Você está na página 1de 106

MATO GROSSO DO SUL

Perfil e Oportunidades
de Exportações e Investimentos
2020

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 1


Sergio Ricardo Segovia Barbosa
PRESIDENTE – APEX-BRASIL

Augusto Souto Pestana


DIRETOR DE NEGÓCIOS – APEX-BRASIL

Igor Isquierdo Celeste


GERENTE DE INTELIGÊNCIA – APEX-BRASIL

João Ulisses Pimenta


COORDENADOR DE ANÁLISE DE MERCADO – APEX-BRASIL

Pedro Henrique Gandra Pia de Andrade


ORGANIZAÇÃO/REVISÃO – APEX-BRASIL

Núcleo de Excelência – Competitividade e Economia Internacional (UNISINOS)


ELABORAÇÃO

Setor de Autarquias Norte, Quadra 5, Lote C


CEP – 70040-250 – Brasília – DF
Tel.: 55 (61) 2027-0202
www.apexbrasil.com.br
E-mail: apexbrasil@apexbrasil.com.br

© 2020 Apex-Brasil
Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).
Todos os direitos reservados.

Qualquer parte desta obra poderá ser reproduzida, desde que citada a fonte.
A Gerência de Inteligência de Mercado da Apex-Brasil, responsável pelo desenvolvimento
deste estudo, quer saber a sua opinião sobre ele. Se você tem comentários ou sugestões a
fazer, por favor, envie e-mail para apexbrasil@apexbrasil.com.br

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 2


INDÍCE
1. SUMÁRIO EXECUTIVO .................................. 4
2. INTRODUÇÃO ......................................... 6
3. PANORAMA DAS EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL ..... 8
3.1 EXPORTAÇÕES DA REGIÃO CENTRO-OESTE POR ESTADO .................. 8
3.2 EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL .............................. 9
3.3 PRINCIPAIS MUNICÍPIOS EXPORTADORES ............................ 10
3.4 EXPORTAÇÕES POR MESORREGIÃO ................................... 12
3.5 EXPORTAÇÕES POR MACROSSETORES ................................. 14
3.6 SETORES EXPORTADORES .......................................... 16
3.7 SIMILARIDADES DAS EXPORTAÇÕES COM O BRASIL .................... 17
3.8 INTENSIDADE TECNOLÓGICA DAS EXPORTAÇÕES ....................... 18
3.9 CONCENTRAÇÃO SETORIAL (HHI) ................................... 20
3.10 EMPRESAS EXPORTADORAS ......................................... 22
3.11 DESTINO DAS EXPORTAÇÕES ....................................... 25

4. OPORTUNIDADES NOS PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES


DE BENS DE MATO GROSSO DO SUL .......................... 28
4.1 CHINA ......................................................... 29
4.2 ESTADOS UNIDOS ................................................ 36
4.3 ARGENTINA ..................................................... 43
4.4 ITÁLIA ........................................................ 51
4.5 URUGUAI ....................................................... 58

5. SETORES COM POTENCIAL PARA EXPORTAÇÃO DE BENS ..... 65


5.1 DESCRIÇÃO DA METODOLOGIA DE SELEÇÃO DE SETORES APLICADA ....... 65
5.2 ANÁLISE DOS SETORES COM POTENCIAL DE EXPORTAÇÃO ............... 66
5.3 DESTAQUES DAS PRINCIPAIS OPORTUNIDADES ........................ 67

6. PANORAMA DAS EXPORTAÇÕES DE SERVIÇOS .............. 69


6.1 COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL ................................... 69
6.2 COMÉRCIO EXTERIOR DE MATO GROSSO DO SUL ....................... 73

7. PANORAMA DOS INVESTIMENTOS ESTRANGEIROS DIRETOS ... 76


7.1 INVESTIMENTOS NO BRASIL ....................................... 76
7.2 INVESTIMENTOS EM MATO GROSSO DO SUL ........................... 79
7.3 POR QUE INVESTIR EM MATO GROSSO DO SUL? ....................... 83

8. CONCLUSÕES ........................................ 86
9. ANEXO ............................................. 94

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 3


1. SUMÁRIO EXECUTIVO
O objetivo deste estudo é apresentar um panorama geral da economia do estado do Mato
Grosso do Sul, identificando o seu potencial exportador a partir de uma análise das exportações
de bens e serviços e do perfil dos investimentos estrangeiros diretos no estado. Tem como
intuito contribuir para o processo de formulação de políticas públicas para o comércio exterior
do estado e fornecer insumos para os processos de tomada de decisão das empresas sul-mato-
grossenses no que tange às suas estratégias de exportação. Sendo assim, foram mapeados, com
base em metodologia desenvolvida especificamente para este estudo, os setores de baixo
desempenho exportador com maior potencial para a exportação de bens, sendo elencadas e
classificadas as oportunidades nos cinco principais destinos das exportações sul-mato-
grossenses por produto.

Inicialmente, destaca-se que a economia do Mato Grosso do Sul é composta


predominantemente pelo setor de serviços, seguido por indústria e agropecuária. O estado é o
terceiro principal estado exportador em âmbito regional e o décimo segundo em nível nacional.
No que diz respeito às exportações, o principal macrossetor é o de Indústrias de Transformação,
que representa 65,0% do total exportado. A Agropecuária responde por 31,6% das exportações
sul-mato-grossenses, seguida por Indústrias Extrativas (3,4%) e Outros Produtos (0,01%).

Foram identificadas 212 oportunidades de exportação para o estado, sendo destacadas, ao


longo do estudo, 134 delas. As oportunidades foram mapeadas com base na metodologia da
Apex-Brasil e distribuídas nos cinco destinos selecionados: China, Estados Unidos, Argentina,
Itália e Uruguai. Em relação aos produtos apontados como oportunidades para o estado, na
China, foram indicadas trinta e sete oportunidades: trinta e duas em “Abertura”; duas em
“Manutenção” e três em “Recuperação”. No que tange aos produtos classificados como
oportunidades para Mato Grosso do Sul nos Estados Unidos, foram apontadas trinta e três
oportunidades: vinte e sete em “Abertura”; quatro em “Manutenção” e duas em
“Recuperação”. Em relação à Argentina, os produtos identificados para o estado totalizaram
sessenta e três oportunidades, sendo quarenta e cinco em “Abertura”; seis em “Consolidação”;
quatro em “Manutenção” e oito em “Recuperação”. No que concerne à Itália, os produtos para
o estado no país totalizaram trinta e sete oportunidades, sendo vinte e nove em “Abertura”;
uma em “Consolidação”; duas em “Manutenção” e cinco em “Recuperação”. Finalmente, em
relação aos produtos classificados como oportunidades para o estado no Uruguai, foram
apontadas quarenta e duas oportunidades, sendo vinte em “Abertura”; cinco em
“Consolidação”; oito em “Manutenção” e nove em “Recuperação”.

Com base na classificação da Apex-Brasil por complexos, as 212 oportunidades identificadas


para Mato Grosso do Sul foram divididas em onze categorias. “Alimentos e Bebidas” foi a
categoria que registrou o maior número de oportunidades, isto é, setenta e quatro, o que
representa 34,9% do total. Na sequência, por ordem de relevância, aparecem os complexos de
“Moda, Higiene Pessoal e Cosméticos” com 17,5%; “Produtos Agropecuários” com 15,6%;
“Máquinas e Equipamentos, Aparelhos e Materiais Elétricos” com 10,4% e “Celulose, Papel e
Impressão” com 7,1%. Os demais setores juntos representam 14,6%, são eles: “Metalurgia e
Produtos de Metal (exceto Máquinas e Equipamentos)”; “Indústria Extrativa Mineral”;
“Produtos Químicos”; “Madeira, Móveis e Outras Manufaturas”; “Equipamentos de Transporte”
e “Produtos de Borracha e de Material Plástico”.

No que se refere aos setores de baixo desempenho exportador, porém com potencial para a
exportação de bens, a partir dos cento e dezesseis setores agregados conforme a Classificação

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 4


Nacional por Atividades Econômicas (CNAE 2.0), foram selecionados os seis com maiores
chances de negócios para o estado fora do país, quais sejam: “Fabricação de produtos
farmacêuticos”, seguido por “Fabricação de artigos de cutelaria, de serralheria e ferramentas”;
“Fabricação de produtos de material plástico”; “Fabricação de móveis”; “Fabricação de
instrumentos e materiais para uso médico e odontológico e de artigos ópticos” e “Fabricação de
artefatos de concreto, cimento, fibrocimento, gesso e materiais semelhantes”.

Este estudo exibe ainda um panorama das exportações de serviços do estado de Mato Grosso
do Sul, identificando a sua representatividade na Região Centro-Oeste e no Brasil, bem como os
serviços mais relevantes para as exportações e os seus principais países de destino. No ranking
dos principais estados exportadores de serviços do Brasil, está em décimo oitavo lugar, com
dezesseis empresas prestadoras de serviços ao exterior.

Ao final, o estudo identifica os principais países de origem dos investimentos externos diretos
feitos no estado, a sua distribuição por setores e as empresas que mais receberam
investimentos. Mato Grosso do Sul foi o quarto mais representativo em termos de participação
da receita bruta das empresas que realizaram investimento direto na Região Centro-Oeste. Os
Estados Unidos são o principal país de origem dos investimentos greenfield anunciados para
Mato Grosso do Sul, entre janeiro de 2013 e julho de 2019.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 5


2. INTRODUÇÃO

A economia de Mato Grosso do Sul é composta predominantemente pelo setor de serviços


(60,3%), seguido por indústria (22,1%) e agropecuária (17,6%). O Produto Interno Bruto (PIB) de
Mato Grosso do Sul é de R$ 96,3 bilhões, com base em dados de 2017, os últimos
disponibilizados pelo IBGE. Já o PIB em termos per capita foi estimado em R$ 35,5 mil, conforme
dados do mesmo ano, o que coloca o estado como o oitavo maior dentre os vinte e sete estados
brasileiros.

A população foi estimada pelo IBGE em cerca de 2,8 milhões de habitantes para o ano de 2020,
sendo que aproximadamente 128,3 mil estão matriculados no ensino superior, conforme dados
de 2018, os últimos disponibilizados pelo INEP. Os principais municípios são Campo Grande,
Dourados e Três Lagoas, classificados pelo número de habitantes. Além disso, o estado possui o
10º maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil, calculado em 0,729.

Figura 1 – Dados Gerais de Mato Grosso do Sul e sua Composição do PIB

PIB (2017) R$ 96,3 bilhões


Agropecuária
POPULAÇÃO (2020) 2.809.394 habitantes 17,6%
PRINCIPAIS CIDADES Campo Grande, Dourados e Três Lagoas

PIB PER CAPITA (2017) R$ 35.520,45

IDH (2010) 0,729 (10º no Brasil) Serviços


Nº DE MATRÍCULAS DO ENSINO Indústria 60,3%
128.250 (4,67% da população)
SUPERIOR (2018) 22,1%

Fontes: IBGE e INEP. Acesso em: 14/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 6


O gráfico 1 apresenta a evolução da participação da economia de Mato Grosso do Sul na Região
Centro-Oeste. No período analisado, Mato Grosso do Sul registrou sua maior relevância no PIB
regional no ano de 2017, quando sua participação foi 14,61%.

Em 2002, Mato Grosso do Sul representava 12,83% da economia da Região Centro-Oeste. Em


2017, o último ano com informações disponíveis, passou a corresponder por 14,61% do PIB da
região, portanto, mostrando um aumento de 1,78 ponto percentual de representatividade. Esse
desempenho contrasta com o resultado obtido por Goiás (-1,1 ponto percentual) que se
destacou pela queda de participação na composição do PIB regional. O desempenho de Mato
Grosso do Sul indica que as taxas de crescimento econômico do estado foram relativamente
superiores às registradas nas médias regionais, bem como em âmbito nacional, no qual o estado
também registrou aumento de sua representatividade. Esse resultado reflete ganhos de
dinamismo na agricultura e ganhos de produtividade em culturas como a de soja e a de milho.

Gráfico 1 - Evolução da participação (%) do PIB de Mato Grosso do Sul no PIB da Região
Centro-Oeste – 2002 a 2017

14,55 14,52 14,61


14,32 14,25 14,33
13,95
13,78
13,36 13,32
13,11
12,83 12,92 13,02
12,65 12,77

2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017

Fonte: IBGE. Acesso em: 14/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 7


3. PANORAMA DAS EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL
Esta seção apresenta o panorama das exportações de Mato Grosso do Sul em relação à Região
Centro-Oeste, em termos de valor exportado, de participação e de crescimento médio anual.
São identificados os principais municípios exportadores, as mesorregiões e os setores mais
relevantes. No que diz respeito à pauta exportadora, é analisado o nível de similaridade da pauta
sul-mato-grossense em relação à brasileira, sua intensidade tecnológica e seu grau de
concentração. Por fim, apresentam-se informações a respeito das principais empresas e dos
países de destino mais importantes para as exportações de Mato Grosso do Sul.

3.1 EXPORTAÇÕES DA REGIÃO CENTRO-OESTE POR ESTADO


Conforme consta na tabela 1, Mato Grosso do Sul é o terceiro principal estado exportador em
âmbito regional e o décimo segundo em nível nacional. As exportações sul-mato-grossenses
totalizaram aproximadamente US$ 5,2 bilhões em 2019, tendo sido registrada queda de 9,0%
em relação a 2018. Contudo, no período 2016-2019, as exportações do estado registraram
elevação média anual de 8,8%. Em 2019, o estado obteve participação de 17,6% nas exportações
da Região Centro-Oeste.

Destaca-se que a queda observada em 2019 frente a 2018 reflete, sobretudo, as variações
negativas registradas de produtos que figuram entre os mais importantes para o estado, sendo
que, entre eles, destaca-se a soja. Cabe mencionar ainda que, na Região Centro-Oeste, outros
dois estados também viram suas exportações caírem em 2019 em relação ao desempenho em
2018, Goiás e Distrito Federal. Quando a análise considera o período 2016-2019, de modo geral,
as exportações regionais cresceram, em média, 9,3% ao ano. A participação do estado sul-mato-
grossense em 2019, nas exportações da região, caiu, passando de 17,9% para 17,6%; por outro
lado, em âmbito nacional, Mato Grosso do Sul viu sua representatividade aumentar de 2016 a
2019, de 2,2% para 2,3%.

Tabela 1 - Exportações da Região Centro-Oeste por UF

Participação
Posição na Região CMA*
US$/Milhões
Estado no Brasil Centro- (%)
em 2019 Oeste (%)
2016 2017 2018 2019 2016 2019 2016-2019
Mato Grosso 12.588,2 14.727,1 16.432,8 17.206,1 6º 55,3 57,8 11,0%
Goiás 5.929,1 6.902,9 7.524,4 7.133,4 11º 26,1 24,0 6,4%
Mato Grosso do Sul 4.071,1 4.785,1 5.759,2 5.243,4 12º 17,9 17,6 8,8%
Distrito Federal 164,5 251,3 259,5 160,7 23º 0,7 0,5 -0,8%
Região Centro-Oeste - Total 22.752,9 26.666,3 29.975,9 29.743,6 - - - 9,3%

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat. Acesso em: 14/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 8


3.2 EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL
No período 2009-2019, as exportações de Mato Grosso do Sul apresentaram intensas variações
positivas e negativas, conforme exposto no gráfico 2. Destaca-se, contudo, que o estado
manteve importantes variações positivas em sequência de 2010 a 2013. Porém, no triênio 2014-
2016, as exportações do estado apresentaram quedas no valor.

A maior variação negativa ocorreu em 2016, quando a queda foi de 14,0% em relação ao ano
anterior. O maior crescimento, por sua vez, aconteceu em 2010, quando o valor exportado foi
de aproximadamente US$ 2,9 bilhões e a taxa de crescimento em relação ao ano anterior de
52,9%. Apesar do crescimento em 2010, foi em 2018 que o estado viu seu maior valor exportado
no período analisado, cerca de US$ 5,8 bilhões. Em 2018, dois complexos dominaram a pauta
exportadora sul-mato-grossense, “Produtos Agropecuários” e “Celulose, Papel e Impressão”. O
primeiro correspondeu a 40,8% do total, enquanto o segundo a 33,9%. O complexo de “Produtos
Agropecuários” tornou-se o principal exportado pelo estado a partir de 2006, já as exportações
de “Celulose, Papel e Impressão” passaram a representar o segundo principal complexo a partir
de 2015.

O resultado de 2019 (-9,0%) pode ser atribuído principalmente às contribuições negativas dos
valores exportados pelo complexo de “Produtos Agropecuários”. Nesse sentido, ressalta-se o
subsetor de “Soja mesmo triturada”. No que tange aos destinos, os países que mais
influenciaram para a queda das exportações sul-mato-grossenses foram China, Argentina e
Itália. O subsetor Apex-Brasil mencionado responde por 22,0% do resultado, enquanto os três
países referidos são destino de 49,2% das exportações estaduais em 2019.

Gráfico 2 - Exportações (US$/milhões) e taxa de crescimentos anuais (2009-2019)

5.759,2

5.224,9 5.214,6 5.243,4


52,9% 4.731,6 4.785,1

4.173,1 4.071,1
3.839,5

25,2%
2.889,0 32,9%
17,5%
20,4%
1.889,6
8,7%

-0,2%

-9,7% -9,3% -9,0%


-14,0%

2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Exportações (US$/milhões) Taxa de crescimento

Fonte: Comex Stat. Acesso em 14/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 9


3.3 PRINCIPAIS MUNICÍPIOS EXPORTADORES
Os municípios mais relevantes para as exportações estaduais estão exibidos na tabela 2. Em
relação aos dados de exportação por município, cabe ressaltar que a metodologia empregada
pelo Ministério da Economia, por meio da plataforma Comex Stat, considera como referência o
município de domicílio fiscal do CNPJ exportador. Isso faz com que, em alguns casos, o município
reportado como origem da exportação não seja aquele onde o bem foi efetivamente produzido.

Observa-se que os dez municípios em destaque representam quase a totalidade das exportações
estaduais em 2019, cerca de 87,2%. Contudo, cabe destacar que o município de Três Lagoas
desponta entre os demais, ao responder por quase 50% das exportações do estado. O município
exporta 100% de “Pastas químicas de madeira, à soda ou ao sulfato, exceto pastas para
dissolução” (SH4 4703) e de “Papel e cartão, não revestidos, dos tipos utilizados para escrita”
(SH4 4802). Além disso, exporta 66,8% do total de “Tortas e outros resíduos sólidos da extração
do óleo de soja” (SH4 2304).

O segundo principal município exportador de Mato Grosso do Sul é a capital Campo Grande,
sendo responsável por 9,4% das exportações estaduais em 2019. Os principais produtos
exportados pelo município são: “Carnes de animais da espécie bovina, congeladas” (SH4 0202)
que corresponde a 33,2% das exportações do setor no estado; “Carnes de animais da espécie
bovina, frescas ou refrigeradas” (SH4 0201) representando 34,6% das exportações estaduais; e
“Couros e peles curtidos ou em crosta, de bovinos” (SH4 4104) com 65,0% do total exportado
pelo Mato Grosso do Sul.

Na sequência, aparece o município de Dourados, com 6,5% das exportações estaduais,


concentradas em produtos do agronegócio, são eles: “Soja, mesmo triturada” (SH4 1201),
“Milho” (SH4 1005) e “Óleo de soja e respectivas fracções, mesmo refinados, mas não
quimicamente modificados” (SH4 1507). No que tange ao primeiro produto, as exportações do
município representam 47,0% das estaduais; no que se refere ao segundo produto,
correspondem a 19,6% do total do estado. Por fim, as exportações do terceiro produto
realizadas pelo município de Dourados equivalem a 71,0% do total do estado.

Cabe mencionar que o município de Corumbá, quarto principal de Mato Grosso do Sul, exporta
com exclusividade três produtos no estado: “Minérios de ferro e seus concentrados, incluídas
as pirites de ferro ustuladas (cinzas de pirites)” (SH4 2601); “Minérios de manganês e seus
concentrados” (SH4 2602); e “Ferro fundido bruto e ferro spiegel (especular), em lingotes,
linguados ou outras formas primárias” (SH4 7201).

Os demais municípios que fecham a lista dos dez principais registram 15,9% de participação nas
exportações estaduais em 2019. Entre as suas exportações, nota-se o predomínio de produtos
do setor agrícola, como soja e milho, assim como de alimentos, por exemplo, carnes.

De modo geral, nota-se alta concentração em apenas um município, Três Lagoas, com produtos
que se destacam em âmbito estadual, como produtos associados à soja e da indústria de
celulose. Além da concentração, também é notável o alto grau de especialização, sendo Três
Lagoas responsável por 100% do “Pastas químicas de madeira, à soda ou ao sulfato, exceto
pastas para dissolução” (SH4 4703) e de “Papel e cartão, não revestidos, dos tipos utilizados para
escrita” (SH4 4802) (indústria da celulose) e 2/3 de “Couros e peles curtidos ou em crosta, de
bovinos” (SH4 4104). Por fim, cabe destacar que em Três Lagoas está localizado um dos maiores
complexos de celulose do Brasil. Nos demais municípios, carnes e couros, sobretudo da espécie
bovina, aparecem com relevância.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 10


Tabela 2 - 10 Principais Municípios Exportadores de Mato Grosso do Sul e seus
principais produtos exportados (SH4)

Participação do
município nas Participação
Município Principais Produtos (SH4)
exportações da na UF (%)
UF em 2019 (%)
4703 - Pastas químicas de madeira, à soda ou ao sulfato,
100,0
exceto pastas para dissolução
2304 - Tortas e outros resíduos sólidos da extração do
1º Três Lagoas 49,9 66,8
óleo de soja
4802 - Papel e cartão, não revestidos, dos tipos utilizados
100,0
para escrita
0202 - Carnes de animais da espécie bovina, congeladas 33,2
0201 - Carnes de animais da espécie bovina, frescas ou
2º Campo Grande 9,4 34,6
refrigeradas
4104 - Couros e peles curtidos ou em crosta, de bovinos 65,0
1201 - Soja, mesmo triturada 47,0
1005 - Milho 19,6
3º Dourados 6,5
1507 - Óleo de soja e respectivas fracções, mesmo
71,0
refinados, mas não quimicamente modificados
2601 - Minérios de ferro e seus concentrados, incluídas as
100,0
pirites de ferro ustuladas (cinzas de pirites)
4º Corumbá 5,5 2602 - Minérios de manganês e seus concentrados 100,0
7201 - Ferro fundido bruto e ferro spiegel (especular), em
100,0
lingotes, linguados ou outras formas primárias
1201 - Soja, mesmo triturada 25,0
5º Chapadão do
4,1 1005 - Milho 26,7
Sul
5201 - Algodão, não cardado nem penteado 31,5
0202 - Carnes de animais da espécie bovina, congeladas 18,0
0201 - Carnes de animais da espécie bovina, frescas ou
15,1
6º Bataguassu 2,9 refrigeradas
0504 - Tripas, bexigas e estômagos de animais, exceto
13,7
peixes, inteiros ou em pedaços, frescos, refrigerados
0202 - Carnes de animais da espécie bovina, congeladas 11,0
0201 - Carnes de animais da espécie bovina, frescas ou
7º Naviraí 2,5 13,5
refrigeradas
1201 - Soja, mesmo triturada 2,4
0207 - Carnes e miudezas comestíveis, frescas,
57,6
refrigeradas ou congeladas, das aves da posição 0105
8º Itaquiraí 2,5 1201 - Soja, mesmo triturada 0,1
2301 - Farinhas, pó e pellets, de carnes, miudezas,
3,8
impróprios para a alimentação humana; torresmos
0207 - Carnes e miudezas comestíveis, frescas,
41,5
refrigeradas ou congeladas, das aves da posição 0105
9º Sidrolândia 2,1 1005 - Milho 5,2
2304 - Tortas e outros resíduos sólidos da extração do
2,1
óleo de soja
0202 - Carnes de animais da espécie bovina, congeladas 6,4
10º Nova 0201 - Carnes de animais da espécie bovina, frescas ou
1,8 8,7
Andradina refrigeradas
4104 - Couros e peles curtidos ou em crosta, de bovinos 29,2

Para descrição completa do produto (SH4), ver anexo.


Fonte: Comex Stat. Acesso em: 14/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 11


3.4 EXPORTAÇÕES POR MESORREGIÃO
A tabela 3 exibe as exportações de Mato Grosso do Sul por mesorregiões, que são computadas
pelo domicílio fiscal da empresa, e não de acordo com a sua localização geográfica. Esse detalhe
metodológico explica o diferencial entre o valor do total exportado apresentado na tabela 3 e o
valor exibido nas subseções 3.1 e 3.2. De acordo com a metodologia do IBGE, as mesorregiões
são subdivisões dos estados brasileiros que congregam diversos municípios com similaridades
econômicas e sociais e não constituem entidades políticas ou administrativas.

O estado de Mato Grosso do Sul é dividido em quatro mesorregiões, conforme pode ser
observado na tabela 3 e na figura 2. Dentre elas, a mais relevante em termos de valor exportado
é a Leste de Mato Grosso do Sul, que totalizou US$ 2,6 bilhões em 2019, representando 62,1%
do total das exportações do estado. O último ano marcou o melhor desempenho da mesorregião
em termos de representatividade e valor exportado.

Na sequência, aparece a mesorregião Sudoeste de Mato Grosso do Sul, respondendo por 16,5%
em 2019. O melhor desempenho da mesorregião ocorreu em 2016, quando correspondeu a
26,4% em termos de representatividade estadual. As demais mesorregiões, Centro Norte de
Mato Grosso do Sul e Pantanais Sul-Mato-Grossenses completam a tabela. Juntas
representaram 21,4% das exportações sul-mato-grossenses em 2019. Ao longo do período
analisado, 2016-2019, o Centro Norte de Mato Grosso do Sul perdeu 2,6 pontos percentuais de
participação, enquanto Pantanais Sul-Mato-Grossenses registrou queda de 0,7 ponto percentual
de representatividade.

A mesorregião de maior representatividade, Leste de Mato Grosso do Sul, conta com municípios
de importante dinamismo no estado: Três Lagoas, Chapadão do Sul, Bataguassu e Nova
Andradina. A segunda mesorregião com maior participação, Sudoeste de Mato Grosso do Sul,
conta com três dos dez principais municípios exportadores do estado: Dourados, Naviraí e
Itaquiraí.

Tabela 3 - Exportações por Mesorregião

2016 2017 2018 2019


Mesorregião US$ US$ US$ US$
% % % %
(Milhões) (Milhões) (Milhões) (Milhões)
Leste de Mato Grosso do Sul 1.411,8 49,0 1.667,8 47,5 2.435,1 61,1 2.585,0 62,1
Sudoeste de Mato Grosso do Sul 760,4 26,4 919,0 26,1 694,3 17,4 688,4 16,5
Centro Norte de Mato Grosso do Sul 495,1 17,2 631,1 18,0 536,5 13,5 607,1 14,6
Pantanais Sul-Mato-Grossenses 216,1 7,5 297,0 8,4 320,4 8,0 281,6 6,8
Total Geral 2.883,4 100,0 3.514,9 100,0 3.986,3 100,0 4.162,1 100,0

Fonte: Comex Stat. Acesso em: 14/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 12


Figura 2- Mapa da divisão geopolítica de Mato Grosso do Sul por mesorregião e
participação nas exportações em 2019

Fonte: IBGE e Comex Stat. Acesso em: 14/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 13


3.5 EXPORTAÇÕES POR MACROSSETORES
Esta subseção apresenta as exportações de Mato Grosso do Sul por macrossetores, definidos a
partir da International Standard Industrial Classification of All Economic Activities, forth version
(ISIC4), classificação publicada pelas Nações Unidas com o intuito de agrupar categorias de
atividades econômicas para fins estatísticos.

Em Mato Grosso do Sul, destaca-se que o macrossetor de Indústrias de Transformação totalizou


cerca de US$ 3,40 bilhões em valor exportado, no ano de 2019, o que representa 65,0% das
exportações do estado. A Agropecuária, por sua vez, aparece na sequência, com valor exportado
de US$ 1,65 bilhão, seguida por Indústrias Extrativas (US$ 180,4 milhões) e por Outros Produtos
(US$ 449,5 mil). No período 2016-2019, o macrossetor que mais ganhou market share foi o de
Indústrias de Transformação (2,6 pontos percentuais), em detrimento, sobretudo, da
Agropecuária, que registrou encolhimento, em termos relativos, em proporção similar.

Figura 3 - Exportações de Mato Grosso do Sul e distribuição por macrossetores em


2016 e 2019

Outros Produtos Outros Produtos


US$ 45,95 mil US$ 449,5 mil
<0,01% Indústrias Extrativas 0,01%
Indústrias Extrativas
US$ 138,5 milhões US$ 180,4 milhões
3,4% 3,4%

Agropecuária
Agropecuária US$ 1,65 bilhão
US$ 1,39 bilhão
31,6%
34,2%

2016 2019

62,4%
65,0%

Indústrias de
Transformação Indústrias de
US$ 2,54 bilhões Transformação
US$ 3,40 bilhões

Fonte: Comex Stat. Acesso em: 15/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 14


Nas exportações da Indústria de Transformação do estado, o produto “Pasta química de madeira
de não conífera, à soda ou sulfato” (SH6 470329) é o mais relevante, com 56,9% de participação
em 2019, seguido por “Carnes de bovino, desossadas, congeladas - carnes” (SH6 020230) com
parcela de 12,8%, e por “Carnes de bovino, desossadas, frescas ou refrigeradas - carnes” (SH6
020130) com 7,5%. Cabe mencionar que a Indústria de Transformação viu sua
representatividade em Mato Grosso do Sul aumentar, sendo que os produtos acima
mencionados são destaque em crescimento no período 2016-2019.

Mais uma vez, segmentos associados às indústrias de alimentos e celulose têm realce,
reforçando a vocação estadual advinda de aspectos naturais, como solo e clima favorável. O
estado aproveita essas vantagens competitivas e avança através de processos de
industrialização aumentando o valor agregado de seus produtos.

Gráfico 3 - Participação do produto por SH6 nas exportações da Indústria de


Transformação de Mato Grosso do Sul em 2019

Pasta química de madeira de não


conífera, à soda ou sulfato
12,0%
Carnes de bovino, desossadas,
4,7% congeladas - carnes

6,2% Carnes de bovino, desossadas, frescas


ou refrigeradas -carnes

7,5%
Pedaços e miudezas comestíveis de
56,9%
galos e galinhas, congelados

12,8% Tortas e outros resíduos sólidos da


extração do óleo de soja

Outros

Fonte: Comex Stat. Acesso em: 15/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 15


3.6 SETORES EXPORTADORES
Esta subseção elenca os principais subsetores APEX-Brasil exportados pelo estado de Mato
Grosso do Sul. A metodologia desenvolvida pela APEX-Brasil busca identificar agrupamentos
econômicos para fins estatísticos e os resultados estão dispostos na tabela 4.

Nas cinco primeiras colocações, estão: “Celulose”, “Soja mesmo triturada”, “Carne de boi in
natura”, “Cereais em grão e esmagados (milho)” e “Carne de frango in natura”. No que concerne
ao principal subsetor, ou seja, “Celulose”, as exportações alcançaram US$ 1,9 bilhão, cerca de
37,0% da pauta sul-mato-grossense e variação média anual de 26,6%, entre 2016 e 2019.
Contudo, cabe mencionar que, em 2019, as exportações registraram desaceleração,
apresentando crescimento de 1,8% frente a 2018.

Destaca-se ainda a importante contribuição de produtos industriais oriundos da pecuária, como


“Carne de boi in natura”, “Carne de frango in natura”, “Couros e peles” e “Demais carnes
bovinas”. Juntos, os subsetores corresponderam a quase 20% do total exportado pelo estado
em 2019.

Entretanto, setores de commodities agrícolas também estão em ascensão na economia sul-


mato-grossense, sobretudo, por meio da cultura de soja, da qual o estado é o quarto maior
produtor do Brasil. No período 2016-2019, o crescimento médio anual do subsetor de “Soja,
mesmo triturada” foi de 3,0% e representou 22,0% das exportações estaduais em 2019. No
mesmo período, “Farelo de soja” também registrou elevação, em média, de 10,1% ao ano.

Tabela 4 - Principais setores exportados pelo Mato Grosso do Sul

Exportação Participação nas CMA* Taxa de


Subsetor APEX em 2019 exportações da 2016-2019 Crescimento
US$/Milhões UF em 2019 (%) (%) 2018-2019 (%)

Celulose 1.938,8 37,0 26,6 1,8


Soja mesmo triturada 1.152,8 22,0 3,0 -44,1
Carne de boi in natura 691,6 13,2 17,6 26,0
Cereais em grão e esmagados (milho) 450,4 8,6 13,1 >200,0
Carne de frango in natura 240,7 4,6 -2,1 9,1
Farelo de soja 159,8 3,0 10,1 -16,4
Minérios de ferro 141,0 2,7 17,7 -2,4
Açúcar em bruto 67,13 1,3 -46,9 -51,4
Couros e peles 65,58 1,3 -14,9 -22,1
Demais carnes bovinas 47,28 0,9 10,5 11,3
Outros 288,4 5,5 1,9 -10,0
Total 5.243,4 - - -

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat. Acesso em: 15/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 16


3.7 SIMILARIDADES DAS EXPORTAÇÕES COM O BRASIL
O gráfico 4 exibe o indicador de similaridade da pauta exportadora de Mato Grosso do Sul em
relação à pauta brasileira. Observa-se que, de modo geral, a similaridade entre as pautas
apresentou uma tendência de elevação de 2009 a 2014, porém, a partir de então, esse
movimento inverteu, apresentando redução no indicador, encerrando 2019 com similaridade
de 36,4%. O maior nível de similaridade no período analisado, 2009-2019, ocorreu em 2014.
Nesse ano, três produtos caracterizaram mais de 50% das exportações do estado: “Soja, mesmo
triturada, exceto para semeadura” (SH6 120190); “Pasta química de madeira de não conífera, à
soda ou sulfato, semibranqueada ou branqueada” (SH6 470329); e “Carnes de bovino,
desossadas, congeladas” (SH6 020230). A partir de 2015, observam-se outros produtos
ampliando sua representatividade na pauta exportadora sul-mato-grossense, como milho e
açúcar.

Por fim, nos dois últimos anos, 2018 e 2019, conforme o gráfico de similaridade entre a pauta
estadual e a nacional, as exportações de Mato Grosso do Sul apresentaram maior concentração
em apenas dois produtos: “Soja, mesmo triturada, exceto para semeadura” (SH6 120190) e
“Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato, semibranqueada ou branqueada”
(SH6 470329). Em 2018, os produtos compuseram quase 70% das exportações do estado,
enquanto em 2019, quase 60%.

Na Região Centro-Oeste, em comparação com outros estudos já realizados pela Apex-Brasil,


Mato Grosso do Sul demonstra continuamente indicadores de similaridade que se aproximam
dos observados em Goiás, mas superiores quando a comparação é em relação aos resultados
verificados em Mato Grosso. Em termos de participação nas exportações brasileiras, o estado
ampliou a sua em 1,09 ponto percentual, no período 2009-2019, tendo alcançado sua maior
participação em 2015, quando foi de 2,48%.

Gráfico 4 - Indicador de similaridade e participação das exportações de Mato Grosso do


Sul no total das exportações brasileiras

Fonte: Elaboração própria a partir de dados brutos do Comex Stat. Acesso em: 15/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 17


3.8 INTENSIDADE TECNOLÓGICA DAS EXPORTAÇÕES
O gráfico 5 expõe as exportações de Mato Grosso do Sul por intensidade tecnológica, conforme
a classificação proposta por Keith Pavitt, explicada no quadro que consta na sequência. Com
base nessa taxonomia e nos dados apresentados, percebe-se que as exportações sul-mato-
grossenses são predominantemente de produtos primários (54,6%), seguidas pelas de produtos
intensivos em recursos naturais (42,9%) e de intensivos em trabalho (1,4%), de acordo com os
dados de 2019. Porém, o estado também realiza exportações nas demais categorias, tais como
intensivos em economias de escala (0,7%), intensivos em P&D (0,3%) e fornecedores
especializados (0,2%).

A análise permite observar que a pauta sul-mato-grossense, em termos de classificação por


intensidade tecnológica, registrou ganhos em um dos estratos de menor intensidade
tecnológica, isto é, intensivos em recursos naturais. Esse resultado reflete a relevância que
produtos dos setores de “Celulose” e “Farelo de soja” possuem na pauta. Juntos, os dois setores
representavam 26,4% do total exportado pelo Mato Grosso do Sul em 2016, ampliando sua
participação para 40,0% do total em 2019.

CLASSIFICAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES CONFORME A “TAXONOMIA DE PAVITT”

A partir da conhecida taxonomia de Keith Pavitt (1984), é possível classificar as exportações


em seis categorias, de acordo com sua intensidade tecnológica, nos seguintes grupos e seus
respectivos setores:

a) Produtos Primários: agrícolas, minerais e combustíveis;


b) Intensiva em Recursos Naturais: produtos agroalimentares e intensivos em
recursos minerais e combustíveis;
c) Intensiva em Trabalho: bens de consumo não duráveis, como: têxteis, confecções,
calçados, cerâmicos, etc;
d) Intensivos em Economias de Escala: automóveis, produtos siderúrgicos e
eletrônicos de consumo;
e) Fornecedores Especializados: bens de capital e equipamentos de engenharia;
f) Intensivos em Pesquisa e Desenvolvimento: produtos químicos, farmacêuticos,
componentes eletrônicos, telecomunicações e aeroespacial.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 18


Gráfico 5 - Distribuição das exportações de Mato Grosso do Sul por Intensidade
Tecnológica em 2016 e 2019

56,5% 54,6%

42,9%
39,6%

0,8% 0,7% 2,7% 1,4%


0,3% 0,3% 0,2% 0,2%

Intensivos em Fornecedores Intensivos em Intensivos em Intensivos em Produtos


P&D Especializados Economias de Trabalho Recursos Primários
Escala Naturais
2016 2019

Fonte: Comex Stat. Acesso em: 15/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 19


3.9 CONCENTRAÇÃO SETORIAL (HHI)
O índice Herfindahl–Hirschman de concentração das exportações de Mato Grosso do Sul, em
termos setoriais e de destinos, é mostrado no gráfico 6. Com base nos dados apresentados, é
possível observar que o estado manteve alta concentração de setores em todo o período
analisado, 2000-2019. Os picos em termos de concentração de setores foram registrados de
2000 a 2002. Nesses anos, conforme a categorização setorial CNAE 2.0 com 3 dígitos, dois
setores, “Fabricação de óleos e gorduras vegetais e animais” e “Abate e fabricação de produtos
de carne”, representavam mais de 60% das exportações do estado. Nos anos subsequentes,
outros setores passaram a ganhar destaque, como “Produção de sementes e mudas
certificadas” e “Produção de lavouras temporárias”, mas, ainda assim, mantendo a
concentração em poucos setores.

Observa-se que, ao longo do tempo, o estado de Mato Grosso do Sul viu a concentração de suas
exportações apresentar redução, apesar de permanecer alta. A vocação agropecuária do estado
está fortemente representada na pauta exportadora, tendo como carros-chefes a carne bovina
e a soja, ambas commodities, dadas suas características no comércio internacional. Com isso,
cabe mencionar os desafios associados à dependência em relação a esses produtos nas
exportações, como a ampla volatilidade dos preços estabelecidos internacionalmente, bem
como no que diz respeito a estratégias afetadas pela política cambial, sobretudo, na exportação
de carne, uma vez que esse produto também possui amplo espaço na demanda doméstica.
Quanto à carne bovina, cabe ressaltar que ela pode alcançar diferenciação de produto, através
de cortes especiais e embalagem à vácuo, por exemplo. Assim, esse segmento possui grande
potencial de exportar produtos com maior valor agregado, avançando de exportações de baixa
intensidade tecnológica normalmente relacionados às exportações de alimentos que passam
por processos de industrialização pouco complexos.

Já em termos de destinos, o estado registra baixo nível de concentração de 2000 a 2012,


passando por cinco anos de média concentração, 2013-2017, e finalmente registrando alta
concentração de destinos nos anos finais, 2018 e 2019. O pico de concentração foi verificado
em 2018, quando 50,2% das exportações do estado foram destinas à China; em 2019, 40,9% das
exportações de Mato Grosso do Sul foram para o país asiático. A China tornou-se o principal
destino das exportações sul-mato-grossenses em 2005, porém, passou a representar mais de
30% apenas em 2013, coincidindo com o período em que as exportações do estado passaram a
apresentar média concentração. Portanto, verifica-se que, conforme o estado foi estreitando a
relação comercial com a China, esse aspecto passou a determinar o nível de concentração em
termos de destinos e, em boa medida, também a explicar a concentração em setores compostos
por produtos da indústria de celulose e de carnes, como frango e bovino, da mesma forma, do
setor agrícola, como soja.

O índice de concentração reforça aspectos já observados por meio das exportações, conforme
categorização do Subsetor Apex-Brasil, na tabela 4, e por intensidade tecnológica, de acordo
com a taxonomia de Pavitt. Assim, o predomínio na categoria de produtos primários e intensivos
em recursos naturais, representados por commodities agrícolas e alimentícias, reflete-se no
índice de concentração setorial. Já no que se refere aos destinos, o estado demonstra
continuamente a ampliação de sua parceria com a China, muito diferente da ampla distribuição
em diversos países, como França, Argentina, Reino Unido, Hong Kong, Rússia, Chile, Países
Baixos e Alemanha, os quais ao longo do tempo foram perdendo a relevância para o estado.
Com isso, nota-se que a concentração na China reflete um processo de mais de 10 anos, sendo
natural na medida que o país demandava os principais produtos exportados pelo Mato Grosso

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 20


do Sul. Ainda assim, cabe ressalva quanto à essa estratégia, pois ela pode representar um risco
de dependência em relação à manutenção e à expansão dessa parceria comercial.

Gráfico 6 - Índice de Concentração das Exportações (HHI) de Mato Grosso do Sul por
setores e destinos
6.000

5.000 4.830
4.694 4.745

4.056 4.049
4.000 3.703
3.539
3.314 3.294 3.230
3.173 3.098 3.048
2.982 2.986 2.936 2.949
2.880
3.000 2.734 2.646
2.655

2.000
1.827
1.408 1.399 1.380
1.000 1.197 1.102

680 687 788 743


607 666 572 648 656 655
547 528 551
0
2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Concentração de Setores Concentração de Destinos

Acima de 1.800 - Alta Concentração


Entre 1.000 e 1.800 - Média Concentração
Abaixo de 1.000 - Baixa Concentração

Fonte: Elaboração própria a partir de dados brutos do Comex Stat. Acesso em: 15/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 21


3.10 EMPRESAS EXPORTADORAS
O número de empresas exportadoras aumentou de 166 para 223, em Mato Grosso do Sul, entre
os anos de 2009 e 2019, como pode ser observado no gráfico 7. Em âmbito nacional, o Brasil
contava com 21.428 empresas exportadoras, em 2009, e com 27.545, em 2019. Assim, nota-se
que, em termos proporcionais, o estado de Mato Grosso do Sul manteve sua representatividade
em 0,8%, tanto em 2009, quanto em 2019. A maior variação positiva no número de empresas
no estado ocorreu em 2013, quando o aumento foi de 13,0% frente a 2012. Contudo, o ano com
o maior número de empresas exportadoras no estado foi 2019, conforme já mencionado, com
ao todo 223.

Gráfico 7 - Empresas Exportadoras: número e variação


280 50,0%

220 223 40,0%


197 201 203
210 191 190
166 168 169 30,0%
160

140 20,0%
13,0%
8,4%
5,0% 10,0%
70 0,6% 2,0% 1,0% 1,4%
-0,5%
-3,5% -3,6% 3,7% 0,0%

- -10,0%
2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019
Número de empresas Variação

Fonte: SECEX/Min. Economia. Acesso em: 15/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 22


A tabela 5 exibe as vinte maiores empresas exportadoras de Mato Grosso do Sul, com base em
dados de 2017, os últimos disponibilizados pelo Ministério da Economia, a partir do critério de
classificação por faixa de valor, ou seja, a primeira é considerada a maior empresa exportadora.
No que se refere ao setor, o principal é “Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas não
especificadas anteriormente”, no qual seis empresas atuam. Em termos de localização, dois
municípios contam com três empresas: Três Lagoas e Dourados.

A principal empresa exportadora de Mato Grosso do Sul é ELDORADO BRASIL CELULOSE S/A, do
setor de “Fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação de papel”, localizada no
município de Três Lagoas. Em segundo lugar, situada no mesmo município e atuando no mesmo
setor, destaca-se a FIBRIA-MS CELULOSE SUL MATO-GROSSENSE LTDA.

Tabela 5 - Principais Empresas Exportadoras de Mato Grosso do Sul

Empresa Município Setor - CNAE


Fabricação de celulose e outras pastas para a
1º ELDORADO BRASIL CELULOSE S/A Três Lagoas
fabricação de papel
FIBRIA-MS CELULOSE SUL MATO-GROSSENSE Fabricação de celulose e outras pastas para a
2º Três Lagoas
LTDA fabricação de papel
Campo
3º JBS S/A Abate de reses, exceto suínos
Grande
4º MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. Bataguassu Abate de bovinos
Campo
5º JBS S/A Abate de reses, exceto suínos
Grande
Chapadão do Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas
6º ADM DO BRASIL LTDA
Sul não especificadas anteriormente
7º MINERACAO CORUMBAENSE REUNIDA S.A. Corumbá Extração de minério de ferro
8º MINERACAO CORUMBAENSE REUNIDA S.A. Corumbá Extração de minério de ferro
Fabricação de óleos vegetais em bruto, exceto óleo de
9º BUNGE ALIMENTOS S/A Dourados
milho
10º SEARA ALIMENTOS LTDA Sidrolândia Abate de suínos, aves e outros pequenos animais
Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas
11º LAR COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL Dourados
não especificadas anteriormente
12º BELLO ALIMENTOS LTDA Itaquiraí Abate de suínos, aves e outros pequenos animais
13º JBS S/A Naviraí Abate de bovinos
Fabricação de óleos vegetais em bruto, exceto óleo de
14º CARGILL AGRICOLA S A Três Lagoas
milho
15º MONTEVERDE AGRO-ENERGETICA S.A Ponta Porã Cultivo de cana-de-açúcar
Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas
16º BUNGE ALIMENTOS S/A Naviraí
não especificadas anteriormente
Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas
17º BUNGE ALIMENTOS S/A Maracaju
não especificadas anteriormente
Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas
18º CARGILL AGRICOLA S A Dourados
não especificadas anteriormente
São Gabriel
19º ADM DO BRASIL LTDA Comércio atacadista de soja
do Oeste
Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas
20º ADM DO BRASIL LTDA Maracaju
não especificadas anteriormente

Fonte: SECEX/Min. Economia. Acesso em: 15/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 23


Conforme o disposto na tabela 6, é possível observar que a maior parte das empresas
exportadoras de Mato Grosso do Sul (202 empresas), em 20171, estava localizada na faixa de
valor exportado de até US$ 1 milhão (100 empresas), registrando 0,5% de participação no Brasil.
Já a segunda maior concentração de empresas exportadoras encontrava-se na faixa de valor
entre US$ 10 milhões e US$ 50 milhões, com 36 empresas. Destaca-se que as empresas
exportadoras sul-mato-grossenses representam 0,8% do total nacional.

Contudo, enfatiza-se o número de empresas na faixa entre US$ 50 milhões e US$ 100 milhões.
Em âmbito nacional, as empresas exportadoras sul-mato-grossenses nessa faixa representam
3,7%; em Mato Grosso do Sul, as empresas nessa faixa correspondem a 6,4% do total no estado.
Em síntese, nota-se que, em termos relativos, o estado registra maior concentração de empresas
exportadoras por faixa de valor no estrato destacado.

Observa-se que, apesar de o número de empresas exportadoras sul-mato-grossenses ser pouco


expressivo no cenário nacional, o estado possui uma quantidade importante de players que
exportam nos estratos mais elevados, corroborando com as características comuns aos
principais setores exportadores do estado: celulose, carne bovina e soja. Nesses setores, em boa
medida intensivos em capital e atuando com base em ganhos de escala, o domínio por parte de
um número restrito de grandes empresas é um processo natural da dinâmica estratégica.

Tabela 6 - Empresas exportadoras por faixas de valor

Nº de empresas Participação no
Faixa de Valor
em 2017¹ Brasil (%)
Acima de US$ 100 milhões 4 1,0
Entre US$ 50 milhões e US$ 100 milhões 13 3,7
Entre US$ 10 milhões e US$ 50 milhões 36 2,6
Entre US$ 5 milhões e US$ 10 milhões 14 1,6
Entre US$ 1 milhão e US$ 5 milhões 35 1,1
Até US$ 1 milhão 100 0,5
Total Geral 202 0,8

Fonte: SECEX/Min. Economia. Acesso em: 15/09/2020.

¹ último ano com dados disponíveis para empresas exportadoras por faixas de valor.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 24


3.11 DESTINO DAS EXPORTAÇÕES
A tabela 7 informa os principais destinos das exportações de Mato Grosso do Sul no período
2016-2019. No último ano, observa-se que o país mais relevante para as exportações sul-mato-
grossenses foi a China, que importou cerca de US$ 2,1 bilhões do estado, resultado que
representou 40,94% do total exportado pelo Mato Grosso do Sul. Isso significou uma taxa de
variação média anual positiva de 14,5%, no período entre 2016 e 2019, contudo, na última
variação, de 2018 a 2019, as exportações para o destino caíram 25,8%.

Na sequência, verifica-se que as exportações do estado são bem distribuídas, diferentemente


da concentração do principal destino, a China. Com isso, verifica-se que os países que fecham a
lista dos dez principais correspondem a 32,85% do total. O segundo principal destino das
exportações do estado é o Japão, que em 2019 foi destino de 4,70% do total, ou US$ 246,7
milhões, caracterizando um crescimento superior a 200% frente às exportações sul-mato-
grossenses para o país em 2018. Essa elevação expressiva deve-se, sobretudo, ao aumento das
exportações de “Milho, exceto para semeadura” (SH6 100590) para o Japão. Em 2019, o produto
correspondeu a 75,1% das exportações estaduais para o país asiático.

Entre os principais destinos, no período 2016-2019, Mato Grosso do Sul apenas viu suas
exportações registrarem queda para a Itália e para os Países Baixos; inclusive, na comparação
de 2019 com 2018, a retração foi ainda mais acentuada. Para a Itália, dois produtos
apresentaram quedas expressivas, são eles: “Couros e peles curtidos, de bovinos ou de
equídeos, depilados, no estado úmido (incluindo wet blue), plena flor, não divididos; divididos,
com a flor” (SH6 410411) e “Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas
por processo mecânico ou químico -mecânico, de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em
folhas nas quais um lado <= 435 mm e o outro <= 297 mm, quando não dobradas” (SH6 480256).
Para os Países Baixos, produtos como “Soja, mesmo triturada, exceto para semeadura” (SH6
120190), “Carnes de bovino, desossadas, frescas ou refrigeradas” (SH6 020130) e “Tortas e
outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja” (SH6 230400) influenciaram a queda no
valor das exportações sul-mato-grossenses.
Destaca-se ainda que, entre os dez principais destinos das exportações de Mato Grosso do Sul,
quatro países são asiáticos, três são sul-americanos, dois são europeus e um deles norte-
americano. Assim, apesar da concentração na China, observa-se que os produtos sul-mato-
grossenses também alcançam mercados em importantes centros econômicos em diversos
continentes.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 25


Tabela 7 - Principais destinos das exportações (US$ milhões) de Mato Grosso do Sul

Taxa de
CMA*
crescimento Participação
Destino 2016 2017 2018 2019 2016-2019
2018-2019 em 2019 (%)
(%)
(%)
China 1.429,6 1.675,2 2.892,8 2.146,6 14,5 -25,8 40,94
Japão 102,0 156,2 56,6 246,7 34,2 >200,0 4,70
Estados Unidos 86,7 116,6 136,3 224,8 37,4 64,9 4,29
Argentina 165,3 247,4 386,3 221,0 10,2 -42,8 4,22
Itália 215,9 216,4 260,82 209,5 -1,0 -19,7 4,00
Países Baixos (Holanda) 211,3 186,1 238,4 188,2 -3,8 -21,1 3,59
Hong Kong 132,7 202,6 190,4 180,0 10,7 -5,4 3,43
Chile 105,4 92,9 153,3 160,9 15,1 5,0 3,07
Irã 87,9 111,9 143,5 151,4 19,9 5,5 2,89
Uruguai 9,32 65,92 108,40 140,1 146,8 29,3 2,67
Outros destinos 1.525,0 1.713,9 1.192,4 1.374,1 -3,4 15,2 26,21
Total 4.071,1 4.785,1 5.759,2 5.243,4 8,8 -9,0 100,00

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat. Acesso em: 15/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 26


Conforme disposto na tabela 7 e na figura 4, é possível inferir que os principais destinos para as
exportações sul-mato-grossenses se concentram especialmente na Ásia (52,0%) e na América
do Sul (10,0%). Em ordem decrescente de participação nas exportações de Mato Grosso do Sul,
estão os cinco principais países de destino: China (40,9%), Japão (4,7%), Estados Unidos (4,3%),
Argentina (4,2%) e Itália (4,0%), conforme dados de 2019.

Figura 4 – Participação dos principais destinos das exportações de bens de Mato


Grosso do Sul em 2019

Fonte: Comex Stat. Acesso em: 15/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 27


4. OPORTUNIDADES NOS PRINCIPAIS DESTINOS DAS
EXPORTAÇÕES DE BENS DE MATO GROSSO DO SUL
Esta seção apresenta as mais relevantes oportunidades de negócios para as exportações de bens
de Mato Grosso do Sul quanto aos principais produtos potenciais, de acordo com os cinco
destinos mais atrativos2: China, Estados Unidos, Argentina, Itália e Uruguai. Ressalta-se que as
oportunidades foram delimitadas conforme o Mapa Estratégico de Mercados e Oportunidades
Comerciais para as Exportações Brasileiras3 e de acordo com a pauta exportadora de Mato
Grosso do Sul para o país destino analisado.

Delimitando a competitividade dos Como se definem os produtos com


produtos: oportunidades?

A partir dos fluxos de importações do


A caracterização da competitividade pode mercado-alvo e de exportações dos estados,
ser realizada sob o critério de ganho de considerando uma abordagem por produto,
market share, que especifica os ganhos
é possível delimitar a competitividade das
competitivos através da noção de que, ao
exportações no destino selecionado e a
vender mais do que os concorrentes, o
estado posiciona-se em níveis mais dinâmica da demanda por importações,
elevados de competitividade. Ou seja, os nesse mesmo mercado. Ao se cruzar essas
ganhos de market share são fundamentais duas informações, chega-se aos produtos
nesse padrão de competitividade. que apresentam as melhores oportunidades
de negócios na região delimitada.

Tipologia de Produto: Abertura e Expressivo

Abertura: Produtos Selecionados


Contempla os produtos cujo market share do estado, nas importações do país destino, é muito baixo,
e/ou cujas exportações do estado para o país destino não são contínuas. Além disso, é preciso que
tais produtos apresentem uma demanda considerável no país destino.
Este estudo destaca apenas os produtos classificados como abertura, cujas exportações do estado
para o mercado são minimamente relevantes, no último ano analisado, ou nos quais o estado
apresenta Índice de Vantagem Comparativa Revelada (IVCR) acima de 0,7.

Expressivo: Produtos Selecionados


MANUTENÇÃO: são produtos que possuem uma demanda crescente e cujas exportações do estado
encontram-se em uma posição confortável em termos de participação de mercado.
CONSOLIDAÇÃO: são produtos que oferecem um comportamento de demanda consistente, sendo
que o estado já apresenta um bom posicionamento no mercado, ainda havendo espaço para
melhorar esse posicionamento.
RISCO: são produtos que se caracterizam por um comportamento de demanda crescente, mas as
exportações do estado estão continuamente perdendo densidade no destino.

2
Definiu-se esses cinco destinos a partir do valor exportado pelo estado no último ano de análise e da
concentração da pauta em termos da Classificação Nacional de Atividades Econômicas, isto é, quanto mais
diversificado, mais atrativo;
3
Disponível em: http://geo.apexbrasil.com.br/Oportunidades_Comerciais.html#/

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 28


4.1 CHINA
A tabela 8 aponta os principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para a China. O
mais relevante é “Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato” (SH6 470329),
do qual o estado exportou para o país cerca de US$ 1,1 bilhão no ano de 2019. Esse produto
representa 53,2% da pauta exportadora sul-mato-grossense para a China e apresentou
crescimento médio anual de 40,2% no período 2016-2019.

Pode-se observar ainda que “Soja, mesmo triturada, exceto para semeadura” (SH6 120190) foi
o segundo principal produto exportado de Mato Grosso do Sul para a China, correspondendo a
41,0% dessa relação comercial. O crescimento das exportações sul-mato-grossenses do produto
para o destino registrou queda média de 0,1% ao ano, entre 2016 e 2019.

Por fim, cabe mencionar que o estado também exportou produtos da indústria alimentícia de
carnes, como “Pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas, congelados” (SH6 020714),
“Carnes de bovino, desossadas, congeladas - carnes” (SH6 020230) e “Outras peças de bovino,
não desossadas, congeladas” (SH6 020220).

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 29


Tabela 8 - Principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para a China

US$/Milhões
Taxa de
Participação CMA*
CÓDIGO crescimento
DESCRIÇÃO SH6 em 2019 2016-2019
SH6 2016 2017 2018 2019 2018-2019
(%) (%)
(%)

Pasta química de madeira de não


470329 414,1 466,6 1.068,0 1.141,0 53,2 40,2 6,8
conífera, à soda ou sulfato
Soja, mesmo triturada, exceto para
120190 882,8 1.121,7 1.726,8 879,2 41,0 -0,1 -49,1
semeadura
Pedaços e miudezas comestíveis de
020714 35,7 37,3 55,2 62,4 2,9 20,4 13,0
galos e galinhas, congelados
Couros e peles curtidos, no estado
410411 54,1 38,3 27,2 23,2 1,1 -24,6 -14,7
úmido (incluindo wet blue)
Carnes de bovino, desossadas,
020230 0,07 0,21 - 19,6 0,91 >200,0 -
congeladas - carnes
Algodão, não cardado nem
520100 0,97 3,88 11,1 11,6 0,54 128,4 4,5
penteado
Óleo de soja, em bruto, mesmo
150710 - 0,73 - 2,57 0,12 - -
degomado
170114 Outros açúcares de cana 40,5 3,83 1,83 2,31 0,11 -61,5 26,0
100590 Milho, exceto para semeadura 0,12 - - 1,67 0,08 137,2 -
Papéis e cartões, não revestidos,
480256 contendo <= 10% de fibras obtidas - 0,06 0,67 1,42 0,07 - 110,9
por processo mecânico
Outros couros e peles curtidos
410419 0,27 0,53 0,55 1,08 0,05 58,6 97,1
(incluindo wet blue)
Outras peças de bovino, não
020220 - - - 0,26 0,01 - -
desossadas, congeladas
Couros e peles inteiros, de bovinos
410711 - - - 0,25 0,01 - -
ou de equídeos
051191 Produtos de peixes ou crustáceos - - 0,16 0,07 <0,01 - -53,6
Couros e peles inteiros, de bovinos
410712 0,59 1,76 1,11 0,02 <0,01 -66,6 -98,0
ou de equídeos
- Outros 0,35 0,35 0,18 0,02 <0,01 -63,0 -90,0
- Total 1.429,6 1.675,2 2.892,8 2.146,6 100,0 14,5 -25,8

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat. Acesso em: 17/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 30


Em 2019, as exportações sul-mato-grossenses para a China foram predominantemente de
produtos intensivos em recursos naturais. Esse resultado caracteriza uma mudança frente a
2016, quando a principal categoria de produtos exportados pelo estado para o país asiático era
de produtos primários. Os dados de 2019 revelam que as exportações de produtos intensivos
em recursos naturais representaram 53,45%, seguidos por produtos primários (45,41%) e
intensivos em trabalho (1,14%). Já as demais categorias da taxonomia de Pavitt não registraram
exportações de Mato Grosso do Sul para a China.

O aumento na participação de produtos intensivos em recursos naturais deve-se, sobretudo, ao


crescimento das exportações sul-mato-grossenses de “Pasta química de madeira de não
conífera, à soda ou sulfato, semibranqueada ou branqueada” (SH6 470329) para a China. Por
outro lado, a baixa na representatividade dos produtos primários deve-se, em especial, à queda
das exportações de “Soja, mesmo triturada, exceto para semeadura” (SH6 120190).

Gráfico 8 - Exportações de Mato Grosso do Sul para a China por Intensidade


Tecnológica

64,33%

53,45%
45,41%

31,80%

3,84%
0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,02% 0,00% 1,14%

Intensivos em Fornecedores Intensivos em Intensivos em Intensivos em Produtos


P&D Especializados Economias de Trabalho Recursos Primários
Escala Naturais
2016 2019

Fonte: Comex Stat. Acesso em: 17/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 31


Produtos em Abertura

A tabela 9 exibe os quinze principais produtos identificados como oportunidades em “Abertura”


para Mato Grosso do Sul na China. Tais produtos caracterizam-se por apresentarem demanda
contínua no país destino, embora o estado ainda não possua uma participação de mercado
relevante ou apresente exportações intermitentes nos quatro anos anteriores ao ano de 2018.
Destaca-se que há quatro produtos com a mesma classificação nacional. Além disso, no que diz
respeito a dois produtos, o Brasil é o principal fornecedor do país, isto é, as outras unidades
federativas também exportam para o destino.

O produto mais significativo para Mato Grosso do Sul nesse mercado é “Algodão, não cardado
nem penteado” (SH6 520100), do qual o estado exportou cerca de US$ 11,1 milhões para a China
em 2018. Os Estados Unidos são o principal país concorrente e detêm 33,6% de market share,
enquanto Mato Grosso do Sul representa apenas 0,35% do mercado.

O segundo principal produto é “Couros e peles inteiros, de bovinos ou de equídeos” (SH6


410712). Em 2018, as importações chinesas totais do produto foram de US$ 564,0 milhões, das
quais US$ 1,11 milhão provenientes de Mato Grosso do Sul. Esse valor representa apenas 0,20%
do total. Nesse produto, o principal fornecedor da China é a Itália, que possui 32,9% de market
share.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 32


Tabela 9 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para a China sob o critério de ganho de market share, classificados como em
"Abertura"

Valor em 2018 Market share


Classificação
(Milhões/US$) em 2018 (%)
Exp. Principal
SH6 Descrição SH6 Imp.
da UF Concorrente Principal
totais do UF Brasil
para o Concorrente
mercado
mercado
Algodão, não cardado Estados
520100 3.165,7 11,1 33,6 0,35 Manutenção
nem penteado Unidos
Couros e peles inteiros,
Recuperação
410712 de bovinos ou de 564,0 1,11 Itália 32,9 0,20
(Em Declínio)
equídeos
Papéis e cartões, não
revestidos, contendo <=
480256 128,7 0,67 Indonésia 86,1 0,52 Consolidação
10% de fibras obtidas
por processo mecânico
Outros couros e peles
410419 curtidos (incluindo wet 156,2 0,55 Itália 17,8 0,35 Manutenção
blue)
Minérios de ferro não
260111 aglomerados e seus 72.674,5 - Austrália 61,9 - Manutenção
concentrados
Minérios de manganês e Recuperação
260200 5.827,3 - África do Sul 39,7 -
seus concentrados (Em Declínio)
Carnes de bovino,
020230 desossadas, congeladas - 4.240,4 - Brasil 35,9 - Manutenção
carnes
Outras carnes de suíno,
020329 1.511,5 - Espanha 18,6 - Manutenção
congeladas
Pernas, pás e pedaços
020322 de suínos, não 562,4 - Canadá 22,0 - Consolidação
desossados, congelados
Outras peças de bovino,
020220 422,7 - Uruguai 46,6 - Abertura
não desossadas,
Óleo de soja, em bruto,
150710 409,0 - Brasil 37,5 - Manutenção
mesmo degomado
Partes de animais,
Estados
050400 exceto peixes, frescos, 366,9 - 21,2 - Abertura
Unidos
congelados
Papéis e cartões, não
revestidos, de peso =>
480255 338,5 - Indonésia 65,4 - Abertura
40 g/m2 mas não > 150
g/m2, em rolos

Farinhas de carnes ou de Estados


230110 258,6 - 70,4 - Abertura
miudezas Unidos

Outras preparações para Estados


230990 255,1 - 30,9 - Consolidação
alimentação de animais Unidos

Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 18/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 33


Produtos Expressivos

A tabela 10 mostra os dois principais produtos identificados como oportunidades expressivas


para Mato Grosso do Sul na China, classificados como em “Manutenção”. Tais produtos possuem
uma demanda crescente no país destino e suas exportações encontram-se em uma posição
confortável em termos de participação de mercado. Ressalta-se que os produtos apresentam a
mesma classificação em nível nacional. Além disso, no que diz respeito a um deles, o Brasil é o
principal fornecedor do país, isto é, as outras unidades federativas também exportam para o
destino.

O produto mais significativo nessa classificação é “Soja, mesmo triturada, exceto para
semeadura” (SH6 120190), tendo o estado exportado cerca de US$ 1,7 bilhão para a China em
2018. O Brasil é o principal fornecedor e detém 75,7% de market share, enquanto a parcela de
mercado sul-mato-grossense é de 4,5%. As importações totais da China foram de
aproximadamente US$ 38,1 bilhões do produto, no mesmo ano.

Tabela 10 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para a China pelo critério de ganho de market share – classificados como em
“Manutenção”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Soja, mesmo triturada,


120190 38.078,0 1.726,8 3,1 14,5 Brasil 75,7 4,5 Manutenção
exceto para semeadura
Pasta química de madeira
470329 de não conífera, à soda ou 8.302,9 1.067,99 20,6 42,4 Indonésia 21,3 12,9 Manutenção
sulfato

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 18/09/2020.

Cabe mencionar que não foram registradas oportunidades em “Consolidação” para Mato Grosso
do Sul na China. Tais produtos caracterizam-se por apresentarem um comportamento de
demanda consistente no país destino, paralelamente ao bom posicionamento do estado no
mercado, com espaço para ampliação.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 34


A tabela 11 expõe os três produtos identificados como oportunidades expressivas para Mato
Grosso do Sul na China, em “Recuperação”. Tais produtos caracterizam-se por um
comportamento de demanda crescente, mas suas exportações estão continuamente perdendo
densidade no destino. Nessa categoria, todos os produtos têm o Brasil como principal
fornecedor e, em dois deles, há convergência com a classificação nacional.

O produto mais significativo para as exportações estaduais é “Pedaços e miudezas comestíveis


de galos e galinhas, congelados” (SH6 020714). Como já mencionado, o Brasil é o principal
exportador para a China nesse mercado, com 82,1% de market share, enquanto Mato Grosso
do Sul responde por 4,9% nesse mesmo indicador. No período 2015-2018, as exportações
estaduais desse produto para a China caíram em média 3,0%, anualmente, diferentemente do
movimento das importações chinesas totais, as quais registraram crescimento médio anual de
8,0% no mesmo período.

Tabela 11 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para a China pelo critério de ganho de market share – classificados como em
“Recuperação”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Pedaços e miudezas
020714 comestíveis de galos e 1.133,6 55,2 8,0 -3,0 Brasil 82,1 4,9 Manutenção
galinhas, congelados
Couros e peles curtidos, no
Recuperação
410411 estado úmido (incluindo 712,0 27,2 -12,4 -17,6 Brasil 35,7 3,8
(Em Risco)
wet blue)
Recuperação
170114 Outros açúcares de cana 791,8 1,8 -18,4 -62,0 Brasil 28,1 0,23
(Em Risco)

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 18/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 35


4.2 ESTADOS UNIDOS
A tabela 12 exibe os principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para os Estados
Unidos. Dentre eles, “Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato,
semibranqueada ou branqueada” (SH6 470329) é o mais relevante, tendo o estado exportado
cerca de US$ 205,25 milhões para o mercado em 2019, o que representa 91,3% dessa relação
comercial. As exportações sul-mato-grossenses do produto tiveram variação média anual
positiva de 45,2%, entre 2016 e 2019; no período 2018-2019, a elevação acelerou para 66,9%.

O segundo principal produto sul-mato-grossense exportado para os Estados Unidos é “Ferro


fundido bruto não ligado, contendo, em peso <= 0,5% de fósforo” (SH6 720110). Em 2019, as
exportações de Mato Grosso do Sul para os Estados Unidos desse produto foram de US$ 8,18
milhões. Entre 2016 e 2019, os valores comercializados registraram uma elevação média de
12,0% anualmente.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 36


Tabela 12 - Principais produtos SH6 exportados pelo Mato Grosso do Sul para os
Estados Unidos

US$/Milhões
Taxa de
Participação CMA*
CÓDIGO crescimento
DESCRIÇÃO SH6 em 2019 2016-2019
SH6 2016 2017 2018 2019 2018-2019
(%) (%)
(%)

Pasta química de madeira de não


470329 67,06 74,58 123,01 205,25 91,3 45,2 66,9
conífera, à soda ou sulfato
Ferro fundido bruto não ligado,
720110 contendo, em peso <= 0,5% de 5,82 7,26 - 8,18 3,64 12,0 -
fósforo
Filés de tilápias (frescos,
030431 1,56 4,45 3,34 4,52 2,01 42,7 35,3
refrigerados ou congelados)
Couros e peles inteiros, de bovinos
410712 - 4,99 6,01 1,43 0,64 - -76,2
ou de equídeos
Couros e peles curtidos, no estado
410411 - 0,54 0,05 1,43 0,64 - >200,0
úmido (incluindo wet blue)
190300 Tapioca 0,97 0,75 0,99 0,94 0,42 -0,9 -4,7
Madeira serrada, de espessura
440711 - 0,80 0,36 0,56 0,25 - 54,2
superior a 6 mm, de pinheiro
Concentrados de proteínas e
210610 - - 0,00 0,36 0,16 - >200,0
substâncias protéicas texturizadas
Madeira serrada ou fendida
030461 longitudinalmente de espessura - 0,05 0,62 0,35 0,16 - -43,7
superior a 6 mm, de pinheiro
Madeira compensada, de espessura
441231 - 0,42 0,40 0,35 0,16 - -11,8
não superior a 6 mm
Outros ácidos graxos
382319 monocarboxílicos industriais e - - 0,16 0,25 0,11 - 56,2
óleos ácidos de refinação
Couros e peles, após curtimenta ou
410792 - 0,24 0,58 0,23 0,10 - -60,3
secagem, divididos, com a flor
Outros veludos e pelúcias, de
600192 malha de fibras sintéticas ou - - - 0,22 0,10 - -
artificiais
Papéis e cartões, não revestidos,
480255 de peso => 40 g/m2 mas não > 150 - - - 0,17 0,08 - -
g/m2, em rolos
Tilápias (oreochromis spp.),
030323 - - - 0,12 0,05 - -
congeladas
- Outros 11,28 22,50 0,81 0,46 0,04 -65,6 -43,5
- Total 86,7 116,6 136,3 224,8 100,0 37,4 64,9

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat. Acesso: 18/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 37


Quanto à intensidade tecnológica, a pauta exportadora de Mato Grosso do Sul para os Estados
Unidos destaca-se pela concentração em produtos intensivos em recursos naturais, com 92,24%
de participação em 2019. Com isso, observa-se que, em relação a 2016, a distribuição entre as
categorias registrou uma concentração ainda maior na categoria de produtos intensivos em
recursos naturais, em detrimento da perda de representatividade das exportações de produtos
primários e intensivos em economias de escala. Além disso, cabe mencionar que, apesar de
pouco expressivas, as demais categorias também apresentaram participação em 2019.

O resultado da concentração em produtos intensivos em recursos naturais reflete, sobretudo, o


desempenho das exportações de “Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato,
semibranqueada ou branqueada” (SH6 470329). O produto manteve uma trajetória de
crescimento contínuo entre 2016 e 2019.

Gráfico 9 - Exportações de Mato Grosso do Sul para os Estados Unidos por Intensidade
Tecnológica

92,24%
81,15%

11,86%
6,75% 3,64%
0,15% 0,14% 0,04% 0,01% 0,05% 1,64% 2,33%

Intensivos em Fornecedores Intensivos em Intensivos em Intensivos em Produtos


P&D Especializados Economias de Trabalho Recursos Primários
Escala Naturais
2016 2019

Fonte: Comex Stat. Acesso: 18/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 38


Produtos em Abertura

A tabela 13 exibe os quinze principais produtos identificados como oportunidades em “Abertura” para
Mato Grosso do Sul nos Estados Unidos. Destaca-se que há convergência entre as oportunidades do
estado e as nacionais em três produtos. Além disso, no que diz respeito a três produtos, o Brasil é o
principal fornecedor do país, isto é, as outras unidades federativas também exportam para o destino.

O produto mais significativo sob a óptica das exportações de Mato Grosso do Sul é “Couros e peles
inteiros, de bovinos” (SH6 410712), sendo que o estado exportou cerca de US$ 6,01 milhões para os
Estados Unidos em 2018. A Itália é o principal país concorrente com 39,7% de market share, enquanto
Mato Grosso do Sul representa 4,42% do mercado.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 39


Tabela 13 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para
os Estados Unidos pelo critério de ganho de market share – classificados como em “Abertura”

Valor em 2018 Market share


Classificação
(Milhões/US$) em 2018 (%)
Exp. Principal
SH6 Descrição SH6 Imp.
da UF Concorrente Principal
totais do UF Brasil
para o Concorrente
mercado
mercado
Couros e peles inteiros,
410712 136,1 6,01 Itália 39,7 4,42 Manutenção
de bovinos
Couros e peles, após
410792 65,7 0,58 México 54,3 0,88 Manutenção
curtimenta ou secagem
Outros produtos de
origem animal, Recuperação
051199 666,3 0,05 China 31,7 0,01
impróprios para (Em Declínio)
alimentação humana
Concentrados de
Recuperação
210610 proteínas e substâncias 86,0 <0,01 China 57,2 <0,01
(Em Declínio)
protéicas texturizadas
Ferro fundido bruto não
Recuperação
720110 ligado, contendo, em 2.493,3 - Rússia 52,8 -
(Em Risco)
peso <= 0,5% de fósforo
Recuperação
170114 Outros açúcares de cana 1.116,8 - México 40,3 -
(Em Declínio)
Outras carnes de suíno,
020329 609,3 - Polônia 28,4 - Consolidação
congeladas
Preparações alimentícias Recuperação
160250 446,5 - Brasil 62,7 -
e conservas, de bovinos (Em Risco)
Papéis e cartões, não
revestidos, de peso =>
480255 352,2 - Canadá 66,6 - Manutenção
40 g/m2 mas não > 150
g/m2, em rolos
Minérios de ferro não
260111 aglomerados e seus 323,1 - Brasil 51,5 - Manutenção
concentrados
842920 Niveladores 318,6 - Brasil 91,1 - Manutenção
Tortas e outros resíduos
230400 sólidos da extração do 239,5 - Índia 40,3 - Abertura
óleo de soja
Pedaços e miudezas
020714 178,4 - Chile 71,8 - Abertura
comestíveis de galos
Farinhas de carnes ou de
230110 153,0 - Austrália 54,7 - Abertura
miudezas
Minérios de manganês e Recuperação
260200 132,00 - Gabão 68,3 -
seus concentrados (Em Declínio)

Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 40


Produtos Expressivos

A tabela 14 identifica os quatro produtos classificados em “Manutenção” para o estado de Mato


Grosso do Sul nos Estados Unidos. Nota-se que há convergência entre a classificação nacional e a
estadual em apenas um produto. Além disso, neste produto, o Brasil é o principal fornecedor, o que
indica que outras unidades da federação também realizam exportações para os Estados Unidos.

O produto mencionado é “Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato” (SH6 470329),
sendo que o estado exportou cerca de US$ 123,0 milhões para os Estados Unidos em 2018. As
importações estadunidenses totais desse produto foram de US$ 1,7 bilhão e registraram crescimento
médio de 6,7% ao ano, no período 2015-2018. As importações provenientes de Mato Grosso do Sul
registraram uma elevação superior no mesmo período, em média, de 11,5% ao ano.

Informa-se ainda que não foram identificadas oportunidades de exportação de Mato Grosso do Sul
para os Estados Unidos, classificadas em “Consolidação”.

Tabela 14 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para
os Estados Unidos pelo critério de ganho de market share – classificados como em
“Manutenção”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Pasta química de madeira


470329 de não conífera, à soda ou 1.706,7 123,0 6,7 11,5 Brasil 80,1 7,2 Manutenção
sulfato
Filés de tilápias (frescos,
030431 refrigerados ou 168,1 3,3 -7,2 46,5 Colômbia 34,7 2,0 Consolidação
congelados)
190300 Tapioca 23,2 1,0 9,2 8,0 Tailândia 20,4 4,3 Consolidação
Tilápias (oreochromis
Mianmar Recuperação
030271 spp.), frescas ou 7,2 0,20 8,1 >200 34,4 2,7
refrigeradas
(Birmânia) (Em Declínio)

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 41


A tabela 15 mostra os dois principais produtos classificados como oportunidades expressivas para
Mato Grosso do Sul nos Estados Unidos, na categoria em “Recuperação”. Destaca-se que não há
convergência entre as classificações em âmbito nacional e estadual.

O principal produto exportado pelo estado, nessa classificação, é “Couros e peles curtidos, no estado
úmido (incluindo wet blue)” (SH6 410411), sendo que Mato Grosso do Sul exportou cerca de US$ 47,8
mil para os Estados Unidos, conforme dados de 2018. O México é o principal fornecedor e possui 60,2%
de market share. Já o estado sul-mato-grossense possui 1,60% de participação no mercado
estadunidense. Cabe mencionar que a demanda dos Estados Unidos pelo produto está em queda. No
período 2015-2018, a contração média foi de 48,5% ao ano. As importações com origem de Mato
Grosso do Sul recuaram ainda mais no mesmo período, em média 91,2% ao ano.

Tabela 15 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para
os Estados Unidos pelo critério de ganho de market share – classificados como em
“Recuperação”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado
Couros e peles curtidos, no
410411 estado úmido (incluindo 3,0 0,05 -48,5 -91,2 México 60,2 1,60 Manutenção
wet blue)
110814 Fécula de mandioca 82,2 0,01 5,6 -36,4 Tailândia 83,4 0,01 Consolidação

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 42


4.3 ARGENTINA
A tabela 16 elenca os produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para a Argentina, em ordem
de relevância. O produto mais importante é “Soja, mesmo triturada, exceto para semeadura”
(SH 120190), do qual o estado exportou cerca de US$ 118,07 milhões para o destino em 2019,
caracterizando um crescimento médio anual de 161,2%, no período 2016-2019. Em 2019, as
exportações do produto representaram 53,4% dos valores comercializados.

O segundo principal produto é “Minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados” (SH6
260111), que representa 31,5% do total. Em 2019, as exportações sul-mato-grossenses para o
país sul-americano foram de US$ 69,64 milhões, porém, em trajetória de queda no período
2016-2019, a retração média foi de 5,7% ao ano.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 43


Tabela 16 - Principais produtos SH6 exportados pelo Mato Grosso do Sul para a
Argentina

US$/Milhões
Taxa de
Participação CMA*
CÓDIGO crescimento
DESCRIÇÃO SH6 em 2019 2016-2019
SH6 2016 2017 2018 2019 2018-2019
(%) (%)
(%)

Soja, mesmo triturada, exceto para


120190 6,63 60,42 214,40 118,07 53,4 161,2 -44,9
semeadura
Minérios de ferro não aglomerados
260111 83,16 103,47 129,90 69,64 31,5 -5,7 -46,4
e seus concentrados
Pasta química de madeira de não
470329 17,22 13,77 14,89 16,16 7,31 -2,1 8,5
conífera, à soda ou sulfato
Carnes de bovino, desossadas,
020230 - - 0,10 7,01 3,17 - >200,0
congeladas - carnes
Minérios de manganês e seus
260200 52,04 47,43 9,44 2,83 1,28 -62,1 -70,1
concentrados
Outros móveis, para a conservação
841850 - 0,20 2,05 1,90 0,86 - -7,5
e exposição de produtos
Ferro fundido bruto não ligado,
720110 contendo, em peso <= 0,5% de 2,11 17,16 12,13 1,68 0,76 -7,3 -86,2
fósforo
Concentrados de proteínas e
210610 - - 1,17 1,62 0,73 - 38,4
substâncias protéicas texturizadas
Soja, mesmo triturada, para
120110 - - - 1,44 0,65 - -
semeadura
Papéis e cartões, não revestidos,
480256 contendo <= 10% de fibras obtidas 1,61 2,85 1,30 0,25 0,11 -46,2 -80,8
por processo mecânico
Outros materiais, máquinas e
841869 - - - 0,21 0,09 - -
aparelhos, para produção de frio
Tecido de fibras descontínuas de
551512 poliéster combinadas com - - 0,05 0,08 0,03 - 69,3
filamentos sintéticos ou artificiais
Outros tecidos, contendo => 85%
540761 em peso, de filamentos de poliéster 0,12 0,11 0,06 0,05 0,02 -23,2 -14,0
não texturizados
Filés de merluzas e abroteas,
030474 - - - 0,02 0,01 - -
congelados
Carnes de bovino, desossadas,
020130 - - - 0,01 0,01 - -
frescas ou refrigeradas -carnes
- Outros 2,42 2,03 0,79 0,05 0,02 -71,9 -93,1
- Total 165,3 247,4 386,3 221,0 100,0 10,2 -42,8

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 44


Quanto à intensidade tecnológica, a relação comercial entre Mato Grosso do Sul e Argentina é
marcada por exportações de produtos primários (90,05%). Em relação a 2016, nota-se que a
categoria, que já concentrava as exportações para o destino, ampliou ainda mais a sua
representatividade em 2019. O resultado reflete as exportações de commodities agrícolas, como
soja.

As demais categorias, exceto por intensivos em P&D, também registraram participação nas
exportações sul-mato-grossenses para a Argentina em 2019: intensivos em recursos naturais
(8,16%), fornecedores especializados (0,95%), intensivos em economias de escala (0,76%) e
intensivos em trabalho (0,08%).

Gráfico 10 - Exportações de Mato Grosso do Sul para a Argentina por Intensidade


Tecnológica

85,86% 90,05%

11,47% 8,16%
0,01% 0,00% 0,08% 0,95% 1,98% 0,76% 0,60% 0,08%

Intensivos em Fornecedores Intensivos em Intensivos em Intensivos em Produtos


P&D Especializados Economias de Trabalho Recursos Primários
Escala Naturais
2016 2019

Fonte: Comex Stat. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 45


Produtos em Abertura

A tabela 17 exibe os quinze principais produtos identificados como oportunidades em “Abertura” para
Mato Grosso do Sul na Argentina. Dentre eles, apenas um produto obteve a mesma classificação em
âmbito nacional. Além disso, em oito dos produtos, o Brasil é o principal fornecedor para a Argentina,
indicando que outros estados brasileiros também ofertam esses produtos ao destino.

Dentre as oportunidades classificadas como em “Abertura”, o principal produto exportado pelo estado
de Mato Grosso do Sul para a Argentina consiste em “Carnes de bovino, desossadas, congeladas -
carnes” (SH6 020230). Em 2018, as exportações totalizaram cerca de US$ 102,1 mil, o que representou
uma participação de mercado de apenas 0,29%. O principal fornecedor do produto para a Argentina é
o Brasil, com market share de 97,4%.

Sob a óptica do país importador, o produto mais relevante é “Outras carnes de suíno, congeladas” (SH6
020329), com valor importado de aproximadamente US$ 99,04 milhões em 2018. O principal
fornecedor nesse mercado é o Brasil, com parcela de 96,6% no fornecimento externo do produto para
a Argentina. Mato Grosso do Sul, por sua vez, não realizou exportações para o país sul-americano em
2018.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 46


Tabela 17 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para
a Argentina pelo critério de ganho de market share – classificados como em “Abertura”

Valor em 2018 Market share


Classificação
(Milhões/US$) em 2018 (%)
Exp. Principal
SH6 Descrição SH6 Imp.
da UF Concorrente Principal
totais do UF Brasil
para o Concorrente
mercado
mercado
Carnes de bovino,
020230 desossadas, congeladas - 35,0 0,10 Brasil 97,4 0,29 Abertura
carnes
Barras de ferro ou aços Recuperação
721420 14,0 0,02 Brasil 92,8 0,14
não ligadas (Em Risco)
Outras máquinas e Estados Recuperação
847439 6,02 0,01 37,6 0,15
aparelhos para misturar Unidos (Em Declínio)
Outras carnes de suíno,
020329 99,04 - Brasil 96,6 - Manutenção
congeladas
842920 Niveladores 74,5 - Brasil 61,1 - Manutenção
Outras máquinas e
843359 70,9 - Brasil 48,3 - Manutenção
aparelhos para colheita
Batatas preparadas ou
Estados Recuperação
200520 conservadas não 29,8 - 47,3 -
Unidos (Em Declínio)
congeladas
Estados Recuperação
100510 Milho para semeadura 29,6 - 62,0 -
Unidos (Em Risco)
Compactadores e rolos
842940 ou cilindros 29,0 - Alemanha 30,8 - Manutenção
compressores
Material para andaimes,
730840 armações e 21,7 - Alemanha 33,8 - Consolidação
escoramentos,
Desodorantes corporais
330720 18,3 - Brasil 42,7 - Manutenção
e antiperspirantes
Outras máquinas e
Recuperação
843050 aparelhos de 17,7 - Alemanha 52,1 -
(Em Declínio)
terraplanagem
Contêineres, incluídos os
860900 16,3 - China 92,9 - Consolidação
de transporte de fluidos

Galos e galinhas vivos,


Recuperação
010511 de peso não superior a 13,9 - Brasil 98,2 -
(Em Risco)
185 g
Pedaços e miudezas
020714 comestíveis de galos e 13,4 - Brasil 98,4 - Manutenção
galinhas, congelados

Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 47


Produtos Expressivos

A tabela 18 identifica os seis produtos classificados como oportunidades expressivas para Mato Grosso
do Sul na Argentina, na categoria em “Consolidação”. Destaca-se que não há convergência entre as
classificações em âmbitos regional e nacional. Além disso, em um dos produtos, o principal fornecedor
da Argentina é o Brasil, indicando que outros estados brasileiros também ofertam o produto ao
destino.

O principal produto exportado pelo estado para o mercado é “Soja, mesmo triturada, exceto para
semeadura” (SH6 120190), sendo que as exportações foram de US$ 214,4 milhões, conforme dados de
2018. O Paraguai é o principal concorrente nesse mercado, com 66,1% de participação, enquanto Mato
Grosso do Sul registra 8,6% de market share.

Esse produto também é o principal sob a óptica do importador. As importações totais do produto
realizadas pela Argentina foram de US$ 2,5 bilhões em 2018 e são marcadas por um crescimento médio
anual superior a 200,0%, considerando o período 2015-2018. As importações argentinas com origem
de Mato Grosso do Sul também apresentam um ritmo de crescimento superior a 200,0% ao ano, entre
2015 e 2018.

Tabela 18 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para
a Argentina pelo critério de ganho de market share – classificados como em “Consolidação”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Soja, mesmo triturada,


120190 2.503,8 214,4 >200 >200 Paraguai 66,1 8,6 Manutenção
exceto para semeadura
Concentrados de proteínas
Estados
210610 e substâncias protéicas 11,0 1,17 -1,7 - 32,7 10,6 Manutenção
Unidos
texturizadas
Algodão, não cardado nem
520100 5,6 0,43 28,0 12,2 Brasil 100,0 7,6 Manutenção
penteado
Bandejas, travessas,
Recuperação
482369 pratos, copos, de papel ou 3,5 0,09 66,3 30,1 Chile 70,3 2,7
(Em Declínio)
cartão
Velas, pavios, círios e Recuperação
340600 2,2 0,04 40,6 32,0 China 73,8 1,7
artigos semelhantes (Em Declínio)
Outros tecidos de
Recuperação
540792 filamentos sintéticos, 0,2 0,02 -48,9 -32,1 China 61,5 7,3
tintos
(Em Declínio)

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 48


A tabela 19 destaca os produtos identificados como oportunidades expressivas para Mato Grosso do
Sul na Argentina, em “Manutenção”. Nota-se que há convergência entre as classificações em âmbito
nacional e estadual em todos os produtos, além disso, para dois deles, o Brasil é o principal fornecedor,
indicando que outras unidades da federação também realizam exportações para a Argentina desses
produtos.

O principal produto é “Ferro fundido bruto não ligado, contendo, em peso <= 0,5% de fósforo” (SH6
720110), sendo que o estado exportou para o destino cerca de US$ 12,1 milhões, o que representou
80,3% das importações argentinas em 2018. O Brasil é o principal fornecedor do produto, com 99,9%
de market share.

Tabela 19 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para
a Argentina pelo critério de ganho de market share – classificados como em “Manutenção”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Ferro fundido bruto não


720110 ligado, contendo, em peso 15,1 12,1 7,4 38,5 Brasil 99,9 80,3 Manutenção
<= 0,5% de fósforo
Minérios de manganês e
260200 9,50 9,44 30,6 -40,8 Marrocos 100,0 99,4 Manutenção
seus concentrados¹
Outros móveis, para a
841850 conservação e exposição 11,3 2,05 64,8 >200 México 42,2 18,2 Manutenção
de produtos
Papéis e cartões, não
480256 revestidos, contendo <= 10,4 1,30 -16,7 -10,1 Brasil 99,8 12,5 Manutenção
10% de fibras

¹O país destino não reportou informações de comércio completas referentes ao SH6 e há divergências estatísticas derivadas
da contabilidade aduaneira de cada país, portanto, foram utilizados dados espelho.
(*) Crescimento médio anual.
Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 49


A tabela 20 exibe os produtos identificados como oportunidades expressivas para Mato Grosso do Sul
na Argentina, em “Recuperação”. Nessa seleção, nota-se que há convergência entre as classificações
em nível nacional e estadual em cinco produtos. Além disso, o Brasil é o principal fornecedor para três
oportunidades destacadas.

O principal produto exportado pelo estado para o mercado é “Minérios de ferro não aglomerados e
seus concentrados” (SH6 260111), sendo que as exportações foram de US$ 129,9 milhões, conforme
dados de 2018. O Brasil é o principal fornecedor desse mercado, com 97,9% de participação, enquanto
Mato Grosso do Sul registra 68,0% de market share. As importações totais do país registraram variação
positiva média anual de 8,0%, no período 2015-2018, enquanto aquelas oriundas de Mato Grosso do
Sul caíram, em média, 0,9% ao ano, no mesmo intervalo. Isso justifica a classificação do produto como
em “Recuperação” para o estado.

Tabela 20 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para a
Argentina pelo critério de ganho de market share – classificados como em “Recuperação”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Minérios de ferro não


Recuperação
260111 aglomerados e seus 191,0 129,9 8,0 -0,9 Brasil 97,9 68,0
concentrados
(Em Risco)
Pasta química de madeira
470329 de não conífera, à soda ou 126,5 14,89 7,2 -13,9 Brasil 64,0 11,8 Manutenção
sulfato
Outras sementes
120929 forrageiras, para 2,8 0,06 11,7 -31,0 Dinamarca 25,0 2,1 Manutenção
semeadura
Glândulas utilizadas na
Recuperação
051000 preparação de produtos 5,3 0,01 2,3 -91,4 Brasil 57,2 0,22
(Em Risco)
farmacêuticos
Outros tecidos de
Recuperação
540791 filamentos sintéticos, crus 0,2 0,01 19,2 -1,6 Índia 64,2 5,3
(Em Risco)
ou branqueados
Máquinas de comprimir ou
Recuperação
843061 compactar terra, exceto 2,9 0,01 11,0 -59,7 China 61,5 0,28
(Em Declínio)
autopropulsores
Outros veludos e pelúcias,
Recuperação
600192 de malha de fibras 5,4 0,01 -6,0 -58,5 China 91,6 0,10
(Em Declínio)
sintéticas ou artificiais
Outros tecidos, de fios de
540753 3,1 <0,01 12,4 -81,0 China 86,0 0,02 Manutenção
diversas cores

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 50


4.4 ITÁLIA
A tabela abaixo exibe os produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para a Itália, em ordem
de valor exportado. O principal produto exportado pelo estado para o país é “Pasta química de
madeira de não conífera, à soda ou sulfato” (SH6 470329), no valor de US$ 164,57 milhões em
2019. O resultado mostra uma variação média anual de 0,4% no período 2016-2019. Esse
produto representou 78,6% das exportações sul-mato-grossenses para a Itália no último ano.

Tabela 21 - Principais produtos SH6 exportados pelo Mato Grosso do Sul para a Itália

US$/Milhões
Taxa de
Participação CMA*
CÓDIGO crescimento
DESCRIÇÃO SH6 em 2019 2016-2019
SH6 2016 2017 2018 2019 2018-2019
(%) (%)
(%)

Pasta química de madeira de não


470329 162,57 158,63 211,70 164,57 78,6 0,4 -22,3
conífera, à soda ou sulfato
Couros e peles curtidos, no estado
410411 22,95 25,22 17,86 18,60 8,88 -6,8 4,1
úmido (incluindo wet blue)
Carnes de bovino, desossadas,
020230 12,72 13,98 17,65 17,65 8,43 11,5 0,0
congeladas - carnes
Tortas e outros resíduos sólidos da
230400 0,89 0,72 3,36 3,24 1,55 54,1 -3,5
extração do óleo de soja
Couros e peles inteiros, de bovinos
410712 2,37 6,26 7,59 2,56 1,22 2,7 -66,2
ou de equídeos
100590 Milho, exceto para semeadura - 7,58 - 1,22 0,58 - -
Papéis e cartões, não revestidos,
480256 1,05 0,78 1,14 0,69 0,33 -12,9 -39,5
contendo <= 10% de fibras
Couros e peles inteiros, de bovinos,
410711 preparados após curtimenta ou - - - 0,64 0,31 - -
secagem
Partes de animais, exceto peixes,
050400 0,47 0,60 0,89 0,17 0,08 -28,6 -80,8
frescos, congelados
Couros e peles curtidos, depilados,
410441 - - - 0,08 0,04 - -
no estado seco (crust)
Carnes de outros animais,
021099 comestíveis, salgadas, secas ou 0,26 0,50 0,05 0,04 0,02 -46,1 -22,1
defumadas
Outros couros e peles curtidos
410419 - 0,57 0,09 0,04 0,02 - -59,7
(incluindo wet blue)
- Outros 12,63 1,53 0,48 - - -100,0 -100,0
- Total 215,90 216,36 260,82 209,51 100,00 -1,0 -19,7

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 51


Quanto à intensidade tecnológica, a relação comercial entre o estado de Mato Grosso do Sul e
a Itália é marcada por concentração em produtos intensivos e recursos naturais, assim como já
observado na relação comercial com os Estados Unidos. Em 2019, para a Itália, três categorias
não registraram exportações de Mato Grosso do Sul, as demais categorias apresentaram
participação, em ordem decrescente: intensivos em trabalho (10,46%) e produtos primários
(9,09%).

Frente ao ano de 2016, a única categoria que ampliou a sua representatividade foi a de produtos
intensivos em recursos naturais, sobretudo, em virtude do crescimento nas exportações de
produtos como “Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato, semibranqueada
ou branqueada” (SH6 470329) e “Tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja”
(SH6 230400).

Gráfico 11 – Exportações de Mato Grosso do Sul para a Itália por Intensidade


Tecnológica

80,45%
76,40%

11,73%10,46% 11,87%
9,09%
0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%

Intensivos em Fornecedores Intensivos em Intensivos em Intensivos em Produtos


P&D Especializados Economias de Trabalho Recursos Primários
Escala Naturais
2016 2019

Fonte: Comex Stat. Acesso: 19/09/2020

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 52


Produtos em Abertura

A tabela 22 mostra os quinze principais produtos identificados como oportunidades em “Abertura”


para Mato Grosso do Sul na Itália. Destaca-se que quatro produtos convergem para a mesma
classificação nacionalmente. Cabe mencionar que, em dois dos produtos, “Minérios de ferro não
aglomerados e seus concentrados” (SH6 260111) e “Preparações alimentícias e conservas, de bovinos”
(SH6 160250), o Brasil é o principal fornecedor, o que demonstra que outros estados brasileiros
também exportam esses produtos para o destino em destaque.

O produto mais significativo é “Tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja” (SH6
230400), do qual o estado exportou cerca de US$ 3,36 milhões para a Itália em 2018. Nesse mercado,
a Argentina é o principal país concorrente e detém 67,3% de market share, enquanto Mato Grosso do
Sul representa apenas 0,40% do mercado.

Sob a óptica do importador, o principal produto é “Milho, exceto para semeadura” (SH6 100590), do
qual a Itália importou US$ 1,1 bilhão em 2019, tendo como seu principal fornecedor a Ucrânia. Mato
Grosso do Sul, por sua vez, não registrou exportações para o país europeu desse produto.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 53


Tabela 22 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para
a Itália pelo critério de ganho de market share – classificados como em “Abertura”

Valor em 2018 Market share


Classificação
(Milhões/US$) em 2018 (%)
Exp. Principal
SH6 Descrição SH6 Imp.
da UF Concorrente Principal
totais do UF Brasil
para o Concorrente
mercado
mercado
Tortas e outros resíduos
Recuperação
230400 sólidos da extração do óleo 837,8 3,36 Argentina 67,3 0,40
(Em Declínio)
de soja
Carnes de bovino,
Recuperação
020130 desossadas, frescas ou 645,6 0,36 Irlanda 26,1 0,06
(Em Declínio)
refrigeradas -carnes
Outros couros e peles Recuperação
410419 227,3 0,09 Reino Unido 15,0 0,04
curtidos (incluindo wet blue) (Em Declínio)
100590 Milho, exceto para semeadura 1.110,1 - Ucrânia 31,9 - Consolidação

Soja, mesmo triturada, exceto Estados Recuperação


120190 671,5 - 38,1 -
para semeadura Unidos (Em Risco)
Ferro fundido bruto não
720110 ligado, contendo, em peso <= 648,9 - Rússia 62,6 - Consolidação
0,5% de fósforo
Minérios de ferro não
Recuperação
260111 aglomerados e seus 461,2 - Brasil 52,7 -
(Em Risco)
concentrados
Outras preparações para Países
230990 365,6 - 22,3 - Consolidação
alimentação de animais Baixos
Papéis e cartões, não
revestidos, de peso => 40
480255 172,1 - Alemanha 21,6 - Abertura
g/m2 mas não > 150 g/m2,
em rolos
Outras carnes de suíno,
020329 137,5 - Espanha 46,3 - Abertura
congeladas
Couros e peles, após
Recuperação
410792 curtimenta ou secagem, 114,2 - Rússia 23,8 -
(Em Declínio)
divididos, com a flor
Algodão, não cardado nem
520100 78,7 - Índia 21,5 - Manutenção
penteado
Enchidos e produtos
160100 semelhantes de carne, 61,5 - Alemanha 28,7 - Abertura
miudezas ou sangue
Preparações alimentícias e
160250 55,7 - Brasil 48,7 - Manutenção
conservas, de bovinos
Outras peças de bovino, não
020220 51,5 - Alemanha 52,5 - Abertura
desossadas, congeladas

Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 54


Produtos Expressivos

A tabela 23 expõe o produto identificado como oportunidade expressiva para Mato Grosso do Sul na
Itália, em “Consolidação”. Verifica-se que não há convergência entre o resultado obtido para as
classificações, pois, em âmbito nacional, o produto foi classificado como em “Manutenção”.

O produto em questão é “Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras” (SH6 480256),
sendo que o estado exportou para o destino cerca de US$ 1,14 milhão, o que representou 0,71% das
importações italianas em 2018. Portugal, por sua vez, é o principal fornecedor, com participação de
33,5% nesse mercado.

Tabela 23 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para
a Itália pelo critério de ganho de market share – classificados como em “Consolidação”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Papéis e cartões, não


480256 revestidos, contendo <= 160,5 1,14 -1,2 5,3 Portugal 33,5 0,71 Manutenção
10% de fibras

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 55


A tabela 24 destaca os dois produtos identificados como oportunidades expressivas para Mato Grosso
do Sul na Itália, em “Manutenção”. Destaca-se que em um deles há convergência entre as classificações
em âmbitos nacional e estadual. Além disso, o Brasil é o principal fornecedor para os dois produtos.

O principal produto para o estado de Mato Grosso do Sul é “Carnes de bovino, desossadas, congeladas
- carnes” (SH6 020230), do qual o estado exportou cerca de US$ 17,6 milhões para o destino em 2018.
Conforme já destacado, o Brasil é o principal fornecedor nesse mercado, com 56,4% de market share;
Mato Grosso do Sul, por sua vez, possui 6,3% de participação. As importações italianas totais do
produto registraram crescimento médio anual de 4,3%, no período 2015-2018, enquanto as
importações oriundas de Mato Grosso do Sul avançaram, em média, 5,5% na mesma comparação.

Tabela 24 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para
a Itália pelo critério de ganho de market share – classificados como em “Manutenção”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Carnes de bovino,
Recuperação
020230 desossadas, congeladas - 282,1 17,6 4,3 5,5 Brasil 56,4 6,3
carnes
(Em Risco)
Couros e peles inteiros, de
410712 270,8 7,6 -7,6 6,3 Brasil 37,4 2,8 Manutenção
bovinos ou de equídeos

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 56


A tabela 25 exibe os produtos identificados como oportunidades expressivas para Mato Grosso do Sul
na Itália, em “Recuperação”. Nessa seleção, três produtos também foram classificados como em
“Recuperação” para o Brasil, demonstrando convergência com a classificação em âmbito estadual
nesses produtos. Além disso, para um deles, o Brasil posiciona-se como o principal fornecedor.

O principal produto exportado pelo estado para o mercado é “Pasta química de madeira de não
conífera, à soda ou sulfato” (SH6 470329), sendo que as exportações foram de US$ 211,7 milhões,
conforme dados de 2018. O Brasil é o principal fornecedor nesse mercado, com 56,9% de participação,
enquanto Mato Grosso do Sul registra 14,4% de market share. As importações totais do país
registraram crescimento médio anual de 11,8%, no período 2015-2018, enquanto aquelas oriundas de
Mato Grosso do Sul caíram, em média, 1,7% ao ano, no mesmo intervalo. Isso justifica a classificação
do produto como em “Recuperação” para o estado.

Tabela 25 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para
a Itália pelo critério de ganho de market share – classificados como em “Recuperação”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Pasta química de madeira


470329 de não conífera, à soda ou 1.473,6 211,7 11,8 -1,7 Brasil 56,9 14,4 Manutenção
sulfato
Couros e peles curtidos, no
Estados
410411 estado úmido (incluindo 762,6 17,9 -7,5 -15,0 20,8 2,3 Manutenção
wet blue)
Unidos
Pedaços e miudezas
Países Recuperação
020714 comestíveis de galos e 41,6 0,08 -1,6 -52,0 40,3 0,2
Baixos (Em Declínio)
galinhas, congelados
Carnes de outros animais,
Países Recuperação
021099 comestíveis, salgadas, 8,9 0,05 -1,2 -49,0 81,0 0,6
Baixos (Em Declínio)
secas ou defumadas
Produtos de peixes ou
Recuperação
051191 crustáceos, impróprios 11,8 0,05 25,8 -9,9 Vietnã 61,3 0,4
para alimentação humana
(Em Declínio)
¹O país destino não reportou informações de comércio completas referentes ao SH6 e há divergências estatísticas derivadas
da contabilidade aduaneira de cada país, portanto, foram utilizados dados espelho.
(*) Crescimento médio anual.
Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 57


4.5 URUGUAI
A tabela a seguir exibe os produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul para o Uruguai em
ordem de valor exportado no ano de 2019. O mais relevante é “Minérios de ferro não
aglomerados e seus concentrados” (SH6 260111). Desse produto, o estado exportou cerca de
US$ 47,5 milhões para o destino no último ano. Esse desempenho representou uma elevação
superior a 200,0% frente a 2018. Em relação à participação, observa-se que o produto
representou 33,9% das exportações sul-mato-grossenses destinadas para o Uruguai.

Tabela 26 – Principais produtos SH6 exportados pelo Mato Grosso do Sul para o
Uruguai

US$/Milhões
Taxa de
Participação CMA*
CÓDIGO crescimento
DESCRIÇÃO SH6 em 2019 2016-2019
SH6 2016 2017 2018 2019 2018-2019
(%) (%)
(%)

Minérios de ferro não aglomerados


260111 - 12,1 7,7 47,5 33,9 - >200,0
e seus concentrados
Carnes de bovino, desossadas,
020130 1,10 2,29 10,7 43,5 31,1 >200,0 >200,0
frescas ou refrigeradas -carnes
Minérios de manganês e seus
260200 - 43,2 82,7 36,7 26,2 - -55,6
concentrados
Concentrados de proteínas e
210610 - - 0,33 7,57 5,40 - >200,0
substâncias protéicas texturizadas
Carnes de bovino, desossadas,
020230 0,05 0,14 0,78 2,62 1,87 >200,0 >200,0
congeladas - carnes
170114 Outros açúcares de cana 6,94 7,14 4,42 0,67 0,48 -54,2 -84,9
Outras preparações para
230990 - 0,02 0,11 0,53 0,38 - >200,0
alimentação de animais
020621 Línguas de bovino, congeladas 0,05 0,08 0,18 0,23 0,16 60,8 22,9
Outros móveis, para a conservação
841850 0,62 0,27 0,28 0,18 0,13 -33,4 -34,6
e exposição de produtos
Peptonas e seus derivados; pó de
350400 - - 0,01 0,12 0,09 - >200,0
peles
220300 Cervejas de malte - - 0,05 0,07 0,05 - 43,4
Aparelhos de mecanoterapia, de
901910 - - - 0,07 0,05 - -
massagem ou de psicotécnica
Tortas e outros resíduos sólidos da
230400 - - - 0,07 0,05 - -
extração do óleo de soja
Antissoros e outras frações do
300212 - - - 0,06 0,05 - -
sangue
Outras miudezas comestíveis de
020629 - - <0,01 0,05 0,03 - >200,0
bovino, congeladas
- Outros 0,55 0,66 1,09 0,22 0,15 -26,7 -80,1
- Total 9,3 65,9 108,4 140,1 100,0 146,8 29,3

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 58


No que concerne à intensidade tecnológica, as exportações de Mato Grosso do Sul para o
Uruguai, assim como observado para a Argentina, são marcadas pela concentração em produtos
primários (93,19%). Destaca-se que as exportações sul-mato-grossenses para o país sul-
americano registraram profunda mudança em 2019 frente a 2016. Em 2016, a principal
categoria era de produtos intensivos em recursos naturais, mas, ao longo do tempo, produtos
como “Minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados” (SH6 260111) e “Carnes de
bovino, desossadas, frescas ou refrigeradas” (SH6 20130) ganharam espaço na relação comercial
e fizeram da categoria de produtos primários a mais representativa.

Em 2019, além de produtos primários, o estado exportou produtos das demais categorias da
taxonomia de Pavitt, quais sejam em ordem decrescente de participação: intensivos em recursos
naturais (6,38%), fornecedores especializados (0,13%), intensivos em P&D (0,11%), intensivos
em trabalho (0,10%) e intensivos em economias de escala (0,09%).

Gráfico 12 – Exportações de Mato Grosso do Sul para o Uruguai por Intensidade


Tecnológica

93,19%

76,22%

12,88%
6,91% 3,52% 0,10% 6,38%
0,45% 0,11% 0,13% 0,02% 0,09%

Intensivos em Fornecedores Intensivos em Intensivos em Intensivos em Produtos


P&D Especializados Economias de Trabalho Recursos Primários
Escala Naturais
2016 2019

Fonte: Comex Stat. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 59


Produtos em Abertura

A tabela 27 mostra os quinze principais produtos identificados como oportunidades para Mato
Grosso do Sul no Uruguai, em “Abertura”. Destaca-se que há convergência entre as
classificações em âmbitos nacional e estadual em apenas um produto. Além disso, para cinco
produtos, o principal fornecedor do Uruguai é o Brasil.

O principal produto exportado pelo Mato Grosso do Sul para o Uruguai como oportunidade de
“Abertura” foi “Congeladores (freezers) horizontais tipo arca, de capacidade <= 800 litros” (SH6
841830). Em 2018, as exportações sul-mato-grossenses foram de US$ 22,1 mil representando
0,57% de participação de mercado. O principal país concorrente é a China que detém 63,1% de
market share.

Sob a óptica do importador, o principal produto é “Milho, exceto para semeadura” (SH6
100590), do qual o Uruguai importou US$ 103,7 milhões em 2019, tendo como seu principal
fornecedor o Paraguai. Mato Grosso do Sul, por sua vez, não registrou exportações para o
Uruguai desse produto.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 60


Tabela 27 – Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para o Uruguai pelo critério de ganho de market share – classificados como em
“Abertura”

Valor em 2018 Market share


Classificação
(Milhões/US$) em 2018 (%)
Exp. Principal
SH6 Descrição SH6 Imp.
da UF Concorrente Principal
totais do UF Brasil
para o Concorrente
mercado
mercado
Congeladores (freezers)
841830 horizontais tipo arca, de 3,89 0,02 China 63,1 0,57 Manutenção
capacidade <= 800 litros
Fechaduras para móveis, de Recuperação
830130 0,11 <0,01 China 83,1 0,35
metais comuns (Em Declínio)
Outras miudezas
Estados
020629 comestíveis de bovino, 0,60 <0,01 71,3 0,05 Manutenção
Unidos
congeladas
Milho, exceto para
100590 103,7 - Paraguai 51,5 - Consolidação
semeadura
Outras carnes de suíno,
020329 82,8 - Brasil 94,5 - Manutenção
congeladas
Papéis e cartões, não
Recuperação
480256 revestidos, contendo <= 8,16 - Argentina 64,3 -
(Em Risco)
10% de fibras
190410 Produtos à base de cereais 5,10 - Argentina 59,8 - Manutenção
Papéis e cartões, não
revestidos, de peso => 40 Recuperação
480255 4,71 - Brasil 56,5 -
g/m2 mas não > 150 g/m2, (Em Risco)
em rolos
Galos e galinhas vivos, de Recuperação
010511 2,30 - Argentina 51,0 -
peso não superior a 185 g (Em Risco)
Outros produtos de origem
051199 animal, impróprios para 1,60 - Argentina 88,4 - Consolidação
alimentação humana
Preparações alimentícias e Recuperação
160250 1,05 - Brasil 48,3 -
conservas, de bovinos (Em Risco)
Recuperação
110814 Fécula de mandioca 0,96 - Paraguai 57,6 -
(Em Declínio)
Carnes de galos e galinhas
020712 0,92 - Brasil 84,2 - Abertura
da espécie doméstica
Outras preparações
Estados Recuperação
160249 alimentícias e conservas de 0,62 - 52,2 -
Unidos (Em Risco)
suínos
Couros e peles, após
410792 curtimenta ou secagem, 0,48 - Brasil 57,8 - Manutenção
divididos, com a flor

Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 61


Produtos Expressivos

A tabela 28 expõe os cinco principais produtos identificados como oportunidades expressivas


para Mato Grosso do Sul no Uruguai, em “Consolidação”, sendo que, em dois deles, o Brasil
registrou a mesma classificação. Além disso, para um dos produtos, o Brasil é o principal
fornecedor.

O produto mais significativo para Mato Grosso do Sul, dentre os selecionados, é “Concentrado
de proteínas e substâncias proteicas texturizadas” (SH6 210610), tendo o estado exportado
cerca de US$ 326,5 mil para o destino em 2018. O Brasil é o principal concorrente, com 46,8%
de market share, enquanto a parcela de mercado sul-mato-grossense é de 14,6%. Pontua-se que
Mato Grosso do Sul passou a exportar o produto em 2018 para o Uruguai e por isso não foi
possível estabelecer a taxa de crescimento frente a 2015.

Tabela 28 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para o Uruguai pelo critério de ganho de market share – classificados como em
“Consolidação”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Concentrados de proteínas
210610 e substâncias protéicas 2,24 0,33 -3,5 - Brasil 46,8 14,6 Manutenção
texturizadas
Contêineres, incluídos os
860900 11,0 0,25 14,0 - China 35,9 2,2 Consolidação
de transporte de fluidos
Pedaços e miudezas
020714 comestíveis de galos e 2,91 0,08 166,4 - Chile 92,7 2,9 Abertura
galinhas, congelados¹
Partes de máquinas-
846694 ferramentas da posições 0,50 0,01 14,6 - Alemanha 65,3 2,0 Consolidação
8462 ou 8463
Outros tecidos de fibras Recuperação
551519 0,31 <0,01 -2,5 21,5 China 79,4 0,4
descontínuas de poliéster (Em Declínio)

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 62


A tabela 29 mostra os oito produtos identificados como oportunidades expressivas para Mato
Grosso do Sul no Uruguai, em “Manutenção”. Nota-se que há convergência entre os resultados
obtidos para as classificações, em âmbitos estadual e nacional, em três produtos. Cabe
mencionar também que, para quatro produtos, o Brasil é o principal fornecedor do Uruguai.

O produto mais significativo para Mato Grosso do Sul, dentre os selecionados, é “Carnes de
bovino, desossadas, frescas ou refrigeradas -carnes” (SH6 020130), sendo que o estado exportou
para o destino cerca de US$ 10,7 milhões, o que representou 19,3% das importações uruguaias
do produto em 2018. O Brasil, por sua vez, é o principal fornecedor, com parcela de 80,0% nesse
mercado.

Tabela 29 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para o Uruguai pelo critério de ganho de market share – classificados como em
“Manutenção”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Carnes de bovino,
020130 desossadas, frescas ou 55,6 10,7 98,9 169,6 Brasil 80,0 19,3 Manutenção
refrigeradas -carnes
Carnes de bovino,
Recuperação
020230 desossadas, congeladas - 7,79 0,78 94,1 85,8 Brasil 61,3 10,0
(Em Risco)
carnes
Línguas de bovino,
020621 0,48 0,18 12,3 84,0 Brasil 100,0 38,9 Manutenção
congeladas
Tecido de fibras
551512 0,06 0,02 2,1 87,5 China 41,1 32,5 Manutenção
descontínuas de poliéster
Outros tecidos de
Recuperação
540792 filamentos sintéticos, 0,25 0,01 4,3 55,1 Brasil 54,9 2,7
(Em Risco)
tintos
Outros tecidos Recuperação
540794 0,13 0,01 91,2 21,1 China 91,4 4,5
estampados (Em Declínio)
Tecido de fibras
descontínuas de poliéster
Recuperação
551511 combinadas com fibras 0,12 0,01 -19,5 87,2 Argentina 47,7 4,4
(Em Declínio)
descontínuas de raiom
viscose
Tecidos crus ou
551211 branqueados de fibras 0,18 <0,01 47,7 25,0 China 90,4 1,7 Consolidação
descontínuas de poliéster

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 63


A tabela 30 exibe os nove produtos identificados como oportunidades expressivas para Mato
Grosso do Sul no Uruguai, em “Recuperação”. Nessa seleção, oito produtos também foram
classificados como em “Recuperação” para o Brasil, demonstrando alta convergência com a
classificação em âmbito estadual nesses produtos. Além disso, para um dos produtos, o Brasil
posiciona-se como o principal fornecedor.

O principal produto exportado pelo estado para o mercado nessa categoria é “Outros açúcares
de cana” (SH6 170114), sendo que as exportações foram de US$ 4,42 milhões, conforme dados
de 2018. O Brasil é o principal fornecedor nesse mercado, com 95,3% de participação, enquanto
Mato Grosso do Sul registra 28,7% de market share. As importações totais do país registraram
queda média anual de 10,6%, no período 2015-2018, enquanto aquelas oriundas de Mato
Grosso do Sul caíram, em média, 21,2% ao ano, no mesmo intervalo.

Tabela 30 - Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para o Uruguai pelo critério de ganho de market share – classificados como em
“Recuperação”

Valor em 2018 CMA* Market share


Classificação
(Milhões/US$) 2015-2018 (%) em 2018 (%)
Principal
SH6 Descrição SH6
Exp. da UF Concorrente
Imp. totais Imp. Principal
para o UF UF Brasil
do mercado totais Concorrente
mercado

Recuperação
170114 Outros açúcares de cana 15,4 4,42 -10,6 -21,2 Brasil 95,3 28,7
(Em Risco)
Outros móveis, para a
841850 conservação e exposição 8,36 0,28 -6,3 -32,8 China 26,1 3,4 Manutenção
de produtos
Barras de ferro ou aços não Recuperação
721420 4,01 0,09 -20,2 -62,4 Argentina 46,8 2,4
ligadas (Em Risco)
Outras fechaduras e
Recuperação
830140 ferrolhos, de metais 2,41 0,04 2,8 -17,5 China 62,5 1,7
(Em Declínio)
comuns
Outros tecidos, contendo
Recuperação
540761 => 85% em peso, de 0,76 0,03 3,0 -18,0 China 78,4 3,8
(Em Risco)
filamentos de poliéster
Partes de cadeados ou
Recuperação
830160 fechaduras, de metais 0,25 0,01 -3,5 -27,1 China 36,5 4,7
(Em Risco)
comuns
Outros tecidos
impregnados, revestidos,
Recuperação
590390 recobertos ou 1,22 <0,01 33,6 -41,1 Índia 43,1 0,1
(Em Declínio)
estratificados com
plásticos
Outros tecidos, contendo
Recuperação
540769 => 85% em peso de outros 0,17 <0,01 18,3 -25,0 China 83,0 0,7
(Em Declínio)
filamentos de poliéster
Geradores de sinais, Recuperação
854320 0,17 <0,01 -9,8 -7,6 China 34,7 0,3
elétricos (Em Risco)

(*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e UN Comtrade. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 64


5. SETORES COM POTENCIAL PARA EXPORTAÇÃO DE BENS
Esta seção tem como objetivo identificar os setores com potencial para a promoção das
exportações de bens de Mato Grosso do Sul, com o intuito de promover o desenvolvimento
exportador do estado. Para tanto, a próxima subseção apresenta os aspectos metodológicos do
estudo; a subseção seguinte exibe o perfil dos setores mais atrativos para o estado e, por fim,
são mostrados os destaques setoriais.

5.1 DESCRIÇÃO DA METODOLOGIA DE SELEÇÃO DE SETORES APLICADA


A definição dos setores com potencial de exportação parte da concepção de que existe um
conjunto de setores que pode iniciar seu processo de exportações ou ampliar sua base
exportadora. Para isso, ao se considerar um corte setorial CNAE 2.0 com 3 dígitos – grupo, as
seguintes variáveis são analisadas: (1) Exportações do setor (valor em 2012 e 2018; variação
2012-2018 em US$ e taxa de crescimento média anual 2012-2018); (2) Total de empregos do
setor (número de empregados em 2012 e 2018; variação 2012-2018 em US$ e taxa de
crescimento média anual 2012-2018); (3) Número de empresas do setor (número total em 2012
e 2018; variação 2012-2018 em US$ e taxa de crescimento média anual 2012-2018); (4) Massa
de rendimento nominal em Reais (valor total em 2018; variação 2012-2018 em US$ e taxa de
crescimento média anual 2012-2018).

Os setores selecionados com potencial exportador são aqueles que apresentam um


desempenho considerável nas variáveis de emprego, número de empresas e massa de
rendimento nominal. Ao mesmo tempo, ao se considerar a variável das exportações, procura-
se setores com comportamento que estabeleça uma considerável capacidade de ampliação. Ou
seja, os setores apontados com potencial de exportação apresentam uma dinâmica positiva na
geração de emprego e/ou no número de empresas, com espaço para o crescimento de suas
exportações.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 65


5.2 ANÁLISE DOS SETORES COM POTENCIAL DE EXPORTAÇÃO
Para alcançar o objetivo proposto, foram analisados cento e dezesseis setores agregados
conforme a Classificação Nacional por Atividades Econômicas (CNAE 2.0) e selecionados os seis
que apresentam os maiores potenciais de negócios para o estado de Mato Grosso do Sul, no
exterior, conforme a tabela 31. Em primeiro lugar, está “Fabricação de produtos farmacêuticos”,
seguido por “Fabricação de artigos de cutelaria, de serralheria e ferramentas”, “Fabricação de
produtos de material plástico”, “Fabricação de móveis”, “Fabricação de instrumentos e
materiais para uso médico e odontológico e de artigos ópticos” e “Fabricação de artefatos de
concreto, cimento, fibrocimento, gesso e materiais semelhantes”.

Em termos de taxa de crescimento das exportações da UF, entre os setores selecionados,


“Fabricação de produtos farmacêuticos” foi o que apresentou a maior taxa de crescimento em
2018, na comparação com 2012 (superior a 200,0% ao ano). Contudo, o produto é pouco
representativo, correspondendo a 0,08% das exportações do estado em 2018.

Quanto ao número de empresas, “Fabricação de artefatos de concreto, cimento, fibrocimento,


gesso e materiais semelhantes” é o destaque com 0,88% de participação no número de
empresas totais do estado. O setor registra crescimento médio anual de 0,6% no período 2012-
2018. Já em termos de crescimento na quantidade de empresas, “Fabricação de instrumentos e
materiais para uso médico e odontológico e de artigos ópticos” é o setor que desperta a atenção
com 5,5% de crescimento médio anual, no intervalo 2012-2018, embora sua representatividade
em Mato Grosso do Sul ainda seja pouco relevante, com participação de 0,27%.

No que se refere ao emprego formal, o setor de “Fabricação de produtos de material plástico”


é o mais representativo, com 1,38% de participação. Porém, esse setor registra queda média
anual de 0,1% no período 2012-2018. Ressalta-se que esse setor também é o mais relevante no
que concerne à massa salarial, com participação de 1,43% no estado.

Ainda quanto ao emprego formal, cabe apontar o setor de “Fabricação de instrumentos e


materiais para uso médico e odontológico e de artigos ópticos” dada a expressiva taxa de
crescimento de 9,2% ao ano, no período 2012-2018. Contudo, o setor ainda é pouco
representativo, pois, no emprego, a participação é de 0,22% e, na massa salarial, é de 0,19%.

Nota-se que os seis setores em destaque apresentam oportunidades vinculadas a setores


distintos e avançam para um novo leque de possibilidades, além dos setores que dominam a
pauta do estado, como a indústria de celulose, de carnes e de agronegócio, através da soja.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 66


Por fim, verifica-se que todos os setores selecionados com potencial para exportação de bens
registram baixa participação na composição das exportações. Mesmo juntos, os setores não
alcançam 1% de representatividade nas exportações sul-mato-grossenses. Isso se deve,
sobretudo, à dimensão das exportações dos principais setores, conforme já pontuado entre os
principais produtos exportados pelo estado, assim como por intensidade tecnológica e
concentração setorial. De qualquer forma, cabe mencionar que as exportações dos setores estão
em trajetória de ascensão e, com a estrutura já estabelecida, podem ampliar suas
potencialidades.

Tabela 31 - Setores selecionados com potencial para exportação de bens de Mato


Grosso do Sul

Exportação Número de Empresas Emprego Massa Salarial


Setor Participação CMA* Participação CMA* Participação CMA* Participação
(por CNAE 2.0 - Grupo) em 2018 na UF 2012-2018 em 2018 na UF 2012-2018 em 2018 na UF 2012-2018 em 2018 na UF
(%) (%) (%) (%) (%) (%) (%)
Fabricação de produtos
farmacêuticos
0,08 >200,0 0,01 -4,7 0,09 1,9 0,10
Fabricação de artigos de cutelaria,
0,04 89,6 0,37 0,4 0,44 -0,8 0,36
de serralheria e ferramentas
Fabricação de produtos de material
0,02 11,5 0,26 2,3 1,38 -0,1 1,43
plástico
Fabricação de móveis <0,01 69,1 0,97 4,5 0,72 4,1 0,64
Fabricação de instrumentos e
materiais para uso médico e <0,01 - 0,27 5,5 0,22 9,2 0,19
odontológico e de artigos ópticos
Fabricação de artefatos de
concreto, cimento, fibrocimento, <0,01 - 0,88 0,6 1,04 -2,6 0,92
gesso e materiais semelhantes

Observação: Empregos formais. (*) Crescimento médio anual.


Fonte: Comex Stat e RAIS (MTE). Acesso: 17/09/2020

5.3 DESTAQUES DAS PRINCIPAIS OPORTUNIDADES


Em 2018, conforme mencionado, ao todo destacamos seis setores com grande potencial para
exportações em Mato Grosso do Sul, são eles: “Fabricação de produtos farmacêuticos”;
“Fabricação de artigos de cutelaria, de serralheria e ferramentas”; “Fabricação de produtos de
material plástico”; “Fabricação de móveis”; “Fabricação de instrumentos e materiais para uso
médico e odontológico e de artigos ópticos”; e “Fabricação de artefatos de concreto, cimento,
fibrocimento, gesso e materiais semelhantes”. O primeiro deles é destaque nos municípios de
Campo Grande, Mundo Novo e Ponta Porã, sendo que, juntos, esses municípios corresponderam
a mais de 99% das exportações do estado do setor referido em 2018. A capital do estado, Campo
Grande, está localizada na mesorregião do Centro Norte de Mato Grosso do Sul, enquanto os
demais municípios são da mesorregião Sudoeste de Mato Grosso do Sul. O dinamismo desse
setor deve-se, sobretudo, ao produto “Sangue humano; sangue animal preparado para usos
terapêuticos, profiláticos ou de diagnóstico; antissoros, outras frações do sangue e produtos
imunológicos, mesmo modificados ou obtidos por via biotecnológica; vacinas, toxinas, culturas
de microrganismos (exceto leveduras) e produtos semelhantes” (SH4 3002).

O setor de “Fabricação de artigos de cutelaria, de serralheria e ferramentas” concentra sua atual


estrutura em municípios como Campo Grande (Centro Norte de Mato Grosso do Sul), Corumbá

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 67


(Pantanais Sul-Mato-Grossenses) e Ponta Porã (Sudoeste de Mato Grosso do Sul). No setor, os
produtos mais relevantes são “Cadeados, fechaduras e ferrolhos (de chave, de segredo ou
elétricos), de metais comuns; fechos e armações com fecho, com fechadura, de metais comuns;
chaves para estes artigos, de metais comuns” (SH4 8301) e “Ferramentas intercambiáveis para
ferramentas manuais, mesmo mecânicas, ou para máquinas ferramentas (por exemplo, de
embutir, estampar, puncionar, roscar (incluindo atarraxar), furar, escarear, mandrilar, brochar,
fresar, tornear, aparafusar), incluindo as fieiras de estiramento ou de extrusão, para metais, e
as ferramentas de perfuração ou de sondagem” (SH4 8207). Os municípios de Ponta Porã e
Corumbá também se destacam nas exportações do setor de “Fabricação de produtos de
material plástico”.

Por sua vez, o setor de “Fabricação de móveis” aparece, predominantemente, em Ponta Porã
(Sudoeste de Mato Grosso do Sul) e Aparecida do Taboado (Leste de Mato Grosso do Sul). Os
produtos em destaque nesse setor são “Outros móveis e suas partes” (SH4 ) e “Suportes para
camas (somiês); colchões, edredões, almofadas, pufes, travesseiros e artigos semelhantes,
equipados com molas ou guarnecidos interiormente de quaisquer matérias, compreendendo
esses artigos de borracha alveolar ou de plástico alveolar, mesmo recobertos” (SH4 9404).

Já o setor de “Fabricação de instrumentos e materiais para uso médico e odontológico e de


artigos ópticos” desponta por meio de “Aparelhos de mecanoterapia; aparelhos de massagem;
aparelhos de psicotécnica; aparelhos de ozonoterapia, de oxigenoterapia, de aerossolterapia,
aparelhos respiratórios de reanimação e outros aparelhos de terapia respiratória” (SH4 9019).
Os municípios que já possuem vendas externas dos produtos com maior relevância são
Paranaíba (Leste de Mato Grosso do Sul) e Ponta Porã (Sudoeste de Mato Grosso do Sul).

Por fim, o setor de “Fabricação de artefatos de concreto, cimento, fibrocimento, gesso e


materiais semelhantes” é destaque nos municípios de Ponta Porã e Corumbá. Entre os produtos
do setor, destaca-se “Obras de fibrocimento, cimento-celulose e produtos semelhantes” (SH4
6811).

Com isso, nota-se que os setores em destaque com potencial para desenvolvimento apresentam
possibilidades para todas as mesorregiões do estado. Além disso, os nichos de mercado também
são diversos e vão além dos setores já consolidados (celulose, soja e carne) na pauta
exportadora do estado. Outro ponto importante são as oportunidades de maior
desenvolvimento em municípios que excedem os dez principais mencionados previamente no
estudo, como é o caso de Aparecida do Taboado, Mundo Novo, Paranaíba e Ponta Porã.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 68


6. PANORAMA DAS EXPORTAÇÕES DE SERVIÇOS
Esta seção discute o panorama das exportações de serviços, no Brasil e em Mato Grosso do Sul.
São apresentados os dados da balança comercial de serviços, os principais tipos de serviços
exportados, os destinos mais relevantes e a representatividade de cada unidade federativa nas
exportações de serviços nacionais.

6.1 COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL


Ao considerar o comércio exterior de serviços - que engloba, entre outros, os serviços
relacionados aos bens, transportes, viagens e outros - o Brasil assumiu, em 2019, o posto de 37º
maior exportador de serviços do mundo, conforme dados da UNCTAD. Em termos regionais, o
Brasil é o maior exportador de serviços da América Latina desde 2006.

Com base no gráfico a seguir, é possível observar que a balança comercial de serviços brasileira
foi deficitária, ao longo do período analisado (2009-2019). O déficit no comércio internacional
de serviços brasileiro cresceu de 2008 a 2014, até alcançar US$ 48,1 bilhões. Em 2015 e 2016, o
déficit apresentou redução em meio à recessão econômica no Brasil, a qual diminuiu a pressão
sobre o crescimento das importações. Já em 2017 e 2018, o déficit voltou a crescer, em 2017,
pelo aumento no valor das importações e, em 2018, devido à redução no valor exportado. Por
fim, em 2019, o déficit alcançou resultado similar ao observado no ano anterior.

Gráfico 13 – Balança Comercial de Serviços do Brasil – US$-Bilhões

84,4 88,1
79,0
74,1 70,7 72,4 71,1 69,1
60,8 63,7
47,0
37,0 38,8 38,0 40,0 35,4
30,7 33,8 33,3 34,5 33,9
27,7

-19,2
-30,2 -30,4
-37,2 -36,9 -37,9 -35,7 -35,2
-40,2
-46,4 -48,1
2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Importações Exportações Balança Comercial

Fonte: UNCTAD. Acesso: 04/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 69


Aspectos metodológicos das estatísticas do comércio de serviços, conforme a
Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento – UNCTAD
As estatísticas do comércio exterior de serviços correspondem aos conceitos e definições do Manual
da Balança de Pagamentos do FMI e da Posição de Investimento Internacional, conforme a sua sexta
edição (BPM6, 2009). Os valores disponibilizados, de acordo com a edição anterior do Manual (BPM5),
foram ajustados às definições do BPM6, desde que tal ajuste fosse viável. Quando possível, os valores
que faltaram, nas principais fontes internacionais, foram estimados usando taxas de crescimento
derivadas de dados secundários, disponíveis em fontes nacionais ou internacionais.
Conforme o BPM6, os serviços decorrem de uma atividade de produção que altera as condições das
unidades consumidoras ou facilita o comércio de produtos ou ativos financeiros. Desse modo, na
maior parte das vezes, os serviços não são itens separados sobre os quais incidem os direitos de
propriedade e não são segregados de sua produção. Porém, em algumas situações, os serviços
relacionados ao conhecimento – tais como, os softwares de computador e outros produtos de
propriedade intelectual - podem ser vendidos de forma separada de sua produção.
Cabe observar que, na balança de bens e serviços do balanço de pagamentos, o cômputo do valor dos
bens inclui o transporte interno, assim como os serviços de atacado e varejo. Por outro lado, o valor
de determinados serviços inclui o valor de alguns bens, como nos casos de viagens, construção e bens
e serviços públicos.

A tabela 32 apresenta os principais serviços exportados pelo Brasil, com base nas estatísticas do
SISCOSERV, conforme dados de 2019. O destaque é a categoria denominada “Serviços
profissionais, técnicos e empresariais (exceto pesquisa e desenvolvimento, tecnologia da
informação e serviços jurídicos e contábeis)” cujo valor exportado totalizou US$ 11,5 bilhões,
representando 37,5% das exportações brasileiras de serviços em 2019. Esse valor foi distribuído
entre 5.893 vendedores dessa categoria de serviços.

Tabela 32 – Principais serviços exportados pelo Brasil – 2019

Quantidade de
Descrição dos serviços exportados US$/Milhões Participação (%)
vendedores

Serviços profissionais, técnicos e empresariais


(exceto pesquisa e desenvolvimento, tecnologia 11.461,7 37,5 5.893
da informação e serviços jurídicos e contábeis)

Serviços financeiros e serviços relacionados 6.346,5 20,8 1.196


Serviços de tecnologia da informação 2.339,4 7,7 2.110
Serviços de manutenção, reparação e instalação
2.081,7 6,8 1.069
(exceto construção)
Serviços de apoio aos transportes 1.919,7 6,3 1.728
Serviços jurídicos e contábeis 1.319,7 4,3 1.149
Serviços de apoio às atividades empresariais 1.165,0 3,8 1.202
Arrendamento mercantil operacional,
propriedade intelectual, franquias e outros 753,9 2,5 680
direitos
Serviços de transporte de cargas 620,4 2,0 1.300
Serviços de pesquisa e desenvolvimento 483,6 1,6 471
Outros 2.042,1 6,7 -
Total 30.533,8 100 -

Fonte: SISCOSERV. Acesso: 04/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 70


Nota Metodológica das Estatísticas do SISCOSERV
O Siscoserv é o sistema eletrônico de registro do comércio internacional de serviços, intangíveis e
outras operações que produzam variações no patrimônio.
Não há obrigatoriedade de registro para as empresas optantes pelo Simples Nacional, para os
Microempreendedores Individuais (MEI) e para as pessoas físicas cujo valor transacionado seja
inferior a US$ 30 mil ao mês.
As informações são classificadas conforme a Nomenclatura Brasileira de Serviços, Intangíveis e
Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (NBS). A NBS classifica os serviços,
intangíveis e outras operações que produzam variações no patrimônio como produtos e não como
o setor de atividade econômica.
Portanto, o universo restrito de pessoas físicas e jurídicas obrigadas ao registro no Siscoserv, bem
como a classificação dos serviços e intangíveis por meio da NBS, distinguem os dados extraídos do
Siscoserv daqueles disponibilizados pela conta de serviços do Balanço de Pagamentos.

No que concerne aos principais destinos dos serviços exportados pelo Brasil, os Países Baixos
são o principal comprador dos serviços brasileiros, conforme a tabela abaixo. Em 2019, o país
importou aproximadamente US$ 8,6 bilhões em serviços provenientes do Brasil, o que envolveu
1.647 vendedores brasileiros e representou 28,2% das exportações de serviços do Brasil.
Destaca-se ainda o segundo principal destino dos serviços exportados pelo Brasil, os Estados
Unidos. As exportações para o país estadunidense envolveram 6.504 vendedores e
corresponderam a 25,1% do total.

Tabela 33 – Principais destinos dos serviços exportados pelo Brasil – 2019

Quantidade de
Destinos US$/Milhões Participação (%)
vendedores
Países Baixos
8.602,5 28,2 1.647
(Holanda)
Estados Unidos 7.679,1 25,1 6.504
Reino Unido 1.586,7 5,2 2.665
Alemanha 1.339,5 4,4 2.849
Suíça 1.058,1 3,5 2.054
Irlanda 677,0 2,2 970
Colômbia 668,4 2,2 1.462
China 663,6 2,2 1.915
França 582,7 1,9 2.136
Cingapura 541,7 1,8 1.116
Outros 7.134,5 23,4 -
Total 30.533,8 100,0 -
Fonte: SISCOSERV. Acesso: 04/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 71


No ranking dos principais estados exportadores de serviços do Brasil, Mato Grosso do Sul está
em décimo oitavo lugar, com valor exportado de US$ 7,3 milhões e cerca de 0,02% do total
exportado de serviços nacionais em 2019. O estado possui 16 empresas prestadoras de serviços
ao exterior, conforme pode ser observado na tabela a seguir.

Tabela 34 – Principais UF exportadoras de serviços – 2019

Participação no Quantidade de
UF de origem US$/Milhões
Brasil (%) vendedores
Rio de Janeiro 14.951,6 48,97 1.574
São Paulo 12.793,9 41,90 6.871
Paraná 780,5 2,56 631
Rio Grande do Sul 582,2 1,91 947
Santa Catarina 435,7 1,43 792
Minas Gerais 269,9 0,88 573
Distrito Federal 137,1 0,45 126
Espírito Santo 116,4 0,38 154
Maranhão 102,6 0,34 39
Bahia 91,2 0,30 149
Pernambuco 71,7 0,23 124
Pará 66,4 0,22 68
Ceará 43,0 0,14 112
Amazonas 24,4 0,08 65
Amapá 21,1 0,07 12
Goiás 12,4 0,04 44
Rio Grande do Norte 10,6 0,03 52
Mato Grosso do Sul 7,3 0,02 16
Mato Grosso 6,1 0,02 32
Alagoas 4,5 0,01 23
Piauí 1,6 0,005 5
Paraíba 1,4 0,005 11
Tocantins 1,2 0,004 5
Sergipe 0,66 0,002 8
Rondônia 0,25 0,001 4
Outras UF 0,21 0,001 9
Total 30.533,8 100,00 12.446

Fonte: SISCOSERV. Acesso: 04/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 72


6.2 COMÉRCIO EXTERIOR DE MATO GROSSO DO SUL
O gráfico abaixo exibe a participação de Mato Grosso do Sul no valor exportado em serviços pela
Região Centro-Oeste, com base em dados de 2019. Observa-se que a parcela é de 4,5%, o que
posiciona o estado como o terceiro principal exportador de serviços em âmbito regional.

O principal exportador da Região Centro-Oeste é o Distrito Federal, com 84,2% de market share
em 2019. Na sequência, está o estado de Goiás com 7,6% de participação nas exportações
regionais.

Gráfico 14 – Participação de Mato Grosso do Sul no valor (US$) exportado em serviços


na Região Centro-Oeste em 2019.

Distrito Federal 84,2%

Goiás 7,6%

Participação nas
Mato Grosso do Sul 4,5% exportações de serviços
da Região Centro-Oeste

Mato Grosso 3,8%

Fonte: SISCOSERV. Acesso: 04/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 73


Dentre os principais serviços exportados pelo Mato Grosso do Sul, estão “Serviços de apoio aos
transportes”, com valor exportado de US$ 5,14 milhões, resultado que corresponde a cerca de
70,61% da pauta exportadora do estado. Contribuem para esse desempenho as exportações de
11 prestadores de serviços. Ao total, o estado sul-mato-grossense exportou US$ 7,28 milhões
de serviços no ano de 2019.

Tabela 35 – Principais serviços exportados pelo Mato Grosso do Sul

Participação na
Participação Exportações do
Exportações da Quantidade pauta de serviços
na pauta de Brasil
Descrição dos serviços exportados UF US$/Milhões de da UF (%) no
serviços da US$/Milhões -
- 2019 vendedores total de serviços
UF (%) 2019
do Brasil
Serviços de apoio aos transportes 5,14 70,61 11 1.919,7 0,27
Serviços de transporte de cargas 0,90 12,42 4 620,4 0,15
Fornecimento de alimentação e bebidas e serviços de
0,06 0,88 8 353,0 0,02
hospedagem
Outros 1,17 16,09 6 27.640,7 -
Total 7,28 100,00 - 30.533,8 0,02

Fonte: SISCOSERV. Acesso: 04/09/2020.

O principal destino dos serviços exportados pelo Mato Grosso do Sul, conforme a tabela 36 e a
figura 5, é o Uruguai. Em 2019, as exportações sul-mato-grossenses para o mercado foram de
US$ 3,87 milhões, o que representou 53,1% do total de serviços exportados pelo estado.
Destaca-se ainda que tais exportações foram realizadas por 7 prestadores de serviços. O
Paraguai é o segundo principal destino, para onde 6 vendedores sul-mato-grossenses
exportaram cerca de US$ 2,21 milhões em 2019. Pontua-se que os principais destinos das
exportações de serviços mesclam mercados, mas os países da América do Sul se sobressaem.

A predominância de países vizinhos como destinos das exportações de serviços do Mato Grosso
do Sul se justifica pela concentração de mais de 80% em serviços de apoio aos transportes e
serviços de transporte. Boa parte das exportações de bens para esses países da região é feita
pelo modal rodoviário e esse tipo de serviço associa-se à logística de exportações de bens.

Tabela 36 - Principais destinos dos serviços exportados pelo MS em 2019

Quantidade de
Destinos US$/Milhões Participação (%)
vendedores
Uruguai 3,87 53,1 7
Paraguai 2,21 30,3 6
Reino Unido 0,23 3,1 5
Bolívia 0,13 1,8 6
Estados Unidos 0,03 0,5 5
Itália 0,01 0,1 4
Outros 0,81 11,1 -
Total 7,3 100,0 -

Fonte: SISCOSERV. Acesso: 20/05/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 74


Figura 5 - Participação dos principais destinos das exportações de Serviços de Mato
Grosso do Sul em 2019

Fonte: SISCOSERV. Acesso: 20/05/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 75


7. PANORAMA DOS INVESTIMENTOS ESTRANGEIROS DIRETOS

Esta seção aborda o panorama dos investimentos estrangeiros diretos no Brasil e em Mato
Grosso do Sul em relação aos seguintes aspectos: origem do capital, perfil setorial dos
investimentos, dados sobre os empregos gerados e sobre as principais empresas investidoras.
Reitera-se que para esta seção serão utilizadas as bases do Banco Central do Brasil, que possui
dados atualizados até 2015/16, e da Orbis, que possui dados atualizados até 2019.

7.1 INVESTIMENTOS NO BRASIL


A tabela a seguir apresenta os principais países investidores no Brasil. Os Estados Unidos são o
maior investidor no país, com um valor de US$ 122,9 bilhões. O desempenho estadunidense
representa 17,5% do total investido no país por não residentes, conforme dados de 2016, os
últimos disponibilizados pelo Banco Central do Brasil. Desse valor, US$ 103,6 bilhões referem-se
à participação no capital e os US$ 19,3 bilhões restantes são destinados às operações entre a
matriz e a filial.

Tabela 37 - Posição dos Investimentos por país do controlador final - Investimento


direto no Brasil em 2016 - US$/Milhões

Participação no Operações
País de origem do capital IDP Total % % %
capital intercompanhia
Estados Unidos 122.943 17,5 103.624 21,5 19.319 8,7
Países Baixos 102.024 14,5 14.637 3,0 87.387 39,3
Espanha 65.476 9,3 60.803 12,6 4.673 2,1
Bélgica 48.767 6,9 43.698 9,1 5.069 2,3
Suíça 44.277 6,3 21.957 4,6 22.319 10,0
Luxemburgo 35.355 5,0 16.349 3,4 19.006 8,5
França 33.032 4,7 29.028 6,0 4.004 1,8
Reino Unido 28.656 4,1 20.541 4,3 8.115 3,6
Japão 25.459 3,6 23.001 4,8 2.457 1,1
Alemanha 21.113 3,0 16.117 3,4 4.995 2,2
Outros países 176.228 25,1 131.229 27,3 44.999 20,2
Total Geral 703.328 100,0 480.984 100,0 222.344 100,0
Fonte: Banco Central do Brasil. Acesso: 17/08/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 76


Em termos de número de empresas investidoras no país, os Estados Unidos figuram na primeira
colocação, com 3.432 empresas com investimento direto no Brasil, conforme dados de 2015, os
últimos disponibilizados pelo Banco Central do Brasil. O país também registrou o maior
incremento na quantidade de empresas investidoras entre 2010 e 2015, com o aumento de 541
novas empresas a realizarem investimentos no Brasil.

Tabela 38 - Quantidade de empresas de investimento direto no Brasil - Distribuição por


país do controlador final

País 2010 2015 Variação 2010-2015

Estados Unidos 2.891 3.432 541


Itália 1.030 1.262 232
Espanha 971 1.114 143
Brasil 731 1.056 325
Alemanha 835 1.045 210
França 596 893 297
Reino Unido 510 776 266
Países Baixos 616 771 155
Portugal 579 701 122
Suíça 461 613 152
Outros países 5.054,0 5.871 817
Total 14.274 17.534 3.260
Fonte: Banco Central do Brasil. Acesso: 17/08/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 77


Quanto à distribuição do investimento estrangeiro no país por setores, a Indústria de
Transformação é o principal setor para a atração dos investidores estrangeiros, como destino de
37,2% dos investimentos no país, seguido por Atividades financeiras, de seguros e serviços
relacionados (27,5%).

Gráfico 15 - Investimento direto no Brasil em 2016 – Distribuição por setor de atividade


econômica dos investimentos totais realizados

Fonte: Banco Central do Brasil. Acesso: 17/08/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 78


7.2 INVESTIMENTOS EM MATO GROSSO DO SUL
O gráfico 16 exibe a participação da receita bruta das empresas que realizaram investimento
direto na Região Centro-Oeste e no Brasil. Observa-se que Mato Grosso do Sul foi o quarto
estado mais representativo, com 12,8% de participação na Região Centro-Oeste e com 0,8% no
Brasil. Na região, o estado com maior participação é Goiás, com 34,0% em 2015.

Gráfico 16 - Receita bruta de empresas de Investimento Direto nos Estados do Centro-


Oeste, em 2015 – Participações no Brasil e na Região Centro-Oeste

2,2%
Goiás
34,0%

2,0%
Mato Grosso
31,8%

1,4%
Distrito Federal
21,3%

0,8% Participação no Brasil


Mato Grosso do Sul Participação na Região Centro-Oeste
12,8%

Fonte: Banco Central do Brasil. Acesso: 17/08/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 79


A tabela 39 mostra a capacidade de geração de empregos das empresas investidoras nos estados
da Região Centro-Oeste. O estado de Mato Grosso do Sul foi o quarto estado da região que mais
gerou empregos diretos relacionados ao investimento estrangeiro, com 13,4% de participação
dos empregos gerados na região e de 0,6% no Brasil.

Tabela 39 - Geração de empregos de empresas de Investimento Direto Estrangeiro em


2015

Participação da geração Participação da geração


UF Geração de empregos de empregos diretos no de empregos na Região
Brasil Centro-Oeste
Goiás 73.283 2,1% 44,4%
Distrito Federal 43.431 1,2% 26,3%
Mato Grosso 26.035 0,7% 15,8%
Mato Grosso do Sul 22.128 0,6% 13,4%
Região Centro-Oeste 164.877 4,7% -

Fonte: Banco Central do Brasil. Acesso: 17/08/2020.

A tabela 40 expõe a distribuição dos investimentos estrangeiros diretos na indústria sul-mato-


grossense, no período 2010-2015. Observa-se que houve uma redução de aproximadamente
US$ 3,1 bilhões na posição de investimentos no fim do período. Em 2015, os investimentos
diretos na indústria estadual totalizaram cerca de US$ 673,9 milhões. O setor que mais recebeu
investimentos foi o de “Produtos alimentícios”, no valor de US$ 202,4 milhões em 2015.

Tabela 40 - Posição de Investimentos - Investimento direto em Mato Grosso do Sul -


2010 e 2015 - US$/Milhões

Variação
Categoria da distribuição do ativo imobilizado 2010 2015
2010-2015
Total Indústria 3.766,8 673,9 -3.092,9
Produtos alimentícios 467,2 202,4 -264,8
Produtos de borracha e de material plástico - 79,5 79,5
Coque, derivados de petróleo e biocombustíveis 292,7 69,0 -223,7
Produtos químicos 66,8 32,3 -34,5
Produtos minerais não-metálicos - 18,4 18,4
Bebidas - 7,8 7,8
Máquinas e equipamentos - 5,0 5,0
Preparação de couro e fabricação de artefatos de couro e
- 0,8 0,8
calçados
Manutenção, reparação e instalação de máquinas e
- 0,3 0,3
equipamentos
Outros¹ 2.940,1 258,4 -2.681,7

¹ Inclui itens não elencados e informações que não atendem ao critério de confidencialidade.
Fonte: Banco Central do Brasil. Acesso: 27/04/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 80


A tabela 41 exibe os investimentos greenfield anunciados por empresas em Mato Grosso do Sul,
de janeiro de 2013 a julho de 2019. Esse tipo de investimento caracteriza-se pela construção de
novas plantas ou pela expansão de plantas já existentes para ampliação de sua capacidade
produtiva. Nesse sentido, destaca-se que a principal empresa é a ARCHER DANIELS MIDLAND
COMPANY, cujo investimento anunciado no período foi de aproximadamente US$ 250,0
milhões, o que representou 87,6% dessa categoria de investimentos no estado. A geração de
empregos decorrentes é estimada em 80 novas vagas ou 1,7% da geração de empregos no
estado sul-mato-grossense provenientes de investimentos greenfield.

Tabela 41 - Investimentos greenfield anunciados por empresas entre Janeiro/2013 e


Julho/2019 em Mato Grosso do Sul

Investimento Geração de
Empresas Participação Participação
(US$/Milhões) empregos¹
ARCHER DANIELS MIDLAND COMPANY 250,0 87,6% 80 1,7%
COMPAGNIE DE SAINT-GOBAIN SA 15,5 5,4% 70 1,5%
YAZAKI CORPORATION 14,2 5,0% 1.600 33,7%
ATENTO SL 5,6 2,0% 3.000 63,2%
Total Geral 285,2 100,0% 4.750 100,0%

¹ Os dados de emprego são modelados pela Orbis, por isso, a parametrização de alguns itens.
Fonte: Orbis. Acesso: 19/09/2020.

A tabela 42 destaca os principais países de origem dos investimentos greenfield anunciados para
Mato Grosso do Sul, entre janeiro de 2013 e julho de 2019. Os Estados Unidos são o mais
relevante com investimentos de aproximadamente US$ 250,0 milhões, com estimativa de que
tenham gerado cerca de 80 empregos no período. O país representou 87,6% do total de
investimentos anunciados para Mato Grosso do Sul, no período, e 1,7% do total de novos postos
de trabalho gerados.

Tabela 42 - Investimentos greenfield anunciados por país de origem entre Janeiro/2013


e Julho/2019 em Mato Grosso do Sul

Investimento Geração de
País de origem do capital Participação Participação
(US$/Milhões) empregos¹
Estados Unidos 250,0 87,6% 80 1,7%
França 15,5 5,4% 70 1,5%
Japão 14,2 5,0% 1.600 33,7%
Espanha 5,6 2,0% 3.000 63,2%
Total Geral 285,2 100,0% 4.750 100,0%

¹ Os dados de emprego são modelados pela Orbis, por isso, a parametrização de alguns itens.
Fonte: Orbis. Acesso: 19/09/2020.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 81


A tabela 43 elenca os principais municípios de destino dos investimentos do tipo greenfield
anunciados para Mato Grosso do Sul, entre janeiro de 2013 e julho de 2019. O município que
recebeu os maiores aportes de investimentos foi a capital, Campo Grande, para onde foram
anunciados US$ 271,1 milhões e prevista a geração de 3.150 empregos no período.

Tabela 43 - Investimentos greenfield anunciados por município entre Janeiro/2013 e


Julho/2019 em Mato Grosso do Sul

Investimento Geração de
Município de destino Participação Participação
(US$/Milhões) empregos¹
Campo Grande 271,1 95,0% 3.150 66,3%
Bonito 14,2 5,0% 1.600 33,7%
Total Geral 285,2 100,0% 4.750 100,0%

¹ Os dados de emprego são modelados pela Orbis, por isso, a parametrização de alguns itens.
Fonte: Orbis. Acesso: 19/09/2020.

Por fim, segundo o Valor 1000 de 2017, publicação da revista Valor Econômico que elenca as
maiores empresas que atuam no Brasil por origem, a maior delas com sede em Mato Grosso do
Sul é a Taurus, na posição 317 do ranking nacional. A empresa, que atua no setor de petróleo e
gás, teve a receita líquida estimada em aproximadamente R$ 1,8 bilhão. Destaca-se que, ao
considerar as empresas sul-mato-grossenses do ranking, evidencia-se que todas atuam em
diferentes setores.

Tabela 44 - Principais empresas do ranking Valor 1000 com sede em Mato Grosso do
Sul

Receita líquida Lucro líquido


Ranking Origem do Ebitda (em R$
Empresa Setor de atividade (em R$ (em R$
2017 capital milhões)
milhões) milhões)
317 Taurus Petróleo e Gás 1.814 BR 28,6 47,4
502 Copasul Agropecuária 1.013 BR 29,5 40,1
838 Iaco Agrícola Açúcar e Álcool 494 BR 7,1 217,6
842 Sanesul Água e Saneamento 488 BR 100,2 152,9

*Dados extraídos do balanço consolidado ou combinado.


Fonte: Valor Econômico. Acesso: 27/05/2020

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 82


7.3 POR QUE INVESTIR EM MATO GROSSO DO SUL?
O estado de Mato Grosso do Sul tem fortalecido sua posição no cenário nacional, melhorando
seu posicionamento no PIB e PIB per capita, ocupando em 2017 a décima quinta colocação no
primeiro indicador e a oitava no segundo indicador. Como demonstra a pauta exportadora do
estado, os principais subsetores são “Celulose”, “Soja mesmo triturada” e “Carne de boi in
natura”, plenamente consolidados no estado. A principal parceria comercial é a China, um dos
países de maior dinamismo econômico no mundo nos últimos vinte anos, mas o estado também
mantém exportações para países desenvolvidos como o Japão e os Estados Unidos, além de
beneficiar-se de fatores locacionais com exportações para os países da América do Sul, em bens
e serviços.

O estado tem no desenvolvimento agrário um importante trunfo para promover seu acesso a
mercados internacionais. Nesse sentido, destaca-se a atuação da Agência de Desenvolvimento
Agrário e Extensão Rural - AGRAER. Conforme o site institucional, a agência sustenta sua missão
em dois pilares:

 Definir as políticas e a coordenação das atividades de assistência técnica, extensão rural,


pesquisa e outros serviços ligados ao desenvolvimento e ao aprimoramento da
agricultura e da pecuária, destinadas aos produtores rurais, com prioridade para os
agricultores familiares, agricultores tradicionais, assentados, indígenas, quilombolas,
pescadores e aquicultores;

 Promover o Desenvolvimento Rural Sustentável em todo o estado de Mato Grosso do


Sul, a concepção e a proposição da política de reforma e o desenvolvimento agrário,
visando à regularização fundiária e aos projetos de assentamentos rurais, observadas as
normas de preservação ambiental e os princípios do desenvolvimento sustentável.

Observa-se, portanto, que além do fomento aos negócios e à concretização em ampla oferta do
mercado doméstico e internacional, o estado também desenvolve ações para promover a
agricultura familiar. Com isso, propicia ainda possibilidades de desenvolvimento regional que
alcançam toda a população. Entre os serviços oferecidos pela agência, destacam-se: assistência
técnica e extensão rural, Centro de Comercialização da Agricultura Familiar – CECAF, crédito
fundiário, crédito rural, pesquisa agropecuária, regularização fundiária e cartografia e
transferência de tecnologia.

Mato Grosso do Sul também atrai investimentos em eixos estruturantes, sobretudo, na área
energética, conforme enfatizado pela Rede Nacional de Informações sobre o Investimento–
RENAI. Entre os investimentos de maior realce estão o gasoduto Brasil-Bolívia (GASBOL) e a
Usina Hidrelétrica de Costa Rica.

O estado é destaque em termos energéticos. Mato Grosso do Sul demonstra consonância com
tendências mundiais que atendem requisitos como ser economicamente viável e que
consideram todos os preceitos do desenvolvimento sustentável. Conforme o Atlas Solarimétrico
do Brasil, o estado de Mato Grosso do Sul apresenta insolação diária média em número de horas
e radiação solar global diária média (MJ/m2.dia) semelhantes às encontradas em grandes áreas
referenciais da Região Nordeste do Brasil.

De acordo com o relatório do Panorama Energético do 1º trimestre de 2020, realizado pelo


governo de Mato Grosso do Sul, a produção de energia elétrica no estado é totalmente
renovável. O estado conta com 71 usinas que produziram 3.081 megawatts (MW) em 2019. A
principal fonte produtora é a de biomassa de cana de açúcar, com 20 usinas produziu 37,49% do

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 83


total, ou 1.155 MW. As 44 hidrelétricas produziram 541 MW, participando com 22,83%. Outras
fontes de energia são: gás natural, biomassa de lixívia e fotovoltaica. A demanda total do estado
é de 1.110 MW e apenas 36% da capacidade instalada é utilizada no estado.

O governo estadual, em prol do desenvolvimento, recuperou 12 mil quilômetros de rodovias e


pavimentou mais de 1,5 milhão de metros quadrados em vias urbanas. Além disso, oferece
possibilidade de acesso a crédito e a benefícios fiscais. Um dos exemplos é o Fundo
Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste, que tem o objetivo de contribuir para o
desenvolvimento econômico e social, sendo um recurso que beneficia as empresas e os
produtores rurais que desejam implantar, ampliar, modernizar ou relocalizar seus
empreendimentos.

Para 2020, as prioridades setoriais são projetos que englobem os seguintes tópicos: da economia
solidária; que contribuam para a segurança alimentar ou para a produção de alimentos no país;
voltados para a conservação e a proteção do meio ambiente, para a recuperação de áreas
degradadas/alteradas, de reserva legal, de matas ciliares e/ou de preservação permanente,
para a recuperação de vegetação nativa e o desenvolvimento de atividades sustentáveis, bem
como de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF); que utilizem tecnologias inovadoras e/ou
contribuam para a geração e difusão de novas tecnologias nos setores empresarial e
agropecuário e projetos de apoio à biossegurança; do setor de turismo, especialmente para
implantação, expansão e modernização de empreendimentos em polos turísticos; da indústria;
dos setores comercial e de serviços; que apoiem o desenvolvimento da agropecuária irrigada,
da armazenagem de grãos, da pesca e da aquicultura; de apoio a empreendimentos não
governamentais de infraestrutura em abastecimento de água e de tratamento de esgoto e
efluentes; que apoiem a criação de novos centros, atividades e polos dinâmicos, notadamente
em áreas interioranas, que estimulem a redução das disparidades intra e inter-regionais de
renda e infraestrutura urbana- implantação de centros administrativos para atender à prestação
de serviços ofertados pelo poder público; que utilizem energia elétrica.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 84


POLÍTICA INDUSTRIAL DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL
O governo estadual de Mato Grosso do Sul estabeleceu uma política industrial para
fomentar as atividades empresariais. Os objetivos incluem estimular a transformação dos
produtos primários e recursos naturais; ampliar a base produtiva industrial e sua
interiorização; incentivar a instalação de novas indústrias detentoras de tecnologia
avançada; dar maior competitividade ao Parque Industrial existente; verticalizar, diversificar
e internalizar valor; e gerar emprego e renda à população.

Um dos programas é o MS Empreendedor, sob a Lei Complementar Nº 93/01. Entre as


características estão benefícios ou incentivos fiscais concedidos às indústrias que se
instalarem ou ampliarem suas instalações, de até 67% do ICMS devido, pelo prazo de até 15
anos, prorrogável por igual período, conforme perfil do empreendimento. Além disso, há
possibilidade de: (i) dispensa do pagamento do ICMS incidente sobre as entradas
interestaduais ou sobre a importação de máquinas e equipamentos, destinados ao ativo fixo
da empresa; (ii) diferimento do ICMS incidente sobre importações de matérias-primas.

Cabe mencionar que os municípios detêm políticas diferenciadas para atração de indústrias,
negociadas diretamente com o Chefe do Poder Executivo Municipal. Alguns dos benefícios
podem abranger a doação de áreas em Núcleos Industriais; terraplanagem; isenção de
Impostos Predial Territorial Urbano-IPTU e Imposto Sobre Serviços-ISS; e capacitação de
mão de obra.

Conforme informações constantes no site do governo estadual, além das linhas de crédito
tradicionais oferecidas por instituições bancárias (BNDES Automático, FINAME e PROGER),
Mato Grosso Sul detém linha de fomento empresarial do Fundo Constitucional de
Financiamento do Centro-Oeste - FCO. As empresas e os produtores rurais podem solicitar
empréstimos de até R$ 4,8 milhões excepcionalmente podendo alcançar até R$ 40 milhões.

Por fim, destaca-se também que o estado estabeleceu prioridades espaciais para
empreendimentos localizados em municípios integrantes da Faixa de Fronteira, municípios da
Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE), exceto os municípios
localizados no Estado de Minas Gerais, que não são beneficiários do FCO; e municípios
integrantes das microrregiões classificadas pela Tipologia da PNDR como média renda,
independentemente do seu dinamismo. Além disso, empreendimentos localizados no meio
rural, dos minis, pequenos e pequeno-médios produtores rurais, das suas associações, das suas
cooperativas e da agricultura familiar também têm prioridade, assim como empreendimentos
localizados no meio urbano, desde as micro, pequenas e pequenas-médias empresas, inclusive,
microempreendedores individuais.

Fonte: RENAI, Governo estadual de Mato Grosso do Sul.

8
9

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 85


8. CONCLUSÕES
Este estudo apresentou o perfil exportador de bens e serviços do estado de Mato Grosso do Sul,
com o intuito de identificar potenciais oportunidades de exportações para melhor inserção dos
produtos sul-mato-grossenses no mercado externo. Nesse sentido, foram analisados os cinco
destinos mais atrativos para as exportações do estado (China, Estados Unidos, Argentina, Itália
e Uruguai) e foram identificados os produtos, classificados por código SH6, que apresentaram
as melhores oportunidades de exportação.

Ressalta-se que Mato Grosso do Sul apresenta alta concentração de setores em todo o período
analisado, 2000-2019. Já em termos de destinos, o estado registra baixo nível de concentração
de 2000 a 2012, passando por cinco anos de média concentração, 2013-2017, e finalmente
registrando alta concentração de destinos nos anos finais, 2018 e 2019. De modo geral, a
distribuição das exportações do estado por intensidade tecnológica indica que as exportações
sul-mato-grossenses são predominantemente de produtos primários (54,6%), seguidas pelas de
produtos intensivos em recursos naturais (42,9%) e de intensivos em trabalho (1,4%), de acordo
com os dados de 2019. Porém, o estado também realiza exportações nas demais categorias, tais
como intensivos em economias de escala (0,7%), intensivos em P&D (0,3%) e fornecedores
especializados (0,2%). Contudo, análises específicas dos destinos selecionados revelam que,
para Uruguai e Argentina, as exportações sul-mato-grossenses estão concentradas em produtos
primários, enquanto para China, Estados Unidos e Itália predominam as exportações de
produtos intensivos em recursos naturais.

Enfatiza-se que a vocação agropecuária do estado está fortemente representada na pauta


exportadora, tendo como carros-chefes carne bovina e soja, ambas commodities, dadas suas
características no comércio internacional. Com isso, cabe mencionar os desafios associados à
dependência desses produtos nas exportações, como a ampla volatilidade dos preços,
estabelecidos internacionalmente, bem como no que tange às estratégias afetadas pela política
cambial, sobretudo, na exportação de carne, uma vez que esse produto também possui amplo
espaço na demanda doméstica. Quanto à carne bovina, cumpre destacar que ela pode alcançar
diferenciação de produto, por possuir grande potencial para maior valor agregado, e avançar
para além de exportações de baixa intensidade tecnológica normalmente relacionadas a
alimentos que passam por processos de industrialização pouco complexos.

Destaca-se ainda que além da vocação agropecuária, o estado desponta com um importante
complexo de celulose, principal setor exportador do estado. Nesse sentido, Mato Grosso do Sul
possui o maior complexo de celulose do Brasil e é o principal exportador brasileiro de produtos
dessa cadeia, seguido pelo Rio Grande do Sul.

Os principais municípios exportadores do estado, ressaltados no estudo, representam cerca de


87,2% do total exportado. Entretanto, cabe destacar que o município de Três Lagoas desponta
entre os demais, ao responder por quase 50% das exportações do estado. O município exporta
100% de “Pastas químicas de madeira, à soda ou ao sulfato, exceto pastas para dissolução” (SH4
4703) e de “Papel e cartão, não revestidos, dos tipos utilizados para escrita” (SH4 4802). Além
disso, exporta 66,8% do total de “Tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja”
(SH4 2304).

No que se refere às oportunidades mapeadas a partir da metodologia da Apex-Brasil, o estado


sul-mato-grossense registrou 212 produtos. Foram classificadas como em “Abertura” 72,2% das
oportunidades, 5,7% delas em “Consolidação”, 9,4% em “Manutenção” e 12,7% em

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 86


“Recuperação”. Ao ser considerada a classificação dessas oportunidades por complexos,
“Alimentos e Bebidas” foi a categoria que registrou o maior número de oportunidades, isto é,
setenta e quatro, o que representa 34,9% do total. Na sequência, por ordem de relevância,
aparecem os complexos de “Moda, Higiene Pessoal e Cosméticos” com 17,5%; “Produtos
Agropecuários” com 15,6%; “Máquinas e Equipamentos, Aparelhos e Materiais Elétricos” com
10,4%; e “Celulose, Papel e Impressão” com 7,1%. Os demais setores juntos representam 14,6%,
são eles: “Metalurgia e Produtos de Metal (exceto Máquinas e Equipamentos)”, “Indústria
Extrativa Mineral”, “Produtos Químicos”, “Madeira, Móveis e Outras Manufaturas”,
“Equipamentos de Transporte” e “Produtos de Borracha e de Material Plástico”.

Em relação aos países selecionados, as exportações sul-mato-grossenses dos principais


produtos, celulose, soja e carne bovina, marcam todos os destinos destacados. Para China,
Estados Unidos e Itália, o principal produto é “Pasta química de madeira de não conífera, à soda
ou sulfato” (SH6 470329). Para o Uruguai, o principal produto é “Minérios de ferro não
aglomerados e seus concentrados” (SH6 260111), e para a Argentina, “Soja, mesmo triturada,
exceto para semeadura” (SH6 120190).

Da mesma forma, as oportunidades também apresentam similaridade nos destinos. No que diz
respeito à China, foram indicadas trinta e sete oportunidades: trinta e duas em “Abertura”; duas
em “Manutenção” e três em “Recuperação”. Os complexos que predominam entre as
oportunidades são “Alimentos e Bebidas” e “Celulose, Papel e Impressão”. Nesse sentido, há
destaque para os produtos “Pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas, congelados”
(SH6 020714), um dos principais da categoria “Recuperação”; e para “Pasta química de madeira
de não conífera, à soda ou sulfato” (SH6 470329), um dos mais relevantes na classificação em
“Manutenção”.

No que tange aos produtos classificados como oportunidades para Mato Grosso do Sul nos
Estados Unidos, foram apontadas trinta e três oportunidades: vinte e sete em “Abertura”,
quatro em “Manutenção” e duas em “Recuperação”. O complexo que mostra o maior número
de oportunidades é “Alimentos e Bebidas”. Os produtos relevantes nesse complexo são “Filés
de tilápias (frescos, refrigerados ou congelados)” (SH6 030431), categorizado em
“Manutenção”; e “Outros produtos de origem animal, impróprios para alimentação humana”
(SH6 051199), o qual aparece entre as principais oportunidades em “Abertura”.

Em relação à Argentina, os produtos identificados para o estado totalizaram sessenta e três


oportunidades, sendo quarenta e cinco em “Abertura”; seis em “Consolidação”; quatro em
“Manutenção” e oito em “Recuperação”. Os complexos de “Alimentos e Bebidas” e “Moda,
Higiene Pessoal e Cosméticos” distinguem-se dos demais. Assim, entre os principais produtos,
estão “Carnes de bovino, desossadas, congeladas - carnes” (SH6 020230), como oportunidade
em “Abertura”; e “Algodão, não cardado nem penteado” (SH6 520100), classificado como em
“Consolidação”.

No que concerne à Itália, os produtos para o estado no país totalizaram trinta e sete
oportunidades, sendo vinte e nove em “Abertura”; uma em “Consolidação”; duas em
“Manutenção” e cinco em “Recuperação”. Os complexos de maior relevância são “Alimentos e
Bebidas” e “Produtos Agropecuários”. Entre os produtos, sublinham-se: “Tortas e outros
resíduos sólidos da extração do óleo de soja” (SH6 230400) e “Milho, exceto para semeadura”
(SH6 100590), ambos elencados como em “Abertura”.

Finalmente, em relação aos produtos classificados como oportunidades para o estado no


Uruguai, foram apontadas quarenta e duas oportunidades, sendo vinte em “Abertura”; cinco

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 87


em “Consolidação”; oito em “Manutenção” e nove em “Recuperação”. Os complexos que
registraram o maior número de oportunidades foram “Moda, Higiene Pessoal e Cosméticos” e
“Alimentos e Bebidas”. Os produtos em destaque nesse complexo foram “Outros tecidos de
fibras descontínuas de poliéster” (SH6 551519), um dos produtos em “Consolidação”; e “Carnes
de bovino, desossadas, frescas ou refrigeradas - carnes” (SH6 020130), classificado em
“Manutenção”.

Quanto aos setores com potencial para a exportação de bens, foram analisados cento e
dezesseis setores agregados conforme a Classificação Nacional por Atividades Econômicas
(CNAE 2.0) e selecionados os seis que apresentaram as maiores chances de negócios para o
estado de Mato Grosso do Sul no exterior, quais sejam: “Fabricação de produtos farmacêuticos”,
seguido por “Fabricação de artigos de cutelaria, de serralheria e ferramentas”, “Fabricação de
produtos de material plástico”, “Fabricação de móveis”, “Fabricação de instrumentos e
materiais para uso médico e odontológico e de artigos ópticos” e “Fabricação de artefatos de
concreto, cimento, fibrocimento, gesso e materiais semelhantes”.

Nota-se que todos os setores selecionados com potencial para exportação de bens registram
baixa participação na composição das exportações. Mesmo juntos, os setores não alcançam 1%
de representatividade nas exportações sul-mato-grossenses. Isso se deve, sobretudo, à
dimensão das exportações dos principais setores, conforme já pontuado entre os principais
produtos exportados pelo estado, assim como por intensidade tecnológica e concentração
setorial. Ainda assim, cabe mencionar que as exportações dos setores estão em trajetória de
ascensão e, com a estrutura já estabelecida, podem ampliar suas potencialidades.

Este estudo, ademais, apresentou um panorama das exportações de serviços de Mato Grosso
do Sul. No ranking dos principais estados exportadores de serviços do Brasil, está em décimo
oitavo lugar, com dezesseis empresas prestadoras de serviços ao exterior. Já em âmbito
regional, o estado encontra-se na terceira colocação. O principal destino dos serviços sul-mato-
grossenses exportados é o Uruguai, com 53,1% de participação.

Por fim, no que tange aos investimentos externos diretos em Mato Grosso do Sul, ressalta-se
que o estado foi o quarto mais representativo em termos de participação da receita bruta das
empresas que realizaram investimento direto na Região Centro-Oeste. Na indústria, a principal
categoria de destino do investimento estrangeiro é “Produtos alimentícios”. Os Estados Unidos
são o principal país de origem dos investimentos greenfield anunciados para Mato Grosso do
Sul, entre janeiro de 2013 e julho de 2019.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 88


ÍNDICE DE FIGURAS
FIGURA 1 – DADOS GERAIS DE MATO GROSSO DO SUL E SUA COMPOSIÇÃO DO PIB 6
FIGURA 2- MAPA DA DIVISÃO GEOPOLÍTICA DE MATO GROSSO DO SUL POR
MESORREGIÃO E PARTICIPAÇÃO NAS EXPORTAÇÕES EM 2019 ................. 13
FIGURA 3 - EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL E DISTRIBUIÇÃO POR
MACROSSETORES EM 2016 E 2019 ....................................... 14
FIGURA 4 – PARTICIPAÇÃO DOS PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES DE BENS
DE MATO GROSSO DO SUL EM 2019 ...................................... 27
FIGURA 5 - PARTICIPAÇÃO DOS PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES DE
SERVIÇOS DE MATO GROSSO DO SUL EM 2019 ............................. 75

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 89


ÍNDICE DE TABELAS
TABELA 1 - EXPORTAÇÕES DA REGIÃO CENTRO-OESTE POR UF ................ 8
TABELA 2 - 10 PRINCIPAIS MUNICÍPIOS EXPORTADORES DE MATO GROSSO DO SUL
E SEUS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS (SH4) ........................ 11
TABELA 3 - EXPORTAÇÕES POR MESORREGIÃO ............................. 12
TABELA 4 - PRINCIPAIS SETORES EXPORTADOS PELO MATO GROSSO DO SUL ... 16
TABELA 5 - PRINCIPAIS EMPRESAS EXPORTADORAS DE MATO GROSSO DO SUL .. 23
TABELA 6 - EMPRESAS EXPORTADORAS POR FAIXAS DE VALOR ............... 24
TABELA 7 - PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES (US$ MILHÕES) DE MATO
GROSSO DO SUL ...................................................... 26
TABELA 8 - PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO GROSSO DO SUL PARA
A CHINA ............................................................ 30
TABELA 9 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A CHINA SOB O CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE,
CLASSIFICADOS COMO EM "ABERTURA" ................................... 33
TABELA 10 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A CHINA PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “MANUTENÇÃO” ................................. 34
TABELA 11 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A CHINA PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “RECUPERAÇÃO” ................................ 35
TABELA 12 - PRINCIPAIS PRODUTOS SH6 EXPORTADOS PELO MATO GROSSO DO SUL
PARA OS ESTADOS UNIDOS ............................................. 37
TABELA 13 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA OS ESTADOS UNIDOS PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET
SHARE – CLASSIFICADOS COMO EM “ABERTURA” ........................... 40
TABELA 14 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA OS ESTADOS UNIDOS PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET
SHARE – CLASSIFICADOS COMO EM “MANUTENÇÃO” ......................... 41
TABELA 15 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA OS ESTADOS UNIDOS PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET
SHARE – CLASSIFICADOS COMO EM “RECUPERAÇÃO” ........................ 42
TABELA 16 - PRINCIPAIS PRODUTOS SH6 EXPORTADOS PELO MATO GROSSO DO SUL
PARA A ARGENTINA ................................................... 44
TABELA 17 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A ARGENTINA PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “ABERTURA” ................................... 47
TABELA 18 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A ARGENTINA PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “CONSOLIDAÇÃO” ............................... 48
TABELA 19 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A ARGENTINA PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “MANUTENÇÃO” ................................. 49

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 90


TABELA 20 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A ARGENTINA PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “RECUPERAÇÃO” ................................ 50
TABELA 21 - PRINCIPAIS PRODUTOS SH6 EXPORTADOS PELO MATO GROSSO DO SUL
PARA A ITÁLIA ...................................................... 51
TABELA 22 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A ITÁLIA PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “ABERTURA” ................................... 54
TABELA 23 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A ITÁLIA PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “CONSOLIDAÇÃO” ............................... 55
TABELA 24 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A ITÁLIA PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “MANUTENÇÃO” ................................. 56
TABELA 25 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA A ITÁLIA PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “RECUPERAÇÃO” ................................ 57
TABELA 26 – PRINCIPAIS PRODUTOS SH6 EXPORTADOS PELO MATO GROSSO DO SUL
PARA O URUGUAI ..................................................... 58
TABELA 27 – OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA O URUGUAI PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “ABERTURA” ................................... 61
TABELA 28 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA O URUGUAI PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “CONSOLIDAÇÃO” ............................... 62
TABELA 29 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA O URUGUAI PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “MANUTENÇÃO” ................................. 63
TABELA 30 - OPORTUNIDADES DOS PRINCIPAIS PRODUTOS EXPORTADOS PELO MATO
GROSSO DO SUL PARA O URUGUAI PELO CRITÉRIO DE GANHO DE MARKET SHARE –
CLASSIFICADOS COMO EM “RECUPERAÇÃO” ................................ 64
TABELA 31 - SETORES SELECIONADOS COM POTENCIAL PARA EXPORTAÇÃO DE BENS
DE MATO GROSSO DO SUL .............................................. 67
TABELA 32 – PRINCIPAIS SERVIÇOS EXPORTADOS PELO BRASIL – 2019 ...... 70
TABELA 33 – PRINCIPAIS DESTINOS DOS SERVIÇOS EXPORTADOS PELO BRASIL –
2019 71
TABELA 34 – PRINCIPAIS UF EXPORTADORAS DE SERVIÇOS – 2019 .......... 72
TABELA 35 – PRINCIPAIS SERVIÇOS EXPORTADOS PELO MATO GROSSO DO SUL . 74
TABELA 36 - PRINCIPAIS DESTINOS DOS SERVIÇOS EXPORTADOS PELO MATO GROSSO
DO SUL EM 2019 ..................................................... 74
TABELA 37 - POSIÇÃO DOS INVESTIMENTOS POR PAÍS DO CONTROLADOR FINAL -
INVESTIMENTO DIRETO NO BRASIL EM 2016 - US$/MILHÕES ................ 76

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 91


TABELA 38 - QUANTIDADE DE EMPRESAS DE INVESTIMENTO DIRETO NO BRASIL -
DISTRIBUIÇÃO POR PAÍS DO CONTROLADOR FINAL ......................... 77
TABELA 39 - GERAÇÃO DE EMPREGOS DE EMPRESAS DE INVESTIMENTO DIRETO
ESTRANGEIRO EM 2015 ................................................ 80
TABELA 40 - POSIÇÃO DE INVESTIMENTOS - INVESTIMENTO DIRETO EM MATO GROSSO
DO SUL - 2010 E 2015 - US$/MILHÕES ................................. 80
TABELA 41 - INVESTIMENTOS GREENFIELD ANUNCIADOS POR EMPRESAS ENTRE
JANEIRO/2013 E JULHO/2019 EM MATO GROSSO DO SUL .................... 81
TABELA 42 - INVESTIMENTOS GREENFIELD ANUNCIADOS POR PAÍS DE ORIGEM ENTRE
JANEIRO/2013 E JULHO/2019 EM MATO GROSSO DO SUL .................... 81
TABELA 43 - INVESTIMENTOS GREENFIELD ANUNCIADOS POR MUNICÍPIO ENTRE
JANEIRO/2013 E JULHO/2019 EM MATO GROSSO DO SUL .................... 82
TABELA 44 - PRINCIPAIS EMPRESAS DO RANKING VALOR 1000 COM SEDE EM MATO
GROSSO DO SUL ...................................................... 82

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 92


ÍNDICE DE GRÁFICOS
GRÁFICO 1 - EVOLUÇÃO DA PARTICIPAÇÃO (%) DO PIB DE MATO GROSSO DO SUL
NO PIB DA REGIÃO CENTRO-OESTE – 2002 A 2017 ......................... 7
GRÁFICO 2 - EXPORTAÇÕES (US$/MILHÕES) E TAXA DE CRESCIMENTOS ANUAIS
(2009-2019) ......................................................... 9
GRÁFICO 3 - PARTICIPAÇÃO DO PRODUTO POR SH6 NAS EXPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA
DE TRANSFORMAÇÃO DE MATO GROSSO DO SUL EM 2019 ..................... 15
GRÁFICO 4 - INDICADOR DE SIMILARIDADE E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DE
MATO GROSSO DO SUL NO TOTAL DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS ............ 17
GRÁFICO 5 - DISTRIBUIÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL POR
INTENSIDADE TECNOLÓGICA EM 2016 E 2019 ............................. 19
GRÁFICO 6 - ÍNDICE DE CONCENTRAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES (HHI) DE MATO GROSSO
DO SUL POR SETORES E DESTINOS ...................................... 21
GRÁFICO 7 - EMPRESAS EXPORTADORAS: NÚMERO E VARIAÇÃO ............... 22
GRÁFICO 8 - EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL PARA A CHINA POR INTENSIDADE
TECNOLÓGICA ........................................................ 31
GRÁFICO 9 - EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL PARA OS ESTADOS UNIDOS POR
INTENSIDADE TECNOLÓGICA ............................................ 38
GRÁFICO 10 - EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL PARA A ARGENTINA POR
INTENSIDADE TECNOLÓGICA ............................................ 45
GRÁFICO 11 – EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL PARA A ITÁLIA POR
INTENSIDADE TECNOLÓGICA ............................................ 52
GRÁFICO 12 – EXPORTAÇÕES DE MATO GROSSO DO SUL PARA O URUGUAI POR
INTENSIDADE TECNOLÓGICA ............................................ 59
GRÁFICO 13 – BALANÇA COMERCIAL DE SERVIÇOS DO BRASIL – US$-BILHÕES . 69
GRÁFICO 14 – PARTICIPAÇÃO DE MATO GROSSO DO SUL NO VALOR (US$) EXPORTADO
EM SERVIÇOS NA REGIÃO CENTRO-OESTE EM 2019. ........................ 73
GRÁFICO 15 - INVESTIMENTO DIRETO NO BRASIL EM 2016 – DISTRIBUIÇÃO POR
SETOR DE ATIVIDADE ECONÔMICA DOS INVESTIMENTOS TOTAIS REALIZADOS ... 78
GRÁFICO 16 - RECEITA BRUTA DE EMPRESAS DE INVESTIMENTO DIRETO NOS ESTADOS
DO CENTRO-OESTE, EM 2015 – PARTICIPAÇÕES NO BRASIL E NA REGIÃO CENTRO-
OESTE .............................................................. 79

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 93


9. ANEXO

(i) Todos os produtos caracterizados como oportunidades para o estado de Mato


Grosso do Sul nos cinco principais destinos.

(ii) Descrição completa dos produtos classificados pelo Sistema Harmonizado de 4


dígitos (SH4), abreviados no corpo do estudo.

(iii) Descrição completa dos produtos classificados pelo Sistema Harmonizado de 6


dígitos (SH6), abreviados no corpo do estudo.

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 94


(i) Todos os produtos caracterizados como oportunidades para o estado do Pará nos
cinco principais destinos.

a. Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul


para os China pelo critério de ganho de market share – classificados como
“Abertura”, "Consolidação", "Manutenção" e "Recuperação".

SH6 Descrição SH6 Classificação

010511 Galos e galinhas vivos, das espécies domésticas, de peso não superior a 185 g Abertura
020130 Carnes de bovino, desossadas, frescas ou refrigeradas Abertura
020220 Outras peças de bovino, não desossadas, congeladas Abertura
020230 Carnes de bovino, desossadas, congeladas Abertura
020322 Pernas, pás e pedaços de suínos, não desossados, congelados Abertura
020329 Outras carnes de suíno, congeladas Abertura
020629 Outras miudezas comestíveis de bovino, congeladas Abertura
020690 Miudezas comestíveis das espécies ovino, caprino, cavalar, asinino e muar, congeladas Abertura
020712 Carnes de galos e galinhas da espécie doméstica não cortadas em pedaços, congeladas Abertura
021020 Carnes de bovinos, salgadas ou em salmoura, secas ou defumadas Abertura
Tripas, bexigas e estômagos de animais, exceto peixes, inteiros ou em pedaços, frescos,
050400 Abertura
refrigerados, congelados, salgados, secos ou defumados
080121 Castanha-do-pará, fresca ou seca, com casca Abertura
100510 Milho para semeadura Abertura
150710 Óleo de soja, em bruto, mesmo degomado Abertura
Óleo de soja e respectivas frações, mesmo refinados, mas não quimicamente
150790 Abertura
modificados
160250 Preparações alimentícias e conservas, de bovinos Abertura
Tapioca e seus sucedâneos preparados a partir de féculas, em flocos, grumos, grãos,
190300 Abertura
pérolas ou formas semelhantes
Milho doce, preparado ou conservado, exceto em vinagre ou ácido acético, não
200580 Abertura
congelado
Farinhas, pós e pellets de carnes ou de miudezas, impróprios para alimentação humana;
230110 Abertura
torresmos
230990 Outras preparações para alimentação de animais Abertura
260111 Minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados Abertura
Minérios de manganês e seus concentrados, incluídos os minérios de manganês
260200 ferruginosos e seus concentrados, de teor de manganês de => 20%, em peso, sobre o Abertura
produto seco
330720 Desodorantes corporais e antiperspirantes Abertura
Outros couros e peles curtidos, de bovinos ou de equídeos, depilados, no estado úmido
410419 Abertura
(incluindo wet blue)
Couros e peles inteiros, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após curtimenta ou
410712 Abertura
secagem e couros e peles apergaminhados, depilados, divididos, com a flor
Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas por processo
480255 Abertura
mecânico ou químico-mecânico, de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em rolos
Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas por processo
480256 mecânico ou químico -mecânico, de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em folhas Abertura
nas quais um lado <= 435 mm e o outro <= 297 mm, quando não dobradas
482020 Cadernos Abertura
520100 Algodão, não cardado nem penteado Abertura

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 95


SH6 Descrição SH6 Classificação

842449 Outros pulverizadores, para a agricultura ou horticultura Abertura


842940 Compactadores e rolos ou cilindros compressores, autopropulsores Abertura
940690 Construções pré-fabricadas, exceto de madeira Abertura
120190 Soja, mesmo triturada, exceto para semeadura Manutenção
Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato, semibranqueada ou
470329 Manutenção
branqueada
020714 Pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas da espécie doméstica, congelados Recuperação
170114 Outros açúcares de cana Recuperação
Couros e peles curtidos, de bovinos ou de eqüídeos, depilados, no estado úmido
410411 Recuperação
(incluindo wet blue), plena flor, não divididos; divididos, com a flor

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 96


b. Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para o Estados Unidos pelo critério de ganho de market share – classificados
como “Abertura”, "Consolidação", "Manutenção" e "Recuperação".

SH6 Descrição SH6 Classificação

020329 Outras carnes de suíno, congeladas Abertura


020649 Outras miudezas comestíveis de suíno, congeladas Abertura
020690 Miudezas comestíveis das espécies ovino, caprino, cavalar, asinino e muar, congeladas Abertura
020712 Carnes de galos e galinhas da espécie doméstica não cortadas em pedaços, congeladas Abertura
020714 Pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas da espécie doméstica, congelados Abertura
Carnes de outros animais, comestíveis, salgadas, secas ou defumadas; miudezas, farinhas e
021099 Abertura
pós
Âmbar-cinzento, castóreo, algália e almíscar; bílis, mesmo seca; glândulas e outras
051000 substâncias de origem animal utilizadas na preparação de produtos farmacêuticos, frescas, Abertura
refrigeradas, congeladas ou provisoriamente conservadas de outro modo

051199 Outros produtos de origem animal, impróprios para alimentação humana; animais mortos Abertura

080121 Castanha-do-pará, fresca ou seca, com casca Abertura


160250 Preparações alimentícias e conservas, de bovinos Abertura
Extratos e sucos de carnes, de peixes ou de crustáceos ou de outros invertebrados
160300 Abertura
aquáticos
170114 Outros açúcares de cana Abertura
210610 Concentrados de proteínas e substâncias protéicas texturizadas Abertura
Farinhas, pós e pellets de carnes ou de miudezas, impróprios para alimentação humana;
230110 Abertura
torresmos
230400 Tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja Abertura
260111 Minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados Abertura
Minérios de manganês e seus concentrados, incluídos os minérios de manganês
260200 ferruginosos e seus concentrados, de teor de manganês de => 20%, em peso, sobre o Abertura
produto seco
380993 Outros agentes de apresto ou acabamento para a indústria do couro Abertura
Outros couros e peles curtidos, de bovinos ou de equídeos, depilados, no estado úmido
410419 Abertura
(incluindo wet blue)
Couros e peles inteiros, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após curtimenta ou
410712 Abertura
secagem e couros e peles apergaminhados, depilados, divididos, com a flor
Couros e peles, incluídas as ilhargas, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após
410792 Abertura
curtimenta ou secagem, divididos, com a flor
Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas por processo
480255 Abertura
mecânico ou químico-mecânico, de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em rolos
720110 Ferro fundido bruto não ligado, contendo, em peso <= 0,5% de fósforo Abertura
842449 Outros pulverizadores, para a agricultura ou horticultura Abertura
842920 Niveladores Abertura
843221 Grades de discos, de uso agrícola, para preparação ou trabalho do solo Abertura
843231 Semeadores, plantadores e transplantadores, de plantio direto Abertura
030271 Tilápias (oreochromis spp.), frescas ou refrigeradas Manutenção
030431 Filés de tilápias (frescos, refrigerados ou congelados) Manutenção
Tapioca e seus sucedâneos preparados a partir de féculas, em flocos, grumos, grãos,
190300 Manutenção
pérolas ou formas semelhantes
Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato, semibranqueada ou
470329 Manutenção
branqueada
110814 Fécula de mandioca Recuperação
Couros e peles curtidos, de bovinos ou de eqüídeos, depilados, no estado úmido (incluindo
410411 Recuperação
wet blue), plena flor, não divididos; divididos, com a flor

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 97


c. Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para Argentina pelo critério de ganho de market share – classificados como
“Abertura”, "Consolidação", "Manutenção" e "Recuperação".

SH6 Descrição SH6 Classificação

010511 Galos e galinhas vivos, das espécies domésticas, de peso não superior a 185 g Abertura
020130 Carnes de bovino, desossadas, frescas ou refrigeradas Abertura
020230 Carnes de bovino, desossadas, congeladas Abertura
020329 Outras carnes de suíno, congeladas Abertura
020712 Carnes de galos e galinhas da espécie doméstica não cortadas em pedaços, congeladas Abertura
020714 Pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas da espécie doméstica, congelados Abertura
Tripas, bexigas e estômagos de animais, exceto peixes, inteiros ou em pedaços, frescos,
050400 Abertura
refrigerados, congelados, salgados, secos ou defumados
090300 Mate Abertura
100510 Milho para semeadura Abertura
110423 Grãos de milho trabalhados (descascados, em pérolas, cortados ou partidos) Abertura
110812 Amido de milho Abertura
150790 Óleo de soja e respectivas frações, mesmo refinados, mas não quimicamente modificados Abertura
Enchidos e produtos semelhantes de carne, miudezas ou sangue; preparações alimentícias à
160100 Abertura
base de tais produtos

160300 Extratos e sucos de carnes, de peixes ou de crustáceos ou de outros invertebrados aquáticos Abertura

170114 Outros açúcares de cana Abertura


Tapioca e seus sucedâneos preparados a partir de féculas, em flocos, grumos, grãos, pérolas
190300 Abertura
ou formas semelhantes
190531 Bolachas e biscoitos adicionados de edulcorantes Abertura
200520 Batatas preparadas ou conservadas, exceto em vinagre ou ácido acético, não congeladas Abertura

200580 Milho doce, preparado ou conservado, exceto em vinagre ou ácido acético, não congelado Abertura

230400 Tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja Abertura


282890 Outros hipocloritos, cloritos e hipobromitos Abertura
Produtos tanantes inorgânicos; preparações tanantes; preparações enzimáticas para a pré-
320290 Abertura
curtimenta
330520 Preparações para ondulação ou alisamento permanentes dos cabelos Abertura
330720 Desodorantes corporais e antiperspirantes Abertura
Couros e peles curtidos, de bovinos ou de eqüídeos, depilados, no estado úmido (incluindo
410411 Abertura
wet blue), plena flor, não divididos; divididos, com a flor
Outros couros e peles curtidos, de bovinos ou de equídeos, depilados, no estado úmido
410419 Abertura
(incluindo wet blue)
Couros e peles inteiros, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após curtimenta ou secagem
410712 Abertura
e couros e peles apergaminhados, depilados, divididos, com a flor
Madeira compensada, constituída por folhas de madeira (exceto bambu), cada uma das
441231 Abertura
quais de espessura não superior a 6 mm, com pelo menos uma face de madeira tropicais
482020 Cadernos Abertura
Camisas, blusas, blusas chemisier, de malha, de fibras sintéticas ou artificiais, de uso
610620 Abertura
feminino
Barras de ferro ou aços não ligadas, laminadas a quente, dentadas, com nervuras, sulcos ou
721420 Abertura
relevos, obtidos durante a laminagem, ou torcidas após a laminagems
730830 Portas e janelas, e seus caixilhos, alizares e soleiras, de ferro fundido, ferro ou aço Abertura
730840 Material para andaimes, armações e escoramentos, de ferro fundido, ferro ou aço Abertura
830140 Outras fechaduras e ferrolhos, de metais comuns Abertura
830150 Fechos e armações com fecho, com fechadura, de metais comuns Abertura
841830 Congeladores (freezers) horizontais tipo arca, de capacidade <= 800 litros Abertura
842920 Niveladores Abertura
842940 Compactadores e rolos ou cilindros compressores, autopropulsores Abertura
843050 Outras máquinas e aparelhos de terraplanagem, autopropulsores Abertura

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 98


SH6 Descrição SH6 Classificação

843221 Grades de discos, de uso agrícola, para preparação ou trabalho do solo Abertura
843359 Outras máquinas e aparelhos para colheita Abertura
847439 Outras máquinas e aparelhos para misturar ou amassar substâncias minerais sólidas Abertura
860900 Contêineres (contentores), incluídos os de transporte de fluidos Abertura
870110 Tratores motocultores Abertura
940429 Colchões de outras matérias Abertura
120190 Soja, mesmo triturada, exceto para semeadura Consolidação
210610 Concentrados de proteínas e substâncias protéicas texturizadas Consolidação
340600 Velas, pavios, círios e artigos semelhantes Consolidação
Bandejas, travessas, pratos, xícaras ou chávenas, taças, copos e artigos semelhantes, de papel
482369 Consolidação
ou cartão
520100 Algodão, não cardado nem penteado Consolidação
540792 Outros tecidos de filamentos sintéticos, tintos Consolidação

Minérios de manganês e seus concentrados, incluídos os minérios de manganês ferruginosos


260200 Manutenção
e seus concentrados, de teor de manganês de => 20%, em peso, sobre o produto seco

Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas por processo mecânico
480256 ou químico -mecânico, de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em folhas nas quais um Manutenção
lado <= 435 mm e o outro <= 297 mm, quando não dobradas
720110 Ferro fundido bruto não ligado, contendo, em peso <= 0,5% de fósforo Manutenção

Outros móveis (arcas, armários, vitrines, balcões e móveis semelhantes), para a conservação
841850 Manutenção
e exposição de produtos que incorporem um equipamento para a produção de drio

Âmbar-cinzento, castóreo, algália e almíscar; bílis, mesmo seca; glândulas e outras


051000 substâncias de origem animal utilizadas na preparação de produtos farmacêuticos, frescas, Recuperação
refrigeradas, congeladas ou provisoriamente conservadas de outro modo
120929 Outras sementes forrageiras, para semeadura Recuperação
260111 Minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados Recuperação
Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato, semibranqueada ou
470329 Recuperação
branqueada
Outros tecidos, de fios de diversas cores, contendo => 85% em peso de filamentos de
540753 Recuperação
poliéster texturizados
540791 Outros tecidos de filamentos sintéticos, crus ou branqueados Recuperação
600192 Outros veludos e pelúcias, de malha de fibras sintéticas ou artificiais Recuperação
843061 Máquinas de comprimir ou compactar terra, exceto autopropulsores Recuperação

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 99


d. Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para o Itália pelo critério de ganho de market share – classificados como
“Abertura”, "Consolidação", "Manutenção" e "Recuperação".

SH6 Descrição SH6 Classificação

010511 Galos e galinhas vivos, das espécies domésticas, de peso não superior a 185 g Abertura
020130 Carnes de bovino, desossadas, frescas ou refrigeradas Abertura
020220 Outras peças de bovino, não desossadas, congeladas Abertura
020329 Outras carnes de suíno, congeladas Abertura
020649 Outras miudezas comestíveis de suíno, congeladas Abertura
020712 Carnes de galos e galinhas da espécie doméstica não cortadas em pedaços, congeladas Abertura
030271 Tilápias (oreochromis spp.), frescas ou refrigeradas Abertura
Âmbar-cinzento, castóreo, algália e almíscar; bílis, mesmo seca; glândulas e outras substâncias
051000 de origem animal utilizadas na preparação de produtos farmacêuticos, frescas, refrigeradas, Abertura
congeladas ou provisoriamente conservadas de outro modo
051199 Outros produtos de origem animal, impróprios para alimentação humana; animais mortos Abertura
080121 Castanha-do-pará, fresca ou seca, com casca Abertura
090300 Mate Abertura
100590 Milho, exceto para semeadura Abertura
110620 Farinhas, sêmolas e pós, de sagu ou de raízes e tubérculos da posição 0714 Abertura
110814 Fécula de mandioca Abertura
120190 Soja, mesmo triturada, exceto para semeadura Abertura
Enchidos e produtos semelhantes de carne, miudezas ou sangue; preparações alimentícias à
160100 Abertura
base de tais produtos
160250 Preparações alimentícias e conservas, de bovinos Abertura
230400 Tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja Abertura
230990 Outras preparações para alimentação de animais Abertura
260111 Minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados Abertura

Minérios de manganês e seus concentrados, incluídos os minérios de manganês ferruginosos e


260200 Abertura
seus concentrados, de teor de manganês de => 20%, em peso, sobre o produto seco

330520 Preparações para ondulação ou alisamento permanentes dos cabelos Abertura


Outros couros e peles curtidos, de bovinos ou de equídeos, depilados, no estado úmido
410419 Abertura
(incluindo wet blue)
Couros e peles, incluídas as ilhargas, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após curtimenta ou
410792 Abertura
secagem, divididos, com a flor
Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas por processo mecânico ou
480255 Abertura
químico-mecânico, de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em rolos
520100 Algodão, não cardado nem penteado Abertura
720110 Ferro fundido bruto não ligado, contendo, em peso <= 0,5% de fósforo Abertura
842920 Niveladores Abertura
843231 Semeadores, plantadores e transplantadores, de plantio direto Abertura
Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas por processo mecânico ou
480256 químico -mecânico, de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em folhas nas quais um lado <= Consolidação
435 mm e o outro <= 297 mm, quando não dobradas
020230 Carnes de bovino, desossadas, congeladas Manutenção
Couros e peles inteiros, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após curtimenta ou secagem e
410712 Manutenção
couros e peles apergaminhados, depilados, divididos, com a flor
020714 Pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas da espécie doméstica, congelados Recuperação
021099 Carnes de outros animais, comestíveis, salgadas, secas ou defumadas; miudezas, farinhas e pós Recuperação

Produtos de peixes ou crustáceos, moluscos ou de outros invertebrados aquáticos, animais


051191 Recuperação
mortos do capítulo 3, impróprios para alimentação humana
Couros e peles curtidos, de bovinos ou de eqüídeos, depilados, no estado úmido (incluindo wet
410411 Recuperação
blue), plena flor, não divididos; divididos, com a flor

470329 Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato, semibranqueada ou branqueada Recuperação

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 100


e. Oportunidades dos principais produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul
para a Uruguai pelo critério de ganho de market share – classificados como
“Abertura”, "Consolidação", "Manutenção" e "Recuperação".

SH6 Descrição SH6 Classificação

010511 Galos e galinhas vivos, das espécies domésticas, de peso não superior a 185 g Abertura
020329 Outras carnes de suíno, congeladas Abertura
020629 Outras miudezas comestíveis de bovino, congeladas Abertura
020712 Carnes de galos e galinhas da espécie doméstica não cortadas em pedaços, congeladas Abertura
Produtos de peixes ou crustáceos, moluscos ou de outros invertebrados aquáticos,
051191 Abertura
animais mortos do capítulo 3, impróprios para alimentação humana
Outros produtos de origem animal, impróprios para alimentação humana; animais
051199 Abertura
mortos
100590 Milho, exceto para semeadura Abertura
110814 Fécula de mandioca Abertura
120190 Soja, mesmo triturada, exceto para semeadura Abertura
160249 Outras preparações alimentícias e conservas de suínos, incluídas as misturas Abertura
160250 Preparações alimentícias e conservas, de bovinos Abertura
Produtos à base de cereais, obtidos por expansão ou por torrefação (por exemplo: flocos
190410 Abertura
de milho)
330520 Preparações para ondulação ou alisamento permanentes dos cabelos Abertura
Couros e peles inteiros, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após curtimenta ou
410712 Abertura
secagem e couros e peles apergaminhados, depilados, divididos, com a flor
Couros e peles, incluídas as ilhargas, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após
410792 Abertura
curtimenta ou secagem, divididos, com a flor
Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas por processo
480255 Abertura
mecânico ou químico-mecânico, de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em rolos
Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas por processo
480256 mecânico ou químico -mecânico, de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em folhas Abertura
nas quais um lado <= 435 mm e o outro <= 297 mm, quando não dobradas
720110 Ferro fundido bruto não ligado, contendo, em peso <= 0,5% de fósforo Abertura
830130 Fechaduras para móveis, de metais comuns Abertura
841830 Congeladores (freezers) horizontais tipo arca, de capacidade <= 800 litros Abertura
020714 Pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas da espécie doméstica, congelados Consolidação
210610 Concentrados de proteínas e substâncias protéicas texturizadas Consolidação
551519 Outros tecidos de fibras descontínuas de poliéster Consolidação
846694 Partes e acessórios de máquinas-ferramentas da posições 8462 ou 8463 Consolidação
860900 Contêineres (contentores), incluídos os de transporte de fluidos Consolidação
020130 Carnes de bovino, desossadas, frescas ou refrigeradas Manutenção
020230 Carnes de bovino, desossadas, congeladas Manutenção
020621 Línguas de bovino, congeladas Manutenção
540792 Outros tecidos de filamentos sintéticos, tintos Manutenção
540794 Outros tecidos estampados, contendo < 85% em peso de filamentos sintéticos Manutenção

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 101


SH6 Descrição SH6 Classificação

Tecidos crus ou branqueados de fibras descontínuas de poliéster, contendo => 85% em


551211 Manutenção
peso destas fibras
Tecido de fibras descontínuas de poliéster combinadas com fibras descontínuas de
551511 Manutenção
raiom viscose
Tecido de fibras descontínuas de poliéster combinadas com filamentos sintéticos ou
551512 Manutenção
artificiais
170114 Outros açúcares de cana Recuperação
540761 Outros tecidos, contendo => 85% em peso, de filamentos de poliéster não texturizados Recuperação

540769 Outros tecidos, contendo => 85% em peso de outros filamentos de poliéster Recuperação
590390 Outros tecidos impregnados, revestidos, recobertos ou estratificados com plásticos Recuperação
Barras de ferro ou aços não ligadas, laminadas a quente, dentadas, com nervuras, sulcos
721420 Recuperação
ou relevos, obtidos durante a laminagem, ou torcidas após a laminagems
830140 Outras fechaduras e ferrolhos, de metais comuns Recuperação
830160 Partes de cadeados ou fechaduras, de metais comuns Recuperação
Outros móveis (arcas, armários, vitrines, balcões e móveis semelhantes), para a
841850 conservação e exposição de produtos que incorporem um equipamento para a Recuperação
produção de drio
854320 Geradores de sinais, elétricos Recuperação

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 102


(ii) Descrição completa dos produtos classificados pelo Sistema Harmonizado de 4
dígitos (SH4), abreviados no corpo do estudo.

SH4 Descrição SH4

0201 Carnes de animais da espécie bovina, frescas ou refrigeradas


0202 Carnes de animais da espécie bovina, congeladas
0207 Carnes e miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas, das aves da posição 0105
Tripas, bexigas e estômagos de animais, exceto peixes, inteiros ou em pedaços, frescos,
0504
refrigerados, congelados, salgados, secos ou defumados
1005 Milho
1201 Soja, mesmo triturada
1507 Óleo de soja e respectivas fracções, mesmo refinados, mas não quimicamente modificados
Farinhas, pó e pellets, de carnes, miudezas, peixes ou crustáceos, moluscos ou outros
2301
invertebrados aquáticos, impróprios para a alimentação humana; torresmos
2304 Tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja
2601 Minérios de ferro e seus concentrados, incluídas as pirites de ferro ustuladas (cinzas de pirites)
Minérios de manganês e seus concentrados, incluídos os minérios de manganês ferruginosos e
2602
seus concentrados, de teor de manganês de => 20%, em peso, sobre o produto seco
Couros e peles curtidos ou em crosta, de bovinos (incluindo os búfalos) ou de equídeos, depilados,
4104
mesmo divididos, mas não preparados de outro modo
4703 Pastas químicas de madeira, à soda ou ao sulfato, exceto pastas para dissolução
Papel e cartão, não revestidos, dos tipos utilizados para escrita, impressão ou outros fins gráficos,
4802 e papel e cartão para fabricar cartões ou tiras perfurados, não perfurados, em rolos ou em folhas
de forma quadrada ou rectangular, de qualquer formato o
5201 Algodão, não cardado nem penteado
7201 Ferro fundido bruto e ferro spiegel (especular), em lingotes, linguados ou outras formas primárias

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 103


(iii) Descrição completa dos produtos classificados pelo Sistema Harmonizado de 6
dígitos (SH6), abreviados no corpo do estudo.

SH6 Descrição SH6

010511 Galos e galinhas vivos, das espécies domésticas, de peso não superior a 185 g
020130 Carnes de bovino, desossadas, frescas ou refrigeradas
020220 Outras peças de bovino, não desossadas, congeladas
020230 Carnes de bovino, desossadas, congeladas
020322 Pernas, pás e pedaços de suínos, não desossados, congelados
020329 Outras carnes de suíno, congeladas
020621 Línguas de bovino, congeladas
020629 Outras miudezas comestíveis de bovino, congeladas
020712 Carnes de galos e galinhas da espécie doméstica não cortadas em pedaços, congeladas
020714 Pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas da espécie doméstica, congelados
021099 Carnes de outros animais, comestíveis, salgadas, secas ou defumadas; miudezas, farinhas e pós
030271 Tilápias (oreochromis spp.), frescas ou refrigeradas
030323 Tilápias (oreochromis spp.), congeladas
030431 Filés de tilápias (frescos, refrigerados ou congelados)
030461 Filés de tilápias (Oreochromis spp.), congelados
030474 Filés de merluzas e abroteas, congelados
Tripas, bexigas e estômagos de animais, exceto peixes, inteiros ou em pedaços, frescos, refrigerados, congelados,
050400
salgados, secos ou defumados
Âmbar-cinzento, castóreo, algália e almíscar; bílis, mesmo seca; glândulas e outras substâncias de origem animal
051000 utilizadas na preparação de produtos farmacêuticos, frescas, refrigeradas, congeladas ou provisoriamente
conservadas de outro modo
Produtos de peixes ou crustáceos, moluscos ou de outros invertebrados aquáticos, animais mortos do capítulo 3,
051191
impróprios para alimentação humana
051199 Outros produtos de origem animal, impróprios para alimentação humana; animais mortos
100510 Milho para semeadura
100590 Milho, exceto para semeadura
110814 Fécula de mandioca
120110 Soja, mesmo triturada, para semeadura
120190 Soja, mesmo triturada, exceto para semeadura
120929 Outras sementes forrageiras, para semeadura
150710 Óleo de soja, em bruto, mesmo degomado
160100 Enchidos e produtos semelhantes de carne, miudezas ou sangue; preparações alimentícias à base de tais produtos
160249 Outras preparações alimentícias e conservas de suínos, incluídas as misturas
160250 Preparações alimentícias e conservas, de bovinos
170114 Outros açúcares de cana
Tapioca e seus sucedâneos preparados a partir de féculas, em flocos, grumos, grãos, pérolas ou formas
190300
semelhantes
190410 Produtos à base de cereais, obtidos por expansão ou por torrefação (por exemplo: flocos de milho)
200520 Batatas preparadas ou conservadas, exceto em vinagre ou ácido acético, não congeladas
210610 Concentrados de proteínas e substâncias protéicas texturizadas
220300 Cervejas de malte
230110 Farinhas, pós e pellets de carnes ou de miudezas, impróprios para alimentação humana; torresmos
230400 Tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja
230990 Outras preparações para alimentação de animais
260111 Minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados
Minérios de manganês e seus concentrados, incluídos os minérios de manganês ferruginosos e seus concentrados,
260200
de teor de manganês de => 20%, em peso, sobre o produto seco
300212 Antissoros e outras frações do sangue
330720 Desodorantes corporais e antiperspirantes
340600 Velas, pavios, círios e artigos semelhantes
350400 Peptonas e seus derivados; outras matérias protéicas e seus derivados; pó de peles
382319 Outros ácidos graxos monocarboxílicos industriais e óleos ácidos de refinação

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 104


SH6 Descrição SH6

Couros e peles curtidos, de bovinos ou de eqüídeos, depilados, no estado úmido (incluindo wet blue), plena flor, não
410411
divididos; divididos, com a flor
410419 Outros couros e peles curtidos, de bovinos ou de equídeos, depilados, no estado úmido (incluindo wet blue)
Couros e peles curtidos, de bovinos ou de eqüídeos, depilados, no estado seco (crust), plena flor; não divididos;
410441
divididos, com a flor
Couros e peles inteiros, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após curtimenta ou secagem e couros e peles
410711
apergaminhados, depilados, plena flor, não divididos
Couros e peles inteiros, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após curtimenta ou secagem e couros e peles
410712
apergaminhados, depilados, divididos, com a flor
Couros e peles, incluídas as ilhargas, de bovinos ou de eqüídeos, preparados após curtimenta ou secagem,
410792
divididos, com a flor
Madeira serrada ou fendida longitudinalmente, cortada transversalmente ou desenrolada, mesmo aplainada, lixada
440711
ou unida pelas extremidades, de espessura superior a 6 mm, de pinheiro (Pinus spp.)
Madeira compensada, constituída por folhas de madeira (exceto bambu), cada uma das quais de espessura não
441231
superior a 6 mm, com pelo menos uma face de madeira tropicais
470329 Pasta química de madeira de não conífera, à soda ou sulfato, semibranqueada ou branqueada
Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas por processo mecânico ou químico-mecânico,
480255
de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em rolos
Papéis e cartões, não revestidos, contendo <= 10% de fibras obtidas por processo mecânico ou químico -mecânico,
480256 de peso => 40 g/m2 mas não > 150 g/m2, em folhas nas quais um lado <= 435 mm e o outro <= 297 mm, quando não
dobradas
482369 Bandejas, travessas, pratos, xícaras ou chávenas, taças, copos e artigos semelhantes, de papel ou cartão
520100 Algodão, não cardado nem penteado
540753 Outros tecidos, de fios de diversas cores, contendo => 85% em peso de filamentos de poliéster texturizados
540761 Outros tecidos, contendo => 85% em peso, de filamentos de poliéster não texturizados
540769 Outros tecidos, contendo => 85% em peso de outros filamentos de poliéster
540791 Outros tecidos de filamentos sintéticos, crus ou branqueados
540792 Outros tecidos de filamentos sintéticos, tintos
540794 Outros tecidos estampados, contendo < 85% em peso de filamentos sintéticos
551211 Tecidos crus ou branqueados de fibras descontínuas de poliéster, contendo => 85% em peso destas fibras
551511 Tecido de fibras descontínuas de poliéster combinadas com fibras descontínuas de raiom viscose
551512 Tecido de fibras descontínuas de poliéster combinadas com filamentos sintéticos ou artificiais
551519 Outros tecidos de fibras descontínuas de poliéster
590390 Outros tecidos impregnados, revestidos, recobertos ou estratificados com plásticos
600192 Outros veludos e pelúcias, de malha de fibras sintéticas ou artificiais
720110 Ferro fundido bruto não ligado, contendo, em peso <= 0,5% de fósforo
Barras de ferro ou aços não ligadas, laminadas a quente, dentadas, com nervuras, sulcos ou relevos, obtidos
721420
durante a laminagem, ou torcidas após a laminagems
730840 Material para andaimes, armações e escoramentos, de ferro fundido, ferro ou aço
830130 Fechaduras para móveis, de metais comuns
830140 Outras fechaduras e ferrolhos, de metais comuns
830160 Partes de cadeados ou fechaduras, de metais comuns
841830 Congeladores (freezers) horizontais tipo arca, de capacidade <= 800 litros
Outros móveis (arcas, armários, vitrines, balcões e móveis semelhantes), para a conservação e exposição de
841850
produtos que incorporem um equipamento para a produção de drio
841869 Outros materiais, máquinas e aparelhos, para produção de frio
842920 Niveladores
842940 Compactadores e rolos ou cilindros compressores, autopropulsores
843050 Outras máquinas e aparelhos de terraplanagem, autopropulsores
843061 Máquinas de comprimir ou compactar terra, exceto autopropulsores
843359 Outras máquinas e aparelhos para colheita
846694 Partes e acessórios de máquinas-ferramentas da posições 8462 ou 8463
847439 Outras máquinas e aparelhos para misturar ou amassar substâncias minerais sólidas
854320 Geradores de sinais, elétricos
860900 Contêineres (contentores), incluídos os de transporte de fluidos
901910 Aparelhos de mecanoterapia, de massagem ou de psicotécnica

Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 105


Copyright © 2020 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados 106