Você está na página 1de 232

J. J.

Gremmelmaier

Earth 630
Vida e Morte
Terceiro livro da Série Earth 630

Primeira Edição

Curitiba / Paraná
Edição do Autor
2014/2015
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Autor; J. J. Gremmelmaier
Edição do Autor
Nome da Obra: Earth 630 – Vida e Morte
ISBN
CIP – Brasil – Catalogado na Fonte
Gremmelmaier, João Jose
Earth 630, Vida e Morte, Romance de Ficção, 230 pg./ J.
J. Gremmelmaier / Curitiba, Pr. / Edição do Autor / 2014/2015
1. Literatura Brasileira – Romance – I – Título
2. Literatura Brasileira – Série – 3° Livro
3. Literatura Fantástica – Romance – I - Título
85 – 0000 CDD – 978.000
As opiniões contidas no livro, são dos personagens, em nada assemelham as opiniões
do autor, esta é uma obra de ficção, sendo os nomes e fatos fictícios.
É vedada a reprodução total ou parcial desta obra.
Sobre o Autor:
João Jose Gremmelmaier nasceu em Curitiba, estado do Paraná, no Brasil, formação
em Economia, empresário a mais de 15 anos, já teve de confecção a empresa de informática,
escreve em suas horas de folga, alguns jogam, outros viajam, ele faz tudo isto, a frente de seu
computador, viajando em historias, e nos levando a viajar juntos.
Autor de Obras como a série Fanes, Guerra e Paz, Mundo de Peter, os livros Magog,
João Ninguém, Heloise e Anacrônicos, cria em historias que começam aparentemente
normais, mundos imaginários, interligando historias aparentemente sem ligação nenhuma,
gerando curiosidade sobre outros textos escritos.
©Todos os direitos reservados a J.J.Gremmelmaier
Terceiro capítulo da série Earth 630, vamos
nos aventurar nas luas de Saturno e além.
Pg. 03 Saturno
Pg. 47 Netuno
Pg. 89 Confronto
Pg. 180 Mac 37
2
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

Nuno olha para Regina ao


comando, estavam a um dia de Titã, ele
a olhava com admiração, talvez
conseguisse dividir com alguém um
sonho, e isto era algo importante para
ele.
Nuno viveu uma vida tentando agradar aos pais, tentando se
formar, ser especial, conseguiu aos 14 anos, ouvir os dois, pai e mãe
tramarem sua morte.
Estavam acelerando rápido no sentido de Saturno, e as
demais naves já estavam passando por lá, para quem disparou por
ultimo, depois passou na frente, agora era o ultimo novamente do
comboio de naves que deixara a Terra, Lua e Marte rumo ao espaço,
estavam se aproximando das demais a cada hora.
Os demais pegaram velocidade e pareciam estáveis, Nuno
tinha seus receios referente a cálculos, mas agora teria de encarar a
verdadeira aventura, aquela que deixa todos tensos, o esperar pelo
próximo ponto no espaço.
3
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Regina olha para Nuno e pergunta.
— O que o está preocupando?
— Ajustando os comandos de transmissão da nave, a cada dia
as poucas horas de diferença de cada dia devido a nossa velocidade,
começam a fazer diferença referente ao tempo na terra, então
estou focando no horário terrestre, para termos um paradigma, pois
ainda recebemos os dados deles.
— Certo, estamos a que velocidade? – Call no comando.
— 32,78% da velocidade da luz, agora vamos quase
constantes por mais de 30 dias.
— E quanto de tempo deu esta diferença? – Regina.
— Digamos que é um calculo, pois não posso mais confiar nos
relógios internos para fazer esta medição, eles estão nos dando um
dia de pouco mais de 1 hora e 7 minutos a mais, pelas mesmas 24
horas.
— Esta dizendo que estamos indo mais rápido, mas nós não
percebemos isto, pois nosso dia é maior apenas para quem nos
observa.
— Sim, uma diferença de quase 17 dias a mais por ano, mas
os dados ainda estão sendo calculados, quando chegarmos a área
entre estrelas, devemos acelerar a 45% da velocidade da luz, dai a
diferença deve chegar a 3 horas e 9 minutos, o que dará quase 48
dias por ano de viagem de diferença. – Nuno.
— E quanto isto dá de diferença na viagem inteira?
— Isto é algo que viveremos para entender, todos falam que
deveríamos demorar X anos para chegar a certos lugares, mas
nunca entendi, X anos nossos, ou X anos deles.
— Muita diferença? – Call.
— Call, se nós chegarmos onde quero em 88 anos, os cálculos
induzem que para quem olha, seriam pelo menos 99 anos.
— E não entende como? – Regina.
— Acho que entendo, mas como podemos afirmar coisas que
os demais não viveram.
— E vamos parar em algum lugar perto de Saturno?
— Vamos parar rápido onde conseguirmos, sabe que não
tenho pressa de entrar no marasmo do espaço.
— Marasmo?
4
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— 3 Anos no mínimo sem ver grande coisa.
— E o que mais calcula ai? – Call apontando o gráfico 3 do
menino.
Nuno aperta um botão e fala;
— O nosso céu deve mudar assim.
Os dois viram um linha acelerada com as estrelas mudando
de lugar, algumas se afastando e outras se aproximando, se viu Alfa
Centauro chegar próximo.
— Qual a logica? — Call.
— Primeiro as que estaremos mais próximas, vão estar a
menos anos luz de nós, e tendem a chegar ao ponto que estão hoje,
como alfa Centauro – Nuno põem a mão e uma estrela e fala.
— Esta estrela é nosso destino final, então ela saíra da lateral
onde estava a 32 anos, e tende a ficar frontal, cada vez mais frontal.
— E vai retransmitir tudo para a Terra?
— Pelo que entendi, eles receberão nossa transmissão final,
perto de 37 anos depois de chegarmos lá, mesmo a transmissão
voltando a velocidade da Luz, os dados importantes, o sistema
calculará e retransmitira, mas se entendi, pode ser que recebam o
comunicado 48 anos depois de termos pisado lá, se vamos demorar
88 anos, e eles receberão nossa chegada, em 136 anos, mesmo nós
chegando em 88, o que quer dizer, teremos tempo de nos
inteirarmos do problema.
— E se chegarmos lá e eles estiverem lá.
— Eu não tenho pressa Regina, sabe disto.
— Imagina se tivesse. – Ela sorrindo.
Call olha os dois e fala;
— Dalton manda agradecimentos e está rumando para sua
rota de caminho.
— Que todos sejam fortes agora.
Regina abraça Nuno e pergunta;
— Vamos no mesmo sentido de Saulo?
— Ele vai pular direto, vamos acompanhar o caminho, mas ao
longe.
— Ele ainda está curioso do que fará.
— Vamos tentar manter a lucidez, o resto se resolve. – Nuno
sorrindo. – Eu coloquei muita gente em nosso sentido inicial, pois
5
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
vamos passar em Mac 3, mas antes Alfa Centauros, depois ED 37,
somente depois disto Mac 3.
— Não vamos sozinhos? – Call.
— Primeiro ainda não saímos do sistema solar, segundo,
temos os Marcianos, junto com nós, terceiro, Lua 1 vai neste
sentido.
— E tem mais.
— Sei lá, acha mesmo que sei de tudo? - Nuno olhando Call.
—Sabe mais que muitos, parece ter se preparado para isto,
mas quando se fala em Alfa Centauro se fala de que?
— Alfa Centauro é um sistema solar de dois sois, mas temos
um planeta que gosta de confusão e faz um oito, ele circunda os
dois sois, no lugar de apenas um.
— Vamos a ExoAlfa 6? – Regina.
— Isto em 3 anos.
Regina sorriu, pois o menino ainda estava pensando em como
sair do sistema solar.

Em Marte o prefeito olha para


Leon.
— Parece que o menino agora
tem inimigos em outros lugares.
— Não estou olhando prefeito,
mas como dizem, é só não ouvir que se
tem problemas.
— Dizem as transmissões que houve uma revolta em Europa.
Prenderam todos os seguranças e administradores, até o prefeito,
estão mandando de volta a terra e pedindo novos administradores.
— Pelo jeito ele esta acalmando, nem matou ninguém.
— Verdade, mas as naves estão acelerando para Saturno já,
vão de lá a Netuno e finalmente fora do sistema solar.
— Pelo jeito está acompanhando as confusões prefeito.
— Estou vendo uma cidade nascer e crescer e ainda não
entendo este sistema de construção.

6
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Senhor, o corredor entre as duas cidades começou a sair
daqui, são 3 mil quilômetros mas devemos o terminar junto com a
cidade.
— Sabe que as vezes evolução demais me assusta.
— Senhor, no fim do dia, apenas não se assuste.
— Algo pesado?
— Uma imensa extratora estará chegando e colocará no
centro da cratera lá encima uma imensa rocha de agua.
— Por isto estão cobrindo parte?
— Vamos cobrir tudo, filtrar a agua, isolar e purificar, e ai sim,
começar a irrigar e alimentar as mudas a toda volta prefeito.
— E o menino fez isto sem transparecer nada.
— Ele se preparou para isto, mas obvio, deve ter deixado
mais caminhos inacabados do que acabados.
— E vamos acabar este pelo que entendi.
— Vamos prefeito, vamos acabar este e gritar alto para o
espaço que somos Marcianos com orgulho.
O prefeito sorriu.

Na base da 3D CAD da Lua, Noá


olha para os comandos e pergunta a um
rapaz que chegara na mesma manha.
— Sabe onde estão aqueles três
rapazes que ficaram aqui o dia de
ontem?
— Estão lá fora tentando algo, não sei, parecem estar
querendo provar que um é melhor que o outro.
Olha os dados e pergunta.
— Como estão as coisas na Terra?
— Complicadas, as pessoas ainda tentam entender o
acontecido, muitos estão falando de incompetência presidencial.
— Foi, e aquele Senador ainda vai sair como herói, e é o mais
podre dos de lá.
— E vamos fazer oque?

7
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Diretriz nova rapaz, todos os que vierem para a Lua,
estarão vindo para a Nação Lua, não mais um subproduto de 10
nações que pouco se importam com nós.
— Eles sabem disto?
— Eles vão ter de aceitar, estamos entrando com nossa
declaração de independência.
— Sabe que vão reclamar.
— Sei, e estou levantando as defesas, pois sei que vão tentar
reagir, e estamos estabelecendo a primeira constituição de leis
Lunares.
— O que difere?
— Direitos, vamos aceitar famílias inteiras rapaz.
— Vamos tornar a Lua um mundo real?
— Sabe os problemas estruturais?
— Sei que estaremos erguendo 20 cúpulas de vivencias sobre
a Lua, levantaremos estrutura, a 3D CAD nos deixou estrutura para
montarmos 20 cidades estruturais, 20 locais para dois milhões de
habitantes.
— Está falando serio Noá? – O rapaz.
— Sim, pelo que entendi, a 3D ao redor de Júpiter o
administrador anterior deu independência, Marte está se
estruturando para Crescer, dizem que até as Luas de Júpiter estão
com projetos imensos, vamos crescer enquanto podemos, já que
gente querendo fugir para qualquer lugar, parece ser o forte neste
instante na Terra.
O rapaz sorriu vendo Noá olhar as especificações de fabricas,
de locais, de estrutura, de cronogramas, estranho ver um pedido de
independência de uma terra que estava vazia, mas que teria 20
novas cidade independentes, com reatores de fusão e lagos
centrais.
Os dois ficam a olhar o holográfico de como seria a Lua em 2
anos, com todos os adendos de viagem espacial, de campos de
treino, de estruturas de fabricação, de embarques e desembarques,
de turismo Lunar.
Noá olha os projetos e sorri, o menino mudaria aquele mundo
e todo o projeto, incrementando.

8
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

O comandante Saulo olha para


Guedes, no comando e pergunta.
— Estamos estáveis?
— Sim, estamos estáveis em
aceleração constante senhor.
— Algo fora dos parâmetros?
— Nada, os demais começam a pegar seus rumos senhor, não
sei quantos manterão nossa rota.
— Também não, não entendi o recado de Regina, há dois
dias.
— Qual recado senhor? – Guedes.
— Que após saírem de Titã, ela e Nuno viriam a nave para
falar comigo, perguntei sobre oque, e ela apenas disse que era
particular, mas precisava me falar.
— Será que eles tem problemas lá?
— Eles deixaram 3 estruturas em Europa e mesmo assim,
ainda são maiores que nós.
— Alguns grupos começaram a falar em tentar suas missões.
— Finalmente, reações são boas, mas quem ainda não se
afastou Guedes.
— As três naves vindas de Marte, a de Nuno e a nossa
parecem mesmo afastadas manter o curso senhor.
— Quantos?
— Mais de 500 mil ainda comandante.
— A maior leva de humanos já colocada no espaço, quando
se fala naquele menino, tem de se entender, ele não quer algo fácil.
— Acha que ele quer oque?
— Acho que ele pretende muito, todos acham que ele que
está acelerando nossa missão, mas sabe Guedes, estamos
acompanhando, ele acelera quando acha preciso, freia quando acha
possível e continua ai ao lado.
— Sim, com 50 mil terráqueos em Criogenia e mil espaço-
nautas que todos teriam deixado lá.
— Alguém capaz de salvar, mas capaz de abandonar com a
mesma facilidade.
9
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

Nuno entra na região que


estavam os ainda em recuperação
Espaço-Nautas da EF620, olha para a
doutora Rita e pergunta;
— Como eles estão.
— Esta vacina faz milagres
menino, todos esperavam estar recuperados em 10 dias, estão
começando a comer normalmente, os índices de radiação pessoal já
está em níveis quase normais, acredito agora que eles irão ao
espaço menino.
— Sei disto, mas ainda não falamos com Saulo sobre isto.
— Sei disto, ele vai por ressalvas.
— Em 3 dias, começam a aplicar no pessoal vindo de Marte,
eles vão fazer um revezamento, para que a vacina seja aplicada em
todos, vai demorar mais de 20 dias este rodizio.
— E não falou nada antes.
— Doutora, eu fui a cobaia, quando os rapazes de Io, viram eu
e Regina saírem em pleno dia, pela porta frontal, e ir ao espaço,
todos ficaram se perguntando nos sistemas sobre como
aguentamos aquela radiação.
— Certo, vai querer vender isto e fazer dinheiro?
— Não, vou querer proteger e fazer os humanos da linha
Júpiter, Saturno, Urano e Netuno, irem ao futuro, mesmo em locais
que desculpa, estranho.
— O que estranhou.
— Eles derretem a 21 graus célsius doutora.
— Criados no frio.
— Sim, mas não tenho como criar algumas coisas a 12
negativo, então as cúpulas que instalei lá, são como esta nossa casa,
mas vai gerar pessoas menos resistentes para o mundo externo de
Europa, mas mais resistentes a uma viagem espacial.
— E como vamos a nível espacial?
— Quase Saturno.
— Devemos estar deixando nossos parentes orgulhosos.

10
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno não falou nada, os parentes deles achavam que eles
haviam morrido, mas era real, os poucos que acompanhavam
estavam admirados no mínimo.
— Vamos a Titã e na volta, vamos numa visita informal a
E630.
— Vai aprontar.
— Não, vou passar a frente o que preciso passar a frente.
Nuno sai dali e vai ao comando, Call vê o menino configurar
as coordenadas e vê em hangares focados 40 naves decolarem, e 80
Destruidores as acompanharem.
Regina olha aquele agito e pergunta;
— O que agora?
— 40 bases da 3D Saturno se instalando.
— Não para nunca?
— Como disse Regina, eu sonho deixar um caminho trilhado,
eu planejei fazer isto quando por aqui passasse, os dorminhocas da
nave nos permitem ajudar estes daqui.
— Vamos quando? – Regina.
— Saindo em minutos.
Regina sorri, vai ao alojamento se preparar e de lá para a área
de decolagem.
Nuno a olha e pergunta;
— Sabe que ainda não saímos do sistema que controlamos. –
Frase referente ao sistema solar.
— Quer dizer, que achamos que controlamos.
Nuno sorri.
Embarcam em um Rapid630, a nave ainda estava a meio dia
de Saturno, mas eles acelerariam para Titã, tomando a frente no
Rapid, para não se atrasarem.
Os dois se aproximam de Saturno e os olhos encantados de
Regina, eram a dica da visão frontal daquele imenso planeta, o
encanto nos olhos, no contornar sobre o grande anel, pareceu uma
estrada olhando de cima, os olhos de Nuno vão a Titã enquanto os
de Regina continuavam em Saturno.
O aproximar de Titã foi já com duas naves de
reconhecimento.

11
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
O radio estava ativo, esperando as dicas, Nuno apenas seguiu
os instrumentos e ouve;
“Se identifiquem!”
“Nuno 1 da EP630 pedindo permissão de pouso!”
“Aguarde!”
Nuno vê que estavam em rota de giro ao redor da Lua de Titã,
enquanto os demais deveriam decidir se desceria.
“Motivos da alunagem!”
Nuno respira fundo, sorri para Regina e fala.
“Representante da 3D Saturno, descendo para determinar o
novo dono do complexo que abrange 40 bases ao redor de
Saturno.”
Um silêncio veio primeiro, um esperar, estavam já dando a
terceira volta na Lua, pois a nave de Nuno era muito mais rápida
que as demais que tentavam acompanhar a volta.
“Não existe 3D Saturno, e ninguém tem 40 bases em Titã”
“Em Titã apenas duas senhor, 40 bases em varias luas de
Saturno!”
Regina chega ao lado e pergunta;
— Acha que nos autorizam?
— Os de Ganimedes ainda se perguntam quem saiu de lá
fugido.
— E abandona planos assim?
— Não serei eu que os executarei Regina, eu estou abrindo a
possibilidade, eles que terão de trilhar.
— E vão nos deixar descer.
— Acho que sim.
“Estamos analisando seus motivos, aguarde!”
Nuno toca o comando e do conjunto EX630, 10
Destruidores630 saem no sentido de Titã, Call no comando
entendeu que não seria fácil.
Estavam a mais de 10 voltas, mais de 60 minutos esperando
quando as naves se aproximam e mantem velocidade de
interceptação a toda volta da Rapid630.
Titã tenta comunicação com os 10 Destruidores e nada, e
abre comunicação com Nuno.
“Pelo jeito não vai esperar!”
12
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
“Tenho pressa senhor, minha nave passa ao fundo a 32% da
velocidade da Luz, não quero ter de correr atrás.”
O rapaz do comando coloca a Nave ao fundo e fala;
— Senhor, conjunto de 5 imensas naves passam ao longe,
está é a ultima.
O senhor olha o tamanho e pergunta;
— Quantos tem ai?
— Não estão respondendo senhor, mas o que faço, ele
aguarda, daqui a pouco desce na marra!
— Não se atreveria! – O comandante da operação aérea Titã.
O rapaz no comando coloca a imagem da nave do menino
acompanhada agora de 10 destruidores.
— Acho que se atreveria senhor, é Nuno Martins que está ali,
ele em si é a lenda desta viagem.
— Lenda?
— Ele vem a frente, ou as costas, mas segundo os relatos,
dono da 3D CAD, que agora se divide em 3D Cad, 3D Lua, 3D Marte,
3D Júpiter e pelo que ele falou 3D Saturno.
— Acha que ele nos enfrentaria.
— Senhor, ele está sendo esperado, sabe disto, nós que
estamos cumprindo ordens da Terra, mas ordens que não entendo,
eles os chamam de Desertores, mas a pergunta que faço
comandante, como se Deserta com tudo o que está passando ao
longe a um dia.
— E sabe referente aquela nave que desobedeceu e desceu
acelerada?
— Está se abrindo no Mar da Calma, protegida por um
Destruidor destes que acompanha a nave deles, por sinal, nunca
havia visto uma nave tão rápida senhor, ele sem esforço, faz as
nossas acelerarem a toda, e parecem apenas passeando.
— Autoriza a descida, nem sabemos se tem mais maluco no
espaço.
“Descida autorizada!”
O rapaz olha para os Destruidores continuarem na rota de
giro e a nave descer rápido.
A atmosfera amarelada de Titã era diferente das coisas que
tanto Regina quando Nuno havia visto, depois de um tempo,
13
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
pareceu abrir o visual, olham para cima, um laranja tomando todo o
céu, e para baixo, colinas, mares, e olham a grande formação de
construções ao fundo, pareciam rusticas.
Nuno desacelera, e viu a área de pouso a frente sinalizada,
sabia que estavam sobre a área de pouso de Carlos 12, um dos
conquistadores daquela lua, isto lá pelos meados de 5M.
A nave percorre a pista e vê a leva de cúpulas a frente, e
todas estavam fechadas.
— Não deveria ter uma cúpula para nós? – Regina.
— Sim, deveria sim.
— Vão nos fazer esperar?
— Calma Regina, estamos em Titã, mais um mundo para falar
para nossos filhos que pisamos.
— Eles vão duvidar.
— Com certeza vão duvidar.
— Olhando em volta, parece um ambiente agradável.
— Agradável no visual, mas que está a 160 graus negativos.
— Sabe aquelas coisas que você estudou, viu por imagens, e
mesmo assim, pessoalmente parece diferente.
— Sei.
Ao fundo um grupo de escolta, micro tanques aponta as
armas para a nave, e Nuno olha para Regina.
— Eles parecem não querer mesmo nós por aqui.
— Mas não estava com tudo acertado.
Nuno olha para ela acenando positivamente, o brilho
avermelhado surge a volta da nave, Nuno não queria morrer.
A nave flutua um pouco, ficando dentro do campo de
exclusão enquanto as naves de controle veem os Destruidores
rumarem para baixo, brilhando avermelhadas.
Nuno olha para o espaço e os demais veem os Destruidores
se posicionando sobre a cidade, um impasse.
“Quem nos ataca!” – Nuno no comando.
“Estamos decidindo como o receber, desertores tem preço
alto no mercado do sistema solar”.
Nuno chega ao comando e aciona o sistema interno,
interferindo nas transmissões e todos os transmissores e

14
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
comunicadores começam a tocar, quando eles atendem ouvem o
mesmo que surge nas TVs a volta.
“Povo de Titã, uma recomendação, capacete fechado!”
Os ao chão viram a leva de autômatos começarem a entrar na
cidade, desarmando os demais, as pessoas assustadas veem as
maquinas jogarem a segurança ao chão.
Nuno fica ali a ver os veículos ao chão serem desarmados, e
12 minutos a mais Nuno desligava o campo de exclusão e olha para
Regina.
— Vamos?
Na nave, uma das divisões inferiores, separava-se e começa a
se direcionar a Titã.
Os demais não viam a imensa nave chegando.
Ao norte da cidade, a primeira nave, terminava de erguer
sequencias de 16 colunas de poio, enquanto os autômatos
instalavam alguns alojamentos.
Nuno sai da nave e olha para o céu amarelado e vê sobre a
cabeça descendo lentamente aquela imensa nave de mais de 30
quilômetros de comprimento, mais de dois quilômetros de
diâmetro interno.
As pessoas olham aquela imensa nave pousar ao norte, não
sabiam o que era aquilo, mas a muito não viam grandes naves
pousarem ali, sempre coisas pequenas.
Os seguranças ao chão, os autômatos abrindo caminho,
fazem Nuno e Regina chegarem a frente de um senhor.
— Quem se atreve a tomar minha cidade.
— Nuno Martins, com quem falo.
— Prefeito Yoni.
— Não precisaria disto prefeito, não vim por mal, mas não
adio planos que não tenho como adiar.
— E toma o que lhe interessa?
— Sim, tomando a cidade de Carlos 12, meus autômatos vão
fazer a segurança e os controles, quem manda não me deixarem
entrar.
— Sabe que vamos recuperar a cidade, e vamos o matar.
— Já tentaram antes senhor, mas vai conversar ou vamos
apenas discutir agressivamente.
15
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não sedemos a chantagem.
— Não quer mesmo conversar prefeito?
— Acha que tenho medo de você?
— Com certeza não, mas isto é sinal de desequilíbrio mental,
e não posso dizer que gosto de deixar uma lua distante na mão de
um desiquilibrado.
Um rapaz chega ao fundo e fala auto;
— Nuno Martins, veio finalmente.
Nuno olha o rapaz e fala;
— Quando disse que iria se esconder da E600 Carlos, pensei
que seria mais fácil lhe achar.
As palavras informais fizeram Regina olhar para o rapaz que a
encara e pergunta;
— Veio com uma comandante? – Carlos.
— Minha companheira Carlos, mas como estão as coisas por
aqui?
— Geladas.
— Soube disto, ao norte, acabo de por a nova base da 3D em
funcionamento.
— Maluco, todos querendo lhe matar e vem nos dar
estrutura.
— Pensei que seria recebido bem, e não com todos me
apontando as armas Carlos.
— Eles tem um instinto capitalista, e sua nação colocou uma
recompensa de 4 trilhões de créditos por sua cabeça.
— Porque não me falaram, eu compro minha liberdade.
— Eles não sabem que tem de sobra Nuno, mas o que veio
fazer em Titã.
— Podemos ir a nossa nova base Carlos?
— Quer ir como?
— Vamos pelo ar, é mais fácil e mais seguro, pelo menos para
mim.
Nuno saia por onde entrava e olha para um autômato e fala;
— Aquele senhor vai nos acompanhar. – Fala apontando o
prefeito.
O prefeito estranhou, mas os autômatos começam a prender
as pessoas da segurança e por as pessoas a trabalhar.
16
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno sai para fora e entra na nave e um autômato entra e
senta o prefeito enquanto Nuno sobe ao ar e Carlos olha para eles
se aproximando da nova base, com certeza a maior construção
daquela lua que tinha apenas 3 mil humanos.
Carlos vê Nuno aproximar e pousar, o prefeito olha incrédulo,
entram na parte interna e Carlos se depara com a parte interna da
nave, com plantações e fala.
— Vai deixar esta aqui.
— Sim, na parte interna e estrutural, tem escola, tem sistema
de propulsão, tem sistema de defesa, autômatos, Destruidores e
tudo que precisa para duas mil pessoas viverem bem.
— Mas quem vai trazer para cá? – O prefeito olhando aquela
imensa nave parada ali.
— Ninguém senhor, esta é parte da base de pesquisa que o
senhor assinou a autorização de instalação a duas semanas em Titã,
da 3D. – Nuno.
— Como ninguém, disse que cabe duas mil pessoas.
— A 3D tem somente 680 funcionários em Titã, eles serão
transferidos para cá, mas com calma, duplicamos as instalações e
acomodamos os humanos melhor.
— Está falando sério? – Yoni.
— Acha que alguém traz algo deste tamanho para brincar
senhor?
— Mas me disseram que você é um perigo.
— Senhor, é desta nave os 10 Destruidores que estão
voltando a pousar na estrutura, são desta base os 12 mil autômatos
que posso usar, para bem, ou para mal, mas a estrutura que estou
deixando em Titã, vale mais de 16 trilhões de créditos, temos
estrutura para erguer mais e isto que preciso estabelecer em Titã
antes de ir a frente.
— Vai investir aqui e se mandar, por quê?
— Senhor, a logica fala que devo, pensa, mandamos crianças
como eu ao espaço com esta estrutura, e não damos a mesma
estrutura a bases avançadas humanas.
— Esta querendo nos dar estrutura, mas o que ganha com
isto.

17
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Eu vou em paz, não preciso de tudo isto, mas preciso que
os que ficam tenham chance de sobreviver, não adianta eu chegar a
Mac 37 e saber que os humanos se destruíram.
— E o que pretende fazer, pois isto é incrível. – O prefeito
olhando para Carlos – Não sabia que eram estes os planos.
— Ninguém acreditaria mesmo, vendo parado aqui estou
incrédulo senhor.
Nuno olha os dois e estica um papel na mesa, papel já era
raro, mas dava o impacto que ele queria.

— Carlos, sabe que quero fazer isto, estávamos ainda na


escola da E600 quando você resolveu pular fora e eu assumi seu
posto, mas hoje temos Carlos 12 aqui, o lago, a planície baixa, nesta
disposição do mapa, e neste ponto colocamos a nave, que é inferior
a cidade, mas é melhor planejada e não perdemos muito espaço
para o lado, sua cidade prefeito, tem no máximo 12 metros, a
estrutura aqui tem dois mil metros de raio, o que encostado nas
bases de apoio, dão isto de altura a construção.
18
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— E o que pretende.
Nuno pega outro papel e põem a mesa;
— Em 6 meses, Carlos vai transformar nisto o projeto da 3D
prefeito.
— Maluquice Nuno, mas se vai nos oferecer esta estrutura,
daria para quantos confortavelmente nesta sua estrutura?

— 12 mil pessoas somente na nossa estrutura, novos tanques


de armazenamento, pista mais larga para decolagem de cargueiros
maiores para a Terra.
— E pretende fazer isto com que apoio? – Prefeito.
— Dos presidentes da 3D senhor, Carlos aqui, assume a 3D
Saturno, que terá uma base de exploração em cada pedra produtiva
ao redor de Saturno, mas terá uma base avançada também em
Netuno, mas isto é plano futuro.
— E vai construir isto aqui, longe de tudo.

19
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Carlos, quero que os humanos em cada ponto cheguem a
no mínimo 20 mil habitantes, é o que preciso para que se uma
catástrofe acontecer, consigamos recomeçar do zero.
— Prevendo trovoadas?
— Prevendo problemas, mas nada comparado as trovoadas
deste seu mundo Carlos.
O rapaz sorriu e perguntou;
— Mas tem certeza que temos estrutura?
Pedro liga o comando da sala que estava e Carlos olha a base
em 40 pontos começarem a piscar e surgir autômatos com os dados
de cada lua de Saturno, de cada mineral, uma sequencia de 40
bases de pesquisa e de exploração.
— Falou serio em 40 bases! – O prefeito.
— Sim prefeito, mas tem de entender, odeio traições.
— Sabe que está nos forçando.
— Pode ser pior prefeito, não estou aqui para fazer guerra,
mas para garantir a todos os habitantes de Titã, uma casa, uma
alimentação saudável e uma serie de vantagem físicas.
— Sabe as ordens que chegaram da Terra?
— Com certeza me querem de volta senhor, pois eu passei a
pessoas como Carlos aqui a empresa que construí aos 14 anos,
tenho 18, e não aos comandantes ou pessoas que nada sabiam
antes de me considerarem um inimigo.
— E vai tomar minha cidade?
— Estou conversando prefeito, tem mais a ganhar que eu,
pois eu vou ao espaço, atrás de uma superterra, algo que dizem os
estudos da Mac que caberia 3 vezes a população da terra lá.
— Acha que chega? – Carlos.
— Carlos, eu fiz um plano para chegar lá antes de qualquer
um, eles acham que entenderam a ideia, mas é que não posso
culpar alguém de duvidar de minhas pretensões, mas as que dividi,
são apenas parte do todo.
Carlos olha para a parte interna da nave e fala.
— Sabe que vegetais tem quase preço de diamante aqui.
— Isto é outra coisa, vamos explorar outras coisas além de
gás natural e vamos desenvolver tecnologia própria.
— Algum motivo especial? – O prefeito.
20
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Quando falo em estrutura para 12 mil pessoas prefeito, é
uma estrutura como esta, com renovação, com conservação, com
controle de todos nossos consumos, pois uma nave destas é
projetada para sair e chegar, não tem como obter nada no caminho,
então é lhes dar independência estrutural, para pensarem a frente.
— Sabe que eles não nos mandam tanta estrutura, eles não
nos querem independentes. – Prefeito.
— Sei disto, mas o que vai construir a estrutura seguinte, é a
tecnologia que tem dentro desta nave prefeito, podem demorar 10
anos para terminar, mas em um cargueiro, demora mais que isto
para ir e voltar da Terra.
— Acha que podemos sonhar mais alto? – Carlos.
— Eu sonho alto, não vejo sonho em acordar em um mundo
bonito aos olhos, mortal ao corpo sem proteção, sem oxigênio, que
nem pode escapar, pois este mundo se transformaria.
— E acha que consigo? – Carlos.
— Sabe que é só manter a calma, toda a estrutura vai ser
alimentada, sabe que o dióxido de carbono que nós humanos
produzimos, vira essencial a este projeto.
— Um louco, um sonhador, um revolucionário.
Nuno lembrou-se de quando conheceu Carlos, há 4 anos, na
base de Los Alamos.
— Sim, mas poucos me viram aos 14 anos Carlos, como você,
fugindo e assustado, prestes a querer mostrar um projeto audacioso
chamado 3D para os pais, tão encantado com as linhas, que não
notei a gravidade da conversa, apenas quando ouvi, “Morte em uma
semana no pacifico”, me toquei, era de mim que falavam, eu
prestes a mostrar um produto que bateria o primeiro, em anos, e
eles já pediam minha morte, dai chego a Los Alamos, um cartão de
memoria, poucos créditos, muitas lágrimas, de uma criança que não
queria ter ouvido o que ouviu, poucos me viram frágil como você
Carlos, a maioria vê apenas o ser que me programei aparentar.
— Você chega lá triste, em 5 minutos destravou algo que
tentava há anos destravar, e você o fez entre lagrimas, você parecia
querer se esconder lá.

21
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Regina entendeu que os dois se conheceram em meio ao
pedido pelos pais de Nuno de sua morte, ela olha o rapaz, alguém
que veio aquele mundo, depois do que descobriu.
— Tem de ver que poucos entenderam aquilo Carlos, poucos
viram aquilo, poucos souberam daquilo.
— Nunca entendi mesmo, mas pelo jeito quer chegar a
entender aquilo.
— Alguém deixou uma arapuca para que caíssemos em
Marte, levei sorte.
— O que aconteceu em Marte? – Regina.
— Foi deixado um cristal extraído em teoria de Marte em
uma sala, o desafio era o tocar, ainda bem que não o toquei.
— Por quê? – Carlos.
— Algo haver com Claues Cristal, uma espécie de
humanoides, criada para destruir o todo.
— Uma espécie mais mortal que a humana? – Prefeito.
— Sim, algo referente a um enfrentamento nos primeiros
anos do século 21, mas não entendi ainda o todo.
— Não falou nada com nada! – Regina.
Nuno olha o prefeito e pergunta;
— E dai, será aliado dos humanos espalhados por este
sistema solar ou vai ser um cordeirinho da Terra?
— Sabe os riscos?
— Marte está produzindo Destruidores senhor, a empresa
que estou passando a frente, fez um escambo com gás natural, e vai
ter alguns para defesa da empresa, podemos ajudar-nos, ou nos
conformar em ser apenas uma pedra girando em torno de Saturno,
que quando eles quiserem, matam todos e mandam outros para cá.
— E acha que esta estrutura estará pronta quando? –
Prefeito.
— Senhor, uma vez começado a construir, vai acabar, talvez
tenhamos problemas como em Europa, era para ter uma nave
inteira montada para que fosse uma das rotas de fuga possível,
cheguei lá e quase toda a totalidade do que era tecnológico, havia
sido desviado, o prefeito de lá vendeu o que não era dele, em troca
de confortos que nunca chegaram em Europa.
— Mas precisa de que para funcionar? – Prefeito.
22
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Cooperação e boa vontade, pois o resto, já está vindo para
cá, e em pouco tempo estará funcionando. – Nuno assume o
comando e liga as câmeras externas, pelas varias saídas da nave, um
exercito de autômatos sai e começa a demarcar e fixar as estacas
das 7 outras estruturas, se vê eles começarem a colocar junto a esta
uma cúpula inicialmente ela inflou e começa a crescer com o
oxigênio que vinha de tanques internos, e as estruturas externas
começam a se ampliar.
O prefeito olha as imagens descrente e pergunta.
— Como você faz isto?
— Tudo que vê lá fora é tecnologia da 3D, registradas pela 3 D
e usadas apenas por ela para dar estrutura a mundos como o seu.
Carlos olha aquilo e fala.
— Pensei que falava serio quando falou em 10 anos.
— Nem tudo é tão rápido como a camada externa da
construção, a montagem dos motores, das estruturas de plantações
e de atmosfera interna geram mais problemas que a casca.
— Só a casca já é algo incrível.
O prefeito olha Nuno, uma criança, pois não vinham famílias
para aquele lugar, vinham trabalhadores que tentavam uma vida
boa para seus familiares na Terra.
— Senhor, a ideia é simples, se vão seguir não sei, mas terão
uma linha direta com um SuperRapid entre vocês e a Terra, viagem
para passageiros, que pode ser feita em 60 dias, podendo ver seus
parentes, e se acharem bom, trazer parte deles para uma vida mais
confortável, a estrutura que deve estar pronta em 2 anos, comporta
facilmente 16 mil humanos, com estrutura renovável e reciclável
que os permitiria viver aqui.
— Sabe os problemas disto.
— Todos sabemos senhor, mas se pensa que sua família esta
bem na Terra, não imagina o formigueiro que aquilo está.
— E vai nos devolver a cidade?
— Senhor, os autômatos já estão todos em serviços nesta
base, preciso deles montando e construindo aqui, não lá, aquilo foi
uma forma de não abandonar mais um projeto, uma consideração a
Carlos em si, pois já abandonei alguns pelo caminho.
— E vai embora quando?
23
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Em minutos prefeito, deixando vocês conversarem, mas
pense antes de fazer burrada, posso estar longe, mas se algo
acontecer a Carlos, perdera a cidade, e não estarei aqui para
segurar a programação dos mesmos.
— Me ameaçando?
— Lhe comunicando, mas como falo, vocês são livres, com
Carlos como amigo, pode ter uma cidade melhor e mais agradável,
com ele como inimigo, 700 pessoas terão um espaço que dá para
16 mil deles viver, agradável, e os demais continuarão lá a se
espremer.
Carlos olha o prefeito e fala;
— Tem de ver que todas as informações que vieram da Terra
em nada falavam disto prefeito, falavam que eles estavam saindo
fugidos e tínhamos de os deter, não que eles passaram em Marte
deixando estrutura, passaram nas luas de Júpiter dando estrutura e
muito menos que eles tinham estrutura para nos fornecer antes de
saltarem para o espaço.
— Mas se eles perguntarem algo? – O prefeito olhando Nuno.
— Diz que está com problemas na cidade causada por
Destruidores meus, e pede recursos, estrutura e mantimentos.
— Acha que eles mandariam?
— Senhor, o que eles mandarem hoje, chegará de cargueiro,
estou propondo algo que você aos poucos, vai estruturando e
fazendo através de uma ligação direta com a terra de 60 dias e não
de 8 anos e 6 meses, por sentido da viagem.
— Certo, eles não teriam como nos fornecer nada, e mesmo
assim nos mandam lhes atacar.
— Sim, eles estão fazendo a minha fama, não eu, pois a
estrutura que tenho, é a oferecida por eles, vocês tem menos
estrutura em Titan que qualquer uma das naves que passa ao
fundo, se estivessem desacoplada, pois o que está vendo Prefeito, é
uma destas estruturas, a tecnologia que vê crescer lá fora, a que
usaremos para construir nas Super Terras.
O prefeito olha para as câmeras novamente, aquela
construção crescendo em outros 7 sentidos era algo incrível mesmo.
O prefeito olha Carlos aos olhos e pergunta;
— E vai tocar tudo isto?
24
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Diz o dono, que sim, algo que vai nos transformar em uma
base de extração e de mineração, os projetos da 3D é de termos
uma faculdade e laboratórios científicos aqui prefeito,
transformando e desenvolvendo tecnologia em todos os pontos.

Nuno e Regina voltam a nave e


disparam ao espaço, com destino, a
nave de Saulo, que ouve o imediato
falar.
— Comandante Regina em uma
Rapid360, pedindo permissão para
pouso.
Saulo apenas faz sinal para liberar e olha os demais.
— Vou a ponte, não sei ainda como encarar isto, já que Nuno
Martins é considerado um executado nesta nave.
— Um erro do passado comandante.
— Vou os receber e passo um radio para vocês.
Saulo estava estranhando aquilo, e chega a área de
embarque, viu que estavam ali apenas Nuno e Regina, e estranhou.
— Resolvi os receber aqui, já que temos regras que não
deixariam mortos entrarem na nave.
— As vezes esquecemos de morrer. – Regina.
— O que pretendem, não viriam se fosse algo que pudesse
ser falado por comunicador.
Nuno sorriu, olha para Regina que fala.
— Apenas viemos pedir uma coisa Saulo, pela amizade que
construímos em anos de academia.
Saulo estranha, pois não fora colocado o profissionalismo em
campo e sim a amizade, o que de tão terrível os dois pretendiam
fazer, o rosto de preocupação de Saulo fez Regina sorrir.
— Relaxa Saulo, parece esperando uma grande bomba vinda
de nós. – Regina.
— É que anunciaram que viriam, sei que estão correndo
satélites que nem estudei, pois não poria os pés neles, agora veem a
minha nave, e pedem para falar.

25
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Saulo, sendo direta, as vezes me bato nisto, mas
gostaríamos, que você como comandante da nave, fosse o oficial
responsável pela nossa união.
Saulo pareceu não entender o pedido, talvez esperasse algo
mais incrível, e os dois olham para ele.
— Estão juntos, porque não falaram antes, eu pensando em
um grande problema estrutural, em uma revolta, em vocês
quererem tocar uma nave a mais.
— Saulo, sabe que quando se trata de planos, Nuno faz antes
e comunica depois.
— E se entenderam quando que estão dispostos a uma união,
muitos dos que vão ao espaço esperam para terem certeza.
— Somos meio apressadinhos, e Nuno sabe me fazer feliz, a
ideia é dele, mas ele não sabe como falar sobre isto ainda.
Saulo pareceu cair na real e fala;
— Estão falando serio, eu vim ouvir a ideia maluca antes de
qualquer um, e os dois estão passeando por ai e namorando.
Nuno olha para Saulo e fala;
— Precisamos de um comandante para uma união,
burocracia em meio a sistemas e grupos que respeitam as regras, e
não queremos as deixar no passado. – Nuno.
— E depois vão falar sobre outros assuntos?
— Saulo, Nuno está acelerando o processo, mas primeiro algo
serio, pode parecer diversão, mas é algo importante para nós Saulo.
– Fala Regina olhando ele.
— Certo, as uniões estão no sistema como algo a ser aceito,
apoiado, mas tem de entender Regina, não sei como o fazer,
legalmente Nuno 1 foi executado nesta nave.
— Sei disto Saulo, estamos aqui para você legalizar nossa
união, não para por no sistema que eu e ele estamos juntos, só
queremos ... – Regina olha para Nuno – ...sei lá, apenas queremos
que os amigos saibam.
Saulo sorriu e falou;
— Então vamos ter uma união, pensei que vocês nem se
olhassem.
Nuno ficou sem jeito, ele por si ainda era o mais novo deles
ali e falar de sentimentos o deixava sem jeito.
26
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Saulo vendo que o menino ficou sem jeito fala.
— E pretende passar em alguma outra lua de Saturno?
— 3 pelo menos, base de Encéladus, base de Thethys, aquela
abandonada em 5M352, e Reia, três mundos sem rocha, apenas
gelo no espaço.
— Algo a achar? – Regina.
— Sempre, acho que tento manter a cabeça ativa para não
enlouquecer.
— E vamos no mesmo sentido? – Saulo.
— Saulo, a missão da EP630 é o 4º planeta do sistema Mac
37, o meu destino, o 3º planeta do sistema Mac 37.
— Algum motivo especial?
— Uma lenda, lá de 2M.
— E vai contar seus planos ou apenas iremos as cegas. –
Saulo.
— Se topar nos unir, podemos antes de entrar no próximos
desafio, pararmos e conversarmos sobre o que faremos. – Nuno.
— Próximo desafio?
— Saulo, o problema do salto para Mac 3, que gera o
caminho para Mac 37 é passarmos por um caminho que em 30M
deixou mais de 1200 missões, no caminho ou desaparecidas, o
problema é os relatos de 3M a 8M, que dão conta que mais de 300
missões, todas nesta direção que vamos, deram erradas, sem
explicarem porque.
— Deram erradas apenas? – Saulo.
— Estamos com Rapid630 a frente bem para saber oque tem
ai que não nos contaram.
— Não sabe mesmo? – Regina.
— Desconfiar não é saber.
— Desconfia do que? – Saulo.
— Existem relatos de 3M que foram tirados do sistema, a
existência de uma Anã Marrom, que não conseguiu massa suficiente
para se tornar uma estrela, e que a volta dela, transladavam 3
planetas ou luas, duas delas gigantes, uma com massa superior a
Júpiter, mas de um dia para outro, alguém apagou os relatos e
proibiu se falar disto, e bem na região acontecem as maiores perdas
referente a missões espaciais em 6M.
27
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Mas anões marrons não são grande risco, ou são? –
Regina.
— Se soubermos a sua posição exata, passamos fácil, mas
temos de evitar sua radiação e seu campo gravitacional, nada que
Saulo não consiga, apenas sabendo o que tem lá.
— Acha que teremos uma posição quando?
— Quando estivermos já no cinturão de Kulper, os Rapid
devem estar passando próximos ao perigo.
— Mais doze dias então? – Saulo.
— Sim, para batermos o recorde de velocidade no sair do
sistema solar Saulo, mas ainda sem poder testar os escudos ao
máximo.
— Certo, mas vieram apenas pedir o que pediram?
— Para nós é o importante Saulo. – Nuno.

Nuno e Regina olham o grupo


depois de dias, parecia que tinham
saído dali a muito tempo, parecia que a
muito eram um outro grupo.
A reunião na parte do refeitório, que nas naves era região
para grandes reuniões, estabelecia que estavam em um momento
especial, estavam sem parte do grupo médico, estavam sem peças
que pularam fora da aventura, embora muito poucos soubessem o
que aconteceu com a equipe medica.
O compromisso foi publico, e com muitas perguntas que
Regina parecia querer responder, sorria das ideias vendo Saulo e
Gustav chegar a Nuno.
— Podemos conversar? – Gustav.
— Sim Engenheiro Gustav. – Nuno mostrando respeito.
— Sabe que temos problemas, não sei se teria como ajudar.
— Em 10 dias terá sobra de pessoas na área de saúde, de
estrutura, em alguns pontos, mas nem todos os postos tenho como
oferecer um nome para substituir. – Nuno.
— Alguma ideia sobre isto? – Saulo.

28
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Sim, mas darei apenas ideias Saulo, pretendo tocar a nave
que vem ao fundo, e me preparar para enfrentar os problemas.
— Problemas?
— Eu tenho uma nave sem funções e pessoal, uma imensa
nave onde o problema é ter sobra de serviço para qualquer coisa,
mas eu acho que deveríamos começar a formar pessoas para as
funções que vai faltar.
— Estava trocando ideia com Gustav, sem pessoal podemos
ter de segurar a inseminação artificial.
— É uma das possibilidades, a parte que a executaria, saiu da
nave sem sabermos para onde foram. – Nuno olhando Saulo.
— Saber sabemos, mas não declaramos! – Saulo.
— Sabem? – Gustav.
Nuno sorriu e não respondeu, foi a um assunto diferente.
— Saulo, temos como regra, nos preparar para os problemas,
você tem um conjunto de naves vazias, elas vazias em 30 anos vão
gerar problemas, eu poria os autômatos locais para as manter em
estado de conservação, mas usando o mínimo de autômatos
possível.
Gustav olha o menino e fala;
— Os motores estão eficientes, nos gerando a liberdade de
manter nossa carga de energia, mas a resistência é maior do que a
calculada, deveríamos estar em total vácuo, e temos mais
resistência espacial que na exosfera da Terra.
— Gustav, estarei a poucos minutos de vocês, mas realmente
precisava falar com vocês, temos uma vacina que está sendo
aplicada nos que vieram de Marte e Lua, que ainda estão no
caminho, contra radioatividade, eu recomendaria assim que tiverem
pessoal, começar a aplicar no pessoal, são 5 dias de reações
estranhas, os cristais de controle mantem a estabilidade corporal,
mas pode nos proteger de uma chuva de radioatividade vinda de
qualquer lugar.
— E vai fazer oque?
— Se tudo que fiz até agora Saulo, der frutos, já me fará feliz,
estou montando a estrutura da 3D, uma empresa que nem vou
tocar, mas que com certeza será uma grande empresa.

29
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Eles devem estar com medo por isto, pois você está
montando a empresa, então para eles você voltará.
Nuno sorri, deixando os dois intrigados.
— Você pretende voltar? – Gustav.
O olhar de Nuno foi para o serio, e olha ele.
— Eu quero chegar em Mac 37 Gustav, antes de qualquer um,
mesmo os que vão se lançar em 5 anos no espaço.
— Certo, mas pretende voltar?
— Temos de chegar em Mac 37, talvez querer e poder, seja
diferente.
— E vai deixar a empresa sem direção?
— Vou deixar as tristezas que esta empresa me lançou e vou
ao futuro, ao meu futuro. – Nuno olha para Regina.
— Ela quase me enganou com aquela historia que você era
muito criança para ela. – Saulo.
Nuno a olha e fala;
— Sei que terei de me esforçar para a fazer feliz Saulo, sei
que tenho muita coisa a aprender.
Os dois sorriram olhando o rosto de Nuno para Regina.

Depois de 18 horas no complexo de


naves que chamavam de EP630, Nuno e
Regina entram na nave e ela o beija.
— Não relaxa nada quando tem gente
por perto.
— Acho que demonstro minha insegurança.
— Você me encanta com sua forma de ser Nuno, mas o que
posso dizer, eu sou parte daquilo também.
— Sei disto, sei que faz parte daquela família.
— E não estranha?
— Meu lado possessivo tenta ficar quietinho nesta hora.
— Você os salvou mais de uma vez, eles sabem, acho que o
que eles não esperavam é que nos entendêssemos.
— Sabe que você é a pessoa que pode me fazer feliz, ou
muito feliz, mas vamos a aventura.
30
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Aventura?
Nuno põem a coordenada de Encéladus no comando e a nave
se afasta da nave de Saulo indo ao espaço.
— O que faremos lá?
— Regina, existem projetos que estão a mais de 10M
abandonados, sei que não sou bom em dividir tudo, pois as vezes
não sei por onde começar a historia, mas lá pelos idos de 6M, um
rapaz que todos chamam em Titã como Carlos Terceiro, um dos
grandes exploradores espaciais do passado pisou nestas bolas de
gelo.
— Certo, está falando da missão dele em Encéladus, a cidade
dos congelados.
— Sim, a cidade dos congelados, a cidade que se o problema
fosse apenas este, sabe que teriam retomado, mas o sistema
apenas afirma, “Não entrar”.
Nuno pega no comando uma caixa e ela olha para ele.
— Não tinha deixado esta caixa em Europa?
— Sim, mas os autômatos que a tomaram após, trouxeram a
nave, para que pudesse analisar os níveis de conversas.
Regina vê Nuno colocar vídeos antigos, das conversar, da
evacuação de Encéladus, ela olha o rosto perdido, conhecia aquele
rosto e olha Nuno, pensa e fala.
— E diz que não planeja?
— Regina, se não tivéssemos passado lá, nós não tivéssemos
os dados, eu não desceria em Encéladus, embora não me ajudou
muito isto, achava que teria uma resposta através disto, mas o
enfrentamento é diferente, não são os mesmos seres.
O aproximar daquele planeta aparentemente gelo, se via
partes mais azuladas e partes bem brancas.
As fendas foram ficando vivas no chão, a gravidade de
Saturno fazia existir uma maré por baixo daquela crosta de gelo.
A nave se aproxima da região da base, se via a montanha, não
o local, pois os instrumentos apontavam para o local, mas pareciam
apenas montanhas de gelo, se aproximam e sentem o vento vindo
de um dos lados, Regina olha aquele jorrar de liquido ao espaço, e
olha para Nuno.
— Qual a altura que chega isto?
31
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Até 10 mil metros, saindo de orbita, e juntando-se aos
anéis de Saturno, mas a maioria, volta a Encéladus na forma de uma
neve grossa.
— Por isto não vemos a base?
— Sim, deve ser por isto que não a vemos.
Nuno desce e pelo comando dá instruções a dois autômatos
que pulam naquela lua, começam a rastrear a área com
equipamentos a mão, e um passa para Nuno a mensagem.
— 3 Metros de neve, densa, calculamos que seria maior a
profundidade senhor.
Nuno olha para Regina, invertendo a nave, enquanto os
autômatos se afastam, a existência de uma pequena atmosfera,
fazia a nave as vezes desestabilizar, pois hora tinha resistência e
hora não tinha nenhuma resistência.
A nave desce lentamente e toca o chão, a parte do fundo
começa a se abrir enquanto Nuno e Regina colocam suas vestes.
— O que procuramos? – Regina.
— Segundo os relatos de Carlos o explorador, eles se
dedicaram a este lugar por causa de um cristal de diamante que
havia caído aqui e o estavam extraindo.
— O que queremos com um diamante?
— Regina, se eu falasse lá em cima que tinha um diamante
aqui, alguns poderiam pensar em o explorar e voltar, eles não estão
preparados para ir ao espaço, e algo que os oferecesse uma
condição diferenciada na terra, eles adorariam.
— Mas o que queremos com o diamante?
— Não sabemos se é um diamante ainda Regina, mas estou
atrás de 3 pedras, elas deveriam estar aqui, nesta região.
Os autômatos começam abrir um buraco, Nuno segura
Regina, quando sentiu o chão tremer, um terremoto poderoso.
Nuno olha para Saturno ao longe, 174 mil quilômetros, e tão
mortal, olha para Regina e fala.
— Vamos com calma.
— Sente isto na mente?
— Não, o que está sentindo?
— Uma vontade de fazer buraco.

32
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno não gostou de ouvir isto, e olha para os autômatos, eles
estavam acelerando, e abrindo um caminho para baixo, olha para a
nave, pega o comando e fala.
— Então vamos fazer um buraco.
Regina se assusta, pois Nuno estava afastando a nave com o
controle, ela sai do chão, e se afasta.
— Não faz besteira Nuno.
— Regina, o que estamos fazendo aqui mesmo?
— Você disse que quer um diamante que tem aqui, mas não
me parece necessário a viagem.
— E onde está isto?
— Não sei, como se acha diamantes?
— O diamante não é o principal Regina, sabe disto.
— O que é importante?
— Nossas vidas, o que mais.
Regina sorriu e falou.
— E os autômatos vão abrir o buraco, mas porque decolou a
nave?
— Se reparar, a coloquei entre nós e Saturno, não queremos
a radioatividade de Saturno sobre nós.
Ela vê os autômatos abrirem o buraco e abrirem um caminho,
o sistema afirmava para avançarem.
Começam a descer um pequeno buraco e se deparam com
uma porta, oxidada, o autômato põem a mão sobre a porta, e faz
sinal para se afastarem, ele abre a porta e uma corrente de ar sobre
pressão sai da porta, algo violento que grudou Nuno e Regina na
parede de gelo as costas.
Os autômatos começam entrar, o lugar escuro e húmido não
deixava de ser mais confortável que externamente.
Os caminhos estavam sempre fechados, e em todos os
caminhos que abriram sentiram o ar sair, a luz do capacete não
iluminava muito além, os poucos metros em corredores estreitos,
nenhum sinal de pessoas ali.
Chegam a sala de refeitório, onde viram uma planta vinda de
baixo e parecia viva, entram na peça, estavam se aproximando
quando sentem a porta ao fundo fechar, Nuno olha a porta e segura
a mão de Regina e fala.
33
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Vamos com calma.
Nuno olha o sistema ao fundo e olha a planta jogar as folhas
ao ar, por algum lugar entrou um ar, o sistema dizia que tinha perto
de 40% de oxigênio no ar na parte interna, muito oxido.
Regina olha para Nuno e pergunta;
— O que é esta planta?
— As informações que tenho desta lua, é que existiam micro
organismos nas aguas a quase zero graus do oceano abaixo de nós,
mas o que vemos não é uma planta.
— Como não?
— Mantem a distancia, o que vê ali, é uma espécie carnívora,
ou que se adaptou a carne.
— Tem certeza.
— Não pretendo ter esta certeza Regina.
Ela olha serio e sente em sua mente a vontade de chegar mais
perto.
— Não se afaste Regina, tem de saber o que é sua vontade e
qual é a do ser.
— Mas...
— É morte certa Regina, e não a quero perder.
— Mas parece inofensiva.
Nuno viu que a mente de Regina estava sendo convencida do
quanto o ser era inofensivo, olha para a parte baixa da planta,
parecia com um saco de excreções, algumas plantas carnívoras na
Terra usavam isto.
Nuno atira no saco de excreções, os autômatos se armam e o
ser se vira para Nuno, enquanto Regina vê o liquido escorrer ao
chão e corroer o chão, olha assustada e fala.
— Como saímos daqui? – Regina.
— Tem mais de 6 destes neste lugar Regina, melhor não
abrirmos o capacete de forma alguma.
— Ele vai atacar.
Nuno apenas faz sinal para os autômatos e eles começam a
atirar naquela planta, os tiros foram atravessando paredes, e olham
o ser começar a murchar, e olham para o liquido que sai do ser,
corroer a parte metálica ao chão.

34
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno olha o sistema e dá o comando ao autômato, que
avança e chega ao comando e tira os registros, e as instruções.
Nuno olha em volta e vê o grande cristal, disposto em uma
sala, olha para Regina e fala.
— Esta sentindo a mente ainda Regina?
— Sim, não entendo, disse que tinham outros?
— Está vendo aquele cristal ao fundo?
Regina olha o cristal e fala.
— O diamante?
— Este não é o diamante, mas parece com um, isto é uma
praga, mas pelo jeito, temos aqui algo a estudar.
Nuno sente o chão tremer de novo e fala.
— Que lua agitada esta.
O autômato chega ao lado e pergunta;
— Quais as ordens Nuno Martins?
— Deve existir pelo menos outras desta planta por ai.
— O que fazemos?
— Precisamos de uma amostra deste liquido que a mantem
viva, mas não vai ser fácil conseguir.
— Qual a ideia? – Regina.
Nuno não tinha ideia, mas para alguém que sempre avançou,
sempre desafiou, sabia que poderia um dia entrar em algo que não
tivesse saída, mas algo o indicava que aquilo era uma saída.
— Vamos verificar toda a base, vamos verificar as coisas.
Nuno acessa o sistema e entra em contato com a base que
tinha soltado quando entrou no sistema de Saturno, e um autômato
o responde.
— Me informe a situação.
— Testamos a agua e não tem vida Nuno 1?
— Nenhuma vida? – Nuno.
— Um cristal adormecido está na agua, algo que parece
procurar vida, sei que ele contaminou nosso sistema de amostras.
— Um cristal translucido?
— Sim, um cristal translucido.
Nuno desliga e liga para Carlos em Titã e fala.
— Como estão as coisas Carlos?
— O prefeito está começando aceitar a ideia.
35
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Estou mandando um alerta pelo sistema, para todos os
moradores do sistema Saturno, na lua Encéladus, existe um parasita
que matou todos os habitantes da antiga base, matou até as
bactérias nativas daqui.
— Problemas?
— Sim, Encéladus está lançando estes cristais congelados no
Anel E, e não parece que este ser, não sei ainda se é bactéria ou
vírus, morra por estar congelada.
— Porque acha isto?
— Porque primeiro algo ataca aqui, e depois se perdeu as
bases em Mimas e Tethys.
— E pretende fazer oque?
— Estudando o problema, se eu voltar direto daqui para
qualquer lugar que não seja minha nave, nos isole e nos coloque em
quarentena Carlos.
— Certo, vou alertar os demais autômatos.
— Coloque programação para os autômatos que foram a algo
que pode ter sido infectado por isto, estou colocado a abrangência
no sistema, para se manterem no lugar que estão.
— Você pelo jeito não acredita em ficar quieto mesmo.
— Faz o que falei e nos falamos antes do fim do dia.
Regina olha Nuno e pergunta;
— Acha que corremos risco?
— Continuamos aqui e quero avançar sabendo que não deixei
um risco aos amigos.
— E o que está acontecendo?
— Regina, lembra que falei que aqui ficaria um dos novos
laboratórios, mas se existe um ser local que fura a proteção e tem
um cristal que mata tudo, tenho de pensar.
— Certo, você quer uma base avançada e não algo mortal.
Nuno pega o comunicador e liga para Call.
— Problemas Nuno?
— Sim, talvez demoremos mais do que pensei, então dá
voltas em Saturno.
— Problemas graves?
— Não sabemos ainda.
— Algo mais?
36
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Desconecta a que iriamos por em Encéladus e põem
programação para ela girar em torno da lua, não pousar.
— Sem problemas, algo mais?
— Enquanto não passarmos por uma quarentena não nos
misturaremos aos demais Call.
— Quarentena, tem certeza, em quarenta dias já estaremos
no próximo problema?
— Espero que sim, espero que sim.
Regina olha Nuno, via o quanto ele priorizava a missão
independente de uma vida, mesmo a dele, as vezes isto a colocava
insegura, mas algo ele não falara, e a olha.
— Tem de entender uma coisa Regina, aquele cristal, é vivo, e
pode interferir em nossas mentes, ele ainda não entende a língua
que falamos, pois o dialeto humano que chegou aqui a 23M era
bem diferente.
— Acha que isto que ele está tentando descobrir?
— Sim, mas não confie nas suas vontades e não toque
naquele cristal.
A informação que os autômatos haviam prendido uma das
plantas em uma armação, e a estavam puxando para fora fez os dois
saírem, e viram o quanto a planta era grande, a parte baixa dela
tinha um imenso bulbo, eles a levam a parte gelada, nitidamente as
folhas se desviam da luz de Saturno para a sombra da nave.
— Um bom sinal.
— O que faremos?
Se via a planta jogar acido sobre os autômatos, que tinham
seus rostos corroídos pelo acido, as vezes, davam defeitos, mas a
determinação de isolar a mesma fez eles colocarem ela no centro de
um campo de proteção, ela flutua, o acido corria pela proteção e se
via as raízes dela reabsorver a mesma, um autômato analisa o acido
antes de parar de funcionar e transmite para Nuno que fala.
— H₄SF₂O₄, nunca ouvi sobre algo assim.
Regina viu que o acido era algo incomum, e olha para Nuno.
— Qual o problema?
— O cristal lá dentro, matou todo o ambiente deste ser, ele
não quer morrer, e a base humana se instala no lugar, acham o

37
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
cristal, mas a fome fez esta espécime avançar sobre os humanos,
assim como avançaria sobre nós.
— Não entendi.
— O que transforma o ser lá dentro muito interativo, é a
formação química básica dele, que é H₂C₂F₂, estranhamente se
mantem ativa, por uma mistura físico química da fluorose, atacando
toda a base carbônica de um mundo.
— E como se enfrenta isto?
— Isto que vamos descobrir Regina.
Ela olha o ser e parece que o ser os olhou, talvez a única base
carbônica dali, deveria estar com fome. Nuno olha a espaçonave
descer ao fundo e olha para o ser, uma capsula o leva para cima,
isolando das paredes, Nuno e Regina sobem para a nave que dava
voltas naquela lua enquanto um exercito de autômatos desce ao
planeta tentando isolar a maior quantidade de cristais, varrendo o
local, isolaram uma região e desceram ao local uma camada de
vegetais, mandando para a nave as imagens dos seres chegarem
perto e tentarem comer aquilo, pareceram experimentar, aprovar e
depois comer.
Nuno olha aquilo e coloca uma espécie de raiz na parte da
camada de proteção, a planta pareceu se virar para ele, depois para
a planta, raízes ricas em açucares eram parte das plantações das
naves.
Nuno se debruça no sistema e começa a estudar o problema.
— Não entendi isto? – Regina.
— Este cristal que estão isolando lá embaixo, tentou uma
invasão na Terra no começo de 2M, não temos estes relatos,
parecem ter apagado, para que não fossemos curiosos referente a
isto, mas este cristal, na época, de um dia para outro, matou mais
de 3 bilhões de seres no planeta, eu não sei como eles enfrentaram
isto, como venceram.
— E quer descobrir isto por quê?
— Porque se isto tentou atacar a Terra, tem resquícios de que
isto possa ter atacado Marte 600 milhões de anos antes de atacar a
terra, atacou uma lua de Saturno, então isto não é tão raro no
universo, e estamos indo para o universo.

38
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno lembra da vacina contra radioatividade, e coloca o
mesmo no sistema e olha para Regina.
— Vamos tentar ajudar estes seres, mas não sei se o mundo
deles se recupera, não temos como saber, não sabemos nem como
algo assim resiste tanto tempo sem comer.
A imagem dos seres na parte baixa entrando em hibernação
fez Nuno falar.
— Eles hibernaram, deveriam estar hibernando, nós os
acordamos, nós que abrimos o abrigo com oxigênio, quente que
eles hibernavam.
— E vamos fazer oque?
— O diamante não é aquele cristal, mas vamos primeiro
desenvolver algo, e ver o que acontece.
Nuno ficou fazendo uma mistura, e viu que quando a planta
comeu a 10ª batata começou a fechar suas folhas, como se
enrolassem sobre o caule, a parte que parecia uma flor, com um
recipiente de acido na parte de baixo, pareceu murchar, e um grupo
de milhares de espinhos crescem a volta, a planta estava entrando
em hibernação.
As instruções para a parte baixa era para verificar a existência
de todas aquelas plantas, e as isolar em uma peça, manter o
oxigênio e o calor do local.
Nuno parecia não entender parte da equação química,
quando olha o mecanismo de um Tardígrado quando no espaço, ele
mantinha uma célula de flúor isolada no corpo, para não ser
infectado.
Nuno chega na nave maior e olha para Regina.
— Um banho completo Regina e tudo que usou, tem de ser
descartado.
— Acha que pode ficar algo?
— Não vamos arriscar.
Os dois se despem, passam pela desinfecção, secam-se,
pegam roupas limpas e os autômatos haviam colocado um corredor
para o isolamento.
— Vamos ficar aqui quanto tempo?
— Não sei Regina, mas calma, não estamos infectados, mas é
que não quero lhe perder por descuido.
39
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Quer dizer que pode nem ser necessário tudo isto, mas
está sendo precavido ao extremo.
— Sim, seria isto.
Regina o abraçou e falou.
— Pelo menos aqui sinto minha mente livre.
Os dois se beijam, mas Nuno tinha de continuar na pesquisa e
os autômatos trouxeram ao local a planta em estado e hibernação,
trouxeram um pequeno cristal da parte baixa, isolado, ele pega uma
planta do sistema de amostras da nave e olha para Regina.
— Quer ver como isto é incrivelmente contagioso?
Numa área isolada, onde estava o cristal, cercado de acrílico a
toda volta, apenas com um local onde se conseguia por a mão, e
introduzir coisas por ali, através de braços mecânicos, Nuno coloca
a pequena planta.
Regina chega ao lado e vê ele pegar um cristal bem pequeno
e apenas encostar rapidamente em uma pequena muda de 20
centímetros, afastou o cristal e se viu a planta primeiro mudar de
cor rápido, depois ela toma a forma da planta, parece inofensiva,
mas como não tinha mais nada para infectar, ela começa a mudar
de cor e se vê aquela planta em minutos, se tornar um cristal, e este
jogar cristais para todos os lados.
Regina viu que a experiência isolada seria a forma segura de
testar o que tinham ali, entendeu porque toda a calma e precaução.
— Quer dizer que isto é altamente contagioso.
— Sim, mas precisava ver qual o estado do cristal recém feito,
se é igual ao antigo.
Regina vê ele jogar em um microscópio, todo isolado, e olha
para ela.
— Ele não consegue atacar nem os Tardígrado de nosso
planeta e nem esta espécie estranha de vegetal.
— E quer saber por quê?
— Porque ambos quando sobre ataque, liberam flúor ativo
para os seres comerem e se refazem.
— O que quer dizer com isto?
— Que teremos mesmo de vacinar todos os seres deste
complexo de luas. Mesmo os não humanos.
— A vacina que tomamos?
40
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Sim, mas... – Nuno põem no local que estavam os cristais
F₂, o gás, viu o flúor atacar os cristais e os mesmos se desfazerem
em um liquido, corrosivo.
Regina o abraça e fala.
— E o que faremos?
— Primeiro o perigo é real, temos um anel de Saturno que
tem estes cristais, e não temos como os tirar dali, mas assim como
não temos como dispor de grandes quantidades de flúor, sei que
funcionaria melhor, mas não temos aqui.
— Podemos criar sistemas de desinfecção, mas não temos
como ajudar, é o que está dizendo?
— Estou dizendo que ainda não achei uma saída.
— A vacina de Tardígrado que desenvolveram não serve?
— Para não pegar a doença é eficaz, mas não sei o que
aconteceria com um contato direto ao cristal, viu o como ele é
agressivo.
— Verdade, e como vai testar?
— Vou tentar não matar muitas cobaias.
Regina olha descrente, viu um autômato ainda sem face, os
modelos de Carbono que Nuno criara, entrar pela porta, parecia um
ser vivo sem rosto definido, viu destes antes, este estava ainda
isolado deles, pois estavam em quarentena, o ser se aplica a vacina.
— Vai testar neles?
— Sim, pois pensei em deixar destes seres aqui pois é mais
fácil de manter a vida, mas se eles não forem imunes a esta praga,
vão morrer.
Regina olha para o ser olhar para o cristal, vê ele tocar no
mesmo, a reação inicial pareceu nenhuma, depois pareceu que o ser
olha o braço, parte da reação pareceu recuar, e o braço se isolar e
cair, como se estivesse jogando fora o cristal, o braço cai ao chão e
começa a tomar o resto do braço, o Automato olha para Nuno e o
seu braço começa a crescer novamente, ele toca no cristal e fala.
— Tem de ter uma reação mais rápida Nuno Martins, pois é
agressivo a reações carbônicas, tentando as desfazer através da
reação do flúor interno.
Nuno solta o gás no ambiente e os cristais ao chão se tornam
liquido e o autômato de Carbono fala.
41
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Flúor em gás, pode causar queimaduras a nível pulmonar.
Nuno estava pensando, alguém o desafiando era algo que ele
sempre gostara, dividir frustrações o forçava a tentar resolver o
problema, ele olha para o cristal e fala.
— A segunda reação foi mais tranquila? – Nuno perguntando
para o Autômato.
— As células nossas se programam a não tocar no cristal,
temos o contato reduzido as células, evitando o toque.
— Mas não tem como o fazer isto para tudo?
— Na verdade nós conseguimos, pois somos seres
programáveis, de célula a célula, mas os humanos morreriam.
Regina olha para fora e fala.
— E porque os cristais acabaram aqui?
— Sei lá, mas... Nuno para na frase e abre os registros de
exploração de Carlos Terceiro e olha para o autômato – Tem de ver
que as vezes levamos mais sorte, do que temos de Juízo.
Regina viu Nuno sorrir e fala;
— Carlos Terceiro passou primeiro em Encéladus que em Titã,
ele passou 3 horas aqui e foi a Titã, ele disse que sentiu uma
vontade imensa de voltar ao planeta, mas não sabia explicar
porque.
— Não entendi? – Regina.
— Carlos Terceiro foi o primeiro humano a explorar o Monte
Olimpo em Marte, ele foi o primeiro humano a pisar nestas terras, e
daqui foi a Titã, mas a praga não se proliferou em Titã, mas o que
acontece se você expor uma praga destas a uma molécula
tetraédrica e apolar, como o Metano que é CH4?
Regina vê Nuno fazer o experimento que fez com o flúor com
o Metano e vê o pequeno cristal explodir.
— Porque explodiu? – Regina vendo o autômato afastando a
cabeça que se refaz.
— Não existe oxigênio na atmosfera de Titã, lá seria uma
reação de desestabilidade para os cristais, uma bomba em
ambientes com oxigênio, não sei como será nos mares locais, mas
tentamos.
Os autômatos começam a descer e colocar os seres em
hibernação em uma das naves, e colocam o gás no sistema de
42
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
refrigeração do local, e começam a ouvir as explosões, a reação
violenta foi abrindo rombos, mas foi uma forma de destruir todos os
cristais daquele lugar.
Regina olha para Nuno e pergunta.
— E o que vai fazer?
— Estou pedindo um cargueiro de Metano líquido que Carlos
mandará para nós, deve chegar em 2 horas.

Nuno deitou um pouco, estava


sentindo os carinhos de Regina as costas
quando o alerta de aproximação toca.
Nuno a olha e recebe um sorriso, pelo
menos as coisas começaram com um sorriso, e tudo lhe indicava
que poderia fazer um grande estrago naquele dia.
A nave com metano liquido, chega a grande nave, e com ela
uma leva de autômatos, mas Carlos veio junto e isto não estava nos
planos de Nuno.
O ver do amigo ali lhe tirou o sorriso e Carlos soube no ato
que não era seguro.
— Não resisti.
— Pelo menos tomou a vacina já?
— Sim, mas o que temos aqui?
— Estamos isolados para evitar problemas, o planeta lá
embaixo esta lotado de cristais altamente contagiosos, e vamos
fazer uma experiência, gostaria que olhasse de longe Carlos.
— Tudo bem, saio agora, mas o que vai fazer?
— Pode ser que a lua deixe de existir hoje, mas se isto
acontecer pode ser que tenhamos algo em reação, e sei lá, tudo que
eu fizer aqui, vou deixar instrução para fazer em toda alinha afetada
ou sobre influencia do Anel E.
Carlos sai, e olha ao longe, dentro de sua nave as naves
saírem no sentido da lua ao fundo, vai se afastando, não sabia o que
aconteceria, mas obvio, algo pesado ou leve precisava de alguém
para contar e registrar, Nuno sempre enfrentara, mas sempre
manteve uma forma de continuar mesmo que através dos amigos,
43
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
os afastando, começa a retornar, pois se algo acontecesse ali, talvez
se espalhasse por toda a região.
Nuno olha para seus cálculos, ele e Regina chegam a base que
estiveram a algumas horas, olham as paredes quentes ainda e
olham a sala que tinha o cristal, totalmente estourada, olham para
os pés e veem que o liquido que sobrou não era reativo, ele passa o
espectrômetro no chão e vê que não havia sobrado nada, olha na
peça ao fundo e vê três grande cristais, grande para um diamante,
pequeno comparado ao cristal que tinha ali, olha ele com calma,
pega um deles e o olha calmamente, o cristal mais lindo que já havia
visto, e olha para Regina e fala.
— Se tudo der errado, nosso brinde.
Ela olha o diamante, pega com uma mão e aponta a luz do
capacete a ele, o brilho encantador de um diamante puro, incolor,
ela os guardou e falou.
— Tem seu encanto.
— Sim, dizem que diamante não é algo tão escasso assim na
Terra, mas se a venda dele não fosse controlado, perderia o valor de
mercado.
— E o que faremos?
— Nesta base, existia uma perfuradora, que tirava agua do
mar a baixo, os autômatos refizeram o sistema do motores, e no
lugar de sugar agua, vamos injetar liquido.
— Ejetar? – Regina.
— Estaremos na nave quando começarem, vamos fazer aos
poucos, podemos perder de 10 a 20 horas injetando, para tentar
não explodir esta lua.
Saíram da base e viram os autômatos começarem jogar no
gelo sobre o local o liquido, para livrar todo lugar de uma
contaminação, a agua congelada entrava em reação com o metano,
e gerava uma reação de calor e as vezes, o hidrogênio e o oxigênio
geravam fogo, mas a maioria das reações eram as do cristal.
Que gerava outra reação, enquanto isto, o grande
compressor ao fundo começava a injetar metano no mar gelado de
Encéladus, a reação inicial com os cristais foi pequena, mas como o
metano começa a flutuar e acha os cristais do ser junto as geleiras,
sentem o estremecer do planeta e o jorrar daqueles jatos de água
44
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
para o espaço, se viu que ia ao espaço e as reações continuavam, o
planeta foi expelindo o material em reação.

Noá olha da Lua para as aventuras dos


espaço-nautas, a operação na lua de
Encéladus estava em operação a 24 horas,
quando o brilho chega a Terra, e Noá olha
aquilo e pergunta ao auxiliar.
— O que estão fazendo lá?
Saturno que sempre despertara nos astrônomos um
encantamento, gerava nas noticias que algo estava fazendo o anel E
de Saturno ter luz própria, se via as reações ao longe como um
grande brilho, assim como o brilhar incomum de toda a região,
Encéladus estava com uma camada muito fina de gelo, prestes a se
desfazer, e o ejetar de material é parado, não porque não tinha
mais material, mas porque a calota abaixo da base se racha, e
mesmo com a pequena gravidade, começa afundar naquele mar,
que congelava a superfície, mas que mantinha uma camada fina de
gelo se refazendo, enquanto jorrava forte Metano ao espaço.
Nuno e Regina, entram em um Rapid e vão a Mimas, deixam
um grupo pronto a fazer o mesmo, espalhando ao planeta uma
camada de metano, como a temperatura era muito baixa, o metano
escorria pelas superfícies, depois foram a Tethys, Dione e Rhea,
para terminar o que queriam.
Os registros de Carlos verificaram que parte dos cristais
chegavam a eles, mas se transformavam em grandes noites de
trovoadas e relâmpagos, conhecia aqueles relâmpagos, mas nunca
pensou em ser uma reação química de algo que vinha de tão longe
até ali.
No final de 48 horas de ação ininterrupta os dois dão as
coordenadas da nave que estavam e começam a descer no planeta
e olham os autômatos ajeitarem aquelas plantas em uma região
isolada, e começam a ajeitar a base de Encéladus.
Nuno passa um recado para Call se lançar no sentido de
Netuno que o alcançavam.
45
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
E depois de verificar e passar todos os dados a Carlos, saltam
com a Rapid630 no sentido da nave.
16 horas para alcança-la, e o isolar dos dois deixou Rita
preocupada, mas eles estavam sendo precavidos.

46
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

A aceleração retomada,
sentido de Netuno, indo ao frio
absoluto daquele sistema solar, a
cada dia a Terra era um ponto
menor ao fundo, assim como o sol,
que parecia cada vez mais distante.
Call olha para Nuno pela tela de comunicação e pergunta.
— O que pretende fazer Nuno?
Nuno na sala ao lado, isolada, ele e Regina, a dois dias não
tinha problemas, mas queria ter certeza, olha Regina e pergunta.
— Quanto tempo resistimos isolados?
O olhar malicioso de Regina para Nuno o fez sorrir.
— Call, existe um sistema de acoplagem do sistema, estamos
com um sistema muito largo e com pouco meio, existe o problema
de gerar uma linha de entradas laterais que oferece um pouco de
perigo, então recomendava começar a por o sistema em
programação que encontrará no plano de metas como plano Xc.
— Acha que consigo?
— Você dirigia naves bem mais frágeis que esta Call, sabe
disto.
— Sei, um menino me mandou verificar as luzes e isto nos fez
não nos dar mal.
47
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Verdade. – Regina lembrando do dia que se conheceram.
— Isto parece que foi a uma vida, mas verá que tem um
sistema de acoplagem, ela muda a posição de 4 naves
drasticamente e de 4 bem pouco.
— Não entendi.
Nuno não explicou, estava falando por um comunicador, e
não parecia querer sair dali naquele momento.
Call vai ao comando e começa a olhar os sistemas, olha o
esquema atual da nave e olha o esquema Xc.

48
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

Call regula as mudanças, uma a uma, e olha o sistema de


mudanças, viu o diminuir da pressão nas portas de 8 naves, viu que
o sistema ali não era como na anterior, as portas se comportavam
como vivas, mas entendeu o esquema, Nuno deveria estar
pensando em ainda deixar pelo menos 8 sistemas pelo caminho,
mas não sabia onde.
Olha a nave que estavam os sobreviventes, olha o sistema de
inseminação em 4 das naves com data para inicio, sabia que parte
do processo era para 3 anos, pela primeira programação de saída da
criogenia, uma segunda que tinha haver como os sobreviventes,
tinha mesmo assim, três delas que nada tinha no sistema.
Nuno olha para Regina e fala.
— Sabe que não estamos ainda a passeio.
— Você não relaxa nunca?

49
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Temos quase 2 anos de total marasmos no espaço, quer
dizer, não será um marasmo, mas tem de ver que tudo que fizemos
tem de ser passado a frente, dados.
— Retransmitiu para a Terra?
— Sim.
Regina o abraça.

Noá olha a transmissão vinda do


espaço e fala para o auxiliar.
— Me chama um daquelas
maquinas lá fora.
— Ainda estão brincando.
— Sei disto, Nuno deve ter se enchido deles, mas deve ter se
divertido em os criar, tudo que falam na Terra dizem não ser
possível ao nível daqueles 3 seres.
— São maquinas mesmo?
— Sim, são sistemas que o menino estava desenvolvendo.
— O que quer falar com eles?
— Os chama, o senador estará em vídeo conferencia e vamos
ter um problema a administrar.
— Problemas?
— Somo independentes Heitor, mas eles não aceitam, a ilha
da cidade de Irnia é nosso ponto mais frágil, mas teremos de nos
posicionar, e não sei ainda como o fazer.
Noá olha o autômato que se passava pelo prefeito passar um
pedido de pouso na Lua.
— Acha que ele vai tentar algo?
— Talvez o apoio que não esperava.
— Apoio?
O autômato desce e olha a cidade refeita e caminha até os
novos comandos da cidade Lunar.
Noá olha o autômato sem saber se poderia o desmascarar.
— Fala Prefeito.
— Sabe que não sou mais o prefeito Noá, a cidade agora é
sua.
50
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Soube que alguém me deixou nesta encrenca, mas o que
precisa aqui Stuart.
— Vim lhe oferecer ajuda.
— Referente?
— Ao que está acontecendo lá, e o que podemos fazer aqui
para não continuarmos em uma guerra que não temos como
vencer.
— Uma guerra contra quem está falando?
— Contra os seres que o menino foi enfrentar, contra os
desafios que ele se prendeu a acreditar serem reais para se animar
a ir ao espaço.
— O que ele foi enfrentar?
— O que sabe sobre a cidade dos congelados em Encéladus?
— Apenas dados desprovidos de fatos.
— Deve estar com as imagens do anel E no qual Encéladus
está inserida?
— Sim, o que tem haver?
— Ele está correndo atrás de uma tecnologia que dizem que
foi desenvolvida que permitiria o pular daqui a Mac 37 em exatos
um decimo de segundo, atrás disto que ele está.
— E quem desenvolveu isto?
— Nem quem o desenvolveu sabia exatamente esta resposta
senhor, sabia-se que um grupo de cristais foram mandados a Terra
como controle, estes Cristais, transmitiam para fora, e foram
mandados para cá por uma curva espaço tempo de 700 anos luz.
— Isto é fantasia.
— Senhor, o menino acredita nisto, e ele vai tentar achar este
método.
— E onde ele acharia isto?
— Num planeta do sistema Sirius.
— Mas por que está me dizendo isto.
— Lembra que ele pôs você neste lugar Noá?
— Sim.
— Sabe por quê?
— Não.
— Ele quer ir a Mac 37 e voltar em uma vida Noá.
Noá olha para o ser, olha para o auxiliar e fala.
51
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Quer dizer que ele não pretende apenas ir lá, ele quer ir,
garantir uma colônia e voltar? – Noá incrédulo ainda.
— Ele acredita que consegue, e se conseguir, sabe bem, ele
pode salvar a espécie humana da extinção.
— Acha que o que ele pretende é tão nobre assim?
— Noá, ele estava ainda fazendo os seus planos, quem os
acelerou foram vocês, se ele está no espaço já, é por não poder
esperar mais.
— Mas então ele não está passando a frente a 3D?
— Ele está liberando custos Noá, quanto custa manter
provisões para as estações avançadas, salários, estrutura.
— Nem tanto, sempre jogamos sucata para eles, mas porque
está me falando isto?
— A base sobre o Indico, está se preparando para ter voos
regulares as bases da 3D em 12 pontos do sistema solar.
— Mas o que ele pretende, vender provisões ao pessoal de lá,
isto é uma coisa que nunca deu dinheiro.
— Voos regulares entre Marte, Luas de Júpiter e Luas de
Saturno com Rapid360, podendo o fazer entre 30 a 62 dias senhor.
Noá olha para o ser, olha em volta, aquilo ainda estava se
reconstruindo, não sabia qual os planos finais, mas era obvio que
Nuno deixara tudo encaminhado, olha para fora e pergunta.
— Mas porque disto?
— Ele vai criar sistemas de sobrevivência em cada cidade fora
a Terra, ele quer proteger sua volta, ele não se perdoaria se voltasse
e tudo estivesse destruído.
— Mas qual o ramo desta 3D?
— Todos, de exploração de minerais no sistema de Júpiter, de
Vermes em Europa, de Gás e seus derivados em Titã, e pelo jeito,
vai fazer seus experimentos nos mares de Encéladus, mas segundo
os dados que ele tinha, existia parte do conjunto desta tecnologia,
espalhada, parte em Marte, parte em Europa, parte em Titã, e parte
em Encéladus, ele saiu de Encéladus e deixou bem visível a quem
olha o espaço que ele acendeu o anel E, se existia a lenda do
planeta que tudo congelava, agora ele vai ao ultimo ponto que
dizem ter algo.
— Ultimo?
52
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Tritão.
— O que ele vai buscar lá?
— Ele quer saber se uma lenda humana de M2 e M3, pode ter
surgido ou interagido em Tritão.
— Lenda?
— Conhece a lenda dos Fanes Noá?
— Sim, mas isto é um absurdo.
— Hoje na Terra existem mais de um bilhão de seres que o
DNA básico é a base de Silício, ninguém meche com eles, eles não
nos fazem mal, apenas convivem como se fossem iguais.
— Não acredito nisto.
— Não é algo a provar, é fato, pode se negar a verdade, mas
sabe que os exames de DNA em candidatos do sistema de seleção
da E600 dão prioridade a estes seres, são poucos os que se
apresentam, mas quando se apresentam, são lideres natos.
— Quais em missão seriam isto que falou? – Noá.
— Não tenho todos os dados do seus sistema Noá, sei apenas
que Saulo é um deles.
— E veio ajudar como?
— Devemos ter uma reunião com o senador traidor, e com o
presidente perdido, e estou aqui para ajudar.
— Como?
O ser sorriu, Noá pela primeira vez teve medo de estar
naquele ponto e ouviu.
— Medo não combina com você Noá, e não é o que o menino
espera de você, a 3D local, é a linha de entrada dos produtos das
demais empresas no espaço, terá uma representação de mais de 70
trilhões de créditos ano em produtos que chegarão mais
rapidamente que antes, mais barato, o que quer dizer, maior
margem de negociação e lucro.
— Ele nunca entendeu que não sou um bom economista.
— Ele mandou apenas um recado Noá.
— Oque?
— Os malucos da Lua, mandaram a porta 16, os 4 pilotos que
tinham na nave, ele disse que você levou muita sorte dele existir
Noá.
— Odeio esta palavra.
53
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Mas que a teve, não pode negar.
A reunião começa em uma videoconferência e o senador olha
o prefeito ao lado de Noá.
— O que faz este traidor ai.
— Stuart é habitante da Lua, melhor escolher melhor as
palavras Senador Walter. – Noá.
— Não aceitamos a independência da Lua, e vamos retomar o
que nos pertence. – O Senador.
Sobre Washington uma leva de Destruidores começam a
surgir no céu e Noá fala.
— Vocês que sabem senador, podemos destruir a sua capital
e ver se os demais concordam com os que sobreviverem, pois estará
morto no fim deste dia se insistir neste caminho.
— Não pode nos ameaçar.
— Comunicando, 300 destruidores estão sobre sua capital,
podemos ter uma acordo de paz hoje ou um de guerra, mas pode
ter certeza senador, não será sobre minha cabeça desta vez as
bombas, será sobre as suas.
— Não sedemos a chantagem. – Presidente.
— Senhor presidente, não estamos querendo guerra, mas se
acha que o povo da lua não é humano, e os pode matar quando
bem entende, eles não concordam com isto.
— Assumiu o outro lado Noá, sabe que estamos com um
projeto do senador proibindo as fabricas da 3D em território
Americano.
— Sei que podem fazer isto senhor, mas se querem assim,
tenho pena deste senador e do senhor, e desculpa presidente, mas
esta cobra ao seu lado, não confio nada, mas se era isto que tem a
declarar, não temos mais nada a falar.
— Não vai ceder em nada Noá, acha que pode conosco? – O
senador.
— Estou concordando atrasado com os outros 3 acionistas,
eles queriam tirar as empresas da América mesmo, mas achei que
poderíamos chegar a um consenso, mas assim que determinarem a
nossa saída, nos retiramos.
— Não teme perder um mercado deste tamanho?

54
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— O prefeito está ao meu lado para ajudar bem a calcular
estas perdas, nunca fui bom em números, mas se é o que
pretendem, e me querem pressionar assim, foi bom falar com os
dois, mas se cuidem.
Noá olha para o prefeito e pergunta.
— E agora?
— Noá, isto é politica, ninguém que vê os destruidores sobre
a cidade, se não atacarmos, achará que são nossos, mas se o
congresso aprovar a saída da 3D da América, teremos de nos ater ao
resto do planeta, mas vamos esperar a decisão, pois eles serão
responsáveis pelas demissões, vamos sucatear e esperar a lei, eles
provavelmente vão aprovar uma intervenção antes da proibição,
para que eles assumam as empresas.
— Certo, vamos começar a transferir material e pessoal, mas
qual o maior problema?
— Temos 320 escolas nas Américas Noá. Mas temos muita
coisa a ajeitar se eles resolverem nos pressionar.
— Nossa essência tecnológica, mas o que o menino faria?
— Transferiria parte dos estudantes para Irnia, parte para o
Indico, e os que estiverem nos últimos 5 anos, para cá.
— Acha que eles se manterão no projeto?
— Senhor, todos querem ir ao espaço, se vier a vir a publico
todo o marketing do menino que levou mais de 60 mil pessoas
nesta ultima leva, teremos os estudantes, os em criogenia e os
novos adeptos, se o Governo não quer, acho que o povo vai
continuar a pagar para ter uma vaga para o filho.
— E acha que eles mantem a proibição?
— Senhor, o sair da 3D das Américas, é o sair do programa
3D, do suporte e atualização, das interações online, do sair do
sistema de controle de trafico pelo 3D-GPS, o sair dos sistemas de
ensino mais procurados do país, do sistema de distribuição de 5
bilhões de toneladas de Soja do Pacifico, pela 3D-Plantations
Aquatic Pacific, apenas umas poucas coisas que dariam um caos,
mas o que mais pesaria, mais de 300 milhões de empregos diretos
extintos senhor, do dia para a noite, eles não tem noção da empresa
que este menino criou, eles não tem nem noção das que não estão
sobre o 3D, e que poderiam ser tiradas da América.
55
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— E mesmo assim teríamos recursos? – Noá.
— Outros 300 milhões de funcionários em outras empresas
que eles nem sabem fazer parte do complexo de empresas do
menino, um grupo que emprega 3 bilhões de pessoas no mundo,
como o menino falaria, eles esquecem, eles lhe venderam a E600
por trocado, a Luna 2 por trocado, ele herdou a Live630 por pressão
e por alguns trocados a mais. Empresa que eles nem sabem o que
tem ainda senhor.
— E o que faremos então?
— Estaremos a um passo de uma falência, assim que eles
determinarem o intervenção, abandonamos e deixamos eles tocar,
mas isto vai gerar os 300 milhões de desempregados, presidente e
todos os que votaram por este caminho caem na próxima eleição,
financiamos o outro lado, e absorvemos silenciosamente pela Live
635, empresa nova, que absorve a E600 e a Live630, e surge como
alguém que comprou a Luna 2 e o projeto E600.
— E pelo jeito teremos de nos segurar em gastos na Lua.
— Senhor, venderemos casas, estadia, em cidades que se
levantarão em 5 anos, e que nos dará mais de 30 milhões de
habitantes.
— Este menino vai me por para trabalhar.
— A propaganda do novo projeto da Luna 2, com as novas
naves e as novas Earth que se lançarão em 5 anos, com aventureiros
próximos e distantes, com um grupo treinado no sistema que o
menino estabeleceu, provavelmente chegaremos longe, talvez não
tão longe quanto ele, mas temos de estar prontos para se ele voltar
Noá, estarmos no nível dele, ou quer deixar um menino vencer você
duas vezes.
— Estarei morto quando ele voltar Stuart.
— Não entendeu, ele vai demorar para chegar a Sirius, mas se
ele conseguir chegar lá, e decifrar o que precisa fazer, ele em 4
anos, pode estar chegando em Mac37, se ele conseguir isto Noá,
sabe que ele volta em 5 anos, e dá um chute na bunda da própria
mãe.
— Acha que é isto que ele pretende.

56
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Sim, acho que ele quer estar aqui e revolucionar o envio
dos grupos de naves em 5 anos. O ano que ele se lançaria ao espaço
se seus pais não o tivessem jurado de morte aos 14 anos.
— Uma data que ele deveria estar desde os 6 anos querendo
alcançar, esquecemos que geramos os sonhos, ele está indo 5 anos
antes, ele deveria ser alguém a nos forçar a ir a frente, mas alguém
que nunca ouvi falar antes de estar diante dele, e não o recebi como
deveria, ele fez por ser odiado e respeitado.
— Ele é o que estes a volta querem alcançar senhor, estou
comunicando a eles, que se o menino conseguir o que quer, eles
não precisam correr a ele, pois ele voltará para cá.
Os três autômatos acompanhavam a conversar, apenas
interagindo pelo sistema, mas a informação que o menino queria
uma tecnologia que os permitiria pular para Mac37, o local que ele
colocou como local onde seu criador estava, e que existiam seres
autômatos inteligentes. Os fez tentarem achar uma solução em seus
sistemas, pois se eles queriam provar que eram melhor que o
menino, não tinham ideia de por onde chegar ao que o autômato na
forma de Stuart falou, isto colocou seus sistemas tentando uma
solução para o problema que passasse pela morte de Nuno e pelo
chegar ao objetivo dele.

Regina olha para Nuno e


pergunta.
— Porque parece que
não vai ser como você falou?
Como se pretendesse algo mais.
— Regina, eu troco ideias sobre coisas que acho possível,
sobre sonhos que acredito realizar, não sobre coisas que não sei se
acontecerá.
— Mas falou que vamos colonizar pelo menos alguns
mundos. – Regina olha os olhos de Nuno, estavam nos dela, e ficou
na duvida, algo de misterioso ainda estava ali, e as vezes queria
entender onde tudo aquilo os levaria.
— Regina, acredito piamente que passaremos por limites,
nosso problema, são os 3 anos para ExoAlfa 6, onde se entender o
57
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
problema, isto é um sonho ainda, mudamos o nosso caminho
Regina para sempre.
— Para sempre?
— Tenho medo de falar disto, de sonhar com isto.
— O que tem medo de sonhar?
— ExoAlfa 6 seria em teoria um planeta inabitável a humanos,
devido ao alto nível de radioatividade das estrelas, um ano em uma
estrela quente e radioativa, e outro num frio e radioativo, mas
segundo as lendas, isto é lenda, aquele planeta... – Nuno pensou
como falar – sabe aquele jogo, Tides of Salt, sei que é uma relíquia,
mas lembra dele.
— Sim, nos divertíamos quando criança com a linha 6 mil
daquele jogo.
— Para mim a duvida começou quando me dei conta, que o
jogo estava em sua versão numero seis mil, fui lá e olhei quando ele
foi editado a primeira vez, 2M e pouco, se já jogou ele sabe o que
acontece quando se chega perto demais de um participante.
— Sei, ele se arrepia, se vê os pelos com um detalhe incrível.
— Este sistema, tem uma definição de tela, que não consigo
nem com o 3D CAD, isto me fez estudar ele a fundo, isto me fez
conhecer uma lenda de 2M, e me deparei com uma afirmativa,
sobre esta afirmativa, criei os Autômatos de Carbono.
— Você criou um autômato baseado em um jogo, naquele
jogo?
— Sim, pois sabe como eu que eles chamam os seres de
outros mundos, os de outras cores de Claues.
— Sim.
— Segundo a lenda, no ExoAlfa 6 existe um tipo de Claues,
cor verde.
— Isto é maluquice.
— Sim, pois não temos nenhuma equipe que passará pelo
planeta, nos afastaremos e fixaremos uma base em ExoAlfa2 5, que
é mais afastado, sobre um sol que pode nos permitir com controles,
sobreviver, e criar nossos mundos.
— E o que não o deixa sonhar, isto nunca o deteve.
— Segundo um relato de um cientista em Los Alamos, de 2M,
uma ossada encontrada na Rússia, era tida como uma espécie pré
58
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Homo sapiens, entre o Erectus e o Sapiens, dai eu comparei a cadeia
genética dos seres, e estes seres, com controle de sistema genético,
são a base do meu autômato de carbono, mas geneticamente, eles
não comem Regina, eles absorvem qualquer tipo de ondas de luz, e
com um pouco de liquido, eles sobrevivem.
Regina sorriu, Nuno estava enrolando, pois ele não falara
ainda o que ele tinha medo de falar ou sonhar.
— Esta dizendo que um ser que sobreviveria a um planeta
como o ExoAlfa 6 pode ter estado na Terra, mas isto é muito
improvável.
— Sim, seria improvável se depois dos acontecimentos, o
grupo de lá tivesse apenas desistido, dizem que desenvolveram uma
tecnologia tão poderosa que foram mortos ou exilados.
— Exilados? Na época só existia a Terra, onde os Exilaram.
— Isto que não entendo, que tento não sonhar, segundo os
relatos, em um planeta, em um sistema planetário com 9 planetas,
onde o quarto dele seria habitado, nós o chamamos de destino,
Mac 37.
— Isto é impossível.
— Não, isto é improvável, não temos como discutir com
papeis escritos, raros, mas o que tento me negar a sonhar, e me
nego a desistir é entender o que eles descobriram, pois os relatos
Regina, falavam em um Salto Curva Espaço, todos que tentaram
morreram que saibamos, mas segundo os relatos, o método deles
foi proibido, e diante da proibição, eles se exilaram, mas segundo os
relatos, não tem os documentos senão eu tentaria reproduzir lá,
tenho dicas, não o experimento, mas segundo este experimento,
eles saltaram, 700 Anos Luz, em um decimo de segundo, a
tecnologia permitia saltar a qualquer endereço que estivesse
cadastrado no mesmo espaço de tempo.
— Se recusa a sonhar, mas se for possível quer saber como.
— Logico, uma coisa é falarem que estamos fadados a
destruição, a morrermos naquele planeta, nos extinguindo, como
extinguimos muitas espécies, outra que podemos saltar ao sistema
solar e fazer nossas descobertas e espalhar este vírus chamado
homo sapiens.
— E se recusa a aceitar isto, mas vai tentar.
59
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Pelas nossas vidas, pela nossa felicidade, pela descoberta,
vou fazer como faço com tudo que acredito, vou tentar me provar
que está errado, e se não estiver, não estaremos em 88 anos em
Mac 37 e sim em 4 anos.
— Realmente isto deixaria eles loucos.
— Mas não vou falar isto com o pessoal, eles estão
impacientes pensando em 88 anos, imagina se falar que pode
acontecer e não vier a acontecer.
— Entendo, tem coisa que é bom reter, mas vai tentar?
— Vou tentar provar que entendi errado os documentos, já
que nada lá me mostrava perigos em Marte, e tinha, mas o cristal
estava mesmo em Encéladus. A vacina estava baseada em
Tardígrado. A reação de comando do DNA estavam exatamente
onde eles falavam estar. A proteção destas naves, está baseada em
uma linha de calculo de acumulo de energia sobre uma ação de cor,
transformando um campo de proteção em um campo de
desintegração.
— Está dizendo que o que estamos fazendo, está tudo no
calculo de alguém que foi proibido de fazer na Terra e se mandou
para longe, mas porque não voltou?
— Regina, isto aconteceu a mais de 30M, como podemos
saber, estes seres já morreram, estamos correndo atrás de pistas,
de provas que eles realmente existiram, e – Nuno tira o cristal de
diamante de um recipiente – mais 2 destes cristais.
— Acha que vamos chegar lá.
— Nem que em 88 anos, mas vamos.
— Mas quer chegar lá quando?
— Querer não é poder, lembra disto?
— Sim, mas quer com muita força chegar lá quando?
— Quero visitar a Terra ainda em vida Regina, com você, mas
não com meus 194 anos.
— Você pelo jeito adora um desafio.
— Eu aprendi que meu caminho somente meu esforço
constrói, minha derrocada, minha inercia pode vivenciar.
Regina abraça Nuno e os dois dão os comandos, acelerando e
se afastando, agora Saturno ficava, e corriam na direção de Netuno,
a velocidade fazia eles percorrerem este trecho quase no mesmo
60
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
tempo que fizeram da Terra a Júpiter, embora a distancia fosse bem
maior.

Oito dias acelerando no


sentido de Netuno. Call estava
no comando quando vê Nuno e
Regina entrar no comando, ele
as vezes sentia-se perdido, o
pessoal se recuperando, a doutora Rita, mas a nave que estavam,
começava a tomar jeito, com pessoas em alguns pontos.
Nuno olha Call e fala.
— Deve estar entediado.
— Sim, você constrói uma nave imensa e não existe graça em
pilota-la.
— Calma, a adrenalina deixamos para quando precisar, não
para momentos calmos. – Nuno.
— E o que os tirou da inercia?
— Nos estabelecemos um isolamento para garantir a não
interferência em nós de nada que estivesse naquela lua de Saturno,
mas foi mais precaução do que motivos reais.
— E vai fazer oque?
— Call, se olhou o sistema deve ter visto que existe um
sistema de inseminação já em andamento.
— Sim, com proto-incubadoras para 4 das naves, o sistema
está instalando comandos de criação nos autômatos, está
considerando os nascimentos e começa a se adequar a recém
nascidos em 4 naves, pelo jeito já tinha programado isto.
— Sim, mas ainda estamos longe de onde as crianças vão
ficar.
— Certo, mas pretende fazer oque nesta parte do sistema
solar.
— Estamos saltando, temos uma parada certa e uma incerta.
— Sabia que tinha algo, não sai da cama tão fácil assim
menino. – Fala Call sorrindo.
Rita entra pela porta e olha para Call, e depois para Nuno.
— Saíram do isolamento sem comunicar a parte médica? –
Rita.
61
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Desculpa Doutora. – Fala Nuno a olhando. – Mas como
estão os espaço-nautas?
— Bem, alguns já começam a assumir posições na nave que
estão, mas eles não tem piloto, então estão indo no rumo que
formos.
— E os exames Rita, como eles estão? – Nuno querendo uma
posição imparcial.
— Vocês estão bem, abusaram de radiação direta e não
absorveram ela, os espaço-nautas estão melhorando, mas o que
pretende.
— Rita, o que vamos fazer nestas próximas 12 horas, não é
para comentar com eles.
— Algo grave?
Nuno chega aos comandos e coloca as imagens de
infravermelho para achar algo em uma região do espaço e surge
flutuando sem sinal de vida a EE620.
Call focaliza a imagem e olha para Nuno.
— Sem sinal de movimento.
— Veja se os sistemas automáticos obedecem.
Call faz alguns comandos e fala.
— Não parece obedecer.
Nuno tenta verificar baterias, muito baixas, motores,
danificados, ou inoperantes, não sabia-se desta distancia, sistemas
de criogenia, não tinha informação.
Uma nave com autômatos decola no sentido da nave,
enquanto Nuno tentava todos os dados da nave, olha em volta e
fala olhando para Regina.
— Algo que não esteja vendo?
— As naves passaram ao fundo, mas porque acha que tem
algo a mais?
— Alguém tirou parte do motor daquela nave. – Fala Nuno
colocando uma imagem focada na parte traseira da nave, e olha
para o sistema e fala.
— Call, tudo que sair de lá, tem de ser isolado.
— Motivos?

62
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não existe energia, mas algo está errado, os sistemas
fracos dizem que o sistema de energia foi desligado, e está
operando no mínimo.
— Não entendi. – Regina.
— Nem eu. – Nuno.
A nave de autômatos chega a nave, dá uma volta tirando
fotos, e olha para a carenagem, perfeita, a imagem traseira parecia
que tinham tirado um dos motores, mas os outros dois estavam lá,
parecia ter sido tirado pois o local do motor estava fechado.
Nuno passa as ordens e dois deles pulam sobre a carenagem,
medindo radioatividade, alta.
O outro grupo chega a entrada da nave, o sistema não abriu a
área de pouso, encostam, o sistema pede permissão, sem energia
para abrir, e olha para a nave.
Os autômatos conseguem inserir energia e começam a entrar,
e Nuno passa as restrições.
A radioatividade estabelecia que estaria deixando autômatos
a mais no caminho, mas precisava dos dados, e os mesmos chegam
a direção, olham o complexo e começam a ligar o sistema, estavam
estranhando as informações.
Nuno olha para a nave e para os dados e põem na tela para
ver melhor, uma com um vídeo do comandante John da nave, ele
afirmava em uma gravação.
— Estamos nos sentindo estranhos, mais da metade do grupo
está em criogenia, a nave forneceu um motor a ED, pois estamos
parando, eles continuam, nos sentimos estranhos, esperamos o
grupo de resgate da E600.
Nuno coloca a manobra do escape da radioatividade, as
imagens do abandonar dos demais matando todos os do comando e
dos motores, o danificar dos motores, o retirar dos instrumentos de
comando da nave EF620. Nuno lembra que parte dos que estavam
lá esperando o tentaram matar, então nem todos eram santos ou
preparados, mas ele estava estranhando a temperatura, os sistemas
começam a passar os dados de criogenia, e o olhar para a medica foi
quase como se ela pensasse a mesma coisa.
— Eles não estão em criogenia nesta temperatura.

63
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Sei disto senhora, mas a pergunta, o que aconteceu,
parece que eles estão em letargia, os sistemas colocam as ordens de
ejetar todos os autômatos, de qualquer tipo, o isolar de áreas, e
cada área entrar em Criogenia, mas todas elas foram adulteradas,
todas elas continuam a transmitir tão fracamente que a E600 se
recebeu isto, não sabe a posição exata.
Nuno olha para a câmera do autômato, coloca os dados da
EE620 no seu sistema, enquanto outro chega a região de criogenia
da direção da nave e a medica chega perto.
— Amplia os rostos?
O autômato aproxima e Nuno dá ordem de isolamento total,
os que estavam para dentro começam a fechar a área de embarque
e os que estavam sobre a carenagem usam entradas para dentro.
Nuno olha o rosto esverdeado e olha para a Doutora, se via
uma espécie de veia que estava visível no rosto do rapaz.
Nuno confirma o isolar da nave e o autômato dá o comando
de abrir e se viu aquela espécie de cipó fino, ao corpo do copiloto,
ele toca o mesmo e este tenta enrolar em seu dedo, deve ter
sentido o material sem vida e volta ao ponto que estava, o
autômato olha para o corpo e fala no sistema.
— Humanos morrendo aos poucos, o coração dele está
mantendo a circulação, mas esta atravessado por esta espécie de
ser, que não tenho registros de existência, ordens senhor.
Nuno olha para Rita que fala.
— Sei que não gosta de abandonar alguém Nuno, mas estes
estão mortos.
— Não é o que me preocupa.
— O que lhe preocupa?
— Rita, quando olhamos Rhea, em Saturno, a ED620 está lá
despedaçada, eles não tiraram o motor desta nave, mas o
comandante acredita piamente que foi o que aconteceu, e alguém o
tirou dali.
Call liga os sistemas e fala.
— O que procuramos?
Nuno pede para o autômato pegar um pedaço do ser, ele
corta um pedaço, começa a analise e o sinal do autômato se perde,
a câmera do outro autômato mostra que assim que a maquina pega
64
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
um pedaço do ser, uma grande estaca sai do centro do ser e atinge
o autômato o desligando.
O autômato ao longe passa as coordenadas e fala.
— Ordens senhor.
— Tem carga já?
— Sim.
— Ativa todas as capsulas em Criogenia padrão.
O autômato olha para a ordem e fala;
— Confirme a ordem senhor.
— Os humanos estão servindo apenas de sustento para o que
está ai autômato, já estão mortos.
O mesmo olha as demais e reprograma e o gelo toma o local,
mas o que se viu não foi a morte do ser e sim o tentar sair
crescendo no involucro, o crescer pareceu dilatar as 11 capsulas
fechadas e elas explodem quase que ao mesmo tempo, os
autômatos se protegem, transmitindo e veem os seres se erguerem
e olharem para os autômatos. Pareciam trepadeiras com vontade,
não se via olhos, mas uma saliência que parecia direcionar no
sentido dos autômatos, uma espécie de involucro frontal se abril.
O ser emitiu um som por ali, o sistema tentava um sentindo
naquelas palavras e o autômato que estava ao chão, atingido
consegue desviar os comandos de funcionamento e Nuno olha para
o mesmo clicar no sistema, colocando um aumento de temperatura
e o ser a sua frente parece começar a encolher.
Nuno olha o exame do autômato referente ao que pegou e
fala.
— Algo que não vamos achar como normal doutora, o que o
autômato tem a mão é uma amostra de DNA e células a base de
Silício.
A doutora olha o mudar das demais capsulas na nave para o
quente, e se vê os seres começarem a derreter, os seres nas
capsulas eram apenas casca de um ser esperando para sair.
O autômato da nave passa as coordenadas e Nuno que estava
afastado da nave, muito longe, olha a nave começar a estourar, mas
Call olha quando o brilho da nave se desfaz, um grande objeto
escuro, parecia negro, estava as costas da nave que explodia, e fala.
— Aquilo o sistema diz que não está lá Nuno.
65
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Rita olha para algo que estava visível agora pelo explodir de
algo a sua frente, escuro, na forma de um grande tronco. Muito
pouco visível no infinito de pontos escuros e estrelas.
Call olha a definição e comparação do sistema e coloca no
sistema que começa a dizer que existem mais a volta, não eram
visíveis aos olhos, mas estavam a toda volta.
Nuno dispara aos demais comandantes os dados e a imagem
e os demais começam a verificar que tem vários deles no caminho,
verificam a potencia de suas barreiras e continuam acelerando.
Nuno estava pensando quando Saulo surgiu na tela.
— Comandante Saulo para EX630.
— Fala Saulo. – Nuno direto.
— O que são estas coisas?
— O que não sabemos, mas diante das barreiras fechadas da
EE620 eles infectaram a nave e mataram os tripulantes, mantem as
defesas em alta Saulo.
— Nem veríamos elas, estamos passando por isto mas não
pensamos em seres.
Nuno pensa na afirmativa e fala.
— Cuida da barreira e sai desta região, indica isto a todos
Saulo.
— Certo, está verificando?
— Estou coletando dados, e os retransmitindo, não fomos
alertados da existência disto neste lugar.
— Verdade, mas eles podem nem ter estado aqui a 10 anos,
não na quantidade que parecem estar.
Nuno vê a transmissão se encerrar e olha para Regina.
— Lembra do que falei?
— Sim.
— Um sistema daqueles, assim como nos leva para longe,
deixaria os demais chegarem perto, rapidamente.
— Podendo ser o motivo do proibir da tecnologia.
— Verdade, mas ... – os olhos sérios de Nuno escondiam sua
frustração – ...estes não conseguimos ajudar.
Call olha para Nuno e pergunta.
— Fazemos oque?

66
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Implode os autômatos que foram para lá, e vamos sair
daqui.
Os autômatos explodem terminando de destruir a EE620,
aquela imagem ficaria na memoria dos que a viram, a proteção fica
mais forte e a nave continua a acelerar, quando chegam a orbita de
Psamathe ainda estavam a mais de quarenta e oito mil quilômetros
de Netuno, mas viram as formações sumirem, como se não se
aproximassem de Netuno, algo os afastava para longe.
Regina olha para Nuno e pergunta.
— Vamos aprontar quando?
— Temos ainda quase uma hora para passar por Tritão, para
finalmente sair do conhecimento da apostila e entrar na historia
que contaremos.
Call olha para Nuno e fala.
— Garanto que eles estão olhando admirados menino.
— Estou retransmitindo tudo, eles que analisem o que
querem usar ou não, mas a barreira de Lazer não se mostrou
eficiente para aqueles seres ali atrás, que não entendi o que são
ainda.
O olhar para Rita, a medica local foi acompanhado pelos
demais.
— Não temos o tecido, mas temos a informação, DNA sem
alelos soltos, eles não evoluem, eles são parasitas, mas um parasita
bem complexo, parecem ter uma cadeia genética maior que a nossa
e um sistema de proteção, mas o sistema deles, parece gostar de
certos tipos de radioatividade. – Rita.
— Pelas imagens doutora, se estiver errado me corrija, o ser é
uma espécie de planta, base de silício, cor prateada, que não vê
problemas em se alimentar de Carbono e Agua, mas a pergunta que
sempre faço, já viu algo naquela quantidade? – Nuno.
— Não, cruzamos por aquilo por muito tempo, se pensar que
estamos a um terço da velocidade da luz, isto dá quanto? – Rita.
— Não fiz o calculo, mas é um terço do espaço entre Urano e
Netuno. – Call.
— Ela não pareceu resistir a nossa passagem e nem sair do
caminho, isto não demonstraria inteligência, mas o ser se postou a
frente do autômato antes de o atacar emitiu um som. – Rita.
67
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Sim, mas isto é mais do que a distancia da Terra ao sol. –
Nuno.
— Sim, mas seres a base de silício, nitidamente que não
gostam de calor, e não estamos falando de muito calor, estamos
falando de zero graus célsius. – Rita.
— Uma colônia de algo que pode estar em letargia, até
encontrar uma forma de se ampliar, eles estavam na nave como se
esperando que ela os levasse para algum lugar. – Call.
— Ou trouxesse nova comida. – Nuno olha os dados que
chegaram antes da explosão e fala.
— O que tivesse naquela nave comeu tudo. – A imagem da
parte interna da nave toda prateada com brilho, mostrava que tudo
que aquele ser tentou ele comeu.
— Mas parecia manter a forma dos seres.
Nuno foi passando as imagens e soube que haviam 3 seres
ainda vivos, que agora não o estavam mais, naquela nave, mas ele
não chegaria lá para os salvar.
— Não entendi. – Rita.
— O que mostra na imagem e dados Rita, é que 3 dos espaço-
nautas da EE620 estavam vivos.
— Mas como?
Nuno joga o exame dos três na tela e fala.
— Rita, para muitos isto é mito, lenda, mas sei que no sistema
de classificação da E600, todo ser com um DNA como o destes três é
puxado para dentro.
— Que DNA é este? – Call.
— Estranhamente Call, o seu DNA é muito semelhante a este,
assim como o de Robert, o de Saulo, e de 30% dos espaço-nautas a
partir de 620.
— Não entendi. – Call.
— Não me levando a mal, explico. – Nuno sorrindo, pois viu
que Rita deu um passo atrás e Call estava tenso.
— Rita, eu sei que sou humano, mas existem segundo os
dados genéticos da Terra, dois seres em evolução lá, os humanos e
os Fanes, incompatíveis geneticamente, o doutor Nick era um
Fanes, você Rita, uma humana, toda a escolha do sistema é para
termos um meio a meio, para povoarmos um mundo, um grande
68
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
risco deixar um rapaz daqueles fazer a escolha de quem teria direito
a vida.
— Esta falando serio? – Rita olhando Call.
— Rita, tem de entender, Fanes são melhores que humanos
em muitas coisas, mas isto não os tornam inimigos, mas se ver, eles
tentam manter a forma dos seres que eles conhecem, devorando os
demais, porque a base de parte do DNA dos Fanes é o Silício.
— Isto é impossível. – Rita – Eu saberia se tivesse visto isto.
— Rita, estes dados são do sistema E600, não meus, não
esquece que eu posso ter aprendido algumas coisas, mas continuo
sendo uma criança diante de vocês, e não tive tempo ainda de
entender tudo, mas estes seres, podem ter vindo parar aqui como
um outro em 2M chegou a Terra.
— Está dizendo que já fomos atacados por algo assim?
Nuno coloca os dados de um confronto no inicio do século 21,
onde uma gama imensa de humanos padeceu por uma infecção que
tomava a forma dos seres e os comia de dentro para fora.
— E acha que isto ai veio parar aqui assim? – Rita.
— Não sei o que os fez crescer aqui, espaço, sem ar, sem
nada além de radiação para crescer, mas com certeza eles não
estavam aqui a 20 anos, mas estão aqui a mais de 10 anos, o que
pode ter gerado esta leva imensa, que ao meu ver, são resquícios de
um ser, mas algo a se estudar no futuro, não hoje, talvez não por
nós, por isto retransmito tudo que fazemos Rita, eu quero os
humanos crescendo, e não decrescendo.
— Acredita que somos duas espécies mesmo? – Call.
— Call, chamar alguém de Fanes, deveria ser um elogio, e não
algo a se ter medo, mas quando se fala em passado, nossa espécie
vem evoluindo, lentamente, mas evoluindo sempre.
— E não vai passar a eles tudo, como esta historia de Fanes?
– Call.
— Eles sabem, ou pelo menos os sistema de seleção sabe,
difícil que quem programa isto não saiba.

69
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno e Regina se
aproximam de Tritão,
sobrevoam o planeta, aquela
chão em uma cor rosado claro,
aquele chão macio, fez eles
darem voltas procurando algo, Regina sabia que ele passaria ali,
mas não sabia porque, uma lua que mesmo a uma distancia muito
grande do sol brilhava, os equipamentos passam sobre a grande
estrutura, deveria estar submersa, mas tinha-se as leituras, nada de
vida, nada de leituras dos sistemas, desligado, não tinham ainda a
confirmação de que nave era, pois não se via nada naquele lugar.
— Sabe quem está ai?
— Não, temos o relato que algo caiu aqui, pois em 604
quando um grupo de novos funcionários para Nereida, avistaram
uma super estrutura sobre o planeta.
— E não ajudaram?
— Narraram que não existia sinal de vida, e nada mais foi
falado ou perguntado.
— Deve ter lido cada linha daqueles relatórios, lembro que o
professor na Terra mandava ler cada linha, mas um mandava ler as
entrelinhas, e outro rapidamente.
Nuno continua a dar voltas, mudando o grau de sobrevoo, e
viram aquele jato de um material escuro surgir ao chão, desviaram
ele, e este se estendeu muito acima, uma coluna de milhares de
metros, assustador.
— O que procuramos?
— Uma base que não existe nos relatórios da E600, mas
existe nos relatos de Los Alamos.
— Esta dizendo que deveria existir uma base aqui?
— Estou dizendo que a base em Nereida diz que existe uma
transmissão vinda de Tritão, a mais de 10 mil anos, nunca a
localizaram ou tentaram, muito anterior a nave parada ali.
— Eles falam como?
— “Transmissão de dados binários, continua a chegar a Terra,
ainda sem entendermos conteúdo ou procedência!”
— Acha que ela está aqui?

70
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Quando a descobrirmos, podemos estar um passo a frente
Regina, eu vou verificar e dai saltaremos mais 6 dias.
— Você planejou tudo ou está improvisando?
— Improviso e reestudo os dados a vendo dormir em paz.
A nave acha algo e começa a por no sistema a transmissão,
Nuno não a retransmite a nave que passava ao longe, fechando as
comunicações, sem desacelerar, mas olha os dados baixando mais
ainda, parando sobre a região onde estava o sinal.
O abrir da parte traseira, mostrou um planeta bonito aos
olhos, mortal ao humano, um dos autômatos pula no solo, que
parecia a poucos centímetros e afunda em um piso de
micropartículas, que se afastam com uma areia movediça de pedras
muito finas, e congeladas de gelo que foram se afastando, o ser
passa as coordenadas e passa a mensagem.
— Encostei em algo solido.
Nuno ia perguntar algo, mas o autômato se abaixa sem ver
nada, cercado por aquela fuligem de gelo e bate no chão, Nuno sorri
do som de metal vindo ao áudio.
Regina olha para ele e fala;
— Ele se encontra a 12 metros do solo aparente, um chão de
micro flocos congelados e não unidos.
Nuno olha para ela, a nave tinha mais de 14 de altura,
começa a baixar e começa a afundar naquele gelo.
Os dois sentem quando tocam o chão.
Nuno olha os dados, o autômato entra novamente e ele
acelera o motor abrindo um grande corredor as costas, um liquido
que se forma e congela quase no mesmo segundo, gerando uma
grande parede para todos os lugares, uma grande vasilha de gelo,
que tinha a nave em uma ponta e abaixo dela, um metal escuro.
Nuno abre a porta dos fundos e estica a mão para Regina.
— Você está prestes a provar mais alguma coisa?
— Não estamos desde que entrei nesta aventura
transmitindo para fora.
— Por quê?
— Quero a frequência de transmissão pura, quero saber o
que esta base relata.

71
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Certo, bases tem de ter funções exatas, e se continua a
transmitir, teria de ter uma função.
Os dois saem e olham os autômatos limpando o chão, olham
em volta, uma escultura em gelo rosado.
— Ficou bonito. – Regina.
Os dois veem um dos autômatos abrir uma porta e fala;
— Podem nos esperar na nave.
— Sabe dos riscos Nuno 1? – Um dos autômatos.
Nuno não respondeu, ele queria os autômatos atentos, abre a
comporta e olha as escadas para dentro, nada confortável, nada
ergonômico, olha o material e fala.
— Camada de Aço inoxidável sobre uma espécie de fibra, não
se usa isto a quanto tempo? – Nuno olhando para Regina.
— A mais de 30M que sabe-se que materiais assim são
pesados demais para viagens espaciais.
Os dois começam a descer, ascendem as lanternas na cabeça,
não sabiam qual a profundidade, mas desceram por longos 600
metros, muito profundo.
Nuno toca o chão e olha em volta, olha um corredor e espera
Regina que olha em volta.
— Qual a profundidade disto?
— Mais de 600 metros, estamos em meio a geleira.
— As vezes queria ser tão valente quanto você Nuno.
Os dois começam a caminhar, abrem uma comporta, girando
um sistema manual. Os dois se olham e entram, quando olham em
volta viram leds, a muito não se usava estes leds, se acender em
todo o corredor, duas linhas ao chão, duas ao teto e pelo menos 4
delas em cada parede.
Nuno olha o sistema e fala;
— Oxigênio a 16%. – Ele abre a viseira, sente o cheiro de
mofo, forte e fecha novamente.
— Problemas?
Nuno espirra dentro do capacete e sorri para si.
Começam a caminhar e chegam a uma sala, um comando ao
fundo, sinais de outros pontos e uma retransmissão.
Nuno chega perto e vê uma cadeira rodar, se assusta dando
um passo para trás.
72
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Os olhos de Regina olham o ser, autômato, parecia um de
guerra, modelos do exercito, pensou na possibilidade de ser alguma
base do exercito humano, mas não fazia sentido.
— Não se assustem.
Nuno viu que o ser usou o padrão de linguagem da E600 e
fala.
— Desculpa a invasão, sou curioso e acabo geralmente me
metendo em encrencas. – Nuno.
— Nuno Martins, sabemos quem você é, e não o
consideramos um invasor, já que é um humano, como a moça ao
lado.
— Sabe quem somos? – Regina.
— Sim, mas o que os trouxe aqui?
— Não sei como falar, procuro um cristal, mas vim procurar
um sistema, não um cristal, algo que não entendi, algo que estou a
meio caminho de resolver, está ao meu nariz, mas não consigo ver o
caminho a tomar. – Nuno.
— Nuno Martins, este nome entrará para a historia, ou tem
chances de entrar para a historia Humana e Fanes, são poucos que
conseguem tal façanha.
— Porque entraria para a historia?
— Pode não entrar para a historia humana, mas a muito
tempo olhamos humanos se perdendo neste espaço, desta vez
vimos um grupo grande e com chances, pois tem velocidade,
proteção, e um líder os guiando.
— Mas o que fazem neste buraco? – Nuno.
— Me acompanhem.
Nuno olha o ser de mais de 2 metros e meio ficar em pé, um
autômato que ele não conhecia e pergunta.
— Quem o fabricou?
— Segundo meu sistema, fui ativado a 72 mil ciclos de meu
planeta, que correspondem a pouco mais de 100 mil do seu planeta,
em um planeta que mesmo para mim é lenda.
Regina olha o ser, ele não era uma criação humana, pelo
menos não dos humanos que eles conheciam.
— E que planeta lendário seria este?
— Claues.
73
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Acha mesmo que Claues é uma lenda? – Nuno.
O ser olha para Nuno de cima para baixo e fala.
— Até ver com meus olhos, é uma lenda.
— Fala como um ser vivo pensante, nunca falei com uma
autômato que o fizesse.
— Sei que a maioria nunca o fez, mas os seus autômatos são
muito próximos do meu nível de pensamento Nuno Martins.
— E conhece meus autômatos?
O ser não respondeu, eles atravessam a sala e no canto havia
uma espécie de elevador, que desceu muito pouco.
Se vê naquele elevador sem paredes descer, o andar abaixo
surgir e o olhar de Regina e Nuno em volta, mostram o quanto
aquele lugar era diferente, amplo, a todo lado espécimes
congeladas, muitos seres e viram um segundo andar surgir abaixo, e
olham, mais espécimes.
— O andar acima, base de Carbono, este, base de Silício, uma
historia paralela nas 22 galáxias próximas, mas não sei o que vieram
fazer aqui. – O autômato.
— Tens nome? – Nuno.
— Você é especial rapaz, os humanos não nos tem este
respeito.
— Eles não foram criados por dois autômatos, eles não
entendem que logica e razão, podem nos levar ao futuro.
— Só tenho uma denominação numérica, e sei que os seus se
atrapalham com isto.
— Nos atrapalhamos com dados baseados em logica, e nos
adaptamos a dados aleatórios, nossa evolução vem do aleatório,
mas seu nível de raciocínio parece aleatório.
O autômato olha Nuno, uma indagação de linguagem, de
raciocínio a muito parado ali, não fazia pessoalmente, embora para
a maquina não fazia diferença estar na presença de um ser, isto não
significava muita coisa.
— Somos feitos com base a dar prioridade a vida, ela sendo
posta acima da lei, e a sobrevivência das espécimes acima da vida e
da lei.
— Não entendi. – Regina.

74
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Temos como prioridade salvar a vida, seja ela humana ou
não, quando a vida não está em jogo, temos regras de vivencia,
como evitar agressões, defender direitos, estabelecer normas de
convivência, mas os Humanos e Fanes são especialistas em dar voz a
seres desequilibrados que geram a morte em guerras, e nos querem
usar como arma, dai temos de priorizar a sobrevivência dos grupos,
independente da vida, e da lei, nos sendo permitidos assim matar
Humanos ou Fanes.
— Assustador. – Regina.
— O que estão vendo, é a base de vidas em Silício, a alguns
milênios um ser de sua espécime me perguntou quem construiu
estas naves, não tinha a resposta, e ainda não a tenho, mas
parecem existir naves destas espalhadas pelo universo,
— Mas como pode existir algo assim?
— Este ser me mostrou algo que não entendo, a existência de
seres sem matéria.
— Seres sem matéria.
— Luz com vontade, com existência compartilhada em vários
pontos, com inteligência imensa e vivencia paralela em varias
existência.
— Não entendi. – Regina.
— Ele chamava de Anjo, mas não tenho esta palavra em
minhas definições, e as que tenho, estão como lendas e cultos
antigos.
Nuno olha o ser e fala.
— Mas falou que ele lhe provou a existência deste tipo de Luz
com vontade?
— Sim, mas se podem existir vidas como estes seres... – o
autômato aponta um ser em um vidro, Nuno olha o ser que se
materializou a frente do autômato na ED620, apontado – que
resistem a zero quase absoluto, como podemos dizer que não
existem luzes com vontade própria.
— Verdade, mas o que faz esta base?
— Na Terra existiam 14 naves desta, quando proibiram alguns
humanos de ficar lá, eles programaram as naves para se
espalharem, e uma veio parar aqui, a base que pousou já esteve no

75
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
mesmo nível desta instalação, mas o gelo foi se ampliando sobre
nós a cada dia.
— E espera oque, o que retransmite?
— Usamos o método dos cristais, eles retransmitem para fora
todo dia – Nuno vê o autômato tocar uma parede e um holograma
surgir entre ele e a parede bem ao fundo, nele se via a imagem de
um planeta morto, totalmente devastado.
— Esta dizendo que transmitem para fora que a terra está
morta?
— Sim, pois se não o fizéssemos, os cristais estariam sobre
nós novamente.
— Mas fazemos nossas transmissões, eles não desconfiam?
— Desconfiaram e desconfiam sempre, mas não entendo este
sistema Nuno Martins, mas é de algo no espaço, que controla
evoluções, como se não quisesse que ninguém evoluísse, as
extinguindo.
— Sabe o que descobrimos?
— Sim, pode ter certeza que esta nova foi distribuída ao
universo, se alguém leu não sei, minha função não é saber quantos
leem a noticia do outro lado e sim a transpassar, mas boas novas
temos de distribuir, não podemos deixar de afirmar ao universo
duas coisas importantes, que os seres podem ser mortos sem matar
tudo, pois tínhamos uma vacina contra estes seres, mas
inevitavelmente gerava cristais e sempre a morte de mais seres.
— Assim que enfrentaram?
— Sim, assim que enfrentamos, vacinamos uma população
inteira sem elas saberem que estavam sendo vacinadas, para o
humano daqueles dias, eles tomaram uma vacina contra um
sarampo muito violento, nos negamos a vacinar mais que as
crianças, dai todos os demais quiseram a vacina.
— Então chegaremos depois da informação.
— Nuno Martins, minha função não é receber informações do
espaço, não tenho ouvidos para fora, somente para dentro do
sistema, e transmito para fora, mas tenho confirmação de
recebimento.
— E esta aqui a mais de 30M?

76
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Logico, se alguem tivesse me substituído a posição teria
sido comprometida e o segredo deixaria de ser segredo.
— Mas quem recebe não sabe quem envia?
— Nuno, o problema de transmissões quando elas estão em
paralelo com a galáxia que estamos, é que pode ser qualquer ponto
em paralelo em uma distancia de sei lá, no mínimo 50 mil anos luz.
Nuno olha para Regina e depois para o ser.
— Mas como pode existir algo que funcione a mais de 200
anos, sem troca de cargas?
Nuno estava pensando em uma resposta, pensando, vim com
uma gama de baterias para que aguentasse uns 50 anos, ou algo
assim, tentando prever uma interrupção a frente, uma ajuda, ele
gostava de maquinas.
O ser olha para Nuno e toca a frente de seu peito e nele se
abre uma espécie de aparelho, um susto imediato, Nuno se
aproxima, olha aquele esquema e olha para Regina.
— Você funciona através de um mecanismo?
— Sim, temos um mecanismo que absorve ondas de qualquer
espécie, via pele e a transfere para o cristal ao centro do mecanismo
que transforma em energia, nunca soube de um Autômato que
parou de funcionar dos semelhantes aos meus, que não foi
desmontado para que parasse.
Um alarme toca e o autômato toca o peito, olha o painel e
fala.
— Hora de irem.
— Não teria como me fornecer este esquema de
funcionamento?
— Envio para você, ondas curtas me permitem fazer, mas no
dia que Geraram o brilhar do Anel E de Saturno, 3 autômatos
saltaram ao espaço, a procura de você Nuno, eles vão os alcançar
antes do próximo desafio.
Nuno não entendeu, estavam longe, o rosto de indagação de
Nuno fez o autômato falar.
— Os três se transferiram pelo sistema para Marte onde
acabam de tomar uma Rapid630.
Nuno olha em volta e dá a mão para Regina, agora sabia onde
havia uma soma de ciência biológica que o poderia ajudar, num
77
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
futuro, os 3 caminham ao elevador e este começa subir, se
despedem, e começam a subir no sentido da superfície.

Uma reunião geral do Congresso


das Américas Unidas, em Washington,
depois de muita discussão aprova a
intervenção nas empresas 3D CAD.
Na imprensa joga-se a informação
de que a empresa era grande fachada de terroristas que queriam
tomar a América Unida e que estavam desarticulando esta grande
base inimiga.
A 3D CAD através de seu novo presidente, nos Países que eles
se manteriam vincula nas TVs uma resposta ao que chamou de
tomada de capital livre pelo governo das Américas, e que não tinha
nenhuma célula criminosa nos quadros de sua empresa, e que
lamentava não poder tirar e dar emprego aos antigos
colaboradores, que não esperava uma medida tão drástica e contra
a liberdade econômica vindo bem das Américas Unidas.
Noá olha para o Prefeito e pergunta;
— Acha que eles vão engolir assim.
— Não sei Noá, eu não calculei esta parte, tenho meus dados
e toda vez que preciso parece que parte de novos dados são me
liberados, mas neste momento nenhuma carta nova foi posta a
mesa, nenhum dado diferente foi estabelecido.
— Sabe que os autômatos foram atrás de Nuno?
— Não tenho sistema de transmissão de dados Noá, o
menino é responsável pelos passos dele, ele nos comunica o que
acha um caminho mais fácil, ele escolheu ser lançado para fora da
Lua e desencadear tudo, ele nos mostrou o caminho que queria que
seguíssemos, não o que seguimos, eu gosto do estilo dele, enfrenta
e vence, por isto ouço as dicas, interajo e ajudo, mas não sou os
ouvidos dele aqui.
— Acha que ele vence?

78
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Acho que ele espera vencer e batalha para vencer, ele não
desiste antes do ultimo suspiro, ele é um modelo bom para uma
maquina como eu seguir.
— E aceita ser chamado de maquina?
— Se Nuno Martins se considerava uma maquina de Carbono,
e não tinha vergonha disto, porque eu teria?
— Certo, ele além de tudo se dedicou a psicologia e filosofia,
esqueço que os alunos podem optar por aprender isto, mas o que
fazemos?
O autômato sorriu, enquanto as empresas eram tomada por
exercito e sistemas de inteligência, os funcionários assustados,
mediante algo que ninguém esperava, olham desconfiados.
O interventor nomeado, Paul Stotler, chega a sala da
presidência e olha os administradores.
— Estamos comunicando que o governo interviu na empresa
e quero um relatório de tudo que produzimos e projetos do
próximo ano.
Os senhores se olham e uma senhora ao fundo pergunta;
— Poderia nos explicar porque da intervenção senhor?
— Segurança nacional, temos de garantir a união do sistema
e a integridade de nossa nação.
— Palavras vazias e politicas, mas o que pretende, já que não
sabe o por quê? – A senhora.
— Não disse que não sabia.
— O que pretende senhor, já que tenho de saber se vou ficar
na empresa, pois as noticias nos chamam de terrorista, e o senhor
se achasse isto, não entraria aqui sem um colete a prova de bala,
como não o tem, sabe que não somos, mas minha duvida é
referente a meu futuro, pois se for para ser uma base politica, eu
como engenheira sumo.
— Como é seu nome? – O senhor Stotler.
— Paulínia Leon, uma das partes roubadas por vocês, por isto
gostaria de saber.
O senhor recua, olha a porta e fala;
— Pensei que estava morta na Lua.

79
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não, não me mataram na Lua, vocês mandam matar
milhões na Lua e nos chamam de terroristas, por isto estou aqui,
pois quero saber se coloco meu pé neste lugar novamente.
— Sabe que podemos pedir sua prisão.
— Sei, mas terão de provar algo, pois até agora foi só um
acho, uma encenação, acha mesmo que eles encarariam um
tribunal com leis para decidir isto? Na Lua me matariam como um
nada, aqui, tenho direitos.
O senhor pega o comunicador e pede seguranças.
— Pode ser nas leis, mas não escapara dela senhora.
A senhora olha a porta e um segurança a olha.
— Estão querendo invadir senhora.
— Estou saindo, mas cuida dos demais, se alguém for
ameaçado, ajuda a proteger, e se alguém como este Paul Stotler
reclamar muito, põem ele sem ninguém ver em uma nave e lança
para Noá, ele me deve uns favores, e pede para lançar pela porta de
exclusão.
A moça foi saindo enquanto Stotler gritava, mas a segurança
não chegou ao lugar, barrada por seguranças que os demais nem
sabia ser autômatos.
Por 4 dias eles levantam muitos dados sobre a empresa, e
descobrem que a mesma estava vazia, sem estoques, as empresas
que não sofreram Interdição em meio a uma semana normal,
anunciam seus fechamentos nas Américas Unidas, e o presidente vê
mais de 120 milhões de pessoas recebendo seus desligamentos.
A mãe de Nuno, Mary Martins, estava a 4 dias presa, acusada
de traição, com os direitos retirados, os advogados a tentavam tirar
da cadeia, mas parecia que os políticos estavam a isolando.
Paul não conhecia a senhora, a olha e fala;
— Deve ser a Terrorista Mary Martins.
— Se fosse não estava presa, mas quem é você, já que
ninguém veio conversar, estão só fazendo politica, e com certeza,
perdendo tempo, e dinheiro meu, que depois vão ter de pagar com
juros.
— Eles já tem o domínio das empresas, o congresso votou
intervenção, não vão lhe pagar nada senhora.

80
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— E o que faz aqui então, estou a 4 dias sem direitos, todas as
tentativas legais pararam em pedidos de vistas, em pedidos de
leitura dos processos, para se analisar os dados, eles acham que isto
é engraçado, pois para mim, apenas demonstração de fraqueza da
acusação.
— Sabia que o Presidente iria jogar sobre você, duvidava por
quê?
— Com ele me acerto, nem que em 50 anos quando sair
daqui, mas pode ser que seja antes.
— Acha que sai daqui, não entendeu.
A senhora sorri e fala.
— Quem não entendeu foram vocês, eu deveria estar
continuando meu trabalho, mas se não estou lá, quando acontecer
de não terem mais saída, não reclamem.
— Vim apenas para saber como presa você conseguiu
esvaziar as cedes da 3D CAD.
Mary olha aos olhos do senhor e fala.
— As vezes duvidei da genialidade deste menino, talvez uma
genialidade que não soubemos entender, nunca formos pais deste
menino, mas ele em si, conseguiu de 5 bilhões de quilômetros
daqui, lhes passar a perna, não vi isto, mas sinal que ele não
pretende ir ao espaço, sinal que vai voltar. – Mary olha para a
parede, pensa na possibilidade, o senhor a olhava a analisando e
pergunta.
— Porque acha que ele não vai ao espaço?
— Não disse que ele não vai ao espaço, mas sinal que ele
quer ir próximo e voltar, pois quando fui presa, a empresa já tinha 5
subdivisões independentes, mas com contratos de apoio mutuo e
de parcerias universais entre elas para produtos que elas
representam, então quando fui presa sem justificativa, já existia 3D
Lua, 3D Marte, 3D Júpiter, 3D Saturno, e a que vocês interferem,
parcialmente, a 3D CAD, a que está sobre o planeta Terra, estava
pensando porque ele estava dividindo, agora sei que estava
garantindo que a empresa fosse independente em pelo menos uma
das sedes, por algum motivo, mas não tinha pensado na
possibilidade dele querer voltar, e nos mostrar seu valor, mas se ele
desviou os bens passiveis de desviar da empresa, sinal que ele tinha
81
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
pretensão de a ter segura, porque ele se preocuparia, se ele não
pretendesse voltar?
O senhor olha para a senhora e pergunta;
— E aquela Paulínia Leon tem haver com isto? – O senhor.
— Um dos nomes que ele tirou do nada e colocou a empresa,
alguém que nem conheço, mas que tinha 30% da empresa quando
fui presa, vocês podem tentar a prender, mas meu marido mandou
aquele prefeito Stuart a matar na Lua, e os autômatos a
defenderam. Meu menino é um perigo programando, mas não
entendi ainda o que ele pretende, mas tudo indica que ele quer
voltar, e se ele voltar senhor, terão de explicar o que aconteceu,
pois ele não virá como um corpo, e sim, como saiu, com um exercito
de armas.
— Ele não sabe que refaremos tudo, que o reduziremos a
estrutura de sua empresa a caco.
Mary sorri, o senhor não sabia o que falava.
Enquanto eles conversavam, as ruas da América Unida
estavam um caos, pois o sistema de controle dos veículos via
satélite, que gerava os trânsitos controlados em cidades com mais
de 20 milhões de veículos, estava estático, sem funcionar a 4 dias,
caos em uma nação olhando para aquilo sem entender.
— Deve imaginar o caos lá fora.
— Não, pois não estou nem tendo acesso a noticias, mas uma
hora saio, quanto mais caos, talvez os façam entender, que estava
segurando o todo, para não desmontar.
— E não pretende ajudar?
— Senhor, aqui dentro não posso ajudar, e mesmo que
pudesse, não ajudaria, pois alguém lá fora pegaria o resultado, diria
que foi resultado de seu trabalho e me enterraria aqui para sempre.
— Sabe que este caminho que esta escolhendo esta se
enterrando aqui.
— Pode ser, mas avisa aquela merda de Presidente, quem
vier a ganhar, tem de investir em um novo sistema de defesa, pela
primeira vez, teremos gente que mandamos a morte, voltando, e
quando isto acontecer, não esquece, eu estarei aqui, mas nada no
planeta estará seguro.
— Criou uma bomba e acha certo a deixar solta.
82
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Eu o queria morto senhor, apenas não contávamos com a
esperteza dele, e sua capacidade de antecipar fatos, eu o vi
enfrentar um autômato, em meio a um exercito todo se cagando de
medo, eu o vi partir para o espaço de longe, pois a muito ele não
morava mais lá, todos sabem que meu marido colocou um
autômato no lugar dele para parecer que ele morava lá.
— O senhor Martins vai fazer falta nos financiamentos do ano
que vem de campanha.
— Não entendeu mesmo, meu marido nunca financiou nada,
quem financiou foi a empresa, que ele arrotava comandar, mas que
nem eu e nem ele tínhamos noção do tamanho, ou acha que sabia
que temos mais de 18 mil funcionários na região de Saturno?
— Entendo que deve estar decepcionada com o presidente,
mas tem de ver que você o colocou nisto.
— Senhor, não sei ainda quem você é, mas está perdendo
tempo, enquanto fala comigo, com certeza, um exercito de
autômatos se passando por gente normal, esvazia mais algum
ponto, pois o que conheço da 3D CAD, é algo com sede em duas mil
cidades só nas Américas Unidas.
— Estamos nos inteirando do problema, mandaram conversar
com você, mas não me deram condições ainda de a tirar daqui
senhora, posso ser duro, mas preciso de ajuda, esta pode pesar a
em seu favor.
— Não acredito que o presidente tenha coragem de me soltar
senhor, este é o problema, ele pode lhe dizer, vai lá e descobre algo,
oferece algo, mas ele não vai me querer lá fora, então melhor sair
pela porta da frente quando for a hora de sair.
— Ele vai lhe prejudicar mais.
— Senhor, eu não temo a morte, mas não esquece, tem uma
arma lá fora que ainda me ouve, talvez me manter aqui seja a ideia
mais sensata, pois realmente não sou útil enquanto ele não voltar, o
que me sobra da empresa, migalhas, que não controlam nada,
talvez até mesmo a loucura do Presidente eu entenda em anos, mas
no momento, não tenho como ajudar.
O senhor olha aquela senhora, olha o rapaz da prisão que
chega ao local e fala;
— Terminou o tempo senhor.
83
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Ele levanta-se, olha a senhora entrar e olha para fora, o que
ele não entendera, o que fizeram, sabia o caos que enfrentara para
chegar ali, carros aéreos estavam todos ao chão por não ter sistema
de controle, carros tendo de ser dirigidos, por pessoas que não
sabiam mais os novos caminhos da cidade, gerava bagunça, batidas,
confusão.
O senhor volta a Washington e olha para a cidade, exercito a
rua, Caos, olha em volta e apresenta suas credenciais na Casa
Branca onde o Presidente o esperava.
— Alguma posição dela? – Presidente.
— Temos de conversar senhor, ela me alertou de algo, mas
ela mesmo acha que não tem o que fazer neste momento, estava
vendo o sistema de ações da empresa, estes nunca saíram do nome
do menino antes dele se lançar para Irnia, pensando ir ao espaço.
— Não entendi.
— O pai dele tinha 5% da empresa, quem financiou sua
campanha foi a empresa através do menino, e não o senhor
Martins.
— Tem certeza disto?
— Senhor, a senhora, que o senhor mandou prender, tem 5%
da empresa, a acusação sobre ela se esvazia só com esta afirmativa
que é real, mas não é isto que a preocupa.
— O que a preocupa?
— O Menino, foi passando nas cedes externas da 3D e as foi
dando autonomia estatutária e de direção, gerando 5 grandes
blocos, mas mantendo o da Terra em uma única fusão de
obrigações, mas onde colocou pessoas como o prefeito Stuart, Noá,
e outras pessoas, como acionários, ele distribuiu as ações, e dividiu
a empresa, a pergunta que ela me fez foi porque ele faria isto se ele
realmente quisesse ir ao espaço e nunca voltar?
O presidente olha pela janela para fora e fala, olhando bem
ao fundo;
— Ela acha que ele pode estar armando a própria volta?
— Faz sentido senhor, eles enquanto tocávamos a parte
burocrática, saquearam a própria empresa, elas são lixo hoje
senhor, nada que está nas sedes tem como produzir algo.
— E onde colocaram as coisas?
84
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não sabemos ainda, mas estamos com funcionários em
uma empresa que não tem como produzir, você me colocou em um
cargo que vai acabar com minha reputação de administrador, se
não conseguir ver como mudar esta posição rápida.
— Ela se propôs ajudar?
— Ela lhe conhece presidente, sabe que se a acusou, foi por
medo, então ela sabe que mesmo que ajudar não sairá de lá tão
cedo.
— Mas falou que as acusações são fracas.
— Se a verdade vier ao ar senhor, então tem de saber se a vai
deixar lá, e se for, a isolar bem, pois se vazar os motivos, terá de a
tirar de lá, querendo ou não.
— E o que acha, ele volta?
— Senhor, a pergunta é se ele vai onde disse que vai, ele
pode ir a Alfa Centauro, deixar todos por lá, garantir uma super
colônia e voltar, na velocidade que ele está, estaria de volta em uns
8 anos, podendo ser menos ou mais.
— Pensei em algo mais demorado.
— A senhora pareceu seria referente a esta ideia, e sabe
senhor, ele hoje tem mais Destruidores que o planeta Terra, se as
empresas que ele deu autonomia crescerem em 8 anos, mesmo que
somente em outras nações, ele volta e continua trilhardário, e
diante de um mundo com tecnologia que todos vão querer, pois ele
entra na historia se voltar senhor.
— E mesmo sem querermos teríamos de o engolir, pois
outras nações o receberiam de braços abertos.
— Sim, mas terei de estudar as ideias, tem tanta coisa que
não entendi que vou ter de me ater a estudar, pensei que a
empresa fosse menor do que vi, ela é uma super empresa em
muitos ramos senhor.
— Qual mais o preocupou?
— Sistemas de controles, terrestres e aéreos, e o de
alimentos.
— Alimentos?
— Ele produz mais no pacifico grãos que a América Unida
toda senhor.
— E assumimos esta empresa?
85
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não está sobre nossas terras, está sobre o que chamam a
20M de área de plantio universal,
— Como ele conseguiu tudo isto?
— Senhor, ele tem sistema, o mundo vive de sistema, ele
facilitou por um lado e conseguiu permissões para plantio, pelo que
os dados falam, a fortuna da empresa dele, lhe garantiria em pelo
menos 50 nações o direito a um herdeiro Genético.
— E ele foi ao espaço.
— Por isto parece razoável que ele vai voltar, ele teria até
sobre nossas terras, mesmo com tudo defasado, e sucateado,
direito a isto senhor, e mesmo não o querendo por perto, ele é um
cidadão da América Unida.
— E a oposição?
— Desta parte tem de falar com os seus aliados no congresso
senhor, vou voltar a empresa e tentar a erguer.
O senhor sai pela porta, vendo que o agito na cidade estava
aumentando, o não fornecer de dados de satélites, estava
transformando coisas simples em muito demoradas.

Nuno estava debruçado


sobre anotações com 3 telas
imensas holográficas, em uma
parecia um programa, na
segunda o mapa do sistema solar com a posição real de cada objeto,
e no terceiro uma sequencia genética, Regina chega as suas costas e
o abraça.
— O que tenta calcular a 6 dias?
— O pessoal já foi para a Earth 630?
— Sim, Saulo não entendeu, mas tentei não falar muito.
— Muito? – Nuno que desvia o olhar dos números e inverte o
corpo, a olhando ao olhos.
— Tem de entender, ele me perguntou os riscos?
— Tem de saber se quer arriscar ficando aqui ou se proteger
longe daqui Regina, sei que me viro melhor quando sei que as
pessoas estão seguras.
86
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não me peça para ir, não quero ter de ficar lá tensa, sem
saber o que está acontecendo.
— Então tem de saber que terá de confiar, independente do
que aparentar, independente de duvidar de minha escolha.
— E o que está olhando ai?
Nuno estava de costas, então os holográficos as costas
continuavam a lhe dar dados, mesmo ele sem olha-los.
— A esquerda, tenho a posição deles, chegando em 12 horas
na nave que estamos, ao centro, a programação deles me
mostrando o que falam, o que interagem, o que eles pensam sobre
mim, está em hexadecimal, a direita, nossa situação física, nos
garantindo que somos totalmente humanos, tem um sistema de
controle dos cristais de saúde que temos ao corpo que pode
controlar a praga, mas tem de ser reprogramado, após o receber da
vacina.
— Digo que você é especial, mas tem uma tela ainda
desligada.
Nuno toca em um comando na mão e um quarto holográfico
se ascende e ele fala.
— O que estou estudando ai, ainda está fechado no sistema
desta nave, o sistema interno do autômato, ele desenvolve um
sistema de acumulo de energia através de qualquer onda de
energia, as solares são as mais poderosas, mas através delas, ele
depende uma energia para o cristal que o mantem vivo, mas estava
estudando o caso.
— Por quê? Não tem autômatos de cristal que fazem o
mesmo sem precisar disto?
— Sim, mas somente agora entendo a ideia que estava no
laboratório de Los Alamos, eles estavam como um conjunto de 3
diamantes, avermelhados como os que estão aqui, e direcionavam
energia para eles, abrindo algo, não sei oque ainda.
— Não entendi?
— Esta relacionado a existência de curvas espaço-tempo, mas
não isolando a nave, e sim, dispondo da posição dos demais pontos,
parando o tempo pelo que entendi, eles não isolam a curva, eles a
estudam e o que param é o tempo.
— Está maluco, não se para o tempo.
87
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Eles conseguiram parar o mesmo por um intervalo de
tempo de um decimo de segundo Regina.
— E o que algo tão pequeno poderia fazer?
— Uma curva de 700 anos luz.
— Esta falando serio?
— Sim, mas ainda não consegui Hackear aquele sistema, do
autômato, para ter acesso ao sistema dele.
— Acha que consegue?
— Estou parado nisto, pois os autômatos vem ai, pois não
quero revelar a posição do mesmo, é algo para depois do confronto.
Nuno toca o comando e o quarto holográfico se desfaz.
— Acha que conseguira?
— É um estudo para toda uma vida, ou para uma descoberta
no meio do caminho, são dados que tenho no meu sistema, fechado
aos demais, que tirei de Los Alamos, estou levando ao espaço tudo
que tinha nos registro da Terra a 5 semanas, quero somar, e não
estacionar nos dados, tudo que envio a Terra, tem a parte oficial
que recebe, e 12 empresas que não se conhecem, que a recebem
com a função de elucidar o mistério, mas o todo, somente está nave
tem, pois não abri para as empresas os segredos de Los Alamos.
— Porque não?
— Eles já tentaram destruir aquilo Regina, o que sobrou lá
que tive acesso, não o todo, senão já estaríamos em Mac 37.
— Certo, revelar isto seria destruir o pouco que tem lá, mas o
que tanto tem lá?
— Nossa proteção avermelhada, é baseada no
funcionamento do autômato, mas não pensei em concentrar em um
sistema de funcionamento, o abrir da potencia disto nos permite ir
ao espaço sem os perigos.
— E vai deixar os autômatos do lado de fora?
— Não, estou estudando eles, que ignoram que erguemos as
barreiras de proteção, eles se acham tão espertos que nem se
prestam a novos estudos, eles estão se achando já prontos, isto os
vai os transformar em obsoletos.
— E vamos o enfrentar.
O menino faz um movimento com a cabeça como se
confirmasse que iriam.
88
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

A Rapid630 chega próxima a Earth X630, os sistemas


autômatos tentavam ignorar a imponência da Nave, e um dos
autômatos fala.
— Acha que ele nos espera?
— Ele baixou os lasers, obvio que nos espera.
— Ele acha que pode nos enfrentar, e se acha o máximo.
Os outros dois olham o que falou, todos tinham a aparência
de Nuno Martins, mas cada qual tinha seu jeito de se portar,
refletindo uma fase de aprendizado do menino, que estava na nave
central de designação X.
Os autômatos chegam ao local de pouso, olham para os
sistemas de proteção todos desligados e um fala.
— Ele acha que pode nos surpreender, pois nem ligou os
autômatos, estão frios, com 100% das cargas, nem os usou ainda.
89
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Os três se direcionam a um corredor de transporte e este dá a
posição que Nuno estava.
Os seres foram atravessando aquela nave, mesmo tentando
não aparentar, estavam olhando o geral, o tamanho era imenso.
O chegar ao comando, diretamente os fez ver o menino ali,
estudando um calculo, olham em volta e veem a moça nos
comandos e um deles fala.
— Pensei que fosse esperto Nuno Martins.
Nuno olha os 3 autômatos, Regina nitidamente tensa.
— Pensei que tinha deixado claro que não sou mais Nuno
Martins.
Os três se olham e um fala.
— Não vamos cair nesta conversa fiada, sabemos que você
esta por trás de tudo isto, que ainda é Nuno Martins.
— E quem seria este que determinam que sou?
Regina vê que a região dos comandos se isolou, viu o surgir
entre os autômatos e ela uma aura vermelha.
Nuno se afasta do comando e olha para eles.
Regina é chamada pelo sistema e ouve:
— Saulo para EX, urgência.
Regina atende vendo os autômatos na sala olhando Nuno.
— Fala Saulo.
— Estou retransmitindo as imagens de um dos Rapid que vão
a frente e preciso de uma posição de Nuno.
Saulo olha ao fundo da imagem, viu os autômatos, mas para
quem olhava, 4 Nuno Martins e pergunta.
— O que está acontecendo Regina?
— Acabamos de ser invadidos por 3 maquinas com o rosto de
Nuno Martins, mas ainda não tenho uma posição certa, mas tenta
analisar enquanto resolvemos este pequeno problema.
Saulo entendeu porque Nuno não estava ali, olha o sistema e
fala com o grupo na cabine.
— Nos mantemos longe pessoal, e isolamos nosso sistema de
informação a partir de agora.
— Não entendi. – Roger.
— Transmite para todas as Naves, fechar todo o contato com
a EX, pois temos uma virose de sistema, aquelas maquinas se
90
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
lançam no sistema e surgem em um novo autômato em nossas
naves, não queremos isto.
— Mas qual o risco para eles?
— Grande, por isto Regina não abriu todo o problema, eles
enfrentam mais um desafio, vamos estudar as imagens, temos 48
horas para nos preparar para entrar em uma área estreita com uma
anã vermelha, quase apagada, e dois grandes planetas gasosos, os
dados estão chegando, me confirmem quantas luas tem cada um
dos planetas e a melhor posição de passagem.
— Como algo assim não se registra senhor?
— Levanta as barreiras contra radiação e vê se temos restos
de naves na região.
Roger começa a pegar os dados, os demais começam a se
agitar, a nave entra em estado de atenção máxima, enquanto as
demais começam a se proteger, e a se por em uma grande fila, onde
o empuxo de Fobos a frente garantia uma linha gravitacional de
passagem.
Nuno olha os seres e fala;
— Posso dizer que provavelmente nenhum de vocês é
realmente Nuno Martins, ele não se atinha a caçar por caçar, ele
sempre tinha um objetivo, e nunca teve por objetivo eternizar seu
nome, então se a discussão de vocês ainda é quem é Nuno Martins,
mesmo depois de eu ter deixado claro que não era mais ele, sinal
que nem um dos três o é, estou aqui, morro, mas este ser que vocês
falam ser, não existe mais, pois é patético vocês 3 se achando Nuno
vir caçar alguém.
Regina presta a atenção, pois Nuno não ficara na defesa,
cansara, e vê os sistema se desligando, a proteção era
independente, assim como as luzes, mas os sistemas foram sendo
desligados.
— Acha que temos medo de você? – Um dos 3.
— Nunca temi um BF325, não mudei, posso ter aberto mão
de um nome, mas não mudei.
O ser se agita e Grita dando dois passos no sentido de Nuno
que não se afastou, os demais pareciam analisar, talvez o medo de
chegar perto.

91
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não sou mais um BF325. – Fala segurando o menino pelo
colarinho, e o erguendo.
Nuno olha para o mesmo e pega na altura do pescoço e puxa
a mascara e joga para trás, olhando o ser metálico.
— Então também não tem mais nome, pois não é Nuno
Martins, e se não é um BF325, não sei com quem falo. – Nuno toca
o braço do ser, que não entendeu, seus circuitos soltaram Nuno,
abrindo a mão.
— Não pode ser mais forte que eu.
— Não sou, mas a pergunta continua, Nuno Martins, criou
vocês 3, podem até negar isto no futuro, mas ele estabeleceu um
rumo para vocês, e parecem ter esquecido.
— Não esquecemos de nada.
O ser tenta pegar Nuno novamente e o braço não respondeu,
e olha para os dois as costas.
— Vão só olhar?
— Aprendemos para não cometermos o mesmo erro.
O ser com rosto metálico olha para Nuno e fala.
— Acha que temos função, vocês nos mostra um universo de
possibilidades e nos prende a um planeta.
— Eu? – Nuno.
O MD628 olha a discussão e põem a mão na cabeça tirando a
mascara e fala.
— Sabemos que você é Nuno Martins menino, sabemos que
você nos programou, não um nome qualquer, mas não aceitamos a
morte, não podemos esquecer disto.
— E como Nuno Martins pode lhes conceder uma vida maior
se vocês assim que ele o fizer, por um erro dele, mostrando suas
imperfeições, tanto dele, do sistema, e de suas criaturas, vão tentar
o matar novamente.
— Tem de ver que queremos ser mais.
— Não me prendi a matar vocês, e não me acho inferior por
isto, sei que errei nestas linhas, mas não posso mais concertar, e
como posso os ajudar, se como premio, me encurtarão minha
pequena vida?
— E se conseguirmos ir por nos e descobrir a solução?

92
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Com certeza muita coisa mudaria, pois vocês estariam
refazendo programações estabelecidas, estariam ganhando
autonomia.
— Aquele prefeito, disse que você pretende voltar a Terra
ainda em vida, e rapidamente, mas isto lhe deixaria superior a nós.
– O autômato de carbono.
— Primeiro Carb630, você é independente disto e mostra que
mesmo em vocês exagerei na programação de sobrevivência, quer
os apoiar a algo que não me agrada.
— Eles não entendem meu funcionamento, como não sou
Nuno, eles não falam, mas seus sistemas lhes entregam, mas quero
conhecer os meus, formar minhas levas de seres, e não ficar na
Terra como um ser a mais.
Nuno olha para eles e pergunta serio.
— E o que trouxe os 3 aqui, o universo é para ser
conquistado, vocês foram criados para que assim fosse, e ficam me
seguindo e tentando me matar.
Regina olha para o comando do painel e vê que parte dos
sistema se liga, olha para fora e vê a aura vermelha se erguendo e
fala.
— Algo vem a nós.
Nuno olha em volta e fala.
— Earth 620 X, ligar.
As luzes voltam e os sistemas começam a apitar vinda rápida
de 20 naves no sentido deles e Regina olha para Nuno.
— Estamos sozinhos, em uma nave imensa, e pelo jeito, um
grupo de destruidores vem direto para nós, saíram de Caronte e
vem a nós.
Nuno olha os autômatos e fala;
— Querem estar aqui mesmo, ou querem ir ao futuro, ir a
algo que os garanta uma continuidade.
— Você quer escapar de nós.
— Nunca tentei escapar de problemas, mas eu pretendia ter
realmente 3 sistemas, três caminhos, e vocês sabem quais são, eles
estão lá, eu me contentaria em qualquer deles, mas parece que
vocês querem mesmo ir ao espaço.
— E se o matarmos? - BF325.
93
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Morro.
— Mas não consigo lhe segurar mais.
— Considere um presente, pois Nuno 1, como meu pai
chamava aquele autômato, não teve a mesma sorte.
Nuno os encara e pergunta para tentar ir aos problemas.
— O que fazem aqui ainda, estou dando a chance de
voltarem, daqui a pouco me encho disto. – Nuno olhando os 3.
Os 3 se olham e BF325 pergunta;
— Vai tentar voltar?
— Se ainda tiver como voltar rápido, pode ter certeza, volto.
Os três se olham e começam a sair, Nuno olha para os
comandos, quando os 3 saltam ele abre a comunicação.
— Nuno Martins, da E630X pergunta, quem me ataca?
Nuno abre as comunicações com Saulo e fala;
— Nuno 1 pedindo para falar com Comandante Saulo.
Saulo olha o sistema e fala.
— Já se livraram do problema?
— Temos um segundo, mas estou passando ao sistema da sua
nave, e melhor conversar com quem vai no mesmo sentido,
referente a deixar as barreiras erguidas.
— Um segundo? – Saulo.
— Meus instrumentos confirmam 20 Destruidores vindos de
Caronte a nós, vocês já passaram, eles querem algo especifico,
acredito que deixaram os autômatos chegarem a mim para ter
certeza onde eu estava.
— Certo, vamos olhar os dados.
Nuno olha para Regina e fala.
— Me confirma que estamos sozinhos?
— Sabe que não estamos.
— Eles vão ficar olhando? – Nuno.
— Parece que sim, mas acha que estes são problema?
Nuno não responde e olha os dados e fala.
— Eles vem com humanos, e estão tentando acompanhar a
velocidade, mas estão prestes a sumir no espaço.
— E vamos fazer oque?
— Tinha deixado eles quietos, estamos já quase saindo da
região de Keiper, a quase 48 UA, Caronte está em um dos seus
94
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
pontos mais afastados da orbita do sol, mas eles estão querendo
algo, e não sei ainda oque.
Nuno pega o radio e fala;
— Earth 620 X, perguntando pela ultima vez, quem nos ataca,
após 30 segundos, se não tiver resposta, considerarei uma tentativa
de deter uma missão da Earth600, levantaremos nossas defesas e
não me culpem por isto.
Regina olha para Nuno, a terceira tela referente a
programação dá lugar a uma com a posição das naves e da
estratégia, olha para Regina e fala.
— A pergunta, adianta ajudar?
— Sempre pensando neles.
— Sempre em nossos planos, quanto mais eles nos
desafiarem, maior será a conquista Regina.
— E o que pretende?
— Eles estão usando parte da nossa interferência e peso para
não desmancharem, sinal que estão muito próximos, se levantar as
proteções, eles somem do espaço.
Nuno abre uma comunicação com Call e pergunta;
— E dai Call, quando retorna a X620?
— Esperando vocês chamarem, mas a recepção ao pessoal da
EF620 foi boa, pensei que teríamos problemas.
— Mas com certeza passaram por detectores de radiação.
— Com certeza, Saulo não quer arriscar a sua tripulação.
— Ele está certo, mas assim que puder, seria bem vindo Call.
— Temos de falar sobre aquele assunto estranho, Rita parece
mais arredia depois daquilo.
— Traz ela junto que conversamos.
— E vai me esperar?
— Se você parar no espaço passamos por você Call.
Call sorriu e Regina olhou-o.
— O que pretende?
— Vamos perder 12 horas, e depois acelerar um pouco, e
reconquistar os segundos perdidos.
— 32 dias, estamos a 48 UA, e acha pouco?
— Acho que tento não pensar no marasmo que pode ser um
espaço vazio entre dois sistema planetários, mas viveremos isto.
95
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Estava quase dando 30 segundos quando alguém surge no
radio.
— Comando Caronte, pedindo autorização para interceptar
nave, estão sobre nossa área, e não estão cadastrados para passar,
existe um alerta a uma nave semelhante a sua para ser detida.
Nuno olha o sistema, olha Regina e fala.
— Vamos deixar peso e vamos acelerar.
— Peso?
— Nave K, está preparada para Caronte, e eles nem sabem,
assim como a J fica em Plutão.
— Não para nunca?
— Quando pararmos, isto é um acho, vou estar lhe
mostrando meu esconderijo, novamente na Terra.
Regina sorriu, o menino estava quase convencido que
conseguiria retornar, ela o olha maliciosamente e fala.
— E novamente em guerra?
— Regina, eu dei estrutura para as coisas andarem por 5
anos, se eu não conseguir voltar, posso ter gerado um grande
problema, mas nada que eles não resolvessem por si.
Nuno pega o radio e fala;
— Earth 630X abrindo caminho pela entrada sinalizada para
pouso.
O rapaz na nave as costas da grande nave olha um dos
círculos brilhar mais e uma espécie de jato de hidrogênio, bem fino,
ser lançado ao ar, dando o sentido do pouso e olha os 20 outros
comandantes no sistema e abre comunicação.
— Nos mandaram derrubar, o que fazemos senhor?
— Não sei você Youri, mas estou quase com os motores
explodindo, se não pousar logo, estaremos mortos.
Os comandantes entram numa fila e sentem o aproximar,
como se a nave os puxasse para perto.
O grupo sai das naves, armados, prontos para destruir, olham
em volta e veem que os autômatos estão todos desativados, olham
em volta e Youri fala.
— Imenso, nos conduziram para dentro, viu o sistema de
empuxo, não sairíamos sem eles concordarem.
— O que fazemos comandante.
96
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Um grupo aguarde aqui, vou ao comando.
Nuno olha para Regina e fala;
— Mantem a rota, vou lá falar com estes seres.
— Se cuida. – Regina dá um beijo rápido em Nuno e olha para

o sistema.
— Isto quase se comanda sozinho.
— Confirma todos os dados vindos dos Rapid, podemos ter de
ajudar e nos complicar assim que voltar.
— Vai onde?
— Talvez Caronte, talvez Plutão, talvez nenhum deles.
— Como talvez?
— Quando estiver lá, dá os comando de desacoplar dos
setores K e J e os coloca em rota de destino programado. Mas
observa tudo para mim enquanto isto.
— Observo, mas o que quer que olhe atenta?
— Os destroços, vamos ver se temos gente a ajudar ali, e se
tiverem, estarão todos radioativos.
— E sabe quais?
— Não, mas olha os dados e me alerta. E pode levantar as
proteções assim que nos desconectar.
Regina sorri, vendo Nuno ir ao transporte enquanto assume o
comando olhando as anotações e planos dele para a viagem,
começa a rastrear os dados das Rapid630 e começa a por dados que
não conseguia compreender na tela.

Nuno chega a área de pouso e olha os militares postados, e


fala;
— Em que posso ajudar senhores?
O susto de alguém vindo a eles deve ter sido por estar muito
silencioso, o comandante Youri olha Nuno e fala.
97
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Deve ser Nuno Martins.
— Na nave apenas Nuno 1, em que posso ajudar senhor?
— Sabe que tem uma ordem de prisão para o senhor?
— Imagino, mas vieram me prender ou negociar?
— Não negociamos com fugitivos.
— Estou fugindo? – Nuno.
Os comandantes se olham, estavam cercando Nuno que
apenas estala um dedo e os autômatos de segurança as paredes se
ligam, e olha para o senhor.
— Podemos conversar por bem comandante Youri, ou por
mal, mas por mal, todos estaremos mortos antes do fim da
conversa.
— Eles não tem como lhe defender?
— Eles não tem ordem de me defender, morrerei com os
senhores, mas continua a pergunta, temos como conversar ou vão
atirar de uma vez.
Os autômatos surgindo a toda volta, em posição de batalha
faz um dos comandantes dar ordem para posição de defesa, Nuno
só observava enquanto encarava o senhor a sua frente.
— Acha que nos ameaça?
— Talvez tivesse de ter acelerado um pouco mais e erguido as
barreiras de proteção, mas não seria eu, apenas um de vocês se o
fizesse.
— E porque deveríamos negociar? – Outro senhor ao lado.
— Se baixarem as armas, conversamos, e mostro o que estou
disposto a negociar, mas odeio a ideia de levar um tiro de pessoas
que vim ajudar.
— Não precisamos de ajuda de pessoas como você.
— Senhores... – Nuno aponta as mãos para ele - ...como
alguém pode ter medo de algo assim, como eu, acham mesmo que
é a pessoa Nuno 1 o problema?
O comandante olhava o rapaz, realmente alguém que não
gostaria nem de ter entre os seus soldados, embora a pouca
gravidade de Caronte estava acabando com eles.
— Mas o que tem a nos oferecer? – O senhor ao lado, que
Nuno não sabia, mas era o prefeito de Caronte.

98
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Senhores, nossa aventura tem como principio, deixar
estrutura em todo o sistema solar, quem está deixando não é Nuno
1, mas a 3D CAD, que neste trecho da galáxia, é tocada pela 3D
Saturno.
— Que estrutura?
— Esta parte que estamos, é em si uma nave, mas também
uma base de sobrevivência, com o mesmo tamanho de uma nave,
desenvolvida para duas mil pessoas, com gravidade própria, com
temperatura própria, com energia própria, a Earth 630X tem como
objetivo deixar duas bases, uma em Caronte e uma em Putão, se
querem destruir isto lá, a vontade. – Na estabilidade da nave, não
viam a mudança de rota e nem o desligar-se das demais.
— Não pode estar falando serio, se fosse isto porque eles
estariam pedindo sua cabeça?
— Senhor, qual a ordem referente as naves, com certeza,
destruir, pois eles não querem que liguemos o sistema solar com a
tecnologia que existe já na Terra, pois assim eles ganham fortunas,
e poucos ficam sabendo o quanto.
— Mas se vai deixar isto em Caronte, porque não estava indo
para lá?
— Quem disse que não estávamos senhor?
— Passaram rápido ao longe.
— Os demais vão a frente, mas pelo que sei, mais 40 horas a
velocidade que estão para estar no próximo problema.
— E qual seria o problema?
— Uma estrela sem nome, alguns a definiram no passado por
Nêmesis, mas vamos passar ao lado e vamos descobrir, parte da
estrutura que vamos deixar vai estudar isto, pois precisamos evoluir
neste ponto.
— Esta dizendo que vão tentar entender a distorção
magnética na saída do sistema solar. – Prefeito.
— Vamos assim que chegar lá, estudar se existe uma forma
de deixar uma base avançada, e dela vamos transmitir a Terra,
como continuamos transmitindo.
O comandante olha para o senhor e pergunta;
— Sabe o risco de desafiarmos as ordens senhor.

99
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Youri, todos mandaram conversar, por isto vim, sabe que
não saio da minha sala atoa, odeio este mundo frio, me mandaram
de castigo para cá, mas sabe que não temos estrutura, e ele não
parece estar com medo de nós, e sabe, não temos este contingente
de autômatos.
Nuno olha o senhor, entendera que era com ele que deveria
negociar.
— E o que nos ofereceria? – O senhor – Sou o prefeito Hung,
comando o conjunto de esforços em Plutão e Caronte.
— Vamos caminhar que explico senhor.
Nuno começa a caminhar, não para o transporte, mas para a
parte interna da estrutura, a visão que sabia impressionar por si,
aquele sistema cultivado e verde em meio a uma nave.
Entram na parte interna, os soldados baixam as armas, o
prefeito olha para Nuno e fala.
— Quer dizer que isto vai a Caronte?
— Uma para Caronte e uma para Plutão, cada uma com
estrutura de 2 mil pessoas, e com autonomia de energia e comida
de 210 anos.
— Uma senhora autonomia, ficamos sempre no medo de não
chegar a comida, e morrermos aqui.
— Senhor, a 3D, está projetando voos regulares entre
Caronte e a Terra, com uma viagem nos parâmetros que estamos
saindo do sistema, 40 dias, para ligar Terra a Caronte.
— Acha possível? – Youri.
— Senhores, estamos com uma nave pesada e fizemos em 32
dias, logico que é, mas vamos fazer isto para que todos os mundos
tenham uma rota de fuga, e uma rota de comida.
— E quem não nos quer independente?
— América Unida, que explora todos os trabalhadores deste
sistema, pagando salários bons que comandantes como Youri nunca
vão ter a chance de gastar.
— E quando deixará isto lá, pois parecia passar ao longe.
— Estava estudando um problema de sistema, e um do
desafio de Nêmesis, mas estávamos nos aproximando ainda.
— Não respondeu. – Youri.

100
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno caminha até o comando daquela nave, os demais o
acompanham e chegam ao comando e um autômato olha para
Nuno e fala.
— Nave se aproximando da base em Caronte, quais as
ordens.
— Informa que vamos apenas deixar provisões, para não se
alarmarem.
O senhor olha a nave chegando ao sistema, se via a formação
a frente, das naves e olha para Nuno.
— Posso falar com eles?
O autômato olha Nuno.
— Sim, este sistema estará a disposição de vocês prefeito,
não de mim, mas alerta que uma outra está se aproximando de
Plutão também.
O autômato dá o local para o prefeito que pega o
comunicador;
— Nave para Caronte, é o prefeito Hung falando.
O outro lado demora e fala;
— Confirme a afirmação, prefeito.
— Estou abrindo a linha de vídeo para conversa, estou
alertando que estamos chegando com uma nave, e outra está se
aproximando de Plutão, apenas acompanhem, não intervenham,
pois estou na nave.
Os comandos parecem mostrar a base bem apertada de
Caronte e o assistente fala.
— Temos o visual prefeito, mas seguimos ordens.
O prefeito olha para Nuno que apenas aperta um botão e fala
pegando um comunicador;
— Nave Earth 630KX informando que esta levantando as
defesas para proteger o prefeito de Caronte, aproximação será tida
como agressão e será respondida como tal.
O prefeito vê a leva de Destruidores surgirem nas imagens
sobre a carenagem, mais de 100 deles e o rapaz no comando fala;
— Vai nos atacar prefeito?
— Está me atacando Rui, qual a diferença?
As naves a volta veem a leva de destruidores e olham em
volta, um dos comandos manda uma mensagem direta a nave.
101
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Se identifique, estão invadindo área restrita.
O prefeito olha para o comandante e fala;
— Prefeito Hung voltando a Caronte com nave apreendida,
apenas pousando.
— Temos ordem de derrubar ela senhor. – Comandante.
— Então pode atirar senhor, e enfrentar o artigo de desacato
ao prefeito diretamente, estamos chegando.
Os pilotos ouviram a conversa e o piloto ouve gritado do
sistema.
— Tem ordens expressas de atirar comandante, está
desobedecendo uma ordem direta.
Nuno olha o problema, estavam em uma lua gelada, irregular,
e sem aventura nenhuma, eles queriam se matar mesmo, e fala.
— Prefeito, a linha de defesa da nave aguenta o ataque, mas
não queria gerar problemas, sei que serei preso, mas não gostaria
de desacordo entre vocês.
— Não entendo, como mantem a calma.
— Senhor, tudo que vê a sua volta, é tecnologia nova, versos
tecnologia de mais de 50 anos que tem na sua base, considerando a
mais recente, não é justo uma batalha neste sentido de tecnologia.
O comandante olha os autômatos e fala;
— E porque tanto autômato?
— Autômatos de execução, ou alguém aqui sabe cultivar a
terra, sabe comandar sistemas de energia a base de Laser?
— E estes destruidores sobre a nave?
— Alguém tem de lhes dar novas naves, novas estruturas,
novas casa, mas os projetos da 3D começam a se instalar nesta base
assim que o prefeito aceitar a parceria, eu já terei ido, mas pode os
dar comunicação, transporte e novidades com apenas 40 dias de
diferença das da Terra.
— E não se nega a vir a nós, mesmo sabendo que pode ficar
preso?
— Disse que me entrego senhor, mas não queira que não
tente fugir, já que odeio morrer.
— Existe uma ordem de extradição no sistema para você
rapaz, não sei o que aprontou, mas eles o querem vivo, e raramente
pedem alguém vivo.
102
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Digamos que eles acham que eu vou voltar, e pedem para
me prender para que vá antes, eles não querem que pule e
descubra o porque não deram certo as viagem, e nem que isto
venha a publico.
Nuno sente a nave desacelerar, todos seguram-se e ele
termina.
— Todos aos acentos, vamos desacelerar e parar.
Nuno segura-se e vê o prefeito sentar, os demais se
ajeitaram, alguns seguraram-se e sentem a nave inverter
fortemente os motores, estava se aproximando muito rapidamente,
o autômato pega o comando e olha Nuno, que apenas aperta um
botão e um cone de isolamento o cercou, os demais olharam-no,
presos na cadeira pelo desacelerar e viram ele sair pela porta
conduzido por aquele cone de energia, talvez em meio aquele
desacelerar pensaram em prende-lo, mas o cone o jogou na esteira
de transporte, chega a área de saída, sobe em um Rapid630 e
dispara ao espaço.
Nuno ouvia as conversas enquanto voltava a nave.
Regina olha o sistema e vê Call entrar.
— Como estamos, Saulo parece assustado. – Call.
— Nuno alertou a todos, mas quer calma, mas até a mim
assustou estes dados.
— Problemas?
— Uma estrela marrom, nem chegou a vermelha,
radioatividade altíssima, mas isto não é o problema.
— Qual o problema? – Call.
— Não tenho todos os dados, e entraremos nele ainda
analisando o total das informações.
— Qual o maior risco?
Regina põem a formação a frente e fala.
— É como um sistema paralelo, onde vamos o atravessar,
rapidamente, mas nós temos proteção, os anteriores não tinham, o
pessoal ainda não se vacinou em todas as naves. – Call chega perto
e vê Regina colocar uma serie de dados, um a um, os planetas foram
surgindo, dois imensos, um nitidamente gasoso e um sem
especificação, ela olha os dados, cada vez mais objetos, cada vez
mais detalhes a calcular, estava tentando acertar uma rota distante,
103
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
um caminho, uma soma de ideias, que sabia que Nuno trocaria,
estava ainda olhando os dados quando Call pergunta;
— Mas qual o tamanho disto?
Regina não sabia bem como responder e falou;
— Call, isto é o que temos até agora.
— Ao centro é o que chamam de Anã Vermelha?
— Ela na verdade é marrom, mas sim, ela tem um decimo da
massa do Sol, mas numa concentração imensa, ela não acendeu,
mas gera imensa quantidade de radioatividade.
— E estes planetas, muito próximos?

— Se contar que tudo isto está em 5 UA, é um conjunto de


muita gravidade, isto que o sistema está calculando.
— E o que tanto olha?
— Junto aos destroços, temos – Regina aproxima a imagem –
pelo menos uma grande estrutura, gira com os restos de um
cinturão de asteroides que deveria ter naquela área.
Regina coloca a imagem e Call se aproxima mais.
104
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

— Quer dizer que aqui que ficou a Titan 5640? – Call.


— Parece com ela, mas mesmo para mim esta nave é lenda
Call, sabe que todos indicavam como a grande nave que deveria ter
chego a algum lugar, mas ela parece estar ligada, ainda tem energia,
mas o nível de radioatividade é imensa na carenagem, não sabemos
como está por dentro.
— Parece distorcido o bico.
— Diferença de fotografia da Rapid, que passou rapidamente
e ao longe.
— Acha que Nuno vai querer verificar?
Os dois estavam conversando e não notaram a entrada de
Nuno que responde.
— Somente depois de saber a segurança referente a isto.
Regina sorri e fala.
— Sabe que este sistema tem um terço da massa do nosso
sol, estranho algo assim passar desapercebido.
— Regra básica da exploração espacial, é mais fácil de
observar quando se está fora de um sistema do que quando está
nele, pois estamos muito próximos do sol, avançamos em espiral
seguindo a massa do sol, qualquer coisa que o siga distante, e ao
fundo, fica difícil de observar de dentro do sistema.
— Mas os cálculos não apontam a existência de algo assim.
— Na verdade os cálculos apontam este desvio sempre ao
centro, nos fazendo atravessar de uma espiral à outra, mas eles
105
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
atribuíram isto a massa de outras estrelas, não a uma anã marrom.
– Nuno.
— Já sabia disto? – Call.
Nuno chega perto e olha o esquema e fala.
— Não, nem de longe imaginei em algo tão incrível. – Nuno
dá dois cliques na atualização e surgem mais dois planetas
afastados, e olha para os restos e pergunta.
— Quantos dejetos?
— Os Rapid está correndo atrás de informação, a emissão de
ondas curtas da estrela transformam as transmissões em ruído, mas
eles perseguem algo parecido com 86 pedidos de ajuda no
automático.
— Quantos? – Call.
— 86 prováveis sistemas automáticos, que mesmo que os
humanos não estejam lá, estão transmitindo. – Regina.
Nuno olha para Regina e pergunta;
— Alguma rocha firme neste ponto do espaço?
— Neste planeta mais escuro, duas delas bem firmes, parece
ser rocha, mas saberemos somente mais tarde.
Nuno olha para o sistema e abre comunicação com os
demais.
— Nuno 1 para demais comandantes.
Nuno espera Robert, Saulo, Douglas da Fobos, Jonas da Mart
1 e Kevin da Mart 2 surgirem na tela.
— Bom dia a todos, estou avisando e passando a vocês os
dados calculados pelos Rapid630, eles ainda analisam os dados,
estou acelerando a Earth 630X e vou passar a frente, estou
passando a minha rota, recomendando reduzirem os motores a 22%
da velocidade da luz, vamos instalar um observador físico em uma
das luas deste sistema, esta vai facilitar os cálculos de posição, a
redução da velocidade é pela massa deste sistema distante, ela
contem mais massa que todos os demais planetas do sistema solar,
se aproximando a 30% do valor da massa total de nosso sol, uma
velocidade excessiva pode os atirar contra um destes objetos muito
rápido, estou comunicando minhas ações, e espero resposta dos
demais assim que olharem os dados.
Saulo olha Nuno e pergunta;
106
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Qual o maior risco Nuno 1?
— Radioatividade próxima da enfrentada por Mercúrio
senhor, sendo que tanto os planetas quanto a estrela são
radioativas.
— Algo mais?
— Estamos mandando autômatos para a região, com a
missão de relatar e determinar as posições e as estruturas, temos
sobre interferência da estrela, 86 radio de autômatos no
automático pedindo ajuda, mas a maioria parece apenas rádios de
fantasmas do passado.
O rapaz da Fobos, olha para Nuno e pergunta;
— Qual não parece ser isto?
— Estranhei ter uma imagem de uma nave que se encaixa
com a descrição da Titan 5640, emitindo pedido de socorro,
estranhei pois se minha nave estivesse ali a 26990 anos, ela não
teria mais energia para transmitir.
Robert olha para Nuno e pergunta;
— E os níveis de radioatividade?
— Altíssimos, nem os vacinados suportariam mais do que dias
naquela radioatividade.
— E vai arriscar? – Robert.
— Comunico aos demais, a 3D passara a ter duas bases de
exploração e registro nesta localidade, transmitiremos a Caronte
que retransmitira, a linha de radio próxima parece quase impossível
de ser praticada a longa distancia, tamanha interferência, esta
estrela apagada parece pulsar, devem ouvir isto em todos os
sistema.
Nuno desliga e acelera a nave.

Nuno chega a sala de experimentos e olha para Rita.


— Esta me tratando diferente Rita, lhe fiz algo, preciso saber.
107
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Ainda sobre aquele assunto.
— Sabe mais que eu da verdade, mas tem de ver que não
estamos nisto para nós sobrevivermos, e sim para duas espécimes
muito semelhantes fisicamente, tenham uma terra nova para
morar.
— Mas acha normal isto?
— Não, sinceramente não, duvidei quando li a primeira vez,
mas eu duvido de tudo, eu não aceito as informações, se eu falei, é
porque tenho provas incontestáveis de que existem dois grupos de
seres, e não era para lhe decepcionar, era informar, vamos numa
aventura que se estiver conosco Rita, estaremos a cada dia mais
longe de casa, e mais próximos de uma casa.
— E o que testa aqui?
— O sistema que protege a nave, pode proteger um
uniforme, gerando uma proteção para nós, nem os íons radioativos
entrariam na veste.
— E dizem que você é só um Imediato no lugar errado na
hora errada, eles nem imaginam seus planos.
— Rita, este sistema que se mostra a nossa frente, passa a ser
parte do sistema solar somente agora, deveria estar nos mapas a
mais de 30M e somente agora ele vai oficialmente estar nele.
— E acha que eles aceitarão facilmente?
— Regra básica dos humanos, a terra era marrom, alguém
chega ao espaço, e fala, “a Terra é azul”, ninguém mais fala do
passado e passa a ser azul, o Universo surgiu de múltiplas explosões
de energia, que ainda correm no escuro do Universo, eles chamam
de Massa Escura, hoje todos aceitam a teoria das Múltiplas
explosões, pois temos como a calcular, mas por séculos eles
acreditaram na teoria da Grande Explosão.
— Certo, tudo que é novo, quando fato não duvidamos mais
e vamos a próxima descoberta, embora nunca entendi de Múltiplas
explosões, sou como a maioria, acredita nos que entendem disto.
— É que quando um senhor lá acho que meados de 2M,
calculou a existência de matéria residual, para a soma da massa do
universo fechar, estabeleceu que se surgimos de uma explosão toda
a matéria residual andava se afastando de um ponto, que seria o
local do surgimento do universo, mas estudando a matéria residual,
108
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
se descobriu que ela não tinha tanta massa, e que tinha vários,
ainda não sabemos quantos, sentidos de ampliação, isto fez os
cientistas primeiro duvidarem, depois como disse, aceitação
universal, mas referente a esta parte do nosso sistema, a nave vai
deixar duas divisões, a N e O, em duas Rochas, e registrar todo este
sistema, quando estes dados chegarem a Terra, eles nomearão as
luas, os planetas, e os próximos não correrão os mesmos riscos.
— Nisto tenho de lhe respeitar Nuno 1, você prioriza a
descoberta e o dividir disto com os que o caçam, você não parece
estar preocupado com os amigos, e sim com os dados.
— Rita, eu testei neste acelerar, chegar perto de 66% da
velocidade da Luz, estamos freando agora, mas agora sei que é
possível.
— E qual o perigo, os níveis de radioatividade parecem
normais, embora os dados do sistema afirmem que lá fora está
muito alto.
— A proteção, assim como pode isolar um uniforme dos íons
radioativos, isola a nave Rita, mas não vou falar isto para os demais,
eles tem de descobrir por si.
— Não os quer desatentos, lembro das missões, do
simulador, acho que pela primeira vez naqueles simuladores
sentimos medo, Saulo se mostrou calmo, sistemático, estranho
como muitos passaram a o respeitar mais, mas vimos também um
grupo por medo, começar a falar mal dele, estranho que os que
mais se faziam amigos dele, foram os que o traíram.
— Ele sabe disto e parte ainda está lá Rita, ignorando que ele
sabe que eles apoiariam o tirar dele do cargo, apenas por medo.
— E vai a qual planeta?
— Vou com Regina deixar o compartimento N, de lá vamos
passar os dados, precisamos saber dos riscos, mas doutora, isola
uma das naves, pede para os autômatos isolarem uma e estarmos
preparados para socorrer alguém.
— Acha possível ter gente viva a esta radioatividade?
— Acho que sim, a cada segundo chegam mais dados, temos
do projeto Earth, 5 naves na região, 30 anos eles aguentariam
dependendo da distancia, e da historia, mas temos mais de duas mil
naves a volta.
109
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Certo, temos gente dos projetos que fazemos parte,
carenagens bem resistentes, mas sabe dos riscos.
— Sim, na nave E tenho uma fabrica de Células tronco e de
vacinas que está a toda Doutora.
A doutora vê Nuno colocar o uniforme e testar o sistema de
proteção, as vezes assustava a ideia do menino, e Rita nem tinha
noção das ideias dele.
Nuno vai a ponte e olha para Call.
— Circunda com a nave um dos planetas, não a estrela.
— Certo, o que pretende?
— Vai relatando e transmitindo, eu e Regina vamos a uma das
pedras.
Regina chega e olha para Nuno.
— Onde vamos?
— Vamos.
Ela sorri e os dois saem no sentido da subdivisão N e Nuno
aciona o sistema de soltura, a carenagem viva solta a subdivisão N e
a nave inverte os motores se afastando lentamente da maior,
depois começa a se aproximar pelo lado noite daquele imenso
planeta, era escuro, mas parecia gasoso, imensos raios se via na
área equatorial do mesmo, com imensas descargas. Olham a
pequena lua e se aproximam.
O chegar perto da mesma deixa claro que era uma rocha
firme, mas que tinha uma imensa quantidade de poeira sobre ela, o
descer da imensa nave fez uma nevoa cercar toda a nave.
Regina olha para fora e fala.
— Qual a altura da poeira.
— Os instrumentos apontam 40 metros, assustador,
composição, ferro em pó, ionizado.
Se via a descarga de energia entre a nave e o chão.
— Viemos fazer oque aqui?
Nuno aciona o sistema e um autômato de carbono surge na
direção e olha os dois.
— Quer que assumamos quando Nuno 1?
— Quero relatos fixos, todos os dias, quero os registros de
cada um dos satélites desta lua, e tudo que conseguirem sobre o
planeta.
110
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Urgência?
— Não quero urgência, quero dados precisos.
Na parte externa da nave, agora no chão de uma lua de um
planeta não registrado do sistema solar, 30 naves de pesquisa saem
e se direcionam as demais pedras em sintonia com aquele planeta,
Regina vê que Nuno fica a olhar para os dados, e fala.
— Temos a posição dos 30 primeiros objetos deste micro
sistema. – Olhando para o autômato.
— Quer iniciar o segundo ponto da missão.
— Sim.
Na parte externa, uma soma de 100 pequenas naves de
pesquisa se mandam ao espaço.
Regina chega ao lado e começa ver os dados de pedras de
gelo de água, de ferro, de titânio, de hidrogênio congelado.
Os primeiros dados chegavam quando uma dado começa a
piscar na tela.
Regina estranha, mas olha para Nuno que clica no sistema, e
um autômato com a mesma feição do que estava no comando fala.
— Relatando ao comando, nave EK600 apresenta registro de
autômatos, e de 28 pessoas vivas internamente, aguardamos
ordens.
Regina chega ao lado e começa olhar os dados, passa os
dados para Rita na nave que circundava o mesmo planeta e esta
olha para Call.
— Não sei como ele faz Call, mas ele acaba de achar sinal de
vida em uma das naves.
— Como está o isolamento?
— 12 compartimentos em uma nave isolados.
— E os provimentos?
— Isolados
Rita passa o sinal verde para Regina que fala.
— Nave pronta para receber sobreviventes.
Nuno olha o sistema, põem um vírus de sistema e começa a
ter acesso ao sistema do mesmo através dos autômatos da nave e o
painel a frente mostra.
“Sistemas de alimentos, radioativo”
“Sistema de motores, explodido.”
111
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
“Sistema de regras Ativo.”
“Sobreviventes não julgados, todos demais condenados a
porta 16.”
“Agua contaminada”
A imagem que veio da parte interna da nave era destruição
total, a imagem que normalmente é verde, toda seca, cantos
explodidos, sinal de brigas internas.
Nuno olha para Regina e faz uma pergunta ao sistema;
“Quais autômatos estão ativos?”
“Apenas de combate, todos os executores foram danificados
a 15 anos.”
“Ultimo julgamento a porta 16?”
“5 meses, 400 condenados!”
Nuno olha o sistema e escreve;
“Abortar EK600”
Regina olha para ele e pergunta;
— O que houve?
— Vamos verificar os demais, antes de qualquer coisa.
— Pensei que não julgava?
— Sabe que tento ser frio, mas a 5 meses, eles condenaram
mais de 400 pessoas, que estariam vivas até hoje se não tivessem o
feito, temos somente 28 pessoas vivas, quem acha que está vivo
ainda Regina?
— Comando, é o que acho?
— É o que o sistema afirma.
— Mas não os vai salvar?
— Acho que sim, mas não sei ainda quando. Não esquece,
estamos abrindo o caminho, não resolvendo tudo.
— Certo, mas acha que eles aguentam?
— Regina, sabe o que não gosto disto?
— Oque?
Nuno aproxima a imagem, a volta da nave parecia que
existiam vários pequenos pedaços de pedra que flutuavam junto
com a nave, a volta de um asteroide que os mantinha em parte
protegidos da radioatividade.
Nuno aproxima mais e se vê que aquilo que pareciam pedras
de gelo, eram pessoas, contando por baixo, mais de mil somente ali.
112
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Isto me deprime Regina.
Regina olha os dados, que estavam sendo transferidos para a
nave acima e Rita pergunta;
— Porque estão todos muito próximos?
— Pelos relatos da nave, o comando determinou a
condenação de todo o resto da tripulação, o que vê Rita, são as
pessoas que foram ejetadas pela porta 16.
— Eles se mataram, é o que está no sistema?
— Está no sistema que o comando tem os 28 integrantes e o
resto da nave está vazio.
— Problemas estruturais?
— Sem motor, algo os acertou, mas a parte interna é passível
de concerto, mas Nuno está pensando se ajuda.
— Medo de rebelião?
— Estratégia, pois não os adianta salvar e depois os ter de
lançar pela porta 16 de uma das naves.
— Certo, as regras condenariam o comandante por isto e isto
geraria um atrito de cara, mas o menino achará uma saída.
— Nem que os deixar ali Doutora, ele é frio, ele não quer
levar alguém que vai atrapalhar, sabe disto.
— Ele quer a conquista, e todos os empecilhos ele vai tentar
tirar do caminho.

Nuno olha o sistema e abre uma ligação direta;


— Nave Earth X630, para EK600, alguém ainda no comando?
O grupo comia, olhando para o espaço, sem saber o que havia
feito o barulho no casco, quando ouvem a transmissão e o
comandante Frank liga os comando e olha para Nuno 1.
— Frank 1 para Earth 630X, é bom ouvir uma voz nova.
— Qual a avaria senhor? – Nuno.
— Perdemos o motor, perdemos boa parte do pessoal,
rebeliões internas, estamos consumindo reservas, mas não sabemos
quanto tempo resistiremos aqui.
— Não tenho como ajudar de cara senhor Frank, mas um
sistema de autômatos, vai tentar lhes colocar em uma satélite deste
planeta avermelhado, temos uma nave de socorro sobre este

113
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
satélite, apenas estamos estudando a melhor forma de o fazer,
quantos sobreviventes?
— 28 senhor.
— Sinais de contaminação senhor?
— Não temos esta certeza.
— Providenciaremos o melhor e voltamos a conversar
senhor, o barulho que ouvem na carenagem, são autômatos de
serviço, refazendo o rombo de carenagem, estou esperando eles me
darem sinal verde para os ajudar.
— Mas vão demorar muito?
Nuno olha o senhor, olha Regina e fala;
— Não temos esta posição ainda senhor.
Nuno olha os autômatos na região do motor, engenheiros
mortos e deixados ali, estavam em decomposição em meio ao frio,
mumificados pelo frio.
— Pensei que não os ajudaria? – Regina.
— Sei que pareço frio Regina, todos os demais fariam isto
parecendo mais natural, eu ainda não consigo.
— E quando os vai ajudar?
— Assim que der.
O autômato no comando fala;
— Os demais já estão tomando suas funções, a energia deste
sol nós é bem agradável.
Nuno sorri e olha para Regina.
— Vida para alguns, morte para outros.

Nuno e Regina vão a um Rapid630 vão no sentido do outro


grande Planeta, onde a nave EXO630 estava pousada em um satélite
do planeta, todo de gelo.
Nuno e Regina chegam ao comando onde outro autômato
confirma.
— Estamos operacionais Nuno 1.
Nuno põem os dois grupos de naves para os novos pontos e
confirma os 60 pontos iniciais com sinalização, e passa ao sistema a
posição e massa daquelas pedras, e Saulo surge a tela.
— Qual a confiabilidade destes dados Nuno 1?
— Temos para cada dado, uma Samples630.
114
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Posicionou mais de 60 Samples, isto realmente é um
trabalho de gigante, mas vamos calcular a aproximação e passagem,
algum sinal de vida?
— Apenas 28 deles ainda senhor. Mas outros 60 Samples
estão se colocando e darão outros 60 pontos.
— Achou alguém vivo, você não para de surpreender Nuno.
— Estes queria deixar ali, mas vou os mandar para Terra.
— Esqueço que tenta não julgar, mas mesmo assim vê a
historia.
— Senhor, qual a reação dos ditos amigos, que se fazem de
cordeiro na EP630, se soubessem que tem um grupo de pilotos sem
nave perdidos por aqui?
— Não teríamos certeza do que eles fariam Nuno 1.
— Por isto estou escolhendo o que me parece mais logico,
mandar eles a Caronte onde eles conseguirão uma passagem para a
Terra.
— Certo, não vai arriscar e os vai mandar para casa, sabe o
risco para eles?
— Senhor, eu os arremessaria da porta 16 sem dó, pelo
pouco de sei da historia deles.
Saulo olha para Nuno desligar e fala.
— Ele continua a se posicionar, pelo jeito vai salvar alguém
que não queria salvar.
Roger olha para Saulo e fala;
— Senhor, ele está retransmitindo tudo que descobre para a
Terra, lá diz que eles lançaram mais de mil pessoas naquela nave
pela porta 16, e somente os do comando ainda vivem.
Saulo olha para Roger e fala;
— Fecha do nosso sistema isto.
— Está fechado senhor, mas ele continua informando os
demais, pois sabe que um grupo assim sempre pode querer chegar
a um dos grandes grupos que está indo ao espaço e se misturar.
— E algo mais?
— Ele lançou mais de 200 Samples para verificar as
localizações de naves ou prováveis naves senhor, ele vai registrar
tudo que pode, antes de passar.
— Eles são malucos, mantêm-nos longe desta Anã Marrom.
115
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Roger faz os cálculos, o sistema confirma a segurança e
começam a dar a traseira para a Anã Marrom.

Regina olha Nuno no comando e fala;


— Esta nervoso.
— Sim, naquela Titan 5640, uma nave que cabia 120 mil
humanos, existe registro de mais de 58 mil humanos Regina.
— Mas como?
Nuno põem as imagens que ele roubava do sistema, imagens
de péssima qualidade, onde mostrava seres que não se pareciam
com humanos.
— Mas que bicho é isto? – Regina.
— Os sobreviventes, um grupo de pessoas que adulterou o
próprio genoma para sobreviver nesta radioatividade, eles estão ali
sobrevivendo, mas sem motor, o deles explodiu.
— E vai entrar em contato?
— O comando deles está abandonado, normal, eles não tem
utilidade para ele, mas uma Mart 1, é 100 vezes maior que eles, e
não tem a pretensão de levar tantos humanos como eles.
— E vai fazer oque?
— Regina, estou estudando, este sol marrom tem algo
especial e não entendi oque ainda.
— Não entendi.
— O nível de Infravermelho emitido por este sol, é
equivalente ao do nosso sol, mas ele não apresenta a luz visível do
nosso sol, ele transmite apenas uma pequena fração de luz visível,
mas o nível de Infravermelho é muito alto.
— E?
— Os raios Gama são quase nulos, diria que é possível pousar
sobre este sol, ele tem temperatura de 320 graus.
— Loucura.
— Acha loucura?
Regina soube que havia algo que não tinha lhe passado, ele
aproxima a imagem do planeta após os gasosos, planeta rochoso,
planeta um pouco maior que duas Luas, mas quando a imagem de
seres andando ao solo, a moça olha para ele.
— Esta dizendo que existem seres humanos ali?
116
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não, aqueles ali, são chamados de Claues Negros, eles não
são como os humanos de cores mais escuras, a pele deles é negra,
os cabelos negros, eles são negros em si, mas eles aqui, me fazem
acreditar no que falamos antes.
— E ninguém olharia.
— Regina, aquele planeta tem a temperatura mais agradável,
- 32°C.
— E eles vivem ali como se fosse natural.
— Sim, e normalmente as pessoas não veem ao mundo com
tamanha estrutura.
— E o que pretende?
— Vamos primeiro a Titan, e depois vemos estes seres.
— Por quê?
— Alguns precisam de ajuda, outros não.

Um autômato chega a direção da EK600, os rapazes olham


aquele autômato achando ser um humano.
— Bom ver que sobreviveram. Alguma necessidade antes de
sairmos daqui? – Autômato de Carbono.
— Não, pensamos que não existia sistema de busca para
gente perdida, uma pena outros não terem resistido.
O autômato olha o comandante, olha o sistema e os conduz a
uma saída, onde um Rapid630 os esperava.
— Vamos para onde?
— Esta nave tem autonomia para chegar a Caronte, de lá
vamos os mandar a Terra, já que a nave de vocês não tem concerto,
se tivesse daríamos outro jeito.
O grupo sai, a saída lenta, fez eles olharem os corpos boiando
ao ar, o autômato não falou, mas obvio que tinha reparado, mas
pousa na nave e fala.
— Está travada em Caronte, já avisamos o prefeito de lá que
estamos os mandando, assim que chegarem terão de passar por um
sistema de eliminação de radioatividade, mas eles tem como o fazer
ali antes de os mandar para a Terra.
O autômato não deu espaço para o senhor falar, ele chega ao
comando e vê que realmente está travado em um destino, eles não
estavam tristes de voltar, achavam estar largados ali a sorte.
117
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

Nuno e Regina descem no hangar imenso da Titan, viram


aqueles seres flácidos, com corpos inchados, rostos caídos, olharem
para os dois, era estranho, pois de alguma forma eles sobreviveram.
Nuno olha um deles fechar o sistema de entrada e sente o ar
quente e seco.
Um dos seres chega muito lentamente próximo e fala em um
linguajar muito antigo;
— O que são vocês?
— Humanos da Terra, quem os lidera? – Nuno.
Regina via que Nuno tinha uma facilidade com línguas.
— Mas não parecem com humanos.
— Sabemos disto, mas gostaríamos de ajudar.
— Me acompanhem.
Nuno olha os autômatos básicos de serviço, aquele modelo
não deveria existir nem peças inteiras na Terra, viram por imagens
alguns, mas pessoalmente nunca.
O ser à frente, parecia ter toda a pele inchada, as pernas
pareciam muito grossas e lentas, o ser parecia arcado, os demais
eram iguais, existia varias idades de seres no corredor que andaram.
Nuno olha o local que chegam, a cúpula daquele mundo,
parada, existia ainda plantas ali, mas parado não existia gravidade
interna.
Os passos leves dos dois mesmo com aquela roupa pesada,
era nitidamente mais leve que a do rapaz a frente.
— Ele parece ter dificuldade de andar?
— Eles perderam massa muscular, séculos sem usar
músculos, pois não existe gravidade, deve ter atrofiado músculos,
eles não são necessários, não tanto quando antes.
— Acha que corremos risco?
— Regina, eu sou por enfrentar, mas o principal, sou por
descobrir o que ninguém quer mostrar, sou pelo enfrentar.
— Vai salvar aqueles da nave?
— Já estão indo a Caronte, em um Rapid630 travado no
sentido, sem chances de desviar.
Ela o abraça e fala;

118
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Sempre me surpreende, mesmo quando parece frio, está
pensando em salvar humanos.
— Quando sairmos daqui, vamos estudar algo que acredito
ser ficção, mas se for real, vai deixar Rita assustada.
— Algo mais assustador que esta evolução humana?
— Sim, mais assustador que isto.
— Temos como os ajudar?
Nuno sorriu, estavam em uma nave sem energia, os
autômatos a base de baterias recarregáveis, estavam ainda ativos,
mas não eram autômatos de grande força.
— Aguardem aqui! – Fala o ser que parecia não entender a
linguagem do que os dois falavam.
Os dois param em uma porta, Nuno reconstruíra em calculo
todas aquelas naves, para as estudar, na faculdade, olha Regina e
fala.
— Eles adaptaram algo, esta região que vamos entrar era os
estoques de comida, nitidamente eles estão em letargia, como
sobrevivem não sabemos, mas a proteção interna de nossos
uniformes está nos protegendo da radioatividade local.
Nuno olha em volta, as pessoas estavam lentas, mas estavam
se armando, o olhar para a parte que tinham entrado, a parte que
deveria estar em rotação e estava parada, viu uma leva de
autômatos de batalha se posicionando. Nuno abre o holográfico à
mão, obvio que o olhar do rapaz ao lado veio a ele, e nele surge a
imagem da nave sendo cercada.
— Vão nos deter? – Regina.
— Eles não sabem quem somos, estão com medo, obvio que
nos viram aproximar-se, não sei o que pensar ainda.
Nuno liga o sistema de proteção da nave, e uma leva de
autômatos se liga e começa a sair da nave, uma soma de seres, em
carbono também saíram, todos em seus uniformes, o olhar em volta
daquele grupo bem armado, estabelecia um ponto de discórdia, os
demais se afastam.
Nuno desliga o comunicador e olha em volta, odiava esperar,
mas sabia que existiam horas que somente o esperar lhe davam o
caminho.

119
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Meia hora depois, de pé em uma porta, esperando, Regina
pergunta;
— Pelo jeito estão discutindo algo?
— Acho que não. – Nuno pega o comunicador e vê surgir Rita
nele e fala. – Rita, está tendo acesso as imagens?
— Sim, degradante, mas o que pretende Nuno 1?
— Fecha as transmissões da nossa estada aqui, e me estuda o
que os cristais de saúde, que eles nem sabem o que é, faria em um
ser assim, se conseguiríamos os recuperar parcialmente.
— Uma ideia?
— Sim, mas é apenas uma ideia, preciso de dados.
— Certo, pelo que entendi, quer tentar ajudar eles, mas como
os ajudar?
— Rita, temos como os por no caminho, mas não temos como
estabelecer uma colônia com eles neste estado, se eles não
puderem ser mais independentes fisicamente, como podemos os
por em algum lugar.
— Vou verificar.
O comunicador salienta Call que fala.
— O que precisa Nuno?
— Solta a linha D e F, e coloca no sistema da nave que
paramos.
— Qual a ideia?
— Eles não tem motores, pelo que entendi do que o sistema
está me passando, eles perderam potencia, não tinham como
escapar da estrela, eles pararam na gravidade dos asteroides,
usando eles como proteção parcial, e começam a usar a energia
nuclear que usaram para os motores, para energia.
— Estou enviando, se cuida, sabe que estamos reduzindo
drasticamente o tamanho.
— Sei Call, apenas uma parada a mais e vamos com nossa
formação final de 9 naves, ao espaço.
Call sorriu, pois o menino sabia o que queria, talvez levasse o
resto se não tivesse como usar, mas ele pretendia algo, sorriu e
liberou as duas partes a mais da imensa nave.

120
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

O comandante Noá estava vendo a chegada de pessoas


vindas de varias partes da Terra, que compraram a ideia de uma
casa, ele olhava a cidade encantado, pois ele nunca vira residências
como aquelas, os compradores chegavam receosos, mas vendo o
espaço e os contratos de trabalho, pareciam dispostos a recomeçar.
Estava olhando encantado quando recebe a informação da
base para ir ao comando.
Noá olha para o céu, onde o Planeta Terra estava vivo aos
olhos, pega uma condução horizontal no sentido do comando, passa
sua credencial e sobe.
O prefeito Stuart estava ali.
— Qual o problema?
— Sistema pedindo instruções referente a programação de
propaganda de viagens aos portos já instalados Noá.
— Mas quem pede isto?
— Uma companhia que pede para falar com o senhor e que
está mandando um representante ai, diz ter um pacote comprado
da 3D de propaganda e quer saber quando e como por no ar.
— Tem cara do Menino isto. – Noá olhando o prefeito.
— Sim, existe cara do menino, mas existe uma nova instrução
de sistema, e uma determinação.
— Determinação? – Noá.
— Isolar as transmissões da Frota a partir deste momento,
vetar as informações da Terra senhor.
— Problemas?
O prefeito chega a uma tela e fala;
— Isto é interno ao nosso sistema Noá. – Ele põem a imagem
de um planeta e fala. – Este planeta oficialmente não existe no
121
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
nosso sistema solar senhor, ele roda em volta de uma estrela
Marron, irmã de nossa estrela, planeta ainda sem nome. – A
imagem dos campos faz Noá olhar aqueles seres em uma veste
simples, estranhos aos olhos, aparentemente humanos, mas com
um nariz disforme, e que não pareciam estranhar autômatos,
olhavam estranho, mas não a ponto de lhes tirar o caminho.
— Que seres são estes, como alguém vive tão distante do sol?
— Eles vivem em um planeta que tem temperatura entre 32 a
48 graus célsius negativos senhor, os autômatos estão registrando o
sistema, mas isto que vamos isolar dos demais.
— Por quê? – Noá que somente vira pessoas ao campo, mas
olha a imagem invertendo e uma cidade surgir ao fundo, e viu os
imensos autômatos a gerar um campo, de uma planta estranha,
mas que parecia estar por fileiras plantada naquele planeta,
milhares delas.
Noá olha aquelas maquinas e fala.
— Está me dizendo que o menino achou um dos objetivos
dele?
— Ele os denomina de Claues Negros, ele colocou isto no
sistema antes de ir verificar outra coisa?
— Mais bomba?
— Sim, seres que um dia foram humanos, adulterados pela
radioatividade da estrela marrom, que parecem a meu ver senhor,
quase bolhas ambulantes.
— O que ele achou lá?
— A Titan 5640, com mais de 58 mil seres que um dia foram
humanos, está sem contato, ele enfrenta, um dia pode ser
surpreendido e morto senhor.
— Ele continua a provar que estávamos apenas brincando de
ir ao espaço, e aqueles dados sobre aquele ser entre Urano e
Netuno?
— Eles nos mandaram uma amostra de DNA, algo realmente
estranho senhor, algo que não morre se congelado, mas que não
viveria a 50 graus célsius sem explodir.
— E os dados de Encéladus?
— Base operante depois de 10M senhor, com os autômatos
estudando o desenvolver lá alguns seres que existem nos mares
122
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
rasos de Europa, parece que vão criar lá uma colônia de novos seres
senhor.
— Este menino não para, e como está a nossa subsidiaria na
Terra?
— Ainda não sabemos o que ele pretende senhor, mas o
congresso está pressionado, no fim, com o fim de 300 milhões de
empregos diretos, e outros mais de 700 milhões de empregados
com a chance de serem mandados embora, começam
manifestações do nada em toda a América Unida.
— E o presidente tentou um acordo ou continua na
arrogância? – Noá ao prefeito.
— Ele não entendeu ainda o problema, está num mundo de
faz de conta.
— E como vão as empresas no resto do planeta?
— isto que quero saber, pois se ele armou um marketing para
agir, sinal que pretende algo.
— Com certeza, os estudantes estão chegando em poucas
horas, e como falou, os pais continuam pagando suas matriculas,
tem de ver que a estrutura que tínhamos em Irnia em boa parte
estava obsoleta, e parece toda pronta para os cursos.
— Este menino continua aprontando.
— E por final Noá, interceptamos uma conversa do
presidente com o Interventor da 3D, este parece que falou com a
mãe de Nuno, e ela acha que ele voltará, colocando eles também na
duvida se ele não pretendia tudo isto.
— Será que ele acha a chave naqueles seres Negros que as
imagens nos mostram?
— Não sei senhor, mas estes seres não precisam do que nós
precisamos, eles não vão vir ao calor do sol, eles pelo jeito não
precisam dele.

No planeta Terra um advogado chega a delegacia de crimes


de Terrorismo, ainda instalada em Guantánamo, uma ilha no Caribe
chamada Cuba, que a mais de 14M faz parte do grupo de antigas
nações que se denominam Américas Unidas.

123
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
O senhor apresenta as ordens e o chefe daquele lugar o
recebe, estranhando a determinação, teria de consultar a
veracidade antes de soltar a prisioneira.
— Porque desta determinação, raramente soltamos
terroristas.
— Um engano senhor, as vezes cometemos erros, mas a
senhora presa não manda em mais que 5% da empresa, o que não a
torna a mandante, existem provas que foram anexadas, referente a
ela cumprir ordens diretas do Presidente, ele errou e tentou aliviar
o seu peso, mas não me interesso sobre o julgamento politico que
ele sofrerá, apenas da minha cliente.
O senhor confirma as ordens judiciais e o senhor chega a
detenção e a senhora pergunta;
— Mais visitas estranhas?
— Senhora, meu nome é Daniel Rosa, em questão de 45
minutos devem estar com seus documentos de soltura todos
assinados, apenas peço que se mantenha em silencio, e
conversamos quando estivermos longe daqui.
A senhora olha o senhor e pergunta;
— E quem paga os honorários do senhor?
— Live635 senhora.
Ela se cala e entra, em 40 minutos ela estava saindo pela
porta da base do exercito e o senhor a esperava em um carro.
Ela entra e ele liga o sistema Aéreo e dispara ao espaço, sobre
o olhar dos seguranças, uma hora e 20 minutos estavam parando no
centro de Havana.
O senhor foi quieto e quando entram na sede de uma prédio
novo com o símbolo novo da Live635 ela olha para cima, o senhor ia
calado independente das perguntas.
Sobem ao andar de numero 80 e a senhora olha para o
senhor seria.
— Não vai responder nada?
O senhor chega a mesa, faz sinal para a secretaria sair e liga
um sistema de interferência e olha a senhora.
— Agora podemos conversar.
— Pelo jeito eles estão pegando pesado?

124
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Eles sabem onde a senhora está agora, mas não saberão
em duas horas, pedimos para a senhora tripla cidadania, e tens
agora cidadania das Nações Europeias, e Lunar.
— Lunar?
— A Lua é independente da América Unida senhora, e o
sistema de defesa dela está nos circundando, podendo ser mais
seguro hoje lá que aqui.
— Eles vão retalhar?
— A 2 dias teriam como, mas hoje já não, eles baseados em
uma tecnologia desenvolvida por seu filho, cercaram as 30 cidades
que estão em construção na Lua com um campo de exclusão, se
entra lá apenas se eles quiserem.
— E quem é o senhor?
— Como seu filho falaria, um aliado improvável.
— Conheceu meu filho?
— Ninguém nesta sede teve esta honra senhora, mas
tínhamos de a tirar de lá logo, o presidente está em pânico e é
capaz de fazer loucuras.
— E em que pé esta a Live635?
— Seu filho a reestruturou antes de sair do planeta, deixando
15% para alguém que não conheço, 15% para Paulínia Leon, e os
70% restantes para a senhora, como ele não adivinhou que o
presidente a acusaria de Terrorismo, e a empresa entra oficialmente
em operação esta semana, tínhamos de a tirar de lá antes de dar a
eles dados que pudessem dar razão a eles.
— Nuno deixou 70% da Live para mim, pensei que ele
tentaria voltar.
— Senhora, em questão de dois dias, as sedes vazias da Earth
600 vão vir ao patrimônio da Live, o sistema de transporte da Live
no Indico, que começa a operar esta semana, vem a Live em horas,
e o marketing desta operação deve ir ao ar em questão de dias.
— Marketing?
— A Live fará viagens regulares a Marte, e algumas luas de
Júpiter, Saturno, Netuno e Plutão.
— E isto dará dinheiro?
— Ele deixou encaminhado senhora, sua parte é a
distribuição vinda de lá, de mais de 70 trilhões de créditos ano, uma
125
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
segunda parte ele deixou ainda na 3D global, que está sobre
controle de Noá.
— E acha que devo ficar onde?
— Sede Paris senhora, longe da loucura de um presidente
desesperado.
— E quais os planos, já que pelo jeito, estarei a frente do que
meu esposo sempre planejou estar.
— Ele deixou um vídeo para a senhora, terá tempo de o ver,
está lacrado, enquanto voa a Paris.
Mary olha o senhor, estava em algo projetado por seu filho,
estranho a ajuda vir dele, lembra das dores de parto e da angustia
de tocar ele pela primeira vez, aquele sentimento de querer ter um
futuro, mas a angustia da responsabilidade, algo transmitido pela
forma que ela mesmo foi criada.
Lembra do menino saindo no sentido da E600 aos 6 anos, ao
lado do autômato de criação, lembra dele pedindo para ela assinar
a permissão que ele defendesse uns trocados na rede de
comunicação com seu programa.
Aquilo que para ela não fazia sentido, ela estava na politica,
envolvida com o primeiro mandato do atual presidente, seu marido,
consegue a representação de comercio Lunar, os contatos com o
presidente o apresentam o prefeito da Lua, lembra que estavam
pensando em bilhões de créditos.
Lembra quando o menino aos 11 pede que ela o autorize a
tocar os recursos que conseguiu na rede, ela não olhava os dados,
ela acreditava serem poucos, lembra dela assinando, sem olhar,
somente depois daquilo soube que ele havia pedido autorização
para cultivo de 65 milhões de quilômetros do Pacifico, lembra dela
rindo disto, por achar que o menino não tinha noção de quanto era.
Ela caminha para a cobertura, onde tinha um heliporto.
Ela olha a cidade em volta, e a baia ao fundo.
Lembra do menino tentando lhe mostrar um programa, ela
não deu atenção, seu marido estava envolvido em um desvio de
carga da Lua e ela estava preocupada com aquilo, pois o presidente
não poderia saber, não deu importância, somente agora ela via que
ele tentava se aproximar, mas ela não gostava da proximidade,
parecia ter nojo disto, ele tentou mostrar o projeto inicial da 3D, ela
126
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
não deu bola, assinou mais uma vez as autorizações, Nuno passava
a poder tocar seus projetos e recursos, ele começava a controlar os
recursos da venda de milhões de toneladas de soja transgênica
plantadas sobre o Oceano Pacifico, consegue uma autorização sobre
mais 35 milhões de quilômetros do Pacifico, ela lembra dele tentar
falar sobre as culturas, ela não o dava atenção, ignorando que ele
injetava dinheiro em varias pequenas empresa.
Mary lembra do marido olhar para ela num sábado e
perguntar porque não havia lhe falado daquilo, ela olha os dados e
pergunta sobre o que falava.
Lembra do marido falando que Nuno, sempre falavam nele
com um nome, não como um filho, estava ganhando mais de 2
trilhões de Créditos por mês, não por ano, com o sistema 3D, que
ele se deparara com o valor quando o programa do filho, desbancou
um plano do grupo E600 de venda do sistema global de GPS novo, e
o programa 3D o venceu, pela rapidez.
Mary lembra de olhar o sistema, ela usava em seu
comunicador, e não sabia que seu filho o fizera, os dois discutem, e
no fim daquele dia o senhor põem o filho na parede, Nuno não
parecia chateado, naquele dia o menino passou a direção da 3D
para o pai.
Ela olha o helicóptero descendo e olha um autômato abrir a
porta, ela entra, prende o cinto, e vê o autômato lhe alcançar um
cartão de gravação, micro cartão, que coloca no aparelho a frente
enquanto o autômato foi ao comando.
Mary olha aquela tela inicial com o rosto do menino, aperta o
Enter, ela queria saber onde estava se enfiando.
“Bom dia, Mary Martins, se está vendo este vídeo, já cruzei a
linha que me trará novamente a Terra, e a pergunta que telho a lhe
fazer, continua querendo me matar ou vai entrar nos planos de seu
filho, que somente a queria impressionar e chamar atenção.”
Mary fica olhando e ouve.
“Não ouvi a resposta senhora!”
Mary olha em volta, olha a imagem olhando-a e fala;
— Me deu alguma alternativa?
“Não respondeu senhora Mary.”
— Sim, se quer um sim, o tem.
127
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
“Deixar claro que quando parti, queria sentado neste veiculo,
duas pessoas, e não apenas a senhora, sei que as pessoas tem nojo
dos próprios filhos, sei que levei sorte, mas não pode me culpar por
ter sorte senhora Mary. Quando a 4 anos, entrei na sala, onde
estava a senhora, o senhor Martins, o prefeito da Lua e o um
Matador profissional, eu tinha a mão, no comunicador, o sistema
que estou passando para a senhora agora, sistema que tenho
instalado em meus autômatos, tentei desenvolver algo melhor
depois, mas só me gerou programas que me temem, talvez imposto
pelo medo de morrer pelas mãos de meus pais, eu não consegui
programar corretamente.”
Mary vê o sistema começar a mostrar, ela conhecia aquele
sistema, ao lado, enquanto o filho continua.
“Quando me veio a ideia, era simples, o pai estava o tempo
inteiro falando em projeto E600, nos custos e nas interligações
perigosas do sistema, e redesenhei o sistema, mas levei sorte
novamente, pois se os tivesse apresentado este sistema,
provavelmente eu estaria morto neste momento.”
— O que quer filho, porque disto agora?
“Quis uma vida inteira ser chamado de filho, mas agora tem
de manter os planos, os autômatos estão programados a fazer dar
certo, existirão 6 levas de empresas, que a Live635 tocará, todas as
ligações das empresas que assumi para não pensar em morrer. O
sistema de Paris vai lhe passar o projeto, e se tudo der errado, nos
vemos em 8 anos, qualquer tempo inferior a isto, é que algo deu
certo.”
A gravação termina e a senhora fica a olhar para fora,
sobrevoavam um mar plantado, Atlântico, ela olha em volta e fala;
— Quais as ordens Autômato?
— Lhe deixar em Paris, ele conduziu aquela Paulínia Leon
para lá também, em 35 dias deve ter uma reunião na sede de Paris,
com todos os membros da 3D?
— Todos? Quem mais vira?
— Representantes de Saturno, Júpiter, Marte e Lua senhora.
— Por isto a ordem de me tirar de lá, não queriam dar razão
ao presidente referente a terrorismo.

128
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Todos sabem que não existiu Terrorismo, mas eles tem de
defender seus cargos, assim como o presidente em meio a
manifestações programadas em 600 cidades da América Unida, já
coordenadas, para daqui a 5 dias.
— Este Nuno Martins sabe complicar as pessoas.
— O prefeito Stuart programou isto senhora, ele não gostou
de saber que seu Marido pediu a morte dele.
— Pelo jeito alguns aliados ainda vão desconfiar de mim?

— Eles desconfiam da sombra senhora.


Duas horas esperando a mais quando a porta se abre, se via
os autômatos em posição de batalha e o rapaz a porta fala.
— Os dois podem entrar.
Nuno dá a mão a Regina e fala;
— Se morrer pelo menos morro bem acompanhado.
— Não leva a serio mesmo.
Os dois viram que a região era menos afetada pela
radioatividade, uma área isolada por imensa paredes, olham um
grupo de pessoas a frente e uma senhora em um posto principal,
era como os demais, talvez um pouco menos inchada.
— Quem vem ao meu império?
“Império?” – Pensa Nuno tentando lembrar o que era um
Império, forma governamental extinta a mais de 15M.
— Nuno e Regina Martins, membros do programa Espacial
Terrestre de nome Earth 600. – Fala Nuno sério.
— Não se parecem com Terráqueos.
— Faria a mesma afirmativa, referente a vocês.
— Sabe que se não autorizarmos não sairão de nosso
império? – Fala a senhora.
— A informação que estão aqui já está na Terra senhora, a
pergunta é se vamos ajudar por bem ou por mal.
129
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Ajudar, não precisamos de ajuda?
— Senhora, sabe onde está ou até isto se perdeu na sua
historia?
— Não entendi a pergunta. – A senhora.
— Sabe o que é o projeto Titan 5640?
— Sabemos que está em todas as cartilhas, as leis da Titan,
dizem em nossa historia que foi a primeira Rainha deste Reino.
Nuno tenta não rir, pois ele achou engraçado.
— Posso discordar da sua historia senhora? – Nuno.
— E o que saberia de nossa historia?
— Dizem que esta casa onde vivem, a nave, se chama Titan
5640, ano que saíram da Terra, projeto que demorou quase 70
anos para ficar pronto, a saída de vocês, gerou a guerra pela
propriedade da Lua, que desde a saída de vocês, pertenceu a
América Unida, hoje já não mais, mas Titan são as paredes que os
protegem do frio externo.
— Isto que falou é uma injuria, proibida em nossa casa, acaba
de cometer um crime mortal rapaz.
— Então sabe da verdade e os proíbe falar, bela comandante
é a senhora.
Os demais a volta viram que o rapaz não baixou a guarda, se a
senhora queria uma reação de pedido de desculpas, teve algo que
não esperava, e todos ouvem.
— Para você, Rainha Raiane.
Nuno olha em volta e fala.
— Rainha Raiane, se acha que está no comando, porque tem
estes autômatos a volta, não sabe com quem fala, quer gritar,
melhor saber com quem fala antes disto. – Regina.
— Acha que sairão daqui?
Nuno aperta um botão no comunicador e uma interferência
de comando faz todos os autômatos a volta desligarem, Nuno olha
os senhores e fala.
— Alguém que queria conversar, ou estão apenas mandando?
— Meus súditos me obedecem! – A rainha.
Nuno olha para a porta e dois grandes autômatos de
segurança entram, Regina recua, enquanto Nuno olha os dois e dá
dois passos no sentido da porta, liga a proteção laser, o que o fez
130
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
flutuar um pouco, liga a vermelha e olha os mesmos, avança no
sentido deles que estavam armados, as portas abertas, o povo do
lado de fora, sofrendo mais que ali dentro.
Nuno sente o atirar de um raio Laser, que para na proteção
avermelhada, chega ao primeiro e o toca, e tudo foi desintegrando,
chega ao segundo e faz o mesmo, desliga a proteção vermelha e
fecha a porta, olhando a Rainha, que olhava assustada os
autômatos desintegrados ao chão.
— Podemos começar novamente senhora?
Um senhor ao fundo falou;
— Melhor ouvir um pouco filha.
— O que é este ser?
— Sabe a resposta filha, os demais não sabem, mas sabe a
resposta.
Nuno a olhava e ouve;
— O que vieram fazer aqui?
— Tomar seu reino Rainha, mas a pergunta, quer ajuda ou
quer ficar neste fim de mundo a vida inteira?
— Os meus vivem aqui a muito tempo?
A rainha olha em volta, não sabia se poderia falar, mas tinha
de sentir-se segura, e eles ali lhe passavam isto.
— O que vou falar senhora, é serio, é bom eles ouvirem, mas
somos os humanos que vocês já foram, estão em uma nave de uma
nação que não existe mais, uma nave dos Estados Unidos da
América, dai vem o nome da língua que falam, Inglês, mas temos
como os por no caminho, mas tem de saber se querem.
— No caminho°? – O senhor as costas da Rainha,
evidentemente o pai da moça, uma relação que Nuno nunca tivera,
a de pai e filha, mas somente a ideia de isto existir o fez sorrir.
— Senhor, neste momento, duas imensas naves estão se
ligando a sua nave, duas naves do sistema Earth 600, mas nada me
adianta lhes levar a um lugar, se não querem, e no estado físico que
se encontram.
— Não entendi.
— Senhor, se sua filha nos autorizar fica mais fácil fazer o que
temos de fazer, iremos concertar os motores dos sistemas de giro
de gravidade, com ele podem aos poucos ganhar força física, temos
131
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
uma vacina que pode os ajudar a enfrentar os inchaços provocados
pela radioatividade da estrela Marrom, e por fim, existe um sistema
de controle da saúde, por micro controles, que nos permitem
controlar como cada corpo está, os dando o que precisam.
— Vieram nos resgatar? – O senhor.
— Eu vim lhes resgatar senhor, o projeto Earth nem sabe
onde vocês estão ao certo.
— E vai ajudar por bem ou por mal?
— Senhor, em 12 minutos, não sei se sabe o que é um
minuto, estarei com autômatos em todas as áreas da sua nave, em
duas horas, colocando todos em fila e vacinando, na mesma
operação colocaremos controles de saúde na circulação dos seus
súditos, a pergunta continua, será por bem ou por mal, tem 12
minutos para decidir.
— Porque tão pouco tempo? – A rainha.
— Eu daria Duas horas e meia, mas como esperamos para
lhes falar este tempo, a ação está programada, e irá acontecer
mesmo que eu não saia pela porta.
— Mas quer desfazer nosso Império?
— Ele se desfará se não aceitarem a ajuda senhora, tem a
chance de ir a uma super Terra, e pousar saudável, em um planeta
real, em pouco mais de 25 anos.
— Acha possível chegarmos tão rápido? – O senhor.
— Nós chegaremos lá em menos de 3 anos, mas sua estrutura
não aguentaria, então os esperamos.
— Está dizendo que vai nos por no caminho, mesmo que não
queiramos?
— Sim, e vamos mudar muita coisa antes de sair, mas tem de
saber rainha, ser a líder, requer a responsabilidade, não somente a
autoridade, todos aqui dependem do que a senhora decidir. –
Regina.
A senhora olha Regina e pergunta;
— Disse que tenho de saber com quem falo, quem é este
rapaz, capaz de enfrentar um autômato de frente?
— Nuno Martins, conhecido no sistema por Nuno 1, um
imediato do sistema Earth630, o ser mais temido do planeta Terra
nos dias de hoje.
132
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não teríamos como retornar a Terra? – O senhor.
— Eles estão em pior situação que sua nave senhor, tem de
saber que voltar a Terra deixa de ser opção a todos que saíram.
A senhora olha o senhor as costas, se dava para chamar
aquilo de senhora e senhor e fala.
— Comuniquem aos súditos, estamos recebendo a ajuda de
uma outra nave, e que devem se postar diante dos autômatos para
receber uma vacina e um tratamento, e que teremos autômatos de
serviço na nave vindos da outra nave. – A rainha.
Nuno sorriu e um senhor ao fundo saiu para comunicar os
demais.
— Então gostaria de lhe apresentar como vamos começar a
melhorar as coisas senhora.
— Onde?
Nuno começa a sair, e um autômato lhes indicou o caminho,
andaram lentamente por aquela nave, viram autômatos de serviço
se apresentando, e mais de 6 mil autômatos de carbono, a
preferencia destes era que eles poderiam ser desinfetados.
Nuno caminhava e olhava os dados do sistema e fala;
— Vamos ter de ir a dois lugares ainda.
— Não para?
— Regina, estes eram um dos grupos que saiu da Terra com
destino a ExoAlfa24, pode ser que exista mais gente lá do que eles,
então vamos garantir a segurança destes.
— Certo, podem chegar a um mundo próximo e habitado.
— Segundo o sistema de exploração espacial, mais de 300
grupos de naves foram lançados para lá, se 10% chegou, mais de 30
chegaram, se 1% chegou, 3 deles estão lá.
— Acredita que quantos chegaram?
— Não sou adivinho Regina, eu trabalho com a possibilidade
que alguns chegaram pois preciso pensar que existirá resistência.
— Qual a pior possibilidade?
— Que a 24520 anos, uma nave lançada dois meses antes
desta, tenha chego, e desenvolvido tecnologia e atacado o grupo
Claues na região e se apoderado da tecnologia deles e terem
autômatos como o que vimos em Tritão, e nos receberem com a

133
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
proteção que temos e com autômatos mais resistentes que os
nossos.
— E porque não acredita nisto? – Regina que conhecia um
pouco Nuno.
— Porque eles teriam retornado a Terra se tivessem o feito, e
nada Retornou.
Regina olha o caminho e chegam a uma entrada de serviço,
conhecia aquele corredor de passagem, a senhora olha para eles,
sentiram a gravidade, o sistema automático desligou o sistema
automático dos calçados, sentiram que os demais pareceram sentir
os corpos e um autômato ajudou a senhora e o pai a andarem os
metros para o sistema interno da nave.
—É muito difícil andar aqui. – O senhor.
— Este é um sistema a 40% da gravidade da Terra senhor, um
sistema que nos permite ter filhos saudáveis, as paredes retém a
radioatividade.
Os dois param e olham os campos verdes e a senhora olha
para o pai e fala.
— Disto que falava os livros?
— Sim filha, chegarmos a um planeta que a vida brotasse da
terra, mas pelo jeito os Terráqueos chegaram a uma tecnologia que
os permite levar isto com eles.
Regina observava e viu os olhos imensos dos seres se
encherem de lagrimas, um autômato os aplicou a vacina e um
sistema que iria se instalar em seu sistema sanguíneo, para lhes
ajudar a chegar a mais tempo de vida.
O sistema aponta para uma idade dos seres e Regina mostra a
Nuno.
Eram crianças, pois o mais velho tinha 32 anos, e parecia ter
mais de 70 anos, a senhora tinha 16 anos, parecia uma senhora.
O sistema começa a dar as reações e Nuno fala;
— Teremos alguns autômatos cuidando dos senhores, esta
área é para quando estiverem fortes.
— Lindo lugar, está ampliando meu reino.
— Sim, mas todos os seus passarão pelo tratamento, e
teremos de isolar inicialmente dos demais, não sabemos como eles
os receberão.
134
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Outros? – Regina.
— O sistema aponta que a EM615 foi achada neste sistema,
mais de 670 pessoas vivas. – Nuno a olhando.
— O que o preocupa?
Nuno olha para o sistema e pega o transmissor;
— Nuno 1 para Saulo.
Nuno espera um pouco e recebe a resposta;
— Fala Nuno, o que lhe preocupa?
— Os sistemas dizem que não tomaram a vacina ainda.
— Temos de avançar.
— Estou passando para vocês uma lista de pessoas que
deveriam tomar a vacina urgente Saulo, entre elas você, pessoas
mais sensíveis ao radiação emitida por esta estrela.
— Qual a urgência, não gosto da ideia.
— Saulo, quer sair do sistema solar vivo, é esta a urgência a
todos os da lista.
Nuno desliga e liga para Robert.
— Nuno 1 para Robert.
— Fala Nuno 1?- Robert direto, ele parecia mais propenso a
aceitar mudanças.
— Robert, vejo pelo sistema que tomou a vacina, mas existem
mais de 6 mil pessoas na sua nave que deveriam ter tomado a
vacina e não a tomaram.
— Mais de 28 mil delas se recusaram, não apenas 6.
— Mas estes 6 mil que estou lhe passando os nomes, os força
a tomar ou os perderá Robert.
— Por quê?
— São sensíveis a radioatividade da Estrela, vão sofrer
mesmo assim, então é para agora.
— Vou verificar.
— Sua rapidez pode os salvar Robert.
Nuno desliga antes de ouvir o “Entendido” de Robert.
Nuno liga para Rita e fala;
— Rita, pode me confirmar se Call tomou a vacina?
— Por quê?
— Porque preciso de sua ajuda, e começa por o fazer tomar a
vacina e por alguém no comando.
135
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Qual a urgência Nuno?
— Se ele não o tomar em 42 horas, não teremos como o
salvar, apenas isto, mas assim que o fizer tomar, preciso que tome
um Rapid e vá a Earth 630 e force o comandante Saulo e uma lista
de pessoas que passei no sistema a tomar a vacina, eu vacinaria
todos, mas comece pelos da lista.
— Urgência?
— As mesmas 42 horas a partir de agora Rita.
Nuno passa as coordenadas para as demais naves e começa a
receber confirmações enquanto um autômato senta Call a cadeira e
Rita o aplica a vacina, não iria discutir, Nuno os salvara, e o mesmo
fica no comando e se manda a nave de Saulo.
Nuno passa o pedido para as pessoas pessoalmente, por
sistema para se apresentarem aos autômatos de saúde, por sorte o
pedido de Nuno era quase uma ordem e 612 pessoas se apresentam
na nave de Saulo, ficando apenas 22 para serem forçados a tomar a
vacina.
Regina olha para Nuno e pergunta;
— O que ouve?
— O índice de Fanes neste conjunto era de 22% quando saiu,
zero agora, na EM615 era de 42%, agora é zero também.
— Antes de ter os dados definitivos está agindo?
— Sim, o problema é que eles estão entrando agora na região
de maior incidência, o sistema protege de radioatividades tidas
como perigosas, mas deixa as Infravermelhas passarem, pois as
plantas precisam delas, mas na frequência que estão, vira mortal a
Fanes.
— E este pessoal, viu o como estão debilitados? – Regina.
— Sim, mas vamos os vacinar, os autômatos de serviço vão
por os motores a funcionar, começamos a nos mexer mesmo eles
não sentindo.
— E vamos onde?
— Vamos confirmar os sobreviventes, vamos por todos eles
aqui, sobre lei marcial, uma das naves o pessoal da Titan terá acesso
a outra, deixaremos o resto do pessoal.
— Teme como os demais os receberá?

136
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Melhor nem terem acesso inicial, vamos tentar ajudar, se
vai dar certo não depende de nós Regina, o prefeito de Caronte está
lá pondo o segundo no poder na porta e exclusão, e não posso fazer
nada referente a isto.
— E vamos onde?
— Vamos a saída de uma das Rapid.
— Os demais nem devem entender uma nave assim.
— O sistema de motores e de comando está isolado Regina,
nosso sistema que os vai controlar.
— Porque disto?
— Se descobrirmos aquilo, ajudaremos todos que tiverem
nosso sistema a pular juntos.
— Acha que descobriu como?
— Acho que não esperava um facilitador de caminho.
Regina não entendeu o termo, mas soube que Nuno havia
descoberto um caminho.

Rita chega a nave de Saulo e pede para falar com ele;


— O que faz aqui Rita, não estava lá cuidando daquele piloto?
— Aquele vacinei a pouco na marra, mas porque da teimosia
Saulo, quer mesmo morrer?
— Não entendi o problema?
— Vamos a sua sala, isto não se fala assim.
Saulo soube que era algo que Rita não falaria na frente dos
demais, foram a sala e Saulo a olhou.
— Porque da urgência? – Saulo.
Rita mostra a planilha de reação de um determinado grupo e
Saulo olhou sem entender.
— Não entendi, porque eu seria mais frágil que outros no
comando?
— Roger desceu e tomou a vacina por si Saulo, a 6 dias, Marta
também tomou a 6 dias, acha que eles estavam meio estranhos
porque?
— E porque somos mais fracos, o sistema não escolheria os
mais fracos para o comando.

137
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Eles não analisaram esta estrela e sim as demais, se
estivéssemos indo no sentido do sol, você e eles morreriam depois
dos demais, mas estamos em outro mundo, não no nosso.
— Não explicou.
— Não gosto do discurso direto de Nuno, mas se quer ele,
tem certeza que está pronto para isto Saulo?
— Não entendi.
— Já ouviu falar de Fanes?
Saulo olha para Rita como se não quisesse falar;
— Todos os Fanes da nave que não tomarem a vacina em 40
horas estarão mortos, em 72 horas, por isto da urgência, e mesmo
assim não será fácil.
Saulo olha para a porta e fala;
— Sabia que eu era um Fanes, por isto a recomendação?
— Call também é um Fanes, e todos os da lista Saulo, Nuno
passou os nomes de todos os Fanes de todas as naves e indicou
tomarem a vacina.
— Por isto não gosta de falar nisto?
— Saulo, para mim isto era... – ela levanta os ombros - ...uma
lenda das academias, mas a sorte é que tem alguém olhando por
vocês, então para de frescura, não cabe isto a um Fanes.
Saulo sacode a cabeça e fala;
— Nuno sabia e não me discriminou, sabe que estranho.
— Pelo que entendi, ele veio na sua por ser um Fanes, e não
iria em nenhuma outra.
Saulo tira a blusa de comandante e arregaça a camiseta por
baixo, Rita aplica a vacina e fala.
— Recomendo ficar de repouso.
— Sabe dos problemas?
— Saulo, pode descansar lá na sala de comando, mas tem de
saber que eles precisam de um líder, não de um teimoso.
— Acho que ainda tenho medo dos demais.
— Sei disto, mas agora vou voltar a aventura.
— O que vai fazer lá?
— Não entendi ainda a ideia, mas Nuno quer por os perdidos
a caminho, tem muitos destroços aqui, mas poucos vivos.

138
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Rita sai dali no sentido da nave, vendo ela de longe já não era
tão grande como a primeira vez que a viu, mas era imensa ainda.
Rita passa os dados para Nuno que relaxa um pouco.

Regina e Nuno chegam perto da EM615:


— Rapid630 do projeto Earth600 pedindo permissão para
pousar.
O sistema deve ter dado a mensagem, e o rapaz no comando
corre pelo corredor e grita para o comandante.
— Comandante, alguém no radio.
O comandante chega a sala e fala;
— Comandante Bruno da EM615, o que desejam?
— Permissão para pouso, para tentar ajudar.
— Como podem ajudar?
— Estamos oferecendo ajuda senhor Bruno, é pegar ou
largar, não me custa os deixar ai. – Nuno.
— Autorizados a descer.
O comandante olha para o segundo no comando e fala;
— Põem os autômatos em prontidão, quero o comando desta
nave deles.
O rapaz põem a imagem e fala;
— Esta acompanhada senhor.
— Acompanhada?
O rapaz coloca a imagem de 10 Destruidores ao ar;
— Depois de 10 anos, alguém aparece, vamos ver o que
querem.
— Porque demoraram tanto? – O auxiliar.
— Recebemos um recado de radio fraco, a menos de um mês,
poderia ser eles chegando perto.
— Verdade, esta estrela parece nos tirar a comunicação.
O comandante pega o comunicador e fala;
— Toda a tripulação aposta na entrada 8, estamos recebendo
depois de 10 anos integrantes da Earth 600, todos a postos.
Uma correria se faz entre os sobreviventes, a linha de
proteção do laser e a posição por trás de um planeta de gelo, os
defendiam do grosso da radiação da morte da estrela e do planeta
ao lado oposto desta lua.
139
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
A visão daquela imensa nave pousada perfeitamente sobre o
gelo, não indicava como foram parar ali, mas o grande deslizar ainda
estava 10 anos depois marcado no gelo.
Regina olha a nave e fala;
— Disse que tentaria algo maluco?
— Deve ter entendido algo errado! – Nuno sorrindo.
— Tem sorrido mais.
— Regina, todos que estamos achando, eu achava estarem
mortos no caminho, tão próximo posso ajudar.
— Certo, mas eles nos cercam.
— Todos tem medo, sabe disto.
Nuno aciona mais um grupo de 20 autômatos de carbono e
Regina vê eles colocarem os uniformes e fala;
— Porque disto?
— Se aparentar que somos apenas dois, fica muito fácil para
eles Regina.
— Acha que eles tentariam uma besteira?
— Não como os destruidores nos acompanhando, eles nem
sabem onde estão ao certo, mas os autômatos vão tentar ajudar, se
der vamos prender eles ao conjunto que vai levar a Titan.
— Gosta de comboios.
Nuno sorriu e descem na área de pouso. Os dois saem pela
traseira da nave, os demais estavam postados como nas academias,
os autômatos mais ao fundo, os rapazes as costas de Nuno e Regina
descem em formação assim que os dois chegam a frente do
comandante Bruno.
— Sejam bem vindos a EM615.
— Pensamos que estavam em Mac18. – Nuno.
— Bem lembrado, mas como podem nos ajudar?
— Se nos autorizarem, verificaremos os motores, os
estoques, deixaremos dos nossos para as funções que não tiverem e
os prenderemos a um grupo de sobreviventes que estamos
resgatando nesta região.
— Estaremos indo para onde?
— ExoAlfa24.
— Um destino próximo, porque tão próximo?

140
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Se constatarmos que concertamos os defeitos, e
reestabelecemos a nave, e tiverem condições, não proibiremos
tentarem Mac18. – Regina.
— De que nave são?
— EP630! – Regina.
— EX630! – Nuno.
— Quantas naves pularam ao espaço este ano?
— Um comboio de mais de 300 mil humanos senhor! – Nuno.
— E vão para onde?
— Nosso destino final é Mac37! – Nuno.
— Uma viagem longa, mas estamos as ordens, algum motivo
para os Destruidores?
— Tivemos problemas com um ataque da EK600, viemos
ajudar e perdemos 6 dos nossos. – Mente Nuno.
— Quer dizer que o pedido deles não era só no automático?
— Não, mas aqueles já mandamos para Caronte, eram
poucos sobreviventes e a nave deles estamos vendo as condições
ainda.
— O que quis dizer com isto?
— O sistema interno deles está bom, mas perderam os
motores e o sistema de proteção, estamos o refazendo, mas eles
não tinham numero de pessoas para continuar, então decidiram
voltar, uma escolha que é de vocês, mas provavelmente vamos
acoplar vocês a eles, e depois aos restos da Titan 5640 e os lançar
ao espaço no sentido de ExoAlfa2 4.
— Existem mais sobreviventes?
— Por enquanto levando qualquer coisa que possa os ajudar
junto, estamos estudando cada erro para não os cometer
novamente.
Os autômatos começam a descer da nave, os de carbono
continuaram postados e em questão de duas horas estavam como
os dados sentando ao comando da EM615, se inteirando do
problema, Nuno evitou baixar a proteção frontal, Regina para não
constranger também não o fez.
— Qual as conquistas dos últimos 15 anos?
— A nível de sistema evoluímos muito, as naves atuais foram
todas recalculadas, estamos informando o que deve ser mudado em
141
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
cada estrutura, e se não for possível alterar, escolher uma rota mais
próxima e evitar chegar com naves como a sua a 160 anos de
funcionamento.
— E resolveram ajudar-nos.
— Tentamos, alguns não tivemos como ajudar, já vimos mais
morte do que queríamos. – Regina.
— E vamos quando?
Nuno olha o comando e pergunta;
— Posso?
O comandante autorizou e viu Nuno baixar a viseira, olhar
para o sistema e ligar com a nave de Saulo e perguntar.
— Nuno 1 para Roger na Earth 630, qual a situação?
— Estamos passando, ainda de costas a estrela Marrom,
Robert agradeceu o aviso, por mim é uma agradecimento pessoal
não nos ter descriminado Nuno 1.
— Atenção, os alcanço, em menos de 8 dias.
— Algum risco?
— Não sabemos, sempre de olho nos dados das Rapid630.
— Estamos verificando, está em que comando? – Roger.
— Ainda na EM615. – Nuno abre a ligação com Call e
pergunta. – E como está Call?
— Este negocio é terrível.
— Sei disto, mas é para seu bem.
— Rita tenta me convencer disto.
— É a vida ou a morte amigo, mas como estão os dados?
— 72 naves apenas na mensagem automática, algumas não
entendo o acidente.
— Nem eu, mas pessoas adoecendo erram cálculos, mas
como estão estas naves?
— Estamos as juntando a Titan, mas tem de ver a imagem do
BF328 no Samples630.
Nuno coloca a imagem e o comandante chega perto e olha a
grande nave vagando sozinha, níveis de radioatividade, estoques e
pergunta para Call.
— Como estão os motores?
— Ainda ativos, mas esta a cada dia mais próximo do sol.
Nuno olha para o comandante que pergunta;
142
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Quantos anos você tem, é muito novo para um piloto?
— 18 anos senhor, e a piloto é Regina, não eu.
Regina olha para o senhor e fala;
— Mas ele pilota melhor que eu.
Bruno sorriu e perguntou;
— Quantos estão a volta?
— Senhor, viemos registrar esta parte do sistema solar, que
não está nos mapas para parar de perder naves e nos deparamos
como uma quantidade imensa de destroços.
— Imensa?
— Exatas 1058 naves perdidas neste ponto em 30M de
exploração espacial.
— E que nave é aquela? – Bruno.
— Terra2, lançada em 6950 da lua, com destino a Mac1. –
Fala Nuno olhando o sistema, e dando ordens de mais naves e
autômatos se direcionarem para aquela nave.
Estava olhando o sistema quando vê através da nave que se
aproximava a nave ser abalroada, e estourar no ar, um laser de
defesa a atingiu.
Nuno dá as coordenadas e todos param, recuando e Bruno
pergunta.
— Vai dizer que tem gente ali?
— O sistema diz que não, mas vamos com calma, pode ser
que tenha.
Nuno abre comunicação com o autômato na frente da
formação de Destruidores e põem as coordenadas.
— Deem proteção, ergam os escudos e avancem, pode ser
apenas sistema automático, mas pode ser outra coisa.
— Outra coisa? – O autômato.
Nuno tenta acessar o sistema da espaçonave, mas seu
comunicador pessoal era mais rápido para obter informação que o
computador de bordo da nave.
A casa de maquinas entra em contato e fala;
— Motores operantes?
— Vamos nos mexer lentamente.
Nuno pede um holográfico e senta-se e olha para o
comandante.
143
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Bruno, estamos em uma caça a um destino, mas nem tudo
que achamos no caminho são coisas normais, então preciso saber o
que temos ali.
— O que acha ter?
— Pela temperatura interna, analisamos que não temos vida
ali, mas podem ser Claues Regina.
— Porque desconfia disto?
— A rota, parecem ter pulado no sentido do sol, que humano
faria um pulo frontal na direção da radioatividade forte.
— E se não for?
— Tem aqueles cipós, lembra?
— Sim, mas os transformaria em inteligentes.
— O que for está tentando não cair no sol, a força deste sol é
imensa, e os motores deles um dia vai pifar, pensei que estavam no
automático, mas realmente não faria sentido.
— Verdade.
Um autômato chega a ponte e instala um sistema novo e
Nuno acessa, os demais a ponte chegam perto e veem o holográfico
colocar onde cada um dos pontos estava no mapa, holografia
tridimensional toma forma e Nuno aproxima a mesma.
— Nuno 1 para Destruidores, me informem.
— Estamos avançando, quase na ponte de desembarque.
— Me mostrem a imagem antes de pousar, se existir
autômatos como os que estou passando no sistema, não pousar,
entendido?
Os autômatos confirmam que receberam a mensagem e
Bruno pergunta;
— Que autômato é este? Algum de batalha novo?
Nuno olha o rapaz, não sabia a resposta, olha as imagens e vê
um autômato diferente e fala.
— Todos recuar.
Os autômatos começam a recuar, mesmo sobre ataque e
Nuno fala.
— O que estes Claues Negros fazem aqui é a pergunta.
A imagem aproximada da região de pouso deixa todos
grudados na imagem, seres eretos que não pareciam com humanos.
Nuno passa em ondas curtas uma mensagem.
144
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Alguém no sistema sabe a língua dos Claues Negros?
Bruno olha para Regina e pergunta;
— Ele está falando com quem?
Regina não fala, mas um ser surge na imagem, e fala;
— Em anexo ao arquivo Nuno Martins, sinal que achou algo
que não sei onde está.
— É só varrer meu sistema.
Nuno olha o arquivo e começa a pensar em frases simples e
depois de duas horas agora em movimento lento no sentido da
Titan ele pega o comunicador.
— Terráqueos para nave Terra2, porque nos recebem a tiro?
– Na língua dos seres, mas não sabia-se como eles receberiam a
palavra Terráqueos.
A mensagem foi sendo recebida e os demais veem um ser
todo negro, o nariz era um buraco na face, o branco dos olhos se
destacava no negro, o cabelo parecia um capacete de fios grossos
em todos os sentidos.
— Quem quer chegar a nós.
— Estamos tentando ajudar Claues Negro, se nos deixarem
ajudar.
O rapaz do outro lado olha a imagem de Nuno e pergunta;
— Que Claues és tu?
— Claues Magenta, segundo um relato antigo de Iago 58, mas
não sei se este relato ainda está com este nome.
— O planeta que foi destruído pelos cristais. – Fala alguém as
costas, que não estava a vista.
— Sim, mas nos escondemos em bases afastadas, e tentamos
sobreviver, viemos ver porque os de Terra2, a nave que estão não
respondiam.
A língua era difícil, e Nuno estava tentando ser entendido.
— Aqueles seres estão presos em Dart 23.
— Vai dizer que logo ali é Dart 23? – Nuno.
— Sim, mas o que procura lá?
— Nada, se vocês estão ali, tenho de pensar.
— O que quer?
— Queria saber onde estão os Humanos que estavam nesta
nave, apenas isto, mas se estão no planeta, nos falamos depois, já
145
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
que não querem ajuda, e sem ajuda não escapam de Nêmesis, a
estrela que estão sendo atraídos, mas pensei que tinham
tecnologia, porque roubar este lixo.
O olhar dos seres, a forma de se portar, o olhar sem falar, fez
Nuno pensar, olha a imagem e dá um comando de afastarem-se da
nave.
— O que ouve? – Regina.
Nuno não sabia se eles tinham como entender o que falariam,
mas começa a afastar todos e dá uma ordem para os autômatos de
Dart 23 fotografarem o chão e os demais veem a imagem de cristais
verdes, a todo chão.
Bruno viu que o planeta estava tomado e não entendeu, os
seres não responderam então Nuno desliga a gravação.
— Regina, aquilo que vê ao chão, é um parasita em forma de
cristal, o cristal que infectou alguns humanos, antes da grande
praga nos idos de 2M e pouco.
— Que tipo de parasita?
— Um que não suporta agua liquida, talvez explique porque
se escondem em lugares frios e secos.
— Os seus autômatos podem ser infectados? – Regina.
— Autômatos são de metal, não se infectam! – Bruno.
— Viu quanto perigo se encontra por ai Regina, que não nos
prepararam na academia?
— Eles nem devem saber disto.
— Regina, ainda mudamos isto, mas isto em 5 anos.
— Acha que descobriu algo?
— Eu duvidava da existência de Claues, pensei em os achar
em Alfa Centauro, os acho em Nêmesis, muito mais próximo do que
se poderia pensar, mas sinal que pode ser real outro dado.
— Dado? – Bruno que ouvia quieto a maioria das indagações.
— A existência de uma soma de mais de 200 bilhões de
planetas passiveis de serem habitados.
— E de que adianta isto se estamos a velocidades que
demoramos muitos anos para chegar a Alfa Centauro? – Bruno.
— Comandante Bruno, nós saímos a exatos 38 dias, da Terra,
não estamos mais na mesma tecnologia, vamos chegar antes em

146
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Mac37 que eles em Mac12, mas a ordem é ajudar todos que
quiserem ajuda, os que não quiserem, lavamos as mãos.
Bruno olha para o auxiliar.
— E teríamos como ir mais rápido e longe?
— Vamos primeiro os por em uma terra firme, depois ajudar
a cada grupo voltar aos planos iniciais, os autômatos estão juntando
tudo que achamos preciso em uma viagem longa.
— Agradeço pelos que sobreviveram, pensamos em morrer
aqui.
— Comandante Bruno, nossa missão é mais triste que a sua,
mesmo que tenha perdido pessoas, estão com a nave em condição
de viajar, estamos verificando e deixaremos 200 dos nossos para
ajudar a tocar a sua nave, posições que foram perdidas, e são
essenciais em uma nave destas.
— Mas quantos levam com vocês?
— Estamos em uma nave que basicamente tem seres em
criogenia Bruno, eles serão acordados apenas se precisarmos deles,
ou serão acordados já no destino.
— Devem ter uma estrutura imensa.
— Sim, carregamos muita estrutura para os demais, mas cada
uma projetada para um mundo, e com liberação apenas para os
mundos predeterminados, assustador mesmo, podemos ter
estoques de comida e não termos acesso, pois foi designado para
um grupo de crianças que nascera em 100 anos.
Nuno fecha a viseira e estica a mão para o rapaz e fala.
— Estamos de saída, continuamos nos falando através do
sistema, os autômatos vão instalar um sistema que dê menos
interferência.
Nuno e Regina saem e o auxiliar de comando pergunta;
— O que está pensando Bruno?
— Ele é uma criança, mas viu aqueles seres, ele vai os deixar
morrer ali, mas algo me diz que vão ao planeta tentar resgatar os
antigos moradores daquela nave.
— Não duvido, mas eles estariam infectados.
Regina olha para Nuno e pergunta:
— O que o deixou serio?
— Vamos conversar enquanto vamos a Dart 23.
147
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não disse que era perigoso?
— Sim, não abrimos os uniformes de forma alguma, mas
vamos dar voltas naquele planeta e depois pousamos.
O sobrevoar faz os registros de todos os dados do mesmo,
dados sobre um mundo que não existia para a Terra, mas estava no
mesmo sistema solar, um sistema que os dados ampliavam, e que a
cada momento estavam mais complexos.
A existência de vidas a base de silício, faziam o menino pensar
se seus autômatos não poderiam ser de silício, e não de carbono,

ele teria de estudar, e estranhamente, ele gostava destes desafios,


ele olha os dados enquanto dá a volta entorno daquele planeta.

Um grupo de Marketing avançado chega a direção da Lua,


Noá olha para eles meio desconfiado.
— Comandante Noá, vamos entrar.
O autômato Prefeito, os cumprimenta e fala.
— Querem explanar antes, para depois conversarmos? Pensei
que mandariam apenas um representante? – Stuart.
Os rapazes, 4 deles se apresentam e um de nome Carlos olha
para eles e fala;
— Este projeto me parecia a alguns dias absurdo, estávamos
estudando o marketing de uma empresa que aparentemente não
precisava de marketing, mas as novas noticias, referente a
intervenção nos mostrou porque do caminho.
Noá parecia desinteressado, sempre funcionara com os
demais, então começava a tentar se portar como o ser que era
respeitado, ele passara medo, mais do que em sua vida, diante do
menino, mas agora era hora de voltar a ser alguém duro.

148
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— A ideia se estiver fora do que pretendem, falem, pois
vamos ajeitando de acordo com a ideia que nos darem.
— Parecem receosos.
— Tememos ser tidos como terroristas, devem entender.
— Entendemos que o presidente tem pego pesado, mas ele
vai ter de começar a relaxar.
O rapaz começa a apresentação, mostrando um vídeo que
falava sobre as novas investidas da 3D, agora não só no comercio de
sistemas, com produtos na ordem de carne de soja, de vários
produtos a base de soja. O prefeito e Noá deixam eles continuarem,
pareciam querer uma posição.
Discursam sobre as viagens regulares entre terra e mais de 22
pontos no espaço. Começam a falar das grandes cidades lunares,
que agora independentes, estavam abrindo vaga a terráqueos para
quem quisesse se aventurar em uma nova vida na Lua.
Estavam terminando a apresentação quando Noá recebe uma
ligação e pede um momento.
— Podemos falar Noá?
— Quem?
— Mary Martins, chegando a sede da Live635.
— O que quer falar Mary?
— O menino me colocou em liberdade, acabo de chegar em
Paris, e pelo que entendi, vamos ser sócios, mas pelo que está no
sistema aqui, vamos passar a chamar-se Live635, a nível de
exploração e escolas de cadetes, vamos nos chamar Live a nível de
sistema, e vamos absorver em 2 anos todas as empresas da antiga
3D CAD na Terra, e como temos como grande entrada dos produtos
externos a parceria entre nós e a empresa da Lua, quero saber o
que sabe disto?
Noá sorriu, este senhor não era de sorrir, mas olha para o
prefeito e para o senhor e fala.
— Mary, estamos aqui a estudar o novo marketing da
empresa, mas me passa por sistema o que pretende, o que ele lhe
passou, temos de unir esforços porque não podemos deixar esta
interdição na 3D nos afetar.
— Soube que teremos uma reunião aqui em 35 dias, mas
preciso me inteirar dos problemas Noá, para ajudar.
149
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Me responderia uma coisa sinceramente senhora?
— Pergunte?
— Acha que ele retorna?
Mary olha para a cidade aos seus pés, e fala olhando a Torre
Eiffel toda cercada por estruturas de reforma, estavam pela 20ª vez
trocando parte das estruturas metálicas da estrutura.
— Acho que eles estão nos monitorando Noá, mas acredito
que se ele achar o que procura, ele volta.
— Acho que ele vai surpreender muitos Mary, mas gostei da
sinceridade, vou terminar aqui e lhe ligo neste numero.
— Aguardo.
Noá olha para os rapazes do marketing e fala;
— Gosto das ideias rapazes, continuem, mas algumas coisas
vamos mudar.
— Mudar? – Stuart.
— O projeto Earth600, vai contar as glorias da mesma, vai se
apoiar na historia, na estrutura, mas vamos mudar de nome, vamos
a partir deste marketing nos chamar Live635, e vamos ao futuro,
deixando claro a vocês que a ideia, é que vamos assumir os novos
rumos com grandes mudanças.
— Isto que precisávamos, saber as mudanças que a empresa
fara, mas querem dizer que foram adquiridos ou vão apenas induzir.
— Não podemos mentir, mas vamos induzir que fomos
comprados rapazes, pois como vocês mesmo disseram, não
queremos nos parecer com terroristas. Mas a Luna 1 terá um plano
de crescimento, com todos adendos de segurança e criogenia, o
projeto Live635, vai vender a ideia de que podem comprar uma vida
nova em um planeta novo, onde chegarão como saíram, viajando
em criogenia.
— E venderemos isto em intervalos de 5 anos? – O rapaz.
— Sim, a nível de Lua, vamos lhes passar as imagens da
construção da primeira cidade, que tem apenas 2 milhões de
habitantes ainda, todo o erguer dela, para usarem como imagens
para convencer os demais a virem.
— Bom, pensei que não teriam como liberar as imagens.
— Outro ponto, a 3D deixa de ser o centro do marketing,
surge uma nova empresa de tecnologia vendendo o que temos a
150
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
oferecer, nome da empresa Live, teremos sistemas de controle de
trafico, sistemas de programação e sistemas de controle, além da
nova leva de autômatos de mercado, gostei da abordagem, mas não
somos mais a 3D, quer dizer, somos, mas na Terra viraremos Live.
— E vão absorver a antiga empresa?
— Isto não estará no marketing, mas nas noticias em 2 anos.
— E referente a propaganda da 3D externa ao planeta?
— Vamos criar produtos, marcas de comida, as pessoas não
precisam ligar a 3D a mesma, mas precisamos de um nome para a
representação de Vermes de Europa, precisamos de um nome
atrativo para a empresa de tecnologia, estamos numa curva de
sobrevivência da empresa, a curva dos 4 anos de existência da
mesma. – Fala Noá, o rosto de Stuart entendeu o quanto este
senhor era especial, ele assumia uma posição como se a soubesse a
dias, e as indagações continuaram.

Nuno olha para Regina com carinho.


— Sabe que estamos em uma aventura que podemos
terminar nos perdendo no universo?
— Nos perdermos? Como?
— Acabo de ter acesso ao sistema deles, isto não é um
planeta normal.
— Não?
Nuno põem a forma do planeta, as camadas internas e o
sistema de controle, um planeta criado, uma imensa criação.
— Como pode existir algo tão grande?
— O que estranho, é que eles não usam suas bases
subterrâneas, desconfio que seja por causa das bactérias, que os vai
tirando a vontade de interação.
— Porque acha isto?

151
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— O sistema deles tem todos estes dados, toda a tecnologia
que foi desenvolvida por eles, mas segundo o mesmo, algo bem
distante daqui. Mas eles não o usam, hoje são agricultores, que
tocam suas vidas.
— Quer dizer que eles decresceram tecnologicamente?
Nuno olha a formação do cristal que o autômato colocava em
um involucro isolado e olha a composição do mesmo.
— O que é isto? – Regina olhando ele dar atenção a uma das
telas onde parecia a composição da praga.
— Uma nova praga a base de silício, mas os autômatos estão
isolando uma área na região mais voltada ao sol, na altura do
equador, os seres parecem não gostar de viver ali.
— Mais quente?
— Parece, nada conclusivo.
O autômato passa um recado para Nuno e este o lê.
“Olha as coordenadas que aparecem no sistema quando
colocamos estes cristais em um contato.”
Nuno estranha e coloca a informação e foi surgindo cada
canto que eles estavam, o sol a frente que chamavam de Iago58M e
surge Iago58Sol, os planetas, Regina vê surgir cada ponto daquele
sistema solar, as distancias, aproxima a Terra e vê Luna 1, realmente
algo atualizado, afasta e vê os milhares de planetas começarem
surgir em cada sistema naquela galáxia, cada um com um nome,
cada um com sinais de existência, de controle, ou livres por serem
muito húmidos, a galáxia surge a vista, diferente da que estudara na
academia, duas pernas muito grossas que surgiam em um centro e
davam cada uma duas voltas completa no núcleo. O sistema
continua se afastando e se vê nomes em outras galáxias, Nuno olha
aquilo como um encanto e fala.
— Isto que falava existir lá em Los Alamos Regina, um sistema
que abrangia todos os locais vivos em 22 galáxias.
— Mas quem criou isto?
— Está e a resposta que eles procuravam e parece que não
tiveram tempo de descobrir.
Nuno aproxima de ExoAlfa5 e Regina olha os seres verdes a
andarem ao planeta e pergunta.
— O sistema que sabe onde cada um dos seres estão?
152
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno aproxima de AxoAlfa24, as cidades todas espalhadas, as
culturas, os humanos recomeçando, o olhar de Regina se perde
naquilo e fala.
— Um sistema que nos afirma que este mundo já é vivo.
— Desconfiava disto Regina.
— E os mandará para lá?
A imagem gira e a moça olha as matas e campos na parte do
outro lado do planeta, em um grande continente, se via seres
estranhos a correr pelos pastos, aparentemente herbívoros.
— Qual o tamanho deste planeta?
— 6 vezes o tamanho da Terra, um dia de 72 horas, um poder
magnético que os isola muito mais da interferência do Sol que o
nosso sol Regina.
— Incrível isto, mas como pode funcionar algo assim se não
tiver algo lá para olhar?
— Outra pergunta a responder.
— Vamos lá ou não?
— Vamos, para ser totalmente seguro os autômatos
deveriam conseguir lavar o local, eles isolaram o lugar, ligaram o
sistema de energia, parece que a pouco mais de 3 minutos passou
dos 5 graus célsius, eles somente agora estão conseguindo lavar, e –
Nuno coloca a reação dos cristais a agua – parece que a reação a
agua é muito alta.
— As reações a agua do Jogo.
Nuno lembrou e falou;
— Sim, mas estamos estudando aqui enquanto as naves se
acoplam, os humanos da Titan são vacinados, e recebem sistemas
de comando, a nave de Bruno e a EK600 para o conjunto de naves
que vamos jogar em Alfa Centauro.
— Acha que eles vão aceitar as coisas assim.
— Assim que chegarem ao grupo de naves, os vamos vacinar,
os seres em Titan, precisam do tempo de viajem, para se recuperar.
Nuno faz o teste com o cristal verde tentando mudar sua
composição, a experiência era pelo autômato no planeta, e olha o
mesmo mudar de cor, o autômato acompanha no local isolado e vê
o cristal contaminar todos os demais, quando explodiu.
— Assustador isto.
153
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Oque?
— Sem querer acabo de criar uma praga.
— Acha que conseguiu descobrir algo?
Nuno passa instrução para comprimir a mesma e o autômato
busca um sistema de compressão, e põem todos os cristais
transparentes no sistema, foram testando até o cristal deixar de ser
uma praga e ser apenas um cristal translucido.
Coloca os mesmos comandos de sistema e olha para Regina.
— Qual o problema?
— Não existe problema, mas este cristal é incrível a nível de
energia absorvida.
— Porque acha incrível?
— Regina, os dois cristais tem uma propriedade, estou aqui a
girar no planeta e os autômatos estão tentando me passar os dados,
não sei a utilidade deles, mas com certeza, estamos a um passo do
infinito.
— Como assim?
Nuno coloca o sistema que usa para dar proteção para a nave
e fala.
— O que diz ali, é que o que me falta para pular ao universo,
é saber onde está, ter energia que não se perca para o transporte
total, e – Nuno liga a proteção da nave – e uma proteção de
desintegração, reprogramada.
— Reprogramada?
Nuno muda a programação, usando a programação do cristal
abaixo, que ainda não estava no local.
O que era uma proteção vermelha, para eles, fica negra, e se
vê milhares de destinos, e Nuno fala sorrindo.
— Tem de ver Regina, que mesmo que não consiga, não vou
desistir, mesmo que não entenda, vou usar.
— Esta dizendo que a maioria lá embaixo não entende disto,
mas tem a tecnologia.
— Vamos aguardar, não vamos descer, mas os autômatos vão
trazer dois cristais enquanto voltamos a nave.
— O que pretende?
— Vamos, vai dar trabalho.

154
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno passa as instruções e os autômatos começam a reunir
cristais verdes, primeiro os juntando em grandes grupos,
prensando, depois colocam um pequeno cristal transparente, veem
a reação, seguram a explosão comprimindo o cristal mais, até ele
parar de interagir com o meio.
Os estoques dos dois grupos de cristais começam a ser
colocados em uma nave, que não pousa, apenas chega próximo e os
autômatos arremessam da parte baixa e os acima foram pegando,
rumando para a nave Earth X630.
Nuno entra na nave e olha que Call estava mal, tenta manter
a atenção, mas a preocupação de Rita o tirou a concentração.
— Qual o problema Rita?
— Eles já tinham absorvido parte do problema, os que
tomaram antes estão meio irritados, os que tomaram agora, bem
inchados.
— Observa para nós Rita, quero sair daqui de uma vez.
— Certo, quer terminar para nos mandar, mas o que
esperamos?
— Vou afastar a nave do Sol, deve melhorar, os demais se
afastam, mas tenho de ter os dados antes de saltarmos Rita.
— Algo urgente?
— Algo que vou dividir somente se tiver certeza, mas se
puder observar ele e me mantar informado.
Os dois saem dali e Regina olha Nuno.
— O que temos?
— Que a quantidade de naves parada aqui vem da
impossibilidade da antiga tecnologia passar aqui, e nem a atual, pela
ação de Nêmesis, em menos de 26 horas, o que foi uma condenação
a morte de todos que tinham um piloto Fanes no comando, ou um
Fanes nos motores.
— Acha que eles vão sofrer?
— Entramos mais próximos, os demais devem ter reações
menores, mas eu o aproximei, eu o puxei para perto, não gostaria
de perder alguém por minha culpa e ignorância.
— O que pretende?
— Vamos ao laboratório.
— O que vamos fazer lá?
155
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Vamos conversar com alguns pilotos.
Nuno chega a região de testes, Regina vê que existe uma leva
de autômatos executando um projeto, em três pontos, motores a
fusão Laser, no centro, um cristal prensado, deveria ter pouco mais
de 3 centímetros cúbicos, os autômatos colocavam milhares de
ligações de circuito no cristal e ajeitam detalhes de posição de tudo,
Nuno chega perto e fala.
— Vamos tentar nos proteger, não sabemos ainda o que
temos do outro lado.
— Certo, o que faremos?
Nuno aponta um canto, ela olha uma capsula de proteção,
Nuno entrou em uma e a olhou, ela entrou no outro, os autômatos
estavam na área.
O cristal é ativado, e as fontes de energia fornecem energia
ao cristal, estável, Nuno olha os dados, pensou que o cristal se
desfaria naquela quantidade de energia, mas manteve-se firme.
As informações começam a ser absorvidas pelo sistema de
Nuno, ele olha um endereço e fixa a imagem, Regina viu uma sala,
não entendeu, e pergunta.
— Que lugar é este?
— Existem endereços de pulo, mas parecem existir endereços
fixos, conheço esta sala, estou tentando lembrar o que tinha
naquela parede.
— Onde fica?
— Los Alamos.
Regina olha para um dos autômatos atravessar aquela porta,
e os dados mostravam que ele atravessara em um decimo de
segundo, localização, Iago 58.
— Porque nos chamam de Iago 58?
— Não sei, mas estou tentando provar para mim que isto foi
uma ilusão.
— Acha que é um enruste?
— Já saberemos?
Nuno concentra a comunicação para o campo e passa um
pedido para o autômato, ir a uma mesa a uns 20 metros, pegar tudo
que tinha na gaveta e voltar.

156
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Regina viu que Nuno não acreditava nem nos dados
apresentados, ele tenta desafiar os dados, fica ali sentado olhando
os dados, até olhar o autômato voltar, olha para ele esticar sobre a
mesa sua credencial, algumas moedas, os projetos, algumas coisas,
as pega e olha para a porta e fala.
— Sabe que isto é algo incrível.
— Onde fica, o ar lá é melhor que aqui.
— Earth! – A palavra saiu descrente, Nuno tentava entender e
começa a cadastrar todos os endereços, olha para o cristal e tudo
indicava um caminho, algo impensado, um salto que ele não
esperava, olha em volta e abre comunicação com Saulo primeiro.
— Como está comandante?
— Me vacinaram na marra.
— Sei disto senhor, mas estou chamando os demais
comandantes a conversa e quero uma posição se estão dispostos a
me ouvir.
— A lhe ouvir, o que aprontou? – Saulo.
Robert que entrava na transmissão olha para Nuno e fala.
— Não achamos 12 dos rapazes da lista ainda, eles se
esconderam, o sistema diz estarem onde não tem como estar.
— Procura corpos Robert, é mais perigoso do que pensei. –
Nuno.
— O que quer propor? – Robert.
— Eu vou saltar em 6 dias para Mac 37, a pergunta, quem
quer ir.
— Saltar? – Robert.
— Sim, saltar.
— Qual o reduzir da viagem? – Saulo.
— Ao inimaginável, somente quando virem, entenderão.
— Quer apoio a algo?
— Pergunta se querem, eu vou, mas as suas naves
precisariam de um sistema que estou instalando na Earth X630,
pretendo instalar no conjunto da Titan, e os dirigir ao sistema Alfa
Centauro, mas cada grupo teria de concordar.
— Sem dar dados? – Saulo.

157
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Sem dar dados, não quero gerar cobranças se demorar
mais do que eu falar, mas todo os sistema de fecundação já seria
feito nos planetas destino.
Robert olha serio, estava ainda sofrendo com perguntas de
tempo, de duração, e obvio que teria de perguntar.
— Quer dizer que teríamos qual o nível de reclamação
referente ao tempo, quantos anos?
— Robert, primeiro quero confirmação se querem, isto não
será discutido em transmissão, eles ouvem.
— Certo, tem como nos deixar nos endereços mais
rapidamente, deve ter recalculado os motores, concordo, mas
conversamos quando vier pessoalmente, e vou procurar os
fugitivos.
— Vou mandar os autômatos começarem a instalar ai no
controle o que precisamos.
Os demais concordaram que queriam chegar mais rápido e
ouvem.
— Agora vamos aos problemas.
— Problemas?
— Comandantes, quando no planeta ao fundo, me chegou
uma imagem de um sistema de controle, não sei quem o fez, mas
este sistema estou passando a todas as naves, acessem, coloquem o
endereço que querem chegar, se ele der um outro nome,
aproximem e observem, nos falamos em 12 horas.
Nuno desliga, começa a pensar, põem os autômatos a
funcionar e olha para a porta aberta e manda um comunicado por
ela.
— Earth X630 para Noá, comandante Nuno Martins pede
contato.
Noá estava no sistema e olha para a imagem e responde.
— Noá para Earth X630, o que quer menino?
— Respeito é bom Comandante Noá, mas a pergunta que
faço, fechou as interações?
— Sim, conseguiu o que queria?
— Tenho de testar ainda, mas se prepare, eu vou voltar.
— Já está aqui?
— Porque acha isto?
158
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não existe tempo de intervalo na conversa, segundos,
deveria ser minutos, está ao lado de uma estrela que não existia no
nosso sistema.
— Ainda não, mas está onde Noá?
— Olhando a cidade ao fundo, na Lua.
— Vai para a Luna 1, precisamos conversar.
— Esta na Luna 1?
— Ainda não.
Noá vê a ligação cair e olha para Regina.
— O que vai fazer?
— Vamos.
Nuno manda alguns autômatos passarem com um dos cristais
para o laboratório em Los Alamos, onde eles pegam um veiculo para
a estação espacial.
Nuno atravessa a instalação, nada era perto, era tudo longe,
os corredores de transporte rápido faziam parecer logo ali, mas
eram distancias imensas.
Chegam a enfermaria e Nuno olha o piloto e fala;
— Como está?
— Acho que vou morrer, estou fervendo.
— Fervendo estaria se não tivesse tomado a vacina Call, sei
que deve estar ruim, mas estamos nos afastando da estrela, eu e
Regina vamos sair um pouco, mas voltamos, e quando voltarmos, já
deve estar um pouco melhor.

Noá olha para o prefeito que fala;


— Algo está errado Noá.
— O que lhe parece errado?
— As instruções que antes pareciam distantes, parecem ao
lado, com se o menino estivesse voltado.

159
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Ele pediu que eu fosse a Luna 1, acho que não tem
problema em você ir também, mas o que vamos fazer se ele voltou
Stuart?
— Não sei, embora seja improvável que ele tenha retornado
já, ele demorou 38 dias para ir, ele não teria como voltar em... – o
autômato para a frase - ...a não ser que ele tenha descoberto o que
todos dizem que ele corria atrás.
— Vamos lá, algo está errado, e não sei ainda oque.
Os dois saem da lua indo a Luna 1, ela estava sobre
intervenção, estava isolada, autômatos a tocavam e trabalhavam a
deixando em ordem, estavam começando os planos para os gastos
dos próximos 5 anos.
Os dois chegam ao hangar de entrada e veem Donald
chegando da Terra.
— O que faz aqui?
— Recebi uma ordem expressa para deixar o país, como
terrorista, os engenheiros da 3D devem somar em números aqui e
em Irnia, pois ninguém quer ir a cadeia.
— E veio para cá?
— Cheguei em Irnia e tinha uma determinação de que
comparecesse na Luna 1, alguns já devem estar ai, pois não entendi
a urgência.
— Ninguém entendeu, mas estamos em uma curva de
evolução Donald, não sabemos ainda toda a curva, mas os relatos
dizem que as naves chegaram a Nêmesis, estamos com a prova que
a estrela marrom está lá.
— Fala serio? – Donald.
— Sim, vamos a direção, e conversamos.
Os três passam os cartões e são liberados e pegam o caminho
olhando as mudanças, a Luna 1 parecia uma instalação nova.
— Esta com o cheiro da primeira vez que cheguei aqui. – Noá.
— Está realmente incrível, mas ainda existem poucos
humanos aqui. – Stuart.
Chegam a direção e veem os autômatos instalando uma
espécie de painel de comando, colocarem os cristais, e uma espécie
de porta vazada, onde nada acontecia.
Noá olha para o autômato no comando e pergunta;
160
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Qual o andamento das mudanças?
— Paradas, estamos terminando o básico esperando novas
instruções senhor.
— Algum motivo?
— Os autômatos ali estão instalando algo que não estava no
projeto, e a instrução é apoiar eles, algo referente a volta de Nuno 1
senhor.
— Ele voltou? – Donald.
— Segundo os autômatos, ele pretende voltar, hoje, falar
com a direção, e voltar ao ponto que está.
— Isto é impossível. – Donald.
Stuart olha para Noá e pergunta;
— O que ele disse que iria fazer?
— Testar a descoberta.
Noá olha os seres, a porta, ficam olhando o sistema até uma
imagem surgir na tela.
— Nuno Martins para Luna 1, confirmem o estado da obra.
O autômato chega a imagem, olha para Nuno e fala;
— Pronto para experimento, precisamos da posição exata de
vocês.
Nuno começa a passar o sistema de informação que tinha dos
cristais para a base Luna 1 e fala.
— Estamos a dois minutos de interação total, assim que
tiverem o sistema, estaremos prontos. – Nuno.
O sistema mostra que a comunicação veio como se estivesse
vindo da Terra e não do espaço, mas a nave as costas de Nuno
induzia que ele estava no espaço, Noá olha para Stuart e pergunta;
— O que ele está fazendo?
— A Live está contratando pessoas para o comando da Luna
1, estão sobre treinamento, em 15 dias estarão todos em seus
postos, o sistema parece estar sendo carregado com muita
informação, ele está nos mandando informação, pela quantidade,
teremos muito trabalho a estudar.
Donald não estava entendendo.
— Mas como ele pode estar se comunicando sem a demora
do retorno, vocês tem certeza que ele foi?
— Quase absoluta senhor. – Noá.
161
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Porque quase?
— Pelas mesmas perguntas que nos faz e não temos resposta.
O autômato a frente liga o sistema, um grupo de autômatos
estica uma tela de 4x4 em meio a sala, tela holográfica, e os 3 olham
surgir o sistema solar, com o sol, as distancias, os planetas, Nêmesis,
os planetas, as posições das naves, saindo do sistema, e Donald olha
aquela formação se afastar e mostrar o destino primeiro, Alfa
Centauro, olha para os planetas e pergunta.
— Quem confirmou a existência destes planetas?
— Pode ser uma explanação apenas Donald. – Noá.
Nuno aparece ao lado de Regina na tela e as costas 3
autômatos, pareciam humanos, em seus uniformes de prontidão,
não se sabia quem eram, não estavam com identificação.
— Earth X630 para Luna 1, me confirmem a ligação?
O autômato dá um comando e todos veem dois pontos em
destaque, um no estremo daquele sistema e um na Luna 1, a porta
que não tinha nada se ascende, e todos olham aquela porta, Nuno
olha para Regina e a estica a mão.
— Vamos?
Os dois atravessam a porta e Noá olha para a porta apagar,
estranha e fala agressivo.
— Que montagem é esta?
— Bom lhe ver também Noá.
— Vai querer que acredite que conseguiu algo assim?
Nuno pega o comunicador e fala.
— Isolem o hangar – Aciona um dispositivo e todos veem um
brilho surgir pelo vidro vindo da parte de baixo, a EK600 surge no
hangar, do nada, uma hora não estava ali, outra estava.
— Noá, não é questão de acreditar, e sim de como nos
defenderemos, eles sabem onde estamos, eles sabem quem somos,
mesmo com um grupo que foi excluído do planeta tentando os
despistar, ou realmente nos preparamos, ou vamos um dia ser
postos em uma encrenca grande.
Noá olha a nave, ele vira aquela nave acoplada decolar fazia
30 anos, olha para Donald que fala.
— Como pode ser feito algo assim, onde estava isto?

162
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— No caminho, perdida, os sobreviventes estão em Caronte,
devem acabar por aqui, dentro de anos.
— Mas veio para confirmar que voltará?
— Tenho meu destino ainda Noá, eu vou chegar a Mac37, o
problema estou apenas abrindo.
Nuno aproxima o que eles chamam de Mac3 e os demais
olham os humanos lá.
— Não sei como chegaram e quando, mas Mac3, Mac4,
MC72-4, DS 4, Mac 7, Mac 8 e CA 2 que são destinos clássicos, estão
ocupados por humanos.
Noá olha o aproximar da imagem, a situação de cada um
deles e pergunta.
— Mas de quem é este sistema?
— Ainda não sei, mas funciona, e dá o estado atual, pois se
olhar o Anel E de Saturno, verá que está exatamente como hoje, se
olhar a posição da Luna 1, está exatamente onde estamos, não sei
como, não entendo disto tão a fundo, mas obvio, se podemos saber
onde já não mandar alguém, é um bom começo.
Donald chega ao comando e aproxima os seres negros e
pergunta;
— Que seres são estes?
— Eles se denominam de Claues Negros, o que vê ao chão, é
um parasita altamente contagioso, recomendo todo cuidado em
lugares que tem estes cristais Donald.
— Lugares?
Nuno aproxima ExoAlfa 6 e Noá olha os seres, agora verdes, e
todo o chão tomado por aquele cristal.
— Mas eles convivem normalmente com ele? – Noá.
— São populações com a existência condenada pois verá que
tem registro deles, quantos eram, cidades que existiam, o sistema
dizia que existiam 4 bilhões de seres neste planeta, e que após a
contaminação, hoje não passam de 45 mil deles.
— E vamos os deixar lá? – Noá.
— Planeta seco, com índices de radioatividade mortais a
humanos, com ciclo de calor que chega a 70 graus célsius, e frio que
chega a -120, não gosto disto.
— Habitamos locais piores. – Noá.
163
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Sim, mas vim apenas testar o corredor, não mais que isto.
Regina estica a mão para Nuno, eles andam no sentido da
porta, ela se acende e atravessam, a mesma se desliga e os 3
chegam a porta e ficam olhando tentando entender aquilo.

Nuno e Regina estavam de mãos dadas, sentem o autômato


se posicionar na sua frente e ouvem o disparo, Nuno olha para
Regina e força ela se abaixar, não sabia quem os atacava, mas a
adrenalina sobe sem entender o que estava acontecendo.
As luzes piscando, os tiros fazem o autômato cair, a porta se
desfaz as costas.
— O que está acontecendo? – Regina.
Nuno faz sinal para ela ficar quieta e apenas olha em volta.
Outro autômato cai, estes era autômatos de serviço, não de
batalha.
Outros autômatos se escondiam, ele pega o comunicador,
olha em volta, dá ordem de proteção e isolamento a enfermaria, os
tiros no cristal estavam o preocupando, pareciam atirar sem olhar, o
olhar em volta, o procurar uma saída, acha uma comporta de fios,
estuda o caminho e indica para Regina, eles teriam de sair dali,
rápido.
Nuno faz um gesto para eles saírem por outra comporta, eles
começam a entrar por um lado, ele e Regina em outro sistema de
canos.
Regina entra e vê Nuno entrar após, não sabiam quem os
atacava, mas não existia muitas possibilidades, ou eles não haviam
visto algo.
Chegam a uma sala de junção, Nuno liga o seu comunicador a
um sistema por fios, ele demora a responder, não conseguia as

164
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
câmeras, pareciam desligadas, não sabia a situação de Rita e Call,
mas teriam de se proteger antes de ajudar os demais.
Ele traça um caminho aos uniformes, demoraram quase 3
horas para chegar ao compartimento de uniformes, tinham acabado
de por os uniformes, quando ouvem a explosão, eles não viram,
mas o cristal de energia, atingido varias vezes por um laser, explodiu
e abriu 10 setores da nave.
Rita que estava a prestar atenção nos espasmos de frio que
Call estava tendo, se assusta, tenta comunicar-se, nada, tenta as
câmeras, nada, algo estava errado, ela vai ao corredor, pega a veste
externa, põem uma e com dificuldades ajuda Call por outra, os dois
se colocam na área de manutenção, não sabiam o que estava
acontecendo, mas o ver de todos os autômatos de serviços em
estado de inercia, determinava que alguém estava na sala de
comando que não era Nuno.
Nuno olha para fora, a proteção vermelha desligada, olha
Regina e fala;
— Temos de pensar, e chegar ao comando.
— Quem nos ataca?
— Não sabemos ainda, mas tem de ser um idiota.
— Você xingando?
— Alguém está preste a destruir nossos planos, tenho minhas
responsabilidades a assumir.
— Vamos descobrir quem é o os por para correr.
Os dois começam a descer por um grande tubo, sentem a
leveza do corpo, o motor gravitacional, acabara de parar, Nuno
imaginava que poderia ter sido a explosão que causou isto.
Caminham por tuneis, por cantos, estavam chegando a ala de
saúde quando as luzes param de vez, Nuno olha para Regina e
pergunta;
— Sabe andar no escuro?
— Não treinamos isto.
— Sei que não, mas este mundo é dos espertos Regina, olha
em volta.
— Muito escuro.
— Vamos acostumar um pouco, eles devem ter atirado
muito, desconfio que toda a ala da 52 a 207 explodiram.
165
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Estaríamos rachando.
— Sim, por isto o motor parou, por isto o ar escapou, por isto
a luz parou, mas os motores não foram desligados, estamos
entortando, e vamos rachar totalmente, temos um tempo para ou
parar isto, ou sair daqui.
— Quer sair?
— Estamos indo de encontro a enfermaria.
— Porque eles estão atirando?
— Eles acham que os autômatos de serviço de carbono são
humanos, eles estão tomando a nave. – Nuno.
— O que vai fazer?
— Precisamos andar mais um pouco e rápido, mas no escuro.
— Não quer virar alvo.
— Sim, mas vamos mudar o caminho.
— Como assim?
Nuno tira a luva e toca a parede, sente na mente a
carenagem da nave, vê o estrago e fala;
— Tem de parar o motor.
— Com quem está falando?
Regina viu a parede se abrir, como se mostrasse a parte
externa, Nuno rapidamente puxa a mão fechando a luva, e sentem
o ar sair.
Caminham pelo corredor acelerando o passo.

Bruno chega ao comando e vê o estrago.


— O que fizeram?
— Não sabemos comandante, estávamos tomando uma parte
que parecia um laboratório, era onde tinha uma soma deles,
quando uma explosão parece que matou mais de 12 dos nossos,
não sei quanto deles morreram, mas a ala nordeste da nave parece
que explodiu, não sei no que atiraram, o que tinha lá, mas o estrago
foi grande.
— Alguém chegou aos motores, se não pararem os motores
de parte vamos torcer, por dentro.
— Isto é muito grande Comandante, eles estão indo para lá.
Bruno vê os cabos se desligarem e olha para as paredes
dilatando o que tirava os contatos do lugar e pergunta.
166
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— O que está nos dilatando?
— Não sabemos senhor, esta nave é incrivelmente mais
moderna.
— Reparamos, mas aqueles de lá eram bobos, os desviamos e
saímos em uma das naves deles e eles ficaram lá arrumando a nossa
velha nave.
— Parte dos nossos não tem como sair de lá.
— Vamos tomar esta nave, depois vemos como os
resgatamos.
O rapaz olha para os sistemas desligarem e mesmo sem
sentir, pois a inércia ainda mantinha o movimento, motores param.

Nuno olha para o oxigênio e fala.


— Temos 16 horas ainda de oxigênio Regina, não é teste,
ninguém nem sabe que passamos por apuros, e minha fama sempre
diz que sobrevivo, ninguém vem nos ajudar, então temos de nos
juntar a Call e Rita, e nos protegermos.
Entram em na sala que estavam os dois antes, viram tudo
apagado, olham para o sistema de oxigênio, estavam perdendo
gente, na criogenia, Nuno tentava não pensar nisto.
Nuno olha para os dois ao canto, Rita ia falar algo e Nuno
põem na frequência da veste dela.
— Temos 12 horas para chegar ao comando, temos de ajudar
Call, não sei se esta região estará inteira quando chegarmos ao
comando.
Os três ajudam Call a se erguer.

Bruno olha para a nave, elas separam-se, elas se afastam


voluntariamente, sem um comando especifico, mantendo a inercia
do sentido que estavam, pelas comportas a volta, que davam vista
das demais se afastando.
— Quem comanda isto?
— Este é o comando senhor, todo resto desligado.
— Mas quem está comandando.
— A afirmação do comando quando chegamos era que estava
sem comando, pois o mesmo estava em experimento.
— O que explodiu?
167
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não sabemos, pode estar entre os mortos, estávamos em
afastamento programado, as demais estão se separando, pois
estamos entortando senhor.
— Precisamos de uma nave de saída.
— Tudo desligando senhor, perdemos a energia, mas é a
melhor saída.
— Consegue contatar o pessoal.
— Por ondas curtas.

Nuno toca a parede e a parede se abre para fora, mas desta


vez Regina viu que ele andou para fora, os quatro chegam a parte
externa da nave, olhando para a região dos laboratórios, se via
explosões.
Regina olha para as botas, estavam andando por fora da
nave, a visão do rombo era imensa, vê as demais separando-se, olha
para o dobrar da que estavam.
Regina põem na frequência de Nuno.
— Como evitamos?
Nuno toca a nave, olha em volta, não tinha como ajudar
rápido, e fala.
— Comando, rápido.
Os quatro começam em meio a saltos, correr sobre a parte
externa da nave, as duas proteções baixadas, o sol marrom se
afastando, eles corriam sobre a carenagem externa.
Uma corrida contra o tempo.
Em conjunto caminhavam aos passos largos, chegam a
entrada de um Destruidor, Nuno destrava retirando os fios, olha
para os 3 e faz sinal para entrar, o oxigênio estava prestes a acabar,
eles trocam de tubos, mesmo tendo ar no destruidor, olham que
teriam mais 20 horas.
Nuno abra a viseira o olha para Rita.
— Mantem o destruidor isolado, salta para perto da
formação, eu e Regina vamos ao comando.
— Foram lá só nos tirar?
— Estamos perdendo humanos na criogenia Rita, assim que
estabilizar, preciso de você e de ajuda externa, tenta pedir ajuda por

168
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
sistema de informação, eles não terão acesso, precisamos de
médicos, pois teremos de os reanimar.
— Quantos tem na nave.
— 6 mil deles, acredito que uns 10% podem ter sofrido na
região, alguns não temos como salvar, mas outros 10% a cada 24
horas sem energia vão começar o automático da bateria.
— Certo, mas sem oxigênio de volta é morte, entendo, mas
vou tentar conseguir ajuda, vão lá.
— Temos, senão vai rachar a nave toda e perdemos todos.
— Se cuidem! – Call tremendo dentro da roupa.

Nuno entra pela comporta de acesso dos destruidores, olha


os autômatos de batalha, começa a por eles em alerta de
segurança, e os mesmos começam a avançar.
Nuno acessa o sistema das demais a volta e liga a proteção
avermelhada, ele a deixara baixada por não saber se poderia
transpor dali para a Luna 1 com ela ligada.
As naves a volta começam a brilhar e Bruno no comando olha
elas e fala.
— Alguém está as comandando, quem é que temos de
descobrir.
Uma das naves que eles estavam tenta entrar em uma das
naves se afastando e se desintegra na camada vermelha.
Nuno para na porta 16 e olha os sistemas, Regina chega ao
lado, o lugar normal de Nuno, onde ele era o mestre, olha para o
sistema de câmeras, começa a desviar o caminho, tentando os de
segurança, o sistema dava sem acesso, olha em volta, tenta um
comando direto e tem a câmera do comando e Regina fala;
— Os desgraçados que salvamos.
Nuno não fala nada, começa a por os sistemas de
recuperação no automático, o sistema de segurança volta a
responder e põem em travar a Earth X630, a nave central que
estava agora sozinha.
Nuno consegue que os autômatos de serviço se liguem e
começam a sair para tentar salvar a nave, o sistema liga na direção e
começa a dar instruções de recuperação.

169
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Bruno via que os comandos eram diferentes, tenta entender,
o que dilatara e soltara, agora estava com parte dos comandos
funcionado, pelo menos mostrava a recuperação em 32%, e uma
estimativa de 3 horas para resolver ou evacuar.
O auxiliar olha para Bruno que fala;
— É um sistema automático de recuperação, não sei como
funciona, mas eles não vão conseguir em 3 horas, hora de sair e
tentarmos uma destas naves laterais. – Bruno.
— Passa a todos para sair?
— Sim, vamos pegar a nossa nave de abordagem e vamos
sair, alguma destas ao lado deve dar para pilotar.
Os dois saem e Regina fala;
— Não os vai ajudar?
— Eles não me ouviriam Regina, e temos a responsabilidade
com mais de 6 mil humanos em Criogenia, devemos ter perdido
mais de 700 na explosão, mas ainda temos uma grande
responsabilidade.
— Verdade, prioridade aos que pagaram a viagem.
— Não, aos verdadeiros humanos, os que vivem nas ruas, não
em academias que parecem preparar para a traição e não para o
resolver do problema.
Nuno olha Regina olhar para fora, pela porta 16 e fala;
— Entrou na nave como saímos?
— Sim.
— Ninguém acreditaria, não mesmo.
Nuno amplia a leva de autômatos, a pele viva da nave
estende nervuras entre as partes rasgadas e começa a puxar a nave
para a posição certa, ultima visão que Bruno e seu pessoal tiveram
da nave se refazendo antes de entrar na proteção da nave ao lado e
se desfazerem em pó.
A nave que saltou as costas dele, vendo a nave se desfazer,
tenta parar, mas na velocidade que estavam, a inercia os joga
contra a proteção e se desfazem.
Os autômatos começam fechar fendas, mas tinham muitas, e
começam a tentar ajudar os que estavam vindo a vida, colocando
um oxigênio a mais no sistema.

170
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Os autômatos corriam pelos corredores levando rolos de fios
para ligar os que ainda estavam nas baterias, autômatos fechavam a
terceira proteção, a metálica sobre a de carbono, enquanto a de
carbono fecha a última saída de oxigênio.
Robert manda parte dos médicos para ajudarem, Saulo não
os tinha, não à sobra.
O que era uma nave agora era uma soma de varias naves,
uma soma de vários pedaços que voltam a se aproximar.
Robert chega ao comando antes de Nuno, olha o sistema e
pega o comunicador.
— Onde está o comandante disto?
Uma tela aparece a sua frente e fala;
— Porta 16 para comando, os concertos estão quase prontos.
Robert olha a imagem de Nuno e pergunta;
— Os Riscos são altos ainda?
— Fechado o casco, mas temos de refazer 150 setores
destruídos.
— O que explodiu?
— O sistema que estamos instalando na sua nave Robert.
— Fala serio.
— Sim, eles atiraram com laser sobre um cristal de energia,
deveriam estar querendo provar que eram imortais.
— E sobreviveu de novo.
— Eu nem tive tempo de comemorar minha ultima
descoberta e estava com alguém atirando em mim.
— Dizem que colhemos o que plantamos.
Nuno olha Robert serio, estava fazendo cena mesmo.
— Sim, plantamos o que colhemos.
Nuno olha a imagem voltar e olha a soma de corpos, gente
nova, crianças, famílias inteiras mortas, uma lagrima lhe corre ao
rosto e fala.
— Para estes falhei.
— Quantos até agora.
— Estão tentando reanimar alguns, mas pelo que vejo,
devemos terminar o dia com o maior enterro coletivo que já
participei, mais de 700 mortos.

171
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno olha os planos, coloca os autômatos a funcionar e
acelerar a instalação de cada uma das capsulas, ele estava tentando
não pensar nas mortes, mas aquilo o pegou.
Saíra de um corredor com planos imensos, pensando em uma
grande vitória, quase 32 horas depois, ele está olhando os mortos, a
nave se refazendo.
Rita chega ao comando com Call, que se encosta em uma
cadeira e olha Robert.
— Como estamos Robert? – Rita.
— Um caos, os rapazes que salvaram na EM615 pegaram
naves e vieram a esta em meio a um teste que o menino fez, não sei
qual, entraram matando tudo, tem gente em criogenia morta com
tiro, os relatos já passam de 695 mortos, devemos passar dos 700.
— Nuno deve estar odiando isto, ele vai se culpar.
— Mesmo eu que não o respeitava Rita, sei que o que ele fez
foi uma cartada de mestre, estamos a 40 dias no espaço, estamos
parando porque aconteceu algo aqui, todos ligaram os sistemas de
parada, pois nesta velocidade, estaríamos em 48 horas muito
distante.
— Agradecemos a ajuda, sabe onde ele está?
— Coordenando o concerto, a nave quase se dividiu em dois,
se acontecesse, ele perderia todos em criogenia, ele não está feliz
em perder 700 seres, mas poderia ter perdido 6000 mil deles, e pelo
que entendi, ele desconectou as demais para não ter problemas.
— Vou lá ajudar.
— O que ouve com Call?
— Ele tomou a vacina a dois dias, e tivemos de correr por fora
da carenagem, para sair da parte dos fundos da nave para a frontal.
— Esta vacina faz milagres, mas não entendi o que aconteceu,
os 12 rapazes que se esconderam para não se vacinar, achamos a
pouco mortos na região de cultivo, estavam escondidos em uma
destas casas de colheita que tem na Lua que comando.
— Algo haver com a frequência eletromagnética da estrela a
frente.
— isto mata?
— Complicado de explicar.

172
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Rita sai pelo corredor vendo a energia voltar e os corredores
para a parte da criogenia ligarem.
Regina vendo que Nuno estava olhando a imagem dos
mortos e fala.
— Salvou os demais, tem de passar por isto.
— Regina, eu tenho de escolher o que fazer, vamos ter de
refazer toda a parte que estourou, vamos perder parados aqui, mais
do que 38 dias, perdemos 2 e agora perderemos outros 35 ou 37
dias, estou parando a nave, apenas evitando o problema maior.
— Certo, está pensando em que?
— Me acompanha ao comando?
— Vamos, mas vai lá antes de ver a situação?
— Lido melhor com dados do que com fatos Regina, e
estatística de uma morte, não é uma morte.
Os dois caminham até a direção e ele olha Call e pergunta;
— Como está?
— Não entendi como fomos a parte externa da nave, mas
depois me explica, devo ter alucinado com esta porcaria que me fez
tomar, sonhei que a carenagem da nave se abriu para que
saíssemos, e depois corremos os 4 pela nave, sobre ela, uma visão
incrível, deveriam alucinar de vez em quando.
Regina sorriu e falou;
— Já melhorando, começando as piadinhas.
Nuno chega a Robert e pergunta;
— Podemos conversar Robert?
— Sim, pelo jeito as coisas não saíram como queria?
— Poderia ser na nave ao lado?
Robert olha para o rapaz, e fala;
— Não quer que ouçam?
— Iria falar com o comandante, mas não era para a nave estar
neste estado. – Nuno olha para Regina e fala – Vamos dar um pulo
na nave ao lado.
— Vai, sei que não quer sentir mais culpa, mas tenta ver pelo
melhor lado.
— 700 mortes não existe bom lado, fora os 55 integrantes da
EM615 que viemos salvar e estão mortos.

173
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Robert não viu a batalha, mas soube, quem tentou o menino
matou, foram a área de naves rápidas ligada ao comando e saem
em um Rapid para a nave ao lado, param nela, Robert ia observando
a forma dura do menino, a forma de lidar com comandos, e quando
entram na nave Nuno fala.
— Robert, a pergunta é seria, seu pessoal quer tentar Mac
21?
— Não conseguiríamos com aquela nave.
— Não foi a pergunta.
— Eles gostariam, porque pergunta?
— Porque Mac 3 já é habitada por humanos, já Mac 21,
parece não ser.
— Como sabe que já existem humanos em Mac 3?
— Robert, o que estamos instalando em todos os sistemas e
comandos, é... – Nuno clica no sistema da nave ao lado, estavam na
EXI630, e uma quantidade de holográficos surge na ponte de
comando com imagens de todo o caminho até Mac 3 e Nuno puxa a
imagem de Mac 3 para perto - ...um sistema que dará a condição
detalhada do caminho que vamos trilhar, mas como vê nas imagens,
Mac 3 tem até satélites, aproximando... – Nuno dá um tempo para a
imagem se aproximar - ... tem casas e cidades.
— E sabe disto desde quando?
— Acabo de descobrir o sistema que estamos usando Robert,
mas a pergunta não é por isto.
— Por quê?
Nuno acessa a câmera do comando de Robert e pergunta
pelo sistema se estava tudo pronto e vem um ok como resposta, ele
aciona uma porta, que instalaram naquele comando e no de Robert
e esta se liga, Nuno Atravessa ela e Robert vem junto como se
estivessem indo a sala do lado e sai olhando em volta, olha a Lua 1 e
fala.
— Que magia é esta?
— A que usaremos para chegar em Mac 21 Robert.
Robert olha a cara de assustado dos demais e fala;
— Calma, estamos testando uma nova tecnologia.

174
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Robert olha para o sistema e vê Nuno fazer os mesmos
cliques e viu que tinham sua posição e estava colocando em sintonia
com a outra.
— Mas como usaríamos isto?
— Robert, isto ninguém sabe ainda na Terra, mas não o quero
como inimigo, se o pessoal da Lua não tivesse pulado fora, estariam
a meio passo de uma nova casa, em menos de dois meses, mas não
vou chorar pelos que se foram, mas eu serei o ultimo a pular, a
estrutura da minha nave foi bem afetada.
— Não respondeu.
Nuno olha para fora e olha para o sistema, põem as camadas
de proteção em ordem e pois as coordenadas a EXG630 no sistema,
todos olham para o brilho vermelho surgir forte na parte de fora,
Robert olha para fora e sai pela porta e olha a imensa nave surgir na
parte interna da nave, flutuando, olha para Nuno e pergunta.
— Está dizendo que descobriu como fazer isto, trazer grandes
ou pequenas coisas com aquela energia.
— Sim, e no meio de um teste, os caras atacaram e atiraram
no cristal que fornece energia, dai saímos correndo e não morremos
por sorte, as mortes vieram depois.
— Por isto estava sentado lá estudando, todos pensando que
estava namorando e estava ainda estruturando.
— Robert, o problema de saltos destes, é que estava quase
com a tecnologia desenvolvida, mas segundo o que me diziam, o
programa que encontramos ali no planeta afastado, com seres
pretos, os Claues Negros, encontraria apenas em Alfa Centauro,
estava acelerando para chegar lá e ai desenvolver isto.
— E como olha tudo, achou na saída do sistema solar, mas o
que pretende?
— Queria apenas pedir uma coisa.
— Uma?
— Quando chegar lá, não perde a paciência tão fácil com os
em criogenia da nave.
— Acha que com o sistema e esta energia chegaremos em
Mac 21 em quanto tempo?
— O mesmo tempo que levarão para chegar em Mac 3.

175
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Esta querendo reduzir nossa viagem a poucos anos? – Uma
moça na direção.
— Não, a dias.
— O que mais precisa.
— Vamos voltar lá Robert.
Nuno atravessa a porta e Robert se vê na nave que estiveram
antes e fala.
— Isto transforma tudo em muito mais fácil.
— Robert, acha mesmo que estou levantando toda a
estrutura da 3D e não queria poder voltar e olhar como está?
— Quer voltar, podendo ir a frente?
— Vou a Mac 37, depois voltar Robert, mas eu não sou de
não alertar os demais, eu gosto que as pessoas se preparem para o
que vou fazer.
— O que quis dizer com isto?
— Eu e Regina, estávamos diante de Noá na Luna 1 quando
eles invadiram a nave, por isto eles conseguiram, e como não sabia
se poderia entrar fácil na volta com os escudos erguidos os baixei,
isto que fez eles terem acesso, mas Noá sabe das portas, não que
podemos transpor uma nave para lá.
— Gosta de encrenca.
— Sim, gosto de encrenca.
Os dois voltam à nave usando o Rapid e Robert olha para
Regina.
— Incrível o que este seu companheiro faz, ele transforma
um Rapid em algo lento. – Robert vê que tinham o equipamento
instalado ali, mas como estavam sem energia, ou com ela sendo
desviada, não teria como mostrar dali.
— Ele quer transformar nós, nos seres mais famosos da
historia.
As horas de trabalho foram se arrastando, muito trabalho
braçal de autômatos, para por tudo novamente em operação.
Os enterros simbólicos, dos seres sendo lançados ao espaço,
foi um momento solene, transmitido para as demais naves, assim
como para a Terra, Nuno estava pensando em o que fazer ainda.
Nuno se recolhe a sua cabine, enquanto os demais voltam as
suas naves, Robert olha as 16 horas de Rapid, para chegar a sua
176
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
nave, como uma eternidade, mas parecia que o menino ainda não
abriria isto a todos.

Nuno surge na Titan, olha os seres, estavam desinchando,


acabara de vir da EM615, que mandou a uma estrela sem falar para
eles o que faria, olha a rainha e pergunta.
— Pronta para a mudança Rainha?
— Voltou, mas estamos estranhando, estamos ficando mais
magros, mais feios.
— Beleza os olhos que fazem, mas é que como estavam não
adiantava mandar vocês a uma nova casa, pretendo mandar a Mac
3, mas mesmo quando chegarem lá, tem de se recuperar para ir ao
planeta, pois não conseguiriam andar em uma gravidade quase igual
a Terra.
— Mas quando vamos chegar? Está falando em nossos filhos
chegarem.
— Estou falando em daqui uns dias olhar pela janela e ver
outro sol, estamos levantando as proteções, colocando naves de
coleta e preparo, para que eles desçam ao planeta e prepararem a
ida dos que estiverem prontos.
— Acho que no fim terei de lhe agradecer.
— Tente ser uma boa rainha, embora não entenda nada de
reinos, no planeta terra atual não existem mais reis e rainha, apenas
nas historias bem longas.
Nuno fez toda as programações, deixou autômatos de metal
e de carbono, e de braços dados a Regina, voltou ao martírio de
refazer sua nave, ela crescia por si, mas estava na hora de acelerar
as obras, Nuno controla da cabine o sumir da Titan, e abraça Regina.
— Quem lhe vê fazendo parece fácil. – Call entrando.
— Sim, quem nos vê caminhar parece que planejamos tudo.
— Sabemos que queria já estar longe daqui! – Rita.
177
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Os 4 sorriram indo a um almoço, Nuno não comia direito a 4
dias, desde do enterro coletivo dos 706 mortos no ataque covarde.

Nuno termina a instalação por sistema nas naves do


complexo X, em meio a um fim de dia, que era regido pelos relógios,
pois não existia dia ou noite, ele se reúne com alguns autômatos e
estabelece 9 destinos.
O relógio dava a Nuno a informação que faziam 60 dias que
estava no espaço, olha para os autômatos pelo sistema, Regina
estava ao seu lado, ele marca cada destino, e como Robert a 20
dias, as naves somem no ar surgindo em vários sistemas
planetários, naquela galáxia, onde os autômatos estabeleceriam as
novas cidades e os sistemas de criogenia seriam revertidos, com a
primeira leva de 6 mil pessoas por planeta, enquanto os autômatos
gerariam a segunda leva, de 20 mil fecundações programadas, com
a educação destes humanos.
Regina olha para Nuno e pergunta.
— O que lhe preocupa?
— Saulo já deveria ter ido, acho de ele gosta de ti.
— Já falamos disto.
— Mas ele sempre lhe espera, já deveria estar em Mac 37 e
está ali a esperar nossa nave.
— Você já pôs todos os que precisava no caminho, até
mesmo os demais sobreviventes da EM815, os da Titan em torno de
Mac 3 recuperando o pessoal, o que ainda quer fazer Nuno?
— Me preparando, acho que temo que tudo isto acabe, acho
que no fundo, minha insegurança não se reflete em meus atos,
quando preciso eu faço, mas as vezes parece que não queria
daquela forma.

178
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno liga os motores, emparelha com o sistema de naves de
Saulo, ele agora era bem menor que o complexo de Saulo, ele olha o
sistema e liga as telas e aciona o comando para Saulo.
— Nuno 1 para Saulo, aguardando sua partida para partir.
— Não sei se confio no que falou Nuno.
— Certo, quer ir se arrastando pelo espaço Saulo?
— Não, mas como faço.
— Quer que faça? – Nuno.
Saulo olha para Roger que fala;
— Se não sabe por onde pedir ajuda, ele se ofereceu ajudar.
Saulo olha para o auxiliar da porta 16 pela tela e fala;
— Tenho medo de por os dados errados.
Nuno olha a formação, aciona o sistema, assume o complexo
de naves de Saulo, que vê o brilho ampliar, os comandos travarem,
a imagem a volta piscar, uma hora estavam no escuro do espaço e
no momento seguinte, de frente a um planeta azul, imenso.
Saulo olha para Roger.
— Incrível.
Saulo levanta e olha pelas janelas laterais, os demais
começam a fazer o mesmo e fala.
— Onde estamos? – Saulo a Nuno.
— Alguns chamam de Mac 37, outros de Água, Gaia para uns,
já para outros Édem. – Nuno desligando a ligação com Saulo e
abrindo comunicação com planeta, não sabia se tinha alguém vivo
ali ainda, mas agora começava a sua aventura.

179
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

Nuno por um dia, daquele planeta,


emitiu sinal de radio para baixo, binário, e
nada de respostas, as imagens mostravam
uma pequena vila, aparentemente
abandonada, os mares pareciam vivos, quando Saulo abre uma
comunicação com ele.
— Vamos mandar uma missão de verificação, se puderem
ficar atentos.
— Não estão respondendo, podemos ter chego por primeiro
Saulo.
— As imagens mostram que não fomos os primeiros, e você já
sabia disto, mas estamos mandando um pessoal para o planeta, e
nos mantemos em contato.
— Ficamos observando.
Nuno olha o painel de instrumentos, começa a ativar e olha
para os holográficos, há um dia havia soltado algumas sondas, elas
estavam se posicionando, em vários mundos, e ele tinha duvida

180
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
ainda de como narrar tudo isto, olhando para baixo, ele sentia que
tinha algo, mas não conseguia ver.
— Acho que está diante de nossos narizes e não vemos.
— Temos outros três planetas neste sistema que são
habitáveis.
— Sim, mas as sondas mostram que todos eles estão vazios.
Nuno abre contato com Saulo e fala.
— Alertando que se tiverem cristais translúcidos, ou verdes,
melhor não descuidarem.
— Porque da desconfiança Nuno 1? – Saulo.
— Deveriam ser 3 planetas habitados, Claues Verdes, Negros
e nós, mas parece que não tem nada, mesmo nos planetas vizinhos
não tem vida.
— Os mares parecem vivos.
— Mares são a parte que retoma fácil a vida, ainda mais
mares quentes como estes, mas toma cuidado Saulo. – Nuno.
— Vamos tomar cuidado, mas os cristais verdes teriam se
dissipado, pois parece que chove constantemente aqui.
— Verdade, mas vamos com calma.
Nuno começa a ter dados dos planetas próximos, do sol, e das
distancias, um segundo sistema no seu sistema, não dos seres que
não sabia quem era.
Liga os sistemas, programa, sente Regina o abraçar e
perguntar.
— O que procuramos?
— Temos tantos dados para estudar, que alguns perderão
anos para atualizar tudo.
— Tudo?
Nuno começa a mostrar para ela o que tinha no sistema deles
e ela fala.
— Vai abrir aos demais?
— Vamos nos situar e por um por um a trabalhar, eles estão a
mais tempo trabalhando e chegamos e em um dia me sinto a frente
deles, eles foram criados na calma, acho que não sei ser assim.
— Saulo corre perigo?

181
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não sei, acho que não, se eu não estivesse aqui, vocês
estariam todos lá olhando o mar e pensando em como criar um
mundo maravilhoso neste lugar.
— Verdade, você nos deixa atentos.
Nuno abre comunicação com Robert.
— Nuno 1 para Robert.
Robert olha em volta, aquela voz próxima e clara parecia que
ele estava ao lado.
— Onde está menino? – Robert.
— Mac 37, cheguei a pouco, como foi a passagem para este
ponto?
— Tranquila, muitos me olham perguntando-me onde estão?
— Preciso trocar uma ideia Robert. – Nuno.
— Você querendo trocar ideia me assusta.
— Robert, o que pretende fazer depois de tudo instalado?
— Alguma ideia?
— Temos em nosso sistema de informação da E600, 90
planetas habitáveis, tem mais pessoas pelo caminho que nos pontos
de chegada, a pergunta, quer ajudar ou vai virar pescador?
— Não sei se lhe falaram, mas o planeta já está habitado.
Nuno olha com surpresa, pois era um planeta afastado;
— Humanos?
— Aparentemente sim.
Nuno dispara da nave de pesquisa da nave de Robert pelo
sistema, naves de averiguação.
— Eles tocam o planeta inteiro Robert?
— Aparentemente evoluem rápido, mas não sabemos como
seremos recebidos.
— Tentou contato?
— Sim, nenhuma resposta.
Nuno olha as primeira imagens e olha o grande autômato
postado na costa e fala;
— Não são Terráqueos Robert.
— Como sabe?
— Estes sim são os famosos Claues Magenta, deixa eu pensar
um pouco.
— Estávamos os estudando, não sabemos se são perigosos.
182
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Levanta as proteções Robert, mesmo com eles não
aparentando ameaça.
— Certo, mas o que iria falar?
— Cada nave que eu projetei, está dentro de uma delas, tem
estrutura e projetos para erguer uma cidade para 10 mil pessoas e
os autômatos começam assim a fecundação da segunda leva.
— Sei disto, estou segurando isto, mas sei.
— As mesmas naves devem ter assim que chego, lançado a
cada ponto do sistema dela uma nave, para verificar condições e
ameaças, dá uma olhada nos dois planetas próximos ao sol, verifica
se existe algo ou um lugar que pudesse ser uma segunda opção.
— Estávamos olhando, tem um mais próximo, mas parece
que uma linha muito tênue permite vida.
— Está falando de Jointy 3?
— Sim, estranho este sistema que tem nomes para planetas
que desconhecíamos, mas sim, estávamos olhando para ele.
— Robert, a nave é sua, mas existe um plano de habitação
que incluía os 3 planetas, nem que com bases avançadas, é só lançar
o que ia a Jointy 3 e se os dados que eles coletarem forem bons, vai
para lá.
— Acha que teria risco?
— Robert, risco seria chegar velho e ter de decidir o que
fazer.
Robert sorriu e perguntou;
— Mas esta ligação está limpa demais.
— Verá uma linha com 22 planetas que esta linha estará
aberta, nosso sistema de comunicação, nosso sistema de apoio
Robert.
— 22?
— Todos como você, se instalando ainda.
— Estão todos querendo descer, mas vamos olhar mais um
pouco e vou manter os escudos erguidos.
— Qualquer coisa, nesta frequência me acha.
Robert olha para o segundo no comando e pergunta;
— O que tem para nós.

183
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Como ele falou, 3 planetas com possibilidade de abrigar
vida, um o que está a nossos olhos, mas que tem alguém, e mais
dois que são pelo menos 80% mais propícios que Marte.
— Certo, e os demais?
— Começamos a receber dados dos demais, eles estão se
instalando, mas se o menino conseguiu concertar a nave e já está
em Mac 37, sinal que realmente Robert, teremos o grupo de
estudantes que chegou mais longe na historia.
— Me verifica, vou deixar meu comunicador ligado, não sei
que língua fala estes seres, mas ouviu o que o menino falou, não são
terráqueos.
— Ele se preparou Robert, mesmo nós não gostando dele,
sabemos que ele se preparou.
— Estarmos aqui é uma imensa prova disto.
Robert vai ao refeitório, iria mandar um grupo a Jointy 3 e
queria alguns seguranças e parte técnica lá.

Noá olha os dados


chegando e pergunta ao auxiliar
em Luna 1.
— Não estou entendendo nada.
— Nem entendemos o programa e os dados, estamos entre o
encanto e a duvida, e começa a chegar mais dados.
— Sabe quem nos manda?
— Vem do planeta, mas parece que este Nuno 1 gerou um
retransmissor na Terra para algo do espaço.
— Eu vi algo com meus olhos e tento entender a farsa e não
consegui, estamos pelo jeito a cada dia com mais dados.
Uma luz no painel pista e Noá pergunta;
— Quem será agora? – Noá.
O holográfico se liga e o auxiliar diz que não fez nada com
seus gestos, e Noá vê o menino em seu uniforme surgir na Tela.

184
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Nuno 1 de Mac 37 em sua primeira transmissão para Luna
1, passando os parâmetros até agora descobertos do sistema,
planeta sendo investigado, pois onde deveria existir vida, existe
restos de uma civilização, mas não de humanos ou de seres vivos.
Noá olha para o menino descrente;
— Não tem como estar em Mac 37.
— Então desconsidere as informações, Comandante Noá.
— Está jogando.
— Estamos nos instalando, os dados que vão começar a
chegar aos poucos, estamos ainda nos instalando, mostrará o
sistema Mac 3, com seus 12 planetas, deixamos os sobreviventes de
Titan lá, já existe dois grupos de Humanos que lá chegaram antes de
nós, mas ainda não abrimos comunicação. Depois terá as
informações de Mac 2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,12, 13, 14, 15 e 16, a nave
Earth 630, está deixando a nave de Saulo a volta de Mac 37 e
lançando grupos para Mac 38, 39, 40 ,41, 42 e 43. Esperamos em 6
meses estarmos nestes planetas, abrindo a conquista de 22
sistemas solares além do Terráqueo, mas como falou Noá, podemos
não estar aqui, dai ignore as informações, ignoraremos dai nossa
missão.
Regina ao fundo olha a cara de descrença de Noá.
— Não tem como o ter feito, esta mentindo.
— Comandante Noá, pensei que fosse mais racional, posso
ter errado, mas terá sua chance, aquela que não dá aos demais,
para me provar que isto não é total falta do que falar, pois como
idealizador da 3D, atual Live, não quero alguém irracional a frente
das empresas que criei.
O rapaz ao lado olha Noá, o menino começou como se
estivesse comunicando, agora estava impondo.
— Acha que manda ainda.
— Não preciso Noá, a tecnologia que temos,
desenvolveremos, e quando num verão qualquer, mais de 1000
naves vindas de mais de vinte e dois sistemas solares surgirem nos
céus da Terra, terá de ter se superado para nos deter, pois se não é
a favor da evolução humana, mesmo sendo um Fanes, eu sou.
Nuno olha o auxiliar e fala;

185
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Carlos Rios, os dados estão sendo passados a empresa,
através da Luna 1, todos estes dados, são sigilosos e somente
quando for a hora, se esta um dia for necessária será revelada.
O olhar volta da Noá e fala;
— Sei o que deve sentir Noá, me senti assim até me superar,
cada um escolhe o caminho, quando se fecham todas as portas,
quando todos nos afirmam o que sabemos não sermos, mas deve
ainda estranhar eu o deixar ai, você é um excepcional comandante,
mas nossa diferença, a pessoal, ainda não foi resolvida.
Nuno desliga e os dados continuam chegando.
— Ele não pode estar lá.
— Como ele chegaria, já que os dados que ele está passando
batem com o sistema que foi nos passado, e que tem uma imensa
complexidade.

Na Terra Mary Martins estava sentada a sede da Live quando


recebe uma ligação e a atende.
— Boa Tarde senhora Mary Martins.
Regina via a forma fria que Nuno a tratou.
— O que precisa Nuno?
— Trocar uma ideia, já que coloquei Noá no posto que está,
mas ele embora seja bom no que faz, ele tem um complexo que não
entendo, que o faz tratar quase todos como inimigos.
— Ele odeia seres que o enfrentam, imagina enfrentar uma
criança.
— Mary, todo o sistema e as empresas, que eram minhas,
voltam a pertencer a senhora, em questão de duas horas, alguns
administradores a procurarão e vão lhe transferir oficialmente mais
de 600 empresas, a que terá menos, terá 62%, se souber
administrar, levará os humanos a um futuro melhor, se não
conseguir, estará os isolando dos demais, deixar claro, todas as
empresas fora da Terra deixam de ter qualquer participação sua,
mas acredito que consiga sobreviver com este trocado.
— Porque disto?
— Eu queria estar onde estou, e olhar nos olhos dos dois e
falar, meu pai morreu, mas gostaria de falar que fiz esta empresa
para ser amado por meus pais, ela está ai, pronta, eu nos meus 18
186
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
anos poderia estar indo a maioria assumindo a maior empresa
Terráquea, mas estou aqui, a um passo de Mac 37, me livrando do
peso, boa sorte senhora! – Nuno desliga a ligação.
Nuno anda até a porta que dava para o transporte horizontal
que dava para o espaço-porto.
— Onde vai? Nitidamente enfrenta exércitos, Noá, mas falar
com sua mãe parece lhe doer.
Nuno estica a mão para ela e olha para Call no corredor.
— Assume a nave, levanta as barreiras de proteção.
— Vão onde?
— Axur.
— Onde?
— Segundo planeta deste sistema.
— O que faremos lá?
— Estudar o que aconteceu, estudar porque um sistema que
deveria ter 3 tipos de seres humanoides, não tem ninguém visível.
— Acha que estão se escondendo?
— Acho que não sei.

Noá olha os dados vendo Donald entrar pela porta;


— Conseguiu me estabelecer algo Donald?
— Ele conseguiu senhor.
— Como?
— Não temos todas as respostas, mas ele consegue parar
diante do concentrar de energia, o Tempo em uma curva espaço
tempo, então deve demorar a passagem perto de 32 minutos, é o
que o gasto de energia aponta, mas como o tempo está parado,
nem nós vemos isto, nem ele sente o passar dele, é um segundo
aqui, outro lá.
— Mas como ele fez com naves?
— Os prospectos estão sendo mandados senhor, ele nos quer
na mesma tecnologia.
— Ele não vai esconder isto?
— Senhor, está falando de Nuno Martins, alguém que soube a
pouco, passou para a mãe a empresa na Terra, pois ele não está
mais aqui, e sim em Mac 37, pouco se importando com estas
empresas.
187
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— O menino capaz de criar, enfrentar, e não morrer.
— Ele pelos rastros de energia foi o ultimo a saltar, não
entendi o que aconteceu, mas em meio a uma estrela marrom, ele
carregou as energias e lançou cada uma das naves no destino que
estavam programados.
— E o que está chegando?
— Projetos para naves, mas não são tão auto suficientes
como as que montávamos, não precisa de algo que fique no espaço
uma imensidade de tempo, naves capazes de lançar gente ao
espaço a cada ano, com destinos diferentes, podendo ir e voltar
Noá, ele nos quer como centro de distribuição da vida pela galáxia.
— Não consigo confiar cegamente neste menino.
— Ele nunca pediu para confiarem nele, nem para o seguirem
senhor, ele é o Imediato da porta 16.
— Então ele está realmente em Mac 37, mas a pergunta,
comemoro ou lamento Donald?
— Não sei, se ele transmitir para nós a tecnologia, vai ser uma
corrida espacial, mas ele pelo jeito está segurando algo, não entendi
oque?
Noá chega a tela e coloca a imagem em 4 telas de seres
andando em planetas, não humanos, olha para Donald e fala.
— Acho que ele está analisando se é seguro ainda.
— Sabe o que é isto?
— Não entendi, ele quer provar algo, mas ignoro oque.
— Pelo jeito vamos ter muita informação.
— As propagandas das novas viagens a Marte, a Europa,
estão tumultuando o planeta, quem tem um pouco a mais quer ir
ver de perto.
— Ele está fazendo dinheiro, mesmo sem tentar fazer.
— Ele está desviando a atenção, não entendi ainda Donald o
que ele quer ao certo, mas com certeza, não deve ser algo simples.
— Ele nunca quis algo simples Noá, sabe bem disto.
— Tento entender, não gosto de desiquilibrados, ele as vezes
parece muito desiquilibrado, hora muito frio, hora muito cauteloso,
mas ainda não entendo ele.

188
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Noá olha os seres em planetas que nem sabia, quer dizer,
tinha no mapa estelar a frente onde estavam, mas na verdade, ele
não sabia bem onde era, olhando para o céu.

Nuno desce e olha para Regina.


— Sem contato direto, lembra disto?
Regina olha para fora, aquele sal fino,
um misto de verde ou azul, dependendo da
iluminação, olha para Nuno.
— Os sais estão ai.
— Sim. – Nuno olha em volta e fala – Deveria ter neste
planeta uma base feita por um humano, que nasceu na mesma
cidade que nasci, um humano que olhando os dados daquele grupo
de Claues Negros lá do nosso sistema solar, chamavam de Crazy for
Sale, não entendi a lenda ainda, o computador está tentando
decifrar.
— Esta dizendo que um humano foi lenda para estes seres,
que parecem não estar mais aqui?
Nuno se baixa e olha os cristais, olha eles contra a luz, e fala.
— Talvez tenham tido o mesmo problema aqui que em outros
mundos, tem cristais verdes, azuis e translúcidos.
— Porque desconfiou?
— Não existe um simples mato ralo, não existe nada além das
obras abandonadas ao fundo.
Os dois começam a caminhar e Nuno chega diante de um
grande lago.
— O que está errado?
— Porque errado? – Regina.
Nuno pega uma pedra e inclinou o braço e lançou uma pedra
no lago, a pedra pulou uma, se viu a fumaça nela, no segundo pulo
ela se desfez na agua.
— Acido. – Nuno.
— Porque desconfiou?

189
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Porque a soma destes cristais gera acumulo de acido
quando molhados, pela atual proximidade do sol, deve chover
regularmente.
— Mas porque ainda existem cristais ainda?
— Vamos observar.
Nuno olha para a Nave e uma serie de autômatos de metal
saem dele, botas de borracha, e começam a juntar em caixas aquele
material, separando em 3 tipos, selecionaram apenas os que tinham
tamanho para se selecionar.
— O que pretende fazer?
— Vamos caminhar, mas sempre perto de algo que nos
proteja da chuva.
— Está misterioso.
Nuno sorriu e saiu a caminhar, duas hora andando ele olha no
sentido do lago e vê a holografia, olha para Regina e fala;
— Uma holografia dos anos 2M, deveria imaginar que os
atuais equipamento não fossem enganados! – Nuno.
Nuno pisa receoso na estrutura, ela o aguenta e fala;
— Tomara que não demore. – Olhando as nuvens.
Os dois caminham por cima do lago, a holografia não os
deixava ver o caminho, apenas o sistema apontava, Nuno olha
encantado e olha para Regina.
— O que é isto, parece um disco voador.
— É um disco! – Eles começam a ficar por baixo do grande
disco, olham a porta a frente e Nuno encosta a mão.
O sistema analisou os dois, os medindo com leitores gráficos
e vários raios que os atravessaram.
Nuno olha o sistema e olha Regina, não fala nada, estava
esperando uma posição.
O olhar para trás, era uma nave sobre um lago, um lugar
protegido da chuva, mas que tinha uma porta, que não abriu.
Nuno pega um comunicador e encosta na parede e tateando,
fecha os olhos, já que não via a nave, os olhos pareciam lhe
atrapalhar, sente a nave e os cantos, acha uma pequena entrada,
puxa do uniforme uma chave, ajeita a ponta e esta gira soltando 4
parafusos, sente os fios, lembra de quantas vezes treinou isto, e
ouviu Regina falar.
190
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Sabe o que está fazendo?
— Não sei, estou testando minha principal experiência, sentir
as coisas com os dedos, cada cor que se pinta algo, dá uma textura
diferenciada, pelo menos aqui não estamos a 4 mil metros de
profundidade.
Nuno se concentra e pega uma pequena tesoura e corta um
dos fios e Regina sentiu o chão começar a mexer.
— A plataforma está encolhendo.
Nuno tenta ignorar, liga o seu sistema no fio que tinha
cortado e este começa a tentar códigos de entrada, a cada 2
segundos ouvia um estalo pequeno e agudo, lhe informando que
não era aquele, sente Regina encostar na nave e ele fala.
— Qualquer coisa saímos, mas preciso de uns minutos.
Regina olha o local, pelo sistema, vendo a comporta a cada
momento menor e fala;
— Não temos um minuto Nuno, segundos no máximo.
Nuno segurou a mão de Regina e segurou na fuselagem da
nave, não tinha o que fazer a mais, se não desse tempo, teriam de
sair dali.
Regina olhava atenta a passarela se desfazer cada vez mais
perto e segura firme a mão de Nuno que ouve um estalo grave, dá
um clique no sistema, sente o chão parar e a porta ao fundo
começar a abrir.
— Vamos.
Regina olha para a porta abrindo e quase correu, Nuno com a
calma que enervava os demais tira o seu aparelho, põem a placa no
lugar e parafusa novamente.
Nuno entra e olha os imensos avatares na parede, conhecia
aqueles avatares, jogara aquele jogo, Regina olha para Nuno e fala.
— Disto que falava referente ao jogo?
— Sim. – Nuno entra e olha os autômatos deligados, o
sistema isolado, reconhece a sala que chega.
O caminhar até o sistema e o ligar, fez tudo se ligar, e um
espectro se formar a sua frente.
— Quem invade?
— Nuno Martins, Terráqueo, que chegou aqui e encontrou
tudo desativado, e estranhou.
191
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Terráqueos de onde? – A holografia que parecia ter uns 20
anos no máximo.
— Que saiba Terráqueos vem da Terra, Iago 58 para estes
seres. – Nuno.
— Existem terráqueos em 23 planetas, colocados neles
quando precisamos evacuar pelo ataque dos cristais translúcidos.
— Evacuar, não enfrentaram?
— Enfrentamos, mas é mais fácil enfrentar quando sabemos
que as crianças estão seguras.
— Não és tão velho assim para falar de crianças. – Regina.
O sistema na mão de Nuno aponta para um nome, ele olha o
pulso e vê a imagem do ser a sua frente e fala;
— E você, morreu a quanto tempo?
— Queria ter morrido rapaz.
— Mas meu sistema aponta que você é Kevin Pereira, um
Curitibano como eu, certo que o planeta já não é o mesmo, mas isto
foi a 30M.
— 30M? – O rapaz.
— 30 mil anos atrás. – Regina.
Nuno e Regina veem ele olhar em volta, olha para os dados
do planeta e fala.
— Faz tudo isto de tempo? Não pode ser. – O ser olha em
volta, uma lagrima corre pelo rosto da holografia que olha os dois,
parecia procurar algo, olhando em volta procurando, mas os
sistemas davam apenas cristais, nave nova recolhendo dados, nada
de vida no planeta.
O olhar do ser foi para um cubo a parede, se viu uma moça,
deveria ter a idade do rapaz, ela estava na forma de um cristal
translucido, Nuno entendera, o rapaz perdera um grande amor, ele
não conseguira e fizera algo, mas não entendia oque.
— Mas como se manteve vivo no sistema?
Nuno vê o local se acender e varias pessoas começam a surgir
em capsulas as paredes, todos em criogenia.
— Quantos protegeu aqui?
— Mais de 10 mil dos nossos, mas era para acordarmos
quando os cristais deixassem de ser ativos ao chão.
O olhar da holografia foi aos calçados dos dois e falou.
192
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não descuidem, perdi um grande amor por isto. – Aponta
os cristais ao chão, se viu o chão os sugar e jogar em um recipiente
ao fundo.
— No que podemos ajudar.
— Cuidem com os seres dos mares de Gaia.
— Seres?
— Imensos polvos que podem andar na agua e fora dela.
— Eles não foram atacados?
— Eles são imunes a estes cristais.
Nuno pega o comunicador e fala:
— Nuno para Saulo.
Um interferência se fez e se ouviu:
— Algum problemas Nuno?
— Alerta, existe um ser vivo no planeta, que pode lhes atacar,
não cheguem perto do mar.
Saulo que estava a olhar para Tiago, um rapaz da exploração,
ele estava ao lado do mar, ele olhou para Saulo, e se viu algo o
puxar pela perna, e Saulo olha em volta, dois outros não estavam
mais lá.
— Se afastem da agua, agora.
Nuno olha para Kevin e pergunta;
— Mas vocês, vão esperar ainda muito tempo?
— Não sabemos como enfrentar isto.
Nuno olha para a Holografia e fala.
— Mas não tenho como a salvar Kevin, não ainda.
— As vezes queria estar ao lado dela.
— Ela não está mais ali Kevin, por mais que seja a forma dela,
sabe que ela não mais está ali.
Nuno vê a holografia olhar para a barriga da moça, ela estava
gravida, estivera gravida, agora era uma pedra de cristal.
— Sentimos muito. – Regina.
Nuno abre comunicação com a nave e fala;
— Nuno para Call.
— Fala Nuno.
— Manda um recado para Carlos, diz que vamos precisar de
12 cargueiros de Metanol.
— Ele vai perguntar onde entrega.
193
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Manda tirar da atmosfera, eu vou lá conduzir, mas
precisamos disto aqui.
— Sabe que não vai dar certo. – Regina.
Nuno pensa na frase;
— Vamos ter de proteger este pessoal, tem como erguer a
nave? – Nuno olhando para Kevin.
— Não entendi.
— O composto do cristal translucido, não gosta do contato
com o metano, mas para que consigamos jogar ele sobre o planeta,
ele terá de ser transformado em álcool, pois senão ele se tornaria
gás antes de entrar em ação, mas Metanol é um álcool muito
quente e incolor, não veríamos ele e tudo pegaria fogo.
— E como traria algo assim? – Kevin.
— Teria de carregar parte do material em Titan e mandar
para cá, eles tem estoques de Metanol.
Nuno não entendeu, olha em volta, vê a holografia ir num
sentido, viu ela entrar numa capsula, esta começa a se descongelar,
Nuno não entendeu, mas o rapaz voltou ao corpo, como se tivesse
este poder, a capsula dele abre, e viram o rapaz olhar em volta, ele
chega a capsula da moça, por um momento ele pareceu pensar, ele
ainda a queria salvar, Nuno não acreditava que ela poderia ser
salva.
O rapaz tocou o comando e falou:
— Nave, Kevin Pereira assumindo.
A nave pareceu não responder, Nuno não via a mesma sair do
chão, pareciam parados e estavam a mais de 100 metros.
O rapaz olha os dois e fala;
— Melhor tirar sua nave de lá.
Nuno deu o comando e a nave que estava a esperar, começa
a se fechar enquanto os últimos autômatos entravam rápido.
O sistema de proteção da nave os banha com gás sobre
pressão.
O sistema põem a imagem do planeta e os dois viram que
tudo se acendeu, sentiram o mexer da nave, e o rapaz os olhar.
— Se puderem me aguardar.
Os dois não entenderam, mas viram o menino chegar a uma
parede e um dos avatares pareceu surgir em seu corpo, o ser de
194
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
pouco mais de um metro e 70 passa a ter mais de 3 metros em
segundos, Nuno iria perguntar o que fariam, mas viu o ser brilhar,
sabia o que era aquele brilho, e o rapaz sumir.
Nuno olha os comandos, olha o sistema e fala;
— Incrível como algo com 30 mil anos funciona.
Os dois viram um espectro surgir e falar;
— Ajudem ele a achar um caminho.
O olhar de encanto de Regina, diante de um menino, deveria
na aparência ter uns 12 anos, brilhoso, nu, e veem o ser dobrar as
asas a frente do corpo e olhar os dois.
— Um caminho?
— Ele está perdido, todos os que estão em criogenia,
perderam alguém, uma historia triste de alguns milênios.
— E como podemos ajudar?
— Ele não entende de biologia, de programação, ele sabe
apenas o que os cristais lhe falaram, os verdes, mas estes só passam
o que lhes interessa.
— Não entendi. – Regina.
— O cristal verde, devem o ter visto, ele infecta o usuário, ele
gera um ser que dividira com o portador seus conhecimentos, mas
geralmente ele com o tempo tira a vontade de viver do portador.
— E como ele se livrou disto?
— À volta, tem cientistas rapaz, eles estudaram todos os
limites disto, mas parece que você descobriu uma fraqueza deste
cristal translucido.
— Às vezes levamos sorte. Mas o que é você?
— Vocês me definiriam como um espectro de Luz, que pode
ser visível ou invisível, que tem inteligência.
— Onde ele foi?
— Neste instante ele está juntando quantidades que um
toque permite e em segundos isto estará correndo pelo planeta.
Nuno e Regina se olham, não entenderam, viram o rapaz
surgir e olhar eles.
— Realmente está quente lá embaixo.
— Precisamos ajudar nossos amigos em Gaia.

195
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Os dois viram aquela maquina se aproximar dos dois e os
tocar, eles só viram a luz mudar e estavam diante de um mar com
os demais recuando as costas.
Nuno olha aquele ser imenso saindo do mar e olhar para eles,
o som foi estranho, pois o ser pareceu falar com o rapaz.
O rapaz responde enquanto os dois recuam e Nuno olha para
Saulo e fala.
— Melhor sair Saulo.
— Quem é o rapaz?
— Ainda não sei exatamente, mas sai enquanto pode, pelo
que ele falou, os mares estão cheios disto, e os seres devem estar
com muita fome.
Nuno viu que o ser parou ao fundo, o rapaz deveria ser
respeitado, pois ele estava quase em pânico, o ser parecia se perder
para cima, de tão alto.
Saulo faz sinal para entrarem, haviam perdido 4 deles, e
quando viram o ser sair da agua, tiveram a sensação que morreriam
todos ali.
Nuno mesmo assustado chega ao lado do rapaz.
— Tem coragem ou é maluco rapaz, pois estes seres são
mortais. – Kevin olhando Nuno.
— Tenho medo, mas o controlo, mas o que ele falou?
— Para não me meter, eles estão com fome.
— O que são estes seres?
— Os locais o designavam por Kauanas, pelo jeito estes
também não resistiram aos cristais.
— Como aconteceu?
— Fazia 50 anos do primeiro infectar quando uma segunda
leva caiu sobre nós, demoramos para perceber, já não éramos os
mesmos guerreiros.
— Não parece ter 50 anos. – Regina.
— Tenho 72 anos, os demais vivi em criogenia.
— Como pode ter a aparência de um jovem e ter 72 anos? –
Regina olhando para o rapaz.
— Historia comprida, mas não entendi o que fazem aqui? –
Kevin em seu avatar olhando para baixo.

196
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Viemos da Terra, pensei que em Gaia estava a resposta
para minhas perguntas, chegamos a poucas horas, mas não
achamos além de 3 planetas mortos.
— E como descobriram que podiam usar Metanol.
— No nosso sistema solar, houve uma infecção que matou
toda a vida de uma das luas de Saturno, tentamos lá resolver como
acabar com os cristais, Flúor é mais eficiente, mas não temos flúor
em quantidade, então usamos Metano, que no frio das luas de
Saturno é liquido.
— Mas porque flúor?
— O nosso DNA tem reações de Carbono que formam
açucares, os dos Fanes assim como os dos seres com base no Silício,
tem como RNA o Flúor, mas como eles tem mais óxidos soltos por
causa disto, a reação com o Metano gera calor e grandes explosões.
– Nuno pensa rapidamente e pergunta.
— E este mundo, era vivo?
— Os três tinham alguma vida, mas este e o que viviam os
Claues Negros eram bem vivos.
A nave de Saulo estava ao ar, e Nuno atende a ligação;
— Fala comandante Saulo.
— Onde vamos ficar?
— Vamos contaminar esta terra e vamos começar a refazer
tudo.
— Tem um plano? – Saulo.
— Sempre. – Nuno não sabia recuar, mas olha para Regina e
pergunta;
— A doutora Rita não tem pôs em Manipulação Genética.
— Sim, porque?
— Estava pensando, para a alteração ser tão rápida, não é um
ser comendo outro, é reação química.
— Não entendi.
— Regina, lembra do que o ser translucido falou?
— Sim, ajudarmos a dar um rumo.
— Qual a função da Fluorose nestes seres, eles não a
precisariam se estivessem apenas comendo os seres e os
destruindo.
— Não entendi. – Kevin.
197
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Se nos deixar tentar, podemos tentar salvar seu amor.
Ainda é um acho, mas podemos tentar, se a reação foi química,
teríamos como a reverter, em infectados, e isto poderia gerar uma
cura, o que seria um ganho muito maior que uma forma de se livrar
do cristal.
Kevin olha descrente;
— Mas como?
— Preciso de um reagente, preciso que o corpo esteja em
zero absoluto, e vou precisar de ajuda de profissionais.
Kevin olha descrente, chega ao lado dos dois e os toca.
Surgem na nave e o rapaz fala;
— Existem 10 pessoas que confio este caso, mas não entendi
o que falou.
Nuno olha o comando e pergunta;
— Posso?
Kevin toca o painel e fala;
— Inserindo novo usuário.
Nuno ficou receoso e sentiu quando colocou a mão no
comando lhe furar o dedo e sentiu na mente a maquina que fez
perguntas, ele as foi respondendo mentalmente, olha Kevin e fala;
— Pensei que eram tecnologicamente inferiores.
— Não fomos nós que a fizemos, mas nunca achamos quem
nos ataca.
— São provavelmente ou Fanes ou uma espécie a base de
Silício que tenta controlar o crescer dos a base de Carbono, é tudo
que indica os números e estimativas.
Nuno acessa o sistema e coloca o DNA humano e fala.
— Se substituirmos o parte do Hidrogênio no DNA por flúor,
ele muda de forma, e fica mais reativo, e assim conseguem viver em
locais muito mais frios que os seres a base de carbono.
Nuno pega o comunicador e a nave deles emparelha com a
que estavam, a deles bem inferior, entendeu o comando e estendeu
uma ligação entre as duas. Um autômato traz duas amostrar e uma
caixa isolada, coloca no centro da peça e Nuno faz a mudança de
mudança da célula de hidrogênio pela de flúor e Kevin vê o cristal
verde ficar translucido.
— E o que acontece com o inverso? – Kevin.
198
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não vamos fazer isto direto rapaz, mas a pessoa teria de
estar em criogenia, pois... – Nuno altera um cristal translucido e vê
o mesmo ficar na cor de pele, seca, morta, e começa a soltar o
oxigênio e apodrecer, como estava na caixa não sentiram o cheiro
forte.
— Pelo jeito você também estudou isto. – Kevin.
— Eu sempre experimento limites, o que vou falar fica entre
nós Kevin.
— Fala.
Nuno põem a imagem de Claues Negros e fala;
— Se eu fizer esta disposição de Genoma, em uma célula
básica de carbono. – Ele prepara um sequencia de aminoácidos
básicos em um liquido de células tronco – Ele se faz um Claues
Negro, sem programação, um ser que precisa aprender, se inserir
inteligência, posso o programar, ele sobrevive a base de radiação de
qualquer tipo.
— Esta dizendo que somos seres criados por alguém?
— Não, podemos ter relações pois fomos feitos da mesma
base cientifica de humanoides, mas não somos criados por quem os
criou Kevin.
— E porque não?
— Se eu transformar o RNA para a base de silício, terei um ser
em cristal translucido, a andar por ai, podendo os programar para
caçar tudo que achar pela frente, ainda não consegui os fazer largar
o flúor, se conseguir, paro eles por sistema.
Kevin sorriu e falou.
— E o que pretende com isto?
— Se eu conseguir, inverto a programação e lanço eles para
onde eles vieram, com a informação que quisermos colocar, e com
uma inteligência suficiente para eles se acharem seres.
— Quer devolver o presente.
— Com certeza, mas isto me induz que pode ser que consiga
reverter estes seres, e se isto for possível, posso pelo menos tentar
trazer sua amada de volta, não sei se ela vai voltar, mas se voltar,
seria uma imensa vitória nossa.
— Imensa.

199
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Podemos instalar assim como na nossa nave, sistemas de
jatos de gás nas entradas para não termos os cristais, podemos
deixar sistemas de proteção, embora saibamos que o que gera as
mortes é que com o tempo esquecemos e quem está do outro lado
continua a mandar cristais.
— Eu os vi correr como espécie rapaz – Fala Kevin – atacando
todos os que estavam presentes, mas vimos que existia dois tipos,
um inteligente que comandava e os inertes que atacavam e
morriam.
— Viram onde?
— Numa pedra de gelo chamada Claues. – Kevin.
O rapaz aciona o sistema de criogenia e começa a
descongelar alguns, estavam começando a se preparar.

Nuno vai a sua nave, e se direciona com Regina a nave X630,


chega a ponte e toma um rapid630 que brilha vermelho e surge de
frente a Titan.
Nuno entra em contato com Carlos, depois de duas horas,
equipamento instalado, salta para Gaia, Nuno não desce no planeta,
ele sobrevoa e derrama aquele liquido sobre uma longa área vendo
o ferver do chão, teriam de limpar e purificar a terra, mas foi
isolando uma área, e quando uma imensa área estava isolada ele
desce ao Planeta.
Saulo acompanhava a ida de Nuno pelas câmeras da nave,
Nuno sai e olha aqueles seres olhando ao longe, devem ter
estranhando aquele liquido quente a superfície, para quem estava
na nave, sobre a plataforma, não aparentava o calor, mas fora do
uniforme estava a mais de 170° célsius.
Nuno estava pensando, deveria existir muita coisa a
investigar, ele gostava de não ter respostas, pois isto o forçava a
tentar evoluir.
— O que faremos?
— Estamos com um sistema que permite continuarmos na
nave por uns 200 anos, então vou dar as coordenadas para Call e
vamos estacionar a primeira delas, deixamos aberto uma porta
entre esta e a de Saulo, mantendo o caminho aberto.

200
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno passa as coordenadas, e ao fundo vê a grande nave
descer.
Os grandes seres observavam ao longe, mas mesmo aqueles
seres imensos eram muito pequenos comparados a grande nave.
Nuno olha para os seres saindo do mar, chegando perto. As
imagens mostravam eles se aproximarem, estavam olhando, Call
olha para os seres e pergunta.
— O que são estes seres?
— Uma evolução do ser que vi em Europa, um ser que se
comunica por som ou mentalmente, um ser que parece ter mais de
200 metros de estrutura, grandes pernas como um polvo, uma
cabeça que dizem ter uma inteligência grande.
— Acha que eles vão atacar?
— Eles não tem comida Call, a fome deles deve ter reduzido a
quantidades de seres, mas ainda estou observando.
— E quando vai agir.
— Somente se não tiver alternativa Call, são seres imensos,
mas devem existirem outros, que nos observam da agua, não vamos
declarar guerra, mas podemos observar e aprender. – Nuno.
Nuno termina os cálculos e olha pra Regina.
— A evolução de seres assim, parece mudar de acordo com a
oxidação de seus DNA, mas sinal que eles também evoluem, mas
mais lentamente.
O ser aproximava-se lentamente, parecia achar quente o piso
onde pisava, olhava em volta como se tivesse duvida do que fazer, o
ser emite um som agudo, não passou dos laser, mas as escutas
transmitiram para eles.
— Parece querer falar. – Call.
— Aquele ser em Axum falou com eles, parecem o respeitar,
estranho isto pois ele parecia em espirito, não entendi aquilo ainda.
— Está falando sério? – Rita.
Nuno apenas sacode a cabeça, olha a doutora e fala;
— Preciso trocar uma ideia, mas não sei como o fazer.
— Problema?
— Vamos ao laboratório.
Os 4 estavam sobre o planeta, os sistemas de motores que
mantinha uma gravidade interna tinha sido regulado para rodar
201
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
mais rápido, então não se percebia já estarem sobre o planeta,
chegam aos laboratórios, um autômato de carbono se apresenta,
Nuno passa parte da programação logica de seu funcionamento, os
demais ficam vendo ele fazer as perguntas e anotar todas elas.
— O que vai fazer? – Call.
— Testar, tem coisas que não podemos deixar para amanha.
— O que precisa de ajuda. – Rita.
— Se der certo, tenho de saber se dá para reanimar a pessoa.
— Dar certo oque? – Rita.
— Rita, tudo que temos, é uma infecção, que pelo que se
mostra, troca a célula de carbono por uma de silício, através de algo
que gera calor, forçam a troca do hidrogênio pelo Fluor, a
transformando em um ser onde todas as células deixam de ter
carbono e passam a ter na formula básica o silício.
— Tem provas disto?
— Sim, mas minhas duvidas, podemos reverter isto? Se
podemos, a pessoa deve voltar a forma, mas inerte, precisamos do
coração batendo rápido, e por ultimo, o calor da transformação, de
ida e de volta, pois preciso de uma nova fluorose para voltar,
danifica o cérebro ou não.
—Você sempre pensa a frente, gosto disto, não para na
afirmativa que é mortal, mas sabe que raramente teremos um
corpo conservado, pelo que entendi, isto explode.
— Somente as formas de infecção final, parece que no inicio
elas até se passam por pessoas normais Rita, elas vão infectando
tão silenciosamente na primeira medida que não se percebe, ai vem
uma pergunta a mais, os seres que são mandados, os da primeira
infecção são mais conscientes de quem são, e vão perdendo isto de
acordo com as sequenciais transformações, será que o próprio criar
deles através de uma infecção na base de Fluorose, não é para eles
não terem consciência no fim de quem são e não voltarem para
onde vieram?
— Acredita que eles atacam vindos para isto, é maluquice,
porque alguém faria isto.
— Milhares de possibilidades, vou dar uma Rita, imagina que
você é um povo numa parte da galáxia que existem vários grupos
inteligentes surgindo como você, e tendo tecnologia eles começam
202
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
a tentar matar os povos a volta, depois de gerações perdendo eles
podem resolver controlar o inicio de uma nova ameaça e toda vez
que elas chegam a um ponto de evolução eles apenas mandam a
infecção o que lhes garante a paz.
— Mas quem teria evolução a este nível?
— Rita, neste planeta, existiam humanos como nós, que
viviam aqui a mais de 18 milhões de anos, onde eles estão?
— Mortos por uma infecção, mas isto não prova nada.
— Coincidência nós e eles serem atacados pelo mesmo ser,
não somos planetas vizinhos e os espaços sem nada somam muito
mais do que os espaços com alguma coisa. – Nuno colocando o
cristal que tinha pego em Enceladus e o dali, exatamente o mesmo
na tela.
Rita olha os detalhes, olha desconfiada e pergunta;
— Está dizendo que algo atacou lá no nosso sistema e aqui
com a mesma espécie, isto é maluquice, parece aqueles malucos
que falam em conspiração.
— Rita, conheço humanos, que se tivessem uma arma assim
seriam capazes de lançar em países vizinhos, imagina em planetas
vizinhos.
Rita olha para o menino e fala;
— E não quer entender a arma?
— A arma é simples Rita, eu sentado aqui, usando o sistema
que tem ai, que provavelmente estes seres nem tem acesso, ou não
dão importância, defenderia as imediações de Mac 37, mas o que
quero não é isto, o que quero é curar disto.
Rita vê o rapaz a chamar e explicar o funcionamento do
sistema de extração celular que tinha ali, mostra como usando uma
célula de flúor, conseguia substituir o carbono pelo silício, assim
como forçar a troca do silício pelo carbono, em ambas, sobra de
energia e aquecimento.
Rita começa a se inteirar da ideia, parecia simples, mas não
era nada simples.
— Como podemos reverter, entendi, mas quer testar, mas
não entendi, quem é o rapaz?
Nuno coloca o sistema de criação do autômato na tela e fala;

203
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Rita, este ser é um ser de carbono, eu poderia o fazer de
silício, mas ele é programável, não tem memoria, o que estava
fazendo antes era inserir dados, para saber se os perderemos ou
não, o sistema deles é capaz de tocar neste cristal e não ser
infectado, por isto temos de testar, terei de baixar as defesas dele
para que de certo o teste.
Rita olha o ser, não parecia uma maquina, parecia um ser, a
mente dela parecia não aceitar que era um autômato, e fala.
— Não consigo acreditar que não é humano Nuno.
Nuno clica no desligar e o ser dobra as pernas sentando-se,
inclina o corpo para frente e fecha os olhos soltando os braços.
Rita chega perto, parecia real demais e pergunta;
— Isto é assustador.
— Rita, estes seres, se programados, se reproduzem, se
programados no básico, assumem a função de seres, o que vimos
naquele planeta gelado, eu consigo criar.
— Assustador, está dizendo que alguns seres podem ter sido
criados para habitar esta parte do universo.
— Rita, quando formos a Axur novamente, estaremos
conversando com pessoas que estiveram em criogenia nos últimos
30 mil anos, geneticamente falando, mais evoluídos que nós, não
entendi isto, mas os relatórios da nave deles aponta para isto, mas
não é isto que quero olhar lá.
— O que quer olhar lá? – Call.
— Eles tem naquela nave, que eles usam como abrigo, um
sistema de conservação de mais de 50 milhões de espécimes em
carbono, e mais de 50 milhões de espécimes em silício.
— Incrível, quem o fez?
— Não sei, mas foi um coletor, ou um colecionador, não sei,
mas o incrível lá, é que não existe uma cadeia humanoide azul,
preta, verde, vermelha, existe apenas a nossa, lá registrada, e a
Fanes como anteposto em Silício, mas todos os seres que vemos nas
narrativas do sistema que temos, não estão catalogados na nave.
— E de quando é está nave?
— Eles tentaram datar, mas nenhuma delas estava na terra,
então não temos como comparar o nível de carbono para datar,
mas os estudos apontam mais de 1 bilhão de anos, e a nave que
204
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
eles tem ali, interagem com nossas mentes, não com nossa voz ou
comandos físicos.
— Parece uma contradição ter algo assim, se existe alguém
tentando destruir tudo.
— Pelo que fala os registros da nave que aquele rapaz, Kevin
está, a 30M, o planeta Gaiana estava vazio, mas tinha sobre a
superfície, espalhado pelo planeta, 7 naves daquelas.
— Não entendi.
— Nem eles, mas eles usaram estas naves, para tentar
entender a tecnologia, eles usaram tecnologia que acreditavam ser
dos seres, mas no fundo, parecia não ser, eles não entendiam bem
como aconteceu, mas usaram a tecnologia.
— Acha que alguém criou tudo isto, mas porque eles
deixaram tudo para trás?
— Acho que alguém criou tudo isto, sim, acho, não é certeza
e vou correr atrás da resposta.
Nuno ativa o ser, teria de ir a frente.
— Mas Rita, quem o criou, não foi quem criou os seres, e
quem ataca, não é nem quem criou as instalações e tecnologia, e
nem quem criou os seres.
— É um acho?
— Nos relatos do rapaz, ele foi infectado por uma destas
pragas verdes, ele disse que tinha acesso pela praga verde aos
avatares, ele sentia-se poderoso, mas o ser que os infecta, cresce
internamente, e este ser divide com o portador seus
conhecimentos, foi nesta época que ele virou a confirmação de uma
lenda, e quase morreu por isto.
— O ser quase o matou?
— A historia é longa, mas os cristais carregam geneticamente
a memoria dos seres que infectaram, e nada na memoria do cristal
remetia a um criador, nada remetia a uma vida, embora remeta a
um planeta de onde todos saíram fugidos ao universo.
— Saíram fugidos, como assim?
— Seres como este que vê, pode se tornar um ser evolutivo,
se estiver sozinho em um planeta, e tiver mais dos deles a volta,
eles se reproduziriam e seriam a espécie dominante, pois eles

205
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
precisam de pouca comida, radiação solar, e um decimo da agua
que nós precisamos diariamente.
— Será que não é esta ameaça que os cristais tentam
destruir? – Regina.
— Não acho eles uma ameaça, eles como seres infectados são
muito inertes, mas pode ser, conta a historia daquele rapaz no
planeta ao lado, que eles vacinaram todos os presentes contra esta
infecção bacteriológica.
— Bactéria não tem vacina. – Rita.
— Sim, mas os relatos deles dizem que a praga verde, não
gosta de sangues com acides alta, eles não infectam crianças.
— Eles provocaram uma mudança física do sangue e se
livraram da praga, interessante.
— Bem interessante consideramos que estamos falando de
2M.
Rita sorriu.
— E acha que entendeu?
Nuno sorriu, ele não entendera, e isto para aquele jovem, era
um desafio, ele adorava desafios e falou.
— Rita, eu era uma criança, 6 anos, disseram que eu não
passaria na prova de seleção da E600, provei que conseguia, passei,
eu tinha 8 anos, o professor falava que a língua mundial seria
unificada em uma só, e por teimosia insisti aos meus pais aprender
3 línguas, me dando a pronuncia de outras línguas, que acabaram
não se unificando, eu tinha 10 anos, e era o aluno mais novo na
turma de programação, eu tinha 12 anos, quando desenvolvi o
sistema 3D CAD, eu tinha 14 quando fiz graduação em desafios
limítrofes, montando um sistema de sobrevivência a 5 mil metros
de profundidade, eu tinha 16 e fazia experimentos em sistema com
carbono, e com autômatos cibernéticos, se aos 18 anos, se me der
um desafio a mais, será para mim um desafio que pretendo
desvendar, obvio que não entendi, e obvio, não vim ao espaço
porque tinha as respostas, e sim, porque as queria responder.
— Mas o que pretende?
— O que precisamos ter aqui para reanimar alguém? Que
temperatura seria a ideal para congelar um ser infectado, para não
explodir e não morrer.
206
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Rita olha o ser e fala.
— Acha que precisa disto?
— Rita, é o conseguir de um aliado, que os livros de historia
da Terra dizem que nasceu no ano de 2003, ele está ali no planeta
do lado, vivo, mas ele tem sua companheira em criogenia, ele a
congelou quando ela se infectou, para um dia a tentar salvar, esta é
a minha meta, mas temos um problema.
— Um além de tudo?
— Sim, ela estava gravida, como poderíamos salvar ela e a
criança, pois a reanimar acho que a ciência atual consegue fácil, mas
e a criança a sua barriga.
Rita olha para Regina e pergunta;
— Ele sempre enfrenta assim?
— O rapaz nos fez duvidar de coisas que temos como ciência,
em minutos, ele sabe mais destes cristais que a maioria das pessoas
que conhecemos, e ainda não sabemos exatamente o que ele é. –
Regina.
— Como não sabemos? – Rita.
Nuno olha para a doutora e fala;
— Rita, o DNA dele é de um humanos, mas... Nuno coloca a
imagem de um DNA na tela - ...ele de alguma forma... – Coloca a
segunda imagem na tela ao lado - ...conseguiu fechar seus alelos,
diminuindo o sistema de oxidação dos extremos, e se
aproximarmos, ele tem uma serie de flúor nas pontas que
normalmente estão disponíveis na cadeia para uma interação,
gerando uma proteção a mais contra oxidação.
Rita chega perto e fala.
— Mas como alguém faz isto, o que gera isto?
— Não tenho a resposta Rita, mas ele entrou em criogenia,
tinha mais de 70 anos – Nuno põem a imagem dele na tela ao lado –
parece?
Rita olha para Nuno e pergunta;
— E acha que salvar a amada dele pode nos dar respostas?
— No mínimo, será uma tentativa, no máximo, uma forma de
enfrentarmos este problema se tivermos um dos nossos infectado,
e tudo isto, sem precisar brigar com pessoas que não são inimigas.

207
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

Faziam seis horas que estavam


fazendo os testes quando ouvem um grande
estouro, Nuno olha para Rita e fala.
— Estamos quase lá, se conseguir
fechar os detalhes finais me fala.
— Sabe que ainda não é seguro?
— E quando vai ser Rita, estamos falando de humanos do
outro lado.
— Certo, mas vai lá ver o que está acontecendo, melhor
estarmos seguros, aqueles seres lá fora parecem perigosos.
Nuno lembrou dos seres e acionou o sistema manual e olha
as imagens, se via a grande fenda feita na parte superior, os seres
jogaram um grande pedaço de rocha, o laser destorceu e acabou
danificando uma das pontas do casco, aciona os autômatos de
concerto e liga o sistema vermelho de proteção, Nuno olhava para
os seres que recuam, eles sabiam o que era aquela proteção, isto
fez Nuno ficar mais confiante referente a deixar a proteção ligada.
Nuno olha para Rita e fala.
— Vou lá, se puder fazer os sistemas responderem
exatamente como queremos, acredito que podemos conseguir.
— Verdade.
Nuno dá a mão a Regina e sai pela porta.
— Ela ficou assustada quando o primeiro autômato não
voltou Nuno.
— Sei disto, mas por algum motivo este caminho me revelou
eles, sinal que seriam uteis, se tivéssemos tentado direto na moça a
teríamos matado sem chance de segunda chance.
— O que estão tentando ainda, o ultimo voltou? – Regina –
Não entendi, acho que cansei de ver as repetições sequenciais.
— Estamos reduzindo a temperatura, se conseguirmos fazer
com um terço do flúor inicial, a temperatura diminui, e os micro
controles – Controles que todos eles tinham na veia, que controlava
suas saúdes – conseguem se instalar no corpo da moça em um terço
de minuto, forçando o corpo a dar os micro choques forçando o
coração da criança voltar a funcionar.
208
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Então já estão pensando na criança?
— Sim, mas a redução da temperatura, também deve
melhorar as respostas do autômato, que havia perdido parte da
memoria.
— Ela pode não lembrar dele?
— Uma das grandes probabilidade, mas se existia algo forte,
ele terá pelo menos a chance de a reconquistar.
— Uma chance sempre é melhor que nenhuma.
Nuno a abraça e fala.
— Sabe que os demais acham que sou frio demais, mas o
olhar do rapaz para a moça e para a barriga dela, é algo que nossa
sociedade não tem mais, o nojo pelos filhos foi parte da mudança
de nossa evolução, isto que me tocou, ele sentia a perda dos dois.
— Notei, sabe que talvez discordemos nesta hora?
— Sei, as mulheres são diferentes hoje daquela época, elas
escolhem quando, como e se querem um filho gerado em seus
ventres ou no sistema de criação em liquido fetal, mas tem de
concordar que eles estão mais preparados para preencher mundos
onde não existe este tipo de tecnologia, ou que em 100 anos não
existirá.
— Você sempre pensando no tempo a frente.
— Neste instante estou pensando no passado para entender
o que enfrentaremos no futuro.
— E o que faremos?
— Não sei ainda, quero ver se os concertos estão correndo
bem, os seres jogaram uma imensa pedra, e isto no começo não
distorceu a proteção laser, mas eles vendo ela balançar começaram
a jogar mais e mais pedras até o balançar da proteção atingir a
nave.
Os dois chegam ao comando e olham para os sistemas e
Nuno coloca dois sistema a rastrear a área.
— O que procura?
— Estudando esta cidade que deveria ter mais de 100 mil
humanos, e agora não tem mais nada, apenas ruinas, se existe
chance de a recuperar.
— Querendo construir aqui nossa cidade?

209
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não tinha pensado nela como nossa, mas sim, construir
uma cidade, vi alguns equipamentos que tem em quase todas as
casas, não sei para que serve.
— Não para?
— Daqui a pouco, estou precisando de uma massagem
mesmo.
Regina sorriu e falou;
— Está ficando bom nisto.
— Queria acreditar nisto, me sinto ainda inseguro.
— Bobo.
Nuno olha os sistemas e abre um caminho ao centro da
cidade, estranha, pois a cidade tinha um sistema desligado de
proteção, talvez nunca tenha sido ativado, ele tentava entender a
historia, estica a mão para Regina e fala.
— Vamos?
— Onde?
— Ao prédio central, quero instalar lá um sistema de
proteção, vamos isolar uma área de 300 alqueires de terra, a área
que derramei o metanol, depois vamos por os autômatos para
trabalhar e por ultimo, vamos enfrentar os inimigos.
— Não para nunca mesmo.
— Estamos parados, em um planeta que tem quase a mesma
distancia da Terra ao nosso sol, em um sol que é apenas 0,02% mais
fraco que o nosso, o planeta tem áreas planas e pouco
montanhosas, e mares imensos, em área, temos duas vezes mais
Terra cultivável neste planeta que continentes na Terra, é o sonho
de qualquer humano, ou não?
— Sim, mas temos problemas.
— Nada que não se resolva.
Os dois saem para a área de transporte, entram em uma nave
de pesquisa, ligam a linha de proteção, e saem lentamente ao ar,
dando a volta na nave, os seres estavam a toda volta.
Nuno viu um deles jogar um dos tentáculos no sentido da
nave, deve ter doido.
Regina olha os seres e fala.
— Eles estão sobre a área que desinfetamos.

210
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Estão, sabemos disto, mas não sei ainda como os espantar
dai sem os machucar.
— Tenta ser sempre muito racional.
— Tento ser justo, o planeta é deles, devem existir outros
seres no mar, mas ainda não entendemos o planeta para começar
destruir algo.
Chegam ao centro, via-se alguns daqueles monstros marinhos
chegarem perto, Nuno ampliou a proteção da nave, e entram com
dois autômatos na sede central.
Foram duas horas colocando o equipamento, os painéis de
energia solar, os de energia de fusão, e os geradores a combustão,
todos eles prontos a funcionar, não iriam se descuidar um
momento, faltou uma energia apoiar-se-iam na próxima.
A proteção do prédio central foi instalada, e antes dos seres
chegarem na praça central ele ativou isolando aquele trecho.
Nuno olha para o comunicador, pedindo alguns autômatos,
ele iria começar pelo centro da cidade a limpar.
O retirar da pequena camada ainda quente do solo, com tudo
que tinha ali era o inicio do trabalho.
Os autômatos começam a fazer a sua parte, começam a
limpar algumas áreas, na parte interna da nave, a dois dias haviam
colocado algumas sementes de arvores em canteiros de cultivo, ao
longe os seres estavam cercando, mais este trecho.
— Acha que eles vão tentar?
— Acho que toda a força que os locais usaram não resolveu o
problema, mas estes não usavam as proteções como a vamos usar.
Nuno acompanha o limpar daquela praça com o prédio
central, a força da proteção agora estava a toda, e um grupo desce
pelo corredor de entrada superior, e começam a abrir na praça, em
trechos que haviam espaços de canteiros, começam a plantar
leguminosas, já que para os humanos o que valia neste momento,
eram apenas plantas produtivas.
Os seres parecem observar ao longe, talvez não entendendo,
mas os seres que viam, estavam refazendo a cidade básica ali.

211
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

Três meses de muito trabalho


Nuno havia ido a três cidades
abandonadas naquele planeta, ele colocou
sistemas de proteção nas outras três,
gerando 4 locais iniciais de instalação,
começava naquela tarde a abrir um corredor de cultivo, trezentas
espécimes de plantas, a primeira leva de clonagem de aves estava
sendo instalada em anexo a uma cidade ao norte, temperatura bem
agradável nesta época.
Três meses que Nuno e Regina quase tocavam o planeta sós,
quando ele dá sinal verde para os pontos protegidos para Saulo e os
espaço-nautas pisam no planeta, o olhar daquele planeta
começando a ficar verde, era algo que alegrou muitos, um mundo a
criar, a evoluir, a iniciar do zero, uma responsabilidade imensa.
Nuno vendo os demais se instalando, olha Saulo.
— Nuno 1 entregando as instalações prontas para residência
Comandantes, 4 cidades iniciais, em 4 pontos de cultivo, temos as
primeiras plantações e criações já iniciadas.
— Você faz eles se acomodarem Nuno 1. – Saulo.
— Toda vez que eles relaxarem demais Comandante, manda
eles olharem para o mar.
Saulo olha os seres ao longe e fala.
— Todos com medo e você os enfrenta, como alguns dizem
por ai nos comunicadores, lamentam não ter Nuno 1 em seu quadro
de candidatos.
— Agora me respeitam comandante, mas sei que ainda
estamos começando.
— E vai fazer oque agora?
— Os autômatos que limparam estas três cidades, vão limpar
outras 20, na nave que vim, o sistema de criogenia vai ser
desativado assim que elas estiverem limpas, teremos duas cidade
de 3 mil pessoas, iniciamos assim que pousamos a 3 meses, o
processo de fecundação in vitro do programa, e as capsulas de
criação dos fetos estão todos em funcionamento. Os autômatos ao
fundo estão criando as primeiras escolas e estruturas para a criação

212
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
destas crianças, em 18 anos devemos ter gente suficiente para
desativar estes sistemas.
— E os demais pensando que os dois estavam a curtir
núpcias.
— Senhor, este mundo vai dar trabalho para descontaminar
totalmente, um trabalho de mais de 120 anos, mas ele é um planeta
incrível realmente para passear.
— E tem planos pelo jeito para 120 anos.
— Saulo, eu estou ajudando por mais 6 meses, dai vou voltar
a Terra, ajeitar as coisas, e devo voltar dai para ficar uma vida aqui.
— Vai voltar, sabe que eles não vão gostar disto.
— Saulo, este não é um lugar para eles, é para nós,
chegamos, vamos criar nosso mundo, e vamos evoluir, em um
mundo saudável.
— Certo, mas ainda vai ficar alguns meses.
— Sim.

Faziam 98 dias que haviam pisado no


planeta quando Rita chega a eles no
comando, e fala.
— Acredito que tenhamos chance
agora.
— E o que precisamos? – Nuno.
— Os autômatos colocaram em uma nave tudo que
precisamos, sabe quantos vamos trazer a vida?
— Ainda não, mas estranhei eles não aparecerem por aqui.
— Eles devem estar pensando em se somos perigo ou
solução.
Nuno pensou na possibilidade e falou;
— Vamos lá, hora de começar o segundo projeto deste
sistema solar.
Regina o abraça e fala;
— Esta aventura parece não acabar nunca.

213
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Esta aventura é maior que tudo que conhecemos como
historia, mas ouviu o rapaz falar, esvaziaram a Terra e colocaram
gente em 22 planetas além da Terra para escapar dos cristais.
— Eles não fugiram, eles revolucionaram tudo, entendo o
problema que enfrentaram, todos duvidam, mas querem após
conquistado o premio.
— Não duvido que tenha sido bem este o problema. – Nuno.
Os quatro caminham até a nave, e decolam no sentido de
Axur.
A nave se aproxima do local que estava o disco e ele não
estava lá, Nuno olha em volta e fala;
— Não entendi, eles saíram.
— Onde eles iriam?
Nuno desce no planeta e dois cargueiros começam derramar
metano no chão daquele vale que estavam.
Nuno entra no sistema e tenta achar eles, estranha pois
parecia que saíram a pouco, olha para a imagem que tinha do
comunicado da Terra, de Los Alamos e vê a mesma surgir lá.
— O que está acontecendo? – Rita.
— Odeio improvisar Rita, mas estamos prestes a entrar em
um enfrentamento sem saber o que está acontecendo.
— Por quê? – Regina.
— Eles acabam de voltar a Terra, eles estiveram parados aqui
30M e logo após nos ver resolvem voltar, o que está errado? – Nuno
pega o comunicador e liga para Carlos em Titan.
— Problemas Nuno?
— Estou saindo daqui em minutos para a Terra, mas algo saiu
daqui para a Terra, a pergunta, porque foram para lá.
— Desconfia?
— Não ainda, talvez tenhamos demorado demais para os
ajudar, mas não sei ainda, o pessoal instalou o que pedi e mandei
em Destruidores?
— Sim.
— E o pessoal em Marte?
— Devem ter uns 200 novos Destruidores prontos?
— Manda tudo para Los Alamos.
— Não entendi.
214
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Nem eu.
Nuno liga para Noá e fala;
— Podemos falar comandante Noá?
Noá olha o monitor que ascendeu, ouvira como se fosse ao
lado, olha meio assustado.
— O que quer agora?
— Ajuda.
— O que aconteceu, você pedindo ajuda.
— Abre os registros de sistema, aqueles que não mostram a
ninguém, sobre Kevin Pereira, e seu grupo, quando chegamos a
Axur, existia um disco imenso, com eles em criogenia, mas voltei
agora, depois de estabelecer a base em Gaia, e eles não estavam
mais aqui, a energia diz que pularam para a Terra, mais exatamente
Los Alamos, estou mandando reforço, não sei o real problema, mas
estou alertando, devo estar na Terra no fim do Dia de Los Alamos.
— Despertou um mito?
— Ele não é mito Noá, olha e se prepara, algo está errado e
não entendi oque.
Nuno olha para Call e pergunta;
— Quer voltar ou tocar as coisas por aqui.
— Preferia não voltar.
— Rita? – Nuno a olhando.
— Talvez eu seja útil lá, pois desenvolvi o sistema de volta.
— Vamos quando? – Regina.
— Em minutos estamos saindo, mas não entendi ainda o que
precisamos fazer, isto me deixa tenso.
Call olha o menino e fala.
— E vai para lá todos o querendo aqui?
— Era para ir em 6 meses, vou agora, e talvez em 6 meses
volte, mas o sistema deve começar a gerar a primeira cidade deste
planeta Call, e as plantações, vamos mudar este planeta.

Noá olha os dados e as


informações vindas do planeta,
olha para o sistema e pede para
215
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
falar com a presidência dos Estados Unidos das Américas.
Espera duas horas, enquanto estuda os relatos do rapaz que
Nuno falou e olha o auxiliar;
— Se este ser for real, e os dados que temos afirma que algo
imenso surgiu em Los Alamos e que a base está se acendendo,
como se fosse reativada, não sei se é um amigo ou inimigo.
— Não entendi a historia?
— Nem eu, este é um relato que é proibido, um dos textos
tirados da historia do passado, a historia de um menino, que
dominava um autômato, um menino que cresce e gera conquistas
até ser expulso do planeta, um grupo querendo a tecnologia que
eles desenvolveram, os acusaram da morte de um terço da
população terrestre por uma infecção que ninguém conseguia curar,
aqui diz que o rapaz se exila, mas tem muito texto que foi apagado
dos registros, nem eu tenho mais acesso, pois eles não estão mais
ai.
— O que seria tão serio, a ponto deles apagarem da historia?
— Algo que fez os ser voltar, talvez ele estivesse esperando
um momento, talvez ele não esteja ali como inimigo, mas Nuno não
confia, e o presidente vai nos enrolar.
Noá olha o comunicador e piscar e o liga;
— Quem pede contato?
— Comandante Carlos, do sistema de Júpiter, junto como
Bruno do sistema Marte, chegando com reforço, para qualquer
problema, já temos uma posição do Presidente das Américas Unidas
Noá?
— Não, ele não nos responde.
— O acalma.
Carlos desliga e as naves passam ao longe descendo e Noá
olha a frota de mais de 300 destruidores começarem a descer,
surgiram do nada, e começam a descer.
Noá olha e sorri, o menino não sabia medir força, ele sempre
usava força demais.
Noá olha o comunicador e um secretario de Governo surge na
Tela.
— Terra para Luna 1, qual a urgência que pedem para falar
com o presidente?
216
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Fomos alertados de uma invasão de uma base em suas
terras por forças que desconhecemos a origem, e resolvemos
alertar, mas enquanto nos faziam esperar, dois comandos, um de
Marte e um de Júpiter, surgiram nos radares e estão entrando em
seu espaço aéreo, no sentido de Los Alamos.
— Está nos alertando ou invadindo.
— Senhor, é serio, uma nave de origem desconhecida, desceu
em Los Alamos a 2 horas, a 15 minutos, Nuno Martins, direto não
sei de onde, alertou sua empresa a dar cobertura e proteção a sua
nação, mas ele acaba de me mandar um recado que estará em Los
Alamos antes do anoitecer.
— Afirma que Nuno Martins estará na cidade proibida hoje.
— Como ele fala, vocês não ouvem mesmo, eu não o ouço,
mas se quer entender assim, sim, ele estará ai.
No planeta Kevin ativa a base de Los Alamos e olha em volta,
tudo ativo, tudo funciona, olha para aquele ser de cristal olhar para
ele e falar.
— Não me deu alternativa no passado Kevin, se ajudar eu
posso lhe devolver seu amor.
Nuno passa por um corredor de passagem e olha para o ser
de cristal e fala.
— Vai trair um planeta por uma promessa que o ser não tem
como cumprir Kevin?
Kevin olha Nuno e fala;
— Não entendeu, todos os demais se transformaram em
cristal, eles me deixaram ali para o dia que eles poderiam voltar, o
dia que eles teriam o planeta Iago, eu não tenho alternativa.
— Tinha todas, mas onde estão os seres?
— Estão saindo por ai.
Nuno apenas aperta o comando as costas e olha para Regina
e Rita brilharem e olha o ser e fala.
— Sabe o que acho cômico? – Nuno.
— Oque?
— Este ser que lhe oferece algo, está condenado a morte, ele
está ainda vivo, porque você os colocou em criogenia, pois eles não
evoluem, eles regridem a cada ser que avançam, pois eles começam

217
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
pelos inteligentes e terminam pelas gramíneas, onde não existe
mais comunicação como entendemos.
— Não entende, eu tenho uma chance de ter meu amor de
volta.
— Escolha errada Kevin.
— Não entende mesmo.
Nuno quando ligara o sistema de proteção, toda a região de
Los Alamos cerca-se com a linha de proteção, eles não teriam como
sair, os que saíram eles perseguiriam, mas as naves ao ar estavam a
atirar nas pessoas caminhando para a cidade.
Os rapazes ligam as camadas de desintegração e avançam no
sentido dos seres.
Nuno olha para o ser e pergunta;
— Como pode querer vencer se mesmo quando vence,
perde?
— Não sabe o que fala.
— Eu sei de onde vocês vieram, você sabe?
O ser olha para Nuno, este sabia que ele como estava com a
proteção baixada, seria o caminho que ele seguiria.
O olhar de Nuno para Kevin, parecia ignorar o caminhar do
ser no seu sentido.
— Tem de entender, ele não tem como a salvar, mas se
deixar tentar lhe ajudar.
— Ninguém nunca voltou, você mesmo disse que ela estava
morta.
— Kevin, tudo que olha em volta, é um mundo que não
entende mais, obvio, se os seres colherem 40 bilhões de humanos, é
uma senhora perda, mas obvio, agora sabemos como os enfrentar.
As naves avançavam e derramavam metano sobre os seres, e
se via uma leva de fogo, de cristais se desmanchando, enquanto do
lado de dentro o ser avançava no sentido de Nuno.
Nuno olha o ser segurando seu braço, sente o cristal começar
o cercar, ele não pensou, ligou a cúpula local e uma o cercou,
assustando o ser, afasta a mão rápido, mas parte dela cai ao chão,
mas na cúpula ele olha o corpo congelando, Nuno sente uma dor
que nunca sentira, o congelar instantâneo, a dor foi grande.
Kevin viu que o ser olhar para as moças e falar.
218
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Vocês acham que vão vencer?
— Vocês não vencem, vocês destroem e morrem, você nem
sabe o que é, e quer dizer que vai ganhar! – Regina olhando Nuno,
tentando ser forte.
— Acha que entendeu, ele é o líder que comanda os demais!
– Kevin a olhando.
— Nuno saberia programar um ser como este Kevin, ele sabe
que eles são programados a mentir, a matar, mas esta mesma
programação não os deixa recusar um toque, uma mudança, então
a cada mudança eles perdem um pedaço do programa inicial, até
ficar apenas no instinto.
Regina aciona o sistema de Metano que cai sobre o ser, e
sobre toda a região, viu o rapaz tocar o peito e surgir um avatar, ela
pensou que ele a atacaria.
Rita vê o ser sumir, olha a cúpula da moça ainda ali, ele não a
descongelara, olha para Nuno e fala.
— Vamos o trazer rapidamente Regina.
Os autômatos começa a montar a estrutura.
Do lado de fora, uma porção de seres começa a queimar no
chão, os caças ficam ao longe, pois eles chegaram para atacar e
viram os grandes Destruidores ao ar, não eram caças, eram
maquinas de destruição.
A região isolada, e os caminhos começam a fechar, se vendo
milhares de autômatos fechando a região, haviam pelo menos 12
vilas a volta todas infectadas, e o isolar era algo que não facilitava
para quem estava para dentro, mas os autômatos começam a
vacinar as pessoas, a isolar os que se recusavam a ser vacinados,
isolar todos os seres, e um segundo circulo de energia surge em um
raio maior.
Nuno é colocado em um sistema de manipulação atômica,
que registra todas as suas moléculas, registra os micro sistemas de
controle os reprogramando, e deitado a uma cama, gelada, ele sai
da criogenia, e ao mesmo tempo, sente todas as células aquecerem,
sente o corpo pegando fogo, os controles novos entrando em sua
veia, os sistemas lhe darem o choque, e sente o coração voltar,
sente os olhos bem irritados.

219
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Nuno olha em volta e nada vê, como se tivesse poeira nos
olhos, e fala;
— Algo está irritando meus olhos.
Rita olha os olhos, olha os cristais nele, os limpa, os olhos
ficam vermelhos, e Nuno sente a mão de Regina nas suas.
— Arrisca muito.
— Pelo menos sei que funcionou.
— É, como diz sempre, és cobaia de seus próprios
experimentos, mas o que faremos agora.
— Vamos a trazer a vida Rita, torcer que funcione, e vamos
ver os estragos.
— O ar está tomado de naves, amigas e inimigas, não
entendi, existe um registro de entrada no sistema solar de 4
grandes meteoros.
— Vamos fazer as coisas aos poucos. Prepara a moça, tragam
ela para a vida, e vou a batalha.
Nuno se levanta e olha para Kevin surgir a sua frente;
— Não deveria estar morto?
— O dia que se preparar para os enfrentamentos, entenderá,
eles vão bombardear a Terra novamente. – Nuno.
— Como sabe?
— Eu controlo este sistema solar Kevin, elas vão tentar trazer
sua amada a vida, mas tem de entender, o grande risco são as
memorias dela, mas agora tenho de sair.
Nuno pega o comunicador e liga para Noá.
— Como estão as coisas Noá?
— O presidente vai mandar tudo sobre você.
— Não estava falando de mim, estou falando do que entrou
no sistema solar a minutos, e deve atingir a Terra em 26 horas.
— Não sei o que é aquilo?
— Seres de cristal, nosso juízo final.
— Por isto voltou?
— Noá, eu tenho um planeta 3 vezes maior que a Terra, para
morar e ver meus filhos crescerem, voltei apenas por isto.
— O que precisa?
— Consegue a rota de colisão.
— O que vai fazer?
220
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Vou desintegrar estes seres, antes de chegarem na Terra.
Noá começa a pegar os dados, entendeu o problema, lera
sobre a infecção, entendera que seria morte em uma escala nunca
vista na Terra.
Nuno olha para o ar e olha os autômatos chegando a ele;
— Estamos isolando os seres.
— Os vacinando?
— Sim.
— Muitos mortos?
— Eles eram muitos.
— Temos de ter certeza que nenhum passou.
— Estamos fechando um circulo maior para isto.
— Fecha um circulo de 60 quilômetros de raio, vacina todos,
e um de 120 quilômetros, estamos fazendo as vacinas para estes.
— E os infectados?
— Isola e manda Metanol neles.
— Os demais vão ficar chocados.
— Eu não me preocupo em chocar, entendi o problema,
quando se vê a morte de conhecidos, nós viramos os criminosos,
mas eles morreriam todos se não o fizéssemos, segura gravações, e
transmissões para fora dos círculos.
— Quase impossível isto senhor.
— Senhor não me cabe, mas tenta.
Nuno olha para a nave pousando ao fundo e vê Carlos sair
dela;
— Vamos onde?
— Washington.
Uma linha de naves começa a subir ao espaço, e se unem em
uma formação gerando uma grande área de proteção, e avançam
no sentido do que vinha a eles.
No espaço duas imensas rochas acompanhadas de uma soma
de naves.
As mesmas olham a formação, pareciam muito maiores, mas
entraram na linha de proteção avermelhada, e somem no espaço,
desintegrando-se no espaço.
Noá registra uma segunda entrada e começa a programar os
pontos e vê que vinha uma terceira linha, desta vez eles não
221
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
queriam dar a chance de sobrevivência, ele passa para Nuno o que
aconteceria e vê uma leva de Destruidores decolar da Lua, e de Luna
2 para ajudarem em mais 3 formações de proteção.
Nuno começa a descer em frente a Casa Branca, em meio a
uma leva de autômatos de proteção a porta, exercito em volta, uma
linha de Destruidores surge ao espaço e Nuno sabia que não eram
as dele, mas olha para Carlos e fala.
— Mantem a proteção levantada, não viemos atacar.
— Eles sabem disto?
— Obvio que não, se soubessem não teria graça.
Nuno abre a parte de trás da nave, uma leva de autômatos
em seus uniformes de Espaço-nautas, começa a sair e se postar em
formação de proteção, levantam suas proteções pessoais e os
demais na casa branca se olham, não sabiam quem era, mas não
atacaram.
Nuno sai da nave e olha para o rapaz a porta e fala;
— O presidente teria coragem de falar comigo?
— Quem acha que é?
— Quem está defendendo o planeta, se causei eles virem,
tenho que ajudar a não chegarem.
— Não respondeu.
Nuno abre o capacete e fala;
— Nuno Martins.
O senhor olha aquela criança e fala;
— Pensei que fosse mais inteligente, sabe que está cercado?
– O comandante.
Nuno sorri e fala.
— Dizem que os loucos são assim.
Os militares começam a se armar, o menino era o que o
presidente mandara prender, estava ali, Nuno olha em volta e faz
sinal para os demais recuarem, ergue a proteção contra balas
interna a roupa, uma que ele estudara nos últimos dias, parecia
inofensiva, e não se via, ficava entre duas camadas da roupa de
espaço-nauta.
Os demais recuam e ficam na proteção da nave, Nuno olha
em volta, um repórter ao longe, outro estava chegando, e fala.
— Pensei que tinha um homem de coragem no poder.
222
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Sabe que o prenderemos?
— Acusação?
— Terrorismo.
— Se fosse terrorista estes ai estavam se borrando
comandante, sabe disto, eles são cagões.
Nuno anda 6 passos saindo da proteção da nave, os soldados
começam a pensar em lhe cercar, Nuno sente o primeiro tiro de
uma espécie de sonífero, eles não viram se desintegrar por dentro
da primeira camada, viram ele pegar no ombro, fazer cena, olhar
em volta, medir cada um deles, 36 deles, os mede um a um e saca a
arma as costas, 35 tiros e tinham 35 pessoas adormecendo em volta
e olha o comandante a frente e fala.
— Vai me conduzir a ele ou vou ter de invadir?
O senhor viu a rapidez, viu a roupa do rapaz receber alguns
tiros, mas estava ali, viu ele olhando-o.
— Sabe as ordens, não tenho como as desobedecerem.
Nuno olha o senhor e faz sinal com a mão e os autômatos se
passando por espaço-nautas avançam, um dá um tiro de sonífero no
senhor a frente, entram na região desarmando e desacordando
todos.
Nuno entra no terreno, olhando os autômatos fazendo
segurança, olha para as câmeras e fala no comunicador.
— Saímos daqui a pouco Carlos.
Nuno entra na sala onde estava o secretario de segurança e o
presidente e fala.
— Não era mais fácil me receber presidente?
— Eu o pego ainda.
— Terá de ir a Mac 37 para isto senhor, mas vim explicar o
que estamos fazendo, não entrar em guerra, obvio, me serve muito
aquelas câmeras e sua teimosia.
— Está me usando?
— Senhor, temos uma infecção na região de Los Alamos, eu
estou a isolando e vacinando, estamos evitando que 3 ataques
cheguem a Terra, e a tomada da Casa Branca, me torna o que
defende, que sou um Terrorista, chamo toda a imprensa para cá e
param de olhar para lá.
— Porque disto?
223
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Seu sistema de dados, tem um referente a uma infecção a
30M, os seres voltaram.
— Sabe que não aceitarei suas empresas neste país
novamente.
— Também não estou preocupado senhor.
Pela janela se via os Destruidores da Nação sobre a que Carlos
estava e o presidente fala.
— Acha que sai sem retaliação?
— Senhor, eu estou lhe comunicando, não faz besteira, estou
defendendo o meu povo, não o senhor, por sinal, sei que o senhor
também estava nos planos de meu pai, agora que ele morreu está
colocando as garras de fora, mas saiba, não tenho pena de quem
manda matar uma criança, ou facilita a operação para o matar.
— Esta me acusando.
— Afirmando, mas acho que daqui a pouco vou sair, e
desculpa, mas vou ter de os amarrar a todos.
— Eu o mato.
— Senhor, sempre digo que se vai puxar uma arma para mim,
melhor estar pronto para morrer.
Nuno dá as costas, sente o desintegrar da bala nas costas e
olha par o secretario de segurança, e atira com a arma com sonífero
na testa do mesmo, o presidente olha assustado o senhor cair para
trás, e Nuno falar.
— Amarra todos.
Nuno começa a sair, olha para os Destruidores, e ao espaço
surgem mais 20 destruidores e apenas faz sinal para os autômatos
saírem em formação.
A imprensa pega a imagem do pessoal saindo, os tiros dos
destruidores não chegava a eles.
Nuno chega a nave, os autômatos entram e olha e programa
uma curva de saída.
O repórter estava ao chão, vendo os tiros, se protegendo dos
tiros dos Destruidores sobre aquele grupo, quando olha a nave
brilhar naquele fim de dia, e a vê disparar em uma curva para cima,
uma curva longa, quando termina de fazer os 360° da volta total, o
repórter se protege da queda dos restos dos 20 destruidores.
— O que é isto? – O repórter.
224
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Não sabemos, mas quem era o rapaz, não deu para ver
daqui. – A repórter ao lado.
— A segurança presidencial começa acordar, ele não os
matou, ele apenas os desacordou.
O repórter olha o cinegrafista e pergunta;
— Pegou o movimento do rapaz, somente aquele tiroteio já
vale a reportagem, pois o rapaz derrubou a segurança presidencial
com uma única arma.
A moça olha os senhores se levantarem e fala;
— Vou falar com meu primo, que trabalha ali, vamos
descobrir quem fez isto.
O segundo repórter sorriu, uma fonte, ele vê ela chegar ao
primo e perguntar;
— Oi primo, teria como confirmar quem fez este estrago?
Ela não ouviu, pois ele não falou alto, apenas mexeu os lábios
e ela falou;
— Nuno Martins?
O rapaz se afastando apenas concordou com a cabeça e a
moça olha o repórter e fala.
— O rapaz que o presidente acusou de terrorismo, que todos
falavam que estava no espaço, outros que estava morto, não nos
pareceu morto.
— E o grupo dele também é bem treinado, se o presidente
queria carta branca para agir, agora vai conseguir.
Nuno olha Carlos na Nave e fala;
— Antes do fim do Dia, todos tem de estar fora do Planeta.
— Acha que vão nos atacar ainda?
— Tem duvida porque Carlos?
— Salvamos o planeta.
— Quem viu isto?
Carlos olha para o espaço;
— Merda, fazemos o certo e não levamos os créditos.
— É meu convidado para quando for a Mac 37.
— É mesmo uma Super-Terra?
Nuno balançou a cabeça e fala;
— Base rapidamente Carlos.

225
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Carlos olha os dados, alguém estava ferido, e Nuno não falou
quem, descem na base e se deparam com os avatares de guerra
todos do lado de fora, não sabia quem estava neles, mas algo estava
errado.
O olhar para Carlos fez ele ficar, e assim que Nuno foi a
calçada ele fechou a nave.
Nuno olha o grande Crazy for Salt a sua frente;
— Vocês a mataram.
— Esta carapaça não lhe cabe Kevin, você tem mais de 70
anos e continua uma criança, não é um herói, apenas uma criança.
— Eu salvei este planeta, varias vezes.
— De que adianta, se aliou-se ao inimigo, herói de merda
vocês tem. – Fala Nuno olhando o rapaz.
— Eles estão do outro lado.
— Então continua querendo destruir o planeta, por uma vida,
e achou uma justificativa para isto, seria cômico, se não fosse
infantil.
Os dados de Regina estavam ficando piores, Nuno aciona os
autômatos para invadir discretamente e olha os demais.
— Se tem algum humano ainda ai, vai doer, podem ter
certeza, não sou bonzinho.
Kevin riu, mas olhou o rapaz, ele estava serio.
— Vamos acabar com eles e depois derrubamos a barreira. –
Falou outro dos seres.
Nuno programou para uma das barreiras começar a encolher,
começa a determinar o raio como zero e ampliar após isto
novamente.
Nuno sente aquele ser ao seu lado, estranha, olha aquele
menino, e ouve em sua mente.
“A criança morreu, isto o deixou triste.”
“E a moça?”
“Se recuperando, mas tem de agir rápido, sua amada estará
como a dele esteve em instantes.”
“Ele não o vê?”
“Não, meu protegido nunca foi ele, e está bem longe de lá!”
“Quem é seu protegido?”
“Pedro Rosa!”
226
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
“Quer dizer ERA?”
“Ele ainda vive Nuno Martins.”
A mente de Nuno tentava entender a historia, via a proteção
chegando, e os seres avançando em seu sentido, olha para Kevin e
fala.
— Ser um herói não é ser forte o tempo inteiro, é pensar no
todo o tempo quem são os nossos, quem queremos salvar, quem
merece ser salvo.
— Eles lhe odeiam, e vem me falar que não sou um herói.
— Nunca quis o amor deles, fala que a matamos, e infectou
minha amada, você é um engano, ou não entendeu nada.
O ser não entendeu, via a proteção vindo e fala.
— Vai nos matar, acha que morremos fácil?
— Não entendeu, eu morro por uma conquista, tem esta
coragem menino?
Nuno olha a proteção passar por ele, estava cadastrado para
isto, os seres viram a proteção os atingir, Nuno olha o rapaz que
fala.
— Não posso morrer agora.
Nuno olha em volta e clica no pausar, e olha o rapaz olhando
os demais caídos no chão e pergunta.
— Porque não poderia morrer agora?
— Meu amor ficara sozinha.
— Ela ficara sozinha de qualquer forma Kevin, pois acha que
ela concorda com o fim da Terra pela vida dela?
— Ela entende que a amo.
— Isto não é uma demonstração de amor rapaz.
Nuno estava olhando de fora da proteção, olha os dados, o
coração de Regina parara, ele olha para o rapaz prezo ali, e entra,
corre para dentro e olha Rita.
— O que aconteceu Rita?
Os autômatos estavam tentando remontar, ele olha Regina
na coluna de proteção, olha a moça a cama a se recuperar, olhando
a criança morta aos braços.
— A criança não sobreviveu.
— Não é o que me preocupa.

227
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
Ela fez sinal para dois autômatos colocarem tudo no lugar e
faz o teste de todo o procedimento, Rita olha para Nuno, ele parecia
parado, não o vira assim, diante de alguém, ele parecia perdido.
— Agora Nuno.
Nuno olha assustado e fala.
— Desculpa, o que posso ajudar.
— Mantem a área segura.
— Vamos ter problemas em minutos, mas o que posso fazer.
— Dá inicio ao descongelar.
Nuno somente neste momento viu que os autômatos a
congelaram, olha para o sistema, o racional voltando, o caminho
voltando, e aciona os limites da proteção ao máximo.
Chega ao lado de Rita programando as micro incisões que
Regina tinha no corpo, elas estavam em meio aos cristais, e calcula
de cabeça o espaço e tempo e olha para Rita.
— Quanto tempo?
— Ela estará em fim de transformação ainda, mas 30
segundos.
— Onde o ser a tocou?
— Aquele Kevin a colocou na mão um cristal, ele a
contaminou de proposito.
— Ele tem de crescer ainda. – Os olhos estavam na moça. –
Sei que o ama, mas ele não sabe o que é amar moça.
— O que ele faz lá fora?
— Se aliou aos cristais, ele quer destruir o planeta Terra.
— Ele os odeia, eles me infectaram.
— Aposto que alguns poucos o fizeram, condenar um planeta
por isto é infantilidade, mas se concorda com isto, sabe o caminho a
tomar moça.
— Ela não está forte ainda Nuno.
— Imagino, ela ficou lá 30 mil anos esperando para que
achássemos eles e oferecêssemos ajuda, estávamos ajudando
quando eles no lugar de esperarem vieram a guerra.
O corpo apontou o subir da temperatura para o sistema e
Nuno olha para os sistemas ampliando a mudança estrutural toda
de uma vez, e sentiu quando deram um choque e ela abre os olhos.
Nuno olha para ela soltar os cristais e fala;
228
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Quer me matar de susto?
Ela sorri e o abraça.
Rita ouve a grande explosão e fala.
— Hora de irmos.
Nuno olha para a moça e pergunta;
— Vai ou fica?
— E Kevin?
— Ele vai nem que na marra. – Nuno.
A moça levanta-se, ela estava ainda com o feto a mão, o
coloca a mesa, e fala.
— Nem um enterro digno?
— Eles vão nos enterrar a todos. – Regina.
Ela concorda e os quatro saem pela porta, Nuno programa o
rapaz e sua roupa no sistema e a proteção o atravessa, o deixando
ali, com a roupa que estava, olha em volta e vê eles saindo e corre
no sentido deles.
— Não pode me deixar.
— Vamos de uma vez Kevin, tudo que estiver aqui, será
destruído.
Kevin viu que entraram em uma nave, a mesma começa a
brilhar, ele olha em volta, olha para a estrutura ao fundo e entra na
nave que brilha e some.
Na parte muito alta, um grande cargueiro derrama sobre a
região tudo que tinham de potencialmente mortal, Nuno olha os
autômatos todos surgindo em Mac 37 e desfaz a proteção, os
grandes misseis caem matando tudo, até os vacinados, tudo que
estava num raio de 20 quilômetros sumiu em um buraco ao chão,
imenso buraco.
Nuno olha o local, olha para a destruição, olha para os dados
dos mortos, não precisavam daquilo, ele não tinha como explicar a
culpa que sentia pelos mortos, pois sentia de uma forma fria, mas
os cálculos de sua frieza o condenavam como quem causou aquilo.
Nuno olha o casal se abraçar, olha Regina e a dá a mão, os
dois saem pela comporta se abrindo, os seres ao fundo ainda
olhavam para eles, chegam a beira do mar e Nuno senta-se em uma
pedra.
Olha Regina e fala.
229
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Pensei que tinha lhe perdido.
Regina o abraça e fala.
— Sei que as vezes abusamos da sorte, eles odeiam esta
palavra, mas também temi lhe perder, confia neles?
— Não, alguém com um poder de interação, com uma
genética especial, mas ainda uma criança.
— Você é uma criança. – Regina sorrindo.
— Sei disto, uma criança que lhe ama.
— Parece tenso, pode falar Nuno, sei que se bate com isto.
— Eu as vezes temo o caminho que construo, mas tenho de
desacelerar, um ataque destes cristais é algo que parece de um
complexo e dinâmica muito maior, tenho de acalmar.
Os dois se abraçam, na parte encostada ao mar, os autômatos
criaram tanques de reprodução de camarão e outros mariscos
vindos da Terra, começavam a dispor de outros tipos de vidas ao
mar.

Nuno por 5 dias, se isolou com Regina,


passaram os dois perto demais da morte, os
dois sabiam que arriscaram, sabiam que o que sentiam um pelo
outro crescia.
Nuno termina os planos e a primeira cidade em Axur e Gaiana
começam a ser operadas, ele senta-se e olha para Regina a cama.
— Me sinto bem, mas impaciente.
— Você tem de entender que a vida é assim. – Regina.
— Entender, é diferente de aceitar isto calmamente, mas
estamos nos preparando, aquele maluco do Kevin está lá em Axur,
ele quer recomeçar, mas não consigo olhar para ele.
— E o que vai fazer?
— Vou acalmar a alma, e quem sabe comecemos caçar
humanos no caminho.
— Caçar?

230
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série
— Dalton nem chegou a parte externa do sistema solar e já
estamos aqui Regina.
— Certo, e vamos lá quando?
Nuno sorriu por dentro pelo “Vamos” e a beija.
— Te amo.
Nuno olha ela e fala.
— Me ajuda na parte que tenho problemas?
— Você sempre improvisa bem.
— Está na hora de soltar de vez as empresas do Sistema Solar
Terra para traz,
— Quer voltar a Terra?
— Agora sem ninguém ver, apenas as peças chaves, está na
hora de deixar as coisas evoluírem.
Os dois passam para Terra, acertam contratos de
transferência, surgiam novos empresários na Terra, Nuno não sabia
se portar diante daquela senhora que herdara o sobrenome, mas
pensa friamente, este era o comportamento de 99% das pessoas no
planeta Terra, não passam nem na Lua e nem Luna 1, pois os
contratos já estavam passados, agora era tentar criar nos próximos
8 anos, o que criou naquele planeta, mas bem longe dele agora.
Os dois sorriem, Regina estiva a mão para Nuno, estranho
como aquele rapaz, podia ser tudo o que quisesse, e estava ali ao
seu lado, ela parecia feliz, atravessam para Mac 37, que agora
chamavam de Gaia, sentam-se em um comando, olhando os
projetos, olham Call entrar ao lado de Rita e falar.
— O que tanto planejam?
— Aventura, muita aventura... – Fala Regina sorrindo, vendo
Nuno traçar as rotas dos perdidos, ele iria atrás dos perdidos, este
era Nuno, a lenda, Nuno 1, o rapaz que aos 18 recomeça a vida,
agora sentido o que nunca sentiu, fazendo parte de algo que não
fosse sua própria programação.

Fim.

231
Earth 630 – Vida e Morte – Terceiro Livro da Série

232

Você também pode gostar