo tempo
transcender) o mero apelo político deste discurso –, na sistematização de dados e informações sobre os
direitos humanos, no aperfeiçoamento dos mecanismos de participação cidadã de grupos sociais
historicamente discriminados e/ou excluídos, na promoção da integração das diversas instituições e políticas
públicas visando à promoção dos direitos humanos, e muitos outros desafios.
PINHEIRO, Maurício Mota Saboya. Direitos humanos e liberdades: conceitos centrais de uma nova visão de
desenvolvimento. Boletim de análise político-institucional, n.3, IPEA, Brasília-DF, março 2013, p.33-36.
 
Além do que foi lembrado no trecho, que outros desafios podem ser apresentados para a concepção, a
implementação, o monitoramento e a avaliação de uma política de direitos humanos no Brasil?

a. a falta de um sistema internacional de proteção dos direitos humanos.

b. a falta de leis, no Brasil, sobre proteção dos direitos humanos. 

Errado. Existem muitas normas brasileiras sobre esse tema.

c. a absoluta ausência de recursos orçamentários.

d. a ausência de iniciativas de capacitação para direitos humanos.

e. grande número de entes e órgãos públicos envolvidos com o tema.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 2
Incorreto

Atingiu 0,00 de 1,00

Marcar questão

Texto da questão
As normas internacionais de combate à discriminação racial fazem parte do sistema especial de  proteção  dos 
direitos  humanos,  que  se  diferencia  do  sistema  geral  por  se  direcionar  a  um  sujeito  concreto,  diverso 
de  um  sujeito  de  direito  abstrato  e  genérico.
GOES, Fernanda Lira; SILVA, Tatiana Dias. O regime internacional de combate ao racismo e à discriminação
racial. Rio de Janeiro: IPEA, 2013, p.9. (Texto para Discussão n. 1882)
De acordo com o que vimos, como podemos diferenciar o sistema especial do sistema geral de
proteção dos direitos humanos, no âmbito internacional?

a. Ambos são idênticos e voltados ao mesmo tipo de sujeito


b. São complementares e o sistema especial está direcionado a pessoas em situação de vulnerabilidade.

c. O sistema geral é internacional e o sistema especial, nacional.

d. O Brasil aderiu apenas ao sistema especial de proteção.

e. O sistema geral é ligado à ONU e o sistema especial, à OEA. 

Errado. Há normas gerais e especiais nas duas organizações.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler depois a versão integral aqui.

Questão 3
Correto

Atingiu 1,00 de 1,00

Marcar questão

Texto da questão
No final dos anos 1990, contudo, nota-se uma inovação na utilização desse instrumento. A novidade reside na
incorporação de temas tangentes aos direitos humanos e ao desenvolvimento socioeconômico, que retomam
aspectos da segurança humana. A expressão “segurança humana” foi oficialmente inserida no âmbito da ONU
por meio do Relatório sobre Desenvolvimento Humano de 1994, publicado pelo Programa das Nações Unidas
para o Desenvolvimento (Pnud). Uma de suas principais contribuições é colocar os indivíduos no centro das
políticas e dos programas da organização, fundamentando algumas das discussões acerca da responsabilidade
internacional na proteção de indivíduos, independentemente de sua nacionalidade. Outra importante
contribuição diz respeito à identificação de aspectos econômicos, sociais, ambientais e políticos como possíveis
ameaças à segurança e vida das pessoas, sugerindo que o desenvolvimento humano é passo indispensável
para o alcance da paz.
OLIVEIRA, Ana Paula Lage de; REBELO, Tamya. O Brasil e as agendas temáticas do CSNU. In: SCHMITZ,
Guilherme de Oliveira; ROCHA, Rafael Assumpção (orgs.). Brasil e o Sistema das Nações Unidas: desafios e
oportunidades na governança global. Brasília: IPEA, 2017. p. 181.
 
O trecho anterior trata das Resoluções temáticas do Conselho de Segurança das Nações
Unidas (CSNU). O que podemos afirmar, com base nessas informações?

a. na prática, a proteção aos direitos humanos, na ONU, não é responsabilidade apenas do seu Conselho de
Direitos Humanos. 

Muito bem! Perceba que várias outras instâncias, como o Conselho de Segurança, acabam tratando do tema.
b. o Conselho de Segurança da ONU não trata de direitos humanos.

c. o sistema internacional de proteção dos direitos humanos não envolve a ONU.

d. direitos humanos e segurança são dois temas que não se relacionam.

e. a responsabilidade de cada país está limitada aos seus cidadãos.


Feedback
Sua resposta está correta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 4
Incorreto

Atingiu 0,00 de 1,00

Marcar questão

Texto da questão

Em 2008 a proteção a pessoas ameaçadas se estruturou como programa autônomo presente no PPA,
abarcando ações antes dispersas nas áreas de proteção a testemunhas, assistência a vítimas de crimes,
proteção a defensores de direitos humanos e proteção a crianças e adolescentes ameaçados de morte. Tal
integração atende a recomendação do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, que propôs a
criação de um sistema nacional de proteção. Mas, para que tal sistema seja implantado em sua completude,
resta que os diversos programas de proteção operados pelos órgãos estaduais de segurança pública, o
programa da polícia federal – depoente especial – e os da SEDH atuem de forma mais articulada.
NATALINO, Marco Antonio; ANDRADE, Carla Coelho de. Capítulo 11: Direitos humanos e cidadania. Políticas
Sociais: acompanhamento e análise, n.18, IPEA, Brasília-DF, 2010, p.292-293.
 
Com base no trecho anterior, o que podemos afirmar sobre as políticas brasileiras de proteção aos
direitos humanos?

a. são criadas e mantidas sem participação da sociedade.

b. a inclusão no Plano Plurianual (PPA) não é importante para a integração.

c. sempre foram organizadas de forma integrada em um sistema. 

Errado. Segundo o trecho, isso ainda é um desafio.

d. não estão limitadas às ações do governo federal.


e. são de responsabilidade exclusiva da Polícia Federal.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 5
Incorreto

Atingiu 0,00 de 1,00

Marcar questão

Texto da questão

É importante destacar que a criação do Conselho de Direitos Humanos da ONU (CDH) em junho de 2006, em
substituição à antiga Comissão de Direitos Humanos, constitui um marco para a consolidação do status dos
direitos humanos nas Nações Unidas, como um dos grandes temas da organização, em conjunto com paz e
segurança – representado no Conselho de Segurança –, e desenvolvimento (representado no Conselho
Econômico e Social). Quando da instituição do conselho, a Assembleia Geral da ONU decidiu que este deveria
realizar revisões periódicas, baseadas em informações objetivas e fidedignas, de fontes governamentais e não
governamentais de todos os Estados-Membros, sobre o cumprimento das obrigações e compromissos de
direitos humanos em nível nacional. Com base nessa decisão da Assembleia Geral, o conselho normatizou um
mecanismo de Revisão Periódica Universal (RPU), estabelecendo um calendário para que os países
apresentassem relatórios governamentais e não governamentais sobre a situação dos direitos humanos de
forma geral, apontando os avanços obtidos, as dificuldades e o cumprimento dos tratados e compromissos
internacionais assumidos pelo Estado. Para muitos analistas, este mecanismo representa o mais importante
avanço do CDH em relação à antiga comissão. Em princípio, a própria lógica comunicativa do mecanismo deve
constranger os Estados a evitar táticas de evasão de temas sensíveis ou sobre os quais, por algum motivo,
prefeririam não se pronunciar. Acredita-se que este mecanismo possa empoderar grupos de direitos humanos
locais e subsidiar decisões de ajuda humanitária e cooperação internacional, possivelmente influenciando nas
relações diplomáticas entre os países em alguns casos.
(Natalino, Marco; Bicalho, Nair. Direitos Humanos e Cidadania. Políticas sociais: acompanhamento e análise, n.
16. Rio de Janeiro: Ipea, 2008)

Sobre o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU), é incorreto afirmar que

a. O Conselho de Direitos Humanos da ONU tem como objetivo reforçar a promoção e a proteção dos direitos
humanos em nível internacional 

Esta não é a alternativa INCORRETA.


b. O Conselho Direitos Humanos da ONU aconselha a Assembleia Geral das nações unidas sobre situações
em que os direitos humanos são violados.

c. Cabe ao Conselho de Direitos Humanos da ONU analisar os registros de direitos humanos de todos os
países membros da ONU.

d. O Conselho de Direitos Humanos da ONU é subordinado a outros Conselhos mais importantes, tais como o
Conselho Econômico e Social e o Conselho de Segurança da ONU.

e. A Atuação do Conselho de Direitos Humanos da ONU pode fortalecer grupos de direitos humanos locais e
influenciar nas relações diplomáticas entre os países.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Terminar revisão

MÓDULO 6

Questão 1
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão
Organizados na forma de movimentos sociais, os cidadãos-hóspedes fortalecem sua posição coletiva para
denunciar e enfrentar o abandono e a violência estatal. De adversário ou algoz, o ente estatal passa a ser
considerado um interlocutor e, em seguida, uma arena a ser disputada. Por meio de agregações de bases
comunitárias, os sujeitos da “espoliação urbana” conseguem, em maior abrangência, exercer coletivamente as
prerrogativas de cidadania que lhes foram negadas individualmente. Isso permite uma elevação de
complexidade no tipo de demandas que são agregadas, da mera denúncia da situação de violação à busca
pela transformação dos processos político-territoriais que lhe deram causa.
AVELINO, Daniel Pitangueira de. Cidade e cidadania: considerações sobre a gestão democrática na política
urbana brasileira. In: COSTA, Marco Aurélio (org.). O Estatuto da Cidade e a Habitat III: um balanço de quinze
anos da política urbana no Brasil e a Nova Agenda Urbana. Brasília: IPEA, 2016. p. 134.
 
Com base no trecho anterior, o que podemos afirmar sobre movimentos sociais?

 
a. Não dialogam com o Estado. 

Errado. O trecho afirma o contrário, não?

b. O termo sofreu uma mutação: antes significava sociedade política.

c. São organizados em torno de uma demanda individual.

d. O Estado também é uma arena a ser disputada pela sociedade civil.

e. Os movimentos sociais não buscam uma transformação da sociedade.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 2
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão

No final das contas, a análise dos processos participativos – formais e informais – realizada nesta pesquisa
atesta contra a ideia de que a mobilização e a participação da sociedade tendem a causar atrasos (...). Nos três
casos com atrasos significativos, a relação parece ser inversa. Atrasos e tentativas de lidar com eles tiveram
efeitos perversos para a relação com a população local. No caso do metrô de Salvador, o atraso foi a causa da
maior parte das manifestações de desagrado que a pesquisa detectou. No caso da BR-163, o atraso da obra
resultou no esfriamento das mobilizações e nos comprometimentos de atores na sociedade e no Estado em
favor de um plano sustentável. O que sobrou foi apenas o asfalto. No caso da ferrovia Transnordestina, a
tentativa de apressar a obra, não se respeitando o tempo adequado para organizar o processo de licenciamento
ambiental e as desapropriações, resultou em impactos maiores que os necessários em comunidades pobres.
Mesmo assim, a construção atrasou, ainda que por outras razões
 
ABERS, Rebecca Neaera. Conflitos, mobilizações e participação institucionalizada: a relação entre a sociedade
civil e a construção de grandes obras de infraestrutura. In: GOMIDE, Alexandre de Ávila; PEREIRA, Ana Karine
(eds.). Governança da política de infraestrutura: condicionantes institucionais ao investimento. Rio de Janeiro:
IPEA, 2018. p.370.
 
Lembrando o que foi estudado, como podemos caracterizar a relação entre a sociedade civil e o
Estado?

 
a. Participação e manifestações da sociedade civil causam atrasos em grandes obras do Estado.

b. A sociedade civil é formada por indivíduos, não organizações.

c. Sociedade civil e Estado podem atuar em parceria.

d. Sociedade civil é o oposto de movimento social. 

Errado. Os movimentos sociais compõem a sociedade civil.

e. A sociedade civil não interfere com as obras públicas.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 3
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão

LOPEZ, Felix Garcia (org.). Perfil das organizações da sociedade civil no Brasil. Brasília: IPEA, 2018. p.123.
 
Com base no que vimos, o que podemos afirmar sobre as parcerias entre Estado e Organizações da
Sociedade Civil (OSC)?

a. A parceria entre OSC e Estado é regida pela Lei de Licitações.

b. Não pode haver remuneração de dirigentes das OSC. 

Errado. Com a nova lei, é possível remunerar dirigentes das OSC.

c. Termos de fomento e termos de colaboração são a mesma coisa.

d. Organizações da sociedade civil fazem parceria com o Estado por meio de convênios.

e. O valor transferido pela União para Organizações da Sociedade Civil reduziu em 2016 e 2017.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 4
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão

Os  resultados  da  pesquisa  mostraram  que  a  Pnapo  é  uma  política  que  nasceu  dos  anseios  da 
sociedade  civil  organizada,  os  quais  adentraram  o  Estado  por  meio  dos  espaços  de  participação  social 
e  da  permeabilidade  às  agendas  dos  movimentos  sociais  do  campo.  Tendo  como  objetivo  ser  uma 
política  integradora,  observou-se  nas  entrevistas  a  importância  dada  pelos  atores  à  sua  existência  e 
aos  instrumentos  de articulação proporcionados pela Cnapo e Ciapo. Quase todos os pontos positivos citados
pelos entrevistados tiveram alguma relação com esses espaços de diálogo, os quais propiciaram a construção
da parceria entre governo e sociedade e estimularam também uma  abordagem  interministerial  dentro  do 
âmbito  governamental.  Outros  ganhos  importantes  proporcionados  por  esses  espaços  foram  a 
articulação  dos  movimentos  sociais e o aprendizado.
SAMBUICHI, Regina Helena Rosa; SPÍNOLA, Paulo Asafe Campos; MATTOS, Luciano Mansor de; ÁVILA,
Mário Lúcio de; MOURA, Iracema Ferreira de; SILVA, Ana Paula Moreira da. Análise da construção da Política
Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica no Brasil. Rio de Janeiro: IPEA, 2017. P.44-45. (Texto para
Discussão n. 2305)
 
GLOSSÁRIO
Ciapo
Câmara Interministerial de Agroecologia e Produção Orgânica - composta por representantes dos ministérios que atu
na política.
Cnapo
Comissão Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica - formada por
representantes do governo e de entidades da sociedade civil.
Pnapo
Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica - criada em 2012, com o objetivo de integrar, articular e adeq
as políticas públicas que contribuem para a produção sustentável de alimentos saudáveis e livres de contaminantes
químicos, aliando o desenvolvimento rural com a conservação dos recursos naturais e a valorização do conhecimento
povos e comunidades tradicionais.
 
 
Com base no que estudamos, o que podemos afirmar sobre a influência da sociedade civil sobre as
políticas públicas?

a. Não há, porque sociedade civil e Estado são coisas distintas.

b. A influência da sociedade civil sobre o Estado é sempre prejudicial.

c. Só há influência do Estado sobre a sociedade, via políticas públicas. 

Errado. A sociedade civil também influencia o Estado.

d. Ao influenciar as políticas públicas, os movimentos sociais também são afetados, porque se articulam e
aprendem.

e. Há influência da sociedade sobre o Estado, mas não nas políticas públicas, que sempre são estatais.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 5
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão
Texto da questão

TATAGIBA, Luciana; ABERS, Rebecca; SILVA, Marcelo Kunrath. Movimentos sociais e políticas públicas:
ideias e experiências na construção de modelos alternativos. In: PIRES, Roberto; LOTTA, Gabriella; OLIVEIRA,
Vanessa Elias de. Burocracia e políticas públicas no Brasil: interseções analíticas. Brasília: IPEA; ENAP, 2018.
p. 113.
 
Com base no que estudamos, o que podemos afirmar sobre movimentos sociais?

a. Podem interferir na constituição de políticas públicas.

b. São sempre organizados de modo formal.

c. Sempre possuem caráter nacional.

d. Não se preocupam com a transformação de um setor da sociedade. 

Errado. Podem existir movimentos setoriais.

e. Se interagem com o Estado, não são mais movimentos sociais.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Terminar revisão

MÓDULO 7
Questão 1
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão

Os Conselhos necessitam de um corpo de funcionários para desenvolver atividades rotineiras. São órgãos
públicos e contam com uma natureza dual. De um lado, há o espaço colegiado propriamente dito, composto por
representantes governamentais e não governamentais, que dialogam de forma horizontal, segundo regras
previamente definidas. De outro lado, existe uma burocracia subordinada à hierarquia governamental e
dedicada a prover aqueles representantes das condições necessárias para que o diálogo livre e esclarecido
aconteça, ou seja, organizar, secretariar e apoiar suas atividades. A esse segundo conjunto de pessoas
denominamos equipe de apoio técnico ao colegiado.
(AVELINO, Daniel; ALENCAR, Joana; COSTA, Caio. Colegiados nacionais de políticas públicas em contexto de
mudanças: equipes de apoio e estratégias de sobrevivência. Rio de Janeiro: IPEA, 2017).
Sobre as Secretarias executivas e equipes de apoio técnico é incorreto afirmar que:

a. Em geral, as secretarias executivas são mantidas com recursos públicos.

b. Na maioria dos casos, as organizações da sociedade civil (OSC) são responsáveis  por garantir instalações
adequadas ao funcionamento das equipes de apoio técnico.

c. Idealmente, as Secretarias Executivas devem contar com profissionais vinculados a carreiras efetivas da
administração pública, para garantir a preservação da memória do conselho no longo prazo.

d. A existência de equipes de apoio técnico não deve ser exclusiva aos Conselhos Nacionais, mas também são
fundamentais para o funcionamento de Conselhos Estaduais e municipais. 

Esta não é a alternativa INCORRETA.

e. Entre as atividades típicas das Secretarias executivas, é possível citar a gestão de calendários, atas de
reunião e demais documentos necessários para a realização dos trabalhos em torno de cada conselho.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 2
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00


Marcar questão

Texto da questão

O que se observou na última década foi a continuidade da forma de gestão difusa desenvolvida a partir da
CF/1988. Vários conselhos nacionais foram criados ou “democratizados” (...) como mecanismo permanente de
diálogo com a sociedade em diversas áreas de políticas públicas. As conferências nacionais continuaram a ser
utilizadas como processos massivos e federativos de consulta popular, com 74 conferências realizadas entre
2003 e 2010 (...) e 29 entre 2011 e 2014 (...). A adoção de sistemas interfederativos de políticas públicas foi um
terreno fértil para a institucionalização de mecanismos de participação como conselhos e conferências nos
âmbitos federal, estadual, distrital e municipal.  Em resumo, a expansão fragmentada foi a característica
marcante da gestão difusa da participação social nos últimos anos.
AVELINO, Daniel Pitangueira de. Difusão e Concentração: notas sobre a gestão da participação social no
governo federal. Boletim de Análise Político-Institucional, n. 8, Jul.-Dez. 2015, p.18.
 
Com base no que estudamos, o que podemos afirmar sobre os Conselhos de Políticas Públicas?

a. Conselhos de Políticas Públicas são mecanismos permanentes de diálogos criados pela sociedade civil.

b. Os Conselhos de Políticas Públicas existem no governo federal, mas não nos níveis estaduais e municipais. 

Errado.  Há conselhos em todos os níveis da federação.

c. O número de conselhos (assim como de conferências) se expandiu na última década, ainda que de forma
fragmentada.

d. Os representantes do governo não fazem parte dos Conselhos de Políticas Públicas.

e. Os Conselhos de Políticas Públicas substituíram os antigos Conselhos Gestores.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 3
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00


Marcar questão

Texto da questão

Sobre a articulação entre Conselhos e as Conferências de Direitos Humanos no Brasil, é incorreto dizer


que:

a. Existem Conselhos nos diversos níveis de governo (nacional, estaduais, distritais e municipais). 

Esta não é a alternativa INCORRETA.

b. Em vários casos, é necessário que conselhos nacionais, estaduais, distritais, e municipais atuem de forma
articulada e integrada, já que as políticas de Direitos Humanos são transversais.

c. Os Conselhos em geral atuam na convocação, organização, participação nos debates e no monitoramento


da implementação de resoluções e deliberações de conferências.

d. As políticas de Direitos Humanos podem ser mais eficientes e eficazes caso haja uma adequada articulação
institucional entre conselhos e conferências.

e. A integração entre Conselhos e Conferências é automática e satisfatória, sobretudo nas atividades de


monitoramento de resoluções e deliberações.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Questão 4
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão

Por um lado, quando observado de forma agregada, o perfil dos conselheiros nacionais indica que estes são
atores que possuem renda e escolaridade substancialmente superiores à média da população brasileira,
sugerindo, assim, algum tipo de representação elitizada da sociedade nos espaços de participação. Além disso,
as evidências sugerem que tem se manifestado a reprodução de algumas das desigualdades mais marcantes
na sociedade brasileira. O perfil dos conselheiros é marcado por predominâncias do sexo masculino, da cor
branca e de origens regionais concentradas nos principais centros econômicos e políticos do país. Por outro
lado, a perspectiva agregada esconde diversas situações e experiências que apontam em direção distinta. Há
considerável variação entre os conselhos nacionais quanto ao perfil dos seus conselheiros. Em alguns casos,
como na área de garantia de direitos e de políticas sociais, os conselhos exibem uma composição mais plural e
diversificada, sendo mais inclusivos em relação à população que esteve historicamente fora dos espaços de
poder e decisão: mulheres, negros, menos escolarizados e com rendas mais baixas. Há inclusive conselhos,
como os de Igualdade Racial, Povos e Comunidades Tradicionais, e Direitos da Mulher, nos quais grupos
tradicionalmente excluídos da política (não brancos ou mulheres) têm participação relativa superior aos demais
segmentos. Estas informações indicam claramente avanços no sentido de maior inclusão política e,
consequentemente, de redução de desigualdades.
(ALENCAR, J. ; Cruxên, I. ; FONSECA, Igor F. ; PIRES, R. ; RIBEIRO, U. C. . Participação Social e
Desigualdades nos Conselhos Nacionais. Sociologias (UFRGS. Impresso), v. 15, p. 112-146, 2013.).
Sobre os Conselhos de Políticas Públicas no Brasil, é correto dizer que:

a. Os Conselhos têm como objetivo defender os direitos da maioria da população, sendo contrários aos
privilégios que o governo dá à grupos como negros e feministas.

b. A composição dos Conselhos de garantia de direitos é mais elitizada que a composição dos Conselhos de
Desenvolvimento econômico 

Errado.  A Composição dos Conselhos de garantia de direitos é mais plural e diversa que a composição dos
Conselhos de Desenvolvimento econômico.

c. Os conselhos de garantias de direitos e os conselhos de políticas sociais têm forte atuação na área de
Direitos Humanos.

d. O perfil dos conselheiros na área de políticas sociais e garantia de direitos é marcado por predominâncias do
sexo masculino, da cor branca e de origens regionais concentradas nos principais centros econômicos e
políticos do país.

e. O Conselho Nacional dos Direitos Humanos é responsável pela gestão do Fundo Nacional da Criança e do
Adolescente (FNCA).
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 5
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão

Sobre o funcionamento dos conselhos de políticas públicas no Brasil, é incorreto afirmar que:


 

a. São Considerados paritários os Conselhos em que metade de seus membros são representantes
governamentais e metade representam organizações da sociedade civil

b. Os Conselhos em que o número de conselheiros governamentais e não-governamentais não é equivalente


são chamados conselhos não-paritários

c. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente é um Conselho deliberativo, pois é responsável
pela gestão de recursos públicos. 

Esta não é a alternativa INCORRETA.

d. Os Conselhos Consultivos são aqueles em que a atuação é direcionada para o assessoramento


governamental, sem exercer diretamente a gestão de políticas públicas.

e. Os Conselhos deliberativos são mais importantes que os conselhos consultivos.


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Terminar revisão

MÓDULO 8

Questão 1
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão
Texto da questão

ALENCAR, Joana Luiza Oliveira; REYES JUNIOR, Edgar. Análise da rede de relações e sua influência nas
políticas públicas de turismo. Rio de Janeiro: IPEA, 2017, p.21. (Texto para Discussão n. 2355).
 
De acordo com o que vimos, o que podemos afirmar sobre o papel político dos conselheiros e
conselheiras?

a. Conselheiros e conselheiras atuam de forma isolada

b. A rede de relações de um conselho é formada por representantes governamentais e não governamentais.

c. Os representantes governamentais são mais importantes. 

Errado. Todos os membros são igualmente importantes.

d. Membros governamentais não dialogam com membros da sociedade civil.

e. Ter uma rede de relações não faz diferença para a atuação no conselho.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler depois a versão integral aqui.

Questão 2
Correto

Atingiu 2,00 de 2,00


Marcar questão

Texto da questão

Ao analisar as representações da sociedade civil, é necessário compreendê-las em uma perspectiva plural, na


medida em que integram a sociedade civil movimentos sociais e entidades com perfis diferenciados. Portanto,
as trajetórias, os projetos e repertórios de ação são distintos na sociedade civil. No caso dos gestores, existe
uma rotatividade maior em decorrência principalmente da sujeição às mudanças de governo no âmbito federal,
estadual e municipal. Para os gestores, o argumento do pertencimento e vivência é  o  mais  determinante 
para  a  representação,  sendo  inclusive  superior  à  qualificação  profissional ou à capacidade de influenciar
as decisões, o que pode reafirmar o peso do pertencimento e atuação na área para a gestão da segurança
pública.
CARDOSO, Gabriela Ribeiro. O legado da primeira Conferência Nacional de Segurança Pública e as
concepções de representação política no Conasp. Brasília; Rio de Janeiro: IPEA, 2015, p.92-93. (Texto para
Discussão n. 2057)
 
Com base no trecho anterior, o que podemos afirmar sobre representação nos conselhos?

a. as regras de representação de um conselho (no caso, o de segurança pública) podem não servir para
outros. 

Muito bem! Cada área tem a sua lógica, o que resulta em formas diferentes de representação.

b. conselheiros e conselheiras governamentais são permanentes.

c. conselheiros e conselheiras governamentais não exercem representação.

d. representantes governamentais não têm relação com a área do conselho

e. representantes governamentais são membros de notório saber.


Feedback
Sua resposta está correta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 3
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00


Marcar questão

Texto da questão

CRUXÊN, Isadora Araújo; ALENCAR, Joana Luiza Oliveira; LIMA, Paula Pompeu Fiuza; RIBEIRO, Uriella
Coelho. Conselhos Nacionais: perfil e atuação dos conselheiros. Relatório de Pesquisa. Brasília: IPEA, 2013,
p.25.
 
Com base no que estudamos, o que podemos afirmar sobre conselheiros e conselheiras?

a. todos os conselheiros e conselheiras possuem um perfil semelhante.

b. em geral, conselhos de garantia de direitos contam com membros com maior renda familiar mensal.

c. seja qual for o perfil de renda do conselheiro ou conselheira, é importante conectar-se com suas bases de
representação.

d. se o conselheiro ou conselheira é de baixa renda, não necessita dialogar com a sociedade. 

Errado. Todos os conselheiros e conselheiras precisam dialogar com a sociedade

e. conselheiros e conselheiras de alta renda não precisam buscar aprender novos conhecimentos.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 4
Incorreto

Atingiu 0,00 de 2,00


Marcar questão

Texto da questão

AVELINO, Daniel Pitangueira de; RIBEIRO, Jefferson Davidson Gomes; MACHADO, Debora Fernandes
Pereira. Representação da sociedade civil nos conselho e comissões nacionais. Relatório de Pesquisa. Rio de
Janeiro: IPEA, 2017, p.26.
 
Com base no que estudamos, o que podemos afirmar sobre as formas de escolha de representantes da
sociedade civil?

a. membros da sociedade civil são escolhidos sempre por eleição. 

Errado. Como a tabela mostra, há outras formas de escolha.

b. indicação pelo presidente é a forma de escolha mais comum.

c. pessoas especialista (ou de notório saber) em geral são eleitas.

d. a norma de criação do conselho determina o modo de escolha.

e. representantes da sociedade civil não podem ser indicados nominalmente no ato de criação.
Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Questão 5
Incorreto
Atingiu 0,00 de 2,00

Marcar questão

Texto da questão

Considerando o número de servidores públicos na equipe de apoio – comissionados ou  não  –  como 
parâmetro,  observa-se  que  a  maioria  dos  colegiados  é  apoiada  por  grupos de pequeno porte. Dos 24
casos de existência de equipe com atuação exclusiva, doze contam com dois servidores ou menos designados
para a equipe de apoio técnico (...).  Outros  dois  trabalham  com  três  a  cinco  servidores,  e  mais  cinco 
atuam  com seis a dez servidores. Se fosse adotada uma escala que variasse de zero a 36, que é o maior
número de servidores observado, dezessete colegiados (70,8% dos que possuem equipes exclusivas) estariam
no primeiro quarto da medida. Os casos extremos são os dois colegiados – CNPIR e CNTur – que na época
das visitas técnicas contavam com apenas um servidor respondendo por sua equipe de apoio.
AVELINO, Daniel Pitangueira de; ALENCAR, Joana Luiza Oliveira; COSTA, Pedro Caio Borges. Colegiados
nacionais de políticas públicas em contexto de mudanças: equipes de apoio e estratégias de sobrevivência.
Brasília; Rio de Janeiro: IPEA, 2017, p.45. (Texto para Discussão n. 2340).
 
Considerando o que estudamos neste módulo, o que pode ser dito sobre as estruturas internas dos
conselhos?

a. os conselhos são divididos internamente em plenária e grupo.

b. a equipe de apoio técnico é composta por conselheiros eleitos.

c. em 2016 os conselhos não contavam com equipes de apoio.

d. no âmbito federal existia uma “casa dos conselhos” ou similar. 

Errado. Cada colegiado contava com sua equipe de apoio própria

e. no CNPIR e CNTur a secretaria executiva tinha pessoal insuficiente


Feedback
Sua resposta está incorreta.

Se interessou pelo texto? Pode ler a versão integral aqui.

Terminar revisão