Você está na página 1de 2

Universidade do Estado de Mato Grosso

Pró Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação


Campus Universitário Jane Vanini - Cáceres
Faculdade de Ciências Agrárias e Biológicas
Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais

Mestrando. Jefferson dos Santos Funaro.


Prof. Dr. Manoel dos Santos Filho

Resenha do Artigo:

Palmeirim, Ana et, al. 2019/10/17 When does habitat fragmentation matter? A biome‐wide
analysis of small mammals in the Atlantic Forest. Journal of Biogeography.10.1111/jbi.13730

Desintegração Do Ecossistema E As Consequências Para Pequenos Mamíferos Na Mata


Atlântica.

O autor neste artigo levanta questões admiráveis sobre a perda e fragmentação de


habitat inclui a diminuição da grandeza onde determinadas espécies se desenvolvem,
estimadas como principal causa do prejuízo de biodiversidade global (Haddad et al., (2015).
A fragmentação de habitat é análoga à mudança morfológica dos habitats remanescentes em
um determinado número de colônias. A diversidade de espécies só pode ser prevista pela
porcentagem total de habitat ao redor do local de amostragem, e o impacto do tamanho do
fragmento ou isolamento na diversidade de espécies não pode esclarecer melhor o número de
colônias através da defesa e preservação (Fahrig, 2013).
De acordo com Swift e Hannon (2010), em termos de definição de objetivos de
conservação para prevenção e colonização por técnicas de restauração mais eficazes, ainda é
útil ter uma inclusão compreensiva de como a heterogeneidade de espécies é afetada em
desiguais dados de propagação. Neste sentido estudos apresentados pelos autores, na floresta
neotropical, pequenos mamíferos não voadores (marsupiais e roedores) fundamental na teia
alimentar e exercem papéis ecológicos admiráveis, abarcando predadores e dispersores de
sementes (Terborgh et al., 2001).
Estudos relatam que o bioma Mata Atlântica do Brasil é visto como um excelente local
para examinar o impacto geral do número de habitats e fragmentação na paisagem da Mata
Atlântica. Levando em consideração a interação entre esses dois processos, a serem avaliados
e a analogia relativa entre o número de habitats e a fragmentação de habitats. E avaliar a
importância da abundância de espécies de pequenos mamíferos em toda a Mata Atlântica.
O conjunto de paisagens aqui incluído representa as mudanças existentes no número
de habitats e no grau de fragmentação, portanto, as paisagens não são selecionadas
principalmente para evitar a correlação entre o número de habitats e as variáveis de
fragmentação.
Conclui no artigo que a pesquisa é baseada na comparação das mudanças da cobertura
de paisagem e na configuração do habitat, e a reação negativa da química acondicionada pelo
número de fragmentos na Mata Atlântica e os modelos mostram os efeitos da cobertura atual
do habitat e a configuração da paisagem principalmente com resultado de desmatamentos
anteriores.

Palavras-chave: Habitat; Fragmentação; Espécies.

Você também pode gostar