Você está na página 1de 8

Governo do Estado do Rio de Janeiro

Secretaria de Estado de Educação

CURRÍCULO MÍNIMO 2013


CURSO NORMAL - FORMAÇÃO DE PROFESSORES

FORMAÇÃO
COMPLEMENTAR
Apresentação

O Currículo Mínimo tem como objetivo estabelecer orientações institucionais aos profissionais do
ensino sobre as competências mínimas que os alunos devem desenvolver a cada ano de escolaridade e em
cada componente curricular, imprimindo-se, assim, uma consistente linha de trabalho, focada em qualidade,
relevância e efetividade, nas escolas do Sistema Público Estadual do Rio de Janeiro.

No início de 2012, a Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro concluiu a elaboração dos
Currículos Mínimos para o Ensino Regular. Todavia, a SEEDUC respeita as especificidades de cada modalidade
de ensino. Por isso, elaborou-se um Currículo Mínimo específico para o Curso Normal em Nível Médio, tanto
para as disciplinas de Base Nacional Comum e Parte Diversificada quanto para as disciplinas de Formação
Profissional. Este documento servirá como referência, apresentando as habilidades e competências que devem
constar como “pano de fundo” nos planos de aula e de curso desta modalidade de ensino.

A elaboração deste documento foi conduzida por equipes disciplinares de professores da rede estadual
que atuam nesta modalidade de ensino, coordenadas por professores doutores de diversas universidades
públicas do Rio de Janeiro, a partir de um convênio com a Fundação CECIERJ. Nesse processo de elaboração,
foram tomadas como referência as Diretrizes Curriculares Nacionais para Formação de Docentes da Educação
Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental, em nível médio, na modalidade Normal (Resolução CNE/CEB
n° 2/99), os Parâmetros e Orientações Curriculares Nacionais. Contamos também com a preciosa contribuição
dos professores da rede que participaram das consultas virtuais e dos debates presenciais, fornecendo críticas e
sugestões às propostas preliminares.

As equipes disciplinares se esforçaram para elaborar uma proposta que cumprisse a dupla missão do
Curso Normal em Nível Médio de, ao mesmo tempo, fornecer aos alunos (1) a primeira formação profissional
para exercerem a função de professores da Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental e (2) o
ensino propedêutico que os prepare para prestar exames vestibulares de acesso às universidades públicas, a
fim de darem continuidade à sua formação em nível superior.

Para as disciplinas de Formação de Professores, consideraram-se, especialmente, as mudanças na matriz


curricular, implementadas em 2010 – após ampla discussão em todo o estado –, a partir das quais o Curso
Normal passou a ocupar três anos, em horário integral. Dentre as principais mudanças da matriz, que vêm a ser
corroboradas por este Currículo Mínimo, ressalta-se a inclusão de espaços efetivos visando a preparar os
futuros docentes para a promoção de uma educação inclusiva e para a construção do conhecimento, numa
abordagem que permitisse diálogos entre os componentes curriculares, a realidade da sala de aula e o perfil de
profissional da escola que desejamos projetar.

Portanto, este documento é um guia aos nossos professores ao longo dessa “dupla jornada” didática,
levando em consideração a carga horária disponível para cada disciplina de Formação de Professores. Dessa
forma, em acordo com a Resolução CNE/CEB n° 2/99, espera-se, até o fim do curso, assegurar aos alunos a
constituição de valores, conhecimentos e competências gerais e específicas necessárias ao exercício da
atividade docente, sob os princípios éticos, políticos e estéticos previstos à sua formação enquanto cidadão.

Colocamo-nos à disposição, pelo endereço eletrônico curriculominimo@educacao.rj.gov.br, para


esclarecimentos e sugestões, comentários e críticas, que serão bem-vindos e necessários à revisão reflexiva das
nossas ações.

Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro

2
Introdução
PROCESSOS DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

A disciplina Processos de Alfabetização e Letramento, componente curricular do eixo


Formação Complementar, proposta na Matriz Curricular vigente, tem como foco abordar
aspectos didáticos e os conhecimentos pedagógicos relacionados aos processos de
alfabetização e letramento nos anos iniciais de escolarização. Tal movimento se inscreve na
perspectiva de construir competências e habilidades que favoreçam uma ação docente
dinâmica, educativa e transformadora da realidade social. Alfabetizar e letrar envolvem
desafios dos mais atuais no cenário educacional, sendo o principal o enfrentamento e
superação do analfabetismo em nosso país. Nesse sentido, um esforço se faz necessário para
que as ações educativas articulem a possibilidade de ler o mundo, escrever a palavra, tornar-se
leitor/escritor constituindo-se ainda mais como cidadãos.

A formação de professores, na modalidade Normal Profissionalizante, deve interrogar-se


permanentemente sobre o que as crianças precisam saber para se alfabetizarem, quais
alternativas teórico-metodológicas são facilitadoras da aprendizagem da leitura e da escrita.
Para tanto, é necessário que o formador compreenda os diferentes contextos históricos
relacionados aos processos de alfabetização, as discussões atuais sobre alfabetização e
letramento, bem como a importância do trabalho com diferentes linguagens, considerando o
uso de mídias variadas e diversidade de gêneros e suportes textuais.

O ato de se tornar professor é um processo em permanente construção, que envolve


fortalecer a autonomia/criatividade e a compreensão dos processos formativos que se dão
dentro e fora da escola, considerando a diversidade humana presente na sociedade brasileira
para redesenhar a realidade social em busca da emancipação e libertação dos sujeitos. A
realidade da escola é complexa e traz desafios permanentes e imprevistos para o jovem
professor e, nos espaços de formação, faz-se necessário o entendimento de que a realidade
exige flexibilidade, criticidade e iniciativa.

A elaboração das habilidades e competências relativas à disciplina de Processos de


Alfabetização e Letramento está fundamentada numa perspectiva sócio-histórico-cultural,
levando em conta as discussões atuais sobre alfabetização que tomam como ponto de partida a
historicidade, as teorias de aprendizagem, os conhecimentos da prática pedagógica
alfabetizadora e os estudos sobre linguagem e discursividade - matrizes importantes para a
compreensão dos processos de alfabetização e letramento.

Equipe de Processos de Alfabetização e Letramento

3
currículo
mínimo
2013

processos de
alfabetização
e letramento
Curso Normal
2a e 3a série
Processos de Alfabetização
2ª SÉRIE - CURSO NORMAL
e Letramento

1° Bimestre
EIXO HISTÓRIAS DE ALFABETIZAÇÃO: DAS PRÁTICAS COTIDIANAS ÀS POLÍTICAS EDUCACIONAIS

Refletir sobre o sentido da escola e da(s) alfabetização(ões) na contemporaneidade, redimensionando o papel social
Habilidades e e caracterizando a sua função social;
Contextualizar políticas educacionais que se inscrevem no itinerário formativo de educandos e a história do fracasso
Competências escolar no Brasil, bem como as teorias que ancoram essa realidade social, presentes no inventário dos itinerários
formativos de apropriação da leitura e da escrita;

2° Bimestre
EIXO HISTÓRIA DA LEITURA

Conhecer a História das modalidades de leitura, estabelecendo relações entre oralidade e leitura.
Conceituar a leitura na sua dimensão de produção de sentido.
Habilidades e Analisar criticamente, em materiais variados, a recepção e interação na leitura, compreendendo as estratégias
Competências envolvidas na leitura.
Refletir sobre as implicações das diferentes concepções de leitura estudadas para a prática pedagógica .

3° Bimestre
EIXO HISTÓRIA DA ESCRITA

Conhecer a história da escrita, compreendendo sua importância para as implicações na vida da humanidade.
Habilidades e Identificar e caracterizar os diferentes suportes de textos em que a escrita se ancorou e ainda se ancora.
Competências Estabelecer relações entre a construção histórica da escrita e a construção da escrita das crianças: a pictórica,
ideográfica e a alfabética.

4° Bimestre
EIXO HISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃO: TRADIÇÃO E RUPTURA
Conhecer os diferentes métodos de alfabetização em sua gênese e suas implicações para o processo ensino-
aprendizagem.
Habilidades e Aprofundar os conceitos relacionados aos métodos sintéticos e analíticos.
Competências Analisar criticamente as metodologias tradicionais, a partir dos seus materiais didáticos.
Identificar a ruptura produzida a partir das Teorias Construtivistas e sua repercussão nas práticas alfabetizadoras a
partir dos anos de 1980.

5
Processos de Alfabetização
3ª SÉRIE - CURSO NORMAL
e Letramento

1° Bimestre
EIXO ALFABETIZAÇÃO COMO PRÁTICA DISCURSIVA

Conceituar o sociointeracionismo, seus princípios fundamentais em diálogo com a concepção construtivista de


aprendizagem da leitura e da escrita.
Comparar e diferenciar as concepções de educação que norteiam as práticas alfabetizadoras (mecanicismo,
construtivismo e sociointeracionismo), analisando as implicações dessas concepções para o processo de
Habilidades e
aprendizagem.
Competências Compreender a importância dos processos de discursividade nas práticas alfabetizadoras a partir das diferentes
concepções de alfabetização.
Valorizar os diferentes suportes e gêneros textuais como ferramentas de fruição e de construção de conhecimentos
sobre a leitura e a escrita.

2° Bimestre
EIXO PRÁTICAS ALFABETIZADORAS

Conhecer as diferentes abordagens teórico-metodológicas para a alfabetização;


Habilidades e Compreender as formas de organização do ambiente alfabetizador para as práticas pedagógicas;
Competências Valorizar os projetos de trabalho como alternativas pedagógicas interdisciplinares, contemplando o uso de
diferentes linguagens;

3° Bimestre
EIXO QUESTÕES DE AVALIAÇÃO
Identificar aspectos da história da avaliação no Brasil, tendo em vista relacioná-los com as concepções que circulam
socialmente na contemporaneidade.
Compreender o conceito de avaliação, distinguindo avaliação da prática de exame, a partir do referencial da
Habilidades e avaliação formativa.
Competências Definir o papel do professor diante da concepção de avaliação formativa, construtiva.
Relacionar aspectos dos Parâmetros Curriculares Nacionais para a alfabetização com as questões estudadas na aula.
Compreender a dimensão construtivista do erro infantil, erro como parte do processo de ensino-aprendizagem
Reconhecer o que os erros infantis revelam sobre os saberes das crianças

4° Bimestre
EIXO ALFABETIZAÇÃO DIGITAL

Conceituar letramento digital, situando-o dentro de um processo histórico na contemporaneidade.


Construir textos multimodais (diversidade de linguagens textuais), ampliando as possibilidades da leitura e escrita
Habilidades e com significado.
Analisar a importância do letramento digital e suas habilidades específicas, incluindo a produção textual em
Competências ambiente digital, sua edição e divulgação.
Desenvolver a capacidade de comunicar-se digitalmente trabalhando as habilidades de comunicação e expressão,
cooperativismo, intercâmbios, dentre outros.

6
Processos de Alfabetização e Letramento

COORDENADORA:

Adrianne Ogêda Guedes (Drª em Educação/ UFF) - UNIRIO

ARTICULADORAS:

Profª Drª Maria Cristina Pfeiffer Fernandes (Doutora em Ciências - COPPE/UFRJ com Estágio Pós-
Doutoral em Tecnologias na Educação - PUC-Rio; Profa Dra. Associado da Fundação CECIERJ /
Consórcio CEDERJ)
Dilene Carvalho Pinto Rodrigues
Esp. em Alfabetização Leitura e Escrita - UFRJ
Licenciada em Pedagogia - UERJ
Secretaria de Estado de Educação

PROFESSORES COLABORADORES:

Gloria Maria Anselmo de Souza - Instituto de Educação Professor Ismael Coutinho/Niterói-RJ


Márcia Joaquim da Silva - Instituto de Educação Clélia Nanci/São Gonçalo - RJ
Vera de Alcântara - Colégio Estadual Edmundo Bittencourt/Teresópolis - RJ