Você está na página 1de 9

DURANTE OS ESTUDOS

DICAS GERAIS:
Atrele boas emoções (sorria), prazer (visualize-se na USP, pois está chegando
perto) e tranquilidade durante os estudos, principalmente para aquilo que você não
gosta de fazer. Assim, se tornará menos doloroso e ainda aumentará o desempenho.
Não tenha medo de errar. Você não precisa passar nesse ano (não é um ano perdido,
você vai aprender ainda mais sobre você e sobre coisas interessantes, de verdade),
um ano passa muito rápido, então, tire esse peso da consciência. Por isso, foque no
processo (pomodoro ajuda nisso, foque em fazer um apenas. Outra dica é pensar que
cada semana é uma minipreparação e uma mini vitória no vestibular) e não no
resultado, pense que você está fazendo isso porque gosta de estudar e acha
interessante e curioso (estudar é privilégio) e quer aprender, não só para passar.
Acima de tudo, coloque na sua cabeça que você vai conseguir (você tem o mesmo
cérebro de um gênio). Lembre do seu propósito (que não é único, você tem outros,
mas que vale a pena pagar o preço). Atrele felicidade no processo, no “durante”,
tanto quanto no resultado, se não for possível, ligue o foda-se.
Quando estiver diante de um assunto chato, pense que você irá desenvolver um
projeto multimilionário que necessitará daqueles conhecimentos (e que também será
necessário para a prova - óbvio). Faça um pouco todos os dias e tenha paciência.
Pode ser chato porque está difícil, e no começo, é normal ser um pouco mais
difícil. Descobrir como aquilo se aplica no mundo real (uma simples pesquisa,
talvez na wikipedia, google news), o contexto (a realidade, prática, dia-a-dia,
mundo) daquilo tudo, no que isso é útil, pode ser uma boa alternativa também
(ajudará diretamente na prova do ENEM).
Nas matérias atrasadas, verificar se ela é um pré-requisito para entender os
próximos assuntos. Se for, matar logo ela, se não, deixar para ir matando aos
poucos, quando surgir tempo livre.
Quando você não tiver vontade de fazer algo, faça a regra dos 5 segundos. Faça uma
contagem regressiva de 5 segundos e quando chegar no 0, vá imediatamente fazer o
que você tem que fazer. Procrastinação, quando não quiser fazer uma coisa
importante de estudos, faça a seguinte pergunta: "você quer deixar de fazer isso
agora por preguiça ou quer ficar mais 1 ano nessa rotina de vestibular? Não é
melhor fazer logo para o próximo ano não ter que se preocupar mais com isso".
Quando iniciar a fase dos estudos, comece aos poucos e vá aumentando as horas.
Estabeleça uma recompensa satisfatória, depois de terminar sua sessão de estudos, e
crie uma crença de que tudo isso vai passar, que você vai conseguir superar as
dificuldades e que você vai realizar seu sonho.
Faça pausas intercaladas para entrar no modo difuso e descansar a mente. Por
exemplo, faça 50 minutos de estudo intenso e 10 minutos de pausa.
Nos intervalos, fique longe de telas, faça uma tarefa não-intelectual, relaxe e
esvazie a mente. Faça alongamentos (olhe esses exemplos), caminhe (vá para varanda,
jardim, natureza), olhe a janela, desça para tomar uma água (fundamental), ou vá ao
banheiro.
Evite qualquer tipo de distração (até aquelas que te distraem por 1 segundo,
identifique o que te faz se distrair) quando for estudar (deixe o celular longe -
pode surgir diálogos mentais na sua cabeça, faça o exercício da borracha) e
organize seu cantinho dos estudos (uma água com limão gelada, as vezes, iluminação,
barulhos, postura - costas retas e pés apoiados no chão -, etc. - às vezes, pode
ser legal trocá-lo um pouco,dê preferência para lugares abertos, natureza, etc.)
para ser mais produtivo. Concentre-se em uma única tarefa.
Nunca fique em dúvida com relação a um assunto/questão. Procure pessoas,
comunidades (Ian, Brainly, BT, TutorBrasil, PiR2, etc.), para saná-las.
Faça tudo à mão se quiser gravar algo, evite digitar.
Aproveite ao máximo o conteúdo que o BT oferece (dúvidas das perguntas e questões,
minhas dúvidas na comunidade, minicursos, lives, aulas extras, material, etc.) e
evite o material aleatório da internet. Recorre apenas em caso de dúvida ou algo
necessário para complementar.
Faça lembrança ativa, faça anotações e no final tente recordar/explicar (em voz
alta e à mão) tudo aquilo que anotou (todas as fórmulas, conceitos, todos os nomes
de uma figura/esquema), de modo estruturado, simples, com as próprias palavras (e
não os jargões do material - óbvio que você não pode atropelar alguns conceitos,
substantivos e termos), básico e objetivo, em um papel em branco, por meio de
tópicos, enumerações, esquemas, mapa mental, perguntas, palavras chaves. Pode ser
necessário voltar mais algumas vezes na teoria (recomece a técnica), porém faça um
esforço antes. Depois faça flashcards para revisar nas próximas semanas.
Para evitar a interferência, liste os princípios semelhantes e diferentes dos
pontos dos assuntos que estão gerando interferência. Pegar um panorama geral.
Depois faça uma lembrança ativa.
Sempre preze pela qualidade do sono, pois é fundamental para consolidar aquilo que
estudou durante o dia.
Criar um ritual do sono.
À noite, elimine o uso de telas (caso necessário, utilize um filtro de tela azul -
deve ser usado durante o dia também -, diminua o brilho, fique de óculos e deixe a
luz acesa).
Não fique de pijama durante o dia.
Reduza as luzes acesas (tente eliminá-las) e durma na escuridão.
Garanta o silêncio e a ventilação (entrada e saída).
Antes de dormir, peça uma massagem, sinta cheiro de menta e tome leite quente.
Algumas vezes pode ser legal tomar maracugina.
Evite comer alimentos e líquidos pesados à noite.
Evite exercícios pesados antes de dormir.
Deitar na cama apenas quando for pra dormir, para não confundir o cérebro. Quando
sentir sono, ir logo, para criar o hábito.
Fazer uma meditação ou colocar uma música/som/podcast para acalmar os pensamentos e
permitir que o sono venha.
Tentar eliminar o açúcar refinado e investir em alimentos saudáveis.
Quando estiver empacado em algum conteúdo, pode ser legal tirar uma pausa para
entrar no modo difuso. Foque na respiração com os olhos fechados e tente esvaziar
sua mente. Depois disso, reveja os princípios e conceitos básicos daquela matéria.
Pode ser legal deixar uma parte para entender em outro dia também.
Se você não quiser fazer uma coisa, contemple o tédio. Pois assim você preferirá
fazer algo ao invés do tédio.
Tente seguir esses passos do estudo: leia o material (anotações na apostila), veja
a aula (anotações no material da aula), exercícios e simulados, flashcards
(acrescentar cards a partir do material - dar olhada no material do ano passado - e
revisar os cards já feitos), correção ENEM.
Na semana de prova, tenha uma rotina mais leve, foque em se tranquilizar e se
acalmar, almoços regulares, saudáveis e leves, faça aquilo que vai te dar mais
resultado (na primeira semana, foco no 1º dia, exemplo) - principalmente no mês -
(elimine redes sociais, melhores questões, assuntos recorrentes que precisam de uma
atenção maior e que tem peso na TRI, revisão, simulado, questão ENEM e redação -
isso também vale para os meses adjacentes). Nos dias anteriores à prova, separe
comida (barrinha de cereal, castanhas e amendoas, sanduíche natural ou chocolate
amargo - mais pro final da prova, frutas, água de coco), água, chiclete, máscaras,
álcool gel, canetas pretas transparentes (uma de ponta fina, para a prova, e outra
grossa, para o gabarito, fora as reservas), identidade, ficha do candidato, casaco,
roupas leves e tenha uma boa noite de sono, não estude em hipótese alguma, faça o
que te mantêm tranquilo. No dia da prova, tenha uma manhã relaxada, faça cocô
(mesmo que sem vontade), imagine um estado de calma, beba muita água, respire
fundo, pratique a gratidão, foque no agora e no corpo, faça meditação, faça aquilo
que gosta e tenha refeições leves (ovo, comidas integrais, salada de fruta - banana
-, legumes e vegetais, preferencialmente vegetariano e que contenha amido,
macarronada leve), não invente moda nesse dia. Não veja o gabarito ou debate de
tema e atribua uma boa recompensa.
Tirar as semanas de revisão do BT para descanso, pois você já estará fazendo
revisões ao longo do ano. Diminua o ritmo de estudos e faça somente as atividades
remanescentes (redação, revisão, questões, etc.). Ver coisas mais específicas para
melhorar o desempenho de cada prova. MAS PREZE PELA QUALIDADE DO DESCANSO, desligue
tudo relacionado a vestibular.
Assistir aulas sobre linguagens na plataforma do BT. Porém não assista aquelas de
conteúdo de literatura, gramática, etc.
Humanas veja aulões gerais de revisão e resoluções mais amplas das questões. Em
linguagens estude os assuntos (pode ser necessário recorrer a materiais
complementares na internet), veja os aulões gerais e resoluções mais amplas das
questões.
AULAS, APOSTILAS E ANOTAÇÕES:
Assista as aulas mais fáceis em velocidade acelerada para ganhar tempo.
Enquanto assiste as aulas/lê apostilas, vá criando analogias, música e canções
(rimas), percepções, exemplos e situações práticas (do cotidiano, etc.),
visualizações com a imaginação, listas (fórmulas, conceitos, figuras, etc.)
histórias, diagramas, tabelas, fluxogramas, questões/respostas, esquema de chaves,
gráficos, desenhos, ganchos mentais, tópicos importantes, mapas mentais, insights e
ideias, conexões entre as ideias, imagens (engraçadas e idiotas) que sintetizem a
ideia, metáforas, associações com o dia a dia e dicas mnemônicas com o que você já
sabe, para se lembrar depois. Inclusive, vá registrando tudo isso em suas
anotações, junto com informações importantes e palavras-chave.
Deixe suas anotações enxutas, de forma que seja fácil de revisar depois. Sintetize,
simplifique e comprima as informações e produza uma “cola”. Tente escrever (textos
e parágrafos) o mínimo possível, faça coisas mais visuais, em tópicos fragmentados
e hierarquizados.
Cuidado ao anotar demais, primeiro preste atenção e depois faça as anotações com
suas palavras..
Em suas anotações, use muitas cores chamativas (evite vermelho - nos títulos,
subtítulos, palavras-chaves e elementos textuais, grife os títulos) para chamar a
atenção. Setas, círculos, caixas, elementos, símbolos e indicações também! Títulos
grandes e impactantes. Respeite as ordem lógica das coisas e conteúdos.
Faça anotações no material antigo ou no material da plataforma (no caso de
matemática), para economizar tempo com bobagens e fixar atenção.
Caso necessite de um conteúdo extra (quando for algo difícil de entender), recorra
ao livro didático, apostila extra (apostila do FB, Bernoulli, Hexag Solidário,
etc.) e veja os exercícios básicos (intercale com os difíceis também) também (um
vídeo no youtube ou site pode ser interessante também), recorrer aos materiais do
Ferretto. Caso contrário, mantenha-se nas aulas e apostilas do BT.
Se o professor estiver resolvendo exercícios em uma aula, aproveite para tentar
também antes que ele resolva, assim você já vai eliminando algumas dúvidas.
Utilize-se da anotação para acompanhar o raciocínio e fixar sua atenção.
Ao destacar uma ideia/parágrafo em uma apostila/livro/aula, grife com marca-texto e
sintetize as ideias na folha de anotações (como se fosse uma mini lembrança ativa).
Pode ser interessante recitar em voz alta. Nunca copie o que o professor diz,
raciocine e explique/resume com suas palavras.
Priorize nas anotações aquilo que é mais difícil de entender, métodos de resoluções
(Ex.: diagrama de forças e tabela de equilíbrio químico), mais fácil de esquecer,
difícil acesso e frequência alta nas questões. Separe aquilo que só serve para o
entendimento, daquilo que vai realmente te ajudar a resolver as questões. Vai te
auxiliar a anotar com mais eficiência.
Assista animações no YouTube ou outro site que torne mais fácil entender aquilo que
você está querendo aprender. Entender esses fenômenos por animações é de grande
importância, principalmente para o ENEM.
EXERCÍCIOS:
Nunca use muletas mentais, gaste um tempo quebrando a cabeça na questão (uns 10-15
minutos), algo que irá lhe dar a resposta mais fácil sem antes ter tentado
resolver, como calculadora, pesquisa na internet, etc.
Em matemática, tente resolver os cálculos de cabeça primeiro, depois, se não
conseguir, use o lápis.
Faça exercícios escutando música clássica, lo-fi e instrumentais, a fim de
estimular mais áreas do cérebro. Deixe a música fluir sem prestar atenção nela.
Dê mais chance aos exercícios difíceis, gaste mais tempo e não vá direto para
resolução, pois são eles que te farão aprender mais (não tenha medo de errar, pois
você vai ganhar uma chance de aprender mais ainda e garantir a aprovação).
Não precisa fazer todos os exercícios da lista (você deve focar agora mais em
exercícios de prova e simulação), a menos que você queira estudar mais, decorrente
de ser um assunto mais difícil (porém, cuidado para não cair no overlearning).
Pule o primeiro exercício e vá contando a partir dos múltiplos, evite refazer os
exercícios do ano passado.
Dê mais prioridade aos exercícios contextualizados que possuem uma similaridade com
o ENEM. Também faça mais exercícios de matemática.
Ao se deparar com as questões, siga os seguintes passos. Leia o comando da questão
(se tiver difícil, entenda e tente parafrasear/explicar/questionar/cuidado com
certas inferências) e leia as alternativas por alto. Agora, parta para o texto
(pode ser interessante fazer uma leitura mais dinâmica - tentando captar a
ideia/sentido geral -, lendo as palavras da borda da margem ou a primeira e última
frase do parágrafo, passando pelas palavras mais rapidamente - encarando como
blocos e ignorando palavras pequenas -, evite ficar retornando para reler uma
palavra ou frase, sem tentar pronunciar as palavras mentalmente/fisicamente, usar a
ponta da caneta para manter o foco, leitura de cima para baixo identificando
palavras chaves e sentenças específicas, alguns detalhes do texto - números,
letras, asteriscos, palavras sublinhadas, negritas ou em itálico, fontes
diferenciada -, informações básicas - como referência bibliográfica, título,
índice, autor, data, assunto, subtópicos, gráficos, imagens, etc -.) e grife as
informações, palavras-chave e dados importantes (principalmente aquelas que podem
trazer pegadinhas), tente explicar/questionar/fazer deduções para si o texto, veja
a referência e todos os detalhes do texto (no caso de linguagens, pois podem dar
informações), pode ser necessário uma leitura mais seletiva. Separe as informações
que precisa e formalize o problema/elabore hipóteses/escreva ao lado tudo que sabe
(como se fosse uma lembrança ativa - pode te ajudar a lembrar de outras coisas no
caso de branco) e resolva-o, se for preciso aí você volta na teoria. No final, faça
a prova real (de acordo com os grifos e enunciado) e veja se é isso que a questão
pede. Pode ser interessante eliminar as alternativas que não fazem sentido, para
focar mais no problema.
Passos gerais dos exercícios. Tentar, recordar (lembrança ativa), teoria
(específica), tentar, resolução em vídeo (apenas dica), tentar de novo por completo
e sem consulta.
Pode ser legal auto explicar cada etapa das questões (na mente ou em voz alta),
para evitar errar por atenção.
Durante os exercícios, ao necessitar de um conceito/fórmula que não está tão fresco
na memória para dar continuidade à questão, tente recordar ao invés de ir direto no
material de primeira. Tente forçar a sua memória.
Ao recorrer à solução comentada ou em vídeo, pegue somente algumas dicas e volte à
resolução do problema. Se ainda não conseguir, veja a resolução inteira, volte
novamente e tente responder a questão por completo. Certifique-se de que entendeu o
que a questão exige (análise, interpretação, pegadinha, sacada, etc.).
Não fique preso somente ao que a questão pede. Tente extrapolar para outros
caminhos e refutar alternativas, pois assim você pode encontrar falhas no
conhecimento.
Refaça as questões mais importantes (aquelas que você acha que não conseguiria
responder depois, que envolvem pulo do gato ou raciocínio complexo) em semanas
posteriores e sem consulta. Garanta que você consegue fazer sozinho, caso caia uma
questão parecida na prova.
Anote, ao lado, o erro (como você errou) e a resposta (inclusive o raciocínio
correto), nunca copie a resposta, principalmente nas questões teóricas. complemente
suas anotações com o erro e faça flashcards, se necessário. Verifique o motivo do
erro (e o que exatamente você não sabe, que impediu a sua resolução) e tente
consertá-lo. Se foi por teoria, volte especificamente nela (talvez um nível acima
de conteúdo, busque um material complementar - livro, etc.) e treine mais. Se foi
por falta de raciocínio, treine um pouco mais. Se for um conteúdo que ainda verá,
somente pule. Se foi por atenção, basta refazer a questão. Nas provas de humanas e
linguagens, principalmente, é muito importante buscar o significado das palavras
(escrever 5 vezes ao lado e em voz alta).
Tomar cuidado com as questões que você acertou por já ter visto alguma vez ou por
chute. Você pode achar que sabe resolver, quando na verdade não. Verifique a
resolução mesmo assim, quando for o caso.
Pense na “lógica do autor”, essencialmente para as questões do ENEM, pois a questão
pode estar te enganando com o enredo, quando na verdade, a resposta pode estar na
sua frente. (aqui está um bom exemplo https://prnt.sc/whhr12) Pode ser utilizado
para eliminar alternativas absurdas, por exemplo, dentre outras coisas. Porque o
autor colocaria uma alternativa com texto maior? Pegadinhas no enunciado. Uma
resposta camuflada ou detalhe omitido.
Depois que resolver uma questão do ENEM (ou antes, caso já esteja acostumado) tente
usar a imaginação para resolvê-la, imagine o que está acontecendo. Treine-a para
encontrar caminhos alternativos e atalhos para cortar o tempo. Em exatas, elimine
os números de primeira e tente imaginar o caso. Ao invés de usar a álgebra e o
formalismo matemático, use a inteligência, imaginação, raciocínio e aritmética. Não
se preocupe com o tempo, pois ele virá com o treino, e se precisar, use um lápis
para rabiscar as ideias. Se ainda ficar difícil, procure outras resoluções no
Google/YouTube.
Tem muitas dicas no canal do Umberto Mannarino (inclusive sobre chute), apostila e
vídeos de resolução de prova. Ainda tem chances de ver nos comentários resolução de
outras pessoas. Só toma cuidado para não ver macete que será usado em uma questão
ou outra.
PLANEJAMENTO SEMANAL:
Separe por igual a carga horária de cada dia e aproveite para ter uma breve noção
do que vai estudar na semana.
Estude um pouco de cada matéria todo dia. Nunca estude uma única matéria no dia,
entre 2 ou 3 (matéria difícil com matéria fácil, humanas com exatas, exercícios com
redação, etc.). Divida em blocos cada matéria e tente separar tudo ao longo dos
dias, para cada disciplina.
Coloque o mais difícil no início do dia e semana.
Sempre tenha em mente que matéria dada é matéria estudada hoje, no planejamento
semanal.
No sábado à tarde, faça o planejamento e deixe o domingo para fazer coisas
totalmente desconexas do vestibular.
Desenvolva uma rotina. Acorde e durma em horários fixos. Regularidade nos estudos
(7h-11h e 12,5h-18h).
Imprevistos irão acontecer. Lide com eles de uma maneira positiva e organize seus
horários.
REVISÃO
Separe fórmulas, fatos, termos, definições, propriedades e macetes (a priori,
aquilo que é mais difícil de recordar e mais importante) para criar flashcards.
Faça isso depois dos exercícios, pois eles darão a base daquilo que é mais
necessário. Não negligencia o entendimento e aprendizagem do assunto.
Crie frases engraçadas, analogias, esquemas de chaves, desenhos, ganchos mentais,
conexões entre as ideias, imagens (engraçadas e idiotas) que sintetizem a ideia,
metáforas, associações, acrônimos, músicas e canções (rimas), expressões (prometo
ana telefonar) palavras-chaves que remetam e dicas mnemônicas, que atribuam
significado e ajudem a lembrá-lo depois.
Faça perguntas e respostas objetivas e diretas nos cartões.
Pode ser interessante colocar questões. No entanto, elas devem ser questões muito
boas (que envolvem vários conceitos do assunto) e não é necessário fazer todo o
formalismo na hora para responder, apenas captar a ideia.
Comprima, simplifique e resuma as informações, para não ficar com cartões densos
demais e difíceis de lembrá-los.
Pode ser interessante usar o recurso de omissão de palavras para alguns
assuntos/disciplinas.
Questões que exigem um método específico para resolução (Ex.: tabela de equilíbrio
químico)
Reescreve os itens que errou à mão, para estimular mais o cérebro.
Fale a resposta em voz alta.
Volte a rever o assunto (50/50), por meio de questões de listas anteriores, fazendo
mais questões dos assuntos que teve maior dificuldade, insira esses exercícios
(comece por eles antes de iniciar novo assunto) com as questões da semana. Veja o
vídeo-resumo e dê uma passada rápida no material (apostila, material de aula e
anotações do ano passado).
Pode ser interessante pegar questões que envolvem vários assuntos, pulos do gato,
difíceis, dúvidas recorrentes, para respondê-las novamente também.
Revise o assunto uma semana depois. Faça o item “Simulado” (aproveite para ver o
tempo, atenção durante a resolução, lacunas do conhecimento, ordem das questões,
pontuação, emoção, chutes, etc.) do BT, sem consulta. Depois dê uma conferida na
apostila, material de aula e anotações do ano passado.
Pegar uma folha em branco e tentar lembrar tudo aquilo que aprendeu. Em resumo, é
uma reaplicação da técnica de lembrança ativa. Faça só se precisar mesmo, caso seja
um assunto importante ou que não tenha muitas questões (no caso de lives).

PROVAS ANTIGAS E SIMULADOS


Comece pelas provas mais antigas já e deixe as mais recentes para quando estiver
próximo do vestibular. Reserve o dia somente para isso.
Faça a prova em um dia e corrija-a em outro como se fosse a prova realizada por
outra pessoa (de fato é). Tire o seu ego da jogada. Não some o número de acertos e
erros. Não leve para o lado pessoal, pois você está adquirindo essa habilidade.
Pense que os seus erros são uma oportunidade para melhorar ainda mais e garantir a
aprovação.
Depois que resolver todas as provas do ENEM (1ª e 2ª aplicação e PPL - precisa ver
se tem gabarito comentado na internet - essas aplicações alternativas, faça mais
das provas recentes), se sobrar tempo, resolva os simulados de escolas na internet.
Por exemplo: SAS, Objetivo, Poliedro, etc.
Usar provas antigas como feedback para orientar os estudos. Analise o tempo, as
lacunas do conhecimento, se a ordem de resolução foi eficiente, a pontuação.
Simular, ao máximo, as condições de prova. Prepare tudo um dia antes. Visualize-se
na sala, no dia do ENEM, imprima a prova (em livreto), rascunho e a folha de
gabarito, se tiver barulho, falta de vontade, calor e dor de cabeça, melhor para
treinar situações diferentes. Roupa, horário de início e fim (se não der, não tem
problema, limite-se a quantidade de tempo disponível, mas perto do ENEM, comece a
levar isso em consideração), sem computador por perto, lugar, máscara, alimentação
(se possível), canetas, minipausas, sem consulta.
No início, cronometre o tempo para começar a ter noção dele. Depois, retire ele do
seu campo de visão e faça a prova no seu tempo, para tornar o processo o mais
natural possível. Quando já tiver um bom domínio, comece a reduzir o tempo
disponível para a prova.
No início, foque em responder a prova para ganhar resistência. Não se preocupe com
os erros, pois terá assuntos que não estarão frescos na memória ou que você ainda
não domina e irá estudá-los. Finja que a simulação da prova é um pote de ouro para
conquistar a aprovação.
Coloque os seguintes pensamentos na sua cabeça. No início da prova, você estará com
0 e o que conseguir a mais é lucro. Vá neutro para a prova, não subestime e nem
superestime, tenha humildade. Foque no presente, na sua prova e elimine pensamentos
externos. Essa é uma situação de oportunidade e não de vida ou morte. Fique feliz
por cada questão respondida e não triste por não conseguir responder uma outra.
Diga para si mesmo que irá fazer o melhor possível, que já estudou o suficiente
(tenha confiança) e que vai conseguir terminar a prova a tempo. Você já fez o ENEM
antes, sabe como é, então não precisa se preocupar, é apenas uma prova (que
continuará ocorrendo todo ano). Você não vai perder mais um ano, se não passar,
você vai continuar evoluindo e adquirindo maturidade. Pense que uma hora você vai
passar, só não sabe quando. Visualize-se na USP no momento da prova, pense que logo
logo você estará lá. Você não tem obrigação em passar, sua nota não te define, pare
de querer controlar aquilo que não consegue. Se estiver difícil para você, será
difícil para todo mundo. O ENEM não foi feito para gabaritar, ou responder 100%, e
sim para discriminar os melhores (você já fez muito mais do que qualquer um que
está ali). Pense nos seus planos alternativos (o maior, o médio - foco -, e o
menor), se tudo der errado, não será o fim do mundo. Pense que o dia da prova é só
mais uma prova antiga/simulado que você estará fazendo. Finja até se convencer.
Faça uma respiração meditativa antes de começar a responder a prova.
Faça pausas para se concentrar na respiração e corpo (principalmente nos momentos
em que você já não consegue se concentrar direito, tente identificar assim que
surgir esse estado), lenta, profunda (inspira pelo nariz e expira pela boca) e com
os olhos fechados, tentando esvaziar a mente, imagine-se inspirando uma luz e
quando ela chegar no coração, ele bombeará toda a luz para o resto do corpo (em
qualquer visualização, quanto mais real, melhor). Alongamentos (veja esses
exemplos) ou parar a fim de comer algo e tomar água, podem ser interessantes.
Massagear a testa. Leve 3 minutos nessa atividade, inclusive, pode misturar todas
elas durante a prova.
Faça uma pausa para ir ao banheiro, no meio da prova, estique o corpo e lave o
rosto.
Dê prioridade para as provas que possuem mais importância, como matemática,
natureza e redação.
Não faça cálculos bonitinhos. Rabisque tudo em um curto espaço, o que importa é
marcar a alternativa correta. Obs.: mas também, é necessário manter uma organização
mínima.
No início da prova, dê uma boa folheada para identificar o nível das questões.
Comece respondendo as questões mais fáceis e rápidas (apenas interpretação,
palavras fáceis, curtas, com imagem, gráficos, tabelas, domínio do assunto, por
exemplo, dá pra perceber através do comando, tipos de textos e alternativas) e
marque as difíceis ou que demoram para responder depois.
Ao se deparar com uma difícil (quando você achava que era fácil), pode ser
interessante já adiantar o raciocínio dela, lendo o enunciado e eliminando
alternativas.
Não deixe todas as questões difíceis ou que demoram para o final, volte nelas em
algum momento para tentar resolvê-las novamente.
Quando você for tratar as questões demoradas (muito cálculo ou texto longo) ou já
as difíceis (sempre erro, não tive matéria ou exigem sacadas, como log,
probabilidade, análise combinatória, polinômios), se ainda continuar difícil,
adiante o raciocínio, elimine as absurdas e dê mais tempo para o modo difuso
trabalhar. Na última vez que você for vê-la, se a dificuldade persistir, feche os
olhos, concentre-se na respiração e esvazie a sua mente, a resposta pode aparecer,
marque-a e parta para a próxima.
Por mais que uma questão pareça difícil ou longa, você sempre pode aumentar sua
probabilidade de chute, por meio de eliminatória, dedução, interpretação, leitura
dinâmica, engenharia reversa (teste de alternativas), às vezes, ela só está
camuflada com um conteúdo longo.
Não tenha medo de pular uma questão que esteja empacada, volte para o modo difuso e
volte nela depois para dar chance para uma nova perspectiva (a próxima questão pode
te dar uma dica da questão que você pulou). Pode ser interessante passar para uma
questão com uma perspectiva diferente (se era de leitura, vá para uma de cálculo, e
vice-versa)
Não mude a alternativa marcada, a menos que você tenha absoluta certeza. Geralmente
o primeiro condicionamento é o que te faz acertar.
Não faça a prova às pressas, leia com calma e paciência. Sempre rabisque as ideias,
pois há muitas pegadinhas, principalmente nas fáceis.
Intercale entre as provas para evitar o cansaço (porém cuidado para não
negligenciar àquelas que afetaram mais na nota). Faça 15 questões de uma prova, uma
pausa de 3 min, mais 15 questões de outra prova e passe para o gabarito, utilize-
se da identidade ou folha para evitar errar (aproveite para ver em quanto tempo
você faz isso - às últimas questões serão as mais difíceis, logo, demandam mais
tempo -, para manter o controle, o essencial é 10 questões a cada 30 minutos, faça
traços na folha da prova para cada questão resolvida e um X na questão depois de
passar para o gabarito para não se perder, bola para marcar no gabarito, triângulo
para dúvida - voltar/revisar no final se tiver tempo - e quadrado para difícil e S
para demorada). No primeiro dia, leia a redação logo que receber a prova, ler
coletânea e faça o brainstorming, mas vá intercalando a produção com questões da
prova, desse modo proposto, vá para linguagens e depois para humanas. No segundo
dia, comece com matemática e em natureza, faça as fáceis de biologia, depois as
fáceis de química e depois as fáceis de física.
Depois que terminar a prova, corrija-a e tente resolver novamente as questões que
errou, se ainda não conseguir, veja a resolução (pegue dicas primeiro e tente
resolver) e tente novamente. Depois faça uma análise dos erros (errou, questões que
ficou em dúvida ou chutou) para completar as lacunas no conhecimento (refazer as
questões que errou da lista da semana, ir para teoria), pode ser necessário
acrescentar novas informações no Anki (se já tiver card desse erro, resetá-lo) e
nas anotações. Separe as questões mais importantes para resolver depois, garanta
que conseguirá responder caso caia novamente.
Para linguagens e humanas, veja resoluções mais detalhadas e a fundo. E também ver
aulões que tratem da matéria de modo mais amplo e geral.
Perto do ENEM, revise as questões que errou nas provas anteriores.
REDAÇÕES
Nas primeiras redações, cronometre o tempo para começar a ter noção. Depois, retire
o relógio do campo de visão para tornar a produção o mais natural possível. Tente
fazer no máximo em 1 hora e 30 minutos, depois tente fazer em 1 hora.
Não fique preso a várias teorias de redação (é bom assistir alguns vídeos de vez em
quando), pratique bastante e vá analisando os erros aos poucos.
Começar a colocar redações junto com a prova somente nas últimas provas simuladas
(quando linguagens e humanas são no mesmo dia).
Leia redação exemplares e analise-as (vídeos no youtube são bons, apostila do
Umberto, etc.). Atente-se para o uso das palavras, como foi escrita, pontuações,
repertório, estruturação dos parágrafos, como as funções foram construídas e ordem
das ideias. Tente pegar possíveis repertórios coringas para uso futuro.
Ignore a nota e foque nos erros.
Pedir para tio Sérgio mandar um áudio de 10 minutos, no máximo, dando opiniões na
redação.
Evite fazer redações digitadas, sempre imprima folhas.
Treinar com temas cada vez mais diferenciados e desafiantes.
Ler o tema (dissecando-o), ler a coletânea e fazer o brainstorming, sempre fazendo
anotações, montar o esqueleto, fazer rascunho dos desenvolvimentos, última lida,
passar a limpo.
A coletânea pode ser usada desde que seja parafraseada e que você extrapole um
pouco aquilo que está sendo dito. Usar aqueles dados para comprovar sua
argumentação.
Antes de começar a redação, dê uma pesquisada no Google para criar sua opinião e
poder argumentar sobre o tema (veja sites de peso e artigos de opinião).
Faça um “brainstorming” do tema, depois de ter pesquisado, sem consulta, anotando
as teses a serem elaboradas, argumentos, soluções, etc. Escreva o que você
minimamente sabe sobre o tema. Não precisa escrever muito, pois você já sabe,
escreva somente a ideia.
Organize as ideias do “brainstorming” em introdução (elementos de oposição tem mais
impacto), desenvolvimento e conclusão. Agora, comece pela proposta de intervenção
(GOMIFES) da conclusão para garantir que ela esteja em concordância com o resto do
texto.
Parágrafos e frases simples, que seguem mais ou menos o modelo, não precisam ser
escritas no rascunho.
Busque repertórios gerais (argumentos tbm) na internet e páginas do instagram.
Elaborar um repertório baseado em eixos temáticos pode ser uma alternativa. Tente
usar o próprio arsenal para não ter que decorar nada. Uma boa ideia é separar um
documento somente com esses repertórios. Tome cuidado ao usar esses repertórios, é
necessário saber a ideia por trás, principalmente se for algo filosófico ou
sociológico. O instagram “redacao100complicacao” tem alguns modelos prontos.
Anote os erros cometidos (compreenda-os) na redação e sempre olhe antes de começar
uma nova. Faça uma refacção curta do texto, ao lado.
Estudar os assuntos que ocorrem erros recorrentes. Pode ser interessante dar uma
leve estudada em principais assuntos de sociologia, Estado, leis, ministérios,
atualidades, conhecimentos gerais (documentários, filmes, séries, livros, etc.).
OBSERVAÇÕES
Avaliar a etapa de lembrança ativa (somente para as lives ou outros conteúdos que
não possuem exercícios - equivale a reaplicação dela para revisão).
Fontes desse documento: Curso aprendendo a aprender, blog do Scott Young, livros do
prof. Pier, canais no YT e perfis no Instagram.