Você está na página 1de 4

Conceito de funções – 2013

1. Dados os diagramas:

Podemos afirmar que:


a) I, II e IV representam funções de A em B; b) I, III e IV representam funções de A em B;
c) I e IV representam funções de A em B; d) IV não representa função de A em B;
e) todos representam funções de A em B.

2. Dados os conjuntos A = {0,1,2,3} e B = {0,1,2,3,4,5}, determine as relações de A em B que são funções.


a) R1 = {(0,2),(1,3),(2,4),(3,5)} b) R 2 = {(0,3),(1,3),(2,3),(3,3)}
c) R3 = {(0,1),(0,2),(1,1),(1,2),(2,1),(2,2),(3,1),(3,2)} d) R 4 = {(0,4),(1,5),(2,0)}

3. Determinar o domínio máximo das seguintes funções f : A  IR  B  IR .


x x2 2x  1
a) f ( x )  x 2  2x b) f ( x )  c) f ( x )  d) f ( x ) 
2x  7 3
4x x2  9
x 1 x 1
e) f ( x )  7 x 2  9 f) f ( x )  x 1  x2 g) f ( x )  x2  h) f ( x ) 
x3 x2  4

4. Considere as funções e definidas por e .

a) Determine o ponto onde o gráfico de corta o eixo das abscissas (x).

b) Determine o ponto onde o gráfico de corta o eixo das ordenadas (y).

3
5. São dadas as funções f, g : R → R definidas por f ( x )  x 2  2x  3 e g( x )  x  m . Determine o
2
valor da expressão f(m) - 2g(m) se f(0) + g(0) = - 5.
4 x, se 0  x  1

6. Considere a função f, dada por: f (x) 



x
2
 7 x  10 se 1 
 4 x  28 se 6 
 x
x 
 7
6
. Calcule:
9   2 
a) f  b) f 1  f ( 6) c) f  f   
4 3
  

7. Uma empresa de telefonia tem dois planos distintos para seus clientes: A e B. No plano A, o cliente paga
R$ 54,00 de mensalidade, com direito a uma franquia de 50 minutos de ligações no mês, e mais R$ 1,35
por minuto de ligação que exceder os 50 minutos da franquia. No plano B, o cliente não paga mensalidade e
paga R$ 1,95 por minuto de ligação.
a) Um cliente tem o plano A e efetuou 63 minutos de ligações em um mês. Determine o valor da conta a ser
paga por esse cliente.

b) Determine uma lei que expresse o valor , em reais, a ser pago por um cliente que tem o plano A, em
função do número de minutos utilizados em um mês.
(Não se esqueça de que são duas situações diferentes: o caso em que e o caso em que ).
1. Dados os diagramas:

Podemos afirmar que:


a) I, II e IV representam funções de A em B; b) I, III e IV representam funções de A em B;
c) I e IV representam funções de A em B; d) IV não representa função de A em B;
e) todos representam funções de A em B.
Solução. Analisando as figuras, temos:
I: Representa função de A em B, pois todos os elementos de A possuem imagem em B. E essa
imagem é única.
II: Representa função pela mesma razão exposta em (I).
III: Não representa função, pois um elemento de A possui duas imagens em B.
IV: Não representa função, pois além de um elemento de A não possuir imagens em B, há outro
elemento em A com duas imagens em B.

2. Dados os conjuntos A = {0,1,2,3} e B = {0,1,2,3,4,5}, determine as relações de A em B que são funções.


a) R1 = {(0,2),(1,3),(2,4),(3,5)} – é função. b) R2 = {(0,3),(1,3),(2,3),(3,3)} – é função.
c) R3 = {(0,1),(0,2),(1,1),(1,2),(2,1),(2,2),(3,1),(3,2)} d) R 4 = {(0,4),(1,5),(2,0)}
Solução. Analisando as opções, temos:
a) R1 é uma função de A em B, pois todos os elementos de A possuem uma única imagem em B.
b) R2 é uma função de A em B, pois todos os elementos de A possuem uma única imagem em B. O
fato do elemento 3 em B ser imagem de todos os elementos de A não caracteriza ambiguidade.
c) R3 não é uma função de A em B, pois há elementos de A que possuem mais de uma imagem em B.
Repare que, por exemplo, R(1) = 1 e R(1) = 2. O mesmo ocorre com os elementos 0, 2 e 3 de A.
d) R4 não é uma função de A em B, pois o elemento 3 de A não possui imagem em B. Isso caracteriza
a exceção.
3. Determinar o domínio máximo das seguintes funções f : A  IR  B  IR .
x x2 2x  1
a) f ( x )  x 2  2x b) f ( x )  c) f ( x )  d) f ( x ) 
2x  7 3
4x x2  9
x 1 x 1
e) f ( x )  7 x 2  9 f) f ( x )  x 1  x2 g) f ( x )  x2  h) f ( x ) 
x3 x2  4
Solução. Analisando as possíveis restrições em cada caso, temos:
a) Não há restrições. Logo, D(f) = IR.
7 7 
b) O denominador não pode ser nulo. Logo, 2x  7  0  x  . Então, D( f )  IR    .
2 2
c) Há duas restrições:
- O radicando do numerador não pode ser negativo: x  2  0  x  2 .
- O radicando no denominador não pode ser nulo. Pode ser negativo (raiz cúbica):
4  x  0  x  4 . Unindo as duas condições, temos: D( f )   2, 4   4,   .
d) O denominador não pode ser nulo. Logo, x 2  9  0  x  3 . Então, D( f )  IR    3, 3 .
e) Não há restrições, pois o índice da raiz é ímpar. Logo, D(f) = IR.
x  1
f) Os radicais não podem ser negativos. Logo, unido as condições temos: 
x  2
 D( f )   2,  
.
g) O radical não pode ser negativo e o denominador não pode ser nulo. Unido as condições temos:
x  2

x  3
 D( f )   2, 3  3,  
.
h) O radical no denominador não pode ser nulo, nem positivo. Observa-se que g(x) = x 2 – 4 possui
como gráfico uma parábola de concavidade para cima. As raízes são x = - 2 e x = 2. Os valores
negativos estão entre essas raízes. Logo, D( f )    ,  2   2,   .

4. Considere as funções e definidas por e .

a) Determine o ponto onde o gráfico de corta o eixo das abscissas (x).

b) Determine o ponto onde o gráfico de corta o eixo das ordenadas (y).

Solução.
a) O gráfico de f(x) corta o eixo das abscissas no ponto de ordenada nulo. Isto é f(x) = 0. Temos:
f ( x )  0  x  1  0  x  1 . Logo, o ponto é (– 1,0).
b) O gráfico de g(x) corta o eixo das ordenadas no ponto de abscissa nula. Isto é x = 0. Temos:
g( x )  4  2x  g(0)  4  2.(0)  g(0)  4 . Logo, o ponto é (0,4).

3
5. São dadas as funções f, g : R → R definidas por f ( x )  x 2  2x  3 e g( x )  x  m . Determine o
2
valor da expressão f(m) - 2g(m) se f(0) + g(0) = - 5.
Solução. Utilizando as informações, temos:
f( x )  x 2  2x  3 f (0)  (0) 2  2(0)  3  3
f(0)  g(0)  3  m

 3
g( x )  x  m
 2



3
g(0)  (0)  m  m
2

f(0)  g(0)  5
 3  m  5  m  2
.

3 
Logo, f (m)  2.g(m)    2   2( 2)  3  2. .( 2)  ( 2)  4  4  3  2.  3  2  5  10  15 .
2

2 
4 x, se 0  x  1

6. Considere a função f, dada por: f (x) 



x
2
 7 x  10 se 1 
 4 x  28 se 6 
 x
x 
 7
6
. Calcule:
9   2 
a) f   b) f 1  f ( 6) c) f  f   
4   3
Solução. Calculando os valores de acordo com o intervalo na qual o valor de x pertence, temos:
2
9 9 9 9 9 81 63 81  252  160 11
a)  2,25  1   6  f       7.   10    10   .
4 4 4
   4 4
  16 4 16 16
f (1)  4.(1)  4
b) 
f (6)  (6)  7.(6)  10  36  42  10  46  42  4
2
 f (1)  f ( 4)  4  ( 4)  0
.

2 2 8
i) f    4.  
3 3 3
c) 2 .
  2  8 8 8 64 56 64  168  90 154  168 14
ii) f  f     f       7.   10    10   
3
   3
   3 3
  9 3 9 9 9

7. Uma empresa de telefonia tem dois planos distintos para seus clientes: A e B. No plano A, o cliente paga
R$54,00 de mensalidade, com direito a uma franquia de 50 minutos de ligações no mês, e mais R$ 1,35 por
minuto de ligação que exceder os 50 minutos da franquia. No plano B, a cliente não paga mensalidade e
paga R$ 1,95 por minuto de ligação.
a) Um cliente tem o plano A e efetuou 63 minutos de ligações em um mês. Determine o valor da conta a ser
paga por esse cliente.
Solução. O cliente ultrapassou em 63 – 50 = 13 minutos a franquia de 50 minutos. Logo, pagará em
sua conta R$54,00 + 13.(R$1,35) = R$54,00 + R$17,55 = R$71,55.

b) Determine uma lei que expresse o valor , em reais, a ser pago por um cliente que tem o plano A, em
função do número de minutos utilizados em um mês.
(Não se esqueça de que são duas situações diferentes: o caso em que e o caso em que ).
Solução. A lei que expressa o valor é formada por duas sentenças de acordo com gasto em minutos:
R$54,00 se 0  x  50
y  
R$54,00  1,35 x  50  se x  50 .
Observe o gráfico representando os dois planos.