Você está na página 1de 9

Teste de avaliação global Ano letivo 2019-2020

Biologia e Geologia – 11.º ano


______________________________________________________________________________

Grupo I

Volvox carteri é um organismo haplonte utilizado para estudos sobre a origem da


multicelularidade. Analisando a linhagem evolutiva de Volvox carteri (figura 1) distinguem-se várias
espécies que foram desenvolvendo características presentes na maioria dos seres multicelulares
atuais, tais como: a adesão celular e o estabelecimento de ligações intercelulares; a diferenciação
celular e a realização de divisões mitóticas responsáveis pela formação de células somáticas e
reprodutoras assimétricas; e o dimorfismo sexual (indivíduos de diferentes sexos).
Habitualmente, a Volvox carteri reproduz-se por multiplicação vegetativa, originando colónias
com cerca de 2000 pequenas células somáticas biflageladas, cuja disposição origina a configuração
esférica da colónia, e 16 grandes células reprodutoras (gonídios) que se localizam na matriz
extracelular. Contudo, a reprodução sexuada deste organismo colonial é induzida sempre que este
se encontra num ambiente com temperaturas mais elevadas.
A análise ao genoma de Volvox carteri revela uma quantidade elevada de regiões não
codificantes, cerca de 82%, e uma percentagem de 56% do par de bases CG. Comparando o
genoma desta espécie com o do seu ancestral unicelular conhecido – Chlamydomonas reinhardtii
–, conseguimos descobrir a origem dos genes que atualmente codificam as proteínas reguladoras
do desenvolvimento de Volvox carteri, como, por exemplo, os genes responsáveis pelas divisões
mitóticas assimétricas e pela realização da reprodução sexuada.

Figura 1. Cladograma da linhagem evolutiva de Volvox carteri que representa os sucessivos desenvolvimentos
celulares necessários à transição da unicelularidade para a multicelularidade.

Baseado em Russel, J. J. et al. (2017). Non-model model organisms: Volvox – revealing the origins of
multicellularity and germ-soma division of labor. BMC Biology, 15, 55. Doi 10.1186/s12915-017-0391-5

Nos itens de 1. a 7., selecione a letra da opção correta.

1. Segundo os sistemas de classificação de Whittaker e de Woese, Volvox carteri é integrada no


Reino _______ e no Domínio _______.
(A) Monera […] Bacteria (C) Protista […] Bacteria
(B) Monera […] Eukarya (D) Protista […] Eukarya

1
2. As divisões que ocorrem em Volvox carteri originam células somáticas e reprodutoras
assimétricas com _______ e terão sido desenvolvidas pela espécie _______.
(A) a mesma ploidia […] Gonium pectorale (C) a mesma ploidia […] Pleodorina starrii
(B) ploidias diferentes […] Gonium pectorale (D) ploidias diferentes […] Pleodorina starrii

3. Os dados da análise do genoma de Volvox carteri permitem afirmar que o DNA desta espécie tem
(A) a mesma quantidade de citocina e timina.
(B) menos adeninas do que guaninas.
(C) mais bases púricas do que bases pirimídicas.
(D) mais timinas do que adeninas.

4. Os intrões presentes no genoma de Volvox carteri


(A) serão removidos no processo de síntese proteica antes da migração do mRNA para o
citoplasma.
(B) não são constituídos por nucleótidos, uma vez que correspondem a regiões não codificantes.
(C) formam codões que serão traduzidos em aminoácidos.
(D) ligam-se aos anticodões do tRNA.

5. Na multiplicação vegetativa de Volvox carteri ocorre


(A) o emparelhamento dos cromossomas homólogos durante a prófase.
(B) a passagem da diploidia para a haploidia na anáfase.
(C) a reorganização do invólucro nuclear na telófase.
(D) o alinhamento dos cromossomas no plano equatorial, definido pelos centrómeros, na prófase.

6. Segundo o neodarwinismo, a evolução de seres unicelulares para seres coloniais


(A) implicou mutações ao nível dos genes que regulam o desenvolvimento dos seres.
(B) ocorreu devido ao esforço individual realizado para a adaptação ao meio ambiente.
(C) implicou o desenvolvimento de mecanismos que inibem a adesão celular.
(D) ocorreu devido a recombinações génicas resultantes da fusão de células somáticas idênticas.

7. Ao contrário dos fungos, as algas


(A) apresentam organelos membranares.
(B) são constituídas por células eucarióticas.
(C) utilizam uma fonte interna de carbono orgânico.
(D) possuem um elevado grau de diferenciação.

8. Faça corresponder cada uma das descrições, expressas na coluna A, à espécie correspondente,
que consta na coluna B.

Coluna A Coluna B
(a) Espécie sem diferenciação celular cuja colónia resulta (1) Chlamydomonas reinhardtii
da união de dezenas de seres. (2) Gonium pectorale
(b) Espécie que não evidencia ligações intercelulares. (3) Eudorina elegans
(c) Espécie mais independente do meio externo. (4) Pleodorina starrii
(5) Volvox carteri

9. Aplicando os princípios da teoria de Lamarck, explique o desenvolvimento da reprodução


sexuada em Volvox carteri.

2
Grupo II

Um grupo de investigadores realizou um estudo filogenético sobre um conjunto de nove


espécies de tubarões que possuem adaptações ao nível dos músculos das barbatanas que lhes
permitem locomoverem-se de forma diferente dos restantes tubarões. Estas espécies caminham
em zonas onde a maré se encontra baixa, e essa capacidade dá-lhes uma vantagem notável na
predação de pequenos crustáceos e de moluscos.
Através da análise do DNA mitocondrial das nove espécies de tubarões Hemiscyllium e dos
seus ancestrais Rhincondon typus e Chilluscyllium punctatum, os investigadores identificaram há
quanto tempo surgiram as espécies deste grupo de tubarões (figura 2) e concluíram que um dos
mecanismos que promoveram esta especiação foi a ação do isolamento reprodutivo que sofreram
devido ao aumento da profundidade das águas do mar que confinou os tubarões Hemiscyllium à
costa do arquipélago indo-australiano, já que não conseguem migrar através de águas profundas.

Figura 2. Árvore filogenética que representa a evolução das nove espécies de Hemiscyllium.

Baseado em Dudgeon, C. et al. (2020). Walking, swimming or hitching a ride? Phylogenetics and biogeography of the
walking shark genus Hemiscyllium. Marine and Freshwater Research. Doi.org/10.1071/MF19163

3
Nos itens de 1. a 5., selecione a letra da opção correta.

1. A divergência entre _______ Chiloscyllium e Hemiscyllium ocorreu no _______.


(A) as espécies […] Mesozoico (C) os géneros […] Mesozoico
(B) as espécies […] Cenozoico (D) os géneros […] Cenozoico

2. De acordo com as regras de nomenclatura, os tubarões Hemiscyllium pertencerão à família


(A) Hemiscylliidae. (C) Chordata.
(B) Hemiscylliceae. (D) Rhincodon.

3. O facto de o DNA mitocondrial dos tubarões estudados ser circular, tal como o DNA dos seres
procariontes, sustenta a teoria _______. Segundo esta teoria, os seres procariontes maiores
capturaram primeiramente seres _______.
(A) autogénica […] autotróficos
(B) endossimbiótica […] heterotróficos aeróbios
(C) endossimbiótica […] autotróficos
(D) autogénica […] heterotróficos aeróbios

4. As barbatanas de Chiloscyllium punctatum e de Hemiscyllium henryi são estruturas


(A) análogas que evidenciam uma posição relativa semelhante.
(B) análogas, uma vez que desempenham a mesma função.
(C) homólogas que evidenciam uma posição relativa diferente.
(D) homólogas, uma vez que desempenham funções diferentes.

5. De acordo com o darwinismo, o desenvolvimento da capacidade de Hemiscyllium caminhar em


meios aquáticos pouco profundos
(A) foi uma característica que se desenvolveu por necessidade de sobrevivência.
(B) conferiu-lhes uma vantagem adaptativa que culminou com a reprodução diferencial dos
indivíduos que possuíam essa característica.
(C) conduziu à alteração do fundo genético da população.
(D) foi consequência da seleção natural dos indivíduos que transmitiam aos descendentes as
características resultantes das mutações que ocorreram.

6. Ordene as letras A a E, de modo a reconstituir a sequência de acontecimentos que estiveram na


base da evolução dos sistemas de classificação estudados.
A. As teorias evolucionistas de Darwin obrigam a repensar os sistemas de classificação de seres
vivos utilizados na época.
B. O fixista Lineu classificou os seres vivos de acordo com a análise de várias características
estruturais.
C. Whittaker agrupa os seres vivos em diferentes reinos de acordo com o tipo de célula,
organização celular, modo de nutrição e interações nos ecossistemas.
D. A utilidade em relação ao Homem é usada como principal critério de classificação dos seres
vivos.
E. As relações filogenéticas entre os seres vivos são determinadas por análises bioquímicas.

7. Explique de que modo a metodologia utilizada e os resultados obtidos no estudo permitem


concluir, comparativamente, acerca do grau de proximidade filogenética de Hemiscyllium halmahera
e de Hemiscyllium freycineti em relação a Hemiscyllium henryi.

4
8. Explique de que forma uma diminuição da temperatura a nível global poderá levar à colonização
de novas áreas geográficas pelos tubarões Hemiscyllium.

Grupo III

A sequência estratigráfica da Bafureira (figura 3), onde foi descrita pela primeira vez a
ocorrência de âmbar em Portugal, pertence à Formação do Rodízio, do Cretácico Superior, no
contexto tectónico da Bacia Lusitânica, e corresponde a um afloramento que atinge os 8 metros à
superfície. Todo o afloramento é atravessado por uma falha vertical. Os exemplares de âmbar são
de reduzidas dimensões, muito fraturados e ricos em bioinclusões (fragmentos de plantas).
A sequência é composta por depósitos de sedimentos silicatados de descarga fluvial. Na base
há alternância de níveis de arenito grosseiro, arenito fino e siltoargilitos cinzento-escuros com
abundantes restos de carvão (âmbar), cujo topo corresponde a um paleossolo com possíveis
rizoconcreções (nódulos que preservam a estrutura de raízes).
A sedimentação dos sedimentos do topo da sequência ocorreu em meio marinho, com uma
componente carbonatada (carbonato de cálcio) muito significativa. A secção compreende níveis
calcoareníticos intercalados com níveis calcossiltíticos ricos em macrofósseis de bivalves de
grandes dimensões e margas sem macrofósseis. Esta sequência evidencia, portanto, um ambiente
de deposição fluvial, passando a marinho no topo.

Figura 3. Sequência estratigráfica da Bafureira.

Baseado em Silvério, G. e Madeira. J. (2015). Âmbar português: o caso de estudo da praia da Bafureira (Cascais,
Portugal). GEONOVAS. Geologia aplicada, Estratigrafia e Petrologia, 31, 67-72

5
Nos itens de 1. a 6., selecione a letra da opção correta.

1. O ambiente de deposição foi sofrendo alterações, provavelmente justificadas pela ocorrência de


(A) uma transgressão marinha.
(B) uma regressão marinha.
(C) um aumento da velocidade da corrente.
(D) um aumento da capacidade de carga do rio.

2. As afirmações seguintes dizem respeito ao estudo realizado no afloramento, onde foi possível
aplicar alguns princípios geológicos.
I. A obtenção da idade Cretácico Superior foi obtida por métodos de datação absoluta com
recurso aos fósseis.
II. As bioinclusões apresentam uma idade posterior à formação do âmbar.
III. Segundo o princípio da interseção, a fraturação do âmbar é posterior à sua formação.

(A) II é verdadeira; I e III são falsas. (C) I e III são verdadeiras; II é falsa.
(B) II e III são verdadeiras; I é falsa. (D) III é verdadeira; I e II são falsas.

3. A presença de carbonato de cálcio nas litologias calcoareníticas e calcossiltíticas é consequência


(A) da dissolução da calcite.
(B) do aumento da temperatura da água.
(C) do aumento da pressão atmosférica.
(D) do aumento da acidificação das águas.

4. Segundo o princípio da identidade paleontológica, os macrofósseis de bivalves têm a mesma


idade que os
(A) arenitos finos. (C) arenitos grosseiros.
(B) siltoargilito com restos de carvão. (D) calcossiltitos.

5. O facto de ainda não se terem encontrado reservatórios petrolíferos na Bacia Lusitânica pode ser
explicado
(A) por não ter ocorrido a deposição de material vegetal.
(B) pela deposição ter ocorrido em ambientes de sedimentação redutores e anaeróbios.
(C) pela natureza permeável das rochas que a constituem.
(D) pelo facto de a diagénese ter ocorrido em ambiente aquático.

6. As afirmações seguintes dizem respeito ao ambiente de sedimentação das rochas que ocorrem
no afloramento em estudo.
I. A presença de bioinclusões foi possível graças à ocorrência de mineralizações.
II. A montante da bacia de sedimentação que deu origem à base da sequência estratigráfica da
Bafureira, era provável a presença de sedimentos mais grosseiros e angulosos.
III. Num processo de incarbonização verifica-se um aumento do teor de carbono e um aumento da
desidratação dos compostos orgânicos.

(A) II é verdadeira; I e III são falsas. (C) I e III são verdadeiras; II é falsa.
(B) II e III são verdadeiras; I é falsa. (D) III é verdadeira; I e II são falsas.

6
7. Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência de acontecimentos ocorridos na
região onde foram encontrados fragmentos de âmbar.
A. Deposição dos materiais que originaram o arenito grosseiro que se encontra mais próximo do
paleossolo.
B. Mumificação de fragmentos de plantas.
C. Diagénese dos sedimentos em ambiente marinho.
D. Ocorrência de uma falha vertical.
E. Deposição dos materiais de topo da sequência com origem fluvial.

8. Faça corresponder cada uma das descrições relativas a propriedades de minerais, expressas na
coluna A, à designação correspondente, que consta na coluna B.

Coluna A Coluna B
(a) Propriedade que se refere à intensidade de luz refletida por (1) Fratura
uma superfície mineral. (2) Traço
(b) Cor do mineral quando reduzido a pó. (3) Brilho
(c) Resistência que um mineral oferece ao riscar ou ser riscado (4) Dureza
por outro mineral. (5) Densidade

9. Explique de que forma o conhecimento do tipo de ambiente de deposição que originou o


paleossolo pode ser um argumento favorável à confirmação da existência de rizoconcreções na sua
constituição.

Grupo IV

Num trabalho de investigação numa planície alentejana, foi estudada a Sequência Gabroica
Bandada (SGB), datada com 340 ± 5 milhões de anos (M.a.), constituída por uma grande
diversidade de rochas gabroicas rodeadas por dioritos.
Sobrepostos aos gabros encontram-se solos que são de dois tipos: o saprólito,
maioritariamente constituído por areias siltosas, com espessura máxima de cerca de 5 m, e, sobre
este, solos argilosos e negros, conhecidos como barros de Beja, cuja espessura raramente
ultrapassa 1 m. No seu aspeto típico, o gabro apresenta-se com grão médio e melanocrata, cor
cinzento-escura, tendo sido também identificadas amostras de grão mais grosseiro, bem como
gabros mais claros e de granulometria fina, com predomínio de plagióclases. Mineralogicamente,
foram identificados como minerais essenciais plagióclases (56-63%), piroxenas (11-14%) e olivinas
(6-8%) e como minerais secundários (8-10%) anfíbolas, hiperstena e biotite. O gabro pode
encontrar-se cortado por filões de quartzo e feldspato com espessuras variadas, de 10 a 60 cm, ou,
ainda, filões de carbonatos ou com preenchimentos argilosos.
Na área em estudo existe uma extensa rede de fissuras ao longo das quais é visível a circulação
de água, alterando a rocha, sendo essa alteração típica em bolas e em “casca de cebola”.

S. M. Soares et al. (2014). Comunicações Geológicas, 101, Especial III, 1169-1172

Nos itens de 1. a 8., selecione a letra da opção correta.

1. As rochas magmáticas que constituem a Sequência Gabroica Bandada têm em comum a


(A) composição química, uma vez o diorito evoluiu do magma que deu origem ao gabro.
(B) textura, sendo ambas granulares.
(C) cor, sendo ambas melanocráticas.
(D) mineralogia, apresentando na sua constituição apenas minerais ferromagnesianos.
7
2. Os gabros, afetados por metamorfismo regional, originam rochas _______ quando sujeitos a
efeito de pressão _______.
(A) foliadas [...] não litostática
(B) foliadas [...] litostática
(C) não foliadas [...] litostática
(D) não foliadas [...] não litostática

3. A abundância de piroxenas, em comparação com a abundância de olivinas, pode justificar-se


com o facto de
(A) a temperatura de fusão das piroxenas ser inferior à das olivinas.
(B) o tempo em que decorreu a cristalização das piroxenas ter sido superior ao tempo em que
cristalizaram as olivinas.
(C) o magma que deu origem aos gabros ter sido enriquecido de ferro e magnésio.
(D) a quantidade de cálcio ser superior à de sódio.

4. As rochas gabroicas que constituem a Sequência Gabroica Bandada resultaram da solidificação


de um magma _________, com origem na fusão de materiais essencialmente __________ .
(A) andesítico [...] mantélicos
(B) andesítico [...] crustais
(C) basáltico [...] crustais
(D) basáltico [...] mantélicos

5. A alteração típica em bolas e em “casca de cebola” é consequência da


(A) exposição a condições subaéreas.
(B) crioclastia.
(C) termoclastia.
(D) haloclastia.

6. A circulação de água nas fissuras do gabro promove a meteorização química por


(A) dissolução do carbonato de cálcio.
(B) hidrólise do quartzo.
(C) desidratação do gesso.
(D) oxidação de minerais ricos em ferro.

7. Ao contrário do diamante, a anortite é um mineral ________ e apresenta, na escala de Mohs,


uma dureza _________.
(A) polimorfo [...] inferior
(B) polimorfo [...] superior
(C) isomorfo [...] inferior
(D) isomorfo [...] superior

8. Um anticlinal corresponde a uma estrutura geológica formada em regime _______ cujo núcleo é
ocupado por rochas mais _______.
(A) compressivo [...] recentes (C) compressivo [...] antigas
(B) distensivo [...] recentes (D) distensivo [...] antigas

9. Explique de que modo é possível inferir a existência provável de dois momentos de cristalização
do gabro.

8
Cotações
Item
Grupo
Cotação (em pontos)
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
I
5 5 5 5 5 5 5 5 10 50
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.
II
5 5 5 5 5 5 10 10 50
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
III
5 5 5 5 5 5 5 5 10 50
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.
IV
5 5 5 5 5 5 5 5 10 50
Total 200

Você também pode gostar