Você está na página 1de 2

Santiago Ramon Y Cajal Estudou tecido do cérebro de embriões de

galinha pois presumiu que o sistema nervoso era mais simples e


mais fáceis de ser compreendidos.então concluiu que o sistema
nervoso era formado por células distintas que começaram á vida em
uma estrutura simples e vão se tornando cada vez mais complicadas
com o tempo. Na idade adulta essas células consistem em um corpo
principal com prolongamentos que se projetam a partir dele
-hipotese neural

13)Células da glia:
sustentação, nutrição, reparação

14)Tipos de células da glia:


Ependimárias:Função: produção e secreção do líquido
cefalorraquidiano que preenche os ventrículos
LCR (cloreto de sódio e outros sais),amortecedor de
impacto
meio para os detritos serem eliminados,resfriamento,fonte
de nutrientes
Astrócitos: sustentação estrutural dentro do SNC
secreção de substâncias químicas que ajudam a manter o
neurônio saudável
processo de recuperação do tecido cerebral lesado- cicatriz
para reparar
a área atingida,formação de uma barreira entre os vasos
sanguíneos e o cérebro (barreira
hematoencefálica),transporte de certos nutrientes entre os
vasos sangüíneos e os neurônios
aumento da atividade cerebral (sinais dos neurônios: mais
oxigênio e glicose)
micróglia:Função:Monitora a saúde do tecido cerebral: fatores
de crescimento para ajudar na reparações
de lesões,tecido morto: fagocitose,onde existe micróglia:
perda celular
Schwann: mielina para axônios do Sistema Nervoso Periferico
,Mielina e nodos de Ranvier:
Importante na transmissão de informação _ aceleração da
Transmissão,Neurônios sensoriais e motores_altamente
mielinizados auxiliam na recuperação dos axônios do
Sistema nervosoperiférico
oligodendrócito:
Fornecem mielina para os
axônios
MIELINA: gordura + proteína
Isolamento elétrico: condução
mais eficiente
15) Casos clínicos
Tumor: crescimento desordenado de células da glia
Hidrocefalia: acúmulo de líquor no encéfalo
Esclerose múltipla: destruição de mielina do SNC – oligodendrócitos

16)Atividade elétrica da membrana


potencial de repouso:íons de anios de proteína e potássio, maior
concentração dentro axônio do eu fora dele, sódio fora da
membrana, fecha canal de sódio abre canal de cloro, bomba de
sódio e potássio, troca 3 sódios por 2 potássio, a alta concentração
de sódio extracelular se deve a essa bomba, há dez vezes mais sódio
fora do que dentro dela, contribuindo para o potencial de repousa
da membrana -70, o potássio esta livre para entrar e deixar a
célula, mas o sódio não pode entrar novamente depois de
bombeado para fora, a distribuição desigual de íons diferentes
fazem com que o interior do axônio fique carregado negativamente,
em relação ao exterior do axônio, deixando o lado intracelular da
membrana com -70 mv
potencial graduável: a hiperpolarização deve-se ao efluxo de
potássio, tornando lado extra celular da membrana mais positivo, o
influxo de cloro também pode introduzir hiperpolarização, a
despolarização se deve ao influxo de sódio por canais de sódio
normalmente fechados
, potencial de limiar :Nível de voltagem de uma membrana
neural no qual
um potencial de ação é acionado pela abertura de
canais de Na+ e K+ sensíveis à voltagem
• cerca de -50 mV