Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL

Curso: Pedagogia

Disciplina Prática de Ensino Em Gestão Escolar

Atividade Reflexiva III

As atribuições concernentes a função do coordenador (a) pedagógico foram


formuladas teoricamente por diversos autores. Porém, em face da complexidade de tais
atribuições que mudam para abarcar as transformações do chão da escola, percebemos que
dificilmente uma definição conseguirá dar conta dessa complexidade. Desse modo, as
definições abarcam apenas alguns aspectos relativos às atribuições do coordenador (a).

Garrido (2005, p. 09) destacou a importância do trabalho de coordenação pedagógica


no processo de “formação continuada em serviço”. Nessa perspectiva o coordenador (a) tem a
atribuição de apontar dentro da prática docente caminhos teóricos e práticos possíveis para
enriquecer a atuação do professor, considerando o contexto de trabalho do mesmo. Trata-se de
um papel fundamental, pois consiste em dar norte pedagógico a uma dada unidade de ensino.

Líbaneo (2004, p. 215) destacou a coordenação como “um aspecto da direção, que
significa “a articulação e a convergência do esforço de cada integrante de um grupo visando a
atingir objetivos”. Nessa perspectiva a coordenação está estreitamente relacionada com a
gestão de profissionais. Logo, o coordenador (a) pode ser compreendido enquanto um gestor,
cuja principal atribuição consiste em agregar os esforços do quadro docente, concatenando o
trabalho para atingir os fins pretendidos.

Consideramos o trabalho de coordenação relativo tanto a formação continuada dos


docentes quanto, a gestão dos mesmos visando fins previamente estabelecidos de suma
importância. Porém, gostaríamos de mencionar mais alguns aspectos que deveriam fazer parte
das atividades do coordenador (a). Dentre as quais podemos mencionar o trabalho de
mediação de conflitos entre os diversos atores que compõe a dinâmica escolar: professores,
estudantes, país etc.

A mediação de conflitos mostra-se fundamental, sobretudo, em unidades de ensino das


redes públicas. Em muitos lugares, as unidades de ensino são atravessadas pelos conflitos
sociais de seus contextos de formas diversas. Logo, o coordenador (a), inevitavelmente, terá
que lançar mão de sua habilidade de mediação de conflitos, o que requer preparação e
experiência.

Por último, convém mencionar que o coordenador deve ter uma visão global do
planejamento da unidade de ensino onde atua a curto, longo e médio prazo. A visão ampla do
planejamento lhe possibilitará colaborar de forma efetiva com o corpo docente no sentido de
realizar os ajustes necessários ao cumprimento do que foi planejado. Além disso, ele poderá
construir junto com o corpo docente projetos comuns que caibam dentro da perspectiva
planejada. Medida que pode integrar os professores das diferentes séries e conferir maior
dinâmica a realidade escolar.

Referências bibliográficas

GARRIDO, E. Espaço de formação continuada para professor coordenador. In: BRUNO, E.


B. G.; ALMEIDA, L. R.; CHRISTOV, L. H. D. S. (org.). O coordenador pedagógico e a
formação docente. 6. ed. São Paulo: Loyola, 2005.

LIBÂNEO, José C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5. ed. Revista e


ampliada. Goiânia: Alternativa, 2004.

Você também pode gostar