Você está na página 1de 4

Inteligência Emocional

Desta forma fica mais fácil de podermos fugir do julgamento, da necessidade de aprovação dos
outros e do julgamento alheio. Isto é a independência emocional.

Uma habilidade fortalece a outra.

Ponto de viragem emocional


Antes: Situação desagradável
Pensamento e emoção negativa só alimentava a negatividade da situação
Depois: Pensamento alternativo e construtivo, alimenta a emoção de empatia e compreensão
e torna a situação menos desagradável possível

Como desenvolver consciência emocional


- Assistir a filmes/séries ou vídeos em que sabemos que emoções vão surgir. Mas naquele
momento pare para sentir e observe a emoção.
Se for um filme de comédia, sabemos que vamos sentir leves. Então pare e observe a emoção
em si mesmo e como fica alegre. Que sensações estão no corpo, como se sente?
Ao princípio pode parecer estranho, mas com o tempo, vamos percebendo que detetar o tipo
de emoção que estamos sentindo vai ficando mais fácil.
No começo é desaconselhado a se expor a um filme que traga tristeza, medo ou ansiedade.
Pelo menos não no começo. Comece pelas emoções positivas, para as reforçar e depois, claro,
pode-se ir migrando para outro tipo de emoções.
Faça disso a sua habilidade. Detectar emoções.
As 11 habilidades da Inteligência
Emocional
Autoestima
A autoestima tem a ver com autoaceitação. Vai muito além de se achar apenas feio ou bonito,
muito ou pouco inteligente, etc. A Autoestima regula a resposta às seguintes perguntas:
 Como se sente neste momento em relação a si mesmo?
 Sabe que defeitos e qualidades tem?
 Como lida com as suas falhas, inconsistências e fraquezas?
 Como é que você reage perante um desafio?
 Acredita que consegue ou desiste e arranja uma desculpa?

Alguns comportamentos como a arrogância, expansividade, extroversão, eloquência são


confundidos com autoestima

Consciência emocional
Um estudo revelou que cerca de 60% das pessoas têm dificuldade em descrever o que estão
sentindo.
Estar consciente das suas emoções é vital para se sentir bem. Pessoas com alta consciência
emocional conseguem detectar que emoções estão a sentir e entender qual a origem delas.
Essa capacidade de entender essas emoções permite fortalecer uma série de outras
habilidades da inteligência emocional, como o senso de propósito, a independência emocional,
flexibilidade, os relacionamentos interpessoais, etc.

Quem não tem a consciência emocional muito desenvolvida, terá dificuldade em detectar e
entender as suas próprias emoções e tenderá a sentir apenas emoções muito fortes, somente
aquelas mais agudas e levará a agir por impulso sem perceber necessariamente o que
desencadeou a reação.
 Como é que se está sentindo agora? Convido-o a parar por uns instantes e prestar
atenção em como se está sentindo.
 Como se sente ao nível físico e que sensações tem ao nível mental?
 Que tipo de pensamento está tendo?
 Que emoções estão presentes?

Senso de Propósito
Algumas pessoas têm a certeza do que querem e conseguem rapidamente discernir entre o
que as agrada e o que não. E sentem uma necessidade interior de conquistar ou alcançar algo.
Para nos sentirmos realizados, precisamos de estar seguros, ter as nossas necessidades básicas
atendidas. Sentir prazer e alegria.
Mas a cereja no bolo, aquilo que faz uma pessoa sentir que vale a pena viver de verdade é um
senso de realização.
Mas não podemos confundir o senso de propósito com o saber o que se quer da vida.
Ou, ainda pior, não se confunda o senso de propósito com o querer sempre a mesma coisa ao
longo da vida.
Não é isso. Mas tb não há nada de errado com essas duas coisas que acabei de citar.
Mas a pessoa pode ter um senso de propósito bem desenvolvido e não saber exatamente o
que quer e onde quer chegar. E pode mudar de ideia ao longo da vida.
O que marca o senso de propósito é a habilidade de se nortear e conseguir determinar e
buscar objetivos relevantes para si mesmo.
E você? Como sente essa habilidade funcionando?
Acha que ultimamente está agindo de acordo com os seus propósitos?

Independência Emocional
Como é que você age quando as pessoas à sua volta lhe tentam manipular?
Como se sente quando te que dizer não? Ou quando precisa de desagradar a alguém?
Como lida quando tem uma opinião diferente das demais pessoas?
É preciso agir de maneira independente.
Se você consegue agir sem depender de julgamentos e aprovações alheias, dando mais
prioridade ao que lhe é mais importante, então a habilidade da independência emocional está
bem desenvolvida em você.
Normalmente as pessoas confundem a falta de independência emocional com falta de
propósito. Mas o senso de propósito está ligado à definição de objetivos importantes para si
mesmo e a independência emocional tem a ver com o conseguir agir por conta própria. Não
precisa da pessoa estar 100% confortável em agir de maneira independente. Aliás, uma pessoa
com alto quociente emocional nunca ficará 100% confortável em agir contra a opinião dos
outros, porque têm uma empatia elevada, flexibilidade e relacionamentos interpessoais bem
desenvolvidos.
A diferença está na capacidade de agir e na capacidade de dizer não quando necessário, na
capacidade de prosseguir com algo que julgo importante mesmo que ninguém pense assim.

Controlo de Impulsos
A capacidade da pessoa controlar e estar consciente das suas emoções de maneira a evitar
acções ou pensamentos precipitados.

Não só se restringe às acções, mas também aos pensamentos. A pessoa pode não reagir a um
insulto, mas dentro dela pode estar a criar mentalmente uma série de pensamentos e cenários
onde agride e insulta a outra pessoa e se vinga. Às vezes as pessoas parecem calmas por fora,
mas por dentro estão um caldeirão de emoções.

O controlo de impulsos inclui também o impulso de criar gatilhos mentais.

Flexibilidade Emocional

Você também pode gostar