Você está na página 1de 2

O CAMINHO DE JESUS E DA CRIAÇÃO EM DIREÇÃO À CRUZ

Indicações para a oração


Esta é uma contemplação do mistério do caminho
da Cruz. Jesus e a Criação inteira carregam a Cruz às costas.
Nunca antes houve um índice de extinções comparável ao de hoje. Os principais
ecologistas do mundo nos advertem que uma terça parte de todas as espécies
vivas poderão deixar de existir dentro dos próximos vinte ou trinta anos. Não
estamos apenas devastando a diversidade biológica por meio da destruição de
habitats, da poluição e da matança de outras espécies; pela primeira vez os seres
humanos estão causando um impacto sistemático sobre o sistema de suporte da
vida na Terra – por meio da destruição da camada de ozônio, do efeito estufa,
das precipitações ácidas e da poluição radioativa e tóxica de âmbito mundial.
Durante mais de três bilhões e meio de anos, a vida floresceu, se diversificou e
se expandiu em formas inacreditáveis e em relacionamentos de complexidade
inimaginável.
E agora, no espaço de uma única geração humana, estamos impedindo este
florescimento.
1. Oferecimento de mim mesmo
Rogo às Três Pessoas Divinas a graça para que durante esta oração, todas as
minhas intenções, ações, operações e sentimentos se dirijam unicamente a seu
serviço e louvor.
2. Preâmbulo ao mistério
Jesus carrega a Cruz às costas até o Gólgota.
“O sol está chorando gotas de chuva. Gotas de chuva, grandes e pequenas.
E a última árvore está morrendo. Morrendo. E só”. (Charles Anflick)

3. Disposição de todo o meu ser para o mistério


Leio Mc. 15,21-32
Imagino o espírito da Árvore da Cruz em sua capacidade de regenerar-se de
um ramo, em seu poder de integrar o carbono, a água e a luz... Ao crescer se
converte em minha imagem do ecossistema, logo em minha imagem do
universo, e finalmente, em sua profundidade, em seu alcance, em seu
esplendor e em seu mistério, se converte em minha imagem da Trindade.
Espero com as mulheres à beira do caminho, enquanto Jesus leva a Árvore às
suas costas.
4. O desejo de meu coração
Peço alcançar a graça de sentir profundamente o sofrimento do Corpo de
Cristo, que continua nas comunidades de vida marginalizadas e exploradas,
que gemem em seu sofrimento.
Peço sentir tristeza e aflição, dor interior e lágrimas com Cristo enquanto Ele
experimenta o mal trato imposto à sua amada Terra, e como eu ainda ignoro
sua preocupação pessoal e sua vinculação física com a comunidade universal
de vida.
5. Pontos de reflexão e consideração
Primeiro ponto: Acompanho Jesus enquanto carrega a Cruz às costas até o Gólgota. Vejo as mulheres que
se lamentam por Ele.
Segundo ponto: Ouço o que dizem.
Terceiro ponto: Olho o que fazem.
Quarto ponto: Com a imaginação, pergunto aos bosques, aos pântanos, às montanhas, aos mares... porque
neste dia o Amor supremo vai morrer no Madeiro.
Quinto ponto: Penso como a divindade de Jesus se esconde em lugar de vencer seus inimigos.
Sexto ponto: Penso em que Jesus faz tudo isto por meus pecados e os da comunidade, e me pergunto o
o que deveria eu fazer por Ele.
6. Colóquio
Falo com Jesus, meu amigo e irmão, e permaneço presente junto d’Ele, no
caminho do Gólgota.
Sigo a Jesus enquanto Ele suporta o peso do madeiro. Vejo a Árvore Sagrada
como semente, logo como árvore jovem, cujas raízes exploram a terra sob a
superfície. Encho-me de assombro ao compreender que, durante dez bilhões
de anos, os átomos de carbono dessa árvore estiveram cumprindo sua função
de impulsionar a aparição do cosmos.
Termino com a oração que o Senhor nos ensinou.