Você está na página 1de 4

Primeira lista de exercícios

(Consulte o capítulo 1 do livro Physics of the Life Science, do Newman, ou os capítulos 1 e 2 do livro
Biofísica. do Duran.)
1) Quais as definições iniciais para o metro, o quilo e o segundo?

Solução:Um metro é definido supondo que o compri-


mento do meridiano que passa em Paris, no trecho entre
o Equador e o Polo Norte, tem 109 cm ou 107m ou 104
km. Na verdade apenas se mediu o trecho desse meridia-
no entre Dunquerque e Barcelona, mostrado na figura
abaixo e depois se fez a proporcionalidade com o com-
primento total. A grama era a massa de um centímetro
cúbico de água a 4 graus centígrados, quando tem a den-
sidade máxima, ou seja o quilograma (usualmente cha-
mado quilo) era a massa de mil cm3 de água (um litro). O
segundo é 1/86400 do dia. Foram feitos padrões de 1 kg
e de 1m, que foram guardados em Paris.

Hoje tanto o segundo quanto o metro não mais são


definidos assim a partir da Terra pois estas definições
são imprecisas: a duração do dia varia e a forma da
Terra também. As definições atuais do segundo e do
metro são a partir de propriedades atômicas.
O arco amarelo tem 10000000 metros e
passa em Paris.

2) Quais as grandezas físicas fundamentais e quais as unidades no SI?


Solução: Comprimento: metro (m); tempo: segundo (s); massa: quilograma (kg); temperatura:
Kelvin (K); corrente elétrica: Ampere (A); quantidade de matéria: mol (mol); intensidade luminosa:
candela (cd).

3) Para a maioria das unidades definem-se múltiplos e submúltiplos em potências de 10


através do uso de prefixos. Quais os prefixos e as abreviações para: 103, 106, 109, 1012, 10-1,10-2,
10-3, 10-6, 10-9 e 10-12?
Solução: kilo (k) 103, Mega (M) 106, Giga (G) 109, Tera (T) 1012, deci (d) 10-1, centi (c) 10-2, mili
(m) 10-3, micro ( ) 10-6, nano (n) 10-9 e pico (p) 10-12?

4) Converta para o SI: (a) uma velocidade de 80 km/h, (b) uma velocidade angular de 1000
rpm, (c) uma massa de 6,5 toneladas, (d) uma densidade de 1,30 g/cm3 e (e) um volume de 2,0
litros.
Solução:
(a) 80km/h=80x1000m/3600s=22 m/s;
(b) 1000 rotações/minuto=1000x2 radianos/60s= 104,7rad/s;
(c) 5 toneladas=5x103kg;
(...) 1dia+2horas+10 minutos= (24x60x60)+(2x60x60)+(10x60s)=86400s+7200s+600s=94200s;
(d) 1,30 g/cm3=1,30x10-3kg/(10-2 m)3 =1,30x10-3kg/10-6m3

5) Qual o volume de água numa piscina de largura 5,00 m, comprimento 10,00 m e


profundidade 1,50 m, cheia até a borda?
Solução:Volume=5,00x10,00x1,50 m3=75,0 m3=75,0x103 litros=7,50x104 litros

6) Uma garrafa, de massa 10 gramas quando vazia, é inteiramente preenchida com um líquido
de densidade 1,102 g/cm3. Se o volume interno da garrafa é 1,000 l, qual a sua massa final?
Solução:Massa de líquido=1000 cm3x1,102 g/cm3=1102g. Somando 10 g da massa da garrafa a
massa total é 1112 g ou 1,112 kg.

7) Quantos algarismos significativos há em (a) 17,35; (b) 240 e (c) 0,01050?


Solução: (a) 4; (b) 3; (c) 4

8) Escreva na notação exponencial (a) 1541 kg; (b) 0,00023 s; (c) -10,27 m.
Solução: (a) 1,541x103kg; (b) 2,3x10-4s; (c) –1,027x101m

9) Calcule, considerando os algarismos significativos: (a) 17,0*0,52, (b) 2,437+1,52, (c)


4,2/1,53., (d)1,60x10-19x25,0x103, (e) 6,63x10-34x3,00x108/0,60x10-6 e (f) (20,0x105)1/2
Solução: (a) 17,0*0,52=8,8, (b) 2,437+1,52=3,95, (c) 4,2/1,53=2,6, (d) 1,60x25,0x10-19x103 = 40,0x
10-16=4,00x10-15, (e) (6,63x3,00/0,60)X(10-34x108/10-6)=33,2x10-20=3,32x10-19 e (f) 2,001/2x (106)1/2
= 1,41x103.

10) Um cabo de aço tem seu comprimento medido com precisão igual a 5,400m. Se uma
medida menos cuidadosa fornece o valor de 5,35 m quais os erros absoluto e relativo?
O erro absoluto é o módulo da diferença dos dois valores, 0,05m. O erro relativo é o quociente do
erro absoluto pela medida considerada exata: 0,05/5,4=0,01.

11)Solução: Como a unidade (força)=unidade (massa)xunidade(aceleração) então N=kg m/s2

12)Solução: Como a unidade (energia)=unidade (massa)xunidade(velocidade ao quadrado) então


J=kg m2/s2

13)Solução: Como a unidade (energia potencial)=unidade (constante G)xunidade(massa ao quadra-


do) /unidade (distância) então J=unidade (G) kg2/m ou unidade (G)=Jm/kg2=(kg m2/s2) (m/kg2) =
m3/(kg s2)

14)Solução: Como a unidade (força)=unidade (constante η)xunidade(distância)xunidade (velocida-


de) então N=unidade (η) m m/s ou unidade (η)= (kg m/s2)s/ m2=kg/(m s).

15) Solução: A área varia com o quadrado da dimensão linear então passou para (1+20%)2 de seu
valor original, ou seja, 1,44 vezes este valor original ou aumento de 44%; o volume varia com o
cubo da dimensão linear então passou para (1+20%)3 de seu valor original, ou seja, 2,44 vezes este
valor original ou aumento de 144%; se a densidade for constante o seu pesotera aumentado do
mesmo modo que o volume, ou seja, 144%.

16) Uma cultura de células cresce exponencialmente por divisões sucessivas de células,
aumentando de 1x106 para 6x108 em 6 horas. Qual é o tempo entre divisões sucessivas?
Chamando o número inicial de N(0) e o número no instante t de N(t), como o crescimento é
exponencial ele é dado por:
N(t)=N(0)x2(t/T), onde T é o tempo entre divisões sucessivas. Usando os dados do problema obtem-
se: 6x108=1x106 x2(6/T), ou 600= 2(6/T). Calculando o logaritmo na base 10:
log (600)= log[2(6/T)]=(6/T) log (2), o que leva a T= 6 log(2)/log(600)=6x0,301/2,778=0,65
hora=4x101 minutos.

17) Solução: Há 6,02x1023 íons de cloro em 1 litro, que é 103cm3. Se os íons estiverem igualmente
espaçados cada um está no vértice de um cubo de volume d3 onde 6,02x1023 d3=103. Temos então
que d3=103cm3/6,02x1023=1,66x10-19 cm3. Tirando a raiz cúbica d=0,55x10-6cm=0,55x10-8m.

18) Solução: A velocidade linear de desenrolamento é o comprimento do DNA dividido pelo


tempo. O comprimento é 400000x10x0,34 nm= 1,36x106 nm. O tempo é 30x60s=1800 s. A
velocidade é 7,6x102 nm/s ou 7,6x10-7 m/s. Já o processo de desenrolamento corresponde a 400000
rotações em 30 minutos ou 1,3x104 rpm ou 1,4x103 rad/s.

Na solução dos problemas 19 e 20 estão apenas as tabelas e a análise dos gráficos, mas sem os
gráficos.

19) Solução:
Idade Taxa anual de morte Log10 (taxa anual de
(anos) (%) morte)
0 0,0863 -1,064
5 0,0421 -1,376
10 0,0147 -1,833
15 0,1027 -0,988
20 0,1341 -0,873
25 0,1368 -0,864
30 0,1697 -0,770
35 0,2467 -0,608
40 0,3702 -0,432
45 0,5776 -0,2383
50 0,8986 -0,0464
55 1,3748 0,1382
60 2,0281 0,3071
65 3,0705 0,4872
70 4,6031 0,6631
75 6,6196 0,8208
80 10,1443 1,0062
85 19,4197 1,2882
O gráfico linear mostra o comportamento geral da taxa de mortalidade (aumenta com a idade)
mas não permite ver detalhes ou obter expressões matemáticas para isso. Já o gráfico da idade x
logaritmo (taxa de mortalidade) permite ver a existência de pelo menos três regiões: (a) dos 0 aos
10 anos a mortalidade é baixa, e diminue com a idade; (b) dos 15 aos 30 anos a mortalidade
cresce lentamente e (c) dos 35 aos 75 anos ela aumenta continuamente com a idade, numa taxa
mais alta do que na segunda fase. A existência dessas três regiões sugere a existência de causas
diferentes de mortalidade em cada uma.
Fazendo o gráfico, vemos que há uma reta entre as idades de 35 e 75 anos. Utilizando-se os
pontos A e B, correspondendo respectivamente a essas idades, obtém-se que a inclinação da reta
é [0,86-(0,62)]/[75-35]=27. Por outro lado, utilizando-se o ponto A e um ponto genérico obtém-
se que a inclinação da reta é [log10(taxa)-(-0,62)]/[idade-35]. Igualando-se as inclinações obtém-
se log10(taxa)=[(idade-35)/27]-0,62 ou taxa=0,24x10[(idade-35)/27].
A interpretação desta expressão mostra que a taxa de mortalidade é multiplicada por 10 a cada
aumento de 27 anos.

20) Solução:
Substância Massa M (Dalton) Raio R (nm) Log10 (M/Dalton) Log10 (R/nm)
Água 18 0,15 1,255 -0,82
Oxigênio 32 0,20 1,505 -0,70
Glicose 180 0,39 2,255 -0,41
Mannitol 180 0,36 2,255 -0,44
Sucrose 390 0,48 2,591 -0,32
Raffinose 580 0,56 2,763 -0,25
Inulina 5000 1,25 3,699 0,10
Ribonuclease 13500 1,8 4,130 0,26
β-lactoglobina 35000 2,7 4,544 0,43
Hemoglobina 68000 3,1 4,833 0,49
Albumina 68000 3,7 4,833 0,57
Catalase 250000 5,2 5,398 0,72

Fazendo o gráfico e utilizando-se os pontos A e B, obtém-se que a inclinação da reta é [5,6-


1,2]/[0,80-(-0,84)]=2,683. Por outro lado, utilizando-se o ponto A e um ponto genérico de massa M
e raio R obtém-se que a inclinação da reta é [log10(M/Dalton)-1,2]/ [log10(R/nm)-(-0,84)].
Igualando-se as inclinações obtém-se:
log10(M/Dalton)=2,683log10(R/nm+3,5
ou M/Dalton=(R/nm)2,7 103,5
e finalmente
M=(R/nm)2,7x2,8kDalton.
Interpretando o resultado acima vemos que a massa da molécula não aumenta com o cubo do raio,
como seria o caso se as moléculas fossem esferas perfeitas. Mesmo assim a diferença não é muito
grande.

Constantes: g=9,81 m/s2, K=8,99x109Nm2C-2, G= 6,67x10-11Nm2kg-2