Você está na página 1de 10

Aviso legal: Este é um modelo inicial que deve ser adaptado ao caso concreto por profissional habilitado.

Verifique sempre a vigência das


leis indicadas, a jurisprudência local e os riscos de improcedência. Limitações de uso: Você NÃO PODE revender, divulgar, distribuir ou
publicar o conteúdo abaixo, mesmo que gratuitamente, exceto para fins diretamente ligados ao processo do seu cliente final. Ao utilizar este
documento você concorda com os nossos Termos de uso.
REMOVA ESTE AVISO ANTES DO USO | Copyright ModeloInicial.com.br

AO JUÍZO DA VARA JUDICIAL DE FAMÍLIA DA COMARCA DE


________

________ , ________ , ________ , portador da


cédula de identidade nº ________ , inscrito no CPF nº
________ , ________ residente e domiciliado na
________ no município de ________ , e;

________ , ________ , ________ , portador da


cédula de identidade nº ________ , inscrito no CPF nº
________ , ________ residente e domiciliado na
________ no município de ________ , vem à presença
de Vossa Excelência, por seu representante constituído
propor

DIVÓRCIO CONSENSUAL

pelos fatos e motivos que passa a expor.

#3272482 Tue Feb 9 14:38:05 2021


DOS FATOS

As partes constituíram casamento civil por mais de ________


anos, rompida em ________ , momento em que houve a separação de fato.

Pelo presente, requer a homologação judicial do presente acordo


consensual acerca da guarda dos filhos do casal, nos termos a seguir expostos.

HOMOLOGAÇÃO DO DIVÓRCIO

Após vigência da Emenda Constitucional nº 66, o parágrafo 6º do


artigo 226 da Constituição Federal passou a ter nova redação:

Art. 226. A família, base da sociedade, tem especial


proteção do Estado.
[...]
§ 6º O casamento civil pode ser dissolvido pelo divórcio.

Assim, foi suprimido o requisito de separação judicial por mais de


um ano, ou de separação de fato por mais de dois anos, perfeitamente cabível a
presente ação, pois o pedido esta de acordo com o Código Civil:

Art. 1.571. A sociedade conjugal termina


[...]
IV - pelo divórcio.

Portanto, pelo simples interesse mútuo dos Requerentes, em


virtude dos fatos acima relatados, tornando-se impossível uma reconciliação,
faz-se necessária a declaração imediata do Divórcio.

DOS BENS A PARTILHAR

De todo patrimônio disponível, requer a partilha dos seguintes


bens:

#3272482 Tue Feb 9 14:38:05 2021


Dos bens imóveis

 Apartamento ________ , avaliado em R$ ________ ,


matrícula sob nº ________ , com inscrição de alienação
fiduciária em favor de ________ , uma vez que conta com
________ do valor financiado com referida instituição
bancária, que corresponde a R$ ________ .

Dos bens móveis

 Veículo automotor modelo ________ , ________ ,


________ , avaliado pela tabela Fipe em R$ ________ ,
integralmente quitado.

 Veículo automotor modelo ________ , ________ , avaliado


pela tabela Fipe em R$ ________ com inscrição de alienação
fiduciária em favor de ________ uma vez que conta com
________ do valor financiado com referida instituição
bancária, que corresponde a R$ ________ .

Das ações e títulos financeiros

 ________ de quotas na sociedade empresária ________ ,


avaliadas em ________ cada.

 ________ quotas de ações da empresa ________ .

 ________ bitcoins, avaliados em ________ em R$


________ , conforme extrato em anexo.

DAS DÍVIDAS E OBRIGAÇÕES

Das dívidas, requer a partilha das seguintes obrigações:

________ - ________ - ________

#3272482 Tue Feb 9 14:38:05 2021


________ - ________ - ________

________ - ________ - ________

DA PARTILHA

De todo patrimônio disponível, requer seja deferida a partilha da


seguinte forma:

1. ________ , no valor de R$ ________ que será será


destinado ao ________ .

2. ________ , no valor de R$ ________ que será será


destinado ao ________ .

3. ________ , no valor de R$ ________ que será será


destinado ao ________ .

As dívidas acima relacionadas, serão cobertas pelos seguintes bens


e valores:

________ - ________ - ________ que será paga por


meio de ________

________ - ________ - ________ - que será paga por


meio de ________ ...

DA GUARDA

Não obstante a obrigatoriedade da guarda compartilhada


instituída pela Lei 13.058/14, cabe ao Magistrado a sensibilidade de conceber
que não se trata de uma regra absoluta, afinal, os interesses do menor devem
prevalecer sobre qualquer ato normativo.

Ao disciplinar sobre o tema, Rolf Madaleno destaca sobre as


condições necessárias para o cabimento da guarda compartilhada:

#3272482 Tue Feb 9 14:38:05 2021


"A guarda compartilhada depende da
estabilidade emocional dos pais, que tenham boa
comunicação entre si, pois sua aplicação está voltada a
atender três pressupostos, a saber: a) o melhor
interesse dos filhos; b) a paternidade e maternidade
responsáveis; e c) a isonomia dos pais, que devem ficar
em pé de igualdade para a determinação dos direitos e de
suas responsabilidades parentais.

Estando ausentes tais pressupostos, referem julgados e


doutrina, a guarda conjunta só seria factível por
acordo em processo amistoso de divórcio ou
guarda, pois apenas por consenso e consciência dos pais
seria possível aplicar a custódia compartilhada que se
mostraria de todo inviável no litígio, com os pais em
conflito, porque atentaria contra a saúde psíquica e
emocional da prole,32 a qual perderia seus valores, seu
rumo e suas referências, mantendo problemas reais de
adaptação, perdidas num mundo de alucinada disputa
da atenção dos filhos, (...)". (in Manual de Direito de
Família. Forense. 2017. Kindle edition, p. 3248)

No presente caso, não presentes os requisitos necessários à boa


convivência familiar, não há que se falar em guarda compartilhada, acordando
as partes que a guarda permanecerá com ________ .

Para tanto, ficam estabelecidos o valor de R$ ________ à título


de alimentos, que devem ser pagos até o 5º dia de cada mês na conta
________ .

DOS ALIMENTOS

Considerando que a guarda permanecerá com ________ ,


firmam pelo presente que será pago ao alimentando a quantia de ________
até o dia 10 em conta corrente em nome do guardião: ________ .

#3272482 Tue Feb 9 14:38:05 2021


DAS VISITAS

Para fins de manter os laços familiares, os Requerentes coadunam na


regulamentação de visitas, conforme dispõe o "caput" do artigo 1.589 do Código
Civil, da seguinte forma: ________ .

DA PENSÃO ALIMENTÍCIA RECÍPROCA

Os requerentes declaram possuírem rendimentos próprios


suficientes a prover o próprio sustento, dispensando os alimentos.

DA JUSTIÇA GRATUITA

Os Requerentes não dispõem de renda suficiente para o


pagamento de custas sem detrimento da manutenção de sua família, razão pela
qual não podem arcar com as despesas processuais.

Para tal benefício o autor junta declaração de hipossuficiência e


comprovante de renda, os quais demonstram a inviabilidade de pagamento das
custas judicias sem comprometer sua subsistência, conforme clara redação do
Art. 99 Código de Processo Civil de 2015.

Art. 99. O pedido de gratuidade da justiça pode ser


formulado na petição inicial, na contestação, na petição
para ingresso de terceiro no processo ou em recurso.

§ 1º Se superveniente à primeira manifestação da parte na


instância, o pedido poderá ser formulado por petição
simples, nos autos do próprio processo, e não suspenderá
seu curso.

§ 2º O juiz somente poderá indeferir o pedido se houver


nos autos elementos que evidenciem a falta dos
pressupostos legais para a concessão de gratuidade,
devendo, antes de indeferir o pedido, determinar à parte a
comprovação do preenchimento dos referidos
pressupostos.

#3272482 Tue Feb 9 14:38:05 2021


§ 3º Presume-se verdadeira a alegação de
insuficiência deduzida exclusivamente por pessoa
natural.

Assim, por simples petição, sem outras provas exigíveis por lei, faz
jus o Requerente ao benefício da gratuidade de justiça:

AGRAVO DE INSTRUMENTO. JUSTIÇA GRATUITA.


INDEFERIMENTO DA GRATUIDADE PROCESSUAL.
AUSÊNCIA DE FUNDADAS RAZÕES PARA AFASTAR A
BENESSE. CONCESSÃO DO BENEFÍCIO. CABIMENTO.
Presunção relativa que milita em prol da autora que alega
pobreza. Benefício que não pode ser recusado de
plano sem fundadas razões. Ausência de indícios
ou provas de que pode a parte arcar com as custas
e despesas sem prejuízo do próprio sustento e o de
sua família. Recurso provido. (TJ-SP
22234254820178260000 SP 2223425-
48.2017.8.26.0000, Relator: Gilberto Leme, Data de
Julgamento: 17/01/2018, 35ª Câmara de Direito Privado,
Data de Publicação: 17/01/2018)

AGRAVO DE INSTRUMENTO. GRATUIDADE DA


JUSTIÇA. CONCESSÃO. Presunção de veracidade da
alegação de insuficiência de recursos, deduzida
por pessoa natural, ante a inexistência de
elementos que evidenciem a falta dos
pressupostos legais para a concessão da
gratuidade da justiça. Recurso provido. (TJ-SP
22259076620178260000 SP 2225907-66.2017.8.26.0000,
Relator: Roberto Mac Cracken, 22ª Câmara de Direito
Privado, Data de Publicação: 07/12/2017)

A assistência de advogado particular não pode ser parâmetro ao


indeferimento do pedido:

#3272482 Tue Feb 9 14:38:05 2021


AGRAVO DE INSTRUMENTO. PEDIDO DE
GRATUIDADE DE JUSTIÇA. CONCESSÃO DO
BENEFÍCIO. HIPOSSUFICIÊNCIA. COMPROVAÇÃO DA
INCAPACIDADE FINANCEIRA. REQUISITOS
PRESENTES. 1. Incumbe ao Magistrado aferir os
elementos do caso concreto para conceder o benefício da
gratuidade de justiça aos cidadãos que dele efetivamente
necessitem para acessar o Poder Judiciário, observada a
presunção relativa da declaração de hipossuficiência. 2.
Segundo o § 4º do art. 99 do CPC, não há
impedimento para a concessão do benefício de
gratuidade de Justiça o fato de as partes estarem
sob a assistência de advogado particular. 3. O
pagamento inicial de valor relevante, relativo ao contrato
de compra e venda objeto da demanda, não é, por si só,
suficiente para comprovar que a parte possua
remuneração elevada ou situação financeira abastada. 4.
No caso dos autos, extrai-se que há dados capazes de
demonstrar que o Agravante, não dispõe, no momento, de
condições de arcar com as despesas do processo sem
desfalcar a sua própria subsistência. 4. Recurso conhecido
e provido. (TJ-DF 07139888520178070000 DF 0713988-
85.2017.8.07.0000, Relator: GISLENE PINHEIRO, 7ª
Turma Cível, Data de Publicação: Publicado no DJE :
29/01/2018)

Cabe destacar que o a lei não exige atestada miserabilidade do


requerente, sendo suficiente a "insuficiência de recursos para pagar as custas,
despesas processuais e honorários advocatícios"(Art. 98, CPC/15), conforme
destaca a doutrina:

"Não se exige miserabilidade, nem estado de


necessidade, nem tampouco se fala em renda familiar ou
faturamento máximos. É possível que uma pessoa
natural, mesmo com bom renda mensal, seja merecedora
do benefício, e que também o seja aquela sujeito que é

#3272482 Tue Feb 9 14:38:05 2021


proprietário de bens imóveis, mas não dispõe de liquidez.
A gratuidade judiciária é um dos mecanismos de
viabilização do acesso à justiça; não se pode
exigir que, para ter acesso à justiça, o sujeito
tenha que comprometer significativamente sua
renda, ou tenha que se desfazer de seus bens,
liquidando-os para angariar recursos e custear o
processo." (DIDIER JR. Fredie. OLIVEIRA, Rafael
Alexandria de. Benefício da Justiça Gratuita. 6ª ed.
Editora JusPodivm, 2016. p. 60)

Por tais razões, com fulcro no artigo 5º, LXXIV da Constituição


Federal e pelo artigo 98 do CPC, requer seja deferida a gratuidade de justiça ao
requerente.

DOS PEDIDOS

Por todo o exposto, REQUER:

1. A concessão da gratuidade de justiça, nos termos do art. 98 do Código de


Processo Civil;

2. O deferimento do pedido para:

a) Após a ouvida do ilustre representante do MINISTÉRIO


PÚBLICO, seja homologado o pedido e declarada a dissolução da
sociedade conjugal dos requerentes;

b) Seja realizada a partilha de todo o patrimônio construído enquanto


pertencentes à união;

c) A homologação do montante estabelecido como alimentos e


definição da guarda;

d) Seja homologada a regulação de visitas;

e) Seja determinada a alteração do nome da requerente para

#3272482 Tue Feb 9 14:38:05 2021


________ .

Dá-se à causa o valor R$ ________ .

Nestes Termos, pede deferimento.

________ , ________ .

________

________

________

1. Comprovante de renda

2. Declaração de hipossuficiência

#3272482 Tue Feb 9 14:38:05 2021