Você está na página 1de 15

CONHECER À DEUS

O privilégio e alegria do povo escolhido


(Deuteronômio 33.26-29)
O Dr. JI Packer começa seu clássico O Conhecimento de
Deus ([IVP], p. 13) com uma longa citação de um sermão que
CH Spurgeon pregou quando tinha apenas 20 anos de
idade. O primeiro parágrafo diz:
Alguém disse que "o estudo adequado da humanidade é
o homem". Não vou me opor à ideia, mas acredito que seja
igualmente verdade que o estudo apropriado dos eleitos de
Deus é Deus; o estudo adequado de um cristão é a Divindade.
A ciência mais elevada, a especulação mais elevada, a
filosofia mais poderosa, que pode sempre atrair a atenção de
um filho de Deus, é o nome, a natureza, a pessoa, a obra, os
feitos e a existência do grande Deus a quem ele chama o pai
dele.
Depois de citar mais três parágrafos do sermão de
Spurgeon, Packer levanta a possível objeção de que na
época de Spurgeon as pessoas achavam a teologia
interessante, mas hoje as pessoas pensam que a teologia é
chata ou irrelevante. Mas o Dr. Packer contrapõe (p. 14) que o
estudo da natureza e do caráter de Deus “é o projeto mais
prático em que qualquer pessoa pode se envolver. Saber sobre
Deus”, argumenta ele, “é crucialmente importante para o viver
de nossas vidas. ”
Você já esteve diante de um crente, já vivido, temente a
Deus e piedoso? Se você já esteve perto de um idoso assim,
deseja absorver seu espírito e descobrir o que ele sabe sobre
Deus. Quando Moisés estava para morrer, ele abençoou o
povo de Deus e nos contou o que sabia sobre o Deus eterno
(é o Deus de Moisés). Ele se gloria em Deus e na bem-
aventurança do povo de Deus. Nós aprendemos que ...
Conhecer a Deus como Ele se revelou e torná-lo
conhecido deve ser a missão de nossas vidas.
Deus dá vida eterna a todos os que acreditam em Jesus
(João 3:16) Mas qual é a essência da vida eterna? É muito mais
do que viver para sempre! Jesus nos deu a essência da vida
eterna quando disse (João 17: 3), "Esta é a vida eterna, para
que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a
quem enviaste." Conhecer o único Deus verdadeiro e Seu Filho
eterno, a quem Ele enviou para morrer para nos redimir de
nossos pecados, é o coração da vida eterna. Da longa vida
de Moisés como líder e profeta de Deus, aprendemos que ...
1. CONHECER A DEUS É UMA BUSCA PARA TODA A
VIDA QUE REQUER BUSCÁ-LO EM TODAS AS SITUAÇÕES.
A. O conhecimento de Deus começa quando Ele abre seus
olhos cegos para a sua necessidade do Salvador e de Jesus
Cristo como o único Salvador todo-suficiente.
Por causa do pecado de Adão e Eva, todos nascemos
como pecadores, alienados de Deus (ROM. 5:12) O problema
é que nem mesmo percebemos nossa necessidade
desesperada de que Deus nos salve de nossos pecados
porque Satanás cegou nossos olhos para a verdade (1
Cor. 2:14; 2 Cor. 4: 4; Ef. 4:18). A maioria das pessoas pensa:
“Sei que fiz coisas erradas, mas basicamente sou uma pessoa
boa, não um pecador terrível. E, já que Deus é amoroso, Ele
verá minhas boas ações e perdoará minhas faltas para que eu
entre no céu quando morrer. ”
Para ser salvo, Deus tem que abrir seus olhos para a
verdade de que você está perdido e não pode fazer nada
para se salvar. O Espírito Santo convence você do seu
pecado, da justiça absoluta de Deus e do julgamento vindouro
(João 16: 8-11) E então, um dia glorioso, Deus graciosamente
abre seus olhos para ver "a luz do evangelho da glória de
Cristo, que é a imagem de Deus" (2 Cor. 4: 4) Ele lhe concede
a fé para confiar em Cristo e em Sua morte na cruz como o
pagamento integral de sua dívida de pecado (Atos
11:18; fil. 1:29; Ef. 2: 8-9) Você entra em um relacionamento
pessoal com o Deus vivo, que é o início da vida eterna.
Não sabemos ao certo quando Moisés conheceu a Deus
pessoalmente. Quando criança, a filha do Faraó teve pena
dele como uma das crianças hebraicas sob a sentença de
morte do pai. Ela o resgatou e o criou como seu próprio
filho. Não nos é dito quanto contato ele teve com seus pais
biológicos durante sua educação, mas deve ter havido
alguma influência nisso. Hebreus 11: 24-27 diga-nos:
Pela fé, Moisés, já adulto, recusou-se a ser chamado de
filho da filha de Faraó, preferindo suportar os maus-tratos do
povo de Deus do que gozar dos prazeres passageiros do
pecado, considerando o opróbrio de Cristo maiores riquezas
do que os tesouros do Egito; pois ele estava esperando a
recompensa. Pela fé ele deixou o Egito, não temendo a ira do
rei; pois ele perseverou, vendo aquele que é invisível.
Só podemos conhecer o Deus invisível na medida em que
Ele se revela a nós. Então, em algum momento dos primeiros
40 anos de Moisés, Deus deve ter revelado o suficiente de Si
mesmo para que Moisés ganhasse algum conhecimento do
tesouro do redentor prometido por Deus, Jesus Cristo. Como o
homem que descobriu o tesouro escondido no campo
(Mat. 13.44), Moisés desistiu das riquezas e prazeres que
poderia ter desfrutado no Egito para comprar aquele campo
e ganhar aquele tesouro.
Você já fez isso? É claro que a profundidade do seu
conhecimento do valor infinito de Jesus aumenta com o
tempo. No início, você mal o conhece. Tudo que você sabe é:
"Eu era cego, mas agora vejo" (João 9:25) porque Jesus abriu
meus olhos. Esse é o ponto inicial de uma vida e eternidade de
conhecer a Deus.
B. O conhecimento de Deus continua enquanto Deus se
revela a você por meio de Sua Palavra.
Moisés não tinha a Bíblia (ele escreveu os primeiros cinco
livros da Bíblia!), Então Deus se revelou a Moisés
diretamente. Não sabemos o quanto Moisés sabia de Deus
antes de Deus se revelar na sarça ardente, mas aí Moisés
conheceu a Deus como o Santo (Exod. 3: 5) Ele se revelou
como Yahweh, o Deus da aliança de Abraão, Isaque e Jacó
(Exod. 3: 6) Ele é “Eu sou quem eu sou” (Exod. 3:14), o eterno e
autoexistente. Ele se preocupa com a aflição de Seu povo. Ele
inicia sua libertação da escravidão (Exod. 3: 7-8) Ele é mais
poderoso do que o Faraó, o monarca mais poderoso da terra
naquela época (Exod. 3:10, 19-20). Ele tem o poder de
endurecer o coração de Faraó e golpear sua terra com
terríveis pragas, incluindo a morte de todos os primogênitos do
Egito. Ele é o Deus que exige obediência completa (Exod. 4:
24-27) Deus falou com Moisés face a face, o que Ele nem
mesmo fez com o irmão de Moisés, Aarão, ou sua irmã, Miriam
(Num. 12: 7-8; Exod. 33: 7-11; Deut. 34:10)
Você pode se perguntar: "Deus se revela diretamente às
pessoas hoje?" Ele pode fazer isso por aqueles sem a Bíblia por
meio de sonhos ou visões, mas Seu modo normal de revelação
agora é a Sua Palavra que nos fala sobre Jesus Cristo (João 1:
1; Heb. 1: 1-3) Mesmo que uma pessoa venha a conhecer
Jesus por revelação direta, essa pessoa não crescerá para
conhecer a Deus muito bem sem aprender a Palavra escrita
de Deus.
Mais tarde, depois que Deus direcionou Moisés para
conduzir os israelitas para fora do Egito e adorá-Lo no Monte
Sinai, Moisés passou quarenta dias e noites na montanha
sozinho com Deus (Exod. 24:18) Deus deu a Moisés os Dez
Mandamentos e revelou a ele muitas outras leis para Seu
povo. Após o incidente com o bezerro de ouro (Exod. 32),
Moisés voltou para a montanha, onde ele ousadamente
perguntou (Exod. 33:18), "Rogo-te que me mostre a tua
glória!" Deus respondeu (Exod. 33: 19-20),
“Eu mesmo farei passar toda a minha bondade diante de
ti e proclamarei o nome do Senhor diante de ti; e terei
misericórdia de quem eu tiver misericórdia e terei compaixão
de quem eu tiver misericórdia ”. Mas Ele disse: “Você não pode
ver Meu rosto, porque nenhum homem pode Me ver e viver!”
Então Deus escondeu Moisés em uma fenda na rocha e
passou, revelando Suas costas a Moisés (Exod. 33: 21-23) Lá Ele
proclamou (Exod. 34: 6-7), “O Senhor, o Senhor Deus,
compassivo e misericordioso, lento para se irar e abundante
em benignidade e verdade; que mantém a benignidade por
milhares, que perdoa a iniquidade, a transgressão e o
pecado; ainda assim, Ele de forma alguma deixará o culpado
sem punição, visitando a iniquidade dos pais nos filhos e netos
até a terceira e quarta gerações. ” Essa profunda revelação
de quem é Deus é repetida pelo menos sete outras vezes no
Antigo Testamento (Num. 14.18; Ne. 9:17; Sal. 86:15; 103: 8; 145:
8; Joel 2:13; Jonas 4: 2).
Através das instruções detalhadas sobre a construção do
tabernáculo (Exod. 25-30, 35-40), o papel dos sacerdotes, as
ofertas de sacrifícios e as festas (Levítico), Deus revelou mais de
Si mesmo e do Senhor Jesus Cristo a Moisés e a todo o
Israel. Jesus repreendeu alguns líderes judeus que pensaram
que estavam seguindo Moisés, dizendo (João 5: 45-46), “Não
pense que vou acusá-lo diante do Pai; quem te acusa é
Moisés, em quem colocaste a tua esperança. Pois se você
acreditasse em Moisés, você acreditaria em mim, pois ele
escreveu sobre mim. ”
Ainda assim, infelizmente, há muitos cristãos hoje que
nunca leram a Bíblia uma única vez. Mas Paulo disse (ROM. 15:
4), "Pois tudo o que foi escrito nos tempos antigos, foi escrito
para a nossa instrução, para que, pela perseverança e pelo
encorajamento das Escrituras, tenhamos esperança." Ele disse
a Timóteo (2 Tim. 3: 16-17), “Toda a Escritura é inspirada por
Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir,
para treinar na justiça; para que o homem de Deus seja
adequado, equipado para toda boa obra. ” Por “toda a
Escritura”, Paulo estava se referindo ao Antigo Testamento.
Na Estrada de Emaús, após Sua ressurreição, Jesus
repreendeu os dois discípulos que ainda não entendiam que
era necessário que Ele sofresse antes de entrar em Sua
glória. Então Lucas (24:27) declara: “Então, começando com
Moisés e com todos os profetas, explicou-lhes as coisas
concernentes a Si mesmo em todas as Escrituras”. Antes de
subir ao céu, Jesus disse aos discípulos (Lucas 24:44), “Estas são
as minhas palavras que vos disse enquanto ainda estava
convosco, que todas as coisas que estão escritas a meu
respeito na Lei de Moisés e nos Profetas e nos Salmos devem
ser cumpridas.” A Lei, os Profetas e os Salmos eram as três
principais divisões das Escrituras Hebraicas. O que Jesus queria
dizer era que todo o Antigo Testamento falava sobre Ele e se
cumpria Nele.
O ponto é, se você deseja conhecer o único Deus
verdadeiro e Jesus Cristo a quem Ele enviou, você deve ler,
reler, meditar e estudar a Bíblia inteira, que é o meio principal
de Deus se revelar a nós hoje.
C. O conhecimento de Deus se aprofunda à medida que
você confia e obedece a Ele em várias provações em sua
vida.
Aprofundar seu conhecimento pessoal de Deus não é um
processo fácil e sem dor. Na verdade, muitas vezes é por meio
das provações e crises da vida que você passa a conhecer a
Deus de uma maneira que nunca teria conhecido fora
daqueles tempos difíceis.
Ao longo da vida de Moisés, o vemos enfrentando várias
provações que o levaram ao Senhor em oração. Por exemplo,
quando Deus instruiu Moisés a exigir que Faraó deixasse Israel
ir, a resposta de Faraó foi tornar as coisas mais difíceis para os
israelitas, exigindo que juntassem a palha para fazer tijolos e
ainda cumprir suas cotas anteriores. Quando não
conseguiram, os capatazes os venceram. Por sua vez, eles
confrontaram Moisés com raiva por torná-los odiosos aos olhos
do Faraó. A resposta de Moisés foi retornar ao Senhor e
derramar sua reclamação (Exod. 5: 22-23),
“Ó Senhor, por que você causou dano a este povo? Por
que você sempre me enviou? Desde que vim a Faraó para
falar em Seu nome, ele tem feito mal a este povo, e você não
libertou seu povo de forma alguma. ”
A resposta do Senhor foi revelar mais de Si mesmo a
Moisés. Ele prometeu (Exod. 6: 1) que Moisés veria mais de Seu
poder ao lidar com Faraó. Então Deus revelou mais sobre Seu
relacionamento passado com Abraão, Isaque e Jacó, bem
como Sua promessa de libertar Israel da escravidão e levá-los
para Seu povo para que soubessem que Ele é o Senhor seu
Deus (Exod. 6: 2-8) Moisés enfrentou problema após problema
durante o êxodo e depois no deserto, enquanto o povo
reclamava e o acusava de tirá-los do Egito para matá-los e a
seus filhos. A cada vez, Moisés recuava para a presença do
Senhor em oração e obedecia ao que o Senhor lhe dizia para
fazer. Ele frequentemente ia à tenda de reunião, onde
passava algum tempo na presença do Senhor e o Senhor
falava com ele face a face (Exod. 33: 7-11)
A única exceção flagrante à obediência de Moisés foi
quando, em raiva contra o povo reclamante, ele bateu na
rocha para trazer água, quando Deus lhe disse para falar com
a rocha (Num. 20: 1-13) Por causa desse pecado, Deus disse a
Moisés que não seria ele quem conduziria Israel à Terra
Prometida. Mas mesmo por meio desse pecado, de uma
forma mais profunda, Moisés conheceu a Deus como santo
(Num. 20:12; 27:14)
Jesus nos disse como podemos conhecê-lo mais
profundamente (João 14:21): “Quem tem os meus
mandamentos e os guarda é quem me ama; e quem Me ama,
será amado por Meu Pai, e Eu o amarei e me revelarei a ele.
” Primeiro, devemos ter Seus mandamentos, que aprendemos
na Bíblia. Então, à medida que aprendemos a guardar Seus
mandamentos, Ele progressivamente se revelará a nós.
Mas, assim como Moisés aprendeu mais sobre Deus por
meio de sua falha em golpear a rocha, podemos aprender
mais sobre Ele por meio de nossas falhas quando nos
arrependemos e buscamos Seu perdão. Isso não é para
encorajá-lo a pecar para que você possa conhecer a Deus
mais profundamente! Mas mesmo com suas falhas, você pode
aprender mais sobre o amor do Senhor, Sua graça e Sua
santidade. Portanto, não desista quando falhar com o
Senhor. Volte-se para Ele em fé e obediência e Ele
graciosamente revelará mais de Si mesmo para você.
Mas até agora eu apenas citei sobre a vida de
Moisés. Para examinar brevemente nosso texto, aprendemos:
2. UM CONHECIMENTO MADURO DE DEUS AO LONGO DA
VIDA LHE DÁ UM LEGADO ESPIRITUAL PARA PASSAR PARA A
PRÓXIMA GERAÇÃO.
Moisés não guardou seu conhecimento de Deus para si
mesmo, mas tornou Deus conhecido para Israel e para nós
escrevendo o Pentateuco (Deut. 31: 9, 22) e Salmo
90. Seguindo seu exemplo, devemos tornar nosso
conhecimento de Deus conhecido por outros, à medida que
Ele nos dá oportunidades. Posso apenas listar brevemente
essas características de Deus:
oO Deus de Moisés é como nenhum outro. Deut. 33:26:
“Não há ninguém como o Deus de Jesurum.” Ele é o único
Deus vivo e verdadeiro (Exod. 15:11; Deut. 4:35; sal. 86:
8; Jer. 10: 6)
oO Deus de Moisés é o Deus dos retos. “Jeshurun” significa
“o justo” (Deut. 32:15; 33: 5, 26; Is. 44: 2) O povo de Deus deve
ser justo e reto para estar ligado ao Seu nome.
oO Deus de Moisés tem poder ilimitado para ajudar Seu
povo. Deut. 33:26: Ele "cavalga os céus em sua ajuda, e pelos
céus em Sua majestade." Isso aponta para Sua onipotência
(ver Sl. 18:10; 68:33; Is. 19: 1)
oO Deus de Moisés é o Deus eterno. Moisés desenvolve isso
ainda mais em Salmo 90, onde ele contrasta a eternidade de
Deus com a transitoriedade passageira dos humanos.
oO Deus de Moisés é uma morada para Seu povo. Moisés
também desenvolve isso em Salmo 90. Nós que O
conhecemos podemos fugir para Ele em todas as crises e
encontrar conforto e proteção.
oO Deus de Moisés defende e apoia Seu povo. Deut. 33:27:
“Por baixo estão os braços eternos.” Sua força em nos proteger
nunca se esgota. Não importa o quão baixo você vá, Seus
braços ainda estão por baixo, segurando você. Mesmo
quando você cai, você cai em Seus braços eternos.
oO Deus de Moisés faz com que Seu povo habite com
segurança. O futuro de Israel envolvia lutar contra seus inimigos
(v. 27), mas eles viveriam em segurança (v. 28) por causa da
presença e ajuda de Deus (Peter Craigie, The Bo o k of
Deuteronomy [Eerdmans], p. 403).
oO Deus de Moisés salva e abençoa Seu povo
escolhido. Deut. 33:29: “Bendito és tu, ó Israel; que é como
você, um povo salvo pelo Senhor, que é o escudo de sua
ajuda e a espada de sua majestade! ” Deus escolhe e salva
Seu povo para Sua glória e felicidade (Deut. 7: 6-8)
Portanto, conhecer a Deus é uma busca para toda a vida
que requer buscá-Lo em todas as situações. Um conhecimento
maduro de Deus ao longo da vida dá a você um legado
espiritual para passar para a próxima geração.
3. PODEMOS EFETIVAMENTE TORNAR CONHECIDO O
CONHECIMENTO DE DEUS SOMENTE NA MEDIDA EM QUE
FORMOS FELIZES (“ABENÇOADOS”) NELE.
Várias versões traduzem o versículo 29, “Feliz és tu, ó Israel”.
Como John Piper costuma dizer: “Deus é mais glorificado em
nós quando estamos mais satisfeitos Nele”. Se não estivermos
felizes e satisfeitos em Deus, seremos pobres testemunhas do
evangelho da graça de Deus. Para glorificar a Deus, devemos
tornar nossa primeira prioridade todos os dias encontrar
felicidade e alegria Nele e em Sua graciosa salvação. No
versículo 26, Moisés exclama: “Não há ninguém como o Deus”.
No versículo 29, ele pergunta retoricamente a Israel: “Quem é
como você, um povo salvo pelo Senhor?” Quando
percebemos o que o único Deus verdadeiro graciosamente
fez ao enviar Seu único Filho para nos salvar de nossos
pecados, devemos ser as pessoas mais felizes da terra! Que
privilégio!! CH Spurgeon observado ( Metropolitan Tabernacle
Pulpit[Pilgrim Publications], 23: 348), “Para os cristãos serem
felizes é uma das maneiras mais seguras de levá-los a buscar a
salvação de outros.” Ele acrescenta que se estivéssemos
servindo a um tirano que nos tornou infelizes, deveríamos
alertar os outros para evitá-lo. Mas em nosso Deus gracioso,
somos extremamente felizes e devemos desejar que outros
compartilhem nossa felicidade Nele.
O indiano Sadu Sundar Sing, que se converteu ao
cristianismo ainda adolescente e foi perseguido
implacavelmente pelo seu pai, foi deserdado e expulso de
casa. Esse jovem no afã de pregar o evangelho para o povo
tibetano sai sem dinheiro, sem herança, sem nome, sem amor,
sem apoio, debaixo de tremenda perseguição. Certa feita,
encontrou um grupo de pessoas hostis a ele, que o
repudiavam por causa da sua decisão por Cristo. Jogaram-no
em uma fossa fétida de detritos humanos, onde havia corpos
putrefatos. Só em se aproximar daquele local, já era alguma
coisa repugnante. Se não bastasse essa crueldade, tamparam
a fossa, pensando que ele morreria dentro de algumas horas.
Fecharam o poço nauseabundo por três dias e três noites.
Quando pensaram que ele já estava morto, abriram o poço, e
para surpresa e espanto de todos, Sadu Sundar Sing sai da
fossa com o rosto brilhando, e todos entenderam que não era
possível um moço ter o rosto brilhando por uma celestial não
fora uma intervenção sobrenatural de Deus em sua vida.
CONCLUSÃO
Sete coisas práticas que você pode fazer para crescer
para conhecer a Deus:
1. Confie em Jesus Cristo como seu Salvador e faça de
conhecê-Lo a prioridade mais alta em sua vida.
Dentro Filipenses 3: 7-11, Paulo explica como ele
considerou todas as suas atividades e realizações religiosas
anteriores como lixo para que pudesse conhecer a Cristo. O
objetivo não é apenas saber sobre Cristo, mas conhecê-
lo pessoalmente (ver Packer, pp. 21-22).

2. Passe tempo com Deus em Sua Palavra e em oração.


Relacionamentos saudáveis e crescentes requerem
tempo que passamos juntos. Faça com que seja sua prioridade
encontrar-se com o Senhor todos os dias.
3. Leia a Bíblia inteira repetidamente.
Obtenha uma boa Bíblia de estudo. Leia
consecutivamente para que você não leia apenas suas partes
favoritas. Existem muitos planos de leitura da Bíblia em um ano
online.
4. Crescer em obediência a Deus.
Como mencionei, Jesus disse que Ele se revelará àqueles
que O amam e obedecem. Aplique a Palavra de Deus no nível
do coração ou pensamento, não apenas exteriormente.
5. Leia livros teologicamente corretos sobre Deus.
O Conhecimento de Deus de Packer é um bom lugar para
começar. O Conhecimento do Sagrado [Harper & Row]
de AW Tozer é curto, mas profundo. The Attributes of
God [Baker], de AW Pink, também é curto e útil. A Teologia
Sistemática de Wayne Grudem [Zondervan] é legível com
ênfase na aplicação. Se você quer um desafio,
experimente The Existence and Attributes of God [Baker], de
dois volumes, de Stephen Charnock . Aviso: está escrito em
inglês elisabetano! A Santidade de Deus [Tyndale], de RC
Sproul, deve estar na lista de leitura de todos os cristãos.

6. Ouça pregadores sãos que conhecem a Deus e expõem


Sua Palavra com precisão.
Os sermões de John Piper, John MacArthur, Mark Dever e
muitos outros homens piedosos estão disponíveis
online. Finalmente,
7. Passe tempo com outros cristãos que conhecem a Deus.
Reúna-se com um pequeno grupo e interaja com bons
livros que estão lendo juntos. Precisamos uns dos outros para
crescer em Cristo!
Que o Senhor o abençoe abundantemente enquanto
você busca conhecê-lo e torná-lo conhecido!