Você está na página 1de 25

Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 1 de 25

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2018/2019

NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SE000108/2018


DATA DE REGISTRO NO MTE: 01/08/2018
NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR041166/2018
NÚMERO DO PROCESSO: 46221.006259/2018-06
DATA DO PROTOCOLO: 01/08/2018

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

SINDICATO NACIONAL DA INDUSTRIA DA CONSTRUCAO PESADA - INFRA-ESTRUTURA - SINICON,


CNPJ n. 33.645.540/0001-81, neste ato representado(a) por seu Procurador, Sr(a). RENILDA MARIA DOS
SANTOS CAVALCANTI;

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDUSTRIAS DE MONTAGENS E MANUTENCAO


INDUSTRIAL EM GERAL NO ESTADO DE SERGIPE, CNPJ n. 08.329.593/0001-46, neste ato
representado(a) por seu Presidente, Sr(a). ANTONIO PEREIRA DOS SANTOS NETO;

celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho


previstas nas cláusulas seguintes:

CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE

As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 01º de março de
2018 a 28 de fevereiro de 2019 e a data-base da categoria em 01º de março.

CLÁUSULA SEGUNDA - ABRANGÊNCIA

A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá a(s) categoria(s) Profissional dos trabalhadores
nas indústrias de montagens e manutenção industrial, construção de dutos e gasodutos,
trabalhadores das empresas que prestam serviços terceirizados no ramo de montagens e
manutenção industrial, pertencentes à base territorial do estado de Sergipe e empresas terceirizadas
na área de montagens e manutenção industrial na área da PETROBRÁS no Estado de Sergipe/SE,
com abrangência territorial em SE.

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO


PISO SALARIAL

CLÁUSULA TERCEIRA - PISOS SALARIAIS

A partir de 1º de março de 2018 a tabela de pisos será reajustada pelo índice de 2,5% (dois vírgula cinco
por cento), passando a vigorar com os seguintes valores:

FUNÇÃO PISO R$
ACOPLADOR 2.119,98
AJUDANTE 1.178,36
ALMOXARIFE 2.048,29
APONTADOR 1.469,22
ARMADOR 1.714,30
ASSISTENTE ADMINISTRATIVO 2.343,37
AUX. ADMINISTRATIVO 2.008,81
AUX. ALMOXARIFE 1.587,32

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 2 de 25

AUX. DE FERRAMENTARIA 1.587,32


AUX. DE SEGURANÇA 1.955,29
AUX. DE SUPRIMENTO 2.075,54
AUX. PLANEJAMENTO 1.911,62
AUX. TOPOGRAFIA 1.714,30
CALDEREIRO 2.364,31
CARPINTEIRO 1.714,30
DESENHISTA 1.793,72
DESENHISTA CADISTA 1.955,25
ELETRICISTA 1.714,32
ELETRICISTA DE LINHA VIVA 2.364,31
ELETRICISTA DE REDES 1.974,29
ELETRICISTA DE SUBESTAÇÃO 2.228,12
ELETRICISTA FORÇA CONTROLE 2.364,31
ELETRICISTA INDÚSTRIAL DE MANUTENÇÃO 2.364,31
ELETRICISTA MONTADOR 2.120,00
ELETROTÉCNICO 3.280,09
ENCANADOR INDÚSTRIAL 2.364,31
ENCARREGADO ADMINISTRATIVO 2.971,87
ENCARREGADO DE ANDAIME 2.971,87
ENCARREGADO DE CALDEIRARIA 3.719,57
ENCARREGADO DE ELETRICA 3.719,57
ENCARREGADO DE ISOLAMENTO 3.719,57
ENCARREGADO DE MECÂNICA 3.719,57
ENCARREGADO DE MONTAGEM 3.719,57
ENCARREGADO DE OBRA 3.035,42
ENCARREGADO DE SOLDA 3.719,57
ENCARREGADO DE TUBULAÇÃO 3.719,57
FERRAMENTEIRO 2.194,50
FUNILEIRO 2,135,08
HIDROJATISTA 2.364,31
INSPETOR DE EQUIPAMENTO 4.471,22
INSTRUMENTISTA DE SISTEMA 2.364,31
INSTRUMENTISTA MONTADOR 2.364,31
INSTRUMENTISTA TUBISTA 2.364,31
ISOLADOR 1.793,72
JATISTA 1.911,62
LAMINADOR 2.120,00
LIXADOR 1.808,90
MAÇARIQUEIRO 1.964,52
MECANICO AJUSTADOR 2.364,31
MECANICO DE MANUTENÇÃO 2.364,31
MECANICO MONTADOR 2.364,31
MECANICO REFRIGERADOR 2.364,31
MONTADOR DE ANDAIME 1.911,62
MOTORISTA CARRETEIRO 2.565,52
MOTORISTA DE CAMINHÃO MUNK 2.509,14
MOTORISTA DE CARRETA MUNK 2.565,52
MOTORISTA DE CARRO PESADO 2.178,35
MOTORISTA DE VEICULO LEVE 1.846,20

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 3 de 25

1.911,62
OBSERVADOR DE FAIXA DE DUTO 1.714,30
OBSERVADOR DE SEGURANÇA 1.587,32
OPERADOR DE BETONEIRA 1.686,91
OPERADOR DE EMPILHADEIRA 1.425,26
OPERADOR DE ESCAVADEIRA HIDRÁULICA 2.674,66
OPERADOR DE RETRO ESCAVADEIRA 2.364,31
PEDREIRO 1.714,30
PINTOR INDÚSTRIAL 1.843,11
PINTOR LETRISTA 1.955,31
REFRATISTA 1.911,62
REVESTIDOR 1.793,72
SERRALHEIRO 1.911,62
SOLDADOR DE CHAPARIA 1.911,62
SOLDADOR DE DUTO 3.282,53
SOLDADOR ER F1 A F4 2.836,75
SOLDADOR MC E S OXC 2.458,53
SOLDADOR TIG 2.836,75
TECNICO DE MATERIAIS 3.279,07
TECNICO DE PLANEJAMENTO – NÍVEL I 3.247,55
TECNICO DE PLANEJAMENTO – NÍVEL II 4.437,37
TECNICO DE SEGURANÇA -NÍVEL I 2.714,08
TECNICO DE SEGURANÇA – NÍVEL II 3.792,89
TELHADOR 1.911,62
TORNEIRO MECANICO 2.428,82
VIGIA 1.463,37

Parágrafo Único - As eventuais diferenças salariais decorrentes do reajuste de salário estipulado nesta
Cláusula, serão pagas junto com a folha salarial de até o mês de agosto de 2018, e os trabalhadores que já
foram desligados receberão as respectivas diferenças através de rescisão complementar.

PAGAMENTO DE SALÁRIO – FORMAS E PRAZOS

CLÁUSULA QUARTA - ADIANTAMENTO E PAGAMENTO DE SALÁRIO

As empresas poderão conceder adiantamentos salariais quinzenais, aos seus empregados, até o dia 20 de
cada mês. Tal adiantamento não poderá ser inferior a 40% (quarenta por cento) do salário base do
empregado.

O pagamento efetivo do salário deverá ser efetuado até o quinto dia útil do mês subsequente.

Parágrafo Primeiro –A empresa que concedia adiantamento salarial, e optar pelo pagamento da
remuneração mensal integral até o 5º dia útil do mês subsequente, deverá comunicar essa alteração
aos seus empregados com até 60 dias de antecedência.

Parágrafo Segundo – No dia de pagamento efetivo do salário as empresas liberarão seus empregados,
segundo um dos critérios abaixo:

a) Liberação de meio expediente, a partir das 12 horas, ficando desobrigadas do fornecimento de

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 4 de 25

alimentação (almoço e jantar), podendo ser compensado a critério da empresa.

Ou,

b) Liberação do dia integral, podendo ser compensado a critério da empresa.

CLÁUSULA QUINTA - COMPROVANTE DE PAGAMENTO

As Empresas fornecerão aos seus empregados comprovantes de pagamento de salário em papel contendo
a sua identificação (timbrado ou carimbado), indicando, discriminadamente:

Todos os itens e os respectivos valores pagos (horas normais, DSR, tarefas, horas extras adicionais,
produção, etc.)

Todos os itens e os respectivos valores descontados (INSS, IR, Contribuições Sindicais de qualquer
natureza, FGTS, etc.)

ISONOMIA SALARIAL

CLÁUSULA SEXTA - SALÁRIO DO TRABALHADOR SUBSTITUTO

Nas substituições que não sejam eventuais, será garantido ao substituto o mesmo salário percebido pelo
substituído, sem considerar vantagens pessoais, não se aplicando esta garantia nos casos de treinamento.

OUTRAS NORMAS REFERENTES A SALÁRIOS, REAJUSTES, PAGAMENTOS E


CRITÉRIOS PARA CÁLCULO

CLÁUSULA SÉTIMA - PROMOÇÃO

Após desenvolver, durante 4 (quatro) meses consecutivos e mediante prévia avaliação, atividade diferente
daquela para qual foi contratado, em função hierarquicamente superior, o Empregado será efetivado na
nova função, exceto quando se tratar de substituição temporária.

Parágrafo Único – As empresas darão preferência para preenchimento de vagas de operários qualificados
aos ajudantes de montagem e manutenção do seu quadro de empregados, que comprovem sua
qualificação e habilitação através de cursos ministrados por entidades legalmente reconhecidas para este
fim.

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS


ADICIONAL DE HORA-EXTRA

CLÁUSULA OITAVA - HORAS EXTRAS

As horas extras serão remuneradas da seguinte forma:

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 5 de 25

Parágrafo Primeiro - As horas extras


trabalhadas de 2ª a 6ª feira com o adicional
de 50% (cinquenta por cento) sobre o valor
da hora normal de trabalho.

Parágrafo Segundo - As horas extras


trabalhadas no dia de sábado serão
remunerados com o adicional de 75%
(setenta e cinco por cento) sobre o valor da
hora normal de trabalho.

Parágrafo Terceiro - As horas extras


trabalhadas nos dias de domingo e feriados
serão remuneradas com o adicional de
100% (cem por cento) sobre o valor da hora
normal de trabalho.

Parágrafo Quarto – Para efeito do pagamento de férias, 13º salário, repouso remunerado, aviso prévio e
depósito do FGTS, integrarão ao salário dos Empregados os valores correspondentes à média das horas
extraordinárias atualizadas à data do pagamento assim como todos os demais adicionais determinados por
Lei.

OUTROS ADICIONAIS

CLÁUSULA NONA - ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

A título de estímulo à qualificação profissional dos Trabalhadores e elevação da qualidade e produtividade


do setor, as Empresas concederão um adicional de 5% (cinco por cento) do piso salarial estabelecido para
a categoria profissional a todos os Trabalhadores que concluírem com aproveitamento os cursos de
formações e/ou qualificações profissionais.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 6 de 25

Parágrafo Único - O adicional será concedido a partir do


término de um estágio prático de 3 (três) meses no
canteiro, para que venha a obter o certificado de
conclusão do curso, no decorrer da vigência do contrato
de trabalho.

PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E/OU RESULTADOS

CLÁUSULA DÉCIMA - PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS

As empresas e/ou consórcios negociarão com o SINDIMONT-SE, mediante provocação do próprio


SINDIMONT-SE a implantação do seu Programa de PLR através de Acordo Coletivo de Trabalho.

Parágrafo Único - A convalidação dos programas de Participação nos Lucros e Resultados já instituídos
espontaneamente pelas empresas e/ou consórcios sem a interveniência do. Sindicato dos Trabalhadores,
se consolidará com a remessa de cópia do Instrumento à Entidade Profissional

AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - CESTA BÁSICA

A partir de 1º março de 2018, de acordo com o Programa de Alimentação do Trabalhador – PAT, as


empresas fornecerão aos seus trabalhadores, que percebam o salário mensal de até R$ 8.000,00 (oito mil
reais), sem ônus para os mesmos, mensalmente, cesta básica, em produtos (“in natura”) ou sob a forma de
ticket alimentação, no valor equivalente a 330,00 (trezentos e trinta reais) mensais, desde que o trabalhador
não tenha falta injustificada aos serviços no mês em referência e sua admissão tenha ocorrido até o dia 15
do mês. A concessão prevista nesta cláusula não tem natureza salarial não se incorporando à remuneração
para qualquer efeito, assim como não se confunde com o fornecimento de alimentação aos trabalhadores
na forma prevista neste instrumento normativo.

Parágrafo Único – As diferenças decorrentes da cesta básica / vale alimentação serão pagas até a folha de
outubro de 2018.

CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA - REFEITÓRIO / ALIMENTAÇÃO

As Empresas serão obrigadas a adotar refeitórios nos padrões exigidos pela legislação em vigor, com
fornecimento de alimentação, de acordo com o Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT, conforme
preceituam as normas instituídas pelo Governo Federal.

a) Nos canteiros de obras dotados de alojamento e refeitório, as Empresas fornecerão almoço,


acompanhado de suco.

b) As empresas fornecerão café da manhã a todos os seus funcionários, que se apresentarem até 15

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 7 de 25

(quinze) minutos antes da hora do início do expediente.

c) As Empresas fornecerão aos seus trabalhadores alojados, café da manhã, almoço e jantar com suco nos
dias de sábados, domingos e feriados, desde que os Trabalhadores cumpram os horários preestabelecidos
pelas Empresas para as refeições;

d) As Empresas se obrigam a fornecer água filtrada e própria para o consumo humano aos seus
Trabalhadores.

Parágrafo Primeiro - As empresas poderão descontar o percentual de até 7% (sete por cento) do valor da
refeição fornecida.

Parágrafo Segundo - O café da manhã a ser fornecido na forma do item “b” desta cláusula será composto
de (2) dois pães de 50g ou (1) um pão de 100g com manteiga e um copo de 100 ml de café com leite.

Parágrafo Terceiro - As empresas que não fornecem nos canteiros de obra almoço concederão aos
funcionários um vale de refeição no valor facial diário de R$ 16,00 (dezesseis reais), da mesma forma as
empresas que não fornecerem café da manhã, fornecerão a seus funcionários um vale de refeição no valor
facial diário de R$ 6,00 (seis reais).

Parágrafo Quarto – As diferenças decorrentes de vale refeição serão pagas até a folha de outubro de
2018.

AUXÍLIO TRANSPORTE

CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - TRANSPORTE DE PESSOAL

Tendo em vista as dificuldades administrativas para a aquisição e distribuição do Vale Transporte,


decorrentes das peculiaridades próprias da montagem e manutenção industrial, no que diz respeito às
constantes transferências dos trabalhadores para os diversos canteiros de obras da Empresa, por força do
próprio processo construtivo, acordam as EntidadesConvenentes, com base no disposto noParágrafo Único
do art. 5º do Decreto nº 95.247/87, que, com a concordância expressa dos trabalhadores, poderão as
empresas fazer a antecipação em espécie da parcela de sua responsabilidade correspondente ao Vale-
Transporte, tal como definido pela legislação.

Parágrafo Primeiro - Na hipótese prevista nesta Cláusula, o Trabalhador assinará termo de compromisso
pela opção acordada, estabelecendo que o pagamento que lhe será feito em folha suplementar, sob o titulo
de “indenização de transporte”, e que, como tal, terá caráter meramente ressarcitório, não tendo natureza
salarial nem se incorporando à sua remuneração para qualquer efeito e, portanto, não se constituindo base
de incidência da contribuição previdenciária ou do FGTS.

Parágrafo Segundo - As empresas ficam obrigadas a fornecer vale-transporte a seus empregados, quando
não fornecerem transporte próprio ou subcontratados de terceiros com atendimento exclusivo. Para o

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 8 de 25

transporte público, a empresa promoverá o devido desconto na folha de pagamento dos trabalhadores de
até 6% (seis por cento) do salário, salvo condições mais favoráveis para o empregado.

Parágrafo Terceiro - Os atrasos decorrentes de problemas com veículos fornecidos pela empresa não
serão descontados do salário do trabalhador.

Parágrafo Quarto - Fica expressamente proibida o transporte de trabalhadores em caminhão, caçamba, ou


qualquer veiculo que não seja apropriado para este fim.

AUXÍLIO SAÚDE

CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - ASSISTÊNCIA MÉDICA

As empresas que não oferecerem convênio de assistência médica aos seus trabalhadores
encaminharão a sua RAIS para o sistema "S", para que os trabalhadores que se interessarem façam
suas carteiras e de seus dependentes, para utilizarem dos serviços médicos e social do SESI.

CONTRATO DE TRABALHO – ADMISSÃO, DEMISSÃO, MODALIDADES


MÃO-DE-OBRA TEMPORÁRIA/TERCEIRIZAÇÃO

CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA - MÃO DE OBRA

As Empresas em suas atividades produtivas utilizar-se-á de mão-de-obra própria, de empreiteiros e


subempreiteiros, desde que regularmente constituídos ou inscritos nos órgãos competentes respondendo
solidariamente pelas obrigações trabalhistas e previdenciárias dos empregados, inclusive no que tange ao
cumprimento da presente convenção.

Parágrafo Primeiro - Aplica-se aos empregados das empresas empreiteiras, subempreiteiras, autônomos e
inclusive de empresas de serviços temporários (capítulo IV, artigos 17º e 20º do decreto nº 73.814/74, e a
Lei nº 6.019/74), as Normas Coletivas pactuadas nesta Convenção Coletiva, inclusive no que concerne às
obrigações de desconto e recolhimento das contribuições sindical, assistencial e mensalidade associativa.

Parágrafo Segundo - A empresa fica obrigada a participar aos sindicatos, laboral e patronal, quando da
contratação de mão de obra temporária.

Parágrafo Terceiro - As empresas, empreiteiras, subempreiteiras priorização a contratação de mão de obra


do local de execução da obra ou de cidades circunvizinhas, exceto quando comprovada a não existência de
mão de obra qualificada e disponível no local de execução da obra ou em cidades vizinhas.

CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA - SUBCONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

As Empresas se comprometem, quando solicitadas formalmente, e por escrito, pelo Sindicato Laboral a

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 9 de 25

fornecer o nome, endereço e CNPJ das subcontratadas, no prazo de 3 dias úteis após a solicitação.
Parágrafo Primeiro - Caso a Empresa principal não forneça a informação solicitada no prazo previsto,
o Sindicato Laboral oficiará os Sindicatos Patronais, sem prejuízo dos processos administrativos a
serem propostos.
Parágrafo Segundo - O Sindicato Patronal mediará qualquer problema que seja detectado pelo
Sindicato Laboral nas subcontratadas.
Parágrafo Terceiro - As Empresas exigirão de suas subcontratadas o cumprimento das obrigações
trabalhistas para com os seus respectivos Trabalhadores, inclusive desta Convenção Coletiva de
Trabalho.

CONTRATO A TEMPO PARCIAL

CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA - CONTRATAÇÃO POR PRAZO DETERMINADO

Para atender eventuais necessidades de aumento temporário do quadro de pessoal, as empresas


mediante Acordo Coletivo de trabalho com o Sindicato dos Trabalhadores, poderão contratar novos
empregados por prazo determinado, ajustando-se entre as partes cláusulas e condições baseadas no
dispositivo legal criado para tal finalidade.

CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - TELETRABALHO - "HOME OFFICE"

Poderão as empresas, através de contrato de trabalho e/ou aditivo contratual, estabelecer o trabalho fora
das dependências da mesma, com a utilização de tecnologias de informação, que por sua natureza, não se
constituam como trabalho externo. O comparecimento às dependências para a realização de atividades
específicas que exijam a presença do empregado não descaracteriza o Teletrabalho, desde que a atividade
seja preponderantemente externa.

CLÁUSULA DÉCIMA NONA - REGIME POR TEMPO PARCIAL

A Empresa poderá adotar para todos os seus empregados, Contrato a Tempo Parcial, devendo para
tanto comunicar à Entidade Sindical, com uma antecedência de 7 (sete) dias úteis da implementação
do regime de Contrato a Tempo Parcial, nos moldes do que dispõe a MP 1952/22, e suas reedições,
em sua íntegra.

OUTRAS NORMAS REFERENTES A ADMISSÃO, DEMISSÃO E MODALIDADES DE


CONTRATAÇÃO

CLÁUSULA VIGÉSIMA - PAGAMENTO DE TRANSPORTE NO DESLIGAMENTO

O Trabalhador contratado em outra cidade, qualquer que seja a distancia do local em que esteja
trabalhando, que tenha tido sua passagem de vinda comprovadamente paga pelo Empregador terá,
garantida sua passagem de retorno à cidade da contratação, quando da rescisão de seu contrato de
trabalho, sempre que esta ocorrer por iniciativa do Empregador e sem justa causa.
Parágrafo Único – Os trabalhadores que residem na mesma cidade em que trabalham, e que optaram
pelo vale transporte, terão direito a sua passagem de ida e volta na data determinada para o
pagamento das verbas rescisórias, sempre que a rescisão for iniciativa do Empregador e sem justa
causa.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 10 de 25

CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA - CONTRATO DE EXPERIÊNCIA

O prazo máximo para vigência do contrato de trabalho à título de experiência, será de 90 (noventa) dias, a
partir do registro da presente norma coletiva.

CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA - AVISO PRÉVIO INDENIZADO

A partir da data de vigência desta Convenção os trabalhadores na área de produção das empresas
(operacional), que trabalham única e exclusivamente em obras, ficam dispensados do cumprimento do
aviso prévio trabalhado, praticando-se para estes o aviso prévio indenizado, nos contratos de trabalho
firmados com empresas que prestam serviço ou executam obras para a Administração Pública Direta e
Indireta, abrangendo empresas públicas, sociedades de economia mista, fundações, autarquias e suas
subsidiárias, não se aplicando este dispositivo ao pessoal de nível gerencial, administrativo e engenheiros.

Parágrafo Único – Quanto ao aviso prévio nos contratos de trabalho em obras com clientes particulares, o
mesmo poderá ser trabalhado. As empresas, quando provocadas pelo sindicato, no prazo de 10 dias,
apresentarão comprovação da não incidência no custo contratual do aviso prévio indenizado para a
liberação da referida indenização, mediante documento oficial, assinado entre as partes (contratante e
contratado).

CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA - ASSISTÊNCIA SINDICAL NO TRCT

O trabalhador filiado ao SINDIMONT-SE contará com a assistência sindical promovida pelo SINDIMONT-SE
quando da rescisão do contrato de trabalho, necessitando a empresa comunicar ao SINDIMONT-SE 5 dias
antes da data da rescisão do contrato de trabalho.

Parágrafo Único – A assistência prevista no caput da clausula, quando tratar-se de mais de 1 (um)
trabalhador, deverá ocorrer nas dependências da própria empresa.

RELAÇÕES DE TRABALHO – CONDIÇÕES DE TRABALHO, NORMAS DE


PESSOAL E ESTABILIDADES
ESTABILIDADE APOSENTADORIA

CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA - ESTABILIDADE DO TRABALHADOR EM VIAS DE


APOSENTADORIA

Fica assegurada a estabilidade provisória no emprego ao Trabalhador que, comprovadamente, estiver


faltando 12 (doze) meses para aposentar-se por tempo de serviço, desde que tenha 5 (cinco) anos de
trabalho contínuo na mesma Empresa, exceto nos casos de rescisão fundada em justa causa ou
encerramento de atividade do empregados ou acordo desde que assistido pelo Sindicato Laboral.

Parágrafo Único – Para fazer jus ao benefício aqui previsto, o Trabalhador terá que comunicar à Empresa,
formalmente e por escrito, mediante apresentação do extrato do Cadastro Nacional de Informações Sociais
– CNIS, 10 (dez) meses antes da aquisição do direito à aposentadoria por tempo de serviço.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 11 de 25

JORNADA DE TRABALHO – DURAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO, CONTROLE, FALTAS


COMPENSAÇÃO DE JORNADA

CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - COMPENSAÇÃO DAS HORAS DE TRABALHO NO SÁBADO

A jornada semanal de 44 (quarenta e quatro) horas poderá ser cumprida de Segunda-feira a Sexta-feira,
mediante a compensação das horas normais de trabalho do Sábado, obedecendo-se às seguintes
condições:

• 01 (um) dia de 08 (oito) horas de trabalho; e,

• 04 (quatro) dias de 09 (nove) horas de trabalho.

Parágrafo Primeiro - Ficará a critério de cada empresa a fixação dos dias da semana de 09 (nove) horas e
08 (oito) horas mencionadas na presente cláusula, recomendando-se, no entanto, a seguinte jornada:

a) de Segunda-feira a Quinta-feira, 09 (nove) horas;

b) Sexta-feira, 08 (oito) horas.

Parágrafo Segundo - O ajustado nos termos desta cláusula compreende a compensação por intermédio de
horas normais, ficando vedada tais compensações por intermédio de horas extras trabalhadas.

CLÁUSULA VIGÉSIMA SEXTA - COMPENSAÇÃO DE FERIADOS - DIAS PONTES

Quando da ocorrência de feriados em terças-feiras e quintas-feiras as empresas poderão, movê-los para as


segundas-feiras e sextas-feiras, respectivamente, compensando as horas correspondentes aos dias
alterados, desde que haja concordância da maioria dos trabalhadores, por local de trabalho.

Parágrafo Primeiro - Esta compensação poderá ser feita, também, no próprio dia de feriado, de forma que
os trabalhadores tenham o “fim de semana prolongado”, e nesses casos as horas trabalhadas a titulo de
compensação serão remuneradas como horas normais.

Parágrafo Segundo - Para aplicação do disposto nesta Cláusula, as empresas se comprometem a divulgar
a compensação de forma que todos os trabalhadores tomem conhecimento da mesma com a devida
antecedência.

CONTROLE DA JORNADA

CLÁUSULA VIGÉSIMA SÉTIMA - BANCO DE HORAS

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 12 de 25

Fica convencionado neste instrumento a adoção do sistema de Banco de Horas onde o excesso de horas
trabalhadas em um dia seja compensado pela diminuição em outro, será objeto de negociação com o
SINDIMONT-SE para quando se tratar de Banco de Horas para trabalhadores filiados ao SINDIMONT-SE
com salários até R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais.

Parágrafo Único – Não ensejará descumprimento do previsto no caput da clausula quando a empresa
eventualmente necessitar trocar um dia de trabalho por outro.

CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA - REGISTRO DE PONTO

Fica convencionado entre as partes que o registro de jornada poderá ser feito através do ponto manual,
mecânico ou eletrônico.

CLÁUSULA VIGÉSIMA NONA - SOBREAVISO

A critério da Empresa, o Empregado poderá trabalhar sob o Regime de Sobreaviso, desde que, com
antecedência de 2 (dois) dias, seja devidamente comunicado pelo Empregador do período que deverá
permanecer à disposição da Empresa, fora do estabelecimento empresarial, tendo direito ao recebimento
de 25% (vinte e cinco por cento) do salário hora para cada hora à disposição.

CLÁUSULA TRIGÉSIMA - FOLGA PARA VISITA FAMILIAR

As Empresas que possuam empregados filados ao SINDIMONT-SE com domicílio em outro Estado da
Federação, se provocadas pelo SINDMONT-SE, deverão negociar folga para visita familiar.

FALTAS

CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA - ABONO DE FALTAS

As Empresas não descontarão as faltas dos salários dos seus Empregados, quando eles deixarem de
comparecer ao serviço nas seguintes situações:

a) nas hipóteses previstas em Lei, desde que comprovadas;

b) até 04 (quatro) horas para receber o PIS, quando não houver convênio para o seu recebimento no local
de trabalho;

c) até 05 (cinco) dias no caso de adoção de crianças com até 01 (um) ano de idade, devendo ser
apresentados os documentos comprobatórios;

d) pelo tempo necessário à realização de provas de concursos vestibular e supletivo, desde que avise à

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 13 de 25

Empresa com 72 (setenta e duas) horas de antecedência e devidamente seja comprovado.

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA - DIAS DE CHUVA E FORÇA MAIOR

Fica garantido o pagamento do dia, como se trabalhado fosse, aos empregados que tendo
comparecido ao local de trabalho, fiquem impossibilitados de exercer a sua função por força maior ou
em decorrência de chuvas.

TURNOS ININTERRUPTOS DE REVEZAMENTO

CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA - TURNOS DE TRABALHO

As partes acordam que a jornada de trabalho em regime de turno, para os trabalhadores na área de
produção será a seguinte:

a) 2 (dois) turnos de trabalho, diurno e noturno, de segunda a sábado, em escala de revezamento semanal,
quinzenal ou mensal, devendo as horas normais ser trabalhadas e pagas em função da jornada de 220
horas mensais, não se aplicando, no caso, a jornada de 6 (seis) horas diária prevista no inciso XIV do art.º
7º da Constituição Federal.

b) A jornada diária de trabalho será de 7:20 (sete horas e vinte minutos) horas, acrescida de duas horas
extras diárias, de segunda a sábado, em regime de revezamento semanal, quinzenal ou mensal, devendo
as horas normais ser trabalhadas e pagas em função da jornada de 220 horas mensais, não se aplicando,
no caso, a jornada de 6 (seis) horas diária prevista no inciso XIV do art. 7º da Constituição Federal.

c) A empresa remeterá ao Sindicato Laboral o termo de ajuste de turnos de trabalho implantados para os
seus empregados.

Parágrafo Único – Para os demais trabalhadores, as jornadas de trabalho serão realizadas dentro do
período normal de trabalho, podendo ser utilizada a compensação prevista na Cláusula 32ª e seus
parágrafos desta Convenção.

FÉRIAS E LICENÇAS
REMUNERAÇÃO DE FÉRIAS

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUARTA - REMUNERAÇÃO DAS FÉRIAS

Quando das férias anuais o empregado perceberá a remuneração que lhe for devida na data da concessão,
incluindo-se na mesma os adicionais por trabalho extraordinário, noturno, insalubre ou perigoso, desde que
habitualmente percebidos no período aquisitivo.

Parágrafo Primeiro - Se no momento das férias o empregado não estiver percebendo o mesmo adicional
do período aquisitivo, ou quando o valor deste não tiver sido uniforme, será computada a média duodecimal
recebida naquele período aquisitivo.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 14 de 25

Parágrafo Segundo - Junto com a remuneração das férias será pago o abono estabelecido pelo artigo 7°
da Constituição Federal, cujo valor corresponder á 1/3 dos dias de férias remunerados.

Parágrafo Terceiro - O início das férias individuais ou coletivas não poderá coincidir com os sábados,
domingos e feriados. Para o caso de empregados que não possuem o período aquisitivo integral, a
concessão das férias coletivas não interromperá a contagem normal desse período aquisitivo.

Parágrafo Quarto - As empresas poderão conceder férias coletivas devendo nesta hipótese comunicar ao
SINDIMONT-SE, no prazo mínimo de 15 (quinze) dias de antecedência.

Parágrafo Quinto - Com a concordância do empregado as férias poderão ser usufruídas em até 3 (três)
períodos, sendo um deles não inferior a 14 (catorze) dias e os demais não inferiores a 5 (cinco) dias cada
um.

Parágrafo Sexto - O início das férias poderá se dar em qualquer dia da semana, desde que 48 (quarenta e
oito) horas antes dos dias de domingos e feriados.

Parágrafo Sétimo - O início das férias de trabalhadores e trabalhadoras em retorno de licença poderá ser
de imediato, independente do dia da semana, não se aplicando nesse caso a regra contida no parágrafo
anterior.

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR


CONDIÇÕES DE AMBIENTE DE TRABALHO

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUINTA - UTILIZAÇÃO DE APARELHO CELULAR E ACESSÓRIOS

O uso de telefone celular, smartphone, tablet e dispositivos similares, durante o horário de


trabalho realizado em obra, para o acesso à internet, redes sociais, aplicativos de mensagens, jogos
eletrônicos, músicas, ou qualquer outro uso constitui perigo eminente à segurança do trabalhador.

Parágrafo Primeiro – O uso de telefone celular, smartphone, tablet e dispositivos similares, para o
acesso à internet, redes sociais, aplicativos de mensagens, jogos eletrônicos, músicas, ou qualquer
outro uso, será permitido apenas no intervalo para descanso intrajornada.

Parágrafo Segundo – No caso de o empregado precisar atender ou realizar uma ligação particular de
caráter emergencial durante o horário de trabalho, deverá interromper a atividade que estiver
desenvolvendo e se posicionar de forma segura, em área que será delimitada pelo empregador, para
utilização do dispositivo.

Parágrafo Terceiro – O uso inadequado de telefone celular, smartphone, tablet ou dispositivo similar,
assim considerado o que não observar as disposições anteriores, constituirá atitude passível de
advertência.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 15 de 25

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEXTA - LOCAL DE LAZER

As empresas, de acordo com a viabilidade, poderão implantar áreas de vivência para os períodos de
intervalo de trabalho, nos canteiros de obras sugerindo-se a disponibilização de jornais, revistas, livros e TV.

Parágrafo Único – A empresa, a seu critério, poderá fornecer o material esportivo quando seus
trabalhadores estiverem participando de campeonato laboral.

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SÉTIMA - SANITÁRIOS E MATERIAL DE HIGIENE

As Empresas instalarão e manterão nas obras, sanitários, de acordo com a legislação vigente.

EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA

CLÁUSULA TRIGÉSIMA OITAVA - MEDIDAS DE PROTEÇÃO AO TRABALHADOR

As Empresas aplicarão as normas contidas na NR-18, de acordo com as características de local de trabalho
e adotarão as medidas de proteção, prioritariamente de ordem coletiva e, supletivamente de ordem
individual, em relação às condições de trabalho, incluindo higiene de instalações sanitárias e segurança dos
trabalhadores, inclusive dos subcontratados. Por ocasião da admissão, será ministrado ao trabalhador
treinamentoadequado sobre a utilização dos equipamentos de proteção individual e coletivo, necessários ao
exercício de cada uma das atribuições, bem como lhe dará conhecimento dos programas de prevenção
desenvolvidos na própria Empresa.

Parágrafo Primeiro - As Empresas fornecerão, gratuitamente, a todos os seus trabalhadores, os


Equipamentos de Proteção Individual (EPI), comprometendo-se, os mesmos a usá-los e conservá-lo,
observadas por ambas as partes as disposições legais vigentes.

Parágrafo Segundo - É obrigação do Trabalhador obedecer as normas de medicina, higiene e segurança


do trabalho, sendo que a recusa na utilização dos EPI’s fornecidos levará à punição compatível na forma da
Lei.

Parágrafo Terceiro - As Empresas fornecerão uniforme na forma da NR-18 para todos os Trabalhadores
da área de produção. Para os demais Trabalhadores este fornecimento ficará sujeito à opção dos mesmos.
Os Trabalhadores ficarão obrigados a zelar pelos uniformes de forma adequada.

Parágrafo Quarto - Quando as condições de trabalho forem comprovadamente consideradas inseguras,


segundo as normas de segurança do trabalho, o Trabalhador deverá informar ao setor de segurança do
trabalho, que tomará as devidas providências, a fim de reduzir as causas de possíveis acidentes, antes do
início dos trabalhos.

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

CLÁUSULA TRIGÉSIMA NONA - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 16 de 25

As Empresas colocarão à disposição de seus Trabalhadores os Equipamentos de Proteção Individual


conforme determina a legislação vigente, estando os Trabalhadores obrigados a utilizá-los adequadamente.

Parágrafo Primeiro – As Empresas deverão orientar, através de seminários, cursos ou palestras, a todos
os seus Trabalhadores, sobre as normas de segurança e a forma adequada de utilização dos EPI’s.

Parágrafo Segundo – O Trabalhador que usar os EPI’s de forma inadequada ou se recusar a utilizá-los
será advertido pela Empresa e o fato será comunicado ao SINDIMONT-SE para que o mesmo também o
oriente adequadamente.

Parágrafo Terceiro – As Empresas fornecerão uniforme na forma da NR 18 para todos os Trabalhadores


da área de produção. Para os demais Trabalhadores este fornecimento ficará sujeito à opção dos mesmos.

Parágrafo Quarto – Quando da admissão do empregado, serão dadas instruções e orientações preventivas
no que se concerne ao uso correto dos equipamentos de proteção individual, bem como às demais medidas
de proteção individuais e coletivas relativas a sua saúde e integridade física.

CIPA – COMPOSIÇÃO, ELEIÇÃO, ATRIBUIÇÕES, GARANTIAS AOS CIPEIROS

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA - CIPA

As Empresas organizarão e manterão em funcionamento uma Comissão Interna de Prevenção de


Acidentes – CIPA, na forma estabelecida pelas NRs 05 e 18 (Portaria nº 3.214/78).

Parágrafo Primeiro - A eleição para novo mandato da CIPA deverá ser convocada pela Empresa, mediante
edital interno afixado no quadro de avisos,com um prazo mínimo de45 (quarenta e cinco) dias antes do
término do mandato, com a presença de um representante do Sindicato Laboral, que será avisado com o
mesmo prazo previsto neste.

Parágrafo Segundo - As Empresas deverão encaminhar à Entidade Sindical Laboral convenente, no prazo
de 05 (cinco) dias úteis após a realização das eleições, comunicado, por escrito, indicando os eleitos, tanto
os titulares como os suplentes.

Parágrafo Terceiro - No intuito de promover redução do índice de acidente de trabalho, Empresas e


Entidade Profissional, mediante comum acordo, poderão estabelecer programação para palestras técnicas
sobre medicina, higiene e segurança do trabalho.

ACEITAÇÃO DE ATESTADOS MÉDICOS

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA PRIMEIRA - ATESTADO MÉDICO

As Empresas que não tiverem serviços médicos próprios deverão acolher as declarações e os atestados
médicos e odontológicos apresentados pelos Trabalhadores desde que fornecidos por profissionais
integrantes do Sistema Unificado de Saúde (SUS) ou Clínica conveniada pela Empresa no prazo de até 48

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 17 de 25

horas.

Parágrafo Único – O Trabalhador que apresentar atestado médico até o dia 20 (vinte) de cada mês, de
acordo com o caput desta Cláusula, fará jus ao recebimento do salário correspondente ao(s) respectivo(s)
dia(s), cujo pagamento deverá ser efetuado pela Empresa juntamente com o salário do mês corrente. Os
valores relativos a atestados apresentados após o dia 20 (vinte) de cada mês serão pagos juntamente com
o salário do mês subsequente.

PROFISSIONAIS DE SAÚDE E SEGURANÇA

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEGUNDA - MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO

As Empresas que tenham no seu quadro de pessoal mais de 300 (trezentos) Empregados deverão manter
os seguintes profissionais de medicina e segurança do trabalho:

a- 01 (um) Médico do Trabalho, com carga horária mínima de duas horas por dia, em dois dias por semana;

b- 01 (um) Auxiliar de Enfermagem em tempo integral;

c- 01 (um) Técnico e 01 (um) Auxiliar de Segurança em tempo integral, devendo ser respeitado o número de
profissionais exigido pela legislação (NR).

ACOMPANHAMENTO DE ACIDENTADO E/OU PORTADOR DE DOENÇA PROFISSIONAL

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA TERCEIRA - COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO

As Empresas remeterão, obrigatoriamente, à Previdência Social, ao Sindicato Profissional e ao acidentado,


uma cópia da Guia de Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT), conforme determina a Lei 8.213/91,
inclusive aos dependentes do acidentado, no caso de óbito deste.

Parágrafo Primeiro - Em caso de acidente de trabalho que requeira hospitalização, as Empresas


comunicarão o fato à família do trabalhador, no endereço constante da Ficha de Registro.

Parágrafo Segundo - As Empresas deverão comunicar o acidente de trabalho à Previdência Social, até o
primeiro dia útil seguinte ao da ocorrência e, em caso de morte, de imediato à autoridade policial
competente, assim como ao órgão regional do Ministério do Trabalho e o Sindicato Laboral.

Parágrafo Terceiro – Nos canteiros de obras com mais de 100 (cem) trabalhadores, as Empresas disporão
de enfermaria, ou serviço similar, para os atendimentos de primeiros socorros.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 18 de 25

Parágrafo Quarto – No caso de acidente do trabalho em que o acidentado necessite de atendimento


médico hospitalar não disponível no local de trabalho, a Empresa deverá providenciar a sua imediata
remoção para o local de atendimento, arcando com as despesas de transporte. Neste caso, a Empresa
deverá avisar os familiares do Trabalhador sobre o acidente ocorrido e o local para onde o mesmo foi
deslocado.

Parágrafo Quinto - No caso de acidente cuja gravidade exija atendimento de emergência especializado, a
Empresa deverá se responsabilizar pelo transporte do acidentado e arcará com as despesas do
atendimento de emergência até que o mesmo seja transferido para uma unidade de atendimento público, ou
conveniado, que tenha condições de dar continuidade ao tratamento.

Parágrafo Sexto - No caso de acidente do trabalho previsto no Parágrafo 5º acima a Empresa deverá
acompanhar o atendimento do acidentado até que o mesmo não corra nenhum risco de vida.

Parágrafo Sétimo - A responsabilidade da Empresa tratada nos Parágrafos 4º e 5º acima não se aplica aos
casos de acidentes considerados “de trajeto”, exceto quando o mesmo ocorrer em veículo que esteja a
serviço da Empresa, resguardadas as responsabilidades previstas em lei.

RELAÇÕES SINDICAIS
SINDICALIZAÇÃO (CAMPANHAS E CONTRATAÇÃO DE SINDICALIZADOS)

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUARTA - INCENTIVO À SINDICALIZAÇÃO

Os Trabalhadores sindicalizados não sofrerão restrição à sua contratação ou permanência nas Empresas.

ACESSO DO SINDICATO AO LOCAL DE TRABALHO

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUINTA - ACESSO DE DIRIGENTE SINDICAL AOS LOCAIS DE


TRABALHO

As Empresas permitirão ao dirigente da Entidade Sindical Laboral, devidamente credenciado, acesso aos
locais de trabalho, com a finalidade de verificação das condições de higiene e segurança do trabalho, desde
que a visita seja previamente solicitada e que esta seja acompanhada por representante da Empresa.
Quando tais visitas acontecerem em obras que envolvam questões de segurança, a mesma só será
autorizada após a devida anuência do Cliente ou do Contratante Principal.

Parágrafo Único - Os dirigentes sindicais serão liberados pelas Empresas para ficarem a disposição do
Sindicato Profissional, na forma da lei, e nas seguintes condições:

a.Total de dirigentes sindicais liberados não poderá ser superior a 4 (quatro), não podendo ser liberado mais
de 1 (um) dirigente por Empresa.

b.A liberação de 4 (quatro) dirigentes de que trata a alínea “a” deste parágrafo será efetuada com ônus para
as Empresas que contarem com mais de 80 (oitenta) empregados. Para tanto o SINDIMONT-SE
encaminhará ao SINICON a relação dos 4 (quatro) dirigentes que deverão ser liberados para as Empresas.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 19 de 25

REPRESENTANTE SINDICAL

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEXTA - REPRESENTANTE SINDICAL

Visando garantir a organização dos trabalhadores por local de trabalho, as empresas que contarem com
500 (quinhentos) empregados ou mais no canteiro de obras terão um representante sindical, eleito entre os
trabalhadores o qual deverá executar função que pressuponha continuidade de trabalho até o término da
obra.

Parágrafo Único – Ao representante sindical na forma desta cláusula, eleito por processo organizado pelo
SINDIMONT-SE será garantida estabilidade no emprego desde a sua eleição até o término da obra.

LIBERAÇÃO DE EMPREGADOS PARA ATIVIDADES SINDICAIS

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SÉTIMA - LIBERAÇÃO DE TRABALHADORES PARA EVENTOS

Desde que solicitados por ofício da Entidade Sindical Laboral, as Empresas poderão liberar os seus
Trabalhadores para participar de cursos, seminários, congressos ou eventos sindicais, ficando tal
liberação restrita a 05 (cinco) Trabalhadores sindicalizados ou não, uma vez por ano e, no máximo,
pelo período de 03 (três) dias consecutivos ou intercalados, garantida a remuneração integral desses
dias.

CONTRIBUIÇÕES SINDICAIS

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA OITAVA - MENSALIDADE SINDICAL

As empresas descontarão dos salários dos seus empregados mediante autorização prévia, expressa e
individual, mensalmente, o valor correspondente a 2% (dois por cento) do salário base, a titulo de
mensalidade sindical.

Parágrafo Primeiro - O referido desconto será efetuado por ocasião do pagamento do salário mensal,
ficando responsáveis pelo o valor do débito, devidamente corrigido na forma prevista no parágrafo 2º desta
Clausula as empresas que não ou efetivarem. Para o cumprimento da penalidade estabelecida neste
parágrafo, o SINDIMONT-SE deverá ter em sua posse comprovante da autorização do empregado que foi
entregue na empresa, devidamente protocolada.

Parágrafo Segundo - Fica estabelecido que os valores referentes aos descontos efetuados nos termos
desta Cláusula, deverão ser recolhidos pelas empresas na forma do Parágrafo 3º abaixo, até o décimo dia
contado a partir da efetivação do desconto, sob pena de pagamento de multa de 2% (dois por cento), juros
de mora de 1 % (um por cento) ao mês e correção monetária com base na TR ou indexador que o substitua
no caso de sua extinção. A multa e os juros deverão ser calculados sobre o debito corrigido.

Parágrafo Terceiro - Fica acordado desde já que as contribuições a serem recolhidas ao SINDIMONT-SE,
a qualquer titulo, deverão ser efetuadas através da rede bancária cujo estabelecimento será indicado pelo
SINDIMONT-SE que deverá fornecer às empresas, até o dia 19 (dezenove) de cada mês, guia para o
recolhimento dos descontos de que trata esta Cláusula. Nas guias deve constar o nome do Sindicato dos
Trabalhadores, o seu CNPJ e endereço, bem como o nome do Banco e número da Conta Corrente na qual
devem ser creditados os valores.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 20 de 25

Parágrafo Quarto - As empresas deverão encaminhar ao SINDIMONT-SE, dentro do mês de recolhimento,


uma relação contendo nome, função, valor do salário e respectivos valores relativos aos descontos da
mensalidade sindical, no formato arquivo Excel.

Parágrafo Quinto - As empresas que não receberem a referida guia, poderão solicitá-la na sede do
SINDIMONT-SE.

Parágrafo Sexto - As empresas que por 3 meses consecutivos não efetuarem o desconto dos
trabalhadores que forneceram autorização prévia, expressa e individual, pagarão ao sindicato o valor
correspondente sem descontar dos trabalhadores.

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA NONA - CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL DOS TRABALHADORES

As empresas ficam obrigadas a descontar mensalmente da folha de pagamentos de seus empregados,


desde que previa, expressa e individualmente autorizadas por eles, a título de Contribuição Assistencial, o
percentual de 1,5% (um vírgula cinco por cento) do salário base, de todos os Trabalhadores filiados, a partir
da assinatura do presente instrumento, em favor do SINDIMONT-SE.

Parágrafo Primeiro - As contribuições a serem recolhidas pelas Empresas deverão se efetuadas através
de guia para pagamento fornecida pelo sindicato, que enviará às Empresas, até o dia 09 do mês referente
ao desconto, boletos pagos em qualquer agência bancária, para pagamento até o dia 10 do mês referente
ao desconto. Nas guias deve constar o nome do SINDIMONT-SE, seu CNPJ e endereço.

Parágrafo Segundo – As Empresas enviarão ao Sindicato, mediante solicitação do próprio Sindicato, até o
quinto dia útil de cada mês, relação de todos seus trabalhadores lotados no estado de Sergipe, contendo
nome, função e salário base, qualquer atraso no envio dessa relação não alterará o vencimento do boleto
para pagamento da contribuição assistencial.

Parágrafo Terceiro - Subordina-se o desconto da contribuição assistencial à não oposição do Trabalhador,


manifestada diretamente ao SINDIMONT-SE, até 20 (vinte) dias a partir da data de realização da
assembleia dos trabalhadores que aprovar a convenção coletiva de trabalho ou até 10 dias antes do
primeiro pagamento reajustado.

Parágrafo Quarto – O referido desconto será efetuado por ocasião do pagamento do salário mensal, e
recolhido à rede bancária até o dia 10 (dez) do mês de desconto, sob pena de pagamento de multa de 2%
(dois por cento), acrescido de 1% (um por cento) ao mês quando o atraso exceder o período de 30 dias
(trinta) dias.

Parágrafo Quinto - As empresas que por 3 meses consecutivos não efetuarem o desconto dos
trabalhadores que forneceram autorização prévia, expressa e individual, pagarão ao sindicato o valor
correspondente sem descontar dos trabalhadores.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 21 de 25

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA - TAXA NEGOCIAL

Ficam as empresas obrigadas a descontar na folha de pagamento de todos os trabalhadores que


fornecerem autorização prévia, expressa e individual, no mês de janeiro, a título de taxa negocial, aprovada
na Assembleia Geral Extraordinária – AGE de 06 de novembro de 2017, em favor do SINTIMONT-SE, o
valor equivalente à um (01) dia normal de trabalho.

Parágrafo Primeiro – O referido desconto será efetuado por ocasião do pagamento do salário do mês de
janeiro, e recolhido à rede bancária até o dia 10 (dez) do mês subsequente ao do desconto, sob pena de
pagamento de multa de 2% (dois por cento), acrescido de 1% (um por cento) ao mês quando o atraso
exceder o período de 30(trinta) dias.

Parágrafo Segundo – As empresas que não procederem ao desconto previsto nesta clausula, pagará ao
SINDIMONT-SE o valor correspondente ao número de empregados do débito em atraso, sem ônus para o
empregado, desde que não haja manifestação de oposição pelo empregado.

Parágrafo Terceiro – No mês de desconto da Taxa Negocial, não será descontado dos trabalhadores o
valor da Contribuição Assistencial em favor do SINDIMONT-SE.

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA PRIMEIRA - TAXA ASSISTENCIAL PATRONAL (SINICON)

Conforme deliberação da assembleia, as empresas que por sua atividade econômica estão filiadas ao
SINICON – Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada, e executam serviços na base territorial
representada por ambas as entidades ora convenentes, mediante autorização caracterizada pela quitação
dos respectivos boletos de cobrança emitidos pelo SINICON, recolherão uma contribuição assistencial
patronal complementar, a favor do SINICON, em duas parcelas, sendo a primeira no dia 30 (trinta) do mês
subsequente ao da assinatura da presente convenção, e a Segunda parcela 30 dias após o pagamento da
primeira parcela, no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais), cada uma, necessário à manutenção das
atividades sindicais.

Parágrafo Primeiro - Estão isentas da contribuição complementar, as empresas que efetuam o


recolhimento da mensalidade associativa ao SINICON.

Parágrafo Segundo - A contribuição complementar será efetuada através de guia própria fornecida pelo
SINICON, até o 5º (quinto) dia útil do mês posterior ao do vencimento. O atraso no recolhimento implicará
em multa de mora de 20% (vinte por cento) do valor devido, além de juros moratórios de 1% (um por cento),
acumulados mensalmente.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 22 de 25

Parágrafo Terceiro - Subordina-se o recolhimento da contribuição complementar à não oposição da


empresa manifestada perante o SINICON.

Parágrafo Quarto - A contribuição complementar será efetuada através de guia própria fornecida pelo
SINICON, ou através de depósito bancário nas contas abaixo discriminadas, até o 5º (quinto) dia útil do mês
posterior ao do vencimento. O atraso no recolhimento implicará em multa de mora de 20% (vinte por cento)
do valor devido, além de juros moratórios de 1% (um por cento), acumulados mensalmente.

- SINICON – Conta Corrente n° 705.129-8 - Banco do Brasil S/A – AG. 1251-3.

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEGUNDA - APORTE SINDICAL

De acordo com decisão do Conselho Diretor do SINICON, fundamentado em disposições estatutárias, e


com o objetivo de custeio e manutenção dos serviços prestados pelo SINICON antes suportados pela
Contribuição Sindical que deixou de ser obrigatória, fica estipulada a Contribuição denominada APORTE
SINDICAL:

I - O APORTE SINDICAL será no valor correspondente a faixa de capital social em que se enquadra a
empresa, obedecida a tabela abaixo:

Faixa Capital Social De: Capital Social Até Valor fixo


1 R$ 0,01 R$ 40.000,00 R$ 200,00
2 R$ 40.000,01 R$ 60.000,00 R$ 300,00
3 R$ 60.000,01 R$ 80.000,00 R$ 340,00
4 R$ 80.000,01 R$ 120.000,00 R$ 420,00
5 R$ 120.000,01 R$ 160.000,00 R$ 500,00
6 R$ 160.000,01 R$ 240.000,00 R$ 700,00
7 R$ 240.000,01 R$ 320.000,00 R$ 800,00
8 R$ 320.000,01 R$ 480.000,00 R$ 900,00
9 R$ 480.000,01 R$ 640.000,00 R$ 1.000,00
10 R$ 640.000,01 R$ 960.000,00 R$ 1.250,00
11 R$ 960.000,01 R$ 1.280.000,00 R$ 1.500,00
12 R$ 1.280.000,01 R$ 1.920.000,00 R$ 1.750,00
13 R$ 1.920.000,01 R$ 2.560.000,00 R$ 2.000,00
14 R$ 2.560.000,01 R$ 3.840.000,00 R$ 2.500,00
15 R$ 3.840.000,01 R$ 5.120.000,00 R$ 3.500,00
16 R$ 5.120.000,01 R$ 7.680.000,00 R$ 5.500,00
17 R$ 7.680.000,01 R$ 10.240.000,00 R$ 7.500,00
18 R$ 10.240.000,01 R$ 15.360.000,00 R$ 10.000,00
19 R$ 15.360.000,01 R$ 20.480.000,00 R$ 21.000,00
20 R$ 20.480.000,01 R$ 30.720.000,00 R$ 22.000,00
21 R$ 30.720.000,01 R$ 40.960.000,00 R$ 24.000,00
22 R$ 40.960.000,01 R$ 61.440.000,00 R$ 26.000,00
23 R$ 61.440.000,01 R$ 81.920.000,00 R$ 30.000,00

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 23 de 25

24 R$ 81.920.000,01 R$ 122.880.000,00 R$ 35.000,00


25 R$ 122.880.000,01 R$ 163.840.000,00 R$ 41.000,00
26 R$ 163.840.000,01 Valor maior R$ 42.000,00

II - O APORTE SINDICAL poderá ser pago em 3 parcelas consecutivas, sendo a 1ª parcela devida 30 dias
após a assinatura desta Convenção Coletiva de Trabalho mediante Guia fornecida pelo SINICON.

III – As empresas que recolheram voluntariamente a Contribuição Sindical/2018 ficam isentas do


pagamento do APORTE SINDICAL previsto nesta Cláusula.

IV. A autorização da empresa com o pagamento do APORTE SINDICAL ficará caracterizada pela quitação
dos respectivos boletos de cobrança emitidos pelo SINICON.

PROCEDIMENTOS EM RELAÇÃO A GREVES E GREVISTAS

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA TERCEIRA - MANUTENÇÃO DOS SERVIÇOS ESSENCIAIS DURANTE


GREVE

Em caso de greve, as Comissões de Negociação de Trabalhadores e a Empresa definirão, previamente, as


atividades e serviços essenciais a serem mantidos em funcionamento.

Parágrafo Único – A greve é um recurso extremo e só deve ser deflagrada após esgotadas as tentativas
de solução negociada.

OUTRAS DISPOSIÇÕES SOBRE RELAÇÃO ENTRE SINDICATO E EMPRESA

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA QUARTA - RECREAÇÃO PARA OS TRABALHADORES

As Empresas apoiarão o Sindicato Profissional na divulgação das programações destinadas aos


Trabalhadores, facilitando o acesso dos seus Trabalhadores incluídos em cada programação.

Parágrafo Primeiro - As Empresas procurarão incentivar a prática de atividades sociais de seus


Trabalhadores nos dias de folga, em especial dos alojados, com a utilização das dependências dos Centros
Sociais e Esportivos do SESI e outros convênios feitos pelo Sindicato Profissional, bem como, poderão as
empresa a seu exclusivo critério, discutir com o referido Sindicato a sua ação participava.

Parágrafo Segundo - Recomenda-se que nos alojamentos sejam disponibilizados televisão, geladeira.

Parágrafo Terceiro - Nas casas ou alojamentos deverão ser obedecidos os números de pessoas por
quarto, e banheiros, de acordo a NR 18.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 24 de 25

DISPOSIÇÕES GERAIS
MECANISMOS DE SOLUÇÃO DE CONFLITOS

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA QUINTA - SOLUÇÃO CONCILIATÓRIA

A Entidade Sindical Laboral se compromete, antes de ajuizar qualquer reclamação trabalhista, a


consultar a Empresa sobre a possibilidade de uma solução conciliatória para a controvérsia.

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEXTA - COMISSÃO DE CONCILIAÇÃO PRÉVIA

Os convenentes, no prazo de noventa dias contados da assinatura deste instrumento normativo, iniciarão
estudos visando o regulamento para a implantação da Comissão de Conciliação Prévia da categoria.

APLICAÇÃO DO INSTRUMENTO COLETIVO

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SÉTIMA - NÃO INCORPORAÇÃO DE BENEFÍCIOS E CONCESSÕES

Fica desde já acordado que todo e qualquer benefício e/ou concessão estabelecido nesta Convenção,
que não estejam previstos na legislação existente ou que excedam os limites nela estabelecidos, não
se incorporarão aos salários para quaisquer fins.

DESCUMPRIMENTO DO INSTRUMENTO COLETIVO

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA OITAVA - MULTA POR DESCUMPRIMENTO

Fica acordada pelas partes, multa de 20% (vinte por cento) do valor ajustado para o piso salarial do
Ajudante Comum, por infração e por empregado ou empresa prejudicada, em caso de descumprimento
de quaisquer das cláusulas contidas nesta Convenção, revertendo-se o benefício em favor da parte
prejudicada conforme o Art. 613 da CLT, e VIII – Penalidades.
Parágrafo Único – As partes terão o prazo de 30 (trinta) dias para efetuar o pagamento de qualquer
multa por infração das normas desta Convenção.

OUTRAS DISPOSIÇÕES

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA NONA - DIA DO TRABALHADOR NA MONTAGEM E MANUTENÇÃO


INDUSTRIAL

Fica instituído o dia 14 do mês de janeiro, como o “Dia do Trabalhador na Indústria de Montagem e
Manutenção”, sendo esse dia considerado feriado para a categoria.

RENILDA MARIA DOS SANTOS CAVALCANTI


PROCURADOR
SINDICATO NACIONAL DA INDUSTRIA DA CONSTRUCAO PESADA - INFRA-ESTRUTURA - SINICON

ANTONIO PEREIRA DOS SANTOS NETO


PRESIDENTE
SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDUSTRIAS DE MONTAGENS E MANUTENCAO INDUSTRIAL EM GERAL
NO ESTADO DE SERGIPE

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018
Mediador - Extrato Convenção Coletiva Página 25 de 25

ANEXOS
ANEXO I - ATA LABORAL
Anexo (PDF)

A autenticidade deste documento poderá ser confirmada na página do Ministério do Trabalho e Emprego
na Internet, no endereço http://www.mte.gov.br.

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/Resumo/ResumoVisualizar?NrSolicitacao... 01/08/2018

Você também pode gostar