Você está na página 1de 1

O Segredo de Maria: a Santa Escravidão a Nossa Senhora!

São Luís Maria Grignion de Monfort


“Cristão predileto e amado por Deus, eis aqui um segredo que o Altíssimo me ensinou, e
que não encontrei em nenhum livro antigo ou recente. Confio-to, pela graça do Espírito
Santo…” (Segredo de Maria ponto 1)
«Feliz, mil vezes feliz é na terra a alma a quem o Espírito Santo revelar o Segredo de
Maria para que o conheça; a quem abrir esse “jardim fechado” para que possa entrar; essa
“fonte selada” (Cant. 4,12) para que dela possa extrair e beber, a longos tragos, as águas vivas da
graça!» (Segredo de Maria, ponto 20).
“Há ainda práticas interiores muito santificantes para aqueles chamados pelo Espírito
Santo a uma alta perfeição. Consistem, em poucas palavras, em fazer todas as ações POR
MARIA, COM MARIA, EM MARIA, e PARA MARIA, a fim de fazê-las mais perfeitamente por
Jesus Cristo, com Jesus Cristo, em Jesus Cristo e para Jesus Cristo.” (Tratado VD ponto 257).
«Feliz, mil vezes feliz é aquela pessoa generosa que, depois de ter irradiado de si a
escravidão tirânica do demónio, através do batismo, se consagra a Jesus por meio de Maria,
na qualidade de escravo.» (Segredo de Maria ponto 34).

Oração a Jesus, de São Luís Maria, para alcançar esta graça.


Meu amável Jesus, obrigado por me terdes concedido a graça da consagração à vossa Santíssima
Mãe, através desta devoção da Santa escravidão, para que seja Ela a minha advogada perante Vós, e o
meu suplemento universal em virtude da minha profunda miséria.
Oh! Senhor, miserável como sou, sem Ela eu estaria já irremediavelmente perdido!
Sim, Maria é-me necessária junto de Vós, e para tudo: necessária para aplacar a vossa justa
cólera, uma vez que muito Vos ofendo todos os dias; necessária para deter o eterno e justo castigo por
mim merecido; necessária para contemplar-Vos, para falar-Vos, para rezar-Vos, para me aproximar de
Vós e Vos comprazer; necessária para salvar a minha alma e a dos outros; necessária, enfim, para eu
poder cumprir sempre a vossa vontade e para dar-Vos, em todas as coisas, a maior glória.
Ah! Quem me dera, ó Jesus, poder apregoar por todo o universo a grande misericórdia que usastes
para comigo! Quem me dera que toda a gente soubesse que, se não fosse Maria, eu já estaria
condenado! E quem me dera eu poder agradecer devidamente por esse tão grande benefício!
Maria está comigo! “Ela foi feita para mim” (Sl 118(119)).
Oh! Que tesouro! Que consolação! Depois de tudo isto, será que não me vou consagrar
inteiramente a Ela?
Que ingratidão seria não fazê-lo, querido Salvador! Preferiria morrer do que viver sem pertencer
inteiramente a Maria.
Com efeito, já milhares e milhares de vezes – tal como São João Evangelista ao pé da Cruz – a
tomei como o bem mais precioso, e outras tantas vezes me consagrei a Ela. Se, porém, meu caro Jesus,
não o fiz ainda como desejaríeis, entrego-me agora, segundo a vossa plena vontade; e, se Vós virdes
ainda algo na minha alma ou no meu corpo que ainda não pertença a esta augusta Princesa, peço-Vos
que o arranqueis e o lanceis para longe de mim, uma vez que, não sendo propriedade de Maria, também
não é digno de Vós,
Amém.