Você está na página 1de 5

HISTÓRIA DA RECREAÇÃO

Segundo Marlene Guerra

A recreação teve sua origem na pré-história, quando o homem primitivo se divertia festejando o início
da temporada de caça, ou a habitação de uma nova caverna.
As atividades se caracterizavam por festas de adoração, celebrações fúnebres, invocação de Deuses, com
alegria, caracterizando assim um dos principais intuitos da recreação moderna, e também, o vencimento de um
obstáculo. As atividades (jogos coletivos) dos adultos em caráter religiosas foram passadas de geração em
geração às crianças em forma de brincadeiras.
O movimento da recreação sistematizada iniciou-se na Alemanha em 1774 com a criação do
Philantropinum por J. B. Basedow, professor das escolas nobres da Dinamarca. Na Dinamarca, as atividades
intelectuais ficavam lado a lado às atividades físicas, como equitação, lutas, corridas e esgrima.
Na Fundação Philantropinum havia cinco horas de matérias teóricas, duas horas de trabalhos manuais, e
três de recreação, incluindo a esgrima, equitação, as lutas, a caça, pesca, excursões e danças. A concepção
Basedowiana contribuía para a execução de atividades a fim de preparação física e mental para as classes
escolares maiores.
Contribuindo, Froebel criou os Jardins de Infância onde as crianças brincavam na terra.
Nos EUA o movimento iniciou em 1885 com a criação de jardins de areia pra as crianças se recrearem.
Com o tempo, o espaço tornou-se pequeno visto que os irmãos mais velhos vinham também se recrearem nos
jardins. Criavam-se então os Playgrounds em prédios escolares, chamados também de pátios de recreio.
O 1º - HULL HOUSE - Chicago, em 1892. Área para jogos, aparelhos de ginástica e caixa de areia.
Prevendo a necessidade de atender as diversas faixas etárias, foram criados os Centros Recreativos, que
funcionavam o ano todo. Eram casas campestres com sala de teatro, de reuniões, clubes, bibliotecas e
refeitórios. Havia estruturas semelhantes ao que temos hoje em dia: Caixas de areia, escorregadores, quadras e
ginásio para ambos os sexos com vestiários e banheiros, balanços, gangorra, etc. Para orientação das atividades
existiam os líderes especialmente treinados.
Em 1906 foi criado um órgão responsável pela recreação, o Playground Association Of America, hoje
mundialmente conhecido com NATIONAL RECREATION ASSOCIATION.
O termo playground foi mudado para "recreação" devido à necessidade de atingir um público de
diferente faixa etária, como os jovens e adultos. E devido a crescente importância do tempo de lazer dos
indivíduos da sociedade.
No Brasil a criação de praças públicas iniciou-se em 1927, no Rio Grande do Sul com o ProfºFrederico
Guilherme Gaelzer. O evento chamava "Ato de Bronze", onde foram improvisadas as mais rudimentares
aparelhagens. Pneus velhos amarrados em árvores construíam um excelente meio de recreação para a garotada.
Em 1929, aparecem as praças para a Educação Física, orientadas por instrutores, pois não havia
professores especializados. Surgia a partir daí, Centros Comunitários Municipais.
Em 1972, foi criado o "Projeto RECOM" (Recreação - Educação - Comunicação), pelo prefeito Telmo
Flores juntamente com o profº Gaelzer. Porto Alegre (a pioneira desse tipo de projeto), realizou atividades
recreativas e físicas promovendo o aproveitamento sadio das horas de lazer e a integração do homem com sua
comunidade.
Funcionavam no RECOM uma Tenda de Cultura e um Carrossel de Cultura, desmontáveis e de fácil
remoção. A Tenda é uma casa de espetáculos. O Carrossel foi criado para apresentações externas, espetáculos
ao ar livre.
Façamos a ressalva pela importância da recreação, a Alemanha, a introduzindo nas escolas e criando os
parques infantis. Os EUA, criando os playgrounds equipados revolucionando a recreação pública. O Rio Grande
do Sul pelo pioneirismo e a implantação do "RECOM" com a recreação móvel.
RECREAÇÃO NA TERCEIRA IDADE
Depois de uma vida criando o lar, a profissão, os filhos, os filhos dos filhos que são os netos, é tempo
então de recrear.
A recreação é tão necessária como o trabalho e o repouso, ela tem um papel essencial na vida do idoso.
A recreação não deve ser simples divertimento, mas uma verdadeira re-creação.
Nossa vida se divide em três faixas etárias: a primeira idade = infância; a segunda idade = juventude e
vida adulta; e a terceira idade = o fim da vida.
Antigamente, nas sociedades tradicionais, os idosos eram considerados, por serem sinônimos de
lembranças e sabedoria. Atualmente o descaso e o desprezo os excluem da sociedade, que os julgam
improdutivos. É comum encontrar idosos abandonados e ignorados dentro da própria família.
O envelhecimento é um processo fisiológico e não está necessariamente ligado à idade cronológica. A
velhice sempre é vista, como um período de decadência física e mental, ligada às modificações do corpo, com o
aparecimento das rugas e dos cabelos brancos, com o andar mais lento, diminuição das capacidades auditivas e
visuais. Hoje, é comum encontrarmos muitos adultos que chegam aos 65 anos completamente independentes e
produtivos.
Como Igreja devemos saber incluir aqueles que chegam aos seus 65 anos lembrando o que diz em
Salmos 92:14 “Na velhice ainda darão frutos, serão viçosos e florescentes”. A Recreação dará apoio ao seu
Ministério para integrar o seu idoso e ajudá-lo no seu contínuo desenvolvimento Espiritual, Físico, Psicológico
e Social.
As Atividades Recreativas devem ser atraentes, diversificadas, com intensidade moderada, de baixo
impacto, realizadas de forma gradual. Exemplos: Jogos recreativos, desenhos, brincadeiras, competições,
passeios (idas ao cinema, teatro, visita ao asilo), festas, etc...
Se o programa escolhido for fazer um passeio ao ar livre deve-se observar o local e nunca levar o grupo
a lugares acidentados ou escorregadios que possibilitem quedas.
É importante lembrar que as brincadeiras podem trabalhar a coordenação motora, a audição, a visão e
outros aspectos de maneira discreta sem levar o idoso ao constrangimento.

CLASSIFICAÇÃO DE ATIVIDADES RECREATIVAS

O objetivo da classificação das atividades recreativas além da padronização, é evidenciar a


funcionalidade dessas atividades dentro de uma programação ou de um programa de lazer e recreação.
Para escolhermos uma determinada atividade para fazer parte da nossa programação, é necessário que
saibamos suas características e classificações. De acordo com os objetivos aos quais nos propomos alcançar,
escolhemos uma determinada atividade recreativa.
Enaltecemos o valor e a importância da leitura e da pesquisa como fonte de aquisição de conhecimento.
O que fazemos aqui é uma compilação de dados, extraídas de boas literaturas, mas não expressamos seu
conteúdo na íntegra. Por isso insisto, BUSQUEM NOS LIVROS AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS E
COMPLETAS!
Vejamos o que alguns como alguns autores classificam as atividades recreativas:

Segundo Ferreira, Vanja. Educação Física - Recreação, Jogos e Desportos; 2003


Classifica as atividades em:
Grandes jogos - grande número de participantes. Difícil de ser dominado.
Pequenos jogos - extrai dos participantes características individuais como: velocidade, destreza, força.
Revezamento ou Estafetas - constitui-se pelo revezamento dos participantes para a realização de tarefas. É
uma atividade em grupo que preza pelas potencialidades individuais. Indicado para a infância. Jogos
combinados (exigem mais de uma aptidão física), correr, saltar, giro.
Aquáticos - jogos realizados dentro da água, com excelente valor terapêutico por diminuir o impacto causado
pelo solo.
Jogos sensoriais - utilizam os sentidos (tato, visão, audição, etc). Esses jogos desenvolvem o pensamento,
diminui a tensão.
Jogos Sociais de Mesa - jogos que são realizados na mesa, com caráter educativo, sem estimular os jogos de
azar.

Segundo Caillois, R. Los juegos y los Hombres. México, 1994


Analisando as habilidades e interesses, classifica os jogos em:
Alea - Jogos de azar;
Agon - Competição;
Mimicry - Imitação;
Ilinix - Vertigem;

Segundo Veríssimo de Melo. Folclore Infantil, 1981


Jogos de Seleção - utilizada para a separação de equipes e/ou participantes (par ou ímpar, palitinho);
Jogos Gráficos - realizado em cima de algum desenho ou traçado (amarelinha, xadrez);
Jogos de Competição - disputa física entre os participantes (pegas, cabo de guerra);
Jogos de Salão - motricidade fina em locais restritos e/ou fechados (baralho, quebra - cabeça);
Jogos com Música - com ritmo (catinga de roda, karaokê);

Segundo Mian, Robson. Monitor de Recreação: Formação Profissional, 2003


Classifica dos jogos em:
Pequenos - regras fáceis e em menor quantidade, menor número de participantes e locais restritos;
Médios - com regras pré-estabelecidas, em locais maiores como quadras ou piscina;
Grandes - com regras pré-estabelecidas e complexas, em maior quantidade e em locais grandes e abertos, com
maior número de participantes.

Segundo Guerra, Marlene. Recreação e Lazer. 1988


Quanto a Forma de Participação: Recreação Ativa e Recreação Passiva.
ATIVA:
Atividades Motoras - Exigência maior do físico. Ex. Jogos Infantis e Esportes em Geral;
Atividades Intelectuais - A mente é mais utilizada. Ex. Xadrez e Quebra-cabeça;
Atividades Artísticas ou Criadoras - Ex. pintura, desenho, carpintaria, escultura, teatro, música, etc.
Atividades de Risco - Ex. àquela na qual o praticante coloca à prova sua integridade. Ex. pára-quedismo,
mergulho profundo, vôo livre etc.

PASSIVA:
Atividades Sensoriais - Tem uma participação interativa com a atividade. Ex. Torcida no estádio - grita,
balança os braços, salta participando emotiva e fisicamente.
Atividades Transcendentais - Confunde-se com o Ócio pela participação de espectador. Ex. Ver pinturas no
museu, contemplar o pôr-do-sol, relaxamento tranqüilizante.

Quanto à Faixa Etária as Recreações podem ser:


Adulta - para maiores de 18 anos;
Infanto-juvenil - para crianças de 8 a 12 anos;
Juvenil - para Jovens acima de 12 anos;
Infantil - para crianças até os 7 anos;
Mista - para várias faixas etárias - como pais e filhos juntos;
Terceira Idade ou Idade Especial - para idosos.

Quanto ao espaço as Recreações podem ser Internas e Externas:


INTERNAS:
Salas de Festas; Ginásios Esportivos; Salas de Ginásticas, Salas de Musculação; Salas de Danças Modernas ou
Clássicas; Salas de Música; Salas de Leitura; Salas de Projeção; Piscinas Térmicas, Saunas, Duchas; Salões de
Jogos - sinuca, bilhar, tênis de mesa, totó, bilhar, boliche etc; Salões de Jogos de Mesa - buraco, biriba,
paciência, xadrez, dama etc; Estandes Fechados - tiro ao alvo e arco e flecha; Sala de Jogos Eletrônicos.

EXTERNAS:
Campos - Futebol, beisebol, golfe etc; Quadras poliesportivas - esportes individuais e coletivos; Playgrouds
infantis; Piscinas; Pátios para comemoração de datas espaciais; Pistas de Atletismo; Hortos com pistas diversas,
quadras, lagos, ciclovias etc.

Quanto ao ambiente:
Atividades Terrestres;
Atividades Marinhas, Náuticas ou Aquáticas;
Atividades Aéreas.
CLASSIFICAÇÃO DOS JOGOS
Jogos por Séries - de acordo à Faixa Etária;

Quanto ao Local:
Jogos de Campo - com bolas, jogos de correr, jogos de agilidade;
Jogos de Salão - Sensoriais, motores, psíquicos (intelectuais e afetivos) para dias de chuva;

Jogos quanto à dificuldade de execução:


Pequenos - duração pequena e de regras fáceis e flexíveis - combinadas;
Grandes - duração de 10 a 20 minutos com as primeiras regras preestabelecidas - preparam para os desportos e
destina-se para alunos de 4ª série em diante.

Quanto à participação nas Atividades Físicas:


Ativa;
Moderada;
Calma;
Textos como estes são frutos de um trabalho de pesquisa

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
ACADÊMICOS/UFAL – A Recreação na Terceira Idade – Internet
BERNARDO, Salovi – Idoso Ativo; Rio de Janeiro – JUERP, 2000.
FERREIRA, Vanja. Educação Física - Recreação, Jogos e Desportos; Rio de Janeiro, Editora Sprint, 2003.
CAILLOIS, R. Los juegos y los Hombre: la máscara y el vertigos. México, Editora Fondo de cultura
económica, 1994.
MELO, V. de. Folclore Infantil. Rio de Janeiro, Editora Cátedra, 1981.
MIAN, Robson. Monitor de Recreação: Formação Profissional. São Paulo, Editora Textonovo, 2003.
GUERRA, Marlene. Recreação e Lazer. Porto Alegre, Editora Sagra, 1988.
==============================================================================
MODELO DE FICHA

Nome: ...................................................................................Apelido:......................................
Endereço: ..................................................................................................................................
Bairro: ..............................................................CEP: ...........................Tel:..............................
Sexo: M ( ) F ( ) Estado Civil: ..............................................................................
Data de Aniversário: ........../........../..........
Com quem mora? ( ) Cônjuge ( ) Filho ( ) Só ( ) Outros
Quantos filhos tem? ..................................................................................................................
Quantos netos? .........................................................................................................................
Tem bisnetos? ..........................................................................................................................
Grau de Instrução: Primário ( ) Ensino Médio ( ) Ensino Fundamental ( ) Superior ( )
Realiza atualmente algum trabalho: Sim ( ) Não ( ) Qual: ..............................
Que profissão exerceu ou exerce?.............................................................................................
O que mais gosta de fazer?
( ) Ler ( ) Pintar ( ) Bordar
( ) Costurar ( ) Conversar ( ) Passear ou Viajar
( ) Ver televisão ( ) Cantar ( ) Tocar ( ) Outros
Tem alguma doença?
( ) Diabetes ( ) Osteoporose ( ) Reumatismo
( ) Bronquite ( ) Artrose ( ) Outros