Você está na página 1de 94

Gestão de Segurança no Trabalho (saúde, higiene e

ergonomia)

Pós Graduação em Gestão Estratégica de Recursos Humanos/Gestão da Qualidade e Processos Gerenciais/ Gestão da Produção
Industrial – Manufatura Enxuta_2020
Professor: Maílson J. da Silva
Aula 3 – 30/01/2021 – A Gestão de Segurança do
Trabalho nas empresas

 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA)


 O Mapa de Riscos
 Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do
Trabalho (SESMT)
 Documentos e programas em SST
 Treinamentos em SST
 Os passivos trabalhistas
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes

Objetivo

5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a


prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar
compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da
saúde do trabalhador.

Quais empresas necessitam ter CIPA?

• Instituições que admitem trabalhadores como empregados


• Empresas privadas, públicas, sociedades de economia mista, órgãos da
administração direta e indireta, instituições beneficentes, associações
recreativas, cooperativas
• Mecanismos de integração: empresas instaladas em centro comercial ou
industrial
• É constituída por estabelecimento
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes

Matriz - CIPA

Filial 1 – CIPA ou Filial 2 – CIPA ou


designado designado
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Quais são os membros que compõem a CIPA?

• Deve possuir representantes do empregador e dos empregados

• Representante do empregador: é designado um


Presidente da CIPA
• Representantes dos empregados: eleitos (é
escolhido um Vice-Presidente)

• Designado da CIPA: Quando o estabelecimento não se


enquadrar no quadro I da NR-5 (que trata do
dimensionamento em função do grupo de empresa e
quantidade de funcionários)

• Secretário e seu substituto: indicado de comum acordo,


entre membros da CIPA ou fora dos membros da CIPA
(com concordância do empregador)
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes

O designado

• Designado não tem estabilidade


• Designado passa por treinamento de 20 horas
• Designado não passa por reunião
• Designado é indicado pelo empregador
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Organização

• Mandato de um ano, permitida uma reeleição


• É vedada a dispensa arbitrária ou sem justa causa do empregado eleito
(desde o registro de sua candidatura até um ano após o final de seu mandato)
• É vedada a transferência para outro estabelecimento sem a anuência do
membro da CIPA, ressalvado o disposto nos parágrafos primeiro e segundo do
artigo 469, da CLT.
• Manter cópias das atas de posse e eleição, bem como o calendário anual das
reuniões ordinárias da CIPA. Fornecer cópias das atas aos membros da CIPA,
mediante recibo
• CIPA não pode ser desativada ou ter o número de seus membros reduzido.
• Exceção: encerramento das atividades do estabelecimento
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Quais são as atribuições dos cipeiros?

• Identificar riscos e elaborar o mapa de riscos


• Elaborar plano de trabalho que possibilite a ação preventiva
• Participar da implementação e do controle da qualidade das medidas de
prevenção necessárias
• Realizar, periodicamente, verificações nos ambientes de trabalho
• Participar de reuniões, discutindo ações que deveriam ser implantadas e
apresentar novos riscos identificados
• Divulgar aos trabalhadores informações relativas à SST
• Divulgar e promover o cumprimento de NRs e cláusulas de acordo e convenções
coletivas do trabalho relativas à SST
• Participar de discussões sobre alterações em ambientes de trabalho
• Requerer ao SESMT ou empregador a paralisação de máquina ou setor com
risco grave e iminente
• Colaborar na implantação do PPRA, PCMSO e outros programas de SST
• Participar da análise de acidentes e propor medidas de solução de problemas
identificados
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Quais são as atribuições dos cipeiros?

• Requisitar informações ao empregador sobre questões que tenham interferido


na segurança e saúde dos trabalhadores
• Requisitar à empresa cópia das CAT emitidas
• Promover a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho - SIPAT
• Participar, anualmente, em conjunto com a empresa, de Campanhas de
Prevenção da AIDS.

Quais são as responsabilidades dos empregados?

• Participar da eleição de seus representantes.


• Colaborar com a gestão da CIPA.
• Indicar à CIPA, ao SESMT e ao empregador situações de riscos e apresentar
sugestões para melhoria das condições de trabalho.
• Observar e aplicar no ambiente de trabalho as recomendações quanto à
prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho.
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Atribuições do Presidente da CIPA

• Convocar os membros para as reuniões da CIPA


• Coordenar as reuniões da CIPA, encaminhando ao empregador e ao SESMT,
quando houver, as decisões da comissão
• Manter o empregador informado sobre os trabalhos da CIPA.
• Coordenar e supervisionar as atividades de secretaria.
• Delegar atribuições ao Vice-Presidente

Atribuições do Vice-presidente da CIPA

• Executar atribuições que lhe forem delegadas.


• Substituir o Presidente nos seus impedimentos eventuais ou nos seus
afastamentos temporários.
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes

Atribuições do Presidente e Vice-Presidente da CIPA

• Cuidar para que a CIPA disponha de condições necessárias para o


desenvolvimento de seus trabalhos.
• Coordenar e supervisionar as atividades da CIPA, zelando para que os objetivos
propostos sejam alcançados
• Delegar atribuições aos membros da CIPA.
• Promover o relacionamento da CIPA com o SESMT, quando houver
• Divulgar as decisões da CIPA a todos os trabalhadores do estabelecimento
• Encaminhar os pedidos de reconsideração das decisões da CIPA;
• Constituir a comissão eleitoral.

Atribuições do Secretário

• Acompanhar as reuniões da CIPA e redigir as atas apresentando-as para


aprovação e assinatura dos membros presentes
• Preparar as correspondências
• Outras que lhe forem conferidas
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Funcionamento

• Reuniões ordinárias mensais, conforme


calendário preestabelecido. Devem ocorrer
durante expediente normal. Atas das reuniões
devem ser encaminhadas a todos os membros
• Reuniões extraordinárias: i) denúncia de
situação de risco grave e iminente; ii) acidente do
trabalho grave ou fatal; iii) solicitação expressa de
uma das representações

• Decisões: prioritariamente por consenso e na falta deste por votação


• Membro que falta a mais de quatro reuniões ordinárias, sem justificativa,
perderá seu mandato, sendo substituído por suplente mais votado
• Afastamento do Presidente: indicado o substituto pelo empregador,
preferencialmente entre os membros da CIPA
• Afastamento do Vice-Presidente: escolha de substituto pelos empregados, dentre
eles
• Se não houver suplentes disponíveis, deve ser realizada eleição extraordinária,
com prazos reduzidos pela metade
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Treinamento
• Deve ser realizado antes da posse
• Para o primeiro mandato o treinamento deve ser realizado em
até 30 dias após a data da posse
• Treinamento anual para o designado de CIPA
• Conteúdo do treinamento:
• Estudo do ambiente e riscos originados do processo produtivo
• Metodologia de investigação e análise de acidentes e doenças
do trabalho
• Noções sobre acidentes e doenças do trabalho decorrentes de
exposição aos riscos existentes na empresa
• Noções sobre a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida -
AIDS, e medidas de prevenção
• Noções sobre as legislações trabalhista e previdenciária
relativas à segurança e saúde no trabalho
• Princípios gerais de higiene do trabalho e de medidas de
controle dos riscos
• Organização da CIPA e outros assuntos necessários ao
exercício das atribuições da Comissão.
• Carga horária: 20 horas (8 horas diárias, no máximo)
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Funcionamento do Processo eleitoral

1. Empregador deve convocar eleições no prazo mínimo de 60 dias antes do término


do mandato atual. Sindicato deve ser comunicado
2. Presidente e Vice-Presidente da CIPA devem indicar membros para compor
Comissão Eleitoral, no mínimo 55 dias antes do término do mandato atual
3. Publicação e divulgação de edital
4. Inscrição e eleição individual – Prazo mínimo de 15 dias para inscrição. Garantia de
emprego para todos os inscritos até a eleição
5. Realização da eleição. Voto secreto Faculdade da eleição por meios eletrônicos

• Guarda, pelo empregador, de todos os documentos relativos à eleição, por um


período mínimo de cinco anos
• Caso menos de 50% dos empregados votem, deverá ter nova votação, no prazo
máximo de 10 dias
• Em caso de anulação, deverá ter nova votação no prazo de cinco dias
• No caso de empate, assume o membro com tempo de serviço maior no
estabelecimento
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes

10 dias, 5 dias,
após após
60 dias 55 dias 45 dias 30 dias eleições eleições Fim do
mandato
atual
Caso haja
Início Se menos
Formação Divulgação anulação
processo Eleições de 50%
da CE Edital por
eleitoral de votos
fraude
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Situação da CIPA de Contratantes e Contratadas

• Quando se tratar de empreiteiras ou empresas prestadoras de serviços, considera-se


estabelecimento, para fins de aplicação da NR-5, o local em que seus empregados
estiverem exercendo suas atividades
• Deve existir integração entre os membros da CIPA ou designados atuantes em um
mesmo estabelecimento (das contratantes e contratadas)
• A empresa contratante adotará medidas necessárias para que as empresas
contratadas, suas CIPA, os designados e os demais trabalhadores lotados naquele
estabelecimento recebam as informações sobre os riscos presentes nos ambientes
de trabalho, bem como sobre as medidas de proteção adequadas
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes

É possível demitir um membro eleito da CIPA com estabilidade?

• Demissão por justa causa (Artigo 482 da CLT)


• Trabalhador pode fazer uma carta renunciando seus direitos de estabilidade?
• Única possibilidade de demissão: trabalhador pede demissão
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Como dimensionar a CIPA?

1. Identificar atividade da empresa


2. Identificar quantidade de funcionários
3. Encontrar o Grupo de CIPA, no Quadro III da NR-5
4. Encontrar o número de membros efetivos e suplentes da CIPA, no Quadro I, a partir
do cruzamento das informações de Grupo x número de funcionários
5. Número encontrado deve ser dobrado, pois a CIPA é paritária

Exemplo:

• Empresa de CNAE 14.21-5 Fabricante de meias


• Possui 70 trabalhadores
• Como fica o dimensionamento?
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
Outros modelos de CIPA

NR 5 – CIPA NR 18 – CIPA NR-29 – NR-22 – NR-31 -


CPATP CIPAMIN CIPATR
NOME
Comissão Interna de Comissão Comissão de Comissão Comissão
Prevenção de Acidentes Interna de Prevenção de Interna de Interna de
Prevenção de Acidentes do Prevenção de Prevenção de
Acidentes Trabalho Acidentes do Acidentes do
Portuário Trabalho na Trabalho Rural
Mineração

DURAÇÃO DO MANDATO
01 ano 01 ano 02 anos 01 ano 02 anos
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
NR 5 – CIPA NR 18 – CIPA NR-29 – NR-22 – NR-31 -
CPATP CIPAMIN CIPATR
PRESIDENTE
Indicado pela empresa Indicado pela Indicado pela Indicado pela Não existe o
empresa empresa empresa cargo
no 1º ano do
mandato; no
2º ano é
indicado pelos
empregados
VICE-PRESIDENTE
Eleito pelos empregados Eleito pelos Rodízio anual Eleito pelos Não existe o
empregados entre empregados cargo
empresa e (com
empregados atribuições
ampliadas)
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes
NR 5 – CIPA NR 18 – CIPA NR-29 – NR-22 – NR-31 -
CPATP CIPAMIN CIPATR
PROMOÇÃO DA SIPAT
Sim Sim Sim Sim Não previsto
SECRETÁRIO
Escolhido de comum acordo Escolhido de Escolhido de Escolhido de Não é citado
pela CIPA comum comum comum no texto
acordo pela acordo pelos acordo entre
CIPA membros CIPA e
titulares Empresa
ELABORAÇÃO DO MAPA DE RISCOS PELA CIPA
Sim Sim Sim Sim Não prevista
DURAÇÃO DO CURSO
20 horas 20 horas 24 horas 40 horas 20 horas
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes

NR 5 – CIPA NR 18 – CIPA NR-29 – CPATP NR-22 – NR-31 -


CIPAMIN CIPATR
DESIGNADO OU RESPONSÁVEL ONDE NÃO HOUVER CIPA
Sim Sim Não Sim Sim (11 a 19
empregados
durante a
safra)
DIMENSIONAMENTO
Nº variável (conforme Caso 1: 2 ou até 70 20 ou mais 15 ou mais 20 ou mais
setor econômico e nº empregados; caso empregados empregados empregados
empregados) 2: acima de 70
O Mapa de Riscos
• É uma representação gráfica, em planta baixa, dos riscos ambientais existentes
em um local de trabalho
• Visa estimular a participação dos trabalhadores na identificação de riscos
ambientais
• Promove a conscientização dos trabalhadores sobre os riscos e medidas de
controle
• Classes de Risco

Físico Químico Biológico Acidente Ergonômico


Ruído Poeiras Vírus Arranjo físico deficiente Esforços físico intenso
Calor Névoas Bactérias Máquinas sem proteção Flexão da coluna
Frio Fumos Fungos Iluminação inadequada Manuseio de cargas
Vibrações Neblinas Parasitas Eletricidade Repetitividade
Radiações Gases Bacilos Animais peçonhentos Trabalho noturno
Umidade Vapores Etc Jornada de trabalho
Líquidos prolongada
Etc
O Mapa de Riscos
• Gradação do risco conforme percepção dos trabalhadores

Risco Leve Risco Médio Risco Moderado


O Mapa de Riscos
Exemplo

Fonte:SESI (1995)
O Mapa de Riscos
Identificação de Riscos – Visão
O Mapa de Riscos
Identificação de Riscos – Visão
O Mapa de Riscos
Identificação de Riscos – Visão
O Mapa de Riscos
Identificação de Riscos
O Mapa de Riscos
Serviços Especializados em Engenharia de
Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT

Quais são os profissionais do SESMT?


Serviços Especializados em Engenharia de
Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT

Quais empresas precisam constituir o SESMT?

Empresas privadas e públicas, os órgãos públicos da administração direta e indireta


e dos poderes Legislativo e Judiciário, que possuam empregados regidos pela
Consolidação das Leis do Trabalho – CLT

Os serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho


de que trata esta NR deverão ser registrados no órgão regional do MTb

Quais são os profissionais do SESMT?

• Engenheiros de segurança do trabalho, médicos do trabalho, enfermeiros do


trabalho , técnico de segurança do trabalho e auxiliar ou técnico de enfermagem
do trabalho. Devem ser empregados da empresa
• Carga horária dos profissionais: Técnico de Segurança do Trabalho e Técnico em
Enfermagem do Trabalho dedicam 8 horas por dia; Engenheiro de Segurança ou
Médico do Trabalho dedicam 3 ou 6 horas por dia
Serviços Especializados em Engenharia de
Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT
Atribuições

• Atribuições dos profissionais do SESMT:


• Aplicar os conhecimentos de engenharia de segurança e de medicina do
trabalho, de modo a reduzir até eliminar os riscos ali existentes
• Determinar, quando esgotados todos os meios conhecidos para a eliminação
do risco e este persistir, mesmo reduzido, a utilização, pelo trabalhador, de
Equipamentos de Proteção Individual – EPI
• Colaborar, quando solicitado, nos projetos e na implantação de novas
instalações físicas e tecnológicas da empresa
• Responsabilizar-se tecnicamente, pela orientação quanto ao cumprimento do
disposto nas NR aplicáveis
• Manter permanente relacionamento com a CIPA, apoiá-la, treiná-la e atendê-
la
• Promover a realização de atividades de conscientização, educação e
orientação dos trabalhadores
Serviços Especializados em Engenharia de
Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT

Atribuições

• Atribuições dos profissionais do SESMT:


• Esclarecer e conscientizar os empregadores sobre acidentes do trabalho e
doenças ocupacionais, estimulando-os em favor da prevenção
• Analisar e registrar todos os acidentes ocorridos na empresa ou
estabelecimento, com ou sem vítima, e todos os casos de doença ocupacional
• Registrar mensalmente os dados atualizados de acidentes do trabalho,
doenças ocupacionais e agentes de insalubridade
• Manter os registros na sede dos SESMT
• Elaboração de planos de controle de efeitos de catástrofes, de disponibilidade
de meios que visem ao combate a incêndios e ao salvamento e de imediata
atenção à vítima deste ou de qualquer outro tipo de acidente estão incluídos
em suas atividades.
Serviços Especializados em Engenharia de
Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT
Como é feito o dimensionamento do SESMT

• Gradação do risco da atividade principal e ao número total de empregados do


estabelecimento
• Se possuir mais de 50% dos funcionários em atividade secundária com grau
de risco maior que o da atividade principal, o dimensionamento deve ser em
função deste grau
• Canteiro de obras e frentes de trabalho: até 1000 empregados, no mesmo
Estado, não são considerados estabelecimentos. Engenheiros, médicos e
enfermeiros ficam centralizados e técnicos de segurança do trabalho e de
enfermagem ficam nos canteiros/frentes de trabalho
Serviços Especializados em Engenharia de
Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT
Dimensionamento

• Centralização do SESMT
• Quando todos estabelecimentos se enquadram no quadro de
dimensionamento: SESMT centralizado para atender conjunto de
estabelecimentos da empresa, desde que não fiquem distantes a mais de 5km
do Serviço
• Quando os estabelecimentos não se enquadram no quadro de
dimensionamento, mas a somatória de seus funcionários sim: SESMT
centralizado no Estado, Território ou Distrito Federal
• Quando apenas alguns estabelecimentos da empresa se enquadrarem no
quadro de dimensionamento, os estabelecimentos que possuem SESMT
podem atender os estabelecimentos que não possuem SESMT, desde que os
estabelecimentos estejam no mesmo Estado, Território ou Distrito Federal
• Empresas de grau de risco 1 podem ter SESMT em conjunto com outros serviços
de medicina e engenharia
Documentos e programas em SST
Documento O que é Obrigatoriedade
PPRA – Programa de Programa para o controle dos Todas as empresas que
Prevenção de Riscos riscos físicos, químicos e possuem empregados regidos
Ambientais biológicos presentes nos pela CLT. Exceção: ME, MEI,
ambientes de trabalho. EPP, graus de risco 1 e 2 que
declararem não possuir riscos
físicos, químicos e biológicos
PCMSO – Programa de Programa para preservar e Todas as empresas que
Controle Médico de Saúde promover a saúde dos possuem empregados regidos
Ocupacional trabalhadores pela CLT. Exceção: ME, MEI,
EPP, graus de risco 1 e 2 que
declararem não possuir riscos
físicos, químicos e biológicos e
ergonômicos
PCMAT – Programa de Programa com medidas Obras com 20 trabalhadores
Condições e Meio Ambiente preventivas na indústria da ou mais
de Trabalho na Indústria da construção civil
Construção Civil
Documentos e programas em SST
Documento O que é Obrigatoriedade
Laudo Técnico de Laudo elaborado por médico do trabalho Todas as empresas que
Insalubridade e ou engenheiro de segurança do trabalho possuem empregados
Periculosidade para avaliar condições insalubres e regidos pela CLT
periculosas nos ambientes de trabalho
LTCAT – Laudo Técnico Laudo elaborado por médico do trabalho Todas as empresas que
das Condições ou engenheiro de segurança do trabalho possuem empregados com
Ambientais do para avaliar condições que justificam o contribuição à Previdência
Trabalho pagamento de aposentadoria especial Social.

PPP – Perfil Documento do histórico laboral do Todas as empresas que


Profissiográfico trabalhador que reúne informações possuem empregados com
Previdenciário administrativas, registros ambientais e contribuição à Previdência
resultados de monitoração biológica, Social. Obrigatório para
durante todo o período em que este períodos laborados a
exerceu suas atividades. partir de 2004.
Documentos e programas em SST
Documento O que é Obrigatoriedade
PCA – Programa de Programa para o controle das Todas as empresas que
Conservação Auditiva medidas de proteção auditiva fornecem equipamentos de
proteção auditiva a seus
trabalhadores
PPR – Programa de Programa para o controle das Todas as empresas que
Proteção Respiratória medidas de proteção fornecem equipamentos de
respiratória proteção respiratória a seus
trabalhadores
AET – Análise Documento a ser elaborado em Todas as empresas que
Ergonômica do Trabalho conformidade com a NR-17 para possuem empregados
determinar as condições de regidos pela CLT
risco e medidas preventivas
ergonômicas
OS – Ordem de serviço Instruções por escrito quanto às Todas as empresas que
precauções para evitar possuem empregados
acidentes do trabalho ou regidos pela CLT
doenças ocupacionais.
Documentos e programas em SST
Documento O que é Obrigatoriedade
CAT – Comunicação de Documento para notificar o INSS Todas as empresas que
Acidente do Trabalho sobre os acidentes ocorridos em fornecem equipamentos de
determinado ambiente proteção auditiva a seus
trabalhadores
Ficha de Entrega e Documento que comprova o Todas as empresas que
Controle de EPIs fornecimento e troca dos EPIs fornecem equipamentos de
fornecidos aos trabalhadores proteção individual
FISPQ – Ficha de Documento com informações de Todas as empresas que
Informações de segurança no manuseio de possuem produtos químicos
Segurança de Produtos produto químico em suas atividades
Químicos
Treinamentos em SST
Treinamento Obrigatoriedade Carga Horária
Treinamento de CIPA ou Todas as empresas que possuem 20 horas; novo treinamento a
designado de CIPA – NR-5 empregados regidos pela CLT cada ano
Treinamento para uso de Todas as empresas que fornecem Não definido
EPI – NR-6 EPI para seus trabalhadores
Treinamento para Todas as empresas que possuem 40 horas; reciclagem bienal;
trabalhos com empregados que realização novo treinamento: troca de
eletricidade – NR-10 intervenções em instalações função ou mudança de
elétricas com tensão igual ou empresa; retorno de
superior a 50 volts em corrente afastamento por período
alternada ou superior a 120 Volts superior a 3 meses; mudanças
em corrente contínua significativas nas instalações
elétricas ou troca de métodos,
processos e organização do
trabalho
Treinamento para Empresas que possuem Não definido
equipamentos equipamentos de transporte, com
movimentadores de carga força motriz própria
– NR- 11
Treinamentos em SST
Treinamento Obrigatoriedade Carga Horária
Treinamento de Empresas que operam caldeiras 40 horas; atualização:
Segurança na Operação modificação na caldeira;
de Caldeiras – NR-13 ocorrência de acidentes e
incidentes de alto potencial;
ocorrer recorrência de
incidentes
Treinamento para Empresas em que seus Não definido
transporte manual de trabalhadores realizam o
cargas – NR-17 transporte manual de cargas
Treinamento na Empresas da construção civil 6 horas; treinamento
Construção Civil – NR-18 periódico sempre que se
tornar necessário ou ao início
de cada fase de obra
Treinamento de Empresas que manipulam líquidos 4 a 32 horas, conforme tipo de
segurança com líquidos inflamáveis em grandes instalação; atualização trienal,
inflamáveis e quantidades (ex.: postos de bienal ou anual, conforme tipo
combustíveis – NR-20 gasolina, refinarias, usinas de de instalação
fabricação de etanol, instalações
petroquímicas)
Treinamentos em SST
Treinamento Obrigatoriedade Carga Horária
Treinamento de Empresas em que seus trabalhadores Não definido
segurança no manuseio manipulam produtos químicos
de produtos químicos -
NR-26
Treinamento em Empresas que possuem máquinas e Definida pelo empregador
máquinas e equipamentos enquadrados na NR-12 ou variável, conforme
equipamentos – NR -12 (Exemplos: injetoras, motosserras, equipamento
máquinas para panificação e padaria,
máquinas para açougue, prensas,
máquinas para fabricação de calçados
Treinamento para Empresas em que seus trabalhadores 16h (autorizados e vigias)
trabalho em espaços adentram espaços confinados a 40 horas (supervisores
confinados – NR-33 de entrada); capacitação
periódica anual de 8 horas
Treinamento para Empresas em que seus trabalhadores 8 horas; treinamento
trabalhos em altura – NR - realizam atividades em altura periódico bienal
35
Treinamento de brigada Conforme classificação da edificação e De 8 a 40 horas
de incêndio tamanho
Treinamentos em SST

Treinamentos podem ser realizados no formato EaD?

NR 1 – Disposições Gerais

1.6.9 Os treinamentos podem ser ministrados na modalidade de ensino a


distância ou semipresencial desde que atendidos os requisitos operacionais,
administrativos, tecnológicos e de estruturação pedagógica previstos no Anexo
II desta NR

1.6.9.1 O conteúdo prático do treinamento pode ser realizado na modalidade de


ensino a distância ou semipresencial desde que previsto em NR específica.
Treinamentos em SST

NR 1 – Disposições Gerais

Anexo II

2.1 O empregador que optar pela realização das capacitações por meio das
modalidades de ensino a distância ou semipresencial poderá desenvolver toda a
capacitação ou contratar empresa ou instituição especializada que a oferte,
devendo em ambos os casos observar os requisitos constantes deste Anexo e da
NR-01.

2.1.1 A empresa ou instituição especializada que oferte as capacitações previstas nas


NR na modalidade de ensino a distância e semipresencial deve atender aos
requisitos constantes deste Anexo e da NR-01 para que seus certificados sejam
considerados válidos.
Treinamentos em SST

NR 1 – Disposições Gerais

Anexo II

2.2 O empregador, que optar pela contratação de serviços de empresa ou


instituição especializada, deve fazer constar na documentação que formaliza a
prestação de serviços a obrigatoriedade pelo prestador de serviço do atendimento
aos requisitos previstos neste Anexo e nos itens relativos à capacitação previstos nas
NR.

2.3 As capacitações que utilizam ensino a distância ou semipresencial devem ser


estruturadas com, no mínimo, a duração definida para as respectivas
capacitações na modalidade presencial.

2.5 As atividades práticas obrigatórias devem respeitar as orientações previstas


nas NR e estar descritas no Projeto Pedagógico do curso.
Treinamentos em SST

NR 1 – Disposições Gerais

Anexo II

4.1 O empregador deve manter o projeto pedagógico disponível para a inspeção


do trabalho, para a representação sindical da categoria no estabelecimento e para a
Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA

4.1.1 A empresa ou instituição especializada deve disponibilizar aos contratantes o


projeto pedagógico.

4.2 Deve ser disponibilizado aos trabalhadores todo o material didático necessário
para participar da capacitação, conforme item 3.1 deste Anexo.
4.3 Devem ser disponibilizados recursos e ambiente que favoreça a concentração e
a absorção do conhecimento pelo empregado, para a realização da capacitação.
4.4 O período de realização do curso deve ser exclusivamente utilizado para tal fim
para que não seja concomitante com o exercício das atividades diárias de trabalho.
Treinamentos em SST

NR 1 – Disposições Gerais

Anexo II

4.5 Deve ser mantido canal de comunicação para esclarecimento de dúvidas,


possibilitando a solução das mesmas, devendo tal canal estar operacional durante o
período de realização do curso

4.6 A verificação de aprendizagem deve ser realizada de acordo com a estratégia


pedagógica adotada para a capacitação, estabelecendo a classificação com o
conceito satisfatório ou insatisfatório

4.6.1 A avaliação da aprendizagem se dará pela aplicação da prova no formato


presencial, obtendo, dessa forma, o registro da assinatura do empregado, ou pelo
formato digital, exigindo a sua identificação e senha individual.
4.6.2 Quando a avaliação da aprendizagem for online, devem ser preservadas
condições de rastreabilidade que garantam a confiabilidade do processo
Treinamentos em SST

NR 1 – Disposições Gerais

Anexo II

4.7 Após o término do curso, as empresas devem registrar a realização do mesmo,


mantendo o resultado das avaliações de aprendizagem e informações sobre
acesso dos participantes (logs).

4.7.1 O histórico do registro de acesso dos participantes (logs) deve ser mantido
pelo prazo mínimo de 2 (dois) anos após o término da validade do curso.

5.1 Somente serão válidas as capacitações realizadas na modalidade de ensino a


distância ou semipresencial que sejam executadas em um Ambiente Virtual de
Aprendizagem apropriado à gestão, transmissão do conhecimento e à
aprendizagem do conteúdo.
Os passivos trabalhistas

 Dívidas que uma empresa adquire quando não cumpre com suas obrigações
para com os empregados

Exemplos de passivos trabalhistas na área de SST:

• Adicional de insalubridade/periculosidade não pago aos funcionários


• Ações regressivas da Receita Federal devido o não recolhimento do FAE –
Financiamento da Aposentadoria Especial
• Ações regressivas devido o não cumprimento de normas de saúde e segurança do
trabalho que resultar em acidente do trabalho
Os passivos trabalhistas

Ações regressivas da Previdência Social


Os passivos trabalhistas

Base legal

Constituição Federal de 1988

Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à
melhoria de sua condição social:

XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene
e segurança;

XXIII - adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas,


na forma da lei;

XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a


indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa
Os passivos trabalhistas
Ações regressivas

Lei 8.213/1991

Art. 120. A Previdência Social ajuizará ação regressiva contra os responsáveis nos
casos de: (Redação dada pela Lei nº 13.846, de 2019)

I - negligência quanto às normas padrão de segurança e higiene do trabalho indicadas


para a proteção individual e coletiva;

Portaria Conjunta nº 6 de 18 de janeiro de 2013

Art. 2º - Considera-se ação regressiva previdenciária para os efeitos desta portaria


conjunta a ação que tenha por objeto o ressarcimento ao INSS de despesas
previdenciárias determinadas pela ocorrência de atos ilícitos.
Os passivos trabalhistas
Ações regressivas

Portaria Conjunta nº 6 de 18 de janeiro de 2013

Art. 4º - Compreendem-se por atos ilícitos suscetíveis ao ajuizamento de ação


regressiva os seguintes:

I - o descumprimento de normas de saúde e segurança do trabalho que resultar em


acidente de trabalho;
II - o cometimento de crimes de trânsito na forma do Código de Trânsito Brasileiro;
III - o cometimento de ilícitos penais dolosos que resultarem em lesão corporal, morte
ou perturbação funcional;
Os passivos trabalhistas
Contribuição da Empresa destinada à Seguridade Social – Lei 8212/1991

Art. 22. A contribuição a cargo da empresa, destinada à Seguridade Social, além do


disposto no art. 23, é de:
II - para o financiamento do benefício previsto nos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24
de julho de 1991, e daqueles concedidos em razão do grau de incidência de
incapacidade laborativa decorrente dos riscos ambientais do trabalho, sobre o total
das remunerações pagas ou creditadas, no decorrer do mês, aos segurados
empregados e trabalhadores avulsos:
a) 1% (um por cento) para as empresas em cuja atividade preponderante o risco de
acidentes do trabalho seja considerado leve;
b) 2% (dois por cento) para as empresas em cuja atividade preponderante esse risco
seja considerado médio;
c) 3% (três por cento) para as empresas em cuja atividade preponderante esse risco
seja considerado grave
Os passivos trabalhistas

Contribuição da Empresa destinada à Seguridade Social – Lei 8212/1991

Denominações do seguro:

 SAT – Seguro de Acidente do Trabalho


 RAT – Riscos Ambientais do Trabalho
 GIILRAT – Grau de Incidência de Incapacidade Laborativa Decorrente de Riscos
Ambientais do Trabalho
Os passivos trabalhistas

Destinação da arrecadação do SAT/RAT/GIILRAT

Pagamento da Aposentadoria
Pagamento dos Benefícios de
Especial por Exposição a Agentes
Natureza Acidentária
Nocivos

B91 – Incapacidade total e temporária – Auxílio-doença por acidente do


trabalho

B92 – Incapacidade total e permanente – Aposentadoria por invalidez por


acidente do trabalho
B93 – Morte do segurado com dependentes – Pensão por morte por acidente
do trabalho

B94 – Incapacidade parcial permanente – Auxílio acidente por acidente do


trabalho
Os passivos trabalhistas

Base de Cálculo
-Empresas com regime
ordinário, não especial de
Remuneração
tributação.
-Cooperativas de produção

Base de cálculo do
SAT/RAT/GIILRAT -Sociedades esportivas
- Agroindústrias
- Produtor rural
- Segurados especiais
Receita bruta - Empresas optantes pelo
Simples Nacional
- Empresas com contribuição
substituída
Os passivos trabalhistas

Alíquotas do GIILRAT – Decreto 10.410/2020

Risco Previdenciário x Risco Acidentário

Comércio varejista de fogos


de artifício e artigos
pirotécnicos– 2% Comércio varejista de
hortifrutigranjeiros– 3%
Os passivos trabalhistas

Ações regressivas

Leitura - Reportagem – Ações de Regresso do INSS contra empresas


Os passivos trabalhistas

Aposentadoria Especial

Recolhimento de alíquota somada ao RAT para financiamento de aposentadoria


especial decorrente da exposição a agentes nocivos:

Tempo de contribuição Alíquota


25 anos 6%
20 anos 9%
15 anos 12 %
Os passivos trabalhistas
Aposentadoria Especial

Código GFIP
Os passivos trabalhistas
Aposentadoria Especial:

Código GFIP
Os passivos trabalhistas

Ações regressivas

Receita Federal (novembro de 2019)

A Receita Federal enviou 6.769 cartas para postos de gasolina que não declararam o
adicional de contribuição previdenciária. A prática provocou valor de divergência de R$
128,2 milhões.

Os contribuintes terão que fazer a retificação na GFIPs/eSocial (Guia de Recolhimento


do FGTS e de Informações à Previdência Social).

O recolhimento regressivo chega ser de até 5 anos anteriores


Os passivos trabalhistas

Ações regressivas

Leitura - Reportagem - Indústrias


Os passivos trabalhistas

Leitura – Reportagem - Adicionais de insalubridade/periculosidade


Os passivos trabalhistas

Como evitar o pagamento de adicional de insalubridade?

• Realizar laudo de insalubridade


• Se ambiente/atividade for insalubre, fazer a eliminação
1. Adoção de medidas coletivas
2. Fornecimento correto de EPI
• Se ambiente/atividade não for insalubre, manter condições ambientais e realizar
atualização do laudo periodicamente
• Como fornecer de maneira correta os EPIs?
Os passivos trabalhistas

Como avaliar a eficácia do EPI?

 Foi adquirido o EPI adequado ao risco?


 Foi exigido o seu uso?
 Foi feito o registro do fornecimento de EPI?
 O EPI possui CA?
 Os trabalhadores foram orientados e treinados sobre o uso adequado, guarda e
conservação?
 Existe registro de substituição do EPI para os casos de danos e extravio?
 A empresa se responsabiliza pela higienização e manutenção periódica dos EPI?
Os passivos trabalhistas
Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Decreto 3048/1999

Art. 202-A. As alíquotas a que se refere o caput do art. 202 serão reduzidas em até
cinquenta por cento ou aumentadas em até cem por cento em razão do
desempenho da empresa, individualizada pelo seu CNPJ em relação à sua atividade
econômica, aferido pelo Fator Acidentário de Prevenção - FAP.
Os passivos trabalhistas

Fator Acidentário de Prevenção - FAP

O FAP anual reflete a aferição da acidentalidade nas empresas relativa aos dois anos
imediatamente anteriores ao processamento (exemplo: o FAP 2010 tem como período-
base de cálculo janeiro/2008 a dezembro/2009). O FAP anual tem como período de
vigência o ano imediatamente posterior ao ano de processamento (exemplo: o FAP
2010 terá vigência de janeiro a dezembro de 2011).

Metodologia do cálculo: RESOLUÇÃO Nº 1.329, DE 25 DE ABRIL DE 2017


Os passivos trabalhistas

Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Período de apuração:

Período base Cálculo Vigência


2018 2019 2020 2021
Os passivos trabalhistas

Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Fórmula para o cálculo do Índice Composto (IC):


Índice Composto = ((0,5 x percentil de ordem de gravidade) + (0,35 x percentil de
ordem de frequência) + (0,15 x percentil de ordem de custo)) x 0,02

Para Índice Composto igual ou acima de 1,0000:


FAP = Índice Composto, se (1,0000 <= IC <= 2,0000) (FAP Original).

Observação: No cálculo 2017, vigência 2018, a redução de 25% do FAP no que


excedeu a 1,0000 passou a ser de 15%. A partir do cálculo 2018, vigência 2019, esta
redução foi excluída. (Conforme Resolução 1.329, de 2017, do CNP).

Para Índice Composto menor que 1,0000:


Os passivos trabalhistas
Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Para Índice Composto menor que 1,0000:


FAP = 0,5000, se (0 < IC <= 0,5000); e,
FAP = Índice Composto, se (0,5000 < IC < 1,0000) (FAP Original); e,

Caso haja ocorrência de morte ou invalidez permanente, excetuados as


decorrentes de trajeto, ou se a Taxa Média de Rotatividade > 75%, o FAP é fixado
em 1,0000 (FAP Bloqueado).

Observação: Para fins de bloqueio de bonificação, somente serão considerados os


eventos morte ou invalidez com Data de Despacho do Benefício - DDB ou Data do
Cadastramento da CAT (CAT com óbito) dentro do primeiro ano do período-base de
cálculo do FAP. Por definição, nestes casos de bloqueio de bonificação, o FAP será
adotado como 1,0000.
Os passivos trabalhistas

Benefícios Acidentários
e CAT com óbito

Folha de
GIIL-RAT FAP RAT ajustado Previdência
pagamento
Social

1% 0,5 0,5...2,0%
2%
3%
X = A
2,0
1,0...4,0%
1,5...6,0%
X
6%
FAE 9%
12%
X
Os passivos trabalhistas

Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Probabilística

Frequência

Social Gravidade Custo Econômica

FAP
Os passivos trabalhistas

Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Índice de
Frequência
Os passivos trabalhistas

Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Índice de
Gravidade
Os passivos trabalhistas

Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Índice de
Custo
Os passivos trabalhistas
Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Bonus Malus

Neutro

0,5000 1,0000 2,0000

Bloqueio de bonificação:

- Morte
- Invalidez
- Taxa de rotatividade maior que 75%
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas

• Implementado pelo Decreto n.º8373/2014


• O eSocial vai ajudar a acabar com a redundância das informações, contribuindo
para a diminuição de erros e aumentando a qualidade das informações prestadas
para os órgãos públicos, além de simplificar os processos para empresas e
Governo.
• Ele vai aprimorar o controle do Governo sobre as obrigações exigidas dos
empregadores. Os impostos e contribuições devidos pelas empresas ficarão mais
fáceis de serem controladas com o eSocial.
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas

evento
XML

recibo
eSocial
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas

• Composto por tabelas e eventos


• Eventos não periódicos, periódicos e totalizadores
• Exemplos de eventos:
• S-1000 - Informações do Empregador/Contribuinte/Órgão Público
• S-1005 - Tabela de Estabelecimentos, Obras ou Unidades de Órgãos
Públicos
• S-1200 - Remuneração de Trabalhador vinculado ao Regime Geral de
Previd. Social
• S-2200 - Cadastramento Inicial do Vínculo e Admissão/Ingresso de
Trabalhador
• S-2230 - Afastamento Temporário
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas

Eventos de SST representam a quarta fase de implantação do eSocial:


• S-2210 - Comunicação de Acidente de Trabalho
• S-2220 - Monitoramento da Saúde do Trabalhador
• S-2240 - Condições Ambientais do Trabalho - Fatores de Risco
Os passivos trabalhistas
Empresas com faturamento
superior a R$78 milhões

Empresas com faturamento


inferior a R$78 milhões, exceto
as optantes pelo SIMPLES

ME e EPP optantes pelo


SIMPLES, MEI, empregadores
pessoas físicas (exceto
domésticos), entidades sem fins
lucrativos

Entes públicos de âmbito federal


e as organizações internacionais
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas
S-2210 - Comunicação de Acidente de Trabalho

• Data e Local do acidente


• Tipo de acidente
• Parte do corpo atingida
• Informações sobre o atestado médico
• Dados do médico que emitiu o atestado
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas
S-2220 - Monitoramento da Saúde do Trabalhador

• O tipo de exame
• Data e resultado (apto o inapto)
• Os exames realizados (clínicos e complementares)
• Dados do médico que emitiu o ASO
• Dados do médico coordenador do PCMSO
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas
S-2240 - Condições Ambientais do Trabalho - Fatores de Risco

• Atividades realizadas pelo trabalhador


• Ambiente de trabalho
• Indicação dos fatores de risco previdenciários (tabela 24)
• Tipo de avaliação, a intensidade/concentração técnica utilizada
• Informações sobre EPC e EPIs;
• Dados do profissional responsável pelos registros ambientais.
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas

Outro eventos não ligados diretamente a SST mas com informações provenientes dela

• S-1200 - Remuneração de Trabalhador vinculado ao Regime Geral de Previd.


Social
Rubrica do adicional de insalubridade ou periculosidade
• S-2200/2206 – Treinamentos
Conforme tabela 28
• S-2230 - Afastamento Temporário
Os passivos trabalhistas
eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias
e Trabalhistas

Multas e penalidades

• -LTCAT - Deixar a empresa de manter laudo técnico atualizado com referência aos
agentes nocivos existentes no ambiente de trabalho de seus trabalhadores ou emitir
documento de comprovação de efetiva exposição em desacordo com o respectivo
laudo - R$ 26.565,90
• PPP - deixar a empresa de elaborar e manter atualizado perfil profissiográfico
abrangendo as atividades desenvolvidas pelo trabalhador e de fornecer a este,
quando da rescisão do contrato de trabalho, cópia autêntica deste documento – R$
636,17
Os passivos trabalhistas
Aposentadoria Especial – Decreto 3048/1999
Art. 68. A relação dos agentes químicos, físicos, biológicos, e da associação desses
agentes, considerados para fins de concessão de aposentadoria especial, é aquela
constante do Anexo IV.

3º A comprovação da efetiva exposição do segurado a agentes prejudiciais à saúde


será feita por meio de documento, em meio físico ou eletrônico, emitido pela empresa
ou por seu preposto com base em laudo técnico de condições ambientais do trabalho
expedido por médico do trabalho ou engenheiro de segurança do trabalho.
§ 4º Os agentes reconhecidamente cancerígenos para humanos, listados pela
Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia[...]caso sejam
adotadas as medidas de controle previstas na legislação trabalhista que eliminem a
nocividade, será descaracterizada a efetiva exposição.
Os passivos trabalhistas
Aposentadoria Especial – Decreto 3048/1999

Exemplos da Lista do Anexo IV do Decreto 3048/99

• Exposição a sílica livre cristalizada – 25 anos


• Benzeno – 25 anos
• Ruído – 25 anos
• Vibrações – 25 anos
• Radiações ionizantes – 25 anos
• Altas temperaturas – 25 anos
• Coleta e industrialização de lixo – 25 anos
Obrigado!

Pós Graduação em Gestão Estratégica de Recursos Humanos/Gestão da Qualidade


e Processos Gerenciais/ Gestão da Produção Industrial – Manufatura Enxuta

Professor: Maílson J. da Silva