Você está na página 1de 4

ALGUNS TERMOS ÚTEIS AO REGENTE

(Bohumil Med e Dicionário de Música Zahar)


Extraído do livro “Regência – Uma Visão Prática”, de João Evangelista

A Cappella – Canto sem acompanhamento.

Accelerando – Termo indicado para indicar um andamento gradualmente mais rápido


[italiano].

Acicatura – É um tipo de apogiatura que tira sua duração do final da nota que a antecede
e não da nota seguinte.

Ad libitum – A interpretação é livre, sem compasso e sem tempo, à vontade. Expressão


usada para indicar que uma passagem pode ser executada sem estrita adesão a seu
andamento, ficando este à vontade do executante; ou que a inclusão de uma passagem,
parte ou instrumento é optativa. [Do latim ad libitum; em italiano a piacere].

Agógica – Procedimento de articulação de sons que implica alteração de andamento


(precipitações, ‘rallentandos’, interrupções), expressão, caráter, etc. Está para o
movimento como a dinâmica para a intensidade.

Archi – Instrumentos de cordas.

Arranjo – Adaptação de composição para um instrumento ou grupo de instrumentos


diferentes do pretendido pelo compositor. Pode ser, ainda, uma nova ‘roupagem’ de uma
melodia conhecida, com acréscimo de idéias musicais.

Cesura – É uma pequena pausa entre duas frases, destinada, geralmente, a uma rápida
respiração. Executa-se tirando o final da nota anterior.

Cifras – São abreviaturas (letras, números e sinais) que representam os acordes.


A – lá B – si C – dó D – ré E – mi F – fá G – sol

Cluster [inglês] – Bloco sonoro; é um acorde formado por segundas sobrepostas. Custer,
em inglês, significa amontoado, apinhado, “cacho” de sons. Pode ser diatônico ou
cromático.

Coda [italiano: cauda] – Trecho final de uma composição no qual se recordam,


geralmente, os seus temas principais.

Col – Tocar junto em uníssono com outro instrumento.

Col Legno [italiano: com a madeira] – Instrução aos executantes de instrumentos de arco
para friccionarem as cordas com a madeira em vez das crinas do arco, produzindo um
som seco e pouco vigoroso.

Da Capo [italiano: da cabeça; abreviatura: DC] – Desde o princípio; indica a repetição


da música desde o seu início. Da capo al fine e da capo al segno indicam que a repetição
deve prosseguir até onde estiver a palavra fine (fim) ou o sinal, respectivamente, na
partitura.

Diapasão – É um padrão de altura absoluta, utilizado para a afinação dos instrumentos.


O ‘aparelho’ que emite o ‘lá 440Hz” também é chamado diapasão, que pode ser de metal,
de sopro ou eletrônico.

Divisi [italiano: dividido; abreviatura: div] – Instrução em uma partitura indicando que
os instrumentos que têm partes com notas duplas assim marcadas devem dividir-se em
dois grupos, em vez de tocarem juntos ambas as notas.

Fade-in – Indica que um pequeno trecho deve ser repetido várias vezes, aumentando
gradativamente de intensidade.

Fade-out – Ao contrário do Fade-in, indica que este trecho deve ser repetido várias vezes,
diminuindo gradativamente de intensidade, até desaparecer.

Flautato – Imitar som de flauta.

Frase – É uma unidade musical com sentido de conclusão. A extensão da frase abrange
geralmente quatro ou oito compassos.

Glissando [italiano] – É um ornamento relativamente moderno que consiste no


deslizamento rápido entre duas notas reais. Na execução, o glissando tira o seu valor do
final da primeira nota real.

Homofonia – Originalmente significa vozes e/ou instrumentos soando em uníssono. Na


terminologia musical moderna designa o estilo de música em que uma parte melódica é
acompanhada.

Ictus – É o nome da acentuação de um ritmo. Acentuação inicial = ictus inicial;


acentuação final = ictus final.

Inciso – É uma pequena célula musical formada por um impulso e um repouso.

Instrumentação – Arte de escrever música para determinados instrumentos levando em


conta não só seu alcance sonoro mas também as espécies de sons que produzem. É a
alternância e a combinação de timbres diferentes.

Legato [italiano] – Serve para indicar que a passagem de um som para outro deve ser
feita sem interrupção.

Lontano, quasi lontano – Longe. Tocar afastado do conjunto principal, por exemplo,
atrás do palco.

Maestro [italiano] – Regente.

Modulação [latim: ajustar] – Mudança de tonalidade no decorrer de uma composição, de


acordo com as regras de harmonia. Também pode ser chamada de Tonulação.
Motivo – É uma figura musical breve com forma clara e precisa. É formado a partir de
uma combinação de intervalos e ritmo bem definidos, o que facilita sua memorização. É
um elemento unificador de uma obra, que se repete várias vezes durante a composição.
Exemplo: as quatro primeiras notas da Sinfonia nº 5, de Beethoven.

Naipe – Um grupo de instrumentos de mesmo tipo (naipe de trombones, naipe de metais,


etc.).

Opus [Abreviatura: Op.] – Obra (Op. 1, Op. 2). Ordem numérica, geralmente
cronológica, das obras de determinado compositor.

Orquestração – Arte de compor para uma orquestra ou outro grande conjunto


instrumental; ou arte de adaptar uma peça musical composta para outro instrumento
àqueles que formam um grupo orquestral.

Ottoni – Instrumentos de sopro – metais.

Ouvido Absoluto – Capacidade de reconhecimento ou produção de uma nota de


determinada altura sem referência a qualquer outra nota. No ouvido relativo uma nora é
reconhecida ou produzida com base em outra nota que é ouvida. Dos dois, o ouvido
absoluto pode se o mais raro; ma so ouvido relativo é mais importante para a prática da
música. Vários compositores famosos não possuíam o ouvido absoluto.

Parte – Uma extração da partitura que traz somente as notas de um componente do


conjunto. Por exemplo: a parte do primeiro violino.

Partitura [full score, do inglês] – Sobreposição de um determinado número de


pentagramas nos quais são escritas as partes de todos os instrumentos e/ou vozes que são
executadas na obra. As diversas vozes ou instrumentos estão colocados um abaixo do
outro, de maneira que se vê perfeitamente o que se toca no mesmo compasso e ao mesmo
tempo.

Período – É geralmente formado por duas frases: a antecedente e a conseqüente,


terminando com uma cadência conclusiva na segunda frase (analogia com
“pergunta/resposta”).

Polifonia – Etimologicamnete, “vários sons”. Sobreposição de várias melodias


independentes, combinada contrapontisticamente. É o aspecto horizontal da linguagem
musical.

Recital – Espetáculo com um só artista (às vezes acompanhado por piano).

Ritardando – Retardando; demorando. Abreviatura: rit. [italiano].


Rubato [italiano: (tempo) roubado] – Importante recurso de expressividade na execução,
envolvendo flexibilidade na escolha do tempo dentro de um compasso ou frase. Isso é
normalmente realizado mediante trocas em bases iguais, quando uma nota tocada
ligeiramente mais tarde em relação à marcação estrita é compensada por outra tocada
ligeiramente mais cedo, de modo que a frase, tomada como um todo, não deixa de
respeitar o seu tempo.
Série Harmônica – É o conjunto de sons que acompanham um som fundamental (som
gerador, som principal).

Simile – Continuar semelhante.

Soli – Indicação para que somente um integrante do naipe execute a melodia. Os outros
voltam a participar após a palavra tutti.

Solo – Trecho da música para ser executado por uma só voz ou instrumento e
acompanhado ou não por outros.

Spalla [italiano:violino di Spalla] – Primeiro violino da orquestra que toca as passagens


solo e costuma ter responsabilidades administrativas. Eventualmente pode substituir o
Maestro.

Strumentini – Instrumentos de sopro – madeiras.

Tacet [latim] – Indica que certa voz ou instrumento não toca em determinado movimento
ou longo trecho de música.

Tema – É a idéia fundamental de uma obra. É uma melodia bem definida com conteúdo
musical significante (primeiro tema da sonata, segundo tema da sonata, etc.).

Tutti – Todos (os executantes): instrução usada para indicar as passagens (por exemplo,
em um concerto) tocadas pela orquestra inteira. Na música coral indica passagens para a
totalidade do coro [italiano].

Vibrato [italiano] – Pequena oscilação de duas alturas quase iguais. Nos instrumentos de
arco o processo consiste numa espécie de trêmolo da mão esquerda sobre o espelho. Nos
instrumentos de sopro o vibrato é produzido pelos lábios ou pelo diafragma que atua na
coluna do ar. O piano não pode produzir vibrato. Geralmente fica a critério do intérprete
escolher o tipo, amplitude e velocidade do vibrato, respeitando, porém, os conceitos
estéticos.

Volti súbito [Abreviatura: V.S.] – Virar rapidamente a página.

Vuota – Pausa (às vezes geral).