Você está na página 1de 20

"Só quando estamos em sintonia com nosso destino, com nossos pais,

com nossa origem e tomamos nosso lugar, então temos força".


Bert Hellinger

Resolva-se
com Seus
Pais
ANTES QUE SEJA
TARDE DEMAIS

Rodrigo C. Rocha
"Na maioria das vezes, você não precisa de um NOVO
CAMINHO, mas de uma NOVA FORMA DE CAMINHAR".
Bert Hellinger

Apresentação
Como você está aqui, há uma razão para
isso. Você está buscando se ouvir e se
cuidar emocionalmente. 

O maior investimento em bem-estar é


separar tempo para aquietar a mente,
observar as sensações e se permitir
acolher seus sentimentos. Essa é uma
escolha muito importante, mas nem
sempre é feita. Por isso, este livro digital
foi idealizado, para facilitar um olhar
essencial, prático e efetivo sobre como melhorar sua relação com seus pais, com
você mesma e com a vida.

A ideia de resolver-se com seus pais, antes que seja tarde demais representa uma
escolha amorosa, por si pelos seus entes queridos. Deixar para depois seus cuidado
por si mesma pode criar problemas que poderiam ser resolvidos com a ajuda
efetiva da constelação familiar.

Não se resolver com seus pais significa carregar ressentimentos ou se submeter a


uma relação desgastante com seus pais. Se você tem julgamentos de como seus
pais deviam ser ou se você se coloca como pai ou mãe dos seus pais, isso afeta sua
vida, sua autoestima, autoconfiança e bem-estar.

Antes que seja tarde demais significa que você pode passar muitos anos sofrendo,
sem saber que isso é uma escolha sua. Com o tempo, você pode somatizar sua
tristeza e desenvolver doenças graves. Então, preventivamente você pode mudar
sua relação com seus sentimentos, com seus pais e com a vida. Assim, você pode
viver uma vida com mais bem-estar agora.

Gratidão por você estar aqui. Espero que você se beneficie dessa abordagem
incrível de mudança essencial e efetiva que é a Constelação Familiar. Assim
“Resolva-se com Seus Pais, Antes que Seja Tarde Demais” é um instrumento para
essa nova consciência em nossa vida!

"Quando uma mulher decide curar-se,


ela se transforma em uma obra de amor e compaixão,
já que não se torna saudável somente para si própria,
mas também para toda a sua família".
Bert Hellinger

2
CONTEÚDO
4 E C I D N Í
I N T R O D U Ç Ã O

Minha Primeira Constelação Familiar

6 R E L A Ç Ã O C O M S U A

Confiança, Autoestima e Presença


M Ã E

9 R E L A Ç Ã O C O M S E U

Força, Determinação e Realização


P A I

12 A V Ó S , P A I S E

O Passado Se Faz Presente


F I L H O S

14 A M O R I N T E R R O M P I D O

História da Raposa e da Uva

16 A C E I T A R O P A S S A D O

Resolvendo-se com seus pais

18 C O N C L U S Ã O

Jornada do autoconhecimento emocional


"O outro sou eu. Ele é outro para mim apenas enquanto não o
percebo e reconheço como parte minha, pois, em princípio, nada no
mundo pode estar fora de mim".
Bert Hellinger

INTRODUÇÃO
Para falar sobre o livro digital “Resolva-se
com Seus Pais, Antes que Seja Tarde
Demais”, eu quero compartilhar com você
minha experiência na primeira vez em que
fiz uma constelação familiar.

Foi em 2011, eu tinha 27 anos, não entendia


do que se passava numa constelação, mas
percebi que podia conseguir mudar o
ressentimento que tinha em relação ao meu
pai.

Na época me dei conta que esse ressenti-

mento me afetava negativamente em todas as situações na minha vida. Percebi


que, de vez em quando, eu tinha algum desentendimento com algum chefe no
trabalho, mesmo que eu procurasse fazer tudo certo, nunca era bom o suficiente,
refletindo a relação com meu pai.

Esse ressentimento que eu sentia me fazia mais suscetível a me magoar por


qualquer coisas. O que me fez perceber que eu me afastava das pessoas ao menor
desentendimento. Principalmente de pessoas que tinham personalidades
assertivas, confiantes e expressivas, como o meu pai.

O ressentimento era tal que para eu me permitir constelar a relação com o meu pai
tive que dizer para mim mesmo que eu estava fazendo aquilo por mim e não por
ele.  A tendência, claro, era de esse ressentimento piorar, porque vi que eu atraía,
sem saber, situações que repetiam a relação com meu pai.

" Você já reparou que você tende a atrair pessoas com traços que se
assemelham ao que você não gosta nos seus pais?"
Eu percebi isso e ficava mais irritado e ressentido. No fundo, meu ressentimento era
comigo mesmo, naquilo que eu não aceitava em mim.

Então, chegou o dia da constelação. O facilitador da constelação familiar me


perguntou "O que você quer constelar?". Ressentimento. "Em relação a quem é seu
maior ressentimento?" Meu pai. Só mais uma pergunta "Quem é sua família?" Meu
pai, minha mãe e uma irmã. A partir daí ele pediu para eu escolher quem das
pessoas que estavam na Vivência de Constelação Familiar poderia representar a
mim, meu pai, minha mãe e irmã. Escolhi e começou a constelação

Visite constelasp.com.br 4
Uma pessoa está em paz quando todos que pertencem a sua
família têm lugar no seu coração.
Bert Hellinger

Bom, a constelação durou cerca de uma hora. Percebi que minha mãe também
tinha algum ressentimento pelo meu pai. Ela não sabia como resolver, então eu
sentia um ressentimento ainda maior porque estava em ressonância com o dela. Na
constelação os representantes dos meus pais se conectaram, se reconheceram e
assumiram suas responsabilidades na relação que tinham. 

A representante da minha mãe ainda tinha algo para resolver com o passado,
alguma relação incompleta, olhava apenas para o chão. Isso indica para o
facilitador pedir para algum outro representante se posicionar no chão. Daí, houve
o reconhecimento e inclusão dessa pessoa.

Por fim, o meu representante deixou com os meus pais o que era assunto deles,
agradeceu pela vida e os abraçou.

Vi tudo isso de fora, percebi que o ressentimento havia diminuído muito ao final da
constelação.
" Foi uma mágoa que me acompanhou por mais de 15 anos e
praticamente desapareceu em uma constelação apenas".
Eu já tinha feito outras terapias, mas não mudava nada, porque era apenas falar
sobre o passado, semana após semana.

O impacto dessa constelação familiar foi tão grande que decidi que queria
compartilhar essa experiência com tantas pessoas quanto eu pudesse e, por isso,
me tornei facilitador de constelação familiar.

Escolhi fazer a formação para facilitar constelação familiar e, desde 2012, comecei a
ajudar pessoas a melhorar suas relações em família e consigo mesmas. É
surpreendente como as pessoas que representam em uma constelação sentem e
percebem as relações da família de quem constela, sem ter qualquer informação.

Então, para mim, Constelação Familiar é uma forma de cura emocional profunda a
partir da percepção das relações em família. Você percebe como você se relaciona
com seu problema e também consegue resolvê-lo. Isso acontece quando você se
abre a deixar com seus pais o que é deles, quando você escolhe ser grato à vida que
recebeu e quando você escolhe se colocar como filho em relação a eles.

"Se você ainda não se resolveu com seus pais, vá se resolver".


G. I. Gurdjieff

Visite constelasp.com.br 5
O que está em vida é inacabado. Os mortos são completos. O desejo por
perfeição é, na verdade, na profundeza, um desejo pela morte. Para que
fiquemos em vida, temos que respeitar o inacabado.
Bert Hellinger

RELAÇÃO COM A MÃE


Como perceber que há uma dificuldade no relacionamento com sua mãe? Algumas
vezes pergunto nas sessões de constelação familiar: “Como é a relação com a sua mãe?”
A resposta costuma ser: “Boa, mas…”. Nesse momento vejo que o mais importante é o
que está depois do “mas” e comento: Interessante a ênfase no que vem depois do
"mas". Imagino que “boa” significa que agora está melhor do que já foi.

Quando a Constelação Familiar ajuda a melhorar a relação com a mãe, isso indifere se
moram juntos ou não, ou se ela já é falecida ou se você não a conheceu, por ser filho
adotivo. Em qualquer caso, ainda assim é possível enfocar a imagem internalizada que
você tem da sua mãe, como se tem ao imaginá-la, e sentir que seus sentimentos
mudam para melhor em relação a ela.

Para entender como a Constelação Familiar pode ajudar sua vida, vou apresentar os
três princípios sistêmicos, ou Ordens do Amor, em relação às dificuldades que podem
haver na relação com a mãe. 

Então, no contexto das Ordens do Amor, quando se fala sobre Equilíbrio entre Dar e
Receber, pode haver uma dificuldade onde ou você não se permite receber da sua
mãe, por qualquer motivo, ou ela não está disponível para dar e busca receber de você.
" Esse dar e receber pode ser de tempo ou atenção, não precisa ser
necessariamente algo material".

Quando se fala na Ordem do Amor Pertencimento, pode acontecer de sua mãe não se
sentir integrada à família dela, ou pode ser que ela tenha se esforçado para atender às
expectativas dos pais e deixou de ser totalmente ela mesma em essência. Pode ser
também que sua mãe tenha tido algum aborto, espontâneo ou provocado, então pode
ser que esses irmãos que não nasceram estejam excluídos, por não se falar no assunto.

Sobre a Ordem do Amor Precedência,


pode ser que sua mãe demande sua
atenção, quase como se ela fosse a
sua filha, às vezes, enfocando as
coisas negativas que vê na tevê ou
que acontecem no dia dela.

Pode ser, dependendo da idade da


sua mãe, que você precise com
alguma constância ajudá-la e está
tudo bem, se você ajuda com
respeito e na posição de filha.

Visite constelasp.com.br 6
"A habilidade de observar sem julgamento é a mais elevada
forma de inteligência do ser humano".
Krishnamurti

Não estou falando que toda relação seja assim. O que estou falando é que isso pode
acontecer para algumas pessoas. 

Uma forma de se melhorar a relação é escolher ter foco na gratidão pelas coisas
boas que se recebeu da sua mãe, buscar um olhar de aceitação e se colocar como
filho, com receptividade ao que ela tem a dizer.

" Sobre a importância de se trabalhar as próprias emoções: uma


dificuldade na relação com a mãe afeta a vida dos filhos de
inúmeras maneiras". 
A relação com a mãe é um reflexo da relação com o feminino em você. Basta se
perguntar, como eu me relaciono como meu lado feminino? Essa é uma pista para
se perceber o quanto se pode melhorar dentro de si mesmo, com sua mãe e com
todas as pessoas. 

Quando se fala da relação com o feminino, se pode pensar na relação com os


sentimentos, na aceitação e cuidado consigo mesmo, cuidado com a saúde e com o
próprio corpo. Pode-se pensar, também, em como você se relaciona com as pessoas
de modo geral, como anda sua relação com o dinheiro, no sentido de conseguir
fazê-lo durar e ter um sentimento de abundância.

Outras ideias sobre a relação com a mãe:


- pense na relação que ela teve com os pais dela;
- como era ou é a relação da sua mãe com os pais?
- sua mãe e os pais dela são ou foram próximos ou são ou foram distantes e
falavam raramente?
- geralmente, sua mãe pode não estar presente como a mãe que você gostaria,
ou não esteve presente na sua infância, porque os pais dela também não
estiveram presentes para ela.
- você já se perguntou como é a mãe que você gostaria de ter tido? Se sim,
quanto você é hoje para você a mãe que você gostaria de ter tido (em uma
escala de 0 a 10, onde 0 é nada e 10 é tudo)? Nesse caso, que tal melhorar essa
avaliação, fazendo coisas para você que vai representar que você está sendo para
você mais a mãe que você gostaria?

Experimente o seguinte exercício, que tem o objetivo de trazer para o dia-a-


dia uma compreensão importante sobre constelação familiar:
1. Você pode escolher imaginar seu pai ou sua mãe.
2. Escolha quem você gostaria de melhorar a relação em alguma medida.
3. Imagine, na sua frente, quem você escolheu.
4. Perceba como você se sente ao olhar para essa pessoa.
5. Diga “deixo com você o que é seu e guardo comigo o que é meu”.
6. Perceba o que muda na imagem da pessoa a sua frente e na sua sensação em
relação a ela.

Visite constelasp.com.br 7
Quando você expressa um sentimento negativo, você descobre,
depois disso, que você não o sente mais como "verdade".
Neale Donald Walsh

Como foi fazer esse exercício?


" Uma ideia importante é perceber que você pode deixar
com seus pais o que é deles e assumir apenas o que é seu,
porque assim eles se fortalecem e você também".
Faz sentido?

Um outro exercício breve para melhorar a relação com sua mãe, ou pai, se
preferir:
- Imagine sua mãe à sua frente, perceba como você se sente. Qual a sensação no
corpo ao imaginar sua mãe? Qual o tamanho dela nessa imagem em relação a
você? Para onde ela olha? Olha para você, olha para outra direção? Apenas
perceba.
- Agora, você imagina que tem uma caixa nas mãos. Dentro dessa caixa tem
tudo o que não pertence a você, mas pertence a sua mãe e a seus antepassados.
Você faz uma reverência, colocando essa caixa no chão perto dos pés da sua
mãe. E você diz “Deixo com você o que é seu e guardo comigo só o que é meu”.
Perceba o que muda.
- Você diz “Mãe, obrigado pela vida”. Perceba o que muda.
- Você diz “Mãe, eu aceito você como você é”. Novamente, perceba o que muda.
- Por fim, imagine que você é pequeno e sua mãe é grande. Abrace-a como sua
criança interior gostaria de abraçar a mãe. Perceba como é isso. O que acontece?

É isso. Esses são alguns exercícios em que você pode sentir uma melhora na relação
com sua mãe. O que você acha disso? Faz sentido para você? Que tal experimentar
e perceber o que pode começar a mudar?

"Sem mãe, não há casal. Para quem procura um relacionamento


e não o encontra, deve primeiro aceitar a própria mãe como ela é".
Bert Hellinger

Visite constelasp.com.br 8
Toda comunicação verdadeira é baseada no amor. Por isso, quando há
amor, há entendimento. E quando a comunicação é difícil, é sinal de que o
amor não está totalmente presente".
Brene Brown

RELAÇÃO COM SEU PAI


O que você leu, no capítulo anterior, sobre a relação com a mãe pode ser aplicado à
relação com o pai, caso você queira experimentar.

Quando você sente que seu pai é distante, como melhorar a relação? Você poderia
buscar falar com ele mais frequentemente, se essa for sua vontade. Pode ser que
você já tenha tentado isso, certo? Mas, se ainda há um ressentimento por essa
distância entre vocês, é importante reconhecer que há também um desejo de
conexão.

Você funciona, pelo menos em dois níveis, o do pensamento (consciente ou mente)


e o do sentimento (subconsciente ou coração). Quando você se ressente e se afasta
do seu pai, essa é uma escolha da mente que se sobrepõe ao coração. Quando você,
mesmo ressentido, busca se aproximar do seu pai, essa é uma escolha do coração.

É importante perceber que não existe uma escolha melhor entre as duas anteriores,
mas é imprescindível ser verdadeiro com o que você sente. Se há ressentimento,
isso precisa ser reconhecido, não pode ser suprimido, porque pode gerar alguma
doença psicossomática. A mesma coisa se aplica à questão de se estar distante do
seu pai e querer se aproximar. Se esse é o caso, é melhor seguir sempre o que se
sente.

A melhor relação entre mente e coração é a mente servindo ao coração. É fazer-se a


seguinte pergunta: “Como posso viabilizar o que gosto e quero fazer,
independentemente de dúvidas e medos?”

Como melhorar a relação com seu pai?

Se ele é distante ou ausente…


Você pode buscar contato, talvez já tenha feito isso e não tenha sido como você
gostaria. Então, que tal experimentar se perguntar o que poderia mudar em você
para a relação ser menos distante ou mais próxima?  Você pode experimentar o
seguinte exercício: 
- Feche os olhos, imagine seu pai (ou uma imagem que a sua mente lhe
apresenta ao pensar na figura paterna)
- Diga para ele “Você é meu pai, eu sou seu filho”. Perceba o que muda.
- Depois, “Deixo com você o que é seu e guardo comigo só o que é meu”. Diga,
também, “Obrigado pela vida”. E “Aceito você como você é”. Perceba o que
muda. 
- Se a imagem estava distante, observe qual é a proximidade agora. Como você
se sente?

Visite constelasp.com.br 9
Vulnerabilidade não é algo bom nem mau: ela é o centro de todas
as emoções e sensações. Sentir é estar vulnerável.
Neale D. Walsh

Se seus pais se separaram e você se sente culpado por isso…


Se você se culpa ou culpa o seu pai por não ter estado com você e com a sua mãe,
por qualquer motivo, então experimente o seguinte: 
- Imagine seus pais, perceba o tamanho deles na sua imaginação e como estão
em relação a você e entre eles.
- Imagine que eles dizem um para o outro “Eu assumo minha parte da
responsabilidade pelo que houve entre nós e deixo a sua parte com você”.
Perceba o que muda em você e na imagem da relação entre eles. 
- Agora, imagine que eles dizem um para o outro: “Obrigado pelo que recebi de
você”. E então, agora, eles dizem para você: “O que houve entre nós não teve
nada a ver com você, foi nosso assunto, nós resolvemos, nós somos os grandes,
você é o pequeno, somos seus pais e você é nosso filho”. Perceba o que muda ao
ouvir isso. 
- Por último, você diz para eles: “Deixo com vocês o que é de vocês e guardo
comigo só o que é meu”. Pode dizer também: “Obrigado pela vida” e “aceito
vocês como são”. Perceba o que muda e se quiser, se imagine pequeno
abraçando seus pais.

Se seu pai é ou foi agressivo... 


Você pode melhorar essa relação dentro de você, se não for possível diretamente
com ele. Experimente:
- Imagine ele, perceba seu tamanho, que sentimento parece ter e para onde
olha. Pode ser que a raiva que ele sente, não seja dele, pode ter aprendido na
relação com os próprios pais, como forma de se proteger, talvez fazendo igual a
eles. 
- Imaginando ele, imagine que ele olha para alguém que representa com quem
ele aprendeu a ser como é. 
- Imagine que ele tem uma caixa nas mãos e devolve para a pessoa essa caixa,
dizendo: “Deixo com você o que é seu e guardo comigo só o que é meu”. Perceba
o que muda. Se sentir que você pode melhorar ainda mais essa relação, veja
algum dos outros exercícios sobre melhorar a relação com o pai.

Se você se sente magoado ou ressentido com


o seu pai…
- Imagine seu pai, perceba a imagem que tem
dele. Pode ser que ele também carregue uma
mágoa por alguém da geração anterior a dele,
talvez o pai, talvez a mãe. 
- Imagine que ele olha para os pais e tem
uma caixa nas mão, que representa o que não
é dele, mas sim dos pais dele. Então ele
devolve para os pais essa caixa e diz: “Deixo
com vocês o que é de vocês e guardo comigo
o que é meu”. Perceba o que muda.

Visite constelasp.com.br 10
Tome cuidado com a aridez de uma vida ocupada.
Sócrates

Outra situação possível se você sente mágoa do seu pai, pode ser que a sua mãe
também sinta mágoa por ele . Então você sente também a mágoa que a sua mãe
sente. 
- Experimente imaginar seus pais. Sua mãe e seu pai falam um para o outro:
“Deixo com você o que é seu e guardo comigo só o que é meu”. Perceba o que
muda.
- Você imagina que você fala para seus pais “Se eu carrego algo de vocês, eu
agora devolvo para vocês o que é de vocês, e fico só com o que é meu”. Perceba
o que muda. 

Se seu pai tem problemas com drogas, álcool ou doenças que, de algum modo,
o deixe na posição de precisar ou de pedir a sua ajuda ou atenção , você pode
experimentar o seguinte: 
- Imagine ele, perceba como é a imagem que você tem dele na sua mente.
Como é essa imagem, grande ou pequena? Está perto ou longe de você? Você
gosta do que vê? 
- Experimente imaginar, além do seu pai, mais uma ou duas pessoas que
representam alguém a quem o seu pai pode estar conectado emocionalmente.
Mesmo sem saber, pode sentir falta de pessoas da família, que podem ser os pais
dele ou irmãos. 
- Ao imaginar seus pais e essas duas ou mais pessoas, você diz para elas: “Eu vejo
vocês, vocês fazem parte”. Perceba o que muda. Diga: “Respeito o destino de
vocês e assumo o meu”. Perceba o que muda. Diga: “Deixo com vocês o que é de
vocês e guardo comigo só o que é meu”.
- Agora, se você quiser e sentir que precisa, pode imaginar que seu pai também
diz essas mesmas frases para as outras pessoas. ok?

Se seu pai busca a sua atenção e compartilha assuntos dele como se fosse seu
filho ou irmão , pode ser que isso não incomode você, mas se sim, experimente o
seguinte:
- Imagine ele perto de você, perceba seu tamanho em relação a você. Talvez
esteja pequeno ou do mesmo tamanho que você. Como está nesse momento? 
- Agora, você imagina seu pai olhando para os pais dele. O que muda na imagem
do seu pai e em você? 
- Imagine que seu pai tem uma caixa e devolve para os pais o que é deles,
agradece pela vida, e abraça os pais. Perceba o que muda. 
- Agora seu pai fala para você: Eu sou seu pai e você é minha filha. Antes não
estava disponível como seu pai, porque estava buscando os meus. Mas agora
estou aqui.  Você fala para seu pai: deixo com você o que é seu e guardo comigo
só o que é meu e agradeço pela vida. Além disso, você pode se imaginar
pequena abraçando ele. Percebe o que muda.

SEJA PARA VOCÊ, A PARTIR DE AGORA,


O PAI QUE VOCÊ GOSTARIA DE TER!!!

Visite constelasp.com.br 11
CORAGEM É A ELEGÂNCIA SOB PRESSÃO.
Ernest Hemingway

AVÓS, PAIS E FILHOS


PAIS COM PROBLEMAS COM FILHOS E TAMBÉM COM OS PRÓPRIOS PAIS

Você já pensou que poderia


melhorar sua relação com seus
filhos se você melhorar a relação
com seus pais? Essa é a
possibilidade que a constelação
familiar tem a oferecer, mas
antes de falar sobre a solução,
quero desenvolver algumas
situações comuns de relação
entre pais e filhos.

Recentemente, atendi uma mãe, Maria, com dificuldades com a filha, Ana, e um pai,
João, com dificuldades com o filho, Bruno.  (Nomes fictícios). Cada um tinha suas
particularidades, que servem para ilustrar como se pode criar problemas seja pela
falta de presença, seja pelo excesso de cuidado (que nesse caso, também é uma
falta de presença emocional, daí o sufocar, por não escutar as emoções).

No caso da Maria, com dificuldade com a filha, Ana, a superproteção levou Ana a sair
de casa na primeira oportunidade. Mesmo que passasse por alguma restrição, Ana
não queria receber ajuda da Maria. Com razão, porque essa ajuda tendia a sufocar e,
aparentemente, Ana queria mais espaço.

A queixa de Maria era o distanciamento que sentia vindo de Ana. Em duas sessões
de constelação familiar, trabalhamos a conexão que a mãe tinha com os próprios
pais e com os próprios sentimentos. Havia muita energia para ajudar os outros, mas
essa energia não estava aplicada para si mesma. E não era consciente, porque Maria
apenas não se ouvia, julgava que estava bem, mas via sua própria carência projetada
nas outras pessoas.
" Então, agia para ajudá-las do jeito que achava que devia, mas,
muitas vezes, sem escutar o que de fato precisavam. Disso,
resultavam conflitos e distanciamentos".

Depois de acolher a si mesma e de melhorar uma mágoa que sentia em relação aos
pais, Maria passou a se sentir mais tranquila. Ela contou que, sem esforço, deu mais
espaço a Maria, sem telefonar para ela tanto quanto antes.

Visite constelasp.com.br 12
Toda noite, quando vou dormir, eu morro.
E quando acordo na manhã seguinte, renasço.
Mahatma Gandhi

Agora, no caso de João, que sentia um distanciamento em relação ao filho, Bruno,


havia também uma distância entre João e o próprio pai, que foi distante, por ser
autoritário. João não aceitava o próprio pai, por achar que ele devia ser mais amigo.
Então, em relação a Bruno, não foi autoritário, ao contrário, deu espaço e deixou de
impor limites. Claro, que esse modelo também não funcionou, porque João agora
julgava que devia ter estado mais presente e se imposto mais.

A questão de João, na sessão de constelação familiar, era a tristeza e culpa que


sentia por perceber que estava distante em relação ao filho, Bruno. Contou que na
infância de Bruno não tinha tempo para estarem juntos, porque estava estudando e
fazendo suas coisas. Hoje, é Bruno que não tem tempo para João, porque está
estudando e fazendo suas coisas, exatamente como aprendeu com o pai.

Na sessão, João se via distante do próprio pai. Depois de identificarmos o positivo


de o pai de João ter sido como foi, conseguimos estabelecer uma nova percepção
da relação entre eles, com mais conexão e aceitação.
" Quando João se conectou com o próprio pai, os sentimentos
mudaram. A tristeza e culpa desapareceram. E, João já se percebeu
mais leve e mais próximo em relação a Bruno".

Nos dois casos acima, das relações mãe-filha e pai-filho, a relação com os próprios
pais eram o maior obstáculo na relação com os filhos. O distanciamento emocional
sentido na infância, em relação ao próprios pais, era revivido da vida adulta em
relação ao filhos. Além disso, tanto para o pai, quanto para a mãe, a questão não
estava clara, porque ambos gostariam que os filhos mudassem, mas perceberam
que eram eles, os pais, que precisavam mudar primeiro.

Então, com ajuda da constelação familiar, puderam vivenciar uma melhora na


relação consigo mesmo e com os filhos. Porém, isso aconteceu somente após os
pais aceitarem os próprios pais como são.

Se você sente dificuldades na relação com seus filhos, você já parou para pensar
sobre como está a relação com seus pais? Mesmo que seus pais já tenham falecido,
ainda assim, dentro de você, há uma imagem de pai e mãe. Então, com a imagem
dos seus pais, como você se sente? Esse olhar pode indicar um caminho para viver
melhor e com mais empatia.

"Ao vir ao mundo no seio de uma família,


não herdamos somente um patrimônio genético,
mas também sistemas de crenças e
esquemas de comportamento".
Bert Hellinger

Visite constelasp.com.br 13
Torna-se viciado aquele a quem falta algo. Para ele o vício é um
substituto. Como curamos um vício em nós? Reencontrando aquilo que
falta. Quem ou o que falta no caso de um vício?
Bert Hellinger

Amor interrompido
Como se reconectar com o amor?

Você conhece a história da raposa e das uvas? Uma raposa andava por um campo, até
que avistou em uma parreira um cacho de uvas suculentas. Ela se imaginou comendo
uva a uva e que elas seriam muito saborosas. Ao chegar bem perto, ela saltou para
agarrar o cacho, mas estava mais alto do que ela alcançava. Então tentou mais uma e
outra vez, até que desistiu e seguiu dizendo para si mesma: “aquelas uvas estavam
podres, ainda bem que não comi. Me faria mal, e nem queria mesmo”.

Essa história fala do amor interrompido. Muitos de nós, na infância, desejamos muito
receber afeto e atenção dos nossos pais, mas nem sempre isso é possível. Os pais têm
suas preocupações, tem sua história, seu passado com seus próprios pais e, muitas
vezes, eles não receberam o afeto, ou amor, que gostariam, então nem sempre
podem estar disponíveis para os filhos. 

" Então, como a raposa, um filho, ou filha, busca o amor dos pais.
E. quando não sente que esse amor está disponível, vivencia uma
tristeza grande e se fecha para a possibilidade
de receber esse amor em um momento posterior".
Isso acontece porque receia sentir a mesma tristeza, se o busca e não o encontra. Isso
é o amor interrompido e nem sempre isso está consciente para quem o vivenciou.

Pode-se perceber que há um certo fechamento emocional, quando não se sente que
se pode ser você mesmo. Se você sente que precisa se adaptar às expectativas dos
seus pais, para agradá-los, pode ser uma pista para olhar para dentro e perceber
como você lida com seus sentimentos e se sente que pode confiar em si e nos outros.

Quando alguém sente que recebeu amor, na medida em que gostaria, que foi
escutado emocionalmente e acolhido, há confiança em si e nas relações.
Infelizmente, parece ser raro que se tenha todas as necessidades emocionais
atendidas, na infância, até porque os pais também costumam ter suas questões
emocionais não resolvidas.

Se você sente que não recebeu o amor, atenção


e conexão que gostaria, pode ser que você
tenha vivenciado o amor interrompido. Você
buscou seus pais e não se sentiu correspondido.
Uma forma de perceber isso, por você mesmo, é
olhar para dentro, se ouvir e tomar consciência
sobre quanto você confia em você mesmo e nas
demais pessoas.

Visite constelasp.com.br 14
"O passo decisivo para o crescimento é quando alguém se encontra
diante de sua impotência, olho no olho, e assume: aqui sou pequeno".
Bert Hellinger

O efeito do amor interrompido, então, é você ter se fechado emocionalmente para


seus pais, para si mesmo e para as demais relações. E como mudar isso?

Bom, isso de se reconectar com o amor é um processo, que eu também estou


vivenciando. Basicamente, você precisa aprender a se amar, se aceitar como você é,
independentemente do que aconteceu no passado.
" Quando você se ama e se aceita,
você confia mais em si e nos outros".
E você pode ter sempre a confiança como termômetro para o amor que você sente
e dá-lo também para si. Só quando você se ama verdadeiramente, você ama os
demais.

Então, para lidar com o amor interrompido, você precisa se reconectar com o amor
em você, se amando, se aceitando. Nesse processo, você sente que sua confiança
em si mesmo aumenta, junto com a aceitação de você mesmo, do passado, dos
seus pais e de tudo na vida. Trata-se da mudança do paradigma de que a vida
aconteceu COM você, para o de que a vida acontece PARA você. Isso significa
também passar do "culpar os outros" para o "assumir sua responsabilidade" pelo
que lhe cabe.

Por fim, a constelação familiar pode ajudar você nesse processo de confiar em si
mesmo, se aceitar, aceitar seus pais e o passado como foi. Assim a vida fica mais
leve e você pode experimentar mais fluidez no seu dia-a-dia.

Quando pessoas foram prejudicadas nos seio de sua família,


levam essa mágoa e suspeita para o novo relacionamento.
De fato, questões não resolvidas na família de origem
são uma das causas principais
nas dificuldades de relacionamento.
Bert Hellinger

Visite constelasp.com.br 15
Amar significa eu renuncio ao controle.
Bert Hellinger

ACEITAR O PASSADO
Você tem dificuldade de aceitar algo do seu passado, tenta esquecer, mas sempre
se lembra? Você pode mudar essa situação, se experimentar o que vou apresentar
aqui. Talvez você não aceite algum erro que cometeu ou talvez não aceite algo que
aconteceu. De qualquer maneira, não aceitar o passado inviabiliza que você possa
estar bem no momento presente.

Qual o problema de não se aceitar o passado do jeito que foi?  É não se sentir bem,
sentir que falta alguma coisa a todo momento. Não aceitar o que foi do jeito que foi
traz um sentimento de inadequação. Se o passado não foi certo do jeito que foi, o
presente também não pode ser. Então, precisa-se desenvolver um olhar que
reconhece o bom que houve, naquilo que não se gostou ou desejou no passado.

Com o passar do tempo, enquanto a não aceitação aumenta, se experimenta


também mais ansiedade e sofrimento. Se o passado não foi bom como se gostaria,
o presente e o futuro tendem a ser vistos como não bons o suficiente. Na verdade, a
tendência é que tudo na vida seja visto sobre a lente do não é bom o suficiente. E,
antes que seja tarde demais, você pode se resolver com o passado e com seus pais,
dentro de você mesmo.

" Quando se tem alguma tristeza, ou dor emocional, não resolvida,


por mais que se tente ignorá-la, ela vai surgir como uma forma de
insatisfação, que tenta mudar tudo ao redor, para que seja perfeito,
para então não se incomodar mais".
A questão é que as coisas são como são, por mais que se tente mudar, não se
consegue fazer isso indefinidamente. Além disso, se gasta uma energia enorme
para se controlar tudo. Em outras palavras, quanto maior a dor ou tristeza interior,
maior é a necessidade de se tentar controlar tudo.

Essa é a questão, se você se percebe


tentando controlar as pessoas e
situações, pode estar na hora de
parar e olhar para dentro. Então
você pode reconhecer que ninguém
pode deixar você mais infeliz do que
você já é; nem mais feliz do que
você já é. Então se algo incomoda
você, que tal agradecer a isso,
porque está mostrando para você
algo que precisa ser visto, acolhido e
aceito em você mesmo.

Visite constelasp.com.br 16
"A reconciliação começa em nossa alma quando o que rejeitamos, ou do
qual temos vergonha, é reconhecido e mesmo amado. Então, podemos
nos tornar mais completos e em paz".
Bert Hellinger

Então a saída é a ACEITAÇÃO do passado como foi. Mas como? O passado, o


presente e o futuro precisam ser vistos pelo prisma da aceitação. Mas, só escolher
começar a dizer que aceita o passado seria suficiente?

É necessário que haja a aceitação de tudo que foi. Se você escolher deixar de
reforçar o pensamento sobre as mágoas, isso já vai ser um grande passo para
aceitar o passado como foi.

" Outro passo para aceitar o passado como foi é ter


um olhar para o que se pode sentir gratidão".
A GRATIDÃO, junto com a ACEITAÇÃO, é um poderoso agente transformador. Se
você quiser aceitar o passado como foi, você precisa:

Escolher se conectar com a gratidão, pensando diariamente nos motivos pelos


quais você pode ser grato à vida e a tudo mais. Para isso, faça o seguinte
exercício: 
- liste de 10 a 20 coisas, situações ou pessoas a quem você pode ser grato. 
- Além disso, pense nessa lista de gratidão diariamente. Você pode expandi-la ou
simplesmente se perguntar pelo que é grato ao acordar e antes de dormir

.Bom é isso. O que você achou de tudo isso?  

"Você sabe que está no caminho certo,


quando perde o interesse de olhar para trás".
Autor desconhecido

Visite constelasp.com.br 17
Uma pessoa está em paz quando todos que pertencem a sua
família têm lugar no seu coração.
Bert Hellinger

 CONCLUSÃO
“Resolva-se com Seus Pais, Antes que Seja Tarde Demais” é um guia prático para
você experimentar os princípios da constelação na sua vida. Se você chegou até
aqui, mas apenas fez uma leitura rápida, então retorne ao início e dê-se tempo para
fazer os exercícios e pensar ou escrever as respostas às perguntas que fiz.

" Nos exercícios, neste livro digital, é importante dar-se tempo


para imaginar e perceber como é a imagem
que você tem de cada situação".

Se você acha que não é bom e visualizar, então “NÃO PENSE EM UM ELEFANTE COR
DE ROSA”. Conseguiu? O que aconteceu? Viu o elefante? Mas eu falei para você não
pensar e você visualizou o elefante. Certo? Então, isso mostra que você consegue
visualizar. Experimente ler minhas indicações com um “NÃO” na frente de cada
frase, como na do elefante cor de rosa.

Espero que este livro digital faça a diferença na sua vida.

Você pode entrar em contato comigo pelo site https://constelasp.com.br ou


instagram @rodrigo.constelasp ou no youtube http://bit.ly/ConstelaSP_youtube

Quero ouvir e conversar com você, então me escreva, envie um áudio ou vídeo, com
suas perguntas e comentários sobre sua experiência com o que compartilhei aqui.

"Toda jornada começa com um passo".


Lao Tsé

Visite constelasp.com.br 18
Uma pessoa está em paz quando todos que pertencem a sua
família têm lugar no seu coração.
Bert Hellinger

Sobre o Autor:
Rodrigo Rocha
Apaixonado por Constelação Familiar,
Rodrigo facilita vivências em grupo e
atende em sessões Individuais, em São
Paulo, desde 2012. Tem o propósito de
ajudar pessoas que buscam melhorar seus
relacionamentos, de modo prático, leve e
essencial. 

- Facilitador de Constelações
Familiares desde 2012;
- Trainer em Programação
Neurolinguística;
- Master em Coaching Integrativo
Sistêmico;
- Hipnoterapeuta com abordagem
Ericksoniana;
- Graduado e Pós-graduado em
Ciências Militares;
- Practitioner em Análise de
Microexpressões;
- Ator

Referências:

- A Simetria Oculta do Amor - Bert Hellinger

- Ordens Do Amor : Um Guia Para o Trabalho com Constelações Familiares - Bert


Hellinger

- Constelações Familiares : O Reconhecimento Ordens Do Amor - Bert Hellinger

- O Essencial é Simples - Bert Hellinger

Sim, eu vejo você, você faz parte!


Obrigado por estar aqui!

Visite constelasp.com.br 18
Conhecer as Ordens do Amor da Constelação Familiar é
sabedoria. Segui-las com Amor é humildade.
Bert Hellinger

Resolva-se
com Seus
Pais
ANTES QUE SEJA
TARDE DEMAIS

Rodrigo C. Rocha

Você também pode gostar